É Fake News o calendário que circula no Whatsapp com pagamento dos atrasados do Governo do RN

Foto: Reprodução

Mensagem com um suposto calendário de pagamento dos atrasados de 2018 do Governo do Estado causou alvoroço e ganhou grande compartilhamento no fim da manhã e início de tarde desta quarta-feira(08). A fake news foi alertada pela Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças do RN(Seplan). Sobre uma previsão: cenas para os próximos capítulos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lucio flavio Cavalcante disse:

    Esse calendário é do Governo do estado do Mato Grosso.

  2. Ex-Pretralha disse:

    NADA DE FAKE NEWS, olhem a verdade: O Governo do RN nâo recebeu o dinheiro da cessão onerosa dos royalties que o Banco Daycoval comprou pela “mixaria” de R$ 180 milhões. O Estado está inadimplente junto ao CADIN. Ou seja, tá sujo.
    Embora o poderoso chefão do STF Dias Toffoli, já tenha ordenado tirar o RN do cadastro. Mesmo assim, a pendenga continua. O aval ainda não foi dado pela União. O CADIN é o como se fosse o SPC. Aquele serviço que fichava “os veacos” para não comprar mais nada até que limpase o nome. Ou seja, subam e desçam!

  3. hbbeto disse:

    Com certeza, é gópi!

  4. ForaCanalhas disse:

    Algo de bom vindo do PT com certeza e FAKE ou FRAUDE………

  5. Laurinha disse:

    É GOPI
    É GOPI
    É GOPI
    É GOPI
    É GOPI
    É GOPI

  6. STELA SANTOS disse:

    Não é fake, é
    GOPIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

Governo regulamenta parcelamento de tributos atrasados de bancos

O Ministério da Fazenda publicou duas portarias que regulamentam parcelamentos de impostos atrasados de empresas. A Portaria Conjunta nº 8, da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e da Secretaria da Receita Federal, regulamenta as regras para que instituições financeiras e companhias seguradoras paguem os débitos com o Programa de Integração Social (PIS) e com a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), vencidos até 31 de dezembro de 2012.

A Portaria nº 9 dispõe sobre o parcelamento de débitos de empresas referentes ao Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ) e à Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). As regras valem para empresas que deixaram de pagar o IRPJ e a CSLL sobre lucros de coligadas ou controladas no exterior.

Os novos parcelamentos especiais foram autorizados pela Lei 12.865, publicada no último dia 10 no Diário Oficial da União. Originária da Medida Provisória 615 e sancionada ontem (9) pela presidenta Dilma Rousseff, a lei permite a reabertura do parcelamento especial de dívidas de qualquer contribuinte com a União, conhecido como Refis da Crise.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciana Morais Gama disse:

    Eh isso mesmo, o Governo do PT sempre gostou de ajudar os Bancos. Viva o PT.

Parnamirim: MP ajuíza ação para Município repassar recursos atrasados do CAPS PAR

O Ministério Público Estadual, através da 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Parnamirim, ajuizou ação civil pública para que a Justiça determine ao Município o pagamento devido dos repasses federais destinados ao Centro de Atenção Psicossocial (CAPS PAR), atrasados desde janeiro deste ano de 2013. O CAPS PAR, gerido pela Associação Brasileira de Estudos em Saúde Mental (Abrassame), com sede na Rua Pires de Campus, no Centro, é regularizado no cadastro nacional de estabelecimentos de saúde e habilitado perante o Ministério da Saúde para o atendimento de adultos portadores de transtorno mental em Parnamirim.

O CAPS PAR faz jus ao repasse mensal no valor de R$ 33.086,25 retido indevidamente pelo Município desde o início do ano, prejudicando e impossibilitando a assistência prestada aos adultos portadores de transtorno mental.

Como a Secretaria Municipal de Saúde não apresentou justificativas acerca da retenção dos repasses financeiros ao CAPS PAR, o que implica em prejuízo aos munícipes cujo direito constitucional à saúde vem sendo violado, e o Município não sinalizou com a possibilidade de resolver o problema mesmo com várias tentativas extrajudiciais por parte do MP, a 4ª Promotoria de Justiça buscou uma solução pela via judicial.

Na ação, a representante ministerial busca garantir o repasse federal para o CAPS PAR e com isso o atendimento integral aos pacientes adultos e maiores de 14 anos acometidos de transtorno psíquico, devido a grave situação de vulnerabilidade social, uma vez que o Município de Parnamirim não possui nenhum serviço habilitado para atendimento desse público nos moldes exigidos pelas Portarias do Ministério da Saúde.

Entre os pedidos, se quer que a Justiça conceda liminar e obrigue o Município de Parnamirim, imediatamente, a realizar os repasses atrasados na quantia de R$ 264.690,00; bem como obrigue também o Município a manter a regularidade nos futuros repasses federais relativos ao CAPS PAR.

O Ministério Público Estadual sugere a fixação de multa no valor de R$ 1 mil na pessoa do Prefeito, em caso de descumprimento de eventual decisão judicial.