Geral

Juiz federal nega compra de vacinas por associações comerciais do RN

FOTO: Reprodução

Decisão do juiz federal Janilson Siqueira, da 4ª Vara Federal, proibiu a aquisição de vacinas contra a Covid-19 pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal (CDL) e pela Associação Comercial do RN, sem a obrigatoriedade de doar metade do quantitativo ao SUS.

Segundo o magistrado, “o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 foi elaborado com base em dados técnicos e científicos, e, sob esse aspecto, deve preponderar o núcleo da competência administrativa conferida pela Constituição às entidades federativas, em relação à qual não é lícito ao Poder Judiciário interferir, salvo situações excepcionais de ilegalidade da ação administrativa”, escreveu o Juiz Federal na sua decisão.

Com Justiça Potiguar

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Saúde negocia compra de mais 100 milhões de doses da vacina da Pfizer

Foto: Saulo Angelo/Futura Press/Estadão Conteúdo

O Ministério da Saúde deu início a tratativas para adquirir mais 100 milhões de doses da vacina da Pfizer para serem entregues ainda este ano ao Brasil.

As tratativas começaram há 20 dias e, desde então, já ocorreram algumas reuniões entre representantes da farmacêutica e do Ministério da Saúde. A Pfizer já sinalizou à pasta que tem condições de fornecer os imunizantes.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Governo federal já distribuiu 54 milhões de vacinas com os Estados. Os Estados só usaram 33 milhões até agora.

    1. E a facada sem sangue rendeu. Após nove meses, o bolsonaro recebeu mais de 400 mil de reembolso para tratamento de saúde.

  2. As doses que esse governo das trevas não comprou ano passado…
    Mas a boiada imunda já já passa por aqui para “parabenizar” o genocida.

    1. Antes tarde do que Nunca! Parabéns presidente lula! Bastou algumas Entrevistas para o Bozo cair na Real e Dar o chamado “Recuo Tático” e perceber que a saida é a ” tal da vacina” Que Ele tanto Menosprezou.

    2. Desinformado, ano passado todos estavam desenvolvendo suas vacinas e a prioridade eram os país onde elas foram produzidas. Além do fato que TODOS os PAÍSES no MUNDO foram comprar vacina ao mesmo tempo.
      Mas se no lugar de estádios de futebol tivessem ampliado e construído hospitais no Brasil, essa pandemia teria sido devidamente combatida.
      Onde foram parar os BILHÕES que o governo federal mandou aos governadores?
      Em SP o hospital de campanha foi construído e desfeito, quantos pessoas foram atendidas nele? NENHUMA! Onde foi parar o dinheiro? Qual estado onde mais tem mortes pelo covid no Brasil?
      Quando ficou provado que foram consumidos nos recursos públicos pela corrupção implantada no Brasil de 2002 a 2013?
      Quando dinheiro público foi desviado do Brasil para manter as ditaduras de Cuba, Venezuela, África e outros países? Se todos esses bilhões tivesse sido destinado a saúde pública, de 2002 a 2013, hoje a situação seria diferente.
      Entendeu? Acho que não, seria exigir muito de quem só sabe repetir, sem ler e buscar a verdade

    3. Calma, menina! Quanto rancor! Imagina você ficar assim até 2026! Vai ter um infarto.

    4. A vaca imunda do Bozo fazendo textinho pra justificar o fracassado do palhaço do Planalto.
      Muuuuuuuuuuuuuuuuu

    5. Os canhotos estão alterados kkk. O que tá havendo? As narrativas estão caindo? Vão inventando mais! Que tal inventar que Bolsonaro deu uma barrigada na faca de adélio!?

    6. Esquerda é mentira e desinformação…
      Em julho de 2020, Bolsonaro comprou 100 milhões de doses da vacina de Oxford, já pagando, inclusive, pela transferência de tecnologia para produzir no Brasil .
      Naquela época, a vacina de Oxford era a mais promissora.
      Para que comprar vacina da Pfizer que nem aprovada estava, era muito mais cara e exigia ficar resfriada a – 80 ° c se teríamos vacina da Oxford?
      Não existe vacina sobrando.
      A esquerda bolivariana tenta iludir a população.
      Esquerda é fakenews.
      Em setembro de 2020 o Brasil entrou para o consórcio covax facility da OMS.
      Já foram 54 milhões de doses entregues.
      O que Lula do petrolao e do mensalão, amigo de Maduro e do presidente da Argentina tem a ver com covid ou vacina?
      Lula foi pegar covid em Cuba, é um desmoralizado. .

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Entenda as regras sobre compra de armas e munições que passam a valer nesta segunda-feira

Foto: Marcelo Regua / Agência O Globo

Quatro decretos assinados pelo presidente Jair Bolsonaro no início do ano que flexibilizaram as regras para a compra de armas, munições e equipamentos para a fabricação de munições caseiras passam a valer a partir desta segunda-feira. Um dos decretos aumenta de quatro para seis a quantidade de armas que um cidadão comum pode comprar. Profissionais da segurança pública poderão ter até oito.

Senadores de oposição tentavam derrubar os decretos do presidente, antes que as novas regras entrassem em vigor. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), no entanto, retirou da pauta os quatro projetos apresentados pelo PT que tentavam sustar os decretos que flexibilizam as regras para a aquisição de armas no país. Pacheco atendeu a solicitação do relator, senador Marcos do Val (Podemos-ES), que justificou que o momento para votação não é adequado por causa da pandemia.

Os decretos de armas editados por Bolsonaro amplia de quatro para seis o número máximo de armas que cada cidadão pode ter. O limite pode chegar a oito em determinados casos.

Têm o direito de adquirir mais duas armas de uso restrito, chegando a oito no total, integrantes das Forças Armadas, policiais de todos os tipos, membros da magistratura e do Ministério Público, agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e policiais legislativos da Câmara e do Senado.

A medida faz parte de um pacote de quatro decretos que alteram regras de posse e porte de armas, publicados no dia 12 de fevereiro deste ano.

Regras mais frouxas para CACs

Outro decreto publicado em fevereiro e que passa a valer a partir desta segunda-feira fez mudanças nas regras que envolvem o grupo de colecionadores, atiradores e caçadores (conhecidos pela sigla CACs), que tem regras específicas. Antes, para ser CAC, uma pessoa precisava de um laudo de um psicólogo credenciado pela Polícia Federal (PF). Agora, esse laudo pode ser emitido por qualquer psicólogo com registro profissional ativo.

Um CAC precisa “comprovar, periodicamente, a capacidade técnica para o manuseio da arma de fogo”. Antes, não estava definido como isso seria feito. Agora, foi determinado que é necessário um laudo de um instrutor credenciado pela PF.

Esse laudo, no entanto, poderá ser substituído por uma “declaração de habitualidade”, fornecida pela associação a que ele estiver filiado.

Antes, qualquer compra de armas por CACs precisava de autorização de aquisição expedida pelo Comando do Exército. Agora, essa autorização só é necessária quando a quantidade de armas exceder o limite que cada categoria pode comprar (60 para atiradores, 30 para caçadores e 10 para colecionadores).

O decreto também estabelece uma quantidade máxima de munição que pode ser comprada além do limite estabelecido por ano (mil unidades de munição para cada arma de uso restrito e cinco mil para cada arma de uso permitido). Caçadores poderão pedir ao Exército uma compra duas vezes maior do que esse limite, enquanto atiradores poderão pedir até cinco vezes o limite.

Atiradores e caçadores também ganharam autorização para comprar insumos para recarga de até dois mil cartuchos, para cada arma de fogo de uso restrito, e de até cinco mil cartuchos, para cada arma de uso permitido.

Os CACs já possuíam o direito de portar suas armas da sua casa ou local de tiro. Agora, o trajeto pode ocorrer em “qualquer itinerário” e “independentemente do horário, assegurado o direito de retorno ao local de guarda do acervo”.

Menores em clubes de tiro

A prática de tiro desportivo para adolescentes entre 14 e 18 anos poderá ser feita também com a arma de fogo cedida por outro desportista. Antes, só era permitido o usar a arma da entidade ou do responsável legal.

Os clubes de tiro podem optar por não exigir a documentação necessária caso o adolescente pratique apenas com armas de pressão.

Produtos controlados

Os decretos desclassificaram uma série de itens que eram considerados Produtos Controlados pelo Exército (PCEs). Agora, passa a ser permitida a aquisição de projéteis com até 12,7 mm, armas de fogo com projetos anteriores ao ano de 1900 e que utilizam pólvora negra, máquinas para recargas de munição, além de diversos modelos de miras.

Ficam eximidas de fazerem registro junto ao Comando do Exército as empresas que trabalham com armas de pressão e as pessoas físicas que usam PCEs para a prática de tiro recreativo não desportivo em clubes ou escolas de tiro.

O decreto também autoriza que se faça coleção de armas de fogo de uso restrito que tenham sido projetadas há mais de 40 anos.

Órgãos como tribunais do Poder Judiciário, Ministério Público, Receita Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) ganham direito de adquirir produtos controlados.

Regras sobre porte

O texto determina, por exemplo, que ao analisar um pedido de porte, a PF deve considerar as circunstâncias apresentadas, especialmente “os indícios de riscos potenciais à sua vida, incolumidade ou integridade física”.

O decreto ressalta que é “permitida a utilização de todas as provas admitidas em direito para comprovar o alegado”. Caso o pedido seja negado, terá que ser “devidamente fundamentado pela autoridade concedente”. O decreto também determina que o porte autoriza a condução simultânea de até duas armas.

Os requisitos necessários para a autorização do porte para membros do Judiciário, do Ministério Público e auditores da Receite Federal poderão ser atestados por declaração da própria instituição, e não da PF.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Os EUA detém praticamente 50% da armas do mundo na mão de civis, estão entre os mais armados também, Alemanha, Suíça, Finlândia, Nova Zelândia e Etc…Essas armas na mão da população não torna esses países violentos! Todo cidadão caso queira tem que ter o direito de ter uma ou mais armas para proteger sua família, patrimônio, prática esportiva ou colecionismo! A maior prova que desarmamento da População não resolve e o Brasil, mesmo com o estatuto do desarmamento que tirou a arma do cidadão de bem, detém um altíssimo índice de mortes por arma de fogo, tiraram as armas das pessoas erradas!

  2. Eu já tenho uma pistola 9mm vou comprar uma th uma dose de repetição e tirar o porte que de direito for andarei aramado dentro e fora de casa, e é pra matar bandido mesmo

  3. Vcs deveriam ser contra as armas q tá na mão dos bandidos isso ninguém fala ninguém grita ninguém debate

  4. Quem disse que bandido precisa de arma legalizada, caia na Real, desde que teve o desarmamento no Brasil, com o despeito se diminuir a violência o estado falhou e nunca acabou o crime alias o cidadão foi desarmado e o bandido corre solto fazendo roubo e mortes, já vi muitos serem assaltados em casa sem poder fazer nada, principalmente na zona rural, w vi pessoas sobreviver e até matar ladrão por ter uma arma por posse de arma legal, se não estaria morto, vamos deixar de bobagem, no fim o povo sempre e enganando . Polícia na rua muito pouco, é assalto de dia e de noite, e ai, só o nosso RN tem um desfalque de 10,mil policias vai vendo ai. Hora só sabe quem já passou por um assalto ou ficou na mira de um bandido

  5. Esse é o Brasil que sonhamos. Todos os brasileiros que não tenham restrições criminais ou mentais devem receber do governo uma arma de fogo para se defender de qualquer risco. O Brasil só será justo se existir a paridade de armas para todas as classes.

  6. Para que um cidadão de bem e não “cidadão de bem” precisa de seis armas em casa? Para que um caçador precisa de 30 armas ou um atirador de 60? A não ser que ele queira formar uma milícia ou ser laranja de miliciano. Na verdade, essa medida é para fornecer armas em grande quantidade para bandidos. Eles não precisarão mais fazer tráfico de rifles de outros países e guardar em condomínios de luxo. Bastará ir em uma dessas pessoas que irá entregar-lhe por bem ou por mal. Bandidos terão armas de maneira mais fácil agora e de graça. Se arma fosse segurança não perderíamos tantos valorosos policiais para bandidos que covardemente os atacam de surpresa.

    1. Simples é só vc não comprar mas deixe quem tem dinheiro comprar as armas q tá na mão dos bandidos são entregues pelos governantes de esquerda

    1. Claro que sim. Afinal, ctiminosos usam armas legalizadas, compradas com nota fiscal, e possuem porte de armas, não é mesmo? E se o porte estiver vencido, eles não vão usar arma de fogo. Não é assim que ocorre, “cumpanhero”?

    2. É muito engraçado como os bolsopetistas adoram insinuar ou chamar os que são contra as ideias de seu MINTO de esquerdistas, petistas, comunistas… Achei bem razoável a explicação da réplica, mas pq dizer que o outro é “cumpanhero”? Todos que querem ter o registro, posse ou porte de armas são necessariamente a favor do presidente inepto? Ou o contrário, quem é contra comprar , portar ou possuir armas é necessariamente petista?

    3. Queimou-se por que, “cumpanhero”? TODOS nós sabemos que a esquerda é contra as armas para o cidadão de bem. Se houver alguém que ainda não saiba, sugiro verificar como votam os parlamentares de esquerda com relação a esse assunto. A propósito, PSOL e PT (claro) até foram ao STF contra os decretos do presidente. É axrealidade, “cumpanhero”. Atenha-se ao fatos e deixe de atacar as pessoas. Ao menos tente.

    4. Direita honesta, eu não sou de esquerda muito menos petista ou comunista, mas poderia ser contra comprar, possuir ou portar armas… Vc ser a favor de comprar , possuir ou portar armas não o faz de direita! E quem é contra, não o torna de esquerda! Não estou falando de partidos ou de políticos e sim do cidadão comum que vota ! O que vejo aqui, na real, não é vc ser honesto! Defender o seu MINTO não é ser honesto, muito menos ser de direita! O presidente é no máximo de centro-direita! O fato dele ser pró-armas nem de longe o torna de direita! E eu sempre argumentar contra as mentiras do presidente inepto não me torna de esquerda, muito menos comunista ou petista! O que me convence a votar são ideias seguidas de coerência e de honestidade e se o político não mostra isso, não guardo por ele fidelidade bovina, ops, canina, muito menos vou ter político de estimação que tenha sido condenado por corrupção ou investigado por rachadinhas…

    5. Criminosos usam armas roubadas das “pessoas de bem”. Quanto mais legalizadas, mais bandidos armados. Ou não foi o Mito que entregou moto, documentos, celular e arma quando foi assaltado???

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Universidade da PB é a 1ª instituição no país a receber autorização para compra de vacinas contra Covid-19 para imunizar alunos e funcionários

Foto: Delmiro Júnior/Agência O Dia/Estadão Conteúdo (19.mar.2021)

Uma universidade particular de Campina Grande, na Paraíba, recebeu autorização da Justiça para importar doses de vacina contra a Covid-19 e imunizar alunos e funcionários. A instituição é a primeira universidade privada do país a conseguir esse tipo de consentimento.

A autorização foi dada por meio de uma decisão judicial, em caráter liminar, concedida pelo juiz federal substituto Rolando Valcir Spanholo, da 21ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal, na terça-feira (6). Poderão ser compradas 15 mil doses do imunizante.

De acordo com o Chanceler da Unifacisa, Dalton Gadelha, a iniciativa é uma tentativa de ajudar a vacinação no Brasil sem interferir no Programa Nacional de Imunizações (PNI).

“Percebemos que se não houver uma ação energética em relação a vacinação é possível que haja um blackout de mão de obra”, diz o chanceler.

Para não atrapalhar o Sistema Único de Saúde (SUS), a instituição diz que procurará por farmacêuticas que ainda não tenham assinado contratos com o governo brasileiro.

No total, 7.500 pessoas devem ser imunizadas no centro universitário. Desses, 5.000 serão estudantes e 2.500 funcionários e professores da Unifacisa.

A vacinação acontecerá toda por conta da universidade, desde os trâmites de importação até a aplicação, de maneira gratuita.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Vão comprar da enfermeira falsa de BH ? porque não existe vacinas disponíveis pra vender em lugar nenhum do mundo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Natália Bonavides(PT) é a única deputada no RN a votar contra empresas comprarem vacinas para a imunização gratuita de seus empregados

Foto: Lula Marques

A Câmara dos Deputados decidiu ontem pela aprovação do texto-base do Projeto de Lei 948/21, que permite à iniciativa privada comprar vacinas para a imunização gratuita de seus empregados.

O projeto de relatoria da deputada Celina Leão (PP-DF) prevê que essas compras, se feitas junto a laboratórios que já venderam vacinas ao governo federal, poderão ocorrer apenas depois do cumprimento integral do contrato e da entrega dos imunizantes ao Ministério da Saúde. Além disso, o texto determina que as empresas doem ao SUS a mesma quantidade adquirida para os trabalhadores.

Foram 317 votos a favor da proposta e 120 contrários, com 2 abstenções. Entre os parlamentares do Rio Grande do Norte, apenas Natália Bonavides(PT) votou contra o projeto.

Veja como votou cada deputado na Câmara:

Avante

André Janones (MG): SIM
Chiquinho Brazão (RJ): SIM
Greyce Elias (MG): SIM
Leda Sadala (AP): SIM
Luis Tibé (MG): SIM
Pastor Isidório (BA): NÃO
Sebastião Oliveira (PE): SIM
Tito (BA): SIM

Cidadania

Alex Manente (SP): SIM
Arnaldo Jardim (SP): SIM
Da Vitória (ES): SIM
Daniel Coelho (PE): SIM
Paula Belmonte (DF): SIM
Rubens Bueno (PR): NÃO

DEM

Alan Rick (AC): SIM
Aníbal Gomes (CE): NÃO
Arthur O. Maia (BA): SIM
Bilac Pinto (MG): SIM
Carlos Gaguim (TO): SIM
David Soares (SP): SIM
Dr Zacharias Calil (GO): SIM
Eli Corrêa Filho (SP): SIM
Fernando Coelho (PE): SIM
Geninho Zuliani (SP): NÃO
Hélio Leite (PA): SIM
Igor Kannário (BA): SIM
Jose Mario Schreiner (GO): SIM
Juninho do Pneu (RJ): SIM
Juscelino Filho (MA): SIM
Kim Kataguiri (SP): SIM
Leur Lomanto Jr. (BA): SIM
Luis Miranda (DF): SIM
Norma Ayub (ES): SIM
Olival Marques (PA): SIM
Paulo Azi (BA): SIM
Profª Dorinha (TO): SIM
Rodrigo Maia (RJ): NÂO
Sóstenes Cavalcante (RJ): SIM

MDB

Alceu Moreira (RS): SIM
Baleia Rossi (SP): SIM
Carlos Bezerra (MT): SIM
Carlos Chiodini (SC): SIM
Celso Maldaner (SC): SIM
Daniela Waguinho (RJ): SIM
Dulce Miranda (TO): SIM
Elcione Barbalho (PA): SIM
Fábio Ramalho (MG): SIM
Fabio Reis (SE): SIM
Flaviano Melo (AC): SIM
Giovani Feltes (RS): SIM
Hercílio Diniz (MG): SIM
Herculano Passos (SP): SIM
Hermes Parcianello (PR): SIM
Hildo Rocha (MA): SIM
Isnaldo Bulhões Jr (AL): SIM
Jéssica Sales (AC): SIM
João Marcelo S. (MA): SIM
Juarez Costa (MT): SIM
Márcio Biolchi (RS): SIM
Marcos A. Sampaio (PI): SIM
Mauro Lopes (MG): SIM
Moses Rodrigues (CE): SIM
Osmar Terra (RS): SIM
Raul Henry (PE): NÃO
Rogério Peninha (SC): SIM
Sergio Souza (PR): SIM
Vinicius Farah (RJ): SIM

Novo

Adriana Ventura (SP): SIM
Alexis Fonteyne (SP): SIM
Gilson Marques (SC): SIM
Lucas Gonzalez (MG): SIM
Marcel van Hattem (RS): SIM
Paulo Ganime (RJ): SIM
Tiago Mitraud (MG): SIM
Vinicius Poit (SP): SIM

Patriota

Fred Costa (MG): SIM
Marreca Filho (MA): SIM
Pastor Eurico (PE): SIM
Roman (PR): SIM

PCdoB

Alice Portugal (BA): NÃO
Daniel Almeida (BA): NÃO
Jandira Feghali (RJ): NÃO
Orlando Silva (SP): NÃO
Perpétua Almeida (AC): NÃO
Prof Marcivania (AP): NÃO
Renildo Calheiros (PE): NÃO

PDT

Afonso Motta (RS): NÃO
Alex Santana (BA): SIM
André Figueiredo (CE): NÃO
Dagoberto Nogueira (MS): NÃO
Eduardo Bismarck (CE): SIM
Fábio Henrique (SE): SIM
Félix Mendonça Jr (BA): NÃO
Flávia Morais (GO): NÃO
Flávio Nogueira (PI): SIM
Gil Cutrim (MA): SIM
Gustavo Fruet (PR): NÃO
Idilvan Alencar (CE): NÃO
Jesus Sérgio (AC): NÃO
Leônidas Cristino (CE): NÃO
Mário Heringer (MG): NÃO
Marlon Santos (RS): SIM
Paulo Ramos (RJ): NÃO
Pompeo de Mattos (RS): NÃO
Robério Monteiro (CE): SIM
Silvia Cristina (RO): SIM
Subtenente Gonzaga (MG): NÃO
Tabata Amaral (SP): NÃO
Túlio Gadêlha (PE): NÃO
Wolney Queiroz (PE): NÃO

PL

Aelton Freitas (MG): SIM
Altineu Côrtes (RJ): SIM
Bosco Costa (SE): SIM
Christiane Yared (PR): SIM
Cristiano Vale (PA): SIM
Dr. Jaziel (CE): SIM
Edio Lopes (RR): SIM
Fernando Rodolfo (PE): SIM
Gelson Azevedo (RJ): SIM
Giacobo (PR): SIM
Giovani Cherini (RS): SIM
João Maia (RN): SIM
José Rocha (BA): SIM
Josimar Maranhãozinho (MA): SIM
Junior Lourenço (MA): SIM
Lincoln Portela (MG): SIM
Luiz Carlos Motta (SP): SIM
Luiz Nishimori (PR): SIM
Luiz Antônio Corrêa (RJ): SIM
Magda Mofatto (GO): SIM
Marcio Alvino (SP): SIM
Miguel Lombardi (SP): SIM
Pastor Gil (MA): SIM
Paulo Freire Costa (SP): SIM
Policial Sastre (SP): SIM
Raimundo Costa (BA): SIM
Sergio Toledo (AL): SIM
Soraya Santos (RJ): SIM
Tiririca (SP): SIM
Valdevan Noventa (SE): NÃO
Vinicius Gurgel (AP): SIM

PODE

Bacelar (BA): NÃO
Diego Garcia (PR): SIM
Igor Timo (MG): SIM
José Medeiros (MT): SIM
Josivaldo JP (MA): SIM
Léo Moraes (RO): SIM
Renata Abreu (SP): SIM
Ricardo Teobaldo (PE): SIM
Roberto de Lucena (SP): SIM

PP

Adriano do Baldy (GO): SIM
Afonso Hamm (RS): SIM
AJ Albuquerque (CE): SIM
André Abdon (AP): SIM
Angela Amin (SC): NÃO
Átila Lins (AM): SIM
Átila Lira (PI): SIM
Cacá Leão (BA): SIM
Celina Leão (DF): SIM
Christino Aureo (RJ): SIM
Claudio Cajado (BA): SIM
Covatti Filho (RS): SIM
Dimas Fabiano (MG): SIM
Dr. Luiz Antonio Jr (RJ): SIM
Eduardo da Fonte (PE): NÃO
Evair de Melo (ES): SIM
Fausto Pinato (SP): SIM
Fernando Monteiro (PE): SIM
Franco Cartafina (MG): SIM
Guilherme Derrite (SP): SIM
Guilherme Mussi (SP): SIM
Hiran Gonçalves (RR): SIM
Iracema Portella (PI): SIM
Jaqueline Cassol (RO): SIM
Laercio Oliveira (SE): SIM
Marcelo Aro (MG): SIM
Margarete Coelho (PI): SIM
Mário Negromonte Jr (BA): SIM
Pedro Westphalen (RS): SIM
Professor Alcides (GO): SIM
Ricardo Barros (PR): SIM
Ricardo Izar (SP): SIM
Ronaldo Carletto (BA): SIM

PROS

Acácio Favacho (AP): SIM
Boca Aberta (PR): SIM
Capitão Wagner (CE): SIM
Carla Dickson (RN): SIM
Uldurico Junior (BA): SIM
Vaidon Oliveira (CE): SIM
Weliton Prado (MG): SIM

PSB

Alessandro Molon (RJ): NÃO
Aliel Machado (PR): NÃO
Bira do Pindaré (MA): NÃO
Camilo Capiberibe (AP): NÃO
Cássio Andrade (PA): NÃO
Danilo Cabral (PE): NÃO
Denis Bezerra (CE): NÃO
Elias Vaz (GO): NÃO
Emidinho Madeira (MG): SIM
Felipe Carreras (PE): SIM
Felipe Rigoni (ES): SIM
Gervásio Maia (PB): NÃO
Gonzaga Patriota (PE): NÃO
Jefferson Campos (SP): SIM
Júlio Delgado (MG): NÃO
Lídice da Mata (BA): NÃO
Liziane Bayer (RS): SIM
Luciano Ducci (PR): SIM
Marcelo Nilo (BA): NÃO
Mauro Nazif (RO): NÃO
Milton Coelho (PE): NÃO
Ricardo Silva (SP): SIM
Rodrigo Agostinho (SP): NÃO
Rodrigo Coelho (SC): SIM
Rosana Valle (SP): NÃO
Tadeu Alencar (PE): NÃO
Ted Conti (ES): NÃO
Vilson da Fetaemg (MG): NÃO

PSC

Aluisio Mendes (MA): SIM
André Ferreira (PE): SIM
Glaustin da Fokus (GO): SIM
Leonardo Gadelha (PB): SIM
Lauriete (ES): SIM
Osires Damaso (TO): SIM
Paulo Martins (PR): SIM
Ricardo da Karol (RJ): SIM

PSD

Charles Fernandes (BA): SIM
Danrlei (RS): SIM
Darci de Matos (SC): SIM
Diego Andrade (MG): SIM
Edilazio Junior (MA): SIM
Expedito Netto (RO): NÃO
Fábio Mitidieri (SE): NÃO
Fábio Trad (MS): SIM
Flordelis (RJ): SIM
Francisco Jr. (GO): SIM
Haroldo Cathedral (RR): SIM
Hugo Leal (RJ): SIM
Joaquim Passarinho (PA): NÃO
José Nunes (BA): SIM
Júnior Ferrari (PA): SIM
Marco Bertaiolli (SP): SIM
Marx Beltrão (AL): SIM
Misael Varella (MG): SIM
Neucimar Fraga (ES): SIM
Otto Alencar (BA): NÃO
Paulo Magalhães (BA): SIM
Pedro Augusto (RJ): SIM
Ricardo Guidi (SC): SIM
Sargento Fahur (PR): SIM
Sérgio Brito (BA): SIM
Sidney Leite (AM): NÃO
Stefano Aguiar (MG): Abstenção
Vermelho (PR): SIM

PSDB

Aécio Neves (MG): SIM
Alexandre Frota (SP): NÃO
Beto Pereira (MS): SIM
Bia Cavassa (MS): SIM
Carlos Sampaio (SP): SIM
Célio Silveira (GO): SIM
Daniel Trzeciak (RS): SIM
Danilo Forte (CE): SIM
Domingos Sávio (MG): SIM
Edna Henrique (PB): SIM
Eduardo Barbosa (MG): NÃO
Geovania de Sá (SC): SIM
Lucas Redecker (RS): SIM
Luiz Carlos (AP): SIM
Mara Rocha (AC): SIM
Mariana Carvalho (RO): SIM
Nilson Pinto (PA): SIM
Norma Pereira (SC): SIM
Otavio Leite (RJ): NÃO
Pedro Cunha Lima (PB): SIM
Pedro Vilela (AL): SIM
Rose Modesto (MS): SIM
Samuel Moreira (SP): SIM
Vanderlei Macris (SP): SIM
Vitor Lippi (SP): SIM

PSL

Abou Anni (SP): SIM
Alê Silva (MG): SIM
Aline Sleutjes (PR): SIM
Bia Kicis (DF): SIM
Bibo Nunes (RS): SIM
Bozzella (SP): SIM
Carla Zambelli (SP): SIM
Carlos Jordy (RJ): SIM
Caroline de Toni (SC): SIM
Charlles Evangelis (MG): SIM
Coronel Tadeu (SP): SIM
Coronel Chrisóstom (RO): SIM
Daniel Freitas (SC): SIM
Daniel Silveira (RJ): SIM
Del Antônio Furtado (RJ): SIM
Delegado Marcelo (MG): SIM
Delegado Waldir (GO): SIM
Dr. Luiz Ovando (MS): SIM
Dra. Soraya Manato (ES): SIM
Eduardo Bolsonaro (SP): SIM
Fabio Schiochet (SC): SIM
Felício Laterça (RJ): SIM
Felipe Francischini (PR): SIM
Filipe Barros (PR): SIM
General Girão (RN): SIM
General Peternelli (SP): SIM
Guiga Peixoto (SP): SIM
Gurgel (RJ): SIM
Heitor Freire (CE): SIM
Helio Lopes (RJ): SIM
Joice Hasselmann (SP): SIM
Junio Amaral (MG): SIM
Loester Trutis (MS): SIM
Lourival Gomes (RJ): SIM
Luciano Bivar (PE): SIM
Luiz Lima (RJ): SIM
Major Fabiana (RJ): SIM
Marcelo Álvaro (MG): SIM
Márcio Labre (RJ): SIM
Nelson Barbudo (MT): SIM
Nereu Crispim (RS): SIM
Nicoletti (RR): SIM
Professor Joziel (RJ): SIM
Professora Dayane (BA): SIM
Sanderson (RS): SIM
Vitor Hugo (GO): SIM

PSOL

David Miranda (RJ): NÃO
Fernanda Melchionna (RS): NÃO
Glauber Braga (RJ): NÃO
Luiza Erundina (SP): NÃO
Marcelo Freixo (RJ): NÃO
Sâmia Bomfim (SP): NÃO
Talíria Petrone (RJ): NÃO
Vivi Reis (PA): NÃO

PT

Afonso Florence (BA): NÃO
Airton Faleiro (PA): NÃO
Alexandre Padilha (SP): NÃO
Arlindo Chinaglia (SP): NÃO
Benedita da Silva (RJ): NÃO
Beto Faro (PA): NÃO
Bohn Gass (RS): NÃO
Carlos Veras (PE): NÃO
Carlos Zarattini (SP): NÃO
Célio Moura (TO): NÃO
Enio Verri (PR): NÃO
Erika Kokay (DF): NÃO
Frei Anastacio (PB): NÃO
Gleisi Hoffmann (PR): NÃO
Helder Salomão (ES): NÃO
Henrique Fontana (RS): NÃO
João Daniel (SE): NÃO
Jorge Solla (BA): NÃO
José Airton (CE): NÃO
José Guimarães (CE): NÃO
José Ricardo (AM): NÃO
Joseildo Ramos (BA): NÃO
Leo de Brito (AC): NÃO
Leonardo Monteiro (MG): NÃO
Marcon (RS): NÃO
Maria do Rosário (RS): NÃO
Marília Arraes (PE): ABSTENÇÃO
Merlong Solano (PI): SIM
Natália Bonavides (RN): NÃO
Nilto Tatto (SP): NÃO
Odair Cunha (MG): NÃO
Padre João (MG): NÃO
Patrus Ananias (MG): NÃO
Paulão (AL): NÃO
Paulo Guedes (MG): NÃO
Paulo Pimenta (RS): NÃO
Paulo Teixeira (SP): NÃO
Pedro Uczai (SC): NÃO
Profª Rosa Neide (MT): NÃO
Reginaldo Lopes (MG): NÃO
Rejane Dias (PI): NÃO
Rogério Correia (MG): NÃO
Rubens Otoni (GO): NÃO
Rui Falcão (SP): NÃO
Valmir Assunção (BA): NÃO
Vander Loubet (MS): NÃO
Vicentinho (SP): NÃO
Waldenor Pereira (BA): NÃO
Zé Carlos (MA): NÃO
Zé Neto (BA): NÃO
Zeca Dirceu (PR): NÃO

PTB

Eduardo Costa (PA): SIM
Emanuel Pinheiro Neto (MT): SIM
Marcelo Moraes (RS): SIM
Maurício Dziedrick (RS): SIM
Nivaldo Albuquerque (AL): SIM
Pedro A Bezerra (CE): SIM
Pedro Lucas Fernandes (MA): SIM
Wilson Santiago (PB): SIM

PV

Célio Studart (CE): SIM
Enrico Misasi (SP): SIM
Israel Batista (DF): NÃO
Leandre (PR): SIM

REDE

Joenia Wapichana (RR): NÃO

REPUBLICANOS

Aline Gurgel (AP): SIM
Amaro Neto (ES): SIM
Aroldo Martins (PR): SIM
Benes Leocádio (RN): SIM
Cap. Alberto Neto (AM): SIM
Carlos Gomes (RS): SIM
Celso Russomanno (SP): SIM
Cleber Verde (MA): SIM
Dr. Gonçalo (MA): SIM
Gilberto Abramo (MG): SIM
Hélio Costa (SC): SIM
Jhonatan de Jesus (RR): SIM
João Campos (GO): SIM
Jorge Braz (RJ): SIM
Julio Cesar Ribeir (DF): SIM
Luizão Goulart (PR): SIM
Marcos Pereira (SP): SIM
Maria Rosas (SP): SIM
Milton Vieira (SP): SIM
Ossesio Silva (PE): SIM
Pr Marco Feliciano (SP): SIM
Roberto Alves (SP): SIM
Rosangela Gomes (RJ): SIM
Severino Pessoa (AL): SIM
Silas Câmara (AM): SIM
Silvio Costa Filho (PE): SIM
Vavá Martins (PA): SIM
Vinicius Carvalho (SP): SIM

SOLIDARIEDADE

Augusto Coutinho (PE): SIM
Aureo Ribeiro (RJ): SIM
Bosco Saraiva (AM): SIM
Dr. Leonardo (MT): SIM
Dra. Vanda Milani (AC): SIM
Eli Borges (TO): SIM
Genecias Noronha (CE): SIM
Gustinho Ribeiro (SE): SIM
Lucas Vergilio (GO): SIM
Marina Santos (PI): SIM
Ottaci Nascimento (RR): SIM
Paulo Pereira (SP): SIM
Tiago Dimas (TO): SIM
Zé Silva (MG): SIM]

Com UOL

Opinião dos leitores

  1. Já existem decisões judiciais autorizando compra privada sem repasse ao SUS. Se há vacinas disponíveis à venda por que o governo não compra? Não é apenas uma forma do governo se eximir ou dividir a sua responsabilidade não cumprida de comprar vacinas SUFICIENTES e EM TEMPO HÁBIL?

  2. Vou desenhar aqui, o governo federal compra 100 vacinas , os empresários não vão comprar mais 100 pra ajudar, vão comprar 50 do que o governo federal comprou e dar pra seus empregados, ou seja é institucionalizar o fura fila

  3. Os empresários vão comprar as vacinas disponibilizadas ao Sus, não vai aumentar o número de vacinas apenas vão ser destinadas aos empresários apaniguados enquanto a população ficará esperando ninguém sabe até quando.

  4. @Aluísio vallença; homi tu não entendeu, não? No Projeto a proposta é para as empresas que quiserem podem adquirir vacinas para serem aplicadas, gratuitamente, nos trabalhadores da empresa.sso só pra agilizar a fila do SUS. mas se o trabalhador não quiser tomar vacina na empresa vai pra fila do SUS.
    Precisa desenhar?
    A deputada votou contra porque ela é ruim, mesmo.

  5. Parabéns a todos os deputados que votaram a favor para que os empresários comprassem também as vacinas porque ai, já ajuda na aceleração da vacinação. Desde o começo da vacinação, postei na minha página lá no facebook, de que, eram para serem vacinados em sequência: A turma da “front”, ou seja, da saúde (graças a Deus) a grande maioria já estão vacinados, o pessoal da segurança pública no geral, os professores no geral, os motoristas de transportes coletivos/ônibus, alternativos, taxistas, Uber, trabalhadores e funcionários públicos de todas as áreas, ai sim, em seguida os idosos, já que essa turma é mais “caseira”. Um abraço!

  6. Meu caro BG, porque você não citou na reportagem os nomes dos “faltosos” (Beto Rosado, Rafael Motta e Walter Alves) e porque não colocou as fotos desses faltosos também? Cadê a sua imparcialidade? Seu leitor do seu blog, mas está ficando igual como muitos, parciais. Desde que esse governo federal assumiu o poder central que instalou a polarização/radicalização e a intolerância, que a “turma do PT” só leva no lombo, né isso? Não sou advogado de partido nenhum, mais sou “puto” quando veja noticias que não escuta os dois lados dos fatos. Um abraço!

  7. A cada dia fico mais surpreendido com a incapacidade de leitura e interpretação de alguns. Essa decisão, diferente do que os analfabetos funcionais raciocinaram, beneficia a sociedade como um todo, pois acelera a vacinação da população, aumenta a quantidade de vacina disponível (leia o texto e saiba interpretar pelo amor de Deus) e diminui o custo p/ o Estado. Mas acho que não adianta nem escrever isso, a turma do contra nem chegou até aqui. Parabéns aos deputados que votaram pelo sim.

  8. As cartas estão na mesa, dá para ver claramente as intenções, a turma do quanto pior melhor está unida.

  9. Vá entender!!
    O patrão quer comprar vacinas pra me vacinar e ainda tem gente contra??
    Pqp…
    É de lascar o C… com uma pedra um negócio desses.
    É imoral.
    Não dá pra entender, na minha cabeça não entra um absurdo desses.
    É sacanagem, só pode ser.
    Esse povo não quer que esse carai dessa pandemia seja controlada não???

  10. Alô alô TRABALHADORES!!
    O PT é 100% contra o seu patrão comprar vacina pra imunizar vcs.
    Ou seja, querem que vc morra, pra eles o quanto pior melhor.
    Não se esqueça desses canalhas, em 2022 dê o troco a essa gente, mate eles no voto.
    Não esqueçam.

  11. É o esquema fura filas institucionalizado. Os pobres desempregados que se danem. Farinha pouca meu pirão primeiro.

  12. O povo do RN precisa saber também das AUSÊNCIAS de Walter Alves e Rafael Motta. Pq não foram votar??

  13. Vejam a lista dos partidos que votaram contra, são verdadeiros genocidas. São cintra tratamento precoce, compra de vacinas pelas industrias, mas tem gente que nos comentários vai defender. Negacionistas estão dando as caras.

  14. Pense em uma politica mequetrefe de 5° categoria….Pensou ?? É bem melhor que essa jovem aí.

  15. Não surpreende, mas a deputada com esse voto mostra que não está na câmara para defender o povo e muito menos tem respeito às vidas. Todos precisam de vacinas, elas precisam chegar o mais rápido para que vidas possam ser salvas.
    A não ser que ela saiba que as vacinas não funcionam e tanto faz tomar ou não.
    Qualquer outro argumento, será mera desculpa.
    Por acaso ela é favorável ao lockdown, mesmo sem existir comprovação científica?
    Seria ela contrária ao tratamento preventivo por falta de comprovação científica? Se as duas respostas são sim, não resta dúvida, o que interessa a ela é a ideologia política, nunca foi e não será o melhor para o povo, nem respeito as vidas.

  16. Isso aí é obrigação desse governo de incompetentes. Vai ser uma forma de furar fila e as empresas ainda vão cobrar o valor dos funcionários, pode anotar. Governo Federal inoperante e praticante da necropolítica.

  17. Essa Depurada, é uma contradição, veja bem , contra a classe PROLETARIADO mais um erro do POVO DO RN, assim como também se VOTOU no BOZO. Então, 2022, segui uma terceira via; deixando esses maus na SAGETA: BOZO, LULA, DEPUTADA NATÁLIA DO PT e outros que foram omisso.

  18. Se for feito uma relação dos votos dessa deputada vocês poderão ver o que é ser do contra. Não importa se o projeto é bom ou ruim….ela sempre vota contra. Foi assim com o voto contra para o marco regulatorio do SANEAMENTO no Brasil.

  19. Partidos “lacradores”, de oposição ao governo Bolsonaro (e ao Brasil), votando contra. E ainda têm a cara-de-pau de dizer que defendem a saude do povo. É incrível! Essa é a epidemia da mentira e da hipocrisia.

    1. Na Inglaterra, país comunista, vacina só a oferecida pelo poder publico. Respeitando as prioridades. Mas a inglaterra comunista não é exemplo pra ninguem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Ezequiel sugere ao Governo compra de produtos regionais para hospitais e kits da merenda escolar

Sugestão tem destaque para isentar agricultores de débitos de IPVA de moto e carros, do ano de 2020 e 2021

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), apresenta uma série de medidas para retomar e ampliar a produção da agricultura familiar no Rio Grande do Norte, em meio à crise causada com a pandemia do novo coronavírus. As propostas serão encaminhadas a governadora Fátima Bezerra (PT) e a bancada federal do Estado.

“A pandemia tem causado prejuízos em todos os setores e não é diferente na agricultura familiar. Precisamos fortalecer esta atividade econômica que é essencial para o nosso Estado. Além disso, investindo neste setor, possibilitamos também a ajuda aos que mais precisam, como a distribuição de cestas básicas e do reforço no Programa do Leite”, disse Ezequiel.

Ao Governo potiguar, Ezequiel sugere exatamente o aumento do volume de compra do Programa do Leite, com o objetivo de atender aos mais necessitados nesta pandemia e, consequentemente, fomentar a produção no interior do Estado. Além disso, defende incorporar em todas as licitações para aquisição de alimentos – seja para hospitais, merenda escolar, alimentação de apenados, restaurantes populares, etc. –, produtos regionais: leite, queijos de manteiga, iogurte, polpas/frutas da região.

O deputado ainda propõe agilidade para que as escolas estaduais distribuam kit merenda com produtos regionais aos alunos de baixa renda que estão em casa; isentar agricultores familiares e pequenos produtores dos débitos de IPVA de moto e carros, do ano de 2020 e 2021; disponibilizar linha de crédito emergencial com taxas especiais (2,0 % a.a.) para recuperação de ativos produtivos: rebanhos, máquinas e implementos agrícolas, implantação de forragem (especialmente palma forrageira), equipamentos de irrigação, packing house, entre outros; e implantar Sistema de ATER com acompanhamento efetivo de produtividades, preferencialmente pública, via: EMATER ou Sistema S: SENAR, SEBRAE, SESCOOP, entre outras.

Segundo os produtores potiguares, a solução para a pecuária do Estado passa pela Palma forrageira. Ezequiel defende a realização de pesquisa para colheita mecanizada para pequena e média produção de palma e o financiamento de máquinas e equipamentos para produção e armazenamento de forragem no semiárido.

Para a bancada federal, Ezequiel preparou uma série de sugestões para que os representantes potiguares possam buscar ajuda ao setor agropecuário potiguar. A primeira medida seria incluir no Programa de Compra Direta a aquisição de mais produtos artesanais de cada um dos estados nordestinos, especialmente de cidades de pequeno porte, fazendo com que aumente a circulação de recursos nos municípios.

Ainda de acordo com o presidente da Assembleia Legislativa é preciso regularizar as operações de crédito rural com aplicação de redutor nos saldos devedores dos agricultores do semiárido brasileiro; implantar sistema de Burocracia Zero para operações de crédito rurais para pessoas física e jurídica com Faturamento entre R$ 4.8 milhões de reais (pequena) até R$ 6 milhões (médio porte) no semiárido nordestino; e buscar um forte incentivo através de crédito rural para ampliação de atividades cujo potencial e vocação econômica já se tem conhecimento e tem margens para expansão e crescimento como a carcinicultura e fruticultura irrigada, ambas com alta capacidade de geração de empregos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

O futuro do Carrefour não será só o varejo alimentar, diz CFO após compra do Big

Foto: Carrefour/Divulgação

Uma aquisição anunciada na madrugada mexeu com o mercado. O Carrefour Brasil anunciou a aquisição do Grupo Big por R$ 7,5 bilhões. Caso seja aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o Brasil terá uma empresa de R$ 100 bilhões em faturamento. E o Carrefour não quer parar por aí.

Em entrevista ao CNN Brasil Business, o diretor financeiro da empresa, Sébastien Durchon, afirma que o Carrefour não vai parar apenas no varejo de alimentos. Ele, aliás, enxerga uma vantagem competitiva com outros concorrentes que estão entrando agora nesse mercado, como Magazine Luiza e B2W.

“Muitos entraram, mas nem todos tiveram sucesso. E o varejo não alimentar já é importante para o Carrefour. Apenas no digital, vendemos R$ 3 bilhões nessa área e queremos aumentar isso”, diz Durchon. “O nosso futuro não é só os alimentos. Nós só capturamos os clientes com eles.”

A compra do Big aumenta esse potencial, segundo Durchon. Apenas em sinergias, o Carrefour enxerga ganhos de R$ 1,7 bilhão. Mais do que isso, a companhia poderá estruturar o digital do Big do zero, já que a empresa deixou de lado o e-commerce. Um potencial para alcançar 15 milhões de consumidores.

Mas para que tudo isso aconteça, o Cade precisa aprovar a transação. Segundo Durchon, como os negócios são complementares, especialmente nas regiões Sul e Sudeste, a autarquia não deve apontar tantas sobreposições.

“Há um pouco de sobreposição e temos que olhar isso pelo lado do Cade. Vamos observar cada praça e separar os mercados. Pode ter algum remédio? Pode. Mas não achamos que vai ser algo tão grande”, diz ele.

Confira a entrevista completa a seguir:

Desde quando vocês estão em negociação com o Grupo Big? Quanto tempo demorou a operação?

Sempre tivemos interesse nesse ativo. Quando o Walmart saiu do país, nós havíamos deixado claro que tínhamos interesse na aquisição. Mas, na época, preferiram fazer uma transação com a Advent, por enxergarem como mais simples e rápida. Mas essa última conversa foi bastante recente. Eles lançaram o processo para o IPO no fim do ano passado e queriam explorar uma transação. A partir desse ano esse negócio entre as partes ficou mais ativo.

Vocês vão trocar todas as bandeiras do Grupo Big por Atacadão e Carrefour?

Para nós, não há uma necessidade em colocar uma bandeira do Carrefour em todas as lojas. Um exemplo é que 70% do nosso negócio vem do Atacadão. O que sempre procuramos é a eficiência e ajudar os nossos clientes. No caso do Big, a nossa avaliação é que a nossa operação de hipermercado e cash & carry (atacarejo) é mais eficiente.

E quanto as outras bandeiras?

O Sam’s Club, por exemplo, é um bicho totalmente diferente. Então, não faz sentido mudar a bandeira. E com o Sam’s Club teremos um terceiro modelo que já dá um lucro bem razoável. E nós queremos melhorar ainda mais o modelo com novas ideias. Na primeira avaliação, nós enxergamos 60 lojas a mais do Sam’s Club [atualmente, são 35].

No Nordeste, há bandeiras fortes, como a Bom Preço. E respeitamos ela. Não está 100% definido, mas a tendência é que vamos integrar as duas marcas. A nossa questão é aprender e ver o que faz sentido. Temos uma abordagem pragmática. Vamos manter as bandeiras quando fizer sentido.

O Cade não pode criar algumas barreiras com uma empresa que se tornará ainda mais gigante? O consumidor pode ser lesado?

Para nós, o varejo de alimentos é muito local. O Brasil é um país continental. Com isso, você vai para qualquer região do país e encontra bandeiras muito fortes. Para nós, sempre foi e sempre vai ser um mercado supercompetitivo. É um setor com margens superbaixos e, caso quiséssemos subir o preço, um novo concorrente entraria e cobraria menos. A barreira de entrada não existe. O cliente vai se beneficiar. Vamos converter as lojas e quem tem o menor preço? O Carrefour. O consumidor do Big vai se beneficiar. No caso do Atacadão é a mesma coisa. É uma transação que vai devolver poder aquisitivo para o brasileiro.

Mas não pode ter barreiras em alguns mercados em que as duas empresas são fortes?

Há um pouco de sobreposição e temos que olhar isso pelo lado do Cade. Vamos observar cada praça e separar os mercados. Pode ter algum remédio? Pode. Mas não achamos que vai ser algo tão grande.

Como vocês vão reestruturar a operação do e-commerce do Big?

Hoje, o Big não tem e-commerce. São uns 15 milhões de clientes que vão ter acesso às lojas e a programas de fidelidade em todos os sites do grupo. Para nós, é uma das grandes sinergias e com um investimento adicional zero. O mesmo vai acontecer com as parcerias, com Rappi e Cornershop.

O ritmo de expansão do Atacadão vai mudar?

Costumávamos abrir 20 lojas por ano. Neste ano, vai ser diferente pois vamos reabrir as lojas que compramos do Makro, o que vai dar 45 unidades. Vai ser um ano de muito crescimento. Depois da aprovação da aquisição, é possível que reduziremos o ritmo de novas lojas. Mas nós enxergamos potencial para expansão.

Fazer um movimento desse tamanho no meio de uma pandemia não é um risco?

Não temos receio de fazer esse tipo de movimento. A estratégia da empresa não mira o curto prazo. A nossa estratégia é de longo prazo. Por agora, esses próximos meses serão desafiadores, mas vamos gerar uma página de maior crescimento à frente.

Estão olhando por novas aquisições?

É uma transação grande e há muito trabalho pela frente. No curto prazo, não temos outras aquisições em vista. Mas o Carrefour fez outros movimentos, como a compra do site de receitas CyberCook, que foi integrado ao sistema, e também outros negócios de tecnologia. Esses tipos de movimentos podem ser feitos.

Como você enxerga a entrada de novos players no setor de alimentos? Magazine Luiza e B2W já estão investindo pesado nessa área.

Muitos deles estão tentando entrar no setor de alimentos e é muito interessante ver essa paixão nova para eles. E existe um motivo para eles fazerem isso: o segmento traz recorrência de compra e é algo que nós temos. Mas é um tipo de mercadoria que não é fácil de operar. Muitos entraram, mas nem todos tiveram sucesso. E o varejo não alimentar já é importante para o Carrefour. Apenas no digital, vendemos R$ 3 bilhões nessa área e queremos aumentar isso. A oportunidade está aí e do ponto de vista da transação com o Big, aumenta ainda mais. O nosso futuro não é só os alimentos. Nós só capturamos os clientes com eles.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Grupo Carrefour anuncia que vai comprar rede Big, avaliada em R$ 7,5 bilhões

Foto: Reprodução

O grupo Carrefour anunciou, na madrugada desta quarta-feira (24), que fechou acordo de compra da rede de supermercados Big (ex-Walmart), avaliada em R$ 7,5 bilhões.

O fato relevante publicado pela empresa compradora afirma que “a aquisição do Grupo BIG expandirá a presença do Carrefour Brasil em regiões onde tem penetração limitada, como o Nordeste e Sul do país, e que oferecem forte potencial de crescimento. A rede de lojas do Grupo BIG, portanto, apresenta forte complementaridade geográfica”.

O Grupo Carrefour Brasil atua há mais de 40 anos no Brasil, com lojas em 150 cidades, nos 26 estados e no Distrito Federal.

Já o Grupo Big é controlado pelo fundo de investimento Advent, que comprou a operação da companhia americana Walmart em 2018. Desde então, os novos controladores fizeram uma operação de reestruturação do Walmart, que nunca teve vida fácil no Brasil. Fechamento de unidades deficitárias e até o fim da marca Walmart no Brasil foram algumas das decisões da Advent.

A empresa pretendia fazer uma abertura de capital na bolsa brasileira em 2021. No prospecto enviado para os investidores, a empresa mostrou fortes resultados. A receita líquida de janeiro a setembro foi de R$ 15,7 bilhões, alta de 5,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já o lucro foi de R$ 3,06 bilhões, o que fez a empresa reverter um prejuízo de R$ 80 milhões nos nove primeiros meses de 2019.

Segundo a varejista, a oferta primária serviria para abrir novas lojas de atacarejo, postos de combustíveil e conversão dos hipermercados para atender o setor de atacado.

Segundo o ranking Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo (Ibevar) a empresa é quarta maior varejista do Brasil. Se for contada apenas o varejo de alimentação, está atrás apenas do próprio Carrefour e também do Grupo Pão de Açúcar.

O Grupo Big possui sete marcas no país, como Sam’s Club, Superbompreço, Maxxi Atacado e Mercadoramma, além do próprio Big. No total, a empresa possui 389 lojas espalhadas por 181 cidades.

Para ser concretizado, o negócio precisa do aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Em nota, o Carrefour diz esperar que a operação seja concluída em 2022.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O correto seria o CADE não aprovar, pela forte concentração e diminuição da concorrência. Claro. Mas duvido…

    1. BG.
      Ficaremos na mão de um monopólio o que trara aos consumidores enormes PREJUÍZOS. O cade deve dizer NÃO.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministério da Saúde acerta compra de 39 milhões de doses da vacina russa Sputnik V contra a covid-19 que vinha sendo alvo de governadores do Nordeste

FOTO: AGUSTIN MARCARIAN/REUTERS

O Ministério da Saúde acertou a compra de 39 milhões de doses da vacina russa Sputnik V contra a covid-19 de um acordo que estava sendo costurado por governadores da região Nordeste, informou o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que tem liderado as tratativas dos chefes estaduais do país na busca de imunizantes.

Dias disse que a expectativa é que o acordo seja celebrado na manhã de sexta-feira com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Segundo ele, os 39 milhões de doses — ao custo de US$ 9,05 cada — devem ser repassados ao governo federal para usar no plano nacional de imunização entre março e julho.

“O ministério vai comprar as vacinas e com base nessa compra nós vamos garantir as condições de vacinas para todos os brasileiros”, disse Dias. “Serão 39 milhões de doses já neste contrato e será agendado já pela manhã as condições da contratação de vacina da Sputnik com o fundo soberano russo, com a União Química e com o Ministério da Saúde aqui através deste entendimento com o Consórcio Nordeste”, emendou ele, em vídeo distribuído por sua assessoria.

O anúncio do acordo ocorreu, segundo o governador, em um encontro virtual entre chefes de Executivo estaduais e o ministro da Saúde. Dias destacou que as tratativas do Consórcio Nordeste para obtenção da Sputnik vinham sendo lideradas pelo governador da Bahia, o petista Rui Costa.

Esse imunizante, entretanto, ainda não possui aval para uso dado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), mas a intenção é que o ministério compre e possa usar na vacinação de toda a população brasileira.

No pior momento da pandemia no Brasil, nos últimos dias governadores, prefeitos e parlamentares têm pressionado e se movimento para ampliar o número de vacinas disponíveis no país para imunização.

R7, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. Os idiotas seguidores do Bozó pensam que a praga e de piolho…aconselhando tomar remédio pra acabar com os piolhos.. Idiotas, é COVID-19 , temos que tomar vacina e usar máscara. Vcs podem usar no lugar que o filho do jegue recomendou, bom proveito.

  2. É só apertar que a solução sai. Foi só os governadores colocarem em prática o plano de que, se não houvesse uma decisão rápida e objetiva do Ministério da Saúde, os estados tomariam a vez… E esse governo ODEIA ser ator coadjuvante.

  3. O ministério da saúde compra e paga mais os governadores vão dizer que foram eles, até na desgraça esse povo quer levar vantagem.

  4. Graças a Deus, se não esse Consórcio Nordeste desviaria mais dinheiro. É só lembrar os quase 100 milhões que eles perderam na compra de respiradores. O governo de Fátima do PT perdeu 5 milhões, o dinheiro foi parar em uma empresa fantasma.

    1. A canhota tá querendo abrir CPI da saúde. Aí eu pergunto: Cadê os cinco milhões dos respiradores?
      Só uma simples pergunta.

  5. Hô Véio Bom da gota serenaé Bolsonaro e o Ministro Pazuello. Vamos terminar o ano com todos os brasileiros vacinados e o Brasil sendo modelo para o mundo e distribuindo vacinas para outros paises.
    Quando na há corrupção, as coisas dão certo.
    MITO REELEITO NO PRIMEIRO TURNO.
    Chupa petralhas que o homem é forte, o homem é macho, já avisei quem não quiser cair que se deite, que o pau vai ser grande em 2022.

    1. O amigo errou vamos terminar o ano de 3021 com todos vacinados.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Bolsonaro sanciona lei que facilita compra de vacinas contra Covid-19

Foto: Reprodução / TV Brasil

Em uma cerimônia na qual ele e as demais autoridades usavam máscara, o presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira (10) a lei que facilita a compra de vacinas contra a Covid-19.

Ao ser anunciada na noite desta terça, a agenda oficial do presidente não previa o evento para sanção das leis relacionadas à vacinação. A cerimônia foi convocada na manhã desta quarta.

Bolsonaro sancionou uma medida provisória e dois projetos de lei aprovados pelo Congresso Nacional:

PL 534/2021: facilita a compra de vacinas pela União, pelos governos estaduais e municipais e pela iniciativa privada.

MP 1.026/2021: permite compra de vacinas antes de aval da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e dá sete dias úteis para a agência decidir sobre a aprovação temporária de vacinas.

PL 2.809/2020: prorroga até 31 de dezembro de 2020 a suspensão da obrigatoriedade de manutenção de metas pelos prestadores de serviço de saúde no Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo a Secretaria-Geral da Presidência, houve vetos em alguns trechos do projeto que permite a compra de vacinas por União, estados, municípios e iniciativa privada.

Durante a cerimônia, o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, defendeu a adoção de medidas que tentam conter a contaminação pelo novo coronavírus.

“Use mascara, faça o distanciamento social e tenha uma boa higiene”, disse Barra Torres.

Ao discursar, Bolsonaro tirou a máscara. Ele minimizou a importância do isolamento social, recomendado por médicos e cientistas como medida profilática contra a Covid.

“A politica do lockdown adotada no passado, o isolamento ou confinamento, visava tão somente dar tempo para que hospitais fossem aparelhados com leitos de UTI [unidades de terapia intensiva] e respiradores. O governo federal não poupou esforços, não economizou recursos para atender todos estados e municípios”, afirmou.

No discurso, Bolsonaro listou atos assinados para viabilizar a vacinação e disse que o país adquiriu mais de 270 milhões de doses de vacinas, a maioria para o primeiro semestre deste ano.

O presidente reforçou a necessidade de procurar atendimento médico nos primeiros sintomas e voltou a defender o que chamou de “tratamento imediato”, como o uso de medicamentos sem eficiência comprovada pela ciência contra o novo coronavírus.

Na cerimônia, Bolsonaro também sancionou uma lei que prorroga a suspensão do cumprimento de metas pelos prestadores de serviço de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

O texto autoriza ainda a utilização da declaração do gestor local do SUS como instrumento comprobatório da prestação de serviços ao SUS para fins de concessão e renovação da certificação de entidades beneficentes na área da saúde.

Interrupção da vacinação

Nesta terça-feira (9), o Ministério da Saúde reconheceu o risco de interrupção da campanha de vacinação diante da escassez da oferta internacional e pediu ajuda à China, país várias vezes hostilizado por Bolsonaro, pelos filhos dele e por integrantes do governo.

A pasta enviou ofício à embaixada da China no Brasil para pedir auxílio para a compra de 30 milhões de doses da vacina da farmacêutica chinesa Sinopharm.

Desde janeiro, o país utiliza os imunizantes CoronaVac e Oxford/AstraZeneca. No momento, o governo tenta ampliar a oferta de doses e negocia a compra de outros imunizantes, como o produzido pela Pfizer, único com registro definitivo concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O balanço da vacinação registrou nesta terça-feira (9) que 8.736.891 pessoas receberam a primeira dose de vacina (4,13% da população brasileira). A segunda dose foi aplicada em 2.975.266 pessoas (1,41% da população).

Com informações do G1

Opinião dos leitores

  1. Bastou um discurso de Lula pra esse ridículo botar uma máscara na cara…
    Agora vai começar a chuva de mentiras pra tentar dissimular todo o mal que fez até agora. Besta é quem vai na onda.

  2. BG, vc é o melhor acessor do Governo Federal aqui no estado. Fábio Farias deve tá muito satisfeito

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Instituto Vital Brazil negocia com Bolsonaro a compra de 100 milhões de vacinas da Índia contra a Covid-19 e criação de fábrica de imunizantes

Foto de arquivo

O Instituto Vital Brazil aguarda o Ministério da Saúde assinar, nos próximos dias, o contrato que permitirá transformação do laboratório em um polo produtor de vacinas e que garantirá o fornecimento ao Brasil da ZYCOV-D, vacina que resiste em temperatura ambiente e pode ser atualizada contra novas cepas.

Laboratório oficial do estado do Rio de Janeiro, o centenário Vital Brazil firmou parceria com a multinacional indiana Zydus Cadila, uma das maiores farmacêuticas do mundo, para trazer ao Brasil a ZYCOV-D, vacina de DNA que resiste em temperatura ambiente, sem necessidade de refrigeradores para o transporte e o armazenamento.

Além do fornecimento ao Brasil de 100 milhões de doses nos próximos 12 meses, o acordo prevê transferência de tecnologia, formação de pessoal técnico e construção de uma fábrica de padrão internacional para a produção de imunizantes, incluindo a ZYCOV-D. Novas oportunidades de emprego serão criadas sem onerar os cofres públicos. Será uma planta moderna, com capacidade de produção de aproximadamente de 500 milhões de doses anuais. E financiada pela venda da ZYCOV-D no Brasil.

Desde a assinatura do acordo com a Zydus Cadila, o Vital Brazil vem negociando com o Ministro da Saúde Eduardo Pazuello, a compra da vacina de DNA, que tem entre suas vantagens a possibilidade de rápida atualização para combater as novas cepas do coronavírus que estão aparecendo em várias partes do mundo.

O contrato de encomenda tecnológica com o Ministério da Saúde, por meio do qual as primeiras cinco milhões de doses seriam entregues já em abril, está em fase final de negociação. O Instituto Vital Brazil espera que a assinatura ocorra nos próximos dias, o que garantiria a entrega das doses e construção da nova fábrica de imunizantes.

Ancelmo Gois – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Ainda ontem o Presidente da Câmara dos Deputados foi rastejar pra o embaixador da China enviar vacina, dizendo que o Brasil não é só o executivo, etc, etc…
    Aliás, o Eduardo Bananinha tá tão calado ultimamente…nunca mais atacou a China…kkkkkkkk
    Se bem que ele tem mais com o que se preocupar….por exemplo com a casa de 6 milhões de reais do irmão rachadinho…mummmmmmmmmmmm

    1. Ei Queiroz!!
      Vc precisa lê mais o blog do BG viu??
      Nós somos um dos países que estamos bem a frente no ranque mundial no tocante a vacinação do covid.
      Vacinamos mais do que muitas potências mundiais.
      Tá tudo aqui no blog BG.
      Leia mais pra não está passando vergonha tá??

    2. Não, nego.
      Covid-19: Brasil ocupa 7ª posição no ranking de doses aplicadas
      País já imunizou 5.933.678 milhões de pessoas. No cálculo por 100 habitantes, o lugar está bem mais abaixo: 46º

    3. Queiroz é uma pronúncia em português,
      Não falo inglês nem escrevo, mas vc entendeu sabichão.
      Avisa ao teu personagem geremias pixuleco.
      Rsrsrsrs

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Nove prefeituras no RN aderem a consórcio para compra de vacinas contra Covid-19

Reportagem do G1-RN nesta segunda-feira(07) destaca que nove das 167 prefeituras de municípios potiguares aderiram ao consórcio que deverá ser criado pela Frente Nacional de Prefeitos para tentar compra de vacinas contra Covid-19, segundo lista divulgada pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) na última sexta-feira (5). O consórcio municipal por mais vacinas contra Covid-19 no Brasil, coordenado pela entidade, obteve um total de 1.703 prefeituras inscritas até o prazo final, que terminou às 12h da última sexta-feira (5).

Segundo a reportagem, a lista de cidades que aderiram divulgadas pela FNP na sexta-feira, não incluía Natal – uma das três únicas capitais fora do projeto. Porém, questionada nesta segunda-feira (8), a Prefeitura de Natal informou que a capital potiguar aderiu ao consórcio e recebeu confirmação por parte da FNP.

As cidades potiguares que aderiram foram as seguintes:

Caicó – 68.343 moradores

Assu – 58.384 moradores

Apodi – 35.874 moradores

Alto do Rodrigues – 14.728 moradores

Jardim do Seridó – 12.396 moradores

Umarizal – 10.520 moradores

Serra Negra do Norte – 8.092 moradores

Itaú – 5.897 moradores

Santa Maria – 5.621 moradores

Natal informou que aderiu ao programa, embora não apareça na lista da FNP

O movimento das cidades teve início após o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar que estados e municípios comprem e distribuam doses do imunizante.

A Frente Nacional de Prefeitos reúne as 412 cidades com mais de 80 mil habitantes, mas qualquer município brasileiro teve a chance de aderir ao consórcio, sem custo para as prefeituras.

Mais detalhes AQUI em reportagem na íntegra do G1-RN.

Opinião dos leitores

  1. Bolsonaro encheu os cofres do Estado e das Prefeituras de dinheiro,compram o que quiser,dinheiro tem demaisssssssss !!!!!!

    1. Os cofres estão cheios de dinheiro enviado pelo presidente da República, ora!

  2. Vai faltar braço para vacinar , a intenção é uma só …Já sabem ??? Pergunte cadê os R$ 5.000.000,00 ?? E os respiradores lixos que compraram ???

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministério da Saúde confirma acordo com a Moderna para compra de 13 milhões de vacinas contra a Covid-19

 Foto: REUTERS/Eduardo Munoz

O Ministério da Saúde informou à CNN nesta sexta-feira (5) que fechou acordo com a Moderna para compra de vacinas contra a Covid-19 produzidas pela farmacêutica americana.

Ao todo, o acordo prevê 13 milhões de doses da vacina no segundo semestre de 2021.

Segundo integrantes da pasta, o acordo foi fechado durante a reunião do secretário-executivo do ministério, Elcio Franco, com representantes da Moderna na manhã desta sexta (5).

Os auxiliares do ministro Eduardo Pazuello ressaltaram que o contrato ainda não foi fechado. A previsão é de que a assinatura ocorra nas próximas semanas após ajuste dos termos.

Confira o cronograma previsto de entrega das doses da vacina:

Total: 13 milhões de doses em 2021

Até final de julho: 1 milhão de doses

Até final de agosto: 1 milhão

Até final de setembro: 1 milhão

Outubro e dezembro: 10 milhões

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Julhoooo?? Kkkkk, esse ministério da saúde é uma piada. Ainda bem que o presidente DORIA, tomou a frente e possibilitou vacina para os brasileiros.

    1. Eh só esse “argumento “ que vc tem pra defender seu MINTOmaníaco? Kkkkkkk. A limitação intelectual parece ser condição sine qua non pra ser bolsopetista!

    2. Mais uma vez o Bozo cancela o pronunciamento que ia fazer na tv….
      O Mito é um frouxo mesmo…..
      Ser uma vaca sebosa de um covarde como o Bozo é o fundo do poço da decadência

  2. Massa! Assim quem sabe não sofreremos tanto na terceira onda, pq agora na segunda a pilha de mortos vai pra conta do MINTOmaníaco!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo federal chegou a um acordo para a aquisição de 100 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19, confirma ministro Fábio Faria

Foto: Reprodução/Instagram

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, confirmou na tarde desta quarta-feira(03) que o governo federal chegou a um acordo para a aquisição de 100 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19.

VEJA MAIS: Governo decide comprar ‘todas as vacinas disponíveis’ da Pfizer e da Janssen

O ministro ainda destaca que a vacina, inclusive, já teve o registro definitivo aprovado no país pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O anúncio será feito de forma oficial ainda hoje pelo Ministério da Saúde.

“O acordo foi fechado em reunião do ministro da Saúde Eduardo Pazuello com o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco”, disse.

Opinião dos leitores

  1. Pode comprar todas as vacinas do mundo que não muda o fato de estar atrasado ( já houve milhares de mortes desnecessárias e evitáveis) e sobretudo de ter feito isso graças ao Dória. É a reeleição que importa para esses idiotas.

  2. Parabéns, Pr. Bolsonaro!!
    Continue firme porque a maioria dos brasileiros está do seu lado.
    A esquerda está dando os últimos suspiros.

  3. Se tiver disponibilidade de produção o governo Bolsonaro vai comprar tudo para assistir a população brasileira, parabéns presidente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Flávio Bolsonaro diz que usou recurso da venda de imóvel no Rio e mais da metade de valor financiado para comprar mansão de R$ 6 milhões em Brasília

Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) afirmou nesta terça-feira que comprou no início do ano uma mansão no valor de R$ 6 milhões no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, com recursos da venda de seu imóvel no Rio de Janeiro. Em nota, Flávio diz ainda que a maior parte do valor da operação foi financiada. O filho do presidente Jair Bolsonaro é investigado por suspeita de realizar lavagem de dinheiro por meio da venda e compra de imóveis, na suposta existência de um esquema de desvios de recursos dos salários de seus assessores quando era deputado estadual da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

“A casa adquirida pelo senador Flávio Bolsonaro em Brasília foi comprada com recursos próprios, em especial oriundos da venda seu imóvel no Rio de Janeiro. Mais da metade do valor da operação ocorreu por intermédio de financiamento imobiliário. Tudo registrado em escritura pública”, diz a nota.

A compra da casa foi revelada nesta segunda-feira pelo site “O Antagonista”. O GLOBO também teve acesso ao registro do negócio em cartório, cujo valor da compra foi de R$ 5,97 milhões. O documento informa que o imóvel tem 2.400 m², fica localizado em uma área batizada de “Setor de Mansões Dom Bosco” e teve a aquisição registrada no dia 29 de janeiro. Constam como compradores Flávio e sua esposa, Fernanda Antunes Figueira Bolsonaro, com quem é casado sob comunhão parcial de bens. A vendedora é a RVA Construções e Incorporações.

A certidão do imóvel registra que, do total do imóvel, houve a contratação de um financiamento junto ao Banco de Brasília (BRB) para o pagamento de R$ 3,1 milhões. Serão 360 prestações mensais, com taxas de juros entre 3,65% e 4,85%. Flávio ganha salário de R$ 33 mil mensais como senador.

Infográfico: Confira quem são e como se relacionam as famílias empregadas nos gabinetes do clã Bolsonaro

O valor do imóvel é quase quatro vezes o patrimônio declarado por ele nas eleições de 2018. Naquele ano, ele de informou possuir bens no valor total de R$ 1,7 milhão, incluindo dois imóveis e participações em uma loja de chocolates — recentemente, Flávio vendeu a participação na loja.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Não bata ser honesto,tem que demonstrar.Esta conversa não cola.Esta rapaz é novo na praça,o chocolataria dava prejuízo,está escondendo o sol com a peneira.
    Esta casa é a ponta do iceberg.

  2. E, se querem levantar suspeitas sobre a origem do patrimônio de alguém, tragam provas. Senão, estarão cometendo crime de calúnia, injúria ou difamação. Código Penal. E sujeito a indenização na área cível.

    1. Flávio Bolsonaro está respondendo crimes devido a rachadinha que ele fazia com Queiroz! Como ele não conseguiu provar sua inocência, nem tem como pois as provas dos crimes cometidos por eles são robustas, ele está conseguindo anular , depois de muitos e muitos recursos processuais e apelar para uma prerrogativa de função (conhecido popularmente como foro privilegiado – sim, aquele mesmo que tanto ele como o pai tanto criticavam, lembram?) Então provas contra Flávio Bolsonaro tem de sobra viu!

    2. A Federal revirou tudo da família de Lula e não encontrou nada sobre o Lulinha. Mas essa fake news vc continua repetindo!

  3. Financiar um 8movel TD bem. O problema q só ele consegue essa tx de 3.85%. será q ele consegue pra mim. A minha de 8.69%

  4. Artigo tendencioso, sugerindo sigo errado, sem nenhuma prova ou sequer evidência. Globo, né? A questão não é o imóvel em si, se é uma "mansão" ou um "cafofo". A questão é COMO foi adquirido o imóvel, de onde vieram os recursos para sua compra e/ou construção. Foi oriundo de propinas, foi uma retribuição por algo, foi roubado de alguém? Enfim, as pessoas têm todo o direito de viver bem, desde que às próprias custas e de forma honesta, lícita. É bem simples.

    1. Justifica como ele consegue sobreviver com o salário de senador. Diz quais são as demais fontes de renda da família.

    2. A senhora ou senhor pode até ser honesta(o), mas sabemos que o filho do presidente não… Assim como Lula e entrono também não são… Portanto, não gaste suas energias para defender corrupto, assim como muitos fazem, seja pela esquerda ou pela direita. Estamos caminhando para mais uma década perdida e os brasileiros defendendo bandido A ou bandido B. Boa sorte.

  5. É porque Lula guardou o dinheiro fora do Brazil, nunca vai aparecer. Quem guarda, foi muito bem pago. O que admira a todos nós, é tanta preocupação com os filhos de Bolsonaro. E filhos de Lula, de onde tiraram tantos bens e dinheiro?

    1. O problema com os filhos de Bolsonaro é porque se diziam muitíssimos honestos.A família mais honesta do planeta terra.so ir isso.

    2. O problema não é lula,está condenado O problema é que repete as mesmas práticas.
      O Hitler quando invadiu a Rússia,sabia que Napoleão tinha sido derrotado,mas repetiu o mesmo erro.
      A historia se repete!!

  6. Aaaaaipapai

    Rachadinha dá dinheiro demais ?????????????

    Valeu Queiroz.

    Vcs aí com inveja, vão atrás de uma boquinha pra mamar tbm

  7. A turma do mensalão e do petrolao quer voltar.
    Para isso, tentam criar factoides para a população esquecer das dezenas de bilhões que eles desviaram.

  8. Nessa casa de FLAVITO tem muita animação
    é chocolate em todo canto a e laranja de montão
    É festa todo dia com churrasco e arrasta pé ?
    Só tem que ter muito cuidado
    pois na piscina tem um grande JACARÉ ?
    AÍ PAPAI ! PIXU só tirando onda
    Chega Das Dores ! Bota meu almoço .

  9. Eu só não entendo, como a casa de LULA, (o maior ladrão de todas as galáxias), é um kitnet na frente dessa mansão? Roubar tanto pra viver num cafofo…pq meu Deussss.

    1. O esquerdista é cara de pau mesmo.
      Durante 13 anos, o PT promoveu o mensalão e o petrolao…
      Bilhões e bilhões desviados.
      Em 2003, a Oi comprou uma empresa de fundo de quintal do filho de Lula por 5 milhões de reais, o que hoje em dia seria 15 a 20 milhões.
      É bom lembrar que mafiosos não colocam bens em seu próprio nome.
      Depois do mensalão e do petrolao, o PT quer posar de bonzinho .

    2. Sr. Greg, o senhor acha mesmo que Janja queria casar com o dito cujo se ele não fosse milionário?
      Vai ver tá no nome dela como foi feito com a finada da Avon.

    3. Vc viu o patrimônio do lulinha? Do gabinete civil Palocci? Do tesoureiro do pt? Do lider do governo pt a época?Do que a lava jato bloqueou dele? Cuidado com essa venda nos zói, vai que um poste passa na sus frente. Rsrsrs

    4. A narrativa agora é essa: Lulaladrão roubou mais? Tenham paciência, o MINTO só está na presidência faz dois anos somente… Como ele está a cada dia mais parecido com DilmAnta, pode ser que quando ele chegar na meta, queira dobrar a meta…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Compra da casa própria passa por um dos melhores momentos na história do País

Diminuição das taxas de juros e maior facilidade para obtenção do crédito imobiliário contribuem para o cenário positivo. Fotos: Divulgação

Apesar da pandemia ter provocado incertezas econômicas, diversos indicadores apontam que o momento é muito propício para quem pretende realizar o sonho de sair do aluguel ou mudar para um imóvel maior e mais confortável. Isso porque o cenário apresenta taxas de juros mais baixas da história, além da criação de linhas de créditos imobiliários pelos bancos.

Dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), mostram que os financiamentos imobiliários bateram recordes nos últimos meses e a expectativa é fechar o ano de 2021 em alta. A notícia merece ser comemorada, mas especialistas sugerem que pode ser importante aproveitar o bom momento antes que os preços subam nos próximos meses.

E se por causa da pandemia, muitas pessoas buscaram um imóvel com mais conforto, espaço e segurança, o condomínio fechado Mar do Atlântico desponta como a melhor opção na Zona Norte de Natal. O projeto reúne diferenciais que ainda não tinham sido oferecidos para a região. Com previsão de entrega para 2022, o empreendimento fica a cinco minutos da ponte Newton Navarro, próximo a supermercados, shoppings, escolas e universidades, além de centros comerciais e praias.

O Mar do Atlântico possui casas duplex com 99 ou 114m² de área privada e opções com dois ou três quartos, uma ou duas suítes. O condomínio fechado conta ainda com portaria blindada, área de lazer com piscina adulto e infantil, churrasqueiras, mini campo e playground. “Esse é o momento de aproveitar as boas condições do mercado para adquirir a casa própria. É investir em qualidade de vida, seja para primeira moradia ou para fazer um upgrade no imóvel”, afirma Adriana Araúo, gerente comercial do empreendimento.

O condomínio fechado Mar do Atlântico tem construção pela Sete Mares Incorporadora e conta com stand de vendas na avenida João Medeiros Filho – estrada da Redinha e os melhores corretores da cidade. O projeto possui vantagens para o pagamento através de financiamento pela Caixa, com entrega garantida e parcelamento facilitado.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *