PSL: Delegado Waldir reafirma que se sente “traído”, e diz que não retira nada do que falou

Foto: Fernanda Calgaro / G1

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), afirmou nesta sexta-feira (18) que o presidente Jair Bolsonaro, o governador goiano, Ronaldo Caiado (DEM) e o líder do governo na Casa, Major Vitor Hugo (PSL-GO), atuam para derrubá-lo do comando do diretório do partido em Goiás.

O G1 entrou em contato com as assessorias do Palácio do Planalto, do governo de Goiás e do deputado Vitor Hugo. As respostas ainda não haviam chegado até a última atualização desta reportagem.

Delegado Waldir disse que a tentativa de retirá-lo do cargo acontece há três meses. O PSL vive uma crise interna, que se acentou na semana passada, após Bolsonaro fazer críticas ao partido e ao presidente da legenda, deputado Luciano Bivar (PE).

“Há três meses o senador Ronaldo Caiado, do qual estou adversário político, junto com o Major Vitor Hugo, tentam me tirar da presidência do PSL [em Goiás]”, afirmou. “Pediram ao presidente da República, e o presidente da República determinou ao presidente [do PSL] Luciano Bivar. Mas isso não foi concretizado”, afirmou o deputado.

Delegado Waldir disse ainda que se sente traído. Ele citou a tentativa do grupo do PSL ligado a Jair Bolsonaro de colocar o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, na liderança do partido na Câmara. No entanto, o grupo bolsonarista perdeu e Waldir permanece no posto.

Na quinta-feira (17), apareceram gravações nas quais Waldir afirmou que vai “implodir” Bolsonaro e chamou o presidente de “vagabundo”. Nesta sexta, o líder do PSL na Câmara afirmou que não retira as declarações.

“Eu fui traído. O presidente pessoalmente está interferindo para me tirar da liderança. Isso não é traição? Se eu sou fiel a ele desde 2011, isso é mentira. Se ele, pessoalmente, junto com o líder do governo, Vitor Hugo, e o senador Ronaldo Caiado trabalham para me derrubar diretório de Goiás, e assim está fazendo com outros parlamentares do país todo, isso não é traição, isso não é vagabundagem? “, questionou o parlamentar.

“Então eu não retiro nada do que eu falei, eu simplesmente baixei o ritmo porque foi um debate interno, mas os fatos são verdadeiros. A minha indignação de traição ela permanece”, completou.

O deputado falou com a imprensa na chegada a uma reunião da Executiva do PSL, em Brasília. Segundo ele, um dos temas do encontro deve ser alterações no estatuto do partido. Ele não detalhou as mudanças que devem ocorrer.

Waldir declarou também que não é chamado ao Planalto para discutir pautas do governo com o presidente, como líder da sigla na Câmara. “Quantas vezes você acha, que como líder do PSL, eu fui chamado no Planalto para discutir as pautas do governo com o presidente da República? Nenhuma vez. Nenhuma vez. Nunca”, afirmou. “Eu não criei essa crise”, completou o deputado.

Ele afirmou ainda que as tentativas de interferência tornam difícil sua permanência no cargo.

“É muito difícil um líder como eu permanecer, considerando que o presidente usa o Palácio do Planalto pessoalmente, ligando para parlamentares, interferindo no parlamento. É extremamente difícil você competir quando ministros, pessoalmente, ligam para cada parlamentar e estão pedindo para assinar a lista que leva para a liderança o filho do presidente”.

Votações no Congresso

Sobre o impacto da disputa na relação do governo com o Congresso, ele afirmou que, nas pautas onde houver “convergência”, seu grupo aliado vai votar a favor do governo. Mas que isso não vai acontecer em todas as pautas.

“Nossa pretensão é votar da mesma forma. Nós temos várias pautas em comum. As pautas que forem em comum, de defesa do Brasil, de combate à corrupção, geração de empregos, infraestrutura, reforma tributária, reforma administrativa, o que for pauta de interesse de toda a sociedade brasileira e pro avanço do brasil, com certeza nós estaremos juntos”. Ele completou: “Nós não entregamos 100%. Toda unanimidade é burra. Nós entregamos 98%. Sinal que em alguns momentos nós divergimos do governo”.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio disse:

    Eram 13 candidatos, mas o povo escolheu a mundiça. O Bradil merece isto mesmo.

  2. Rômulo© disse:

    O deputado deveria divulgar para a imprensa a gravação que pode implodir o Bozo! O país tem o direito de saber o que ele tanto esconde que pode destruí-lo politicamente!

Deputado diz que gravou reunião do PSL para alertar Bolsonaro de ‘provável conspiração’

O deputado Daniel Silveira, do PSL do Rio de Janeiro, foi quem gravou a reunião de deputados do seu partido na noite de ontem. Na conversa, entre outras coisas, o líder Delegado Waldir chama Jair Bolsonaro de vagabundo e fala que vai implodir o presidente da República (veja aqui).

O Antagonista conversou com Silveira por telefone.

Ele disse que decidiu gravar a conversa, usando o celular, com uma “intenção simples”: blindar Bolsonaro do que ele chama de “provável conspiração”.

“Isso estava em conluio, na verdade. Tivemos que trabalhar como infiltrados ali para poder conseguir acessar as informações, senão não tinha como. Era uma cúpula fechada tramando contra a República. Isso aí por fundo partidário, dinheiro e poder. Não serve, o Brasil não espera mais isso.”

Silveira contou que enviou o áudio para o presidente da República.

“Claro, ele foi o primeiro a ouvir.”

Perguntamos de que forma Bolsonaro reagiu.

“Com um pouco de surpresa, porque tinham muitas informações ali, informações que, ao meu ver, são um pouco estarrecedoras, porque trariam um prejuízo, de fato, para o Brasil.”

O deputado completou:

“Eu estou eleito na base do Bolsonaro e, custe o que custar, a gente vai defender o presidente.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Beto Dal disse:

    E nem precisou da oposição… Aliás, nem oposição existe, os bolsonaristas votaram no kit completo. Com todo respeito aos 'aliados', não há novidade nenhuma, apenas políticos sendo políticos. Uma lástima, principalmente para quem acreditou em novos tempos… sombrios!!!

  2. Bené Brito disse:

    Esta briga de milicianos não deve acabar bem. A fragilidade do governo do incapaz é impressionante.

  3. Maria disse:

    Virou o Cabaré de Mãe Joana. É só o começo. Aonde vamos parar….estou aqui fazendo arminha com todo gosto.kkkkkkkkk

    • Ems disse:

      Faça melhor ! Repita mais livros, menos armas e aceite ordens da carceragem em Curitiba.

Bivar assina destituição de Flávio e Eduardo Bolsonaro do comando do PSL

Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE

O presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, assinou a destituição do senador Flávio Bolsonaro e do deputado federal Eduardo Bolsonaro do comando do partido no Rio de Janeiro e em São Paulo, respectivamente. A informação é da revista Crusoé.

Os filhos do presidente Jair Bolsonaro ainda não foram notificados oficialmente da decisão. De acordo com aliados de Bivar, no lugar de Flávio assumirá o deputado federal Sargento Gurgel, atual coordenador geral da bancada fluminense na Câmara. Já o substituto de Eduardo deve ser o deputado federal Júnior Bozzella, que vem atuando como porta-voz da ala bivarista na Casa.

A decisão deve agravar ainda mais a crise interna enfrentada pelo PSL. Nesta quinta-feira (17), Bolsonaro substituiu a liderança do governo no Congresso. No lugar da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) foi colocado o senador Eduardo Gomes (MDB-GO).

Jovem Pan

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. André Fortes disse:

    Quem poderia imaginar que um partido formado por um monte de oportunistas gananciosos de quinta categoria implodiria tão rápido, não é mesmo?

    • Rosi Sampaio disse:

      Só tá começando! O melhor ainda está por vim. #bolsonaristasdomal

“Ganho uma carta de alforria, graças a Deus”, diz Joice Hasselmann em meio ao PSL rachado

Joice Hasselmann se manifestou após ser destituída da liderança do governo no Congresso.

“Eu ganho uma carta de alforria. Graças a Deus!”, afirmou a deputada do PSL à Folha. “Estou feliz da vida.

Joice reclamou da forma como a troca na liderança foi feita e disse que sequer foi comunicada. “Ninguém teve a dignidade de vir falar comigo e me avisar.”

Hasselmann disse também:

“Passei esse tempo todo servindo ao governo de forma leal. Inclusive, deixando de cuidar do meu mandato para gerir crises e apagar incêndios. Abri mão da minha família. (…) Em alguns momentos, tive que engolir sapo para defender coisas com que eu não concordo.”

“Ele [Eduardo Bolsonaro] é desagregador. Mas quando o governo quer dar tiro no pé, fazer o quê? Eu, para proteger o presidente, não entrei nisso. Não poderia colocar a minha assinatura numa loucura dessa. Mas porque eu assinei a lista de apoio ao [Delegado] Waldir, vem essa retaliação.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eduardo Costa disse:

    Carta de alforria? Imagine o trabalhador brasileiro

  2. PITANGA disse:

    Pega fogo, CABARÉ! Onde andam os eleitores do Bozo?! Provavelmente em busca de um buraco pra enfiar a cara… EU AVISEI!

    • Jv disse:

      Tá aqui um eleitor do Bolsonaro, sem arrependimento nenhum. E já previa que tudo isso poderia acontecer. Porém prefiro todas essas presepadas, do que ter uma seita governando o nosso país.

  3. EU QUERO A DIPLOMAMATA QUE PAPAI PROMETEU disse:

    👇🏿💣🔥

    Está difícil acompanhar a briga do PSL sem ficar desatualizado. Só hoje (e o dia ainda está longe de acabar) já foi mantido o líder do partido, trocada a líder de governo, trocados cinco vice-líderes, suspensos três deputados…

  4. Alaca disse:

    Dos que estavam na foto da oração com Bolsonaro pós -eleição, já rodou uma galera!

  5. hein? cuma? disse:

    Vivia babando pelas mídias… "meu capitão isso, meu capitão aquilo… o 01 é o máximo, o 02 é excepcional"… Daí começa a bandear pra outro lado, querendo morder mais do que cabe na boca e vem com conversa fiada, mais uma, entre vários, que escalaram nas costas do Presidente para se eleger e agora colhem os frutos da traição!

  6. André Fortes disse:

    "A gente foi tratado que nem cachorro desde que ele ganhou a eleição. Nunca atendeu a gente em porra nenhuma. (…) Ele só liga na hora que ele precisa de favor pra foder com alguém." — Deputados do PSL grampeados falando do mito.

Líder do PSL na Câmara afirma em áudio que vai ‘implodir’ Bolsonaro e chama o Presidente de “vagabundo”; ouça

Foto: Fátima Meira/ Futura Press/ Estadão Conteúdo

O líder do PSL na Câmara dos Deputados, Delegado Waldir (GO), afirmou em áudio obtido pela Record TV que pretende “implodir” o presidente Jair Bolsonaro. Na conspiração contra o presidente, ele fala da suposta articulação de Bolsonaro para retirá-lo do cargo de líder do PSL no Legislativo.

Waldir é ligado ao presidente do partido, o deputado Luciano Bivar (PE), e tem feito críticas públicas a Bolsonaro. Na conversa gravada, ele disse que divulgaria um áudio comprometedor a Bolsonaro.

“Eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele. Eu tenho a gravação. Não tem conversa, não tem conversa. Eu implodo o presidente. Acabou o cara. Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo”, diz o líder do PSL. Ele aborda a questão por cerca de um minuto, referindo-se ao presidente com palavrões.

O arquivo em que Waldir fala com outros parlamentares sobre o presidente tem cerca de 9 minutos de duração. A fala sobre a intenção de implodir Bolsonaro começa aos 2 minutos e 40 segundos.

Nesta quinta-feira (17), as revistas “Época” e “Crusoé” divulgaram áudio em que mostram uma gravação com o presidente Bolsonaro pedindo assinatura possivelmente a um deputado do PSL não identificado com o objetivo de obter apoios para tirar o Delegado Waldir da liderança do partido na Câmara.

Ao sair do Palácio da Alvorada, Bolsonaro falou aos jornalista que, se alguém o “grampeou”, foi um ato de desonestidade. “Eu não trato publicamente deste assunto. Converso individualmente. Se alguém grampeou telefone, primeiro é uma desonestidade”, afirmou.

O R7 entrou em contato com a assessoria do deputado no início da tarde desta quinta, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Arthur disse:

    Bom é ver os minions tudo calado, pega fogo cabaré! Até Lula roubava mais organizado que esses milicianos.

  2. Beto Dal disse:

    O Baixo Clero, agora sob nova administração, convida a todos que votaram na 'instituição' para continuarem apoiando, defendendo e brigando com o resto da população que tem bom senso! Uma rasante mais abaixo que o pré-sal!!

  3. Carlos Bastos disse:

    Vai cabaré, eu sabia

  4. Cigano Lulu disse:

    Prostitutas do baixo meretrício usariam linguagem mais sociável.

  5. São todos bandidos, sem exceção! Do partido A ao Z, são a escória da sociedade!

  6. Marcelo disse:

    Tudo isso é culpa de luladrão….. Homi ali é trocar seis por meia dúzia……

  7. Rodrigo disse:

    Por isso que o Brasil não vai pra frente! Essa podridão está em todos os partidos, cadê a ética? Cadê a união? Cadê o pensamento no Brasil? No Brasileiro? Estão todos pensando no próprio umbigo, ou melhor, no próprio bolso, comissão de ética neles!

    • Rivanaldo disse:

      Nada disso de ética. Se ele tem áudios que incriminam, quem quer que seja, tem que divulgar.

  8. Luiz Antônio disse:

    É o estilo miliciano

Bolsonaro decide tirar Joice Hasselmann da liderança do Governo

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O presidente Jair Bolsonaro resolveu retirar a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) da liderança do governo no Congresso. Seu substituto no cargo será o senador Eduardo Gomes (MDB-TO). De acordo com integrantes do governo, a crise com o PSL acelerou a saída de Joice, mas a troca já era cogitada há algum tempo.

A situação de Joice ficou insustentável no governo na quarta-feira, após a deputada assinar uma lista de apoio à permanência de Delegado Waldir (GO) na liderança do PSL na Câmara. Bolsonaro articulou para que um dos seus filhos, o deputado. Eduardo Bolsonaro (SP), assuma o lugar.

Joice foi escolhida líder do governo em fevereiro, pela indicação dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e tinha bom trânsito com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que no início do governo era responsável pela articulação política. Ela vinha perdendo espaço, no entanto, desde que a a articulação foi repassada para a Secretaria de Governo, em agosto. O ministro Luiz Eduardo Ramos, titular da pasta, deu preferência ao líder do governo na Câmara, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO).

Bolsonaro também já criticou Joice publicamente por, segundo ele, estar com “um pé em cada canoa”, em referência à sua aproximação com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para uma possível candidatura à prefeitura de São Paulo em 2020.

Entre a noite de quarta-feira e a manhã desta quinta-feira, Joice discutiu no Twitter com o o assessor especial da Presidência Filipe Martins e com o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP).

Senador de primeiro mandato, Eduardo Gomes foi deputado federal por três mandatos, entre 2003 e 2011. Também já foi vereador em Palmas entre 1997 e 2003.

“Guerra das Listas”

O racha no PSL ficou evidente na noite de quarta-feira. A deputada Alê Silva (MG) divulgou nesta madrugada uma relação de nomes da bancada do partido que estariam de cada um dos lados da “guerra das listas”, na Câmara dos Deputados. São 26 nomes com o presidente da sigla, Luciano Bivar , e outros 27 ao lado do presidente Jair Bolsonaro . Os parlamentares haviam se recusado a revelar a identidade de cada “tropa” à imprensa.

Na mesma noite, circularam pelo Congresso quatro mensagens em áudio, no Whatsapp, em que o presidente Jair Bolsonaro articularia a deposição de Delegado Waldir .

“Olha só, nós somos 26, falta uma assinatura para a gente tirar o líder e botar o outro. Entrando outro, agora, em dezembro tem eleições para o futuro líder a partir do ano que vem”, diz Bolsonaro. “Da maneira como está, que poder tem na mão atualmente o presidente, o líder aí? É o poder de indicar pessoas, arranjar cargos no partido, é promessa para fuga eleitoral por causa das eleições. É isso que o cara tem. Mas você sabe que o humor desses caras mudam”.

Nos áudios, o presidente diz “nunca ter sido favorável a listas, para deixar bem claro, mas no momento você não tem outra alternativa”. Em seguida, ele afirma que ligaria para outras pessoas para, “quem sabe, passar com folga até (das 27 assinaturas)”.

“Já tinha 25. Consegui o Peternelli agora. Vou ligar para outras pessoas”, diz Bolsonaro.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cibério disse:

    A democracia partidária sendo exercida.
    Diferente de outro partido onde isso não existe, por lá 01 dá a ordem e os outros obedecem sem qualquer possibilidade de entendimento. Entendem a diferença?

  2. PITANGA disse:

    Eita! Incêndio no parquinho…

  3. Leandro Laranjeiras disse:

    Pega fogo cabaré!…hahaha

Em gravação escondida, Bolsonaro articula saída de líder do PSL; presidente lamenta exposição de assunto interno e fala em “desonestidade”

Foto: Amanda Perobelli / REUTERS

Jair Bolsonaro foi gravado nessa quarta-feira à tarde pedindo o apoio de deputados do PSL para destituir o líder do partido na Câmara, Delegado Waldir, que acabou sendo deposto horas depois, para a entrada de Eduardo Bolsonaro.

“Estamos com 26, falta uma assinatura para a gente tirar o líder, e colocar o outro. A gente acerta. Entrando o outro agora, dezembro tem eleições para o futuro líder. A maneira como tá, que poder tem na mão atualmente o presidente, o líder aí? O poder de indicar pessoas, de arranjar cargos no partido, promessa para fundo eleitoral por ocasião das eleições, é isso que os caras têm. Mas você sabe que o humor desses caras de uma hora para a outra muda”, afirmou Bolsonaro a um interlocutor desconhecido.

O presidente segue:

“Numa boa, porque é uma medida legal… Eu nunca fui favorável à lista não, sou favorável a eleição direta, mas no momento você não tem outra alternativa, só tem a lista”.

Bolsonaro disse que ligou para deputados insatisfeitos de seu partido:

“Aqui tem 25 (assinaturas) , já falei com o (deputado General) Peternelli, vou ligar para outras pessoas. Até quem sabe que passe aí de uns números… Se fechar agora, já tem o suficiente”.

As gravações foram feitas de maneira oculta no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira.

Procurado, o Planalto não comentou.

Bolsonaro: “Se alguém grampeou o telefone, é uma desonestidade”

Jair Bolsonaro disse que os parlamentares que gravaram suas conversas agiram com desonestidade:

“Eu falei com alguns parlamentares. Me gravaram? Deram uma de jornalista? Eu converso com deputados. Eu não trato publicamente desse assunto. Converso individualmente. Se alguém grampeou o telefone, primeiro, é uma desonestidade.”

Época e O Antagonista

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Diogo disse:

    Sergio Moro ja expôs tanto áudio, vida que segue

Bolsonaro diz dever sua eleição ao PSL e pede transparência

Foto: Guilherme Mazui/G1

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (16) que não deseja “tomar partido de ninguém” e defendeu “transparência” nas contas do PSL, legenda a qual é filiado.

O presidente deu a declaração na saída do Palácio da Alvorada, em meio à turbulência na sua relação com o PSL. Na semana passada, Bolsonaro criticou o presidente da sigla, deputado Luciano Bivar (PSL-PE), ao afirmar que ele estava “queimado”.

O atrito gerou o rumor de que Bolsonaro e um grupo de parlamentares poderão deixar o partido, informação que o presidente não confirmou oficialmente.

Transparência

Nesta quarta, Bolsonaro voltou ao assunto e cobrou maior transparência do PSL no uso de recursos públicos que a legenda recebe, cerca de R$ 8 milhões mensais, segundo o presidente.

“Ah, o presidente falou em transparência. Eu falei, sim, em transparência. Então, vamos mostrar as contas e não ficar, como a gente vê notícias por aí, expulsa de lá, tira da comissão, vai retaliar”, disse Bolsonaro.

“O partido tem que fazer a coisa que tem que ser feita, normal. Não tem que esconder nada. Eu não quero tomar partido de ninguém. Agora, transparência faz parte, o dinheiro é público, R$ 8 milhões”, acrescentou.
Na semana passada, Bolsonaro e um grupo de parlamentares do PSL apresentou pedido formal ao partido para que forneça documentos e informações sobre as contas partidárias dos últimos cinco anos, incluindo os dados parciais de 2019.

Relação com o PSL

Perguntado se tem alguma mágoa com Bivar, Bolsonaro disse não ter mágoa com ninguém. Ele declarou que, por ora, “está tudo em paz”.

O presidente também foi questionado se defende a saída de Bivar da presidência da sigla. Bolsonaro respondeu que deseja “transparência” e declarou que não está “tumultuando a relação” com o PSL.

“Não defendo nada, não quero saber de nada. Eu só quero transparência”, disse.
Bivar foi alvo de operação da Polícia Federal (PF) na terça (15), que apura uso de candidatura laranja pelo partido nas eleições de 2018. A PF cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do deputado federal, em Jaboatão dos Guararapes (PE).

A ação busca saber se houve fraude no emprego dos recursos destinados às candidaturas de mulheres – ao menos 30% dos valores do Fundo Partidário deveriam ser empregados em campanhas femininas.

Segundo a PF, há indícios de que o dinheiro foi desviado e usado por outros candidatos do partido. A defesa de Bivar e do PSL divulgou nota afirmando estranhar a operação em um momento de “turbulência política”.

Acesso a contas

Bolsonaro tem se reunido desde a semana passada com os advogados Karina Kufa e Admar Gonzaga, que lhe dão conselhos jurídicos na disputa interna da legenda.

Com o pedido de acesso a contas, Bolsonaro e os deputados desejam auditar as contas para saber se a aplicação dos recursos públicos recebidos pelo PSL está correta.

A auditoria pode ser um caminho para alegação de justa causa para que os parlamentares se desfiliem da legenda sem o risco de perder os cargos.

Com os dados, os advogados do presidente pretendem acionar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para pedir eventuais providências à Procuradoria Geral Eleitoral e a órgãos como Receita Federal e Banco Central (BC).

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MAnoel disse:

    Ele deve a eleição dele à facada e por ter ficado de boca fechada… falar besteiras destrói uma reputação ….. Não é Dilma?

  2. sergio disse:

    Ele deve a eleição à facada!

    • CARLOS SAMPAIO disse:

      Discordo!Foi eleito pela vontade de mudança e pelo cansaço da população brasileira de tanto vivenciar com casos de mais casos de corrupção na política e principalmente no PT de Lula e sua gang! Eu pelo menos há estava decidido em votar em Bolsonaro bem antes do atentado que ele sofreu!Dizer que ele se elegeu a custas da facada é não querer enxergar a catástrofe que foi a esquerda nestes últimos 16 anos no Brasil! O resto é balela e dor de cotovelo!

  3. Tales disse:

    A grande maioria, pra não dizer todos, se elegeram surfando na onda Bolsonaro.

  4. ventura disse:

    o PSL é que deve a eleição de 90% dos seus deputados e senadores a Bolsonaro.

Bolsonaro afirma que não pretende deixar o PSL “de livre e espontânea vontade”, e se diz disposto a resolver imbróglio com Luciano Bivar

Foto: Adriano Machado / REUTERS

Em entrevista exclusiva a O Antagonista, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirma que não pretende deixar o PSL “de livre e espontânea vontade”. Quanto à possibilidade de ser afastado da legenda por Luciano Bivar, diz que não quer “entrar nessa briga”. “É um direito dele.”

Mas alerta que sua eventual expulsão teria efeito negativo para o partido. “Comigo fora da legenda, a tendência do PSL é murchar. Se eu sair, é natural que muita gente saia também.”

Na conversa, por telefone, Bolsonaro se mostrou disposto a resolver o imbróglio com Luciano Bivar, mas reiterou suas críticas. Segundo ele, elas reverberam uma insatisfação de outros integrantes da legenda.

“Não integro a Executiva, só estou filiado ao partido, mais nada. Essas são as reclamações. Eu não quero esvaziar o partido. Quero que funcione. O PSL caiu do céu para muita gente, inclusive para o Bivar. O que faço é uma reclamação do bem. O partido tem que funcionar, tem que ter a verba distribuída, buscar solucionar os problemas nos diretórios. Todo partido tem problema. O presidente, o tesoureiro, eles têm que solucionar isso.”

Em relação à polêmica declaração feita ontem, informalmente, em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente esclarece que não apoia a antecipação da campanha de 2020.

“O rapaz falou que era candidato a vereador. Se começar a vincular nome a partido, à minha imagem, pode ter problema de campanha antecipada. Ninguém tem que se antecipar como candidato, cria ciúmes. Quando falei que ele (Bivar) estava queimado, é que ele não está bem no estado dele.”

O Antagonista

Bolsonaro decide deixar o PSL, diz Veja

Foto: (Marcos Corrêa/PR/.)

Uma fonte próxima a Jair Bolsonaro (PSL) disse que o presidente já decidiu deixar o PSL. Aliados mais imediatos estão cientes da decisão.

A insatisfação de Bolsonaro com a legenda pela qual se elegeu presidente da República vinha em uma crescente e foi tornada pública nesta terça-feira, quando afirmou a um apoiador, na saída do Palácio da Alvorada: “Esqueça o PSL”. Na mesma ocasião, disse que o presidente da legenda, o deputado federal Luciano Bivar, “está queimado pra caramba”.

O presidente cochichou sua recomendação nesta terça-feira, a um eleitor que se apresentou como pré-candidato pelo partido no Recife. Mesmo assim, o rapaz gravou um vídeo ao lado dizendo “Eu, Bolsonaro e Bivar juntos por um novo Recife”.

Bolsonaro pediu que ele não divulgasse a gravação. “Ó cara, não divulga isso, não. O Bivar está queimado para caramba lá. Vai queimar o meu filme também. Esquece esse cara, esquece o partido”. Após ser repreendido, o rapaz fez uma nova gravação: “Viva o Recife, eu e Bolsonaro”.

Bivar tampouco quer Bolsonaro no partido. “A fala dele (Bolsonaro) foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido”, disse Bivar ao blog da jornalista Andréa Sadi.

Blog Maquiavel, Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Amo os Minions disse:

    Aguardo o Zorra Total kkkkk

  2. Alexandre disse:

    Mito fake news

  3. carlos disse:

    Fake news kkkkk

‘Devemos o governo Bolsonaro a Bivar’, diz Delegado Waldir, líder do PSL na Câmara

Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados

O deputado Delegado Waldir (GO), líder do PSL na Câmara, afirmou nesta terça-feira que a existência de um governo do PSL é devida ao atual presidente da legenda, o deputado Luciano Bivar (PSL-PE). A declaração foi feita após o presidente Jair Bolsonaro , nesta manhã, dizer que Luciano Bivar está “queimado para caramba”.

— A existência hoje de um governo do PSL se deve ao presidente Luciano Bivar — disse.

Já o líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), disse que ficou “perplexo” com as críticas de Bolsonaro ao PSL e a Bivar. O senador participava de uma reunião na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado quando soube das declarações.

— Só posso dizer que fiquei perplexo. Não sei qual é a motivação. O presidente pode esclarecer a manifestação dele. Eu conversei com o Bivar e o (deputado) Julian (Lemos) e estou tentando falar com o ministro (Luiz Eduardo) Ramos, para saber qual o sentido ou intenção. Nenhum de nós sabe — disse Olímpio.

Na manhã desta terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro, ao falar com apoiadores na porta do Alvorada, disse a um homem para esquecer o PSL e que o atual presidente da legenda, Luciano Bivar estava “queimado para caramba. O apoiador se dizia pré-candidato do partido em Pernambuco, mesmo estado de Bivar.

Major Olímpio também disse que o PSL é o partido mais fiel ao governo em votações e fez uma referência indireta à falta de base de Bolsonaro no Congresso:

— PSL é o único partido cem por cento fiel ao presidente em todas as votações. Todos os pedidos são atendidos pela direção do partido. Eu realmente estou perplexo com a manifestação. Desconheço essa possibilidade (de Bolsonaro sair do PSL). Não dá para entender, é nosso líder maior — afirmou o senador. — Até já brinquei, é a mesma coisa que alguém morar sozinho e fugir de casa. PSL é ele, cresceu em torno do nome dele. Nós nós elegemos e temos bancada robusta por causa do presidente Jair Bolsonaro. Eu não vejo motivo, se tiver qualquer circunstância, é mais fácil resolver a circunstância ou desacordo do que ele sair.

O senador acrescentou que, com ele, Bivar não está “queimado” e afirmou que o presidente do PSL também ficou sem entender as declarações de Bolsonaro.

— Fomos pegos de calças curtas — resumiu Olímpio.

O presidente do PSL é investigado pela Procuradoria Regional Eleitoral em Pernambuco por suspeita de caixa dois em sua campanha para deputado federal. O deputado Delegado Waldir, ao defender Bivar, disse que, assim como o presidente do partido, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio também enfrenta investigações.

— O presidente (do partido, Luciano Bivar) enfrenta uma investigação, como também o Marcelo enfrenta uma investigação, mas não existe nenhum trânsito em julgado em nenhuma ação. Então até ter o trânsito em julgado, acho que toda pessoa é inocente, tá na nossa constituição — afirmou Delegado Waldir.

O ministro do Turismo foi denunciado pelo Ministério Público eleitoral, na semana passada, de participar de um esquema de candidaturas-laranja em Minas Gerais. O porta-voz da Presidência Otávio do Rêgo Barros disse que o presidente iria aguardar o desenrolar do processo antes de tomar uma decisão sobre a manutenção de Álvaro Antônio no cargo.

Governabilidade

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse que é importante para o parlamento que o partido do presidente da República seja unido e forte. Ele afirmou também que uma crise no PSL não afetaria a agenda do Congresso, porque ninguém do partido é contra as reformas.

– Eu acho que ele construiu um partido que não era nada e construiu um partido forte, é sempre bom que se construa uma solução. É importante para o parlamento que o partido do presidente, daquilo que saiu das urnas, esteja unido e forte, isso ajuda a governabilidade do presidente aqui no parlamento brasileiro – afirmou.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rodrigo Duarte disse:

    99% dos eleitores de Bolsonaro não conhecem, nem nunca viram esse tal de Bivar.

  2. paulo disse:

    foi, nós votamos no mito por causa de Bivar, peraê!

Ministro do Turismo é denunciado pelo Ministério Público de MG por candidaturas-laranja do PSL

Foto: André Santos/Prefeitura de Uberaba

O Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais denunciou, na tarde desta sexta-feira (4), o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), por três crimes envolvendo candidaturas-laranja do partido em 2018. Outra dez pessoas também foram denunciadas. Os crimes são de falsidade ideológica, apropriação indébita eleitoral, que é quando o candidato se apropria com os recursos destinados ao financiamento eleitoral para proveito próprio, e associação criminosa.

O indiciamento do ministro pela Polícia Federal foi nesta quinta-feira (3), pelo crime eleitoral de omissão na prestação de contas e também pelo crime de associação criminosa. As investigações foram feitas de forma conjunta entre PF e Ministério Público.

Pela investigação, o partido inscreveu candidatas sem a intenção de que elas fossem, de fato, eleitas. Isso porque o Tribunal Superior Eleitoral decidiu que pelo menos 30% dos recursos do fundo eleitoral devem ser destinados a candidaturas femininas.

“O que se percebeu no âmbito do Ministério Público, de acordo com a prova dos autos, a formação de uma associação criminosa com o objetivo de direcionar recursos recebidos pelas candidatas mulheres para outros candidatos homens no curso da investigação. Diante desse contexto, pela prova produzida nos autos, chegou-se a conclusão de que havia duas lideranças, na verdade um beneficiário direto, o denunciado Irineu, e talvez a liderança direta dessa associação, o denunciado Marcelo”, disse o promotor de Justiça Eleitoral, Fernando Abreu.

Marcelo Álvaro Antônio é citado em depoimentos na investigação sobre o uso de candidaturas de mulheres na eleição de 2018 para desvio da verba eleitoral no estado.

Segundo inquérito da PF, ele “era e ainda é o ‘dono’ do PSL mineiro”. À época dos crimes apontados, Marcelo era o presidente estadual do PSL, partido do presidente da República, Jair Bolsonaro.

No indiciamento, a PF afirma que o então presidente do PSL em Minas “possuía o total domínio do fato, controle pleno da situação, com poder de decidir a continuidade ou interrupção do repasse de recursos do fundo partidário”.

Em nota, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, afirmou que ainda ainda não foi notificado sobre o indiciamento, mas que confia na Justiça e que sua inocência será comprovada. Ele nega ter cometido qualquer irregularidade na campanha eleitoral de 2018.

Ao blog de Valdo Cruz, o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, disse que o presidente Jair Bolsonaro vai manter o ministro no cargo. “O presidente da República aguardará o desenrolar do processo. O ministro permanece no cargo”, disse”.

O PSL nacional disse que não comentar o caso.

Veja a lista de denunciados:

Marcelo Álvaro Antônio – ministro do Turismo

Camila Fernandes – acusada de ser candidata-laranja

Debora Gomes – acusada de ser candidata-laranja

Haissander de Paula – ex-assessor do ministro quando ele era deputado federal, preso em junho deste ano

Irineu Inacio da Silva – deputado estadual em Minas pelo PSL – conhecido como Professor Irineu

Lilian Bernardino – suspeita de ser candidata-laranja

Marcelo Raid Soares – dono de duas empresas gráficas em Belo Horizonte

Mateus Von Rondon – assessor especial do ministro, preso em junho deste ano

Naftali Tamar – suspeita de ser candidata-laranja

Reginaldo Donizeti Soares – irmão de Roberto Silva Soares, sócio de duas empresas que prestaram serviço eleitorais às candidatas investigadas

Roberto Silva Soares – Assessor do ministro e coordenador de campanha de Camila, Débora e Naftali, preso em em junho deste ano

O indiciamento das 10 pessoas, excluindo o ministro, já havia sido feito pela PF em junho deste ano. O processo está em segredo de Justiça.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), a advogada Fernanda Lage Martins da Costa, que defende as quatro mulheres suspeitas, já entrou com um pedido de habeas corpus no tribunal, que ainda não foi julgado. A advogada disse que não teve acesso ao processo e só vai se pronunciar depois de tomar conhecimento dos fatos.

Em nota o deputado estadual Professor Irineu disse que “recebeu com surpresa a notícia do seu indiciamento, hoje pela manhã, por parte da Polícia Federal. O deputado destaca que sua prestação de contas de campanha foi aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG). Apesar da surpresa, o deputado estadual manifesta sua confiança e respeito à Polícia Federal e ao Ministério Público, e se mantem tranquilo com relação ao desdobramento das apurações. O deputado segue com a serenidade da lisura de todos os seus atos”.

O G1 tenta contato com os demais denunciados.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Minion arrependido disse:

    Exemplo de idoneidade

  2. Gervasio Mila Filho disse:

    Votei no 2º turno neste presidente só tenho tido decepções.Acho que ele tem o rabo preso a este ministro do Turismo.

    • Antônio Carlos disse:

      Sua decepção é relativa ao quê mesmo? Bolsonaro sofrendo enfrentamento de todos os poderes por não fazer o "toma lá dá cá" e não fatiar os recursos públicos para aprovação das reformas. Você decepcionado com Bolsonaro, esquecendo do jogo pesado que é armado na Câmara e no senado contra as aspirações do povo.

    • Francisco disse:

      Quem votou em Bolsonaro e ainda sai dizendo por aí gosta de exibir que é burro, kkk

PF indicia ministro do Turismo e mais 10 por candidaturas-laranja no PSL em Minas

Foto: José Cruz/Agência Brasil

A Polícia Federal indiciou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), e mais 10 pessoas no inquérito sobre o uso de candidaturas-laranja no PSL em Minas Gerais. Ele foi indiciado pelo crime eleitoral de omissão na prestação de contas de campanha e pelo crime de associação criminosa.

O G1 entrou em contato com o assessor do ministro às 9h40 e aguarda retorno. A reportagem também tenta contato com o PSL em Belo Horizonte.

Duas ações da PF já foram deflagradas para investigar o caso. Em abril, a primeira fase da operação cumpriu sete mandados de busca e apreensão em cinco cidades de MG, incluindo a sede da legenda em Belo Horizonte . A segunda fase aconteceu em junho e cumpriu três mandados de prisão, tendo como alvo principal o assessor especial de Álvaro Antônio, Mateus Von Rondon.

Indiciados

Marcelo Álvaro Antônio – ministro

Irineu Inacio da Silva – deputado estadual em Minas pelo PSL – conhecido como Professor Irineu

Lilian Bernardino – suspeita de ser candidata-laranja

Debora Gomes – suspeita de ser candidata-laranja

Camila Fernandes – suspeita de ser candidata-laranja

Naftali Tamar – suspeita de ser candidata-laranja

Marcelo Raid Soares – dono de duas empresas gráficas em Belo Horizonte

Reginaldo Donizeti Soares – irmão de Roberto Silva Soares, sócio de duas empresas que prestaram serviço eleitorais às candidatas investigadas

Roberto Silva Soares – Assessor do ministro, preso em em junho deste ano

Haissander de Paula – ex-assessor do ministro quando ele era deputado federal, preso em junho deste ano

Mateus Von Rondon – assessor especial do ministro, preso em junho deste ano

O indiciamento faz parte da conclusão do inquérito da Polícia Federal. De acordo com o delegado Marinho Rezende, o inquérito foi entregue ao Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais, nesta quinta-feira (3). Agora, cabe ao MPE decidir se apresenta ou não denúncia à Justiça.

Marcelo é citado em depoimentos na investigação sobre o uso de candidaturas de mulheres na eleição de 2018 para desvio da verba eleitoral no estado. Ele era o presidente estadual do PSL, partido do presidente da República, Jair Bolsonaro.

A suspeita é que o partido inscreveu essas candidatas sem a intenção de que elas fossem, de fato, eleitas. Isso porque o Tribunal Superior Eleitoral decidiu que pelo menos 30% dos recursos do fundo eleitoral devem ser destinados a candidaturas femininas.

O ministro Marcelo Álvaro Antônio sempre negou irregularidades nas candidaturas.

Candidaturas-laranja no PSL

Em março deste ano, em depoimento à Polícia Federal, a filiada do PSL Zuleide Oliveira acusou Álvaro Antônio de chamá-la para ser candidata-laranja nas eleições do ano passado. Segundo Zuleide, o ministro teria organizado sua candidatura para que ela pudesse receber – e depois devolver – verbas ao partido, desviando dinheiro público da campanha.

Zuleide detalhou que recebeu uma proposta de um assessor do ministro, então presidente do PSL em Minas, para devolver R$ 45 mil dos R$ 60 mil que receberia para a campanha. O ministro negou a acusação e disse que Zuleide “mente descaradamente”.

Outras candidatas do PSL mineiro já são investigadas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público por suspeita de candidatura-laranja na eleição passada. As investigações apuram a denúncia de que o dinheiro enviado às candidatas teria sido devolvido a assessores do ministro Marcelo Álvaro Antônio.

A ex-candidata a deputada federal Adriana Moreira Borges disse ao Ministério Público Eleitoral também ter recebido uma proposta de um assessor de Álvaro Antônio para repassar R$ 90 mil dos R$ 100 mil que receberia para fazer a campanha em 2018.

Gustavo Bebbiano

O caso das candidaturas suspeitas de serem laranjas foi revelado pelo jornal “Folha de S.Paulo”. Além de Álvaro Antônio, as denúncias causaram uma crise que atingiu Gustavo Bebbiano, que acabou exonerado do cargo de secretário-geral da Presidência da República.

No caso de Bebianno, as suspeitas surgiram em Pernambuco, onde a candidata a deputada federal pelo PSL Lourdes Paixão recebeu R$ 400 mil de verba pública eleitoral, mais do que o repassado para a campanha de Bolsonaro, e obteve 274 votos nas eleições de 2018.

Durante as eleições, Bebianno era presidente nacional do PSL, mas ele negou que tenha sido responsável pela escolha dos candidatos que receberam dinheiro do fundo partidário em Pernambuco.

G1

 

Divergência em torno da CPI da Lava Toga: major Olímpio quer que Flávio Bolsonaro saia do PSL

Foto: Sérgio de Castro/Estadão

A divergência no PSL em torno da CPI da Lava Toga fez o líder do partido, Major Olímpio (SP), pedir a saída de Flávio Bolsonaro.

“Nós que representamos a bandeira anticorrupção do Presidente. Eu tentei convencê-la (senadora Juíza Selma, de saída para o Podemos) a ficar e resistir conosco. Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio, não ela. Gostaria que ele saísse hoje mesmo”, disse Major Olímpio.

Apesar disso, o senador não deve entrar no Conselho de Ética do PSL contra Flávio, por avaliar que ele não tenha ferido nenhuma regra. “Só trazer muita vergonha a nós”.

Há algumas semanas, o próprio Major Olímpio estava pensando em deixar o partido, depois de divergências com o PSL-SP e algumas decepções com o governo. Foi dissuadido por colegas e disse que decidiu ficar e “resistir”.

Coluna Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Escritor disse:

    O STF de Toffili impediu a continuacao investigacao do MP contra Flavio Bolsonaro, com dados do COAF. Flavio Bolsonaro é contra CPI Lava Toga q vai investigar Toffili do STF. Mera coincidência. Acontece.

  2. João batista disse:

    Tem q sair mesmo, nova política se faz com faxina começando dentro da casa.

  3. Amo os Minions disse:

    Ninguém mexe com o 🍊. Os incomodados que se retirem, está na convenção do PSL.

Deputado estadual Coronel Azevedo obtém liberação partidária no TRE-RN para deixar PSL

Foto: Assessoria da ALRN

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) decidiu, por unanimidade, garantir ao deputado estadual Coronel Azevedo sua liberação partidária. Com isso, ele está, oficialmente, com sua desfiliação do Partido Social Liberal (PSL). Confira detalhes de decisão no portal Justiça Potiguar clicando aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mario francisco Alves disse:

    Um sem futuro, pegou carona na onda Bolsonaro, e agora abandona o partido traindo o povo do RN, o pago vira depois, pois este será sem sem duvida nenhuma um deputado dr um único mandato, quem viver vera, perdi meu voto, nas este fraco deputado, receberá um não do povo nas próximas

  2. Marcus disse:

    Barco afundando… Os ratos pulam fora logo.

  3. Lucas disse:

    PSL: partido suco de laranja. Alguém tem notícias do Queiroz?

  4. Lucianobrito disse:

    Qual motivo da saída deputado quero saber?

  5. JBBatista. disse:

    É tudo igual.

LARANJAL DO PSL: PF prende assessor especial do ministro do Turismo

A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã desta quinta-feira, dia 27, Mateus Von Rondon, assessor especial do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio (PSL), em operação que investiga um suposto esquema de candidaturas laranja pelo partido nas eleições do ano passado em Minas Gerais. Marcelo Álvaro Antonio era presidente da legenda no Estado à época. A prisão ocorreu em Brasília.

Em Minas, a Polícia Federal também prendeu Roberto Silva Soares. Robertinho, como é conhecido, foi preso em Ipatinga, no leste de Minas Gerais. Ele atuava como coordenador da campanha eleitoral de Álvaro Antonio a deputado federal.

A operação foi batizada de Sufrágio Ostentação. As candidaturas laranja teriam sido de mulheres. O objetivo, ainda segundo as investigações, seria o de acessar fundos eleitorais e utilizar os recursos para pagamento de despesas de outras candidaturas.

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Potiguar disse:

    Prisão após meses que a história foi divulgada. Se tinha alguma prova, ela foi queimada, apagada…Lado outro, no gozo das férias alguns juízes trabalham para ferar seus inimigos políticos.

  2. painho disse:

    o povo cada vez mais lascado, o Brasil cada dia piora mais,essa e a realidade.

  3. Ceará-Mundão disse:

    Os comentários anti Bolsonaro (esquerdopatas de variados matizes) mostram com clareza a desonestidade intelectual, a torpeza de caráter, o total descompromisso com a verdade, a leviandade, a própria índole dessa gente. Primeiro, não conseguem entender que no Brasil que está surgindo não cabem os seus conceitos e valores pois a maioria do nosso povo já demonstra enorme cansaço com essa maneira asquerosa, vagabunda de fazer política e de se portar até no cotidiano. Essa corja está se isolando cada vez mais e seus votos vêm minguando a cada eleição. Seus dircursos canalhas só atingem os já convertidos, almas sebosas e irreparáveis. Os dois pólos estão se consolidando.

    • Vitor Silva disse:

      VAmos canonizar o bozo.

    • Realista disse:

      Um clássico Ceará-Bobão, senso crítico zero. Acuse os do que você é, xingue os do que você faz.

    • Ceará-Mundão disse:

      Deixa de palhaçada, "cumpanhero". Vc nunca verá um eleitor do Bolsonaro defender um bandido, como vcs, esquerdopatas, costumam fazer. Mas, está claro que o presidente não tem nada a ver com isso. Não forcem a barra e deixem o cara governar. Aguardem a próxima eleição e tentem novamente. O cara passou 3 décadas na Câmara, em meio a cobras de todas as cores, e nada existe que desabone o seu caráter. Houve até divulgação de grampos e depoimentos de delatores onde o ex deputado foi citado como o único que não recebia propina. Deixem de safadeza.

  4. Ex bolsominion disse:

    Cadê os empregos e as armas presidente? Só vejo enrolação e malandragem nesse governo.

  5. Antonio Turci disse:

    É mesmo. O sr. Lula está preso mas mandando muito, ainda. Dando pitaco em quanto é coisa.
    E a imprensa marron escancarando suas páginas manchadas a esse meliante, dando o maior apoio ao retorno da bandidagem.

  6. Elina Araújo Medeiros de Morais disse:

    Interessante é ver aqui um monte de patriota com partidarismo acima da honestidade. Qualquer funcionário público, efetivo ou temporário (como os políticos) tem a obrigação de zelar pela honestidade. Ser honesto é um bem maior e quem comete algo ilícito deve pagar. Então, vamos parar com esse negócio de comparar com fulano ou beltrano. Quem errou está preso e faltam muitos verem o Sol nascer quadrado. Quem chegou ao poder agora, também, não está isento da justiça, se foi pelo mesmo ou por novos caminhos ilegais. Não vamos santificar político algum. Poucos escapam!

    • Fausto Esmeraldino disse:

      Vamos entender o seguinte: Em toda profissão e partido existem pessoas que não respeitam a legalidade. O que não pode é ter torcida organizada ou paga pela impunidade.
      Ninguém deveria estar acima da lei e a justiça tratar todos da mesma forma, sem declarado privilégio a um e outro, como vemos nos julgamentos imediatos de HC impetrados em um dia e julgado 02 dias depois, furando uma fila de milhares de outros HC que esperam julgamento.
      Faz tempo que a honestidade incomoda no Brasil que isso passou a ser indicativo de "pessoa ruim", tamanha é a inversão que vivemos.
      A PF tem que cumprir sua função, independente da cor, credo ou partido. Nesse caso não vai haver movimento social a frente da cadeia torcendo pela impunidade, se houve crime, parará por ele, simples assim. Sem fazer qualquer apologia a um lado político, apenas ao que estamos vivenciando, salvo os que não conseguem ver a realidade.

    • Ceará-Mundão disse:

      Disse tudo, Fausto. Mas esses fanáticos não entendem nada disso ou se fazem de doidos ou agem mesmo de má fé, pensando apenas nos seus interesses. Acredito mais na última hipótese. Essa gente não tem mais jeito, a falta de ética, a desonestidade, a vagabundagem, a ausência de caráter já tomaram conta de seus cérebros, abduzidos que foram pela doutrinação de esquerda. Casos perdidos. O que temos de fazer é tentar evitar que essa praga se alastre ainda mais. Cerca de 20% dos brasileiros estão definitivamente arruinados. Uma pena.

  7. Henrique Chaves Pinto Jr disse:

    Como os pesos e as medidas são diferentes nesse país que arde contra o combate a corrupção.
    Agora qualquer coisa no PSL a mídia corre para colar em Bolsonaro.
    Até final de 2016 NADA colava no dono do PT, ele "nunca sabia de nada", mesmo se o crime fosse cometido em sala colada a dele, como no caso de todos os ex ministros que ocuparam a casa civil de 2004 a 2016 que são investigados, processados e presos. Nem vamos falar dos diretores de petrobrás, correios, BB e tantas outros órgãos estatais que eram escolhidos a dedo pelo líder maior e hoje respondem por corrupção.
    Mas se um candidato a vereador do município de sei lá onde, pagou ao vendedor de picolé e responde por isso, vem como candidato do partido do presidente.
    Lembrando que o sargento que foi pego cometendo tráfego, viajou com Dilma e Temer e nunca antes foi passou por revista, só agora foi pego. Antes tinha todas as facilidades, mas a culpa é de hoje por ele ter sido revistado e preso. Entendam e escutem os gritos dos desesperados, pois lutam com tudo que tem para que a corrupção volte

  8. José disse:

    A casa está caindo!!!

  9. Lourdes Siqueira disse:

    BG procure nos informar, por favor, sobre a apreensão de malas com US$ 1,4 milhão e 20 relógios de luxo no Aeroporto de Viracopos com Teodoro Obiang Mangue, filho do ditador da Guiné Equatorial aqui no Brasil.
    O silêncio é suspeito.
    Tenho muita curiosidade sobre a investigação.

  10. Lourdes Siqueira disse:

    Interessante que TUDO agora é relacionado ao Presidente Bolsonaro.
    Com o Lula os amigos,compadres, ministros entregam os mal-feitos do cara, ele diz que é mentira e fica por isso mesmo.
    Já com o Presidente Bolsonaro, se a comadre da vizinha dele queimar o feijão é culpa dele. Nhãm.

    • Thiago Mundão disse:

      Exatamente isso, começando por vocês, que tem ladrao de estimação e sonham todas as noites com LULA. LULA ESTÁ PRESO. O povo de bem desse país, não tem ladrão de estimação. Vocês viraram a esquerda ao contrário. Interessante que agora os eleitores do Bozo está contra a polícia federal, mas não era vocês que exaltavam quando ela prendia “o outro” lado? Lula está preso, Jaja Bolsonaro vai estar também. Tráfico é crime grave!

    • Anti-Político de Estimação disse:

      ôxi, e Lula não está preso ????????? . Quem for podre que se quebre, seja quem for.