Moradores e frequentadores de praças reclamam em Natal de donos de pets que ignoram as fezes de seus bichos durante caminhadas

Foto: Maria Nilo/Folha de Pernambuco/ILUSTRATIVA

Nas rodas de conversas, especialmente, de moradores de diversos bairros de Natal e ainda frequentadores de praças, costumeiramente, são presenciadas reclamações de donos de cachorros que não recolhem as fezes de seus pets nos passeios por ruas e centro públicos recreativos.

Ao Blog, o pedido para abordagem desse problema de educação, não dos bichos, mas dos seus donos(a), merece uma “puxada de orelha”. As fezes, não recolhidas apenas em praças, também são encontradas nas calçadas de residências.

Há relatos de moradores de todas regiões da capital indignados com a falta de consciência de alguns donos de pets, que saem de seus imóveis com seus cachorro(a) e permitem que o animal faça as suas necessidades “na porta da casa dos outros”.

Um morador da Zona Sul de capital, por exemplo, revelou que passou a vigiar a sua residência e tomou uma atitude drástica após o flagrante.

“Como presenciei um cidadão, vale destacar, de classe social privilegiada, quase que diariamente deixando o seu cachorro fazer suas necessidades, acredite, na minha calçada, decidi recolher as fezes do seu bicho e devolver ao rapaz mal educado. Como não fui atendido no interfone, arremessei em seu jardim. Pena que não tinha uma piscina”, contou o morador, de identidade preservada.

Vale destacar que o risco de contaminação de contato da pele com as fezes é alto e pode transmitir a giárdia, provocando fortes diarreias. Esse é apenas um dos exemplos das inúmeras zoonoses que as pessoas podem contrair só por pisar, distraidamente, numa dessas “armadilhas” por ruas e praças. Sem falar que o problema pode ser ainda maior ao atingir crianças pequenas, que têm o sistema imunológico mais fraco.

Educação, consciência, respeito e uma simples sacola resolvem o problema. Momento de seguir o exemplo de diversas pessoas que, ao contrário, recolhem as fezes de seus bichos por onde caminham, e depositam nos lixos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge disse:

    Moro aqui na Lago da pedra, conjunto dos bancários. Fizeram uma calçada enorme de um condomínio, ótimo para caminhar, porém um bando de mal educados vão passear com os outros animais, seus cachorros e a sujeira fica por toda a calçada, não tem um metrô que não seja suja de cocô. Já reclamei, mas os safados (homens e mulheres) fazem de conta que nem é com eles. Só um saquinho e um pouco de educação resolveria o problema.

  2. Ems disse:

    No condomínio onde moro além das fezes espalhadas pelas ruas e calçadas ainda tenho de andar me esquivando, pois os bichinhos gostam de rosnar para as pessoas. Os seus donos acham lindo dizendo que eles apenas querem brincar.

  3. Paulor disse:

    No condominio onde moro , o mal cheiro de urina e fezes dos cachorros é imoral.. já tivemos varias brigas de vizinhos por causa da educação dos moradores !!

  4. Sérgio Nogueira disse:

    Isso é só mais um capítulo da teoria que impera nos dias atuais: a maioria é que tem que se adaptar a minoria.
    Só isso.

  5. Cleyber alves disse:

    Um absurdo, temos que realizar campanhas para esses tutores mau educados. Na minha rua é a mesma coisa, começa logo sedo e no final da tarde. TV. Da conceição, lagoa nova. Quanto mais eu conheço os homens, mais admiro os animais

  6. Barbosa disse:

    Na zona oeste, eh merda de cachorro, gato, galinha, cavalo e ate humanas. Eh de lascar.

  7. Hbbeto disse:

    Falta de educação pura! O brasileiro é tão cara-de-pau, que sai com seu cachorro pra que ele não "cague" em casa e leva pra "cagar" na porta do vizinho, achando que isso é normal só "porque a rua é pública" . Já que as pessoas insistem em desrespeitar os outros, por absurdo que seja, deveria o poder público intervir e disciplinar esse tipo de comportamento, aplicando alguma sanção, tipo multa, por exemplo, a quem infringir. Poderia até colocar nesse bolo aí aqueles que, mesmo com tantas lixeiras nas ruas, insistem em atirar um papel no chão. Já tá mais que provado que muitos só se resignam quando sentem no bolso.

  8. hein? cuma? disse:

    Típico dessa turminha que prolifera em nosso estado(no resto do país também), sem educação e seguidores de modinhas! Atribuindo aos animais os mesmos direitos e espaços dos humanos, não é o certo, aproveito para informar aos imbecis que vierem atacar o meu comentário, gosto de animais e tenho em casa, não sou lula nem bolsonaro, dito isso… Abuso maior eu tenho dessa americanização desnecessária de toda palavra da língua portuguesa… PET É MEU OVO!!! Um povo que não valoriza a sua língua muito menos a sua cultura, o seu passado, luta a todo custo para ser o que não são, influenciados por tv, cinema e internet, POVO SEM PERSONALIDADE, robôs da mídia, tem coisa mais divertida do que ir aos shoppings de Natal e ver o desfile grotesco das "marmotas" daqui? KKK… Ah… deixem os cachorros, gatos, jacarés, avestruzes e qualquer outra criatura frequentar e acabar com a higiene dos espaços destinados ao povo, se fazem nas novelas, está CORRETO. Deus nos ajude!

  9. Lorena Galvão disse:

    Tenho um DOG LINDO THEOZINHO, duas vezes por dia passeio com ele, para ele fazer XIXI e COCO, apanho com maior prazer o COCO dele, uma dica vão a CEASA na casa das embalagens e compre seus saquinhos, bem baratinho ,a população e o meio ambiente fica feliz em você esta fazendo sua parte.

    • Chico 100 disse:

      Deixe ele fazer em sua casa. Quando ele fizer , aí depois vc o leva pra passear

  10. Almir Dionisio disse:

    pura falta de educação – esse fds até no Natal Shopping um cachorro fez cocô e o dono não tinha nada para apanhar – ficou olhando para os lados e todo mundo esperando o que ele ia fazer até o segurança chegar.

    • Paulo disse:

      BG. Tá uma verdadeira falta de educação e respeito ao Cidadão essa história de animais dentro de shopping, restaurantes, aptos, e outros inumeros lugares. Esses não são lugares para animais.

Cachorros correm para ajudar o dono em caso de choro, revela estudo

Imagem: iStock

Que eles são os melhores amigos do homem, todo mundo já sabe, mas em algumas situações eles podem revelar essa cumplicidade de formas surpreendentes. Um estudo publicado pela Learning & Behavior americana mostra, por exemplo, que ao ouvir seu dono chorar, o cãozinho é mais ágil para “socorrê-lo”.

Ao todo foram testados 34 cães ao lado dos donos em experiências para entender se eles sentem empatia com seres humanos. Os resultados revelam que eles não só se solidarizam em casos de estresse, mas agem para tentar ajudar.

Segundo a especialista Emily M. Sanford, os estudos revelam que todos os animais passariam por uma porta se ouvissem qualquer ruído, mas todos se revelaram mais ágeis quando seus donos simulavam choro.

Outro dado interessante é que treino não é pré-requisito para seu cãozinho correr até você em situações de estresse. Dos cães examinados, 16 eram “cães de terapia”, usados em alguns países para auxílio em pessoas com depressão, ansiedade e outros transtornos. Porém, todos reagiram de forma semelhante e tentaram ajudar seus donos.

Universa – UOL

"CHACINA": Oito cachorros da mesma casa são envenenados na Grande Natal

Covardia e monstruosidade. São poucas as palavras para definir o autor do envenenamento de oito cachorros de uma mesma casa no bairro de Regomoleiro, no município de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. As informações são da TV Ponta Negra e de Jacson Damasceno.

Até o momento, a família que criava os animais não desconfia quem cometeu a “chacina”.  O que se sabe até o momento é que alguém arremessou comida envenenada por cima muro. Relatos dão contas que outros cachorros na mesma rua também foram vítimas do monstro.

Mulher presa é suspeita de matar pelo menos 30 gatos e cachorros em SP

Ao menos 30 gatos e cachorros foram encontrados mortos dentro de sacos de lixo em uma calçada na rua Mantiqueira, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, na noite de quinta-feira (12). Uma mulher foi detida.

Eduardo Anizelli/Folhapress
Cerca de 30 gatos e cachorros são encontrados mortos dentro de sacos de lixo na zona sul de SP
Cerca de 30 gatos e cachorros são encontrados mortos dentro de sacos de lixo na zona sul de SP

Pessoas ligadas a ONGs protetoras de animais contrataram um detetive particular há aproximadamente 20 dias, para investigar o caso. Eles desconfiavam da mulher que recebia animais dizendo que iria cuidá-los e sumia com os gatos e cachorros que recebia.

Por volta das 23h de ontem, o investigador viu a mulher colocando os sacos de lixo no portão da vizinha. Quando olhou dentro dos sacos encontrou os animais mortos e enrolados em jornais.

O detetive particular ligou para a polícia que arrombou o portão da casa para prender a mulher, que se recusava a abrir a porta.

Os policiais encontraram seringas no carro da suspeita e gaiolas para transporte e armadilhas para prender os animais na garagem da casa.

A polícia ainda não sabe informar como a mulher matava os animais.

Fonte: Folha.com

Turista surta e atira cachorros de estimação pela janela do prédio

Crédito: Rogério Soares/A Tribuna

De férias no Guarujá, uma turista gaúcha de 53 anos teve um surto psicótico e, no final da madrugada desta quarta-feira, 11, atirou seus dois cachorros de estimação pela janela do décimo andar do apartamento onde estava hospedada,  na praia de Pitangueiras. Os cães, um basset de 16 anos e um pinscher de 6, morreram na hora.

Segundo os vizinhos, desde as 21h de terça-feira a mulher apresentava sinais de desequilíbrio. Eles notaram barulhos no apartamento da turista e chamaram a polícia quando perceberam que ela arremessava coisas pela janela.

Antes de jogar os animais, ela já havia atirado um colchão e eletrodomésticos, entre outros objetos, segundo o jornal A Tribuna, de Santos. Um homem foi atingido. Ele foi medicado, teve alta e não quis registrar ocorrência.

Soldados do Corpo de Bombeiros arrombaram a porta do apartamento para conseguir contê-la. A mulher, portadora de distúrbio bipolar, segundo parentes informaram aos investigadores, teve que ser sedada e permanecia no pronto-socorro até começo da tarde desta quarta-feira. A família da gaúcha está a caminho do Guarujá para prestar assistência.

Fonte: Estadão