ALERTA – SE RELAXAR, VOLTA COM FORÇA: Casos de arboviroses(dengue, chikungunya e zika) diminuem 62% em Natal; veja boletim epidemiológico

O Boletim Entomoepidemiológico das Arboviroses de Natal, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, através do Centro de Controle de Zoonoses, revela que os casos de arboviroses (dengue, chikungunya e zika) em Natal diminuíram mais que a metade em relação ao mesmo período de monitoramento do ano passado. Os dados são referentes ao boletim 19 de cada ano, que acumulou os dados da 1ª à 19ª semana do ano respectivo.

Segundo o documento, o período que compreende 30/12/2018 até 12/05/2019 notificou 4.864 casos para arboviroses, enquanto em 2020 (dados acumulados de 29/12/2019 até 09/05/2020) sinalizou apenas 1.828 casos para arboviroses, representando uma diminuição de 62,41%.

Separando por cada arbovirose, em 2019, a dengue contava com 3.899 casos confirmados, enquanto atualmente tem 1.501 – uma redução de 61,50%. Em relação à Chikungunya em 2019, tínhamos 928 casos enquanto o documento de 2020 aponta 308 confirmados – reduzindo 66,81%. Para Zika, o boletim apontava 37 casos em 2019, já em 2020 até este momento revela 19 casos confirmados – uma redução de 48,64%.

O o diretor do Centro de Zoonoses, Alessandre Medeiros, destaca que “essa foi uma situação atípica, porque pelos nossos estudos esperávamos aumento de casos. Talvez devido ao isolamento social, as pessoas não estejam procurando as unidades de saúde. Porém, mesmo com a redução, nosso trabalho de monitoramento dos casos e da situação entomoepidemiológica continua da mesma forma”.

Ele enfatiza ainda que traçaram estratégias de eliminação em possíveis focos em terrenos abandonados, casas abandonadas ou de posse de imobiliárias. “Alguns prédios já foram identificados com alta produção vetorial e a gente continua intensificando a visita em áreas como borracharias, oficinas mecânicas e cemitérios, priorizando as áreas com maior incidência de casos para retirada e eliminação dos prováveis criadouros e elevados índices de vetor”, finaliza o diretor do Centro de Zoonoses.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Breno disse:

    BG usando um pouquinho de lógica, é simples compreender a maneira safada como divulgam esse números, mesmo quem tiver as arboviroses não vai a um hospital, exceto quando muito grave, por medo, ou seja, temos sub-notificação, mas comemoram grosseiramente a "redução", mesmo sabendo que é só politicagem… e que se brincar até aumentou…. mas infelizmente nenhum orgão do nosso executivo municipal ou estadual tem mais nenhuma credibilidade…. a pesquisa é feita a maneira correta e divulgada parcialmente de acordo com os interesses…

    • Hein? Cuma? disse:

      Parabéns Breno, finalmente alguém com massa encefálica ativa… Visto que, esse espaço transformou-se em um antro de vegetais opinadores, que na ausência de conteúdo verdadeiro, cultural, intelectual e informativo, quando muito têm, é uma subserviência zumbi e uma ideologia falida!

    • Cara de jaca disse:

      Tem credibilidade sim . Sugiro ao amigo uma ida ao oftalmologista . Deixe de conversar besteira e miolo de bote e ainda botar babão para elogiar seu comentário descabido .

  2. Francisco Lima disse:

    Claro que diminuíram. Ninguém morre mais dessas doenças. Só se morre de vírus chinês.

  3. Henrique Sobral disse:

    Tinham que diminuir, o foco hoje é Civid19, é o que gera renda.

Casos de arboviroses, como chikungunya, dengue e zika diminuem 32,45% em Natal, Saúde alerta por “situação atípica” devido ao isolamento social e pede para população manter cuidados

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde, divulga a situação Entomoepidemiológico das arboviroses no município de Natal. Atualmente, foram notificados como prováveis 1.631 casos para arboviroses, sendo 296 casos para Chikungunya, 1.315 casos para Dengue e 20 casos para Zika. Observado o comportamento dessas arboviroses entre os casos notificados como prováveis, nota-se que na 15ª semana de 2020 houve uma queda de 32,45% no número de casos comparado ao mesmo período do ano de 2019.

“Essa foi uma situação atípica. Talvez devido ao isolamento social, as pessoas não estejam procurando as unidades de saúde. Vamos ver como se comportam os casos nos meses seguintes”, comenta Alessandre Medeiros , diretor do Centro de Zoonoses de Natal.

De acordo com dados do Boletim nº 15º, o Distrito Sanitário Norte I foram notificados 99 casos de Chikungunya, 189 casos de Dengue e 9 casos notificados de Zika. O Distrito Norte II, foram notificados 62 casos de Chikungunya, 15 de Dengue e 4 casos de Zika. O Distrito Sul com 39 casos notificados de Chikungunya, 426 casos de Dengue e 4 de Zika. O Distrito oeste foram notificados 43 casos de Chikungunya, 380 casos de Dengue e 2 caso de Zika. Já o Distrito leste foram notificados 53 casos de Chikungunya, 158 casos de Dengue e 1 casos de Zika.

Destaca-se que os bairros com maior número de Chikungunya, foi o de Lagoa Azul com 46 casos e Pajuçara com 43. Para Dengue, foi o bairro do Planalto com 160 casos notificados e Felipe Camarão com 141 casos. Já para Zika, foram os bairros de Lagoa Azul 5 e Pajuçara 4.

A SMS solicita para a população manter os cuidados para evitar a proliferação das arboviroses, tendo os cuidados como, limpar o quintal, jogando fora o que não é utilizado; tirar água dos pratos de plantas; colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;tampar tonéis, depósito s de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água;entre outros cuidados.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. FRANCISCO LIMA disse:

    Essa é de lascar. "Talvez devido ao isolamento social, as pessoas não estejam procurando as unidades de saúde." Ora, se a pessoa quando pega dengue se lasca todinha. Por qual motivo não procuraria um posto de saúde? Ah! Conta outra outra, seu diretor. Ou será que quando uma pessoa pega dengue estão notificando como coronavírus?

    • Francisco Alves disse:

      Você tem alguma dúvida xará? Pessoas morrendo de enfarte eles estão computando avalie com dengue, zica, chikungunya e gripe normal que os sintomas se assemelham ao coronavírus! São todos computados como suspeitos compadre.

NÃO ESQUEÇAM DO MOSQUITO: Natal registra 1.285 casos de dengue e 278 de chikungunya no 1º trimestre de 2020

De acordo com o último boletim Entomoepidemiológico das Arboviroses disponibilizado pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS – Natal), através do Centro de Controle de Zoonoses, Natal registrou 1.580 casos de arboviroses no primeiro trimestre de 2020.

Os números relacionados à dengue somam 1.285 notificações, o que corresponde a 280 casos a mais do que os registrados no mesmo período ano passado Além da dengue, outras arboviroses apresentam números crescentes na capital, como a Chikungunya, que contabilizou 278 casos, e a Zika, com 17 casos confirmados.

Os bairros do Planalto, Felipe Camarão e Lagoa Azul são áreas com maior incidência desses casos. “Definimos que vamos manter os trabalhos em áreas de alto risco. E o serviço do UBV (carro fumacê), seja na forma portátil ou pesada, vai ser utilizado nessas áreas”, diz Alessandre Medeiros Tavares, coordenador do Centro de Controle de Zoonoses de Natal.

Nesse período de pandemia, o CCZ- Natal ressalta que apenas os serviços de visitas domiciliares realizados pela equipes serão suspensas. “Vamos fazer apenas o tratamento da parte externa das residências, e vamos estar realizando também a contagem dos imóveis e atualizando o nosso reconhecimento geográfico”. O CCZ-Natal pede que a população ajude no combate ao mosquito mantendo os ambientes limpos e evitando o acúmulo de água parada.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    E os RATOS nas PRAIAS. Infestação TOTAL. Ninguém FALA, NINGUÉM VIU.

  2. Djalmir disse:

    Não tem como esquecer, é para acrescentar o Coronavirus a esses todos.

  3. BRASILACIMADETUDO disse:

    Que isso? Não exitem mais doenças e essas outras mazelas aqui no Brasil não. Só existe Corona virus e todo mundo hoje só morre disso..

Sesap registra 8.632 casos de dengue e 5.276 de Chikungunya confirmados neste ano; veja boletim das arboviroses

Sesap divulga novos números das arboviroses. Foto: Pixabay/Divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige), divulgou nesta terça-feira (22), o novo boletim das arboviroses no RN, referente ao período da semana epidemiológica 01 a 40, encerrada em 05 de outubro de 2019, foram notificados 35.135 casos suspeitos de dengue, sendo confirmados 8.632 casos, o que representa uma incidência de 1.009.91 casos por 100.000 habitantes.

Em 2018, considerando o mesmo período, foram 27.698 casos notificados e 11.920 confirmados, gerando uma incidência de 796.146 casos por 100.000 habitantes.

Chikungunya

Quanto à Chikungunya, da semana epidemiológica 01 a 40 de 2019, foram notificados no estado 13.355 casos suspeitos, sendo confirmados 5.276, representando uma incidência de 383,87 casos por 100.000 habitantes. Em 2018, no mesmo período, foram notificados 3.294 casos, com 1.216 confirmações, o que significa uma incidência de 94,68 casos por 100.000 habitantes.

Zika Vírus

Com relação ao Zika vírus, da semana epidemiológica 01 a 40 de 2019, foram notificados 1.088 casos prováveis, o que corresponde a uma incidência de 31,27 casos por 100.000 habitantes. No mesmo período de 2018, foram 478 notificações, gerando uma incidência de 13,74 casos por 100.000 habitantes. Em 2019, nenhum caso foi confirmado e em 2018, no mesmo período, houve 57 confirmações.

A Sesap orienta a realização das ações de prevenção e educação em saúde executadas pelos municípios, bem como orienta e supervisiona o trabalho realizado pelos agentes de endemias para controle do vetor, o mosquito Aedes aegypti. Além disso, são realizadas as operações de aplicação do inseticida por meio dos carros fumacê, que devem ocorrer apenas quando houver necessidade do controle de surtos e epidemias por arboviroses.

A subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, destaca que municípios e a população têm um papel essencial na prevenção dessas doenças. “É necessário que todos tomem as medidas de prevenção à proliferação do mosquito: receber o agente de combate às endemias em suas residências, eliminar água de vasos de flores, tampar tonéis e tanques, não deixar água acumulada, lavar semanalmente depósitos de água, manter caixas de água e tanques devidamente fechados e colocar o lixo em sacos plásticos, mantendo a lixeira fechada, entre outras”.

Boletim das arboviroses: casos confirmados de dengue no RN neste ano somam 7.348 e chikungunya 4.637

Sesap divulga novo boletim das arboviroses. Foto: Ilustrativa

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige), divulgou nesta sexta-feira (20), o novo boletim das arboviroses no RN, referente ao período da semana epidemiológica 01 a 36, encerrada em 7 de setembro de 2019, foram notificados 31.664 casos suspeitos de dengue, sendo confirmados 7.348 casos, o que representa uma incidência de 910,14 casos por 100.000 habitantes.

Em 2018, considerando o mesmo período, foram 26.464 casos notificados e 11.542 confirmados, gerando uma incidência de 760,68 casos por 100.000 habitantes.

Chikungunya

Quanto à Chikungunya, da semana epidemiológica 01 a 36 de 2019, foram notificados no estado 11.492 casos suspeitos, sendo confirmados 4.637, representando uma incidência de 336,99 casos por 100.000 habitantes. Em 2018, no mesmo período, foram notificados 3.129 casos, com 1.146 confirmações, o que significa uma incidência de 89,94 casos por 100.000 habitantes.

Zika Vírus

Com relação ao Zika vírus, da semana epidemiológica 01 a 36 de 2019, foram notificados 1.088 casos prováveis, o que corresponde a uma incidência de 31,27 casos por 100.000 habitantes. No mesmo período de 2018, foram 448 notificações, gerando uma incidência de 12,88 casos por 100.000 habitantes. Em 2019, nenhum caso foi confirmado e em 2018, no mesmo período, houve 56 confirmações.

A Sesap orienta a realização das ações de prevenção e educação em saúde executadas pelos municípios, bem como orienta e supervisiona o trabalho realizado pelos agentes de endemias para controle do vetor, o mosquito Aedes aegypti. Além disso, são realizadas as operações de aplicação do inseticida por meio dos carros fumacê, que devem ocorrer apenas quando houver necessidade do controle de surtos e epidemias por arboviroses.

Novos números das arboviroses relatam 4.195 casos confirmados de dengue e 1689 de Chikungunya no RN neste ano

Foto: Ilustrativa

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige), divulgou nesta quarta-feira (07), o novo boletim das arboviroses no RN, referente ao período da semana epidemiológica 01 a 29, encerrada em 20 de julho de 2019, foram notificados 23.091 casos suspeitos de dengue, sendo confirmados 4.195 casos, o que representa uma incidência de 663,72 casos por 100.000 habitantes.

Em 2018, considerando o mesmo período, foram 22.225 casos notificados e 9.946 confirmados, gerando uma incidência de 638,83 casos por 100.000 habitantes. Quanto à classificação, em 2019, do total de 4.195 confirmações, 3.997 casos foram classificados como dengue, 181 como dengue com sinais de alarme e 17 como dengue grave.

Chikungunya

Quanto à Chikungunya, da semana epidemiológica 01 a 29 de 2019, foram notificados no estado 6.061 casos suspeitos, sendo confirmados 1.689, representando uma incidência de 174,22 casos por 100.000 habitantes. Em 2018, no mesmo período, foram notificados 2.370 casos, com 808 confirmações, o que significa uma incidência de 68,12 casos por 100.000 habitantes.

Zika Vírus

Com relação ao Zika vírus, da semana epidemiológica 01 a 29 de 2019, foram notificados 627 casos prováveis, o que corresponde a uma incidência de 18,02 casos por 100.000 habitantes. No mesmo período de 2018, foram 375 notificações, gerando uma incidência de 10,78 casos por 100.000 habitantes. Em 2019, nenhum caso foi confirmado e em 2018, no mesmo período, houve 49 confirmações.

A Sesap realiza ações de prevenção e educação em saúde, bem como orienta e supervisiona o trabalho realizado pelos agentes de endemias nos municípios para controle do vetor, o mosquito Aedes aegypti. Além disso, são realizadas as operações de aplicação do inseticida por meio dos carros fumacê, que devem ocorrer apenas quando houver necessidade do controle de surtos e epidemias por arboviroses.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcelo disse:

    Esses são números confiar.ados pelo Governo? Se fizessem testes em todos casos suspeitos, teríamos um número muito maior.

Exames de arboviroses em moradores do Tirol confirmam Chikungunya e Dengue

Foto: Ilustrativa

A Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige) da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) recebeu os laudos das amostras dos casos suspeitos de arboviroses, notificados em moradores do bairro Tirol, zona leste de Natal, no último mês de março, quando cerca de 80 pessoas apresentaram sintomas semelhantes.

Os exames haviam sido enviados ao laboratório da Fiocruz, que concluiu que das 24 amostras viáveis analisadas, 23 apresentaram resultado positivo para Chikungunya e 1 para dengue.

Para a subcoordenadora da Suvige, Alessandra Lucchesi, isso reforça a necessidade de intensificação das ações de prevenção à proliferação do mosquito Aedes aegypti. “é importante que a população tome as medidas preventivas, como: receber o agente de combate às endemias em suas residências, cobrir com areia os pratos dos vasos de flores, tampar tonéis e tanques, não deixar água acumulada, lavar semanalmente depósitos de água e colocar o lixo em sacos plásticos, mantendo a lixeira fechada”. A subcoordenadora ressalta que a maioria dos focos do mosquito é encontrada em casas habitadas.

Dados

De acordo com o mais recente boletim das arboviroses no RN, referente ao período da semana epidemiológica 01 a 22, encerrada em 01 de junho de 2019, foram notificados 12.519 casos suspeitos de dengue, sendo confirmados 2.091, o que representa uma incidência de 359,84 casos por 100.000 habitantes.

Em 2018, considerando o mesmo período, foram 15.423 casos notificados e 6.799 confirmados, gerando uma incidência de 443,32 casos por 100.000 habitantes.

Zika Vírus

Com relação ao Zika vírus, da semana epidemiológica 01 a 22 de 2019 foram notificados 150 casos, o que corresponde a uma incidência de 4,31 casos por 100.000 habitantes. No mesmo período de 2018, foram 269 notificações, gerando uma incidência de 7,73 casos por 100.000 habitantes. Em 2019, nenhum caso foi confirmado e em 2018, no mesmo período, houve 33 confirmações.

Chikungunya

Quanto à Chikungunya, em 2019 foram notificados no estado 2.159 casos suspeitos, sendo confirmados 604, representando uma incidência de 62,06 casos por 100.000 habitantes. Em 2018, no mesmo período, foram notificados 1.413 casos, com 383 confirmações, o que significa uma incidência de 40,61 casos por 100.000.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Morais disse:

    A cidade toda está com muitos casos de doenças causadas pelo arbovirus. Uma verdadeira epidemia e as autoridades num marasmo sem fim. Usa-se propaganda pra tanta coisa, mas cadê uma campanha publicitária que instrua a população, que possa chamá-la para a responsabilidade em relação às reservas de água, aos materiais que podem acumular líquidos, ao lixo que é deixado em terrenos públicos e particulares? Cadê o carro fumacê? Tomara que não gastem a fumaça apenas no Tirol e esqueçam das diversas periferias da cidade.

Arboviroses transmitidas pelo mosquito aedes aegypti continuam levando muitas pessoas às unidades de saúde no RN

As arboviroses transmitidas pelo mosquito aedes aegypti continuam levando muitas pessoas às unidades de saúde no Rio Grande do Norte. Até a Semana Epidemiológica 16, encerrada em 20 de abril, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) recebeu 5.457 notificações de pessoas atendidas nos hospitais com suspeita de dengue, e deste total, 1.330 casos foram confirmados. Em relação ao zika vírus, há 37 casos notificados como prováveis.

A chikungunya levou 664 pessoas a procurarem unidades de saúde no mesmo período, e 258 tiveram o diagnóstico confirmado para a doença. “Embora o número de casos notificados seja menor que o registrado em 2018 no mesmo período, os casos confirmados já ultrapassam o ano anterior”, explica a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi.

Ela destaca que municípios e a população têm um papel essencial na prevenção dessas doenças. “É necessário que todos tomem as medidas de prevenção à proliferação do mosquito: receber o agente de combate às endemias em suas residências, eliminar água de vasos de flores, tampar tonéis e tanques, não deixar água acumulada, lavar semanalmente depósitos de água, manter caixas de água e tanques devidamente fechados e colocar o lixo em sacos plásticos, mantendo a lixeira fechada, entre outras”.

É importante lembrar que o período chuvoso continua, e a alternância com os dias de sol e calor formam o ambiente ideal para a proliferação do aedes aegypti. Os ovos do mosquito, quando entram em contato com a água, dão origem a novos mosquitos, e os ambientes quente e úmidos são ideais para que as fêmeas depositem seus ovos. “Infelizmente essas condições ideais estão presentes em nosso estado nessa época do ano, por isso o cuidado de evitar acúmulo de água deve ser constante”, orienta.