Zenaide comemora aprovação de PL que proíbe fechamento de hospitais de campanha antes de ampla vacinação popular

Com o voto favorável da senadora Zenaide Maia (Pros-RN), o Senado aprovou, nessa quarta-feira (10), o PL 4844/2020, que proíbe a desativação de hospitais de campanha em locais onde a população ainda não foi amplamente vacinada contra a covid-19. Em suas redes sociais, Zenaide classificou a medida como “necessária para salvar vidas” e lembrou que a pandemia ainda causa um número alto de mortes diárias.

“A pandemia ainda não acabou e, pelo contrário, ainda mata mais de mil brasileiras e brasileiros por dia! As novas variantes estão aí, desafiando os nossos sistemas de saúde e os hospitais de campanha ajudam a complementar o atendimento aos pacientes”, pontuou a parlamentar.

O PL 4844/20 é de autoria da senadora Rose de Freitas (MDB-ES) e segue para a análise na Câmara dos Deputados.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    Senadora cobre de Fátima Bezerra a abertura dos hospitais regionais que ela e seu secretário de saúde fecharam.

  2. Calígula disse:

    E os 5 milhões dos respiradores quando serão devolvidos ao Estado o povo tbm quer saber Senadora.

  3. Faça o bem disse:

    A senadora Zenaide é o único voto que eu não me arrependo, parabéns senadora, continue honrando os votos dos seus eleitores. Agora estou muito arrependido de ter votado em Bolsonaro e em Styvenson, esse senador é uma piada de mal gosto.

  4. Beto Dal disse:

    Quanta sensatez!!! Enquanto o outro lá não produz, apenas é do contra, Zenaide dá orgulho aos potiguares.

Pacheco e Lira assinam documento com medidas que consideram prioritárias para o país e defendem agilidade na vacinação e aprovação de reformas

Os novos presidentes do Senado e da Câmara, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Arthur Lira (PP-AL), assinaram nesta quarta-feira (3) um documento em que listaram medidas que consideram prioritárias para o país. Eles reforçaram a intenção de dar agilidade à vacinação contra a Covid-19.

“Assegurar, de forma prioritária, que todos os recursos para aquisição de vacinas estejam disponíveis para o Poder Executivo e que não faltem meios para que toda a população possa ser vacinada no prazo mais rápido possível; e que a peça orçamentária a ser votada garanta que cada brasileiro terá a certeza de que o dinheiro do seu imposto estará disponível para sua vacina”, afirma o documento lido por Pacheco e Lira.

Após lerem o documento no Congresso, os presidentes da Câmara e do Senado se dirigiram à primeira reunião com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto. Os dois foram apoiados por Bolsonaro nas eleições do Congresso.

Pacheco e Lira também anunciaram que vão pedir um prazo para a apresentação dos relatórios da reforma tributária e da proposta de emenda à Constituição Emergencial. Eles ainda ressaltaram que serão prioridades em suas gestões a aprovação da reforma administrativa e a PEC dos Fundos Públicos.

Dentro do governo, a expectativa é que os novos comandos de Câmara e Senado facilitem a tramitação e a aprovação de matérias de interesse do Executivo. As reformas são vistas pela equipe econômica como essenciais para garantir a retomada da economia.

No documento que leram nesta manhã, Pacheco e Lira reforçaram que pretendem encontrar maneiras de auxiliar financeiramente os setores pobres da população, que ainda sofrem com efeitos econômicos da pandemia. Ao mesmo tempo, ressaltaram o compromisso com a manutenção do teto de gastos.

“O Senado Federal e a Câmara dos Deputados manifestam que trabalharão de forma conjunta, harmônica e colaborativa em todos os temas que possam facilitar e ajudar os brasileiros na superação do drama da pandemia, incluindo, sobretudo, a análise das possibilidades fiscais para, respeitando o teto de gastos, avaliar alternativas de oferecer a segurança financeira através de auxílio emergencial”, afirmaram os presidentes do Senado e da Câmara.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lourenço disse:

    Zezinho eu também estou vivo e vendo os petralhas se associarem aos demônios, Jader Barbalho, Renan Calheiros, Collor de Melo, Sarney, Sérgio Cabral, Temer, MDB, PSDB, que vergonha, vc precisa ler e saber história.

  2. Lourenço disse:

    Alguém tem visto falar em Nove dedos, da Anta, Narizinho, Vampiro, nonho, Baleia, Lilindenberg, ze geraldo, Falcão ou qualquer outro pilantra do PT ou puxadinhos?

  3. ZéGado disse:

    Eu vivi para ver a boiada comemorar Arthur Lira como presidente da câmara…

    • Silvino disse:

      E eu, de ver pt e rodrigo maia aliados, pior fragorosamente derrotatos. Hehehe

  4. Romero Cezar da Câmara disse:

    Prisão em que? Dê é doidin? Aprovar pra se lascar. Kkkkkkkkkk, tchau lava qualquer coisa. Imagine a lava jato.

  5. João J disse:

    É isso aí!!
    Vamos fazer o que tem que ser feito.
    Nada de botar a bunda em cima como fez o derrotado nhonhom botafogo.
    Uma pauta respaldada, por 57.000 milhões de votos de brasileiros tem que ser respeitada, nada de fazer gracinhas, estamos atentos, de olhos bem abertos.

  6. Delano disse:

    Cadê a prisão em 2a instância? Tendo o congresso como aliado, o presidente agora vai priorizar? Isso mostrará se ele honrará o compromisso de campanha.

Eslováquia é o 1º país da União Europeia a aprovar uso da Ivermectina contra Covid

Foto: Reprodução

O portal Grande Ponto destaca que O Ministro da Saúde da República da Eslováquia registrou oficialmente a Ivermectina como medicamento para profilaxia e tratamento aprovado para contra o SARS-CoV-2, o vírus por trás da COVID-19. A autorização ocorreu na última quarta-feira (27), quando os médicos receberam a notícia de que poderiam prosseguir com as prescrições formalmente autorizadas tanto em hospitais como em ambulatório.

Em 26 de janeiro, o Ministro da Saúde, Marek Krajci, concedeu uma licença para o medicamento não registrado, pois o medicamento já estava em uso de forma compassiva no último semestre.

O site TrialSite entrevistou Ondrej Halgas, um pesquisador da Universidade de Toronto e originalmente da Eslováquia. Halgas tem se envolvido ativamente com uma rede de organização e lobby para a aprovação do medicamento durante a pandemia. A nação da Europa Oriental, de 5,4 milhões de pessoas, membro da União Europeia desde 2004, acaba de fazer história com a aprovação do medicamento.

A autorização real foi o resultado do trabalho de redes de profissionais de saúde, jornalistas e outros ativistas de saúde que têm trabalhado diligentemente para aumentar a conscientização sobre os dados de eficácia crescentes no contexto da pandemia COVID-19.

Leia matéria completa AQUI.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Heraldo disse:

    É o primeiro de uma série de países.
    As evidências científicas até agora, fruto de cerca de 30 ensaios clínicos, dos quais 17 RCTs, são muito robustas, e espera-se para breve os cerca de 50 ensaios em andamento, vide clinicaltrial.gov.
    Quem quiser mais informações consulte os sites: FLCCC.net e o c19study.com, ambos repositórios da mais vasta publicação científica sobre a Ivermectina.
    Heraldo

  2. José Macedo disse:

    Esse vermiculo funciona sim.
    Existe política nos medicamentos e tratamentos também.
    Vamos tomar como exemplo o continente africano por que o número de mortos por Covid-19 é muito baixo ?Alguém já viu alguma reportagem falando sobre isso?
    A oms diz que o baixo número de óbitos deve-se aos cuidados tomados como distanciamento e vejam bem, ampliação na capacidade no atendimento de saúde, quer dizer que o sistema de saúde e cuidados dos africanos são melhores do que um do primeiro mundo.
    Nem criança acredita nessas baboseiras que a oms diz.
    É tudo política ela está acima até mesmo da morte de milhões de pessoas que poderiam ser salvas.

    • Zinid disse:

      Realmente td política,procurem saber do Cloridrato de Levamisol,o que houve com ele, mas hj está como Ascaridil.

  3. Coroninha disse:

    A Eslováquia está para a Europa como o Brasil está para o resto do mundo, ou seja, uma bosta. Hehehehehe

  4. Tobias Bastos. disse:

    Tomo ivermectina, desde maio de 2020. ZINCO , vitaminas D e C. Todas as manhãs, em jejum, gargarejo um copo d'água com uma colher de vinagre. Um limão batido no liquidificador com casca, cuado e adiciono 30 gotas de própolis. 73 anos, 62kg, pedalo 4x por semana e faço academia em casa. Só saio com duas máscaras.

  5. Tico de Adauto disse:

    Tomo não, visse.

  6. Natalense disse:

    Esse é o país da ex-promeiea dama dos EUA.
    Os fortes entenderão.

  7. Tom França disse:

    O que será que tem por trás, em não haver estudos mais robustos em relação a ivermectina? Porque será que existem médicos (a maioria) a favor e médicos contra? Gostaria mesmo que explicassem, porque médicos tão respeitados e capacitados no RN e no mundo, são a favor desse medicamento e simplesmente não lhes dão crédito? Será que é verdade, que existe um "lobby" da indústria farmacêutica de vacinas, tentando desmerecer a Ivermectina, pra não "atrapalhar os negócios" deles?

    • Manoel disse:

      O fato da ivermectina ser barata e não ter patente mais não quer dizer, necessariamente, que não há interesse em pesquisar sobre o efeito dela no combate contra o covid. Já foram feitas muitas pesquisas e algumas tem conseguido encontrar algum efeito contra o covid. Recentemente, por exemplo, foi publicado e já revisado um estudo amplo com o remédio cochicina , ele eh barato e houve comprovação bem substancial que seu uso precoce surtiu efeitos pra evitar casos graves de internação por covid. Qual o problema da ivermectina ser usada sem um estudo científico adequado: existe o efeito placebo e isso pode mascarar o efetivo resultado de um tratamento! Logo, eu tomar ivermectina pra evitar ou não ter um quadro grave de covid, em termos científico, não quer dizer NADA! Acreditar e privilegiar a ciência não quer dizer que eu seja esquerdista , petista, nazista, comunista … Muito menos que eu não faça uso da ivermectina, por exemplo!

    • Neco disse:

      Efeito-placebo existe até quando há o princípio ativo. A substância age e o paciente acredita que a recebeu e nela, acredita. Somam-se dois fatores. O problema é que tem muitos médicos fazendo uso com base nas suas experiências. Ainda não tem um selo científico porque ainda não deu tempo. Tudo isso, leva anos de acompnhamento de pessoas (massificação, randomização, duplo-cego, revisão de pares, meta-análise, o carai a quatro). Se está numa corrida contra o relógio. Mas até plantas usadas por índios funcionam para certos males, mas a maioria não tem chancela acadêmica. Pensar que só existe verdade dentro do mainstream acadêmico é puro obscurantismo. Aliás, ciência pega só o fragmento da realidade que dá para ser analisado segundo a disponbilidade de (seus) métodos já delimitados. Toda 'verdade' científica é inerentemente precária, suscetível de ser falseada.

  8. Greg disse:

    A Anvisa não aprova o uso da Ivermectina pra tratamento de Coronavírus, portanto…só uso vacina ou tratamento (que ainda não tem). chancelado pela ANVISA. boa tarde a todos.

  9. Lourenço disse:

    Vamos nos preocupar com vc Zezinho do gado 😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😅😅😅😅😅😅😅😅

  10. Marcos Luiz disse:

    Já tomo Ivermectina desde o inicio . A cada 15 dias . Toda a minha família e graças a Deus , nenhum sintoma. E muita vitamina D.

  11. Gil disse:

    SUSPENDAM A VACINAÇAO E MANDEM O GADO PARA O POSTO PEGAR IVERMECTINA KKKKK

    • Antenado disse:

      O tratamento profilático está ajudando muito nas internações de casos graves e de mortes. A ivermectina como antiviral está sendo usado e indicado. Não é vacina mas ajuda e muito. Toma quem quer.

    • M.D.R. disse:

      Que esta havendo os R$ 5 MILHÕES foi a BAHIA e passou pelo um processo de diluição.
      Até agora sem resposta….

    • oCínico disse:

      Boa!
      Ivermectina para o gado e caixão para os jumentos!

  12. Japiense disse:

    Crédito ao Dr Fernando Suassuna, defensor desde sempre deste fármaco. É de Natal, é da gente! A verdade está vindo à tona.

  13. Boró disse:

    Isso é um couro de p… do ca….
    Uns falam que serve, outros dizem que não. Daqui a pouco um site esquerdopata vem desmentindo.

    • Paulo Roberto disse:

      Toma quem quer. Aqui em casa fazemos uso da Ivermectina desde que uns familiares tiveram os sintomas e ficaram curados com essa medicação. Quem não teve os sintomas, tomam Ivermectina, mensalmente e, até o presente não se contaminaram.

  14. ZéGado disse:

    Espero que comam com farinha… eu tô nem aí pra quem usa essa bosta

  15. Chicó disse:

    Os negacionistas do tratamento precoce são genocidas !!!

  16. SANDRA disse:

    OS ESQUERDOPATAS VÃO PIRAR.

    • Maria disse:

      Sou de esquerda e sempre tomei ivermectina, a medicação receitada pelo Minto é a Cloroquina que nunca teve eficácia, agora vão pegar carona?

Mesmo com polêmicas sobre vacinas, Bolsonaro mantém aprovação de 45%, aponta pesquisa PoderData

Foto: Sérgio Lima/Poder360

Jair Bolsonaro enfrenta um cenário político ruim neste início de 2021. A pandemia entrou numa fase com mais casos e mortes. O Ministério da Saúde não conseguiu vacinas a tempo e viu o governo do Estado de São Paulo, de João Doria (PSDB), sair na frente. Na internet, adversários do governo promovem um movimento a favor do impeachment do presidente. Ainda assim, as taxas de aprovação e desaprovação do governo de Bolsonaro se mantiveram no mesmo patamar do levantamento anterior, segundo pesquisa PoderData encerrada nesta 4ª feira (20.jan.2021).

A rigor, houve até variações positivas para Bolsonaro dentro da margem de erro, que é de 2 pontos percentuais.

Há 15 dias, 52% desaprovavam o governo federal. Agora, no levantamento realizado em 18, 19 e 20 de janeiro, em 544 cidades e com 2.500 entrevistas, a taxa é de 48%.

A aprovação do governo hoje é de 45%, contra 44% há 15 dias. A oscilação também fica dentro da margem de erro.

Foto: Reprodução

O que pode explicar a manutenção das taxas de aprovação e de desaprovação do governo Bolsonaro apesar das notícias desfavoráveis ao presidente? Uma possibilidade pode ser o fato de Bolsonaro ter ficado quase em silêncio sobre vacinas desde o que em Brasília tem sido chamado de “Doria day” –o domingo (17.jan.2021), quando o tucano paulista fez grande evento para vacinar a 1ª pessoa no Brasil com a CoronaVac.

A outra possibilidade é que haja um descompasso entre o que aparece na mídia de maneira mais visível, com o noticiário quase sempre negativo, e o que pensa parte da população.

Mais pesquisas serão necessárias para aferir como será a tendência real da curva de aprovação do governo. Até porque é a partir de fevereiro que os brasileiros sentirão para valer o fim do auxílio emergencial que beneficiou cerca de 68 milhões de pessoas até o final de 2020.

Por ora, o que se nota é que a administração bolsonarista segue com um núcleo –de apoio sólido na faixa de 45% dos eleitores. E há uma parcela quase do mesmo tamanho (48%) que o rejeita.

Foto: Reprodução

DESEMPENHO PESSOAL

Quando o PoderData pergunta sobre o trabalho pessoal de Bolsonaro, há 5 categorias como opção de resposta: ótimo, bom, regular, ruim e péssimo.

Nesse cenário, a situação também é de estabilidade, mas com percentuais negativos para o presidente. Os que o rejeitam são 43%, ante 44% no estudo anterior. Já os que disseram que Bolsonaro é ótimo ou bom são 35%, mesma proporção de 15 dias antes.

Foto: Reprodução

OS 20% QUE ACHAM BOLSONARO ‘REGULAR’

No Brasil, pergunta-se aos eleitores como avaliam o trabalho do governante. As respostas podem ser: ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo. Quem considera a atuação “regular” é uma incógnita.

Para entender qual é a real opinião dessas pessoas, o PoderData faz um cruzamento das respostas desse grupo com os que aprovam ou desaprovam o governo como um todo.

Os resultados mostram que 43% desse grupo dizem aprovar o governo quando dadas apenas duas opções. Os que desaprovam são 40%.

Foto: Reprodução

Há 15 dias, muito mais pessoas do grupo “regular” disseram desaprovar do que aprovar o governo. Agora, há praticamente a mesma proporção para as duas opiniões.

Os que não souberam responder eram 1% no último levantamento. Agora, são 17%. Esses são os entrevistados sem posicionamento claro. Tendem a ir mais bruscamente de um lado para o outro quando a polarização se intensifica.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 18 a 20 de janeiro de 2021, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 544 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Poder 360

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tico de Adauto disse:

    Impeachment nele!!!

  2. Ivan disse:

    Quando vejo quem o combate, quando vejo quem está pedindo impeatchment, mais certo fico de q esse homem está no caminho certo!!!

    • Antônio Glauber disse:

      Exatamente Ivan, sigo esta mesma linha, quando vejo os opositores do Coiso, mais certeza tenho que ele está certo e mais convicção tenho do meu voto.

  3. Calígula disse:

    O Véio é bom, o Véio é espetacular.
    MITO 2022 até 2026.
    Chora petralhas dos infernos

  4. Chicó disse:

    O choro é livre !!! O povo acordou !!!

  5. João Soares disse:

    Fudeu geral. Kkkkkkk
    Os jerico vão enlouquecer. E não adianta dá coice nem morder, a abstinência por dinheiro público vai continuar.

  6. Gaguinho disse:

    O Coiso, Bozo, Mito, seja qual for a denominação que deem ao nosso Presidente uma coisa é certa, ele é o que o Brasil precisava neste momento, e vem fazendo a coisa certa, com erros, com falhas, com comunicação deficiente e errada, com impulsividade, porém vem quebrando ou tentando quebrar um mal que vinha destruindo o nosso País, que é a corrupção e o vício político. Infelizmente outros tiveram a chance e por muito tempo, mais se perderam com seus egocentrismo e ganância pelo poder, sem falar nas práticas espúrias e nada republicanas, porém preferiram ser protagonistas do maior estelionato eleitoral já praticado no Brasil. Tenho certeza que Bolsonaro não é o melhor, como ele sempre falou na campanha, mais é o necessário e louco suficiente para topar uma parada dessa, a vida desse Homem está um martírio, com políticos, Justiça, parte da sociedade e até alguns "aliados" fazendo tudo para prejudicá-lo e desestabilizar seu governo, tudo isso em troca de manter a mesma forma de administrar e fazer política que vinha sendo feita a séculos seja pela esquerda ou direita. Com fé em Deus o Brasil sairá outro após este período de transição que estamos vivendo, o povo já não suporta mais práticas imundas de política, o povo está aprendendo a duras penas a ver quem é quem, já não é mais tão facilmente manobrado por mídias compradas a peso de ouro, já sentiu na pele o custo de ser omisso na política, já cansou de apanhar e pagar a conta. Vá em frente Bolsonaro, faça o que tem de ser feito, mais pense mais antes de falar homi!!!

  7. FRANCISCO disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk só nesse blogzinho mesmo..

  8. jose disse:

    Região Norte 71% de aprovação. Região Norte índices de mortalidade por covid muito superiores ao resto do Brasil, proporcionalmente. Conclusão: A população da região norte, na sua maioria, é bolsonarista e está morrendo por acreditar no negacionismo contra a ciência pregada pelo genocida.

  9. Valdemir disse:

    ESTOU COM BOLSONARO ATÉ 2026 ,NOSSO PAÍS PRECISA SAÍR DAS MÃOS DESSES CORRUPTOS MALDITOS. O MAIOR MEDO DA GLOBO É A REELEIÇÃO DE BOLSONARO, SÓ PENSA NA CONCESSÃO.

  10. ITAECIO MELO disse:

    deve ser um instuto de muita credibilidade ….. kkkk
    nunca vi falar
    pesquisa paga

  11. Maçonaria britânica! disse:

    Também aprovo a administração do presidente da República Jair Bolsonaro,mas ele precisa controlar a sua cognição emocional e comunicativa,ele exaustivamente fica delirando com manifestações ostensivas de arrogancia,por vezes sem fundamento algum em fatos ou variáveis reais,isso não é toleravel,já que ele não sabe falar,é melhor por um porta voz.

  12. Gilson disse:

    Ôôôhh vei forte da gota serena.
    Essa fuleragem todinha com a vacina, foi o 1% nas pesquisas que fez, junto com a petezada e a globo lixo, 01 % é o boi tabaco do João calça apertada, esse imbecil pensa que o povo não está atento a essa politicagem sebosa.
    O resultado é esse, enterrou no fundo do poço a candidatura a presidente, que ele pensa em disputar.
    Pensa, porque esse fdp tem sede de poder, não é dinheiro, dinheiro ele tem.
    O que ele quer é poder.
    Mas, ja tomou no frinfa, não decola mais, o povo sabe votar.
    Se enganar quem pensa diferente.
    Mito em primeiro turno.
    2022.

  13. Pedro disse:

    🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣
    Essa foi boa, conta mais uma…

  14. Natalense disse:

    Aprovação em alta, mesmo com morte de general do exército brasileiro por Covid-19. Algo de errado nesta pesquisa.

    • Bozo Criminoso disse:

      Aprovação de 45% significa desaprovação de 55%. Isso se a pesquisa estivesse certa, o que eu duvido.

  15. Luan disse:

    O homem é bom, o homem é ótimo, eu aprovo ele !!!

  16. ZéGado disse:

    Pesquisa feita no QG da milícia e no palácio do planalto

  17. ROBERTO disse:

    C H O R A G L O B O L I X O .
    C H O R A P T R A L H A S
    C H O R A E S Q U E R D O P A T A S

    MITO 2022

‘É segura, evita casos graves e ajuda a frear pandemia’, dizem especialistas sobre a coronavac

Foto: Divulgação/Instituto Butantan

A vacina CoronaVac registrou 50,38% de eficácia global nos testes realizados no Brasil, segundo informou o Instituto Butantan em coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira (12).

O número mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e também pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é de 50%.

Chamado de eficácia global, o índice aponta a capacidade da vacina de proteger em todos os casos – sejam eles leves, moderados ou graves. O Butantan também afirmou que a vacina não apresentou reações alérgicas.

Para especialistas, apesar do índice abaixo dos 78%, divulgados na semana passada, a vacina é boa e vai ajudar a frear a pandemia do coronavírus no Brasil.

“A gente nunca falou desde o início ‘eu quero uma vacina perfeita’. A gente falou ‘eu quero uma vacina para sair dessa situação pandêmica’. E isso a CoronaVac permite fazer”, avaliou a microbiologista Natália Pasternak, que participou da coletiva de imprensa do governo de São Paulo para anunciar os dados.

“[A CoronaVac] não vai pôr fim à pandemia instantaneamente. Vai ser o começo do fim. Não significa que não vai poder ver outras vacinas, melhores”, continuou.

“É uma vacina possível para o Brasil, adequada para o Brasil, compatível com a nossa capacidade de produção local”, continuou. A CoronaVac pode ser armazenada em temperaturas normais de refrigeração, de 2ºC a 8ºC, que são as utilizadas na rede de frio do país.

A cientista lembrou que é necessário que muitas pessoas tomem a vacina para que ela funcione em conter a pandemia. “Uma vacina só é tão boa quanto a sua cobertura vacinal. A efetividade dessa vacina no mundo real vai depender da vacinação”, disse Pasternak.

A pesquisadora Mellanie Fontes-Dutra, idealizadora da Rede Análise Covid-19 e pós-doutoranda em bioquímica na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ressalta a necessidade de uma boa campanha de vacinação para acabar com a pandemia.

“É a nossa vacina. Ela vai nos ajudar, vai salvar vidas e, junto de outras vacinas, campanhas de vacinação, medidas de enfrentamento e adesão da sociedade, iniciaremos nossa saída da pandemia”, avaliou.

“É uma vacina boa, que foi testada de forma adequada e do padrão de maior rigor de testes clínicos, num estudo com protocolo pré-publicado”, acrescentou.

O imunologista e pesquisador da USP Gustavo Cabral disse que a eficácia geral era a esperada, já que a tecnologia utilizada é a mesma da vacina da gripe, cuja eficácia fica em torno de 40% a 60%.

Ele considera importante reforçar que o Brasil não teve casos graves nos vacinados que tiveram a Covid-19. “Isso é muito bom. Não ter casos graves, pra mim, é maravilhoso”.

“Também não tivemos nenhuma reação adversa grave. Para nós, cientistas, isso traz uma confiança muito boa. É uma vacina boa, que não tem efeito adverso, não gerou efeito grave, não levou a hospitalização”, completou Cabral.

Para o epidemiologista Pedro Hallal, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), a eficácia alta para casos graves e mortes é particularmente importante.

“Na prática, me parece, pelo gráfico, que essa eficácia global de 50,4% é menos relevante do que a eficácia altíssima que tem pra casos graves e mortes. Porque, na prática, o que a gente quer é evitar internação e óbito. Antes de ler todo o resultado, eu não criticaria e descartaria a vacina pelo fato desse número”, disse

Hallal explicou que, pensando em imunidade coletiva, o índice pode ser considerado baixo. Mas utilizar uma vacina com eficácia de 50% é “infinitamente melhor” do que não usar nada. “Sem dúvidas, a vacina é capaz de reduzir a circulação do vírus”, completou.

O professor ressalta que suas considerações são preliminares e ainda aguarda a publicação completa dos resultados para aprofundamento da análise.

78% de eficácia em casos leves

Na semana passada, o Butantan já havia anunciado que, nos testes no Brasil, o imunizante atingiu 78% de eficácia em casos leves e 100% em casos graves e moderados (ou seja, a vacina protegeu contra mortes e complicações mais severas da doença).

“Há uma tendência da vacina de diminuir a intensidade clínica da doença”, explicou o diretor de pesquisa do instituto, Ricardo Palacios, na coletiva desta terça (12).

Na opinião da infectologista Rosana Richtmann, do Instituto Emílio RIbas, em São Paulo, “o número mais importante continua sendo os 78%, porque ele consegue ter um impacto muito grande na carga da doença no nosso país e na sobrecarga do trabalho dos profissionais de saúde. Num primeiro momento não ficaremos livre desse vírus, não é o momento de relaxar, mas é o momento que vemos, de fato, uma luz no fim do túnel. A melhor vacina é a que estará disponível para a nossa população”.

A CoronaVac foi testada com profissionais de saúde. Palacios explicou que os ensaios foram feitos assim porque essa população tem a maior exposição ao vírus – muito maior que a das outras pessoas no geral.

“[O teste] não é a vida real exatamente. É um teste artificial, no qual selecionamos dentro das populações possíveis, selecionamos aquela população que a vacina poderia ser testada com a barra mais alta”, afirmou.

“A gente quer comparar os diferentes estudos, mas é o mesmo que comparar uma pessoa que faz uma corrida de 1km em um trecho plano e uma pessoa que faz uma corrida de 1 km em um trecho íngreme e cheio de obstáculos. Fizemos deliberadamente para colocar o teste mais difícil para essa vacina, porque se a vacina resistir a esse teste, iria se comportar infinitamente melhor em níveis comunitários”, disse.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Direita Honesta disse:

    É essa "vachina" que Fatão prometeu a seu rebanho? Que tomem e sejam felizes. Essa gororoba vem do mesmo país de onde "vieram" (brincadeira, claro) aqueles respiradores pelos quais a governadora do RN pagou 5 milhões e… Bem, não tem respirador algum e o dinheiro foi pro bolso de alguém.

  2. ZéGado disse:

    Para um país que tem a cloroquina como “salvação”, essa vacina com 50%, está 1ª de luxo.

  3. Bolsonarista Binário disse:

    É pessoal teremos que nos contentar com a Coronavac e a vacina da Oxford, quem estiver sonhando com a Pifzer ou a da Moderna pode acordar que ñ é sonho é pesadelo, graça ao nosso incompetente presidente e ao igual ministro especialista em logistica que nem se quer comprou as seringas. Vamos ter que toma a Coronavac e agradecer por ter aumenos ela.

  4. Siqueira Rosendo disse:

    Já deram a ideia e acho 100% apropriada.
    Quem é da esquerda toma a vacina chinesa e não precisa se incomodar com o resto, assunto encerrado.
    Mas vou aqui fazer meu comercial:
    Vendo paraquedas com 50% de chance de abrir. Tenho preço promocional.
    Quem comprar o paraquedas, leva de graça uma caixa de anticoncepcional com 50% de eficácia e mais 01 caixa de Viagra com 50% de possibilidade de funcionar.
    Aproveitem a oportunidade…..

  5. ReneGado disse:

    Com esses números nem o gado entende rapaz. Eu acho que Dória vazou esses 50% só pra ver o gado e o Bozo falando asneiras. Aí o bixo pegou, a imprensa divulgou e agora o Bozo nem toca mais no assunto, ficou com a cara de tacho rsss

  6. Deco disse:

    ‘Grande merda a opinião desses especialistas pois : se não fosse segura, não evitase os casos graves e não ajudasse a frear pandemia’ eles teriam produzido o que? Um cházinho?

  7. Neco disse:

    Melhor o Butantã se juntar à Fiocruz para produzir a BolsoVac mesmo.

    • Heitor Eiro disse:

      kkkkkkkkk. está foi a melhor. Quer produzir mais bolsovacas? Já não basta esse rebanho imenso de almas sebosas fazendo arminha?

    • Neco disse:

      Se desarme, tome a vachina e vá pastar.

    • Neco Sujo? disse:

      Venha cá neco, não sejas tão bobo neco. Sei que gostas de companhia mas hoje tu vais ter que pastar sozinho.

  8. Luciana Morais Gama disse:

    Essa vacina nem a China homologou.

    • Aluísio Valença disse:

      Meu Deus! E agora?
      Confio na opinião dos especialistas do assunto ou na opinião cheia de argumentos cientificamente embasados sabe-se lá de onde do Luciano?
      Agora lascou.

    • ReneGado disse:

      Aluísio, aí vc lasca né, com uma resposta dessas Luciana Morais Gado vai sair de fininho e ficar caladinha. Vá de vagar. O gado não aguenta muita pressão não.

PESQUISA CNI/IBOPE: 35% aprovam Governo Bolsonaro, 30% consideram regular e 33% reprovam

Foto: Aloísio Maurício/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (16) mostra os seguintes percentuais de avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro:

Ótimo/bom: 35%;
Regular: 30%;
Ruim/péssimo: 33%;
Não sabe/não respondeu: 2%

A pesquisa foi encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com a entidade, o levantamento foi feito entre os dias 5 e 8 de dezembro e ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios.

Ainda segundo a pesquisa, 44% dizem confiar em Jair Bolsonaro; outros 53% afirmam não confiar; 3% não souberam ou não quiseram responder.

A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança, de 95%.

Pesquisa anterior

A última pesquisa divulgada pelo Ibope e também encomendada pela CNI sobre a aprovação do presidente foi feita em setembro de 2020.

Os números levantados na época foram:

Ótimo/bom: 40%;
Regular: 29%;
Ruim/péssimo: 29%;
Não sabe/não respondeu: 2%.

Expectativa da população

A nova sondagem também considerou a expectativa da população sobre o governo. Os resultados apontam que 35% acreditam que os próximos anos de mandato de Bolsonaro serão ótimos ou bons.

Outros 31% disseram que serão ruins ou péssimos. Para 30%, os próximos anos serão regulares.

No levantamento anterior, 36% afirmaram acreditar que os próximos anos de mandatos seriam ótimos ou bons, 30% que seriam ruins ou péssimos e 29% regulares. Os três grupos oscilaram dentro da margem de erro.

Forma de governar

Um dos aspectos pesquisados diz respeito à aprovação da maneira de governar do presidente Jair Bolsonaro. Sobre este quesito, os resultados foram:

Aprova: 46%;
Desaprova: 49%;
Não sabe, ou não respondeu: 5%.

No levantamento anterior, 50% dos entrevistados aprovavam a maneira de governar de Bolsonaro, 45% desaprovavam e 5% não souberam ou não responderam.

Setores do governo

A pesquisa avaliou ainda a percepção da população a respeito de áreas do governo:

Segurança pública

Aprova: 44%;
Reprova: 53%;
Não sabe/não respondeu: 3%.
Combate à fome e à pobreza

Aprova: 44%;
Reprova: 53%;
Não sabe/não respondeu: 3%

Educação

Aprova: 42%;
Reprova: 55%;
Não sabe/não respondeu: 3%

Saúde

Aprova: 38%;
Reprova: 60%;
Não sabe/não respondeu: 2%.

Meio ambiente

Aprova: 36%;
Reprova: 59%;
Não sabe/não respondeu: 5%.

Combate ao desemprego

Aprova: 35%;
Reprova: 62%;
Não sabe/não respondeu: 3%

Combate à inflação

Aprova: 33%;
Reprova: 63%;
Não sabe/não respondeu: 4%

Impostos

Aprova: 26%;
Reprova: 70%;
Não sabe/não respondeu: 4%

Taxa de juros

Aprova: 24%;
Reprova: 70%;
Não sabe/não respondeu: 5%

Outros temas

O Ibope também perguntou aos entrevistados sobre a percepção do noticiário em relação ao governo Jair Bolsonaro.

Na pesquisa, 15% avaliam que as notícias recentes sobre o governo são mais favoráveis, e 46%, que são mais desfavoráveis.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. fora disse:

    UM MAU PRATO DE MERDA PRA QUEM GOSTA DE BOSTA…ESSE MILICO DAS TREVAS

  2. chega disse:

    Já era para estar pra la do inferno esse demônio das trevas

  3. Lucas disse:

    Kkkkkkkkkkkkk, quem acredita em pesquisa é mais otario do que os petistas ! Fumadores de bosta de burro ! Comedores de capim ! Kkkkkkkk

  4. Guto disse:

    Kkkkk piada esses números.. quer dizer que a população reprova as taxas de juros, lembrando que nunca estiveram tão baixas. O governo não tem aprovação em nenhum setor? Podiam aprender pelo menos a mentir. Me engana que eu gosto.

  5. Cesar Bomone disse:

    Se não fosse pelo PRESIDENTE BOLSONARO a nossa economia estaria DESTRUÍDA, em sérias dificuldades, como está a vizinha Argentina.
    Mesmo com todas as dificuldades de um país em desenvolvimento estamos enfrentando a pandemia melhor do que muitos países ricos da América do Norte e Europa.
    Em mortes por milhão estamos longe dos piores países, que além de muitas mortes ainda sairão da pandemia com suas economias destruídas, com todas as mazelas consequentes: desemprego, miséria, fome, violência e vários outros males.

  6. Zuza Mendonça disse:

    Só quem apoia esse doente, é aquele povo que usa argola de ferro na venta

  7. leo disse:

    Qdo essa pesquisa diz 35% de aprovação,com certeza na realidade é de no mínimo 65% de aprovação !!!

  8. Elton disse:

    O melhor presidente da história do nosso Brasil, quem não gostar vai embora !

  9. natalsofrida disse:

    Tranquilo, foi esse ibope que disse que ele perdia pra todos no segundo turno? Ha sim.

  10. Arthur disse:

    Só caiu de 40% pra 35%? Ainda tem esse povo todo aprovando?

    • Bruno disse:

      Ou seja Arthur, se as eleições fosse hoje, ele ganhava novamente.
      Chora não!

  11. Lucas disse:

    65% ? Tá pouco. MITO 2022. Chora não bebes.

  12. Zé de Joca disse:

    Faltou pesquisar os itens: combate à corrupção, aparelhamento do estado, preservação do meio ambiente, relações internacionais, equilíbrio, sinceridade, lucidez, senso de ridículo e rumo. A porcentagem de apoio cairia pra menos da metade.

    • Bruno disse:

      Zezinho, o choro é livre!

    • Ricardo disse:

      Se perguntar sobre xhifre e colera de lixo, taabém cai na conta do Executivo de turno. Ninguém tem o detalhamento de todos os erros e acertos.

    • Zé de Joca disse:

      Bruninha, o choro é livre e o riso efêmero (veja no dicionário o significado).

Ministro quer aprovação do novo marco regulatório do gás este ano; nova legislação trará mais competitividade ao setor

Foto: Ministério de Minas e Energia

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, defendeu nesta sexta-feira (04) a aprovação do novo marco regulatório do gás ainda este ano. Segundo ele, a nova legislação trará mais competitividade ao setor. Albuquerque participou 25º Encontro Anual da Indústria Química 2020, realizado de forma online por conta da pandemia do novo coronavírus.

“É importante votarmos e aprovarmos ainda esse ano o projeto de lei 4.476/2020, que institui o novo marco legal do setor de gás natural do Brasil”, disse. “No mês passado completamos 25 anos da emenda constitucional que pôs fim ao monopólio da Petrobras no setor de petróleo e gás natural e agora é o momento de comemorar, também neste ano, a aprovação do marco legal que permitirá a competição no setor de gás e o aumento da competitividade da indústria nacional”, acrescentou.

O projeto de lei, aprovado no início de setembro pela Câmara dos Deputados, está em tramitação no Senado Federal.

A essência texto aprovado na Câmara, que ainda poderá ser modificado, é a substituição do atual regime de concessão pelo de autorização na atividade de transporte de gás natural. No sistema de concessão, a empresa privada precisa vencer um leilão da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para participar do mercado de gás. Já no sistema de autorização, basta que a empresa apresente um projeto para a construção ou ampliação de gasodutos após chamada pública e aguarde a aprovação da ANP.

O texto prevê, ainda, que essas autorizações serão por tempo indefinido e só poderão ser revogadas, entre outros motivos, a pedido da empresa, se ela falir, se o gasoduto for desativado ou se a companhia descumprir obrigações de forma grave. Atualmente, o transporte de gás é concedido à iniciativa privada por meio de concessão em licitação pública por 30 anos.

O projeto acaba também com a exclusividade dos estados na atividade de distribuição de gás natural, permitindo a exploração desse serviço também pelas empresas privadas de energia elétrica, e prevê mecanismos para viabilizar a desconcentração do mercado de gás. Atualmente, a Petrobras participa com 100% da importação e processamento, e cerca de 80% da produção.

Competitividade

“A indústria brasileira precisa ganhar competitividade e ter o crescimento de sua demanda, principalmente para que possamos ter uma retomada econômica robusta no período pós pandemia. Para tanto, faz-se necessário o avanço do setor do gás natural, de modo a tornar esse importante insumo mais barato, como foi mencionado, favorecendo o fortalecimento da indústria nacional”, defendeu o ministro de Minas e Energia.

Alguns argumentos contrários ao projeto apresentados por parlamentares de oposição são que a proposta de livre concorrência no setor pode não gerar a diminuição do preço do gás ao consumidor. Além disso, o novo marco poderá só beneficiar algumas grandes empresas, como argumentam parlamentares.

“Nosso papel é eliminar barreiras, barreiras aos investimentos, barreiras tributárias e barreiras regulatórias e legais, buscamos a formação de um mercado de gás mais aberto, dinâmico, competitivo, com maior pluralidade de agentes e com competição gás-gás. Com esses atributos presentes temos a convicção que haverá redução do preço do energético”, ressaltou o ministro.

Segundo ele, os pedidos de autorização junto à ANP para prática de carregamento, ou seja, de contratação de serviço de transporte dutoviário para gás natural, passaram de um média de três por ano até 2018 para 49 entre janeiro de 2019 e outubro de 2020. Já as autorizações de comercialização de gás natural emitidas também pela ANP passaram por ano para 43 desde janeiro de 2019. O Ministério de Minas e Energia publicou, este ano, 26 autorizações de importação de gás natural.

Com Agência Senado

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    O gás aumentou no distribuidor hj.

  2. Calígula disse:

    Se os sindicatos e o cartel deixar, pois eles exercem forte pressão para ficarem com o monopólio.

Prefeitos comemoram aprovação de PEC do deputado Tomba Farias, que permite repasse de recursos de emendas diretamente para os municípios

Um presente antecipado de Natal. Foi assim que prefeitos das regiões do Trairi, Agreste e Central, a exemplo de gestores de outros municípios do estado, comemoraram a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) de autoria do deputado estadual Tomba Farias, que vai permitir que, a partir de 2021, as emendas de parlamentares ao Orçamento Geral do Estado (OGE) sejam repassadas diretamente às prefeituras, beneficiando os 167 municípios do Rio Grande do Norte.

A iniciativa inédita do parlamentar municipalista surge no momento em que a as prefeituras enfrentam grandes dificuldades e desburocratiza os repasses de recursos provenientes das emendas diretamente para as prefeituras. Segundo Tomba Farias, a “transferência especial” permite que as prefeituras recebam as verbas sem qualquer intermediação, independente da celebração de convênios ou de qualquer outro instrumento semelhante. A medida de autoria do parlamentar também abrange as transferências com finalidade definida, que são aquelas que envolvem recursos vinculados a finalidades específicas.

“São imensas as dificuldades enfrentadas pelos municípios. A nossa emenda constitucional propicia uma maior autonomia às prefeituras, dando condições de que elas invistam em obras de infraestrutura”, disse.

No entanto, Tomba Farias alerta que os recursos oriundos das emendas individuais impositivas não poderão ser utilizados para pagamento de despesas com pessoal e encargos sociais referentes a servidores ativos, inativos e pensionistas ou encargos de dívidas.

“A prestação de contas deve ocorrer na forma do convênio celebrado, no caso das transferências com finalidades definidas. Já no caso das transferências especiais, estas terão a prestação de contas anual feitas diretamente ao Tribunal de Contas do Estado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    Boa PEC, agora quero ver a Governadora Fátima Bokus vetar.
    Tomba deveria perguntar a Governadora onde foi parar os 5milhões de reais utilizados para compra dos respiradores e por quê a CPI para apurar o aluguel das ambulâncias está parada.

  2. Lima disse:

    "Eita danado!" Agora é só matar no peito que as "despesas" serão pagas.

  3. Valdemir disse:

    Boa

Pesquisa EXAME/IDEIA: Bolsonaro mantém índice de aprovação de 39%; popularidade do presidente em outubro apresenta estabilidade de levantamento anterior

Foto: Carolina Antunes/PR/Flickr

Com índices constantes de popularidade principalmente entre as classes mais baixas, que recebem o auxílio emergencial, a aprovação do governo Jair Bolsonaro segue no patamar de 39%, mesmo nível observado desde setembro.

É o que mostra o resultado de uma pesquisa exclusiva de EXAME/IDEIA, projeto que une Exame Research, braço de análise de investimentos da EXAME, e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública.

No início de outubro, a popularidade do presidente também estava em 39%, depois de uma queda de cerca de dez pontos percentuais entre o mês de março, no início da pandemia, e maio. Desde então, o índice de aprovação ao governo começou a aumentar gradativamente e, partir de setembro, estacionou na casa dos 40%, com poucas variações. Hoje, o índice é semelhante ao observado em janeiro, antes da pandemia.

PESQUISA EXAME/IDEIAS PERGUNTOU: Você aprova ou desaprova a maneira como o presidente Jair Bolsonaro está lidando com o seu trabalho como presidente?

Foto: (EXAME/IDEIA/Exame)

A polarização também se mantém alta: 39% dos brasileiros desaprovam o governo, mesmo índice dos que consideram satisfeitos com o trabalho do presidente. Outros 21% nem aprovam nem desaprovam e 1% não soube responder.

O índice de aprovação é maior na região Norte, com 57% da população favorável ao governo, no Centro-Oeste (48%) e Sul (47%). “O Norte lidera o ranking de popularidade do governo porque concentra uma boa parcela de brasileiros pobres que foram beneficiados pelo auxílio emergencial”, diz Mauricio Moura, fundador do IDEIA. “No Centro-Oeste, por outro lado, o agronegócio, o único setor da economia que deve crescer este ano, é pujante, o que justifica a popularidade do governo”.

Entre as classes sociais, as famílias que ganham entre três e cinco salários mínimos estão entre as que mais aprovam o presidente, com 43% das preferências, praticamente empatadas com aquelas com renda mensal entre um e três salários mínimos (40%).

PESQUISA EXAME/IDEIAS PERGUNTOU: Como avalia a governo do presidente Jair Bolsonaro?

Foto: (EXAME/IDEIA/Exame)

O levantamento foi realizado com 1.200 pessoas, por telefone, em todas as regiões do país, entre os dias 19 e 22 de outubro. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

EXAME/IDEIA também perguntou como a população avalia o governo: hoje, 37% dos brasileiros consideram o governo ótimo ou bom. O mesmo percentual, 35%, classificam a gestão do presidente de ruim ou péssima. Uma porcentagem bem semelhante, de 34% avaliam o governo como ruim ou péssimo. Para outros 37%, a atuação do governo é regular.

Entre aqueles que definem o governo como bom ou ótimo, 41% ganham de três a cinco salários, seguidos por aqueles que recebem de um a três salários por mês (40%).

A avalição do presidente também muda conforme a região do país. Enquanto 29% dos moradores do Sudeste avaliam o governo como péssimo, 42% dos que vivem no Sul consideram o governo ótimo ou bom.

As resoluções a serem tomadas a respeito do programa Renda Cidadã, que deve incluir boa parte da população atendida atualmente pelo auxílio emergencial, poderão mudar esse panorama. “Do ponto de vista político, a continuidade do auxílio pode somar pontos à popularidade do presidente”, diz Moura. “Mas a economia, principalmente no que refere ao desemprego e à inflação dos alimentos, também terá um papel importante nesse cenário”.

Exame

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro Paulo disse:

    Pra manter o Auxílio Emergencial, vai precisar:
    a) tirar algum dos "ricos" que ganham mais de 2 salários minimos – tome mais impostos no rabo desse povo;
    b) retirar abatimentos do imposto de renda com saúde e educação;
    c) reviver a CPMF.
    Calma, gado!
    Isso tudo é justo: distribuição de renda, retirando dos pobres para os miseráveis.
    Imposto sobre fortunas? Tributação para quem ganha muito? Pode não!!!
    Aleluia!!! Amém???

  2. Victorino disse:

    Chora PeTralhas, o choro é livre, até 2027!!

  3. Pepe disse:

    O que vale é o dia D
    Tem um excelente ministro da infra estrutura,da agricultura,o resto ……

  4. Lombo Açoitado 🐂 disse:

    Miliciano de 1ª linha

  5. Felipe disse:

    Sem auxílio emergencial a popularidade derrete. Vamos tomar o mesmo caminho dos EUA. Com Trump os EUA foram para a lona e o Brasil segue a mesma linha. Só espero que não voltemos ao PT.

Em nota às servidoras e aos servidores, Governo do RN diz que aprovação de novo regime de previdência estadual era necessária, e que “é uma das que mais isentam de taxação progressiva”

Após um amplo debate realizado pelo Governo do Rio Grande do Norte com os servidores públicos estaduais – iniciado tão logo foi promulgada pelo Congresso Nacional a emenda constitucional que altera o sistema de Previdência Social e que obriga os estados a fazerem ajustes próprios –, a Assembleia Legislativa aprovou nesta terça-feira (29) o novo regime de previdência estadual. Leia abaixo restante da nota:

“É importante destacar o papel do presidente da ALRN, Ezequiel Ferreira de Souza, bem como agradecer aos parlamentares, tanto da base quanto da oposição, que tiveram o gesto de maturidade e responsabilidade na aprovação da matéria necessária para o equilíbrio orçamentário, fiscal e financeiro do Estado.

A proposta apreciada e aprovada foi encaminhada no dia 12 de fevereiro por este que é um Governo popular, de uma professora que tem história na luta em defesa dos direitos dos trabalhadores, que fez um grande esforço dentro da lógica de não tratar os desiguais de maneira igual, e olhar, em especial, para os servidores de maior vulnerabilidade. Não podia ser diferente.

A questão era: como, então, enfrentar um cenário tão adverso? E a resposta não podia ser outra: trabalhar com firmeza, transparência e muito diálogo. As discussões, que foram iniciadas ainda na primeira quinzena de novembro do ano passado, trouxeram colaborações importantes do Fórum dos Servidores. Muitos pleitos foram acatados, como as modificações nas regras atuariais, redução de idade mínima para as mulheres, adoção de regras de transição que efetivamente irão beneficiar o funcionalismo público estadual.

Uma das prioridades do Governo do Estado foi amenizar o máximo possível os impactos da reforma para os servidores. Para tanto, implantou no regime próprio de previdência o conceito de alíquota progressiva, ou seja, quem ganha menos vai contribuir sobre uma alíquota menor e quem ganha mais contribuirá com um percentual maior.

A reforma aprovada garantiu a manutenção do abono de permanência aos professores da rede estadual e a redução da idade mínima para aposentadoria dos educadores. As professoras, que teriam idade mínima de 55 anos, passaram para 53. Os professores homens, tiveram redução de idade mínima de 60 para 58.

Dentre as reformas previdenciárias realizadas pelos Estados, a aprovada no Rio Grande do Norte é uma das que mais isentam os servidores de taxação progressiva. Cerca de 60% dos servidores da ativa e 42% inativos não terão modificações, ou seja, quem ganha até R$ 3.500,00 permanecerá com a alíquota de 11%, já aplicada anteriormente. Os servidores que ganham mais, sobretudo os que estão no topo da pirâmide, chegam a contribuir com até 18%.

Importante ressaltar que essa reforma é uma exigência do Governo Federal. Mas que além de obrigatória ela era necessária. Há atualmente no Rio Grande do Norte um déficit de 130 milhões/mês. Em 2019, esse déficit foi 1,57 bilhão ou 15,6% maior que em 2018. E vale lembrar que essa situação não foi de responsabilidade dos servidores, e sim de gestões anteriores que destruíram o Fundo Previdenciário.

Antes de assumir a gestão, a professora Fátima Bezerra verificou um déficit de R$ 1,2 bilhão no Fundo Previdenciário, recursos esses que foram utilizados para pagamento das folhas dos servidores. Eram quatro as folhas em atraso, já foram pagas duas.

O Governo do Estado, na pessoa da governadora Fátima Bezerra, assume o compromisso de continuar lutando em defesa e na valorização dos servidores públicos. A folha está normalizada e os atrasados estão sendo pagos. Se Deus quiser será possível pôr em dia os últimos dois passivos deixados pela gestão anterior.

Essa é uma luta histórica, fundamental e necessária”,

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Chicó disse:

    Não era esse povo que dizia que a previdência era superavitária ???

  2. Augusto disse:

    Butou sem cuspe nos servidores. Atirou pedra a vida inteira. Agora que virou vidraça, agiu pior que os que ela acusava. Mas não esqueceu de primeiro defender o dos amigos, que o diga os procuradores.

  3. Assis disse:

    Cade pagamento de setembro Fatima ate agora nada

  4. Cidadão natalense disse:

    Se fosse "servidoras e servidoros" eu até poderia tolerar o título da matéria (que pode até ser uma reprodução da fala do governo). Uma hora a galera do politicamente correto quer que os artigos de gênero seja substituído por "e", outra hora querem que seja mencionado o masculino e o feminino (este sempre primeiro para reparar a dívida histórica com as mulheres! sic). Como disse Glória Maria, o politicamente correto está enchendo o saco. O que esse pessoal quer mesmo é bagunçar.

  5. Júnior Augusto disse:

    Será que teremos alguma nota de Fátima dando conta dos Cinco Milhões desviados via Consórcio do Nordeste?

  6. César disse:

    Vergonhosa essa nota do desgoverno eleito mediante estelionato eleitoral, preferimos lembrar os vídeos de Fátima e Antenor conclamando greves para barrar a reforma previdenciária federal, ela comendo carne com as mãos no plenário do Senado Federal, foi nessa Fátima que o povo do RN votou e contou e não nessa incompetente que hoje nós desgoverna.

  7. Barnabé disse:

    E Isso pq a Desgovernadora Fátima é Sindicalista,Imaginem se não fosse !!!

  8. pereira disse:

    O governo NÃO fala e NÃO explica por que a UERN e mais alguns órgãos, fazem a sua propria previdencia e se Aposentam direto em suas repartições, se só EXISTE uma previdencia que é o IPERN. POR QUE desses privilegios? Porque se aposentam com o mesmo salario da ativa sem obedecer o teto salarial do estado?

  9. Junior aposentado disse:

    Fatima cade pagamento. Alvaro ja pagou

  10. Junior aposentado disse:

    Fatima cade o pagamento Alvaro ja pagou ontem

    • M.D.R. disse:

      BG, até presente data ainda ñ efetuaram o pagamento do funcionalismo público .
      VIVA O PT ! VIVA O PT !!
      A GOVERNADORA DO PT, radical , XIITA contra a REFORMA DA PREVIDÊNCIA do GOVERNO BOLSONARO e fez pior que TRAIU e os demais correligionário como os SENADORES JEAN PAUL PRATES e ZENAIDE foram contra o funcionalismo praticando com o SILÊNCIO. A resposta vem agora para PREFEITO DA CAPITAL, Ñ AO PT e seu candidato .

  11. Lula é o maior ladrão do mundo disse:

    Çey…
    Me engana que eu gosto! Em 2022 será um "Tchau maldita".

  12. Tonho disse:

    Pense em uns troços RUINS são essa cambada. Faz o mal e depois inventam mil e uma história para justificar sua ruindade, maldade, a do governo federal não presta, a nossa é boa, vão se rear, troços

  13. KALLIANE disse:

    ESSE POVO PENSA QUE O SERVIDOR É BURRO QUANDO ERA UM MERO SERVIDOR O SR. NEREU ERA UM FERRENHO DEFENSOR DA CLASSE AGORA ESTA DO OUTRO LADO AI ESTÁ FAZENDO TUDO AQUILO QUE OS DEMAIS NÃO FIZERAM CONTRA O SERVIDOR.

    • disse:

      é para agradecer aos sindicalistas, que colocaram essa pessoa para "gerir", junto com essa equipe fantástica, que está aí 'presenteando' os servidores (já afetados com um congelamento salarial até 2022 para "salvar" os estados) com taxação sobre sua previdência (que sequer têm certeza de, um dia, receber, já que até hoje nem devolveram ao erário o que tiraram do IPERN nesses últimos anos!)… vamos lá, sindicalistas, reelejam em 2022 e vamos terminar de ver esse estado falido se acabar de vez!

PESQUISA XP/IPESPE: 39% aprovam o governo Bolsonaro, 36% reprovam e 24% consideram regular

Foto: Reprodução

A rodada de setembro da pesquisa XP Ipespe mostra que, pela primeira vez desde maio de 2019, a aprovação ao presidente Jair Bolsonaro está numericamente acima de sua reprovação: são 39% os que veem o governo como ótimo ou bom (2 pontos percentuais a mais que o levantamento de agosto) e 36% os que o veem como ruim ou péssimo (1 p.p. a menos).

Este é o quinto levantamento consecutivo em que há aumento no grupo que aprova o governo e redução no que reprova.

Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional, entre os dias 8 e 11 de setembro. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Enquanto isso o arroz R$5,00, óleo de sojna R$ 9,00, Gasolina R$ 4,70, gás de cozinha R$80,00…
    E o Brasil, pelo jeito, está tudo indo muito bem, em direção ao abismo.
    Num vai sobrar nem as cinzas pra contar história.

  2. FREDERICO Bruno Pereira de Lima Duarte disse:

    Esse presidente tem uma das baixas taxas de aprovação entre todos os últimos presidentes e o BG e os órgãos de comunicação querem passar a idéia de que ele está com a popularidade em alta…. É brincadeira!!! Deixa esse auxílio deixar de existir e a classe média se encontrar com a realidade nua é crua de uma economia em frangalhos e sem horizonte com esse governo antipopular e improdutivo !!

  3. Chicó disse:

    O Brasil todo é Bolsonaro !!!

  4. João V disse:

    Passando só para ver o mimimi…

  5. VALE QUANTO PAGA disse:

    Quando 600 virar 300 e quando 300 virar 000 refaça a pesquisa e me diga.

    • Raimundo disse:

      É isso aí.
      Vc tem toda razão.
      Bolsonaro tomou posse, sem gastar nada, nem tempo de TV tinha.
      Usando o seu raciocínio, 300.00 da pra ganhar em primeiro turno tranquilo.
      Kkkkkkkkk
      Aceita.
      Doi menos.
      Vai até 2026.
      Vc vai ter que engolir.
      Rsrsrs…

    • Bruno disse:

      Só não concordo com esse VALE QUANTO PAGA, porque seria duas pessoas falando bosta.

  6. Luciana Morais Gama disse:

    O Brasil tá mudando!! Vamos mudar também Natal. Basta de políticos profissionais.

    • Minion alienado disse:

      Você não votou no Amoedo, ajudou a eleger um político profissional e agora vem com essa conversa? Larga de ser minion, Luciana!

  7. Guto disse:

    Já já começa a choradeira…

Fiocruz aguarda iminente aprovação da vacina de Oxford contra Covid-19 para começar produção; maquinário e insumos estão sendo preparados com antecedência

Foto: Reprodução/TV Globo

A fábrica de vacinas Bio-Manguinhos, na Fundação Oswaldo Cruz, Zona Norte do Rio, é considerada a maior da América Latina e está se preparando para produzir a vacina contra Covid-19 desenvolvida pela universidade de Oxford, do Reino Unido.

A vacina de Oxford está na fase 3, a última, que determinará se é eficaz num grande número de pessoas. A universidade inglesa anunciou nesta semana que as experiências preliminares indicam que a vacina é segura e induziu resposta imune ao corpo dos voluntários.

O acordo entre a Fiocruz e a AstraZeneca, farmacêutica que adquiriu a vacina da Universidade de Oxford, foi anunciado no fim do mês passado, apesar de o contrato ainda não ter assinado.

Segundo o acordo, em dezembro, a Fiocruz vai receber ingrediente farmacêutico ativo (IFA) suficiente para fazer 15,2 milhões doses da vacina.

Depois desse processo, outras 70 milhões de doses de vacina poderão ser produzidas também até o início do ano pela Fiocruz. A preparação para a produção foi antecipada por conta da gravidade da pandemia, que preocupa o mundo inteiro, mas a distribuição e a imunização da população ainda dependem dos novos testes e da aprovação final.

O maquinário e os insumos estão sendo preparados. A fundação afirma que, apesar de uma preocupação mundial com a possível falta de frascos de vidro para distribuição, não deve enfrentar esse problema, pelo menos na fase inicial, de produção de 100 milhões de doses.

Os frascos utilizados serão os mesmos que hoje são usados para a vacina contra a febre amarela e, em cada um deles, caberão cinco doses da vacina contra o novo coronavírus.

“Nós receberemos a vacina congelada, ela vai passar por um processo de descongelamento de 2 a 3 dias. Uma vez que esteja na fase líquida, é transferida para um tanque em aço inox para ser envazada, rotulada e embalada. Eu diria que, provavelmente, é o maior desafio da história (da fábrica) de Bio-Manguinhos. A grande vantagem é ter passado por experiências semelhantes como foi o caso de epidemia de febre amarela, o surto de sarampo e poder usar toda nossa competência para responder mais esse desafio’, afirma Luiz Lima, vice-diretor de produção Bio-Manguinhos/Fiocruz.

O custo de produção inicial deve ser de cerca de US$3, mas tende a ser reduzido ao longo do tempo.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. M.D.R. disse:

    A vacina de OXFORD, é melhor do mundo ja
    deveria produzir em massa e com antecedência, até porque , os resultados são promissores e positivo.

  2. J.Dantas disse:

    Olha o nível intelectual dos comentários por parte dos eleitores no blog do BG…Digno de um PHD ou prêmio Nobel… Só enriquece o Blog e a sociedade Potiguar… Parabéns!

    • Arthur disse:

      Quem diria que em pelo século XXI, além de desacreditada, a ciência ainda tem que provar que a terra não é plana para quase 1/3 do país.

  3. ELEITOR disse:

    A halitose dos canhotos quem resolve é o proctologista ! povo pra falar 💩💩

  4. Silva disse:

    Primeiro o gado que foi eleito junto com o Mito Bolsonaro.
    Aí se sobrar os bichos vermei, derrotados.
    A deles vem em massa da Venezuela, o cumpanheiro Maduro vai mandar.
    Kkkkkkk

    • Pedro Henrique disse:

      Não, meu nobre. O gado continua com a cloriquinis e com a vacina contra febre aftosa. Deixa a vacina de Oxford para quem acredita na ciência, nas Universidades, em terra redonda e nazismo como sendo um movimento de extrema direita.

  5. Palmikto podre disse:

    O gado véio continua com ivermectina e CLORIQUINA . Vacina para doidin agora não . MUNNNNNNN.

    • Marcelo Dantas disse:

      Bolsonaro já saiu ? Não ? Quero roubar o país por mais 33 anos !!!!! Tirem esse homem daí !!! Ele não gosta de marcianos kkkkkk

    • Raimundo disse:

      Os zumbis da esquerda passam dia e noite nas redes sociais espumando pela boca com cães raivosos.
      Seguem as ordens da cúpula da seita e do deus Lula kamon…

    • Palmikto podre disse:

      Cala a boca Raimuuuuuuuuuuuudo , deixa de ser babão . Já tomou o Rivotril hoje nenen ?

Cientista da OMS diz que órgãos reguladores poderão acelerar a aprovação de vacinas contra a Covid-19 após resultados de testes

Foto: REUTERS/Dado Ruvic/Illustration/File Photo

Órgãos reguladores de países ou regiões vão provavelmente concentrar esforços em torno de potenciais vacinas contra a Covid-19 para acelerar a aprovação, uma vez que as imunizações se tornarem disponíveis, disse a cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Soumya Swaminathan, nesta sexta-feira (24).

Ao responder perguntas vindas de uma plataforma em rede social, Swaminathan também disse que os testes sobre a eficácia e segurança das vacinas – um processo que geralmente leva anos – poderão ser acelerado para somente seis meses em meio à pandemia, caso os dados tenham informação suficiente para emitir registros.

Ainda assim, disse ela, a segurança será fundamental.

“Embora a velocidade seja importante, ela não pode acontecer ao custo da comprovação dos padrões de eficácia e segurança”, disse ela. “Não é o caso de que a primeira vacina será apressadamente injetada em milhões de pessoas sem estabelecer se realmente protege e se é suficientemente segura para uso em larga escala na população”, afirmou Swaminathan .

Segundo a OMS, há 166 potenciais vacinas contra Covid-19 em desenvolvimento, com 24 sendo testadas em humanos e algumas delas entrando no estágio avançado de estudos em milhares de pacientes.

Swaminathan citou as vacinas experimentais da Moderna, a que está sendo desenvolvida em parceria entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca, a da chinesa CanSino Biologics e um projeto de desenvolvimento de vacina na Rússia.

Para que reguladores aprovem uma vacina, os desenvolvedores terão de acompanhar os voluntários dos ensaios clínicos por meses e demonstrar que há poucas infecções entre as pessoas que receberem a vacina na comparação com aqueles que receberam um placebo.

“Gostaríamos de ver a maior taxa de proteção possível –entre 80% e 90%– isso seria fantástico”, disse ela.

Swaminathan alertou que somente um pequeno número de potenciais vacinas contra a Covid-19 deve passar por todos os estágios de testes e ser aprovado para uso.

“Temos um conjunto bastante robusto de candidatas a vacina, o que é excelente, porque normalmente a taxa de sucesso é de cerca de 10%”, afirmou.

Indagada se o mundo poderia superar a pandemia de coronavírus sem uma vacina, Swaminathan disse que buscar a “imunidade de rebanho” seria mortal.

Cerca de 60% de uma população precisa ser infectada para adquirir a imunidade de rebanho, disse ela, um patamar que faria com que muitas pessoas morressem da doença.

G1

 

Parlamento russo inicia aprovação de lei que proíbe casamento gay

Homem segura cartaz com os dizeres: “Precisa mudar o presidente, não a Constituição”, em protesto contra as emendas à Constituição da Rússia, em 1.º de julho, na Praça Dvortsovaya, no centro de São Petersburgo, no dia de votação popular sobre o tema. Foto: OLGA MALTSEVA / AFP

Parlamentares russos apresentaram na noite dessa terça-feira um projeto de lei que proíbe o casamento entre pessoas do mesmo sexo, depois que eleitores apoiaram esta mudança na Constituição, definindo o casamento como uma união apenas entre um homem e uma mulher.

As mudanças, defendidas pelo presidente Vladimir Putin, foram esmagadoramente aprovadas pelos eleitores este mês, em consulta à população, que também abriu as portas para Putin permanecer no poder até 2036. Os críticos disseram que o resultado foi fraudado, algo que as autoridades rejeitaram.

Putin, que se alinhou à Igreja Ortodoxa Russa e procurou distanciar o país dos valores liberais do Ocidente, disse que não legalizará o casamento gay enquanto estiver no Kremlin.

Consagrar uma proibição na Constituição significa que qualquer sucessor teria dificuldades em legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O projeto de lei, que deve ser rapidamente aprovado pela Duma, a Câmara baixa do Parlamento, proíbe explicitamente o casamento gay, além de vetar a adoção de crianças por casais do mesmo sexo, algo que já não se pode fazer no país.

Elena Mizulina, senadora e uma das autoras do projeto de lei, disse que a proibição do casamento e da adoção também se estenderia às pessoas trans, segundo a agência de notícias Interfax. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a legislação faz parte do que chamou de formalização de novas leis após o referendo constitucional.

O Globo

Zenaide lamenta aprovação de PL que transforma água em mercadoria

Foto: Divulgação

A senadora Zenaide Maia (Pros-RN) não se ilude com a narrativa de que o PL 4162/2019 seja um marco positivo para o saneamento básico no Brasil e alerta a população do Rio Grande do Norte e do país que o Congresso aprovou, na verdade, um projeto que favorece a falência das companhias estaduais de saneamento, forçando a privatização da água e transformando esse recurso natural, que deveria ser encarado como um direito de todos, em uma mercadoria.

“Somos a favor do saneamento, mas que ele seja para todos, não só para quem dá lucro”, argumenta a senadora, observando que parcela considerável dos 35 milhões de brasileiros que não têm acesso à água tratada e dos 104 milhões que não têm coleta de esgoto mora em pequenas cidades e comunidades ribeirinhas, áreas que não são atrativas para a iniciativa privada, pois não oferecem possibilidade de lucro. “Quem vai pagar caro é o povo do interior, porque empresa privada não investe em nada que não dê lucro”, lamentou Zenaide, após a sessão do Senado que aprovou o projeto de lei.

Para Zenaide, o argumento de que a privatização é necessária porque o Estado brasileiro não tem recursos para investir é falho, pois as empresas privadas que se interessarem por obras de saneamento recorrerão à estrutura estatal para financiar suas empreitadas, buscando, por exemplo, recursos no BNDES. “Se há recursos para financiar a empresa privada, porque não há dinheiro para investir nas companhias públicas de saneamento?”, questionou a parlamentar.

A experiência do Tocantins é exemplar e virou estudo de caso na Fundação Getúlio Vargas, em 2017. O motivo: 77 cidades reestatizaram os serviços de saneamento que haviam sido privatizados e, mesmo nos municípios onde a água continuou nas mãos da iniciativa privada, não houve aumento na qualidade dos serviços.

Outros exemplos vêm de fora: capitais como Buenos Aires (Argentina), Paris (França) e Berlim (Alemanha), também remunicipalizaram o saneamento. Estudo do Transnational Institute, de Amsterdam (Holanda), intitulado “Reclaiming Public Services: How Cities and Citizens are Turning Back Privatization”, registrou 267 cidades onde a privatização desses serviços não deu certo e precisou ser revertida.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Macena disse:

    Certíssima, essa aprovação. O mundo moderno e desenvolvido, tem sua economia, praticamente toda privatizada. Chega de economia estatal. Só os que mamam nas tetas do governo e sindicatos retrógrados, é que são contra. João Macena.

  2. Rogério Rocha disse:

    Parabéns Senadora, quem vai pagar a conta é a população mais pobre, vocês vão ver o valor da tarifa subir rapidamente, mas os ricos podem pagar por isso aprovam esse tipo de projeto.

    • Deco disse:

      Discordo.
      A população mais pobre não vai pagar nada pois os governos do PT e PSDB aproveitaram os vinte anos de governo e fizeram todo saneamento das áreas mais carentes. Deixaram tudo uma beleza., brilhando,
      São Gonçalo do Amarante é um belo exemplo

  3. nego caio disse:

    Existem países que deram certos e outros que não.
    Por que não podemos dar certo? Excelente avanço para a sociedade.

  4. Antonio Turci disse:

    Interessante. Na maioria dos países desenvolvidos a sistema de abastecimento é privado. Não entendo por que no Brasil isto não seria possível. Triste com a posição da senadora e do senador Jean-Paul. Ideologia barata.

    • Osvaldo disse:

      Vá no google, é veja quantas cidades da Europa privatizaram , é estão reestatando . É da Ásia.

    • Deco disse:

      Fui no Google e não vi nenhuma cidade reestatando.