Comitê da Sesap lança nova recomendação para enfrentamento da pandemia, e chama a atenção para a 6ª Região, em Pau dos Ferros

O comitê consultivo de especialistas da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) para o enfrentamento da pandemia pela Covid-19 emitiu esta semana uma nova recomendação (Nº20/2020). O documento apresenta as tendências observadas no Rio Grande do Norte e as estratégias a serem seguidas pelos municípios e pelo Estado no combate à doença.

A análise feita aponta que a epidemia no RN possui dinâmicas diferentes entre as regiões de saúde. Até 26 de outubro, por exemplo, a Variação Percentual Diária (VPD) do número de casos confirmados de Covid-19 aponta crescimento de 2% ao dia.

O documento destaca que se a tendência de queda de casos que ocorreu ao longo do mês de agosto tivesse permanecido, teríamos hoje um número bem menor de casos diários, provavelmente algo em torno de 40 casos e não os 263 registrados em 26 de outubro.

A 6ª Região, com sede em Pau dos Ferros, é a que mais chama atenção, já que os dados observados mostram que ainda não houve um pico da doença e os casos são crescentes desde meados de julho.

Indicador composto

O indicador composto para monitoramento da pandemia pela covid-19 no RN foi criado para se ter uma visão global da epidemia nos municípios. Ele é composto por nove variáveis, relativas à assistência (ocupação de leitos), à situação epidemiológica (tendência de casos e óbitos e taxas populacionais) e à testagem.

A partir da combinação destas variáveis e do estabelecimento de limites aceitáveis, os municípios são classificados nos escores 1 e 2 (verde), 3 e 4 (amarelo) e 5 (vermelho). Até 09 de novembro grande parte dos municípios se encontra nos escores 1 e 2, entretanto ainda existem 14% dos municípios (que representam 15% da população) que estão na categoria 3 (amarela), portanto com indicadores que merecem atenção por parte dos gestores.

O comitê alerta que a cessação do processo de queda e o aumento no número de casos indicam que a epidemia ainda não está sob controle. “A tendência de aumento observada em outubro, embora pequena, deve ser monitorada cotidianamente, no sentido de verificar se irá atingir níveis que possam impactar na rede assistencial”, sugerem os especialistas.

Recomendações

Foram listadas 11 recomendações ao estados e municípios, entre elas: o fortalecimento das ações de prevenção e monitoramento; ações de comunicação para melhorar o acesso à informação e sensibilização da população; qualificação das ações educativas – principalmente nos municípios litorâneos e nas divisas com os estados da Paraíba e Ceará; rastreio de casos suspeitos nos voos e aeroporto, entre outras medidas.

Há ainda uma importante recomendação sobre o uso de termômetros infravermelhos. Apesar dos informes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e de outros órgãos, os estabelecimentos comerciais adotaram como padrão a medição no pulso e não mais na testa, contrariando as normas dos fabricantes e levando a medição errada da temperatura, podendo, inclusive, não detectar aumento de temperatura em paciente febril, apresentando risco sanitário.

O COREN-MS, no parecer técnico 05/2020, de 20 de agosto de 2020, informa que “o termômetro digital infravermelho sem contato está programado para aferição de temperatura na região têmporo-frontal (testa), não sendo possível avaliar outro local do corpo humano”. O comitê sugere a atuação da Vigilância Sanitária junto aos estabelecimentos comerciais orientando a utilização do termômetro digital.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Edison Cunha disse:

    Essa turma do Comitê, tá mais perdida que cego em tiroteio.

‘Pior voto é o branco ou nulo’, afirma Bolsonaro

Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro convocou nesta quinta-feira (29), durante sua live semanal, o povo brasileiro a comparecer às urnas no próximo dia 15 para escolher seus prefeitos e vereadores. “O pior voto que você pode dar é votar em branco ou anular o voto”, afirmou.

Na avaliação do presidente, os eleitores que deixam de indicar suas preferências nas urnas ajudam a eleger “pessoas que poderiam ser pior do que aquela que pode ser escolhida”.

Ele disse não ter como apoiar campanhas pelo Brasil. “Minha participação é muito discreta”, disse ele antes de indicar alguns nomes que ele avalia como “os melhores” para alguns municípios.

Com R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lula encantador de otário disse:

    Cumpanheiru fiquem calmos, deixa o homi trabaia, Eu num passei 8 anos lá mamando pra nós, agora é eles, depois eu volto, vcs me colocam lá denovo… Prometo que aumento o Bolsa Família pra vocês quando Eu voltar!

  2. Calígula disse:

    A esquerdalha pira com o Véio.
    Mito 2022

  3. Oswaldo disse:

    Pior voto é nós políticos da Terra Brasilis!

  4. Minion alienado disse:

    Falou a verdade, por isso foi eleito. Muito voto branco ou nulo deu nisso.

  5. Mendes disse:

    Pior voto, foi o VOTO dado ao BOZO .

  6. Carlos disse:

    Quando só tem ladrão a gente faz o quê? Para ninguém ficar com raiva, na verdade pouco me importa. Digamos que 98% são ladrões safados, como vou saber quem está nesses dois porcentos de pretendentes a saqueadores do dinheiro público? Imagino e concordo com o que vocês estão pensando agora. Por isso que eu prefiro falar na totalidade. Ou seja, tudo ladrão.

Aumento de casos de covid na Europa e região Norte do Brasil mantém sinal de alerta no RN, diz secretário de saúde, Cipriano Maia

Foto: Reprodução

“Estamos acompanhando esta segunda onda na Europa e o crescimento de casos na região Norte do Brasil, principalmente Amapá e Amazonas, o que chama atenção para manutenção do estado de alerta aqui no RN. É preciso reforçar a vigilância, o rastreamento de contatos para diagnóstico precoce, acelerar as testagens e continuar com as medidas de distanciamento e higiene”, disse o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (28).

De acordo com o gestor, o descumprimento das medidas de segurança pode ser um dos fatores que contribuem nesses locais para a aceleração da transmissão e do número de casos. “A retomada das atividades sociais pode ser mantida, mas seguindo as normas de segurança e as medidas de proteção, até que tenhamos uma vacinação ou desenvolvimento da imunidade coletiva”, completou Maia.

De acordo com os dados epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), nesta quarta-feira, são 80.671 casos confirmados para Covid-19, além de 32.453 suspeitos e 189.712 descartados. Até o momento, foram confirmados 2.569 óbitos, sendo um óbito nas últimas 24h e um total de 360 óbitos em investigação e 650 óbitos descartados.

A taxa de ocupação de leitos está em 36%. Até o final da manhã desta quarta, 207 pessoas estavam internadas em leitos críticos e clínicos em unidades de saúde públicas e privadas do estado. Por região de saúde, a ocupação de leitos está em 29% na região Metropolitana, 50% no Oeste, 88% no Alto Oeste, 23% na região do Seridó, Trairi/Potengi com 50% e as regiões Agreste e Mato Grande estão sem pacientes internados em leitos de UTI.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LEO disse:

    Fechar hospital é com ele mesmo,Dr Cadeado !!!!…..rssssssssssss

  2. Luciano disse:

    Cortou o cabelo, tá parecendo gente sqn

  3. Simplício disse:

    PRECISAMOS ENTENDER O COVID NO BRASIL:
    – Folga no carnaval;
    – Folga no período eleitoral;
    – Ignora pedintes e mendigos;
    – Vai estar em todas as salas de aula;
    – Vai atacar todo trabalhador;
    – Não ataca em transporte público;
    – Ataca todo e qualquer ser que se atreva a produzir;
    Sem que possamos esquecer: "até final de maio no RN, segundo a SESAP, serão 11.000 mortos".

  4. Santanense disse:

    Esse mico leão dourado sabe nada!!!!

  5. Chicó disse:

    O Covid-19 é civilizado ! Ele está aguardando o fim das eleições para voltar a agir !

    • Cunhaú disse:

      Chicó disse tudo!

    • Vergonha disse:

      Só ataca escola pública (FATAO
      GD foi do sindicato ) e o judiciário Potiguar, o restante circula LIVRE , shopping, praias , teatro etc ….mas escola pública e judiciário , eles só atacam esses lugares 🤮

Google cria alerta para avisar se sua conta está em perigo

Novo alerta protege conta do Google de vazamentos e ataques hacker — Foto: Divulgação/Google

Google lançou na última semana um novo alerta mais chamativo para avisar quando há atividades que afetem a segurança e privacidade em aplicativos e contas Google. A notificação surgirá dentro dos apps da empresa quando for identificado um problema grave de segurança que possa acarretar a perda do acesso à conta. Além da notificação, o Google irá sugerir soluções imediatas para a reverter a situação.

O objetivo da novidade é agilizar a resposta do usuário ao problema, já que a notificação surgirá automaticamente e não será preciso ir até o e-mail ou central de alertas do celular para conferir o aviso. Além disso, os novos alertas são protegidos contra spoofing, recurso muito utilizado no Brasil em golpes do WhatsApp, em que criminosos fingem ser conhecidos para ter acesso a informações privadas. Ou seja, será mais difícil enganar o usuário, já que as notificações serão sempre enviadas pelo Google.

O alerta surge em vermelho e pisca várias vezes no ícone de perfil, algo bastante chamativo para os usuários. Ao tocar sobre o ícone, a notificação é aberta com o aviso “Alerta crítico de segurança”, além do botão de “Checar atividade” para conferir o local e dispositivo em que aconteceu a tentativa de login suspeita. Assim, será possível contornar a situação e resolver o problema mais imediatamente.

A criação da nova tecnologia surgiu da percepção da empresa para o aumento do número de usuários que reagem às potenciais invasões. Desde 2015, quando o Google começou a usar os alertas nos celulares Android, o número de pessoas que resolvem os problemas ficou 20 vezes maior, comparado aos alertas enviados por e-mail. Com o lançamento da nova notificação mais chamatida, a expectativa é que os números aumentem ainda mais.

O Google conta com uma política de privacidade e tecnologias para proteger as contas. Por exemplo, a Navegação Segura já protege mais de 4 bilhões de aparelhos e, no Gmail, são bloqueadas mais de 100 milhões de tentativas de phishing todos os dias. Ainda este ano, a empresa divulgou também que as novas contas irão contar com serviço de apagamento automático de dados a cada 18 meses e o usuário pode, ainda, modificar como preferir e diminuir este tempo para 3 meses, por exemplo.

Techtudo, via Google, Slashgear e Engadget

Polícia Civil do RN alerta a população sobre golpe do leilão virtual que teve como vítima advogado em Natal

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte alerta a população potiguar sobre golpe do leilão virtual que está sendo aplicado por meio do site: “leilaooficialriograndedonorte.org”, que possui domínio estrangeiro, encontrado inclusive por meio de plataforma de busca. O desfalque já está ganhando visibilidade da população, pois vem ocorrendo em vários estados brasileiros e em outros países do mundo.

Em um dos casos que chegou ao conhecimento da Polícia Civil do RN, um advogado de 38 anos, residente em Natal, teria arrematado um veículo, em um falso leilão, e transferido o valor para uma conta corrente relacionada a uma agência bancária no Estado de São Paulo. O golpe foi praticado no dia 08 de setembro deste ano. Logo após o crime, o homem procurou a Polícia Civil, que verificou se tratar de um site falso.

De acordo com as investigações, durante o leilão, a vítima garantiu o termo de arrematação de um veículo modelo Hilux SW4 2019, pagando o valor de R$ 112 mil (cento e doze mil reais), inclusive, com valor abaixo de mercado. Como a conta utilizada no golpe não foi aberta no RN, a atribuição do caso foi transferida para o Estado de São Paulo. A Polícia Civil do RN será responsável somente pelo Boletim de Ocorrência (BO) e pelas oitivas, após, os dados serão encaminhados.

Segundo o delegado Marcuse Cabral, titular da Delegacia Especializada em Falsificações e Defraudações (DEFD), é importante alertar a população sobre a prática do golpe porque, mesmo com a identificação do(s) autor(es), existe uma dificuldade em reaver o dinheiro transferido, que geralmente consiste em quantias de elevado valor, gerando considerável prejuízo às vítimas. “Até o momento, chegaram ao conhecimento desta Especializada 10 casos registrados, sendo que oito deles já contam com documentação remetida ao local onde os crimes serão apurados.”

Em caso de a pessoa ser vítima do golpe ou identificar que se trata de um site fraudulento, deverá denunciar nos mecanismos de busca e é recomendável que se faça um boletim de ocorrência para conhecimento da Polícia Civil, sendo possível ser realizado o registro por meio da Delegacia Virtual, no site da instituição: www.policiacivil.rn.gov.br.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jr disse:

    Cuidado é golpe

  2. Ade disse:

    E a polícia entra no site só isso

  3. Vergonha disse:

    É o famoso OLHO GRANDE,caiu pela usura, querendo levar vantagem .

Estudo da UFRN alerta para mudanças drásticas no oceano Atlântico em 2050; ameaça aos parrachos no RN, piscinas naturais em PE e até o Caribe, na América Central

Foto: Sergio Floeter

Nos próximos 30 anos, a distribuição e a alimentação dos peixes herbívoros vai passar por mudanças drásticas no oceano Atlântico. Por conta do aquecimento das águas oceânicas, tende a diminuir a densidade de peixes se alimentando na região tropical, migrando para outras áreas com temperaturas mais amenas, modificando o ecossistema marinho e trazendo impactos também para atividades como pesca e turismo, inclusive no litoral brasileiro.

Tal previsão é feita por cientistas do Programa de Pós-Graduação em Ecologia (PPGECO) e do Departamento de Oceanografia e Limnologia (DOL) da UFRN em artigo intitulado Interações tróficas se expandirão geograficamente, mas serão menos intensas em um oceano mais quente, publicado nesta terça-feira, 6, no periódico científico Global Change Biology.

Ao se alimentarem, os peixes herbívoros controlam a quantidade de algas e outros organismos nos recifes, mantendo o ambiente equilibrado. O estudo, porém, alerta que esse equilíbrio está em acelerada ameaça. Com as águas mais quentes, as interações tróficas desses peixes, ou seja, a forma como se movimentam e a intensidade com a qual buscam comida, devem se modificar, podendo acontecer em outras regiões, diminuindo a diversidade desses ambientes.

Dessa forma, paisagens conhecidas pela exuberância, como os parrachos de Maracajaú, no Rio Grande do Norte, as piscinas naturais de Porto de Galinhas, em Pernambuco, e o Caribe, América Central, vão perder essa característica até 2050. Isso porque os recifes, antes habitados por corais, podem ser completamente tomados por algas, graças às mudanças de comportamento dos peixes.

“O aumento de temperatura pode levar os peixes a uma sobrecarga fisiológica em relação ao comportamento e à alimentação deles. Por exemplo, em um dia de calor, nós ficamos mais lentos e perdemos a fome, então seria algo semelhante com os peixes. Um ambiente mais quente pode fazer com que eles não apresentem um desempenho tão bom como têm atualmente”, explica a pesquisadora do Laboratório de Ecologia Marinha do DOL e autora principal do artigo, Kelly Inagaki.

Gráfico mostra efeitos do aquecimento dos oceanos – Imagem: Kelly Inagaki

E de quanto é essa elevação da temperatura nos oceanos? No litoral potiguar, por exemplo, a atual média anual é de 27º-28º, devendo ficar entre 28º-30º em 2050 e podendo passar dos 30º em 2100. A velocidade crescente dessa variação, somada às ondas de calor cada vez mais frequentes, oferece um desafio grandioso à habilidade de resistência da vida marinha.

“Este cenário é extremamente preocupante porque ultrapassa a tolerância máxima de diversas espécies marinhas. Diferente de um lagarto que se abriga na sombra quando está muito quente, corais e peixes tem muita dificuldade e, geralmente, não conseguem encontrar esses refúgios, por isso são extremamente vulneráveis ao aquecimento”, alerta o pesquisador do DOL, professor Guilherme Longo, autor correspondente do artigo

Para chegar às conclusões descritas no estudo, os pesquisadores fizeram mais de mil vídeos subaquáticos em recifes desde a Carolina do Norte, nos EUA, até Santa Catarina, no sul do Brasil. A partir dessas imagens, foram identificadas ocorrência, abundância e pressão de alimentação dos peixes sobre o recife. Então eles aplicaram modelos matemáticos para projetar como essas variáveis devem se comportar diante do aquecimento dos oceanos previstos para 2050 e 2100.

Com uma abrangência geográfica que inclui os dois hemisférios do oceano Atlântico, o estudo pode ser considerado pioneiro ao obter uma amostragem de campo dessa magnitude. Segundo Guilherme longo, foi isso que possibilitou a abordagem sobre as interações ecológicas com tamanha base dados, possivelmente uma das maiores já registradas.

“Até o momento, não conhecemos nenhum trabalho projetando respostas de interações ecológicas às mudanças climáticas em uma escala espacial tão ampla. A previsão de mudanças tão drásticas em interações ecológicas importantes, podendo levar ao surgimento de recifes com cobertura muito diferentes do que conhecemos hoje, é alarmante”, afirma o pesquisador.

Pesca e turismo

Não bastasse o impacto ambiental, tais mudanças têm potencial para afetar o turismo e a pesca na região. Os recifes oferecem refúgio e alimento para grande parte do pescado que consumimos, a exemplo do sirigado, da cioba e de polvos e lagostas. Além disso, os passeios subaquáticos como atividade econômica importante que são para o Rio Grande do Norte dependem de um ambiente saudável e com beleza cênica.

“Uma das potenciais consequências da perda de interações é tornar os recifes homogêneos, ou seja dominados por poucos organismos, com menos peixes e pouco diverso. Mergulhadores buscam por ambientes saudáveis e diversificados. Por isso essas mudanças na paisagem subaquática podem ser tão preocupantes para a pesca e o turismo”, detalha o pesquisador.

Nas palavras de Guilherme Longo, “o cenário é complexo e a situação alarmante, mas não dá para jogar a toalha”. Nesse sentido, o pesquisador explica que, além de avaliar cuidadosamente projetos e condutas ambientais dos representantes da população nas esferas municipal, estadual e federal, é extremamente importante diminuir a emissão de gases de efeito estufa, como gás carbônico e metano.

“Precisamos rever nossos padrões de consumo, reduzindo o uso excessivo de veículos e o consumo de carne bovina, além de reduzirmos outros impactos locais sobre os recifes como poluição, pesca e uso desordenado. Reduzindo essas ameaças locais, aumentamos as chances de resistência e recuperação da vida marinha aos impactos globais”, ressalta o professor Guilherme.

Seguindo a mesma linha, Kelly Inagaki afirma que é possível desacelerar esse processo controlando melhor o uso dos recursos naturais e tendo mais atenção a hábitos individuais do cotidiano. “Aquilo que nós colocamos dentro de casa e sai pelo ralo de alguma forma vai chegar ao mar, ou seja, temos de pensar isso como um ciclo no qual tudo está interligado”, conclui a pesquisadora.

Também assinam o artigo os pesquisadores Maria Pennino, do Instituto Oceanográfico Espanhol (Espanha), Mark Hay, do Georgia Institute of Technology (Estados Unidos), e Sergio Floeter, da Universidade Federal de Santa Catarina. Interessados em ler o artigo na íntegra podem solicitar o arquivo aos pesquisadores pelo e-mail [email protected]

UFRN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. leonardo disse:

    Se acertarem igual os estudos que pintavam o apocalipse por causa da covid… o atlântico vai continuar como está!

Casos de sífilis no RN estão subnotificados devido à baixa testagem no período da pandemia, alerta Sesap

Foto: Ilustrativa/Reprodução/Rede Amazônica

A situação epidemiológica da sífilis no Rio Grande do Norte preocupa os gestores da Saúde. A oferta de testes rápidos, nos serviços de saúde, teve considerável redução em todas as regiões de saúde do estado desde o início da pandemia do novo coronavírus.

“Este fato é preocupante uma vez que a sífilis é considerada uma epidemia em virtude do número de casos elevados e o não diagnóstico e tratamento oportunos implicam em riscos à saúde além de promover a manutenção da cadeia de transmissão da doença. Considerada uma infecção bacteriana sistêmica, crônica, curável, a sífilis é exclusiva do ser humano”, explica Juliana Soares, responsável técnica pelo Programa Estadual de IST, AIDS e Hepatites Virais.

Ela ressalta como fator que chama a atenção, a existência de municípios silenciosos, ou seja, os que não notificaram casos de sífilis durante os oito primeiros meses de 2020, mas que a ocorrência da doença é sabidamente conhecida e tem alta prevalência nos territórios.

Para ter um panorama da situação atual da doença, o Programa Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais realizou a análise epidemiológica dos casos confirmados de Sífilis Adquirida, Sífilis na Gestação e Sífilis Congênita no RN e os dados preliminares registram que de janeiro a abril de 2020 foram notificados 505 casos de sífilis adquirida, 589 casos de sífilis em gestantes e 307 recém nascidos, que adquiriram a sífilis congênita por meio da transmissão vertical (de mãe para o bebê).

A pandemia da Covid-19 trouxe alguns desafios para as políticas de saúde voltadas para a doença, que devem ser desenvolvidas pelos municípios, com apoio da Sesap. “A partir de março de 2020, foi percebida uma redução significativa na realização de testagem para sífilis nas gestantes e nas parcerias sexuais em todas as regiões de saúde do estado. Com o retorno gradual do funcionamento dos serviços de saúde, em julho, percebeu-se um discreto incremento na realização de testes rápidos em algumas regiões do estado. É importante frisar que a sífilis é uma epidemia e que as ações de enfrentamento a esta doença precisam ser permanentes”, ressalta Juliana Soares.

Ações

O Programa Estadual de IST, AIDS e Hepatites Virais tem fortalecido as estratégias de enfrentamento à sífilis no estado, com ações realizadas para o controle da doença, como levantamento dos municípios que ainda não descentralizaram a administração da penicilina para a Atenção Básica, para que estes serviços possam realizar o tratamento oportuno e adequado através de ações de educação permanente dos profissionais, e sensibilização dos gestores municipais da importância do diagnóstico e tratamento da sífilis na APS; pactuação do atendimento às parcerias sexuais nas maternidades para o diagnóstico e tratamento oportunos além de fortalecer a inclusão e participação das parcerias sexuais durante o pré-natal, parto e puerpério; elaboração de boletins epidemiológicos quadrimestrais, favorecendo o acompanhamento contínuo e sistemáticos dos indicadores epidemiológicos e operacionais; elaboração de notas técnicas; realização de visitas técnicas nas maternidades, dentre outras ações.

O estado conta, também, com a campanha nacional “Eu sei. Você sabe?”, promovida pelo Ministério da Saúde e executada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (UFRN/Funpec). A iniciativa, no RN, promove bate-papos através dos perfis “Sífilis Não” nas redes sociais administradas pela UFRN. O projeto tem como público a parcela mais jovem da população e busca, por meio das plataformas online, informar e promover debates sobre prevenção e cuidados com a infecção.

Transmissão, diagnóstico e tratamento

As principais vias de transmissão da sífilis são contato sexual sem preservativo e a transmissão vertical (da mãe para o bebê durante a gestação). O diagnóstico é feito principalmente pelos testes rápidos, considerados práticos e de fácil execução. “Eles têm a vantagem de serem realizados no momento da consulta, em geral, em 30 minutos sai o resultado e possibilita o tratamento imediato. Os testes rápidos são gratuitos e estão disponíveis nos serviços públicos de saúde”, explica Juliana Soares. A benzilpenicilina benzatina (penicilina) é o principal medicamento utilizado no tratamento.

Como não existe vacina contra a sífilis e a infecção não confere imunidade protetora, as pessoas podem ser reinfectadas, o que torna a prevenção ainda mais importante. “Essa doença ainda representa um problema de saúde pública de grande relevância, pois quando não tratada precocemente, pode evoluir para uma enfermidade crônica e comprometer vários órgãos do corpo, com sequelas irreversíveis em longo prazo”.

A maioria das pessoas com sífilis são assintomáticas; quando apresentam sinais e sintomas, muitas vezes não os percebem ou valorizam, e podem, sem saber, transmitir a infecção as suas parcerias sexuais. Quando não tratada, a sífilis pode evoluir para formas mais graves, comprometendo especialmente os sistemas nervoso e cardiovascular. Na gestação, a sífilis pode apresentar consequências severas como abortamento, parto prematuro e o óbito do bebê.

Sífilis congênita: sua eliminação é dever de todos

No caso das gestantes, a única forma de evitar que a doença seja transmitida para o bebê na barriga da mãe (transmissão vertical) é o tratamento durante a gestação. Porém, os dados da Sesap mostram que 49,8 % das gestantes diagnosticadas com sífilis foram diagnosticadas no 3° trimestre da gestação. Esse dado aponta um diagnóstico tardio da doença e possíveis chances de transmissão da sífilis para a criança. “A única forma de evitar que a sífilis seja transmitida da mãe para o bebê é realizar o diagnóstico oportuno e tratamento adequado durante o pré-natal. A ocorrência da transmissão vertical da sífilis revela que esta epidemia está muito longe de ser controlada nos territórios e isso impõe um grande desafio para os gestores e profissionais de saúde quanto à efetividade das ações que para o controle/eliminação da sífilis congênita”.

Em 2020, até agosto, foram registrados 589 casos de sífilis em gestantes e 307 recém-nascidos adquiriram a doença na barriga da mãe.

No período de 2011 a 2019, percebe-se que a taxa de incidência de sífilis congênita aumentou 2,6 vezes, passando de 5,2 para 13,9 casos por mil nascidos vivos; a taxa de detecção de sífilis em gestantes aumentou 5,5 vezes, passando de 3,9 para 21,6 casos por mil nascidos vivos.

Onda de calor faz Inmet emitir alerta para risco de morte em parte do Brasil

Foto: Reprodução/Inmet

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de “grande perigo” até a próxima sexta-feira (9). De acordo com o Instituto, há risco de morte por hipertermia em grande parte da região Centro-Oeste e no estado do Tocantins, no Norte do país.

Segundo o Inmet, as temperaturas registrarão 5ºC acima da média na região, por mais de 5 dias consecutivos. O aviso registra alerta para as seguintes áreas: Distrito Federal, Centro Sul Mato-Grossense, Nordeste Mato-Grossense, Norte Mato-Grossense, Sudeste Mato-Grossense, Sudoeste Mato-Grossense, Centro Goiano, Leste Goiano, Sul Goiano, Norte Goiano, Noroeste Goiano, Sudeste Tocantinense, Sul Tocantinense, Oeste Tocantinense.

O alerta foi emitido para que as pessoas tenham cuidados redobrados com a saúde nos próximos dias. Em caso de emergência, o Inmet recomenda que a população contate a Defesa Civil (telefone 199). Algumas recomendações devem ser seguidas no período. Entre elas, evitar a prática de atividades ao ar livre entre 10 horas e 17 horas, usar protetor solar e aumentar a ingestão de líquidos. Crianças e idosos precisam de atenção especial.

Calor no DF

No Distrito Federal há chances de chuva somente a partir do próximo sábado (10). No último domingo (4), foi registrado recorde de temperatura em 2020, de 36,7°C, e segundo o Inmet, há chances de o Distrito Federal atingir novas máximas nesta semana.

São Paulo

A Defesa Civil de São Paulo também emitiu um aviso para as fortes ondas de calor que se aproximam do estado. O Inmet alerta para perigos de incêndios florestais e risco de morte por hipertermia.

As temperaturas na região metropolitana de São Paulo, no litoral norte e algumas cidades do interior, como Sorocaba, Campinas, Itapeva, Franca e Serra da Mantiqueira, poderão variar entre 30° e 39°. Para esta terça (6), a previsão na Grande SP é chegar à máxima de 37°.

Outras cidades do interior, como Ribeirão Preto, Bauru, São José do Rio Preto, Araçatuba, Marília, Presidente Prudente, Araraquara e Barretos, poderão ultrapassar os 40°.

CNN Brasil

“Precisamos evitar aglomerações, usar corretamente a máscara e manter o distanciamento social”, enfatiza Secretário estadual de Saúde

Foto: Sandro Menezes/Asseco-RN

Em coletiva de imprensa desta quinta-feira (10), na Escola de Governo, o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, iniciou sua fala enfatizando que a pandemia continua: “Chamamos a atenção de toda a sociedade para a importância de manter a vigilância e o cuidado para a proteção da vida”. Segundo os dados epidemiológicos da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) o isolamento social está em 36% e a taxa de transmissibilidade é de 1. Três Regiões do Rio Grande do Norte apresentam a taxa acima de 1: Alto Oeste (1,09), Oeste (1,12) e Seridó (1,04).

Os casos confirmados somam 64.519, os suspeitos chegam a 28.371 e os descartados, 122.555. Em relação aos óbitos, já foram registrados 2.302 (4 nas últimas 24h, um no dia 07 e dois no dia 08); há 250 mortes em investigação. Ainda de acordo com os dados apresentados, a taxa de ocupação dos leitos de UTI na rede pública é de 49% com 248 pessoas internadas na rede pública e privada, em leitos críticos e clínicos, de saúde no Estado.

A ocupação de leitos está concentrada, por região, no Oeste (51%), Alto Oeste e Mossoró (50%), Metropolitana de Natal (48%), Mato Grande (33%) e Potengi-Trairi (18%). Na região Agreste Sul, todos os leitos covid estão disponíveis. “Tivemos um crescimento no número de leitos ocupados. Precisamos evitar aglomerações, usar corretamente a máscara e manter o distanciamento social. A atitude de cada pessoa contribui para salvar vidas e evitar mortes”, enfatizou o secretário.

Ainda de acordo com Cipriano, “há dialogo com os municípios sobre as ações de reforço a atenção básica de saúde para detectar novos casos bem no início para identificação e monitoramento os casos com ações de vigilância”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Vixe ! Esse negócio de cinco milhões ainda vai render muito, imagina que Robson Cabelinho desapareceu com o pagamento dos funcionarios e essa jovem governadora ainda não descobriu nada, imagine ela dizer alguma coisa que ela botou no mato.

  2. Théo disse:

    É mais com a volta às aulas presenciais das escolas particulares o número de Covid tende a aumentar ( tomara q eu esteja totalmente errado, mas no Amazonas e em São Paulo onde as aulas presenciais voltaram os números subiram assustadoramente. MAS A CULPA SERÁ DE ÁLVARO DIAS.

  3. José de Arimatéia disse:

    Precisamos mais ainda saber quando o estado vai reaver os cinco milhões desviados via Consórcio do Nordeste para a compra dos Respiradores.

Sesap registra queda no RN no número de doadores de órgãos; 338 pessoas aguardam por transplante de córneas e 200 por renal

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) alerta que no Rio Grande do Norte, 338 pessoas aguardam por transplante de córneas e 200 por um transplante renal.

Segundo a Sesap, no primeiro trimestre deste ano, o estado registrou uma queda significativa no número de doadores, em decorrência principalmente do aumento considerável da taxa de recusa familiar que era de 48%, em 2019, e subiu para 74%.

 

Instituto Nacional de Meteorologia emite alerta para baixa umidade em 37 cidades do RN nesta quinta-feira

Foto: Reprodução/Inmet

Trinta e sete municípios do Rio Grande do Norte estão sob alerta de perigo potencial de baixa umidade durante esta quinta-feira(10), de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Segundo o alerta do Inmet, o aviso vale até as 18h desta quinta-feira (10). O instituto recomenda aos moradores das cidades em alerta, que bebam bastante líquido, evitem exposição ao sol nas horas mais quentes do dia e desgaste físico nas horas mais secas.

Para mais informações, o Inmet disponibiliza o número da Defesa Civil (telefone 199) e do Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Confira cidades com alerta amarelo de perigo potencial de baixa umidade:

(mais…)

Parque Aristófanes Fernandes alerta que não possui máquinas pesadas em exposição

O agropecuarista e leiloeiro Eduardo Melo, que faz parte da Associação Norte-rio-grandense de Criadores (ANORC), informa que recebeu um alerta que pessoas desconhecidas estão negociando máquinas pesadas dizendo que elas se encontram no Parque Aristófanes Fernandes.

Segundo Eduardo Melo, estão mostrando até fotos de supostas máquinas que não estão em leilão no local nem de eventuais negociações de particulares.

Há informações de compradores que chegam ao parque para ver as máquinas que não existem no local.

Governo do RN alerta para manutenção do distanciamento social durante o feriadão: “evitar aglomerações e usar máscaras”

Foto: Sandro Menezes – ASSECOM/RN

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), alerta a população para os cuidados com a pandemia neste feriadão que se aproxima, com a data de 7 de setembro caindo na próxima segunda-feira. Com 35,2% de isolamento social o controle da pandemia ainda requer cuidados em todo o Rio Grande do Norte.

Durante a coletiva de imprensa na Escola de Governo, nesta sexta-feira (04), o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, fez um alerta: “Chamamos a atenção para a necessidade de manutenção das medidas de distanciamento social, evitar aglomerações e usar máscaras. O número de casos continua em declínio, mas temos que ter consciência com a cidadania e responsabilidade, de cada um fazer sua parte”.

Os dados desta sexta-feira revelam que a ocupação dos leitos críticos cadastrados no Regula RN está em 44%; há 96 pacientes internados em leitos críticos e outros 144 em leitos clínicos. Doze pacientes aguardavam transporte.

Os casos confirmados somam 63.289. Há 26.969 casos suspeitos, 120.807 descartados, os óbitos somam 2.281 (1 nas últimas 24 horas) e há 217 em investigação (aguardando resultado de exames laboratorial). Outros 495 casos foram descartados.

Por região, a taxa de ocupação de leitos é de 37% no Oeste, 100% no Mato Grande, 39% na Região Metropolitana de Natal, 60% no Seridó, 37% no Alto Oeste e 18% na região Potengi-Trairi.

“A situação está razoavelmente equilibrada. Contudo, os índices de transmissibilidade estão acima de 1 em três regiões do estado: Seridó (1,09), Alto Oeste (1,25) e Região Metropolitana (1,07). O Pacto Pela Vida será intensificado neste final de semana para que possamos manter essa progressão de casos, internações, internações e óbitos. Apelamos para que as pessoas evitem aglomerações para não surgir surtos regionais”, enfatizou o secretário de saúde.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pereira disse:

    Eita governo Covarde. Sem Atitude. Sem DETERMINAÇÃO e Principalmente sem Interesse em um ISOLAMENTO e Distânciamento Social RIGOROSO. Sem Falar no Desinteresse em uma FISCALIZAÇÃO RIGOROSA.

  2. José Macedo disse:

    Proíbem o povo de ir a praia mas irão abrir casa de show em ambiente fechado,
    Como disse o Júnior , andar no transporte público lotado com máscara de pano pode.
    Estas máscaras de pano protegem o que
    de vírus? o cara bota um lenço na cara e já está protegido?
    Estão de sacanagem.

  3. Júnior disse:

    E sério isso kkkkkkk nunca andaram de transporte público só pode!!!!

Instituto Nacional de Meteorologia emite alerta para baixa umidade em 60 cidades do RN

Foto: Reprodução/Inmet

Um aviso válido até 18h desta sexta-feira(04), do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet),alerta perigo potencial de baixa umidade para 60 municípios do Rio Grande do Norte. Para os moradores das cidades em alerta, o instituto recomenda que bebam bastante líquido, evitem exposição ao sol nas horas mais quentes do dia e desgaste físico nas horas mais secas.

Para mais informações, o Inmet disponibiliza o número da Defesa Civil (telefone 199) e do Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Confira cidades com alerta amarelo de perigo potencial de baixa umidade:

(mais…)

COVID-19: Sesap aponta 121 municípios em “risco” ou “zona de perigo”, e secretário alerta que “a pandemia não acabou”

O acompanhamento da pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Norte, feito pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), aponta que 121 municípios estão em “risco” ou “zona de perigo”. Ou seja, 72% das cidades potiguares estão com a R(t) acima de 1,03.

“As medidas de prevenção contra a Covid-19 não podem ser deixadas de lado. A pandemia não acabou, todos nós devemos continuar a utilizar a máscara, higienizar as mãos corretamente e manter o distanciamento físico. Essas medidas são essenciais no combate à doença”, reforçou o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia.

Os números, que são apurados pelo do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) pela plataforma Coronavírus RN, apresentam ainda uma taxa geral do estado de 1,05, sendo que três regiões continuam com a transmissibilidade acima de 1, são elas Mato Grande (1,04), Oeste (1,13) e Alto Oeste (1,29).

De acordo com os dados emitidos pela Sesap, os casos confirmados somam 62.430, são 26.338 casos suspeitos e 117.688 descartados. Em relação à ocorrência de óbitos decorrentes da Covid-19, já foram registrados 2.272 (3 nas últimas 24h), há 217 em investigação e outros 495 foram descartados.

“É preciso continuarmos atentos à incidência dos casos no Estado e para que curva não sofra alteração continuamos o trabalho conjunto e conclamamos a toda a população para que continue adotando as ações de proteção”, reforçou Cipriano Maia.

Nesta quarta-feira (2), taxa de ocupação dos leitos de UTI na rede pública é de 40,6%. Estão internadas nas redes privada e pública, entre casos suspeitos e confirmados, 247 pessoas, sendo 97 em leitos críticos e 150 em clínicos. Nas regiões do Agreste e Potengi/Trairi todos os leitos para tratamento da Covid-19 estão disponíveis. Na Região Metropolitana de Natal, a ocupação é de 49%, no Mato Grande de 100%, no Oeste é de 34%, no Alto Oeste é 90% e no Seridó, 60%. Dois pacientes aguardam regulação para leitos críticos e seis aguardam transporte para serem removidos a uma unidade de referência.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Batista disse:

    No Estado do Amazonas, vinte dias após o retorno as aulas, 342 professores já tinham sido infectados. Muita gente já considera que tudo está normal, porém a realidade é noutra.

  2. Edison Cunha disse:

    Há controvérsias!!!

  3. Edison Cunha disse:

    Há controvérsias!

  4. ricardo disse:

    natal não perigo pq tem distribuição de ivermectina, se o governo estadual preza pelas vidas do resto estado tem que distribuir também, mas não fará isso, infelizmente

  5. Paulo disse:

    Em determinado shopping, muita gente circulando sem manter distanciamento.
    Inclusive muitas sem máscaras porque estão comendo…
    Na minha opinião deveriam proibir restaurantes de servir comida no estabelecimento.
    E limitar o número de pessoas além da circulação de muita gente na hora da saída pelo mesmo local.
    Tipo 500 funcionários e clientes saindo ao mesmo tempo…

    • João disse:

      Só vão aprender qdo o número de mortos começar a subir novamente.

    • Tomas Turbando disse:

      Merece uma tapa no pé da orelha, esquerdista safado, feliz de ta recebendo em casa sem precisar trabalhar e torcendo que isso dure a vida inteira, todos os estudos atuais ja demonstraram que o "fique em casa" foi a maior estupidez e so uma besta quadrada como esse dois individuos para falar uma asneira dessas.

Fiocruz alerta para possível 2ª onda de covid-19 nos estados do RJ, MA e CE

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) alerta para uma possível segunda onda de Covid-19 nos estados do Rio de Janeiro, Ceará e Maranhão.

O prognóstico consta de um boletim divulgado nesta quinta-feira (30) pelo Infogripe, o sistema que monitora a ocorrência da síndrome respiratória aguda grave (SRAG) no país.

Nesses três estados, um pico de casos foi registrado na primeira quinzena de maio. Em junho, houve quedas seguidas, mas, no fim de julho, segundo as estimativas, a curva tornou a subir — ainda que em um patamar bem abaixo do de dois meses atrás.

Nesta quarta-feira (29), o secretário estadual de Saúde do RJ, Alex Bousquet, anunciou a intenção de fechar, até o dia 12, todos os hospitais de campanha sob gestão do estado. O argumento de Bousquet é “uma queda confiável” nos casos.

Uma decisão da Justiça impede a desmobilização, mas o estado anunciou um recurso.

“Nossa argumentação será técnica. Nós tivemos um pico nas duas primeiras semanas de maio e, de lá para cá, nós temos uma curva descendente que já se mostrou confiável”, argumentou Bousquet.

Brasil em um ‘platô’

Já a projeção para todo o Brasil, segundo o pesquisador e coordenador do Infogripe, Marcelo Gomes, “indica que não estamos numa situação tranquila”.

“Estamos com uma estimativa de que o número de novos casos semanais pode estar acima do primeiro pico, registrado em maio”, afirmou Gomes.

A curva do Brasil é diferente da do RJ. Em vez de um pico e uma subsequente queda — com sinal de retomada no crescimento —, há uma oscilação num platô, com tendência de aumento.

Como o Infogripe funciona

Nem toda SRAG é Covid-19, apesar dos sintomas em comum. Mas, nesta pandemia, explicou Gomes, a síndrome “está extremamente ligada” ao novo coronavírus.

A Fiocruz tabula os registros de SRAG em todo o país e faz projeções com base no comportamento da curva — compensando a desatualização dos dados.

Para a Fiocruz, é importante saber quando o paciente começou a sentir os sintomas.

“Mas existe um atraso muito grande na entrada das informações”, afirmou o pesquisador.

Essa demora, explica Gomes, dificulta análises mais precisas.

“Por isso que tem divergência. Se a gente olha só para os dados inseridos ontem, a nossa capacidade de fazer análise de situação atual será extremamente limitada. O dado só vai estar mais próximo do que de fato aconteceu daqui a várias semanas depois”, detalhou.

Gomes citou o exemplo da semana epidemiológica 17, equivalente ao dia 25 de abril.

Pelos dados digitados até 25 de abril, 951 pessoas começaram a ter SRAG naquela semana.

Na parcial de 9 de maio (semana 19), já eram 1.535 pacientes com SRAG na semana 17.

Em 23 de maio (semana 21), esse número subiu para 2.125.

E nos dados do dia 25 de julho (semana 30), o total de doentes era de 2.968.

Ou seja, o número de pacientes com SRAG segundo o boletim daquela semana era um terço do real — observado três meses depois.

Mas, na própria semana 17, o InfoGripe já estimava 2.302 casos.

“Esse mesmo modelo estatístico hoje está apontando que pode sim, estamos em uma fase de retomada do crescimento. Mesmo com margem de erro, ou estamos em estabilização ou retomada”, afirmou Gomes.

“Tivemos no RJ uma redução da ordem de 60%, uma queda sustentada, mas os dados mais recentes sugerem essa retomada. Começando a forma um ‘U’, um indício de segunda onda”, explicou.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Robson disse:

    Mostrando serviço