Crispiniano faz mea culpa e assume que passou do tom

crispiniano netoO secretário de Cultura, Crispiniano Neto, emitiu uma nota à imprensa acerca das declarações de incitação à violência contra a imprensa e contra a ordem pública. Na nota o secretário não fala em erros ou pedidos de desculpas, apenas reconhece que atuou em “tom acima do normal” e dá suas explicações sobre o fato. O Blog reproduz a nota na íntegra:

“Nota à imprensa sobre postagem no Twitter

Reconheço que atuei em tom acima do normal nas redes sociais em resposta ao excesso de provocações e de manipulação que ora atingem o partido a que dediquei a minha vida e os meus sonhos desde um ano antes de ser ele oficialmente fundado.

Minha relação com a imprensa, instituição com que convivo por dentro, há quatro décadas, sempre foi cordial e civilizada, mesmo tendo que exercitar por todas estas décadas, diariamente a mensagem de Evelyn Beatrice Hall, tão confundida como sendo de Voltaire: “Posso não concordar com nenhuma das palavras que você está dizendo, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las”.

Quero isentar da minha atitude pessoal, a Fundação José Augusto, pois a postagem foi feita do meu computador pessoal, na minha conta pessoal do Twitter, durante um final de semana, da minha residência, portanto, fora do expediente. Nada a ver com a instituição. Todos os profissionais de imprensa que se interessam pelas notícias da cultura são testemunhas de como são bem tratados naquela instituição pública.

Quero deixar claro, que se carreguei nas tintas foi uma atitude isolada, pessoal, longe, porém do intuito de incitar quem quer que seja à violência. E afirmo peremptoriamente que em momento algum tratou-se de posição partidária, pois estive em reunião do PT na última sexta-feira (04.03.2016) e nada ouvi neste sentido por parte dos dirigentes e demais lideranças da sigla. Tampouco incitei ninguém a nada durante aquela reunião, pois sequer inscrevi-me para falar.

Tampouco tem sentido querer comprometer o governo Robinson Faria ou a pessoa do governador, pois, dentro deste governo, que é democrático e de coalisão, existem divergências ideológicas naturais e nunca questionamos a postura correta do governador, quando qualquer colega de equipe diverge do PT.

Espero que a democracia prevaleça para todos e que a verdadeira incitação à violência e agressão à democracia por parte de tantos, todos os dias, seja tão criticada quanto estou sendo.

Quanto aos que se preocupam com alguma suposta atitude da minha parte em relação aos atos públicos dos adversários do PT no próximo dia 13, que fiquem tranquilos, pois nunca marquei presença em nenhum dos que aconteceram, desde 2013. Meu mau gosto nunca me obrigou a tanto. E não será agora que irei me ocupar de assisti-los. Como das outras vezes, os tratarei com meu mais distanciado respeito.

Retiro toda e qualquer palavra ou frase que possa parecer incitação à violência e reitero todas as minhas preocupações e repulsa ao momento de agressão e ódio ao PT, ao Governo democrático de Dilma Rousseff, à democracia brasileira em geral e às conquistas dos milhões de brasileiros que melhoraram sensivelmente de vida nos últimos 13 anos.

Ao retirar as palavras inadequadas e desagradáveis a quem se sentiu ofendido, considero encerrado o assunto.

Saudações democráticas a todos

Crispiniano Neto”

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Elves Alves disse:

    Um petralha aloprado na condução da política cultural do Rio Grande do Norte.
    Nunca foi tão fácil explicar por que a Fundação José Augusto não passa de um depósito de nulidades.

  2. Felipe Lima disse:

    Não podemos admitir que esse senhor continue no cargo, aceitas as desculpas porém a péssima conduta deixa inapto para o cargo que ocupa, esperamos do governador Robinson Faria a exoneração, visto que Crispiniano Neto não tem mais condições morais para continuar à frente da diretoria da FJA.

  3. Isabel disse:

    Secretário de quê? Cultura? Chega a ser irônico! Não é de hoje que ele tem atos de desrespeito. …e com essa o Governador deve imediatamente exonerá-lo do cargo. Questão lógica! George Câmara ,quando Secretário de Esporte e Lazer do Estado ano passado , foi correndo à delegacia prestar solidariedade a um dos que atacaram o pixuleco ali próximo à árvore de Mirassol, que é companheiro seu do PC do B. O então secretário deu declaração dizendo que o ato foi corretíssimo! Sei não. …essa esquerda ainda acaba com Robinson. Quanto sapo ele está tendo de engolir. Pra fechar…seu ex-líder na Assembleia , Mineiro , é sempre lembrado pelo ato de escárnio que fez quando ocupou a Reitoria da Ufrn como estudante revoltado. O povo de nível! !

  4. Nosdliw disse:

    Sempre assim. Quando há repercussão e possibilidade de perda da boquinha, pedem desculpas. Mas, com certeza, é apenas da boca para fora. No íntimo, pensa do mesmo jeito.

  5. Antonio disse:

    Que a incitaação à violência e a agressão à democracia não sejam só criticados, como o Senhor escreveu, sejam punidas com os rigores da Lei. Que o Senhor responda criminalmente pela irresponsabilidade dos seus atos.

  6. Vasconcelos disse:

    Não obstante a "Nota", as folhas lançadas ao vento nunca serão totalmente recolhidas. Uma pessoa que representa instituições ou grupo de indivíduos não pode demonstrar desequilíbrio nunca. A eles não se pode dar o benefício da falha humana, pois suas palavras e ações são definitivas, para o bem ou para o mal. Nisso está incluído o governador do estado.

  7. José Avelino disse:

    A grande maioria dos petista eles não aceitam a crítica, pois eles tem comportamento de seguidores de seita, o PT pode tocar fogo no Basil e para eles é o correto.

  8. Verdade seja dita disse:

    Esses aloprados se acham o dono do Brasil e o meu direito de ir e vir. E quem cuida da segurança do povo Brasileiro são as Forças Auxiliares e as Forças Armadas e não essa turma de baderneiro que por qualquer parte com ameaça para a população que não compactua com desmandos e corrupção.
    Sr. Governador nomes como esse desgasta seu governo, não tem preparo, não tem equilíbrio, quando deu sua opinião deu um bico em sua canela.
    Como Toinho Silveira faz falta, era para estar a frente dessa Secretaria.

  9. isaac disse:

    Ficou com medinho de perder a mamata no governo. Esses petistas só sabem viver de cargos públicos.

  10. Ricardo Carvalho disse:

    Esse sujeito ainda tem a cara de pau de encerrar essa nota medíocre com, "Saudações democráticas a todos". Me causa ânsia de vômito.

  11. Anderson disse:

    O medo de perder o emprego prevaleceu, mais o bom senso não, continua com a arrogância e sarcasmo de antes !!!!
    Lamento que a cultura do meu Estado seja gerida por um ser como este!!!!

  12. Flávio Rezende disse:

    Quando um petista se refere hoje a democracia fico ressabiado. Vejo mais como diplomacia que realidade. O recuo é estratégia. Lá no fundo o camarada Crispa deve estar torcendo para que alguém faça mesmo o que ele sugeriu. Como ele não tem coragem, quer que alguém faça por ele. Esse recuo volto a dizer, é mais diplomático pelo cargo que exerce, que verdadeiro. Verdade aliás é ato raro no ninho das jararacas.

  13. Fernando Antonio R. Bastos disse:

    Alem da sua atitude radicalmente Petista, ainda vem chamar essa porcaria de governo de democracia. O remendo saiu pior do que o soneto.

  14. paulo disse:

    BG
    Isto é conversa BOI dormir é importante a sociedade Potiguar reagir ENERGICAMENTE a esse tipo de comportamento de incitação ao CRIME, essa mea culpa não cola não. Todo cuidado é pouco, ainda bem que já estão sendo tomadas providencias que o caso requer, inclusive o Ministério Público.

  15. Val Lima disse:

    Homi o "vermelho" amarelou ….agora vai ter q se entender com a justiça e ainda o corre o risco de perder a "boquinha" do estado…

  16. Carlos disse:

    Então, em razão de ter dedicado a sua vida a um projeto populista e corrupto, és agraciado com o direito de incitar a violencia?????
    Tá pensando que vai ficar por isso mesmo???
    Prepare-se para responder ação penal, seu irresponsável!!!
    Uma vergonha manter esse senhor na direção da FJA, a casa da cultura plural. Vê-se como o projeto de poeta entende de estado de direito.

  17. Leonardo disse:

    Depois do que disse esse senhor vai continuar comandando a pasta de cultura do estado? Que absuuuurdo! Mais do que exonerado devia responder a um processo criminal!

  18. caio fabio disse:

    Hipócrita, se fosse num país sério estaria preso.

  19. Observador disse:

    Que saudações democráticas , cara-pálida ! Despreparado para ocupar qualquer função pública . O Governador tem que demiti-lo imediatamente.

  20. Adílio disse:

    Robinson ainda não o demitiu? Tá esperando o quê????

  21. Bismarck P. Sátiro disse:

    Já tá com mêdo? esse é o problemas.

  22. FRASQUEIRINO disse:

    FORA DILMA, FORA LULA E DE QUEBRA LEVA CRISPINIANO COM VOCÊS.

  23. CAZUZA disse:

    Poeta sua carta resposta deveria ter sido versada como vc sabe fazer. Eu também não vou perder meu tempo em fazer protesto tendo juntos zé agripino, filhos e outros coronéis da política, parasitas de longas datas

    • paulo disse:

      Não precisa ir, quem irá são cidadãos de bem. Defensor de pelegos estarão fora

  24. Júnior disse:

    Essa nota é fraquicima, nem deveria ter soltado. Como é a história? Quer dizer que atuou em tom acima do normal foi? De jeito nenhum, o sr e despreparo e não pode fazer o que fez. O governador tem que punir, tem que exonerá já amanhã.

  25. Daniel disse:

    Ele é um ótimo gestor, os méritos não podem ser retirados por um erro que ele cometeu. Que sirva de lição e da próxima mês seja mais comedido nas palavras.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RN emite nota de repúdio sobre declarações postadas por Crispiniano Neto

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte vem a público repudiar frontalmente as declarações postadas neste domingo (6), em suas redes sociais, pelo presidente da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto. Senhor secretário, sendo bem eufêmico, o senhor foi profundamente infeliz em suas palavras. Qual cidadão em sã consciência incita a violência? Mas o senhor não se deu por satisfeito e foi além. Conclamou a militância de sua corrente política a se voltar contra a imprensa. Ora senhor secretário, é essa a conduta que deve ter um gestor público e ainda mais da área cultural?

Senhor Crispiniano, não podemos e não vamos aceitar uma tentativa tão venal e absurda de calar profissionais do jornalismo. Muito menos vamos nos calar e deixar de cumprir corretamente nosso dever por conta de uma incitação covarde como a sua.

Senhor governador Robinson Faria, o Sindjorn exige uma resposta rápida quanto às declarações de seu auxiliar de governo. Rápida, enérgica e exemplar. Ele atingiu toda uma categoria de profissionais e nitidamente pôs em risco as vidas de pais, mães e filhos. Seja coerente para que o peso das palavras de seu secretário não recaia também sobre o senhor.

Vivemos em um momento delicado no nosso país, é verdade, mas isso não pode jamais servir de justificativa para que percamos o senso de coletividade e de respeito às pessoas, às instituições e ao estado livre de direito.

Sindjorn e Fenaj

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. carlos disse:

    Creio que se trata de incitação a criminalidade, portanto passível de processo criminal. Por que o sindicato não entra com uma denúncia na justiça, contra referido indivíduo?

  2. cidadão disse:

    fas·cis·mo
    (italiano fascismo)
    substantivo masculino
    1. [História] Partido e movimento político em Itália que tinha por emblema os fasces, e terminou após a Segunda Grande Guerra depois de vários incidentes, num dos quais foi morto o seu chefe Mussolini (1883-1945).
    2. [Política] Tendência para o excesso de autoritarismo ou para o .controle ditatorial.

    "fascismo", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/fascismo [consultado em 07-03-2016]. Aí eu pergunto, a qual partido aplica-se melhor a definição??? Parece-me que os amantes do PT, não estão dando-se ao trabalho de ler…

  3. Carlos Cruz disse:

    O desespero e o bom senso toma conta desta facção maldosa que e o PT, estou dando total apoio a todos os que fazem a imprensa no nosso país, o que falta e vergonha, já que cinismo toma conta dos poderosos desta nação…

  4. José Mario dos Santos Silva disse:

    Prezado BG, sou simpatizante do socialismo, e tenho acompanhado seu trabalho como repórter. Não podemos aceitar que ideologias políticas-partidárias seja o principal foco da discussão. Sou servidor estadual e também não compartilho desses pensamentos do secretário em questão.

  5. Val Lima disse:

    Vejo nas palavras do CN uma forma de tentar intimidar a imprensa…..ledo engano… Agora mais do q nunca os profissionais estarão nas ruas levando ao conhecimento público, toda safadeza q um governo corrupto faz com o nosso sofrido dinheiro através dos impostos….dia 13 se aproxima…o povo vai mostrar toda indignação com a situação em q se encontra o país… Parafraseando o Jornalista Reinaldo …"se VC não for,ela fica!!!!!"…

  6. Weley disse:

    Eu estarei no dia 13 esperando esses bundoes, Petralhas e militontos para o que der e vier

Nota de pesar da Fundação José Augusto

Confira na íntegra:

Com grande pesar, a Fundação José Augusto lamenta o falecimento da historiadora e procuradora de Justiça Anna Maria Cascudo Barreto, filha do folclorista potiguar Luís da Câmara Cascudo.

A exemplo de seu pai, Anna Maria é um ícone para a cultura do nosso estado. Ocupava a cadeira de número treze da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras, sucedendo ao mestre Cascudo. Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte e da União Brasileira de Escritores, foi também uma das fundadoras da Academia Feminina de Letras.

Desejamos conforto a filhos e netos, familiares e amigos.

Rodrigo Bico

Presidente da Fundação José Augusto

Fundação José Augusto abre inscrições para Lei Câmara Cascudo

A renúncia fiscal anunciada pela Governadora Rosalba Ciarlini repete o valor do ano passado: R$ 6 milhões. Período de entrega de projetos será de 01 de abril a 02 de julho de 2014.

Começa nesta terça-feira, 1 de abril, a temporada de entrega de projetos para serem submetidos à análise da Comissão Estadual de Cultura. Os produtores culturais terão até o dia 2 de julho de 2014 para inscreverem propostas na Lei Câmara Cascudo. A Governadora Rosalba Ciarlini garantiu a renúncia fiscal no valor de R$ 6 milhões, para 2014.

Ao longo de 14 anos, a Lei Estadual de Incentivo à Cultura tem propiciado a realização de grandes eventos culturais como o Fest Bossa e Jazz, Circuito Potiguar do Livro, Um Presente de Natal, MADA e Festa de Santa Luzia. Podem ser inscritos projetos de produtos e bens culturais; seminários, oficinas e cursos de caráter cultural ou artístico; prêmios a criadores, autores, artistas, técnicos e suas obras; filmes, espetáculos musicais e de artes cênicas etc. Confira todas as áreas contempladas no site site www.cultura.rn.gov.br

Fortaleza dos Reis Magos ficará fechada durante este fim de semana

A Fortaleza dos Reis Magos, famoso ponto turístico de Natal, está fechada para visitação durante hoje e domingo, por decisão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A medida foi tomada para preservar o local, que no momento passa por obras de reparos e pintura. O instituto é o responsável por preservar o patrimônio cultural brasileiro

As obras, que estavam sendo executadas pela Fundação José Augusto (FJA), não foram autorizadas, segundo o superintendente do Iphan, Onésimo Jerônimo Santos. Por solicitação do órgão, nos próximos dias, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal deverão fazer perícias no local para verificar se houve dano ao patrimônio histórico do monumento.

Ainda de acordo com Onésimo, além da falta de autorização, a FJA estava utilizando materiais inadequados para executar a obra. “Existem critérios a serem seguidos. É preciso usar materiais similares aos da época da construção. O aval do Iphan é necessário, mas a obra continuou. Tivemos que tomar a medida extrema do embargo”, explicou ao G1/RN.

A Fundação José Augusto, através do engenheiro Sérgio Wiclif, se defendeu afirmando que a Fundação não recebeu notificação do Iphan para paralisar a obra e informou que elas foram solicitadas pelo Ministério Público Estadual.

Na segunda-feira (10), o Iphan se reunirá com a secretária estadual de Cultura, Isaura Rosado, para tratar do assunto.

Com informações do G1/RN

Secultrn/FJA divulga lista dos primeiros 12 títulos a serem publicados via Edital

A Comissão Editorial da Coleção Cultura Potiguar divulga os 12 primeiros títulos, resultado do processo seletivo do Edital de Publicações. O Edital segue aberto, em fluxo continuo, e devera selecionar outros trabalhos ainda este ano. Autores e pesquisadores como Zaíra Caldas (Os Olhos da Noite – Poesia), Carlos Adel (Radioamadorismo no RN – Prosa), Paulo Heider Feijó (Arquitetura Tradicional de Acari no século XIX – Prosa), Revista da Academia de Letras (Prosa) são alguns dos títulos selecionados.

Trabalhos como Asas sobre Natal de João Alves Filho (Fotografia), que aguardou 50 anos para ser publicado, desperta interesse pela riqueza da documentação fotográfica inédita. Inclusive lança luzes sobre a polêmica presença do piloto Exupery na nossa capital.  Fragmentos Visuais da Cultura Potiguar de Alexandre Ferreira dos Santos é outra obra fotográfica de qualidade que recebeu aprovação.

Chamas do Passado: II livro de Calazans Fernandes, romance autobiográfico há muitos anos enviado ao Ex Presidente da FJA François Silvestre, que nunca o recebeu, foi recomendado para publicação pela comissão editorial. Também o trabalho poético Um Canto Conforme a Noite, de Yuri Hícaro Diógenes Moura, recebeu avaliação positiva.

Outras obras, serão publicadas após o cumprimento de ressalvas recomendadas pelo Conselho Editorial, são elas: As Aventuras de Nó Cego – Manoel Julião Neto – Prosa As Tiradeiras de Benditos – Maria Helena da Silva – Poesia História e Cultura Indígena – Aucides Sales – Prosa Mãe Luiza: Odisseia de uma Nação – José Bernardo da Silva – Prosa.

O Edital Publicação foi uma forma que a Secultrn/FJA encontrou para homenagear e recordar o Professor Henrique Castriciano de Souza, intelectual, poeta maior, escritor, vice-governador, fundador da Escola Domestica de Natal, mestre de varias gerações de intelectuais potiguares, pai e criador – no Governo Alberto Maranhão – da Lei Nº 06 de 1906, que determinou ao Estado a publicação de autores conterrâneos.

O conselho Editorial da Coleção Cultura Potiguar, criado e nomeado pela Governadora Rosalba Ciarlini é composto dos intelectuais e jornalistas: Iaperi Araújo, Vicente Serejo, Sérgio Vilar e Carlos de Souza e realiza um trabalho de relevância cultural, pois patrocina a forma democrática e publica que a Secultrn/FJA encontra para conceder transparência e justiça às publicações patrocinadas pelo Estado.

Livro de Deífilo Gurgel será lançado na próxima semana

Foto: Alex Régis/Tribuna do Norte

 

A Coleção Cultura Potiguar, que reúne os mais diversos temas da literatura norte-rio-grandense, da Secretaria Extraordinária de Cultura do RN e Fundação José Augusto (Secultrn/FJA) terá mais uma obra entre seus títulos. Dessa vez, uma das mais ilustres: O Romanceiro Potiguar, que será lançado na quarta-feira, 18 de abril, no Palácio Potengi – Pinacoteca do Estado, a partir das 19h. O livro será adquirido ao preço de R$ 40. O Romanceiro Potiguar é uma obra inédita do folclorista e pesquisador, Deífilo Gurgel – falecido em fevereiro deste ano – fruto de uma pesquisa realizada entre as décadas de 1980 e 1990 e que reúne um dos mais ricos apanhados da oralidade dos romanceiros tanto de origem Ibérica, quanto brasileira. O livro conta com ilustrações do presidente do Conselho Estadual de Cultura, Iaperi Araújo.

De acordo com Alexandre Gurgel, que em algumas viagens ao longo dos dez anos de pesquisa acompanhou o pai, Deífilo Gurgel conversou com muitas pessoas para a elaboração d´O Romanceiro Potiguar, como por exemplo, seu Atanásio, detentor deste saber popular e pai de outra conhecida romanceira, Dona Militana, que também figura na pesquisa, dentre muitos outros. Com esse feito, andando de norte a sul pelo Estado, Deífilo Gurgel conseguiu compilar romances que fazem parte do cancioneiro popular, desde as origens Ibéricas (da Espanha e Portugal), passando pelos romances Religiosos, do Cangaço, da Caatinga e da Pecuária. “Ele viajou o Estado inteiro e conseguiu reunir uma obra que preserva pelo menos cinco origens de Romances. E o mais importante desse trabalho é que ele conseguiu colher versões inéditas de alguns romances”, informa o filho.

Para a secretária Extraordinária de Cultura, Isaura Rosado, O Romanceiro Potiguar dignifica o plano editorial do Governo do Estado conduzido pela Secultrn/FJA. “Deífilo pesquisou em sítios, vilas, povoados, nos espaços mais distantes do RN, seu trabalho é reconhecido para além do solo potiguar. Pensando em cultura de tradição, a assessoria de Deífilo sempre foi imprescindível. Digo isso para atestar minha admiração enquanto gestora, ao pesquisador, amigo, estudioso da cultura popular. Digo isso para expressar o quanto nos orgulhamos de Deífilo e o quanto as gerações que nos sucederem serão gratas a ele pelo registro e proteção às nossas raízes”, disse ela em apresentação da obra.

O poeta e membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras, Paulo de Tarso Correia de Melo, é quem faz a abertura do Romanceiro Potiguar, a convite do próprio Deífilo Gurgel e em determinado trecho, revela o apuro e dedicação deste que, certamente, foi um dos maiores estudiosos da cultura popular no RN e no Brasil: “O milagre é o mesmo de seus outros livros de pesquisa folclórica. A documentação precisa e conscienciosa de sempre. O relacionamento exato de fontes, lugares e datas da situação de pesquisa. Desta vez quero realçar o registro de saborosíssimos epílogos prosificados e por vezes prosificações completas de romances registrados acuradamente”.

O trabalho e pesquisa de Deífilo Gurgel foi realizado de maneira solitária, já que não conseguiu bolsistas ou outros interessados na pequisa. E assim, aos 70 anos, Deífilo Gurgel de dispôs a “cansativas”, porém “gratificantes” viagens pelo Rio Grande do Norte “à cata das últimas pepitas desse fabuloso tesouro, representadas pelas quase trezentas versões de romances, que coletamos nas mais diversas regiões do nosso Estado, dos romanceiros peninsular e brasileiro”, escreve o próprio pesquisador em seu livro, agora póstumo.

O livro é constituído das seguintes divisões Romances Ibéricos e Romances Brasileiros, que se subdividem-se da seguinte forma: Romances Palacianos, acontecidos entre a nobreza europeia; Romances Religiosos ou Sacros, que falam da vida de Jesus e de episódios ocorridos na vida de santos do catolicismo; Romances Plebeus, da gente do povo; Romances da Pecuária, que contam a vida de bois legendários: Boi Espácio, Boi Misterioso, Boi Surubim; Romances do Cangaço, relatos da vida e da morte de valentões sertanejos, desde épocas remotas: “Zé do Vale”, “O Cabeleira” e vários outros; Romances Burlescos, encenados outrora em teatrinhos mambembes e circos de cavalinhos. Ao todo são 330 versões de romances ibéricos e brasileiros.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alegomes Rn disse:

    Grande importância para nossa cultura. Infelizmente não pude prestigiar o lançamento. Como faço para comprar o livro?
    Alessandra ( pedagoga )

Projeto Seis & Meia defasado!!!

Está no excelente Blog Diário do Tempo:

O Teatro Riachuelo está promovendo praticamente todos os shows previstos para o Seis & Meia deste ano. Para quem não sabe, a Fundação José Gugu listou 13 nomes para a recente empresa produtora do evento escolher oito. E dessa lista grande parte ou se apresentou ou está com show agendado no Teatro Riachuelo. Casos de Maria Gadú e Jessier Quirino, já ocorridos, e Diogo Nogueira, previsto para os próximos meses. Fernanda Takai fez duas apresentações recentes aqui. Tulipa Ruiz está no lista do Dosol para novembro e provavelmente também para o Mada. Sobram Zezé Mota, Luiza Possi, Martinália, Peninha, Yamandu Costa, Ivone Lara, Titani, e Rubi.

O cachê de Luiza Possi gira em torno de R$ 50 mil. Pra mim, é nome descartado com os R$ 15 mil que o produtor tem para fazer tudo: alimentação, passagem, divulgação, pequenas despesas de logística, cachê local e nacional e um chicletinho pra agradar a produção. O de Martinália não deve ser muito menor do que isso. Pra mim, também é inviável. Aí, convenhamos: essa galera que sobrou, lota o teatro? Eu mesmo desconheço essa Titani. Rubi, ouvi falar por cima. Yamandu Costa, instrumental, dá 200 pessoas? Ele que já veio por aqui algumas vezes? E Peninha?! Aí sim, pode-se cantar: “Eu fico imaginando nós dois…”. Porque é o que vai dar no teatro.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Miranda disse:

    O peninha tem público onde quer que vá!!!!

François Silvestre chama Promotores de "mentirosos"e ïrresponsáveis"

Em resposta as ultimas acusações de desvios feitas por promotores do Patrimônio a sua pessoa na condução da Fundação José Augusto, o Procurador aposentando François Silvestre rasga o verbo. Ele encaminhou carta ao Novo Jornal e o Blog do BG publica.

Os jovens promotores do patrimônio mentiram novamente sobre ações da FJA. Encontrei o Projeto Seis e Meia funcionando e dei continuidade ao mesmo. Mantendo o mesmo dirigente, que não tinha vínculo funcional com a Fundação.

Na defesa da minha dignidade pessoal, não sou obrigado ao linguajar da hipocrisia. Sem vênia. Mentiram. E provarei isso em juízo.

(mais…)

Novo Escândalo na Fundação José Augusto

Tribuna do Norte:

O Ministério Público identificou mais um esquema envolvendo a Fundação José Augusto no primeiro mandato de Wilma de Faria. Em um esquema operado pelas mesmas pessoas envolvidas no Foliaduto, onde mais de R$ 2 milhões foram pagos em “shows fantasmas”, licitações eram fraudadas para beneficiar uma empresa do sobrinho da ex-governadora Wilma de Faria.

No total, foram 129 processos que tiveram apenas uma empresa vencedora, a Super  Star Promoções e Eventos, de William Collier, sobrinho da então governadora Wilma de Faria. Além dele, o processo tem outros 12 réus. O Ministério Público os denuncia por improbidade administrativa e pede que juntos façam o ressarcimento de R$ 777.288,50.

(mais…)

Crispiniano chama Isaura de Cínica e Leviana.

O Blog copia coluna de Crispiniano Neto no Jornal de Fato e publica na íntegra:

Seis & Meia(s) verdades e mentiras
Infelizmente, o cinismo tomou conta da Fundação José Augusto e da tal Secretaria Extraordinária de Cultura, inventada para burlar a Lei do Nepotismo. A professora Isaura Amélia, que durante trinta anos tive na conta de ser uma pessoa honesta, tem se revelado profundamente leviana. Enviou, via Assecom, ontem, um release à imprensa, no qual está dito: “Não temos orçamento para abrigar mais de um, até porque estamos pagando os débitos da gestão passada com o Seis & Meia.” A professora Isaura sabe que mandei suspender o Seis & Meia, a partir do momento em que foi esgotada a dotação orçamentária da rubrica em 2010. E que todas as dívidas referentes ao Seis & Meia de 2010, pelo menos em relatório enviado por ela própria ao deputado Fernando Mineiro, são de cinco cachês de Natal e cinco de Mossoró, todos já devidamente pagos aos artistas: Pholhas, Wagner, Victor, Quarteto em Cy, Miele e Os Cariocas. A dívida da Fundação José Augusto é com os produtores William Collier em Natal e Duo Produção em Mossoró. Devo esclarecer que suspendi o Seis & Meia, ainda em agosto, porque o governo Iberê não conseguiu me garantir nova dotação orçamentária que foi pedida em tempo hábil e não foi autorizada pelo Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE). Suspendi exatamente para não deixar dívidas. Infelizmente, a Secretaria de Planejamento (SEPLAN) não teve caixa para pagar as despesas que autorizei mediante dotação orçamentária garantida, conforme reza a Lei de Responsabilidade Fiscal. Ao contrário da dra. Isaura Amélia de Souza Saldanha Rosado, que deixou na sua gestão nada menos que 1.200 dívidas sem os devidos processos, sem empenho e sem dotação orçamentária, entre as quais uma gravíssima, que caracteriza improbidade, que foi a do cantor e compositor Moraes Moreira, que fez dois concertos com a Orquestra Sinfônica do Estado e que a sua gestão teve o pedido de crédito suplementar negado pelo referido CDE e, teimosa e irresponsavelmente, mandou realizar os concertos e, como se não bastasse, perdeu seguidamente três requerimentos do cantor pedindo para ser pago por indenização. Quando cheguei à Fundação, não era mais o empresário, era o próprio Morais Moreira que ligava ameaçando ligar diretamente para a governadora e ir à grande imprensa nacional denunciar o calote da gestão Isaura Amélia, detonando, de quebra, a governadora Wilma de Faria, de quem Isaura se dizia amiga. As dívidas do Seis & Meia, da nossa gestão, todas devidamente empenhadas e não pagas por problema alheio à nossa vontade, chegam a R$ 148.744,50. Isaura sabe perfeitamente que os pagamentos não são feitos pelo presidente da Fundação José Augusto, mas pela Seplan, pois ela deixou 15 milhões de reais de dívidas na Fundação José Augusto e 22 milhões na Fapern, incluindo-se aí quase 800 mil reais de coquetéis e outros rega-bofes, incluindo-se o almoço que ofereceu num buffet chique de Natal, onde subiu no palco para dizer que estava saindo do governo para ir coordenar a campanha da oposição e depois mandou a fatura de 31 mil reais para o Gabinete Civil forçar a Seplan a pagar. Do Projeto Seis & Meia de Isaura, que dirigiu a Fundação José Augusto até minha chegada em 7 de fevereiro de 2007, paguei 220 mil reais de cachês de artistas nacionais, 120 mil de artistas locais, 130 mil reais de som e luz e ainda ficou um pepino de 230 mil reais de filmagens. Quer dizer, com mais de setecentos mil de dívidas deixadas por Isaura, retomei o Seis & Meia, segurei os três shows por mês, baixei o preço do ingresso pela metade, ofereci sessenta ingressos gratuitos por show para escolas públicas, estendi o projeto a Mossoró, dobrei os cachês dos artistas locais, dobrei a verba, dando garantias de coberturas de custos e eliminando riscos de prejuízos para os produtores e ainda mandei fazer 14 mil DVDs dos shows e distribui com os artistas locais. É muito cinismo dizer que vai minguar o projeto para um show por mês e não dar nenhuma garantia de cachê para os artistas locais usando como desculpas dívidas da gestão anterior. Além de ferir a verdade, o release ainda fere a gramática, quando diz: “Vamos retomar com músicos nacional de bastante respeito e vinculado às ações culturais de raiz”. “Artistas nacional” é um erro por demais crasso para um release de uma instituição que tem a missão de zelar pela cultura do Estado…

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wecsley disse:

    Arrasou!!!!!