Aeronáutica aprova projeto do Centro Cultural Trampolim da Vitória no terminal de passageiros do aeroporto Augusto Severo

Foto: Divulgação

O prefeito de Parnamirim Rosano Taveira conseguiu aprovar nesta quarta-feira (18) um dos mais importantes projetos da história do município. Em reunião no Alto Comando da Força Aérea Brasileira, em Brasília, aprovou junto à Aeronáutica o Projeto do Centro Cultural Trampolim da Vitória CCTV, que será instalado no terminal de passageiros do aeroporto Augusto Severo.

Um projeto de grande importância, que além de dar funcionalidade ao antigo terminal, vai fortalecer fortemente o turismo da cidade e da região, gerando emprego, renda e oportunidades de negócios. Uma grande vitória do povo de Parnamirim.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nivaldo disse:

    O acervo móvel de algo desse tipo tem que ir para a Rampa.
    Se, mexa, Prefeito.

  2. Marcus disse:

    O PREFEITO TAVEIRA ESTÁ RESGATANDO TUDO QUE UM MUNICÍPIO MERECE!!! AVANTE, AVANTE TODOS NÓS!!! AGORA, A PRÓXIMA LUTA É PELA VOLTA DO AEROPORTO AUGUSTO SEVERO!!!

  3. Almir disse:

    CONCORDO QUE AEROPORTO SERIA MELHOR, MAS SE NÃO TEM O CENTRO CULTURAL É UMA BOA ALTERNATIVA.

    PODEREMOS INCLUSIVE CRIAR EVENTOS INTERNACIONAIS. EXEMPLO: COMEMORAR O DIA 28.01.1943, QUANDO O PRESIDENTE DOS EUA REUNIU-SE COM GETÚLIO VARGAS E DECIDIU O ENVIO DAS TROPAS BRASILEIRAS A GUERRA NA EUROPA.

  4. EDSON OLIVEIRA disse:

    UMA PERDA PARA PARNAMIRIM. TROCAR UM AEROPORTO POR UM MUSEU .

Aeronáutica abre 80 vagas para os cursos de Formação de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria; vagas no RN

A partir do dia 23 de abril de 2014, a Aeronáutica receberá inscrições para os Cursos de Formação de Oficiais Aviadores (CFOAV), Intendentes (CFOINT) e de Infantaria (CFOINF) para o ano de 2015, a serem realizados na AFA, em Pirassununga – SP.

Há 80 vagas no total, sendo 35 para o CFOAV, 25 para CFOINT e 20 para CFOINF. No caso do CFOINF, poderão se inscrever somente candidatos do gênero masculino, já as outras duas Classes são destinadas a ambos.

Para participar do processo seletivo, é necessário ser brasileiro, ser voluntário e estar ciente de todas as condições para habilitação à futura matrícula nos cursos e, se menor de 18 anos, estar autorizado por seu responsável legal.

Já no ato da matricula dos cursos, os aprovados na seletiva deverão apresentar o certificado de conclusão do ensino médio, não possuir menos de 17 e nem completar 23 anos de idade até 31 de dezembro do ano da matrícula, estar em dia com as obrigações eleitorais, além de outros requisitos.

Os candidatos serão avaliados por meio das seguintes etapas: exame de escolaridade, inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, teste de aptidão à pilotagem militar (somente para os candidatos que optaram pelo CFOAV e obtiveram a menção apto), teste de avaliação do condicionamento físico e validação documental. O exame de escolaridade está previsto para 27 de julho de 2014. O conteúdo programático consta no edital.

As provas escritas serão aplicadas em Belém (PA), Recife (PE), Salvador (BA), Natal (RN), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Barbacena (MG), São Paulo (SP), Curitiba (PR), Campo Grande (MS), Pirassununga (SP), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Manaus (AM), Porto Velho (RO) e Boa Vista (RR). No momento da inscrição, o candidato deverá indicar a cidade da Organização Militar de Apoio onde deseja realizá-la.

Os interessados poderão se inscrever pelo site www.fab.mil.br ou pelo site concursos.epcar.aer.mil.br, das 10h do dia 23 de abril de 2014 até às 15h de 15 de maio de 2014. Há uma taxa de R$ 70,00.

Esse exame de admissão terá validade de dez dias corridos, após a data prevista para a concentração final.

Consulte o edital de abertura disponível em nosso site, logo abaixo, onde há informações detalhadas sobre os requisitos, o curso e todo o certame.

PCI Concursos

Aeronáutica abre concurso com 100 vagas para Brasília e mais 13 estados

O Departamento de Ensino da Aeronáutica abriu novo concurso com 100 vagas para ingresso no curso de formação de taifeiros 2014. Do total de chances, 70 são para cozinheiro e 30 para arrumador. Podem participar apenas candidatos homens com nível médio de formação, idade entre 18 e 25 anos, e com certificado de curso técnico na área concorrida.

As provas escritas serão realizadas no dia 23 de março em Brasília/DF, Belém/PA, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ, Belo Horizonte/MG, São Paulo/SP, Campo Grande/MS, Canoas/RS, Porto Alegre/RS, Manaus/AM, Boa Vista/RR e Porto Velho/RO. As disciplinas que serão cobradas são: português, matemática e conhecimentos especializados. Haverá ainda inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, teste de avaliação de condicionamento físico e validação documental.

Interessados devem pagar taxa de R$ 60 e se inscrever de 5 a 18 de fevereiro pelo site a href=http://www.depens.aer.mil.br target=blanc>www.depens.aer.mil.br.

Além de remuneração (não informada em edital), o aluno terá direito à alimentação, alojamento, fardamento, assistência médica e odontológica.

O curso de formação tem duração de 16 semanas e a matricula está prevista para o dia 1º de agosto deste ano.

CorreioWeb

Após revelar ter filho, justiça mantém padre no RN afastado e sem recebimento de soldo da Aeronáutica

Um capelão da Aeronáutica foi exonerado do cargo após revelar ao bispo que era pai de um garoto, hoje com 16 anos de idade. Na Justiça Federal o sacerdote, que foi afastado da ordem religiosa pelo Arcebispo de Natal, Dom Jaime Rocha, tentava voltar ao trabalho na Aeronáutica na condição de major capelão e ainda com recebimento dos soldos. Sentença do Juiz Federal Ivan Lira de Carvalho negou o pedido e manteve o homem afastado das funções. O entendimento do magistrado foi que se o homem não tinha os requisitos básicos para ser capelão, que é ser padre, como tal não poderia permanecer no exercício dessa função na Aeronáutica.

“Considerando-se que o demandante foi privado do exercício da atividade religiosa, por ato da autoridade eclesiástica competente, agiu corretamente a União, ao determinar a agregação do demandante ao Quadro de Oficiais Capelães do Corpo de Oficiais da Ativa da Aeronáutica”, destacou o Juiz Federal na sentença.

O magistrado analisou que “o afastamento do sacerdote foi motivado, não apenas pela necessidade de se tutelar os direitos do filho menor de idade do padre, mas também para se prevenir escândalos durante o Processo Administrativo Criminal em curso na sede Arquiepiscopal”.

Destacou ainda o Juiz Federal na sentença: “Há de se considerar que o demandante, na condição de Padre da Igreja Católica e de Capelão Militar, deve se subordinar às normas do Direito Canônico, no que tange ao exercício da atividade pastoral, conforme dispõe o artigo IX do Acordo entre a Santa Sé e a República Federativa do Brasil sobre assistência religiosa às Forças Armadas”, observou o magistrado.

O Juiz Federal Ivan Lira ressaltou que o afastamento do padre da Força Aérea ocorreu em caráter preventivo, portanto, sem configurar uma penalidade administrativa.

No relato feito na ação, o ex-militar padre disse que ingressou na Aeronáutica em 2002 como Segundo-Tenente do Quadro de Oficiais Capelães do Corpo de Oficiais da Ativa da Aeronáutica. Em fevereiro de 2011, foi afastado do ministério sacerdotal pelo Arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil. A medida ocorreu no momento em que revelou ser pai de um adolescente. Ele tentou argumentar que “a penalidade aplicada é injusta, pois o nascimento do seu filho ocorreu antes do seu ingresso nos quadros da Aeronáutica”.

JFRN

Bandidos roubam carro e atiram em tenente da Aeronáutica

O tenente da Aeronáutica Breno Marques da Silva foi alvo de bandidos, na manhã desta quinta-feira (19). O oficial foi alvejado por dois disparos de arma de fogo e teve que ser levado para o Hospital Walfredo Gurgel. A caminhonete em que ele estava foi roubada pelos criminosos, no bairro de Nova Parnamirim.

O tenente Crisanto, oficial de dia do 3º Batalhão da Polícia Militar, informou que a ocorrência foi registrada por volta das 9h. O oficial da Aeronáutica estava com seu veículo nas imediações da avenida Abel Cabral com avenida Ayrton Senna. Ele estaria entrando em seu veículo, quando foi abordado por dois homens.

Os acusados estariam em uma motocicleta e renderam o tenente Breno Marques, obrigando que ele entregasse as chaves do carro, uma caminhonete Pajero, de cor preta e placas MXM-2412. Os bandidos, de acordo com informações preliminares colhidas pela Polícia Militar, apontaram uma arma para o oficial e mandaram que ele se afastasse.

No entanto, os policiais ainda não descobriram se o tenente da Aeronáutica reagiu ao assalto ou se os criminosos atiraram para matá-lo mesmo. O que se sabe é que o militar foi alvejado duas vezes, sendo um tiro nas nádegas e outro no braço. Logo em seguida, um dos assaltantes entrou na caminhonete Pajero e fugiu com destino ignorado, assim como o comparsa que estaria em uma motocicleta.

Após o roubo e tentativa de homicídio, populares acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que foi até o local e prestou socorro ao tenente Breno Marques. Ele foi levado para o pronto socorro do Hospital Walfredo Gurgel. A assessoria de imprensa da unidade informou estava no Centro Cirúrgico passando por procedimentos para retirada dos projéteis. Qualquer informação sobre o paradeiro dos assaltantes ou da caminhonete roubada pode ser repassada para o Disque Denúncia da Secretaria Estadual de Segurança Pública, através do telefone 181. A identidade do denunciante é mantida no absoluto sigilo.

Fonte: Portal BO

Julgamento de sargento da Aeronáutica acusado de matar a esposa começa hoje

Terá início hoje, às 9 horas da manhã, o julgamento dos principais acusados de terem matado a dona de casa gaúcha Andreia Rosângela Rodrigues, em 2007. Andrei Bratkowski Thies, sargento da Aeronáutica e ex-marido da vítima, além dos seus pais, Mariana e Amilton Thies, sentarão no banco dos réus do Fórum Tabelião Otávio Gomes de Castro, em Parnamirim, e relatarão o que ocorreu há quase cinco anos, no dia 22 de agosto de 2007. Acusação e defesa apresentarão suas teses a pelo menos 12 jurados que, ao final do julgamento que poderá se estender pelos próximos dois dias, decidirão se os acusados são culpados ou inocentes.

Adriano AbreuPriscilla Rodrigues, irmã de Andreia Rodrigues: Ela vivia numa espécie de cárcere privado.

A magistrada Cínthia Cibele Diniz de Medeiros, irá presidir o juri. A promotora de Justiça, Ana Márcia Machado, afirmou que irá pedir a condenação dos três réus. O advogado de defesa da Família Thies, Álvaro Filgueira, disse que está ciente da condenação de Andrei, detido na Base Aérea de Natal. Entretanto, irá lutar pela absolvição de Amilton e Mariana, presos no Presídio Provisório Raimundo Nonato Fernandes e no Pavilhão Feminino do Complexo Penal Dr. João Chaves, respectivamente.

Em Natal desde a noite do domingo passado, a irmã de Andreia, Priscilla Rodrigues, afirmou que o desejo da família da vítima é de que o Ministério Público Estadual comprove que os acusados são, de fato, os assassinos da sua irmã e que a juíza imponha uma sentença justa. “Eu acredito que os três cometeram o assassinato e quero a pena máxima. O que a Justiça determinar, eu vou aceitar”, enfatizou. Questionada se estava preparada para encarar a família acusada de tirar a vida de Andreia e em seguida ter ocultado seu cadáver por mais de dois meses, Priscilla afirmou que não. “Não sei como irei reagir. Espero me conter”, disse.

Priscilla ressaltou que Andrei e seus pais são inteligentes o suficiente para terem arquitetado a morte e a ocultação do cadáver da vítima. “Ele (Andrei) chegou a alugar uma casa no nome da minha irmã, com os documentos da minha irmã e lá, ele ocultou o cadáver dela”, ressaltou. Indagada sobre uma das teses de defesa levantadas pelo advogado da família Thies, de que Andrei sofreu de uma mudança de humor que culminou com a morte de Andreia, ela se mostrou cética. “Não acredito nisso. Ele é são o suficiente. Quanto tempo ele enganou a Polícia? Quanto tempo ele enganou minha família?”, questionou Priscilla Rodrigues sobre as declarações dos Thies à época do crime.

De acordo com Priscilla, todo o imbróglio envolvendo Andreia Rodrigues e os pais de Andrei, começou quando eles ainda moravam no Rio Grande do Sul. Andreia, oriunda de família pobre, não seria a mulher ideal para o militar da Aeronáutica. A situação dela piorou quando ele decidiu trazê-la para Natal, no início de 2007. “A minha irmã sofria agressões por parte da mãe do Andrei”, relatou Priscilla. Ela disse que em uma das vezes em que Mariana agiu contra a então nora, cortou todas as suas roupas e a deixou dormindo dentro do veículo do filho, na garagem da casa na qual moravam em Natal.

Diante de tantas agressões, Andreia decidiu voltar para a casa da família, no sul do país. Ela, porém, estava grávida da  filha de Andrei, Andrielle, hoje com cinco anos de idade. Após insistência do ex-marido, Andreia decidiu retornar para Natal com a filha recém-nascida. Andrielle tinha três meses à época. Segundo  Priscilla Rodrigues, os seis meses em que estiveram casados foi de sofrimento para Andreia. “O tempo em que eles estiveram casados, foi de agressões e humilhações”, afirmou. Priscilla relatou que Andreia era vigiada pelos pais de Andrei e, numa tentativa de fugir para o Sul, o sargento da Aeronáutica teria escondido os documentos da primeira filha da vítima (de um relacionamento antes de Andrei), Andressa. O que impediria o trânsito dela com a criança.

Após inúmeras brigas, Andreia foi assassinada em agosto de 2007 numa ação conjunta de Andrei e de seus pais, conforme a acusação do caso. O corpo da mulher só foi encontrado em outubro do mesmo ano, após desencontradas informações a respeito do seu paradeiro. A expectativa é de que todas as dúvidas em relação ao assassinato da dona de casa, sejam esclarecidas à Justiça a partir de hoje.

Fonte: Tribuna do Norte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MARCELOHCROCHA disse:

    Que venham a ser culpados por esta justiça,pela do PAI também,nosso DEUS PAI….