Mulher viraliza ao descobrir que planta regada por 2 anos é de plástico

Caelie Wilkes, uma amante de plantas, viralizou na internet ao contar, em sua conta do Facebook, que regou por dois anos uma suculenta de plástico — motivo pelo qual ela sempre estava em “perfeitas” condições.

Segundo o relato da norte-americana, além de regar todos os dias, ela se certificava de que o vaso recebia a quantidade certa de luz solar e limpava regularmente suas folhas. Ela até admitiu ter um plano de rega, dizendo que ficava “na defensiva” se alguém tentasse fazer isso por ela.

Wilkes afirma que sempre sentiu orgulho da plantinha, que ficava na janela de sua cozinha. Porém, queria colocá-la em um vaso mais bonito e, quando decidiu que estava na hora de replantar, se surpreendeu: sua amada suculenta era falsa.

“Fui tirá-la do recipiente de plástico original e soube que esta planta era falsa. Coloquei tanto amor nessa planta! Lavei as folhas. Fiz o meu melhor para mantê-la bem e é completamente de plástico. Como eu não sabia disso. Sinto que esses últimos dois anos foram uma mentira”, desabafou na rede social.

Após a publicação, a jovem contou que uma grande rede varejista dos Estados Unidos, que vende produtos para casa e construção civil, irá enviar suculentas de verdade para ela.

Galileu

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zuza disse:

    Essa é bem atenta!!!

Pesquisadores da Embrapa e UFRJ desenvolvem planta com tolerância à seca

Um estudo desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pode ser a solução para os estragos causados pela estiagem nas lavouras. Pesquisadores descobriram no café o gene CAHB12, com tolerância à seca.

O gene pode ser introduzido em outras culturas que não a do grão e seu desempenho já se mostrou bem sucedido em uma planta de testes. O próximo passo será aplicá-lo à cana, ao arroz, ao trigo, à soja e ao algodão e observar o comportamento do CAHB12. Se tudo sair como esperado, a tecnologia pode estar no mercado em um período de cinco a seis anos.

O CAHB12 foi descoberto durante um projeto para traçar o genoma da café. Dentre cerca 30 mil genes foram encontrados alguns com tolerância ao estresse hídrico. Um grupo começou a estudá-los e detectou um que, quando submetido à seca, aumentava sua expressão e se adaptava.

“Nós retiramos do café e introduzimos em outra espécie, a Arabidopsis thaliana (mais…)

Descoberto animal que faz fotossíntese

Uma equipa de cientistas norte-americanos da Universidade da Flórida do Sul, descobriu o primeiro animal que consegue realizar a fotossíntese, algo que até agora era exclusivo das plantas. A Elysia chlorotica é uma lesma do mar de cor verde, que habita a costa este dos Estados Unidos e Canadá.

A lesma era conhecida por “roubar” os genes das algas de que se alimenta, as Vaucheria litorea. Desta forma obtinha os cloroplastos – estruturas de cor verde características de células vegetais que permitem a conversão da luz solar em energia –, armazenando-os nas células que cobrem os seus intestinos. No entanto, os últimos estudos da equipa de cientistas revelam que o molusco marinho desenvolveu as suas capacidades químicas, permitindo-lhe fabricar clorofila – pigmento que captura a luz solar –  sem necessitar de roubar aos seus alimentos.

Os investigadores utilizaram um sofisticado equipamento radioactivo que comprova a produção dos pigmentos fotosintéticos  de forma autónoma. Na lesma marinha, os cloroplastos extraídos permanecem activas durante um ano, o que significa que, no caso de uma lesma jovem se alimentar uma vez das algas Elysia chlorotica e tiver acesso à luz solar, não tem necessidade de voltar a comer durante a sua vida.

De acordo com a equipa de cientistas, durante o estudo, que será publicado na revista ‘Symbiosis’, foram encontrados exemplares da Vaucheria litorea que não se alimentavam há pelo menos cinco meses.

Vejam a planta aérea do local que será construído o Estádio Arena das Dunas

Tribuna do Norte:

As obras da Arena das Dunas serão iniciadas amanhã, em Natal. A notícia partiu do secretário Extraordinário para Assuntos Relativos à Copa no RN (Secopa), Demétrio Torres, que na última sexta-feira recebeu a licença para iniciar os serviços de instalação do canteiro de obras e para realizar a terraplanagem do terreno destinado a nova praça esportiva. Dentro de cinco dias o governo vai receber o licenciamento para iniciar os projetos de demolição do estádio Machadão e do ginásio de esportes Machadinho. Demétrio ressaltou que agora não existe mais como interromper este processo.

Foto aérea com projeto virtual do novo estádio, mostra a real localização da Arena das Dunas. Maior parte da nova praça de esportes será localizada na área da terraplanagem: