Clima

Instituto Nacional de Meteorologia emite alerta amarelo de baixa umidade para 71 cidades do RN

 Foto: Reprodução/Inmet

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta amarelo de baixa umidade, com grau de severidade “perigo potencial”, para 71 cidades do Rio Grande do Norte. O alerta começou às 12h é válido até 18h desta segunda-feira (14).

Segundo o órgão, a umidade relativa do ar deve variar entre 30% e 20%, que causa baixos riscos de incêndios florestais e riscos à saúde. Como precaução, o Inmet indica que se beba bastante líquidos, que se evite o desgaste físico e exposição nas horas mais secas e quentes do dia.

Em caso necessário de apoio, a recomendação é acionar a Defesa Civil (telefone 199) ou o Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Além do Rio Grande do Norte, a baixa umidade atinge parte da Paraíba, Pernambuco, Bahia, Piauí e Ceará.

Veja cidades do RN AQUI em reportagem do G1-RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

IPVA de veículos com placas de final 0 e 9 vence nesta terça-feira

Os proprietários de veículos com o final de placas 0 e 9 têm até esta terça-feira (15 de junho) para aproveitar o desconto de 5% ao quitar o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) em uma única parcela. Este prazo também vale para todos os demais veículos que optaram pelo pagamento em cotas.

O calendário de pagamentos de IPVA no Rio Grande do Norte continua seguindo normalmente, e caso o contribuinte não pague nas datas certas, virá a pagar o tributo com multa e juros. As datas de pagamento são organizadas de acordo com o número final da placa dos veículos. O calendário completo está disponível no site da Secretaria de Tributação (SET-RN), inserido no menu superior do portal, podendo ser acessado pelo link: http://www.set.rn.gov.br/contentProducao/aplicacao/set_v2/impostos/gerados/ipva_calendario.asp.

Como o envio do carnê aos donos não ocorre mais, a guia pode ser gerada a qualquer momento pela internet e, mesmo após o vencimento, o documento é atualizado automaticamente, com os acréscimos somados ao valor. Os boletos para pagamento do imposto estão disponíveis na internet, no site do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RN), através do link: https://www2.detran.rn.gov.br/externo/consultarveiculo.asp.

Para gerar o boleto, o motorista precisa acessar o site do Detran e clicar na opção ‘consulta de veículos’, em seguida deve inserir a placa do veículo e o Renavam nos espaços determinados, sem pontos nem hifens, e então finalizar escolhendo a geração da guia.

Os usuários do aplicativo da Nota Potiguar podem gerar o boleto diretamente através do aplicativo, escolhendo a opção ‘Serviços’ no menu principal e em seguida ‘IPVA’. Lembrando que o boleto dos usuários da campanha já se encontra com o desconto deduzido do valor integral do imposto, independente da opção pelo pagamento em cota única ou parcelado.

Em todo o Rio Grande do Norte, cerca de 530 mil veículos estão aptos a pagar o IPVA deste ano. Desse total, 30 mil veículos foram contemplados com os descontos oferecidos pela Nota Potiguar, resultando em um montante de desconto de cerca de R$ 2,5 milhões.

Opinião dos leitores

  1. Interessante se após pagamento do IPVA pudéssemos gerar o documento do carro no próprio sistema. Evitaria mais constrangimentos com atrasos e enganos de endereços.

  2. A Governadora Fátima Cadeado, não postergou a cobrança do IPVA? Nossa quanta insensibilidade dessa GovernAnta. Ela manda fechar tudo, causa desemprego, diminui renda , não cria nenhum benefício e por cima aumenta alíquotas de ICMS dos combustíveis , assim é demais.

    1. FORA FÁTIMA!
      A maior genocida que o RN já viu, matou a nossa economia; nossa educação; nosso turismos; nosso setor de eventos; nossa saúde e principalmente nossos sonhos e esperanças de um RN melhor…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Comitê Científico informa que pandemia no RN piorou e secretário de saúde Cipriano Maia diz que quadro atual “é de extremo alerta”; decreto atual expira em uma semana

Foto: Sandro Menezes

O secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia,  alertou em coletiva no início da tarde desta quarta-feira (2), informações do Comitê Científico de enfrentamento à pandemia no estado, que a situação da pandemia da covid-19 no Rio Grande do Norte piorou em alguns aspectos.

Na companhia do diretor do hospital Giselda Trigueiro, André Prudente, o secretário de saúde Cipriano Maia reforçou a necessidade de medidas de proteção individual, como o uso de máscaras, higienização das mãos e distanciamento social.

Para o titular da Sesap, o cenário epidemiológico feito semanalmente pelo comitê científico teve poucas alterações, com piora em alguns aspectos, e o quadro atual “é de extremo alerta e exige de todos nós a atenção e concentração para nos proteger”.

Segundo Maia, a pactuação de restrições regionais no Alto Oeste, Vale do Açu, Região Central e parte do Seridó têm contribuído para evitar a piora do cenário nesses locais.  Apesar de não falar diretamente sobre qual será a postura do Governo do Estado após o decreto em vigor expirar, Cipriano Maia disse que é importante que a situação seja discutida regionalmente.

Opinião dos leitores

  1. Muito Estranho as Atitudes dos ministérios públicos estadual e federal, com respeito ao NÃO combate RIGOROSO e EFETIVO por parte do governo e prefeituras para conter a Disseminação do covid-19. Porque TUDO é na base do FAZ de CONTA, Mentiras e Enganação. Não existe INTERESSE, CORAGEM, DETERMINAÇÃO e VONTADE POLÍTICA para Combater a Disseminação do vírus. Tudo é pensado e Feito para arrecadar mais e mais Impostos. Basta vê que mês a mês o estado tem Superávit de Receita e um número cada Vez Maior de novos Infectados e MORTOS. Vamos acordar Justiça. CHEGA de FAZ de CONTA. Que DEUS tenha MISERICÓRDIA de NÓS. Alô justiça.

  2. Já sabemos, querem extorquir mais o GF.
    Bando de ladrões e genocidas.
    #ForaFatãoGopi
    #PTNuncaMais

  3. Boa tarde.por isso q o meu nao vai se tiver.sao vidas q estao em jogo.pais,alunos,professores e funcionarios das escolas e familiares de todos.isso é um absurdo.tao cedo o RN voltara ao normal.os coitados dos professores sem tomar a vacina. Isso .é serio nao é brincadeira.

  4. A vacinação avança…A economia dá sinais de recuperação…Projeções de crescimento do PIB melhoram a cada dia…Dólar cai…”PRECISAMOS FAZER ALGO SENÃO O HOMI SE RE-ELEGE”…

  5. Se as universidades passarem pra presencial aí é que o desmantelo vai ser grande. Todos os dias em escolas aparecem caso e agora algumas direções mandam seguir as aulas normais. Cadê a fiscalização nas escolas?

    1. Concordo com você PG. Tem escola particular em Natal com casos de Covid no Fundamental 1. Crianças de 4° e 5° anos e a única medida foi o aluno não assistir aula presenciais depois de confirmado, mas a turma e os professores continuaram com as aulas presenciais normalmente como se age em um caso de resfriado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Praga encontrada em lavouras do cereal no Sul, Sudeste e no estado de Goiás é detectada no interior do RN e tem preocupado produtores de sorgo

FOTO: ASSECOM/RN

Com a aparência de bolinhas amarelas, o pulgão da cana-de-açúcar tem preocupado produtores de sorgo no Rio Grande do Norte. A praga era encontrada comumente em lavouras do cereal nas Sul, Sudeste e no estado de Goiás e nas últimas semanas foram detectados fortes ataques em algumas cidades do interior do RN.

“Na região Nordeste, essa praga encontrou todas as condições favoráveis para sua reprodução, do ponto de vista climático sobretudo na questão da temperatura e umidade. Fomos surpreendidos com os relatos da atuação rápida do pulgão em diversas lavouras de sorgo do estado”, disse o pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) e Embrapa, Marcone Mendonça, Doutor em Entomologia (especialista nos estudos com insetos), que lidera uma equipe de pesquisa no estado.

Após tomar conhecimento da presença da praga no estado, a EMPARN iniciou as primeiras pesquisas para orientar o homem do campo potiguar sobre os cuidados para evitar maiores prejuízos nas plantações. Até então, a lagarta-do-cartuxo (Spodoptera frugiperda) era a praga comum combatida na cultura o sorgo no RN.

O entomologista alerta que com a chegada do pulgão é necessária uma mudança imediata na conduta do manejo junto a cultura do sorgo. Marcone explica que o inseto ataca, preferencialmente, as folhas do ‘baixeiro’, ou seja, da metade da planta para baixo, sem excluir a ocorrência de ataques na parte superior.

Além do dano direto, causado pela sucção da seiva- que provoca a morte da planta- o pulgão é um vetor capaz de transmitir algumas viroses. “A mancha vermelha provavelmente é uma virose transmitida pelo pulgão. Dependendo do nível de infestação, o pulgão pode provocar até perda total da plantação de sorgo”, destacou Marcone.

A recomendação da EMPARN aos produtores é que seja feito um monitoramento periódico na plantação do sorgo, andando pela lavoura e observando atentamente as plantas como um todo a partir de 15 dias do nascimento delas. Depois, seguir o monitoramento pelo menos um dia na semana. “Os primeiros sintomas de ataque são mostrados na alteração na cor das folhas que começam a ficar gradualmente avermelhadas”, explicou Mendonça.

O pesquisador explica ainda que nas plantações com maior índice de infestação, o ataque do pulgão pode ser percebido, além do avermelhado das folhas, com o aumento das folhas secas na parte de baixa da planta e com a presença de uma cobertura brilhosa na folha, conhecida como ‘mela’. “Os pulgões soltam uma seiva açucarada conhecido como ‘mela’ – uma substância açucarada que se fixa na extensão da folha- que atrai além de insetos, atrai um fungo que provoca uma doença chamada fumagina que prejudica a fotossíntese, logo causa danos na produção da planta”, disse.

Manejo do pulgão

Associado a periódico monitoramento, os primeiros experimentos da pesquisa, atualmente em andamento na sede da EMPARN (Parnamirim/RN), vem confirmando resultados animadores com a pulverização de óleos na plantação de sorgo.

Os pesquisadores estão fazendo testes pulverizando nas plantas as seguintes opções: óleo de algodão na concentração de 3%, misturado com 2% de detergente neutro; 3% de óleo vegetal e 3% de óleo mineral, todos de uso agrícola. “As primeiras 24h de observação após a aplicação do óleo, verificamos uma boa resposta na mortandade da praga. Importante fazer a pulverização especialmente na superfície inferior da folha, local onde a infestação se inicia”, avaliou o pesquisador Marcone Mendonça.

Outro ponto alertado pelo entomologista, é a observância da presença de outros insetos como joaninha, tesourinha, sirfídeos e crisopídeos que são inimigos naturais do pulgão e contribuem para o controle biológico da praga na plantação. “A utilização de produtos naturais e sustentáveis são a melhor opção para garantir o controle biológico além de preservar a saúde do meio ambiente e do produtor”, enfatizou o pesquisador.

Em breve a EMPARN irá disponibilizar um vídeo educativo com diversas informações sobre manejo da praga como identificar o inseto, os níveis de infestação, além das dicas de controle para minimizar as perdas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Governo alerta para a pior seca em 111 anos

Emergência hídrica: Segundo levantamento feito pelos órgãos pela análise de chuvas entre outubro de 2019 e abril de 2021 na bacia do Paraná, apenas em dezembro de 2019, agosto de 2020 e janeiro de 2021 as precipitações ficaram acima da média. Foto: (Ueslei Marcelino/Reuters)

O governo deve emitir alerta de emergência hídrica para o período de junho a setembro em cinco Estados brasileiros – Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná. Todos estão na bacia do Rio Paraná, onde se concentra parte da produção agropecuária e grandes hidrelétricas. Na região, a situação é classificada como “severa” e a previsão é de pouco volume de chuvas para o período.

É o primeiro alerta dessa natureza em 111 anos de serviços meteorológicos do País. A medida corrobora as declarações do presidente Jair Bolsonaro e do ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, de que o Brasil enfrenta a maior crise hídrica dos últimos tempos.

O alerta, obtido pelo Broadcast/Estadão, será divulgado de forma conjunta hoje pelo Sistema Nacional de Meteorologia (SNM), órgãos federais ligados à meteorologia, a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e o Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden). No documento, as instituições reforçam que a emergência hídrica é associada à escassez de precipitação na região hidrográfica e a previsão de que o cenário persista até setembro.

De acordo com o SNM, o déficit de precipitação na bacia do Paraná está provavelmente relacionado à influência de dois fenômenos atmosféricos de grande escala. O primeiro é La Niña, de outubro de 2020 a março de 2021. O fenômeno traz resfriamento das águas do Oceano Pacífico, diminui a temperatura da superfície do mar, altera o padrão de circulação global e, entre as características do período, reduziu chuvas no sul do Brasil. O segundo é a Oscilação Antártica (OA), responsável por alterar o padrão de pressão atmosférica na região. Desde outubro de 2020 a OA tem atuado para impedir que sistemas causadores de chuvas se desloquem sobre as regiões continentais da América do Sul.

A situação de escassez hídrica, no entanto, é anterior. Segundo levantamento feito pelos órgãos pela análise de chuvas entre outubro de 2019 e abril de 2021 na bacia do Paraná, apenas em dezembro de 2019, agosto de 2020 e janeiro de 2021 as precipitações ficaram acima da média. “Durante a maior parte do período houve predomínio de déficit de precipitação, principalmente a partir de fevereiro de 2021. Essa característica se mantém no mês atual, com acumulado parcial de 27 milímetros para a bacia, ou seja, abaixo do acumulado climatológico que é de 98 milímetros”, informa o texto do alerta.

O SNM alerta que o índice de precipitação na maior parte da bacia hidrográfica apresenta-se moderado a extremo, considerando os últimos 6 e 12 meses, bem como em uma análise de um período mais longo, dos últimos 48 meses. Ou seja, a situação atual de déficit de precipitação é severa, alerta.

Exame

Opinião dos leitores

    1. Morrendo 2.300 pessoas por dia e tu achando que tá melhorando..
      É um Chico Butico mesmo…

    2. É um “Jão”, mesmo. Cuba, Argentina e Venezuela te aguardam.

  1. Tudo de ruim acontece durante o governo desse Bozo…
    É fome, é pandemia, é seca… Um homem desse deve TER PACTO COM O SATANÁS, só pode….pq com Deus não é…..

    1. PEdir Macedo rogou para Deus eliminar todos que forem contra o Presidente. Anda dando certo.

  2. Desde q Bolsonaro foi eleito é só desgraça nesse país!
    Parece até q tá pagando o acordo c o capeta

    1. Verdade…mas nós é que estamos pagando por ele…
      Xô Satanás…vá de retro!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap alerta: Aumento de quadro respiratório em crianças no RN pede cuidados

As doenças respiratórias são uma das causas mais comuns nas hospitalizações de crianças, principalmente entre os meses de março e junho, levando a uma maior taxa de ocupação de leitos da unidade hospitalar do Hospital Maria Alice Fernandes.

Com o surgimento do Covid-19, houve um aumento significativo no número de atendimento de casos com quadros respiratórios notificados como suspeita de infecção pelo SARS-COV2, quando comparados aos anos anteriores em que já havia a vigilância para outros vírus, como a influenza e o vírus sincicial respiratório. Entretanto, é notória a evolução da sensibilidade e adesão da equipe ao protocolo de triagem de todos os pacientes que apresentam sintomas respiratórios, não permitindo possibilidade de comparação real entre os anos anteriores à pandemia.

De acordo com os dados do núcleo hospitalar de epidemiologia, em 2020 o número de casos confirmados de influenza foi menor do que nos anos de 2018 e 2019, assim como de VSR e adenovírus. Os casos suspeitos de Covid-19 em 2020 foram de 766 e 124 confirmados. Até maio de 2021, foram 71 casos confirmados e 451 casos suspeitos de Covid-19. Em 2020 tivemos dois óbitos confirmados e até maio de 2021, já foram três óbitos. Em 2020 tivemos dois óbitos confirmados e até maio de 2021, já foram três óbitos. Houve um aumento do total de casos notificados como suspeitos e de casos confirmados para Covid-19, nos cinco primeiros meses de 2021 já sendo notificado o equivalente a 60% do total de 2020.

“Em 2020 e 2021 a pesquisa de outros vírus respiratórios não foi realizada de forma contínua pelo LACEN devido a elevada demanda da pandemia, levando a uma fragilidade no conhecimento dos vírus que estão envolvidos nas doenças respiratórias desses casos notificados. Mas no pequeno número de exames realizados para os demais vírus, foi possível detectar a circulação do adenovírus, vírus da influenza e do vírus sincicial respiratório.” Informou a enfermeira do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia do Hospital Maria Alice Fernandes, Raquel Monteiro.

Cuidados e prevenções com as crianças

Apesar da Covid-19 ser de forma geral mais leve em crianças, ela ainda assim pode causar adoecimento, podendo haver a necessidade de internamento. É importante que os familiares reconheçam a importância da prevenção, não somente para a Covid-19, mas para todas as infecções respiratórias. Entre os cuidados principais, estão:

1. Manter as vacinas das crianças sempre atualizadas, o SUS disponibiliza várias vacinas importantes na prevenção de infecções respiratórias!

2. Evitar contato das crianças com pessoas que estejam com sintomas respiratórios. As pessoas que apresentem sintomas precisam ser conscientes e se manter isoladas das demais para evitar transmissão da infecção. Quando não for possível manter distância da criança, o doente deve sempre utilizar máscara e reforçar os cuidados com a higiene das mãos, e desinfecção do ambiente.

3. Não expor as crianças a aglomerações de pessoas, nem levar a lugares fechados com elevado potencial de contaminação como supermercados, shoppings etc.

4. Manter o ambiente de casa sempre limpo e bem ventilado.

5. Manter os brinquedos sempre higienizados, bem como os objetos que a criança possa ter contato (chaves, controles, celular, telas etc.).

6. Utilização de máscaras nas crianças maiores de três anos.

7. Orientar a criança sobre a importância da higienização das mãos.

Opinião dos leitores

  1. O objetivo agora é aterrorizar as crianças e seus pais? Higienizar brinquedos? Que palhaçada estamos vivendo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap alerta para a mortalidade materna no RN por covid

Foto: Ilustrativa/Pixabay

A Secretaria de Estado da Saúde Pública tem dado ênfase aos trabalhos em prol da redução da mortalidade materna no Rio Grande do Norte. Com a chegada do 28 de Maio, Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna, a discussão do tema se torna ainda mais relevante.

No ano de 2020 até 2021, o Rio Grande do Norte contabilizou 28 óbitos maternos declarados e 37 óbitos por Covid, mostrando que a redução da mortalidade materna é ainda um grande desafio para os serviços de saúde, gestores e para a sociedade como um todo. Os dados ainda não estão fechados, pois existem óbitos em investigação no momento. É considerado óbito materno quando a morte de uma mulher ocorre durante a gestação ou até 42 dias após o término da gravidez, desde que não seja por causas acidentais ou incidentais.

No início do mês de maio foi lançado o Plano de Redução da Mortalidade Materno Infantil, que prevê investimentos superiores a R$ 250 milhões em toda a rede materna do estado pelos próximos anos. O objetivo é priorizar estratégias para redução da morte materna e na infância por causas evitáveis, além de contribuir para a reorientação das práticas assistenciais, sanitárias e, consequentemente, do modelo de atenção à saúde.

O documento contém cinco diretrizes: Saúde Materna e Infantil na Atenção Básica; Vigilância em Saúde: Sistemas de Informação em Saúde e Comunicação; Gestão do Cuidado; Educação Permanente em Saúde; e Governança. Sua construção ocorreu de forma participativa, com envolvimento de técnicos de todas as coordenadorias da Sesap, regionais de saúde pública, unidades de saúde, Conselho Municipal das Secretarias de Saúde (Cosems), entre outros colaboradores.

As diretrizes reforçam o compromisso da gestão e equipe técnica da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), com o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) – Agenda 2030 – da Organização das Nações Unidas (ONU).

Reestruturação

O grupo condutor da Rede de Atenção Materno-Infantil e a área técnica de Saúde da Mulher seguem trabalhando junto às regionais de saúde, avaliando os avanços obtidos, discutindo estratégias para fortalecimento em rede e articulando os pontos de atenção à saúde materno-infantil, no sentido de reorganizar e repactuar fluxos, bem como viabilizar a melhoria da assistência ao parto e nascimento.

Para os próximos dois anos a Sesap está investindo aproximadamente R$133 milhões em serviços de reforma e ampliação de diversas unidades, como o Hospital Dr. José Pedro Bezerra, em Natal, o Hospital Monsenhor Antônio Barros, em São José de Mipibu, e o Hospital Regional Dr. Mariano Coelho, em Currais Novos.

Através do Projeto Integrado de Desenvolvimento Sustentável do Rio Grande do Norte, haverá ainda a expansão da rede assistencial com 30 novos leitos de Unidade de Cuidados Intermediários Convencionais: 10 em Currais Novos, 10 em São José de Mipibu e 10 em Natal, no Hospital Maria Alice Fernandes, que também receberá outros 10 leitos de UTI Neonatal.

O Governo do Estado também prevê inaugurar no segundo semestre de 2021 o Laboratório de Anatomia Patológica, em Natal, que vai agilizar os exames de diagnóstico para tratamento oncológico, principalmente de câncer de colo de útero e de mama.

Foram investidos R$5,6 milhões através do projeto Governo Cidadão. Com previsão para o ano de 2022, o Hospital Regional Dr. Nelson Inácio dos Santos, em Assu, passará a contar com serviço de maternidade e também um banco de leite, em 2023.

Marco histórico

O Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher foi definido no IV Encontro Internacional Mulher e Saúde, ocorrido em 1984, na Holanda. Em 1987, no V Encontro Internacional Mulher e Saúde, realizado em São José da Costa Rica, em 1987, a Rede de Saúde das Mulheres Latino-Americanas e do Caribe – RSMLAC, propôs que, a cada ano, no dia 28 de maio, uma temática nortearia ações políticas que visassem prevenir mortes maternas evitáveis.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Procuradoria Geral do Estado emite alerta de golpe referente ao pagamento de supostos precatórios

FOTO: PGE/ASSECOM

A Procuradoria Geral do Estado do Rio Grande do Norte (PGE-RN) alerta para a população do Rio Grande do Norte que uma FALSA mensagem está sendo transmitida em nome da PGE-RN, referente ao pagamento de supostos precatórios.

A PGE-RN informa que:

1) A PGE-RN não efetua nenhum pagamento em nome do Governo do Estado, pois essa não é função do órgão.

2) A PGE-RN orienta ainda que seja feita confirmação prévia de qualquer suposto comunicado feito diretamente. Essa confirmação deve ser feita por meio de nossos canais de comunicação oficiais.

Telefone: (84) 3232 – 2751
E-mail: ouvidoria.pge@rn.gov.br
Instagram: https://www.instagram.com/pgern.oficial
Facebook: https://www.facebook.com/pgern.oficial
Twitter: https://twitter.com/pgern_oficial

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Deputada alerta para a escalada de crimes no RN: “dias de terror onde os comércios estão sendo invadidos por criminosos dia e noite”

Os constantes episódios de insegurança registrados no Rio Grande do Norte pautaram o pronunciamento da deputada Cristiane Dantas (SDD), nessa quinta-feira (20), durante sessão plenária híbrida da Assembleia Legislativa. A parlamentar chamou a atenção para a crescente onda de criminalidade e cobrou providências do Governo do Estado.

“Abordo hoje um tema que todos os Norte-rio-grandenses têm enfrentado em seu dia a dia: a insegurança. Estamos vivenciando dias de terror onde os comércios estão sendo invadidos por criminosos dia e noite, não importa a hora. Não bastassem os prejuízos da economia causados pela pandemia, agora a bandidagem toma conta do nosso Estado. Muitas famílias estão perdendo suas vidas e o seu sustento”, alertou Cristiane.

Na oportunidade, a deputada lamentou a morte de um comerciante caicoense na última quarta-feira, quando foi assassinado por criminosos que invadiram a loja do empresário. “O bandido não teme nada, nem mesmo a polícia. Precisamos de um plano de ação urgente e da presença de policiais nas ruas para conter essa escalada de criminalidade. Clamo para que a Secretaria de Segurança do Estado e o Governo tomem providências. Falo em nome da população potiguar que está aterrorizada e com medo”, concluiu.

ALRN

Opinião dos leitores

  1. As leis foram criadas pra favorecer bandido, quem se lasca mesmo é quem produz…. Eu mesmo, fui assaltado com arma na cara, eu e toda minha família, por 2 vagabundos, em plena rua Mossoró, as 15 horas, pareciam policiais parando um suspeito, na cara lisa, todo mundo na rua, fica o prejuízo e o trauma pras famílias. E em governo de esquerda, aí que lasca tudo.

  2. Diga para esse Luiz que a Governo atual do RN chama-se Fátima Bezerra ou Fatão, cabe exclusivamente a ela, ok seu Luiz.

  3. Essa senhora diz isso agora, mais na época que o esposo dela era governador do estado o município dele são José de Mipibu só tinha uma vtr com 2 PMs

    1. Ela deveria cobra do esposo Fábio Dantas quando o mesmo foi vice Governador

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Com baixa procura no RN, Sesap alerta população para vacinação contra a influenza

Está em curso em todas as salas de vacinação do Rio Grande do Norte a 23ª Campanha de Vacinação Contra Influenza, que teve início no dia 12 de abril e segue até 09 de julho. Com a baixa procura pela população, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) alerta os potiguares a buscarem uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do seu município para tomarem o imunizante contra a gripe.

Segundo dados da plataforma RN Mais Vacina, até a manhã desta terça-feira (18), cerca de 82 mil potiguares receberam a vacina da influenza, correspondendo a pouco mais de 6% de 1.295.751 de pessoas do público-alvo.

No atual estágio da Campanha, entre 11 de maio de 08 de junho, estão sendo vacinados idosos com 60 anos e mais e professores. Porém, as pessoas inclusas na 1ª fase (crianças de 6 meses a menores de 6 anos; gestantes; puérperas; povos indígenas e trabalhadores da saúde) e que ainda tomaram a vacina contra a influenza devem procurar as salas de vacinação para tomar o imunizante.

A próxima etapa da campanha, de 09 de junho a 09 de julho, contempla o seguinte público-alvo: pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação e liberdade e população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Intervalo entre vacinas

Como a campanha de vacinação contra influenza coincide com a realização da vacinação contra a Covid-19, é importante que seja priorizada a aplicação do imunizante contra a Covid. Vale salientar que, as pessoas contempladas nos grupos prioritários para a vacinação contra influenza e ainda não foram vacinadas contra a Covid-19, ao buscarem uma UBS, deverão, preferencialmente, tomar a vacina contra a Covid e agendar a administração da vacina contra a influenza, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre as vacinas.

Recomendações

A Sesap recomenda para os municípios a adoção de todas as medidas de prevenção à transmissão da Covid-19 nas ações de vacinação contra a influenza. Para isso, é aconselhável evitar a formação de filas e aglomerações, como destinar local específico para a vacinação de idosos; optar por locais abertos e ventilados; ofertar as doses em locais como escolas e igrejas; e, realizar a vacinação domiciliar para pessoas acamadas ou com dificuldade de locomoção, de acordo com as condições de cada município.

Opinião dos leitores

  1. Porque não liberam para todas as idades? Está claro que muitos não estão preocupados a não ser com a Covid.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Crea-RN alerta que profissionais e empresas estão recebendo e-mails falsos se passando pelo Conselho

Foto: Divulgação

O Crea-RN alerta que profissionais e empresas do RN estão recebendo emails enviados em nome do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia, com domínio “…@crea.com.br“, com informações sobre registros e links para pagamento de supostas anuidades.

Alertamos que esses emails são FALSOS e os links podem conter vírus.

O comunicado reforça:

“Fique atento!! Observe que o endereço eletrônico não especifica Crea-RN. O nosso email tem …@crea-rn.org.br. Outro ponto a ser observado é que atualmente não enviamos cobrança via PIX.

Se tiver alguma dúvida, entre em contato com o Crea Fácil – (84) 99128-3827″.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

MUITA ATENÇÃO: Semurb em Natal alerta sobre pessoas se passando por fiscais ambientais e cobrando multas

Foto: Divulgação/Semurb

A Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) alerta para um novo tipo de fraude em Natal. Pessoas estão se passando por fiscais ambientais e teriam realizado fiscalizações e entregado notificações falsas com valores de multas para a população. O caso foi descoberto na manhã desta sexta-feira (23), quando uma das pessoas que recebeu uma das notificações falsas, compareceu até a sede da pasta para apresentar o documento e obter esclarecimentos. A secretaria vai prestar queixa-crime na delegacia de Polícia Civil para apuração da denúncia.

De acordo com informações preliminares, a atividade ilícita consiste na entrega de uma notificação informando que deve ser feito o encerramento de determinada atividade “considerada crime ambiental”. Além de uma respectiva aplicação de multa no valor de R$ 4.753,43 reais e a ameaça de bloqueio de conta bancária e penhora de bens do notificado. E ainda, que em caso de desobediência, a multa aplicada será dobrada e a queixa enviada ao Ministério Público para abertura de processo criminal.

O supervisor de fiscalização ambiental da Semurb, Gustavo Szilagyi, conta que essa não é a primeira vez que a Semurb é vítima de fraude ou golpe. Em 2017, dois homens foram presos por realizarem falsas fiscalizações com objetivo de cobrar propina e liberar obras. A diferença para esse caso é que não são obras, mas se trata de aplicação de multa por supostos crimes ambientais.

“A população deve ficar alerta para a atuação de falsos fiscais. Nossos agentes tem um padrão nas ações diárias. Os fiscais comparecem ao local a ser fiscalizado sempre em dupla, chegam em carro oficial da Secretaria com o brasão da Prefeitura e usam colete de identificação, crachá funcional com o número do servidor e da matrícula. Se a pessoa fiscalizada achar necessário, ela pode pedir para os fiscais apresentarem a carteira funcional”, explica Szilagy.

Ainda segundo ele, toda a documentação emitida pela secretária está identificada com timbre, endereço e também sempre vai assinada por um servidor com nome e matrícula. Já as cobranças são emitidas pela secretaria de Tributação (Semut) no formato de Documento de Arrecadação Municipal (DAM) identificando o beneficiário: “Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Tributação com o CNPJ”, relata.

A Semurb pede que as possíveis vítimas da fraude procurem a polícia e façam um boletim de ocorrência.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid: mais de 80% da população do RN vive em zona de alerta

A situação da pandemia do coronavírus no Rio Grande do Norte permanece em alerta para 81,9% da população potiguar. A constatação é feita a partir da avaliação periódica feita pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) em parceria com a Universidade Federal do RN (UFRN) que gera o relatório do indicador composto.

Segundo o documento finalizado na terça-feira (20), a situação mais crítica é na Região Metropolitana de Natal. O indicador dá notas de 1 a 5, a partir da análise de nove variáveis (óbitos, internações, testes, casos ativos, entre outros), sendo 1 a melhor situação, com sinal verde, e 5 a pior, com sinal vermelho. Assim, toda a população da RMN está em sinal amarelo, entre 3 (97,9%) e 4 (2,1%).

Logo na sequência, também estão com sinal amarelo em grande parte da população as regiões do Vale do Açu (92,7%) e de Mossoró (91,7%).

Na outra ponta, com o sinal chegando em quase metade dos moradores da área, estão o Potengi-Trairi (49,6%), Alto Oeste (46,6%) e Mato Grande (46,3%).

Tomando a avaliação geral dos indicadores, a média do Rio Grande do Norte está no sinal amarelo da nota 3, ainda com uma nota 5 na taxa de casos ativos.

O que é o indicador composto

O indicador composto é uma construção coletiva entre a equipe da Sesap, o Comitê de Especialistas e a UFRN, sob a coordenação do professor Kênio Lima. O estudo permite o mapeamento da evolução semanal de casos por município e assim ter um monitoramento da pandemia em todo o estado.

O estudo reúne nove variáveis que traçam um olhar mais apurado sobre a situação de cada município e um escore que mostra a evolução a cada semana. Os dados servem de subsídio para a tomada de decisões na gestão da pandemia.

Opinião dos leitores

  1. Se todos fizessem sua parte, não precisaríamos de decretos. Mas, infelizmente não é assim. Aí quem paga o pato? Todo mundo. Sofrendo as consequência desde a saúde até a economia. Consciência da populaçao e daqueles que fazem propaganda enganosa, gera tudo isso. Aí ficam culpando a governadora. Faça sua parte!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

SE LIGA: 4 em cada 10 mantêm nude de ex no celular mesmo após término, diz pesquisa

Foto: Reprodução / Internet

Quase dez em cada dez pessoas dizem que guardam nudes de ex-namoradas e ex-namorados mesmo após o término. Uma em cada dez, inclusive, diz que não pretende deletar as imagens nunca. Os números foram mostrados por pesquisa feita pela empresa de advocacia Bolt Burdon Kemp, do Reino Unido, e divulgados pela Vice.

O levantamento entrevistou cerca de 1000 britânicos. Os resultados mostram que entre millennials, os nascidos entre 1981 e 1996, o índice ainda é maior. Entre as pessoas nessa faixa, 47% mantêm fotos após a separação e cerca de 30% continua com elas em seus smartphones mais de um mês após o fim do relacionamento.

Outro dado é que homens guardam as nudes mais do que as mulheres, sendo hábito comum entre 50% dos entrevistados do gênero masculino. Entre elas, o índice é de menos de 30%. Pessoas com renda maior também mantêm fotos íntimas com mais frequência.

Nudes não apagadas e o problema do ‘pornô de vingança’

O estudo também tinha como objetivo falar sobre pornô de vingança, em que vídeos ou imagens íntimas são divulgados na internet por alguém que quer chantagear ou constranger outra pessoa, principalmente após o término de relacionamento.

No Brasil, a divulgação de cena de sexo sem consentimento da vítima é crime desde 2018 e tem pena prevista é de um a cinco anos de detenção. A punição pode aumentar de 1/3 a 2/3 se o agressor mantém ou tiver mantido relacionamento com a vítima.

Caso passe por isso, a orientação é fazer um boletim de ocorrência em uma delegacia, munida do máximo de informações sobre o agressor e sobre o compartilhamento da imagem, como prints enviados por ele.

Universa – UOL

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Casos globais de Covid-19 aumentam pela sétima semana consecutiva, diz OMS

Foto: Reprodução / CNN

Já são sete semanas consecutivas de aumento de casos globais de Covid-19 e quatro semanas de aumento de mortes pela doença em todo mundo, alertou nesta segunda-feira (20) o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante uma coletiva de imprensa em Genebra, na Suíça.

“Em janeiro e fevereiro, o mundo viu seis semanas consecutivas de declínio de casos”, disse Tedros. “Já vimos sete semanas consecutivas de aumento de casos e quatro semanas de aumento de mortes. A semana passada foi o quarto maior número de casos em uma única semana até agora.”

Vários países da Ásia e do Oriente Médio viram grandes aumentos de casos, segundo ele. Os aumentos ocorrem apesar de mais de 780 milhões de doses de vacina serem administradas globalmente, disse ele, acrescentando que as vacinas são uma ferramenta vital e poderosa, mas não a única.

Ele enfatizou que as medidas de saúde pública – uso de máscara, distanciamento físico, ventilação, higienização das mãos, vigilância, testes, rastreamento e isolamento – funcionam para impedir infecções e salvar vidas.

“A confusão, a complacência e a inconsistência nas medidas de saúde pública e sua aplicação estão impulsionando a transmissão e custando vidas”, disse Tedros. “É necessária uma abordagem consistente, coordenada e abrangente.”

Vacinação contra a Covid-19 no Brasil

O Brasil é o quinto país no ranking de doses da vacina contra a Covid-19 já aplicadas – são 30.447.033 de doses aplicadas. Em primeiro lugar, estão os Estados Unidos, com 187.047.131.

Nesta segunda-feira (12), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou ter exposto a “situação dramática do Brasil” em conversa com o secretário-geral da ONU, António Guterres. Ele pediu prioridade para o Brasil na entrega dos imunizantes do consórcio Covax Facility.

“Reforcei o pedido de ajuda à ONU para o país se tornar prioridade do consórcio internacional Covax Facility para antecipação da entrega das vacinas”, escreveu Pacheco no Twitter.

Doses a cada 100 habitantes

Quando o número de doses da vacina contra a Covid-19 é analisado a partir de cada 100 pessoas, o Brasil ocupa o 56º lugar no ranking global, com 14,37 doses a cada 100 habitantes. Já entre os países do G20, o Reino Unido fica em primeiro lugar – são 58,32 doses a cada 100 habitantes – e o Brasil em 9º.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Com certeza Barroso, a culpa é do Presidente, confere.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Fiocruz alerta que internação de idosos pode subir com relaxamento após 1ª dose; recomendação é que mantenham medidas de isolamento mesmo após a 2ª dose

Foto: Delmiro Júnior/Agência O Dia/Estadão Conteúdo (19.mar.2021)

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) alertaram para o risco de um aumento de internações de idosos que já receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e que aumentaram seus níveis de exposição ao vírus após a imunização.

De acordo com os pesquisadores, há uma tendência de relaxamento em relação às medidas de distanciamento social após a aplicação do imunizante, o que pode agravar não só o número de internações como de contaminação a outras pessoas.

Pesquisador do Programa de Computação Científica da Fundação Oswaldo Cruz (Procc/Fiocruz), Léo Bastos relatou preocupação com o relaxamento.

“Se idosos vacinados aumentarem seus níveis de exposição, mesmo vacinados, as chances deles se internarem podem ser maiores que antes de se vacinarem. Nesse momento as vacinas reduzem as chances de internação e óbitos se os níveis de exposição não mudarem”, disse.

A recomendação atual dos organismos de saúde é para que todos os vacinados mantenham as medidas de isolamento o máximo possível.

Somente 21 dias após a aplicação da segunda dose da vacina é que as pessoas podem ficar mais tranquilas com relação ao contágio do vírus. Mas, até que a vacinação alcance a maior parte da população nacional, ainda há riscos, porque não há vacina com 100% de eficácia.

Também pesquisador da Fiocruz e responsável pelo Boletim Infogripe, Marcelo Gomes faz uma alerta para a possibilidade de se perder “parte da proteção” dada pelo imunizante ao relaxar os cuidados.

“Se logo após tomarem a primeira dose, ou até mesmo tiverem recém tomado a segunda, as pessoas relaxarem completamente os cuidados fundamentais, elas podem fazer com que essa mudança de comportamento acabe jogando fora parte da proteção que a vacina confere por estarem se expondo mais”, alertou.

A morte do cantor Agnaldo Timóteo, no último sábado (3), pode ser um exemplo disso. Ele havia sido vacinado com as duas doses, o que não o impediu de contrair a doença. Médicos acreditam que ele tenha sido contaminado no período entre as duas imunizações.

Outros casos parecidos já foram relatados e, por isso, especialistas apontam para a importância de se manter o menor nível de exposição possível até que se completem os 21 dias após a segunda dose do imunizante.

Novas variantes resistentes às vacinas

Além disso, os pesquisadores afirmaram que, caso a vacinação não avance de forma mais rápida e eficiente, há riscos de uma nova mutação do vírus que possa resistente aos imunizantes já aprovados para uso.

“Para ter efeito coletivo de proteção, precisa de cobertura vacinal muito grande. A velocidade é bastante lenta e a oferta ainda é pequena. Isso traz um risco de que eventualmente possa ter uma nova variante que escape às vacinas que já foram aplicadas no país. Esse é um risco real. Não só o Brasil, mas outros países em situação similar estão com essa preocupação. Há chance de uma nova variante escapar da vacina”, afirmou Marcelo Gomes.

Para o pesquisador, a fórmula é simples: mais velocidade e eficiência na vacinação, menos exposição ao vírus, reforço das medidas de isolamento social e apoio financeiro por parte dos governos para as famílias prejudicadas pelo isolamento. Sem isso, segundo ele, não haverá avanço no combate à pandemia.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Complementando o meu comentário: quanto mais transmissões (vírus circulando) mais também, oportunidade do mesmo sofrer mutações. Caso isso ocorra, os imunizantes disponíveis, não poderão cobrir essas variantes.

  2. Pelo que entendi, eles estão pedindo mais um pouco de tempo de isolamento, ou seja, até que pelo menos a maior parte da população esteja vacinada. Assim, o vírus vai perdendo força. Quanto mais contato social, mais transmissão do vírus para quem ainda não está imunizado. Bom, como já faz mesmo, um ano, que estou isolada em casa, para mim, continuarei assim, até que me liberem…

  3. Até parece que o texto tá escrito em grego misturado com japonês! Vamos prestar atenção no que tá posto, pra tirar conclusões ininteligíveis!

  4. Estão atestando que a vacina não serve pra nada?
    Que adianta se vacinar e continuar como se não tivesse sido vacinado? Qual a lógica nisso?
    Não são vacinas e sim um paliativo que pode dificultar a atuação dos vírus?
    As vacinas não passam de efeito psicológico?
    Como assim continuar isolado, recluso, fechado, sem vida social? Não faz sentido

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *