Assistência Social em São Gonçalo: conheça o Acessuas Trabalho

Criado pelo Governo Federal, o Programa de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho (Acessuas Trabalho) busca integração das famílias usuárias da Política de Assistência Social ao mercado de trabalho, promovendo assim a autonomia desses indivíduos. Em São Gonçalo do Amarante, o programa é oferecido pela prefeitura através da Secretaria Municipal do Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Semtasc).

A Semtasc dispõe de oficinas de empregabilidade que auxiliam os participantes na elaboração de currículos e esclarece dúvidas sobre as entrevistas de emprego, além de estimular o desenvolvimento de suas habilidades e despertar o espírito empreendedor dos participantes. As oficinas tem duração de 8h. Ao final do processo, os participantes tem seus currículos enviados a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdet), que os encaminha para as empresas.

O acesso a essas oficinas se dá por meio de inscrição na própria secretaria ou através do seguinte formulário (https://forms.gle/reocNJzN11KW1nzH6). Para participar, os interessados devem ter entre 16 e 59 anos.

UberAIR – (FOTOS): conheça o carro voador que será testado no Brasil

Fotos: Aline Batista/TechTudo

O uberAIR é um projeto da Uber que pretende trazer carros voadores para transporte urbano. O objetivo é que os usuários possam pedir o serviço da mesma forma que já fazem no aplicativo de corridas. Para transformar a ideia em realidade, a empresa vem trabalhando em parceria com outras companhias para o desenvolvimento dos veículos, que devem obedecer a uma série de critérios estabelecidos pela Uber.

A empresa já revelou que pretende começar os testes no próximo ano, inclusive no Brasil, para que o serviço faça sua estreia em 2023. Além disso, São Paulo e Rio de Janeiro são as cidades brasileiras com mais potencial para receber a novidade. O TechTudo esteve em um dos escritórios da Uber em São Francisco, nos Estados Unidos, e conheceu um dos protótipos do carro voador. Veja, a seguir, todos os detalhes do veículo.

Antes de começar, vale ressaltar que o protótipo disponível no escritório não funciona, ou seja, ele não voa de fato. O veículo foi criado para que as pessoas que trabalham no projeto possam ter uma noção de como o carro voador deve funcionar e testar seus futuros recursos. Isso é importante para que a Uber possa estabelecer critérios, visto que são outras empresas que vão criar os veículos.

O protótipo disponível foi desenvolvido em parceria com a Safran, uma companhia francesa que atua no ramo da aviação. No caso do Brasil, é a Embraer que vai fabricar o carro voador. Segundo Mark Moore, diretor de engenharia para aviação da Uber, algumas empresas parceiras já estão testando a capacidade de voo de seus veículos, mas ele ainda não pode revelar em quais lugares isso vem sendo feito.

O carro voador tem espaço para o piloto e mais quatro passageiros. No entanto, para evitar distrações, o motorista fica separado por um vidro. Vale ressaltar que a Uber já revelou que tem planos futuros de criar carros voadores autônomos, tornando o serviço mais rentável.

Ao todo, são seis portas: três de cada lado. O assento é semelhante ao de um helicóptero e foi pensado para veículos de decolagem vertical (eVTOL). Um detalhe interessante é que o cinto de segurança é bem apertado para que os passageiros estejam seguros durante o trajeto. Há ainda um espaço na parte de trás dedicado às bolsas, visto que não é possível carregar objetos no colo. Vale lembrar, no entanto, que o carro terá um limite de peso e que a bagagem deverá ser pequena.

Com relação à estrutura, o carro tem uma cabine acústica, que isola os sons externos, mas permite que os passageiros conversem entre si. Além disso, alguns detalhes, como a iluminação, são pensados para fazer com que o veículo pareça maior do que é, diminuindo a sensação de claustrofobia. O uberAIR também deve estar preparado para enfrentar o tempo ruim, assim como um helicóptero. De qualquer forma, caso a empresa identifique riscos em determinado dia, pode suspender a operação por causa do clima.

A empresa já revelou que tem planos de testar o projeto no Brasil e que as cidades com mais potencial para os testes são Rio de Janeiro e São Paulo. Para os veículos participantes, a empresa prevê velocidades entre 240 km/h e 320 km/h, além de autonomia para 60 milhas (96,5 km). Vale lembrar que o uberAIR não tem como objetivo percorrer longas distâncias. O carro deve ser capaz de realizar trajetos curtos, facilitando o dia a dia do usuário.

Para o chefe do projeto Uber Elevate, Eric Alisson, o Uber Copter, serviço de corridas de helicóptero disponível em Nova York (EUA), está oferecendo alguns aprendizados para a companhia. Um deles se refere aos motoristas, que deverão ter conhecimentos especiais para pilotar um carro voador. Ainda não está claro como será feita a seleção e o treinamento deles, mas no caso das corridas de helicóptero, a Uber vem trabalhando em parceria com uma empresa especializada em aviação, uma possibilidade que também pode funcionar para o uberAIR.

O uberAIR é mais um projeto que reforça o posicionamento da Uber como uma empresa de mobilidade. Além do tradicional serviço de corridas, a companhia vem investindo em outros recursos que concentram diversas opções de transporte, como bicicletas elétricas e patinetes. Outras novidades incluem o Uber Transit, recurso que mostra o transporte público em tempo real e já está disponível na cidade de São Paulo. Há ainda um projeto de carro autônomo, que promete economizar tempo e espaço em corridas solicitadas pelo app.

Globo, via Techtudo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lira disse:

    O DETRAN já está de olho kkk. Imagino uma vistoria de um troço desse no DETRAN

  2. otavio disse:

    Pronto 1 meio de transporte seguro para ir ao aeroporto Aluizo Alves

  3. Sales disse:

    Já vou avisando vai dar merda, se não cair sozinho ele vai ser derrubado por tiro de fuzil kkkk

iPhone 11: conheça todos os detalhes do lançamento da Apple

Foto: Reprodução/ Apple

Em seu evento anual, a Apple apresentou o novo iPhone. Chamado simplesmente de 11, o aparelho possui um conjunto evoluído de câmeras. Evoluído a ponto de aparecer: as câmeras possuem uma protuberância, que se destacam da carcaça do aparelho.

O iPhone 11 conta com uma tela Retina de 6.1 polegadas, descrita como “a mais resistente de todos os tempos em um smartphone”, segundo a empresa. Além disso, o aparelho possui compatibilidade com o sistema de som Dolby Atmos.

As duas câmeras de 12MP do aparelho contam com funções como Modo Noturno, Retrato e Ultra Wide, com zoom ótico de 2x, que captura muito mais detalhes da imagem. Tudo isso iluminado por um flash 36% mais brilhante.

Além de fotografar, ela faz vídeos muito bem: em 4K, 60 frames por segundo, com funções slow motion e timelapse. Segundo a empresa, os vídeos com mais qualidade já feitos por um smartphone são desse aparelho.

Câmera fronta conta com slow motion. Reprodução/ Apple

A câmera frontal terá poderes similares. Com 12MP e sensores de direção que capturam rostos evitando distorção e fazendo selfies com ângulos wide, o que a empresa aposta que será uma tendência.

Os vídeos frontais também são feitos em 4K e 60 frames, além de um sistema de slow motion chamado “slofies”, o que também é inédito e aparenta ser outra possível tendência incentivada pela empresa.

Matéria em atualização. Veja aqui íntegra.

R7

Lésbicas e DSTs: a saúde sexual das mulheres que transam com mulheres; entenda os riscos e conheça os métodos de proteção

Imagine a cena: duas mulheres estão no quarto, trocando carícias, cheias de tesão, tiram a roupa e então… Uma delas vai até a cozinha pegar o rolo de plástico filme para colocar sobre a vulva da parceira e garantir que elas façam sexo seguro.

Pois é, uma cena que não parece nada sexy, nem prática. Mas que tem sido a principal orientação que mulheres lésbicas encontram sobre prevenção de doenças que podem ser transmitidas no sexo. Isso, quando encontram alguma orientação. Porque existe também uma ideia geral de que em uma transa com duas vaginas, não há risco de transmissão.

“É mito que as mulheres lésbicas estão protegidas contra as ISTs [infecções sexualmente transmissíveis], e é muito importante falar sobre isso”. As palavras da ginecologista Bruna Wunderlich lembram que sexo entre mulheres pode, sim, transmitir doenças e que a falta de informação sobre isso só aumenta a exposição a riscos.

Um estudo do Centro de Referência e Treinamento DST/Aids, de 2012, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, mostrou que só 2% das lésbicas se previnem contra as ISTs. Algo que passa pela desinformação, mas também pela ausência de métodos de proteção desenvolvidos especificamente para elas.

E, apesar da prevenção dificilmente acontecer, os riscos são reais: uma pesquisa realizada pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) em 2017 com 150 mulheres que se relacionam mulheres mostrou que 47,3% delas tinham algum tipo de IST.

Os motivos para esse assunto ainda ser tabu passam pela invisibilidade e preconceito em relação às relações lésbicas e também à sexualidade feminina. E para combater isso, reunimos aqui as principais informações sobre as doenças, prevenção e também acompanhamento ginecológico.

As doenças e o sexo

Antes de começar, é preciso explicar que hoje em dia se usa a expressão Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) ao invés de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), porque às vezes a pessoa pode ser infectada, mas não manifestar a doença. Mas como popularmente é muito mais comum se ouvir falar de DSTs, vamos usar esse termo, para facilitar a compreensão.

Existe um imaginário de que a transmissão de doenças está ligada à penetração durante o sexo. No entanto, essa é só uma das formas possíveis de passar uma doença. Sexo oral, contato entre mucosas e com o sangue são outras.

“Sífilis, herpes genital e verrugas genitais têm a ver com contato de mucosa. E todas as vezes que eu tenho contato de mucosas, seja entre dois órgãos sexuais ou da boca com um órgão sexual, isso transmite”, explica Thais Machado Dias, médica de família e comunidade do Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde e do Instituto Iris.

Então, para não reforçar preconceitos, é importante destacar que falar em transmissão de DSTs não tem a ver com a orientação sexual das pessoas (heterossexual, bissexual, homossexual, entre outras) e sim com as práticas sexuais. O que isso quer dizer?

Quer dizer que existem infecções que são transmitidas pela prática da penetração, outras pela prática do sexo oral e outras pelo contato da mucosa, ou por mais de uma dessas formas juntas. E tanto pessoas heterossexuais quanto homossexuais podem ter qualquer uma dessas práticas, afinal a sexualidade humana é complexa e pode envolver um monte de práticas.

Mulheres lésbicas podem usar acessórios ou os dedos para penetração, assim como um casal heterossexual pode praticar o sexo oral. Além disso, podem se envolver com mulheres bissexuais, que se relacionam ou relacionaram com homens. E existem ainda mulheres lésbicas e bis trans que não passaram por redesignação sexual e têm um pênis.

Por isso, para analisar os riscos de contágio de doenças, é importante pensar em como elas são transmitidas, não na orientação sexual das pessoas. É importante destacar essa diferença para não se reforçar estereótipos e preconceitos como os homens gays sofreram na década de 1980 com a descoberta da aids, por exemplo.

Na tabela abaixo, mostramos as principais formas de transmissão das DSTs mais comuns.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Euzim disse:

    "E existem ainda mulheres lésbicas e bis trans que não passaram por redesignação sexual e têm um pênis."
    Homi , explica isso direito…

Jogos Pan-Americanos de Lima – Peru 2019: conheça quatro representantes do RN na delegação brasileira

Samara Vieira foi eleita a melhor defensora da Liga da Romênia — Foto: Divulgação

O Rio Grande do Norte conta com quatro atletas na delegação brasileira que vai disputar os Jogos Pan-Americanos de Lima 2019. São eles: Paulo Ricardo Melo (taekwondo), Samara Vieira (handebol), July Ferreira da Silva (atletismo) e Emanuel Borges (Remo). Apesar das disputas terem começado já nesta quarta-feira, a abertura oficial do Pan será na sexta-feira.

No link aqui, o GloboEsporte.com traça um breve perfil dos potiguares que estarão no Pan.

Wi-Fi grátis do Google chega ao Brasil; conheça o Google Station

Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo

O Google Station, Wi-Fi grátis do Google, chegou ao Brasil. O país é o oitavo no mundo a receber o projeto, que tem o objetivo de expandir a conexão à Internet em países emergentes. Mais de 80 pontos já foram implementados em São Paulo e, até 2020, outras cidades devem receber a estação de acesso. Para usar o Wi-Fi não é preciso instalar aplicativo, ou saber uma senha, basta ter um celular para receber um código de verificação. A novidade foi anunciada nesta quinta-feira (5), no Google for Brasil, em São Paulo.

A ideia do Station é levar Internet rápida para quem está offline ou tem conexão ruim e “tornar as informações universalmente acessíveis”, como explicou o presidente do Google Brasil Fabio Coelho. A promessa do executivo é de que será possível “assistir a vídeos em alta definição sem interrupção”, por exemplo.

Além do Brasil, há ainda mais de mil pontos do Google Station estão espalhados por outros sete países: Índia, Indonésia, México, Tailândia, Nigéria, Filipinas e Vietnã.

Como se conectar

Para se conectar, basta selecionar a rede “Google Station”, clicar em “Iniciar” e fornecer o seu número de telefone, com DDD. Um código de verificação será enviado por SMS e você deve inserir os quatro dígitos no campo em branco. Toque em “Concluir” e já pode usar a Internet.

Busque por Google Station no Wi-Fi e insira número do celular — Foto: Divulgação/Google

Onde achar o Wi-Fi grátis do Google

Atualmente, mais de 80 pontos de Internet estão funcionando em espaços públicos de São Paulo. Parques, praças e estações de trem da CPTM estão na lista. Entre eles:

Ibirapuera
Chico Mendes
Largo da Concórdia
Praça Silva Teles
Estação Barra Funda
Estação Pinheiros

Todos os pontos do Brasil podem ser visto no Mapa do Google Station (station.google.com/intl/pt_br/#map).

Google fornece mapa dos pontos com Wi-Fi grátis — Foto: Divulgação/Google

Globo, via Techtudo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anti-Robô disse:

    Dados pessoais por dados de internet, bom negócio para o Google.

    • Cigano Lulu disse:

      O Google já dispõe desses dados, há mais tempo que possa prever vossa vão filosofia.

Estudo da FGV aponta as dez carreiras mais bem remuneradas no Brasil nos setores público e privado

Foto: Ilustrativa

Um estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) Social aponta que, das dez ocupações mais bem remuneradas no Brasil, sete são ligadas ao funcionalismo público, principalmente à área jurídica.

De acordo com informações antecipadas pelo colunista do Globo , Ancelmo Gois, as profissões mais bem remuneradas concentram-se nas mãos dos titulares de cartório, membros do Ministério Público e do Poder Judiciário.

A pesquisa, feita pelo professor Marcelo Neri, tomou como base os dados do Imposto de Renda Pessoa Física de 2018, referente ao ano-calendário de 2017. Para identificar as profissões mais bem remuneradas , o estudo considerou o total de rendimentos declarados pelo contribuinte, o que inclui não só o salário como também outras fontes de renda, como aluguel e investimentos em ações.

Em primeiro lugar no ranking, estão os titulares de cartório, que recebem, em média, R$107,6 mil por mês. Em segundo, vêm os membros do Ministério Público, já com metade do rendimento dos primeiros colocados: R$ 53,2 mil. Em terceiro estão os membros do Poder Judiciário, com renda média de R$ 52,8 mil.

Entre as dez ocupações mais bem remuneradas , apenas três estão ligadas ao setor privado: médicos, pilotos de aeronave e atletas, que ocupam, respectivamente, a sexta, nona e décima posição na lista. Enquanto esses profissionais da saúde têm rendimento médio de R$ 29,7 mil, os pilotos de aeronave ganham R$ 24,9 mil por mês. Já os atletas têm renda média de R$24 mil.

Completam a lista os diplomatas (em quarto lugar), advogados do setor público (quinto), servidores de carreira do Banco Central (sétimo) e servidores de carreira de auditoria fiscal e de fiscalização (oitavo).

Já os contribuintes com a menor remuneração do País são os trabalhadores de serviços domésticos e de serviços de embelezamento e cuidados, que têm rendimento médio de R$3,23 mil mensais.

Neri ressalta que nem todos os profissionais dessas duas categorias têm rendimento suficiente para serem obrigados a declarar o Imposto de Renda . “Entre os trabalhadores que prestam estes serviços, apenas uma parcela pequena recebe o suficiente para contribuir. São profissões historicamente menos valorizadas. Além deles, muitos profissionais não entram na lista porque são isentos da declaração”, explica.

Veja as profissões com maior rendimento

Titular de cartório: R$ 107,6 mil por mês
Membro do Ministério Público: R$ 53,2 mil por mês
Membro do Poder Judiciário: R$ 52,8 mil por mês
Diplomata R$: 35,3 mil por mês
Advogado do setor público: R$ 29,9 mil por mês
Médico: R$ 29,7 mil por mês
Servidor de carreira do Banco Central: R$ 27,5 mil por mês
Auditor fiscal R$: 27,1 mil por mês
Piloto: R$ 24,9 mil por mês
Atleta: R$ 24 mil por mês

As carreiras mais bem remuneradas do setor público

Titular de cartório: R$ 107,6 mil por mês
Membro do Ministério Público: R$ 53,2 mil por mês
Membro do Poder Judiciário: R$ 52,8 mil por mês
Diplomata R$: 35,3 mil por mês
Advogado do setor público: R$ 29,9 mil por mês
Servidor de carreira do Banco Central: R$ 27,5 mil por mês
Auditor fiscal R$: 27,1 mil por mês

As carreiras mais bem remuneradas do setor privado

Médico: R$ 29,7 mil por mês
Piloto: R$ 24,9 mil por mês
Atleta: R$ 24 mil por mês
Ator e diretor de espetáculo: R$ 20,6 mil
Engenheiro: R$16,9 mil por mês
Agrônomo: R$15,8 mil por mês
Professor de ensino superior: R$15,5 mil por mês
Agente da Bolsa de Valores: R$ 15,1 mil por mês

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joao disse:

    Ta explicado pq nao querem reforma da previdencia. Quem banca isso é o povao mesmo…

  2. Santos disse:

    Faltou citar "POLITICOS"

  3. J. Dantas disse:

    lembrando que esses valores são apenas os míseros "Salários Mínimos " , sem seus milhares de penduricalhos e gratificações extraordinárias … O céu é o limite.

App polêmico deixa ‘espionar’ outros celulares; conheça

mSpy foi criado para auxiliar os pais, mas também foi aproveitado por organizações corporativas — Foto: Reprodução/Mirella Stivani

O mSpy é um aplicativo criado com a função de ajudar os pais a monitorar tudo que seus filhos acessam e recebem em dispositivos móveis. A plataforma foi criada em 2011 para sistemas operacionais iOS e Android, como iPhone e celulares com sistema do Google, por exemplo. Atualmente, ela atende mais de 1 milhão de usuários cadastrados no mundo. Além disso, também foi incorporada por empresas que desejam seguir as ações de seus colaboradores nos celulares e tablets corporativos.

O sistema pode ser polêmico por conta da instalação discreta e se for usado com objetivo diferente do proposto. Na lista a seguir, preparada pelo TechTudo, confira as principais dúvidas sobre o mSpy. Veja como ele funciona, as políticas de segurança e se o uso é legalizado.

O que é?

O mSpy foi criado com a proposta exclusiva de ajudar os pais a monitorarem seus filhos. No entanto, devido sua precisão em fornecer diferentes tipos de dados, ele também foi adotado por empresas com a justificativa de proteger dados confidenciais e manter a produtividade de seus colaboradores.

mSpy é um app que promete vigiar o celular do usuário — Foto: Reprodução/Mirella Stivani

Entre as diferentes funções do mSpy estão o envio de informações por meio de mensagens de texto e SMS realizadas no aparelho; chamadas realizadas e recebidas, coordenadas de GPS; relatórios do histórico do navegador; rastreamento GPS e pontos de Wi-Fi; arquivos salvos, inclusive textos e imagens e registros de e-mails. Também é possível realizar bloqueio de chamadas telefônicas e acesso a determinados sites e aplicativos.

O tipo de serviço varia de acordo com a assinatura escolhida. O software é instalado em dispositivos móveis, mas a checagem das informações rastreadas pode ser feita também em computadores.

Como o mSpy funciona?

Assim que o o mSpy é instalado no PC ou smartphone, ele coleta todos os dados do dispositivo em tempo real e envia para um painel de controle, que pode ser consultado em qualquer navegador, como Google Chrome e Firefox. Apenas quem é responsável pela assinatura do software recebe a senha e login para abrir o painel e consultar as informações.

Ao baixar o mSpy, é preciso confirmar a intenção de usar esse serviço legalmente, ou seja, as informações coletadas não podem ser repassadas a terceiros. No caso das empresas, o funcionário precisa estar ciente e aceitar o monitoramento, já que no aparelho não aparece nenhum ícone ou aviso que indica a instalação do aplicativo.

O app funciona em qualquer lugar/dispositivo?

O mSpy funciona tanto em dispositivos com sistema Android como iOS, os mais populares do mercado — Foto: Reprodução/Mirella Stivani

O mSpy é compatível com todas as operadoras de telefonia do mundo. Para rastrear as informações e enviar ao painel do controle do assinante, a Internet do aparelho precisa estar ativa. Quanto ao sistema operacional, o mSpy funciona em aparelhos com Android a partir da versão 4+; já no iOS, a exigência inclui atualizações iOS 7 – 8.4; 9.0 – 9.1 com Jailbreak ou iOS 7 – 11+ sem Jailbreak.

Quais os principais pontos da política de privacidade?

Quem assina o serviço do mSpy precisa fornecer à empresa do software uma série de dados pessoais, como nome e e-mail, além de aceitar as regras impostas pelo aplicativo. A verificação da identidade seria uma forma de fornecer atendimento e assistência personalizados ao cliente, bem como uma forma de checar como e para quê os dados coletados são usados.

As normas do sistema afirmam que é expressamente proibido fornecer login e senha do mSpy a outras pessoas, pois o uso é restrito apenas ao assinante. Da mesma forma, é ilegal repassar as informações coletadas nos aparelhos rastreados pelo aplicativo. A política de privacidade completa do mSpy pode ser encontrada no site da ferramenta (https://www.mspy.com.br/privacy-policy.html).

O uso do mSpy é legal?

O uso do mSpy é legal, mas quem contrata o serviço precisa seguir algumas regras. O aplicativo deve ser utilizado por pais que desejam monitorar seus filhos menores de idade, a fim de garantir a segurança dos pequenos ao evitar que entrem em contato com estranhos ou sites inapropriados.

aso alguma empresa queira monitorar os dispositivos móveis de sua propriedade, o colaborador deve estar ciente disso e aceitar as condições de privacidade descritas pela ferramenta. O aplicativo não pode ser instalado em celulares ou tablets de uso pessoal do colaborador. As informações coletadas não podem ser repassadas e muito menos comercializadas para terceiros. Nestes casos, o uso se torna ilegal e cabe um processo judicial de acordo com as especificações da Lei.

Perigo e segurança

Em seu site oficial, o mSpy garante que é muito seguro e todas as informações só chegam para os assinantes do serviço. Entretanto, em setembro deste ano, a empresa confirmou o vazamento de milhões de dados, inclusive de quem adquiriu o software, como nomes de usuários do iCloud e tokens de autenticação de dispositivos executados no app.

Há três anos, em 2015, o mSpy já havia sofrido com brechas de segurança, o que permitiu o acesso a dados sigilosos dos dispositivos rastreados. Portanto, assim como qualquer software, a ferramenta corre riscos de invasões e mostrou ser vulnerável aos ataques cibernéticos. Esse é um fator que deve ser considerado pelos interessados em obter as possibilidades da ferramenta.

Globo, via Techtudo, MySpy, TechCrunch, KrebsOnSecurity e The Next Web

 

FOTOS: Carro voador que pode chegar a 100 km/h já é realidade; conheça

A startup Opener anunciou o veículo ultraleve experimental BlackFly nessa quinta-feira (12). O transporte pode voar por cerca de 40 km a uma velocidade de quase 100 km/h. Além disso, ele é um VTOL (Vertical Take-Off and Landing), ou seja, é capaz de decolar e aterrissar na vertical. A tecnologia foi financiada por Larry Page, cofundador da Google, que já apoiou outros projetos similares, o Flyer e o Cora, criados pela startup americana Kitty Hawk.

O aparelho está em desenvolvimento há nove anos, segundo os criadores. Nesse período, BlackFly já foi submetido a mais de 1.400 voos, tendo voado mais de 12 mil milhas (cerca de 19.312 km) com carga útil. A nave também já completou 40 mil ciclos de voo, o equivalente a 25 voltas em torno da Terra. Os testes são realizados no Canadá, onde o órgão regulador da aviação concedeu autorização para o experimento.

BlackFly, carro voador da startup canadense Opener (Foto: Divulgação/Opener)

Segundo a startup Opener, em comparação com os demais automóveis tradicionais, o BlackFly consome menos energia (apenas 245 Wh por milha) do que carros a gasolina (1.233 Wh/mi) e até elétricos, movidos a bateria (270 Wh/mi). A nave também é mais silenciosa, emitindo 72 decibéis contra 76 dBA de um carro e mais de 80 dBA de uma moto.

Contudo, o carro não foi projetado para ser dirigido em estradas. O BlackFly pode levantar voo e aterrissar sobre asfalto, grama, neve e gelo, mas não é capaz de andar nessas superfícies. Dessa forma, ele se parece mais com o Ehang 184, drone apresentado na CES 2016 como o primeiro capaz de transportar pessoas.

Os criadores garantem que o carro é fácil de operar, e os controles contam com botão para “voltar para casa”, assistente de pouso suave e treinamento compreensível, além de um joystick intuitivo. O BlackFly também tem um software de envelope de voo, mecanismo que demonstra em um gráfico quais os limites que a aeronave pode atingir para realizar uma determinada operação de forma segura. O veículo ainda conta com geofencing, sistema que usa o GPS para mostrar a localização do objeto em um mapa digital.

O VTOL é construído com fibra de carbono impregnada com epóxi e mede aproximadamente 4 metros, tanto na largura quanto no comprimento, com 1,5 metro de altura. O aparelho aguenta cerca de 113 kg de carga e, vazio, pesa 141,9 kg.

O design é projetado para responder a falhas humanas. Há três modos de voo “à prova de erros”, incluindo um para caso a bateria esteja baixa. Segundo a fabricante, o componente pode levar de 67 minutos a 7,4 horas para ser completamente carregado, dependendo da potência da fonte de alimentação.

BlackFly está em testes no Canadá e já fez mais de 1.400 voos (Foto: Divulgação/Opener)

Quando o BlackFly for comercializado, o cliente terá a opção de comprar uma versão com paraquedas balístico opcional, sistema em que a própria aeronave tem um paraquedas para casos de pane. Não há previsão para quando as vendas ocorrerão, mas os fabricantes afirmam que o preço previsto para o BlackFly será o de um carro SUV (de passeio). No entanto, quem desejar comprar o “carro voador” assim que ele for lançado terá de pagar mais caro.

O BlackFly está longe de ser pioneiro neste campo, voltado a pessoas comuns que não têm licença de pilotagem. Além dos já mencionados Flyer e Ehang 184, diversas empresas estão apostando em soluções do gênero. A Uber está investindo no uberAIR, sistema de táxi aéreo pensado para grandes cidades, enquanto Audi e Airbus firmaram parceria para testar carros voadores na Alemanha.

Carro voador BlackFly pode transportar até 113 kg e percorrer 40 km (Foto: Divulgação/Opener)

Globo, via Techtudo, Opener e BBC

 

Conheça o homem mais depravado da história

Certamente você já ouviu o termo “sadismo”. Mas você sabia que esse termo nasceu de uma única pessoa? Foi do Marquês de Sade, conhecido principalmente pelos seus gostos peculiares.

Conheça a história a do homem mais depravado da história:

Donatien Alphonse François de Sade, conhecido como o Marquês de Sade, foi um escritor que nasceu em 1740, com uma grande sede de sexo. Ele ficou conhecido como o “homem mais depravado da história”, devido a suas práticas sexuais, que eram muito bizarras. Sade é uma pessoa muito peculiar e possui uma história bastante complicada. Mesmo tendo sido abandonado pelos pais, foi uma criança bastante mimada.

O comportamento violento do Marquês Sade começou em sua infância. Existe uma história que conta que Donatien e seu primo, o príncipe Condé, estavam brincando e Sade o espancou por ter pegado um brinquedo. Depois desse episódio, os familiares passaram a ficar atentos ao comportamento de Donatien, procurando o satisfazer para deixá-lo mais calmo. Percebendo o temperamento do menino, seus pais o abandonaram, e ele foi morar com sua avó, onde passou seus primeiros anos de vida.

Sua avó recebia a visita de suas filhas sendo que quatro delas eram freiras, menos a caçula, Henriette-Victoire, tia de Donatien, que era uma bela moça. Todas as tias se dedicavam aos gostos do garoto, incluindo carícias sexuais. Nessa época os conventos sofriam com a era pós-revolucionária e esse tipo de ato era considerado novo.Mas, o pai de Sade descobriu e pegou o garoto de volta para que ele recebesse uma educação com “referências masculinas”.

Então ele foi mandado para a casa do tio, o abade Jacques François de Sade que tinha um lado devoto aos prazeres. Donatien descobriu com seu tio alguns lugares onde a sexualidade era tratada como recreação, e os dois passavam os dias seguindo mulheres francesas. Na França era normal que pessoas da Igreja se envolvessem em orgias onde participavam monges, freiras, nobres e prostitutas. Donatien participava disso tudo aos 10 anos de idade.

Seu pai descobriu novamente sobre esses casos e dessa vez resolveu colocá-lo em um colégio jesuíta em Paris. A educação nesse colégio era rígida e os alunos eram punidos com açoites em frente aos outros estudantes. Mas, para ele isso era um afrodisíaco. Aos 15 anos ele foi transferido para a academia militar, e após um tempo, foi chamado para lutar na Guerra dos Sete anos. Ele ficou conhecido como “o líder destemido” devido a sua extrema violência e recebeu várias honrarias.

Sade se envolveu com a filha de um nobre, mas o pai dela não aprovou a união, e propôs que ele se casasse com sua filha mais velha. Para a decepção da garota, Sade aceitou, fazendo questão de introduzi-la ao sadismo e à sodomia. Mesmo casado, Sade tinha relações sexuais com homens, mulheres e ainda frequentava orgias. Muitas prostitutas chegaram a denunciá-lo à polícia por suas práticas abusivas, usando de chicotes, bengalas e cera quente como instrumentos de tortura e também a introdução de objetos via oral, vaginal e anal nas vítimas.

Sade foi condenado à morte por tentativa de homicídio e agressão, mas ele conseguiu fugir e escreveu seus livros “120 Dias de Sodoma” e “Os Infortúnios da Virtude” que relatavam cenas de estupros com mutilações e assassinatos. A família de Sade o considerou louco, e ele foi levado a um sanatório, onde permaneceu sem escrever em uma cela solitária. Ele foi transferido para várias prisões, e foi até encarcerado por Napoleão Bonaparte, mas faleceu em 1814 aos 74 anos de idade.

Jornal Ciência via The Independent

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calixto Silva disse:

    Ele tinha o apetite sexual desordenado, era hedonista queria ter prazer sexual a qualquer custo, resumindo era um sodomita, praticante de varias modalidades sexuais.

  2. Calixto Silva disse:

    Fez tudo isto e ainda viveu 74 anos?

  3. Cidadão. disse:

    E o que morreu lá em campo grande (RN) com 50 filhos? Fez filho na sogra, cunhada e por ai vai.

  4. Rômulo disse:

    Este fez Calígula parecer um santo!

  5. Brasil disse:

    Ganha de Chió???

  6. Cláudio disse:

    Dizem que Brasília/DF é a terra do sadismo e da orgia. Por que será?

  7. H4CK3R disse:

    Danadxinho

Grupo Doe Sangue RN realiza campanha para o carnaval

O grupo Doe Sangue RN, é uma organização não governamental e sem fins lucrativos, liderada por voluntários que tem como principal objetivo estimular a doação de sangue em todo Rio G. do Norte, divulgando pedidos de doações e informações sobre a importância da doação de sangue, além de notícias e dicas. Tudo é feito por meio das mídias sociais – Site, Facebook e Twitter – onde os voluntários se revezam o dia todo postando as atualizações.

Agora em fevereiro estamos promovendo aqui no estado a campanha Doe Sangue Folia. Nessa época que antecede o carnaval, as doações caem em média 30%, enquanto o crescimento no número de acidentes provoca aumento na demanda por transfusões, principalmente nas emergências dos hospitais. Por isso a importância de se fazer uma campanha agora, um movimento que oferece aos hemocentros um auxílio no aumento da capacidade de funcionar conforme a demanda exige.

A campanha visa mobilizar pessoas de vários segmentos da sociedade, onde, estarão reunidos no dia 22 de fevereiro de 2014, doando sangue e partilhando vidas. Os doadores podem fazer as doações em um dos pontos de coleta do estado, nas cidades de Caicó, Currais Novos, Natal, Mossoró e Pau dos Ferros.

Para maiores informações:

Site: www.doesanguern.com.br
Facebook: www.facebook.com/DoeSangueRioGdoNorte
Twitter: twitter.com/DoeSangue_RN
Contato: (84) 9968-8831