Saúde

Prefeito, vice-prefeito e vereadores de Ceará-Mirim assinam manifesto para envio de mais vacinas e insumos

Foto: Divulgação

Com vacinação iniciada para a faixa a partir de 40 anos, a Prefeitura de Ceará-Mirim teve que suspender, assim como outras cidades do Rio Grande do Norte, a imunização da população em virtude da falta de vacinas e de seringas. Por esse motivo, o prefeito Júlio César Câmara, o vice-prefeito Marcílio Dantas, e todos os vereadores da cidade assinaram nesta quinta-feira (1º) um manifesto endereçado ao Governo do Estado cobrando o envio de mais doses e insumos.

No documento, o grupo cobra transparência, celeridade e igualdade na distribuição de vacinas, respeitando os critérios populacionais. De acordo com o último censo do IBGE, Ceará-Mirim tem 73.886 mil habitantes, mas recebeu quase 4 mil doses a menos de vacinas do que Caicó, cidade com 68.343 mil habitantes.

Até o momento, não foram informados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) os motivos ou quais os critérios técnicos que justifiquem a diferença no envio das vacinas.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Candidato a vice Prefeito do PSL em Mossoró é denunciado por calote em torno de 770 mil reais, destaca reportagem

O Diário Político destaca nesta sexta-feira(13) que recebeu com exclusividade informações de uma denúncia feita pelo empresário Paulo Eriberto Soares Suassuna Barreto feita junto ao Ministério Público Federal sobre dívida não paga pelo candidato a vice-Prefeito Dr. Daniel Sampaio do PSL, integrante da chapa com a candidata Cláudia Regina (DEM).

Segundo texto da manifestação pública feita no site do MPF, Paulo Eriberto dono da empresa Matuê Produções Cinematográficas LTDA ME, diz que Dr. Daniel Sampaio não pagou uma dívida de serviços prestados para a campanha Eleitoral num valor de R$500.000,00 (quinhentos mil reais). De acordo com o contrato assinado por Dr. Daniel, havia previsão de pagamento da segunda parcela dos serviços que deveria ter sido repassada dia 27 de outubro, mas não aconteceu. Segundo o empresário os valores viriam do PSL Nacional repassados a Dr. Daniel que é o presidente da sigla no RN.

Desvio

O empresários narra que apesar de Dr. Daniel ter alegado em uma reunião da equipe de marketing dia 24 de outubro que estaria com dificuldades para receber os 500 mil da nacional do PSL, o próprio partido assinou neste mesmo valor a prestação de serviços com escritórios de advocacia e contabilidade até então sem previsão e sem ligação com a campanha da candidata Cláudia Regina.

Pela narrativa da denuncia Dr. Daniel teria desviado os recursos, num determinado e num trecho da denúncia é colocado por Paulo Eriberto: “Dr. Daniel informou que precisava desse dinheiro para pagar dívida com agiotas adquiridas em sua campanha para deputado estadual no ano de 2018”. Tal revelação chocou os presentes na reunião e o presidente do PSL no RN chegou a ser alertado, “Diante do alerta, o Dr. Daniel afirmou que esperaria o dinheiro chegar e veria como pagar o marketing da campanha, como regularmente contratado pelo PSL Estadual”, diz a denúncia encaminhada ao MPF.

O empresário cita que os R$500.000,00 chegaram dia 29 de outubro via PSL Nacional a Dr. Daniel, mas ele não pagou as equipes de marketing contratadas. O dinheiro, segundo a denuncia, foi direcionado integralmente para pagamento de um contrato com um escritório de advocacia e outro de contabilidade sem ligação com a chapa que disputa Prefeitura de Mossoró.

Dívida é maior

São pelo menos quatro prestadores que aguardam os pagamentos pelos serviços de marketing, contratados pelo PSL de Mossoró em nome de Dr. Daniel e os valores superam os 770 mil reais: Paulo Eriberto (Matuê Produções Cinematográficas, falta receber R$354.747,80); Thiago Medeiros (Perspectiva assessoria e comunicação, falta receber R$346.500,00); AudioTech produção de áudio (falta receber R$78.044,52), além do publicitário da campanha André Bamberg.

O empresário Paulo Eriberto da Matuê pediu a investigação da notícia crime junto ao Ministério Público Federal nesta sexta-feira, dia 13 de novembro.

A assessoria jurídica da candidata Cláudia Regina entrou (veja documentos AQUI em matéria na íntegra) no 4° Juizado Especial Cível e criminal da comarca de Mossoró, com ação das empresas cobrando os valores contratados pelo PSL e que são três as execuções pedidas, inclusive, o bloqueio das contas do PSL/RN.

Diário Político

Opinião dos leitores

  1. Na mesma situação está o prefeito de Angicos fechou sua empresa de vigilância garra e está devendo a muitos pais de família os direitos trabalhistas o ministério do trabalho não está nem ai

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Vice-prefeito do município de Grossos morre em acidente de carro

O vice-prefeito do município de Grossos, Martins Carlos Gomes, de 53 anos, morreu em um acidente de carro na noite deste domingo (20). O acidente aconteceu na RN-012, na saída da cidade. Grossos fica na região Oeste potiguar.

Martins dirigia uma picape Hilux de cor branca. Ao sair da cidade, perdeu o controle e acabou capotando o carro. O corpo foi arremessado para fora do veículo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Wagner diz que governo não tem ‘coelho na cartola’ para melhorar a economia

wagnerApós uma reunião de quase duas horas com o vice Michel Temer, o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, disse que a população não deve esperar uma grande notícia que irá salvar a economia, porque a retomada do crescimento será gradual. Segundo ele, o governo não tem um “coelho na cartola”. Os tempos de pacotes econômicos passaram e agora as medidas serão tomadas dia após dia.

— Nós não estamos mais em tempo de pacotes. Acho que não tem nada bombástico. Na verdade a gente tem a consciência de que as coisas vão ser passo a passo retomando a confiança do empresariado, interna e externamente, recuperando a esperança das pessoas em mais emprego. É uma coisa paulatina.Parece que as pessoas estão esperando qual é a grande notícia, o coelho da cartola. Não tem coelho na cartola — afirmou Wagner ao sair do gabinete de Temer, no anexo do Palácio do Planalto.

A conversa, uma tentativa de reaproximação com o vice, foi solicitada por Wagner e ocorreu no gabinete do peemedebista. Para o ministro, diminuiu a possibilidade de a presidente Dilma Rousseff sofrer um impeachment. O governo, disse, tem o interesse de resolver esse assunto no Congresso o mais rapidamente possível. Ele voltou a afirmar que o governo deverá conseguir votos suficientes para derrubar o processo de impeachment ainda na Câmara, antes mesmo de o Senado ter de julgá-lo.

— Nós não temos nenhum interesse de manter esta pauta ou esta agenda. Se depender da presidenta e do nosso juízo de valor, quanto mais rápido melhor. Eu reconheço que perdeu força, mas o bom é que ele termine definitivamente e só termina com a votação na Câmara, que eu acho que a gente vai derrotá-lo já na Câmara — afirmou.

Jaques Wagner contou que pediu o encontro com Temer para desejar um feliz ano novo e que não tinha uma pauta específica para tratar com ele. O ministro, que participou do jantar que a presidente Dilma Rousseff ofereceu na noite de ontem para o ex-presidente Lula e para o presidente do PT, Rui Falcão, disse que a avaliação feita pelo grupo é que 2015 terminou melhor do que o esperado e que agora é trabalhar “sem ilusão”.

— Ele (Lula) veio com o presidente Rui Falcão, eu e a presidente. Foi uma conversa óbvia, de vamos aproveitar esse momento em que fechamos o ano melhor e portanto continuar cuidando sem nenhuma ilusão — afirmou.

Ao deixar seu gabinete, Temer disse que ele e Wagner fizeram uma avaliação da conjuntura política prevista para este ano e que estabeleceram “a ideia de harmonia absoluta”. O vice afirmou que tem pregado a unidade dentro do partido e que a escolha do novo líder do PMDB na Câmara é um assunto que deve ser resolvido dentro da bancada. Segundo ele, a bancada do partido não pode ser dividida entre os que apoiam o governo e os que se opõem a ele.

— O partido, evidentemente, não vai interferir nessa matéria porque é uma matéria da bancada da Câmara. Mas não se pode dividir a bancada entre governistas e não-governistas. O que deve haver é uma conjugação da própria bancada para que haja unidade dela. Essas questões de quem é a favor disso, a favor daquilo devem ficar fora dessa discussão — afirmou.

Fonte: O Globo

Opinião dos leitores

  1. A afirmação de Wagner não resiste aos fatos. Ainda está muito vivo na memória de todos que Lula gabava-se de possuir sim "coelhos na cartola" quando pegou de FHC um país equilibrado economicamente. Voando em céu debrigadeiro, em 2003, implantou seu desastroso populismo eleitoreiro, sob a alcunha de "políticas sociais". Mas, paralelamente, deflagrou o assalto sistemático às arcas da viúva. Com o governo tomado de selvagens petralhas amestrados, começou a raspagem ("como nunca ântef na iftória dêfit paíf") das finanças da Petrobras, dos Correios, da Eletrobras, do BNDES, e dos fundos de pensão dessas estatais. Com dinheiro roubado à farta, e navegando em mares de absoluta impunidade, pagou sua promessa de eleger "um poste" para a Presidência. Com um STF vergonhosamente ilegítimo, porque também aparelhado, está aí gargalhando dos imbecis e mandando recado por seus utilitários ventríloquos: "Não há coelho na cartola". Nem nunca houve, a não ser incompetência e roubalheira descarada e generalizada.

    1. O Brasil é um país dirigido por uma Anta, sob a tutela de um marginal barbudo!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Vice-prefeito de Vila Flor assume a Prefeitura

Vila Flor tem um novo prefeito. Depois de três dias sem prefeito por causa da Operação Mensalão, deflagrada pelo Ministério Público para desarticular um esquema de compra de apoios políticos, a cidade viu o vice-prefeito Manoel de Lima tomou posse para o cargo de chefe do Executivo.

Manoel ainda não havia sido empossado, porque seis dos vereadores, incluindo o presidente da Casa, também foram presos no esquema.

As investigações, que demoraram cinco meses, mostraram um esquema de pagamentos de R$ 500 e vantagens indevidas para compra do apoio. Ao todo, oito pessoas foram presas: o prefeito do município de Vila Flor Grinaldo Joaquim de Souza; o ex-secretário municipal de Administração Antônio Ivanaldo de Oliveira; o secretário de Obras do município João Felipe de Oliveira; o presidente da Câmara Municipal Pedro Francisco da Silva; e os vereadores Irinaldo da Silva, Ronildo Luiz da Silva, Ailton Passos de Medeiros, Vidalmir Santos Brito e Magno Douglas Pontes de Oliveira.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Vice-prefeito de Guamaré renuncia ao cargo para "se dedicar à saúde do povo"

Um fato curioso surpreendeu o município de Guamaré, na região Oeste.

O vice-prefeito da cidade, Marcos Tulius, apresentou pedido de renúncia à Câmara de Vereadores.

E o que levaria alguém que recebe entre R$ 8 mil e R$ 10 mil abrir mão de seus proventos? Oficialmente ele, que é médico, disse que é “para cuidar da saúde do povo de Baixa do Meio”, distrito de Guamaré.

Mas a bruxaria política indica que os motivos estão além disso, ou sequer tangenciam a preocupação com saúde do povo de Baixa do Meio.

Em seu segundo mandato, o prefeito Auricélio Teixeira não poderá disputar a terceira eleição. Para se manter no círculo íntimo com acesso direto à caneta da prefeitura ele quer sagrar seu cunhado, Hélio, prefeito de Guamaré.

Comenta-se à boca miúda que Auricélio pretende renunciar, mas isso só acontecerá caso o prefeito sucessor seja ligado ao seu grupo íntimo de confiança, o que não é o caso de Marcos Tulius, mas é o caso do presidente da Câmara, Emilson Borba, o Lula.

A Tulius foram dadas as razões suficientes para ele renunciar. Natural de Caicó, o vice-prefeito mudou para lá seu domicílio.

Guamaré, que recebe mensalmente no mínimo R$ 6 milhões de royalties, espera agora pela renúncia do prefeito, que há de justificar sua saída porque precisará de mais tempo para se dedicar à saúde de seu povo.

Opinião dos leitores

  1. Parabéns Bruno, grande matéria! eu estava fora do País mais quando cheguei fiquei sabendo desta pelo seu blog. Vice-prefeito como "este" que só olha para o bem do povo só em Guamaré! POBRE povo de uma cidade RICA!

  2. Curioso não,achei um negócio super lucrativo para Macus Tullius,que pena na política existir este tipo de coisa.O povo "coitado" necessita de escolher melhor os seus representantes,tanto prefeito quanto vice!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Vice-prefeito de Recife leva soco na cara do neto de Ariano Suassuna

Azedaram as relações do vice-prefeito do Recife Milton Coelho (PSB) com a família Arraes, depois que ele se desentendeu com a bela vereadora Marília Arraes (PSB), sobrinha do governador Eduardo Campos, levando o namorado dela, João Suassuna (neto de Ariano), a acertar-lhe um potente cruzado no rosto que exigiu cuidados médicos. O incidente ocorreu durante a festa de aniversário do escritor Antonio Campos, irmão do governador, em uma casa de eventos realizada quinta-feira(7). Com o nariz sagrando, Coelho disse que a coisa não iria ficar assim. E não ficou mesmo: além do inchaço, Eduardo Campos e Ariano Suassuna estão possessos com o comportamento dele, que foi indicado vice na chapa do petista João da Costa pelo tio ilustre da vereadora.

Coluna do Claúdio Humberto


Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Paulinho Freire: como cidadão não posso aprovar essa gestão

O Blog reproduz entrevista do Vice-Prefeito Paulinho Freire à Tribuna do Norte. Destacamos dois momentos da entrevista: o primeiro Paulinho afirma que interpelou o Deputado Paulo Wagner por fazer fofoca (ai a palavra é do blog), e o segundo, onde diz que como cidadão não pode aprovar a gestão da Prefeita.

Segue a boa entrevista de Paulinho Freie.

Qual o olhar do senhor sobre o movimento “Fora Micarla”?

Temos que respeitar qualquer tipo de movimentação da população. Até porque a população reage da maneira que acha certo no momento, mas acho que não existe nenhum fato concreto para que se venha a pedir um impeachment da atual administração. Qualquer movimento é legítimo, a gente tem que respeitar. Mas temos que ver também a situação pela qual passa os municípios. Natal está dentro de um contexto nacional. Se você for ver a situação de Fortaleza, Recife e Maceió, tantas outras capitais passam por esse mesmo problema. Por isso que urge uma reforma tributária. Hoje o dinheiro está na mão do Governo Federal e nos municípios há um aumento das demandas por serviços públicos. Hoje o que é arrecadado não é suficiente. Acho que existem dificuldades, ninguém pode negar. Há serviços que não estão sendo a contento. Mas nós não podemos esquecer a situação atual de quase todos os municípios, não só da capital, como também do interior. É um momento delicado.

Foi comentado, nos últimos dias, que o senhor poderia estar por trás do movimento “Fora Micarla”. …

Acho isso uma leviandade. Até porque, quem conhece minha história, sabe que eu jamais me meteria em uma ação dessa. Acho que isso são adversários políticos. Infelizmente anteciparam a eleição de 2012. Quem quiser que diga não, mas anteciparam sim a eleição de 2012 e querem jogar todo mundo na mesma larva. Eu não participo de traição, não faz parte do meu histórico. Inclusive entrei com ação judicial, uma interpelação contra o deputado Paulo Wagner (PV). Ele vai ter que dizer quem foi que disse que eu estava por trás disso. Ou ele diz ou fica feio para ele. O deputado Paulo Wagner será convocado para dizer quem foi que disse. Não posso concordar com isso. Não faço política dessa forma, isso não constrói. O processo político tem que ser respeitado. A prefeita tem legitimidade para governar a cidade, até porque foi eleita. E, daqui a um ano, o maior impeachment que a pessoa pode sofrer é ser derrotada na eleição. Está muito perto do povo dizer se aprova ou não a administração atual.

(mais…)

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *