Turistas são assaltados em calçadão na praia de Ponta Negra

Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução

O portal G1-RN destaca que turistas paranaenses e um paulista foram assaltados no início da manhã desta quinta-feira (6) quando caminhavam pelo calçadão da praia de Ponta Negra. De acordo com a reportagem,  Algumas vítimas foram obrigadas a deitar no chão. A ação criminosa ocorreu por volta das 5h50, quando um homem e duas mulheres nos abordaram e anunciaram o assalto. As vítimas tinham acabado de sair do hotel para caminhar.

Segundo a reportagem, as vítimas contaram que o triou pegou dinheiro,  telefones, as senhas dos celulares, e outros objetos que carregavam na hora. Na ocasião, a Polícia Militar conseguiu prender uma mulher, apontada como uma das criminosas. Outros dois assaltantes conseguiram fugir. Veja mais detalhes em reportagem aqui.

 

FOTOS: Esgoto a céu aberto em trecho do calçadão de Ponta Negra

Fotos: cedidas

Um leitor do Blog e ouvinte do Meio-Dia RN denuncia através das imagens acima o que classifica como descaso da Prefeitura do Natal o registro de esgoto a céu aberto no calçadão da Praia de Ponta Negra, na Zona Sul de Natal.

Segundo o leitor, de identidade preservada, o mau cheiro toma conta do trecho. Denunciante ainda questiona a passividade da Promotoria do Meio Ambiente para o caso.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo disse:

    BG
    Fui lá ontem de manhã com um filho meu de 14 anos ficamos impressionados com o descaso da praia que atrai a maioria dos turistas do Brasil e do Mundo, lixo, sem escadarias, esgotos a céu aberto, uma verdadeira vergonha para a Cidade que vem de administrações PÉSSIMAS com continuísmo de secretários e apadrinhamento politico. Natal não merece isto e o atual prefeito tem que mostrar a que veio, ou então se não tiver capacidade administrativa que renuncie logo.

  2. carlos diniz disse:

    isso é antigo demais… já tirei várias fotos disso e de hotéis jogando água suja na areia lá na frente já chegando na via costeira… podem até dizer que é agua da chuva, mas nesse dia não estava chovendo rs

  3. Juana Nunes disse:

    Isso é o que dá, um prefeito forasteiro que mal conhece a cidade.

  4. Diogo disse:

    Rapaz! O prefeito, Álvaro Dias, até agora não mostrou a que veio. Álvaro, não conhece natal, se colocar o saco na cabeça dele e solta-lo no relógio do alecrim ele não sabe voltar pra casa. Está totalmente refém do secretariado do ex prefeito Carlos Eduardo. Acorda prefeito!

Vice-prefeita vistoria obras na Praia de Ponta Negra

17791Vice-prefeita conversou com operários, profissionais da área de turismo, quiosqueiros e empresários, além de turistas. Ao lado do titular da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura, Thomaz Neto, a vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, vistoriou as obras da Praia de Ponta Negra na manhã desta quarta-feira (16). Conversando com operários, profissionais da área de turismo, quiosqueiros e empresários, além de turistas, ela buscou informações a respeito do andamento dos trabalhos e expectativa popular.

“Estamos preocupados com o andamento dos trabalhos, porque sabemos dos inconvenientes, mas também dos grandes benefícios que esta obra trará para nossa cidade. Por isso é importante acompanharmos a evolução, explicando às pessoas o que está sendo feito”, enfatizou Wilma.

Segundo o gestor da Semopi, o enrocamento da Praia, que visa conter o avanço do mar, será concluído até o próximo dia 31 de outubro, quando iniciará a etapa de reconstrução do calçadão. Essa fase, essencial para a alta temporada, será finalizada até dezembro, garantiu Thomaz.

Já a reurbanização (que contemplará também as Praias dos Artistas e do Forte) será entregue até maio de 2014. Em Ponta Negra, serão construídos 29 quiosques, cinco baterias de banheiros, abrigos de salva-vidas e bombeiros, espaço para artesanato, bancos, lixeiras, orelhões e dois decks com mirante.

Em tempo: como não está sofrendo intervenções, como no caso de Ponta Negra, a reurbanização das Praias dos Artistas e do Forte já começa na próxima semana. Faça um tour virtual através do endereço eletrônico: http://www.youtube.com/watch?v=OXCuUwMPCYE. Importante: conforme a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), todos os atuais donos de quiosques e barracas permanecerão com espaços comerciais.

MPF cobra isolamento de trechos do calçadão de Ponta Negra e escadarias de acesso à praia

O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) solicitou à Justiça que exija da Prefeitura do Natal o urgente isolamento dos trechos do calçadão de Ponta Negra que ainda apresentam fissuras, além de disponibilizar escadarias suficientes para garantir o acesso da população à praia na área onde foi realizado o chamado enrocamento, bem como a retirada de pedras menores que resultaram da obra e se soltaram das demais, ocupando agora a área destinada aos banhistas.

O pedido, feito conjuntamente com a Procuradoria do Estado, foi formulado após uma vistoria, realizada no dia 28 de julho, e na qual o procurador da República Fábio Venzon constatou que não vem ocorrendo o isolamento de alguns trechos do calçadão que apresentam fissuras visíveis e que representam perigo a quem passa pelo local. Esse isolamento foi um dos itens de um acordo judicial assinado pela Prefeitura, em uma audiência realizada em 31 de maio, e, segundo o MPF, pode ser mantido pela própria Guarda Municipal.

“Um dos trechos mais críticos, por conter fissuras no calçadão, podendo desmoronar a qualquer momento, não conta com qualquer isolamento”, alerta o membro do MPF/RN. Ele observou ainda a dificuldade de acesso dos banhistas à praia em um longo trecho onde estão sendo colocadas as pedras do enrocamento: “(…) sem tais escadas e com as pedras ali colocadas, fica praticamente impossível ou muito arriscado chegar na praia tendo de passar por cima das rochas”.

O prejuízo, além dos banhistas, é também dos quiosques, cujos empregados têm mais dificuldade de acessar a área onde ficam os clientes. A faixa de areia, inclusive, também está tomada por pedras menores, utilizadas na obra, e que provavelmente se desprenderam das demais devido às marés altas. “(…) a Prefeitura ou a empresa contratada para a obra tem que realizar um trabalho de manutenção, até porque há risco para os frequentadores da praia (…).”

Todos os problemas foram registrados em fotografias (confira os links ao final do texto), encaminhadas à Justiça junto com a manifestação que cobra ainda, da Prefeitura, informações sobre o andamento da contratação de uma empresa que irá responder a quesitos técnicos sobre a adequação do projeto de enrocamento. O pedido inclui ainda a solicitação de um posicionamento da prefeitura quanto à possibilidade de minimizar os impactos socioeconômicos da obra, conforme discutido na audiência de maio, que contou com a participação da Associação dos Antigos Barraqueiros de Ponta Negra.

A manifestação do MPF/RN e da Procuradoria do Estado foi assinada pelo procurador da República Fábio Venzon, pela procuradora do Estado Marjorie Madruga e conta com a anuência da promotora de Justiça Gilka da Mata, representante do Ministério Público Estadual. O processo tramita na Justiça Federal sob o número 0006804-08.2012.4.05.8400

PR-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santiago disse:

    Acabaram com a praia de Ponta Negra. A "Recifilização" tá quase pronta. Aquele pedregulho é um grande viveiro de cobras e ratos. Só falta dar tubarão agora.

Prefeitura vai recuperar calçadão das praias do Meio e dos Artistas

Os trechos do calçadão das praias do Meio e dos Artistas danificados pela ressaca do mar há quase dois anos serão finalmente recuperados pela Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi). As obras, que contam com recursos próprios do município aproximados em R$ 711 mil, serão realizadas pela Construtora F2, empresa ganhadora da licitação.

A definição da data da ordem de serviço será tema de uma audiência nesta terça-feira, 28, entre o prefeito Carlos Eduardo, o secretário Rogério Mariz, da Semopi e o diretor da Construtora F2, Fabiano Veras. As obras constam da recuperação do muro de arrimo e de alguns trechos do calçadão. Os locais mais afetados estão concentrados na Praia dos Artistas, proximidades do Mercado de Artesanato e na Praia do Meio, em frente ao Bairro de Brasília Teimosa.

O secretário adjunto de Operação da Semopi, Caio Múcio, revela que todo o muro de arrimo da orla será recuperado para evitar novos riscos de desabamento. Os trechos do calçadão afetados pelo rompimento do paredão serão recompostos com aterro. A implantação definitiva do piso virá com as obras de reestruturação urbana e acessibilidade da orla de Natal, projeto apresentado nesta segunda-feira (27) ao Trade Turístico da cidade, e que devem ser iniciadas em julho.

Após a expedição da ordem de serviço, as obras levarão em torno de quatro meses para serem executadas, estima Caio Múcio. De acordo com ele, a reforma deixará o calçadão livre e mais seguro para o passeio público dos usuários. “Também serão evitados novos transtornos e conseqüentes prejuízos para o erário”.

Ordem de serviço para obras no calçadão será emitida hoje

Antes tarde do que nunca! O prefeito Carlos Eduardo emite hoje a ordem de serviço para o início das obras de recuperação do calçadão de Ponta Negra. A região, considerada o principal cartão postal de Natal, tem sentido uma queda considerável no fluxo de turistas desde maio do ano passado, quando a primeira parte da estrutura desabou.

A emissão da ordem acontecerá às 15h30, no Palácio Felipe Camarão. “Essa obra é emblemática porque aquele é o principal cartão postal de Natal e a nossa equipe se dedicou de forma prioritária para resolver os entraves desse projeto que tem um valor bastante substancial e precisávamos dos recursos do governo federal para executar”, disse o prefeito. “Fico satisfeito de ver que nesses primeiros cem dias de governo pude dar andamento a muitos projetos importantes para a nossa cidade”, completou.

O Diário Oficial da União publicou a Portaria nº 124 de 4 de abril de 2012, assinada pelo ministro de Estado da Integração Nacional, Fernando Bezerra de Souza Coelho, através da qual fica oficializado que o plano de trabalho referente à segunda etapa das obras foi analisado e aprovado pela área competente.

Com isso a Prefeitura pode contratar a empresa que irá fazer o trabalho inicial de contenção do avanço do mar por meio de obras de enrocamento como as que foram feitas em Recife e Olinda. Junto com essa obra será feita a reconstituição do passeio público ao mesmo tempo em que é autorizado o início dos estudos sobre a movimentação da maré para a obra de engorda da praia.

OBRA

O projeto total tem o valor de R$ 23,9 milhões e será executado em duas etapas: a primeira, com começo previsto para a próxima semana compreende a proteção do calçadão, numa extensão de dois mil metros.

Projetos dessa natureza já foram executados nas praias de Boa Viagem, Olinda e Paulista, e os resultados estão correspondendo à expectativa de acordo com informações coletadas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. armando disse:

    esses engenheiros da prefeitura de natal deveriam ter uma aula de campo na fortaleza dos reis magos, la as mares batem desde a sua construçao se nao mim engano la por volta de 1500, nem rachaduras tem.

    • Aristotelles disse:

      O problema não é dos engenheiros amigo, qualquer mestre de obras sabe o que deve ser feito naquele calçadão para durar o resto da vida.
      Agora a pergunta é, existe recursos para isso? Deve-se fazer da maneira correta?
      Não depende só de conhecimento não, tem vários outros fatores que influem.

  2. Rafael disse:

    Como será feita essa reforma? Já existe algum desenho ou projeção em computador para sabermos como irá ficar? Será apenas um reparo na parte que caiu ou uma construção de um novo calçadão? Natal precisa se desenvolver. A cidade merece um calçadão de respeito com área para ciclismo, etc, e já ligado com a Via Costeira. #CresceNatal.

Recursos de R$ 4 milhões para obras de Ponta Negra estão assegurados pelo Ministério da Integração

audiencia com ministro da integração1O prefeito Carlos Eduardo saiu hoje da audiência com o Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, em Brasília, com a garantia dos R$ 4 milhões para as obras de recuperação do calçadão de Ponta Negra que desabaram devido ao avanço do mar. Os recursos para a obra estão empenhados e agora a prefeitura precisa encaminhar o Plano de Trabalho para que o dinheiro seja liberado e as obras iniciadas.

 

Apesar da boa notícia, o ministro Fernando Bezerra pediu ao prefeito que tomasse todas as providências imediatamente para fazer logo as obras. “Os recursos estão alocados há mais de seis meses em fase da urgência da realização dos serviços e não pode mais ficar esperando”.

 

Segundo o ministro explicou ao prefeito Carlos Eduardo e ao secretário de Obras, Rogério Mariz, que o acompanhou na audiência, que a pressão por recursos da Defesa Civil tem aumentado em função dos estragos causados pelas chuvas na região Sudeste e vários prefeitos têm procurado o governo federal em busca de recursos para recuperar os estragos.

 

Há 20 dias no cargo, o prefeito Carlos Eduardo pediu um voto de confiança do Ministério da Integração e prometeu ao ministro iniciar logo as obras e pediu ao secretário Rogério Mariz que apresente logo o Plano de Trabalho necessário para que os recursos sejam liberados. “Vamos começar o mais rápido possível essa obra porque precisamos recuperar aquela área que é um cartão postal da cidade e não podemos perder esses recursos”, disse o prefeito.

 

Na semana passada, a Prefeitura entregou ao Ministério Público Federal e Estadual o projeto de reestruturação do calçadão de Ponta Negra feito a partir de laudos elaborados por peritos que assessoram o Ministério Público para evitar que o avanço do mar continue destruindo a calçada.

 

Na ocasião ficou acertado que os representantes da prefeitura e dos ministérios público federal e estadual se reuniram novamente amanhã (23) já com a análise dos projetos pelos peritos para que a obra possa ser retomada assim que o Ministério da Integração aprovar o Plano de Trabalho, já que R$ 1 milhão já foi repassado para a Prefeitura.

Baldo

Carlos Eduardo também solicitou recursos para a recuperação do Viaduto do Baldo que está interditado pelo risco que apresenta. A obra está orçada em cerca de R$ 2 milhões e a Prefeitura ficou de encaminhar um ofício solicitando os recursos com as justificativas.

 

 

 

Calçadão de Ponta Negra: obras serão iniciadas somente após perícia técnica

O município de Natal vai ter que realizar três analise técnicas do calçadão da Orla da Praia de Ponta Negra. A decisão da 5ª Vara Federal, publicada na edição de sexta-feira (28) do Diário da Justiça Federal, favoreceu a ação da Promotoria do Meio Ambiente.

A realização da obra na praia está proibida até que o laudo pericial das duas primeiras perícias seja entregue, de acordo com a decisão da Justiça Federal. Além disso determinou que o  Comando da Polícia Militar monitore a área isolada.

Nesta semana, a Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi) chegou a anunciar que a obra seria iniciada a partir do dia 30 de setembro e ficaria pronta em dezembro.

Na decisão publicada no Diário de Justiça diz que serão chamados três profissionais no qual o primeiro vai indicar medidas emergenciais de curtíssimo prazo para impedir os futuros riscos de desmoronamento, ele tem um prazo de 20 dias para realizar o trabalho. Já o segundo perito vai indiciar as obras emergenciais de contenção e reparação da estrutura no prazo de 60 dias. Quer dizer, as obras podem começar no máximo daqui a dois meses. O último estudará durante um ano a erosão do calçadão.

A decisão também determina que a Prefeitura Municipal do Natal pague R$ 118.126,98 para os trabalhos que serão realizados na orla, com o prazo de cinco dias para realizar esse pagamento e 48 horas para trazer a cópia integral do convênio da empresa que fará a obra.

Os peritos deverão a elaborar  laudos periciais, devendo ser respondidas todas as perguntas formuladas pela Justiça. Eles podem ter peritos auxiliares durante o serviço. Os trabalhadores deverão informar a data, hora e local da realização dos atos.

As partes envolvidas tem o prazo de cinco dias para que possam manifestar sobre o pedido de assistência formulado pela Associação dos Antigos Barraqueiros de Ponta Negra

Com informações do Nominuto

Polêmica do calçadão de Ponta Negra ganha mais um capítulo

Por determinação da Justiça Federal, a Prefeitura de Natal não pode iniciar as obras de recuperação do calçadão de Ponta Negra, programadas para a próxima segunda-feira (1º de outubro). A decisão é da juíza federal da 4a vara, Gisele Maria da Silva Leite. O Município deve apresentar primeiro a execução das perícias técnicas que embasarão quais medidas emergenciais deverão ser tomadas em curto prazo para que a reestruturação dos trechos danificados pela erosão costeira seja, de fato, inicializadas.

A promotora Gilka da Mata, da Promotoria de Defesa do Meio Ambiente, requereu a imediata realização de estudos periciais para a exata compreensão das alterações da dinâmica das marés que atingem o litoral de Natal. Para que, desta forma, os corretos procedimentos de recuperação dos trechos destruídos sejam adotados.

Na decisão, a juíza Gisele Maria determinou que sejam realizadas três perícias. A primeira delas com a “indicação das medidas emergenciais de curtíssimo prazo para impedir os riscos iminentes de desmoronamento e tombamento no calçadão”. Os peritos terão 20 dias para concluir esta parte do serviço. A segunda parte do laudo deve conter informações relacionadas à “indicação das obras emergenciais de contenção e reparação dos equipamentos públicos e de segurança dos frequentadores da praia”. Para esta análise, deverão ser consumidos 60 dias. E para os próximos 360 dias, “um estudo acerca da erosão, progradação e dinâmica do mar na Praia de Ponta Negra”.

Fonte: G1 RN

Reconstrução do calçadão de Ponta Negra começa dia 1° de outubro

Finalmente o secretário de Segurança e Defesa Civil de Natal, Carlos Paiva, anunciou que até a próxima segunda-feira, 1º de outubro, serão iniciadas as obras de reconstrução do calçadão da praia de Ponta Negra, na Zona Sul da capital. Paiva afirmou que há R$ 1 milhão em recursos federais disponibilizados para a obra. A intervenção será na reestruturação do passeio público, destruído pelo avanço das marés, mas não inclui ações preventivas para possíveis novas deteriorações.

O secretário explicou que para uma intervenção maior na praia seria preciso mais recursos, que viabilizariam também novos estudos ambientais para as construções. Ele disse que, como será feita uma reconstrução, entende-se que as licenças ambientais iniciais, concedidas no momento em que se fez a obra, ainda sirvam para a nova intervenção.

Faz tempo que a situação está crítica, e é constante a reclamação de turistas e comerciantes do local. A praia de Ponta Negra é o cartão postal da cidade e deve receber atenção especial dos órgãos públicos responsáveis.

foto: dnonline

 

Recuperação do calçadão da praia de Ponta Negra não tem data para começar

Matéria do Jornal de Hoje, relata inúmeros problemas para a reconstrução do calçadão de Ponta Negra, o principal cartão – postal de Natal. A vista da praia é de decepcionar qualquer visitante e de entristecer os natalenses.

Confira na reportagem:

A reconstrução do calçadão de Ponta Negra, que cedeu há mais de dois meses, ainda não tem nem prazo para iniciar. O impasse, que prejudica o início das obras, gira em torno da perícia técnica determinada pela Justiça, atendendo uma recomendação da Promotoria de Defesa do Meio Ambiente. De acordo com a recomendação do Ministério Público, o município de Natal seria obrigado a contratar um perito, no valor de R$ 118 mil, para realizar três estudos de curto, médio e longo prazo, em relação ao calçadão de Ponta Negra.

Enquanto isso, o cenário na praia de Ponta Negra permanece de destruição e abandono. Nos últimos dias, a Prefeitura de Natal não fez nenhum serviço na praia. Os sacos de areia e as barreiras de contenção, que foram colocados para impedir a ação do mar, não existem mais. As telas de proteção que alertavam os pedestres sobre os riscos de caminhar pelo calçadão estão no chão. E em algumas partes, onde já apresentava rachaduras, o calçadão continua cedendo a cada maré.

A Prefeitura de Natal conseguiu liberar a primeira parcela de recursos para recuperação do calçadão desde o dia 23 de agosto. Dezesseis dias já se passaram e até agora nada foi feito. Foram liberados 25% dos R$ 4 milhões, pelo Ministério da Integração Nacional, que autorizou o empenho e o repasse de recursos, no valor de R$ 1 milhão para as obras de recuperação do calçadão. A Prefeitura de Natal tem 365 para concluir a obra.

O secretário adjunto de Conservação da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), Caio Pascoal, informou que ainda esta semana os técnicos da Secretaria devem concluir os projetos técnicos, nos moldes do Ministério da Integração Nacional. Ele acredita que apenas no início de outubro as obras serão iniciadas, já que após a conclusão dos projetos tem a seleção, escolha e assinatura do contrato com as empresas que vão executar as obras. Caio acredita que mesmo com um prazo de 365 dias pra concluir a obra, o serviço deverá ser concluído dentro de 90 dias.

Em relação ao impasse envolvendo a perícia técnica, Caio Pascoal disse que é contra o pagamento do perito, como determinou a Justiça, por entender que não se precisa de perícia nesse momento e, sim, de um estudo em longo prazo para entender a dinâmica das marés, o que deverá durar 365 dias. “Não precisamos de uma perícia para o trabalho de recuperação do calçadão. Precisamos entender o fenômeno como um todo, pois o calçadão será recuperado. Mas precisamos pensar em Ponta Negra, e quem sabe fazer uma engorda na praia. Eu particularmente recomendei que não fosse pago o perito neste momento”, afirmou o secretário.

A reportagem d’O Jornal de Hoje tentou entrar em contato com a procuradora do Município, Kátia Bulhões, que está à frente das negociações, para saber se o pagamento dos peritos será efetuado, mas ela não atendeu as ligações.

De acordo com os documentos oficiais apresentados pela Prefeitura de Natal serão necessários recursos da ordem de R$ 4.050.800,00 para recuperar toda a área afetada do calçadão numa extensão estimada em 2,3 quilômetros. A primeira parcela liberada de R$ 1 milhão será para execução dos serviços mais urgentes. O restante do montante deverá ser liberado logo após a visita de inspeção que está sendo programada pelo Ministério.

A obra inclui a reconstrução do calçadão, recuperação dos trechos danificados das redes públicas de iluminação, esgotos e abastecimento d’água, além de replantio de árvores. A necessidade dos referidos serviços foi distribuída em dois documentos solicitados pelo Ministério da Integração. O primeiro deles, denominado de Nopred (Notificação Preliminar de Desastre), aponta as áreas afetadas, causas do desastre e estimativa de danos materiais, ambientais e humanos. O segundo documento, o Avadan (Avaliação de Danos), apresenta a destruição completa das áreas afetadas.

Calçadão de Ponta Negra: Governo libera primeira parcela de recursos para obras de recuperação

A Prefeita Micarla de Sousa conseguiu, nesta quinta-feira (23), em Brasilia, liberar a primeira parcela de recursos, no valor de RS 1 milhão, destinados pelo Ministério da Integração Nacional para a reconstrução do calçadão de Ponta Negra. O Governo Federal entendeu que o avanço do mar provocou o desastre na orla de Natal, causando a destruição do calçadão existente na praia.

O Ministério da Integração Nacional autorizou o empenho e o repasse de recursos, no valor de hum milhão de reais, para as obras de recuperação do calçadão da praia de Ponta Negra. Portaria nesse sentido foi publicada na manhã desta sexta-feira, 24, no Diário Oficial da União. A Prefeitura do Natal terá prazo de 365 dias para executar as obras e serviços essenciais.

A liberação dos recursos atende a solicitação feita pela prefeita Micarla de Sousa ao ministro Fernando Bezerra a quem entregou pessoalmente no último dia 27/07, em Brasília, os documentos produzidos pela Defesa Civil da Prefeitura do Natal. Segundo a prefeita, a necessidade de recuperação do calçadão daquela praia foi enquadrada pelo Ministério da Integração como “obra de restabelecimento” de equipamento publico.

De acordo com os documentos oficiais serão necessários recursos da ordem de R$ 4.050.800,00 para recuperar toda a área afetada do calçadão numa extensão estimada em 2,3 quilômetros. A primeira parcela liberada de R$ 1 milhão será para execução dos serviços mais urgentes. O restante do montante deverá ser liberado logo após a visita de inspeção que está sendo programada pelo ministério.

A obra inclui a reconstrução do calçadão, recuperação dos trechos danificados das redes públicas de iluminação, esgotos e abastecimento d’água, além de replantio de árvores. A necessidade dos referidos serviços foi distribuída em dois documentos solicitados pelo Ministério da Integração. O primeiro deles, denominada de NOPRED (Notificação Preliminar de Desastre), aponta as áreas afetadas, causas do desastre e estimativa de danos materiais, ambientais e humanos. O segundo documento, o AVADAN (Avaliação de Danos), apresenta a destruição completa das áreas afetadas.

Os referidos documentos foram produzidos pela Secretaria Municipal de Defesa Civil (Semdes) com base em levantamento de informações colhidas pelo próprio órgão e também apresentados pelas secretarias de Planejamento (Sempla), Turismo e Desenvolvimento Econômico (Seturde), Serviços Urbanos (Semsur), Obras e Infraestrutura (Semopi), Urbana e Comunicação (Secom), além da Caern.

MP garante acessibilidade no Calçadão de Ponta Negra

O Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte, por intermédio de sua 42ª Promotora de Justiça da Comarca de Natal, Naide Maria Pinheiro, obteve o deferimento de antecipação dos efeitos da tutela em Ação Civil Pública nº 0801486-35.2012.8.20.0001 para garantir que, nas reformas de reestruturação do Calçadão de Ponta Negra, o Município de Natal seja compelido a implementar as devidas adequações de acessibilidade no local, nos termos da NBR 9050:2004.

No caso, o Juízo da 3ª Vara da Fazenda Pública entendeu ser “urgente essa determinação, para que se faça a acessibilidade concomitantemente com eventual reestruturação da orla, justamente para que os gastos públicos sejam racionalizados, e, em um só momento, atenda-se ao interesse público com a reestruturação da via de acesso, e aos pedestres, com a permissibilidade de acesso, também a pessoas portadoras de deficiência, que, tal qual os demais transeuntes, têm direito ao usufruto do bem público e somente o farão, se houver mecanismos de acesso”.

A partir dessa determinação judicial, o Município de Natal deverá inserir, já nas obras de reestruturação do Calçadão, as reformas necessárias à plena acessibilidade no local, de modo a tornar efetiva a liberdade de ir e vir das pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida.

Calçadão de Ponta Negra: Prefeitura inicia retirada de cinco quiosques

A Prefeitura do Natal iniciou na manhã desta sexta-feira, 20, a retirada de cinco quiosques localizados no trecho mais afetado pela ação das marés altas na Praia de Ponta Negra. Os quiosques de números 14 a 18 serão instalados em áreas de livre acesso aos banhistas e sem riscos de desabamentos. A previsão é de que esse trabalho seja concluído até o próximo dia 27.

Esta é a segunda vez que as referidas unidades são retiradas pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), lembrou o chefe do Setor de Engenharia, Rubens Ciro Costa. A primeira relocação para uma área considerada mais segura foi feita durante o início das erosões e a segunda está acontecendo agora em função da interdição da praia feita pela Secretaria de Defesa Civil (Semdes). “A medida visa oferecer segurança e evitar maiores prejuízos aos quiosqueiros”, explica Rubens Costa.

Em paralelo a relocação dos quiosques, a Semsur prossegue com os serviços de colocação de barreiras de areia para proteger o calçadão. A ação está sendo intensificada visando à maré alta prevista para o próximo dia 2 de agosto que poderá aumentar os estragos existentes bem como originar outros danos ao calçadão. “O que se sabe é que existem estudos que podem prever até aonde a maré pode chegar, mas não temos certeza alguma da força com que essa maré vai se manifestar,” salientou Rubens Costa.

Segundo ele, a grande dificuldade do desmonte dos quiosques é a impossibilidade de acesso do caminhão mulk bem como a falta de energia elétrica que foi cortada em alguns pontos. Dessa forma, o processo vem sendo feito de forma braçal por um contingente de 30 pessoas. “Se tudo ocorrer normalmente, por conta da evolução da maré ou de chuvas, esse trabalho de desmonte e reinstalação deverá ser concluído até o fim da semana que vem”, frisou Rubens Costa.

Reconstrução do Calçadão
Também foi iniciado o enchimento dos sacos de areia que serão colocados ao longo de todo o trecho afetado para que a Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi) possa trabalhar na reconstrução do calçadão. Com a ajuda de uma retro-escavadeira, está sendo feito uma vala para entrada da primeira linha dos sacos que ficarão com 50 centímetros enterrados formando uma barreira.

A operação conta inicialmente com 20 big-bags do Nordeste adquiridos pela Prefeitura do Natal. Cada unidade tem capacidade para mil quilos de areia e serão colocados no trecho a partir do Manary Praia Hotel. Também farão parte da barreira outros 400 sacos, cada um suportando até uma tonelada e meia de areia, que foram custeados por alguns hoteleiros do local.

Destruição do calçadão de Ponta Negra danifica rede da Caern e prejudica abastecimento

Em plena alta estação, o cenário em um dos principais cartões postais de Natal é de catástrofe. A destruição do calçadão de Ponta Negra, causada pela erosão marinha e pela força das águas pluviais, tem provocado transtornos para moradores, comerciantes e turistas, gerando um prejuízo incalculável para a capital potiguar. O desmoronamento ocorrido na última semana danificou a rede de abastecimento e esgotamento sanitário da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) e obrigou a empresa atender os quiosques com soluções provisórias. Para resolver o problema, a Caern deve construir uma nova rede de água fora da área afetada, para isto aguarda definição de como o problema será sanado. Outra medida foi a instalação provisória de uma tubulação aérea (suspensa) de esgotos.

A presidência da Caern está preocupada com o problema e vem acatando a uma decisão da governadora Rosalba Ciarlini de buscar alternativas para este tema. Equipes da Caern realizam rondas permanentes para identificar algum vazamento de água ou esgoto na praia. “Estamos trabalhando 24 horas por dia para evitar novas ocorrências e para recuperar o mais rápido possível a tubulação danificada”, informa o chefe da Unidade de Manutenção da Rede de Água da Regional Natal Sul da Caern, engenheiro Wagner Oliveira. Segundo ele, diversas ocorrências de vazamento de água foram registradas com o desmoronamento do calçadão, desde a quinta-feira da semana passada.

Além de comprometer a tubulação de água, o desmoronamento também provocou danos na rede de esgotos da Caern. Segundo o chefe da Unidade de Manutenção de Esgotos da Regional Natal Sul, engenheiro Raulynson Araújo, um poço de visita da Companhia ruiu junto com o calçadão e grande parte da tubulação ficou exposta. “Instalamos uma tubulação aérea para evitar novos deslizamentos e estamos monitorando a todo instante a área”, garante o técnico da empresa de saneamento. O engenheiro está empenhado, juntamente a sua equipe, em minimizar os problemas. A empresa busca manter os serviços, atendendo da melhor maneira, para que os moradores de Natal e visitantes, observando que o local concentra um grande número de hotéis, não tenham o serviço interrompido.

Prejuízos

De acordo com um dos donos de quiosque da orla, Cesimar Fernandes, “o movimento caiu 80% e ainda não sabemos para onde seremos relocados nem quando iremos voltar. Em 40 anos que trabalho na orla de Ponta Negra nunca tinha visto uma situação como esta”, lamenta. O problema tem trazido prejuízos para os turistas, para comerciantes e para a prefeitura. A Caern também tem tido gastos com as obras de reparo e o valor empregado será ainda maior quando for feita a obra definitiva.

Calçadão de Ponta Negra será interditado

O calçadão de Ponta Negra, que está com vários trechos, destruído por conta da força das  mares altas deste ano, será interditado a partir deste sábado (14), para o acesso de pedestres. A informação dada na tarde desta quinta-feira (12), pelo secretário municipal de Serviços Urbanos (Semsur), Luís Antônio de Albuquerque, que fez uma vistoria técnica com representantes de diversos outros órgãos do executivo municipal, responsáveis por viabilizar uma solução para  destruição do calçadão do de Ponta Negra, principal cartão postal da capital potiguar. A extensão dos danos causados no local chegam a cerca de 300 metros.

“Vamos interditar o calçadão, até para evitar acidentes com alguma pessoa e por tempo indeterminado”, disse o titular da Semsur. Ele informou também que está estudando a relocação dos quiosques que estão dentro da área destruída a ser interditada. Outros quiosques já foram relocados, assim como também postes de iluminação. “Nestes pontos estamos reforçando a iluminação com a colocação de luminárias”, disse Luis Antônio.

Uma equipe da Defesa Civil Municipal também acompanhou a visita de vistoria. “Desde março, quando as primeiras marés atingiram o calçadão, ocorrendo as primeiras destruições, começamos a fazer o obstrução da área com telas de proteção. A previsão é de que dentro de seis dias e também no mês de agosto, ocorram novas marés fortes, podendo provocar ainda mais danos ao calçadão”, disse o coordenador da Defesa Civil de Natal, Irimar Matos.

 

Os primeiros trechos do calçadão destruídos pelas força da maré, num total de 180 metros, já está sendo recuperado pela Prefeitura do Natal, num trabalho executado pela  Vecom, num trecho de 180 metros. Nesta obra estão sendo investidos R$ 480 mil. Para recuperar toda a área destruída do calçadão, Luis Antônio informou que seriam necessários recursos de aproximadamente R$ 1,8 milhão.