FOTOS – Mobilidade Urbana: Governador vistoria obras da Zona Norte de Natal

Visita obras ZN_Demis Roussos (1) Visita obras ZN_Demis Roussos (12) Visita obras ZN_Demis Roussos (3)Fotos: Demis Roussos

O governador Robinson Faria, acompanhado da primeira-dama e secretária de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social Julianne Faria, vistoriou na manhã desta sexta-feira (9), as obras de mobilidade urbana que estão em execução na Zona Norte de Natal. A primeira parada foi na Avenida João Medeiros Filho, onde está sendo construído o viaduto da Redinha. No local, o serviço está na fase de colocação de pilares e armação e concretagem dos blocos.

Em seguida Robinson Faria, ao lado do secretário de Infraestrutura (SIN), Jader Torres, visitou o trecho da Avenida Moema Tinoco. Nas próximas duas semanas o serviço de drenagem deve ser concluído. Na Avenida Rio Doce, no conjunto Santarém, a via está recebendo pavimentação asfáltica e estão sendo construídas as baias de ônibus.

Robinson Faria afirmou que essas obras são esperadas há mais de 20 anos pela população. “Além de melhorar o trânsito na região, o serviço vai ofertar um melhor acesso ao litoral norte e mais uma opção para chegar ao aeroporto de São Gonçalo do Amarante. Vamos priorizar a mobilidade dos pedestres, transportes públicos e ciclistas, com a criação de novos abrigos de parada, corredores exclusivos de ônibus e 11 km de ciclovia”, destacou o governador. O chefe do Executivo Estadual ainda acrescentou que “os recursos estão garantidos para a finalização do projeto”.

Até o momento, 35% dos serviços já foram executados. De acordo com o secretário da SIN, alguns trechos serão entregues até o final do ano. “A obra segue em ritmo acelerado e seguindo o cronograma previsto. O viaduto da Redinha, uma parte da avenida Moema Tinoco e os serviços das avenidas Rio Doce e Tocantínea estarão prontos até dezembro”, disse Jader Torres.

O valor total do investimento nas obras de mobilidade urbana da Zona Norte de Natal é de R$ 88,2 milhões, com recursos do Governo do Estado e Governo Federal.

Conheça as propostas dos candidatos à Presidência para mobilidade urbana

Transporte sobre trilhos, passe livre e uso de combustíveis limpos dominam as propostas de presidenciáveis para solucionar os problemas de mobilidade nas cidades brasileiras. Enquanto algumas propostas priorizam investimentos para ampliação de trens e metrôs e em programas de financiamento da renovação da frota de ônibus, outras estão direcionadas a estímulos aos transportes alternativos e a medidas que desafoguem o tráfego, como o rodízio nas jornadas de trabalhadores.

Conheça as propostas dos candidatos à Presidência para mobilidade urbana:

Aécio Neves, candidato pelo PSDB, defende mudanças estratégicas para a mobilidade urbana. Em seu programa de governo, ele destaca que a qualidade de vida da população foi prejudicada pela falta de investimentos no setor e propõe uma Política Nacional de Mobilidade Urbana, priorizando o transporte público para que se torne uma alternativa viável e concreta em relação ao transporte individual. O foco principal dos investimentos seria o transporte sobre trilhos, com investimentos em obras estruturais nos principais centros urbanos do país, além de incentivo à renovação e à modernização da frota de trens, metrôs e ônibus. A proposta é buscar a integração dos diversos modais de transporte público. O candidato ainda defende a adoção de horários variados para jornadas de trabalho para evitar períodos de rush.

Dilma Rousseff (PT) defende uma reforma que equacione a questão da mobilidade urbana assim como o déficit habitacional e os problemas de saneamento e segurança pública. A candidata destaca que os investimentos em mobilidade urbana precisam assegurar transporte público rápido, seguro e eficiente. Dilma destacou os investimentos feitos ao longo dos quatro anos de governo em melhorias do transporte urbano nas grandes cidades. No programa entregue à Justiça Eleitoral, a candidata à reeleição apontou obras realizadas em todas as regiões do país para reduzir o tempo que se gasta nos deslocamentos diários. Entre os projetos apontados por Dilma estão a construção de infraestrutura em 651 quilômetros para transportes sobre trilhos, incluindo metrô, monotrilho, VLT, trem urbano e aeromóvel, de mais de 3 mil quilômetros para transportes sob pneus (BRT e corredores) e de 21 quilômetros para transporte fluvial urbano.

Eduardo Jorge (PV) destaca a mobilidade urbana e o transporte público em quantidade e qualidade adequada entre suas principais promessas de governo. Ele defende o uso de combustíveis mais limpos e a cobrança de um pedágio urbano nas grandes cidades para moderar o uso de veículos individuais e gerar recursos novos para a expansão do transporte público. Eduardo Jorge também aponta a necessidade de criar condições adequadas para os pedestres, construir calçadas verdes e acessíveis e apoiar o uso da bicicleta com transporte alternativo.

Eymael (PSDC) e Levy Fidelix (PRTB) não indicam propostas específicas para a área, apesar de reconhecerem a necessidade de melhorias e mais investimentos em todos os serviços públicos.

Luciana Genro (PSOL) promete implantar a tarifa zero nos principais centros urbanos, usando os recursos hoje destinados ao superávit primário para investir no transporte público, assim como em outras áreas como saúde, educação e cultura. O dinheiro seria usado inclusive para melhorar os salários. A candidata lembrou que as manifestações de junho de 2013 trouxeram à tona um conjunto de problemas sociais. Uma das principais bandeiras do movimento foi a questão do transporte. Em seu programa, Luciana afirma que o problema da mobilidade urbana transformou o deslocamento diário em “uma verdadeira via-crúcis para o povo”.

Marina Silva (PSB) promete aumento da transferência de recursos aos municípios que investirem em transporte coletivo e custeio do passe livre. Em seu programa, ela afirma que vai implantar um programa de apoio a estados e municípios para que construam, em quatro anos, 1 mil quilômetros de vias para veículos leves sobre trilhos (VLTs) e de corredores de ônibus integrados (BRT) em todas as cidades brasileiras com mais de 200 mil habitantes. Para ela, a falta de mobilidade é tema-chave para os grandes centros e exige soluções imediatas. A ex-senadora defende um programa federal para financiar a implementação gradual do passe livre e investimentos para expandir as malhas metroviária e ferroviária de cada uma das regiões metropolitanas em 150 quilômetros ao longo de quatro anos. Marina Silva também destaca a necessidade de investimentos para desoneração da frota de ônibus urbanos acessíveis e de veículos movidos com combustíveis limpos.

Mauro Iasi (PCB) quer a estatização, sob controle popular, dos transportes coletivos, para que sejam públicos e gratuitos. O candidato comunista defende que atividades, bens e serviços essenciais para a garantia da produção social devem assumir essa característica e que é preciso “desmercantilizar” alguns setores, como o da mobilidade nas cidades. Iasi é favorável ao fim das privatizações “e da entrega do patrimônio público realizadas no último período”.

Pastor Everaldo (PSC) defende o foco no livre mercado do setor, com estímulo à concorrência. Para o presidenciável, é preciso desburocratizar o setor de transporte e privatizar aeroportos, ferrovias, hidrovias, estradas públicas e serviços relacionados a área de transporte. Ele defende o aumento do investimento em trens e metrôs nos grandes centros.

Rui Costa Pimenta (PCO) acredita que os serviços públicos, como transportes, saúde e educação, foram “destruídos” para impulsionar a privatização “e os lucros de um punhado de abutres capitalistas que parasitam o Estado”. Segundo ele, que defende a reversão deste cenário, os empresários visam apenas o lucro sem focar as necessidades de trabalhadores.

Para Zé Maria (PSTU), as manifestações de junho de 2013 revelaram o esgotamento da população com o caos e a precarização do transporte público. Zé Maria afirma que o transporte no Brasil é um dos mais caros do mundo e que a falta de qualidade e quantidade suficientes “submete a grande maioria da população e os trabalhadores a um inferno diário”. Segundo seu programa, é possível investir 2% do Produto Interno Bruto (PIB) no setor para expandir o sistema de transporte, beneficiando o sistema metroferroviário por ser “mais barato e eficiente que o rodoviário”. Zé Maria também defende que o setor seja controlado pelos trabalhadores, eliminando o sistema de concessões.

Agência Brasil

Segunda etapa do curso de aperfeiçoamento para mobilidade urbana começa nesta segunda

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade inicia nesta segunda-feira (17) a segunda etapa do curso de aperfeiçoamento para mobilidade urbana, destinado para os agentes de mobilidade. A capacitação acontece no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos de Natal (Sinsenat), no Centro, no período de 17 a 21 de fevereiro, no horário das 8h ao meio dia.

Na programação, conteúdos relativos a recursos humanos, cidadania, ética, educação de trânsito, intervenção viária, primeiros socorros, preenchimento de autos e defesa prévia, Central de Rádio, Central de Informação, Reclamação, monitoramento e engenharia de trânsito.

A capacitação abordará ainda conceitos sobre boletim de ocorrência, perícia de trânsito, sistema de fiscalização de transporte e operação em campo, Código de Trânsito Brasileiro e legislação complementar, além de aula prática.

"PRECISANDO MESMO": Segunda etapa do curso de aperfeiçoamento para mobilidade urbana começa segunda

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade inicia nesta segunda-feira (17) a segunda etapa do curso de aperfeiçoamento para mobilidade urbana, destinado para os agentes de mobilidade. A capacitação acontece no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos de Natal (Sinsenat), no Centro, no período de 17 a 21 de fevereiro, no horário das 8h ao meio dia.

Na programação, conteúdos relativos a recursos humanos, cidadania, ética, educação de trânsito, intervenção viária, primeiros socorros, preenchimento de autos e defesa prévia, Central de Rádio, Central de Informação, Reclamação, monitoramento e engenharia de trânsito.

A capacitação abordará ainda conceitos sobre boletim de ocorrência, perícia de trânsito, sistema de fiscalização de transporte e operação em campo, Código de Trânsito Brasileiro e legislação complementar, além de aula prática.

Mobilidade urbana: Reforma de 50,47 quilômetros de calçadas começa pela Salgado Filho

18029Foto: Alex Régis

As obras de mobilidade urbana que prevêem a reforma de 50,47 quilômetros de calçadas em toda a cidade iniciaram e estão em um ritmo satisfatório. A informação é do secretário de Obras Públicas e Infraestrutura de Natal, Tomaz Neto, que visitou nesta terça-feira (12), o canteiro de obras instalado em frente ao Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte (IFRN), localizado na Avenida Senador Salgado Filho.

Nesse período, as intervenções estarão concentradas no trecho compreendido entre as Avenidas Alexandrino de Alencar e Bernardo Vieira. De acordo com o projeto a prioridade das obras é beneficiar o pedestre. Todas as calçadas terão acessibilidade para pessoas portadoras de necessidades especiais.

O secretário também informou que nessa quinta-feira a empresa responsável pelos serviços deve instalar um novo canteiro para iniciar a reforma no trecho que compreende a Avenida Nascimento de Castro até a Rua da Saudade. Na próxima semana, as intervenções irão avançar para as Avenidas Prudente de Morais e Romualdo Galvão no sentido da Arena das Dunas. “Estamos atentos ao cumprimentos dos prazos e a obra será entregue até maio de 2014”, garantiu Tomaz Neto.

O consórcio formado pelas empresas Crisal Construções e LR Engenharia foi o vencedor da licitação e está executando as obras que terão investimentos do governo federal, com contrapartida do município, no valor de R$ 25.209.538,04.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maurício Giovani disse:

    Serviço sem futuro. Não fazem nem o contrapiso para assentamento dos blocos. Na primeira infiltração ou sedimentação posterior do solo, o piso começa a se desnivelar e se soltar. É a engenharia burra de nossa cidade como sempre, mantendo o padrão burrice de falta de qualidade.

  2. Julião disse:

    O problema desse piso intertravado é a facilidade de remoção. Diversos mal educados roubam as plantas que a prefeitura planta, imagine esse piso. Além disso, os vândalos terão mais uma arma contra os o povo de bem, pois não há rejunte ou cimento para fixá-los, basta puxar que você tem uma arma na mão. Na minha empresa eu optei fazer de de concreto, além de durar muitos anos, é mais barato. Em vez disso os engenheiros "altamente qualificados" da prefeitura colocam esse tipo de piso para haver necessidade de substituição e reparos daqui a 1 ou 2 anos. Lamentável que nessa prefeitura os funcionários públicos com 20 anos de exercício tenham parado no tempo e deixado de se atualizar, deveria ser obrigatório uma reciclagem para esse povo! Outra, eu ouvi falar que a LR já desistiu da execução da obra.

    • Breno disse:

      Amigo, faça uma continha simples. Por mais que venham a roubar ou seja preciso manutenção, onde que 50 km usando concreto sai mais barato que bloco intertravado?

  3. Rafael disse:

    É muito bom ver Natal trabalhando.

Com obras de mobilidade urbana próximas de início, veja como fica o trânsito próximo ao estádio Arena das Dunas

Programada para início na semana que vem, as obras de Mobilidade Urbana para a Copa em Natal, nas proximidades do estádio Arena das Dunas forçará o trânsito no trecho a passar por modificações. A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) prevê dificuldades dos motoristas nas primeiras semanas, mas acredita que após a fase de adaptação, o trânsito ficará menos lento.

Confira interdições e desvios:

Cruzamento da Rua Raimundo Chaves com a Avenida Prudente de Morais -> Fechado para construção de túnel;

Interdição na Avenida Prudente de Morais, sentido Candelária /Centro -> Rua Raimundo Chaves até a rotatória da Arena das Dunas. Desvio pela Rua Militão.

Rua Morais Navarro -> Carros que descem do viaduto Quarto Centenário. O trecho, que é proibido dobrar a direita, será liberado em decorrência da interdição na Avenida Lima e Silva.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fina Ironia disse:

    Vai aumentar o fuzuê do caótico trânsito de Natal…

Natal 2014: Ordem de serviço para obras de mobilidade urbana prevê cinco túneis e dois viadutos

_DUNAS_cam68_TÚNELCom a aproximação da Copa do Mundo FIFA 2014, a Prefeitura do Natal está dando celeridade ao início das obras de mobilidade urbana previstas para a capital potiguar. Tanto que o prefeito Carlos Eduardo assinou na tarde desta terça-feira (10), em solenidade no salão nobre do Palácio Felipe Camarão, a ordem de serviço do conjunto de obras de mobilidade urbana do Lote 02 da Copa do Mundo. Serão construídos no entorno do estádio Arena das Dunas cinco túneis e dois viadutos, um deles estaiado. As obras estão orçadas em R$ 222 milhões e ficarão a cargo do consórcio formado pelas empresas Queiroz Galvão/Ferreira Guedes. O prazo para a entrega das obras é o final de maio de 2014.

Serão feitas intervenções nos cruzamentos da rua Raimundo Chaves com a avenida Prudente de Morais (onde será construído um túnel), avenida Mor Gouveia com Prudente de Morais (construção de um túnel) e Prudente de Morais com Jerônimo Câmara (construção de um túnel). Será erguido, ainda, um viaduto estaiado no cruzamento da Prudente de Morais com a Lima e Silva, que também receberá um túnel. Outro túnel será construído no cruzamento da Lima e Silva com a Romualdo Galvão e, finalmente, um viaduto vai ligar a marginal da BR-101 com a pista expressa da rodovia.

Em seu pronunciamento, Carlos Eduardo fez um relato sobre a situação encontrada por ele ao assumir a administração da cidade no começo deste ano. Revelou que foi a Brasília conversar sobre as obras de mobilidade da matriz de responsabilidade do Município, e os órgãos do Governo Federal foram taxativos ao afirmar que Natal perderia todos os investimentos para a Copa do Mundo, por não ter iniciado nenhuma das obras previstas.

O prefeito pediu um voto de confiança, mostrando que a nova gestão tinha compromisso e responsabilidade, e que faria de tudo para garantir os recursos. Os apelos foram ouvidos e as obras mantidas. Com a sinalização positiva do Governo Federal, a equipe da Prefeitura correu contra o tempo para elaborar os projetos e executá-los, já que as outras cidades-sede do Mundial tiveram 53 meses para iniciar suas obras e a capital só teria 18 meses a partir do início da atual gestão.

Carlos Eduardo destacou que essa é a maior obra de mobilidade urbana da história da cidade, pois vai acabar com seis gargalos históricos do trânsito, permitindo uma maior fluidez para os veículos de transporte de massa e carros particulares. O chefe do Executivo municipal também disse que a ordem de serviço demorou a sair, pois os túneis do projeto inicial só permitiriam a passagem de apenas um carro, erro detectado e reparado pelos técnicos do Município. “Nesse projeto apresentado os túneis permitem a passagem de um caminhão e um carro grande sem prejuízo das calçadas”, explicou.

Essa foi a terceira das quatro obras de mobilidade urbana da matriz de responsabilidade da Prefeitura do Natal que recebeu a ordem de serviço. A construção do Túnel de Drenagem da Arena das Dunas, obra que vai solucionar o problema de 33 pontos de alagamento na zona Oeste, já foi iniciada. A ordem de serviço da obra que prevê a padronização de 55 quilômetros de calçadas, construção de 300 abrigos de passageiros de ônibus e plantio de seis mil árvores, também foi assinada, e a empresa responsável pelos serviços está instalando o canteiro de obras para iniciar os trabalhos.

A única obra que ainda aguarda a ordem de serviço é a que prevê a construção do primeiro binário da cidade, na avenida Capitão-Mor Gouveia, além da urbanização da avenida Felizardo Moura, com a colocação de piso de concreto, que é mais resistente à ação diária do tráfego de veículos leves e pesados. Já o piso das calçadas será do tipo intertravado. Segundo o prefeito Carlos Eduardo, essa ordem de serviço deverá ser expedida em 10 dias.

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) já está elaborando todo o plano de trânsito e transporte da região da Arena das Dunas para o período de execução das obras. As mudanças devem ser divulgadas nesta próxima quinta-feira (12). O prefeito Carlos Eduardo pediu a compreensão dos natalenses durante a execução dos serviços: “Teremos transtornos, sim, mas os benefícios serão muito maiores”.

Detalhamento das intervenções

Rua Raimundo Chaves com avenida Prudente de Morais – construção de túnel.

Avenida Capitão-Mor Gouveia com avenida Prudente de Morais – construção de túnel.

Avenida Prudente de Morais com avenida Jerônimo Câmara – construção de túnel.

Avenida Prudente de Morais com avenida Lima e Silva – construção de viaduto estaiado e túnel.

Avenida Lima e Silva com avenida Romualdo Galvão – construção de túnel.

Marginal da BR-101 com pista expressa da rodovia – construção de viaduto.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fina Ironia disse:

    Cinco túneis e dois viadutos em Natal? Mobilidade urbana? Papai Noel, Saci Pererê, Boitatá, CUrupira e Mula sem cabeça existem. Acredite se quiser…

  2. Kátia Andrade disse:

    Bruno já se sabe quando vão terminar a obra do prolongamento da Prudente para Parnamirim?!!!! aqui está um caos. Precisamos muito dessa obra.
    Hoje devido ao acidente em frente ao Carrefour passei quase 01:20 dentro do ônibus devido ao congestionamento.

  3. Pablo disse:

    Quando vejo a cidade de Natal novamente entrando no rumo do desenvolvimento é que tenho a noção do prejuízo que o município e nós, a população, tivemos com o desastre da última administração. Essas obras de mobilidade que agora se iniciam, e estão prometidas para maio de 2014, na minha opinião, não ficarão prontas a tempo. Sou um cidadão que aprovo a gestão de Carlos Eduardo, mas só a boa vontade dele é impossível de conseguir esse milagre, se tratando de obras públicas no Brasil que todos nós conhecemos.
    Imaginemos que Natal não tivesse andado para trás nos 4 anos da administração da Borboleta. Imaginemos que Carlos tivesse feito Fátima sua sucessora. Imaginemos que Natal estivesse em obras, digamos, já há 4 anos, com essa disposição e vontade de realizar.
    Imaginaram?
    OBS: Há meses Rosalba anunciou melhorias na Avenida Eng. Roberto Freire. Começou alguma coisa?

  4. Leonardo disse:

    Parabéns Bruno ,pela clareza e objetividade no post acima!

Governo confirma que Brasília não terá VLT para a Copa

O Distrito Federal não terá o veículo leve sobre trilhos (VLT) entre as obras concluídas para a Copa de 2014. O projeto foi excluído da Matriz de Responsabilidades por solicitação do governo do Distrito Federal, segundo resolução publicada nesta sexta-feira (28) no Diário Oficial da União.

Antes mesmo da publicação, o governo local admitia não haver mais tempo hábil para que ficasse pronta até a Copa.

Iniciada em 2009, a obra – orçada em R$ 276,9 milhões – está parada desde abril de 2011 pela Justiça do DF devido a suspeita de fraudes durante o processo de licitação, ainda durante o governo de José Roberto Arruda.

O VLT teria uma extensão de 6,5 quilômetros para ligar o Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek à Asa Sul. Em seu lugar, deverá ser preparado um corredor de transporte urbano com pistas e viadutos, que darão maior agilidade ao deslocamento das delegações. O custo previsto para o corredor é de R$ 100 milhões.

Observando o caso da capital federal fica a pergunta: será que Natal vai ter baixas nas suas obras de mobilidade?  As obras que estão previstas para a capital potiguar, ainda não saíram do impasse que enfrentam para a desapropriação. Além da obra da Arena das Dunas, o Natalense não tem visto nada que lembre ser obra da copa, o tão propalado legado que a copa 2014 vai deixar para a cidade. Vamos aguardar.

Com informações da Agência Brasil

[FOTO e VÍDEO] Secretária de Infraestrutura detalha projeto da nova Roberto Freire

Foto: Elisa Elsie
Foto: Elisa Elsie

No seminário Motores do Desenvolvimento, que aconteceu nesta segunda-feira (27), a Secretária de Estado da Infraestrutura, Kátia Pinto, apresentou uma palestra sobre a Infraestrutura de Mobilidade Urbana na Grande Natal. A secretária representou a governadora Rosalba Ciarlini que teve que ausentar-se da solenidade para acompanhar o Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro que visitou o RN nesta manhã.

Em sua apresentação, Kátia pinto fez uma explanação sobre as obras de mobilidade urbanas que estão contempladas dentro da Matriz de Responsabilidade do Governo do Estado, voltadas para a Copa 2014: Acessos ao novo Aeroporto de São Gonçalo, Via Metropolitana (Prolongamento da Av. Prudente de Morais), e a Reestruturação da Avenida Eng. Roberto Freire. Sobre esses projetos, foi ressaltado que em 2011, ano que o Governo atual assumiu, os projetos encontrados eram carentes de detalhamentos com base em estudos técnicos, o que dificultava justificar a necessidade de executar tais obras.

Kátia Pinto apresentou os valores das Cartas Consultas apresentadas no ano de 2010 referentes à implantação dos Acessos ao Novo Aeroporto de SGA, que previa a construção de ligação direta com as BRs 406/101 por um valor total de R$ 15 milhões, e que em 2012, através de nova Carta Consulta apresentada pelo Governo do RN, o projeto foi ampliado e tornou-se mais completo, com ligações com as BRs 304/226/406 ampliando os investimentos para R$ 72 milhões.

Outro projeto que passou por atualizações foi o da Reestruturação da Av. Eng. Roberto Freire, que em Carta Consulta de 2010 contemplava apenas e eliminação de três semáforos, sem qualquer alteração na capacidade da via, com o custo de cerca de R$ 55 milhões, e onde a ideia era a implantação de 3 viadutos, que poderiam ocasionar grandes desapropriações e descaracterização urbanística da via. Em 2011, ao assumir a Secretaria de Estado da Infraestrutura, Kátia Pinto buscou a empresa que estava à frente do projeto da Avenida, com a finalidade de concluir o projeto executivo para a obra, porém, com a preocupação de atender ao aumento da capacidade da via por mais 20 anos. “Pensando na questão dos túneis no lugar de viadutos, estamos evitando desapropriações e respeitando a cidade em relação ao seu urbanismo.” Reforçou a secretária durante a apresentação de detalhou o projeto para os presentes no evento.

Sobre as obras da implantação da Via Metropolitana, o prolongamento da Avenida Prudente de Morais, a secretária detalhou o projeto, que contempla 4,7 km de vias em pista dupla, dois túneis sob trechos que cruzam o bairro de Cidade Satélite e um viaduto sob a BR 101. Das três sob responsabilidade do Governo do Estado, as obras da Via Metropolitana já encontram-se em execução por meio do DER.

Ainda na palestra ministrada pela Secretária de Estado, foi apresentada a concepção do projeto do VLT, proposto para o PAC 2 – Mobilidade das Grandes Cidades, inicialmente a ser modernizado e implantado no eixo Norte, ligando o conjunto de Nova Natal ao bairro da Ribeira, em uma extensão de 14,56 km, onde seis novos veículos serão farão o transporte de até 50 mil passageiro por dia, com um intervalos entre as viagens de 6 minutos, em uma velocidade média de 32km/h. Kátia Pinto informou que o investimento será de R$ 136.500.000,00, onde R$ 74 milhões são do OGU e R$ 62.500.000,00 serão financiados.

Somadas as obras, a secretária exibiu em sua apresentação o Anel Viário da região Metropolitana de Natal, onde o Governo do Estado irá ligar as principais avenidas da cidade aos principais acessos metropolitanos.

Após a palestra, Kátia Pinto participou de um debate junto ao Superintendente de Infraestrutura Social do BNDS, Ricardo Ramos; Marcelo Fernandes, Presidente do Sistema FECORMERCIO/RN; e com o Chefe de Gabinete da Secretaria Nacional de Transporte e Mobilidade do Ministério das Cidades, Ricardo Caiado de Alvarenga. Questões referentes aos projetos e obras do Governo do Estado foram esclarecidas, e a Secretária Kátia Pinto agradeceu, em nome da Governadora, a organização do Evento, que propiciou essa oportunidade.

Confira o vídeo da nova Roberto Freire:

[VÍDEO] Veja como ficará a nova e moderna Roberto Freire. Sonho ou realidade?

Semopi vai intensificar recuperação de vias e agilizar obras de mobilidade

A secretária municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), Teresa Cristina Vieira Pires, apresentou durante coletiva de imprensa, na tarde desta sexta-feira (24), na sede da Semopi em Lagoa Seca, um balanço geral sobre os serviços de manutenção da malha viária de Natal, recapeamento asfáltico de importantes ruas da cidade, recuperação do calçadão de Ponta Negra e d as obras de mobilidade urbana com vistas à Copa de 2014.

A titular da Semopi informou que foram assinados quatro novos contratos com empresas que darão continuidade aos trabalhos de recuperação da malha viária da cidade. “Neste caso serão utilizados de recursos próprios do Executivo Municipal, R$ 2,4 milhões para vias pavimentadas a paralelepípedo e R$ 840 mil para locais com asfalto e que abrangerão as quatro regiões administrativas de Natal”.

A recuperação de vias já foi realizada recentemente, segundo a secretária, nas avenidas Prudente de Morais e em trechos da Jaguarari. A partir da próxima segunda-feira (27) serão feitos trabalhos de recuperação da malha viária na avenida dos Xavantes, no bairro Pitimbu.

Teresa Cristina anunciou que será feito um serviço de recapeamento asfáltico em 54 importantes vias da capital potiguar. Prejudicadas pelo desgaste. “Daremos prioridade aos corredores principais de trânsito e de maior tráfego de veículos e de transporte urbano”, disse a secretária adjunta de Planejamento da Semopi, Jussara Albuquerque, que também participou da coletiva.

Para estas obras estão assegurados R$ 11,5 milhões, com recursos garantidos no Ministério das Cidades e destes R$ 1,5 milhão de contrapartida da Prefeitura do Natal. Para estes serviços são dois contratos que deverão ter início após o período eleitoral, uma exigência da legislação para este período.

Com relação às obras de mobilidade urbana para a Copa 2014, Teresa Cristina explicou que para o Lote I, que abrange o viaduto da Urbana e seu entorno e que prevê a desapropriação de 55 imóveis, sendo 20 comerciais e 35 residenciais, está sendo desenvolvido, em parceria com a Secretaria Municipal de Trabalho de Assistência Social (Semtas), um plano de relocalização habitacional para estas famílias.

“A ideia aqui é que algumas famílias identificadas com perfil de vulnerabilidade social possam ser relocadas para áreas no entorno da Urbana. Seria uma solução para diminuir os entraves junto a muitas das famílias que serão afetadas com as desapropriações”, informou a secretária adjunta da Semopi, Jussara Albuquerque.

Já as intervenções que serão feitas na área da avenida Capitão-Mor Gouveia, que tinha a previsão inicial de desapropriar 250 imóveis, a secretária afirmou que está sendo elaborado uma estudo técnico pela própria Semopi e a empresa responsável pela execução destes projetos de mobilidade para diminuir o impacto destas desapropriações. “Nossa ideia é que as desapropriações sejam eliminadas em até 70% nesta área da avenida Capitão-Mor Gouveia”.

Uma audiência pública será realizada entre os dias 15 e 20 de setembro, na Câmara Municipal do Natal para apresentação deste estudo de redução do número de desapropriações na Capitão-Mor Gouveia.

Sobre o Lote II das obras de mobilidade para Copa 2014, que abrange as obras no entorno da Arena das Dunas, Teresa Cristina informou que das seis intervenções previstas, três delas deverão ser licitadas no próximo mês de outubro, sendo os entroncamentos das avenidas Lima e Silva e Prudente de Morais, Raimundo Chaves com Prudente de Morais e Lima e Silva com Romualdo Galvão. A segunda licitação para os serviços dos outros três entroncamentos deverão ocorrer no próximo mês de novembro.

VLTs estão mais próximos de saírem do papel e se tornarem realidade em Natal

O Edital para a aquisição de 20 veículos leves sobre trilhos, os famosos “VLTs”, sendo 12 para Natal e oito para João Pessoa (PB), deverá sair até setembro e a licitação deverá ocorrer até dezembro deste ano. Pelo cronograma apresentado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) na audiência pública realizada nesta segunda-feira (13), no Rio de Janeiro, Natal deverá receber pelo menos dois dos 12 veículos do tipo VLT, antes da copa de 2014.

“Sempre lutei para que esse projeto saísse do papel e se tornasse uma realidade em Natal. A mobilidade urbana é hoje uma pauta mundial e nossa capital não poderia ficar de fora. Foi dado o primeiro passo para a modernização do sistema de trens urbanos de Natal”, constata a deputada Fátima Bezerra que desde 2003 vem apresentando sucessivas emendas aos PPA, quando das discussões quadrienais (2003, 2007 e 2011) no Congresso Nacional.

Os novos carros a serem adquiridos pela CBTU garantirão conforto, acessibilidade e segurança aos usuários: piso antiderrapante; local para cadeiras de rodas; assentos preferenciais; alarme sonoro; portas automáticas e de emergência e ar condicionado.

Assembleia autoriza empréstimo de R$ 234 milhões para obras de mobilidade urbana

Foi aprovado na sessão plenária desta quinta-feira (28), o Projeto de Lei encaminhado pelo Governo do Estado, solicitando a contratação de empréstimo junto a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 234.800,00, que servirá de contrapartida do Estado para obras de mobilidade urbana. A matéria foi aprovada pela maioria dos presentes, exceto pelos deputados José Dias, Fernando Mineiro e Márcia Maia, que votaram contra a autorização do crédito.

Os municípios que receberão tais recursos são Natal, Parnamirim, Macaíba, Extremoz e São Gonçalo do Amarante. Além disso, a quantia deverá ser usada para a reestruturação da Avenida Engenheiro Roberto Freire e na construção de acessos para o novo aeroporto de São Gonçalo do Amarante.
Tais obras constituem uma das exigências formuladas pela FIFA para viabilizar Natal como uma das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. O Projeto estabelece, ainda, que o Poder Executivo deverá incluir nos projetos das leis de diretrizes orçamentárias e leis orçamentárias anuais dotações suficientes à cobertura das responsabilidades financeiras do Estado, decorrentes da operação de crédito.

Copa 2014: Início das obras de mobilidade urbana ainda é incerto

Mais uma matéria que vem da Tribuna do Norte desse sábado (9) que faz a gente pensar: “Será que essas obras realmente ficam prontas para a Copa do Mundo?”. Fica a reflexão. O motivo? O início das obras de mobilidade urbana com vistas à Copa do Mundo 2014 ainda é incerto.

Além das desapropriações e licenças ambientais que ainda não foram expedidas, as obras esbarram em outro fator: uma audiência pública solicitada pelo Ministério Público (MP). Além disso, o Município vai dar início a uma série de estudos ambientais nos locais onde serão realizadas as intervenções urbanísticas. A audiência pública, onde qualquer cidadão pode opinar sobre os projetos, será realizada no próximo dia 22.

De acordo com Márcio Diógenes, promotor de Justiça do Meio Ambiente, a audiência pública será realizada com atraso na capital potiguar. “Na verdade, a legislação vigente exige que todos os projetos de mobilidade urbana sejam discutidos  com a sociedade, desde a sua elaboração. Isso é uma diretriz nacional. Porém, em Natal, isso não estava sendo obedecido. A população desconhece os projetos”, colocou. Por causa disso, o MP chamou o Município para celebrar um acordo. Além da audiência pública, a Prefeitura do Natal terá que apresentar os Estudos e Relatórios de Impacto Ambiental (EIA/Rima) das áreas que sofrerão os impactos das intervenções previstas.

Durante a audiência, a população pode opinar e até sugerir modificações, o que pode atrasar o início das intervenções. As obras do lote 1 (Complexo da Urbana) e lote 2 (ligação da avenida Mor Gouveia ao Km-6) ainda não têm as devidas licenças ambientais. Segundo o titular da secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Bosco Afonso, os técnicos da secretaria já estão trabalhando nesse sentido. O secretário destacou ainda que o MP solicitou que fosse feito EIA/Rima nos dois lotes de obras. “Mas mostramos que só era necessário no lote 2. No Complexo da Urbana faremos estudos ambientais simplificados”, colocou. O secretário não acredita em atrasos. “Tudo está dentro do prazo previsto”.

No dia 21, ou seja, um dia antes da audiência pública que será realizada no auditório do Centro Municipal de Referência em Educação (Cemure), o MP entregará à Semurb um relatório sobre a situação atual das intervenções. “Durante a audiência, queremos esgotar todos os debates para que não haja mais atrasos. Porém, é possível que ocorram solicitações que precisem de novos encontros para se resolver e, assim, ocorra atrasos nas obras”, disse Sueldo Medeiros, secretário adjunto de Fiscalização e Licenciamento da Semurb.

Para a confecção dos relatórios solicitados pelo MP, o Município abriu um processo licitatório para escolha de uma empresa especializada. A terceirização do serviço poderá custar até R$ 800 mil e está sob responsabilidade da secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi). Durante entrevista realizada no final do mês passado, o procurador-geral do Município, Francisco Wilkie Rebouças afirmou que  Município não tinha ciência de que os estudos eram necessários para que as obras fossem iniciadas. Eles são necessários, inclusive, para a emissão das licenças ambientais. “Toda a população irá ganhar com os estudos”, garantiu.

Atraso

Um balanço feito pelo Governo Federal revelou que Natal é uma das cidades mais atrasadas no cronograma das obras de mobilidade para a Copa do Mundo de 2014. O relatório entregue pelo ministro das Cidades Aguinaldo Ribeiro na Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados revelou que na cidade de Natal foi iniciada apenas uma obra de mobilidade (Pró-transporte na zona Norte). Outras três estão paradas e não tiveram nem mesmo os contratos assinados. As obras de mobilidade em Natal, que são responsabilidade do Governo e da Prefeitura, estão orçadas em R$ 661,8 milhões. Desse total, R$ 361 milhões virão de financiamento.

Novo prolongamento da Prudente será liberado em agosto

A avenida Omar O’Grady (Prolongamento da Prudente), ali no conjunto Cidade Satélite, que está em obra há muito tempo e é uma das obras de mobilidade urbana sob responsabilidade do Governo do Estado deve ser liberada em breve. Pelo menos o secretário Demétrio Torres, titular da pasta extraordinária de Assuntos Relativos à Copa do Mundo (Secopa),  em entrevista a Tribuna do Norte, garantiu que o trecho estará liberado em agosto. Confira a reportagem.

A avenida Omar O’Grady será liberada para utilização no início do mês de agosto próximo. A informação partiu do secretário Especial para Assuntos relativos à Copa 2014, Demétrio Torres. Segundo Torres,  a finalização da obra depende da conclusão de uma passagem de nível – espécie de túnel. A expectativa do Departamento de Estradas de Rodagem é de que a via desafogue o trânsito na BR-101 no trecho entre Natal e Parnamirim.

Entrado no conjunto Parque Industrial, na altura da antiga fábrica da empresa Brasinox, e indo em direção ao Cidade Satélite, os motoristas podem seguir pela Omar O’Gredy, que vai até avenida  Prudente de Morais. O trecho se torna uma rota alternativa para quem vai se dirigir até os bairros mais próximos do Centro da cidade.

O tráfego será liberado no local mesmo sem que um complexo viário previsto para ser construído na BR para desafogar o trânsito tenha sido nem mesmo iniciado.

Ainda de acordo com Demétrio Torres, a obra do viaduto será realizada com recursos do PAC Copa, e deve começar assim que for dada a ordem de serviço. A construção deve levar 10 meses para ser concluída, e foi orçada em R$ 15 milhões. Os recursos para as obras de construção da Omar O’Grady, ainda de acordo com Torres, foram todos do Governo do Estado. Sem o complexo viário construído, quem segue na BR-101 com direção a Natal e deseja utilizar a Omar O’Grady precisa fazer um retorno para depois ir em direção à avenida.

Licitação

As duas empresas que tinham comprado o edital não apresentaram as propostas ao Governo do Estado para a construção dos túneis, e a licitação aberta em junho de 2011 foi deserta.

As obras dos dois túneis das ruas Caiapós e Tamanduateí, em Cidade Satélite, foi garantida posteriormente através da empresa empresa IM – Comércio e Terraplanagem. A construtora venceu a concorrência para as obras do prolongamento das avenidas Prudente de Morais e Omar O’Grady com a proposta de R$ 11.629.741,34, abaixo dos R$ 11,8 milhões previstos inicialmente para a obra.

A segunda proposta, da empresa EC – Engenharia e consultoria Ltda., foi de R$ 11,7 milhões. Após a confirmação da empresa responsável pela construção, o prazo para a conclusão do trabalho nos túneis era de 360 dias a contar da ordem de serviço, concedida em agosto de 2011.

Memória

As obras na avenida Omar O’Grady foram suspensas pela Justiça no dia 29 de novembro do ano passado. O desembargador Paulo Gadelha, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, determinou que o Departamento Estadual de Estradas e Rodagens (DER) suspenda as atividades no local e preste esclarecimentos sobre o atual estágio das obras, além da possibilidade de elaboração de uma proposta para recuperação da área de Mata Atlântica degradada com a obra.

A decisão foi fruto de ação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que desde 2009 lutava para evitar que uma área de vegetação nativa fosse destruída para a viabilidade da obra na avenida, que está na continuidade da avenida Prudente de Morais. Mesmo após a decisão, Governo do Estado conseguiu tocar as obras.  Em entrevista concedia à TRIBUNA DO NORTE para matéria publicada no dia 18 de abril a governadora Rosalba Ciarlini afirmou  que havia uma certa descrença da população com relação à obra e muitos achavam que a mesma estava parada. A construção se arrasta desde 2007.

Natal 2014: Fábio Faria: "Temo pelas obras de infraestrutura e mobilidade urbana"

A grande preocupação do deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) com a realização de jogos da Copa do Mundo de 2014 em Natal está na demora no início das obras de mobilidade urbana. O parlamentar levou sua inquietação ao ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, durante audiência na tarde desta quarta-feira (30) na Comissão de Turismo e Desporto da Câmara Federal.

“Não temo pela construção do estádio, que é um investimento privado e já foi assegurado pela construtora, mas pelas obras de infraestrutura e mobilidade urbana, de competência da Prefeitura e do Governo do Estado, que não foram iniciadas até agora”, justificou Fábio Faria.  As obras referem-se principalmente à recuperação e ampliação de vias urbanas, de corredores para ônibus e de terminais rodoviários e a construção de sistemas de veículos leves sobre trilhos.

O ministro informou que o mês de outubro é o prazo limite para o início de todas as obras de mobilidade. “Se até lá não houver avanço nas obras mais atrasadas, haverá o comprometimento do cronograma”, reconheceu Aguinaldo Ribeiro. E enfatizou: “O Ministério repassa os recursos, mas não é responsável pela contratação; mas estamos fazendo o acompanhamento in loco em todos os estados. Estamos identificando os gargalos que estão interferindo nos cronograma e atuando”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sandyjaynetuf disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkki,adorei

Atraso a vista: Acordo prevê suspensão de obras de mobilidade para a Copa

As obras de mobilidade urbana de Natal terão a discussão ampliada. Um acordo firmado entre a Prefeitura do Natal e o Ministério Público determinou a realização de audiências públicas para o debate acerca das obras, havendo a análise desde o início do projeto até a conclusão das novas vias, passando pelo licenciamento ambiental e desapropriações de imóveis, um dos pontos mais polêmicos dos projetos em questão. O foco principal da medida é a abertura da oportunidade para que a população e entidades interessadas possam analisar e contribuir no projeto. Com a nova demanda de tempo para a realização dos debates e análise dos processos de desapropriação, é cogitada a possibilidade de que as obras não fiquem prontas até o início da Copa do Mundo.

Durante reunião entre representantes da Prefeitura e membros do Grupo Especial designado pelo Ministério Público para o acompanhamento das obras e atividades relacionadas à Copa do Mundo, ficou definido que a análise do requerimento de licenciamento ambiental para os projetos de alargamento das avenidas Felizardo Moura e Industrial João Francisco Mota, bem como a proposta para a construção do viaduto da Urbana, terão, obrigatoriamente, a abertura à participação popular na discussão. Com a proximidade da Copa do Mundo, o Ministério Público teve receio de que a necessidade de acelerar as atividades nos locais em que ocorrem as desapropriações sacrificasse fases do processo legal.  “É muito mais importante iniciar o que puder ser iniciado, mas fazendo bem feito. Isso vai reduzir conflitos e possíveis ações judiciais mais à frente”, disse o promotor do Meio Ambiente Márcio Diógenes.

No acordo firmado entre Prefeitura e Ministério Público, ficou determinado que os promotores vão requisitar a elaboração de um laudo técnico sobre os projetos de engenharia e impacto ambiental das obras. De acordo com Márcio Diógenes, o laudo será elaborado pela Funpec, a pedido do MP, e vai servir como base para as discussões sobre os projetos de mobilidade urbana. Pelo acordo firmado, ficarão suspensas todas as desapropriações e obras de mobilidade urbana da Prefeitura “até quando durar a análise do laudo”. Os processos das desapropriações poderão seguir suas formalidades legais, mas estão suspensas as imissões na posse dos imóveis, que são as determinações para que os proprietários deixem as residências ou estabelecimentos comerciais alvo de desapropriação.

A disponibilização do conteúdo dos projetos à população logo após a elaboração do laudo técnico também foi um ponto acordado entre Prefeitura e MP. A medida visa conceder aos interessados em participar das audiências públicas – que serão agendadas pela Prefeitura – a possibilidade de tirar as dúvidas sobre os projetos e confrontar o conteúdo com o laudo produzido a mando do MP. “Várias entidades já manifestaram o desejo de participar das discussões. Aguardamos que o município publique a pauta e as datas das audiências”, disse o promotor.

Ainda sobre as desapropriações, outro compromisso foi firmado entre MP e Prefeitura. O município, através da Secretaria de Assistência Social (Semtas) e da Secretaria de Habitação (Seharpe), comprometeu-se a garantir a efetivação do direito à moradia das pessoas que deixarão os imóveis, buscando manter as pessoas próximas aos locais onde residiam. Para isso, houve também o compromisso por parte do município de, caso seja necessário, adquirir terrenos próximos ao local para a construção de novas moradias e, ainda, custear o aluguel das pessoas na mesma região enquanto não for solucionada a questão.

Com os termos do acordo firmado, o próprio Ministério Público confirmou que há a possibilidade de que as obras demandem mais tempo e, consequentemente, sejam finalizadas após a Copa do Mundo. No entanto, o objetivo principal é respeitar o trâmite legal do processo. “Se chegar o dia em que começa a Copa do Mundo e as obras estiverem prontas, tudo bem. Se não estiverem, tudo bem também. As obras continuam e ficarão de legado para a cidade”, explicou o promotor Márcio Diógenes.

A reportagem da TRIBUNA DO NORTE tentou o contato com o secretário de Meio Ambiente e Urbanismo de Natal, Bosco Afonso, mas não obteve sucesso. Também foi tentado o contato com o procurador-geral do Município, Francisco Walkie, mas ele não atendeu as ligações.

Caixa só libera recursos com toda documentação

Os recursos da Caixa Econômica Federal para as obras de mobilidade urbana de Natal já estão garantidos. Porém, ainda falta documentação para que o banco libere os R$ 293 milhões para a execução das intervenções. Entre os pontos pendentes estão as licenças ambientais e as desapropriações.

Em entrevista à TRIBUNA DO NORTE, o superintendente da Caixa Econômica no Rio Grande do Norte, Roberto Linhares, explicou como vai ocorrer a liberação das verbas. Os projetos de mobilidade urbana de Natal estão divididos em duas etapas, sendo a primeira referente às obras do viaduto da Urbana e na Felizardo Moura à Capitão Mor Gouveia, e a segunda referente ao trecho que engloba a área próxima à Arena das Dunas. Para a primeira etapa, Linhares explicou que o projeto já está há mais de um mês no Ministério das Cidades e vai retornar à Caixa para o desembolso da verba. Contudo, para que o banco possa fazer o repasse dos valores ao município é necessário que sejam fornecidos os documentos de licenciamento ambiental da área onde vão ocorrer as obras, além de uma liberação por parte do Departamento Nacional de Instra-estrutura de Transportes (Dnit) e a própria confirmação das desapropriações nas áreas onde serão implementadas as obras. Por isso, ainda não há a previsão de quando a verba será liberada.

Depois do acordo firmado entre Prefeitura e Ministério Público sobre a forma como vai ocorrer o licenciamento ambiental e a discussão sobre os projetos para a área, a tendência é as desapropriações e o próprio licenciamento ambiental demandem mais tempo para a finalização. De acordo com o superintendente da Caixa, esses são os principais fatores que impedem a liberação da verba. Entretanto, ele não considera o fato um entrave burocrático. “Estamos falando de projetos muito complexos. A exigência de uma licença ambiental ou de uma autorização do Dnit quando eu vou entrar numa área federal não é burocracia. Estamos andando com a análise. Mas não podemos descumprir a norma. Imagina se a gente libera determinada intervenção sem que se tenha determinada autorização do órgão ambiental, por exemplo. E a parte mais difícil do projeto já foi feita. Que foi enquadrar o projeto técnico, o financeiro daquele projeto, a planilha daquele projeto. Agora são detalhes que estão faltando”, disse Roberto Linhares.

A Prefeitura segue realizando parte das obras  com recursos próprios, mas a maior parte dos recursos utilizados nas principais intervenções visando a Copa do Mundo serão emprestados pela Caixa Econômica, como financiamento. Ao todo, o banco vai disponibilizar R$ 293 milhões de financiamento que o município contratou do FGTS. A Prefeitura, por outro lado, utilizará nas obras R$ 45 milhões referentes à contrapartida do município.

Desapropriações também serão discutidas 

As desapropriações de imóveis nas Quintas, para a realização das obras de mobilidade urbana, seguem como principal fonte de dor de cabeça para moradores da região e para os gestores municipais à frente do processo. Os impasses quanto à necessidade das desapropriações e os valores pagos pelos imóveis já chegaram à Justiça e a tendência é que mais moradores busquem reverter a tendência de que 95 imóveis na região sejam desapropriados.

O acordo firmado entre Prefeitura do Natal e Ministério Público para ampliação do debate acerca das obras de mobilidade urbana também tem como objetivo evitar que ocorram casos como a da viúva Luzia Nunes Pereira, que precisou acionar a Justiça para que fosse revertida uma decisão de imissão no imóvel em que ela reside há mais de 30 anos. Depois de ficar sob o risco de ser despejada até por força policial, Luzia Nunes conseguiu que fosse determinada uma avaliação judicial do seu imóvel, que está entre os oito que seriam desapropriados inicialmente pela Prefeitura.

De acordo com Dona Luzia, como é chamada, ocorreu a avaliação unilateral por parte da Prefeitura, definindo o valor do imóvel em R$ 43,2 mil. No entanto, ela só conseguiu encontrar imóvel compatível com o tamanho do atual, e na faixa de preço oferecida, na periferia da Zona Norte de Natal, em área limítrofe a Extremoz. Em decisão liminar, o desembargador Aderson Silvino concedeu à moradora do direito de permanecer na casa até que seja realizada uma nova avaliação do imóvel e haja uma decisão judicial sobre o caso. Ela, inclusive, já é autora de outra ação contestando a necessidade de que sua residência seja desapropriada para fins de mobilidade urbana. Além dela, outros moradores também estão acionando a Justiça para contestar a necessidade das desapropriações. “Já estamos movendo ação na Vara da Fazenda Pública para evitar as desapropriações no local, que entendemos serem desnecessárias”, explicou o advogado Daniel Pessoa, que trata do interesse de dois moradores do local.

Fonte: Tribuna do Norte