Saúde

Senador Otto Alencar é denunciado como “falso ortopedista” no Conselho Federal

Foto: Jefferson Rudy / Agência O Globo

O senador Otto Alencar (PSD-BA), membro da CPI da Covid-19 no Senado Federal, foi denunciado pelo Conselho Federal de Medicina por não ter o registro profissional como Ortopedista.

A representação impetrada pelo conselho faz gravíssimas acusações, inclusive de exercício ilegal da medicina, quando se declara “ortopedista”, sem qualquer registro profissional.

“Durante o seu questionamento/inquirição, o Dr. Otto Roberto Mendonça de Alencar, CRM-BA 3055, médico sem especialidade registrada no CRM-BA e que se anunciou publicamente como ortopedista, valendo-se de sua posição como membro da CPI da COVID-19 com formação em medicina e como se estivesse a discutir ciência, formulou questões grosseiras de Medicina (por exemplo, diferença entre protozoário e vírus), e de forma aparentemente rude, à médica Nise Hitomi Yamaguchi (CRM-SP 48492), com RQE 44.476 em Oncologia Clínica. É perceptível a aparente intenção de desqualificar o conhecimento técnico da médica (mestre e doutora em medicina), como consta do link https://youtu.be/NHpZA7n3yic no canal da TV Senado no YouTube. O link, entre o intervalo de tempo de 5:23:34 e 5:54:22, contém os fatos a serem devidamente apurados para verificação de eventuais infrações éticas pelo Dr. Otto Roberto Mendonça de Alencar, CRM-BA 3055″, diz o documento do Conselho Federal.

“Em sua condição como médico, regularmente inscrito no Conselho Regional de Medicina da Bahia, o Dr. Otto Roberto Mendonça de Alencar, CRM-BA 3055, supostamente desobedeceu as normas éticas preconizadas para o exercício da profissão no Brasil, a merecer a devida apuração em sindicância no Conselho Regional de Medicina da Bahia, para o qual desde já pedimos também sua atenção no encaminhamento da presente petição de instauração de sindicância para apuração da verdade material de fatos de conhecimento público”, acrescenta o documento.

Gazeta Brasil

Opinião dos leitores

  1. Esses canalhas esquerdopatas e vagabundos, todos pelas fixas criminais, já deveriam estar presos há muito tempo

  2. Um a um os canalhas serão punidos, ninguém ouse atacar uma pessoas de bem, e que está a serviço da lei e da ordem, não brinquem com as leis de Deus…!!

  3. Isso é um pateta, que se vale do apelido de senador, para querer aparecer. Um verdadeiro cagão, sem a menor qualificação.

  4. Esse idiota já confessou que não exerce a medicina há muitos anos. Quem de perfeito juízo aceitaria ser cirurgiado, medicado ou tratado por um ignorante?. Deveria era ser cassado de exercer ou falar que era médico e só voltar após um revalida…

  5. Isso é mais um canalha dessa esquerda podre. Mais um tiro pela culatra.
    O Véio Bolsonaro é igual a massa de pão. Hoje mesmo tá dando show no Espírito Santo. Ainda tem pesquisa que mostra o contrário kkkk

    1. É verdade que seu verdadeiro apelido é “biroska frouxa”?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Anderson Leonardo, vocalista do grupo Molejo, é denunciado por cantor e dançarino por crime de estupro; artista será chamado a prestar depoimento

Foto: Reprodução/Instagram

Anderson Leonardo, vocalista do grupo Molejo, foi denunciado por um cantor e dançarino, de 21 anos, por crime de estupro, que teria acontecido no fim do ano passado. O rapaz, que diz ser empresariado por Anderson, afirma ter sido violentado sexualmente em um quarto de motel em Sulacap, na Zona Oeste do Rio.

Procurada por Quem, a polícia afirmou na manhã desta quinta-feira (4) que o cantor será chamado a prestar depoimento. “As investigações estão em andamento na 33ª DP (Realengo). O cantor será chamado para prestar depoimento na delegacia. Os agentes aguardam o resultado do boletim médico do hospital para verificar se houve ato sexual, e vão requisitar imagens de câmeras de segurança instaladas no estabelecimento onde teria acontecido o fato e ouvir testemunhas. Os policiais também vão coletar objetos e elementos que estejam relacionados ao caso para esclarecer todas as circunstâncias do ocorrido”, afirma a assessoria da polícia.

As informações contidas na denúncia foram antecipadas pelo colunista Alessandro Lo-Bianco na quarta-feira (3). Por meio de nota divulgada na terça-feira (2), a defesa de Anderson se manifestou: “O cantor foi surpreendido, assim como todos, com o que foi veiculado na imprensa na data de hoje, não tendo qualquer conhecimento acerca do publicado em redes sociais ou mesmo em sede policial, vez que não foi intimado para prestar quaisquer informações, pelo que, não teve nem mesmo ciência do que consta do registro de ocorrência”.

Leia a íntegra da nota abaixo:

“O cantor Anderson Leonardo, em face das recentes matérias veiculadas envolvendo o seu bom nome artístico, acerca de suposto estupro, vem esclarecer aos seus inúmeros fãs, contratantes e amigos o seguinte: o cantor foi surpreendido, assim como todos, com o que foi veiculado na imprensa na data de hoje, não tendo qualquer conhecimento acerca do publicado em redes sociais ou mesmo em sede policial, vez que não foi intimado para prestar quaisquer informações, pelo que, não teve nem mesmo ciência do que consta do registro de ocorrência.Esclarece ainda que lamenta profundamente as declarações envolvendo seu nome, refutando qualquer ato de violência contra quem quer que seja, negando categoricamente à acusação completamente falsa de agressão sexual feita em seu desfavor.

Ressalta, outrossim, que em mais de 30 anos de vida pública, jamais tivera seu nome ligado a qualquer ato criminoso ou que viesse a desabonar ou macular a sua imagem e carreira, seja de sua vida profissional ou pessoal. Informa também que conhece a suposta vítima, mas jamais praticou os atos veiculados na imprensa, inclusive, tem conhecimento que a suposta vítima já esteve presente em diversas apresentações artísticas do cantor, em ocasiões posteriores à falaciosa alegação, o que demonstra, claramente, que a narrativa publicada nunca ocorreu. Assim, o cantor esclarece, por meio de sua assessoria, que os fatos publicados não são verdadeiros.

Por fim, nega as infames acusações que lhes são imputadas, as quais foram recebidas com grande surpresa, reforçando sua inocência, a qual tem certeza que será demonstrada e comprovada no curso do inquérito policial. Ademais, sempre pautou sua vida profissional, pública e pessoal pela ética, caráter, respeito e retidão, sendo inimaginável ser acusado de algo dessa natureza.”

Globo, via Quem

Opinião dos leitores

  1. Rapaz e essa bicho corta dos dois lados é? O caba com uma cara de homem e fazendo esse tipo de coisa, se for comprovado o mundo vei está sem jeito.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Candidato a vice Prefeito do PSL em Mossoró é denunciado por calote em torno de 770 mil reais, destaca reportagem

O Diário Político destaca nesta sexta-feira(13) que recebeu com exclusividade informações de uma denúncia feita pelo empresário Paulo Eriberto Soares Suassuna Barreto feita junto ao Ministério Público Federal sobre dívida não paga pelo candidato a vice-Prefeito Dr. Daniel Sampaio do PSL, integrante da chapa com a candidata Cláudia Regina (DEM).

Segundo texto da manifestação pública feita no site do MPF, Paulo Eriberto dono da empresa Matuê Produções Cinematográficas LTDA ME, diz que Dr. Daniel Sampaio não pagou uma dívida de serviços prestados para a campanha Eleitoral num valor de R$500.000,00 (quinhentos mil reais). De acordo com o contrato assinado por Dr. Daniel, havia previsão de pagamento da segunda parcela dos serviços que deveria ter sido repassada dia 27 de outubro, mas não aconteceu. Segundo o empresário os valores viriam do PSL Nacional repassados a Dr. Daniel que é o presidente da sigla no RN.

Desvio

O empresários narra que apesar de Dr. Daniel ter alegado em uma reunião da equipe de marketing dia 24 de outubro que estaria com dificuldades para receber os 500 mil da nacional do PSL, o próprio partido assinou neste mesmo valor a prestação de serviços com escritórios de advocacia e contabilidade até então sem previsão e sem ligação com a campanha da candidata Cláudia Regina.

Pela narrativa da denuncia Dr. Daniel teria desviado os recursos, num determinado e num trecho da denúncia é colocado por Paulo Eriberto: “Dr. Daniel informou que precisava desse dinheiro para pagar dívida com agiotas adquiridas em sua campanha para deputado estadual no ano de 2018”. Tal revelação chocou os presentes na reunião e o presidente do PSL no RN chegou a ser alertado, “Diante do alerta, o Dr. Daniel afirmou que esperaria o dinheiro chegar e veria como pagar o marketing da campanha, como regularmente contratado pelo PSL Estadual”, diz a denúncia encaminhada ao MPF.

O empresário cita que os R$500.000,00 chegaram dia 29 de outubro via PSL Nacional a Dr. Daniel, mas ele não pagou as equipes de marketing contratadas. O dinheiro, segundo a denuncia, foi direcionado integralmente para pagamento de um contrato com um escritório de advocacia e outro de contabilidade sem ligação com a chapa que disputa Prefeitura de Mossoró.

Dívida é maior

São pelo menos quatro prestadores que aguardam os pagamentos pelos serviços de marketing, contratados pelo PSL de Mossoró em nome de Dr. Daniel e os valores superam os 770 mil reais: Paulo Eriberto (Matuê Produções Cinematográficas, falta receber R$354.747,80); Thiago Medeiros (Perspectiva assessoria e comunicação, falta receber R$346.500,00); AudioTech produção de áudio (falta receber R$78.044,52), além do publicitário da campanha André Bamberg.

O empresário Paulo Eriberto da Matuê pediu a investigação da notícia crime junto ao Ministério Público Federal nesta sexta-feira, dia 13 de novembro.

A assessoria jurídica da candidata Cláudia Regina entrou (veja documentos AQUI em matéria na íntegra) no 4° Juizado Especial Cível e criminal da comarca de Mossoró, com ação das empresas cobrando os valores contratados pelo PSL e que são três as execuções pedidas, inclusive, o bloqueio das contas do PSL/RN.

Diário Político

Opinião dos leitores

  1. Na mesma situação está o prefeito de Angicos fechou sua empresa de vigilância garra e está devendo a muitos pais de família os direitos trabalhistas o ministério do trabalho não está nem ai

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Alckmin é denunciado por falsidade ideológica eleitoral, corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Geraldo Alckmin chega à sede da PF em SP para prestar depoimento, em abril de 2019 — Foto: Gabriela Gonçalves/G1

O Ministério Público denunciou nesta quinta-feira (23) o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), por falsidade ideológica eleitoral, corrupção passiva e lavagem de dinheiro na operação Lava Jato.

O G1 ainda não fez contato com a defesa de Alckmin.

De acordo com a denúncia, Alckmin recebeu R$ 2 milhões da Odebrecht na campanha ao Palácio dos Bandeirantes em 2010 e R$ 9,3 milhões quando disputou a reeleição, em 2014.

Segundo o MP, essas doações solicitadas pelo então candidato e não foram registradas nas prestações de contas de Alckmin, o que configura crimes de corrupção passiva e falsidade ideológica.

O MP afirma que os pagamentos foram feitos pelo setor de operações estruturadas da Odebrecht por meios ilegais, incluindo doleiros, para dificultar o rastreamento – o que justifica a denúncia por lavagem de dinheiro.

Os promotores sustentam que a Odebrecht fez os pagamentos para manter influência junto ao governo Alckmin, e que não poderia ter feito doações pois participou do consórcio para construção da linha 6-Laranja do Metrô e porque controla a concessionária que administra a Rodovia Dom Pedro I.

Os R$ 2 milhões repassados em 2010 foram pagos pela Odebrecht ao escritório de Adhemar César Ribeiro, cunhado de Alckmin, durante a campanha afirma o MP. Já os R$ 9,3 milhões de 2014 foram pagos ao então tesoureiro da campanha do tucano, Marcos Antônio Monteiro, em 11 repasses.

Além de Alckmin, foram denunciados:

Marcos Antônio Monteiro, tesoureiro da campanha de 2014

Sebastião Eduardo Alves, funcionário de Marcos Antônio Monteiro;

Benedicto Barbosa da Silva Júnior, da Odebrecht

Luiz Antônio Bueno Júnior, Odebrecht

Arnaldo Cumplido de Souza e Silva, Odebrecht

Maria Lúcia Guimarães Tavares, Odebrecht

Fernando Migliaccio da Silva, Odebrecht

Luiz Eduardo da Rocha Soares, Odebrecht

Alvaro José Gallies Novis, doleiro

Adhemar César Ribeiro, cunhado de Alckmin, não foi denunciado porque tem mais de 70 anos e os crimes imputados a ele prescreveram.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Pronto agora terminou de lascar. Na esquerda corruptos, no centro corruptos e na direita corruptos. Para onde iremos???

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Moro é denunciado à comissão de ética da presidência por aceitar cargo em troca de vaga no STF

Foto: Reprodução/Migalhas

Um grupo de 14 advogados e juristas apresentou nesta quarta-feira, 29, denúncia contra o ex-ministro Sergio Moro perante a Comissão de Ética Pública da Presidência da República.

A petição aponta desvios éticos cometidos por Moro ao negociar troca de favores, mediante a qual permaneceria à frente da pasta ministerial desde que viesse a ser posteriormente indicado ao cargo de ministro do STF.

Os juristas ainda identificam uma ilegal vinculação da aceitação do cargo público pelo ex-ministro com seus interesses pessoais privados, ao negociar indevidamente o pagamento de pensão à sua família.

Por fim, a denúncia expõe a omissão de Moro ao deixar de reportar às autoridades competentes atos ilícitos praticados pelo presidente Jair Bolsonaro dos quais teve ciência enquanto exercia a função de ministro.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. É impressionante como se vai de herói a bandido em tão pouco tempo. Vários homens até então honrados, ex-aliados do Bozó, são execrados publicamente após contrariarem o menino maluquinho. Trabalho sujo do gabinete do ódio direcionado a manutenção, em suas fileiras, dos fanáticos e ignorantes. Bebiano, Mandetta, Gen. Santos Cruz, Moro e quantos outros (um partido inteiro, o PSL). Agora a brincadeira é com o Centrão. Quem vai trair quem?

  2. Vamos deixar o LULADÃO PINGUÇO e o CAPETÃO MICO CÃO falando só nas próximas eleições. Vamos procurar eleger um honesto normal. Nós os esquecidos de sempre, não devemos continuar elegendo os corruptos e incompetentes de sempre.

    1. "eu sou do povo….eu sou o zé ninguém…aqui embaixo as leis são diferentes ". Pedro vc é o cara! Não é piada. Vejo que você é inteligente e importante. Parabéns! Eu sou mesmo um zé ninguém.

  3. Esses incompetentes, e aqui tem muitos, covardes, sem formação digna, querem um holofote para as suas medíocres carreiras. Bando de bunda mole de paletó e gravata, queriam vcs ter a capacidade é hombridade do ex juiz e ministro MORO. vc chafurdar na lama da covardia e da inveja.

  4. Tem gente que deve se orgulhar em fazer papel de idiota.
    Ele não tem qualquer ligação com o Governo então essa "denúncia" desses "adevogados" para a Comissão e nada dá no mesmo.
    Além disso o próprio Moro negou essa troca quando disse que não estava a venda.
    Mas para quê se ater aos fatos se é possível pagar de lacrador?

    1. O BOZO , só convidou MORO a ser MINISTRO devido trabalho de referência sobre LAVA JATO, com isto o BOZO seria beneficiado. Mas o tiro saiu pela culatra e quem cresceu o MINISTRO e BOZO ñ aceita ninguém na
      frente do IBOPE. MORO PARA PRESIDENTE EM 2022.

  5. Agora que não serve mais aos interesses do Poder Central vai ser execrado.

  6. Agora o BOZOTRALHA acredita no que LULADÃO falava. Esse Moro nunca prestou….. O filme TROPA DE ELITE 3 está passando na vida real. Depois Padilha faz o filme.

    1. Como dizia o Capitão Nascimento : "O sistema é f#da parceiro !".

    2. Vejo que o Zé Ninguém está do lado de Bolsonaro… Vida difícil para o que acompanham os PTRALHAS… Se Falar de Bolsonaro, admitem que o Moro é correto e justo. Se falarem de Moro, aceitam que Bolsonaro está fazendo um governo correto… kkkkk

  7. Bando de bundas sujas,tem moral pra denunciar um homem que se não fosse ele ,não tinha lava jato e o Bolsonaro não teria ganho.É o maior brasileiro de todos os tempo.Tem o que vcs nunca vai ter:coragem e honradez.

    1. Quem tentou persuadir moro prometendo o cargo de ministro, praticou ilicitude; e também quem tenta subornar o ministro a cometer ilícito através de suborno, e não consegue o intento. Transgrediu novamente as leis. Portanto, quem cometeu atos ilegais não foi Moro, e sim o Presidente da República, Bolsonaro. Querem inverter os papéis, tentando condenar quem não aceitou ser subornado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Ex-ministro de Temer, assessor de Guedes é denunciado por fraude em aportes da Funcef

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O ex-ministro do Planejamento Esteves Colnago, atualmente assessor especial do ministro da Economia, Paulo Guedes, está entre os 29 denunciados pela força-tarefa da Operação Greenfield por fraudes nos principais fundos de pensão de empresas estatais e privadas.

De acordo com os investigadores da Procuradoria da República no Distrito Federal, os 29 gestores dos fundos Petros (Petrobras), Funcef (Caixa Econômica), Previ (Banco do Brasil) e Valia (Vale) participaram de investimentos irregulares da Sete Brasil.

A empresa – que seria responsável pela construção de sondas para a exploração do pré-sal – recebeu aportes por meio de um fundo de investimento específico. As operações, segundo o Ministério Público, causaram um prejuízo de R$ 5,5 bilhões.

À época da aprovação dos aportes, Colnago participou do conselho deliberativo da Funcef. Ele também foi ministro do Planejamento durante o governo do ex-presidente Michel Temer.

Outro lado

Conalgo afirmou, em nota, que está à disposição da força-tarefa da Greenfield para prestar os esclarecimentos relacionados à gestão dos fundos de pensão.

Ele aponta “que todas as atividades exercidas como membro do Conselho Deliberativo do Fundação dos Economiários Federais (Funcef) ocorreram em consonância com o regimento interno e demais normas legais”.

Diz ainda que está em tramitação, na Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), processo no âmbito administrativo de semelhante teor, no qual já apresentou defesa.

Procurado, o Ministério da Economia não havia se manifestado até o momento da publicação desta notícia.

Mudança de cargos

Nesta quinta-feira, Guedes realocou integrantes da equipe técnica da pasta, conforme portaria publicada na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira.

Colnago, que estava no comando da Secretaria Especial de Fazenda, foi exonerado do cargo para assumir a chefia da Assessoria Especial de Relações Institucionais do órgão, responsável pela interlocução com o Congresso Nacional, entre outras atribuições.

O cargo de chefe da Assessoria Especial de Relações Institucionais vinha sendo exercido por Caio Megale, que hoje foi exonerado.

O atual diretor de programa do Ministério da Economia, Jeferson Luis Bittencourt, também deixou o cargo. Ele é o novo secretário especial adjunto da Secretaria Especial de Fazenda, no lugar de Colnago.

Valor

 

Opinião dos leitores

  1. O Bolsonaro LADRÃO gosta de quadrilha, nao é a toa que formou uma dentro de casa…..E agora está expandido pelo Brasil com b minúsculo……BOLSOTRALHAS SÓ ENXERGAM O NARIZ DE LULA, MAIS NAO ESQUECEM DE ENGOLIR A MERDA DESSE CANALHA MELIANTE…..E HAJA PAPO cheio de BOSTA…,

    1. Realmente o Bolsonaro fala muita besteira mesmo, e pior que é só abrir a boca. Mas roubar Roubar com R maiúscula isso ninguém pode negar que o LULADRAO vou imbatível, CINCO TRILHOES, esse foi o estrago feito pela quadrilha do PT, se vc acha pouco e que nossa país está bem, entendo porque vc tá defendendo lula com tanta veemência, por dois motivos basicos: ou fazia parte da boquinha e perdeu ou não sabe contar.

  2. Quem for podre que se quebre , seja quem for. Quem tem bandido de estimação é mulher de vagabundo !!

  3. O valor do rombo só na Petros, foi de TRINTA BILHÕES FEITA PELA QUADRILHA DO PT QUE ADMINISTRAVA OS FUNDOS. SE CONTAR TODOS DEVE CHEGAR QUASE A CEM BILHÕES. IMAGINE BRASIL AFORA O QUE ESSES FDP FIZERAM, POR ISSO O PAÍS TÁ QUEBRADO.

    1. Como tem fundos de pensões envolvidos, a petralhada prefere não comentar, não tem conhecimento sobre a causa. Hehehe

    2. Paran, os PTralhas não tem conhecimento pouco né, porque eles é que administravam, quebrou todos eles, agora os funcionários e que estão pagando o pato do roubo dos PTralhas. Na Petrobras, que eu conheço, os funcionários vão pagar a dívida durante DEZOITO ANOS(18) ANOS. E os valores são exorbitantes para cada um, Isso é um absurdo sem tamanho, vc pagou uma previdência a vida inteira trabalhando, qdo se aposenta e quer usufruir, toma no fundo devido a esses ladrões do PT, sob o comando de LULADRAO roubaram BILHÕES DOS FUNDOS DE PENSÃO.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Ministro do Turismo é denunciado pelo Ministério Público de MG por candidaturas-laranja do PSL

Foto: André Santos/Prefeitura de Uberaba

O Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais denunciou, na tarde desta sexta-feira (4), o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), por três crimes envolvendo candidaturas-laranja do partido em 2018. Outra dez pessoas também foram denunciadas. Os crimes são de falsidade ideológica, apropriação indébita eleitoral, que é quando o candidato se apropria com os recursos destinados ao financiamento eleitoral para proveito próprio, e associação criminosa.

O indiciamento do ministro pela Polícia Federal foi nesta quinta-feira (3), pelo crime eleitoral de omissão na prestação de contas e também pelo crime de associação criminosa. As investigações foram feitas de forma conjunta entre PF e Ministério Público.

Pela investigação, o partido inscreveu candidatas sem a intenção de que elas fossem, de fato, eleitas. Isso porque o Tribunal Superior Eleitoral decidiu que pelo menos 30% dos recursos do fundo eleitoral devem ser destinados a candidaturas femininas.

“O que se percebeu no âmbito do Ministério Público, de acordo com a prova dos autos, a formação de uma associação criminosa com o objetivo de direcionar recursos recebidos pelas candidatas mulheres para outros candidatos homens no curso da investigação. Diante desse contexto, pela prova produzida nos autos, chegou-se a conclusão de que havia duas lideranças, na verdade um beneficiário direto, o denunciado Irineu, e talvez a liderança direta dessa associação, o denunciado Marcelo”, disse o promotor de Justiça Eleitoral, Fernando Abreu.

Marcelo Álvaro Antônio é citado em depoimentos na investigação sobre o uso de candidaturas de mulheres na eleição de 2018 para desvio da verba eleitoral no estado.

Segundo inquérito da PF, ele “era e ainda é o ‘dono’ do PSL mineiro”. À época dos crimes apontados, Marcelo era o presidente estadual do PSL, partido do presidente da República, Jair Bolsonaro.

No indiciamento, a PF afirma que o então presidente do PSL em Minas “possuía o total domínio do fato, controle pleno da situação, com poder de decidir a continuidade ou interrupção do repasse de recursos do fundo partidário”.

Em nota, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, afirmou que ainda ainda não foi notificado sobre o indiciamento, mas que confia na Justiça e que sua inocência será comprovada. Ele nega ter cometido qualquer irregularidade na campanha eleitoral de 2018.

Ao blog de Valdo Cruz, o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, disse que o presidente Jair Bolsonaro vai manter o ministro no cargo. “O presidente da República aguardará o desenrolar do processo. O ministro permanece no cargo”, disse”.

O PSL nacional disse que não comentar o caso.

Veja a lista de denunciados:

Marcelo Álvaro Antônio – ministro do Turismo

Camila Fernandes – acusada de ser candidata-laranja

Debora Gomes – acusada de ser candidata-laranja

Haissander de Paula – ex-assessor do ministro quando ele era deputado federal, preso em junho deste ano

Irineu Inacio da Silva – deputado estadual em Minas pelo PSL – conhecido como Professor Irineu

Lilian Bernardino – suspeita de ser candidata-laranja

Marcelo Raid Soares – dono de duas empresas gráficas em Belo Horizonte

Mateus Von Rondon – assessor especial do ministro, preso em junho deste ano

Naftali Tamar – suspeita de ser candidata-laranja

Reginaldo Donizeti Soares – irmão de Roberto Silva Soares, sócio de duas empresas que prestaram serviço eleitorais às candidatas investigadas

Roberto Silva Soares – Assessor do ministro e coordenador de campanha de Camila, Débora e Naftali, preso em em junho deste ano

O indiciamento das 10 pessoas, excluindo o ministro, já havia sido feito pela PF em junho deste ano. O processo está em segredo de Justiça.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), a advogada Fernanda Lage Martins da Costa, que defende as quatro mulheres suspeitas, já entrou com um pedido de habeas corpus no tribunal, que ainda não foi julgado. A advogada disse que não teve acesso ao processo e só vai se pronunciar depois de tomar conhecimento dos fatos.

Em nota o deputado estadual Professor Irineu disse que “recebeu com surpresa a notícia do seu indiciamento, hoje pela manhã, por parte da Polícia Federal. O deputado destaca que sua prestação de contas de campanha foi aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG). Apesar da surpresa, o deputado estadual manifesta sua confiança e respeito à Polícia Federal e ao Ministério Público, e se mantem tranquilo com relação ao desdobramento das apurações. O deputado segue com a serenidade da lisura de todos os seus atos”.

O G1 tenta contato com os demais denunciados.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Votei no 2º turno neste presidente só tenho tido decepções.Acho que ele tem o rabo preso a este ministro do Turismo.

    1. Sua decepção é relativa ao quê mesmo? Bolsonaro sofrendo enfrentamento de todos os poderes por não fazer o "toma lá dá cá" e não fatiar os recursos públicos para aprovação das reformas. Você decepcionado com Bolsonaro, esquecendo do jogo pesado que é armado na Câmara e no senado contra as aspirações do povo.

    2. Quem votou em Bolsonaro e ainda sai dizendo por aí gosta de exibir que é burro, kkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Ex-prefeito na Grande Natal é denunciado por não prestar contas de verbas para escolas

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação de improbidade e uma denúncia contra o ex-prefeito de Extremoz, Klauss Francisco Torquato Rêgo, por não ter prestado contas de recursos recebidos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e que deveriam ser utilizado em melhorias nos colégios municipais, através do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), em 2015. Todos os detalhes no Justiça Potiguar clicando aqui

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Depósito de R$ 100 mil, em dinheiro, na conta do policial reformado Ronnie Lessa, denunciado pelo assassinato de Marielle e Anderson; MP pede bloqueio de bens

Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou um depósito de R$ 100 mil, em dinheiro, na conta do policial reformado Ronnie Lessa, denunciado pelo assassinato de Marielle e Anderson. O Ministério Público citou esse relatório em um pedido de bloqueio dos bens de Lessa e do ex-PM Élcio Queiroz, também preso.

O depósito foi feito na boca do caixa, no dia 9 de outubro de 2018, sete meses depois do crime.

O MP pediu o bloqueio para garantir a indenização por danos morais e materiais às famílias da vereadora e do motorista.

Além do relatório, o MP cita no pedido a lancha, apreendida em Angra dos Reis em nome de uma pessoa que seria “laranja” de Ronnie Lessa, os automóveis do PM reformado (um deles, um Infinity avaliado em R$ 150 mil), e a casa dele, localizada em um “condomínio luxuoso na Barra da Tijuca”. Tudo isso, segundo o Ministério Público, seria incompatível com a renda de um policial militar reformado.

O pedido de arresto foi aceito pelo juiz Gustavo Kalil, da 4ª Vara Criminal, na mesma decisão em que recebeu a denúncia do MP e decretou a prisão de Ronnie Lessa e Elcio Queiroz.

Depoimento e transferência

Lessa e Queiroz devem ser levados para depor nesta sexta-feira (15) sobre o atentado a Marielle. Na quinta (14), ambos foram levados para audiência de custódia em Benfica por terem sido presos em flagrante, na terça-feira (12), por posse ilegal de arma. Na casa de um amigo de Ronnie a polícia encontrou 117 fuzis incompletos desmontados. Já Queiroz foi preso com uma pistola, e Lessa tinha armas em casa.

Após o depoimento desta sexta, Lessa e Queiroz devem ser levados para Bangu 1, onde aguardarão transferência para um presídio federal, como determinado pela Justiça.

Passo a passo da dupla no dia do crime, de acordo com a investigação:

Às 16h59, o celular de Élcio Queiroz é detectado por antenas no condomínio de Lessa, o Vivendas da Barra

Entre 17h e 22h não é possível captar sinais dos telefones de Élcio e Lessa;

Às 17h24, câmeras filmaram o Cobalt prata utilizado no assassinato de Marielle e Anderson próximo ao Quebra-Mar, na Barra;

Às 18h45, câmeras de segurança mostram o Cobalt chegando à Rua dos Inválidos, onde Lessa e Élcio aguardaram pela saída da vereadora de um evento na Casa das Pretas, de
acordo com a investigação;

Por volta das 21h10, Anderson e Marielle são assassinados na Rua Joaquim Palhares, no Estácio;

Às 22h11, antenas de telefonia voltaram a captar um deslocamento do celular de Élcio. O movimento indica que o suspeito foi do condomínio Vivendas da Barra para o
restaurante Resenha e Grill, onde chegou às 22h30.

Às 23h18, o telefone de Lessa foi detectado no mesmo local que o de Élcio. Para a polícia, essa é uma prova de que os acusados continuaram juntos após o crime.

Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz negam qualquer envolvimento nas mortes de Marielle e Anderson.

G1

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Justiça rejeita novo habeas corpus para arquiteto denunciado por contratação irregular de empresa na obra da Arena das Dunas

A Câmara Criminal do TJRN rejeitou um novo Habeas Corpus, movido pela defesa de Carlos de La Corte, arquiteto apontado pelo Ministério Público como envolvido em supostos delitos, relacionados à obra do estádio de Futebol “Arena das Dunas”. Os advogados alegaram que existiria um constrangimento ilegal por parte do juiz de Direito da 5ª Vara Criminal da Comarca de Natal, mas os desembargadores não acolheram os argumentos e mantiveram o entendimento definido em outra demanda, esta julgada em 23 de janeiro.

A defesa pedia, ainda, dentre outros pontos, que o órgão julgador deveria definir, desta vez, pelo trancamento da ação penal de nº 0104608-24.2017.8.20.0001, na qual o acusado foi denunciado sob a acusação de ter cometido crime previsto no artigo 89 da Lei n° 8.666/1993 (Lei das Licitações), tendo em vista a ausência de justa causa para a continuidade da persecução criminal.

O arquiteto e outros denunciados teriam praticado a inexigibilidade indevida de licitação, referente a prática dos crimes dos artigos 89 e 92, combinados ao artigo 84, todos da Lei das Licitações, e artigo 299 do Código Penal, que se relacionam a fatos delituosos envolvendo a contratação de uma empresa, em 2010, para a prestação de serviços especializados no desenvolvimento dos projetos básicos complementares relativos ao empreendimento do Arena. A denúncia foi recebida em 24 de julho de 2017.

“Isso porque a peça acusatória obedeceu aos requisitos exigidos pelo artigo 41 do Código de Processo Penal já que, além de qualificar os acusados e classificar os delitos a eles imputados, expôs os fatos criminosos com as suas circunstâncias, individualizando a conduta praticada por cada um dos denunciados, de maneira a permitir identificar com clareza a imputação que lhe é feita”, ressaltam os desembargadores.

A decisão, desta forma, nesta nova negativa de HC, ressaltou que existiu a observância ao dispositivo aplicável do Código de Processo Penal, o qual reza que a denúncia ou queixa conterá a exposição do fato criminoso, com todas as suas circunstâncias, a qualificação do acusado ou esclarecimentos pelos quais se possa identificá-lo, dentre outros elementos.

Habeas Corpus Com Liminar n° 0800190-34.2019.8.20.0000
TJRN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Google Brasil é denunciado pelo Ministério da Justiça por suposta violação de privacidade

(Foto: reprodução)

O Google Brasil sofrerá um processo administrativo por parte da Secretaria Nacional do Consumidor, órgão ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. O motivo seria uma a suposta violação de privacidade dos e-mails de brasileiros cometido pela gigante das buscas. A decisão foi publicada pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) na última quarta-feira (06/2). Se condenada, a empresa pode ser multada em até R$9.7 milhões.

Segundo o departamento, os consumidores do Gmail, serviço de e-mail do Google, foram vítimas de uma invasão de privacidade, que foi constatada em uma análise dos conteúdos enviados. O processo deve apurar também se ouve violação do Marco Civil da Internet e do Código de Defesa do Consumidor (ver abaixo).

Até o meio de 2017, e-mails de usuários eram escaneados com o objetivo de segmentar anúncios, evitar spams e otimizar serviços a cada perfil que demonstrasse interesse em determinado produto pesquisado na internet. No final do mesmo ano, a Google aponta ter parado com a prática no mundo inteiro.

Toda essa repercussão é resultado da ação aberta em 2015, no Piauí, envolvendo o Google (ecuja decisão foi faborável à emprea). Em resposta as acusações, a empresa publicou uma nota frisando que não faz uso das informações do Gmail e que trabalha respeitando a legislação brasileira.

A Folha também noticiou recentemente que as big techs podem, futuramente, serem autuadas de maneira mais ampla sob o Código de Defesa do Consumidor.

Fonte: Folha de S.Paulo
Olhar Digital

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

RESUMO COLETIVA: Denunciado, Lula se faz de vítima. E nada explica sobre acusações

Lula choro

Apontado pelo Ministério Público Federal como chefe do megaesquema de corrupção desvendado pela Operação Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursou nesta quinta-feira cercado de aliados: e, ainda que tenha falado por mais de uma hora, não emitiu uma explicação para as graves denúncias que pesam contra ele. Lula abriu o pronunciamento dizendo que não falava como político, mas como cidadão indignado. Mentiu. Sua fala foi apenas política: sobraram ataques ao MP e à imprensa. O petista também reforçou a intenção de se lançar candidato em 2018: “A história mal começou. Alguns pensam que terminou. E ainda vou viver muito. Por isso estou me preparando”.

Ao longo do discurso, Lula falou aos seus: ressaltou os feitos do Partido dos Trabalhadores, chamou de ‘seus’ os alunos do Prouni e reforçou o discurso que compara o impeachment de Dilma Rousseff a um golpe. “Tenho profundo orgulho de ter criado o mais importante partido de esquerda da América Latina”, afirmou, já na abertura da fala. Ao final, conclamou os petistas a usar vermelho, cor símbolo da legenda:“Cada petista do país tem que começar a andar de camisa vermelha. Quem não gostar, coloque de outra cor, esse partido tem que ter orgulho”.

Embora tenha afirmado que não pretendia fazer de seu pronunciamento um ‘show de pirotecnia’, em referência à apresentação da denúncia contra ele pelo procurador Deltan Dallagnol, Lula foi Lula: chorou, contou histórias e atacou adversários. “Eles construíram uma mentira, como se fosse o enredo de uma verdade, e tá chegando o fim do prazo. Já cassaram Cunha, já elegeram Temer pela via indireta, já cassaram a Dilma. Agora precisa concluir a novela. Quem é o bandido e quem é o mocinho? Vamos ao fecho: acabar com a vida política do Lula. Não existe explicação para o espetáculo de pirotecnia feito ontem”, afirmou. “Provem uma corrupção minha e eu irei a pé para a delegacia”, provocou.

Em uma tentativa de defesa que parecer ter sido emprestada do dilmês, Lula afirmou: “As pessoas achincalham muito a politica, mas a profissão mais honesta é a do politico, porque todo ano, por mais ladrão que ele seja, ele tem que ir pra rua e pedir voto”.

Dirigindo-se aos procuradores, pediu respeito à sua família e afirmou: “Por favor, parem de procurar caspa onde não tem, procurem em outro lugar”. “Eu acho que os companheiros que compõem o Ministério Público têm que ficar atentos porque não podem permitir que meia dúzia de pessoas estraguem a história de uma instituição tão importante no país”, prosseguiu. “Me dedicaram um apartamento que não tenho, uma chácara que não é minha, de ser o comandante maior. ‘Eu não tenho prova, mas tenho convicção’”. Também afirmou que está à disposição das ‘pessoas sérias do MP.

Veja

Opinião dos leitores

  1. Bem característico desse senhor….
    A tropa bolivariana não deixou a imprensa fazer perguntas….
    É até compreensivo, vai lá q ele falasse besteira (bem característico) especialmente se estivesse sob efeito da "branquinha"….

  2. nathalya , a justiça dos algozes , e` como a grandeza de uma terra, nunca esta` na sua imensidão e sim na qualidade das pessoas que nela habitam , Deus tarda mais não falha !

  3. A chamada da matéria foi precisa, falou por mais de 01 hora como se fosse vítima dos próprios crimes.
    Não disse UMA PALAVRA SOBRE os 12 MILHÕES de DESEMPREGADOS;
    Não disse NADA sobre a INFLAÇÃO;
    Não TOCOU na PALAVRA CORRUPÇÃO;
    NÃO FALOU sobre a quebra da ECONOMIA;
    Não comentou os desvios da PETROBRAS;
    Não disse nada sobre OS FUNDOS DE PENSÃO;
    TUDO que fez foi animar um auditório repleto de petistas famintos pelos cargos públicos.
    NÃO DIRIGIU UMA PALAVRA AOS TRABALHADORES.
    NÃO FALOU UMA LINHA DE DEFESA e PERDEU uma ótima oportunidade de se defender;
    AFUNDA PT!!!

  4. O Acordo nacional segundo Romero Juca .. vai se concretizar a mídia fez seu papel direito implantou ódio nas pessoas …as pessoas xingam, brigam desejam as mais perversas coisas e não sabem nem pq.
    A elite podre suja e corrupta chegou ao poder, as coisas vão abafar … o brasileiro não vai ficar sabendo… afinal o que a mídia não mostra o brasileiro não sente. E tudo voltara ao "normal" junto com o conformismo das pessoas

  5. Não precisa ir å pé pra cadeia, o camarão vai te levar. Lá você se candidata a Presidente de cela!!!!

    1. esse maior presidente prouni, minha casa minha vida, contraiu maior numero de escolar técnica ,Bolsa familiar,ENEN, programa caminho da escolar, os CRAS OS CREAS, o mais médicos etc

      voces vão sentir na pele com Michel temer aposentadoria de 60 para 65 fim do programa brasil alfabetizado privatizações o coro vai comer

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Juiz trabalhista é denunciado por falsificar títulos acadêmicos de pós-graduação, mestrado e doutorado

Consultor Jurídico

O Ministério Público Federal, por meio da Procuradoria Regional da República da 1ª Região, ofereceu denúncia contra Gigli Cattabriga Júnior, juiz do trabalho, por crime de falsidade ideológica. O juiz apresentou curriculum vitae, em documento por ele próprio rubricado, no qual afirmou ser portador dos títulos de “pós-graduação, pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em Direito Empresarial, com ênfase em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho em 1997, e mestre e doutor pela UFMG”, titulação indispensável à contratação pelo Centro Universitário de Lavras (Unilavras).

Na época de sua admissão, ele não exibiu qualquer documento que provasse ser pós-graduado, mestre e doutor pela UFMG. O Unilavras solicitou ao juiz a apresentação dos documentos comprobatórios desses três títulos acadêmicos, a fim de exibi-los a uma comissão de representantes do MEC encarregada de proceder à avaliação do curso de Direito. O denunciado, porém, apresentou apenas declaração particular, deixando de exibir cópia do  pedido de emissão da segunda via dos diplomas. Segundo ele, o pedido teria sido protocolizado na UFMG.

(mais…)

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *