Educação

Eleição para reitor(a) e vice-reitor(a) da UERN será realizada nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira, 10 de maio, a comunidade acadêmica da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) escolhe os próximos gestores para o quadriênio 2021/2025. Será a primeira vez que a consulta para reitor(a) e vice-reitor(a) ocorrerá de forma on-line.

A votação será realizada pelo SIG-Eleição, das 8h às 22h, através desse link: https://sigaa.uern.br/sigeleicao/. Todos os 11.314 eleitores aptos – entre estudantes da graduação e pós-graduação, professores e técnicos administrativos – estão cadastrados no sistema e têm assegurado o direito ao voto. Seis candidatos (as) estão na disputa, sendo três para o cargo de reitor(a) e três para o cargo de vice-reitor(a).

O resultado da eleição será conhecido pouco tempo após a finalização do pleito. Caberá ao Conselho Universitário (Consuni) homologar o resultado e compor a lista tríplice que será entregue à governadora Fátima Bezerra, chanceler da Uern. Como ocorreu em outros anos, a cerimônia de posse deve ser realizada em setembro, na tradicional Assembleia Universitária.

Disputam o cargo de reitor(a):

➡ Prof. Dr. Adalberto Veronese da Costa
➡ Profa. Dra. Cicília Raquel Maia Leite
➡ Prof. Dr. Francisco Paulo da Silva

Disputam o cargo de vice-reitor(a):

➡ Prof. Dr. Francisco Dantas de Medeiros Neto
➡ Profa. Ma. Kelânia Freire Martins Mesquita
➡ Profa. Dra. Maria José da Conceição Souza Vidal

Como votar?

Para ter acesso ao SIG-Eleição, o eleitor que já validou sua senha deve acessar a plataforma no link https://sigaa.uern.br/sigeleicao/, inserir login e senha e já terá acesso à eleição a qual está apto. Clicando no link da eleição ele será direcionado à urna virtual.

Já os usuários que ainda não validaram a senha devem acessar o link https://sigadmin.uern.br/admin/public/recuperar_senha.jsf, informar o login (CPF, apenas números) e o e-mail cadastrado no sistema. Um e-mail automático será enviado com o link para a redefinição. O usuário deve então criar uma nova senha, confirmar e já poderá ter acesso à urna virtual através de login no Sig-Eleição (https://sigaa.uern.br/sigeleicao/). Esse processo estará disponível até às 22h do dia 10 de maio, quando se encerra a votação.

Durante todo o período da votação, uma equipe da Dinf também estará de plantão através do Google Chat para tirar dúvidas sobre a votação. O usuário deve estar logado no e-mail institucional (@uern.br ou @alu.uern.br) e iniciar uma conversa com [email protected] O suporte estará disponível das 8h às 22h.

 

 

Opinião dos leitores

  1. 9 dedos foi muito mala! injetou dinheiro com forças nas universidades, doutrinou: reitores, professores e alunos, a maioria dessa turma e de esquerda, fumador de maconha e por ai vai….

  2. Que Deus tenha piedade do RN, especialmente do ensino público estadual. Universidade que custa muito caro ao paupérrimo RN e que transformou-se em mais um antro de esquerdopatas preguiçosos. A propósito, faz quanto tempo que não há aula nessa instituição? Mas os pagadores de impostos do RN continuam arcando com seus altíssimos custos. Para que mesmo?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

VÍDEO: Reitor do IFRN chama Bolsonaro de bandido

José Arnóbio de Araújo Filho, reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte(IFRN), chamou o presidente Jair Bolsonaro de bandido, durante manifestação em frente à reitoria, sob a presença de um grupo de alunos e servidores.

“Se tem bandido aqui, esse bandido se chama Jair Messias Bolsonaro”, disse o reitor, em manifestação contra as medidas do governo federal nas instituições de ensino federais pelo país.

O registro circula em vídeo que já vem sendo repercutido por todo o estado. Na manifestação, o reitor do IFRN, que tomou posse recentemente, no dia 05 de fevereiro, após decisão judicial.

Veja vídeo abaixo:

Opinião dos leitores

  1. BG , vc tá sem contextualização? Sem matéria? Tá querendo ganhar audiência ou ibope nas costas do REITOR ELEITO DO IFRN ? BG , vc é gado puro sangue! E querendo chama todo o seu curral com vc para defender o BOZO !! FORA BOZO!! E BG sem credibilidade.

  2. Boa noite…
    Vendi esta reportagem me pergunto qual a ideia que o escritor quer passar…
    Bem, sou professora e já ouvi em reportagens professores serem chamados de vagabundos, não vi o vídeo todo, não ouvi o reitor dizer isso, ouvi ele dizer "interventor" , mas me pergunto quem defendeu os professores?

  3. Um funcionário desse nível merecia ser exonerado do cargo e demitido do serviço público. Respeite a hierarquia seu puto. Se não tá satisfeito vista a camisa do PT e vá pra rua defender seu ladrão de estimação de nove dedos.

  4. Esse cabra de peia não tem a mínima capacidade de ser reitor. Tá denegrindo a imagem do instituto. Pede pra sair militante vagabundo!

  5. Importante contextualizar o vídeo né BG? Isso ocorreu ano passado quando o IFRN estava sob intervenção do governo federal para não nomear um reitor eleito por voto. O professor Arnóbio se exaltou, mas muito pior fez a "equipe" que o presidente nomeou na canetada para a reitoria.

  6. Bandido, tenho minhas dúvidas, mas, que é incompetente, sem caráter, isto não há dúvidas.

  7. Eu digo qie esse cabra tem coragem se chamar o Xandão careca do STF.
    Falar do PR Bolsonaro é facil.
    Qualquer pixuleco da vida chama.
    Quero vê é o Xandão.
    Rsrsrs

  8. Entrei na EIFRN. Depois passou a ser ETFRN. Lamento a atual situação de uma das mais importantes instituição do RN e do BRASIL . É lamentável o que acontece nos dias atuais. Tenho uma Neta matriculada hoje, mas tenho pena da situação atual. Sr. Reitor assuma seu cargo sem partidarismo, sem paixão politica. Respeite a Hierarquia ou entregue o Cargo. Se eu estiver errado na opinião me perdoe. Caso contrário Entregue o cargo. Ser Reitor dessa instituição não é para qualquer "UM"

  9. Por ai se tira a qualidade de ensino que essa raça de víboras empõe aos alunos dessa honrada instituição!!!

  10. então hoje em dia políticos não podem mais falar o que querem senão são presos, como o doido lá daniel silveira, mas reitor agora pode? ou será que STF > presidente?

  11. Essa matéria mostra o estado que se encontra a nossa educação ,principalmente a do governo federal que está totalmente envenenada por um idealismo aonde um reitor tem cara de pau de falar do presidente da República é não tem vergonha de usar uma camisa de Lula livre!
    Isso é uma vergonha……..

  12. E aí senhor Alexandre de Moraes, sua excelência com a palavra.
    O reitor estar acobertado pela constituição?

  13. Falta de respeito da parte do senhor reitor. Ele, na condição de servidor público federal, deveria respeitar a chefe de todos os servidores do executivo Jair Bolsonaro. Tem determinados termos não caem bem quando usados por certas pessoas, principalmente em se tratando de professores.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Após determinação judicial, MEC nomeia professor José Arnóbio, reitor eleito pela comunidade do IFRN

Foto: Divulgação/IFRN

Após determinação judicial expedida no dia 11 de dezembro de 2020, pela juíza Gisele Leite, da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Rio Grande do Norte, o Presidente da República Jair Bolsonaro nomeou José Arnóbio de Araújo Filho como reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). A nomeação consta na edição 243 do Diário Oficial da União.

A decisão expedida pela Justiça Federal do Rio Grande do Norte também suspende a portaria n.º 405/2020, do Ministério da Educação, que nomeou o professor Josué Moreira de Oliveira como reitor pro tempore. Josué não participou das eleições internas para a escolha dos novos gestores do Instituto, realizadas em dezembro de 2019.

O professor José Arnóbio declarou que “depois de um período tão difícil para a nossa comunidade acadêmica, vivendo isso em meio a uma pandemia, recebemos a decisão judicial e a nomeação com alívio e alegria. Temos muito trabalho para fazer no IFRN e não descansaremos até conseguir trazer a nossa instituição ao patamar de excelência de antes desse período”.

SOBRE A ESCOLHA DO REITOR DO IFRN

A cada quatro anos, a comunidade acadêmica passa por um processo de consulta eleitoral, em que aponta seus gestores máximos – reitor e diretores-gerais. A última consulta, realizada em 4 de dezembro de 2019, foi conduzida e finalizada sem irregularidades. O resultado apontou a vitória do professor José Arnóbio de Araújo Filho, com 48% dos votos, como reitor da Instituição e foi aprovada pelo Conselho Superior (Consup).

De acordo com o seu Plano de Ação para a gestão, José Arnóbio destaca que as ações estarão alicerçadas na busca da participação coletiva para a resolução de problemas, pautadas numa ação metodológica baseada em políticas afirmativas que contemplem a educação de qualidade em todos os níveis e modalidades de ensino do IFRN. Para o professor Arnóbio, a educação, além de promover inclusão social, propicia civilidade e humanização ao fazer pedagógico, propiciando a qualificação dos estudantes e promovendo uma transformação que começa pelo respeito ao professor e aos demais trabalhadores em educação, culminando com o respeito aos cidadãos pelos gestores públicos.

SOBRE O REITOR

JOSÉ ARNÓBIO DE ARAUJO FILHO é professor de Ensino, Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). Com 32 anos de exercício de magistério, atua no ensino, na pesquisa e na extensão, tanto na educação básica, quanto na educação superior, em nível de graduação e de pós-graduação. Exerceu a função de Diretor Geral do Campus Natal-Central por oito anos, eleito em 2011 e reeleito em 2015. Atua academicamente nos temas de educação, esporte, lazer e qualidade de vida. Exerceu as suas atividades profissionais nos últimos 26 anos, vivenciando as diversas institucionalidades pelas quais passou o IFRN: Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte (ETFRN, de 1995 a 1999), Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do Norte (CEFET-RN, de 2000 a 2008) e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN, desde 2008).

Opinião dos leitores

  1. Parabéns Prof. Arnobio. Venceu a justiça e o bom senso. O Bozo precisa entender que aqui não é a casa da mãe Joana não, pra ele fazer suas loucuras.

  2. Ótima notícia para o IFRN, não conheço o Prof José Arnobio, mais certamente é muito melhor que o crápula que estava querendo se apossar da cadeira de Reitor. Decisão acertada Bolsonaro, abriu o olho enquanto é cedo. Josué quem não te conhecer que te compre!!!!!

    1. Só pra avisar que o MEC cumpriu uma decisão judicial. Não foi uma decisão administrativa de tirar o interventor.

    2. Arnobio é um ótimo professor e pessoa, fui aluno dele. O problema é a visão ideológica dele desde 2002 quando alardeava sua simpatia pelo PT. Se tivesse ficado calado não tinha ocorrido toda essa confusão.
      Militância no IFRN não!!!

  3. O setor de Humanas da IFRN é sujeira, pichações, deve ser o legado deixado por ele.
    #BOLSONARO TEM RAZÃO

    1. Estudei no IFRN e não conheço este setor de Humanas, o gado não tem capacidade de passar no IF e nem conhece o prédio.

    2. O gado tá ficando alucinado, vendo humanas na escola técnica.
      Fake news e seguir o gabinete do ódio corrói neurônios. Mmmmuuuuuuu

    3. Respeitem titia. Ela é a balbúrdia das Humanas do IF.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

FOTO: Ministro da Educação recebe reitor pro tempore do IFRN

Foto: Divulgação

Na tarde da terça-feira (24), o reitor pro tempore do IFRN, professor Josué Moreira, e seu pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, professor José Ribeiro Filho estiveram no Ministério da Educação, onde foram recebidos pelo gestor da pasta, o professor Milton Ribeiro. À reunião compareceram ainda o Secretário de Educação Tecnológica do MEC, Wandemberg Santos e a deputada federal pelo Rio Grande do Norte, Carla Dickson.

“Foi uma reunião bastante proveitosa, onde respondemos a contento todos os ofícios pedindo explicações ao ministro sobre nossa gestão e em que fizemos algumas reivindicações, como orçamento para melhorias em nossos campi, além de tratarmos da questão dos códigos de vagas e de uma nova contrapartida para a conclusão do Campus Avançado Jucurutu. Aproveitamos a visita para convidar o ministro e o secretário da Setec para a inauguração da 22ª unidade de ensino do IFRN”, disse Josué.

Parcerias

Segundo o reitor pro tempore, temas como a Suap e a série de reuniões com órgãos públicos que vem sendo realizadas também entraram na pauta: “Estamos compartilhando a nossa tecnologia com universidades, com institutos federais e com outros órgãos públicos e isso agradou ao ministro”, disse Josué, que ainda destacou ter repassado a Milton Ribeiro um relato sobre as reuniões com o Incra com o Iphan e com o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), as parcerias com a Ufersa e com a Agência Espacial Brasileira.

Visitas

Também em Brasília, os gestores do IFRN tiveram uma reunião no Conselho Federal de Medicina Veterinária, também interessado no Suap: “Vamos atender esse pedido, até porque se trata de uma autarquia federal. O Francisco Almeida ainda falou sobre uma cooperação para usar nossa estrutura de EaD para qualificar e atualizar em capacitação médicos veterinários e zootecnistas do Rio Grande do Norte, com repasse de recursos via Funcern”, acrescentou. Para Josué, foi uma visita de cortesia que produziu bons frutos.

NNa manhã do mesmo dia, o reitor pro tempore e seu pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional estiveram na Fundação Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). “Fomos recebidos por Gabriel Medeiros Vilar, diretor de Gestão, Articulação e Projetos Educacionais. No FNDE fizemos uma proposta para qualificação de professores do Ensino Básico e Fundamental da cidade de Jucurutu e entorno, via Instituto Federal e em parceria com a Funcern para nivelar estudantes da região”, esclareceu Josué. Segundo ele, a ideia apresentada segue na linha de auxílio no acesso aos cursos que serão ofertados no novo Campus Avançado.

“A proposição foi muito bem aceita, cabendo ao IFRN agora construir um projeto e apresentar ao Fundo. Essa é uma parceria que a gente vai ter resultados positivos para o Instituto, porque os alunos vão chegar mais preparados e, quanto aos professores, mais motivados e reconhecidos, seja através de melhoria do seu salário – já que quando se faz uma especialização ou mestrado, dependendo do município, se passa ganhar um pouco mais – seja através de uma conquista acadêmica pessoal, que deixa o professor mais motivado”, finalizou o gestor.

Com IFRN

Opinião dos leitores

  1. O IFRN, após mais de dez anos de gestão com segregação e doutrinação política, agora, está em processo de mudança visando restabelecer à formação integral do aluno cidadão, como era no passado a sua finalidade precípua.

  2. PARABÉNS ao REITOR, fazendo um excelente trabalho, buscando as melhorias para a instituição e uma melhor prestação de serviço à sociedade.

  3. sabe o que eu acho bom? é que quando estavam os reitores de esquerda pintaram e bordaram, transferiram seus amigos para natal e deixaram os inimigos nos interiores mais distantes. Agora o reitor é de direita e vai fazer o que quiser, acho é pouco.

    pode botar aí BG, trabalhei lá e sei como é que funciona!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Reitor do IFRN acata recomendação do MPF e revoga compra de notebooks

Após recomendação do Ministério Público Federal (MPF), o reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN), Josué de Oliveira Moreira, revogou o processo de compra de 20 Macbooks i5 13″, que seriam destinados à equipe de gestão. O MPF observou que há outros computadores com qualidade similar e preços menores que os R$ 12.700 previstos para esse modelo.

A recomendação, de autoria do procurador da República Kleber Martins, indicava a necessidade de o instituto abranger um maior número de marcas e modelos disponíveis no mercado, ampliando o objeto da compra e buscando a melhor relação custo-benefício. Uma análise da Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (Ctic) da Procuradoria da República no RN apontou a existência de computadores com configurações muito próximas ou mesmo superiores em diversos quesitos (para a finalidade pretendida) e a preços bem menores.

“Apesar de ser um aparelho muito bom e ter uma performance ótima, a relação custo-benefício é questionável, sobretudo para uma utilização básica. Quando comparado com outros notebooks equipados com o Windows e configuração e material similares, não percebemos vantajosidade na escolha pelo equipamento da Apple para uma utilização administrativa”, apontou o relatório.

O representante do MPF ressaltou que o IFRN, como instituição pública, precisa levar em conta os princípios constitucionais da eficiência e da economicidade, “a fim de evitar questionamentos e mesmo ações judiciais atribuindo a pecha de ilegalidade aos atos”.

Opinião dos leitores

  1. Seria bom o Ministério Público Federal informar em que pé se encontra a ação de improbidade decorrente do uso do prédio do IFRN para a instalação de uma barraca do "Lula Livre".

    1. Barraca "lula livre", que vergonha, esquerdopatas não tem limites…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Governo Federal aciona Justiça para manter intervenção no IFRN e sugere novas eleições para reitor

Foto:Advocacia-Geral da União (AGU)/Reprodução

A Advocacia Geral da União acionou a Justiça para reverter a decisão que suspendeu a portaria do Ministério da Educação nomeando o interventor Josué Moreira para o cargo de reitor “pro tempore” do Instituto Federal do Rio Grande do Norte. Em 1º de maio, a juíza da 4ª Vara Federal do Rio Grande do Norte Gisele Maria da Silva Araújo Leite deu um prazo de 24 horas para o MEC dar posse ao reitor eleito do IFRN José Arnóbio de Araújo Filho.

A AGU recorreu ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região no domingo (3) e pediu ainda que Josué Moreira seja mantido no cargo de reitor até a conclusão do processo administrativo que tramita no IFRN contra o professor e reitor eleito José Arnóbio Filho. Ele responde a um PAD protocolado por membro do Movimento Brasil Livre (MBL) em razão da presença, no pátio do IFRN em 2019, de uma barraca de militantes do comitê Lula Livre.

Os advogados do governo federal também sugerem novas eleições para o cargo de reitor no IFRN.

Matéria completa aqui no Saiba Mais Agência de Reportagem.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

MPF cobra informações sobre nomeação de reitor do IFRN

Foto: Reprodução

O Ministério Púbico Federal (MPF) instaurou um inquérito civil com o objetivo de apurar a legalidade, ou não, da indicação do novo reitor temporário (pro tempore) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN), Josué de Oliveira Moreira. Mesmo sem ter participado da consulta à comunidade acadêmica – espécie de eleição interna -, ele foi nomeado para o cargo no último dia 20 de abril, pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

A nomeação teve como base uma Medida Provisória (nº 914) que foi editada em 24 de dezembro de 2019, 13 dias após a eleição interna no IFRN. A portaria que indica o nome de Josué de Oliveira, porém, não especifica sequer o inciso do artigo (7º) em que se sustenta. “Tal fato, por si só, pode vir a se enquadrar como improbidade administrativa, face a recusa à publicidade devida do aludido ato administrativo”, observa o MPF.

Uma das previsões da portaria, a designação de um reitor pro tempore caso os cargos de reitor e vice-reitor fiquem vagos, não se adapta ao caso do instituto potiguar, tendo em vista que o mandato do reitor anterior se encerrava neste mês de abril, “mesmo período em que se iniciaria o mandato da gestão eleita pela comunidade acadêmica, não havendo que se falar, portanto, em vacância”.

Leia matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

 

Opinião dos leitores

  1. Se o MPF aproximar sua lupa do IFRN, vai descobrir que o sindicato dos servidores funciona em suas dependências, usando água, luz, internet, auditórios, segurança – e até a gráfica – às custas do babaca do contribuinte.

  2. Fui aluno ainda no tempo de ETFRN. Era um local sério. Com professores e funcionários comprometidos com o aluno e com o estudo. Quer deixar registrado meu protesto por todo o mal que os atuais colaboradores fazem ao Instituto, fazendo a cabeça politica-partidária de crianças para a esquerda. Vcs deveriam se envergonhar. Esse interventor é um fruto do deserviço público que prestam a maioria. Aos que não concordarem comigo, vão ao pátio do Instituto e gravem um vídeo dizendo que é eleitor de Bolsonaro e Lula é ladrão. Gostaria de ver.

  3. Colocar esse interventor é nada mais que um ataque a democracia, numa instituição secular ver tal feito é sem dúvidas REVOLTANTE! O consolo para a lutar incessante é que a história marca e jamais esquece. Queremos nosso reitor eleito democraticamente empossado! #OIFRNJáEscolheu #PosseDoReitorEleito

  4. O Reitor eleito não tem nada que impeça sua nomeação, isso não passa de manobra política e de uma forma de tentar calar e difamar quem está na instituição a mais de e cinco anos trabalhando em prol de jovens que na grande maioria os tem como exemplo de liderança.

  5. Esclarecendo algumas coisas que vi, em um dos comentários anteriores. O então Reitor Eleito e não empossado José Arnobio, não está sofrendo um processo administrativo, e sim uma sindicância investigativa, onde nada foi apurado, pessoal alguma foi ouvida. Diante disso servidor algum, não pode ser impedido de assumir tal cargo no período que está sofrendo uma sindicância, no sistema jurídico brasileiro o princípio da presunção de inocência está expressamente afirmado na Constituição, em seu artigo 5º, inciso LVII, onde claramente está proclamado que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória” ou seja todos serão presumidos inocentes até que se prove o contrário! Vejam que não há nada que impeça a posse do Reitor Eleito de acordo com a consulta a comunidade acadêmica!

  6. Primeiro que não há PAD, mas sim uma sindicância. Segundo a promotora do evento que foi organizado pela arquidiocese de Natal já até emitiu nota ressaltando a inocência do Reitor Eleito. Passar por cima da presunção de inocência pode? Para colocar alguém do PSL logicamente.

  7. Querem denegrir a instituição desqualificado em um contexto geral . Pior de tudo é colocarem um interventor no IFRN. vejam o que o presidente fez com PF ..imaginem vocês com uma instituição de ensino . Se com a PF ele fez e vai fazer manobras imagina em uma instituição de ensino como é o IFRN . #Forainterventordoifrn
    #PossedoreirtordoIFRN
    #ForaBozo

  8. Não se trata de debate político entre direita e esquerda. O que estamos vivendo é um atentado contra o processo democrático que tivemos. Independentemente de qualquer coisa, escolhemos um reitor e outro foi empossado sem nem sequer ter participado da eleição. É um golpe e não ficaremos calados.

  9. Os comentários da publicação só demonstram o quanto devemos continuar nessa luta pelas redes sociais! O professor José Arnóbio foi eleito democraticamente pela comunidade acadêmica e ele está passando por uma sindicância e não por um processo administrativo disciplinar como o MEC afirma. E até mesmo a sindicância não foi julgada nos parâmetros legais, isto é, o reitor eleito não foi julgado como culpado e mesmo que estivesse enfrentando um PAD , ele poderia assumir a Reitoria, pois não há impedimento legal para tal no edital institucional.

  10. Infelizmente, a cegueira político-partidária impulsiona algumas pessoas a defender a quebra de um processo eleitoral normal e uma atitude equivocada do Ministro da Educação. Gostaria de saber se essa intervenção fosse no governo que defendem, e que foi eleito democraticamente, apesar de eu não ter votado nesse presidente? E aí? Manteriam esse discurso de normalidade?

  11. O reitor eleito por toda comunidade acadêmica do IFRN (alunos, docentes e técnicos administrativos) não responde a PAD (Processo Administrativo Disciplinar), mas a uma sindicância da qual não foi condenado, portanto não está impedido de assumir seu cargo legítima e democraticamente conquistado. Não podemos aceitar a presença de um interventor. #possedoreitoreleitodoifrnjá

  12. Caros, não há PAD algum. Há somente uma sindicância aberta em 02/2020. Esta por sua vez, apoiada numa denúncia da presença de uma barraca com produtos do movimento Lula Livre, dentre outras inúmeras barracas, em um evento da igreja católica ocorrida dentro do Campus. O espaço foi cedido, somente, não havendo relação com nenhum servidor.
    Está claro que há uma perseguição política no caso. A candidatura para Reitor é livre, não faz restrições de vinculação partidária alguma. No pleito haviam candidatos filiados ao PT, ao PSL e sem vinculação partidária. Venceu quem a maioria aprova. A escolha deve ser respeitada, a nomeação desse pro-tempere é ilegal.

    1. Oi, boa tarde. Então, é que a situação com Josué não está envolvendo posicionamento político (não nesse sentido que você se referiu). O fato é que Josué não foi eleito pela comunidade, e pior, ele nem participou das eleições. E quando o MEC (Ministério da Educação) tentou se justificar por isso falou sobre a MP 914, que não cabe ao IFRN pois foi decretada após o período eleitoral da instituição, entende? o fato é que não há qualquer cabimento moral ou jurídico que garanta legalidade na nomeação de Josué ao cargo de reitor. O que a comunidade do IFRN deseja é que sua decisão seja respeitada. Imagina que em uma eleição você vota em determinada pessoa, essa pessoa vence o processo eleitoral, mas quando é o dia da posse dela alguém intervém e a substitui por outra pessoa que nem participou do pleito. Não é legal não é? por isso há tanta indignação com a decisão. Uma boa tarde, amigo.

  13. todo mundo sabe como as coisas funcionam dentro do IFRN, se vocÊ é de esqueda se dá bem, senão nunca consegue nada lá dentro; E a professora que passou um filme de Che Guevara, foi apenas empurrada por um aluno e conseguiu transferencia permanente para o campus Natal Central? (ela era de um campus do interior). Já outro servidor de direita foi transferido pra um campus mais distante da capital, é justo?

    1. Eduardo, seu comentário mostra total desconhecimento da realidade do IFRN. As transferência ocorrem SOMENTE por edital amplamente divulgado. Todos podem concorrer e os critérios são SOMENTE, a aderência da disciplina, evidentemente, e o TEMPO DE SERVIÇO, com os mais antigos tendo a preferência.
      Não existe, como vc sugeriu transferências de servidores fora desses critérios.
      Desculpe-me se o decepcionei com os esclarecimentos.

    2. Caríssimo, procure conhecer os fatos antes de comentar. O IFRN não é uma lugar onde a "esquerda se dá bem". Trata-se de uma instituição centenária, que ao longo de sua existência construiu uma história de respeito, formando profissionais de qualidade em nosso estado. Trata-se, meu caro, de uma instituição de referência para o nosso país, que permitiu – e permite – que alunos de todo o estado tenham acesso a uma educação de qualidade. Tudo isso foi construindo com muita dedicação. A nomeação desse cidadão para a reitoria fere a o processo democrático realizado em 2019, além de ser um desrespeito com a comunidade acadêmica da instituição – Professores, estudantes e técnicos administrativos. Essa nomeação coloca em xeque uma história de qualidade. Ora, qual a garantia de que a indicação desse homem ao cargo atende a critérios técnicos?

    1. Oi. Você acompanha aqui faz tempo? Aqui no mínimo é centro-direita, leia mais e tire essa viseira extremista.

  14. Pressuponho que quem sustenta a nomeação desse cidadão, também apoia a indicação do diretor da Polícia Federal pelo presidente e não pelo Ministro da Justiça. Brasil cada vez mais com cara de Venezuela.

    1. Greg, acho que você está um pouco desinformado… o reitor eleito permitiu que fossem vendidas canecas com a escrita "LULA LIVRE" no pátio do campus central ano passado, quando ele era diretor geral do campus; Isso pode então né? Ele está respondendo por esse ato absurdo , por isso não pode assumir como reitor;

    2. O absurdo é simplesmente o camarada ser colocado no cargo de reitor, sem ao menos ter concorrido ao pleito. Será que se o reitor eleito está respondendo a um processo administrativo (que não cassou seus direitos eleitorais internos), pelo menos não deveria ter sido colocado no posto o 2º colocado. Ou para o senhor é normal colocar uma pessoa apenas porque é filiado ao PSL e indicado pelo tal de General Girão??? Na verdade, a ética e moralidade do gado só convém quando é de interesse deles. Ainda acusar no blog de ser militante do PT, é uma palhaçada enorme! Pior de tudo é ver que existe legislação que diz sobre votação e independência das instituições, mas o camarada quer defender uma intervenção. O Brasil de tanto hipócrita!!!

    3. Concordo com o que foi feito, como ele ainda está respondendo a um processo administrativo, pode dá em nada, então ele seria empossado, já que o que ocupa o cargo é apenas um provisório. Já se colocássemos o segundo mais votado, como faríamos para desempossar, difícil né. Agora de outra vez, pede a ele pra não liberar a venda de panfletos e canequinhas pedindo a soltura de LULADRAO.

    4. É fácil criticar falando por senso comum. Agora, não podemos falar o que achamos, temos que dizer pelo o que esta escrito em Lei. Nesse ponto, não há nada que impeça a posse do reitor até que seja comprovada a se o mesmo teve culpa ou não dos fatos. Se há algum problema nessa regra, se muitos querem que nenhum reitor assuma se estiver respondendo a PAD, temos que nos unir e mudar isso nas Lei, MP ou algo que tenha validade para esse caso. O que não da é falarmos o que é certo ou errado sem ter algo devidamente regulamentado por regra.

    5. Oi, Jorge, boa tarde. O evento a qual você se refere é um que ocorre há décadas que envolve uma ação de fé e política, e reitero, ocorre há tanto tempo que Arnóbio sequer era Diretor Geral quando o evento começou a acontecer. Sobre a alegação, o fato ocorreu em uma barraca específica dentre diversas outras, e não há qualquer restrição jurídica a esse tipo de atividade. Sendo uma instituição pública, o IF sempre esteve aberto a todos os posicionamentos. Não houve qualquer envolvimento direto com Arnóbio, ele simplesmente cedeu um espaço do campus para o evento, e o faro que você cota ocorreu em uma barraca dentre muitas outras. Além disso, alguns falam que por conta disso Arnóbio sofre um PAD (processo administrativo disciplinar), quando na verdade o que há é uma sindicância que foi analisada e vista que não havia qualquer ilegalidade no que ocorreu, não podendo assim o reitor eleito sofrer algum tipo de punição. Essa questão sequer chegou a ter primeira instância, não foi oficialmente julgado. E mesmo que fosse que e constasse uma ilegalidade nisso (que reitero, não é o caso), não há qualquer lei, decreto ou coisa assim que impedisse a posse de Arnóbio mesmo ele sofrendo um PAD (que, novamente, ele não sofre). Com isso só quero dizer que não há qualquer razão para Arnóbio não ser empossado. Uma boa tarde para você, amigo.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *