Roberto Jefferson anuncia que está com Covid-19

O presidente nacional do PTB e ex-deputado federal, Roberto Jefferson , disse que testou positivo para o novo coronavírus. O ex-parlamentar fez o comunicado pelas redes sociais e fez propaganda da cloroquina.

“Recebi a confirmação de que o meu exame deu positivo para a Covid-19. Estou bem orientado e me tratando com o protocolo de hidroxicloroquina, azitromicina, corticoide, zinco e anticoagulante”, compartilhou em sua conta do Twitter.

O líder do PTB apareceu usando uma máscara preta, com os dizeres: “Censurado eplo STF”.

Jefferson alegou que teve febre, cansaço e dor no corpo, mas não perdeu o olfato ou paladar.

Com informações do IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Observador disse:

    um perigo o vírus transmitido por esse alma sebosa.

  2. Tarcísio Eimar disse:

    Cuidado pra não pegar descendo mensaleiro.

  3. José Lúcio disse:

    Mais Um palhaço divulgador da Hidroxcloroquina.

  4. Manoel disse:

    Faltou o ozônio no fiofó

  5. Entregador De Pizza disse:

    VERME de última categoria

  6. Anti-Político de Estimação disse:

    Esse pelezão cara de pau era para estar preso, como muitos outros políticos picaretas espalhados pelo Brasil varonil. O que me deixa triste é ver tantos pagadores de impostos aplaudindo esses malandros.

(VÍDEO): Roberto Jefferson:”Falando em nauseabunda, tem dois ministros lá [no STF] que têm esses gostos, né? Dois de rabo solto. Um é o Carmen Miranda e o outro é o Lulu Boca de Veludo”

 

Ver essa foto no Instagram

 

O ex-deputado Roberto Jefferson concedeu uma entrevista para o canal bolsonarista Questione-se no Facebook em que dispara ofensas e ataques, inclusive de caráter sexual, a ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). Chega a dizer que são “sodomitas”. Ele chama o ministro Edson Fachin de “Cármen Miranda”, o ministro Luís Roberto Barroso de “Lulu Boca de Veludo”, o ministro Gilmar Mendes de “Sapão” e o futuro presidente do STF, Luiz Fux, de “Beija Pé”. Segundo diz, Fux se “ajoelhou e beijou os pés” da mulher do ex-governador do Rio Sergio Cabral para agradecer a defesa que ela fez da indicação dele ao STF. Em outro momento, ele afirma que Fachin foi indicado ao STF por Joesley Batista, da JBS, e que percorreu gabinetes do Senado pela mão do “homem da mala” da empresa, Ricardo Saud. Jefferson faz referências ainda a Dias Toffoli, presidente da corte, e a supostas acusações feitas pela Odebrecht a ele. Chama os ministros da corte de “monturo de lixo” e diz que as pessoas vomitariam se pudessem ver as reuniões reservadas do Supremo. Diz ainda que os ministros do tribunal, com exceção das magistradas mulheres, são “homens de pouca estatura jurídica e moral, lobistas” indicados pela TV Globo, por empreiteiras e por “partidos comunistas”. A entrevista foi divulgada na segunda (20), na página do canal Questione-se, e já teve 65 mil visualizações. Jefferson é presidente do PTB, partido do centrão aliado a Jair Bolsonaro no Congresso. Em 2012, ele foi condenado pelo STF no processo do mensalão por corrupção e lavagem de dinheiro. Em um dos trechos da entrevista, o ex-deputado declara o seguinte: “Falando em nauseabunda, tem dois ministros lá [no STF] que têm esses gostos, né? É, tem. Tem ministros de rabo preso e dois de rabo solto. Um é o Carmen Miranda e o outro é o Lulu Boca de Veludo. É uma coisa… Você imagina um homem desses julgando”, afirma. [Matéria na íntegra no Blog.] Mônica Bergamo – Folha de São Paulo

Uma publicação compartilhada por Blog do BG (@blogdobg) em

O ex-deputado Roberto Jefferson concedeu uma entrevista para o canal bolsonarista Questione-se no Facebook em que dispara ofensas e ataques, inclusive de caráter sexual, a ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). Chega a dizer que são “sodomitas”.

Ele chama o ministro Edson Fachin de “Cármen Miranda”, o ministro Luís Roberto Barroso de “Lulu Boca de Veludo”, o ministro Gilmar Mendes de “Sapão” e o futuro presidente do STF, Luiz Fux, de “Beija Pé”.

Segundo diz, Fux se “ajoelhou e beijou os pés” da mulher do ex-governador do Rio Sergio Cabral para agradecer a defesa que ela fez da indicação dele ao STF.

Em outro momento, ele afirma que Fachin foi indicado ao STF por Joesley Batista, da JBS, e que percorreu gabinetes do Senado pela mão do “homem da mala” da empresa, Ricardo Saud.

Jefferson faz referências ainda a Dias Toffoli, presidente da corte, e a supostas acusações feitas pela Odebrecht a ele.

Chama os ministros da corte de “monturo de lixo” e diz que as pessoas vomitariam se pudessem ver as reuniões reservadas do Supremo. Diz ainda que os ministros do tribunal, com exceção das magistradas mulheres, são “homens de pouca estatura jurídica e moral, lobistas” indicados pela TV Globo, por empreiteiras e por “partidos comunistas”.

A entrevista foi divulgada na segunda (20), na página do canal Questione-se, e já teve 65 mil visualizações.

Jefferson é presidente do PTB, partido do centrão aliado a Jair Bolsonaro no Congresso.

Em 2012, ele foi condenado pelo STF no processo do mensalão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Em um dos trechos da entrevista, o ex-deputado declara o seguinte: “Falando em nauseabunda, tem dois ministros lá [no STF] que têm esses gostos, né? É, tem. Tem ministros de rabo preso e dois de rabo solto. Um é o Carmen Miranda e o outro é o Lulu Boca de Veludo. É uma coisa… Você imagina um homem desses julgando”, afirma.

“Aí querem fazer pauta de gênero. Porque eles até hoje não encontraram os seus, não é? Você imagina uma cena, um ministro do Supremo de quatro, e um negão pa, puf puf nele [simula gestos de conotação sexual]. Não dá. Como esse homem pode representar a Justiça, rapaz? Vem um fuzileiro naval daqueles, um paludo, pa, pa, ‘grita, ministro. Me bate, me bate. Pa, pa.’ Que horror, meu irmão. Um sodomita. Dois. Tem dois sodomitas ministros, rapaz. Se fossem juízes, nunca deixariam a vara, a Justiça de primeira instância. Usam saias. Não é por saber jurídico. É por opção sexual. [balança as mãos]. Eu fico olhando aquilo. Um homem desses não passa em Supremo nenhum do mundo. Só no governo da Dilma e do Lula que essas pessoas conseguem ser ministros. (…) O Carmen Miranda, o Fachin, ele foi pela mão do homem da mala, da JBS. Ele foi em todos os gabinetes…”​,

Sobre Fux, Jefferson afirma: “O Luiz Fux chegou no Rio quando ele tomou posse, foi aprovado no Senado [para ser ministro do STF]. Houve uma festa aqui no Rio, na casa do [então governador] Sergio Cabral, ele ajoelhou e beijou os pés da [então primeira-dama] Adriana Ancelmo. Esse homem vai ser o presidente do Supremo. O próximo. O ‘Beija-Pé’. Meu Deus. Um cara que tem uma dobradiça na coluna. Tem que acabar isso.”

Parte do vídeo começou a circular em grupos de WhatsApp e já gera reações.

“O desrespeito, a agressão e a calúnia aos ministros do Supremo Tribunal Federal, no contexto em que foram proferidos e veiculados, são claras tentativas de desgaste do próprio tribunal que integram, e, assim, de um dos mais importantes pilares do Estado de Direito. A reação tem que ser firme, rápida, contundente e pedagógica”, diz Marco Aurélio de Carvalho, do grupo Prerrogativas.

Mônica Bergamo – Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    Qyanta baixaria. Mesmo com seus defeitos o Supremo merece respeito.

  2. Antenado disse:

    Ele fez isso porque só vai ser preso após o trânsito em julgado. Estão esquecidos? Além disso, os que criticam Roberto Jefferson, passaram anos e muitos ainda hoje ouvem o condenado de nove dedos. Não têm, portanto, moral para criticá-lo.

  3. João do PSL disse:

    Só esqueceu de falar dele, ex-presidiário ,que se fosse nos EUA iria morrer na cadeia depois todos os crimes de corrupção que cometeu. Meu mito cloroquina ainda fica dando pilha a uma figura dessa.

  4. Anti-Político de Estimação disse:

    Só no Brasil um vagabundo desses tem platéia e admiradores : é quase inacreditável.

  5. Pedro disse:

    Milagre ! Os petistas eleitores do ratinho de nove dedos, admitem que ele roubou e comeu o queijo, vamos bater Palmas, alguns abriram os olhos, quem sabe alguns sobrevivam.

  6. NOVÍSSIMA POLÍTICA disse:

    Esse combina com o estilo mito de ser. Diz ser cristão, conservador, defensor dos bons costumes, família, igreja, doutrina, hierarquia e disciplina. Só que é tudo ao contrário.

  7. Pepe disse:

    Esta figura ainda está solto,que país é este?
    Moro 2022!!!
    Entenderam o medo?

  8. Gaius Baltar disse:

    Rapaz, eu apoio o governo mas tenho asco desse pilantra. O presidente precisa urgentemente se livrar desse lixo.

  9. Aparecida disse:

    Se esse senhor tivesse vergonha, não abriria nem a boca, é um condenado pela justiça por corrupção. E saliente-se que parece ser hétero. Mas como vivemos um momento no país em que a truculência e as agressões estão valorizadas, é uma forma de ele emergir das trevas. Não se discute idéias nem projetos, mas apenas agressões e insinuações. Ele deveria usar seu discurso em prol da redução do número de tantos deputados, vereadores e assessores, sendo que estes só servem para alimentar as rachadinhas. Isso sim é um assunto sério, a vida sexual das pessoas dizem respeito unicamente a elas.

    • Josué disse:

      Quanta falta de conhecimento , pelas caridades ! Este político , Roberto Jeferson foi condenado e cumpriu a pena , mas, graças a ele o Mensalão do seu partido , que deve ser o PT, foi denunciado por ele. Hoje é o presidente do PTB , partido que apoia o Pr. Bolsonaro. Se atualize. Quanto às "duas" do STF, não é difícil de descobrir, basta assistir uma sessão de julgamento que aparece logo quem são , apesar de que cada um escolha o seu gênero , não sou contra isso, mas seja macho pra sair do armário !

  10. Manoel disse:

    Aliado de Bolsonaro.
    O gado grita: mmmuuuuuummmm

  11. Bozoloide Alienado disse:

    Roberto Jefferson. O arauto da moralidade e dos bons costumes. O cristão benevolente e humilde. O Moisés do centrão. Alma límpida e despida de vaidades. Homem do bem que nunca desejou o mal de ningt. Voltou a ganhar holofotes. Que bom ver a cara da nova política no horizonte do Brasil. Pronto. Terminei de cagar. Manheeeeeê! ACABEI.

  12. Manoel disse:

    Chega a ser patético os bolsonaristas darem ouvidos a Roberto Jefferson: um dos maiores ladrões do dinheiro público que nosso país já viu! Sempre apoiou quem mandasse no dinheiro! Apoiava Lula (é tanto que foi condenado e cumpriu prisão pelo mensalão); apoiava Dilma e Temer. Agora virou o "santo do pau oco" do governo Bolsonaro… É muita cegueira desse povo que segue o MITOmaníaco!

    • Aluísio Valença disse:

      Não nos esqueçamos também que ele fazia parte da tropa de choque contra o impeachment do Collor. Era o Marun da época.

  13. Manoel disse:

    Os dois tem cara de quem gosta da fruta…

Roberto Jefferson compara STF ao nazismo: ‘Tribunal do Reich´; ex-deputado fala em atitude “covarde e intimidatória” do mais desqualificado Ministro da Corte

Foto: Reprodução

O ex-deputado federal Roberto Jefferson foi ao Twitter criticar a operação da Polícia Federal que cumpre, na manhã de hoje, mandados de busca e apreensão relacionados ao inquérito das fake news que é conduzido pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Ele comparou a ação à de um tribunal nazista, em crítica ao Supremo.

“TRIBUNAL DO REICH. Instituído por Hitler, após o incêndio do Parlamento, aquele tribunal escreveu as páginas mais negras da justiça alemã, perseguindo os adversários do nazismo. Hoje o STF, no Brasil, repete aquela horripilante história. Acordei às 6 horas com a PF em meu lar”, escreveu o político do chamado “centrão”.

Foto: Reprodução/Twitter

“Com um mandado de busca e apreensão, expedido contra mim por Alexandre de Moraes, STF, para aprender meus computadores e minhas armas. Atitude soez, covarde, canalha e intimidatória, determinada pelo mais desqualificado Ministro da Corte. Não calarei. CENSURA”, escreveu Jefferson.

Roberto Jefferson voltou a criticar o STF mais tarde durante uma entrevista à CNN. O ex-deputado chamou a corte de “puxadinho do PT e do PSDB”. “É uma corte de justiça comandada de fora para dentro. É comandada pelo [ex-presidente] Lula, pelo Fernando Henrique [Cardoso] e pelo José Dirceu. Esse supremo não representa o povo do Brasil. Essa corte quer calar todos os que estão em volta do presidente levantam a sua bandeira e impunham a espada em sua defesa.”

Jefferson criticou a operação realizada na manhã de hoje e disse que ela é conduzida pelo “pior ministro” e alguém que “era advogado do PCC [Primeiro Comando da Capital]”, se referindo ao então ministro Alexandre de Moraes do STF.

“Hoje o STF impede o presidente do exercício pleno do seu governo. E todos os seus aliados como eu somos vítimas de perseguição, principalmente, nesse processo que é inconstitucional. Presidido pelo pior ministro do supremo. Pior. Que tem a pior historia. Que era advogado do PCC [Primeiro Comando da Capital] em São Paulo. O maior grupo de narcotraficantes do Brasil. Assassinos de policiais militares, policiais penitenciários e policiais civis. E o advogado deles era o [ministro] Alexandre de Moraes. Hoje, desgraçadamente, veste [o ministro] uma toga do STF. [Alexandre] Desonra o supremo”.

Ainda na entrevista, Jefferson pediu a “aposentadoria compulsória” dos 11 ministros do STF. “Não estou pedindo o fechamento do supremo. Estou pedindo aposentadoria compulsória dos 11 ministros de formação ‘maoísta-marxista’ que não permitem que um governo conservador avance em suas propostas e seus objetivos.”

Com UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gabriel disse:

    Mas, o lindo é ver o gado agora defendendo o ladrão do mensalão. Esses falam sobre pátria, sobre ser patriota kkkkkkkkkk, na verdade só o que convém, fake news, só alimenta discórdia, propaga ódio, mas alimenta o gado doidoooooo mooommmmmm

  2. Beto Araújo disse:

    Quem é esse canalha prá por em cheque o STF? LADRÃO, CANALHA E como se chamava dedo duro aqui na terrinha; CABUÊTA!

  3. Carlão disse:

    Amem a pátria, não aos patriotas de boutique. Comparação sem noção, a classe política vive a fartas regalias, enquanto no nazismo não tinha mamata e boquinha.

  4. Cigano Lulu disse:

    Robertão é tão ordinário que foi rejeitado até pelo câncer.

  5. Severino disse:

    Roubou, pagou a sua etapa (não teve o STF facilitando). Tá legalmente limpo.

  6. Emilio disse:

    Esse RJ era do esquema do barba cachaceiro mas ele tem razão
    Esse supremo é sim uma ditadura

  7. Lucas disse:

    É impressão minha ou o Ceará-Mundão sumiu por aqui depois que o mitinho o forçou a virar amigo do Roberto Jefferson?

  8. Manoel disse:

    Ceará Bundao caddddeeeeeee vocccccceeeeeeeee!!!

  9. otarocha disse:

    Condenado no mensalão,agora virou vaqueiro tangendo o gado.

  10. Ivan. disse:

    Há ladrão!!

  11. Santos disse:

    Olha só o porta voz do governo.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Tá podre mesmo, vai cair.

  12. Felipe disse:

    Um vagabundo desse… Roubou no mensalão e agora quer pagar de boa praça?

  13. E DAÍ??? disse:

    CHAMA A SAMU! Vão esgotar os leitos nos manicômios. No governo e na militância do Capetão Naro Miliciano já tinham muitos doentes mentais, mas ainda está chegando mais. Esse além de ladrão é louco. TÁ OK???

  14. Marcelo disse:

    Falou o cidadão mais honesto da República…..SQN.

Roberto Jefferson, Luciano Hang, deputado estadual de SP e blogueiro são alvos de operação da PF

A Polícia Federal cumpre na manhã desta quarta-feira (27) mandados de busca e apreensão no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que apura produção de notícias falsas e ameaças à Corte. O ex-deputado federal Roberto Jefferson, o empresário Luciano Hang, o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP) e blogueiro Allan dos Santos são alvos. Os quatro são aliados do presidente Jair Bolsonaro.

As buscas com relação a Jefferson e Hang foram realizadas nas casas deles, no Rio de Janeiro e em Santa Catarina, respectivamente.

No caso de Garcia, as buscas foram realizadas no gabinete, na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), onde computadores foram apreendidos.

As buscas sobre Allan dos Santos ocorreram na casa dele, em uma área nobre de Brasília.

Ao todo, a operação tem 29 mandados de busca e apreensão. As ordens foram expedidas pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do inquérito.

Além de Rio de Janeiro e Brasília, há mandados para ser cumpridos também nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina.

Histórico do inquérito

O inquérito para apurar a produção de notícias falsas e disseminação de ameaças a ministros do STF foi aberto em março de 2019, por ordem do presidente da Corte, ministro Dias Toffoli.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. natalsofrida disse:

    Tem que fechar. Se acham deuses. Falam tanto em democracia e quetem calar o povo. Hipócritas!

  2. Chicó disse:

    Só há fake news quando parte da direita ? É, no mínimo, curioso !

FOTO: 'Tenho que passar por isso. O país melhorou', diz ex-deputado Roberto Jefferson ao ser preso

jeffersonpresomarcosdepaula2Após ter sido preso pela Polícia Federal em sua casa em Levy Gasparian, no interior do Estado, o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) disse que não se arrepende da denúncia que fez sobre o esquema do mensalão, e, 2005, no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para ele, após o episódio, que resultou na cassação de seu mandato e posterior condenação a sete anos de prisão, “o Brasil melhorou”.

“A imprensa fiscaliza mais e os políticos melhoraram seu comportamento. Não dá mais para brincar com a opinião pública”, afirmou Jefferson aos repórteres na porta de sua casa. O ex-deputado não quis revelar se considera justa sua condenação pelo Supremo Tribunal Federal pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Perguntado se seria conduzido para a Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro em um carro da corporação, Jefferson respondeu: “Não tenho o que esconder. Estou preso e condenado. Vou em uma viatura descaracterizada sem nenhum problema. Mas isso foi uma gentileza da PF. Eu não me importaria de descer (para a capital) em um camburão. Não sorrio da Justiça e não vou debochar do papel de vocês (jornalistas).”

O delator do mensalão disse que encara sua prisão “com serenidade, equilíbrio, paciência e humildade”. “Tenho que passar por isso. Estou levando todos os meus laudos e a última tomografia. Assim que eu der entrada na PF, eles terão acesso ao meu histórico médico”, afirmou Jefferson, que segue dieta rigorosa depois de se tratar de um câncer no pâncreas, em 2012.

Apesar de ter sido condenado no regime semiaberto, Jefferson disse que ainda não tem nenhuma proposta de emprego, o que permitiria a ele deixar a prisão durante o dia. Ele informou que as negociações para venda de seu escritório no centro do Rio estão bem encaminhadas. O dinheiro será usado para pagar parte da multa de R$ 720 mil imposta pelo STF. O restante, disse ele, será obtido com doações de correligionários do PTB.

O ex-parlamentar disse que está levando para a cadeia dois livros: a Bíblia e um que conta a história da humanidade no século XX, cujo nome não se recordou. “Não sou melhor do que ninguém. Não sou santo. Tenho defeitos, mas também virtudes. Eu trato bem as pessoas. Não é à toa que fui eleito seis vezes deputado federal”, disse.

O petebista encerrou a entrevista sugerindo aos jornalistas que prezem pela liberdade, ao comentar o passeio que fez em sua moto Harley Davidson, na manhã de domingo,23, pelas redondezas de Levy Gasparian. “Curti muito a volta na Harley, o sentimento de liberdade e lealdade. Não é a chegada, o que importa é a jornada. Liberdade é fundamental para o ser humano. E eu estou perdendo a minha”, declarou.

O STF entregou no fim da manhã desta segunda-feira, 24, o mandado de prisão de Jefferson, em papel, à Polícia Federal em Brasília. Lá, o documento foi digitalizado e transmitido via e-mail para a Superintendência da Polícia Federal no Rio, que encaminhou a mensagem a um agente que fazia plantão na residência de Jefferson. O agente entrou na casa, com autorização do ex-deputado, e imprimiu o mandado. Jefferson assinou o documento tomando ciência da ordem de prisão às 12h21. Depois da entrevista, Jefferson voltou a entrar em casa.

Estadão

Ex-deputado federal Roberto Jefferson se entrega à Polícia Federal

O ex-deputado federal Roberto Jefferson se entregou à Polícia Federal na manhã de hoje (24), em casa, no interior do estado. Na última sexta-feira (21), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, determinou a prisão de Jefferson, condenado a sete anos e 11 dias de prisão em regime semiaberto na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

Jefferson será levado para a Superintendência da Polícia Federal no centro da cidade do Rio. A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) informou que aguarda a documentação do preso para encaminhá-lo a uma unidade prisional do estado.

Por meio de conta na rede social Twitter, a PF confirmou que recebeu o mandado de prisão do ex-deputado. Os policiais estavam no município de Levy Gasparian, no sul fluminense, desde a última semana esperando o envio do documento pelo STF. O pedido de prisão domiciliar, solicitado pela defesa, em função de problemas de saúde, foi negado pela Justiça.

Na decisão, o presidente do STF, o ministro Joaquim Barbosa, que ouviu os responsáveis pelo sistema prisional no Rio de Janeiro, alegou que é possível oferecer ao réu tratamento médico prescrito dentro da penitenciária. Para justificar o pedido de prisão domiciliar, a defesa do ex-deputado apresentou a dieta nutricional que Jefferson deve seguir.

O ex-deputado condenado no processo do mensalão também foi avaliado por uma junta médica do Instituto Nacional do Câncer (Inca), onde já faz tratamento. Em dezembro de 2013, os médicos afirmaram que o estado de saúde do condenado não exigia cuidados em casa. Os especialistas explicaram que o ex-deputado deve tomar os remédios regulares e seguir a dieta.

A dieta prescrita para Jefferson inclui banana com canela, geleia real e pão preto. No almoço, o prato deve ser ter salada, arroz integral, carne ou salmão defumado e, no jantar, sopa de legumes.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nivea disse:

    Entendo não, se o PT JURA que o MENSALÃO NÃO EXISTIU, por que o senhor Roberto Jeferson tá sendo preso???

MENSALÃO: Roberto Jefferson inicia campanha para pagar multa de R$ 720 mil; ex-presidente Collor entre doadores

2014022017933O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) inicia nesta sexta-feira a campanha de arrecadação de dinheiro dentro do partido para pagar a multa de R$ 720 mil determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Em entrevista ao GLOBO na noite de quinta-feira, Jefferson, delator do mensalão, revelou que a filha Cristiane Brasil, secretária municipal de Envelhecimento e Qualidade de Vida no governo Eduardo Paes (PMDB), foi a primeira pessoa a doar, mas não soube dizer quanto.

– Vou começar sexta-feira. Será na minha conta do Banco do Brasil quando eu recebia na época que era presidente do PTB. Reativei (a conta) na quarta-feira. Vamos ver. Começou pela família e, depois, vem os amigos. Vamos ver em quanto vamos chegar – contou ele.

Além do dinheiro arrecadado, Jefferson pôs à venda seu escritório de advocacia no Centro do Rio. O senador Fernando Collor, ex-presidente, estará entre os doadores. Ao contrário dos condenados no processo do PT, Jefferson não fará campanha na internet. As doações ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, por exemplo, já ultrapassaram os R$ 800 mil.

Roberto Jefferson passou a quinta-feira em seu apartamento na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. O ex-deputado tinha a expectativa de ser preso na quinta-feira, no mesmo dia da sessão em que o STF iniciou o julgamento dos embargos infringentes de outros condenados no mensalão.

O petebista almoçou com a mulher Ana Lúcia, a filha Cristiane Brasil, o atual presidente do PTB, Benito Gama; o ex-prefeito de Cuiabá, Francisco Galindo; e o genro e deputado estadual pelo Rio, Marcus Vinícius. No fim da tarde, Roberto Jefferson seguiu para sua casa em Levy Gasparian, no interior do estado, onde mora com a família.

Incômodo

Roberto Jefferson admitiu estar incomodado com a demora do presidente do STF, Joaquim Barbosa, em expedir o mandato de prisão:

– A expectativa é um sofrimento. Não vou dizer que isso não me estressa. Me cansa! Mas estou confiante que eu possa ter, no final, uma prisão domiciliar. Claro que me angustia. Toda noite eu penso nisso: vai ser amanhã ou depois de amanhã? Passei o dia com isso na cabeça. Todo dia é uma expectativa. Eu não projeto minha vida para médio e para longo prazos. É tudo a curto prazo.

O ex-deputado comparou a situação com os Alcoólicos Anônimos:

– Parece com os Alcoólicos Anônimos, né? 24 horas pensando. É isso.

A defesa de Roberto Jefferson tenta fazer com que o ex-deputado cumpra a pena de sete anos e 14 dias por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em prisão domiciliar. Segundo a denúncia, o ex-deputado recebeu R$ 4,5 milhões de petistas quando fazia parte da base de apoio do governo Lula.

O petebista também contou o drama da família:

– A família está tensa.

Jefferson foi diagnosticado com um tumor no pâncreas. Em dezembro do ano passado, ele enviou ao STF cópia da dieta recomendada por uma médica nutróloga, com itens como salmão defumado, geleia real e suco batido com água de coco. Acompanhando o cardápio, uma petição argumenta de que dificilmente uma penitenciária terá esses ingredientes na dispensa. Portanto, Jefferson deveria cumprir pena em casa.

Por interino via O Globo

"Mineiro não é solidário nem no câncer", diz Jefferson sobre postura do PSDB no mensalão tucano

 

13_06_48_390_fileFoto: Erbs Jr./Estadão Conteúdo

Um dos únicos entre os 25 condenados no processo do mensalão que ainda não foi preso, o ex-deputado Roberto Jefferson, delator do esquema de corrupção, publicou nesta quinta-feira (20), em seu blog, um comentário comparando as posturas de PT e PSDB no trato com seus políticos envolvidos em escândalos.

Para ele, enquanto os petistas “não se importam em perder capital político para defender os seus”, os tucanos não se preocuparam em defender o ex-deputado Eduardo Azeredo, que renunciou ao mandato na última quarta-feira (19) por conta de seu envolvimento no mensalão tucano.

Jefferson disse que a renúncia impediu que o PSDB “ficasse sangrando em praça pública”, ainda mais em ano eleitoral. Em contrapartida, o comportamento da sigla com Azeredo teria sido decepcionante.

“Mas, como diz o ditado popular, mineiro não é solidário nem no câncer”, escreveu ele.

Jefferson aguarda avaliação de seu pedido de prisão domiciliar. Ele se curou recentemente de um câncer e sua defesa alega que os presídios não possuem condições adequadas para que ele siga com seu tratamento e com a dieta específica que lhe foi recomendada pelos médicos.

Leia a seguir a íntegra do comentário escrito por Jefferson:

“Prestes a ser julgado pelo STF no caso do mensalão mineiro, que envolveria o uso de recursos públicos em campanha eleitoral, o deputado Eduardo Azeredo renunciou ontem ao mandato parlamentar. Acuado, pediu pra sair, abdicando do uso do mandato como escudo pra se defender das acusações, como alguns teimaram em fazer, constrangendo os colegas, a instituição e ministros do Supremo. Pressionado ou não, com a renúncia Azeredo impediu que seu partido, o PSDB, ficasse sangrando em praça pública. Neste ponto, os tucanos se diferenciam dos petistas, que não se importam em perder capital político pra defender os seus. Mas como diz o ditado popular, mineiro não é solidário nem no câncer. Tá explicado”.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo kasinsk disse:

    Com a permissão deste estimado editor do blog, meu caro Anônimo, fiz questão de postar logo no início da notícia recente, para que o mundo tomasse conhecimento do seu prestimoso talento. Agora alguém já lhe conhece, porque sempre lê Paulo Kasinsk. E mais, venerado imortal e meu leitor de carteirinha, sabia que você ia me ler, iria atrás de uma resposta minha, para saber se eu tomei conta da sua existência. Contente-se com a cota que já lhe dispensei; continue admirando o estilo e a elegância desse humilde e sempre humilde escrevinhador. Devo confessar que não é proposital, infelizmente essa elegância é congênita. Faça como a bebida, aprecie com moderação. Beba as palavras e o estilo, a cor e a textura, as linhas e as entrelinhas; você sempre sairá uma pessoa melhor.

Roberto Jefferson: "Tem voto da elite e do povão", referindo-se a Joaquim Barbosa numa possível candidatura presidencial

Roberto-Jefferson-4Foto: Pablo Jacob – O Globo

O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), delator do mensalão, disse ao GLOBO estar sereno em meio à espera de ser preso ainda nesta quinta-feira. Ele aguarda a expedição do mandado de prisão ao lado da mulher, Ana Lúcia.

– Estou tranquilo, sereno. Esperando – revelou o ex-deputado.

Enquanto aguarda o anúncio do Supremo Tribunal Federal (STF), Jefferson comentou a renúncia do ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo, após virar réu no processo do mensalão tucano.

– Saiu pela porta da frente. Não desgastou o partido (PSDB), como fez o João Paulo Cunha, que desgastou demais o PT. Pediu o boné e foi embora. Não deixou o partido mal. Com o João Paulo, foi um sofrimento. Foi pesado.

O ex-deputado falou também sobre a tentativa de o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), pré-candidato à Presidência, convencer Joaquim Barbosa a ser candidato ao Senado pelo Rio.

– Se (Joaquim Barbosa) for candidato, terá muito voto. Almocei com três amigos: um empresário, um funcionário público e um advogado. Os três disseram que votam nele. Não sei quais serão os adversários que ele teria, nem tenho pesquisas. Mas ele não tem voto apenas na elite. Tem voto no povão também. O povão gosta desta atitude afirmativa dele. Se ele tiver apoio, ganha a eleição – avaliou o petebista.

Sobre a arrecadação de petistas e simpatizantes na internet de mais de R$ 700 mil para pagar a multa do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado e já preso no mesmo processo, Roberto Jefferson declarou:

– O PT tem essa tradição. Isso não se faz uma suspeita de irregularidade. Quem é petista dá dinheiro mesmo. Todo mês, funcionários públicos do PT contribuem com o partido com 10% do salário. Deputados e senadores contribuem com 25%. É a cultura do PT. Nós, de outras legendas, não temos esse sentimento de partido. O PTB não dá nenhum centavo, sobrevive do fundo partidário.

Doação de Collor para pagar multa

Para pagar a multa de R$ 720 mil, determinada pelo STF, Jefferson venderá seu escritório de advocacia, no Centro do Rio, e contará com doações de integrantes do próprio PTB, entre eles o ex-presidente Fernando Collor.

A defesa de Roberto Jefferson tenta fazer com que o ex-deputado cumpra a pena de sete anos e 14 dias por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em prisão domiciliar. Segundo a denúncia, o ex-deputado recebeu R$ 4,5 milhões de petistas quando fazia parte da base de apoio do governo Lula.

Jefferson foi diagnosticado com um tumor no pâncreas. Em dezembro do ano passado, ele enviou ao STF cópia da dieta recomendada por uma médica nutróloga, com itens como salmão defumado, geleia real e suco batido com água de coco. Acompanhando o cardápio, uma petição argumenta de que dificilmente uma penitenciária terá esses ingredientes na dispensa. Portanto, Jefferson deveria cumprir pena em casa.

Dos 25 condenados no mensalão, sete estão presos no regime fechado e nove, no semiaberto. Genoino está em prisão domiciliar, devido a problemas de saúde e também aguarda uma decisão de Joaquim Barbosa. Outros três condenados cumprem penas alternativas. O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato está preso na Itália depois de ter ficado foragido.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. hailton disse:

    esse não tem geito ainda estar vivo

Roberto Jefferson estuda pedir ajuda a líderes do PTB para pagar multa de R$ 724 mil

O deputado cassado Roberto Jefferson (PTB-RJ), delator do mensalão, disse nesta quarta-feira, 5, que pensa em pedir ajuda aos principais líderes petebistas, como o senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (AL), para pagar a multa de R$ 724 mil aplicada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão.

Jefferson descarta fazer uma lista de arrecadação na internet, como os petistas José Genoino e Delúbio Soares. “Não vou fazer lista em site. Não sei e não quero fazer. O PT tem facilidade em arrecadar, todos que têm mandato contribuem mensalmente com o partido. No PTB, os deputados não dão um centavo ao partido”, afirmou.

Jefferson afirmou que a primeira providência será vender o escritório que tem no centro do Rio. O ex-deputado acredita conseguir entre R$ 450 mil e R$ 500 mil com o imóvel. Para chegar ao valor total, poderá pedir ao presidente nacional do PTB, Benito Gama, que arrecade contribuições. “Ligo para o Collor, para o Gim (senador Gim Argello), para o Jovair (deputado Jovair Arantes). Peço ao Benito para arrecadar. O Collor não vai se negar, tenho certeza. Meus companheiros não vão me faltar”, afirmou Jefferson, por telefone, ao Estado. “Mas, primeiro, vou tentar liquidar (a multa) da minha parte, talvez pedir um parcelamento”, disse o ex-deputado, condenado a 7 anos e 14 dias em regime semiaberto.

O ex-deputado disse estar confiante de que STF aceitará pedido de prisão domiciliar que encaminhou no ano passado. Ele acredita que a decisão será tomada no máximo até a semana que vem, já que o último condenado ainda em liberdade, João Paulo Cunha (PT), foi preso ontem. Jefferson reiterou que, por causa de uma cirurgia para retirada de um câncer no pâncreas a que se submeteu em 2012, tem que cumprir uma rigorosa dieta que seria impossível seguir na cadeia.

O ex-deputado disse que aceitaria “sem problema” a determinação de usar uma tornozeleira eletrônica, como sugeriu o secretário de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (SEAP), Cesar Rubens Monteiro de Carvalho, em resposta a consulta do STF. O secretário disse que o sistema prisional não tem condição de atender às recomendações médicas feitas a Roberto Jefferson, como a dieta controlada. “Ridicularizaram minha dieta, mas é o que tenho que seguir diariamente. Não tenho condição de ficar em um presídio com o que eu como: arroz, pão, massa integrais, queijo magro, proteína, salmão, geleia real. Não é culpa minha, sou um mutilado do aparelho digestivo”, afirmou Jefferson por telefone. “Não tenho como comer aquela carne, aquela galinha cheia de óleo. Se isso acontecer, não vou sair do banheiro”, afirmou.

Jefferson defendeu que o petista José Genoino também cumpra a pena em prisão domiciliar, por causa dos problemas de coração. Sobre o ex-ministro José Dirceu, que cumpre pena na Penitenciária da Papuda, em Brasília, Jefferson disse que o petista não tem que “sofrer mais que os outros”. Dirceu pediu à Justiça autorização para trabalhar em um escritório de advocacia e pretende solicitar também permissão para dormir em casa em alguns fins de semana. “Quem tem direito deve pedir. Ele deve ser tratado como todos os outros, não sou a favor de que ele seja exemplo da austeridade da Justiça. Que se respeite o direito dele. Não quero mal a ninguém, sou condenado como os outros”, afirmou. Roberto Jefferson tem ficado a maior parte do tempo na casa da família no município de Comendador Levy Gasparian.

Estadão

Laudo diz que Roberto Jefferson não precisa de prisão domiciliar

O laudo médico dos três oncologistas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) que examinaram o ex-deputado Roberto Jefferson atesta que o delator do mensalão não teria necessidade de permanecer em casa. Com base nesse laudo, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, vai decidir se concede ou não prisão domiciliar a Jefferson.

A assessoria de imprensa do ex-deputado confirmou que os advogados tiveram acesso ao laudo. O documento, de 4 de dezembro, afirma que não foi encontrada “qualquer evidência” do câncer de que Roberto Jefferson se tratou; o delator do mensalão fez uma cirurgia em 2012 para retirar um tumor no pâncreas. “Do ponto de vista oncológico, esta junta não identifica como imprescindível, para o tratamento do sr. Roberto Jefferson Monteiro Francisco, que o mesmo permaneça em sua residência ou internado em unidade hospitalar”, informa o laudo médico, assinado por Carlos José Coelho de Andrade, Rafael Oliveira Albagli e Cristiano Guedes Duque, do Inca.

A defesa de Jefferson argumenta que seu pedido de prisão domiciliar não é motivado pelo câncer, mas pelas complicações metabólicas e restrições alimentares após o tratamento da doença. A situação de Jefferson ainda está nas mãos do Ministério Público Federal. O laudo foi encaminhado ao procurador-geral, Rodrigo Janot, que deve elaborar parecer sobre o estado de saúde do ex-deputado, condenado a sete anos e 14 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Situação de Genoino

Além do caso de Jefferson, Joaquim Barbosa também precisa decidir a situação do ex-presidente do PT José Genoino. No caso de Genoino, Janot já emitiu parecer recomendando que o petista, por falta de estrutura no presídio de Brasília, seja mantido em prisão domiciliar por pelo menos 90 dias. A defesa de Genoino voltou a insistir que o estado de saúde do ex-deputado não permite que ele retorne à Papuda. Na petição, contesta o laudo da UnB e reforça a tese de que o condenado tem saúde delicada.

Barbosa ainda decide esta semana se segue o parecer do Ministério Público Federal e determina a prisão de mais um deputado envolvido no mensalão. Na última sexta-feira, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão imediata do deputado Pedro Henry (PP-MT), condenado a sete anos e dois meses de cadeia por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Se for decretada a prisão de Pedro Henry, o deputado também poderá renunciar ao cargo, como fizeram Valdemar Costa Neto (PR-SP) e José Genoino. Henry tem que cumprir pena em regime semiaberto e pode ser conduzido ao Centro de Internamento e Reeducação (CIR), no Complexo Penitenciário da Papuda, onde já estão detidos outros presos do mensalão como os petistas José Dirceu e Delúbio Soares, o próprio Valdemar Costa Neto, e os ex-deputados Pedro Corrêa, Bispo Rodrigues e Romeu Queiroz.

Henry entrou com embargos infringentes para contestar as condenações. Mas o procurador-geral considerou que o condenado não tem direito ao recurso porque não teve pelo menos quatro votos por sua absolvição.

Barbosa também está prestes a decretar a prisão de Rogério Tolentino, ex-advogado de Marcos Valério. Ele foi condenado a seis anos e dois meses de prisão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

No dia 15 de novembro, o presidente do STF decretou a prisão dos primeiros 12 condenados, sendo que só um não foi preso: o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, que fugiu para a Itália. Na semana passada, foram mais quatro: Valdemar Costa Neto, Bispo Rodrigues, Pedro Corrêa e o ex-dirigente do Rural Vinicius Samarane.

Esta semana, a PF deve transferir para BH Simone Vasconcelos, ex-gerente das empresas de Marcos Valério, e Kátia Rabello, ex-presidente do Rural.

O Globo

Roberto Jefferson desafia o STF e diz que não aceita condenação

Sete anos depois de denunciar o mensalão à Folha , o ex-deputado Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, continua no ataque.

Às vésperas de ser julgado com outros 37 réus no STF (Supremo Tribunal Federal), ele sugere que o ministro Joaquim Barbosa tentará condená-lo e o acusa de “jogar para a galera” e buscar “aplausos em botequim”.

Jefferson mantém a versão de que o ex-presidente Lula não sabia do esquema de compra de apoio a seu governo no Congresso e diz que será absolvido das acusações de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

“Não serei condenado. Não serei preso. Escreve isso”, diz.

Daniel Marenco/Folhapress
O petebista será operado sábado para retirar um tumor no pâncreas, descoberto na semana passada. Deve ficar internado até o início do julgamento.
Fonte: Folha