VÍDEO: Leitor senta para comer no McDonald’s em Natal e quase engole um parafuso que estava dentro do sanduíche

 

Um leitor enviou ao BlogdoBG um registro surpreendente: ele achou um parafuso dentro de Cheddar McMelt, do McDonald’s.

O fato aconteceu na unidade do Natal Shopping, no domingo (25).

“Na metade do sanduíche senti que mordi algo duro e grande. Quando tirei da boca era um parafuso”, explicou o leitor, que afirmou ainda ter sido convidado pelo gerente da loja para conhecer a cozinha e os procedimentos de segurança.

Ainda conforme o relato, o gerente pediu para ficar com o parafuso e reportar ao supervisor regional para identificar o que pode ter acontecido.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Romeiro disse:

    Tá vendo? sanduíches também contém ferro!

  2. Haroldo disse:

    Enquanto for parafuso tá bom ,o ruim é baratas e outros insetos que tem nestas cozinhas.

  3. Avelino disse:

    Plantado por uma rede regional de sanduicheria.

VÍDEO: 'McDonald's': gerentes mandavam funcionários passar mostarda em queimaduras

As batatas são fritas em uma mistura de óleos vegetais aquecidos a mais de 160 graus Celsius. A grelha dos hambúrgueres fica coberta de gordura. E os fornos também tão estão sempre quentes. Este cenário é propício a um acidente. E a queimadura é o ferimento mais comum entre os trabalhadores de redes de fast-food nos Estados Unidos — já afetou 79% da força de trabalho —, segundo pesquisa sobre segurança no trabalho divulgada na segunda-feira pela Hart Research Associates. E para tratar dos ferimentos, a indicação dos gerentes do McDonald’s, segundo relato de um grupo de trabalhadores, era aplicar condimentos, como mostarda e maionese.

ASSISTA VÍDEO AQUI 

Por isso, 28 trabalhadores do McDonald’s em 19 cidades americanas apresentaram queixas de saúde e segurança junto a reguladores federais e estaduais do país, alegando condições de trabalho perigosas que levaram a queimaduras graves com óleo de fritura.

As reclamações abriram um novo front em uma campanha de mais de dois anos de trabalhadores e sindicatos que buscam dobrar o salário para US$ 15 por hora e melhorar as condições de trabalho para os funcionários de redes de fast-food nos EUA. Os relatos das condições de trabalho foi registrado pelo grupo Fight for 15 em vídeo por alguns trabalhadores. (Veja abaixo o vídeo em inglês)

Os trabalhadores do McDonald’s, que também alegaram terem sido submetidos a roubo de salários, discriminação racial e retaliação por tentativa de sindicalização, esperam que o McDonald’s seja responsabilizado pelas ações de seus franqueados.

As reclamações, encaminhadas nas duas últimas semanas à Administração de Saúde e Segurança Ocupacional dos EUA (Osha, na sigla em inglês) bem como a várias autoridades estaduais, incluem alegações de que trabalhadores eram pressionados a limpar e filtrar óleo de fritadeiras ainda quentes.

As reclamações, que têm como alvo 19 lojas franqueadas e nove operadas pelo McDonald’s, também afirmam que em muitos estabelecimentos faltavam kit básicos de primeiros socorros ou equipamentos de proteção adequados para a segurança do trabalhador. Também alega que gerentes disseram a empregados para tratarem queimaduras com condimentos como mostarda e maionese.

O McDonald’s disse que a companhia e suas franquias estão comprometidas em prover condições de trabalho seguras para empregados em cerca de 14 mil lojas nos EUA.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge disse:

    O diferencial do seu blog era os comentários que você os publicava,mas pelo visto Bruno por querer baixar custo não tem quem leia e publique os comentários ……seu blog com o tempo será mais um……chegar ao top é fácil difícil é ser manter !!!! Cabide na assembleia não é emprego é bico !!!!!

Fotógrafa documenta diariamente um lanche do McDonald’s que, 2 anos depois de comprado, ainda não se deteriorou

happy-meal-project-dia1-440x293Oito anos depois do documentário Super Size Me, que obrigou a rede de fast food McDonald’s a reformular seu cardápio no mundo inteiro, incluir alimentos saudáveis nos famosos combos, como frutas e saladas, e investir pesadamente numa campanha para melhorar sua imagem de disseminadora de alimentação prejudicial à saúde — o que o documentário sugeria fortemente –, a cadeia internacional está diante de um novo desafio.

Trata-se do Happy Meal Project, da artista plástica e fotógrafa novaiorquina Sally Davies que, em 2010 resolveu registrar em fotografias diárias o processo de decomposição de um McLanche Feliz, formado por um hambúrguer e uma porção de batatas fritas. O lanche não está em geladeira nem nada parecido: fica no ambiente natural de uma casa.

Com o passar do tempo, a fotógrafa ficou estupefata: o sanduíche e as batatinhas continuavam com a mesma aparência, não mostrando sinais de alteração. Como se fossem de borracha ou de isopor.

No dia 10 de abril, o projeto completou 2 anos e — pasmem! — estava tudo igualzinho ao primeiro dia. As fotos, todas as 756 delas, estão expostas em seu site, e em seu espaço no flickr, e mostram que a única variação se deu no pão do hambúrguer, que se partiu em alguns pedaços devido ao ressecamento.

“Eu demoro a acreditar que se passaram dois anos desde o dia em que o comprei”, disse a fotógrafa dà agência espanhola de notícias EFE.

2222222222“Eu pareço dois anos mais velha, mas para o hambúrguer o tempo não passa”.

“Continuarei fotografando o hambúrguer até que ele se desintegre, o que pode custar o resto da minha vida natural”, explicou a artista, que constatou como nos 751 dias em que se dedica a fotografar esse exemplo de fast-food muito pouco mudou nos componentes do lanche infantil.

Davies acha que o lanche que comprou há mais de dois anos sofreu algum tipo de desidratação mas não iniciou nenhum processo de putrefação. E se pergunta que qualidades nutricionais que pode ter “um alimento que não apodrece nem se corrompe com a passagem do tempo”.

Um mês só comendo no McDonald’s — e o cineasta ficou péssimo

Em 2004, o cineasta americano Morgan Spurlock passou 30 dias se alimentando exclusivamente no McDonald’s: café da manhã, almoço e jantar, sendo monitorado por exames clínicos e acompanhado por um médico, para realizar o Super Size Me.

Chegou a consumir em média 5000 kcal (o equivalente de 6,26 Big Macs) diariamente durante o experimento.

Super-Size-Me-440x285Spurlock, antes do experimento, mantinha uma dieta variada, era saudável e magro, com 1,88 metro de altura e 84,1 quilos. No final dos 30 dias, havia engordado 11,1 quilos, seu índice de massa corporal se elevara de 23,2 para 27 (grande aumento de gordura), sofreu problemas como mudanças de humor (um começo de depressão) e disfunção sexual, além de danos ao fígado. O cineasta precisou de 14 meses para perder o peso que havia ganhado.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. lorenzo disse:

    mcdonalds eu não gosto dos lanches di la só das batatinha e o sorvete.

  2. Igor disse:

    Conclusão: o mc donalds é a fonte da juventude… já pensei até em um novo slogam…"coma no Mc donalds e não sinta o passar dos anos…" kkkkkk

  3. julianapslima disse:

    Mesmo assim eu gosto

McDonald’s inaugura novos restaurantes no Midway Mall e no Mossoró West Shopping

A novidade está no Blog da Abelhinha. O McDonald’s inaugura já em outubro dois novos restaurantes: um no Mossoró West Shopping, na capital do Oeste, e outro no Shopping Midway Mall.

O primeiro funcionará de segunda a sábado das 10h às 22h e aos domingos das 11h às 22h. No Midway, o horário de funcionamento é das 7h às 23h, todos os dias.

O McDonald’s  está em solo potiguar há 15 anos e conta hoje com três restaurantes na capital: unidade na Av. Prudente de Morais, no Natal Shopping e no Norte Shopping.

Justiça proíbe McDonald's de servir lanche a funcionário. Agora vai ser vale-refeição

A Justiça do Trabalho bateu o martelo: o McDonald’s não pode mais servir… McDonald’s a funcionário de uma loja em São Bernardo do Campo.

De acordo com a decisão, a lanchonete deve fornecer vale-refeição ao empregado.

Para a Justiça, o lanche tem “elevado teor calórico e questionável valor nutritivo”. E não equivale a uma refeição.

A empresa informou ainda não ter sido notificada e que cumpre a legislação trabalhista.

Fonte: Sônia Racy / Estadão

[FOTOS] McDonald's terá maior loja da rede dentro da Vila Olímpica dos jogos de Londres

O McDonald’s terá o maior restaurante e cardápio da rede durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Londres. Focada em sustentabilidade, a marca levou três anos entre planejamento e execução do projeto, instalado na Vila Olímpica do evento.

Ao todo, o restaurante tem 1.500 lugares, incluindo 70 em um balcão no segundo piso, e cerca de 500 funcionários. O maior da rede em todo o mundo. Entre as inovações, estão as filas expressas, com pagamento sem dinheiro, e equipamentos de cozinha com dispositivos que diminuem o consumo de água e energia.

O fast food também recolherá e reciclará o óleo usado, que será transformado em biodiesel para abastecer caminhões durante as entregas no Reino Unido. Após o evento, 75% dos materiais serão reutilizados e alguns itens reciclados para serem reaproveitados e distribuídos entre os restaurantes futuros e já existentes.

[VÍDEO] McDonald's mostra "segredo" dos apetitosos sanduíches

Quem nunca foi a uma loja da rede de fast-foods McDonald’s e viu aqueles sanduíches grandes e apetitosos nas fotos estampadas e quando comprou sentiu total diferença do que eles são de verdade?

Pois bem, que a diferença é grande todo mundo sabe, mas agora, a gigante do ramo de fast-foods revelou o segredo e o porque das imagens que não condizem com o real através de um vídeo institucional da campanha “Nossa Comida. Suas perguntas”.

Pra começar, o sanduíche das fotos e comerciais de TV sequer são os mesmos das lanchonetes. Os que aparecem nas imagens são montados por um produtor de fotografia com um cuidado extremo. Para se ter uma ideia, o ketchup (ou catchup) é aplicado com uma espécie de seringa. Os ingredientes são os mesmos, mas as mãos que o fazem, são outras completamente diferentes.

Depois, as fotos dos sanduíches ainda passam por um tratamento daqueles no Photoshop com direito a correção de imperfeições e tratamento de luminosidade.

De acordo com o vídeo assinado pelo próprio McDonald’s, a intenção das imagens tratadas é mostrar melhor os ingredientes e torná-los mais suculentos.

Confira o vídeo:

Mc Donald's se posiciona sobre mudança na fórmula de hambúrguer na Europa

A assessoria do Mc Donald’s procurou este blog para se posicionar sobre a notícia de que as lojas da Europa da franquia da rede de lanchonetes haviam mudado a receita dos seus hambúrgueres depois que o famoso Chef britânico Jamie Oliver denunciou que a gigante americana de fast food usava a substância “hidróxido de amônio” na sua receita.

Em nota a Mc Donald’s afirma que: “Na América Latina, a Arcos Dorados, empresa que opera a marca em toda a região, informa que o aditivo em questão não é e nunca foi utilizado como ingrediente em qualquer processo da cadeia produtiva da marca. A companhia acrescenta que os hambúrgueres são preparados com 100% de carne bovina e que toda a produção é validada pelas autoridades regulatórias locais.”

 

 

McDonald's vai deixar de vender hambúrguer de “carne de cachorro” depois de denúncia de chef famoso

Após o chefe de cozinha e ativista Jamie Oliver descobrir – e divulgar em seu programa de TV – que a rede McDonald’s utiliza hidróxido de amônio para converter sobras de carne gordurosas em recheio para seus hambúrgueres nos Estados Unidos, a marca anunciou que mudará a receita, segundo informações do jornal Mail Online.

“Estamos comendo um produto que deveria ser vendido como a carne mais barata para cachorros e, após esse processo, dão o produto para humanos”, disse Oliver. “Por que qualquer ser humano sensato colocaria carne com amônio na boca de suas crianças?”, questiona.

O processo de conversão da carne é feito por uma empresa chamada Beef Products Inc (BPI), segundo o jornal.

O veículo afirma ainda que esse processo nunca foi utilizado no Reino Unido, nem na Irlanda – que utilizam a carne de produtores locais.

O McDonald’s negou que tenha sito forçado a trocar sua receita por causa da campanha de Oliver.

O jornal diz ainda que outras duas redes de comida rápida, Burguer King e Taco Bell, já tinham sido pressionadas e removeram o hidróxido de amônio de suas receitas.

Fonte: Terra