Economia

Brasil deve sair do ranking das 10 maiores economias do mundo

Foto: Poder 360

O Brasil deve sair do ranking das 10 maiores economias do mundo em 2020. Com a queda de 4,1% do PIB (Produto Interno Bruto) no ano passado, em comparação com 2019, o país desce da 9ª para a 12ª colocação. O levantamento foi feito pela Austin Rating.

O ranking considera o PIB nominal do país, ou seja, em valores correntes. O cálculo é feito em dólar. O Brasil deve ser ultrapassado pelo Canadá, pela Coreia do Sul e pela Rússia em 2020. Nem todos os países já divulgaram os dados oficiais da economia em 2020.

A atividade econômica brasileira teve o maior recuo desde 1996, considerando a base de dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e a maior desde 1990, se levarmos em conta a série histórica do BC (Banco Central), iniciada em 1962.

De acordo com a Austin Rating, a economia brasileira teve o 21º pior resultado em termos de variação do PIB em 2020. Leia a lista completa AQUI em matéria na íntegra.

Poder 360

Opinião dos leitores

  1. Deve sair?
    Se está em 12°?
    Pra defender o mentiroso estão querendo dizer que 12 <10.
    Só ppde ser muito dinheiro passando por debaixo da ponte..
    Mas uma conquista do governo bolsonaro.
    Parabéns ao pessoal da gadolândia.

  2. E eu quase acreditei que o governo do PT foi ruim para o Brasil. Ô saudade do tempo de Lula e José de Alencar.

  3. Cadê o posto ipiranga? Parabéns, mito. Vai botar a culpa em quem? Na mídia, nos governadores, no STF, no congresso? O gado quer ver a desculpa logo.

  4. A máscara do Brasil da época do Lula e Dilma, referente a posição economica caiu. Essa foi a política esquerdista fajunta e populista, a sétima posição que o Brasil foi colocado na marra.

  5. Só lembrando quando éramos massacrados pelo PT estávamos como a 6° economia.

    Que saudades de sofrer.

    1. Só lembrando que quem saqueou e quebrou o país, foi vcs.
      Essa a verdade.

  6. O FIQUE EM CASA produzindo seus frutos.
    Não disponibilizam novos leitos, desativam leitos até que a taxa de ocupação chegue a 80% e possa ser justificado o lockdown. Por falar nisso, onde o lockdown resolveu a questão do covid?
    Qual a razão da imprensa NÃO FALAR NO MÉXICO e PERU quanto a pandemia?
    Qual a razão da imprensa não falar do exemplo do TEXAS, que o povo está vivendo normalmente, andam nas ruas sem máscaras?
    Lembrando que a Argentina foi um país que adotou o lockdown e possui um dos maiores índices de mortes e quebra da economia no mundo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Seleção Brasileira mantém terceiro lugar em nova atualização do ranking da Fifa

Foto: Guito Moreto / Agência O Globo

A Fifa divulgou, nesta quinta-feira, uma nova atualização de seu ranking de seleções. Sem mudanças nos dez primeiros colocados em relação à última atualização, em dezembro, o Brasil manteve o terceiro lugar, atrás da líder Bélgica e da campeã mundial França.

As principais alterações na tabela foram de seleções africanas, com a Uganda (83ª), que perdeu quatro posições. Atuais campeã e vice do Campeonato das Nações Africanas, Marrocos (33º) subiu duas posições e Mali (54º), três.

O ranking, que utiliza uma nova fórmula de cálculo desde agosto de 2018, contabiliza pontos por competições Fifa, torneios de confederações e amistosos. Campeão da Copa América, mas sem jogos disputados desde a última atualização, o Brasil soma 1743 pontos, contra 1755 dos franceses e 1780 dos belgas.

A pontuação, que define os cabeças de chave dos grupos da Copa do Mundo, será atualizada novamente em abril, desta vez após o jogos de eliminatórias para o torneio.

Confira o atual top 10:

1. Bélgica – 1780 pontos

2. França – 1755 pontos

3. Brasil – 1743 pontos

4. Inglaterra – 1670 pontos

5. Portugal – 1662 pontos

6. Espanha – 1645 pontos

7. Argentina – 1642 pontos

8. Uruguai – 1639 pontos

9. México – 1632 pontos

10. Itália – 1625 pontos

O Globo

Opinião dos leitores

  1. A seleção brasileira deixou de jogar futebol ⚽ de verdade, à mais de dez anos, já vinha sendo maqueada a um bom tempo e a maquiagem caiu de vez na copa dos 7a1?‍♂️

  2. Só for no Ranking do time mais enfeitado.
    e cada carro alegórico que entra em campo que dá nojo.
    saudades do tempo que os jogadores bebiam, andavam com puta (ou traveco) e ganhava campeonato!!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Ranking espanhol aponta UFRN entre as melhores do Brasil e da América Latina

Foto: Cícero Oliveira

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi apontada entre as 12 melhores instituições de ensino superior do Brasil e como a 21a da América Latina pelo Webometrics Ranking of World Universities. O estudo espanhol avaliou cerca de 31 mil instituições de ensino superior de mais de 200 países.

O ranking é uma iniciativa do Cybermetrics Lab, grupo do Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), que é considerado o maior órgão público de pesquisa da Espanha. Criado em 2004 e com presença em mais de 200 países, o estudo utiliza indicadores webométricos e bibliométricos.

Com o objetivo de incentivar o acesso aberto ao conhecimento gerado pelas universidades, o ranking considera como indicadores a visibilidade (impacto do conteúdo na internet), a excelência (principais artigos citados) e a transparência ou abertura (principais pesquisadores citados). Confira o site do Webometrics Ranking of World Universities.

Com UFRN

Opinião dos leitores

  1. Quem entrou foi Nove dedos e saiu sem saber o resultado de 2 + 2, ou ler um gibi, a Anta talvez tenha entrado e saiu sem saber articular uma frase, é só entrar no Dr. Google, pesquisar sobre a formação e capacidade intelectual dos dois.

  2. O que se sabe é que na América Latina,Educação Brsileira so é melhor que Cuba e Venezuela,duas potências …….rsssssssssssssssssss

  3. De acordo com os testes de avaliação utilizados mundialmente, a educação brasileira está péssima já há bastante tempo. Portanto, conforme tal avaliação, fico imaginando como estão as demais instituições avaliadas.

  4. Os próceres que fazem a nossa brava UFR tem só que cuidar para acabar com os estilos de seleção para Mestrado e Doutorado. Aparentemente, tudo muito democrático, dando-se oportunidades a todos, seleção em três etapas, etc e tal… mas na prática todo mundo que almeja entrar para um destes cursos sabe como as coisas funcionam nos meandros das alamedas arborizadas daquele campus. Ademais, isso parece ser prática nas demais universidades públicas pelo país e a nossa UFRN apenas repete a mesma prática. Uma pena. Haverá solução? ou tudo vai permanecer assim? Recursos de nada adianta e não há como atestar as práticas, pois é tudo muito velado. Eu já desisti há tempos de tentar uma vaguinha para Mestrado. Por mais que tenha domínio de escrita e de bibliografia, sei que não passo nem perto de uma das poucas vagas oferecidas…

    1. Também conheço vários que foram vítimas da "seleção" deles. Somente os amigos do rei tem vez nos domínios da UFRN.

    2. Não tenho conhecimento de todos os departamentos, mas conversar com o possível orientador antes e se adequar bem a uma linha de pesquisa garante muita coisa.
      E sim, qualquer um que fez IC ou colaborou com algum Dr. do departamento tem vaga garantida.

  5. NInguém diz nada!!! Universidade pública de qualidade!!! Eis a questão!!! Parabéns!!!FIZ parte dessa história!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil sobe para 8º no ranking de vacinação contra a Covid-19

Foto: Bruna Prado/AP

Mais de 94 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 já foram aplicadas em todo o mundo e o Brasil subiu para oitavo no ranking de países, aponta levantamento desta segunda-feira (1º) do projeto “Our World in Data”, ligado à Universidade de Oxford.

O Brasil tem pouco mais de 2 milhões de vacinas aplicadas até o momento (na quinta, o país ocupava a 12ª posição do ranking, com 1,13 milhão de vacinados). Os Estados Unidos seguem na liderança, com 31,12 milhões de doses administradas.

Completam o top dez: China (22,77 milhões), Reino Unido (9,47 milhões), Israel (4,74 milhões), Índia (3,74 milhões), Emirados Árabes Unidos (3,33 milhões), Alemanha (2,32 milhões), Brasil (2,07 milhões), Turquia (1,99 milhão) e Itália (1,96 milhão).

Entre a 11ª e 15ª posições estão: França (1,53 milhão), Espanha (1,47 milhão), Polônia (1,16 milhão), Rússia (1 milhão) e Canadá (937 mil).

Ranking proporcional

Já Israel lidera os rankings proporcionais à população. Mais de um terço da população já recebeu ao menos uma dose da vacina contra a Covid-19 e um quinto já foi completamente imunizada.

Os países com mais pessoas que receberam ao menos uma dose são: Israel (34,74%), Emirados Árabes Unidos (31,18%), Reino Unido (13,22%) e Bahrein (10,02%).

O Brasil aparece em 34º neste levantamento (0,96% da população vacinada com ao menos uma dose), atrás da Croácia (1,41%) e à frente da Costa Rica (0,90%).

Os países que têm mais habitantes completamente imunizados são: Israel (19,98%), Emirados Árabes Unidos (2,53%), EUA (1,71%), Islândia (1,41%) e Dinamarca (1,25%).

Consórcio da imprensa

O número de vacinados no Brasil contabilizados pelo “Our World in Data” (2,07 milhões) é um pouco diferente do levantamento do consórcio de veículos de imprensa (2,05 milhão).

O consórcio coleta informações diariamente com Secretarias de Saúde estaduais e do Distrito Federal, enquanto o “Our World in Data” usa dados de uma plataforma colaborativa.

Ele é um projeto colaborativo de pesquisadores da Universidade de Oxford e da ONG Global Change Data Lab que acompanha dados públicos sobre a pandemia e outros assuntos de repercussão mundial.

G1

Opinião dos leitores

  1. O mundo inteiro está atrasado na vacina, ninguém tem 100%, as contaminações continuam e ponto.
    Vamos dar parabéns a quem completar 100%, vamos parar de ficar de mimimi vacinou mais mil, vacinou mais por milhão, vacinou mais em quantidade.
    Em todo mundo a disputa é grande e vocês acham que o Brasil é a maior potencia do mundo para vacinar todos primeiro .
    Em breve esta baboseira de quem vacinou mais e quem vacinou menos acaba o Brasil vai começar a fabricar os insumos.
    Igual ao auxílio emergencial que atendeu a todos em um espaço curto de tempo.

  2. O Brasil aparece em 34º neste levantamento (0,96% da população vacinada com ao menos uma dose), atrás da Croácia (1,41%) e à frente da Costa Rica (0,90%).

    1. Afinal, o que importa eh o ranking proporcional né! Como a população do Brasil eh muito grande, a eficiência da vacinação não se mede por números absolutos de vacinados e sim pela proporção da população imunizada.

    2. Verdade, Manoel. Só acho bem sintomático que vocês esquecem os números proporcionais quando vêm falar no total de mortes no Brasil. Vacinas ainda são um recruso escasso. Países estão trocando tapa atrás delas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil dispara no ranking das vacinas e passa de países como Portugal, Dinamarca e Suíça

Foto: © REUTERS/Dado Ruvic/Direitos Reservados

O Brasil começou a sua campanha de imunização contra a covid-19 quase um mês depois das nações europeias, as primeiras no mundo a vacinar seus habitantes. No entanto, desde o início da vacinação no Brasil, dia 17, o país já vacinou mais que países como Portugal, que começaram em 28 de dezembro, e imunizou só 212 mil pessoas até sexta (22), segundo o Our World in Data, muito menos que o Brasil. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Na Suíça, a vacinação começou antes do Natal, em 23 de dezembro, mas só conseguiu alcançar 169 mil dos seus 8,5 milhões de habitantes.

A Dinamarca, melhor qualidade de vida do mundo, iniciou no dia 27 do mês passado. Imunizou só 189 mil em 5,8 milhões de habitantes.

Sem divulgação pelo Ministério da Saúde, o Our World in Data tem dados defasados. A estimativa é de um número real acima de 700 mil pessoas.

Diário do Poder

Opinião dos leitores

  1. Em portugal o presidente acaba de ser reeleito, ninguém pediu a cabeça dele, vejam que interessante né??

  2. Isso é graças ao SUS.
    Coisa que Bolsonarista detesta, o governo até tentou privatizar as UBS's, mas vai ter que engolir no seco.
    Viva o SUS.

    1. Se vc fosse um pouquinho melhor informado, saberia que essas UBS's seriam somente as que ainda estão com as construções paralisadas por falta de recursos das prefeituras. O governo federal iria concluir as obras, equipar e assim terceirizar, pois as prefeituras não tem condições de contratar e pagar profissionais para trabalharem nelas. Vá ler mais.

    2. Palavras de Guto: "e assim terceirizar".
      Parece que vc leu tanto quanto eu li, está tão informado qto estou, mas a diferença é que vc está tentando defender um erro.
      E vou dizer mais, sobre a privatização:
      Num vai não! Ele num vai não!
      Viva o SUS.

  3. Vc diz em numeros absolutos…e em percentual? Qual desses paises vai concluir primeiro a vacinação? Isso a reportagem não fala, ne…

  4. BG copiando e colando "Diario do Poder"um site bolsonarista raiz, rapaz, notícia pr povo mal informado essa…se for baseado na proporcionalidade o Brasil leva surra desses países, não é quantidade, é percentual de vacinados.

  5. O problema é que muita gente só sabe ouvir a Globo.
    Por ela a vacina da Índia só chegaria em 20 de fevereiro.

    1. Esse homi só pode ter comido bosta hoje pra poder falar isso kkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Ranking revela os smartphones mais potentes do mundo

Foto: Reprodução/DxOMark

O ranking de dezembro de 2020 do AnTuTu Benchmark, que atesta a potência dos celulares, mostrou que o Huawei Mate 40 Pro consagrou-se como o Android mais potente do mundo na categoria de smartphones superpoderosos. Já o Honor 30, também da Huawei, ficou no topo da lista dos telefones intermediários. Nenhum dos dois é vendido no Brasil.

A lista é usada para avaliar o poder computacional dos dispositivos mais buscados. Confira a seguir os celulares mais poderosos de acordo com o levantamento.

Huawei Mate 40 Pro ganha medalha de ouro entre celulares avançados

Os processadores Snapdragon 865 e 865 Plus tomam conta do ranking dos celulares premium. O único aparelho que não usa o chipset da Qualcomm é justamente o Huawei Mate 40 Pro. O processador Kirin 9000, junto de especificações como 8 GB de memória RAM e armazenamento 256 GB, foram os responsáveis por colocar o aparelho da Huawei no topo da lista.

Outras caraterísticas que marcam presença na ficha técnica do telefone são a câmera tripla de até 50 MP, bateria de 4.400 mAh e tela em OLED de 6,7 polegadas.

A medalha de prata ficou com iQOO Neo3, smartphone que apresenta o Snapdragon 865 operando em conjunto com a memória RAM de 8 GB e armazenamento de 128 GB. O smartphone apresenta uma tela de 6,5 polegadas, câmera tripla e bateria de 4.500 mAh. Ele também não é vendido no mercado nacional.

O terceiro lugar ficou com o ROG Phone 3 (Asus), com o Snapdragon 865 Plus, 12 GB de memória RAM e 128 GB de espaço para dados. O dispositivo é vendido no Brasil pelo preço sugerido de R$ 6.499.

No quarto e no quinto lugar, encontram-se o Oppo Find X2 Pro e o Galaxy Note 20 Ultra 5G, ambos com 12 GB de memória RAM, diferenciando entre Snapdragon 865, no primeiro modelos e 865 Plus, no segundo.

Nas colocações seguintes estão: OnePlus 8 Pro, Mi 10T Pro 5G, Black Shark 3, Galaxy S20 FE 5G e Poco F2 Pro, respectivamente.

Leia matéria completa AQUI via Techtudo e Globo

Opinião dos leitores

    1. Vishhhh… esse homi usa smartphone comunista… kkkkk
      Esse direitista é uma farça….

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

VACINA – COVID: Israel lidera ranking de imunização no mundo

Foto: Reprodução/BBC

Até agora diversos governos e entidades se organizaram para divulgar números de casos, hospitalizações e mortes por covid-19. No entanto, uma nova gama de dados começa a surgir: a de pessoas que já receberam algum tipo de vacina contra o coronavírus.

Países como Israel, Reino Unido, Estados Unidos, Dinamarca, Rússia, Alemanha, Canadá, China, Itália e Bahrein largaram na frente na corrida para aprovar imunizantes e usá-los em suas populações. Esses países começaram a vacinar no final do ano passado.

No Brasil, a vacinação ainda não começou. Já existe um protocolo para aprovação emergencial de vacinas para covid, mas autoridades de vigilância sanitária ainda estão analisando dados enviados por laboratórios sobre segurança e eficácia dos imunizantes nos testes. Enquanto isso, o governo já anunciou a importação de doses, assim como a produção em laboratórios locais.

Proporcionalmente, Israel lidera com folga nas imunizações da população. Mais de 1,3 milhão de pessoas já receberam vacina no país, que tem uma população de 9 milhões.

A vacinação acontece poucos meses antes de uma eleição decisiva para o premiê Benjamin Netanyahu. Ele quer que Israel seja o primeiro país no mundo a vencer a pandemia, e chegou a dizer que isso seria possível já em fevereiro, com a vacinação em massa de sua população.

O país garantiu um contrato com a Pfizer logo no começo da pandemia, mas vem enfrentando desafios logísticos, já que o produto do laboratório exige armazenamento à temperatura de 70 graus negativos.

Apesar de estar em fase adiantada de vacinação, Israel enfrenta novo surto da doença, e fechará todo seu sistema de educação a partir de domingo.

O Bahrein aparece em segundo lugar na lista. O país árabe, no entanto, tem uma população de menos de 2 milhões de pessoas.

O primeiro país com população mais expressiva, mais de 66 milhões de pessoas, a aparecer no ranking é o Reino Unido, que já aprovou duas vacinas (da Oxford-AstraZeneca e da Pfizer).

Mais de um milhão de pessoas — todas no grupo prioritário de pessoas mais vulneráveis — já recebeu a primeira dose da vacina, que começou a ser administrada no início de dezembro. Algumas pessoas até já receberam a segunda e última dose.

Recentemente o governo britânico anunciou que vai atrasar a administração da segunda dose, para permitir que mais pessoas recebam a primeira. O intervalo entre as duas doses vai aumentar de três para 12 semanas.

A exemplo de Israel, o Reino Unido também enfrenta um novo surto da pandemia e anunciou duras medidas de lockdown na segunda-feira (4/1).

Os EUA não conseguiram atingir a meta anunciada de 20 milhões de doses administradas até o fim de 2020 — foram 2,78 milhões de vacinados até 30 de dezembro.

O infectologista Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, disse não concordar com o plano britânico de atrasar a segunda dose da vacina. Segundo ele, os EUA não adotarão essa estratégia.

Fora do ranking, outro país anunciou recentemente um grande programa de vacinação contra o coronavírus. A Índia aprovou duas vacinas — uma de um laboratório local e outra da Oxford-AstraZeneca — e pretende imunizar 300 milhões de pessoas este ano. No entanto, o país é alvo de críticas por aprovar uma vacina que não teve seus testes de segurança e eficácia concluídos ainda.

Os países da União Europeia demoraram mais do que EUA e Reino Unido para aprovarem suas vacinas, já que a decisão passou por um órgão regulador do bloco. O Reino Unido aprovou sua primeira vacina três semanas antes da agência europeia.

Um dos destaques negativos na corrida por vacinas é a França, que vacinou apenas cerca de 500 pessoas até agora. Em contraste, a Alemanha, país vizinho, já imunizou mais de 200 mil pessoas. Uma pesquisa da Ipsos Global Advisor sugere que os franceses são os mais relutantes na Europa em relação à vacina, com apenas 40% das pessoas dispostas a receberem a imunização — contra 80% na China, 77% no Reino Unido e 69% nos EUA.

Época, com BBC

Opinião dos leitores

  1. As cobaias estão desesperadas para tomar a vacina.
    Calma que em breve teremos os imunizantes para aplicar em vocês.
    Eu também estarei aguardando os resultados que teremos depois de um ano em vocês para tomar .

  2. Pensei que Pixu fosse dizer ou gritar de alegria, pensando que o primeiro lugar estava com cuba ou venezuela.

  3. Aumentei a tela ?, peguei uma lupa ?,procurei no microscópio ?, mas não vi o Brasil ??. Cambiamos fortes Lara o Da lua 200 mil .

    1. Falou o seguidor de Lula pixuleko.
      Esquerda é cinismo, deboche e desinformação.
      Na França, 500 pessoas já foram vacinadas…
      O esquerdista é um cara de pau.
      Sempre tentando se dar bem politicamente com as mortes.
      Jane Fonda, atriz esquerdista americana, disse que o corona vírus era um presente de Deus para a esquerda.
      A esquerda é formada de abutres .
      Usam a morte alheia como trampolim para se dar bem…

  4. Chefe, o Brasil está quebrado, chefe. O presidente não consegue fazer nada. Se não fosse isso, estaríamos no topo dessa lista. O PT que não avisou a ele que tinha que ter seringa e agulha pra aplicar a vacina.

  5. No Brasil o PR Jair Messias Bolsonaro tá certo em atrazar, não tem pressa.
    A PUTARIA que virou isso no país inteiro por parte dos desgovernadores, é grande.
    Duvido que tenha esse cabaré nesses países aí sitado pelo blog.
    Por tanto meu amigo, todo cuidado é pouco.
    Mito 2022

    1. Engraçado é que os países q mais vacinaram foram os q tiveram o maior aumento no número de casos e mortes e estão entrando em lockdown pela terceira vez, Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos, Itália, França, Espanha, Rússia, Canadá e Israel, será se tão aplicando o placebo ao invés da vacina?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Messi lidera ranking de jogadores mais ricos do futebol; Neymar aparece em 3º

Foto: © Albert Gea/Reuteurs/Direitos Reservados

Messi não conseguiu concretizar o que seria uma transferência multimilionária do Barcelona neste mês após uma disputa contratual, mas o craque argentino ainda continua sendo o jogador de futebol mais bem pago do planeta.

Segundo uma lista organizada pela Forbes, os vencimentos de Messi no ano chegaram a US$ 126 milhões (US$ 92 milhões em salário e US$ 34 milhões em contratos de patrocínio).

Como era de se esperar, Cristiano Ronaldo aparece em segundo lugar na relação com vencimentos de US$ 117 milhões. O atacante da Juventus tem também o status de jogador de futebol com mais seguidores nas redes sociais.

O brasileiro Neymar aparece em terceiro na lista da Forbes, com vencimentos de US$ 96 milhões, enquanto seu companheiro de PSG Kylian Mbappé é o quarto com US$ 42 milhões.

O campeonato inglês continua sendo a liga mais rica do planeta, apesar de apenas três de seus jogadores figurarem na lista dos 10 mais bem pagos: o atacante egípcio Mohammed Salah (Liverpool), em quinto com US$ 37 milhões, o meia francês Paul Pogba (Manchester United), em sexto com US$ 34 milhões, e o goleiro espanhol David De Gea (Manchester United), em 10º com US$ 27 milhões.

O francês Antoine Griezmann (Barcelona) aparece em sétimo, e o galês Gareth Bale (Real Madrid) é o oitavo. O atacante Robert Lewandowski (Bayern de Munique), único jogador da liga alemã, é o nono.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

EDUCAÇÃO: Acari supera mais uma vez a meta nacional do IDEB e lidera ranking de municípios do RN; veja geral

Foto: Reprodução

Conhecida por “Cidade das Letras”, Acari superou mais uma vez a meta nacional do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) e manteve a liderança no ranking de municípios do Rio Grande do Norte, com o resultado 6.8 (4ª série/5º ano) no ano de referência 2019. A divulgação aconteceu nesta terça-feira (15). Consulta pode ser feita aqui.

Apesar de ter melhorado na avaliação do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), o ensino médio brasileiro não atingiu a meta estabelecida para 2019 —e segue distante dela.

Os dados, divulgados hoje pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), mostram que, em comparação com 2017, o Ideb do ensino médio no Brasil foi de 3,8 para 4,2 —numa escala de zero a 10. O valor, no entanto, ainda fica longe do Ideb proposto para 2019, de 5,0.

O resultado inclui tanto a rede pública como a rede privada de ensino. As escolas técnicas estaduais, que oferecem ensino médio profissionalizante, não fazem parte da avaliação.

Quanto mais alto o número do Ideb —principal indicador de qualidade da educação básica no país—, melhor o resultado. Antes de chegar a 3,8 em 2017, o Ideb do ensino médio brasileiro ficou estagnado em 3,7 de 2011 a 2015.

O Ideb é composto por dois tipos de dados: as taxas de aprovação, fornecidas pelo Censo Escolar, e o desempenho dos alunos no Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), que avalia o conhecimento em língua portuguesa e matemática.

O indicador é divulgado a cada dois anos e traz uma radiografia da qualidade dos anos iniciais (1º ao 5º ano) e finais (6º ao 9º ano) do ensino fundamental, assim como do ensino médio.

Com acréscimo de UOL

Opinião dos leitores

  1. Antes de fazer comentários maldosos sobre partido A ou B, é melhor estudar.Em que governo alguns comentaristas estudaram?

  2. Rômulo Arantes15/09/2020 às 15:39
    Analisando apenas as escolas estaduais, responsáveis por mais de 97% das matrículas da rede pública no ensino médio, o resultado de 2019 foi 0,4 ponto maior que de 2017.

  3. Parabéns a Acarí!!
    Mas o Rio Grande foi Nortd como um todo passou vergonha.
    Se em 2019, com aulas normais, foi péssimo imagina 2020 sem aulas.
    É o governo da professora do PT com seu patrono Pauli Freire.

  4. Apesar do bom resultado, isso mostra que a Educação nunca foi prioridade do governo do PT/PSDB.

  5. Os guvernu do PT, 16 ânus, deixou a população bem mais educada. 3,8 pra merda só falta a catinga. Também LULADRAO um grande aluno do sobral, sobra do MOBRAL, se vangloriava de ser um analfabeto útil. Taí o resultado.

    1. É dever dos estados e municípios a educação de base. Agora faz o mesmo teste nas 16 escolas tecnicas que Papai Lula e mamãe Dilma construíram aqui no RN.

    2. É um mané mesmo. Mané eu estudei lá também, mas isso não representa nem cinco por cento do total dos estudantes do estado. O problema é ter um animal como Luladrao se vangloriando que era analfabeto funcional, isso é um grande incentivo aos estudantes. Olha as porcarias que chegam as faculdades defendendo essa mesma educação fajuta.

    3. Vc manezinho, deve ser daqueles com o quengo cheio de cultura inútil. Só lixo e porcaria, nada que se aproveita. Mas, tenho certeza que depois que vc fizer umas três faculdades, e se desencostar daqueles malas que frequentam normalmente aqueles cursos típico dos vagabundos, aí vai poder dizer alguma coisa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Primeiro ano de gestão Fátima Bezerra deixa RN em uma das últimas posições em ranking nacional da Educação via ensino médio

Foto: Reprodução/G1

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019, divulgado nesta terça-feira (15), mostra que o nível de qualidade do ensino médio brasileiro continua abaixo do esperado pelo Ministério da Educação (MEC). Embora tenha havido avanços em relação a 2017, o país não atinge a meta nessa etapa de ensino desde 2013.

O Ideb vai de 0 a 10 e leva em conta dois fatores: quantos alunos passam de ano e qual o desempenho deles em português e em matemática (entenda mais abaixo). Em 2019, a meta nacional a ser cumprida, somando escolas públicas e particulares, era 5 – mas o resultado ficou aquém do esperado. A média foi bem inferior a isso: 4,2.

Ranking de estados

O Inep traça médias individuais para os estados, justamente porque são situações heterogêneas – há regiões com maior índice de pobreza, por exemplo, que terão obstáculos maiores para melhorar a qualidade da educação.

Por isso, ao analisar um ranking nacional do Ideb, é preciso ter em mente que cada estado tem desafios próprios. A listagem é apenas para fins didáticos – o critério ideal de comparação é analisar quanto a região evoluiu nos últimos anos, em seus próprios índices, além de verificar se atingiu a meta definida pelo Inep.

Redes estaduais

Analisando apenas as escolas estaduais, responsáveis por mais de 97% das matrículas da rede pública no ensino médio, o resultado de 2019 foi 0,4 ponto maior que de 2017. Apesar do avanço, a meta estipulada para esses colégios não foi cumprida.

O Ideb nacional das escolas estaduais brasileiras foi de 3,9 – sendo que o objetivo era atingir 4,6. Nas metas individuais, apenas os colégios das redes de Pernambuco e de Goiás ultrapassaram o índice proposto.

O que é Ideb?

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é um indicador de qualidade do ensino fundamental e do ensino médio.

Foi criado em 2005 pelo MEC, que o divulga, desde então, a cada dois anos.

Como o Ideb é calculado?

O Ideb é um índice de 0 a 10, calculado com base em dois fatores:

índices de aprovação/reprovação dos alunos e de abandono dos estudos, medidos no Censo Escolar;

notas em provas de português e de matemática no Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica).

Para ter um bom Ideb, é preciso ter baixas taxas de reprovação e de abandono de estudos, além de resultados satisfatórios no Saeb. Essa avaliação é aplicada sempre no fim de cada etapa escolar: 5º e 9º ano do ensino fundamental, e 3º ano do ensino médio.

Com G1

 

Opinião dos leitores

  1. Analisando apenas as escolas estaduais, responsáveis por mais de 97% das matrículas da rede pública no ensino médio, o resultado de 2019 foi 0,4 ponto maior que de 2017.

  2. Esses partidos se dizem a favor da educação, mas o que se ver é o contrário.
    Estamos nas últimas colocações do PISA, por causa do desastre da esquerda no poder.
    Agora vem a Governadora Fátima, a professora de sindicato que nunca deu aula, e o resultado estamos vendo.
    É um desastre

  3. Não lembro em nenhum momento o RN ter educação de qualidade em se tratando de educação pública.Esse destroço já é histórico.S governadora não poderia resgatar um déficit desse nível.Vamos ter bom senso.partidarismo político a parte.

    1. Quem são os culpados?
      O destroço foi construído pelo o partido a qual você defende, tanto no âmbito federal como no Estadual.
      O PT passou quase 15 anos no poder.
      Aqui no RN vocês foram aliados de Henrique Alves, Garibaldi e Rosalba.
      Inclusive, dois desses foram ministros no Governo do PT.
      Você acabou de entrar em contradição.

      Você precisar estudar mais um pouquinho, não engana mais ninguém.

  4. Ela não consegui explicar onde foi para os 5 milhões. Talvez uma ex professora Bezerra, explique esse resultado na educação,

  5. Fátima incompetente ,mas muito astuta na lábia. Aprendeu com professor Lula.

  6. Fátima muita conversa com pouco resultado. Ela aprendeu com o professor Lula.

  7. O DINHEIRO FO FUNDEB É TODO PARA PAGAR OS PROFESSORES. OQUE SOBRA É UMA MERECA.

  8. Realmente, ainda é um resultado ruim, mas foi o melhor resultado nos últimos 12 anos. Podem pesquisar…fonte: Ideb.inep.gov.br/resultado

  9. E ainda faltam dois longos anos de governo, com RISCO de reeleição para mais quatro. Haja oração (e coração)!

    1. Reeleição????? O povo potiguar errou uma vez elegendo Fátima Bezerra, que vem realizando uma gestão desastrosa, mas não é burro. Não vai cair no"gópi" (é assim que a professora pronuncia a palavra "golpe") outra vez.

  10. Ex professora e dedicação total a educação.
    Kkkkkkkkkkk.
    KD o dinheiro dos respiradores???
    Impeachment Já!!!

  11. E teremos mais dois anos de atraso. Como pode dezenas de gerações de um plano de educação medíocre produzir, sequer, uma alfabetização efetiva, se são décadas de licenciaturas forjadas em TCCs "copie e cole"? Esta pedagoga, que sequer sabe se expressar, está se lixando para uma boa educação das nossas crianças.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

RN obtém conceito Bom em ranking de Transparência Internacional da Covid-19

O Rio Grande do Norte foi o oitavo Estado do Brasil que mais cresceu em pontuação pelo Ranking de Transparência no Combate à Covid-19, segundo o último boletim, divulgado nessa segunda-feira (29). O ranking avalia como os portais de 26 governos informam sobre contratações emergenciais de forma fácil e ágil. O resultado é uma pontuação de 0 a 100, com nota mais alta conforma melhor transparência.

O estado potiguar alcançou a marca de 77,2 pontos com os 30 somados neste último boletim. Com isso, atingiu o nível BOM de avaliação. A partir de 79 pontos, o nível sobe para ÓTIMO. “Subimos bastante e fomos o oitavo em crescimento no último mês. A partir da próxima ação já esperamos alcançar o nível de transparência conceituado como Ótimo”, prevê o Controlador-Geral do Estado, Pedro Lopes.

O controlador ponderou ainda que limites tecnológicos impedem o Governo do Estado em acelerar ou aumentar ainda mais essa pontuação. “Mas temos trabalhado conforme nossas condições e teremos um excelente resultado, a exemplo do que conquistamos no ranking organizado pela ONG Open Knowledge Brasil”.

Neste ranking, o Rio Grande do Norte chegou a figurar na segunda colocação entre os Estados do país. Apesar de também se tratar de transparência relacionada aos dados a respeito da Covid-19, os critérios para este boletim diferem um pouco e focam em informações sanitárias e epidemiológicas, enquanto o ranking divulgado nesta última segunda-feira se volta a dados de contratações emergenciais.

Com a nova pontuação, o RN ocupa hoje a 18ª colocação neste ranking de transparência. “Podemos melhorar, sobretudo, no quesito da divulgação nas redes sociais, que criamos recentemente, e referente ao Dicionário de Dados, que já iniciamos pesquisa para atendermos com maior qualidade. Apenas esses dois quesitos já nos elevará aos 83,5 pontos e atingiremos o nível ÓTIMO”, pontuou a gestora da Lei de Acesso à Informação da Control, Lenira Fonseca.

Opinião dos leitores

    1. Não deixa de ser transparente. Até porque todos sabem dos 5 milhões.

  1. Kkkk quem deu essa pontuação foi o LADRAO CONDENADO LULA??? Cadê os R$ 5.000.000,00 que FATAO doou ???SOCORRO MP

    1. Vergonha é quando a gente vê que a preocupação das pessoas aqui é entrar na esfera política e não na esfera pública, ao invés de parabenizar, Governo municipal, estadual ou federal quando acertam, as pessoas ficam de pirraça. Vergonhoso é o cidadão que não pensa no próximo e quer defender político! A maioria nunca pensa na população e somente em si e aos seus! Pensem antes de postar tantas asneiras!

    2. Se esses 5 milhões tivessem sido pago antecipadamente por Bolsonaro, já tinham lhe tirado do mandato e colocado numa prisão, disso eu tenho certeza

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN se mantém na 2ª colocação nacional no Ranking Transparência Covid-19, informa ONG

O boletim semanal Transparência Covid-19 divulgado pela ONG Open Knowledge Brasil mantém o Rio Grande do Norte na segunda posição em transparência de dados apresentados pelos governos estaduais relativos à pandemia.

O Rio Grande do Norte manteve seus 98 pontos, o que reflete o alto índice de transparência e o acompanhamento e monitoramento semanal pela Controladoria-Geral do Estado na divulgação dos dados.

“Essa posição demonstra o compromisso do Governo em manter bem informada a população. Apresentamos dados reais da situação de emergência que passamos. Contribuímos, assim, para conscientização da necessidade do isolamento social”, destacou Lenira Fonseca, gestora da Lei de Acesso à Informação da Control.

No primeiro boletim publicado pela ONG, em 3 de abril, o Estado potiguar apareceu em 11º, então com 29 pontos. Desde então evoluiu na pontuação a cada boletim até os atuais 98 pontos.

Lenira destacou ainda o trabalho da Coordenação de Promoção à Saúde, setor responsável pela gestão de todos os dados, elaboração e divulgação dos boletins epidemiológicos dos dados referentes à pandemia, além de outros vírus respiratórios e sendo o principal instrumento de avaliação.

O trabalho executado pela equipe da Sesap é realizado com o apoio e acompanhamento da Control, responsável pela promoção da transparência pública do Executivo Estadual.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Estudo com ranking de transparência de contratações emergenciais durante pandemia destaca RN apenas em 21º entre estados e Natal em 23º em capitais

Ranking da transparência dos estados nas contratações emergenciais durante a pandemia de Covid-19 feito pela Transparência Internacional — Foto: Aparecido Gonçalves/G1

Os governos de Roraima e São Paulo são os menos transparentes na divulgação dos contratos emergenciais feitos durante a pandemia de Covid-19, mostra ranking inédito divulgado nesta quinta-feira (20) pela Transparência Internacional. Entre as capitais, o pior índice é o da Prefeitura de Belém.

Espírito Santo, Distrito Federal, Goiás e Paraná aparecem com uma avaliação ótima. Já entre as capitais, João Pessoa e Goiânia lideraram o ranking. O Rio Grande do Norte aparece na Zona Vermelha, como regular – apenas em 21º lugar. Entre capitais, o cenário ainda é pior para Natal, também como regular, na 23ª posição.

A ONG analisou os sites, redes sociais e portais de transparência dos governos de todos os 26 estados e do Distrito Federal e de todas as 27 capitais.

O resultado indica que boa parte dos governos estaduais e municipais não está cumprindo as exigências da Lei Federal nº 13.979/2020, que regulamentou as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da pandemia do coronavírus. Essa legislação exige transparência nas contratações emergenciais.

Ao não dar transparência aos contratos feitos sem licitação, os governos dificultam a fiscalização e impedem que a sociedade veja como o dinheiro público está sendo usado durante a pandemia do coronavírus.

“A flexibilização dos controles e a realização dos procedimentos sem o processo licitatório acabam aumentando o risco de corrupção”, afirma Guilherme France, coordenador da pesquisa da Transparência Internacional.

“Nós vimos nas últimas semanas diversos indícios de irregularidades em contratos (relacionados à Covid-19), no Rio, em Santa Catarina, que foram identificados justamente pelas informações divulgadas por esses portais.”

Com recursos e equipes maiores, segundo a ONG, os 26 estados do país e o DF tiveram melhor desempenho, com pontuação média de 59 pontos em 100 possíveis. Já as prefeituras das capitais tiveram média de 45 pontos.

Cerca de metade dos estados recebeu nota boa ou ótima, entre 79 e 100. Dos restantes, apenas São Paulo e Roraima tiveram nota ruim, de 20 a 39.

Já entre as prefeituras das capitais, que têm menos recursos e equipes de transparência, segundo a ONG, só cinco tiveram nota boa ou ótima. Outras nove tiveram nota ruim. Belém foi a única com avaliação péssima, de 0 a 19.

Ranking de transparência das prefeituras das capitais nas contratações emergenciais durante a pandemia da Covid-19 feito pela Transparência Internacional — Foto: Aparecido Gonçalves/G1

Nível abaixo do recomendado

Na avaliação da Transparência Internacional, o nível de transparência oferecido pelos estados e prefeituras está abaixo do recomendado. E isso não só dificulta a fiscalização como pode dar margem a desvios e prejuízos aos cofres públicos.

No caso de São Paulo, que ficou entre os piores estados, não estão facilmente disponíveis informações básicas dos contratos emergenciais, como o valor e o prazo de execução. “São informações exigidas por lei”, afirma France.

Nos portais de Roraima, não há nem os nomes dos fornecedores e o bem ou o serviço contratado.

Ele explica que algumas informações estão disponíveis no Diário Oficial e outras em arquivos pdf que precisam ser baixados, mas que isso não significa que há transparência.

“Não é viável pedir que o cidadão fique lendo o Diário Oficial para conseguir as informações. A importância da transparência é justamente que todo mundo consiga acessar e entender as informações”, diz.

A situação em Belém é ainda pior. Não é possível nem sequer ver as informações dos contratos no site. É preciso acessar um link, que leva para uma nuvem e de lá baixar os arquivos em pdf.

Metodologia

Os critérios de avaliação do ranking se basearam no guia de Recomendações para Transparência de Contratações Emergenciais em Resposta à Covid-19. O manual foi lançado há duas semanas e produzido em conjunto com o Tribunal de Conta da União (TCU).

Na época, segundo a ONG, todos os governos avaliados no ranking receberam orientações e foram notificados que passariam a ser avaliados periodicamente com base nesses critérios.

Bem Estar – G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN ocupa segunda posição em ranking de transparência relativo à Covid-19

O Governo do RN tem a segunda maior nota no Ranking Transparência Covid 19, pontuação medida pela ONG Open Knowledge Brasil. É o que apontou o sexto boletim a partir de dados apresentados pelos governos estaduais relativos à transparência de informações.

Este foi o sexto boletim, divulgado nesta quinta-feira (7) e destaca o Estado potiguar como ente que mais subiu no ranking. “O Rio Grande do Norte foi o maior destaque da rodada e é um dos novos ocupantes do topo do ranking”, citou o site. No primeiro boletim, publicado em 3 de abril, o Estado apareceu em 11º, então com 29 pontos. No último, em 30 de abril, em 9º, com 74 pontos.

Com a nova colocação e 93 pontos, o Estado potiguar passa da categoria BOM para ALTO, em transparência de informações relativas à Covid-19. “Temos uma sintonia eficiente com a Sesap e com certeza temos como subir ainda mais no ranking. Sabemos quais informações estão falhas e iremos corrigir”, adiantou a gestora da Lei de Acesso à Informação da Control, Lenira Fonseca.

O novo formato de boletim epidemiológico, com apresentação de microdados diários ainda mais detalhados, além das informações sobre quantidade de testes disponíveis pelo Estado, foram alguns dos dados que passaram a ser computados e ajudaram o Estado potiguar a subir no ranking.

De acordo com Lenira, o Rio Grande do Norte deixou de pontuar em apenas um item, a respeito da quantidade de leitos ocupados em relação aos disponíveis. Em outro quesito, o boletim classificou como incompleto ou insuficiente o detalhamento das informações relativas às doenças pré-existentes.

“Compartilhamos a metodologia e critérios utilizados para apuração do Indicador com servidores da Sesap, especialmente com a subcoordenadora de epidemiologia, Luciana Lucchesi. Queremos melhorar cada vez mais a transparência pública do RN. E destaquemos ainda o Portal da Transparência, que passou a unificar as informações referentes à Covid-19 nesta semana”, lembrou a gestora da Controladoria Geral do EStado.

O Índice da ONG Open Knowledge Brasil leva em conta, entre 13 critérios, a hospitalização dos pacientes confirmados, infraestrutura da saúde, ocupação de leitos, testes disponíveis e aplicados, planilhas analíticas, séries históricas e localização dos casos registrados.

Opinião dos leitores

  1. Não foi você q criticou a falta de transparência desse governo no caso do covid?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo do RN sobe em ranking de transparência relativo ao Covid-19

FOTOS: Elisa Elsie

O Governo do Estado tem avançado na prestação de informações exigida pelo Índice de Transparência da Covid19, organizado pela ONG Open Knowledge Brasil. Os dados apresentados colocam o Rio Grande do Norte na 5ª posição (classificação “BOM”) entre os 27 estados da Federação. O terceiro boletim foi divulgado nesta quinta-feira (23).

“Compartilhamos a metodologia e critérios utilizados para apuração do Indicador com servidores da comunicação e do setor de epidemiologia da Sesap. Queremos melhorar cada vez mais a transparência pública do RN. E, para além do acompanhamento que fazemos, a Sesap tem trabalhado para reforçar essa transparência. A Controladoria Geral do Estado tem como próximo passo ampliar as informações relacionadas ao combate ao covid 19 no Portal da Transparência do Governo”, adiantou a assistente de controle interno e gestora da Lei de Acesso à Informação da Control, Lenira Fonseca.

O Estado potiguar avançou 7 pontos (de 60 para 67) neste terceiro boletim semanal, em relação ao último. O motivo da evolução foi a publicação de informações sobre atendimentos e leitos exclusivos para tratamento do Covid-19. O Índice leva em conta, entre 13 critérios, a hospitalização dos pacientes confirmados, infraestrutura da saúde, ocupação de leitos, testes disponíveis e aplicados, planilhas analíticas, séries históricas e localização dos casos registrados.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Os nomes de cachorros mais escolhidos em 2019 no Brasil foram Mel e Thor, e de gatos, Nina e Tom; veja ranking

Foto: Shutterstock

Os nomes para cachorro preferidos dos brasileiros em 2019 foram Mel, para fêmeas, e Thor, para machos. Os dados são do ‘PetCenso’ da DogHero, empresa de serviços para pets, e que conectou informações através do site e app com tutores de animais de estimação e passeadores.

Alguns responsáveis por pets recorrem a personagens famosos de filmes e celebridades para batizar o animalzinho.

Entre os cachorros fêmeas, Mel ficou em primeiro lugar, seguida de Nina e Luna. Julie, que estava no top 10 em 2018, perdeu espaço para o nome de Cacau no ano passado.

Para os machos, o principal nome adotado é Thor, seguido por Luke e Bob. Já o nome Theo ocupou a quarta posição, no lugar de Fred, que agora está em quinto lugar no ranking.

Já os ‘pais’ e ‘mães’ de gatos têm preferência pelos nomes de Nina, Mia e Simba.

O levantamento tem como base mais de 1,2 milhão de cães e gatos registrados na empresa. Neste ano, o PetCenso também fez um levantamento em relação às raças preferidas de cães e gatos pelos brasileiros. Confira as listas completas.

Os 10 nomes de cachorro preferidos dos brasileiros em 2019

Fêmeas

1. Mel

2. Nina

3. Luna

4. Meg/Mag

5. Lola

6. Amora

7. Bellinha

8. Bela

9. Maia

10. Cacau

Machos

1. Thor

2. Luke

3. Bob

4. Teo

5. Fred

6. Billy

7. Marley

8. Max

9. Zeus

10. Nick

(mais…)

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *