Deputados aprovam segundo pedido de impeachment contra governador de SC; dessa vez, por denúncia de compra de respiradores artificiais da China, pagos de forma antecipada, mas nunca entregues

(Foto: Maurício Vieira/Secom)

Por 36 votos a favor, dois contra, uma abstenção e uma ausência, o plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) aprovou o segundo pedido de impeachment contra o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) nesta terça-feira, 20. A denúncia aponta crime de responsabilidade na compra de 200 respiradores artificiais da China, pagos de forma antecipada, mas nunca entregues. O processo também investiga a contratação de um hospital de campanha e falta de procedimentos administrativos contra secretários envolvidos nas denúncias.

O processo agora segue para o tribunal de julgamento, que será formado por cinco deputados e cinco desembargadores, sob o comando do presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), Ricardo José Roesler, e que terão a função de promover o julgamento do caso.

No primeiro processo de impeachment, aprovado no plenário em 17 de setembro, já foi formado tribunal de julgamento e, na sessão marcada para a próxima sexta-feira, 23, os membros analisam o relatório preliminar que poderá afastar o governador e a vice por 180 dias enquanto aguardam julgamento.

Neste processo, o governador e a vice, Daniela Reinehr (sem partido), são acusados de autorizarem a equiparação salarial dos procuradores do Estado sem autorização legislativa. No segundo processo, dos respiradores, apenas o governador responde às acusações.

Se confirmado o afastamento de Carlos Moisés na sexta-feira, 23, quem assume o governo interinamente é o deputado Julio Garcia (PSD), presidente da Alesc.

Garcia também está envolvido em escândalos e foi denunciado duas vezes pelo Ministério Público Federal, na Operação Alcatraz, por corrupção, peculato, fraude em licitação e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de liderar um grupo que se beneficiava de contratos com o governo nas gestões passadas.

Defesa alega inocência

O advogado de Moisés, Marcos Probst, classificou o pedido de impeachment como “uma fraude”, e desqualificou as provas apresentadas na denúncia, como as lives de Moisés e uma declaração do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Adircélio de Moraes Ferreira Júnior, e reiterou que o governador não sabia do pagamento antecipado de R$ 33 milhões pelos 200 respiradores.

Probst voltou a informar que o governador não participou e não autorizou os pagamentos e que, ao saber da denúncia, determinou investigação

A líder do governo, deputada Paulinha (PDT), uma das poucas pessoas em plenário a defender o governador, criticou a tramitação do processo na Alesc e falou em pressa para tirar o governo Moisés do poder. “Não apenas por levar isso tão longe, por achar que estamos prestando um desserviço, mas pela pressa, pelo flagrante uso do regimento para o benefício daqueles que querem o afastamento do governador”, afirmou a parlamentar.

O caso dos respiradores foi denunciado pelo site The Intercept Brasil em 28 de abril, apontando fraudes nos orçamentos apresentados para uma compra com pagamento antecipado e sem garantia de entregas.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) abriu um inquérito no início de setembro, com relatoria do ministro Benedito Gonçalves, para apurar a participação do governador nos indícios de pagamento e a autorização do processo de compra dos respiradores. No início deste mês, neste inquérito, foi determinada apreensão de celular e computador do governador em buscas realizada na residência oficial, em Florianópolis.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco Humberto disse:

    Partido do Suco de Laranja – PSL
    Partido do Presidente que pegou carona e hoje foge apoiado pelos honestos desse partido.

  2. Rafael Pinheiro disse:

    Cadê o Impeachment de uma (des)Governadora que fez a mesma coisa? Alô Alô Assembleia

    OS 5 MILHÕES SUMIRAM 💴 💴 💴 💴 ??

  3. FAL$OS ME$$IAS disse:

    Pelo que parece os direitões da direita são errados do mesmo jeito dos erradões da esquerda.

    • M.D.R. disse:

      No RN, aconteceu dessa forma até hoje os 5 MILHÕES ñ foram devolvidos. A GOVERNADORA FÁTIMA DO PT e seus Secretários ñ justificaram.
      Aínda tem ñ autoridade moral e política de lançar candidato a PREFEITO DA CAPITAL pêlos desmandos que fez na REFORMA PREVIDÊNCIA, de empobrecer o funcionalismo e principalmente os APOSENTADOS E PENSIONISTAS. Ñ se preocupe GOVERNADORA breve as URNAS abrirão e a resposta seguirá no contexto político. Já no momento GOVERNADORA do seu CANDIDATO RENUNCIAR, pelas suas mentiras e ATRAÇÕES.

  4. Anti-Político de Estimação disse:

    A corrupção é o câncer do Brasil, que nos come por dentro : está na esquerda, na direita, como no caso acima, e sempre esteve no centrão.

  5. Fernando disse:

    Lá não é estado administrado pelo pt, aí o mecanismos é falho.

  6. Rogério disse:

    Os cinco milhões foram desviado para a campanha dos petralhas.

  7. Paulo disse:

    Alô, ALRN!
    Compra de respiradores que não foram entregues?
    Tchau, querida!!!

  8. Roberto disse:

    5 milhões????? KD VC ?????

  9. SORTUDO disse:

    VIXI. É A MESMA COISA AQUI DO RN. SERÁ QUE VÃO TER CORAGEM DE AGIR DA MESMA MANEIRA?

  10. Chicó disse:

    Cadê os 5 milhões ???

Governo federal anuncia em reunião com governadores que a União vai comprar 46 milhões de doses da CoronaVac e diz que imunização começa no 1º semestre de 2021

Foto: Bruno Escolastico/Photopress/Estadão Conteúdo

O governo federal anunciou em reunião com governadores nesta terça-feira (20) que a União vai comprar 46 milhões de doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan produzida em parceria com a empresa chinesa Sinovac. Com isso, o governo federal deve investir R$ 2,6 bilhões até janeiro.

A informação de que o acordo seria firmado durante a reunião foi antecipada pelo jornalista José Roberto Burnier, da GloboNews.

Assim como as demais vacinas testadas no Brasil, a CoronaVac está em fase de testes e sua eficácia ainda precisa ser comprovada antes que o uso seja liberado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e mais 23 governadores participaram da reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Segundo Pazuello, quando a vacina for aprovada, as doses serão distribuídas a todo o Brasil por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), que há décadas já garante o sucesso das campanhas nacionais de vacinação. “Temos a expertise de todos os processos que envolvem esta logística, conquistada ao longo de 47 anos de PNI. As vacinas vão chegar aos brasileiros de todos os estados”, garantiu.

Até reunião anterior realizada na semana passada com os secretários estaduais de Saúde de todo o país, o governo federal não havia incluído a CoronaVac no programa nacional de vacinação.

Antes do anúncio desta terça-feira, a previsão do ministério era ter 140 milhões de doses no primeiro semestre de 2021:

40 milhões via iniciativa COVAX Facility, liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

100 milhões de doses via AstraZeneca/Oxford (além dessas doses, no segundo semestre, governo deve produzir 165 milhões de doses deste imunizante).

Agora, o Ministério da Saúde afirmou que “somadas, as três vacinas – AstraZeneca, Covax e Butantan-Sinovac – representam 186 milhões de doses, a serem disponibilizadas ainda no primeiro semestre de 2021”.

Segurança da vacina

A CoronaVac está na terceira fase de testes. Nesta segunda-feira (20), o governo de São Paulo afirmou que 35% dos nove mil voluntários que participam dos testes no Brasil apresentaram reações adversas leves. Segundo o governo, não houve registro de efeitos colaterais graves, o que confirma a segurança da vacina.

A informação faz parte de um estudo parcial apresentado em entrevista coletiva. O estudo, no entanto, não foi publicado em revista científica. Ainda não há dados sobre a eficácia da CoronaVac. Segundo o governo, essas informações serão apresentados até o fim do ano.

46 milhões de doses

O acordo para a compra de 46 milhões de doses com verba estadual foi assinado por Doria durante coletiva de imprensa no final de setembro. No mesmo evento, o governador anunciou que a vacinação de profissionais de saúde deve ter início em 15 de dezembro.

Segundo Dimas Covas, a vacina começa ser produzida no Brasil este mês e até o final do ano o Instituto terá as 46 milhões de doses prontas. “Aí aguardaremos o processo de registro”.

O contrato assinado pelo governo com o laboratório chinês tem o valor de 90 milhões de dólares e prevê que a farmacêutica envie seis milhões de doses da vacina já prontas, enquanto outras 40 milhões serão envasadas em São Paulo até dezembro de 2020.

O governo estadual também anunciou a previsão de chegar a 60 milhões de doses até fevereiro de 2021. A expectativa era que, com o dinheiro do governo federal, o total pudesse chegar a 100 milhões.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ana Maria disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Desse jeito Bozo mata o gado…um dia, desce a ripa na vacina, no outro, compra milhões de doses.
    Assim o gado se atrapalha e tico e teco dão um nó…
    Já disse…a vacina não é pra vcs, gadinho…a sua é a da aftosa…kkkkkkk
    Muuuuuuuuuuuuu

    • Kemps disse:

      Espalhando fake aninha?
      A onde vc viu o PR descendo a ripa na vacina, em qual Televisão, jornal, rádio onde vc viu mulher??,
      Ele tem dito que compra a onde comprovarem eficácia, pode ser de qualquer lugar do mundo.
      Foi isso que ele disse ta??
      O resto é mau caratismo de petistas derrotados mesmo.
      Ok!?

  2. Silva disse:

    Ninguém se engane!!
    É muita grama envolvida nesse covid 19.
    Ninguém fala em milhões, o linguajar aí é bilhões de dólares.
    Não é a toa que tem governador no Brasil, querendo tornar o uso obrigatório.
    Quanto mais cabras, mais cabritos.
    Tire suas conclusões.

  3. João Silva disse:

    Ninguém é obrigado a ser cobaia de teste de qualquer substância externa. Não se conhece nem este vírus… Como se quer combatê-lo??

  4. Pixuleco disse:

    Eita e agora ? A Gadolândia vai entrar em parafuso . A vacina chinesa comprada pelo Tonho ? Acredito não ? Mas , contudo , todavia e entretanto ainda bem que temos um bom estoque de CLOROQUINA , para os terraplanistas tomarem. Eu , euzinho quero a minha logo e de graça . Obrigado da lua 🌑. Vou agora tomar meu suco palma com caseiro em homenagem ao gado 🐄 véio .

    • Paulo disse:

      Esse aí paasou o dia tomando a ração diária oferecida aos seguidores da seita, para mantê-los no estado de catotonia e repetindo palavras aleatórias.
      Zumbi em estado de confusão mental…

  5. Talita disse:

    Coronavac mais me parece vacina de gado

  6. Cidadão pagador de impostos disse:

    Tá cada vez mais difícil p o gado passar pano p esse governo fracassado e pró corrupção kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Moro Presidente 2022

    • Paulo disse:

      Zumbi de Maduro é cara de pau mesmo.
      Se passa por eleitor de Moro só para falar mal de Bolsonaro.
      Não passa de mais uma estratégia do Foro de São Paulo, que acabou levado o povo argentino a ser enganado mais uma vez.
      Fanáticos sendo usados como massa de manobra para atingir os objetivos da seita, o que inclui jornalistas, congressistas e até membros do judiciário na sanha de defender a seita.

Governador de SC é alvo de buscas da PF e MP em investigação sobre suposta fraude na compra de respiradores

Governador Carlos Moisés é alvo de investigação por causa da compra de respiradores e de processo de impeachment — Foto: Cristiano Estrela/Secom

A Polícia Federal e a Ministério Público Federal (MPF) cumprem na manhã desta quarta-feira (30) mandado de busca e apreensão na Casa da Agronômica, onde mora o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), em Florianópolis. Ele é alvo de uma operação que investiga a compra de 200 respiradores por R$ 33 milhões pagos antecipadamente pelo governo. O G1 procurou a defesa de Moisés e aguardava retorno até a última atualização. O Governo do estado informou à NSC TV que por enquanto não vai se manifestar.

Segundo a PF, cinco mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no estado e dois ex-integrantes do governo, que não tiveram os nomes divulgados, também são alvo da operação.

O mandado foi expedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e é necessário, segundo o Ministério Público Federal, para apurar a relação de Carlos Moisés com empresários que venderam aparelhos ao estado.

O governador de Santa Catarina é alvo de dois processos de impeachment, um relacionado à compra dos respiradores, em um pedido entregue por 16 pessoas entre advogados e empresários, e outro relacionado ao aumento dado aos procuradores do estado em 2019.

Há ainda um terceiro pedido, também relacionado à compra dos respiradores, que é avaliado pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Este processo, da questão salarial está sendo julgado por um tribunal mistro entre deputados e desembargadores. O segundo pedido é analisado por uma comissão especial de deputados.

Os respiradores foram comprados em março pelo Governo e não foram entregues. Apenas 50 dos 200 respiradores chegaram ao estado, mas foram apreendidos. Eles também não atendiam à necessidade do estado, segundo o próprio secretário de Estado da Saúde.

A compra foi alvo de investigação da Polícia Civil e Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). A investigação foi enviada pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) ao STF, que em agosto determinou que a Polícia Federal investigasse a compra.

Além disso, uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa de Santa Catarina também investigou a compra e o relatório dos deputados pediu o impeachment do governador, apontando que ele foi omisso. O pedido é analisado pela Alesc e não foi votado.

As viaturas saíram descaracterizadas da Polícia Federal e do MPF logo no início da manhã em direção à Casa da Agronômica, que fica na Avenida Beira-mar Norte, na região central da capital catarinense, a poucos metros das sedes da PF e MPF.

De acordo com o MPF, as investigações sobre a compra desses respiradores apontaram indícios da participação do governador na contratação da empresa Veigamed para fornecimento de 200 respiradores. Segundo a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, o mandado de busca e apreensão foi pedido para averiguar se a ordem de compra partiu do chefe do executivo.

“Há elementos que demonstram a constituição de um esquema criminoso de desvio de dinheiro público”, informou o MPF, que investiga se ocorreu fraude à licitação, peculato, corrupção, concussão, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Está faltando uma voltinha do pessoal da PF aqui no estado, muitas coisas estranhas tem acontecido, principalmente a nível de governo e na SESAP, tem que ir na redinha, favela do mosquito, casas de marmita, etc. Vão descobrir muita coisa.

  2. Marquito disse:

    Como que o gado é engraçado o cara é do PSL , kkkkk , aí querem dizer que ele é PT ,vão chupar à kid bolsonarsta sem futuro

  3. natal sofrida disse:

    Vermes petistas, a diferença é grande, o Mito não age a favor dos ladrões, seu guru além de agir a favor, queria a parte dele. Corja de fdp!!!!!

  4. LEO disse:

    E no Consórcio Nordeste,qdo a PF vem Visita-lo ????

  5. Jailson disse:

    Bolsonarista e militar vale ressaltar

Reitor do IFRN acata recomendação do MPF e revoga compra de notebooks

Após recomendação do Ministério Público Federal (MPF), o reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN), Josué de Oliveira Moreira, revogou o processo de compra de 20 Macbooks i5 13″, que seriam destinados à equipe de gestão. O MPF observou que há outros computadores com qualidade similar e preços menores que os R$ 12.700 previstos para esse modelo.

A recomendação, de autoria do procurador da República Kleber Martins, indicava a necessidade de o instituto abranger um maior número de marcas e modelos disponíveis no mercado, ampliando o objeto da compra e buscando a melhor relação custo-benefício. Uma análise da Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (Ctic) da Procuradoria da República no RN apontou a existência de computadores com configurações muito próximas ou mesmo superiores em diversos quesitos (para a finalidade pretendida) e a preços bem menores.

“Apesar de ser um aparelho muito bom e ter uma performance ótima, a relação custo-benefício é questionável, sobretudo para uma utilização básica. Quando comparado com outros notebooks equipados com o Windows e configuração e material similares, não percebemos vantajosidade na escolha pelo equipamento da Apple para uma utilização administrativa”, apontou o relatório.

O representante do MPF ressaltou que o IFRN, como instituição pública, precisa levar em conta os princípios constitucionais da eficiência e da economicidade, “a fim de evitar questionamentos e mesmo ações judiciais atribuindo a pecha de ilegalidade aos atos”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Papa Jerry Moon disse:

    Vantajosidade? Que idioma é esse?

  2. Jorge Rodrigues disse:

    Seria bom o Ministério Público Federal informar em que pé se encontra a ação de improbidade decorrente do uso do prédio do IFRN para a instalação de uma barraca do "Lula Livre".

    • Antonio disse:

      Barraca "lula livre", que vergonha, esquerdopatas não tem limites…

  3. Manoel disse:

    Reitor nao, interventor.

Médico e deputado Albert Dickson diz que vai à Justiça para liberar compra da Ivermectina sem receita médica

Foto: Assessoria de Comunicação

A decisão da Anvisa, que recentemente proibiu a venda da Ivermectina sem receita médica, será questionada na Justiça pelo deputado estadual Albert Dickson (PROS). O parlamentar disse não haver motivos para a postura adotada pela entidade e defendeu o uso do medicamento como tratamento profilático para infectados pelo coronavírus.

“A Ivermectina cumpre todos os itens apontados pelo boletim farmacológico da própria Anvisa, tem alta tolerância, baixa toxicidade e alta segurança. Está há 50 anos no mercado, nunca teve um óbito registrado. Enquanto isso a Anvisa libera o uso de 119 agrotóxicos durante a pandemia. Como pode liberar algo que faz mal e proíbe um medicamento que está dando certo?”, questionou o parlamentar.

Albert Dickson revelou que vem sendo procurado por diversos cidadãos preocupados com o bloqueio imposto a compra do remédio, o que também lhe motivou a buscar a Justiça. “Vamos entrar com uma ação popular contra essa determinação sem robustez da Anvisa, ferindo até mesmo o boletim farmacológico e resoluções da própria instituição”, completou.

O deputado enfatizou ainda os resultados obtidos em Natal com o uso da Ivermectina. Segundo o parlamentar, o medicamento contribuiu para a redução de casos e de óbitos registrados pela Covid-19 na capital potiguar, principalmente após a Prefeitura iniciar a distribuição dos medicamentos para casos suspeitos da doença.

ALRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Laise disse:

    Parabéns, Dr. Albert Dickson! Concordo com você! Sou médica e tomo ivermectina em média 1-2 vezes por ano e nunca tive dengue, zika, chikungunya, e agora, cuidei de meu esposo com covid e não peguei, nem ninguém lá em casa pegou, glória a Deus!!!

  2. Severino disse:

    Incrível como os que se dizem a favor da vida torcem pelo pior ! Vocês falam tanto do capitalismo mas preferem uma vacina que custará milhões a um medicamento seguro, usado amplamente em todo o mundo e que está salvando vidas. Vocês são desprezíveis ! Não é a toa que idolatram um bandido condenado.

  3. João Dantas disse:

    Parabéns Deputado e médico, suas lives salvaram vidas.

  4. Cesar Bomone disse:

    PARABÉNS DEPUTADO, o seu trabalho tem ajudado a salvar muitas vidas.
    PARABÉNS pela recomendação da IVERMECTINA, está reduzindo bastante a mortalidade na cidade.
    Já somos uma das cidades com maior redução no número de mortes pelo COVID-19, mesmo reabrindo a economia melhoramos no combate a doença.

  5. Francisco de Assis disse:

    Pastor político, médico que receita panacéia. Tudo o que o gado gosta .

  6. Minion alienado disse:

    Parabéns Político por ser Político.

  7. Joaquim disse:

    Os esquerdopatas estão tomando, eles são contra através da mídia

  8. Marcia disse:

    Parabéns Dr Albert dikson.fui curada graças a deus e vc.ivermectina cura simmm.aplausos para o senhor👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

  9. Alex disse:

    Parabéns Dr.

  10. Maria do Socorro Costa disse:

    Parabéns Dr., seja a nossa voz. Estamos orfãos e desamparados.
    Creio na IVERMECTINA. Tomei e todos da minha família tb.

  11. Maria do Socorro Costa disse:

    Parabéns Dr., seja a nossa voz. Estamos orfãos e desamparados.
    Creio na IVERMECTINA. Tomei e todos da minha família tb.
    DEUS nos ajude.

  12. Ítalo Alexandre disse:

    Se a Zona Norte de Natal não tivesse recebido de graça esse remédio pela Prefeitura do Natal estaríamos com centenas de óbitos porque as UTI's e UPA's não teriam dado conta de tantas internações. Foi só começar a distribuir gratuitamente e os casos mais graves reduziram a níveis suportáveis para os leitos disponíveis. Vão pagar no inferno quem foi omisso a esse tipo de socorro à população.

    • Luzia Augusta disse:

      Se os nossos governantes quisessem resolver o problema Covid , era só liberar por 1 mês o uso do protocolo da invermectina profilática e o protocolo da hidroxicloroquina a fase precoce que lógico estariam fechando todas as unidades de hospital de campanha. Não fazem isso por medo de dar certo e ficarem sem os recursos liberados pelo governo federal

  13. Dajalma Cosme de Olveira disse:

    Parabéns Deputado eu fui salva por sua indicação, e estou com você em tudo, deixe quem quizer falar… eles não sabe o que diz.

  14. natal sofrida disse:

    Vocês petralhas ignorantes que são contra tudo e todos que querem o bem do povo, fiquem em casa, rejeitem a ajuda da união e peçam ajuda a quadrilha que alimentou vcs com corrupção durante treze anos. Vcs são demonios criados por bandidos que matam até a mãe pra se manterem no poder, igualmente ao adestrador de asnos que depois de morta, sua esposa foi culpada de tudo, verme maldito e ateu. O mundo está passando por momentos incríveis, e tudo isso só mostra uma coisa, que somente o criador sabe tudo, nós não sabemos de nada, a ciência foi desafiada pela força de viver do nosso povo, e perdeu. Um remédio de verme barato, não deixou que se ceifasse um monte de vidas, mesmo os assassinos ideologicos de esquerda escondendo e dificultando o acesso ao remédio que desafiou a ciência e os sábios. Só pra vcs esquerdopatas ficarem sabendo, eu tive essa desgraça, fiz e exame e deu positivo, fui ao médico e o mesmo mandou ir pra casa e esperar ficar pior, mas não sou burro nem ignorante, fui buscar a cura e tomei a ivermectina e azitromicina, comprei pra todos na familia, em quatro dias estava bom e nimguem da familia pegou, aí eu pergunto aos cientistas sem futuro: Funciona ou não????
    Claro que sim, indiquei pra muitos amigos que fizeram o mesmo e minguem ficou doente. Essa justiça esquerdista, deveria estar ao lado do povo, buscando solução, mas só sabem buscar vantagem financeira pra sí. Povo brasileiro, precisamos sim de uma reforma política e administrativa no Brasil, não sou obrigado a pagar pra esse bando de sem futuro ficarem mamando nas tetas do governo e o resto do povo lascado. Vamos começar a fazer esse movimento de reforma, é democrático e é um direito nosso. QUANTO AO DICKSON, NÃO GOSTO DE PASTORES, POIS NA SUA GRANDE MAIORIA NÃO USAM DA VERDADE DA BIBLIA PRA AJUDAREM AOS OUTROS, MAS SIM PRA TIRAR PROVEITO PRA SÍ, MAS NESSE CASO, DOU O PARABÉNS PARA O DICKSON.

    • Brasileirinho disse:

      Eu tomei Brahma e fiquei curado da COVID-19. Obrigado AmBev. Isso a Globo não mostra.

  15. Manoel disse:

    Que absurdo.
    Em NENHUM lugar civilizado do mundo se usa isso, mas aqui, com o povo a procura des milagres, serve até remédio pra piolho e os irresponsáveis políticos alimentam essa insanidade.
    Que loucura.

    • H.M disse:

      Estou tomando Conhaque de Alcatrão João da Barra.

      E ate agora estou tendo bons resultados !! Cada um acredita no remédio que convêm né!!!

  16. Mariano disse:

    E agora pode se auto medicar?

    • Charles Darwin disse:

      Pode. A ciência tornou-se obsoleta ante tantos "jênios" e suas soluções maravilhosas.

  17. Gibira disse:

    Certíssimo Deputado, parabéns pela iniciativa.

  18. Manoel C disse:

    Não sou fã dele, mas nesse caso ele está certo. Governo restringir compra de um remédio para verme é de lascar. Falta do que fazer.

  19. Valeu Dr Albert dikson👏👏👏👏👏👏🙌🙌🙌🙌🙌

  20. Davi disse:

    O que esta salvando o povo é o uso da máscara e o isolamento….. que mundo feito de gente alienada e burra.

    • Gibira disse:

      Então fique em casa e use máscara.

    • Victor pablo disse:

      E pq quando a taxa de isolamento era maior. Tinhamos mais infectados e maior numero de pacientes internados????
      Coincidentemente apos o uso da hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina serem amplamente apoiados as taxas cairam desparadamente.

  21. Maise lima disse:

    VERDADE.VAMOS LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS.IVERMECTINA NÃO FAZ MAL ALGUM.SÓ FAZ BEM.PRINCIPALNENTE NO TRATAMENTO DA COVID 19.

  22. Antonio Turci disse:

    Não conheço o Médico e Deputado, mas ele tem competência e merece respeito.

  23. Faça o bem disse:

    Mais um querendo aparecer

  24. Cabo Silva disse:

    Esqueceram de dizer que ele é PASTOR EVANGÉLICO.

    Isso explica tudo

    • Cidadão disse:

      Legislação brasileira. O Brasil tem normas jurídicas que visam punir a intolerância religiosa. No Brasil, a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, alterada pela Lei nº 9.459, de 15 de maio de 1997, considera crime a prática de discriminação ou preconceito contra religiões.

  25. Vera cortez disse:

    Tá certo ivermectina deu certo,muito bem!!! Parabéns

  26. Lucia Vasconcelos disse:

    Bravo!!!!!

Comissão da AL aprova receita remota para compra de medicamentos em farmácias do RN

FOTO: Reprodução

As pessoas que precisam comprar medicamentos nas farmácias do Rio Grande do Norte poderão ter uma alternativa para dar comodidade e segurança durante a pandemia do novo coronavírus. Na tarde desta quinta-feira (23), a Comissão de Educação, Ciências e Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Social da Assembleia Legislativa aprovou um projeto de lei da deputada Eudiane Macedo (Republicanos) que poderá beneficiar diretamente esse público.

Pela proposta, fica autorizado, em caráter emergencial, o recebimento remoto de receitas médicas pelas farmácias e drogarias do Rio Grande do Norte, enquanto durarem as medidas de restrições de atividades na pandemia da Covid-19. O relator, deputado Hermano Morais (PSB), foi favorável e elogiou a iniciativa da parlamentar.

“É muito oportuna a iniciativa e visa colaborar não só com a população que busca os serviços das farmácias para a compra de medicamentos, mas também vai contribuir para a segurança dos profissionais de saúde. Por isso, voto favoravelmente e parabenizo a parlamentar pela proposta”, disse Hermano Morais, que teve o parecer seguido pelo presidente da comissão, deputado Francisco do PT. “É uma iniciativa louvável e tem todo nosso apoio”, disse Francisco do PT.

Autora da proposta e também integrante da comissão, a deputada Eudiane Macedo disse que a iniciativa tem o objetivo de contribuir para que as pessoas consigam manter o distanciamento social e minimizem os riscos de contaminação pelo novo coronavírus.

“O que mais a gente pede é que a população, quem puder, siga em casa. Através desse projeto, com a receita remota, a população poderá adquirir seu medicamento sem se expor, sem aglomerar nas farmácias. É uma opção às pessoas que querem realmente se cuidar e têm a oportunidade de ficar em casa nesse momento tão difícil”, justificou Eudiane Macedo.

Fundeb

Na abertura da sessão, os deputados membros da comissão também falaram sobre a aprovação do Fundeb pela Câmara dos Deputados. O presidente da comissão, Francisco do PT, disse que os parlamentares tiveram participação importante na discussão e na mobilização para que o Fundeb não fosse extinto ao fim do ano, caso não ocorresse a votação.

“Reconhecemos que ainda não é uma vitória definitiva, mas acreditamos que o mais difícil já passou, e de maneira quase unânime”, disse o deputado. “Vale frisar o trabalho da Assembleia, que realizou audiências públicas e diversas discussões acerca do tema. Cumprimos com a nossa obrigação de defender a educação pública de nosso País”, acrescentou Hermano. “Essa comissão foi importante porque trouxe essa temática às discussões e ajudou na mobilização. Essa vitória é do povo brasileiro”, completou Eudiane Macedo.

ALRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vulcabraz disse:

    Como se cria um projeto de lei que autoriza o que já é autorizado ? Medida Provisória n° 2.200-2, de 24 de agosto de 2001 do Ministério da Saúde já institui isso, reforçada com a PORTARIA Nº 467, DE 20 DE MARÇO DE 2020 MS. Nossos representantes estão ociosos …

Diretor financeiro da Secretaria de Saúde do Recife é afastado em operação da PF que apura compra de materiais hospitalares

Sede da prefeitura do Recife, localizada no Cais do Apolo, foi alvo de operação da PF nesta quinta-feira (23) — Foto: Reprodução/TV Globo

Além da Operação Apneia, a Polícia Federal (PF) deflagrou, também nesta quinta (23), a Operação Bal Masqué, que investiga supostas irregularidades na compra de materiais de uso médico-hospitalar com dispensa de licitação, pela Prefeitura do Recife. São cumpridos 11 mandados de busca e apreensão e de afastamento da função pública do diretor financeiro da Secretaria de Saúde da capital.

“Ele foi afastado das funções e vai ter uma série de restrições, inclusive não pode ir para o local, manter contato com as pessoas, isso tudo determinado pela Polícia Federal”, disse o assessor de comunicação da PF, Giovani Santoro.

O nome do diretor não foi divulgado pela PF, mas os delegados à frente da investigação divulgam detalhes das duas operações em entrevista coletiva no Recife a partir de 10h30. A operação recebe o nome de Bal Masqué em referência ao nome do tradicional baile de carnaval realizado anualmente na capital pernambucana.

Segundo a polícia, levantamentos iniciais feitos pela Controladoria Geral da União (CGU) encontraram irregularidades na execução dos valores contratados, gerando suspeitas de que a empresa contratada seria de fachada.

Em nota, a PF disse que diligências “confirmaram a ocorrência de pagamentos por itens não entregues, estimando-se um prejuízo ao erário de aproximadamente R$ 7 milhões”.

Dos 11 mandados, nove são cumpridos no Recife e dois na cidade de Jaboatão dos Guararapes. O trabalho envolve quatro servidores da CGU e 50 policiais federais.

Ainda segundo a PF, as irregularidades investigadas podem ter causado prejuízos financeiros devido aos pagamentos feitos por itens que não foram entregues, já que os recursos poderiam ter sido aplicados no atendimento de outras demandas necessárias para o enfrentamento à pandemia da Covid-19.

Por meio de nota, a Prefeitura do Recife informou que “todas as contratações e compras feitas pela Secretaria de Saúde para a emergência da Covid-19 têm sido realizadas dentro da legalidade e enviadas ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), Controladoria Geral da União (CGU), Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por iniciativa da própria prefeitura”.

Operação Apneia

Também deflagrada nesta quinta-feira (23), a terceira fase da Operação Apneia cumpre cinco mandados de busca e apreensão, em Pernambuco e São Paulo. A PF investiga irregularidades em contratos feitos por meio de dispensa de licitação pela Prefeitura do Recife para a compra de respiradores pulmonares durante a pandemia do novo coronavírus.

Segundo a PF, os mandados são destinados a dois servidores da Secretaria de Saúde do Recife e a um empresário. As investigações apontaram que empresas com débito de cerca de R$ 10 milhões com a União utilizaram uma microempresa fantasma para fechar o contrato com a Prefeitura do Recife, já que organizações com débitos fiscais ou previdenciários não têm autorização para firmar contratos com a administração pública.

Ao ser deflagrada, no fim de maio, a operação cumpriu mandados na casa do secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia. Durante as investigações, ele teve o celular apreendido e a Justiça Federal determinou quebra de sigilos dele.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Brasil disse:

    Atenção MPF vamos apurar em todos estados e municípios do Brasil inclusive no Governo Federal, quem tiver culpa que pague por ela, não tenho preferência por ninguém só pelo zelo de nosso dinheiro.

  2. Lsv disse:

    Se tem desvio eu não sei. Tem transparência segundo as avaliações e os informes na mídia .

  3. Brasil disse:

    Será que aqui no RN está tudo certo ou tem alguém fazendo vista grossa? É só uma pergunta.

Em plena pandemia, IFRN gasta R$ 254 mil na compra de 20 MacBooks para a Reitoria

Enquanto os alunos lutam para ter acesso a bolsas de estudo para superar a pandemia, a Reitoria do Instituto Federal do Rio Grande do Norte decidiu gastar R$ 254 mil na compra de 20 MacBooks, os notebooks da Apple.

A aquisição em plena pandemia, solicitada pelo diretor de gestão de tecnologia da informação, Charles Freitas, foi justificada como importante para “renovação e adequação do parque computacional da Reitoria”. Assim, foram gastos R$ 254 mil em apenas 20 notebooks para que os servidores possam ter um computador melhor.

Para se ter uma ideia da aplicação do valor, seria possível pagar 1.693 bolsas para estudantes, ao valor de R$ 150, cada, como faz a Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Az disse:

    Esses funcionários do ifrn parecem adolescentes, não paga água, luz, feira, internet e ainda querem mandar na casa, dizer quem pode entrar e sai da residência dos pais.

    • Carlos Oliveira disse:

      Lei N° 11.892/2008 (Cria os Institutos Federais)
      Art. 12. Os Reitores serão nomeados pelo Presidente da República, para mandato de 4 (quatro) anos, permitida uma recondução, após processo de consulta à comunidade escolar do respectivo Instituto Federal, atribuindo-se o peso de 1/3 (um terço) para a manifestação do corpo docente, de 1/3 (um terço) para a manifestação dos servidores técnico-administrativos e de 1/3 (um terço) para a manifestação do corpo discente.

      Ou seja, assim como o presidente da república é nomeado pelo presidente de Supremo Tribunal Federal, após a consulta à população por meio do processo eleitoral (deve ser nomeado o vencedor, caso contrário o STF estará quebrando a ordem democrática), os reitores dos Institutos Federais devem ser nomeados pelo presidente da republica, após o processo legal de escolha pela comunidade acadêmica. Assim, do mesmo modo, deve ser nomeado o vencedor, caso contrário não haveria razão de ser da eleição determinada pelo legislador, que apresenta um custo para sua realização.

    • Carlos Oliveira disse:

      É assim que funciona a democracia.
      Parafraseando a fala do ex-ministro Weintraub, quem não suporta a democracia está vivendo no país errado e deve procurar um país onde há um chefe supremo que não governa sob a égide do poder que emana do povo.

    • Carlos Oliveira disse:

      Onde se lê Supremo Tribunal Federal (STF), leia-se Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pois este nomeia o presidente da república conferindo-lhe o diploma legal, e o Congresso Nacional, que representa o poder emanante do povo, dá a posse.

  2. Leonardo disse:

    Fala sério! Vamos separar política de orçamento público. Você sabe muito bem que a aquisição de equipamentos de informática possuem verba carimbada para TI (investimento). Logo, não tem essa de usar para bolsas de estudos.

    • Manoel C disse:

      O valor é absurdo. Inegável.

    • François Cevert disse:

      Leonardo para seu conhecimento, as bolsas de estudos demoraram mais de dois meses para serem liberadas e o processo já se encontrava pronto quando o interventor assumiu, já as compras dos referidos macbooks levaram 'apenas' dois dias para serem liberadas. Agora eu lhe pergunto, porque comprar um MacBook de RS 12mil se um Notebook normal de R$ 2.500,00 faz o mesmo serviço? Zelo com o dinheiro público é o que não se ver nesses interventores que em sua primeira ação foi solicitar dois, carros com motorista e 'auxílio moradia' para si mesmo. Um verdadeiro absurdo com o trato do dinheiro público como se o IFRN estivesse nadando em verbas depois dos cortes e contingenciamento das verbas dos anos anteriores.

  3. Hugo Manso disse:

    Como professor concursado, lotado no Campus Natal Central, não posso aceitar como natural tal aquisição. Os R$ 254 mil gastos em apenas 20 notebooks são para os gestores da Reitoria, ou seja, os INTERVENTORES, não eleitos. Na matéria aqui do blog, ao afirmar que os 20 notebooks são "para que os servidores possam ter um computador melhor", precisa ser clareada.
    QUEM VAI SE UTILIZAR DOS EQUIPAMENTOS SÃO OS INTERVENTORES que representam, SE MUITO, 3% da comunidade acadêmica do iFRN.

    • Leonardo disse:

      Fala sério Hugo Manso. Fui seu aluno no IFRN. Vamos separar política de orçamento público. Você sabe muito bem que a aquisição de equipamentos de informática possuem verba carimbada para TI (investimento). Logo, não tem essa de usar para bolsas de estudos. Houve sobrepreço? Houve esquema? Menos. Vamos nos ocupar do que merece ocupação.

    • Deco disse:

      Que nível, heim?
      Tem tempo já passou, vermelhinho.

    • Carlos Oliveira disse:

      É isso mesmo, Hugo Manso. Comprar MacNooks para trabalhos administrativos é o mesmo que atirar com bala de canhão para matar uma formiga. Pouco mais da metade do valor custa um Dell top de linha, que já é uma super máquina que eu uso em desenvolvimento avançado em SQL Query VBA, e para atividades administrativas não precisa configuração de alta performance. É um absurdo mesmo, nesse contexto de restrição orçamentária e empobrecimento do país. Não estamos na Suiça… Alô!
      O Leonardo afirmar que os recursos de capital são carimbados para o fim de aquisição de equipamentos não justifica usá-los sem economicidade e racionalidade. 👎

  4. Matheus disse:

    Acredito que o IFRN não coaduna com esse tipo de postura. Quem está comprando é a gestão que intercede, cuja indicação, percebe-se ser por proximidades a Girão. Comforme o próprio já informou em reportagens passadas.

  5. Renan César disse:

    Primeiro, a compra desses computadores foi feita pelo INTERVENTOR golpista filiado ao PSL, nomeado por Bolsonaro através de MP que já caducou. Segundo, é preciso dar nomes aos incertos: Charles Freitas é o Diretor de TI responsável que solicitou a compra, mas quem deu a canetada autorizando o empenho foi o sr. Josué de Oliveira Moreira (vulgo reitor pro tempore), cuja alcunha é INTERVENTOR. Os dois são da linha ideológica do seu presidente.

  6. Carlos Oliveira disse:

    Os servidores do IFRN repudiam essa despesa abusiva pela gestão interventora, inexperiente e oportunista.
    Já foram adiquiridos MacBooks anteriormante pelo IFRN, mas não para serem utilizados por gestores e trabalhos administrativos, o que é um absurdo, mas por analistas de tecnologia da informação nos desenvolvimentos do Sistema Unificafo de Administração Pública (SUAP), que hoje já é reconhecido como um dos melhores sistemas criados no âmbito do MEC e já é utilizado por dezenas de instituições federais e de outras esferas de governo.

    • Deco disse:

      Amigo, deixa de lero lero. Por acaso vc foi eleito para falar pelos servidores ? Trata-se de chôro. Não da pra disfarçar sua contrariedade com outra coisa: a substituição do possível reitor ( lembre-se não foi na marra pois a justiça deliberou isso) por motivo que está sendo apurado em sindicância. Não existe compra de computador com exclusividade para um setor. Computadores, vc sabe disso, São bem móveis que podem ser alocados em qualquer setor da IFRN desde que seja aplicável. Deixe de besteira e volta ao trabalho e tente ajudar seu coloca Josué enfrentar esse sindicato de esquerdista que existe na IFRN. Assim vc engrandece essa instituição.
      Se não for isso que você deixa transparecer só poderia ser inveja, que é pior ainda….

    • Carlos Oliveira disse:

      Não deco, vc está enganado com relação à inveja. E falo a você respeitosamente. Recebi o convite para compor a equipe de planejamento e recusei por reconhecer a incapacidade do reitor pro tempore e seus pró-reitores em contribuir para o desenvolvimento do IFRN. Não conhecem sequer o funcionamento administrativo dessa instituição multicampi, quanto mais atuar nas políticas estratégicas de ensino, extensão, pesquisa e planejamento. Eles ainda não entendem que a pessoa jurídica da instituição criada pela lei, não possui vida própria, e atributos humanos que só as pessoas (físicas) possuem, e que nenhuma ação criativa ocorre com êxito, necessária a essas políticas, e isso não se produz por força da lei, como o vice-retor José Ribeiro afirma.
      Ademais, é deprimente os reiterados pronunciamentos do reitor temporário, que não expressam a verdade ao afirmar que o reitor eleito responde na justiça ou a processo administrativo disciplinar, o que não é verdade, mas tão somente a uma sindicancia de natureza punitiva por causa da realização de um evento no campus central que ele nem participou, que nem tem conclusao ainda, onde representantes da sociedade convidados discutiram em uma palestra do evento o caso que toda a sociedade e a mídia discutia naquele momento, que era o processo e prisão do ex-presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva.
      Sem mencionar que o processo de indicação do nome de intervenção no IFRN é eivado de irregularidades por ter sido, inclusive, iniciado formalmente no MEC em data anterior à conclusão da análise do processo eleitoral pelo próprio MEC. Estranho, não!
      Mentira não inspira confiaça, e esta deve ser recíproca, pois é um dos principais elementos de uma relação interpessoal, sem a qual, pasmem, até uma relação entre a mãe e um filho pode se abalar e acabar.
      Por isso não tive condições morais de participar dessa gestão.

    • disse:

      Publiquem aí os gastos com os eventos, com as feiras de ciências, e outros que, pelo que ouvi, até teriam ido pedir grana alta ao governo estadual…
      E a grana altissima para bancar docentes no exterior que, no final de seus doutorados, se aposentam, sem dar qualquer retorno em trabalhos à sociedade??
      Se essa aquisição fosse de algum ideologista da turminha, teria essa falação toda?
      Eita hipocrisia grande!

  7. Lameck disse:

    Eu penso que se a verba veio para este fim, não poderia ser transferida para outro destino. Também não concordo que volte. O que precisa ser analisado é o valor do equipamento, se está de acordo com as demais cotações.

    • .40 disse:

      Com relação a verba não posso falar, mas os preços estão sim conforme a realidade, um MacBook é bem caro, o que cabe a reflexão é se um notebook mais barato não supriria a necessidade.

    • disse:

      Muito bem colocado, Lameck. Para isso, existe uma comissão de licitação, um ordenador de despesas, e toda a normatização pertinente. Ademais, quantas outras despesas altas já foram feitas por esse instituto, em gestões anteriores, sem essa mesma reclamação (tão somente porque foram realizadas por um interventor)? Não recordo de ter visto essa mesma revolta antes…
      Ou seja, parece que o problema não é o quê é comprado, tampouco por quanto… mas "quem" comprou! Se há indícios de vícios, que se investigue. Agora, querer ideologizar em tudo já é doentio!

  8. Cesar Bomone disse:

    Mais uma indignação POLITIZADA.
    Não vejo ninguém questionar os custos das instituições federais de ensino, quanto custa cada aluno?, qual a EFICIÊNCIA no uso dos RECURSOS PÚBLICOS, qual a quantidade de professor por aluno? está compatível com os gastos das instituições privadas de ensino? Qual o êxito na formação dos alunos?.
    Há muito que não vejo maiores preocupação com a empregabilidade dos alunos formados e a colocação deles no MERCADO.
    As instituições de ensino federais seguem sem aula e não se ver nenhuma ação efetiva para a continuidade do semestre.
    A compra de notebooks é um NADA frente aos imensos gastos dessas instituições, que deveriam demonstrar EFICIÊNCIA no uso dos escassos RECURSOS PÚBLICOS.
    Se a compra fosse por um reitor PETISTA, duvido que houvesse tanta indignação.

  9. mane disse:

    Acho que se justifica, afinal socialistas tambem gostam de iphone, fazer pos na Europa etc. Segundo os entendidos, nao é gasto quando se usa dinheiro doado pelo povo. Segundo os politicos de plantao, sao investimentos com alto retorno social; afinal as instituicoes publicas brasileiras de educacao tem alto nivel de retorno; tanto que ja devem ter varios premios nobel; milhares de patentes uteis que geraram bilhoes de dolares de retorno social, entre outros… Inclusive poderiam investir em BMW ou mercedes pra reitoria, motoristas, maquina nespresso, jatinho etc. Afinal, equipamento é tudo pra que um servico publico eficiente funcione!!!

    • Carlos Oliveira disse:

      Mané, gostaria de dizer antes de tudo que embora eu não seja petista, o IFRN tem pautado os seus investimentos nos ultimos 12 anos nos princípios de economicidade e a partir de projetos de desenvolvimento acadêmicos sérios e participativos junto à comunidade, o que permutiu a expansão do IFRN para os atuais 21 campi, proporcionando a formação profissional de milhares de jovens potiguares que sempre estiveram alijados da oportunidade de estudar, principalmente no interior de estado. Foram dezenas de milhões de reais investidos na expansão do IFRN em processos licitatórios sem que houvesse sequer denuncias de fraudes e com projetos integralmente concluídos e com processos e contas auditadas pela CGU e TCU e aprovadas.
      Já foram adiquiridos Macbooks anteriormante no IFRN, mas não foram para serem utilizados por gestores e trabalhos administrativos, o que é um absurdo, mas por analistas de tecnologia da informação nos desenvolvimentos do Sistema Unificafo de Administração Pública (SUAP), que hoje já é reconhecido como um dos melhores sistemas criados no âmbito do MEC e já é utilizado por dezenas de instituições federais e de outras esferas de governo.

  10. Lucas disse:

    Reitor, muito cuidado nessa IFRN, 90% do quadro de servidores é do PSOL/PT. Muito cuidado com as compras e assinaturas, tem que verificar tudo nos detalhes, pq eles vão tentar empurrar muita coisa. Inclusive na sua própria reitoria tem infiltrados da esquerda

    • Lucas (o não babaca) disse:

      Pois é, mas quem fez a referida aquisição foi o interventor nomeado por Bolsonaro e indicado por um deputado do PSL. Aquela galera que pregava austeridade e que fariam tudo diferente do PT/PSOL.

    • Alexandre Magnus disse:

      Todos concursados ,inclusive o reitor.

  11. Zanoni disse:

    É a mamata do dinheiro público!

  12. andre bambu disse:

    Em 2017, tb teve compra de 177 mil em macbooks pra "coodenadores" e ngm falou nada!
    (detalhe, 2017 ja estava em vigor a lei do teto mas tb ngm viu alguém comentar (fazer esse tipo de comparação "hain, dava pra pagar 1500 bolsas". Sabe pq? pq quem comprou esses macbooks (em 2017) era o reitor eleito. Quem comprou esses macbooks agora, foi o "interventor" (ai a zuada a grande).

    neh!

    vamos fazer zuada tb pra o reitor que gastou em 2017 quase o mesmo montante comprando macbooks!

    • Andre Dalua disse:

      Em plena pandemia com o teto de gastos, a lei do teto de gastos só passou a vigorar para saúde e educação em 2018. Obviamente é necessário um equipamento de qualidade, mas não desse nível. Os produtos adquiridos em meio a situação que vivemos é uma situação muito mais vexatória que em momentos passados.

    • Carlos Oliveira disse:

      A compra em 2017 não foi para coordenadores não. Você está mal informado. Foi para serem utilizados por analistas de tecnologia da informação nos desenvolvimentos do Sistema Unificafo de Administração Pública (SUAP), que hoje já é reconhecido como um dos melhores sistemas criados no âmbito do MEC e já é utilizado por dezenas de instituições federais e de outras esferas de governo.

    • Deco disse:

      Carlos oliveira demonstra otimo conhecimento das aquisiçoes anteriores bem como da destinação dos bens na IFRN; assim, dá até pra se desconfiar que é da turma que ficou prejudicada com a impugnação do reitor eleito ( conforme justiça acatou).
      Se carlos tivesse interessado em ajudar de verdade teria dado pitaco na hora do planejamento das aquisiçoes. Não tenho pleno conhecimento mas normalmente uma compra de equipamentos no setor publico leva pelo menos de cinco a seis meses. Passando pelo provimento de credito, conforme planejamento anterior, levantamento das necessidades, pesquisa de preços, licitação, pregão, recebimento e pagamento da aquisição. Será que vc não viu isso antes? Mas vou chutar aqui: quase certo que o planejamento dessa aquisição foi feito pela administração anterior. Mas nada errado. Se se entendeu necessário e existia previsão de créditos tudo tranquilo. Até porque esse processos devem ter passado por algum órgão de controle.
      O resto é hipocrisia.

    • Carlos Oliveira disse:

      Sim, prejudicado junto com os 97% das mais de 35 mil pessoas que fazem parte da comunidade acadêmica do IFRN e que não votaram no senhor pro-reitor José Ribeiro (vice-reitor do interventor Josué Moreira) que obteve nas eleições apenas 3% dos votos.
      Prejudicados pela quebra da ordem democrática, ao não ser nomeado o reitor eleito sem que este não tenha cometido nenhum crime.

  13. Fagner de Orós disse:

    Tome: cada notebook da maçã mordida saiu pela bagatela de R$ 12.700. É mole ou quer mais?

  14. Ralph disse:

    Antes que falem besteira essa compra foi feita pelo indicado de Bolsonaro.

  15. Cigano Lulu disse:

    Também a reitoria da Uferrenê adora MacBooks, podem checar. Nos aceiros das pró-reitorias é o que mais se vê, mas parece que esse é um privilégio só para os mais chegados.

  16. Francisco disse:

    Ninguém fala nada, mas com razão, falar o quê?

Secretário Estadual de Saúde, Cipriano Maia, prestará esclarecimentos sobre compra de respiradores à ALRN nesta quinta-feira

O Secretário de Saúde do RN, Cipriano Maia, participará de Sessão Especial nessa quinta-feira (02) para prestar esclarecimentos aos deputados estaduais sobre a compra de respiradores em conjunto com o Consórcio Nordeste. O requerimento para convocação do Secretário foi apresentado pelo deputado estadual Sandro Pimentel (PSOL) e aprovado em sessão ordinária do dia 18 de junho.

De acordo com relatório de fiscalização do Tribunal de Contas do RN, nosso estado participou de compra de 30 respiradores pulmonares mecânicos junto ao Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste, que custou R$ 4.947.535,80 aos cofres públicos. Mas esses equipamentos nunca foram disponibilizados pela empresa contratada, que também não procedeu o ressarcimento do valor pago com antecedência pela compra.

“Já há investigação em curso pela Polícia Civil do Estado da Bahia, pelo Ministério Público Federal e também pelo Tribunal de Contas do Estado, mas a fiscalização e controle dos atos do Poder Executivo e da aplicação de recursos públicos é competência da Assembleia Legislativa. Por isso, é fundamental que tenhamos esclarecimentos sobre essa compra milionária e seus desdobramentos, com sérios prejuízos financeiros e com fortes repercussões à saúde do povo potiguar”, afirmou Sandro Pimentel.

A sessão que contará com a participação do Secretário Cipriano Maia acontecerá de modo virtual nessa quinta-feira (02), às 15h, e terá transmissão ao vivo pelo site da ALRN (http://www.al.rn.gov.br/portal/tv) e pelo canal da TV Assembleia RN no Youtube (https://www.youtube.com/channel/UC5-iXbFxfrauDImM7kMw_Gg).

Assembleia vai convocar secretário de Saúde do RN para esclarecer compra de respiradores

Foto: João Gilberto

Na sessão ordinária por videoconferência dessa quinta-feira (18), os deputados aprovaram à unanimidade o requerimento do colega Sandro Pimentel (PSOL) convocando o secretário de Saúde do RN, o médico Cipriano Maia, para prestar esclarecimentos sobre a compra de respiradores em conjunto com o Consórcio Nordeste. O Estado já pagou cerca de R$ 4,8 milhões e não recebeu os equipamentos. A votação da matéria gerou discussão em plenário.

O deputado Francisco do PT orientou a bancada para votar a favor do requerimento e fez a sugestão para que na mesma sessão o Procurador-Geral do Estado também estivesse presente. “Não há nada que o governo tenha a esconder em relação à essa questão da matéria”, disse.

Na sequência, a deputada Isolda Dantas (PT) afirmou que considera adequada a convocação do secretário e disse estar tranquila de que o governo não tem nada a esconder e fez tudo de acordo com a legislação, mas considerou contraditória a convocação, diante da suspensão dos depoimentos da CPI da Arena. “Só lamento que a Assembleia possa ficar fazendo escuta de secretário e não possa fazer reunião da CPI. Concordo que precisamos escutar qualquer órgão do governo que tenha relação com o consórcio, que considero inclusive uma das inovações, mas torno a lamentar o requerimento que impediu a investigação na mesma lógica, inclusive com muito mais recursos em jogo, que foi a Arena”, afirmou.

Para Hermano Morais (PSB), a convocação será uma ótima oportunidade de esclarecimento. “É importante também para que tomemos conhecimento das providências que estão sendo tomadas pelo governo, temos que recuperar esses R$4,8 milhões que estão faltando para a saúde. Iremos conhecer melhor como funciona o consórcio, um bom instrumento de gestão, mas que precisa ser aprimorado para que não tenhamos outros problemas dessa natureza”, afirmou o deputado.

O deputado Ubaldo Fernandes (PL) disse que a convocação é necessária pois é preciso transparência. “Sabemos que o RN vive um momento dificílimo, da pandemia, os recursos estão chegando e é preciso que o secretário de saúde Cipriano Maia nos traga as informações. Queremos saber se estes respiradores ainda vão vir, se os recursos serão devolvidos, se a PGE entrou com alguma ação e secretário é o ordenador de despesa”, afirmou Ubaldo.

O deputado Getúlio Rêgo (DEM) afirmou que se as informações já estivessem disponibilizadas publicamente, essa convocação teria sido evitada. Com relação à crítica da suspensão da CPI da Arena pela deputada Isolda Dantas, Getúlio disse que da sua parte não é incoerência, pois também foi um dos que se manifestou para que a convocação fosse também após a pandemia, seguindo sua posição em relação à CPI. “Não tenho nada a esconder e nunca fui obstruído na minha vida pública. Essa convocação poderia ter sido evitada se já tivessem se manifestado de público”, afirmou.

Autor do requerimento, o deputado Sandro Pimentel disse que sempre que houver qualquer tipo de dúvida em relação ao uso do dinheiro público, é papel dos parlamentares investigar. “É preciso convocar, ouvir e pedir esclarecimentos, porque não podemos sair fazendo ilações sem provas”, afirmou. O deputado disse que esses recursos precisam ser bem explicados porque o RN “não pode perder quase R$ 5 milhões”.

Para finalizar, o deputado Vivaldo Costa (PSD) disse que é preciso construir no RN um clima de paz. “Muitos deputados estão se comportando como se a gente tivesse numa guerra e precisamos de paz para enfrentar essa pandemia”, disse.

ALRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LEO disse:

    Compra Não!,Pagamento Superfaturado Adiantado e Não Recebido os Respiradores,e o Povo Morrendo por Falta dessa "Compra"! Cadê o MPF, Cadê a Policia Federal???????

  2. Nildo disse:

    Deveria pergunta o porque que não estão abrindo UTI ,

TCE notifica Governo do RN para esclarecer pagamento de R$ 4,9 milhões para compra de respiradores via Consórcio Nordeste

Foto: Divulgação

O conselheiro Gilberto Jales determinou a notificação da Secretaria Estadual de Saúde para que sejam enviadas informações acerca da transferência de recursos do Estado para a aquisição de respiradores mecânicos junto ao Consórcio Nordeste. O prazo para que a Sesap envie os esclarecimentos vai até o dia 22 de junho. Foram transferidos R$ 4,9 milhões para o recebimento de 30 respiradores.

A determinação segue relatório de acompanhamento produzido pela equipe técnica da Diretoria de Administração Indireta. De acordo com o relatório, o Estado deve explicar quais as medidas tomadas para reaver os recursos públicos transferidos; se há ação judicial em curso para tentar o ressarcimento dos cofres públicos; por quais motivos os valores relativos à participação do RN no Consórcio foram transferidos antes da assinatura do contrato de rateio; e por qual razão houve uma mudança na dotação orçamentária responsável pela quitação do rateio que coube ao RN.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

Covidão em PE: TCE manda governo parar de usar Consórcio Nordeste para compra

O Tribunal de Contas de Pernambuco pediu que a Secretaria de Saúde do estado deixe de fazer compras relacionadas ao combate à Covid-19 por meio do Consórcio Nordeste.

Em “alerta de responsabilização” enviado ao governo na sexta, o conselheiro Carlos Porto disse que “as práticas do Consórcio já se revelaram inábeis, com expressivos prejuízos financeiros ao estado de Pernambuco”.]

Porto se refere a dois contratos em que o governo gastou ao todo R$ 13,6 milhões em respiradores não entregues. A compra foi feita por meio do Consórcio Nordeste, que concordou com uma cláusula de pagamento integral antecipado, segundo noticiou O Antagonista na sexta.

O alerta enviado pelo conselheiro do TCE ao governo é uma forma de deixar claro à Secretaria de Saúde que ela não poderá mais alegar “desconhecimento do tema”.

A compra de respiradores pelo Consórcio Nordeste também é alvo de investigações criminais. Como envolve governadores, o caso corre no Superior Tribunal de Justiça, onde eles têm prerrogativa de foro.

Veja os itens do Alerta de Responsabilização:

1)Deixar de fazer aquisições de insumos, produtos e equipamentos para o enfrentamento da Covid-19 através do Consórcio Nordeste, pois, em duas oportunidades, as práticas do Consórcio já se revelaram inábeis, com expressivos prejuízos financeiros ao Estado;

2) Ressarcir imediatamente o erário estadual das despesas realizadas, sem que tenha havido a entrega dos 30 ventiladores pulmonares, no valor de R$ 4.947.535,80;

3) Ressarcir imediatamente o erário estadual das despesas realizadas, sem que tenha havido a entrega dos 80 ventiladores pulmonares, no valor de R$ 8.743.680,00;

4) Registrar, tempestivamente, no e-Fisco, todos os pagamentos realizados pelos materiais adquiridos, mesmo que tenham ocorrido antecipadamente à entrega por exigência contratual;

5) Dar transparência à execução da despesa pública, de forma que os registros dos empenhos no e-Fisco, contemplem as especificações, detalhamentos, quantitativos e preços unitários de todos os materiais adquiridos;

6) Incluir todas as despesas feitas através do Consórcio Nordeste no Portal COVID-19 do Estado de Pernambuco.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mito do Gado disse:

    A compra através de Consórcio traz um problema sério: ausência de responsabilidade do Governador. Se uma entidade é a única responsável, o ônus do Governante. Por isso, o Tribunal de Contas proibiu a compra através de terceiros, porque volta ser de responsabilidade exclusiva do Governador. Na prática, o TCE está obrigando o Governante a se responsabilizar pela compra. Assim, em caso de fraude, corrupção ou desvio de verba, já se sabe de quem deve ser buscada a devida “satisfação”.

Helder Barbalho, governador do Pará, é alvo da PF em operação sobre compra de respiradores

Foto: Marcos Santos/Ag Pará

A Polícia Federal realiza na manhã desta quarta-feira (10) uma operação com o objetivo de apurar fraudes na compra de respiradores pulmonares pelo Governo do Pará.

Estão sendo cumpridos 23 mandados de busca e apreensão no Pará, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Espírito Santo e Distrito Federal, após decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça). O governador paraense, Helder Barbalho (MDB), é um dos alvos.

Em 26 de maio, a coluna de Monica Bergamo, adiantou que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) estava prestes a determinar também no Pará uma operação nos moldes da que atingiu o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC-RJ), que sofreu busca e apreensão em sua residência oficial.

As buscas estão sendo realizadas no Palácio dos Despachos, sede do governo, secretarias de Saúde, Fazenda e Casa Civil, além de residências dos investigados e empresas.

A compra dos respiradores custou aos cofres públicos R$ 50,4 milhões. Dentre os suspeitos estão servidores públicos estaduais e sócios de uma empresa investigada.

A operação foi batizada de Para Bellum, do latim e que significa “preparar-se para a guerra”, uma referência ao combate que a PF tem realizado contra o desvio de recursos públicos destinado ao combate ao coronavírus.

Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Emmanoel do Nascimento Costa disse:

    Estou preocupado mesmo é com o rombo de mais 3 bilhões que sacaram indevidamente agora nessa ajuda Sá pandemia e vocês tudo fazendo vista grossa.

  2. Antonio Turci disse:

    Jovem e inteligentíssimo o Governador do Pará parece que escorregou no tomate.

  3. Rainel Pereira Filho disse:

    Tal pai tal filho.

  4. Sem palavras disse:

    O povo merece …o pai ladrao por anos , se aposentou dos roubos e colocou o filho , os IDIOTAS vão e elegem 👏🏼👏🏼👏🏼, aqui não é diferente , só muda a mosca , a MERDA É A MESMA

  5. Paulo disse:

    BG
    Tal o Pai, Tal o filho. O Povo Brasileiro em grande parte adora LADRÕES, no PARA NÃO É DIFERENTE.

Polícia Federal deflagra Operação Para Bellum e investiga compra de respiradores no Pará

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (10) a operação Para Bellum com o objetivo de apurar a existência de fraude na compra de respiradores pulmonares pelo Governo do Pará, mediante contrato com dispensa de licitação, justificada pelo período de calamidade pública em virtude da pandemia. Os policiais federais estão na casa do governador Helder Barbalho.

A compra custou R$ 50,4 milhões, sendo metade do pagamento feito de forma antecipada à empresa fornecedora.

Os respiradores acabaram devolvidos pois, além de sofrerem grande atraso na entrega, eram de modelo diferente ao contratado e inservíveis para o tratamento da Covid-19. A operação conta com a participação de aproximadamente 130 Policiais Federais.

Estão sendo cumpridos 23 mandados de busca e apreensão nos Estados do PA, RJ, MG, SP, SC, ES e DF; em cumprimento a ordens emanadas pelo STJ.

Os alvos são os suspeitos de terem participação nas fraudes, entre servidores públicos estaduais e sócios da empresa investigada. As buscas foram realizadas nas residências dos investigados, em empresas, na sede do Governo do Pará, e nas Secretarias da Saúde, Fazenda e Casa Civil.

A gestão do governador Hélder Barbalho é a segunda a passar por uma operação da Polícia Federal durante a pandemia. A primeira foi a gestão fluminense do governador Wilson Witzel.

Bahia Notícias

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MORO 2022 disse:

    Não sei é impressão, mas aí no meio desses estados não tem nenhum governado pelo PT ou pela esquerda.

  2. Junin disse:

    Viva! Oba! Já está chegando no RN!

NÃO PAROU NOS RESPIRADORES: Auditoria aponta superfaturamento na compra de soro fisiológico para pacientes com Covid-19 no RJ

Foto: Reprodução/Globo News

Depois das denúncias na compra de respiradores para os hospitais de campanha do Rio, e a própria construção dessas unidades, mais um contrato da Secretaria Estadual de Saúde está sendo investigado. Uma auditoria da Controladoria-Geral do Estado apontou superfaturamento de R$ 1,6 milhão na compra de soro fisiológico para pacientes com a Covid-19.

O volume comprado – 370 mil litros, ou 1,3 milhão de frascos – também levantou suspeitas: é 20 vezes maior do que o total comprado para abastecer hospitais do Estado durante três anos.

Em apenas quatro dias, a Secretaria de Saúde abriu um processo de contratação e escolheu uma empresa para a compra sem licitação. O parecer jurídico era obrigatório, mas essa regra foi ignorada.

O contrato, no valor de R$ 5,7 milhões, foi fechado com a Carioca Medicamentos e Material Médico, escolhida para fornecer cloreto de sódio 0,9% – popularmente conhecido como soro fisiológico – para o atendimento aos pacientes do novo coronavírus.

O TCE abriu uma auditoria e cobrou explicações sobre esse contrato, mas a Secretaria de Saúde não soube dizer por que comprou tanto soro fisiológico.

Em documento, a secretaria admite que “a demanda pela aquisição de cloreto de sódio não foi originada pela coordenação de medicamentos da superintendência de logística, suprimentos e patrimônio”, que é o setor técnico.

A secretaria informou que “como a área desconhece os detalhes do contexto fático que originou a contratação, não é possível estabelecer a relação entre o objeto do processo e o enfrentamento da pandemia da Covid-19”.

A Coordenação de Medicamentos da Secretaria de Saúde também não sabe explicar quais hospitais seriam abastecidos com soro.

Segundo a auditoria, R$ 1,6 milhão poderiam ter sido economizados se a Secretaria de Saúde tivesse comprado o medicamento pelo preço médio de outras contrações realizadas pelo poder público.

“O soro fisiológico é um insumo básico, essencial. Não existe atendimento, nem nas unidades básicas, nem nas UPAs, especialmente nos hospitais, sem soro fisiológico. É necessário o fornecimento sistemático para todas as unidades, em volume adequado para que todas as unidades mantenham um estoque, mas um estoque que possa ser armazenado, porque várias unidades não têm um lugar para estocar uma quantidade grande de soro. É necessário então que a secretaria planeje essa compra por um ano, pelo menos”, avaliou a especialista em Saúde Pública, Lígia Bahia.

Dois meses depois da assinatura do contrato, o estado só recebeu 14% dos frascos comprados. A Carioca Medicamentos ganhou até agora R$ 400 mil dos cofres da Secretaria de Saúde.

O responsável por essa contratação está preso há um mês, por outro motivo. Gabriell Neves é investigado por fraude na compra de respiradores.

Cada aparelho custou até o triplo do valor de mercado. E nenhum dos mil respiradores comprados chegou até os hospitais. Na compra de soro fisiológico, a conclusão da controladoria geral do estado é que, mais uma vez, o governo pagou muito mais caro.

“Esse recurso já foi mal utilizado. Significa que vidas que poderiam ter sido salvas, não serão. Então, na Saúde, é importante que tenhamos ações que sejam ações posteriores, mas é preciso que a gente não cometa os erros. Os erros são muito graves, com consequências muito dramáticas”, destacou Lígia Bahia, especialista em saúde pública.

G1