Geral

FOTO: Defesa Civil Municipal monitora trecho do calçadão de Ponta Negra atingido por erosão

Foto: Semdes

Agentes da Defesa Civil Municipal realizaram nesse domingo (13), uma nova avaliação do trecho do calçadão da orla de Ponta Negra que foi atingido por ressaca do mar. A vistoria avaliou visualmente as partes superior e inferior do local compreendendo a área pavimentada de passagem de pedestre e a parte de areia que fica no acesso à praia.

Nos dois casos foi possível perceber que não houve ampliação do desgaste. Nessa situação, foram reforçadas a estrutura indicativa de interdição do trecho para evitar trânsito de pessoas, sendo a área comprometida toda cercada com redes de isolamento, já que foi averiguada destruição parcial do calçadão e comprometimento de estrutura.

Os agentes mantiveram uma faixa estreita do calçadão para circulação de pedestres, como tinha sido avaliado no primeiro momento. O trecho fica junto à parte afetada pela ressaca, porém, na avaliação dos técnicos, a passagem não se encontra comprometida nem oferece perigo aos frequentadores da praia.

Um ponto importante solicitado pela Defesa Civil é que toda a área isolada seja respeitada pela população, já que o acesso ao local comprometido é inseguro, podendo gerar prejuízo à integridade física dos violadores. Outra medida importante é manter a sinalização de advertência intacta, evitando depredação ou vandalismo que venha retirar o isolamento.

Até ser concluída a obra de restauração do trecho avariado do calçadão, os agentes da Defesa Civil Municipal vão continuar com o monitoramento preventivo. Qualquer alteração identificada nas vistorias são imediatamente informadas à Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov).

Para solicitar a intervenção da Defesa Civil Municipal o cidadão pode ligar para o número 190, no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), onde há agentes para direcionar a ocorrência para as equipes de plantão. A Defesa Civil Municipal atua com foco em ações preventivas, de socorro e de assistência em casos de desastres naturais com intuito de evitar ou minimizar danos à população.

Opinião dos leitores

  1. Estão monitorando o que? Pq não consertam logo o calçadão? Estão esperando piorar a situação pra contratar o reparo por emergência sem licitação? Hum…

    1. Essa praia já era há muito tempo. Cjegou a un estado de degradação tal que ja não tem mais jeito. Agradeça ao prefeito pelo descaso.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Com previsão de mais chuvas fortes, equipes da Defesa Civil em Natal monitoram ocorrências e reforçam auxílio; saiba como solicitar “socorro”

Foto: Semdes

Equipes da Defesa Civil Municipal e da zeladoria do Município se mantêm em alerta desde as primeiras horas desta quinta-feira (13), devido às fortes chuvas que caem em Natal. A Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) já acionou reforço nas equipes de plantão, ampliando o número de agentes e veículos para atender às possíveis ocorrências que se apresentem no decorrer do dia. A medida coloca em serviço parte do pessoal que estava de folga e deixa os demais agentes sob aviso para eventual necessidade.

A secretária da Semdes, Sheila Freitas, informou que a previsão dos órgãos meteorológicos é de muita chuva durante todo o dia de hoje. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) alertou para a possibilidade de chuvas entre 50 e 100 mililitros para Natal e outros municípios do Estado. “Estamos com as equipes da Defesa Civil mobilizadas atendendo os chamados e desde ontem já estávamos atuando com foco nessas chuvas, quando realizamos vistorias nas lagoas de captação de águas, o que vem a amenizar possíveis problemas com essa quantidade de chuva”, comentou.

Até o momento, a Defesa Civil de Natal registrou ocorrências que ameaçam residências com invasão de água no bairro de Nossa Senhora da Apresentação. A Rua Coronel Ezequiel, no mesmo bairro, chegou a inundar no meio da madrugada. Ainda foi registrada uma queda de árvore no bairro de Candelária e uma cratera foi aberta no bairro Neópolis.

A Defesa Civil pede à população para evitar áreas de inundação e não trafegar em ruas sujeitas a alagamentos, além de não se abrigar debaixo de árvores ou estacionar veículos, pois elas podem cair e ocasionar graves acidentes. As equipes ainda estão monitorando com atenção especial as áreas de encostas e morros que são locais de risco nesses momentos de muita chuva. Os técnicos da Defesa Civil estão monitorando todo sistema de chuvas da capital por meio das informações divulgadas pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden).

Drenagem

As equipes da Urbana já estão desde cedo nas ruas fazendo o serviço de desobstrução das galerias pluviais, com o intuito de evitar alagamentos nas ruas da cidade. O trabalho de limpeza das galerias é constante, mas devido ao lixo jogado nas vias, com as chuvas os detritos são carreados para as galerias, causando o entupimento. A Urbana também alerta a população para evitar colocar lixo nas calçadas sem ser no horário da coleta domiciliar.

A Semov informa que, devido a quantidade de chuvas caídas nas últimas horas, algumas lagoas sofreram com alagamentos e o consequente transbordo para as vias próximas. O uso de bombas ou não em determinados espaços não garante totalmente que as lagoas transbordem. Elas evitam até determinado ponto, mas podem ocorrer mesmo com os aparelhos, em caso de forte chuva.

Sobre a manutenção de bombas e Infraestrutura das lagoas, a Secretaria de Obras Públicas informa que faz o serviço semanalmente, mas que problemas por furtos de cabos entre outros componentes das bombas, assim como a quebra de determinada peça, pode ocorrer. Quando ocorre, o setor de Conservação da Semov providência os ajustes nos locais.

A limpeza dos espaços também é feita semanalmente, em uma parceria entre Semov e Urbana. Infelizmente, mesmo com todo esse serviço, ainda encontramos restos de construções e lixo doméstico dentro da área das lagoas. Bem como, ligações clandestinas de esgoto de casas para dentro das lagoas de captação. A Semov fará, dentro das próximas horas, a manutenção dos espaços atingidos por problemas.

Socorro

Para solicitar a intervenção da Defesa Civil de Natal, o cidadão pode ligar para o número 190, no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), onde há agentes para direcionar a ocorrência para as equipes de plantão. A Defesa Civil atua com foco em ações preventivas, de socorro e de assistência em casos de desastres naturais com intuito de evitar ou minimizar danos à população.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Defesa Civil interdita e monitora trecho do calçadão da Praia do Meio afetado por ressaca

Foto: Semdes

Agentes da Defesa Civil Municipal estão monitorando a área do calçadão da Praia do Meio que foi atingida por uma ressaca do mar durante o fim de semana. A primeira medida tomada pela Defesa Civil foi isolar completamente o local afetado no sentido de evitar que pedestres circulem no trecho que ficou comprometido, cedendo parte da calçada de alvenaria.

De acordo com laudo de interdição de área emitido pela Defesa Civil de Natal, o local afetado fica situado no trecho entre os quiosques de números dois e três do calçadão. No isolamento foram utilizadas fitas de demarcação, redes de impedimento de acesso às pessoas, além de adesivos taxativos com mensagem de interdição e perigo na área.

Procedimentos

Os técnicos da Defesa Civil responsáveis pela vistoria do local identificaram destruição parcial do calçadão e comprometimento de estrutura. O laudo com todas as informações referentes ao fato já foi encaminhado a Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov) para tratar dos procedimentos de conserto do trecho. Enquanto a obra de restauração não inicia, a Defesa Civil vai continuar monitorando o setor no intuito de manter a sinalização de interdição sempre visível, acompanhar a possibilidade de evolução do sinistro, como também evitar o acesso das pessoas ao local.

Para solicitar a intervenção da Defesa Civil Municipal o cidadão pode ligar para o número 190, no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), onde há agentes para direcionar a ocorrência para as equipes de plantão. A Defesa Civil Municipal atua com foco em ações preventivas, de socorro e de assistência em casos de desastres naturais com intuito de evitar ou minimizar danos à população.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Defesa Civil interdita cinco imóveis afetados por explosão nesta sexta em Natal

A Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) identificou comprometimento na segurança de cinco imóveis após explosão na manhã desta sexta-feira(09), no bairro das Rocas, em Natal, que deixou pelo menos 6 pessoas feridas. De acordo com o órgão, foi necessária a interdição das edificações e a retirada dos moradores da área.

Segundo a Semdes, outras 14 residências também foram afetadas pela explosão, porém de maneira leve, sem comprometimento da segurança da edificação nem dos habitantes. Nesses casos, apenas pequenas avarias foram percebidas pelos agentes, como telhas quebradas e forros de gesso e PVC danificados.

A ação mobilizou todas as equipes de plantão da Defesa Civil, que isolaram todo o perímetro afetado pela explosão a fim de manter as pessoas distantes da área comprometida. A rua também foi interditada para que as equipes pudessem realizar vistoriar todos os imóveis próximos à edificação de ocorrência do incidente.

Uma perícia realizada pelo Instituto Técnico Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (ITEP/RN) deve identificar com exatidão a causa da explosão, porém há indícios de que o incidente tenha ocorrido motivado por um vazamento em um botijão de gás.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

‘DILÚVIO’: Prefeitura aciona Defesa Civil após chuva alagar ruas e casas em Baía Formosa

Foto: Cedida

O portal G1-RN noticia que uma chuva torrencial que caiu entre a madrugada e a manhã desta sexta-feira (26) alagou ruas e casas no centro do município de Baía Formosa, no Litoral Sul potiguar. A cidade também registrou queda de energia.

A prefeitura ainda faz levantamento de prejuízos na região, mas a secretária de Meio Ambiente e coordenadora da Defesa Civil municipal, Bernadete Leite, afirmou que pelo menos 50 casas foram alagadas em ruas de uma área conhecida como “Lavanderia”.

Detalhes aqui em reportagem completa.

Opinião dos leitores

  1. Falta de planejamento e ocupação desordenada.
    Foi aí que o prefeito ou prefeita derrubou uma obra?
    Ela ou ele deveria pegar uma enxada e fazer uma vala pra água descer rumo a praia.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Defesa Civil monitora quantitativo de chuvas em Parnamirim

FOTO: ASCOM

A Secretaria Municipal de Segurança, Defesa Social e Mobilidade Urbana (Sesdem), através da Defesa Civil Municipal, está realizando o monitoramento do quantitativo das chuvas na cidade Trampolim da Vitória. O serviço vem acontecendo desde o mês de maio, após uma parceria da Prefeitura de Parnamirim com a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), que doou três pluviômetros para o município.

Com os equipamentos em pleno funcionamento, a checagem é feita diariamente, independente das chuvas no território parnamirinense. “A coleta é diária, de domingo a domingo. Os agentes da Defesa Civil realizam o serviço e identificam os números específicos em milímetros, que chova ou não”, disse Emerson Saraiva, coordenador da Defesa Civil.

Após a coleta, os dados são repassados para a Emparn, responsável pela divulgação dos boletins. Além disso, o município também fica com o seu próprio banco de dados, que serve para o comparativo das chuvas por época na região.

Em Parnamirim, os pluviômetros foram instalados na BR-304, estrada para Macaíba, no limite com o Distrito de Taborda e na Estrada do Sol. Seguros, e em pontos estratégicos (extremidades da cidade), os reservatórios de inox ficam expostos a céu aberto e o processo para a coleta dos dados funciona manualmente. Emerson Saraiva falou sobre a importância dos equipamentos:

“Serve para termos os dados de quantitativo das chuvas e comparar os períodos chuvosos anualmente. Pode dar também uma noção quanto a possíveis transtornos que as chuvas possam causar, alerta com alagamentos e monitoramento das lagoas de captação”.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Defesa Civil confirma 53 mortos e 65 feridos após chuvas em MG

Foto: Reprodução/TV Globo

Desde a última sexta-feira (24), Desde a última sexta-feira (24), 53 pessoas morreram por causa das chuvas em Minas Gerais. De acordo com o balanço divulgado pela Defesa Civil Estadual na manhã desta quarta-feira (29), 38.703 pessoas estão desalojadas e outras 8.157, desabrigadas, perderam suas casas no estado.

Até o momento, 65 pessoas ficaram feridas. O número de pessoas mortas aumentou em relação ao boletim divulgado na noite desta terça-feira, que indicava 52 óbitos. Duas pessoas, uma em Tabuleiro, na Zona da Mata e uma em Conselheiro Lafaiete seguem desaparecidas.

A última morte registrada pela Defesa Civil aconteceu em Nova Lima, na Região Metropolitana, de BH, na noite desta terça-feira. A cidade onde mais pessoas morreram é Belo Horizonte. Foram 13 óbitos na capital, conforme a Defesa Civil.

Cidades em situação de emergência

O governo federam já reconheceu situação de emergência em 101 cidades. A medida vale por 180 dias e possibilita ações mais céleres para a recuperação dos estragos e auxílio à população. Todos os órgãos estaduais estão autorizados a atuar nos trabalhos sob coordenação da Defesa Civil de MG.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Defesa Civil reforça efetivo para atender ocorrências em Natal

Foto: Divulgação

Devido às chuvas que caem em Natal, a Defesa Civil Municipal vem desde as primeiras horas desta quinta-feira (09/01) atuando no atendimento a ocorrências, monitorando áreas de risco e isolando locais afetados que oferecem algum tipo de risco à população. O efetivo de plantão 24h foi reforçado com agentes que estavam de folga e a Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) vem trabalhando em conjunto com os demais órgãos públicos na intenção de minimizar os problemas sofridos pela população.

As principais ocorrências registradas durante a noite dessa quarta-feira (08), foram relacionadas a pontos de alagamentos em ruas e avenidas. A Defesa Civil também registrou abertura de crateras em bairros como Nova Natal, Lagoa Azul e Pitimbu, e algumas residências sofreram com invasão da água das chuvas.

Além das equipes da Defesa Civil responsáveis pelo plantão regular, outras que estavam de folga foram convocadas para ampliar o efetivo no sentido de agir de modo preventivo com a possibilidade do aumento no número de ocorrências. “Como estamos sempre acompanhando os boletins meteorológicos dos órgãos oficiais, tomamos essa precaução até mesmo pelo volume de ocorrências já geradas chegando a 80 chamados”, explicou a diretora de Ações Preventiva da Defesa Civil de Natal, Luciana Medeiros.

Outros locais que oferecem risco à integridade física das pessoas estão sendo isolados pelos agentes de Defesa Civil e, dependendo da competência, estão sendo acionados os entes públicos responsáveis pela resolução dos problemas. As principais lagoas de captação de águas pluviais estão passando por monitoramento e até o momento nenhuma ocorrência de transbordamento foi registrada.

Os técnicos da Defesa Civil de Natal estão monitorando todo o sistema de chuvas da capital por meio das informações divulgadas pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden).

Para solicitar a intervenção da Defesa Civil Municipal, o cidadão dever ligar para o número 190, no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), onde há agentes para direcionar a ocorrência para as equipes de plantão. A Defesa Civil atua com foco em ações preventivas, de socorro e de assistência em casos de desastres naturais com intuito de evitar ou minimizar danos à população e preservar vidas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Com apoio da Marinha, Exército, Ibama, Defesa Civil e voluntários, ministro Ricardo Salles acompanha e participa de recolhimento de óleo em PE

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, encontra-se na região próxima de Recife, acompanhando os trabalhos de recolhimento do óleo venezuelano.

O recolhimento e monitoramento vem sendo realizado pelo  IBAMA, Marinha, Exército, Defesa Civil, municípios e o voluntários. “Parabéns a quem se dedica e age, enquanto outros apenas politizam e polemizam”, disse o ministro.

Óleo venezuelano

Um estudo realizado pelo Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia (UFBA) aponta que o petróleo que atinge o litoral do Nordeste veio da Venezuela. A informação foi divulgada pela diretora da entidade, a pesquisadora Olivia Oliveira.

“Nossos estudos agroquímicos evidenciam que o óleo é proveniente de uma bacia da Venezuela. Foram diversas análises geoquímicas, a partir da coleta dessas amostras. Esse trabalho realmente revelou que se trata de um petróleo produzido na Venezuela”, afirmou Olivia.

De acordo com a diretora do Instituto da UFBA, o resultado que comprova a nacionalidade do resíduo foi encontrado após diversos testes comparativos com sete amostras coletadas em Sergipe e duas na Bahia.

“Nós temos diversos dados da literatura onde mostram perfis cromatográficos, resultados que nós produzimos no laboratório. Além disso, nós temos um banco de óleo de diversas partes do mundo, que também fazemos essa comparação. Através de análises como essas, chegamos ao resultado”, disse.

Segundo a pesquisadora, os dados apontam também que a substância se assemelha com petróleo cru. Ainda não há informações, no entanto, de quanto tempo o resíduo está no mar, nem se é proveniente de um navio ou não.

“Se parece muito com petróleo cru. Mas não deixamos a possibilidade de ser bunker, combustível de navio. Seria um óleo mais pesado. Um óleo mais de resíduo. Mas ainda não temos a real certeza. O óleo apresentava uma certa degradação. Pode ser um óleo cru, como poderia ser bunker, onde a parte crua, onde a parte do diesel que é utilizada com esse bunker foi evaporada”, completou a diretora.

Conforme a pesquisadora, todas as análises desenvolvidas na UFBA serão encaminhadas para Instituto do Meio-Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

Com acréscimo de informações do G1

Opinião dos leitores

  1. Botem também os presidiários pra trabalhar neste mutirão de limpeza, afinal, presos só estão comendo, dormindo e tramando novos crimes de dentro da cadeia… .botem pra trabalhar

  2. É LULADRAO na cadeia
    É dilmanta sendo processada
    É dólar na cueca
    É quebradeira nos fundos de pensões
    É rombo de um trilha no BNDES
    É Palocci detonando toda a quadrilha
    Mininu isso é que é ter ladrão, e muito mais apoiadores de ladrão, ou seja…..

  3. Lama no rio;
    Fogo na mata;
    Chumbo no pobre;
    Óleo na praia
    E nenhuma ação efetiva do Bozo… Só passeios e mamata para os filhos

  4. Não aparece nenhum FDP de ONG , ONU , aquela rapariga da MICHELE BACHELET para sair em defesa da orla brasileira????

    1. Oxi!! Depois de todas as ofensas!?meu caro, o seu miliciano de estimação tem que assumir suas responsabilidades de governante deste país, pq quem tentou resolver até agora foi o povo nordestino que ele despreza e as ONGs. Para ele no momento , o mais importante é presentear o filho com algo q ele goste e passar a mão nos 300 milhões do fundo partidário

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Em nota, Defesa Civil esclarece alerta para chuvas intensas em Natal e região nesta terça; entenda

Nota

A Defesa Civil Estadual esclarece que os avisos de atenção para chuvas intensas registradas nesta terça, e com previsão de continuidade no decorrer do dia, fazem parte de um procedimento padrão e têm o objetivo de alertar as coordenadorias municipais de Defesa Civil (Comdec) para que fiquem atentas a possíveis alagamentos ou inundações. Os alertas via SMS são enviados pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

Em caso de chuvas muito intensas, de acordo com o procedimento padrão, as Comdecs ativam seus planos de contingências, que são um conjunto de ações de resposta mobilizando recursos humanos e logísticos em caso de desastres envolvendo deslizamentos, alagamentos, enchentes, enxurradas, vendavais e tempestades.

Assessoria de Comunicação do Gabinete Civil do Governo do RN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Inspeção aérea da Defesa Civil permite nova avaliação dos açudes no RN

FOTO: ASSECOM/RN Sandro Menezes

A Defesa Civil Estadual realizou nessa terça-feira (30 de abril) uma inspeção aérea para ter uma nova perspectiva de avaliação que possibilite tomada de providências mais amplas para o monitoramento e contingenciamento dos reservatórios de água da região Central do estado. O açude São Miguel 1, na localidade, rompeu-se no último dia 21 de abril, após receber um volume de água de chuvas acima do esperado. O trabalho de hoje foi realizado com o auxílio da aeronave Fênix 03, cedida pelo Governo do Ceará.

Técnicos do Instituto de Águas do RN – IGARN, em parceria com as coordenadorias municipais de defesa civil das cidades de Ipanguaçu, Angicos e Fernando Pedroza observaram os pontos críticos, principalmente no que diz respeito à segurança dos municípios. Foi sobrevoada a região da Bacia do Rio Piranhas/Açu, cujos reservatórios – Sobradinho, Vavá 2 e São Miguel 2 – desaguam no açude Pataxó, o maior da localidade.

Além de capturar imagens aéreas para posterior análise da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Semarh, os técnicos envolvidos trabalharam na abertura de um canal no açude Vavá 2 no sentido do açude vizinho, Sobradinho, onde há uma válvula-dique que dá vazão à água e onde há capacidade suficiente para recebimento do volume transferido. A ação do sobrevoo confirma a integração entre os poderes estaduais – CE e RN – e municipais.

GOVERNO CRIOU COMITÊ

O Governo do Estado instituiu um comitê permanente de acompanhamento e monitoramento de barragens envolvendo o Gabinete Civil, Semarh, IGARN, Departamento de Estradas de Rodagem – DER e Defesa Civil Estadual.

O comitê permanente vai executar as ações emergenciais necessárias para a segurança das barragens em risco e fiscalizar as demais que somam seis mil reservatórios de pequeno e médio porte. A atuação vai ser pautada com base na Lei Federal 12.334/2010, que disciplina a segurança das barragens em todo o país.

Como prevê a legislação, o estado vai ampliar o trabalho de fiscalização e classificação de risco das barragens e notificar os proprietários para realizarem os serviços necessários em prazo determinado.

A legislação também permite que a administração pública promova a cassação de outorga concedida aos proprietários de barragens que não realizam a manutenção. Neste sentido a Procuradoria Geral do Estado irá integrar o comitê permanente.

AÇÃO RESTABELECEU PONTE EM CINCO DIAS

A cabeceira de uma ponte que havia sido destruída pelas chuvas na RN-041, rodovia que interliga a BR-304 ao município de Santana do Matos, foi restaurada pelo Governo do RN em apenas cinco dias. A governadora Fátima Bezerra destacou, em visita ao local, a atuação integrada dos órgãos e secretarias, sob a coordenação da Defesa Civil Estadual, em sintonia com o governo federal e prefeituras da região.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

CHUVAS: Defesa Civil monta esquema de emergência para atendimento de ocorrências em Natal

Devido às chuvas que caem em Natal, a Defesa Civil Municipal vem desde as primeiras horas desta quinta-feira (14), atuando no atendimento a ocorrências, monitorando áreas de risco e fiscalizando as lagoas de captação de águas pluviais da capital. O efetivo de plantão 24h foi reforçado com agentes que estavam de folga e a Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) vem trabalhando em conjunto com os demais órgãos públicos na intenção de minimizar os problemas sofridos pela população.

As principais ocorrências registradas durante a noite dessa quarta-feira (13), foram relacionadas a pontos de alagamentos em ruas e avenidas. A Defesa Civil também registrou a invasão de água em uma residência situada na Rua Luiz Couto, no bairro das Quintas. O problema diagnosticado pelos agentes era o retorno de água servida que vinha da tubulação da Caern, que foi acionada pelos agentes.

Outro ponto que necessitou da intervenção da Defesa Civil foi na Rua Santa Luzia, no bairro de Igapó. No local, abriu uma imensa cratera com vazamento de água por uma tubulação. A área foi isolada e contatado os órgãos competentes.

De acordo com a diretora de Ações Preventivas da Defesa Civil, Luciana Medeiros, outras ações já devem ser efetivadas agora pela manhã. Entre elas está a remoção de famílias que estão residindo em áreas de risco iminente de desastres. “Serão transferidas famílias que estão em casas vistoriadas pela Defesa Civil na Comunidade do Jacó e no bairro de Mãe Luiza. Para isso a Prefeitura acionou a Semdes, Semopi, Seharpe e Guarda Municipal que vão atuar juntas nessa missão”, informou.

Outros locais que oferecem risco a integridade física das pessoas estão sendo isolados pelos agentes de Defesa Civil e, dependendo da competência, estão sendo acionados os entes públicos responsáveis pela resolução dos problemas. As principais lagoas de captação de águas pluviais estão passando por monitoramento constante, sendo observado o funcionamento das bombas de sucção e o nível de água. Até o momento nenhuma ocorrência de transbordamento de lagoas foi registrada.

Para solicitar a intervenção da Defesa Civil Municipal o cidadão dever ligar para o número 190, no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), onde há agentes para direcionar a ocorrência para as equipes de plantão. A Defesa Civil atua com foco em ações preventivas, de socorro e de assistência em casos de desastres naturais com intuito de evitar ou minimizar danos à população e preservar vidas.

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Defesa Civil divulga relatório de vistoria preventiva em prédios localizados na Ribeira; alerta para estado de deterioração avançada em diversos, e encontradas anomalias em 24

A Defesa Civil Municipal divulgou nesta terça-feira (13) o relatório das vistorias preventivas realizadas em alguns prédios antigos situados no bairro da Ribeira, na zona Leste da capital. Os agentes de Defesa Civil catalogaram as edificações erguidas nas avenidas Duque de Caxias, Tavares de Lyra e Câmara Cascudo, além das ruas Nísia Floresta, Frei Miguelinho, Doutor Barata, Ferreira Chaves e Quinze de Novembro. Nos oito logradouros analisados foram relacionadas as falhas estruturais dos prédios alvos da investigação.

De acordo com as informações apontadas no relatório técnico, ficou constatado que muitos dos imóveis avaliados se encontram em estado de deterioração avançada. O principal problema apresentado pelos técnicos da Defesa Civil está relacionado ao estado crítico das marquises das edificações. Nessas situações, foram encontrados problemas que comprometem a estrutura de sustentação e a segurança como infiltrações, fissuras em caráter excessivo, desplacamento de concreto, exposição e corrosão das armaduras de ferro.

Todos os prédios foco da ação de vistoria preventiva foram fotografados, dando ênfase aos pontos onde os agentes de Defesa Civil conseguiram identificar as anomalias, que na sua totalidade estão relacionadas a ausência de manutenção e conservação das edificações. A possibilidade de falhas de projeto ou execução foram excluídas pelos técnicos. “Por se tratarem de construções datadas dos séculos XIX e XX essas hipóteses de causa foram descartadas, pois, na maioria dos casos essa falhas aparecem logo nos primeiros anos”, assegura o documento.

No total, foram encontradas anomalias em 24 prédios, que se encontram especificadas no relatório, como também a localização exata das unidades, com endereço e imagem dos itens estruturais comprometidos. A Defesa Civil conclui os termo gerais do relatório alertando que a durabilidade e a vida útil das estruturas estão comprometidas e recomenda “a imediata recuperação das marquises… uma vez que estas põem em risco a integridade daqueles munícipes que transitem em suas proximidades”.

A Defesa Civil de Natal por meio do Departamento de Ações Preventivas da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) atendeu a uma solicitação da Câmara Municipal, proveniente do gabinete do vereador Sérgio Pinheiro.

Opinião dos leitores

  1. Os bombeiros deveriam fazer uma vistoria nos seus quartéis e nas suas viaturas, bem com nos prédios do governo. Façam e exijam tudo que vcs pedem aqui no meu prédio onde todo ano aparece uma coisa nova. Nesses dias vão pedir um heliponto em cada prédio.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Defesa Civil em Natal inicia ciclo de vistorias preventivas nas lagoas de captação de águas de chuva

A Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) iniciou um novo ciclo de vistorias preventivas nas lagoas de captação de águas pluviais da capital. A medida é realizada pelos agentes da Defesa Civil Municipal que começaram a vistoriar e emitir os laudos das lagoas localizadas na zona Norte da capital. No total, serão averiguadas 56 lagoas distribuídas por toda a cidade.

Até o momento, o processo de vistorias preventivas alcançou 10 lagoas de captação de águas da chuva. Nesta semana, as unidades inspecionadas foram as lagoas de Santarém, José Sarney, Dom Pedro, Vila Verde I, Gramorezinho, Jardim Primavera, Aliança, Parque dos Coqueiros, Panatis e Redinha II, todas na zona Norte. Outras 46 unidades devem ser analisadas nos próximos dias.

A determinação da Defesa Civil é que os agentes analisem toda a estrutura física das lagoas, como também o nível de água, estado das bombas de sucção, necessidade de limpeza e outros pontos importantes para o pleno funcionamento do equipamento em períodos de chuvas.

O titular da Semdes, Paulo Victor Barra, explicou que após a conclusão das vistorias técnicas o Departamento de Defesa Civil irá produzir um relatório atualizado, especificando as situações que podem comprometer o funcionamento regular dos equipamentos. O documento de caráter preventivo será enviado as secretarias municipais que possuem gerência sobre os itens inspecionados, para que as mesmas tomem as providências necessárias para a resolução de cada situação apontada no relatório. “Essa é uma ação importante, pois age preventivamente no intuito de identificar e solicitar as providências para que durante os períodos chuvosos essas lagoas cumpram sua missão e possam evitar transtornos para as famílias residentes nessas proximidades”, disse.

A chefe de Defesa Civil e Vistoria Preventiva da Semdes, Vanessa Duarte, informou que dentro de 10 dias o processo de inspeção das 56 lagoas de captação da cidade deverá ser concluído. “Esperamos que nesse prazo os agentes concluam a coleta de dados das vistorias e em seguida possamos finalizar o relatório, pois iniciamos esse novo ciclo tendo em vista que o último relatórios foi de março deste ano e vimos a necessidade de atualizar essas informações”, comentou.

Na averiguação são avaliados os graus de riscos de cada unidade, como também o funcionamento das bombas de sucção, nível de água acumulado, acúmulo de lixo urbano e outros fatores que podem dificultar o escoamento da água causando o transbordamento e a inundação de ruas próximas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Defesa Civil nega risco de colapso de prédios vizinhos ao que desabou

A Defesa Civil do município de São Paulo considera que os prédios vizinhos ao edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou na última terça-feira (1º), não têm risco iminente de ruir. Cinco imóveis estão interditados pela prefeitura sem prazo para serem liberados. Nenhum deles, no entanto, foi condenado pelo órgão.

“Não há risco iminente de queda, até porque os bombeiros não estariam trabalhando da forma como estão trabalhando. Dia a dia estão sendo colhidas imagens, as trincas, no sentido de manter essa atenção e acompanhamento de eventual evolução das deformidades”, destacou o coordenador municipal em exercício da Defesa Civil da cidade de São Paulo, Edson Ramos de Quadros.

Dois dos cinco prédios que estão interditados têm danos mais importantes, segundo a Defesa Civil. A calçada de um deles foi interditada para prevenir eventuais quedas de placas de concreto. “Vamos acompanhar a movimentação desses elementos estruturais, mas não estamos considerando o risco de colapso”.

Mesmo o prédio da igreja, que foi parcialmente destruído pelo desabamento do prédio vizinho, não foi considerado em risco pela Defesa Civil. “A igreja, o que tinha para cair, já caiu. Foi a mais atingida, mas não deverá ter nenhuma alteração”, disse o coordenador.

Segundo o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, equipamentos instalados pelo Corpo de Bombeiros em um dos edifícios vizinhos, que também foi atingido pelas chamas, indicaram que houve uma leve movimentação da construção. No entanto, a alteração não indica que o prédio possa desabar.

“O Corpo de Bombeiros detectou com uso de tecnologia uma movimentação ainda muito sensível e vai se reunir com órgãos municipais para ver quais serão as providências que serão adotadas. Ela [movimentação] vem sendo detectada desde a instalação do aparelho. Essa monitoração demonstra que há sim um movimento, mas não é um movimento que sugira que o prédio vá ruir”, disse.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (TCP), da Fundação José Augusto, é interditado pela Defesa Civil

O Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (TCP), da Fundação José Augusto, foi interditado hoje ao meio-dia, por uma equipe da Comissão Estadual de Defesa Civil (Cedec). As instalações elétricas do teatro estão danificadas e sem manutenção, expondo seus funcionários e frequentadores a diversos riscos.

Informações dão conta que a própria Defesa Civil havia já advertido – inclusive mais de uma vez – a direção da casa de espetáculos para a gravidade do problema.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *