Eduardo Bolsonaro é destituído da presidência do PSL de São Paulo

Foto: Maandel Ngan – 30.ago.19/AFP

Depois de ter sido suspenso por um ano, Eduardo Bolsonaro foi destituído da presidência do diretório estadual do PSL de São Paulo, diz O Globo.

O registro do afastamento apareceu nesta quinta-feira no sistema do TSE.

De acordo com o partido, Eduardo não comanda o diretório paulista do PSL desde a última terça-feira. A decisão foi tomada pelo diretório nacional da legenda.

Além de Eduardo, toda a diretoria do PSL-SP foi destituída.

O Antagonista

Luciano Bivar e três candidatas investigadas em esquema de laranjas do PSL são indiciados pela PF

Foto: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

O presidente nacional do PSL, o deputado federal Luciano Bivar, e três candidatas a deputada pelo partido foram indiciados pela Polícia Federal, nesta sexta-feira (29). Além de Bivar, são alvo da investigação sobre um esquema de candidaturas laranjas usado nas eleições de 2018 Lourdes Paixão, que tentou se eleger deputada federal, além de Érika Siqueira e Mariana Nunes, candidatas a deputada estadual.

As três mulheres são suspeitas de participar do desvio de verba do Fundo Partidário do PSL, segundo as investigações da PF. Na quarta-feira (27), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) reprovou as contas de campanha de Lourdes Paixão.

Segundo a PF, os quatro foram indiciados com base no artigo 350 do Código Eleitoral. Esse artigo diz que é proibido omitir declaração ou inserir declaração falsa para fins eleitorais.

Eles também foram enquadrados no artigo 354 do Código Eleitoral, que veda a apropriação de valores destinados ao financiamento eleitoral para benefício próprio ou para outra pessoa.

As penas são de até 5 anos de prisão e multa e 2 a 6 anos de prisão e multa, respectivamente. Todos foram indiciados, ainda, por associação criminosa.

Segundo a PF, as investigações apontam que “representante do Partido Social Liberal em Pernambuco teria ocultado, disfarçado ou omitido movimentações de recursos financeiros oriundos do fundo partidário, através de três candidatas fictícias”.

Os quatro foram convocados para interrogatório na sede da PF, nesta sexta, no Centro do Recife, mas dois não compareceram, apesar de terem sido intimados.

Os nomes deles não foram divulgados. O inquérito foi concluído pela PF e enviado ao Ministério Público Eleitoral da 6° Zona Eleitoral do Recife.

Com informações do G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos Bastos disse:

    Foi contra o Bozo, veja o resultado

Executiva do PSL decide suspender e advertir 16 deputados, mas não expulsará parlamentares

Para o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), a recomendação da Executiva do PSL foi pela suspensão por 12 meses. Foto: Pablo Valadares/ Agência Câmara

A Comissão Executiva do PSL decidiu não expulsar nenhum dos deputados com processos disciplinares abertos pelo Conselho de Ética da sigla, depois da crise aberta pelo rompimento entre a cúpula do partido e o presidente Jair Bolsonaro . Em reunião na manhã desta quarta-feira, o colegiado optou por recomendar advertências e suspensões a 16 parlamentares. A decisão ainda precisa ser validada pelo Diretório Nacional do partido, que se reúne na próxima segunda-feira.

No caso de 12 deputados, a recomendação foi pela suspensão de atividades parlamentares.Isso significa que, se o diretório validar, eles devem perder a indicação para integrar comissões da Câmara, para relatar projetos, entre outros. Já outros quatro deputados devem receber uma advertência por escrito. Para Guiga Peixoto (SP) e Luiz Ovando (MS), a recomendação foi pelo arquivamento de seus casos.

O segundo vice-presidente da sigla, o deputado federal Júnior Bozella (SP) afirmou que as punições variam de deputado para deputado.

– As suspensões são diferentes para cada caso. Teve deputado com três meses [de suspensão], com seis meses – disse o paulista, que não citou nominalmente nenhum dos suspensos.

No caso de Eduardo Bolsonaro (SP), filho do presidente, por exemplo, a recomendação foi pela suspensão por 12 meses. Já os deputados Carla Zambelli (SP), Filipe Barros (PR) e Luiz Philippe (SP) tiveram recomendação para suspensão de seis meses.

– Ou seja, são sujos o suficiente para tentar calar uma deputada que não cometeu crime algum, mas não são corajosos o suficiente para me expulsar? – reagiu Zambelli.

O Globo

Bivar é reeleito presidente do PSL

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Luciano Bivar foi reeleito presidente do PSL.Ele ficará no cargo por mais dois anos.

A Executiva Nacional da legenda, em reunião em Brasília, ainda definiu que o deputado Júnior Bozzella será o segundo vice-presidente do partido — cargo que estava vago desde a saída de Gustavo Bebianno.

O Antagonista

Presidente estadual do PSL, coronel-aviador Hélio Oliveira, deixa partido para acompanhar Bolsonaro

Reprodução/Meio Dia RN

Conforme adiantado pelo Meio-Dia RN com o BG, na 98 FM, na última semana, na terça-feira(12), o coronel-aviador Hélio Oliveira, confirmou que está deixando a presidência do Partido Social Liberal – PSL, no Rio Grande do Norte. O seu novo destino, o “Aliança pelo Brasil”, acompanhado de sua diretoria, seguindo os passos do presidente Jair Bolsonaro.

O coronel, por ora, ressaltou que por uma questão de ética e agradecimento está agendando uma reunião para devolver o PSL, no Estado, à Executiva Nacional.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nordestino disse:

    Ô povo besta, seguir uma bosta dessa ou Lula, só querem se arrumar.

  2. Véi de Rui disse:

    Certo ele

  3. Minion alienado disse:

    Depois da aliança pelos Minions, qual será a próxima legenda?

Bolsonaro anuncia saída do PSL

Foto: Carolina Antunes / Presidência da República

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou na tarde desta terça-feira, 12, a sua saída do PSL. Ele também disse que irá trabalhar para criar um novo partido, chamado Aliança pelo Brasil. A deputada Bia Kicis (PSL-DF) disse esperar que Bolsonaro presida o novo partido. Segundo ela, a primeira convenção da sigla será feita em 21 de novembro.

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) também sairá de imediato do partido, disse a deputada Bia Kicis. O deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) afirmou que a ideia dos deputados é permanecer no PSL até a criação da nova legenda.

Os advogados de Bolsonaro estimam que conseguirão entregar, até março do ano que vem, as cerca de 500 mil assinaturas exigidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para criação de novo sigla. A ideia é viabilizar o partido a tempo de lançar candidatos às eleições de 2020, o que exige aprovação na corte eleitoral até abril.

O deputado Daniel Silveira disse que o TSE ainda não confirmou, “mas vai”, que é possível realizar a coleta de assinaturas por meio de um aplicativo para dispositivos móveis. Informou ainda que 30 parlamentares devem acompanhar Bolsonaro no novo partido.

A disputa interna do PSL veio à tona no dia 8 de outubro. Naquele dia, na porta do Palácio da Alvorada, Bolsonaro fez críticas ao presidente do partido, Luciano Bivar (PE), a um pré-candidato a vereador de Recife. “O cara (Bivar) está queimado para caramba lá. Vai queimar o meu filme também. Esquece esse cara, esquece o partido”, prosseguiu. A partir daí, houve uma série de farpas trocadas entre dois grupos que se formaram entre os correligionários.

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dan disse:

    PELO CONTRÁRIO BABACA, O PSL É UM ANTRO DE CORRUPTOS … NÃO ERA NADA ANTES DO PRESIDENTE …

  2. Luciano disse:

    BOZO TEM O VIRUS DA TRAIÇÃO EM SEU DNA.
    SUA HISTÓRIA POLÍTICA DE ANOS E ANOS SE ALIMENTANDO DO FUNDO PARTIDÁRIO E DOS AUXILIOS MORADIAS, ENTRE OUTROS INÚMEROS PRIVILÉGIOS DOS DEPUTADOS OPORTUNISTAS COMO ELE, MOSTRAM QUEM ELE É, UM ESCORPIÃO QUE PICA QUALQUER UM DEPOIS QUE HA ATRACESSOU O RIO E NAO PRECISA MAIS DA CARONA QUE PEGOU PARA SE DAR BEM.
    PEGOU ESSE PARTIDO DE ALUGUEL, O PARTIDO DO SUCO DE LARANJA, PSL, SE APROVEITOU E AGORA QUE O MESMO ESTÁ SENDO INVESTIGADO PELAS FALCATRUAS QUE FEZ PARA ELEGER ELE PRÓPRIO E OS SEUS COMPARSAS, CAI FORA SOB AS BÊNÇÃOS DE MORO.

  3. Flauberto Wagner disse:

    Vou assinar e também me filiar cadê a ficha?

Deputado bivarista diz que PSL continuará sendo aliado do Planalto

O deputado Júnior Bozzella, porta-voz informal de Luciano Bivar, comentou com O Antagonista a decisão de Jair Bolsonaro de sair do PSL, como antecipou a Crusoé.

“Bolsonaro tem em seu governo bons aliados como DEM, PP, PSD, PR, PRB. Não será diferente com o PSL, que sempre foi um aliado de primeira hora do Planalto, sem nunca exigir nada, apenas a lealdade.”

Para Bozzela, a desfiliação do presidente da República “não muda absolutamente nada” a atuação do partido no Parlamento.

“O nosso compromisso é com o Brasil, com o combate a corrupção e com a agenda econômica, que é prioridade para a retomada dos empregos.”

Ele afirmou também:

“Uma questão é o Brasil. A outra são as injustiças e os debates internos do partido.”

O Antagonista

Deputado geral Girão informa que PSL pediu sua expulsão por ter pedido com a maioria “transparência e lisura nas contas do partido”

 

Ver essa foto no Instagram

 

#generalgirãodeputadofederalrn #generalgirao #deputadogeneral #brasilacimadetudo #governofederaltrabalhandopelorn

Uma publicação compartilhada por 🇧🇷🇧🇷🇧🇷Deputado General Girão (@generalgirao) em

Na noite dessa quinta-feira(07), o deputado federal, general Girão, informou na sua rede social Instagram, que o PSL pediu a sua expulsão do partido.

Segundo o parlamentar, o motivo foi ter pedido com a maioria dos parlamentares a “transparência e lisura nas contas do partido”.

Girão, por sinal, tem se manifestado com frequência nas redes sociais em ao apoio ao presidente Jair Bolsonaro na crise do PSL. Sinal de possível retaliação do partido.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ex-Petralha disse:

    Tô entendendo nada, esse Tofóli nem prende o príncipe e solta Lula, de que lado ele tá?

  2. Nordestino disse:

    Tem que mandar investigar o príncipe, que pediu proteção a toffoli. E mandar abrir a caixa preta do cartão da presidência

Bebianno diz que Bolsonaro chancelou repasses a Bivar para entrar no PSL

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Gustavo Bebianno disse à Polícia Federal que Jair Bolsonaro chancelou em 2018 um acordo para repassar 30% do fundo eleitoral do PSL (cerca de R$ 2,7 milhões) para o diretório do partido em Pernambuco, informa a Folha.

O PSL pernambucano é chefiado por Luciano Bivar.

Bebianno foi chamado a depor pelo fato de a verba pública do PSL repassada às supostas candidatas laranjas de Pernambuco ter partido do diretório nacional, presidido por ele durante a campanha presidencial do ano passado.

“Perguntado sobre quem seria o responsável pela definição das contas relativas aos fundos partidário e especial [eleitoral] para cada estado e seu correlato repasse para os candidatos durante o processo eleitoral, [Bebianno] respondeu que na forma do acordo político celebrado entre Jair Bolsonaro, Luciano Bivar, Fernando Francischini [então deputado federal pelo Paraná e aliado de Bolsonaro], Antônio Rueda [braço-direito de Bivar], Eduardo Bolsonaro [filho do presidente] e o declarante, parte relevante do fundo eleitoral, em torno de 30%, seria destinado para o estado de Pernambuco, estado original da fundação do PSL, e que os 70% restantes seriam distribuídos de acordo com o peso eleitoral de cada estado”, diz a transcrição de parte de seu depoimento.

E mais:

“O candidato queria ter esse controle para evitar que pessoas com perfil político mais à esquerda exercessem função de comando nesses diretórios regionais e que as pessoas indicadas fossem corretas no trato público.”

Na campanha, Bolsonaro chegou a assinar uma carta de filiação ao Patriota, mas acabou entrando no PSL.

O Antagonista, com Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Minion arrependido disse:

    O jogador conhece o jogo pelas regras hehehe. A velha política mantém seus acordos hehehe

Bolsonaro classifica de “imaturidade” a crise no PSL e “deseja boa sorte” para Joice Hasselmann

Foto: – / AFP

O presidente Jair Bolsonaro comentou a crise do PSL , pouco antes de deixar Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, neste domingo. O chefe do executivo destacou que “todo mundo” acredita no Brasil, apesar das dificuldades. Ele também falou sobre novos nomes de candidaturas em seu partido nas eleições.

— Há a esquerda toda contra nós, o PSL. A gente sabia que seria difícil. Está sendo um pouco mais. Mas todo mundo está acreditando na gente, fazendo acordos — disse.

Ao ser perguntado sobre a possibilidade de a deputada Joice Hasselmann ser candidata à Presidência pelo PSL, o presidente reagiu mas falou apenas de eleições municipais, onde a parlamentar também foi cogitada como candidata:

— Boa sorte para ela. Eu acho que a Joice se elegeria sem estar do meu lado. Quando se expõe de forma explícita, atrapalha. Interferirei o mínimo possível nas eleições municipais — afirma.

Neste sábado, o deputado Junior Bozzella (PSL-SP), que tem sido porta-voz de Bivar, disse à “Folha de S. Paulo” que Joice pode ser candidata à Presidência pela legenda.

– O presidente prometeu na campanha que não disputará a reeleição. A Joice, portanto, é o nome ideal – disse.

Bolsonaro classificou de imaturidade a crise no partido e a reação de Joice Hasselmann.

— Com mulher é diferente. Com homem a gente vai e fala um palavrão. Mas quem erra é que tem que ir atrás – disse.

O presidente afirmou que a questão do partido é grave e que um advogado dele está estudando a situação.

— O ideal agora seria ser xifópago (gêmeos que nascem ligados), seria separar. Nunca solta de paraquedas sem um extra. Essa possibilidade sempre vai existir. O ideal é um novo partido. Não teria dificuldade em criar – afirmou.

Nesta segunda-feira, O GLOBO mostrou que os advogados Karina Kufa e Admar Gonzaga , que vem atuando para Bolsonaro na crise do PSL , acionaram no Supremo Tribunal Federal (STF) o presidente do partido, Luciano Bivar. Em pedidos de interpelação judicial, eles questionam Bivar sobre algumas declarações, entre elas uma entrevista ao GLOBO na qual o presidente do PSL diz que os advogados desejam a legenda para “fazer coisas não éticas”.

Os pedidos foram feitos para preparar eventuais ações contra o presidente do PSL por crimes de injúria e difamação. Os advogados de Bolsonaro afirmam que as declarações de Bivar, que é deputado, não devem ser protegidas pela imunidade parlamentar.

Nesta segunda-feira, o presidente chega a Riad, na Arábia Saudita, e deve fechar acordos na área militar.

— Temos algo a levar sim no bolso. Sempre há interesse em questões militares. Todas as hipóteses estão na mesa. Eles estão confiando na gente — disse.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José disse:

    E 57 milhões acreditaram nesse palhaço chamado Bolsonaro!!!

  2. Bolsominion disse:

    11 milhões de brasileiros acreditam que a Terra é plana.
    46 milhões não sabem que pagam impostos.
    50 milhões não acreditam que o homem foi à lua.
    65 milhões nunca compraram um livro na vida.
    73 milhões assumem desconfiar da ciência.
    123 milhões não sabem quem é o vice presidente.

PSL: Bivar minimiza imbróglio no partido, “freia” Waldir e diz que “está tudo em paz”

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente do PSL , deputado Luciano Bivar (PE), minimizou nesta terça-feira a possibilidade de o partido o intervir nos diretórios de Rio, São Paulo e Minas Gerais para alterar os comandos estaduais. A troca foi sugerida pelo deputado Delegado Waldir (GO), ex-líder da sigla na Câmara , com o objetivo de atingir o senador Flávio Bolsonaro (RJ), o deputado Eduardo Bolsonaro (SP) e o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que já está licenciado da presidência da legenda em Minas.

Em uma rápida entrevista na Câmara – Bivar foi ao plenário registrar presença e, em seguida, voltou ao carro que o levaria para a reunião do PSL –, o presidente do partido primeiro questionou quem havia levantado a hipótese de intervenção. Ao ser informado sobre o posicionamento do ex-líder, Bivar foi comedido:

– Pode estar nos seus sentimentos pessoais (do Delegado Waldir). Mas não no sentimento do partido.

Bivar também tentou diminuir a crise do PSL, que já entrou na terceira semana. Ao ser perguntado sobre os conflitos, que opõem o grupo ligado a Bivar aos parlamentares mais próximos do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do PSL procurou passar a imagem de que não há problemas.

– Está tudo em paz, entendeu? Acho que a gente tem de pensar no Brasil. Todos nós temos de ser patriotas. Todos temos de ser patriotas. Temos que ser patriotas e pensar no país em primeiro lugar. Somos uns liberais de direita. E a gente quer o melhor do país.

A disputa no PSL, no entanto, já provocou a troca de líder na Câmara – Eduardo Bolsonaro substituiu Delegado Waldir após uma “guerra de listas” –, além de xingamentos direcionados a Bolsonaro, que foi chamado de “vagabundo” pelo ex-líder em uma reunião e acusações de entrega de cargos em troca de apoios.

O Globo

PSL abrirá processo contra Eduardo Bolsonaro e mais 18; penalidades vão de advertência à expulsão

O deputado Eduardo Bolsonaro discursa na Câmara no dia em que foi alçado líder do PSL Foto: Daniel Marenco / Agência O Globo

A briga pela liderança do PSL na Câmara dos Deputados parece estar longe do fim. Nesta terça-feira, o Diretório Nacional vai eleger os membros do Conselho de Ética do partido para começar a tramitar o processo interno por infração disciplinar contra 19 parlamentares bolsonaristas. Entre os alvos estão o novo líder do partido da Câmara, Eduardo Bolsonaro (SP), e o líder do governo, Vitor Hugo (GO). Todos foram convocados para reunião hoje na sede do partido, para se posicionar sobre as acusações. Ele ainda têm um prazo de cinco dias para contestação. As penalidades vão de advertência à expulsão.

A abertura do processo disciplinar contra os parlamentares de oposição do presidente do partido, Luciano Bivar , foi contra-ataque do grupo bivarista após uma nova batalha de listas para o cargo de líder. Num intervalo de seis horas, três documentos foram protocolados na segunda-feira na Mesa Diretora, alçando à liderança o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), que tratou de destituir os 12 vice-líderes da sigla, a maioria ligada ao presidente do partido, Luciano Bivar.

A primeira lista foi apresentada por Vitor Hugo, do grupo pró-Eduardo, com 29 assinaturas, das quais 28 receberam a autenticação, o que levou o deputado ao posto de líder do partido. Sem saber que Vitor Hugo protocolava a relação a favor de Eduardo, o até então líder da bancada, Delegado Waldir , gravou vídeo abrindo mão da liderança para um terceiro nome, conforme o acordo que vinha sendo articulado nos bastidores.

Diante da primeira lista pró-Eduardo, o grupo pró-Waldir apresentou nova relação, endossada por 28 deputados. Em seguida, os apoiadores de Eduardo protocolaram o terceiro documento do dia para mantê-lo na liderança. As duas últimas listas não foram ainda referendadas pela Mesa, e a conferência das assinaturas deve ocorrer hoje. Para o jurídico da Câmara, a liderança é definida pela relação de apoios mais recente. Para ser líder do partido, é necessário ter maioria, o que, no PSL, com bancada de 53 deputados, significa 27 assinaturas.

O grupo ligado a Bivar atribui a continuidade da disputa à quebra do acordo por um terceiro nome para líder. Segundo Júnior Bozzella (PSL-SP), o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, ligou para Bivar propondo uma pacificação que não passasse por Eduardo nem Waldir, o que foi frustrado com a primeira lista em favor do filho do presidente. O ministro confirma que tratou da liderança com Bivar, mas nega o acordo.

Além de Eduardo — cujo assessor se recusou a receber a notificação do partido — e Vitor Hugo, serão alvos de processos no conselho de ética do partido: Alê Silva (MG), Bia Kicis (DF), Bibo Nunes (RS), Carla Zambelli (SP), Carlos Jordy (RJ), Chris Tonietto (RJ), Coronel Armando (SC), Daniel Silveira (RJ), Luiz Ovando (MS), Filipe Barros (PR), General Girão (RN), Guiga Peixoto (SP), Helio Lopes (RJ), Junio Amaral (MG), Luiz Philippe de Orleans e Bragança (SP), Marcio Labre (RJ) e Sanderson (RS).

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior disse:

    Vou imitar os PTistas de araque: é gópi !! é gópi !! é gópi !!

Câmara oficializa Eduardo Bolsonaro como líder do PSL

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A Secretaria-Geral da Mesa (SGM) confirmou há pouco o deputado Eduardo Bolsonaro (SP) como novo líder do PSL. Ele recebeu o apoio de 28 deputados. A lista original, apresentada nesta manhã pelo líder do Governo, deputado Vitor Hugo (PSL-GO), tinha 29 assinaturas, mas uma não foi confirmada pela SGM.

Na lista há três deputados que haviam assinado um documento que apoiava o líder anterior, deputado Delegado Waldir (GO)Coronel Chrisóstomo (RO)Daniel Silveira (RJ) e Léo Motta (MG).

Delegado Waldir já divulgou um vídeo em que reconhece o novo líder. “Aceitamos democraticamente a nova lista”, afirmou.

Waldir agradeceu o apoio que recebeu dos parlamentares do seu partido e disse que não é subordinado de governadores nem de presidentes. “Vou continuar defendendo todas as prerrogativas do Parlamento. Nós não rasgamos a Constituição. E a Constituição prevê que o Executivo não deve interferir no Parlamento”, encerrou Delegado Waldir.

As informações são da Câmara dos Deputados

 

VÍDEO: Delegado Waldir reconhece Eduardo Bolsonaro como novo líder do PSL e anuncia, “democraticamente”, retirada de suspensão de parlamentares

Foto: Reprodução

O deputado Delegado Waldir acaba de anunciar, em vídeo, que vai abrir mão da liderança do PSL na Câmara.

“O meu partido decidiu retirar a ação de suspensão de cinco parlamentares e aceitamos, democraticamente, uma nova lista que foi feita por parlamentares.”

Ele continua:

“Já estarei à disposição do novo líder.”

Assista vídeo clicando no link AQUI em matéria na íntegra.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Arthur disse:

    Trouxa, enquanto Bolsonaro tava no hospital, esse delegado rodou o Brasil pedindo voto pra Bozo e agora levou essa rasteira, bem feito.

  2. Rafael disse:

    Kkkkk. Tudo combinado, lava a roupa suja na rua depois ganha o dinda e volta atras. Sempre assim. So falta Halseman declarar amor aos Bolsonaro hoje no Roda Viva

  3. Socorro disse:

    Não confio nesse papangú.

  4. Carlos disse:

    Jair Bolsonaro elegeu muitos "caronas", respeitem o Presisente , ele é que tem esse exército de quase 58 milhões de votos nas mãos .

Bolsonaro nega crise no PSL: ‘É igual uma ferida, cicatriza naturalmente’

Foto: Marcos Corrêa / PR / CP

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (21) que não há uma crise política e nem riscos para a aprovação final da reforma da Previdência no Senado, prevista para terça-feira, apesar do racha dentro de seu partido, o PSL.

“É o Senado que resolve amanhã. Eu estou tranquilo e o Parlamento está tranquilo também. A responsabilidade é de todos nós”, disse o presidente a jornalistas durante um passeio pelas ruas de Tóquio, primeira parada de uma viagem de 10 dias pela Ásia e o Oriente Médio.

Questionado sobre a crise no PSL, que na semana passada atingiu o ápice com a suspensão de cinco deputados ligados a Bolsonaro, o presidente negou que exista e disse que foi inventada.

“Que crise política? Inventaram a crise política. Não há crise nenhuma, zero”, afirmou.

Nas últimas semanas, desde que Bolsonaro foi gravado dizendo a um apoiador que devia esquecer o PSL e que o presidente do partido, deputado Luciano Bivar (PE), estava “queimado”, a crise interna da sigla se agravou e rachou a bancada da legenda. Parte do grupo que se diz leal a Bolsonaro tenta controlar o PSL ou sair do partido sem ser afetado pela lei de fidelidade partidária.

Na semana passada, o grupo tentou retirar o atual líder da bancada, Delegado Waldir (GO), do cargo e emplacar o filho do presidente Eduardo Bolsonaro (SP), em uma manobra com o apoio de Bolsonaro, mas que não deu certo.

Em retaliação, o PSL suspendeu cinco parlamentares do grupo bolsonarista e ameaça tirar os filhos do presidente Eduardo e Flávio do controle dos diretórios do partido em São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente.

Bolsonaro afirmou que “essas coisas acontecem”. “É igual uma ferida, cicatriza naturalmente”, disse.

O presidente chegou nesta madrugada, horário do Brasil, a Tóquio, onde participa na terça-feita da cerimônia de entronização do novo imperador japonês, Naruhito. Terá ainda uma reunião bilateral com o primeiro-ministro, Shinzo Abe, e encontros com empresários japoneses e brasileiros.

A segunda etapa de viagem será a China, e em seguida Bolsonaro vai a Arábia Saudita, Emirados Árabes e Catar.

R7, com Reuters

 

PSL: Delegado Waldir reafirma que se sente “traído”, e diz que não retira nada do que falou

Foto: Fernanda Calgaro / G1

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), afirmou nesta sexta-feira (18) que o presidente Jair Bolsonaro, o governador goiano, Ronaldo Caiado (DEM) e o líder do governo na Casa, Major Vitor Hugo (PSL-GO), atuam para derrubá-lo do comando do diretório do partido em Goiás.

O G1 entrou em contato com as assessorias do Palácio do Planalto, do governo de Goiás e do deputado Vitor Hugo. As respostas ainda não haviam chegado até a última atualização desta reportagem.

Delegado Waldir disse que a tentativa de retirá-lo do cargo acontece há três meses. O PSL vive uma crise interna, que se acentou na semana passada, após Bolsonaro fazer críticas ao partido e ao presidente da legenda, deputado Luciano Bivar (PE).

“Há três meses o senador Ronaldo Caiado, do qual estou adversário político, junto com o Major Vitor Hugo, tentam me tirar da presidência do PSL [em Goiás]”, afirmou. “Pediram ao presidente da República, e o presidente da República determinou ao presidente [do PSL] Luciano Bivar. Mas isso não foi concretizado”, afirmou o deputado.

Delegado Waldir disse ainda que se sente traído. Ele citou a tentativa do grupo do PSL ligado a Jair Bolsonaro de colocar o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, na liderança do partido na Câmara. No entanto, o grupo bolsonarista perdeu e Waldir permanece no posto.

Na quinta-feira (17), apareceram gravações nas quais Waldir afirmou que vai “implodir” Bolsonaro e chamou o presidente de “vagabundo”. Nesta sexta, o líder do PSL na Câmara afirmou que não retira as declarações.

“Eu fui traído. O presidente pessoalmente está interferindo para me tirar da liderança. Isso não é traição? Se eu sou fiel a ele desde 2011, isso é mentira. Se ele, pessoalmente, junto com o líder do governo, Vitor Hugo, e o senador Ronaldo Caiado trabalham para me derrubar diretório de Goiás, e assim está fazendo com outros parlamentares do país todo, isso não é traição, isso não é vagabundagem? “, questionou o parlamentar.

“Então eu não retiro nada do que eu falei, eu simplesmente baixei o ritmo porque foi um debate interno, mas os fatos são verdadeiros. A minha indignação de traição ela permanece”, completou.

O deputado falou com a imprensa na chegada a uma reunião da Executiva do PSL, em Brasília. Segundo ele, um dos temas do encontro deve ser alterações no estatuto do partido. Ele não detalhou as mudanças que devem ocorrer.

Waldir declarou também que não é chamado ao Planalto para discutir pautas do governo com o presidente, como líder da sigla na Câmara. “Quantas vezes você acha, que como líder do PSL, eu fui chamado no Planalto para discutir as pautas do governo com o presidente da República? Nenhuma vez. Nenhuma vez. Nunca”, afirmou. “Eu não criei essa crise”, completou o deputado.

Ele afirmou ainda que as tentativas de interferência tornam difícil sua permanência no cargo.

“É muito difícil um líder como eu permanecer, considerando que o presidente usa o Palácio do Planalto pessoalmente, ligando para parlamentares, interferindo no parlamento. É extremamente difícil você competir quando ministros, pessoalmente, ligam para cada parlamentar e estão pedindo para assinar a lista que leva para a liderança o filho do presidente”.

Votações no Congresso

Sobre o impacto da disputa na relação do governo com o Congresso, ele afirmou que, nas pautas onde houver “convergência”, seu grupo aliado vai votar a favor do governo. Mas que isso não vai acontecer em todas as pautas.

“Nossa pretensão é votar da mesma forma. Nós temos várias pautas em comum. As pautas que forem em comum, de defesa do Brasil, de combate à corrupção, geração de empregos, infraestrutura, reforma tributária, reforma administrativa, o que for pauta de interesse de toda a sociedade brasileira e pro avanço do brasil, com certeza nós estaremos juntos”. Ele completou: “Nós não entregamos 100%. Toda unanimidade é burra. Nós entregamos 98%. Sinal que em alguns momentos nós divergimos do governo”.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio disse:

    Eram 13 candidatos, mas o povo escolheu a mundiça. O Bradil merece isto mesmo.

  2. Rômulo© disse:

    O deputado deveria divulgar para a imprensa a gravação que pode implodir o Bozo! O país tem o direito de saber o que ele tanto esconde que pode destruí-lo politicamente!