Saúde

CPI da Covid: Teich diz que saiu do governo por falta de autonomia

FOTO: TV SENADO/ REPRODUÇÃO

O ex-ministro da Saúde Nelson Teich afirmou em sua fala inicial nesta quarta-feira (5), na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid, que deixou o governo ao perceber que não teria autonomia no cargo.

Ele declarou que foi pressionado a estender a utilização do medicamento cloroquina a pacientes com casos leves e moderados de covid-19. “MInha convicção pessoal era de que não havia evidência para liberá-lo, mas havia uma visão diferente por parte do presidente [Jair Bolsonaro].”

Ele afirmou que não autorizou nem a fabricação nem a distribuição da cloroquina.

Teich disse ainda que a rapidez da propagação do vírus levou o sistema de saúde brasileiro ao estresse máximo, o que, em sua visão, explica em parte o caos que se abateu no país durante a pandemia de covid-19.

O ex-titular da pasta afirmou que entre suas ações durante os 29 dias que ocupou o cargo de minsitro trouxe ao país o estudo da vacina de Oxford e iniciou abordagens com a empresa Moderna, outra fabricante de imunizante.

Ele foi o segundo a ocupar a pasta no governo do presidente Jair Bolsonaro, em substituição a Luiz Henrique Mandetta, que prestou depoimento na terça-feira (4).

Teich assumiu em abril de 2020.

Em seu depoimento, Mandetta, que entrou em atrito com o presidente no início da pandemia do novo coronavírus, ficou mais de sete horas respondendo perguntas dos senadores. O atraso adiou a participação de Teich, marcada inicialmente para as 14h de ontem.

R7

Opinião dos leitores

  1. Ele agiu corretamente, conforme suas convicções e possibilidades, já que não dependia do emprego. Foi “homem”. O presidente eleito foi Bolsonaro, escolhido pelo povo junto com suas propostas. Quem discordar dele saia do governo ou nem chegue a entrar. Coerência é o nome disso.

    1. Teu comentário começou bom, mas terminou como sempre. INCOERENTE.

      Nada com nada.

      Só para te lembrar: O Brasil não é de Bolsonaro e ninguém está acima da lei.

      Taokei ?

  2. Só sai da cadeira se for pela canalhice daqueles que não tem moral nenhuma de julgar , quero ver é ele sair no voto, com a vontade do povo , assim eu queria ver, DUVIDEODÓ.

  3. Quem teve o voto popular foi o presidente o escrutínio é dele não é de ministro! Ou reza na cartilha de quem foi escolhido pelo povo ou pega o banquinho e sai de fininho!

    1. Ninguém está acima da lei. Mais cedo ou, tarde seu querido presidente responderá por sua incompetência administrativa.

    2. É mesmo!! Então quer dizer que se o presidente eleito mandar o ministro da saúde prescrever bosta, ele tem que cumprir a ordem é.

    3. Muito técnica essa escolha. Nada de política ou ideologia, né amigo? Nota-se que você não vive sem um demagogo pra chamar de seu. Só Jesus nessa causa mesmo

  4. É fumo, Bolsonaro… Quisesse tanto a cloroquina que é por ela que vc vai entrar pelo cano. Chega a ser poético!

  5. Aqui é fácil de entender

    Acho que o pão com mortadela e o minion vão concordar.

    A falta de autonomia era evidente, então fica difícil tomar decisões.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Presidente da CPI, Omar Aziz, diz que pode adiar por 14 dias depoimento de Pazuello para cumprimento de quarentena

O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que pode aguardar o período de quarentena do ex-ministro Eduardo Pazuello, mantendo assim o seu depoimento de forma presencial.

Pazuello informou que manteve contato com dois coronéis infectados pelo coronavírus. Por isso solicitou o adiamento de seu depoimento, inicialmente marcado para quarta-feira (5), ou mesmo a realização remota da oitiva na data marcada

“Se o caso do ministro Pazuello é a questão do Covid, aguardamos o período de 14 dias, de quarentena, sem problemas”, afirmou Aziz. “Se Pazuello se sente preocupado, e nós também estamos que ele venha para cá com coronavírus, não tem problema, a gente espera, a CPI vai durar 90 dias.”

Aziz ponderou, porém, que quer conversar com o comandante do Exército para saber o que os militares preferem fazer. O presidente da comissão reclamou que aguarda desde as 8h o envio de um documento solicitando a mudança da data ou formato do depoimento. Se não chegar a tempo, afirma, vai manter para esta quarta-feira às 10h, como inicialmente previsto.

O presidente da comissão então reforçou que a comissão vai operar no sistema semi-presencial em relação aos senadores, que poderão acompanhar as sessões remotamente. No entanto, manteve que todos os depoimentos de autoridades convocadas serão presenciais.

Folha de São Paulo

Opinião dos leitores

  1. Esses caras são tudo brabos e valentes, mas na hora de uma cpizinha viram tudo cagão, tá com medo de quê? Quem não deve, não teme

    1. Essa CPI não deve ser levada a sério. A meu ver, deve ser desmoralizada, de acordo com a maioria dos seus membros. Porcos devem fuçar na sua lama.

    2. E esse direita de merda ainda insiste em se dizer honesto. Não passam de borra botas sem cérebro e subservientes. Um generalzinho admitiu sem se envergonhar ter tomado a vacina escondido e o Pazuello fica se escondendo pra não ter que entregar o “chefe”. Esses são os teus ídolos Direitinha Sem Vergonha.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Após contato com assessores diagnosticados com covid, Pazuello diz que não pode ir à CPI da Pandemia nesta semana

Foto: Anderson Riedel / PR

Sob a justificativa de ter tido contato com dois assessores que foram diagnosticados com covid-19, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello informou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia que não poderá comparecer ao Senado amanhã (5) para prestar esclarecimentos. A informação foi dada nesta terça-feira (4) pelo vice-presidente do colegiado, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Como ministro que mais tempo ficou na pasta durante a pandemia do novo coronavírus – 10 meses – o depoimento de Pazuello, aprovado na semana passada pela CPI, é um dos mais aguardados, por isso, foi o único da semana que a comissão reservou um dia inteiro.

O ex-ministro que estava no comando da pasta no auge da crise da covid-19, deve ser questionado, entre outros assuntos, sobre a falta de oxigênio em Manaus, o número de mortes e infectados pela doença e demora na compra de vacinas.

Com o impedimento de Pazuello, uma nova data deve ser marcada para a ida do ex-ministro ao Senado, visto que muitos senadores resistem à possibilidade de depoimentos remotos. Senadores querem evitar que os convocados recebam orientações sobre como responder às perguntas, em depoimentos remotos.

Por decisão do presidente do colegiado, senador Omar Aziz (PSD-AM), o depoimento do antecessor dele, o médico Nelson Teich, que seria na tarde hoje foi adiado para amanhã.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. O País enfrentando a pior crise da sua história, tanto em termos de saúde, segurança, educação, economia, quanto em relação à falta de empatia com o próximo, e um bando de IDIOTAS discutindo se Bolsonaro é melhor do que Lula, ou o contrário. ACORDEM, e façam alguma coisa que não seja xingar aquele que pensa diferente, nos comentários dos blogs. Aliás, acho que ser comentarista em blogs virou profissão, dado o grande número de adeptos! Ou então é só falta do que fazer mesmo… Orar pelo fim da pandemia, e nos unir em prol dessa causa, como fizeram inúmeros países, parece impossível, mas plenamente normal, considerando o tipo de gente e a cultura que aqui existe.

    1. Esse espaço é mesmo para comentar as notícias postadas no blog, meu caro. Outras ações terão seus espaços próprios. Aqui, por exemplo, não parece ser o espaço mais adequado para orações.

  2. Que desculpa mais esfarrapada. Uma pessoa que só vive sem máscara está se lixando pra covid: tanto nega qdo pega, quanto transmite para todos.

  3. O Exército Brasileiro tem de rever urgentemente a formação e promoção em seus quadros. Um homem desses envergonha as Forças Armadas e a Nação. Lastimável!

  4. Essa CPI parece com uma raposa cuidando do galinheiro. Corruptos como juízes, incompetentes investigando possíveis “falhas”. E ainda tem a questão da suspeição de dois de seus mais notórios membros (Renan Calheiros e Jader Barbalho), cujos filhos são governadores e precisam prestar contas do dinheiro que receberam do governo federal. No Para, inclusive, já foi preso um bocado de gente. Essa CPI não é séria.

  5. A vídeo conferência é para esses casos desde o início da pandemia: o ex-ministro lá no local de sua insignificância e a comissão da CPI idem. Agora não comparecer pq manteve contato com um suspeito de Covid19, soa como assumir a culpa no cartório. Indo de astronauta garanto que não transmitirá a covid-19, ao contrário, sem máscara como foi ao shopping em Manaus, o bicho pega…

  6. CPI política, dominada por corruptos, não pode ser levada a sério. Um sujeito que defende e se alia a elementos como Renan Calheiros, Jader Barbalho ou até mesmo desse Aziz, que presidente a comissão e responde a processos de corrupção NA SAUDE do seu estado (AM), deve compartilhar do seu mesmo caráter. Um homem sério como o general Pazuello não pode se misturar com essa laia.

    1. E um sujeito que se alia a Roberto Jefferson merece o que?
      Hipócrita de butiquim.
      Não sabe nem o que fala.

    2. Quem lida na política não pode dispensar apoio, dependendo do “preço”. E coisa muito diferente de fazer uma aliança com corruptos para investigar pseudas irregularidades. Um corrupto famoso não pode agir como “juiz”. A maioria dos senadores dessa CPI deveria estar presa ao invés de tentar prejudicar o país. Mas, vc sabe disso. É impossível um debate construtivo com quem só pensa em recuperar suas “boquinhas” e não age de boa fé.

    3. Você se perde nos proprios “argumentos”. Se ser de direita honesta é ter funcionário fantasma com rachadinha e se aliar a corruptos, entao bolsonaro ta no caminho certo.

    4. Direita “Honesta” acho que entendi sua lógica: quando o corrupto for a favor do MINTO é política, mas quando o corrupto for contra o MINTO aí ele vira só um corrupto sem credibilidade… Ah tá!

    5. Não. Ele é honesto até que seja PROVADO o contrário. E não será sua opinião nem a perseguição da grande mídia militante que farão isso. Apoio de graça, sem contrapartida de corrupção, pode ser até o seu. Em 2022, vote no Bolsonaro, “cumpanhero”, que ninguém irá reclamar. Entendeu agora?

  7. Tá arregando??? O filho teu não foge à luta… Mas toma Cloroquina do tio Bolso… Passa na hora…

  8. Mais, vcs choram viu kkk calma meninos,. começou agora com renovação em 2022 , pode vim com o nove dedo , vitória será mais bonita ainda….chora naaao bbbbb chora não bbbbb

  9. Kkkkkkkkk
    Andou sem máscara em Manaus e agora vem com essa!
    General cagão ! Não vale uma estrela do uniforme!

  10. É, a desculpa que sobra é sempre essa: Botar a culpa nos outros e chamar os outros de corrupto.

    Típico de quem está afundando, querer se salvar puxando os outros.

    Bora gaaaaaaaadoooooooo

    O berrante tá tocando. Bora defender o homem.

  11. Com a defesa, o direita que se acha “honesta”.
    Esse infeliz estava desfilando no shopping sem máscara, facínora!
    Governo desastroso, das trevas.

  12. Quem tem, tem medo. Pazu deve estar com medo e a casa de vidro com mais medo ainda. Vão colocar a culpa no petê.

  13. Esse povo de Bolsonaro é tudo assim, são tudo brabo na Internet. Sara Winter, Daniel Silveira, Queiroz…

    É igual a cachorro MOLE, ladra, ladra, ladra…

  14. Eita, mas passear em um shopping em Manaus sem fazer o uso da mascara, pode né? vai tentar se esconder de todas as formas, mas não escapa não! …hahaha…tem um ditado lá no meu Seridó que diz a seguinte: “Bittencout tem medo”…hahaha

  15. Ihhhhhhhh… Arregou. Que coisa feia… Fugindo da raia, general ?
    Típico de bolsominion: fala fala e na hora de agir NADA!

    1. Essa CPI com esse presidente, Renan Calheiro como relator é a maior imoralidade já vista. O Relator Renan responde a mais de 40 processos na justiça.

    2. Maurício, mas eu pensei que o governo do MINTOmaníaco era amigo dos corruptos, afinal apoiou Lira pra presidência da Câmara, se juntou a Roberto Jefferson, Valdemar da Costa Neto, Ciro Nogueira, o próprio filho Flávio Bolsonaro que responde processo pro peculato, além de diversos outros condenados e investigados pela Lava Jato… Vc não entendeu ainda pq foi no governo do MINTOmaníaco que a lava jato foi enfraquecida e até perseguida? Ou vc só gosta de corrupto quando ele está apoiando o governo do MINTOmaníaco?

    3. Maurício, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Bolsonarista é de uma laia especializada em mudar o foco do que se trata. Quando acuados já culpam tudo e a todos para desviar o foco. Cara, isso só funciona com quem é gado mesmo.

    4. Verdade, Mauricio, essa CPI não pode ser levada a sério por gente séria. Tem que dar uma canseira nesses vagabundos e deixa-los espernear. O presidente tem o apoio do povo de verdade e estáxaginfo de forma correta, pelo bem do país. E isso é o que importa. Deixa chorarem, é só o que lhes resta.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Presidente da CPI da Covid é investigado por desvio de recursos para Saúde no Amazonas

FOTO: JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO

O senador Omar Aziz,  presidente da CPI que investiga as responsabilidades de autoridades e mal uso de recursos públicos na pandemia, é investigado por desvios de recursos para a área da saúde quando ele foi governador do Amazonas.

Aziz foi alvo de uma operação do Ministério Público Federal chamada “Maus Caminhos”. Ela foi deflagrada em 2016 e houve uma série de desdobramentos. O objeto principal da investigação é o desvio de cerca de R$ 260 milhões de verbas públicas da saúde por meio de contratos milionários firmado com o governo do estado do Amazonas.

Omar Aziz é investigado porque, quando ele era governador, parte desses contratos foi firmada e um relatório parcial da Polícia Federal, o da Operação Vertex, um desdobramento da Maus Caminhos, cita seu nome 256 vezes em 257 páginas.

Um dos trechos diz que “os indícios da atuação de OMAR AZIZ para a criação e manutenção da organização criminosa formada em torno do Instituto Novos Caminhos são robustos e permeiam toda a investigação”.

Em outro, destaca-se o trecho em que uma colaboradora dos investigadores aponta que o senador recebia propina: “XXXX diz que, após o início das atividades da OS, o valor que deveria ser entregue a OMAR AZIZ era de 500 mil reais. Esse valor era entregue toda vez que a OS ia recebendo do Estado do Amazonas e que os valores eram entregues de forma fracionada. XXXX já realizou entrega de parte do valor destinado a OMAR. AZIZ para funcionários do Senador.”

Os autos chegaram a ser encaminhados para o Supremo Tribunal Federal em razão do fato de Aziz ser senador, mas o novo entendimento da corte sobre foro privilegiado fez com que, em junho de 2018, retornassem ao Amazonas. A investigação contra o senador atualmente está na Justiça Federal do Amazonas. Ainda não há decisão da Justiça no processo.

A CNN conversou com Simonetti Neto, advogado de Aziz. Ele critica o relatório da PF e questiona a competência do juiz que autorizou a operação e da própria Justiça Federal de investigar o caso, uma vez que, segundo ele, não há recursos federais envolvidos. “O relatório da PF é uma peça de ficção, uma obra literária. Não tem embasamento fático nenhum. Não há nenhum indício de atividade ilícita por parte do senador”. Ele também diz o Tribunal Regional Federal da Primeira Região já decidiu em uma das ações referentes ao caso que a Justiça Federal não é competente para julgar o caso. Além disso, segundo ele, o juiz da operação não era competente.

O procurador da República Jorge Maurício Porto, que cuida do caso, diz que os recursos investigados são federais. “Desde o início algumas defesas contestam a competência alegando que não haveria recursos federais envolvidos. Mas há recursos federais sim. A confusão é proporcional à dimensão do caso”. A PF não se manifestou.

O que diz o senador Omar Aziz

“Com referência aos fatos citados pela reportagem publicada pela CNN sobre a operação Vertex, que faz menção ao nome do senador Omar Aziz em Relatório da Polícia Federal de 2019, informamos que não há nos referidos autos nenhuma prova ou até mesmo indício de ligação do senador com qualquer atividade delituosa”, disse em nota à CNN.

“O senador segue à disposição das autoridades competentes para esclarecer sobre qualquer tema relacionado aos fatos em apuração e destaca que confia na justiça e, em razão de sua total isenção nos fatos, espera, após analisados pelas autoridades competentes, ser totalmente excluído da investigação”.

Com CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Manoel F de fuleiro e Burromimion 2 manés comedores de “mortandela”!! Só pra lembrar Zé Inácio é LADRÃO e continua sendo investigado! Outra: É Bolsonaro 2022!

  2. Sabe como vai terminar essa CPI ? O centrão está faminto por ministérios e cargos. Irão usar esse inquérito para pressionar o governo federal que terá de ceder para se manter vivo. Um inquérito que possui Renan Calheiros como relator não pode ser considerado sério.

  3. Oxe, mas o que é que tem demais o presidente da CPI ser investigado? O MINTO apoiou um CONDENADO em segunda instância para presidência da Câmara! Além de Lira, o nosso presidente INEPTO se aliou a diversos CONDENADOS por corrupção, tais como Roberto Jeferson… Infelizmente, se a gente for ver os investigados ou condenados por corrupção (muitos desses aliados e apoiados pelo MINTO), não SOBRA NENHUM no Congresso! Flávio “rachadinha” Bolsonaro que o diga, já que é investigado por peculato!

    1. Boa Manoel….mas Isso o gado não vê….os que usam argola na venta são cegos e surdos pra corrupção na familícia da casa de vidro…

    2. Pode chorar mais Manoel F e a outra “mortadelinha” burrominion……Bolsonaro até 2026……Um forte abraços, antas de quinta categoria.

    3. Constrangedor né mané? Apoiou a CPI mas agora precisa gerar uma narrativa pra justificar. É corrupto do bem que fala?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros e governistas têm bate-boca na CPI

Foto: Reprodução

A apresentação de requerimentos com a digital do Palácio do Planalto por governistas gerou um bate-boca na CPI da Covid. De um lado, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) questionou se os documentos deveriam ser apreciados, alegando que eles buscam “tirar o foco da investigação”. Autor de alguns dos documentos mencionados, Ciro Nogueira (PP-PI) defendeu que a proposta é válida se tiver sido assinada oficialmente por um senador. O caso foi revelado pelo GLOBO.

— São muitos requerimentos. Inclusive, tem que ver se o senhor [Omar Aziz] vai apreciar também os que vieram diretamente do Palácio do Planalto, que a imprensa está divulgando hoje. Não podemos votar requerimento para tirar o foco da investigação que estamos fazendo. O Brasil não vai perdoar nenhum dos senhores que está fazendo isso — disse Renan.

Aliado do Planalto, o senador Marcos Rogério (DEM-RO), rebateu dizendo que “o foco da CPI não pode ser aquele que é dado pelo relator”.

— Os dois requerimentos de CPI foram subscritos pelos senadores — afirmou Rogério, em referência ao texto que amplia o escopo da apuração e trata de recursos federais enviados a estados e municípios — O relator deve respeitar o Senado Federal. Essa CPI não pode ser a CPI do ódio. Afasta o seu ódio, senador. Acalme-se, senador. Respire.

O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), rebateu Rogério, disse que o foco da CPI não deve ser aquele dado pelo relator, “mas também não pode ser o que veio do Palácio do Planalto”.

Autor de requerimentos com origem no Planalto, Ciro Nogueira entrou na discussão e disse que as propostas seguem válidas e devem ser apreciadas. Ele não negou em nenhum momento que os documentos tiveram origem no Planalto.

— Vamos aprovar se for assinado por um senador. O senhor não vai impedir de votar nenhum requerimento, não. Eu sei quais são os requerimentos que o senhor não quer — disse Nogueira diante do questionamento de Renan se também seriam votados os requerimentos que vieram do Planalto.

O debate começou porque Renan e aliados queriam que os requerimentos de informação apresentados à CPI fossem apreciados separadamente. A estratégia dá vantagem ao grupo da oposição, que está em maioria. Os governistas, por sua vez, querem aprovar todos ao mesmo tempo, “em bloco”, o que acabou acontecendo. Os requerimentos de informação ficaram de fora porque envolvem a convocação de especialistas.

Como revelado pelo GLOBO, registros eletrônicos de requerimentos apresentados na CPI da Covid indicam que o Palácio do Planalto produziu para senadores governistas o pedido de convocação de cinco especialistas associados à defesa do tratamento precoce ou a críticas ao lockdown.

O GLOBO coletou e analisou dados de todos os documentos registrados na comissão até o momento. Informações registradas nos arquivos do Senado apontam que em sete arquivos protocolados pelos parlamentares Ciro Nogueira e Jorginho Mello constam o nome de uma assessora da Secretaria Especial de Assuntos Parlamentares (SEAP), vinculada à Secretaria de Governo, área responsável pela articulação política.

Essas informações estão presentes nos chamados “metadados” dos arquivos enviados ao Senado pelos parlamentares. Eles funcionam como uma espécie de RG de cada arquivo em um computador. Ao invés de data de nascimento, número do CPF ou nome dos pais, os metadados apresentam a data e horário em que um arquivo foi criado, modificado e, também, o nome do seu autor.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. CPI com finalidade meramente política, dominada por corruptos famosos no cenário nacional, inoportuna (o Brasil tem prioridades que não serão tratadas nessa palhaçada) e prejudicial ao país (vai atrapalhar o debate do que realmente importa no momento). Mas, os opositores do presidente só pensam na luta pelo poder, em suas politicagens. O povo está vendo.

  2. Os pedidos da oposição não valem mais que aqueles dos senadores pró-governo. Se houver sido assinado por um senador da CPI, é válido. Isso é lógico.

  3. Renan, um dos maiores bandidos do Brasil, falando grosso como se fosse um senhor de respeito. Um dos maiores FDP isso sim. Bandido com mais de 40 anos de atuação.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CPI da Pandemia convoca ministro da Saúde e seus antecessores; veja cronograma

Foto: Jefferson Rudy – 27.abr.2021/Agência Senado

A CPI da Pandemia aprovou nesta quinta-feira (29) a convocação dos ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello, além do atual comandante da pasta, Marcelo Queiroga, para serem ouvidos na comissão na próxima semana.

Mandetta e Teich participarão como testemunha na terça-feira (4). Na quarta-feira (5), seria a vez do general Eduardo Pazuello e do atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

O atual presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, também será ouvido pela CPI na quarta-feira.

Opinião dos leitores

  1. Fiquem tranquilos, o MINTO vai recriar uns dois ou três ministérios para lotear com alguns Senadores e vai dar tudo certo… É a nova política talkei!

  2. CPI da corrupção, que “ressuscitou” o notorio corrupto Renan Calheiros, mais um “queridinho” da esquerdalha. Esse é o nível da oposição ao presidente Bolsonaro..

  3. Essa CPI é mais encenação . Não dar em nada. Renan Calheiros , um cara com 18 processos nas costas tem moral pra nada. É gastar dinheiro, aparecer na mídia e o resultado já se sabe. NADAAAAAAAAAAAAA. BRASIL > PAÍS DA SACANAGEM !

    1. É só jogo de cena pra atrapalhar as reformas e o crescimento do país.
      Malditos parlamentares.
      #FechadosComBolsonaro

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro critica CPI e questiona se ela irá convocar governadores e prefeitos ou se fará um “carnaval fora de época”

Foto: Alan Santos/Presidência

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta quarta-feira a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, instalada na terça-feira no Senado, e questionou se ela irá convocar governadores e prefeitos ou se fará um “carnaval fora de época”.

Senadores governistas e o próprio Bolsonaro pressionaram para que a CPI também investigasse governadores e prefeitos, e não só o governo federal. Como o regimento interno determina que o Senado não tem competência para investigar estados e municípios, a solução encontrada pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), foi de autorizar a investigação também de repasses federais aos governos locais.

— A CPI vai chamar (governadores e prefeitos) ou vai querer fazer Carnaval fora de época? Vão se dar mal. Aqueles que estão com essa intenção… Lá tem gente bem intencionada, gente que… Não é que me defende, está falando a verdade. Mas tem um outro lá que quer fazer uma onda só — disse Bolsonaro, durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

Bolsonaro questionou a intenção de membros da CPI de investigar sua conduta e reforçou a defesa da cloroquina, medicamento que a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que não tem eficácia contra a Covid-19.

— CPI vai investigar o que? Eu dei dinheiro para os caras. O total foi mais de 700 bilhões de reais, (com) auxílio emergencial no meio. Muitos roubaram dinheiro, desviaram. Agora vem uma CPI para investigar conduta minha? “Se ele foi favorável à cloroquina ou não”. Se eu tiver um novo vírus, eu vou tomar de novo. Me safei em menos de 24h, assim como milhões de pessoas.

O presidente também repetiu que só será vacinado “quando o último do Brasil tomar a vacina” e disse que esse é seu “exemplo” como chefe de Estado.

— Agora, questão da vacina: quando o último do Brasil tomar a vacina, eu tomo. Tem gente apavorada, então toma na minha frente. Eu sou chefe de Estado e tenho que dar exemplo. Meu exemplo é esse: deixar, já que não tem para todo mundo ainda, tomar na minha frente.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Sempre transferindo a responsabilidade. O governo federal é investigado pelo congresso. Já os governadores pelas suas respectivas assembleias legislativas.

  2. Essa comissão é totalmente imparcial, só tem ficha limpa.
    Eduardo Braga (MDB-AM) – Presidente da CPI tem 306 processos por corrupção;
    Renan Calheiros (MDB-AL) – Relator da CPI tem 13 processos por corrupção;
    Humberto Costa (PT-PE) 742 processos por corrupção;
    Marcos Rogério (DEM-RO) 1.294 processos por corrupção;
    Jorginho Mello (PL-SC) 21 processos por corrupção;
    Ciro Nogueira (PP-PI) 16 processos por corrupção;
    Todos com total condição criminal e moral para julgar outros políticos.
    Por isso que tem tanto frenesi na esquerda, essa CPI é a cara deles, mas…

  3. A CPI parece mesmo com um circo de quinta categoria com picadeiro, palhaços e os idiotas úteis assistindo.

  4. O inepto passou tanto tempo no Congresso (quase 30 anos) e ainda não sabe as atribuições das CPIs do Congresso? Será que ele sabe o que é escopo da CPI? Será q ele sabe qual o escopo da atual CPI do Senado? Ou ele só quer jogar narrativa pros bovinos mesmo?

    1. Esse aí não sabe nem o próprio nome,é um lerdo de nascença.

    2. Quem não sabe é vc, “cumpanhero”. Essa CPI encampou uma outra, cujo escopo era investigar os governadores, e que obteve quase o dobro das assinaturas dessa CPI dos “lacradores”. Juntaram duas em uma. Pena que será dominada pelos corruptos. Ressuscitaram o Renan.

    3. Direita honesta, o congresso não pode investigar governadores em CPI, pois foge das atribuições constitucionais. O escopo da CPI foi ampliado mas tão quanto à fiscalização dos recursos da União repassados aos demais entes federados para as ações de prevenção e combate à pandemia da covid-19. Ou seja, não há investigação de governadores ou prefeitos diretamente.

    4. Ele sabe Manoel. Quem não sabe é o gado e é pra essa gente ignorante que ele fala. Repare que eles só ficam repetindo as bobagens que o catarro fala.

    5. Seja qual for o escopo só tem ladrões.
      Bolsonaro tem razão e ladrão não é. #GadoComOrgulho
      #FechadosComBolsonaro
      #EsquerdaBandida

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Senadores governistas vão ao STF contra Renan na CPI da Covid e mantém batalha judicial

Foto: Edilson Rodrigues / Edilson Rodrigues/Agência Senado

Senadores governistas que integram a CPI da Covid apresentaram um mandado de segurança ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar tirar Renan Calheiros (MDB-AL), escolhido ontem como relator, do colegiado. Na peça, Marcos Rogério (DEM-RO), Jorginho Mello (PL-SC) e Eduardo Girão (Podemos-CE) alegam que parlamentares que possuem parentesco em primeiro grau com possíveis alvos da investigação devem ser considerados impedidos. Renan é pai do governador de Alagoas. A comissão tem como um dos focos apurar o envio de recursos federais a estados e municípios.

Se aceita, a medida também poderia afetar outro senador do MDB, Jader Barbalho (PA), que é pai do governador do Pará, Helder Barbalho. Jader ocupa vaga de suplente na Comissão Parlamentar de Inquérito.

“Tendo em vista as previsões legislativas acima elencadas, mostrase evidente a vedação, por força do ordenamento jurídico pátrio, a participação de parlamentares que possuam parentes em linha reta ou colateral até terceiro grau em Comissões Parlamentares de Inquérito. Cumpre salientar que entre os membros da CPI encontra-se dois parlamentares que possuem parentes em gestões estaduais”, diz trecho do documento.

Para embasar o pedido, os senadores citam requerimentos apresentados por eles para localizar processos que indiquem possíveis desvios de recursos federais na pandemia. Os requerimentos ainda dependem da aprovação da maioria da comissão — os governistas estão em minoria, com quatro dos 11 membros titulares.

“Veja-se, portanto, que o Estado de Alagoas não é apenas mera hipótese quanto à investigação em curso, mas uma certeza, vez que já há requerimento quanto aos recursos enviados a todos os Estados, o Distrito Federal e as Capitais. Ademais, sabe-se que as provas serão reunidas, também, em relação ao Estado de Alagoas, para o respectivo exame e Juízo de valor quanto à correção ou não da aplicação dos recursos”, afirmam os parlamentares na ação.

Entre os requerimentos, Marcos Rogério apresentou uma solicitação ao colegiado para que todos os governadores e os prefeitos das capitais enviem informações sobre a aplicação dos recursos enviados, com as notas de empenho, ordens bancárias, notas fiscais, extratos bancários e processos administrativos de despesa.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. O nível do SENADO no BRASIL está muito baixo. Escolher um cabra com RENAN CALHEIROS para qualquer cargo é Uma VERGONHA. ELE RENAN era para está PRESO.

  2. Ô coisa linda de ver é desespero de bolsominion…🤣🤣🤣🤣
    Continua que tá ótimo… kkkkk

  3. Ô medo grande…estão tentando esconder o que?
    Pega fogo cabaré…🤣🤣🤣
    (Haja imosec pro Bozo)

    1. Não se trata de defender. Renan é repulsivo, um sem futuro. Acontece que não há impedimento legal p ele ser relator. Isso é claro. Além disso o próprio Renan já se declarou impedido p relatar e votar sobre questões envolvendo o estado de Alagoas.

  4. Fica claro em alguns comentários acima, o quão hipócritas são as pessoas que esquecem o quanto o renan “canalha” está envolvido em pelo menos 18 processos de corrupção. A ira é tão grande contra o presidente, que não percebem “o tiro no pé” que estão dando! A esquerda doentia, se alia ao proselitismo político ideológico, com verdadeiros canalhas, como é esse cidadão aí! Se é que pode ser chamado de cidadão. A não aceitação da vitória do presidente atual, que tem seus defeitos e se realmente tiver culpa, que seja punido, provoca esses devaneios. Porém, não pela mão, ou acusação, de uma “raposa tomando conta do galinheiro”! Todos sabem qual era o partido dos vices-presidentes petistas, né? Pois é, o partido de temer, de cunha, de Renan, de garibaldi, de Henrique… e por aí, vai!

  5. Não concordo com essa judicialização. Isso deveria ser resolvido pelo Senado. Mas, Renan na relatório é demais. E essa judicialização de TUDO é prática adotada pela oposição “lacradora”.

  6. Os senadores escolhidos para CPI é uma afronta ao cidadão de bem. Todos tem processos por corrupção, como essas criaturas podem julgar alguém? Já começa tudo errado, parece revanchismo com a honestidade. Renan Calheiros te 13 processos, o presidenta da CPI tem 306 processos contra ele, o senador do PT, Humberto costa coleciona 1.294 processos contra ele e assim a lista é longo…
    Deve ser por todos esses currículos políticos recomendáveis que a torcida pelos corruptos de estimação tem festejado tanto essa CPI.

    1. Verdade! Tão ridiculo como o apoio de alguns a Roberto Jeferson.

    2. É que Bolsonaro é tão horrível que faz até a gente gostar de Renan Calheiros

  7. Esse Renan nem deveria ter sido eleito. Como pode alguém como ele ser nomeado relator de uma CPI? E quase todos os demais membros são investigados por corrupção.

  8. Renam Calheiros! Já pensou como o mundo dá voltas? o brazil véi desmantelado. Obrigado bolsonaro por desmoralizar e destruir o nosso país.

  9. Que medo da CPI é esse? Pq sera? Agora vai ficar escancarada a falta de açao do governo. “Gripezinha”, “nao sou coveiro”, “vachina” e por aí vai… agora vao ter de explicar ao povo brasileiro.

  10. Mas que medo todo eh esse? O que há com essa base do governo que agiu “tão corretamente” e que segundo o MINTOmaníaco “acertou em tudo”? Quem não deve não teme não eh? Vão passar outra vergonha judiciária pois o impedimento de Renan eh tão somente no estado de Alagoas o que não invalida em nada sua relatoria, exceto se o mesmo fizesse o relatório referente aquele Estado! Recomendo aos senadores tomarem o mesmo remédio do presidente inepto: imosec …

    1. Mas se o filho do PR tivesse na comissão, ai não poderia, né? Quanto mais ser o relator.

    2. Medo de ser julgado por um bando de cafajestes, corruptos, desquificados e que ainda conseguem encarar jumentos…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Essa será a CPI das CPIs e não acabará em pizza, diz Omar Aziz

Foto: CNN (28.abr.2021)

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, Omar Aziz (PSD-AM), disse em entrevista à CNN nesta quarta-feira (28) que a investigação será histórica, mas, para isso deve se ater à proatividade em busca de respostas para garantir que o assunto não seja esvaziado e deixe de responsabilizar os culpados ao final dos trabalhos, como teria acontecido em outros momentos.

“É a CPI das CPIs. É completamente diferente”, afirmou o senador. “Antes, quando abria uma CPI estancava os desvios, a abertura da CPI da Covid-19 não estanca o vírus”. Aziz defendeu que a comissão atue de forma célere, se desvencilhando de debates políticos, para formular soluções e gerar responsabilização dos envolvidos nos desvios e impulsionamento das mortes.

“Eu, como presidente da CPI, quero uma comissão extremamente técnica. Não quero levar para o campo político porque isso não vai trazer ninguém de volta e muito menos vai ajudar a salvar vidas que poderão se perder durante a pandemia”, disse.

O senador afirmou que o plano de trabalho será definido na quinta-feira (29), com a análise dos requerimentos. No entanto, antes da definição das pautas pelo colegiado, Aziz disse que as primeiras pessoas a serem ouvidas serão os gestores públicos que ocuparam o cargo de ministro da Saúde.

“Não dá para acabar em pizza uma CPI com 400 mil óbitos e que no curso dela chegará a 500 mil mortes (…) Não dará em pizza”, afirmou Aziz. O senador cobrou o envolvimento da sociedade cientifica no acompanhamento dos trabalhos para garantir que as respostas necessárias sejam apresentadas no combate ao vírus.

Após instalação da CPI, a mesa que coordena os trabalhos recebeu 173 requerimentos de parlamentares para estabelecer os focos de interesse da investigação. Os pedidos protocolados cobram, dentre outras coisas, informações sobre aquisição de vacinas, EPIs (equipamentos de proteção individual), “kit intubação”, oxigênio, recursos empregados na abertura de leitos e permissão para que a cloroquina fosse distribuída e usada no chamado tratamento precoce da doença — o medicamento não possui comprovação científica da eficácia contra o coronavírus.

Omar Aziz fez críticas ao ministro da Economia, Paulo Guedes, pelas declarações dadas pelo membro do governo, que geraram um impasse diplomático com a China por insinuar que o país teria “inventado o coronavírus”.

Para Aziz, o ministro “dá um tiro na relação” com o país asiático, que é o principal fornecedor de insumos para produção de vacinas no Brasil e abastecimento do Programa Nacional de Imunizações (PNI). A Coronavac — vacina produzida pelo laboratório chinês Sinovac Biontech — é o imunizante utilizado em 8 em cadas 10 pessoas vacinadas no país.

“Não expor a economia é muito importante, mas vem um ministro da fazenda [economia], que tecnicamente entende de vacina como entende de foguete – o Paulo Guedes não entende absolutamente nada de vacina para dizer se esse imunizante é bom ou não – e dá um tiro numa relação com a China que nos mantém com os insumos para produzir a vacina no Butantan”, afirmou Aziz. “Vejo como um gracejo do ministro Paulo Guedes nessa conversa de butiquim”.

Aziz disse ter discutido com os integrantes da comissão para evitar a convocação do ministro da Economia para prestar depoimento no âmbito da investigação. Segundo o senador, a retirada do nome de Guedes da agenda inicial teve o objetivo de “preserva a bolsa de valores, os investimentos internacionais, a economia brasileiras”.

“Foi pensando no Brasil que eu defendi que o ministro deveria ser preservado, mas as pessoas não me entenderam. Eu, como presidente, preciso ter um equilíbrio entre a economia e saúde. Não posso colocar tudo a perder”, disse.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Não concordo…Paulo Guedes foi escolha do meu mito…e se o mito entende de tratamento precoce, pq PG não entende de vacina se ele é formado pela faculdade Bolsozap…eles são excelentes…
    PS. Mito…libera uma dose extra de ozônio pra nós bolsonaristas… nós adoramos…🥰🥰

  2. Sabem por que a CPI é necessária? Porque há, exatamente, um ano, o presidente ao ser questionado sobre as 5 mil mortes que houve até então, respondeu: e daí? Quando se esperava de um ser humano e principalmente, de um presidente, um vamos trabalhar pra reduzir as mortes. O que vimos? Uma negligência criminosa em várias frentes que chega a 400 mil mortes um ano depois. Esse aumento brutal e assustador se deu com participação do governo federal e isso precisa ser esclarecido. Quem teve (e muita gente teve) participação criminosa para que essas mortes ocorressem?

  3. vê aqui uns caras pálidas defendendo o Renan Calheiros, e no mínimo pior do que ele. Nada mais justo, bandido defende bandido.

  4. Uma CPI presidida pelo Irresponsável desses investigado em desvios milionários justamente na saúde quando foi governador do Amazonas ainda se acha com moral para apurar possíveis irregularidades, um pilantra desses era para estar preso e não presidindo CPI , esse país acabou , só tem bandido, é uma vergonha ver uma pessoa dessa botando a cara como moralista, pra mim não passa de um verme.

  5. Esse isentão responde a 02 processos por corrupção. Qual a moral que ele tem para julgar outros políticos? Toda mesa da CPI do covid escolhida, tem as mãos sujas com processos por corrupção. Como senadores assim tem conduta ilibada para conduzir uma CPI?

  6. Se for verdade, podem escolher as cadeias que vão ficar, petralhas do RN. Mesmo assim não acredito, luladrão e a quadrilha foram pegos, a justiça recuperou bilhões de reais roubados, e tão aí soltos, dando pitaques de moralidade, receberão os bilhões de volta, e ainda querem ser eleitos pra roubar mais, não se cançam; e nós aqui feitos de palhaços, uns até defendem e choram por esses patifes.

  7. Como uma CPI dessa pode apurar nada se os principais membros (Presidente e o Relator) estão atolados até os dentes em corrupção? Esse Renan Calheiros é o maior bandido da história política brasileira e é quem vai julgar o Presidente da República, ele já deve está com o relatório pronto pq a intenção é condenar o Presidente da República e inocentar alguns Governadores como por exemplo Renan Filho. É uma piada essa CPi kkk

  8. Está claríssimo que essa CPI tem motivação apenas política. A maioria de seus membros, inclusive esse Aziz, é investigado por corrupção. Renan Calheiros e Jader Barbalho estão nessa CPI, que vai prejudicar o país e não trará qualquer benefício ao povo. A investigação DE VERDADE está sendo feita pela PGR e pela PF, sobre onde os governadores aplicaram os bilhões que receberam do governo Bolsonaro.

  9. Se o governo agiu de maneira correta não há com o quê se preocupar. Se fez besteira… Aí pode começar a queimar pestana procurando desculpas – que é especialidade desse DESgoverno.
    Boa sorte aos políticos compromissados com a verdade. A milícia vai tentar prejudicar de todas as formas possíveis! A verdade sempre vem a tona.

    1. OS BILHÕES FORAM ENCDAMINHADOS PELO GOVERNO FEDERAL PARA ESTADOS E MUNICÍPIOS PARA COMBATER O COVID; O GOVERNO FEDERAL FEZ A PARTE DELE. AQUI NO RN, A GOVERNADORA COMPROU: ALGUM RESPIRADOR? COMPROU ALGUMA VACINA? COMPROU O QUE?
      AH.. COMPROU SACOS DE LIXO A UM MILHÃO E TREZENTOS.

    2. Talvez a governadora Fátima do PT possa explicar onde usou a fortuna que recebeu do governo Bolsonaro, dinheiro que DEVERIA ter sido aplicado no combate à pandemia. O objetivo dessa CPI é apenas político e irá prejudicar o país. Mas, é isso mesmo que a oposição quer.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CPI da Covid quer ouvir ao menos 24 atuais e ex-nomes do governo

Foto: Jefferson Rudy / Jefferson Rudy/Agência Senado

Após a instalação da CPI da Covid no Senado, os integrantes do colegiado já haviam registrado, até o fim da noite de terça-feira, 173 requerimentos que ainda precisam ser apreciados pelo grupo. Além de documentos sobre processos administrativos, aquisição de vacinas e contratações, os senadores já sugeriram convocar para prestarem depoimentos pelo menos 24 nomes, que estão ou passaram pelo governo Bolsonaro durante a pandemia. Ministros ou ex-titulares de Saúde, Economia e Relações Exteriores estão na lista.

Em maioria na composição do grupo que vai tocar as investigações, a oposição é responsável pela grande maioria dos requerimentos, que não se limitam aos protagonistas na condução da crise sanitária. Entre eles, o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e os ex-comandantes da pasta Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello, já foram citados em pedidos registrados pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Humberto Costa (PT-PE) e Eduardo Girão (Podemos-CE), que é alinhado ao presidente Jair Bolsonaro.

Vice-presidente da CPI, Randolfe também enviou um requerimento para convocar como testemunha o ex-secretário de Comunicação Social da Presidência, Fabio Wajngarten, que afirmou em entrevista à revista Veja que o Brasil não comprou antes vacinas da Pfizer por “incompetência” e “ineficiência”. Autor do requerimento que deu início à CPI, o senador também solicitou a presença de Carlos da Costa, Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, órgão ligado ao Ministério da Economia. O objetivo é questioná-lo sobre as tratativas para compra de vacinas que ocorreram no âmbito da pasta comandada por Paulo Guedes.

Um dos principais alvos da CPI da Covid, Eduardo Pazuello pode ter inúmeros auxiliares convocados, entre eles um aliado próximo: Marcos Erald Arnoud, conhecido como Markinhos Show, ex-marqueteiro do general. O objetivo é entender como foram desenhadas as propagandas oficiais do governo federal e as orientações sobre medidas preventivas direcionadas à população. Este é um nó garantido no caminho do Planalto na comissão, citado na planilha produzida pela Casa Civil com as 23 “acusações” esperadas e alvo de reclamações pela oposição, especialistas e até autoridades da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Caso os requerimentos sejam aprovados, farão parte do plano de trabalho da CPI. Na sessão em que a comissão foi instalada, o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), apresentou os principais pontos que deseja ver em andamento.

Homem forte da gestão Pazuello, Airton Antônio Soligo, conhecido como Airton Cascavel, assessor especial do Ministério da Saúde, poderá ser convocado ao lado de Antonio Elcio Franco e da médica cearense Mayra Pinheiro, ex-ocupantes de cargos de primeiro escalão no Ministério da Saúde. Eles poderão ser questionados sobre a política de distribuição de meios para proteção individual, como máscaras e álcool em gel.

Secretários da administração de Eduardo Pazuello, Luiz Otávio Franco e Hélio Angotti Netto foram indicados para falar sobre a crise que levou à falta de oxigênio para pacientes com Covid em Manaus. Ainda sobre a crise no Amazonas, o senador Otto Alencar (PSD-BA) pediu o comparecimento do ex-coordenador-geral de Logística de Insumos Estratégicos do MS, Alex Lial Marinho, para explicar a demora na resposta aos problemas no estado.

Ex-Advogado-Geral da União, José Levi foi citado em um dos requerimentos do petista Humberto Costa. A razão para a convocação, segundo o senador, é que a demissão de Levi do cargo de AGU acontece duas semanas depois dele não ter assinado ação movida por Jair Bolsonaro no Supremo contra o toque de recolher imposto na Bahia, no Rio Grande do Sul e no Distrito Federal. Como antecipado pelo colunista Lauro Jardim, a aposta do PT é que a maneira como saiu do governo motive José Levi a falar.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que é suplente no colegiado, mas tem auxiliado a redigir o plano de trabalho da CPI, indicou os nomes do ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo; do embaixador e secretário-geral do Itamaraty, Otávio Brandelli; do secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República; e do assessor internacional da presidência, Filipe Martins. Segundo o requerimento, Vieira quer apurar a atuação dos servidores na articulação do Brasil em âmbito internacional para conseguir insumos e vacinas.

Para esclarecer questões relativas ao auxílio emergencial e outras medidas econômicas de contenção da pandemia, o parlamentar também pediu que o ministro da Economia, Paulo Guedes, o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, e a secretária Nacional do Cadastro Único, Nilza Emi, ligada ao Ministério da Cidadania, sejam ouvidos.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, também foi citado para falar sobre as vacinas contra a Covid-19, e o presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, pode ser questionado sobre a negativa da agência reguladora ao pedido de autorização excepcional para a importação da vacina Sputnik V.

Estratégia do governo

Em minoria na composição da CPI da Covid, os integrantes da base governista foram orientados pelo Planalto a entrar com requerimentos de convocação de especialistas que defendem o uso do tratamento precoce e medicamentos sem eficácia comprovada contra o novo coronavírus.

Aliado do Planalto, o senador Ciro Nogueira (PP-PI) apresentou o requerimento para ouvir a imunologista Nise Yamaguchi, que chegou a ser cotada para assumir o Ministério da Saúde no ano passado por fazer a defesa do uso da cloroquina contra a Covid-19, um dos principais focos da Comissão Parlamentar de Inquérito. Na quinta-feira passada, às vésperas da instalação da CPI, ela esteve no Palácio do Planalto para uma reunião.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Se nota que o alvo dessa CPI é simplesmente garroteado o novilho, representado por
    Bolsonaro e seus mais próximos, e enviá-los ao matadouro. “Vingança, vingança e nada mais…….”

  2. Vc fez uma radiografia da situação que vivemos. O que dizer de uma CPI dominada por um sujeito como Renan Calheiros?

    1. Mínimo…chora mais…
      Não pára… tá lindo de ver…🤣🤣🤣🤣

    2. Comentário sem noção nem conteúdo, que nada acrescenta. Coisa de esquerdalha. Quando falo da militância paga, eles reclamam. Enquanto isso, o RN definha nas mãos da incompetência e falta de atitude da petralhada. 2022 vem aí.

  3. Saiu na Coluna do Estadão, no jornal O Estado de São Paulo, de terça-feira (27), que “governadores estudam entrar com medida judicial no STJ [Superior Tribunal de Justiça] pelo afastamento da subprocuradora da República Lindôra Araújo das investigações sobre supostos desvios de verbas federais enviadas ao Estados”. Ela encabeça as investigações de governadores e já oficiou a todos (inclusive a do RN), pedindo informações. Isso não é politicagem, como essa CPI relatada por Renan Calheiros (parece piada), é coisa séria.

    1. Ué, O Estadão e a Folha de São Paulo não fazem parte da imprensa comunista?
      Ah, entendi. É apenas quando sai matéria o de denuncia o governo federal.
      Por falar em matéria contra o governo, o Paulo Guedes disse que para o país se estabilizar, seria necessário que o brasileiro não vivesse muito.
      E aí, Direita Honesta, vai dar sua contribuição quando?
      Talvez o governo lance um programa gratuito para incineração dos voluntários.
      Bando de bicho (gado) alienado.

    2. O Estadão apenas deu a notícia, “cumpanhero”. Tenha noção.

  4. O BRASIL INFECTADO
    Se fossemos um corpo humano, nosso sistema de defesa seria baseado em células malignas que rejeitam de qualquer forma o VÍRUS DA HONESTIDADE, elas se utilizariam de todas as formas para a manutenção de seu estado fisiológico anormal, em ultimo caso matando o seu próprio organismo, como ocorre na septicemia.
    É isto que esta ocorrendo no Brasil, células malignas estão a defender seus próprios interesses, sem se preocupar com as células trabalhadoras, honestas que fazem o máximo para manter o corpo vivo.
    Estamos entrando em um estado de sepse e as sequelas podem não ser tão boas ou até mesmo nos levar a morte.
    É chegado a hora de darmos um basta em tanta corrupção e desonestidade, o tratamento é doloroso e demorado, mas ainda temos chances de reverter a situação.
    temos que iniciar nos infectando com o vírus da honestidade, para que ele possa agir mudando o nosso DNA, e a partir dai iremos infectar outras células, e chegará o momento que o sistema de defesa maligno do nosso organismo não conseguira conter a disseminação da honestidade e morrerá, a partir dai seremos um novo organismo.
    As vezes é preciso morrer para se renascer.

    1. Se depender do MINTOmaníaco , realmente teremos que morrer afinal ele eh um negacionista que prescreveu placebos e mandou comprar mesmo superfaturado , promoveu aglomerações sem usar máscara nem manter distanciamento social pra sabotar as medidas que os governadores tomaram pra mitigar a pandemia, sabotou a compra de vacinas , negou a ciência e causou medo na população pra tomar vacina, entre outras coisas …

  5. Será que já estão preparando uma cela de Estado Maior em bangu 8? Mas tem que ser maior mesmo pq vai muita gente acompanhando nessa barca.

    1. É isso aí Santos, tem que torcer para que a ultima bandeira de honestidade em nossa política seja afastado pelos corruptos e que os corruptos voltem ao poder.
      Na Venezuela já é assim a 10 anos e lá a igualdade chegou para toda população. O povo na miséria e os líderes políticos vivendo de tudo que o capitalismo pode dar a eles.

  6. Tem governadores e prefeitos que não estão conseguindo dormir direito, pois é muita grana enviada pelo governo Bolsonaro e desviada para os seus bolsos, esses do consórcio Nordeste já estão com a muito tempo sem dormir, pois foram quase cinquenta milhões de reais roubados do contribuinte dos estados do Nordeste.

  7. Cada vez mais me decepciono com as ditas autoridades deste país chamado BRASIL. O país está entregue a bandidagem e a corruptos, e a nós o povo só nos cabe pagar impostos e manter esses sistema ficando cada dia mais poderoso.

  8. Desvio de dinheiro, desativação de uti em pleno pico da pandemia com dinheiro em caixa, não construir hospital de campanha, superfaturamento de contratos de compra de insumos e serviço em dispensa de licitação, algumas revogadas pela denuncias das mídias (bg e outras mídias), decretar Lockdown sem um auxílio financeiro aos ambulantes e micro prejudicados. Tudo isso foram medidas eficientíssimas no enfrentamento a pandemia, inclusive reduziu a fila de espera por uti e o número de óbitos. ia até esquecendo dacompra de respiradores quebrados. Se tudo não condecorarem a governadora nessa cpi, será uma injustiça enorme.

  9. O remédio da vez do MINTOmaníaco deixou de ser a cloroquina… O ‘calça borrada” tá tomando diariamente e preventivamente imosec agora kkk

    1. Pois é, meu caro. É a tal da volta do cipó de aroeira no lombo de quem mandou dar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros apresenta 11 requerimentos à CPI; veja a lista com Marcelo Queiroga, e os três últimos ministros da Saúde

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Indicado como relator da CPI da Covid-19, Renan Calheiros apresentou 11 requerimentos de convocações e documentos para as investigações.

O documento a que a CNN teve acesso elenca todos eles (veja a lista abaixo). Entre os pedidos, serão convocados o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e os três últimos ministros que o antecederam: Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello.

Também será convocado o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres.

Requerimentos

1) Inteiro teor dos processos administrativos, de contratações e das demais tratativas relacionadas às aquisições de vacinas e insumos no âmbito do Ministério da Saúde;

2) Toda a regulamentação feita pelo governo no âmbito da Lei 13.979 de 2020 que trata das medidas de enfrentamento da emergência de saúde pública, especialmente sobre temas como isolamento social, quarentena e proteção da coletividade;

3) Todos os registros de ações e documentos do governo federal relacionados a medicamento sem eficácia comprovada, tratamentos precoces, inclusive indicados em aplicativos como TrateCov, plataforma desenvolvida pelo Ministério da Saúde;

4) Todos os documentos e atos normativos referentes às estratégias e campanhas de comunicação do governo federal e do Ministério da Saúde, em particular, além dos gastos orçamentários;

5) Requisição de todos os contratos, convênios e demais ajustes da União, que resultaram em transferência de recursos para o combate à covid e sua distribuição entre os entes subnacionais, além de suplementação orçamentária;

6) Todos os contratos, convênios e demais ajustes da União que resultaram em transferências de recursos orçamentários para estados e capitais

7) No caso emblemático do caos da saúde pública no Amazonas, estamos solicitando que todas as autoridades sanitárias de Manaus encaminhem todos os pedidos de auxílio e de envio de suprimentos hospitalares, em especial oxigênio, além das respostas do governo federal;

8) Convocar o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e os três últimos ministros que o antecederam;

9) Convocar o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres;

10) Requisitar ao STF o compartilhamento da investigação das Fake News;

11) Requisitar a CPI das Fake News todo material apurado.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Quero ver como é que esse imbecíl vai punir o SARS-covid-2 ou simplesmente COVID-19, Sim por que os responsável pela morte de milhões de pessoas não só no Brasil, mas no mundo, é o tal do virus Chinês, vai punir o virus?

    1. Na cola feita pelo próprio governo está a confissão dos seus crimes.

  2. Perguntarão ao Mandetta sobre sua determinação para que os contaminados ficassem em casa, esperando a falta de ar? E sobre ele num bar, jogando sinuca e tomando uma “gela”, sem máscara, junto com o filho? E a sua despedida do ministério, também sem máscara e abraçando todo mundo? Tem muito o que esclarecer.

    1. Calma boneca…
      Se for feito um trabalho sério, não vai sobrar prega sobre prega, inclusive do seu amado presidente.

    2. Assim são os adoradores de corrupto de estimação.
      Como uma CPI composta por senadores que respondem a processos por corrupção pode ser séria? Sua visão de mundo direita esclerosada é a mesma tão boa que seus heróis tem ficha corrida por corrupção na política e sofrem de abstinência dessa prática, então agora tem uma oportunidade de tentar levar a lama que estão os que não tem tal prática. Essa CPI é pior que o tal processo das fake news. Mas isso tem um lado muito positivo, afinal, cada vez mais a podridão dá seus frutos e o povo sabe quem é quem. Antes eram 57%, foi a 65%, cresceu para 72% e logo teremos 85% dos brasileiros constatando que são os porcos que querem o pior para o Brasil. O desespero dos que produzem lama, vai aumentar cada vez mais, que os gritos aumentem…

    3. Direita honesta tá preocupado com o Mandetta? kkkkkkkkkkkkkkkkk
      Bozo tem 400 mil brasileiros mortos nas costas…Mandetta é o menor dos problemas…

    4. Antes, quando alguém ficava reclamando e repetindo o mesmo assunto, se dizia que estava de mimimi.
      Agora, estão de Mu mu muuuuuu!

    5. Mortes? No RN estão morrendo muitos na fila da UTI porque a governadora não abriu leitos com os bilhões que recebeu do governo Bolsonaro. Ela não fez NADA contra o vírus. Aliás, não fez NADA em nenhum setor. O governo dessa senhora não começou. E ainda está destruindo o que resta da economia do estado. Deixem de politicagem e pensem no RN. Sem o dinheiro do governo Bolsonaro, não tem mais “pixulecos”. Nem salários de servidores terá. Abram o olho!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CPI da Covid não fará perseguição, mas é preciso punir responsáveis por mortes, diz Renan

Foto: Reprodução/Globo News

Escolhido nesta terça-feira (27) como relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) afirmou em seu primeiro discurso que a comissão não fará perseguições, mas que é preciso punir “imediata e emblematicamente” os responsáveis pelas mortes durante a pandemia.

Renan foi indicado relator pelo presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), durante a instalação da comissão. A CPI será responsável por apurar ações e omissões do governo federal e eventuais desvios de verbas federais enviadas aos estados para o enfrentamento da pandemia.

“Não estamos aqui para maquinar ações persecutórias, não estamos aqui diante da atenção integral da nação e do mundo, para blindar, engavetar, tergiversar ou procrastinar. Tudo será investigado, como exige a Carta democrática, de maneira transparente, acessível”, declarou o relator.

“O país tem o direito de saber quem contribuiu para as milhares de mortes, e eles devem ser punidos imediata e emblematicamente”, acrescentou Renan, em outro trecho do discurso.

O Brasil soma quase 400 mil mortes por Covid. A média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias chegou a 2.451 óbitos. O número de mortes em 2021 já supera o total de óbitos de 2020.

Alvo da Lava Jato e crítico da operação, Renan afirmou também que não será, na relatoria da CPI, “discípulo” do ex-juiz Sergio Moro e do procurador Deltan Dallagnol, “arquitetando” provas.

“Não somos discípulos de Deltan Dallagnol nem de Sérgio Moro. Não arquitetaremos teses sem provas ou power points contra quem quer que seja”, acrescentou.

Combate ao ‘negacionismo’

Em vários momentos, Renan disse que a CPI será pautada pela ciência, com a consulta a especialistas, e pelo combate ao “negacionismo”.

“Nossa cruzada será contra a agenda da morte. Contrapor o caos social, a fome, o descalabro institucional, o morticínio, a ruína econômica e o negacionismo não é uma predileção ideológica ou filosófica, é uma obrigação democrática, moral e humana. Os inimigos dessa relatoria são pandemia e aqueles que, por ação, omissão, incompetência ou malversação, se aliaram ao vírus e colaboraram com o morticínio”, disse o emedebista.

Ainda no discurso, o relator da CPI disse que “intimidações” e “arreganhos” não vão detê-lo. Apoiadores de Bolsonaro, nas redes sociais, têm feito sucessivos ataques à escolha de Renan como relator. Apesar de “adversidades”, Renan disse não “eternizar” mágoas.

Sessão de abertura

Aliados do Palácio do Planalto tentaram impedir a indicação de Renan Calheiros para a relatoria. Durante a sessão, diversos parlamentares criticaram Renan por assumir o posto mesmo sendo pai do governador de Alagoas, Renan Filho (MDB).

Filho do presidente Jair Bolsonaro, por exemplo, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), disse não ter dúvidas de que Renan atuará com parcialidade e tentará proteger governadores, entre os quais Renan Filho (MDB).

Apesar das críticas, o relator da CPI disse que os colegas “podem esperar” dele um trabalho “isento, objetivo, técnico, desapaixonado, destemido e colegiado”.

“Sem medo de absolver quem merecê-lo e sem hesitação para imputar quem é responsável”, declarou.

Eduardo Pazuello

Durante o primeiro discurso como relator, Renan Calheiros afirmou que as gestões no Ministério da Saúde “serão investigadas a fundo””.

Sem citar o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, Renan afirmou que não será o Exército que “estará sob análise”.

“A memória remete para as 454 mortes em combate na segunda grande guerra, com um universo de 25 mil pracinhas. Esse pequeno número de baixas reflete a liderança de um estrategista de guerra. Imaginem um epidemiologista conduzindo nossas tropas em Monte Castelo. Na pandemia o Ministério foi entregue a um não especialista, um general”, declarou.

“O que teria acontecido se tivéssemos enviado um infectologista para comandar nossas tropas? Provavelmente um morticínio. Porque guerras se enfrentam com especialistas, sejam elas bélicas ou sanitárias. A diretriz é clara: militar nos quartéis e médicos na Saúde. Quando se inverte, a morte é certa. E foi isso que aconteceu. Temos que explicar, como, por que isso ocorreu”, completou Renan.

Relatoria na Justiça

Na noite desta segunda (26), a Justiça Federal em Brasília chegou a conceder uma liminar (decisão provisória), atendendo a um pedido da deputada bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP), para suspender a eventual escolha de Renan para relator.

A Mesa do Senado recorreu, e o Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), com sede em Brasília, derrubou a decisão.

À colunista do G1 e da GloboNews Ana Flor, Omar Aziz disse que, eleito presidente, indicaria Renan Calheiros para a função “e ponto”. Segundo o Blog do Valdo Cruz, aliados do Planalto avaliam que o movimento de Zambelli foi um erro político e pode acirrar os ânimos na CPI.

G1

Opinião dos leitores

  1. A CPI não vai punir ninguém, e sim encaminhar ao MPF sua s conclusões.
    A velha política dando show, SPTF incentivando. Veremos no que vai dar.

  2. FALOU O PALADINO DA MORAL E DA ÉTICA SÓ NO BRASIL A RAPOSACUIDANDO DO GALINHEIRO

  3. Será se os desvios de verbas do combate a pandemia, a falta de investimento no meios de tratamento do covid, e ausência de política de auxílio financeiro aos principais setores produtivos, atingidos pelos Lockdown não serão investigados nessa cpi? E os grupos envolvidos nas operações da PF sobre os desvios de verbas públicas direcionadas pra pandemia? Esses temas caem bem na carapuça de nossa governadora.

  4. BANDIDO CUIDANDO DE BANDIDO.
    TODAS OS REQUERIMENTOS EM CIMA DO GOVERNO FEDERAL, NADA PARA INVESTIGAR OS ESTADOS QUE ATÉ AQUI NÃO PROVARAM PARA ONDE FORAM OS MILHÕES RECEBIDOS DURANTE A PNADEMIA.
    ESSA CPI TEM ILEGALIDADE TANTO QUANTO O PROCESSO DAS FAKE NEWS QUE SÓ INVESTIGA QUEM CRITICA O STF. A CORDA VAI ARREBENTAR.

  5. O bosonaro já providenciou uma cola para membros do seu governo responderem na cpi. Resta saber se as respostas serão de marcar. Se não for o caldo entorna.

    1. Se chegar aos governadores não escapa um, vão ser condenados, pois nenhum tem como justificar os gastos durante a pandemia, falando do nordeste, DF, SP e RS. Tem desvio de toda forma e meio. Tem de tudo, menos medida contra a pandemia.

    1. A esquerda comemorando mais uma quadrilha montada na CPI.
      A alegria é enorme, fazia tempo que eles não tinham algo nas mãos para poder armar mais uma perseguição ao governo federal. Olha a ficha corrida dos senadores que formam a mesa da CPI, causa inveja a uma certa turma da Itália que moravam na Sicília e Nápoles

  6. Um BANDIDO desse falando em punição!!!
    Esse CORRUPTO era para está preso a muito tempo, a Brasil vei sem jeito

    1. Triunfa mesmo, taí o filho do presidente, desviou dinheiro publico com funcionario fantasma e ta livre.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI da Covid elege Omar Aziz (PSD-AM) presidente e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice; Renan Calheiros é confirmado relator

Foto: Reprodução/TV Senado

Após mais de duas horas desta primeira sessão da CPI da Covid, a maioria dos integrantes acaba de confirmar a composição da cúpula da comissão.

Como esperado, após acordo feito entre a maioria dos integrantes, o senador Omar Aziz (PSD) foi oficializado na presidência do colegiado. Randolfe Rodrigues (Rede), autor do pedido original da CPI, será o vice-presidente.

A votação foi secreta. Aziz venceu Eduardo Girão (Podemos) por 8 a 3. Randolfe foi confirmado com 7 votos — 4 senadores votaram em branco.

“Tenho certeza de que o debate será proveitoso e esta CPI levar uma esperança maior para a aquisição de vacinas, de kits. Não dá para discutir questão política em cima de quase 400 mil mortos”, disse Aziz, no primeiro discurso. Ele também afirmou que o governo parece disposto a colaborar.

“O jogo está jogado. Começamos mal esta CPI, que perde credibilidade pelo conflito flagrante de interesses: isso é fato”, disse Girão durante o processo de votação. Ele lançou candidatura avulsa à presidência da CPI, mas foi derrotado.

Após disputa na Justiça, Omar Aziz escolhe Renan Calheiros para relator da CPI. Com isso, prevaleceu o acordo feito pelas maiores siglas (MDB, PSD) e senadores de oposição e independentes. Aliados do governo tentaram impedir que Renan assumisse a relatoria.

Com O Antagonista e G1

Opinião dos leitores

  1. Le Brésil n’est pas un pays serieux…., frase atribuída ao Ex-Presidente francês Charles De Gaulle

  2. BG
    Esse Randolfe metido a “paladino” fazer essa CPI junto nada menos que Renam Calheiros e Aziz. Essa esquerdalha não vale uma prata furada.

    1. Desde de quando Renan e Aziz são de esquerda ?
      Agora o bicho vai pegar!!! A mão que bate em Chico é a mesma que bate em Francisco!!!! Segura Peão, que a boiada vai cair no chão!! Muuuuuu

  3. Parabéns!! Renan como relator, muito bem, muito bem…

    Quero vê onde isso via chegar, se não investigar todos os governadores e prefeitos não servirá de nada. Vão só gastar mais dinheiro público em vão, esses vermes recebem extra para participar das tais CPIs sabiam disso??

    O que o país precisa é de união e não mais divisão partidárias que não dará em nada, só querem desgastar o governo perante a opinião publica nada mais.

  4. A oposição ao governo vai a luta, perfeito, na linha de frente um conhecido e contumaz ladrão, essa coisa não pode dar certo.

    1. O MINTOmaníaco vai ter que comprar um estoque grande de Imosec pra não viver com a calça borrada…

  5. Previsão para Outubro de 22:
    Renan, sono do senado, reeleito.
    Bolsonaro não estará nas urnas, monitorado por tornozeleira pescando em alguma reserva ambiental.

    1. Acho melhor certos governadores tratarem de explicar onde gastaram o dinheiro que receberam. A PF e a PGR já estão investigando faz tempo e já há vários governadores encrencados. Dois já estão na “marca do pênalti: RJ e SC. Os do PA e do AM vêm logo atrás. E a fila segue. A propósito, cadê os respiradores? Rsrsrs

  6. Uma CPI dirigida por indivíduos desse quilate não promete coisa boa. Embora haja muito o que investigar, principalmente quanto ao destino que os governadores deram aos bilhões que receberam do governo federal.

    1. Dividirão os bilhões entre os compadrios e fica tudo resolvido. Renan investigando o filho….enredo de filme de terror para a família brasileira.

    2. mimimimi…chola mais…chola mais que tá bonito de ver
      🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

    3. Pra você ver. No final o R10 (Renan) vai provar que o mito é bem pior que ele.

    4. Uma pena as escolas estarem fechadas, assim que reabrir (com todos os cuidados), se matricule num intensivo de português, urgentemente!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

TRF-1 derruba liminar que impedia Renan de ser relator da CPI da Covid

Foto: Mateus Bonomi/Crusoé

O desembargador Francisco de Assis Betti, presidente em exercício do TRF-1, acaba de derrubar a decisão liminar de um juiz de primeira instância que impedia o senador Renan Calheiros (MDB) de ser o relator da CPI da Covid. A comissão está sendo instalada nesta manhã.

O desembargador alegou, por exemplo, que a designação de relator da CPI “é prerrogativa do presidente da respectiva comissão”.

“A Suprema Corte, em diversas oportunidades, já assentou não ser possível ao Poder Judiciário a análise ou a modificação da compreensão legitimamente conferida às previsões regimentais de organização procedimental pela Casa Legislativa, por se tratar de matéria interna corporis.”

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Comissão Parlamentar do Riso!!! Renan Calheiros? Um sujo pra fiscalizar os maus-lavados? Só rindo mesmo…

  2. Como pode se ter dois pesos e duas medidas, para obrigar o senado abrir uma CPI, basta uma canetada de um ministro, para afastar um senador suspeito, de uma relatoria dessa mesma CPI, aí vamos respeitar as “independência dos poderes “. KKKKKKK😩😩😩

  3. -Quando foi a última vez que vc ouviu falar em corrupção em escala nas empresas estatais.

    – Quando foi a última vez vc viu nos jornais a notícia de contratos Bilionários do governo COM EVIDÊNCIAS DE SUPER FATURAMENTO.

    -qual foi o ministro desse governo que foi afastado por suspeita de desvio de verbas em pleno exercício.

    – quem desviou verbas nessa PANDEMIA, o governo federal ou Estados e municípios.

  4. Podem estrebuchar… Quando sentem que pela primeira vez na vida vão ter que prestar conta e mostrar trabalho essa turma endoida.

  5. Apesar de repudiar esse corrupto, que nem deveria ter sido eleito (culpa do povo alagoano), penso que é questão a ser resolvida pelo Senado. Sou contra essa judicialização de tudo. Os Poderes deveriam ser de fato independentes.

    1. Dividirão os bilhões entre os compadrios e fica tudo resolvido. Renan investigando o filho….enredo de filme de terror para a família brasileira.

  6. Saiam da frente, saiam , saiam…(nesse momento, Bozo passa toda velocidade em direção ao banheiro…teve um desarranjo intestinal…kkkkkkkkk)

    1. Fico imaginando o caráter de alguém que comemora a atuação de um indivíduo como esse Renan. O que será que se passa na sua cabecinha? Que valores vc defende? Em quem vc vota? Perguntas retóricas, já imagino as respostas.

    2. AI NÃO É LULA LADRÃO NÃO MEU AMIGO. VOCÊ VAI MORRER E NÃO VAI VER LULA INOCENTADO.

    3. Pablito, todo cidadão é inocente até que se prove o contrário.
      Se alguém aqui arrumar uma prova só que seja que apresente e aí pode chamar de ladrão quem comprovadamente ladrão é. Mas tem que ser prova. Convicção não é prova.

    4. Patriota, você acredita em papai noel? DEVE ACREDITAR POR ACHAR QUE LULA NÃO É CORRUPTO.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Senado instala CPI da Covid para apurar ações e omissões na pandemia

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom

O Senado instalou nesta terça-feira (27) a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai apurar ações e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia da Covid-19, bem como o uso de verbas federais por parte de estados e municípios no combate à doença.

Nesta primeira reunião, os membros da comissão elegerão o presidente e o vice-presidente da CPI. Caberá a eles, depois, a indicação de um senador para ser o relator da comissão. Nesse ponto, há uma disputa a resolver, já que o senador Omar Aziz (PSD-AM) – mais cotado para presidir a CPI –confirmou à CNN que vai ignorar decisão da Justiça Federal de Brasília e manter a indicação de Renan Calheiros (MDB-AL) para a vaga.

A CPI da Covid, como a comissão é chamada, foi protocolada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição, e inicialmente era focada só nas ações do governo federal. Por pressão dos aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), incorporou também a aplicação de verbas da União pelos entes regionais.

A CPI foi instalada em cumprimento a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão do ministro Luís Roberto Barroso referendada pelo plenário da Corte.

O apelo ao STF, feito pelos senadores Jorge Kajuru (Podemos-GO) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE), teve como base o argumento de que uma CPI com as assinaturas e pré-requisitos mínimos deveria ser instalada independentemente da posição do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

A comissão será composta por 11 membros titulares e 7 suplentes. O prazo inicial para o funcionamento da CPI é de 90 dias, mas pode ser renovado pelo mesmo período – se houver essa ampliação, a CPI poderá funcionar até outubro de 2021, um ano antes do primeiro turno das eleições de 2022, que escolherão presidente, governadores, senadores, deputados federais e estaduais.

O que a CPI vai investigar?

O possível plano de trabalho da CPI da Pandemia, obtido pela CNN, prevê a divisão da comissão em quatro frentes: vacinas e outras medidas para a contenção do vírus, colapso da saúde em Manaus, insumos para tratamento de enfermos e emprego de recursos federais. O documento, no entanto, ainda pode ser alterado por parlamentares que farão parte da comissão.

Caso o plano usado na CPI seja esse, ministros como Paulo Guedes, da Economia, e ex-membros do governo, como o ex-chanceler Ernesto Araújo e o ex-secretário de Comunicação Social Fábio Wajngarten, podem ser chamados para prestar esclarecimentos.

Em entrevista à CNN, o senador Omar Aziz (PSD-AM), candidato a presidir a CPI da Covid, defendeu que o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta seja o primeiro convocado a depor na comissão. “Foi onde tudo começou”, argumentou o parlamentar amazonense.

Ele também disse que outro objetivo da comissão será entender por que o governo federal não negociou com a Pfizer, em agosto de 2020, a compra de 70 milhões de vacinas contra o novo coronavírus.

Os ex-ministros da Saúde Nelson Teich e Eduardo Pazuello, além do atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga, também devem ser convocados.

Outro ponto que deve ser investigado é a recomendação, por parte do Ministério da Saúde, do uso de hidroxicloroquina no tratamento da doença – medicamento que não tem comprovação científica da eficácia em pacientes com Covid-19.

Outro fatos a ser investigado é a demora na assinatura do contrato entre o Instituto Butantan e o Ministério para a compra dos primeiros 46 milhões de doses da Coronavac.

Quais os limites da CPI?

A CPI tem poder de convocar autoridades, requisitar documentos, recomendar ao Ministério Público que inquéritos sejam instaurados e até determinar a quebra de sigilo bancário, fiscal telefônico.

A investigação pode convocar basicamente qualquer pessoa que considere relevante para apurar os fatos investigados, incluindo ministros de Estado. Os intimados são obrigados a comparecer e devem prestar seus depoimentos sob juramento de dizer a verdade.

Uma CPI não tem poder de julgar nem tem competência para punir investigados. Assim, não pode, por exemplo, determinar medidas cautelares, como prisões provisórias ou indisponibilidade de bens. Também não pode expedir mandado de busca e apreensão, apreender passaporte ou determinar escutas telefônicas – medidas que dependem de decisão judicial.

Ao final dos trabalhos, a comissão produzi um relatório de conclusão, que será encaminhado ao Ministério Público ou à Advocacia-Geral da União, para haver a responsabilização civil e criminal de possíveis infratores ou para tomarem outras medidas legais necessárias.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Ações: desviou 5 milhões de reais, contrato superfaturados através de dispensa de licitações de compras de produtos e de serviço, uns inclusive foram abortados após a imprensa (bg e outros) denunciarem; omissão: não construir hospitais de campanha, UTIs, e até cancelamento de contratos de uti em pleno pico da pandemia, não elaborou plano de auxilios aos trabalhadores prejudicado pelos sucessivos Lockdown. Tudo isso são irresponsabilidade e atos da governadora do RN passíveis de penalidades e até impeachment. Veremos

  2. Onde a governadora Fátima do PT aplicou os bilhões que recebeu do governo Bolsonaro? Por que não abriu leitos hospitalares, deixando o povo potiguar morrer na fila por UTI? Cadê os respiradores que nunca chegaram, com os quais foram torrados 5 milhões? Há muito o que desvendar.

    1. Ainda estais nesses 5 trilhões, cada sua denúncia no MP ou no TCE? Só faz repetir 700x essa ladainha, ou então é sobre lacração e cumpanheiro. Vagal.

    2. O dinheiro já foi devolvido, “cumpanhero”? Ou os respiradores já chegaram? Senão, as perguntas seguem sem respostas. E cadê os leitos hospitalares? E a governadora aplicou onde os bilhões que recebeu? A PGR quer saber e já oficiou a governadora.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI da Covid: Omar Aziz confirma acordo para ignorar justiça e diz que, se eleito presidente, indicará Renan para relatoria ‘e ponto’

Foto: Reprodução/GloboNews

O senador Omar Aziz (PSD-AM) afirmou nesta terça-feira (27) que, se eleito presidente da CPI da Covid, indicará o senador Renan Calheiros (MDB-AL) para a relatoria da comissão “e ponto”.

A sessão de instalação da CPI está marcada para as 10h desta terça. Após a eleição do presidente e do vice da comissão, será escolhido o relator.

Há cerca de dez dias, a maioria dos integrantes da CPI chegou a um acordo para que Aziz seja eleito presidente; Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice; e Renan Calheiros, relator.

Nesta segunda (26), contudo, atendendo a um pedido da deputada bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP), a Justiça Federal em Brasília suspendeu a eventual escolha de Renan para relator.

Ao blog, Omar Aziz afirmou: “Se escolhido presidente, vou indicar Renan e ponto”.

“Não mudou nada, a decisão do juiz é sem nexo”, acrescentou o senador.

Aziz disse ainda que não recebeu notificação sobre a decisão. “O juiz enviou ao presidente do Senado, que não tem poder de interferir na composição da CPI”, completou.

Omar Aziz é o candidato do grupo de sete senadores de oposição e independentes, que vêm se reunindo nas últimas semanas e que representa maioria dos senadores na CPI.

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) corre por fora.

Na noite desta segunda-feira, o grupo majoritário da CPI se reuniu e definiu a espinha dorsal do início dos trabalhos.

Após a eleição do presidente e da escolha do relator, nesta terça, o plano de trabalho deve ser apresentado pelo relator na quarta-feira. A ideia, até o momento, é começar ouvindo o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

Depois, outros ex-ministros, incluindo Eduardo Pazuello e o atual titular da pasta, Marcelo Queiroga. Diretores da Anvisa também serão chamados.

Blog da Ana Flor – G1

Opinião dos leitores

  1. Realmente essa politicagem está precisando ser encerrada e iniciada do zero.
    Uma CPI criada por decisão judicial, agora vai ignorar uma decisão judicial?
    Para criar a CPI não teve questionamento do senado, mas para tirar um relator cujo filho está envolvido diretamente na CPI e tem 11 processos por corrupção no STF, a decisão judicial será desrespeitada? Coerência nenhuma, comprometimento com senador processado por corrupção, total.

  2. Ver petista defendendo Renan Calheiros é o mesmo que ver bolsonarista defender Roberto Jefferson.

  3. Pra os seguidores do mito o Cunha é “meu malvado favorito” e o condenado Roberto Jefferson é o cristão “Bob Jeff”. Não dá pra cobrar mta coerência. 😅

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *