Cosern identifica e desativa “gato” de energia em restaurante na praia de Pirangi do Norte

Fotos: Cosern/divulgação

Equipes técnicas da Cosern, com apoio da Polícia Militar, identificaram e desativaram uma ligação clandestina de energia elétrica (o popular “gato”) num restaurante na praia de Pirangi do Norte, em Parnamirim, no final da manhã desta sexta-feira (20).

O proprietário do estabelecimento foi conduzido pela PM para a 2ª DP de Parnamirim.

Com mais essa ação da “Operação Varredura”, sobe para 06 o número de pessoas presas pela polícia em todo estado praticando o crime de desvio de furto de energia elétrica em 2020.

“O “gato” de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal e a pena para o responsável pela fraude pode chegar a 08 (oito) anos de reclusão” alerta Gilmar Mikeias, Gerente de Recuperação da Receita da Cosern.

De janeiro até agora, a Cosern realizou 58.256 inspeções e identificou e desativou 6.682 ligações clandestinas em todo estado. O volume de energia recuperado com a ação ainda está sendo calculado pela distribuidora.

Além de crime, o “gato” representa risco de morte a quem faz e a quem está próximo. A ligação clandestina também provoca perturbações no fornecimento de energia da região e pode causar a queima de eletrodomésticos dos vizinhos.

A população pode denunciar as fraudes, de forma anônima e segura, no telefone 116 ou no site da Cosern (www.cosern.com.br).

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA COSERN

Estudo identifica vulnerabilidades comuns em diferentes coronavírus

Sars-CoV-2 (bolinhas azuis) emergindo da superfície de células cultivadas em laboratório. (Foto: NIAID)

De acordo com um novo estudo conduzido por uma equipe de pesquisa internacional, existem vulnerabilidades comuns entre os três coronavírus mais letais letais: Sars-CoV-2, causador da Covid-19; Sars-CoV-1, vírus por trás da Sars; e Mers-CoV, que provoca a Mers. Todos eles surgiram nas últimas duas décadas e causaram estragos pelo mundo.

Em 2020, Sars-CoV-2 desencadeou a pandemia que já resultou em mais de 37 milhões de casos confirmados e mais de 1 milhão de mortes ao redor do mundo. Apesar dos números estarem abaixando, o vírus ainda faz milhares de vítimas todos os dias.

As descobertas do estudo, publicadas na revista “Science”, identificam semelhanças entre os tipos de coronavírus e destacam vários processos celulares compartilhados e proteínas-alvo que devem ser consideradas para as intervenções terapêuticas na pandemia atual e em outras que virão.

Os resultados foram alcançados por uma colaboração entre aproximadamente 200 pesquisadores de mais de 14 instituições líderes em seis países. O estudo global também analisou os registros médicos de aproximadamente 740 mil pacientes infectados pelo Sars-CoV-2 para identificar tratamentos potenciais contra a Covid-19.

Pesquisas anteriores haviam identificado mais de 300 proteínas de células hospedeiras que podem interagir com as proteínas do novo coronavírus. Neste estudo, o Laboratório Basler, vinculado à Escola de Medicina Icahn da universidade Mount Sinais, nos Estados Unidos, examinou cada um deles quanto à capacidade de alterar o crescimento do vírus.

“Os esforços identificaram, pelo menos, 20 genes do hospedeiro que alteram significativamente a quantidade de vírus produzida pelas células infectadas”, disse, em nota, Christopher Basler, pesquisador e principal autor do estudo.

Galileu

Conselho de Educação Física identifica mais de 130 pessoas em exercício ilegal da profissão no RN

Fotos: divulgação/CREF16/RN

O departamento de orientação e fiscalização do Conselho Regional de Educação Física da 16ª Região, o CREF16/RN, identificou 138 pessoas exercendo ilegalmente a profissão de Educação Física no Rio Grande do Norte entre os meses de agosto e setembro deste ano. Os números são o resultado do trabalho de fiscalização realizado presencialmente e também na internet, meio em que o exercício ilegal vem crescendo e, por isso, recebe mais atenção dos fiscais do Conselho.

Somente na internet, em sites ou perfis de redes sociais, o CREF16/RN identificou 103 pessoas realizando o trabalho de Profissionais de Educação Física sem o registro para isso nos últimos dois meses. 17 dessas pessoas foram notificadas e cinco delas já tiveram seus casos encaminhados para o Ministério Público. Outras 35 pessoas foram identificadas em exercício ilegal nas fiscalizações presenciais.

“São normalmente aulas online e prescrições de exercícios, com sugestões de treinos, feitos por pessoas que não são Profissionais de Educação Física, o que caracteriza o exercício ilegal da profissão e também traz risco aos que seguem esse tipo de orientação”, explica Luiz Marcos Peixoto, diretor do departamento de orientação e fiscalização do Conselho de Educação Física.

“A situação do isolamento social aumentou o mercado para Profissionais de Educação Física nos meios digitais, mas também fez surgir muitos oportunistas que podem colocar a vida das pessoas em risco”, completa Luiz Marcos Peixoto.

Para combater o exercício ilegal, o Conselho Regional de Educação Física da 16ª Região tem trabalho a campanha “Treino Seguro”, orientando os Profissionais de Educação Física a exibirem seus números de registro no CREF em suas redes sociais e reforçando à sociedade que busque esse número antes de contratar esses serviços. O Conselho recebe denúncias sobre exercício ilegal pelo e-mail [email protected] ou pelo site www.cref16.org.br .

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luan disse:

    Um conselho que não ajuda em nada, já era para ter sido extinto, se fizerem uma pesquisa com os profissionais da área, acho 90% vai dizer que esse conselho não ajuda em nada só ver mesmo é a questão do dinheiro, não ajuda a reconhecer essa profissão tão importante para saúde. Infelizmente um profissão tão importante para saúde tem seu devido valor por cause de um conselho que não da a minima.
    #EducaçãoFísica

Ministério da Agricultura identifica fungos, ácaros e bactérias em sementes ‘misteriosas’

Foto: Divulgação/Secretaria Estadual de Agricultura

O Ministério da Agricultura divulgou nesta terça-feira que identificou fungos, ácaros e bactérias nas análises prévias que realizou nas sementes ‘misteriosas’ que têm chegado pelos Correios, mesmo sem um pedido prévio pelo destinatário. Segundo a pasta, o risco para a agricultura e para a saúde ainda é desconhecido e os estudos estão em andamento.

O ministério já identificou 258 pacotes das sementes de 24 estados e do Distrito Federal. Somente o Amazonas e o Maranhão ainda não relatam casos. Desses pacotes, 39 amostras estão em análise. Uma delas deu presença de ácaro vivo, três espécies de fungos diferentes apareceram em outras 25 amostras e o ministério identificou bactérias em outras duas amostras.

Além disso, 17 amostras foram sequenciadas geneticamente, sendo que quatro delas têm a possibilidade de ser de “plantas quarentenadas”, espécies não naturais do país que podem ser prejudiciais para o meio ambiente e a agricultura.

De acordo com secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, José Guilherme Leal, para saber qual o nível de alerta, é necessário primeiro finalizar as análises. A pasta pede para que quem receba essas sementes, avise o ministério para que a entrega do material seja feita de forma segura.

— Vamos precisar concluir os resultados das análises para que a gente tenha uma ideia mais concreta desse risco. A gente prefere ser rigoroso agora, pedir a colaboração da população e concluir os resultados das análises. É uma medida preventiva mais adequada e depois vamos verificar se medidas adicionais serão necessárias.

A investigação está sendo conduzida pelo próprio ministério e, segundo Leal, não há como saber se é uma ação intencional para prejudicar a agropecuária brasileira. A principal suspeita até agora é do brushing, uma técnica de fraude em comércio eletrônico.

— Não temos elementos para afirmar que é uma ação intencional para introduzir algum organismos patogênico, algum organismo que seja prejudicial a agricultura brasileira, mas o risco existe. Tanto é que os resultados preliminares nos apontam que a gente vai precisar aprofundar a investigação e chegar até a identificação das espécies.

Entrega do material

Entre as orientações do Ministério da Agricultura para quem receber essas sementes, a principal é que o pacote não seja aberto e que a pessoa não tenha contato físico com o material. Como é um elemento ainda desconhecido, pode ser que apresente algum perigo para a saúde humana.

— Como é um material sem controle que a gente não sabe como foi originado, ele pode ter sido tratado com algum produto químico ou podem ser uma semente que tem alguma toxicidade seja para o homem ou para os animais. As pessoas não devem manusear, não devem entrar em contato, disse o secretário de Defesa Agropecuária.

Além disso, a pasta também orienta que o destinatário avise ao ministério logo que receber as sementes, para que a entrega seja feita de modo seguro. No caso de ter recebido as sementes e as plantado, a orientação é que não transite com essa planta e avise o órgão agropecuário estadual ou ao ministério. O secretário de Defesa Agropecuária ressaltou, mais de uma vez, que não haverá qualquer tipo de penalização para quem receber essas sementes.

Para auxiliar na investigação da origem do material, o ministério tamém pede que para a embalagem original não seja descartada e sim entregue para a autoridade.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Essas sementes são para alguma contaminação, essa história de que servem para gerar confiança em site de vendas é mentira, poderiam enviar uma capa de celular ou até mesmo uma caixa vazia.
    Quem receber deve queimar estas sementes.

  2. Pixuleco disse:

    Se for da China, não presta.

Operação do Idema identifica área de Mata Atlântica degradada na Grande Natal e interior

As equipes de Fiscalização e do setor Florestal do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, participaram essa semana, nos dias 23 e 24, em parceria com o Ministério Público do RN, da Operação Mata Atlântica em Pé, em áreas desmatadas nos municípios de Extremoz e Pedro Velho.

Em Extremoz, foram identificadas áreas degradadas para empreendimentos imobiliários. Em Pedro Velho, a área desmatada é destinada ao plantio de cana-de-açúcar. Neste último, o responsável foi notificado a paralisar os serviços e comparecer ao Idema para regularizar sua situação junto ao Órgão Ambiental.

“Recebemos do MP os alertas para possíveis áreas desmatadas, contudo diante das constatações no local, será necessário retornar a região com droner para termos informações mais detalhadas para posterior autuação, uma vez que necessitamos desses dados para subsidiar o Auto de Infração, assim como o bioma existente no local, o qual será confirmado pelo Setor Florestal”, afirma a coordenadora do setor de Fiscalização do Idema, Kelly Dantas.

A iniciativa busca a proteção e a recuperação do bioma a partir da identificação das áreas degradadas nos últimos anos e dos responsáveis pelas agressões, para cobrar a reparação dos danos e outras medidas compensatórias. A Operação Mata Atlântica em Pé é coordenada pelo Ministério Público, e se configura em um trabalho em conjunto visando o combate ao desmatamento do bioma Mata Atlântica em todo território nacional.

O Setor de Geoprocessamento do Idema, pelo levantamento feito nas áreas, tomado com base nos alertas enviados e informações apuradas, fará uma análise detalhada para posterior adoção das medidas cabíveis, caso haja confirmação de desmatamento ilegal.

O bioma Mata Atlântica está presente em 17 estados brasileiros e cobre cerca de 13% do território nacional. No ano de 2019, o Estado do Rio Grande do Norte zerou o desmatamento da Mata Atlântica, segundo a Atlas da Mata Atlântica. Além dele, o Estado de Alagoas também conseguiu zerar os desmatamentos acima de 3 hectares. O Atlas mede desflorestamentos maiores que 3 hectares, portanto os números não atestam que o desmatamento acabou totalmente no estado, mas que ele pode estar ocorrendo em pequena escala.

Entenda a Operação Mata Atlântica em Pé

1ª fase:

Levantamento das áreas desmatadas:

Com apoio da Fundação SOS Mata Atlântica e do Mapbiomas Alerta, são identificados via satélite como áreas desmatadas nos 17 estados onde há presença do bioma Mata Atlântica.

2ª fase: Identificação dos proprietários e caracterização das áreas

O Ministério Público, em conjunto com os órgãos públicos ambientais e policiais ambientais, identificação dos proprietários, preenchidos históricos, de uso e conservação da área e cruzamento com bancos de dados

3ª fase: Fiscalização e autuação

Os órgãos públicos ambientais e polícias ambientais realizam a fiscalização das áreas desmatadas, em campo ou meio remoto, e adotam as medidas administrativas cabíveis

4ª fase: Responsabilização pelos danos ambientais

O Ministério Público, com base nas fiscalizações, adota providências extrajudiciais ou judiciais para um integral dos problemas e responsabilização dos infratores.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Morais disse:

    Em Carnaúba do Padre, o entorno da colina do Cristo foi desmatado, as nascentes do Timbozinho estão desprotegidas, a Lagoa está secando porque ocorreu desmatamento grotesco (a vegetação era basicamente de ipês). Viveiros de camarão foram construídos sem estudos técnicos em áreas perigosas, como é o caso de um localizado na Rua do Perdão próximo à escadaria do Cristo, metros acima das ruas do centro do povoado; viveiros de camarão contaminando e represando mananciais, matando espécies aquáticas e outros animais que bebem essa água. Até a antiga via de acesso ao povoado foi fechada com cerca de arame por conta da construção de viveiro de camarão. Até o uso indiscriminado de veneno nas plantações corre solto e a área é grande produtora de feijão. Cabe nessa Operação Mata Atlântica em Pé uma quinta fase: CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL, a população deve ser convidada a fazer parte de um plano de ação e passar a se protagonista no processo de preservação do ambiente que tanto necessita.

Hong Kong identifica possível surto em laboratório que estuda covid-19

Foto: Anthony Kwan/Pool via REUTERS

Um laboratório da Universidade de Hong Kong em que pesquisas sobre o coronavírus estão sendo realizadas pode ser a origem de um dos mais recentes surtos detectados na cidade semi-autônoma chinesa, informou a imprensa local nesta segunda-feira (21).

De acordo com a televisão pública RTHK, as autoridades confirmaram no sábado (19) um caso entre funcionários do laboratório, sendo que o coronavírus foi encontrado em 14 das 37 amostras ambientais coletadas nas instalações, localizadas na Escola de Saúde Pública.

Assim, mais de 40 colegas do trabalhador infectado foram colocados em quarentena, embora nenhum deles tenha testado positivo até agora.

As amostras do coronavírus analisadas em laboratório não eram contagiosas, e as autoridades sanitárias do município garantiram que não há evidências de que a infecção tenha ocorrido nas instalações.

Na verdade, o centro tem submetido todos os funcionários a exames semanais como medida de precaução.

Laboratório sob comando de renomado virologista

O jornal local South China Morning Post destacou hoje que o laboratório está sob o comando do renomado virologista Malik Peiris, um dos principais pesquisadores do vírus causador da pandemia do novo coronavírus em Hong Kong.

Suas realizações incluem ter sido o primeiro a confirmar a infecção em um cachorro em março e colaborar com o governo local em estudos sorológicos e de resposta imunológica.

Peiris não terá que ficar em quarentena porque não esteve na cidade recentemente e está atualmente no Sri Lanka, segundo fontes citadas por aquele jornal.

Situação na região

A situação em Hong Kong melhorou nas últimas semanas, após um verão turbulento devido a uma terceira onda de infecções, que começou no início de julho e quadruplicou o número de infectados após ter detectado apenas cerca de 1,2 mil até o final de junho.

No domingo, porém, a cidade registrou 23 infecções – quatro delas importadas de outros países -, o maior número em quase um mês, e contrasta com a situação do último dia 15, em que nenhum caso foi detectado pela primeira vez desde o início da terceira onda.

A ex-colônia britânica tem mais de 5 mil casos e 103 mortes por covid-19 até agora.

EFE

MAIS ESSA: Estudo identifica nova linhagem do vírus zika em circulação no Brasil

(Foto: Agência Brasil)

Pesquisadores do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs) da Fiocruz Bahia descobriram uma nova linhagem do vírus da zika circulando no Brasil. O achado foi publicado em junho no periódico International Journal of Infectious Diseases.

A introdução da nova cepa, do tipo africano, foi identificada graças a uma ferramenta de monitoramento genético desenvolvida por pesquisadores vinculados ao Cidacs. O método consiste em analisar sequências genéticas de microrganismos disponíveis em bancos de dados públicos, permitindo aos cientistas compararem os genes do vírus avaliado com os que já foram descobertos anteriormente.

“Pegamos esses dados e analisamos, selecionamos as sequências do Brasil e mostramos a frequência desses tipos virais ano a ano”, explicou Artur Queiroz, coautor do estudo, em declaração à imprensa. “O principal achado é que vemos uma variação de subtipos e linhagens durante os anos, sendo que em 2019 há o aparecimento, mesmo que pequeno, de uma linhagem que até então não era descrita circulando no país.”

De acordo com os cientistas, há duas linhagens do vírus zika: a asiática e a africana (sendo que essa é subdividida em oriental e ocidental). No novo estudo, os pesquisadores analisaram 248 microrganismos que foram encontrados no Brasil e notaram que, até 2018, o vírus da zika era majoritariamente (mais de 90%) cambojano. Essa proporção, entretanto, mudou em 2019, quando o subtipo da zika oriundo da micronésia passou a compreender 89,2% das sequências submetidas ao banco genético.

Ainda assim, o que surpreendeu os pesquisadores foi a identificação do tipo africano do vírus zika por aqui. “A linhagem da África foi isolada em duas regiões diferentes do Brasil: no Sul, vindo do Rio Grande do Sul, e no Sudeste, no Rio de Janeiro”, escreveram os autores do estudo.

Para os pesquisadores, a descoberta serve como alerta para a vigilância da doença. Segundo Larissa Catharina Costa, uma das autora da pesquisa, estudos genéticos devem continuar sendo realizados a fim de evitar um novo surto da doença com o novo genótipo circulante.

Galileu

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Papa Jerry Moon disse:

    É o Bolso-zika.

  2. Flávio A disse:

    Manda ele fazer estágio no congresso nacional.

Saúde em Natal identifica mais 208 casos de Covid-19 durante 3º dia de ‘drive-thru’ de testagem

Foto: Pedro Vitorino/Cedida

1.550 pessoas compareceram ao terceiro dia do drive de testagem rápida de Covid-19 no Arena das Dunas, promovido pela Prefeitura do Natal através Secretaria Municipal de Saúde (SMS-Natal). O número é expressivo, já que esta quinta-feira (18) registrou média de 2,34 testes realizados por minuto. A estrutura teve sete postos operando desde às 8h, e seguiu até às 19h, horário que o último veículo deixou o local. O exame vem sendo realizado com livre demanda a idosos a partir de 60 anos e pessoas com comorbidade comprovada que residem na capital, exclusivamente em veículos. Os pedestres virão a ser atendidos na terceira fase que será divulgada em breve pela pasta.

Entre os 1.550 resultados, 208 apresentaram algum indicativo positivo e 1.342 negativos. Até o terceiro dia da ação a SMS Natal contabilizou a passagem de 3.945 pacientes. O teste rápido tem função de indicar se o indivíduo já teve contato com o vírus ou se ainda está na fase de transmissão da doença, com infecção ativa. A população ainda recebe orientação no atendimento para verificar o laudo da testagem em casa, através de senha para retirar via internet, e buscar uma unidade de saúde da cidade em casos positivados.

“A gente orienta que a melhor forma para acessar o resultado é aguardar em casa, com segurança, e verificar a plataforma online no fim do dia. Nossa equipe também explica o que deve ser feito quando o resultado é positivo, onde não há motivo para pânico e deve-se buscar a unidade básica de saúde mais perto de casa. Na terça-feira, 23 de junho, iniciamos no Nélio Dias e ficamos até sexta-feira, 26, atendendo a Zona Norte”, informa Rayanne Araújo, Secretária Adjunta de Atenção à Saúde de Natal.

Nesta sexta-feira (19) acontece o último dia de drive no Arena das Dunas e Secretaria de Saúde de Natal (SMS Natal) divulga o balanço geral da primeira semana no sábado (20). Uma equipe da pasta também realiza hoje visita técnica ao Ginásio Nélio Dias, para finalização do projeto que recebe próxima semana o drive do local. Essa medida é a segunda fase e visa atender toda a população da Zona Norte com eficiência e rapidez na oferta do serviço para a região.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Servidor disse:

    Trabalho na fiscalização da semsur, estamos diariamente realizando nossos trabalhos nas feiras livres de Natal, onde vários casos de feirantes já foram registrados com covid 19, inclusive com 1 óbito. Sem falar que vários servidores entre efetivos, terceirizados e comissionados estão afastados da semsur por contamunação, já solicitamos que fosse feito exames em todos nós e até agora não fomos atendidos.

Estudo identifica 102 genes associados ao autismo em maior pesquisa do gênero

Foto: Pixabay

Em um novo estudo — considerado por especialistas o maior sobre sequenciamento genético do transtorno do espectro do autismo (TEA) — foram identificados 102 genes associados ao risco de desenvolver a condição. Com base nesta descoberta, cientistas acreditam que novos remédios para tratar o autismo serão desenvolvidos. Os resultados do trabalho foram publicados na prestigiosa revista “Cell”.

— Quanto mais entendemos as causas, mais entenderemos a biologia do autismo. Cada gene nos dá novos insights sobre essa biologia. Como os medicamentos funcionam em vias biológicas específicas, futuros tratamentos para o autismo se basearão nessa descoberta genética — explica Joseph D. Buxbaum, diretor do Centro de Pesquisa e Tratamento para Autismo Seaver, do sistema de saúde Monte Sinai, em Nova York.

Para este estudo, uma equipe de pesquisadores de mais de 50 instituições de diversas partes do mundo coletou e analisou mais de 35 mil amostras genéticas, incluindo quase 12 mil de pessoas diagnosticadas com TEA. Este foi o maior corte de sequenciamento de autismo realizado até hoje. Eles identificaram 102 mutações genéticas que afetam o desenvolvimento ou a função cerebral, e em que ambos os tipos de interrupções podem resultar no autismo. A dimensão da amostra deste estudo permitiu à equipe de pesquisa aumentar o número de genes associados ao TEA de 65 — identificados em 2015 — para 102 atualmente.

— Este é um estudo de referência, tanto pelo tamanho quanto pelo grande esforço internacional de colaboração. Com esses genes identificados, podemos começar a entender as mudanças cerebrais subjacentes ao TEA e a considerar novas abordagens de tratamento — disse Buxbaum, que também é professor de psiquiatria, neurociência e genética e ciências genômicas na Escola de Medicina Icahn do Monte Sinai.

Os pesquisadores também descobriram que as duas principais classes de células nervosas — os neurônios excitatórios (que possibilitam que um sinal elétrico seja transmitido pela célula) e os neurônios inibitórios (que impedem o sinal de seguir em frente) — podem ser afetadas no autismo.

— Através de nossas análises genéticas, descobrimos que não é apenas uma classe principal de células que são afetadas no autismo, mas sim que muitas interrupções no desenvolvimento do cérebro e na função neuronal podem levar ao transtorno. É extremamente importante que famílias de crianças com e sem o transtorno participem em estudos genéticos, porque as descobertas genéticas são o principal meio de entender os fundamentos do autismo em nível molecular, celular e sistêmico — disse Buxbaum.

O acadêmico frisa ainda que agora há ferramentas poderosas e específicas que ajudarão os cientistas a entender esses fundamentos, e que novos medicamentos serão desenvolvidos no futuro baseados em uma nova compreensão das bases moleculares do autismo.

O Globo

Ibama identifica 99 locais do Nordeste com mancha de óleo e diz que origem da substância é a mesma, mas ainda não esclarecida

Foto: Instituto Verdeluz/Divulgação

As manchas negras que têm aparecido em praias do Nordeste desde o início de setembro já atingiram 99 locais em 46 municípios de 8 estados, de acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama).

Uma investigação do órgão aponta que o óleo que está poluindo as praias têm a mesma origem, mas ainda não é possível afirmar de onde ele viria. Segundo a Petrobras, trata-se de óleo cru, que não é produzido no Brasil.

O G1 questionou o Ibama sobre quais seriam as 99 localidades e as 46 praias, e aguarda retorno.

O óleo já atingiu ao menos oito tartarugas e uma ave bobo-pequeno ou furabucho (Puffinus puffinus), conhecida pela longa migração. Segundo o Ibama, uma das tartarugas foi devolvida ao mar e outra foi encaminhada a um centro de reabilitação. Os outros sete animais morreram.

Nas redes sociais é possível ver moradores compartilhando vídeos e fotos dos bichos cobertos por óleo negro. A recomendação do Ibama é que, nestes casos, a população acione os órgãos ambientais competentes para que os animais sejam avaliados antes de devolvidos ao mar.

Até o momento, não há sinais de que peixes e crustáceos estejam contaminados, de acordo com o Ibama, mas o instituto recomenda que banhistas e pescadores não tenham contato com o óleo.

O Ibama pediu apoio à Petrobras para fazer a limpeza das praias e a empresa afirmou que vai disponibilizar 100 pessoas para o trabalho. O G1 perguntou ao Ibama quando a limpeza deverá começar, e aguarda retorno do órgão.

Veja o que foi visto em cada estado aqui em reportagem do G1.

(ÁUDIO): Polícia Civil do PA identifica 50 suspeitos de incêndio na floresta amazônica

Foco de queimada na Amazônia. Foto: Carl DE SOUZA / AFP

Fazendeiros, pecuaristas e contratados para atear fogo devem responder por crime ambiental. Já a Polícia Federal ainda apura Dia do Fogo, em que ação pode ter sido orquestrada.

No Senado, governo não conseguiu impedir que um pedido de criação de uma CPI fosse apresentado para investigar a devastação na Amazônia.

CBN – Globo Rádio

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ems disse:

    Sabe qual foi o período onde houve a maior quantidade de queimadas na Amazônia ? Uma dica: começou em 2003.

  2. Sérgio disse:

    Na verdade, quem está oindo fogo no Brasil por inteiro é Bolsonaro. O PT levou o dinheiro e ele vai acabar com os direitos. Quem puder, fuja!

  3. Allan Laranjeiras disse:

    E o cara da bicicleta que Bolsonaro falou? …hahahahaha é sem dúvidas a melhor fala dele sobre esse problema todo, dizer que tem um homem de bicicleta pondo fogo na floresta amazônica….hahahahahaha me acabo de rir, relaxa QQ momento mais tenso.

    • Maria disse:

      Desde o começo do governo que estudiosos alertavam para esse empoderamento dos agricultores, eles acreditavam que nåo seriam punidos, essa era a sensação. Nas palavras da campanha presidencial, quem foi atento, percebeu, previu que isso aconteceria, que alguém mandou tocar fogo, isso já é sabido, o presidente disse que seriam as Ongs, aí é diferente.

MAIS DE R$ 600 MIL ENTRE ABRIL E JUNHO: PF identifica movimentações suspeitas na conta de presos por invasão de celulares

O ministro da Justiça, Sergio Moro, teve o celular hackeado no começo de junho Foto: Márcio Alves / Agência O Globo

A Polícia Federal identificou movimentações suspeitas nas contas do ex – DJ Gustavo Henrique Elias Santos e de Suelen Priscila de Oliveira , presos na terça-feira durante a Operação Spoofing , que investiga a invasão de contas do aplicativo Telegram do ministro da Justiça, Sergio Moro , e outras autoridades. Segundo a PF, entre abril e junho deste ano, o ex-DJ movimentou R$ 424 mil e Suelen, R$ 203 mil.

A PF informou à Justiça Federal que há indícios de incompatibilidade entre a movimentação financeira de Gustavo e Suelen e as rendas declaradas por ambos. De acordo com dados cadastrais do DJ, sua renda mensal seria de R$ 2,8 mil. Suelen, por sua vez, teria uma renda de R$ 2,1 mil.

O advogado que faz a defesa de Gustavo e Suelen, Ariovaldo Moreira, afirmou nesta quarta-feira que eles não têm relação com os crimes e que os rendimentos de seu cliente se devem à operação com criptomoedas, mas são de origem lícita. Afirmou que os R$ 100 mil apreendidos pela PF em sua residência tinham origem em criptomoedas.

Além da prisão temporária do grupo e dos mandados de busca e apreensão, o juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília, determinou a quebra dos sigilos bancários e telemáticos, além do bloqueio de ativos financeiros acima de R$ 1 mil. O nome do quarto preso é Danilo Cristiano Marques .

Outros três presos já haviam sido identificados na terça-feira. Eles são: Gustavo Henrique Elias Santos, de 28 anos, que trabalhava como DJ e já foi condenado anteriormente por posse ilegal de arma; sua esposa, Suelem, e Walter Delgatti Neto. O grupo foi transferido ainda ontem para Brasília, onde vem sendo interrogado.

Inicialmente, a Justiça Federal do Distrito Federal havia anunciado que levantaria o sigilo do processo, mas o juiz informou que o segredo continuaria em vigor porque os autos contêm informações pessoais que não poderiam ser divulgados neste momento das investigações. Até agora, foi divulgada apenas a decisão do magistrado.

‘Vulnerabilidade’ das operadoras

Para Vallisney de Oliveira, há indícios de que o grupo integra uma “organização criminosa para a prática de crimes e se uniram para violar o sigilo telefônico de diversas autoridades públicas brasileiras via aplicativo Telegram”.

De acordo com o parecer do Ministério Público Federal, o grupo usou uma “vulnerabilidade” das operadoras de telefonia para invadir as contas de Telegram de Moro.

“Os criminosos utilizaram uma vulnerabilidade da rede de telecomunicações comum a todas as operadoras: as chamadas em que o número de origem é igual ao número de destino são direcionadas diretamente para a caixa postal, sem necessidade de inserção de senha para acesso ao conteúdo das mensagens gravadas “, diz um trecho do parecer.

Operação Spoofing

A Polícia Federal deflagrou ontem a Operação Spoofing, que resultou na prisão de quatro pessoas . Segundo a PF, o grupo foi responsável pela invasão de contas no aplicativo Telegram do ministro Sergio Moro, do desembargador do TRF-2 Abel Gomes e de mais três autoridades.

As investigações que resultaram na operação começaram após os ataques sofridos por Moro. Há pouco mais de dois meses, ele teria sido alvo de uma tentativa de invasão de suas contas no aplicativo Telegram.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    São todos inocentes e vítimas da sociedade! Um ex DJ que nem trabalha mas aplica em CRIPTOMOEDAS ?! KKK. Ainda criticam quem acredita que a terra é plana… Eu também acredito em papai noel viu!

  2. Davi disse:

    Nem um píu dos petralhas?

  3. Delano disse:

    Cadê a petralhada compradora de hackers? Todos pianinho. Kkkkkkk

  4. Bento disse:

    Criminosos tentando incriminar um Juiz Decente Herói Nacional, cambada de FDP.
    Apertem que tem mais coisas.