Economia

VÍDEO: BG pede sensibilidade e auxílio efetivo do Governo do Estado e Prefeitura do Natal aos setores de bares, restaurantes e hotéis durante decretos mais rígidos

O BG comenta nesta quinta-feira(06), no Meio-Dia RN, na 96 FM, o drama dos setores de bares e restaurantes e também da hotelaria. Pede humanização ao setor produtivo, e auxílio efetivo dos segmentos durante o período de decretos mais rígidos.

O BG ainda destaca que o Governo do Estado e Prefeitura do Natal tem dinheiro para tudo, menos socorrer bares, restaurantes, garçons e hotéis.

Por fim, pede sensibilidade dos poderes públicos, como prontamente demonstraram governos como no Ceará e na Paraíba.

ASSISTA ABAIXO:

Opinião dos leitores

  1. Essa pandemia está servindo para separar ainda mais o joio do trigo. Estamos vendo quem realmente se preocupa com as pessoas (caso do presidente Bolsonaro), em contrapartida a quem torce sempre pelo pior e usa o sofrimento alheio para politicagem. Tem muito político sem escrúpulos fazendo “comício” em cima de caixão de defunto e sendo aplaudido por gente da mesma laia. Mas o povo está vendo e o mal vai se destruindo por si só.

  2. ERRADO. Os governadores e prefeitos só tem que dar ordens, eles definem o que funciona e o que fecha. O governo federal que deve se virar e financiar a quebradeira e o desemprego. Foi isso que determinou o STF no ano passado,.
    Para melhorar o quadro tem a CPI, os senadores nem querem investigar os estados, não interessa o que foi feito com os bilhões que os estados receberam, só interessa culpar, culpar e culpar o Presidente, com toda imparcialidade democrática e sem revanchismo que eles usam na política.
    A CPI dos honestos senadores, aqueles não tem processos contra eles por corrupção e querem levar para o mundo deles, quem ainda não entrou no jogo da corrupção.
    Mentira terta? É não meu rei! A turma que tem corrupto de estimação com tudo na CPI

  3. Essa turma “lacradora” não se importa com nada nem ninguém além de seus próprios interesses. E não adianta esperar nada desse governo incompetente e sem atitude de Fátima do PT. Já passamos da metade do seu mandato e, afora a reforma da previdência estadual, que ela dizia não ser necessária, NADA foi feito pelo RN. Suas únicas ações foram impedir as pessoas de trabalhar e fechar as escolas. O RN vive o caos.

  4. O desgoverno de Fátima Bezerra PT não tem sensualidade e tampouco competência.
    Ela só é sensível com os cumpanheiros dela.

    1. Sei que foi o corretor, mas “sensualidade” ficou ótimo. Rsrsrs

    2. Realmente, ela não é nada sensual. Kkkkkkk
      . Mas, é muito imoral frente a suas atitudes e falta de respeito com o povo de seu estado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pesquisar sobre saúde na internet ajuda pessoas a reconhecerem sintomas, reconhece estudo em Harvard

Foto: Pixabay

Sinto febre alta e dor de cabeça. Se eu perguntar ao Google, ele vai me dizer que pode ser uma simples gripe, mas também há a possibilidade de se tratar de um caso de dengue. Ou então meningite. E quem sabe hepatite E? Que atire a primeira pedra quem nunca recorreu à internet diante dos primeiros sinais de que algo no seu corpo talvez estivesse errado.

Esse hábito é tão comum, que pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, decidiram analisá-lo para entender seus impactos na vida das pessoas.

“Frequentemente, eu recebo pacientes que só vieram até o meu consultório porque pesquisaram alguma coisa no Google e a internet disse que eles têm câncer”, relata, em nota, David Levine, um dos autores da investigação. “Eu pensei: isso acontece com todos? Quanta cibercondria [ansiedade resultante de buscas online relacionadas à saúde] a internet está criando?”, questiona.

Publicado no periódico JAMA Network Open no último dia 29 de março, o estudo contou com 5 mil pessoas e utilizou descrições de doenças que costumam afetar a população, como viroses, ataque cardíaco e derrame. Cada participante teve que ler uma lista de sintomas e imaginar que eles se aplicavam a alguém próximo, como um amigo ou familiar. Em seguida, os indivíduos forneceram um diagnóstico com base nas informações dadas. Depois, eles procuravam os sintomas na internet e apresentavam novamente um veredicto.

Após identificar qual seria a condição correspondente aos sintomas, os participantes selecionaram um grau de triagem para cada caso, variando entre “deixe o problema de saúde melhorar por conta própria” e “ligue para a emergência”. Além disso, foi solicitado que os indivíduos registrassem os próprios níveis de ansiedade.

Os pesquisadores concluíram que as buscas online deram uma pequena ajuda às pessoas, que apresentaram diagnósticos mais corretos após recorrerem à internet. Não foi registrada uma melhora na habilidade de escolher a triagem mais adequada e tampouco foram identificadas alterações na ansiedade.

“Nosso trabalho sugere que provavelmente não há problema em dizer aos nossos pacientes para pesquisarem sintomas”, afirma Levine. “Isso começa a formar a base da evidência de que não há tanto perigo e que, na verdade, pode existir alguma vantagem”, complementa.

Apesar disso, os especialistas reconhecem que há uma certa limitação no estudo, uma vez que os participantes imaginaram que os sintomas se aplicavam a algum amigo ou parente. Não se sabe se as pessoas agiriam da mesma forma caso elas mesmas estivessem sob análise. Além disso, a pesquisa não representa todos os internautas que utilizam a internet para fazer buscas relacionadas à saúde.

Galileu

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Sindicato dos Empregados no Comércio de Restaurantes e Bares de Natal solicita ajuda do Governo do Estado

O Sindicato dos Empregados no Comércio de Restaurantes e Bares de Natal no Estado do Rio Grande do Norte enviou um ofício ao Governo do Estado alertando que o segmento está passando por necessidades. “Neste período várias casas fecharam ou faliram. Fora as demissões de vários pais e mães de família, o sindicato está fazendo novamente uma campanha para arrecadação de alimentos e cestas básicas para Distribuir aos trabalhadores que diariamente ligam pedido ajudar, tem família passando fome os trabalhadores de Bares e restaurantes ficaram desassistidos tanto pelo governo do estado como pela prefeitura da capital”, diz trecho.

Leia o ofício abaixo:

O Sindicato dos Empregados no Comércio de Restaurantes e Bares de Natal no Estado do Rio Grande do Norte – SINDEBARNAT/RN, inscrito no CNPJ/MF sob o nº 14.010.861/0001-65, com sede na Rua Gonçalves Ledo, n.º 820, Cidade Alta, CEP. 59.025-530, Natal/RN, neste ato legalmente representado pelo seu presidente, o Sr. Flávio Teotônio, vem, respeitosamente, perante V.S. solicitar assistência para a categoria

Venho através dessa relatar a situação dos trabalhadores de Bares e restaurantes, o segmento está passando necessidades. Neste período várias casas fecharam ou faliram. FORA AS DEMISSÕES de vários país e mães de família, o sindicato está fazendo novamente uma campanha para ARRECADAÇÃO de alimentos e cestas básicas para Distribuir aos trabalhadores que diariamente ligam pedido ajudar, tem família passando fome os trabalhadores de Bares e restaurantes ficaram desassistidos tanto pelo governo do estado como pela prefeitura da capital. No final do ano as coisas começaram a dá uma Melhorada mas agora novamente tivemos que fechar nosso sindicato. Como representante dos trabalhadores entendermos a gravidade da covid 19 que já matou muitas pessoas no nosso estado. Somos a favor da vida e por isso pedimos ajuda ao governo do estado dada a excepcionalidade do movimento vivido na pandemia do covid 19 desde de março de 2020 ou seja, um ano atrás solicitamos ao governo do estado do Rio Grande do Norte amparo aos trabalhadores de Bares e restaurantes e similares que carecem de assistência das autoridades em nome dos trabalhadores que o sindicato representa pedimos a suspensão imediata da cobrança das tarifas de água e energia elétrica auxílio aluguel de 600 reais que poderá ser usado para pagamento de prestações da casa própria financiada pelo programa Minha casa minha vida fornecimento de cestas básicas que satisfaça a necessidade de um família da até 5 pessoas ou inclusão dos trabalhadores no programa Renda família com cartão alimentação Duração dos benefícios por um período de seis meses esperamos por parte de nossa experiência sermos atendido em nome dos trabalhadores da categoria

Sem mais para o momento aguardamos a ciência do governo do estado

Atenciosamente,

Flavio Teotônio

Presidente do SINDEBARNAT

Opinião dos leitores

  1. Boa noite bela atitude o sindicato nao tem culpa de nada..esta FAZENDO a parte dele lutando pelos trabalhadores..

  2. Tem que enviar expediente ao governador Sr. Laís Íon Comitê Marise Cientistas, esse povo PHD em não fazer nada e viver como professor substituto da UFRN, que só fala e não tem uma lauda de estudo científico sobre a matéria COVID, saberá tomar uma medida para resolver o problema dos que não estão morrendo de covid, mais sim de fome.

  3. Sindicato pedindo esmolas , cestas básicas ??? Por que não pedem a abertura das atividades com o uso das famigeradas máscaras que de pouco servem ( haja vista o número de casos ) ?
    Sindicato tem que preservar os empregos , não ficar pedindo esmolas a gestores . A Argentina fez o maior lock down e os casos estão na estratosfera , mostrando que para nada de bom serve . Só serve para fazer falir , sofrer , empobrecer , e matar .

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Após ajuda da União, estados e municípios fecharam 2020 no azul e com caixa recorde

Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Após o socorro financeiro bilionário da União, as finanças públicas estaduais e municipais fecharam o ano de 2020 praticamente ilesas à pandemia de Covid-19. Enquanto o governo federal teve um rombo histórico e viu a dívida pública aumentar, governadores e prefeitos registraram a maior disponibilidade de caixa dos últimos 20 anos e encerraram o ano no azul, no melhor resultado primário desde 1991.

O conjunto dos estados e municípios teve um superávit primário de R$ 38,75 bilhões no ano passado, de acordo com dados do Banco Central. Esse é o montante em que as receitas superaram as despesas.

O resultado é o melhor da série histórica, iniciada em 1991. Até então, o recorde tinha sido registrado em 2011, quando o superávit foi de R$ 32,9 bilhões. O resultado do ano passado também foi mais que o dobro do registrado em 2019, quando as contas dos governos locais ficaram no azul em R$ 15,2 bilhões.

A conta da Covid-19 sobrou toda para a União. O governo federal teve um rombo de R$ 743,1 bilhões no ano passado, incluindo as despesas extras para combater os efeitos da pandemia na saúde e na economia. O resultado não inclui os valores do pagamento dos juros da dívida, por isso é chamado oficialmente de resultado primário. O valor foi equivalente a 10% do Produto Interno Bruto (PIB). Foi o pior de toda a séria histórica do Tesouro Nacional, iniciada em 1991.

O resultado foi diretamente influenciado pela pandemia, já que o governo teve um gasto extra de R$ 520,9 bilhões, em valores nominais. A maior despesa foi com o auxílio emergencial, que custou R$ 293,11 bilhões aos cofres públicos. A segundo maior foi a ajuda a estados e municípios, que totalizou uma injeção direta de R$ 78,2 bilhões, incluindo transferências constitucionais e extras.

Somente com o socorro extra, a União repassou R$ 60 bilhões a estados e municípios, em quatro parcelas pagas entre junho a setembro. Foram R$ 10 bilhões destinados a ações de saúde e assistência social, sendo R$ 7 bilhões a governadores e R$ 3 bilhões a prefeitos. Os R$ 50 bilhões tiveram aplicação livre, sendo R$ 30 bilhões para os estados e R$ 20 bilhões para os municípios.

A União também suspendeu o pagamento de dívidas dos governos locais. Com isso, prefeitos e governadores tiveram uma folga de R$ 65 bilhões, totalizando a ajuda extra do governo federal aos governos locais em R$ 125 bilhões. O Executivo realizou, ainda, as transferências constitucionais previstas em lei, liberando R$ 16 bilhões para os fundos de participação dos estados (FPE) e municípios (FPM).

Dinheiro sobrando em caixa

Com o pacote de ajuda, os estados e municípios terminaram o ano com dinheiro em caixa. Segundo dados do Tesouro Nacional, os governos locais tinham R$ 82,8 bilhões sobrando nos cofres públicos. O valor é quase o dobro do registrado em 2019, quando a sobra foi de R$ 42,7 bilhões. Também foi o melhor resultado da série histórica iniciada em 2001.

Esse dinheiro disponível em caixa forma um colchão de liquidez, podendo ser usado pelos governos locais em 2021 para pagamento de despesas correntes ou investimentos. A sobra vem num momento importante, de recrudescimento da pandemia e retorno das medidas de restrição da atividade econômica. Até o momento, o governo federal não sinalizou intenção em dar uma nova ajuda aos governadores e prefeitos.

Em contrapartida, a dívida pública do setor público aumentou após os gastos extras para ajudar governos locais, pessoas e empresas durante a pandemia Ela atingiu R$ 6,615 trilhões em 2020, o equivalente a 89,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Foi uma alta de 15 pontos percentuais. Em 2019, a dívida estava em 74,3%. O resultado de 2020 foi o maior de toda a série histórica do Banco Central, que começa em 2006.

Gazeta do Povo

Opinião dos leitores

  1. Agradecer a quem ajudou, sim. Mas não faz mal lembrar que a CANETADA para liberar a dinheirão foi do Presidente Bolsonaro.

  2. Presidente malvadão, genocida, distribuindo dinheiro para estados e municípios combater e enfrentar o vírus, eles somem com o dinheiro e o culpado é o Presidente Bolsonaro por tentar ajudar.

  3. Cofres cheios e pessoas morrendo com falta de leitos, oxigênio e medicamentos.
    E ainda são canalhas ,aguardando que o governo federal resolva todos os problemas, e se não fizer rápido , chamam o presidente de homicida e omisso.
    Usam as vidas dos seres humanos como jogada política.

  4. Se os estados estão no azul por causa das vultosas somas de dinheiro enviadas pelo governo federal, e o stf determinou a gestão da covid ficasse exclusivamente a cargo dos governadores, nem aos prefeitos foi permitido, a quem devemos atribuir essa mortandade? dito isso, quer dizer que dinheiro não faltou, aqui até desvios de 5 milhões de reais teve, quem está promovendo esse genocídio? Infelizmente teremos que conviver com essa gestão até que ponto?

  5. Ao descentralizar, o Governo Federal aparece menos .Os Governos anteriores centralizaram muito, assim, pareciam serem muito eficientes e mantinham o voto de cabresto.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Com ajuda de videomonitoramento, PM prende criminosos, recupera veículos roubados e salva vidas na Grande Natal

Em menos de dois meses, câmeras auxiliaram agentes de segurança pública em mais de 30 ocorrências envolvendo prisões e salvamentos. Foto: Divulgação

O sistema de videomonitoramento do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (CIOSP) – órgão de controle de emergências da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED) – tem proporcionado resultados cada vez mais satisfatórios no combate à criminalidade. O salvamento de vidas tem sido outro destaque.

Em menos de dois meses, por exemplo, as 117 câmeras monitoradas pelo CIOSP na Grande Natal já foram responsáveis por 34 ocorrências geradas a partir de alertas do sistema de videomonitoramento. Destas, 18 terminaram com pessoas levadas a delegacias, sendo oito conduzidas para esclarecimentos por estarem em atitude suspeita, uma detida por lesão corporal, três presas em flagrante por tráfico de drogas, duas por roubo, uma por furto, uma por ato obsceno e duas por descumprimento de lei de combate a doenças contagiosas.

No último final de semana, dois homens foram presos em flagrante e uma motocicleta roubada foi recuperada com a ajuda do videomonitoramento, que acionou e orientou os policiais a chegarem aos criminosos. A ação aconteceu na Praia do Meio, em Natal. O veículo havia sido roubado na Avenida João Medeiros Filho, na Zona Norte da cidade. Toda a ação da prisão foi filmada pelas câmeras.

Salvamentos

Com relação a outros tipos de acionamento, sete vidas foram salvas graças ao sistema de câmeras, sendo cinco pessoas resgatadas durante tentativas de suicídio e duas em situação de afogamento em praias da capital.

O videomonitoramento ainda ajudou o policiamento a recuperar três veículos roubados. As demais ocorrências foram referentes a colisões de trânsito e atropelamentos.

“Uma vida não tem preço. Imagina então sabermos que conseguimos salvar várias vidas graças ao investimento feito em nosso sistema de monitoramento? Inegavelmente, o resultado deste trabalho paga cada centavo”, destacou o coronel Kleber Macedo, coordenador do CIOSP.

Câmeras que revelam multas e veículos com queixas de roubo serão usadas em blitzem de trânsito

O Governo do Rio Grande do Norte continua investindo em segurança pública. O Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (CIOSP) está prestes a receber a implantação de câmeras e escâneres capazes de interagir com o sistema do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RN). A tecnologia vai possibilitar a identificação, em tempo real, de veículos circulando de forma irregular.

“Em uma blitz de trânsito, por exemplo, os policiais que estão na fiscalização terão a confirmação imediata, antes mesmo de o veículo ser abordado, de que ele tem problemas de documentação ou se possui queixas de furto ou roubo. Isso vai tornar a fiscalização mais segura e mais efetiva”, destacou o coronel Macedo.

Ainda segundo o oficial, o CIOSP deverá contar com 40 câmeras fixas para uso de fiscalização no trânsito. Os novos equipamentos devem ser instalados no próximo mês.

Opinião dos leitores

  1. Esses heróis da vida real deveriam ganhar melhor do que os heróis de faz de conta da TV e do cinema.

  2. Bom dia
    Este videomonitoramento deveria existir em todos os bairros e as motos e os capacetes dos motociclistas deveriam ser numeradas,com checagem rapidas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Canela pode ajudar no controle do diabetes, sugere estudo brasileiro

Foto: Formulatehealth/Wikimedia Commons

Nesse sábado (6), um estudo brasileiro publicado no periódico Journal of the American College of Nutrition analisou a relação entre a canela e o diabetes tipo 2. Os resultados, promissores, apontam que consumo diário da especiaria pode auxiliar no controle da doença.

O diabetes tipo 2 é o mais comum, e geralmente acomete pessoas com mais de 40 anos de idade. Nele, nosso organismo se torna incapaz de usar adequadamente a insulina, um hormônio produzido no pâncreas que tem um papel importante no metabolismo do açúcar. Quando isso acontece, não conseguimos usar esse combustível, e a glicemia (concentração de glicose no sangue) aumenta – causando uma série de consequências negativas para o corpo.

A associação entre canela e controle do diabetes não é novidade. Mas segundo José Claudio Lira, pesquisador da Universidade Federal do Ceará e autor principal do estudo, os resultados, até então, não eram claros e exigiam maiores investigações. “Foi por isso que, em 2016, dei início à pesquisa durante o meu doutorado”, contou Lira à Super.

O ensaio clínico aconteceu entre agosto e dezembro de 2019, e contou com 140 voluntários de Parnaíba, município do Piauí. Todos eles tinham diabetes tipo 2 e frequentavam cinco unidades básicas de saúde da cidade.

Havia pessoas de ambos os sexos, com idade entre 18 e 80 anos. Todos apresentavam índice de hemoglobina glicada (que mede a porcentagem de glicose no sangue) igual ou acima de 6%. A título de comparação, quem possui menos que 5,7% apresenta baixo risco de diabetes.

Os voluntários foram divididos em dois grupos. O primeiro ingeriu, durante três meses, três gramas diários de canela em quatro cápsulas – o equivalente a uma colher de chá do alimento. “A dosagem foi escolhida a partir de uma média dos estudos similares que já haviam testado canela ao redor do mundo”, explica Lira. Ao segundo grupo, foi dado placebo.

Todas as pessoas seguiram com a mesma rotina de alimentação, exercícios e medicamentos de antes. O estudo era triplo cego: pacientes, técnicos de laboratórios, a responsável pela análise dos dados e o pesquisador principal não sabiam que grupo estava utilizando canela ou placebo. É uma forma de evitar possíveis resultados enviesados. “Havia um único cientista envolvido no estudo responsável por essa classificação”, disse Lira. “As informações ficaram em um envelope lacrado, que foi aberto no final do ensaio.”

Ao final de 90 dias, os voluntários realizaram novos exames de sangue para medir as diferenças. O grupo que ingeriu canela teve redução média de 0,21% nos índices de hemoglobina glicada, enquanto os que receberam placebo registraram aumento médio de 0,38%.

Já no teste de glicemia em jejum, também usado no controle do diabetes (e feito, claro, em jejum), houve uma redução de 10 mg/dL dentre os que tomaram canela, enquanto no grupo placebo o nível aumentou 21 mg/dL. Os voluntários tinham, em média, um nível de glicemia em jejum de 186 mg/dL – o ideal é que ele fique sempre entre 100-120 mg/dL.

Foi calculado também o índice HOMA-IR, que mede se a resistência à insulina está alta ou não. Em média, o índice diminuiu 0,47% entre os que usaram canela e subiu 0,30% no grupo placebo.

“Além disso, pacientes entre 40 e 65 anos tiveram resultados melhores que os outros, assim como aqueles que possuíam diabetes há mais de cinco anos”, aponta Lira.

A pesquisa contou também com profissionais de outras instituições, como a USP, a Fundação Oswaldo Cruz e a Universidade de Washington, nos EUA. No futuro, há planos de refazer o teste com um número maior de voluntários, bem como em mais lugares do Brasil. “Cada região possui hábitos alimentares e de vida distintos, que acabam interferindo no quadro de saúde do paciente com diabetes.”

Vale ressaltar que a canela deve funcionar como um complemento ao tratamento, que inclui medicamentos adequados, uma dieta saudável e a prática regular de exercícios. “O diabetes é uma doença crônica, que deve ser tratada pelo resto da vida. Só que, com o tempo, as pessoas podem relaxar ou até mesmo ignorar os cuidados necessários”, ressalta Lira. Foi por esse motivo que a pesquisa tentou desenvolver uma nova aliada a esse tratamento, que não causasse efeitos colaterais e fosse de fácil adesão. “A dose de canela pode acontecer em uma única refeição ou em doses fracionadas, e o ideal é que ela seja consumida in natura.”

A canela não é a única que pode ajudar com o diabetes. O pesquisador cita também testes promissores com alimentos como maracujá, gengibre e cúrcuma. “Queremos disponibilizar possibilidades para que o paciente possa melhorar a qualidade de vida e minimizar gastos com hospitalizações e complicações geradas pela doença.” As substâncias com o melhor desempenho podem, ainda, servir como base para a formulação de medicamentos fitoterápicos.

Super Interessante

Opinião dos leitores

  1. Muita gente sabe que diabetes tem cura. Querem um exemplo? Faustão fez uma cirurgia em Goiânia, se não me engano, e ficou bom. Mas o megaloby da indústria farmacêutica não permite que a cura seja exercitada legalmente. Nas a estupenda maioria dos médicos preferem as receitas médicas………Deu pra entender?

    1. Romário também operou.
      Eu queria ter mais informações sobre essa cirurgia.
      Eu também tenho essa praga do diabetes.
      Gostaria de me curar e sair divulgando em todas esquinas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Suprimento de oxigênio em hospital de Portugal falha, e governo admite pedir ajuda internacional

Foto: Pedro Nunes/Reuters

O sistema de fornecimento de oxigênio em um grande hospital referência para o atendimento da Covid-19 na região de Lisboa, em Portugal, falhou nesta terça-feira (26).

O hospital no município de Amadora teve de transferir 48 de seus pacientes para outras unidades de saúde na capital na noite de terça-feira, pois a pressão de oxigênio não era suficiente para um grande número de pacientes, segundo nota da instituição.

“Houve a necessidade de diminuir o consumo de oxigênio, então os pacientes foram transferidos”, disse o hospital, que quase não tem leitos livres. “Eles nunca estiveram em perigo.”

Reportagens da imprensa portuguesa mostraram ambulâncias apressadas passando pelos portões principais do hospital para pegar os pacientes, enquanto algumas deixaram o local escoltadas pela polícia.

Vinte pacientes foram transferidos para o maior hospital de Lisboa, o Santa Maria, que na terça-feira instalou dois refrigeradores do lado de fora de seu necrotério com capacidade para 30 corpos, afirmou o porta-voz do hospital.

Ajuda internacional

O presidente Marcelo Rebelo de Sousa disse em entrevista coletiva que não havia necessidade de criar “alarme” sobre a ideia de ajuda internacional, mas acrescentou: “Sabemos que há disponibilidade de países amigos para ajudar.”

A ministra da Saúde, Marta Temido, disse esta segunda-feira à emissora RTP: “O governo português está buscando todos os mecanismos disponíveis, incluindo no quadro internacional, para garantir a melhor assistência aos doentes.”

Mas Temido observou que as transferências de pacientes seriam limitadas pela localização de Portugal na extremidade ocidental da Europa, especialmente porque outras nações da União Europeia também estão sob pressão.

As mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas chegaram ao recorde de 291, trazendo o total do país para mais de 653 mil casos e 11 mil mortes.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Só falta o STF autorizar investigação, contra Ele e o Ministro da Saúde.
    Mas voltando à reportagem.
    Isso mostra a origem das nossas dificuldades.
    Portugal é o único País Europeu nessa situação.
    É genético!!!
    Kkkkkkkkk.

  2. Avise a Portugal que chame a esquerda do Brasil, que eles resolvem. A oposição passa o tempo todo denegrindo o nosso Presidente, pela falta de oxigênio em Manaus. Esse bando de incompetentes não tem o que fazer.

  3. Bozo genocida. Se ele num tivesse tacando fogo na Amazônia, o mundo teria oxigênio. Chama o Lacrón para lascar o nosso agro.

    1. BG.
      A quadrilha ptralha só entendia de construir estádios tipo a arena das dunas daqui, paga-se mensalmente R$ 10.000.000,00 do financiamento que no fim será o elefante brando doado a OAS. BANDIDOS, CRETRINOS e CANALHAS.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Caso Robson: Bolsonaro diz que vai ajudar brasileiro preso na Rússia; motorista foi pego com um remédio aceito no Brasil

Foto: Reprodução/Twitter

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (6) que o governo brasileiro vai tentar trazer o motorista brasileiro preso na Rússia por transportar um remédio aceito no Brasil. Robson Oliveira pode pegar até 20 anos de cadeia.

De acordo com um post de Bolsonaro no Twitter ele vai se aconselhar com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, para saber o que pode ser feito neste caso.

Bolsonaro cogita entrar em contato com o presidente da Rússia, Vladmir Putin, para resolver o caso.

O presidente brasileiro conheceu o caso por meio do jogador do Palmeiras, Felipe Melo. “A justiça russa é bastante rígida e independente, mas um perdão do governo local será buscado por nós.”

Robson foi preso em 2019 depois que autoridades do país encontraram com ele um remédio permitido no Brasil que estava levando para o sogro do jogador de futebol Fernando, na época no Spartak Moscou (hoje ele joga na China).

Robson trabalhava para Fernando. O medicamento seria o Mytedom 10mg, ou cloridrato de metadona, utilizado para aliviar dores crônicas.

R7

Opinião dos leitores

  1. Questinamentos:
    Por que o Cloridrato de metadona é proibido na Russia ? Se a um genérico desse "medicamento japonês" produzido sob licença, por que foi contrabandeado ? Preço na Rússia é exorbitante ?

  2. O sujeito alcunhar uma pessoa de Zé Droguinha, sem ter um mimimo de conhecimento sobre o ocorrido, fato corriqueiro nos dias de hoje, mostra o quanto a internet está dando voz e, ao mesmo tempo, mostrando o quanto é grande o numero de canalhas exitem em terras brasileiras. Cafajeste, gostaria de ver a sua reação, se o motorista Robson, homem trabalhador, pai de familia e totalmente inocente nessa acusação, fosse parente seu.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Gatos desenvolvem imunidade após infecção pelo coronavírus, sugere estudo; descoberta pode colaborar com vacina

Foto: Agência O Globo

Um estudo publicado nesta semana na revista científica Pnas (Proceedings of the National Academy of Sciences) mostra que cães e gatos podem ser infectados pelo novo coronavírus, embora nenhuma das duas espécies desenvolva a doença. No entanto, o que chamou a atenção dos pesquisadores foi o fato de os felinos desenvolverem resposta imune ao vírus, o que pode ajudar no desenvolvimento de uma vacina para os humanos.

O estudo relata que cães, além de não adoecer, não transmitem o vírus e não produzem imunidade. Já os gatos infectados liberaram o vírus infeccioso por via oral e nasal por cinco dias após a infecção, sendo capazes de infectar outros felinos através do contato direto.

Após contrair o SARS-CoV-2, esses animais foram capazes de desenvolver uma resposta imune mais protetiva e forte, evitando uma posterior reinfecção. Ainda não há, porém, informações sobre a duração dessa imunidade.

“Os gatos desenvolvem anticorpos neutralizantes significativos e são resistentes à reinfecção, embora a duração da imunidade neles não seja conhecida atualmente. Isso pode ser um modelo útil para testes de vacinas subsequentes, tanto para vacinas candidatas humanas quanto para animais”, diz a pesquisa.

O estudo foi desenvolvido pelos cientistas da Escola de Medicina Veterinária da Universidade Estadual do Colorado, nos Estados Unidos. Eles lembraram que, apesar das implicações do coronavírus para os animais ainda serem amplamente desconhecidas, não há evidências até o momento de que gatos ou cães possam transmitir o SARS-CoV-2 para humanos.

Os autores do estudo observam que, enquanto quase um milhão de pessoas já morreram com a Covid-19 no mundo, existem apenas poucos relatos de animais que contraíram o vírus.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Perfis falsos fingem ajuda ao Pantanal para lucrar nas redes sociais

Foto: Agência Brasil

O nome da ONG Ampara Animal tem sido utilizado por perfis falsos nas redes sociais para conseguir doações para o Pantanal. Os casos foram expostos por seguidores e amigos dos organizadores da entidade, com fotos da equipe usadas para pedir dinheiro.

Nas redes oficiais da ONG , os seguidores foram avisados sobre um dos perfis falsos, o @amparapantanal. Após a denúncia, o perfil falso foi fechado e bloqueou os membros da entidade ambiental.

Boletins diários com prestação de contas sobre o que tem sido realizado pela entidade oficial são apresentados aos seguidores nas redes sociais.

Os incêndios no Pantanal atingiram recordes históricos. Em 2020, o fogo consumiu o triplo de área do que em todo ano de 2019, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais ( INPE ). Foram registrados mais de 16.119 focos neste ano, enquanto em 2019 apenas 5.690 foram registrados.

Último Segundo – IG

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Câmara aprova texto base de ajuda ao setor esportivo

Foto: Marcello Casal jr/ Agência Brasil

A Câmara aprovou, nesta quinta-feira (16), o texto base do projeto de ações emergenciais para o setor esportivo durante a pandemia de Covid-19, estendendo o auxílio emergencial de R$ 600 a atletas e demais trabalhadores informais do esporte que estejam sem emprego. Os deputados analisam agora destaques à proposta.

O texto estabelece ainda linhas de crédito para pessoas físicas e micro e pequenas empresas do setor; negociação de dívidas tributárias; alterações nos prêmios e na concessão da Bolsa Atleta e em dispositivos das leis Pelé e de Incentivo ao Esporte. Prevê também regras para a retomada das competições esportivas oficiais.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Alcolumbre e Guedes entram em sintonia sobre o socorro financeiro a estados e municípios e fecham acordo

Foto: Reprodução/CNN

O presidente do Congresso, Davi Alcolumbre, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, fecharam o acordo sobre o pacote de socorro financeiro a estados e municipals. Assista vídeo em link AQUI com mais detalhes.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Zenaide têm emendas aprovadas pelo Senado para ajuda de R$ 600 a mais trabalhadores

Foto: Divulgação

As emendas apresentadas pela senadora Zenaide Maia (Pros-RN) ao projeto de renda mínima emergencial (PL 873/2020) garantiram a inclusão de agricultores e de trabalhadores intermitentes, com contratos ativos, na lista de quem também terá direito a receber o auxílio emergencial de R$ 600,00 por três meses, em razão da pandemia do coronavírus. O PL foi aprovado pelos senadores e agora só falta a sanção presidencial para que ele vire lei.

Outra mudança proposta pela senadora e acatada pelo senador Esperidião Amin (PP-SC), relator do projeto, insere na lei de ajuda emergencial a nova renda per capita familiar de meio salário mínimo para o acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), o que aumenta o número de famílias que poderão ser beneficiadas. Além disso, Zenaide quis garantir na lei que nenhuma operação “pente-fino” ou coisa parecida possa suspender o pagamento do BPC durante o estado de calamidade pública: “Reinserimos o meio salário mínimo por pessoa e mais: durante a pandemia, ninguém que recebe o Benefício de Prestação Continuada pode ter seu benefício suspenso”, assinalou a parlamentar, em vídeo postado em suas redes sociais.

A ampliação de 1/4 para 1/2 salário mínimo de renda per capita familiar para acesso ao BPC já consta na Lei 13.981, sancionada em março, mas a mudança vem enfrentando resistência por parte do governo, que vetou o novo limite e, depois do veto ter sido derrubado pelo Congresso, apelou, sem sucesso, ao Tribunal de Contas da União, para tentar barrar a mudança na regra de acesso ao BPC.

Opinião dos leitores

  1. Deveria também batalhar para que as eleições desse ano fossem adiadas e o dinheiro do fundo eleitoral seja destinado ao combate à pandemia. Responda doutora senadora que eu sei que Vossa Excelência é leitora desse blog.

  2. Espero que não censurem meu comentário: estou esperando a senadora entrar com projeto pra diminuir salários e verbas dos parlamentares, pois usar o nosso dinheiro público suado e posar de bonzinho já temos muitos que o fazem!

    1. Muito bom o seu comentário, mas, amplie o seu alcance e solicite a todos os deputados e senadores de nossa bancada, não fique apenas cobrando apenas de um.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Como alternativa a projeto da Câmara, governo propõe aumento de R$ 77 bilhões na ajuda a estados

A área econômica do governo federal anunciou nesta terça-feira (14) uma proposta para aumentar em R$ 77 bilhões a ajuda da União para estados e municípios, como alternativa a um projeto aprovado pela Câmara nesta segunda-feira (13).

O dinheiro ajudaria governos estaduais e municipais no enfrentamento da crise causada pelo coronavírus.

Com isso, o valor total proposto pelo governo chegaria a R$ 127,3 bilhões R$ 49,9 bilhões já haviam sido anunciados em março.

O governo tem críticas ao texto da Câmara e entende que a matéria precisa ser modificada.

O projeto aprovado pelos deputados recompõe durante seis meses (entre maio e outubro), ao custo de R$ 89,6 bilhões, as perdas de arrecadação dos estados e municípios relacionadas com a pandemia do coronavírus. O texto ainda precisa ser aprovado pelo Senado Federal.

De acordo com o chefe de assessoria especial do Ministério da Economia, Esteves Colnago, o projeto da Câmara contém um “incentivo perverso”, porque, na opinião dele, desobriga estados e municípios a adotarem medidas contra perdas maiores de arrecadação.

“Há um incentivo perverso podendo gerar não-zelo na arrecadação, uma vez que toda perda será compensada pela União. Essa compensação será feita pela sociedade brasileira”, disse Colnago.

Questionado se o governo trabalha com a possibilidade de alterar no Senado o texto aprovado na Câmara, Colnago, afirmou que essa seria uma “opção natural”.

As novas propostas anunciadas nesta terça-feira (77 bilhões) são as seguintes:

R$ 40 bilhões em transferências diretas, sendo R$ 19 bilhões para os estados e R$ 21 bilhões para os municípios

Suspensão de dívidas com a União de R$ 20,6 bilhões dos estados e de R$ 2 bilhões dos municípios

Suspensão de dívidas com a Caixa Econômica Federal e com o BNDES neste ano de R$ 10,6 bilhões dos estados e de R$ 4,2 bilhões dos municípios

A equipe econômica informou que parte das propostas podem ser aplicadas por meio de medida provisória (que têm vigência imediata). Somente a suspensão no pagamento de dívida por parte dos estados e municípios teria de ser feita por projeto de lei.

“É possível que seja editada uma MP para contemplar os elementos passíveis de serem postos em uma medida provisória. Há uma limitação por suspensão de dívidas ser encaixado em um MP. Mas a transferência direta de R$ 40 bilhões, sim [pode ser feita via MP]. Os demais elementos imprescindíveis, em sendo enviada uma MP, caminharão por projeto de lei”, disse Waldery Rodrigues, secretário de Fazenda do Ministério da Economia.

As medidas anunciadas anteriormente (R$ 49, 9 bilhões) foram:

Transferências de R$ 4 bilhões para os estados e de R$ 4 bilhões para os municípios para a área de saúde

Suplementação aos municípios de R$ 2 bilhões ao Serviço Único de Assistência Social

Recomposição de FPE, aos estados, de R$ 7,7 bilhões, e de FPM, aos municípios, de R$ 8,3 bilhões.

Atraso no pagamento do PIS/Pasep e FGTS de R$ 1,6 bilhão para os estados e de R$ 2,3 bilhões para os municípios

Renegociação de dívidas com garantia da União de R$ 15 bilhões para os estados e de R$ 5 bilhões para os municípios

Projeto aprovado pela Câmara

No projeto aprovado nessa segunda-feira (13) pela Câmara dos Deputados, está explicitado que os valores repassados pela União deverão ser aplicados pelos estados e municípios exclusivamente em ações para o combate à pandemia de coronavírus.

Para receber, estados e municípios terão que comprovar a queda da arrecadação do Ministério da Economia, referentes aos meses de abril a setembro de 2020, em até 15 dias após o encerramento de cada mês.

Se não comprovarem a tempo, nos meses de abril, maio e junho, receberão uma antecipação do auxílio de 10% da arrecadação dos impostos referentes aos meses de 2019.

Em relação ao ICMS, recolhido pelos estados, 75% serão destinados aos estados e 25% serão repassados aos municípios, sendo que a divisão será feita com base na participação de cada município na receita do ICMS do estado nos mesmos meses de 2019.

Se esse percentual for maior do que o ente federativo deve receber, isso será deduzido no mês seguinte ou, após o fim do seguro, compensado nas distribuições do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

O texto também prevê a suspensão das dívidas de estados e municípios com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Caixa Econômica Federal entre março e dezembro de 2020.

Serão anulados os atos que concedam ou ampliem incentivos ou benefícios tributários, bem como isenção, suspensão, alteração no prazo de recolhimento que reduza a arrecadação de ICMS e de ISS.

As dívidas de estados e municípios com bancos públicos estão suspensas entre março e dezembro de 2020. O BNDES e a Caixa podem criar termos aditivos para refinanciar as operações de crédito até o fim deste ano.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Novo decreto estadual atinge empresas do Alecrim e Associação dos Empresários pede ajuda do Estado e Prefeitura

O novo Decreto Estadual nº 29.600/2020 estabelece medidas mais rígidas de isolamento social no Rio Grande do Norte para diminuir o contágio pelo novo coronavírus (Covid-19) e vai impactar nos negócios do Alecrim.

“A adoção dessas medidas já era esperada pelo comércio, diante do agravamento dos casos de coronavírus em nosso Estado, contudo vai ampliar as dificuldades das empresas que terão suas receitas estagnadas.

As micro e pequenas empresas do Alecrim, que constituem mais de 92% do total de estabelecimentos no bairro, serão as mais afetadas com essa decisão, pois a maioria delas não tem estrutura para desenvolver um trabalho de vendas online e devem ter queda de quase 100% nas suas vendas.

Chegou o momento do Governo do Estado e Prefeitura de Natal ampliarem as medidas de ajuda, uma vez que apenas prorrogar impostos e tarifas são insuficientes para manter essas empresas ativas.

Caso os governos não encontrem mecanismos de apoio à sobrevivência dessas empresas, o RN irá conviver com índices alarmantes de desemprego, pobreza e empresas falidas.

A AEBA, juntamente com outras lideranças do comércio, CDL, Fecomércio, Sindicatos e Sebrae, vem atuando junto aos governos, em busca de ações que possam diminuir os impactos dessa crise.

Pedro Campos de Azevedo
AEBA – Associação dos Empresários do Bairro do Alecrim”

Opinião dos leitores

  1. Lideranças do comércio, CDL, Fecomércio, Sindicatos e Sebrae, coloquem na cabeça que é necessário PARAR, do que ENTRAR EM COLAPSO e os números só aumentam!!! Aproveito para breve me desfiliar a CDL!

    1. Feche mas pague o aluguel, o funcionário, seus fornecedores, a mulher da quentinha e o rapaz do detergente. Não faça como os petralhas, Fecham o comércio, e some com a mercadoria e não paga a ninguém. Assim é fácil.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Aplicativo Tô de Olho ajuda a conter o coronavírus no RN

A tecnologia está ajudando a fortalecer as ações de contenção da pandemia da Covid-19 no Rio Grande do Norte. É o caso do aplicativo “Tô de Olho”, desenvolvido para a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) através de uma parceria com o Ministério Público do RN (MPRN) e o Instituto Metrópole Digital (IMD), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A nova ferramenta está disponível para todos os potiguares e será bastante útil para reduzir o contágio em massa pelo novo coronavírus.

A parceria tem objetivo de criar uma rede de proteção contra a pandemia que atingiu o Pais há dois meses e já matou cerca de 800 pessoas. Através do aplicativo ou do cadastramento no site todeolho.mprn.mp.br, os potiguares poderão informar a presença de aglomerações, que serão comunicadas às administrações públicas municipais e ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), com garantia da identidade preservada.

Outra funcionalidade é o rastreamento dos contatos, que permite fazer um histórico da localização das pessoas. Através dessa funcionalidade, quem tiver algum contato com uma pessoa infectada no período de contágio será notificado para que possa reforçar o isolamento. O aplicativo permite acesso a um mapa com as regiões de maior risco de infecção, informa ocorrência de sintomas, aponta o índice de isolamento das pessoas e registra denúncias sobre eventual aglomeração em qualquer cidade.

O uso do “Tô de Olho” é totalmente gratuito. Basta instalar o aplicativo, disponível no Google Play, ou se cadastrar no site (https://todeolho.mprn.mp.br). Os dados fornecidos serão utilizados apenas durante a pandemia e para fins específicos do controle da cadeia de contágio, sendo totalmente destruídos ao fim da crise epidêmica.

Opinião dos leitores

  1. Bisbilhotar indiscriminadamente a vida de terceiros e prejudicar por prazer já faz parte do cotidiano do MPRN.

  2. Isto de matar de inveja o criminoso Stalin e sua KGB. Mais uma vez uma instituição pública federal (UFRN) mostra suas unhas. George Orwell 1984 fazendo cumprir a proficia da chegada do 'Grande Irmão". Acompanhar os passos das pessoas…….

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *