Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, anuncia rompimento do contrato atual de concessão do Maracanã, e retoma controle do estádio

Estádio Maracanã voltará para o controle do Governo do Rio Foto: Alexandre Cassiano / O Globo

O governador do Rio, Wilson Witzel, anunciou nesta segunda-feira o rompimento do contrato atual de concessão do Maracanã. Desta forma, o poder público reassume o controle do complexo esportivo. A medida invalida os contratos de Flamengo e Fluminense com o estádio.

– Estamos retomando o Maracanã, sem qualquer prejuízo das partidas de futebol ou aos clubes. Vamos nos próximos 30 dias ter uma intervenção no Maracanã, por meio da secretaria e da Suderj, com uma comissão que estou constituindo, para fazer uma retomada. Estaremos modulando uma permissão de uso até que façamos então uma nova concessão por meio de parceria público privada – disse Witzel.

A caducidade do contrato será publicada na edição desta terça-feira do Diário Oficial. Com isso, a atual concessionária, gerida pela Odebrecht, tem até 19 de abril para deixar o estádio por completo.

Ao anunciar a decisão, Witzel explicou que pesou o não pagamento da outorga por parte da concessionária e a falta de contratação de uma garantia para quitar os débitos em caso de algum contratempo. Segundo o poder público, a dívida é de R$ 38 milhões, desde maio de 2017. O governador explicou que ouviu clubes e a Ferj para embasar a medida.

– A decisão já foi comunicada. Estou aplicando à concessionária e às controladoras a penalidade de declaração de inidoneidade pelo prazo de dois anos. É uma pena em razão do descumprimento de contratos. Há uma dívida pelo não pagamento da outorga da concessão por parte das empresas. Não poderia fazer diferente, aplicando a pena que as impossibilita de contratar com qualquer poder público. Estão usando um equipamento do Estado, não estão pagando, e os clubes estão reclamando. Está tudo errado. Portanto, determinamos a rescisão. A caducidade é a falta de garantia do pagamento das parcelas – explicou o governador.

REVITALIZAÇÃO DA ÁREA

Os planos do governo do Rio compreendem a construção de uma laje sobre a linha da Supervia, que passa bem próxima ao Maracanã. Witzel disse ter buscado inspiração no Hyde Park, em Nova York. A ideia é que esse espaço seja a contrapartida para evitar a demolição da estrutura esportiva que há no entorno.

– Pode ser feito um estacionamento, hotel, shopping, preservando o Célio de Barros, Júlio de Lamare, Escola Friedenreich e o Museu do Índio. Já treinei no Célio de Barros e vamos manter isso tudo funcionando – disse Witzel.

O governador fez referência a incidente da final da Taça Guanabara para exemplificar o descontentamento com a condução de alguns conflitos no estádio:

— Vou conversar com os clubes para que não aconteça o que houve no Fluminense x Vasco. Ficamos esperando a Justiça decidir com 30 mil querendo entrar, e a polícia no meio dessa história.

O governador confirmou que, na Copa América, os jogos vão acontecer no Maracanã.

— Sem o maior problema. Já conversei com o presidente da Conmebol, mantenho contato, nada disso vai sofrer prejuízo. Estamos recuperando o estado do Rio. Estamos pagando salários em dia – disse.

Partes se manifestam

O Fluminense divulgou nota oficial e informou que “avalia como positiva a decisão do Governo do Estado e espera que, a partir de agora, os clubes passem a ter participação mais ativa na concessão e administração do estádio”.

A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) divulgou nota para explicar que “está à disposição do governo, ao lado dos clubes, em prol do futebol e do torcedor”.

Extra – O Globo

 

TOLERÂNCIA ZERO: Ato de racismo contra Arouca, do Santos, faz FPF interditar estádio do Mogi Mirim

MogiEm decisão publicada no início da tarde desta sexta-feira, a Federação Paulista de Futebol (FPF) interditou o Estádio Romildão, palco da goleada por 5 a 2 do Santos sobre o Mogi Mirim e também de ofensas racistas ao volante santista Arouca. O ocorrido desta quinta-feira não foi registrado pelo árbitro Vinícius Gonçalves Dias na súmula da partida, mas o Santos encaminhou um pedido de abertura de inquérito e o próprio TJD-SP já tomou medidas emergenciais.

“O Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol do Estado de São Paulo interditou o estádio Romildo Vitor Gomes Ferreira, do Mogi Mirim EC. A ação se tornou necessária considerando que as ações da torcida do Mogi Mirim maculam de forma indelével a disciplina desportiva e também os princípios básicos de civilidade e humanismo. A interdição do estádio será mantida até a decisão final de processo disciplinar instalado para averiguar os fatos ocorridos”, afirmou a FPF em nota oficial publicada no site da entidade.

Rivaldo, presidente de honra do Mogi Mirim, já afirmou por meio de redes sociais que não concorda com possíveis punições esportivas ao clube, como perda de pontos e multa (as penas estão previstas no artigo 243 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva). Odílio Rodrigues, presidente do Santos, no entanto, publicou nota no site do Santos afirmando que buscará as punições aos envolvidos.

Também em nota oficial, a diretoria do Mogi Mirim prometeu apurar as denúncias de racismo contra Arouca, ocorridas logo após o apito final do árbitro Vinicius Gonçalves Dias, que partiram de um grupo de cerca de dez torcedores.

Lancenet

MUITO ATRASADA: Fifa cogita tirar Curitiba da Copa e exige avanços até 18 de fevereiro

1503387_10152617265178849_929743319_nA Arena da Baixada corre risco real de ficar fora da Copa do Mundo de 2014. Segundo o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, o estádio tem até 18 de fevereiro para apresentar “avanços significativos” em suas obras, que são as mais atrasadas dos 12 estádios do Brasil para a competição e receberão uma força-tarefa do Comitê Organizador Local para agilizar o progresso.

“Não gosto de falar sobre o que pode ser decidido antes de tomar a decisão. No dia (18 de fevereiro), se tivermos que tomar a decisão de mudar o local dos jogos, se for necessário, aí sim vamos trabalhar. Durante esse meio tempo vamos nos basear no que decidimos hoje: Curitiba terá uma força de tabalho, está enfrentando dificuldades, mas no final acreditamos que vai estar tudo certo”, disse Valcke na capital paranaense.

“A questão é delicada, sejamos francos e diretos. A situação atual do estádio não é do nosso agrado. Não está apenas muito atrasado, foge a qualquer bom cronograma de entrega para o uso na Copa do Mundo”, continuou o dirigente francês.

Apesar do tom severo e das cobranças, Valcke evitou usar a expressão “data-limite” para o dia 18 de fevereiro. Segundo ele, neste dia as seleções da Copa do Mundo vão se reunir em Florianópolis e visitar os locais onde terão jogos, e por isso é importante que as obras evoluam bastante até lá. Só então a Fifa vai analisar se a Arena da Baixada terá condições de sediar o Mundial.

“Não há data-limite, ainda estamos longe e não pensamos nela. Trabalhamos com a data de 18 de fevereiro. Se não for suficiente, vamos parar para pensar e fazer alguma coisa o mais longe possível do primeiro jogo a ser realizado, em 16 de junho (Irã x Nigéria, pelo Grupo F). O que vai acontecer hoje é que vamos trabalhar em diferentes níveis e forças. Precisamos ter o estádio minimamente pronto no final de fevereiro para começar os trabalhos na parte de infraestrutura”, disse o secretário-geral.

A partir de agora, segundo Valcke, um membro do COL ficará permanentemente em Curitiba para monitorar a situação do estádio e repassar informações à Fifa. A capital paranaense está prevista para receber quatro partidas na primeira fase da Copa do Mundo, todas em junho: Irã x Nigéria (dia 16), Honduras x Equador (20), Austrália x Espanha (23) e Argélia x Rússia (26).

Terra

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vanda Silva disse:

    Depois de muitas críticas a Natal, a grande e moderna Curitiba mostra que não teve capacidade para tocar a obra.
    Fico aqui imaginando se isso fosse em uma das cidades do nordeste, seria notícia em todos os jornais, um verdadeiro bombardeio de malhação.
    Mas como é Curitiba, sai uma nota aqui outra ali, bem rápida sem grande destaque.
    Isso é Brasil, gigante em tamanho e preconceitos.

    • Teresa disse:

      O quea contece é que nem mesmo Curitiba tem capacidade para um evento como o Mundial de Futebol, o Brasil nao tem condicoes nem capacidade.

Multidão comparece a estádio para cerimônia de tributo a Mandela

 Milhares de pessoas comparecem hoje no FNB Stadium, em Johannesburgo, para assistir à cerimônia religiosa de despedida de Nelson Mandela, morto na última quinta-feira aos 95 anos.

Os portões foram abertos às 6h (2h no Brasil) mas as filas e tumulto na portaria, um temor da segurança, não se confirmaram. A chuva e o frio, além do fato de ser um dia normal de trabalho, fizeram com que o estádio fosse ocupado lentamente.

O evento teve início às 11h locais (7h no Brasil). Enquanto aguardava, a multidão entoou cantos da era de luta contra o apartheid, além de gritos de guerra em homenagem a Mandela.

“Mandela é a África do Sul, é a nova África do Sul. Sua morte dá uma oportunidade para que reflitamos sobre seus valores”, disse Mark Durr, banqueiro branco, que chegou logo cedo. Veste uma camisa dos Springboks, a seleção nacional de rúgbi, famosa no mundo inteiro após ter sido usada por Mandela na final da Copa do Mundo do esporte, em 1995.

A seu lado, Devin Naidoo diz que “como bom servidor público” tinha o dever de estar ali. “Ele era um grande homem”. Servidores do governo federal tiveram dispensa para ir ao evento.

Mais de 70 chefes de Estado estarão presentes no evento. A presidente Dilma Rousseff será uma das que discursarão, ao lado do presidente americano, Barack Obama, entre outros.

Folha

FOTO: Projeto de estádio para Copa de 2022 tem formato de vagina e se torna viral na web

102_1858-alt-blog-Al-WakrahA Copa de 2022 será realizada, pela primeira vez, em um país islâmico. Coube ao Qatar a proeza de convencer a Fifa de que tem todas as condições de cumprir as severas exigências da entidade máxima do futebol e construir excelentes estádios no deserto do Oriente Médio onde o país está localizado.

Um deles é o Al-Wakrah, cujo projeto se tornou viral na web por causa de uma peculiaridade das suas formas arquitetônicas: para muitos, trata-se de um estádio-vagina, com capacidade para 45 mil pessoas e situado a cerca de 20 quilômetros de Doha, a capital do país. A semelhança se tornou bastante comentada no Twitter e em sites de notícia.

“A semelhança com a parte íntima da mulher pode não ter sido intencional, mas eu a aplaudo(…) Por que não termos 45 mil pessoas lotando um órgão reprodutivo feminino?”, escreveu Holly Baxter, blogueira do jornal inglês “The Guardian”.

Oficialmente, a forma é uma homenagem a um barco tradicional no país.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maurício Giovani disse:

    Arena dos Lábios.

  2. Maurício Giovani disse:

    Al-XerekaWakrah

  3. paulo kasinsk disse:

    A r e n a das D o n a s.

POLÊMICA: PM veta entrada de torcedores com camisas de clubes que não sejam ABC e América

A Polícia Militar informou que está proibida a entrada de torcedores no estádio Frasqueirão, neste sábado (2), usado camisas de clubes que não seja de ABC e América.

A medida polêmica tem como objetivo evitar a queixa de torcedores que tem passado por desentendimentos com o sentimento da maioria, que incentiva pelo apoio ao time da terra. Da mesma forma, também estão proibidas camisas de torcidas organizadas amigas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sérgio Câmara disse:

    Parabéns militares, voltamos aos anos de chumbo onde nossa liberdade de ir e vir nos foi usurpada. Enquanto a humanidade tem se mostrado cada vez mais tolerante com as diferenças, nossa boa e velha cidade do sol demonstra ir contra tudo isso e aceita uma medida como essa. Parabéns OTORIDADES!!!

  2. Crystian Pontes disse:

    Mais do que justo! O jogo é do ABC e eu me sinto extremamente incomodando com camisas de outros clubes perto de mim. Pra mim todos os clubes são rivais do meu, seja Alecrim, Potiguar, Flamengo, Vasco e o que for. Parabéns pela atitude, PM! Esta medida evitará muitas confusões.

  3. paulo kasinsk disse:

    Gostaria de saber em qual ciência foi baseada para que esta medida fosse tomada. E um lembretezinho básico, que está passando despercebido: isso não fere a Constituição? Como fica a liberdade de expressão?

Obras nos estádios da Copa do Mundo estão 90% concluídas

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, informou hoje (15) que, entre as 12 cidades-sede da Copa da Mundo de 2014, seis não concluíram as obras dos seus estádios: Cuiabá, Porto Alegre, Curitiba, Manaus, Natal e São Paulo. Porém, o estágio das obras é bastante avançado. “Todos têm em torno de 90% das obras concluídas. Então, isso nos dá a segurança de que vamos cumprir o prazo. Todos garantem entregar até dezembro”, disse.

O ministro rebateu críticas sobre atrasos na entrega de infraestrutura, como transporte, em municípios que vão sediar a competição. Ele citou a Copa das Confederações, que, mesmo com as manifestações, não atrasou nenhum jogo. “Em um país com as dimensões do Brasil, nós vamos ter problemas. Uma coisa ou outra pode atrasar, mas nós vamos fazer a Copa e a Olimpíada”, declarou.

Aldo Rebelo participou, na manhã de hoje, do anúncio da liberação de dinheiro para a instalação de um Centro de Iniciação ao Esporte na cidade de Mauá, grande São Paulo. O centro, cujo investimento exigirá de R$ 2 a R$ 3 milhões, terá quadra oficial e áreas para a prática de ginástica, judô, esgrima, boxe, entre outros esportes. O equipamento terá capacidade de atender 3 mil pessoas por semana, entre crianças e adultos.

Nos próximos dois anos, o ministério pretende entregar 250 centros. Segundo o ministro, os complexos são voltados tanto para a iniciação em esportes de alto rendimento, quanto para lazer, inclusão social, uso educacional e atividades para a terceira idade. O critério de escolha das cidades que receberão os centros levam em conta o índice de carência, o atendimento à população de baixa renda, o Índice de Desenvolvimento Humano, além de ser preciso que o município faça parte de uma região metropolitana.

Agência Brasil

Justiça embarga obra de estádio da Copa em Curitiba

1323245A Justiça do Trabalho embargou, nesta terça-feira (1º), as obras do estádio Arena da Baixada em Curitiba, que irá receber jogos da Copa do Mundo de 2014.

A decisão liminar (caráter provisório) foi tomada a pedido do Ministério Público do Trabalho, que apontou falta de segurança aos operários no local.

Fiscalizações feitas entre julho e setembro encontraram risco de quedas, soterramento e atropelamento dos operários, instalações elétricas precárias e intervalos insuficientes entre as jornadas de trabalho.

A juíza Lorena Colnago entendeu que há “risco de dano irreparável à saúde dos trabalhadores”, e fixou multa diária de R$ 500 mil em caso de descumprimento.

O estádio, que pertence ao Atlético-PR, está sendo reformado para a Copa, com financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). As obras vão custar R$ 265 milhões.

A arena tem o menor índice de execução entre os estádios ainda inacabados da Copa de 2014. Até a semana passada, 79% da reforma havia sido concluída –além da Arena da Baixada, estão em andamento as obras nos estádios em São Paulo, Porto Alegre, Natal, Cuiabá e Manaus.

O Atlético-PR informou que não iria se pronunciar sobre o assunto.

Na sexta-feira (4), haverá uma audiência entre o clube e o Ministério Público, que pode reverter a decisão ou estabelecer um acordo entre as partes.

Folha

Estádio do Corinthians é a obra privada da Copa com maior volume de recursos públicos

296952-970x600-1O poder público, via suas três esferas administrativas, está colocando cerca de R$ 30 bilhões em obras e preparativos para a Copa do Mundo de 2014. Sao obras públicas e privadas, de estádios, aeroportos, portos ou mobilidade urbana. Dentre as privadas, por quaisquer critérios que se utlize, o estádio que o Corinthians e a empreiteira Odebrecht estão construindo na zona leste de São Paulo, que será a sede de abertura da Copa e palco de sete jogos do Mundial, é a que recebe a maior destinação de recursos públicos.

Sem contar o empréstimo do BNDES previsto para o estádio, que deverá retornar aos cofres públicos, o investimento “a fundo perdido” do poder público na arena ficará em algo entre R$ 500 milhões e R$ 600 milhões

O estádio, com as estruturas provisórias necessárias para a receber a Copa, terá um custo que vai ultrapassar a casa do bilhão de reais. Sua principal fonte de recurso são créditos fiscais concedidos pela gestão passada da Prefeitura de São Paulo ao Corinthians. São R$ 420 milhões, nem tudo já liberado para o clube a para a obra.

Parêntesis: este blog  não irá discutir a natureza de recurso público dos CIDs (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento) prometidos pela prefeitura ao Corinthians no ano passado. Este entendimento já é pacificado por Tribunal de Contas da União e jurisprudência dos tribunais superiores do país.

Voltando, só estes R$ 420 milhões já tornam o Itaquerão o estádio privado com maior destinação de recursos públicos da Copa, já que há somente outras duas arenas privadas em construção, ou em reforma, (Arena da Baixada, do Atlético Paranaense, e Beira-Rio, do Internacional), e as duas possuem orçamento total inferior a R$ 420 milhões.

A maneira como estes recursos foram destinados ao Corinthians é, no mínimo, nebulosa, e gerou uma ação do Ministério Público que corre na Justiça para anular o benefício fiscal. Em março do ano passado, quando a obra já estava a pleno vapor e tinha sido escolhida pela Fifa como a sede paulista para a Copa, a prefeitura lançou uma concorrência pública para escolher qual estádio receberia os R$ 420 milhões em créditos municipais. Somente o Itaquerão poderia vencer a concorrência, como de fato venceu.

Trata-se de uma concorrência dirigida na mais límpida acepção do termo. Para o Ministério Público do Estado de São Paulo, é uma “afronta à legalidade”. Ainda assim, à época, a prefeitura chamou a concorrência de “mera formalidade”. Na prática, a Justiça só julgará em definitivo a ação do MP quando a obra estiver concluída e os créditos fiscais já concedidos e gastos. A solução, quando muito, será rever a legalidade da concessão dos créditos com a proposta de algum tipo de medida compensatória do clubve para com os cofres públicos.

Ainda no terreno das isenções, a Prefeitura de São Paulo concedeu isenção total do ISS (Imposto Sobre Serviços) que incidiria no valor final da construção do estádio, inicialmente orçado em R$ 820 milhões. Pela isenção, pelo menos R$ 41 milhões deixarão de entrar nos cofres da Prefeitura, pela alíquota de 5%. A isenção também é questionada pelo MP na Justiça, em virtude da suposta falta de contrapartida social que o clube deveria prestar à cidade.

Outra forma de injeção de recursos públicos na obra é o empréstimo do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social), que ainda não saiu, mas está previsto na chamada arquitetura finaceira do estádio, de R$ 400 milhões.

Trata-se de um financiamento, que, ainda que subsdiado em virtude do interesse coletivo da obra para a Copa, deverá voltar para o banco no prazo previsto. Assim, existe o entendimento, popularizado pela presidente Dilma Rousseff através de discurso proferido em meio aos protestos que tomaram conta do país em junho deste ano, de que esses recursos não podem ser considerados injeção de dinheiro público em obras da Copa.

Faz sentido. O BNDES tem entre suas funções financiar obras do setor privado. De qualquer forma, dentre as obras privadas da Copa que o banco financia, a do estádio corintiano é a que deverá receber o maior volume de recursos , ou R$ 400 milhões.

Bom, investir em um estádio de futebol para a Copa que vai efetivamente ser usado na Copa é certamente muito melhor do que investir em um hotel que certamente não ficará pronto a tempo do Mundial e nem se pode afirmar que um dia ficará efetivamente pronto.

É este o caso de outra das obras privadas da Copa com maior volume de recursos públicos, a reforma do Hotel Glória, do empresário Eike Batista. Ele tomou R$ 200 milhões junto ao banco estatal através da linha BNDES Pro-Copa Turismo. Depois, suas empresas entraram em crise, a obra foi paralisada e agora têm previsão de entrega para 2015. Claro que nem se cogita a hipótese de se cancelar o financiamento.

Há, ainda, as estruturas provisórias a serem instaladas no estádio. Primeiro, será necessário montar 20 mil arquibancadas móveis, missão que está a cargo do Governo do Estado de São Paulo. Segundo o secretário de Planejamento, Julio Semeghini, elas irão custar R$ 38,1 milhões, e o governo paulista encontrou investidores privados para paga-la. Ele anunciou, inclusive, que o contrato para a obra seria anunciado em agosto, o que não aconteceu, então é melhor esperar para saber quem vai mesmo pagar.

Por fim, há o restante das estruturas provisórias, como assentos VIPs, sistema de iluminação, sistema de ar condicionado, equipamentos de informática, telecomunicações e sistemas de TI (tecnologia da informação). Toda a aquisição e implantação desses equipamentos estão a cargo da Prefeitura de São Paulo.

Em uma previsão conservadora da vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, o investimento total do município nessa área será de R$ 30 milhões a R$ 40 milhões. Os contratos ainda não foram fechados, a menos de um ano da Copa. Tomara que não sejam necessárias contratações de emergência…

Vinícius Segalla – UOL

Arena das Dunas "atropela" críticos e atinge 88,05% de obras

Antes questionada pela realidade de sua construção, principalmente, da imprensa das regiões sul e sudeste, o estádio Arena das Dunas avança em suas obras e já atinge 88,05% do total, segundo levantamento da Construtora OAS.

A nova praça esportiva potiguar, que receberá quatro jogos da Copa do Mundo em 2014, ao lado da Arena do Corinthians, em São Paulo, “lidera” os avanços entre as cidades-sedes que firmaram compromissos de entregas até o fim do ano.

Na Arena das Dunas, a expectativa para a finalização da cobertura está prevista para o mês de outubro. O gramado, já plantado, vem sendo beneficiado pelas chuvas da estação atual e se prepara para o seu primeiro corte. O estádio deverá ser entregue até 31 de dezembro.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael disse:

    Acredito que seja impossível iniciar uma obra de mobilidade urbana restando tão pouco tempo para o inicio da copa. A única saída, em meu ponto de vista, é declarar feriado municipal nos dias de competição. E deverá ser esta a alternava usada pelo governo.

  2. Breno disse:

    Nunca questionei se estaria pronta ou não. O problema é a necessidade dos gastos e sua utilização pós-copa. E os reais benefícios de ser cidade sede da copa do mundo?

  3. eric disse:

    Só comentava-se que a OAS não conseguiria terminar em tempo hábil, a turma que fala mal de todo mundo, até de Jesus!
    Que o novo estádio sairá disso não tenhamos dúvidas!
    Agora, se os acessos, mobilidade urbana, transportes, isso aí são outros 500.

    • Samir disse:

      500 já e de mais, rsss
      Acho que isso uma falta… falta acesso, mobilidade, transporte e aeroporto funcional.
      Sobra Desculpas, buracos, atrasos e "óleo de peroba"!

Projeto para reforma de estádio no bairro das Rocas é aprovado pela Prefeitura

Uma audiência pública convocada pelo Ministério Público no Rio Grande do Norte (MPRN), envolvendo a Prefeitura de Natal, por meio da Secretaria do Esporte, Lazer, Juventude e Copa do Mundo FIFA 2014 (Sejel/Secopa), e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia no Rio Grande do Norte (IFRN), selou o destino do estádio João Câmara, localizado no bairro das Rocas.

A disputa do João Câmara teve início em janeiro de 2013 quando o IFRN reivindicou a posse do estádio pertencente ao Patrimônio da União. Como a Prefeitura não abriu mão do campo, o Ministério Público provocou a audiência na Escola Estadual Padre Monte, na última sexta-feira (23).

Venceu por ampla maioria o projeto de melhorias no estádio apresentado pela Prefeitura, que nos próximos dois anos, terá a missão de executá-lo. Após a reforma, o João Câmara será cedido por 20 anos ao município, conforme o acordo.

Segundo o secretário da Sejel/Secopa, Luiz Eduardo Machado, a primeira etapa da reforma será iniciada neste segundo semestre. O projeto prevê melhorias nas arquibancadas, gramado, banheiros e vestiários, além de acessibilidade. Mais de 100 pessoas da comunidade optaram pelo projeto da Prefeitura.

Participaram da audiência o secretário da Sejel/Secopa, Luiz Eduardo Machado; a superintendente do Patrimônio da União no Rio Grande do Norte, Yeda Cunha de Medeiros Pereira; o diretor-geral do IFRN Câmpus Cidade Alta, Lerson Fernando dos Santos Maia; e uma representante do Ministério Público no RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Renato Dantas disse:

    È um absurdo !
    Os novos mèdicos Chegando , Os serviços de Saúde só piorando, os Servidores perseguidos, humilhados ,sem direito se quer a tirar férias , sem serem se quer recebidos , os Usuarios do SUS na PIOR , sem assitência . sem atendimento e o nosso ilustre Secretario de SAúde Estado (LUIS ROBERTO FONSECA) brilhando e bailando em Buenos Aires ….È uma falta de respeito muito grande com a nossa gente viu….

FOTO: Casal é flagrado fazendo sexo em estádio após jogo

thumbUm casal foi flagrado fazendo sexo no centro do gramado do Brondby Stadium, em Copenhague. O ato protagonizado por dois jovens ocorreu no último domingo, após o empate em 0 a 0 entre Brondby e Randers pelo Campeonato Dinamarquês.

Os jovens esperaram escondidos que o estádio ficasse completamente vazio, entraram no gramado e começaram a fazer sexo. Acabaram sendo surpreendidos por um segurança, que os colocou para fora do recinto.

Uma foto do episódio foi postada no Twitter pelo assessor de imprensa do Brondby, Mikkel Davidsen.

Lance

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. laise disse:

    nem isso daria pra fazer no barretão

Ministro manifesta otimismo com destinação dos estádios após a Copa do Mundo

O destino dos estádios de futebol construídos para os jogos da Copa do Mundo de 2014 não preocupa o ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Ele rebateu hoje (16) a possibilidade de algumas arenas serem subaproveitadas após a competição. O ministro sustentou que os estádios terão outras destinações além da esportiva.

“Sou bastante otimista para o destino desses estádios. O espaço interno do estádio de Natal, chamado Arena das Dunas, está sendo comercializado com o melhor preço por metro quadrado de toda a cidade, [também] destinado a lojas, bancos e comércio. Da mesma forma [os estádios de] Cuiabá e Manaus têm recebido visitas de muitos interessados em sua administração. São estádios voltados para o futebol, mas também a outros eventos esportivos e como espaços comerciais para espetáculos, convenções, congressos, feiras, muito importantes para essas metrópoles. Manaus não dispõe de um espaço semelhante ao que está sendo construído, como a Arena da Amazônia, nem Mato Grosso e Brasília, da mesma forma.”

Faltando exatos 30 dias para o início da Copa das Confederações, o ministro participou de coletiva de imprensa ao lado do secretário-geral da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Jérôme Valcke, e do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador Local (COL), José Maria Marin.

Aldo defendeu a escolha de 12 cidades-sede para a Copa do Mundo, dizendo que o objetivo era integrar todo o país, sem excluir nenhuma região. “O problema não é agigantar a Copa. É que o Brasil é um país gigante e não havia sentido fazer a Copa do Mundo só no Sul e no Sudeste. Corretamente, nós fizemos todo o esforço para que a Copa fosse de todo o Brasil. E para isso tem que ter uma sede na Amazônia e no Pantanal.”

O secretário executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, também defendeu a escolha de um número maior de cidades-sede como estratégia de desenvolvimento. “O principal ponto é que o Brasil entendeu que a Copa do Mundo é uma oportunidade para promover o desenvolvimento nacional e desenvolvimento regional. Quanto maior o número de cidades-sede, mais capacidade nós temos de estruturar em cada uma delas um catalisador para o desenvolvimento regional”, disse.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse aos jornalistas que a Copa do Mundo no Brasil vai gerar um total de US$ 4 bilhões em receita bruta e informou que não existe mais cotas à venda para empresas patrocinadoras. A última cota foi adquirida por uma rede de lojas de material esportivo. Até o momento, 76% dos ingressos para a Copa das Confederações já foram vendidos.

Da Agência Brasil

Primeira etapa do Estádio Barretão entra em fase final de construção

O Globo Futebol Clube está promovendo um café da manhã de apresentação da fase final da construção da primeira etapa do Estádio Manoel Dantas Barretto (Barrettão), no município de Ceará Mirim, BR 406. A visita técnica será às 9h, desta sexta-feira (22);.

O Globo Futebol Clube é o novo filiado da Federação Norte-rio-grandense de Futebol, implantando elenco de jogadores para disputar as categorias de base dessa entidade, como também da 2ª Divisão do Campeonato Potiguar de Futebol Profissional 2013.

Durante a visita, o empresário Marconi Barretto irá divulgar mais detalhes do andamento da obra da MPB Empreendimentos, proprietária do Globo FC, empresa que formulou proposta ao América Futebol Clube, com um contrato de parceria por 5 anos, como foi divulgado durante entrevista coletiva na sede da FNF, na última terça-feira (19).

 

 

[FOTOS] Arena das Dunas começa a tomar forma e pode iniciar montagem das arquibancadas em setembro

Depois de completar um ano do início das obras no dia 15 deste mês, o canteiro de obras do Estádio Arena das Dunas, com seus 1.200 colaboradores trabalhando em quatro turnos – manhã, tarde, noite e madrugada, prepara-se para iniciar agora em setembro a montagem das arquibancadas.

Nas últimas semanas foi intensificada a instalação das vigas que receberão as arquibancadas. Para isso, está sendo montado um guindaste com capacidade para 300 toneladas, que será utilizado na montagem.

“Estamos dentro do cronograma estabelecido pelo Comitê Organizador Local (COL) juntamente com a FIFA e com o passar dos meses estamos vencendo as etapas da obra dentro do planejado”, disse o secretário Extraordinário para Assuntos Relativos à Copa do Mundo 2014 (Secopa), Demétrio Torres, salientando o andamento das obras, que já estão 30% concluídas.

A Arena das Dunas terá capacidade para 42 mil espectadores sentados durante o mundial de futebol e foi idealizado para ser um grande espaço flexível para vários tipos de eventos. Até a conclusão do estádio, está previsto que chegue a 1.500 o número de funcionários na obra.

Quatro jogos da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 estão programados para a Arena das Dunas. Dia 13 de junho (Dia de Santo Antônio), 16 junho, 19 de junho e 24 de junho (São João) de 2014.

As 64 partidas da Copa do Mundo da FIFA serão disputadas em 12 cidades do País. São Paulo receberá o jogo de abertura no dia 12 de junho de 2014, enquanto o Rio de Janeiro acolherá a final da 20ª edição do mais importante torneio de futebol do planeta.

Perspectiva de como será a Arena:

Obra da Arena das Dunas completa um ano com 30% concluído

A obra de construção da Arena das Dunas, palco natalense da Copa do Mundo de 2014, completou um ano nesta quarta-feira (15) com a conclusão de 30% do cronograma previsto.

A informação foi passada pelo secretário Extraordinário para Assunto da Copa 2014 (Secopa), Demétrio Torres, e pelo diretor do Consórcio Arena das Dunas, Charles Maia, no final da manhã de hoje durante uma coletiva realizada para a imprensa no canteiro de obras da própria arena.

Mesmo com menos de 1/3 concluído, as expectativas são muito boas. O secretário Demétrio Torres explicou que com os trabalhadores atuando em quatro turnos será possível completar 50% do cronograma de obras até dezembro desse ano e concluir a execução de tudo em dezembro do próximo ano.

“Nós tínhamos a previsão de implantação do turno extra apenas em outubro, mas já contamos com esse pessoal. Hoje, contamos com cerca de 1200 homens dentro da obra, podendo a chegar a 1500 no pico das atividades. Estamos bastante adiantados”, concluiu.