Economia

Com lockdowns e outras restrições para combater a pandemia, desemprego é maior fator de risco no mundo, diz pesquisa do Fórum Econômico Mundial

Foto: © REUTERS/Alkis Konstantinidis/Direitos Reservados

O desemprego é visto por executivos de empresas do mundo inteiro como a maior preocupação para os próximos dez anos, seguido de perto pela propagação de doenças infecciosas, segundo pesquisa conduzida pelo Fórum Econômico Mundial.

As taxas de desemprego dispararam por causa dos lockdowns e de outras restrições para combater a pandemia do novo coronavírus, e há temores de que o pior ainda esteja por vir nos países em que trabalhadores foram colocados em licença.

“As interrupções de empregos causadas pela pandemia, a tendência crescente de automação e a transição para economias mais verdes estão alterando os mercados de maneira fundamental”, disse Saadia Zahidi, diretora do Fórum Econômico Mundial.

“Enquanto emergimos dessa crise, líderes terão uma oportunidade notável de criar novos empregos, apoiar salários dignos e para reimaginar as redes de segurança social, a fim de atendam os desafios nos mercados de trabalho de amanhã”.

A pesquisa Riscos Regionais Para Negócios consultou 12.012 líderes empresariais de 127 países, faz parte do relatório global de competitividade do Fórum Ecônomico Mundial e será publicada no mês que vem.

O estudo pediu opiniões sobre 30 riscos. A preocupação com a propagação de doenças infecciosas também veio à tona, subindo 28 colocações em relação à pesquisa do ano passado.

Crises fiscais, ciberataques e instabilidade social profunda ficaram em terceiro, quarto e quinto, respectivamente, apontou a pesquisa. Mas os riscos trazidos pelas mudanças climáticas também estão subindo na agenda, de acordo com o Fórum.

Agência Brasil, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. Lockdown, fique em casa, deu nisso que parte da Europa está passando, arruinando a economia novamente, o Brasil certamente não passará por isso , pelo que vemos de praias lotadas e aglomerações a contaminação de rebanho já foi alcançada.
    E se os médicos não agissem com politicagem e covardia , esperando febre de 38 graus para agir e receitassem um kit de medicamentos no início dos sintomas, não haveria tantas mortes .
    Quem teve e sobreviveu sabe do que estou falando.

  2. Kkkkkk os bilionários estão preocupados pelo fato de seus lucros estarem ameaçados porque quem produz mesmo, a célula do trabalho, tá impedido pelo governo de ir lá e financiar a farrinha do isolamento em ilhas particulares. Pq óbvio, alguém tem que trabalhar pra garantir que quem é rico fique ainda mais rico nessa pandemia e, melhor, se isole nas Maldivas monitorando tudo de longe.
    Kkkkkkk
    Só o lucro do Jeff Bezos na pandemia financiava umas 3 parcelas do auxílio emergencial sozinha no Brasil, dando sustento só pra umas 60 milhões de pessoas. Mas não, ele pode lucrar – diga-se, lucra através dos seus empregados, não pagar (quase) nada de imposto, não distribuir nada disso e ainda mandar o povo se fuder pra ele. Ao invés de expropriar esse dinheiro e garantir que muito menos gente morra colocando a fuça aí para enriquecer o gordinho sócio da multinacional em isolamento na Polinésia Francesa as autoridades globais acham que é melhor manter essa palhaçada toda e ainda, com o povo pagando com a vida por isso.
    E assim será até que a crise climática acabe com todo mundo.

    1. Tenho lido muita bobagem, mas essa foi acima da média!!! Kkkkkkkkkkk

  3. Essa notícia apenas confirma que mais uma vez Bolsonaro estava certo quando ele dizia logo no início da pandemia, que devia cuidar da doença e da economia.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19: obesidade é fator de risco tão grave quanto ser idoso, descobrem cientistas brasileiros

Foto: Alissa Eckert, Dan Higgins/CDC

A obesidade é um fator de risco para o agravamento da Covid-19 e morte pela doença tão importante quanto ser idoso (entenda por quê). Cientistas brasileiros descobriram que os obesos correm perigo elevado, não importando idade, sexo, etnia ou comorbidades, como hipertensão, doença cardíaca, pulmonar ou diabetes.

Pessoas com sobrepeso também têm risco aumentado, pois este cresce junto com os quilos na balança. Indivíduos acima do peso, mas que não chegam a ser obesos, já têm algum grau de inflamação e podem apresentar deficiências imunológicas, afirma Silvia Sales-Peres, professora da Universidade de São Paulo (USP) em Bauru e coordenadora de uma revisão sistemática sobre o impacto da obesidade sobre a Covid-19.

— Vimos que mesmo em pessoas sem nenhuma outra doença além da própria obesidade, o risco de Covid-19 grave é significativamente maior, inclusive nos jovens. Isso é gravíssimo para o Brasil, no qual a maior parte da população está acima do peso — enfatiza Sales-Peres.

Em abril, médicos já haviam observado uma relação evidente entre a obesidade e a Covid-19 grave. Mas se pensava que isso ocorria porque a obesidade quase sempre está acompanhada de comorbidades. O que o estudo da USP mostra é que somente ser obeso já eleva muito o risco da Covid-19.

Pessoas obesas e aquelas com sobrepeso enfrentam o coronavírus em desvantagem a partir do momento em que são infectadas. E nelas a doença também progride mais depressa para um quadro grave, salienta Sales-Peres.

Apoiado pela Fapesp, o estudo do grupo dela foi publicado na revista Obesity Research & Clinical Practice e analisou dados de nove pesquisas com 6.577 pacientes infectados pelo SARS-CoV-2 em China, França, Espanha, Itália e Estados Unidos. O estudo mostrou que 9,4% dos obesos internados em UTI morreram.

Uma outra pesquisa internacional, publicada na Obesity Reviews com dados de 399.000 pacientes no mundo, mostrou que pessoas obesas com coronavirus têm 113% mais chance de precisar de internação do que aquelas com peso normal. O risco de internação em UTI é 74% maior e o de morte, 48% superior.

A notícia é particularmente preocupante para o combate da pandemia em países como o Brasil em que 55% da população têm sobrepeso e outros 19,2% são obesos, de acordo com a última pesquisa Vigitel, do Ministério da Saúde, com dados de 2018.

Uma série de mecanismos de defesa e de inflamação são desregulados nos obesos e, em menor escala, nas pessoas com sobrepeso. Um dos mais importantes é que por terem mais receptores chamados ECA-2, usados pelo coronavírus para invadir as células, essas pessoas têm maior carga viral.

Além disso, o Sars-CoV-2 se multiplica no tecido adiposo e faz dele um reservatório. O coronavírus não apenas ataca com mais intensidade quanto permanece por mais tempo, explica Sales-Peres.

Tempestade perfeita

Especialista em obesidade, Lício Velloso, professor titular do Departamento de Clínica Médica da Unicamp, salienta que no obeso o corpo está em desequilíbrio permanente. Por isso, é muito mais vulnerável ao coronavírus.

O obeso tem menos defesas contra vírus porque sua imunidade é mais fraca. E também é mais propenso a quadros inflamatórios graves porque já sofre de inflamação crônica. Para piorar, o coronavírus se multiplica e se esconde na gordura. Como se não bastasse, o excesso de tecido adiposo prejudica o funcionamento dos pulmões. Ele é vítima de uma tempestade perfeita.

— A obesidade é por si só uma doença crônica e muito perigosa. Não se trata de falta de força de vontade. É uma doença e deve ser encarada como tal. Isso é fundamental inclusive para combater o estigma — ressalta.

A mesma opinião tem o presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Rodrigo Moreira. Ele lembra que já se sabia que os obesos são mais vulneráveis a sofrer o agravamento de outras infecções virais, como a influenza. E acrescenta que há estudos mostrando que neles a vacina contra a gripe é menos eficiente.

Sales-Peres diz que ainda é cedo para saber se o mesmo ocorreria com as vacinas em desenvolvimento contra a Covid-19.

Pessoas com índice de massa corporal (IMC) acima de 25 são consideradas com sobrepeso, e com mais 30, obesas. O IMC é calculado dividindo o peso pela altura ao quadrado.

Os especialistas são unânimes em destacar a necessidade de políticas públicas para o controle da obesidade, um problema grave antes da pandemia. E esta só piorou as coisas, pois reduziu a mobilidade e a atividade física, o que pode ter levado muita gente a engordar.

No Brasil não existem ainda avaliações disso. Mas na França houve um aumento médio de três quilos por habitante nos primeiros seis meses de pandemia

— A obesidade também é uma pandemia. É uma doença crônica e grave, associada não só a pandemia de coronavírus, mas às principais causas de morte no Brasil e no mundo, as doenças cardíacas e o câncer. Ninguém é obeso porque quer — salienta Moreira.

Ele espera que vá adiante a proposta de rotular alimentos que contém mais açúcar, gordura e sódio. Ela está em análise na Anvisa.

— A população deve ser claramente informada que está consumindo um alimento que vai engordá-la — diz Moreira.

Entenda porque pessoas acima do peso tem mais risco de desenvolver Covid-19 grave

1. A obesidade é por si só uma inflamação crônica de baixo grau, associada ao aumento excessivo das células adiposas. A tempestade de citocinas deflagrada pelo coronavírus, que agrava a Covid-19, seria intensificada nos obesos porque a resposta inflamatória deles já é desequilibrada.

2. Estudos mostraram que pessoas acima do peso, em especial as obesas, têm mais receptores de ECA2,a porta de entrada do Sars-CoV-2 nas células. Isso significa que entram mais vírus nos obesos. A carga viral deles é maior. Esse fator é considerado importantíssimo para o agravamento da Covid-19.

3. Os obesos costumam ser pré-diabéticos ou diabéticos. Eles têm glicose elevada e ela, quando em excesso, prejudica o sistema imunológico. Isso acontece porque a glicose alta afeta os macrófagos. Estes são células da primeira linha de defesa contra vírus, a chamada resposta inata. Os macrógafos fagocitam (engolem) e eliminam o vírus. Também são eles que “apresentam” pedaços do vírus aos linfócitos para que estes possam produzir anticorpos. O excesso de peso, assim, enfraquece as defesas inatas.

4. Os obesos produzem menos interferon. Estes são proteínas também importantes para a resposta inata do organismo ao ataque de vírus. Os interferons tentam bloquear a multiplicação de vírus.

5. O Sars-CoV-2 se multiplica nas células adiposas, de gordura. Se acredita que elas sejam um reservatório “secreto” do vírus.

6. Os obesos têm pior função respiratória. O tecido adiposo comprime o diafragma e não deixa os pulmões funcionarem direito.

O Globo

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Coluna do BG

A multiplicação dos Fatores na terra de Poti. Mas seu Barãoooo!!!

Acompanho a blogosfera local há muitos anos. Durante esse período fui separando o joio do trigo. Aqueles que me informavam – e que eu acreditava – e aqueles que claramente tinham conteúdos tendenciosos. Entre os que eu acreditava e confiava na informação estava o blog do ilustre professor da UFRN, Ricardo Rosado, publicitário bem sucedido, com uma história de sucesso no ramo da propaganda e professor queridíssimo pelos companheiros e alunos da UFRN.

Sempre dizia pra mim mesmo: “Esse cara é punk”. Professor, publicitário, jornalista, profundo conhecedor… É para poucos. Tudo o que ele colocava no Fator RRH eu acreditava. Juro!

Após colocar o Blog do BG no ar, passei a entender um pouco desse mundo jornalístico, mesmo sem entender muito do assunto e ser ruim de português. Aí, já por dentro das coisas, comecei a pensar: “Como pode um blog cobrar tanta probidade? Cobrar tanto moralismo dos servidores públicos e de quem exerce papeis no Legislativo e até no Judiciário se ele tem anúncios públicos?”. Mas, tudo bem, o que importava era a credibilidade do dito cujo.

Na minha função de blogueiro, fui acompanhar os depoimentos da CEI dos Contratos, da Câmara Municipal de Natal. Para minha surpresa, está lá o nome da pessoa que eu achava o máximo, dizendo que ele tinha um contrato pelo qual recebia R$ 5 mil mensais para manter um anúncio da Prefeitura do Natal no Fator RRH.

Documentos que comprovam que o blog FatorRRH recebeu R$ 5 mil da PMN (Para vê-los maior copie a URL e cole no seu navegador)

Realmente, foi uma surpresa desagradável. Como posso fazer uma crítica à gestão da prefeita se recebo verbas publicitária da Prefeitura? De repente passei a entender tantas críticas iradas à CEI dos Contratos.

Como sou um homem de boa fé, achei que isso era normal. De repente uma pessoa pode ter um blog e mesmo recebendo recursos públicos pode ter uma opinião independente.

Não quero com isso dizer que quem recebe verba publicitária de órgãos públicos não tenha ética. Nada disso. Não estou fazendo mau juízo do rapaz. Nem de ninguém. Estou apenas infomando.

Resolvi pesquisar mais e vejam só o que eu encontrei:

Ricardo Rosado, além de comentarista da TV Ponta Negra e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, também é consultor de Comunicação e Publicidade da Fiern. Mais uma surpresa: como pode ele ser consultor de comunicação e publicidade e o blog ter vários anúncios da Fiern e outras entidades do Sistema S (Sebrae/Sesi/Senai)?

Expediente do Site da FIERN comprovando a consultoria em Comunicação e Marketing de Ricardo Rosado
Post no Blog FatoRRh com os anúncios da Fiern, Sesi, Senai, IEL e Sebrae

Quer dizer que ele mesmo autoriza os anúncios para o blog dele? Por intermédio da agência dele? Qual o critério? Acessos? Visibilidade? Estou curioso.

Mas, minha surpresa aumentou ainda mais. Conferindo o site da agência de propaganda dele, a FazPro (antiga Faz Propaganda, aliás deve estar em moda a mudança de nome) constato, de queixo caído, que a agência dele também atende a conta da Fiern.

Espelho no site da Agência FAZ mostrando os clientes Fiern, Sesi, Senai e IEL

Gente, quer dizer que ele é o consultor em comunicação e publicidade, autoriza o anúncio para o blog e a agência dele ainda atende a Fiern? Houve licitação? Quantos concorreram? Macacos me mordam! É dinheiro demais. Será que ele é sócio da Fiern?

Vamos recapitular: o blog, que não sei por qual critério, recebe verba publicitária de todo o Sistema S e da Fiern. A agência  do publicitário, blogueiro, consultor e professor de Jornalismo (será que ele ensina ética aos alunos do curso de Jornalismo da UFRN?) toma conta da verba publicitária da Fiern. Alguém pode me explicar essa situação? É ético, imoral ou engorda?

Com a palavra o presidente da Fiern, Amaro Sales.

Só para encerrar, fazendo uma pesquisa ainda mais minuciosa, eu descobri que o blogueiro e professor que também é ao mesmo tempo cliente, consultor e agência da Fiern , também é assessor do deputado Henrique Eduardo Alves. Com tanta isenção e depois de tantos fatores, eu encerro por aqui.

Será que é por isso que dizem que a ordem dos fatores não altera o produto. Tudo multiplicado, rende uma grana boa por mês. E a ética? A ética que vá às favas.

Mas, seu Barãoooooooooo?

 

 

 

 

 

 

Opinião dos leitores

  1. Antes que meu silêncio me agrida: e quando a Assembleia Legislativa e a Câmara Municipal de Natal vão deixar de se configurar os maiores 'cabides de emprego' de jornalistas por metro quadrado do Rio Grande do Norte? E quando estas mesmas CMN e AL vão, afinal, promover o primeiro concurso público para preencher as vagas de jornalistas em suas respectivas TVs públicas? E quando o inoperante Sindjorn vai parir uma inédita e improvável "nota à opinião pública" assumindo sua máxima consciência culpada em silenciar ante tais absurdos?

  2. Antes que eu me esqueça, sempre tive para mim que jornalismo é a profissão dos que não têm profissão. E qual seria, então, a profissão de talentos como Drummond, Millôr, Joel Silveira, Davi Nasser, Nelson Rodrigues, Armando Nogueira, Dorian Jorge Freire, Franklin Jorge, Edgar Barbosa…? Es-cri-to-res, num continente tropical que se exubera por seu analfabetismo, funcional ou absoluto. Gente culta e humanista, capaz de distinguir oxo de oxum, não se deixa derramar na vala putrefata das manjadas redações de imprensa. Eles têm, no mínimo, uma realidade paralela, muito mais digna de seus esforços.

  3. Caro Bruno, descobri seu blog, por sugestão de um amigo. 
    Se você fizer esta pesquisa na mídia do Rio Grande do Norte, 98% dos blog, portais, fms, jornais, enfim, todos eles são financiados, subservientes, domesticados, sem ética, sem independência e sem imparcialidade.
    A mídia potiguar é um escândalo. 
    Bruno, sem blog ganhou mais um leitor/internauta.
    Feliz Natal.

  4. Bruno, o mais curioso é que até agora estamos esperando o nobre blogueiro e colunista da Tv Ponta Negra, de propriedade da prefeita Micarla e por acaso, o maior crítico da CEI que investiga a gestao da mesma, se pronunciar sobre essa singular relação com a Fiern.
    Até agora nada.Ao invés disso, prefere atacar os que estão apenas cumprindo o seu papel. Parabéns, vc não precisa de diploma. Tem coragem e caráter, coisas que não se aprendem em sala de aula.

  5. Espantado!!!  Qtos 'justos e honestos' fecharam os olhos e abriram os bolsos pra se formar esse circo? 

  6. Fato bastante lamentavel esse do Blog FATOR RRH. Jamais esperei que o RH recebesse $$$ da PMN. Lembrando o líder politico Dinarte Mariz, "todo politico tem seu preço"… nesse caso basta trocar politico por jornalista. Não é ´so o RH que recebe $$$ de órgãos publicos outras "raposas" seguem o mesmo caminho. E dificil ter uma mídia sem comprometimento.

  7. É bom saber que você é só mais um canalha envergonhado trabalhano para interesses escusos. Você sabe que a canalhice quando é burra tem vida curta. Seja feliz lambendo o saco dos outros. Um pobre coitado como você não dura muito.

    1. Calma Marcos(foi o nome que vc colocou), olhe a pressão, cuidado com o coração. Sua indignação não deveria está voltada para esse blogueiro. Mas como disse antes, se acalme, estamos apenas no 1º capitulo. UM FELIZ NATAL para vc.
      Sobre trabalhar para interesses escusos, vc deve entender bem mais do que eu. hehehe
      Sobre não dura muito é ameaça de morte?
      Vamos ter que rastrear seu IP né?

    2. Minha indignação (você sabe muito bem disso, mas os leitores engandos do seu blog não sabem) está voltada à sua manipulação da informação, escondendo o comentário onde eu pedia que você esclarecesse 4 pontos que tornariam a sua postagem jornalística. Como você preferiu ocultar o assunto, eu entendi qual é a sua função "jornalística". Quanto ao "durar pouco", não é ameaça de morte: é constatação de sua curta carreira "jornalística". Quando o seu patrão perder o poder, você vai sumir na lama da história junto com ele. Só isso. Feliz Natal pra você também.

    3. Patrão? Meu patrão é o leitor, diferentemente de vc e dos seus. Vamos da tempo ao tempo e veremos que vai sumir e quem vai ficar. Afinal, o tempo se encarrega de tudo. Abraços marcos, ricardo, joão ou quem quer que seja. Entendeu né?

  8. Caríssimo, a herança maldita da ditadura botou os meios de comunicação no colo dos políticos e tudo na mídia gira em torno de seus interesses. Nesta esteira, o mal se alastrou para blogosfera, que, não toda, está sendo paga dessa forma denunciada. Veja o assédio dos políticos nas redes sociais, quando não diretamente, o faz através do famoso (A). Quando a notícia lhe é favorável, aparece o político; sendo desfavorável, suge sua fantasia na máscara do (A).

  9. BRINCADEIRA!!!
    Tem que ser investigado!!!
    Cadê o MP nessa hora???
    Quero ver a imparcialidade deste órgão. 
    Isso é uma denuncia pública, a qual obriga o MP a se manisfestar.
    Parabéns pelo blog tão responsável. Vc caminha para ser o mais acessado blog. O Fator RRH, esse mal olhava, agora então…

  10. BG, tem como ver nessa lista quanto Jean Valério paga pelos anúncios na revista RN Econômico, que é dele mesmo? Assim, ele pede pra Prefeitura anunciar, ele autoriza a publicação, ele paga a revista e ele recebe, entendeu? Fácil, né?

    1. O Secretário Jean Valerio informou na CEI que não tem nenhum trabalho dele que receba recursos da Prefeitura

    2. Mas ele tem sim. O nome da revista é RN Negócios (e não RN Econômico, como informei antes) e ele passou para o nome da sua irmã.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *