QUARENTENA NO MAR: Co-fundador do Google e outros milionários se isolam em iates de luxo para fugir do coronavírus, diz site

Enquanto alguns milionários se isolam em suas mansões em meio à pandemia de COVID-19, outros se escondem no mar. De acordo com o portal Page Six, milionários do mundo da moda, da tecnologia e de Hollywood têm se refugiado em seus iates de luxo para evitar a contaminação pelo coronavírus. O empresário Tommy Hilfiger, por exemplo, comprou o super iate Flag, que está estacionado em Canouan, St. Vincent.

Já Roman Abramovich, bilionário russo e dono do clube inglês de futebol Chelsea, tem passado a quarentena no Eclipse, um iate de cinco estrelas nas águas de St Barts. Os administradores do espólio de Paul Allen, co-fundador da Microsoft falecido em 2018, possuem uma embarcação de 126 m², ancorada no Golfo do México. Já o “pequeno” Dragon Fly do co-fundador do Google, Sergey Brin, está flutuando no Caribe.

Globo, via Monet

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Araujo disse:

    Esses ricaços imaginam ser donos de alguma coisa nesse mundo? Se fossem não corriam para o mar! É uma mostra que não conhecem a si mesmo!

  2. […] Já Roman Abramovich, bilionário russo e dono do clube inglês de futebol Chelsea, tem passado a quarentena no Eclipse, um iate de cinco estrelas nas águas de St Barts. Os administradores do espólio de Paul Allen, co-fundador da Microsoft falecido em 2018, possuem uma embarcação de 126 m², ancorada no Golfo do México. Já o “pequeno” Dragon Fly do co-fundador do Google, Sergey Brin, está flutuando no Caribe”, Bruno no Super Sale. […]

  3. Fernanda disse:

    Se a solidariedade deles não é estimulada e nem desperta de maneira espontânea, cabe aos governos dos países decretarem o confisco de uma boa porcentagem de suas riquezas para salvar milhões de vidas humanas da doença e da fome.
    Aprender com essa crise a sermos humanos que habitamos no mesmo planeta e que portanto somos todos irmãos é o nosso desafio, pois esquecemos disso há muito tempo.

  4. Narcisio disse:

    Um dia eles voltam ….

  5. pescador disse:

    Acho que vou pegar minha canoa e ficar lá na redinha!

  6. Bill disse:

    É sempre assim os ratos são os primeiros a abandonar o barco

Grupo polonês prepara investimento no RN, em Baía Formosa, e projeto pretende captar U$$ 100 milhões neste ano; megacomplexo turístico de alto luxo mira milionários internacionais

Foto: Divulgação/via Viagem e Turismo- grupo AbrilEmpresário polonês Grzegorz Hajdarowicz, do grupo Gremi. Foto: Divulgação

Um megacomplexo turístico de alto luxo para atrair milionários internacionais, onde um bangalô vai custar entre R$ 7,5 milhões e R$ 17,5 milhões, deve começar a ser construído no ano que vem ao longo de 6,5 km de praia no Rio Grande do Norte. O plano é do grupo polonês Gremi.

O projeto Eco Estrela, no município de Baía Formosa, a 100 km de Natal, quer ser comparável a destinos de prestígio e ambientalmente sustentáveis como Porto Cervo na Sardenha (Itália), Sotogrande (Espanha) e Mayakoba (México). Está prevista a construção de hotéis, instalações de resort e unidades residenciais de luxo.

O empresário polonês Grzegorz Hajdarowicz, do grupo Gremi, fará um “road show” por Nova York, Londres, Zurique, Luxemburgo, São Paulo e Lisboa, entre 18 de novembro e 15 de dezembro, para captar US$ 100 milhões (R$ 417 milhões) junto a investidores.

“Estamos prontos para começar a construção”, afirmou o empresário ao Valor. Greg, como é conhecido, fez fortuna investindo em companhias em dificuldade e recuperando-as. Tem negócios em setores como imobiliário, mídia, tecnologia e produção de filmes. Ele é proprietário do grupo de mídia Presspublica, que inclui o “Rzeczpospolita”, o principal jornal diário de economia da Polônia. Declara-se um apaixonado pelo Brasil e é cônsul honorário do país em Cracóvia.

O empresário conta que comprou 2.347 hectares no litoral do Rio Grande do Norte em outubro de 2009, em suas andanças turísticas pelo Brasil. Era uma plantação de cocos e tem, ainda hoje, 47 mil pés de cocos. Faz fronteira com o rio Curimataú e fica perto da praia de Pipa.

Nos últimos 10 anos, o grupo Gremi International montou o projeto. Obteve as licenças ambientais no fim de 2018 para começar a construir. No total, o empreendimento prevê até 2.641 unidades construídas em 553,79 hectares. Segundo a empresa, será o maior projeto de hospitalidade de luxo na América Latina.

A primeira fase prevê construção de 185 unidades, sendo 127 bangalôs do resort e 58 residências. Cada residência vai custar entre US$ 1,8 milhão e US$ 4,2 milhões. Três mansões, com 5 dormitórios, serão colocadas no mercado por US$ 10 milhões. A construção de todo o projeto deve se estender por pelo menos oito anos. Mas a primeira fase deve chegar ao mercado em 2022, informou Piotr Maj, responsável pelo projeto no Brasil.

O complexo de alto luxo deverá ter spas, campo de pólo, estrutura para pesca, planetário, centro de proteção de tartarugas e lojas de grandes marcas. O foco do projeto é “na preservação do meio-ambiente”.

Proteger o ambiente é, sem dúvida, um desafio. O Rio Grande do Norte foi afetado pelo piche que vem sujando praias brasileiras. Baía Formosa, segundo o Ibama, também foi afetada. Maj observa, no entanto, que uma segunda análise feita pelo órgão estadual de proteção ambiental constatou que Baia Formosa não tem piche em suas praias. O Centro de Monitoramento do Rio do Norte, uma ONG que está trabalhando com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte e com a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, informou ao grupo Gremi que a praia do projeto Eco Estrela não está suja de piche. “Estamos monitorando”, disse Maj. A ONG vai ajudar o grupo Gremi a montar o centro de proteção de tartarugas no Eco Estrela. Maj explicou que, segundo os especialistas, a mancha de óleo que está no mar está descendo em direção sul do país.

Gremi assinou contrato por 40 anos com a Six Senses, uma empresa especializada em destinos de luxo e que vai administrar as operações da primeira fase do projeto, ou seja, as 185 unidades. A Six Senses foi adquirida em fevereiro deste ano por US$ 300 milhões pelo grupo InterContinental, um dos maiores do mercado mundial de hotéis.

A primeira fase do projeto está avaliada em US$ 146 milhões. O investimento será estruturado como um “reserved alternative investment fund” (Raif), em Luxemburgo. O Gremi International, o grupo de Hajdarowicz, vai deter US$ 46 milhões. E busca investidores para os outros US$ 100 milhões.

Isso significa, explicou Maj, que o Gremi está vendendo 68% do projeto por US$ 100 milhões e ficará com 32%, fatia avaliada em US$ 46 milhões. O valor mínimo de entrada no projeto é de US$ 1 milhão.

Gremi diz que o projeto estruturado em Raif reduz significativamente riscos para os investidores comparados a outras opções de investimentos e deve gerar retornos atrativos. Greg menciona algo como 17% de taxa interna de retorno (TIR) por ano.

Uma vantagem do empreendimento é que Natal é uma capital relativamente perto dos Estados Unidos e da Europa. Pode atrair mais facilmente turistas de alta renda, que costumam viajar em seus próprios jatos.

“Esse projeto no Rio Grande do Norte ilustra como o interesse polonês por investimentos no Brasil está se diversificando”, disse o embaixador brasileiro em Varsóvia, Hadil da Rocha Vianna. “O Brasil por sua vez deveria aproveitar oportunidades concretas que, cada vez mais, a Polônia vem oferecendo”.

Valor

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vitor disse:

    Ler os comentários aqui nos ajuda a entender porque o RN é tão atrasado em relação ao vizinho Ceará. Povo daqui é mesquinho, ao invés de ajudar no desenvolvimento, puxa uma cadeira e fica torcendo pros outros cairem e depois poder dizer: "tá vendo, ó, bem que eu disse". Vão pastar longe, bando de murrinha!

  2. Emmanoel do Nascimento Costa disse:

    Só louco para investir aqui RN.Um Estado arrasado é para completar as praias é mangue cheia de óleo.

  3. Tarcísio Eimar disse:

    Pobre BraZil, não é capaz de quase nada. Quando é capaz é com dinheiro estrangeiro e lógico que o lucro vai embora do mesmo jeito. Só deixa mesmo é o legado do emprego, isso se vingar.

  4. Neto disse:

    Investimento entre R$ 7,5 e 17,5 milhões . Tá parecendo a margem de erro do ibope

  5. #Vergonha nacional disse:

    Só mesmo DOIDO para investir nesse quebrado RN , aeroporto no meio do inferno , nada pode , pergunte para os investidores do HOTEL REIS MAGOS ???

    • Tarcísio Eimar disse:

      Empreendimento desse em Baía Formosa a turma vem mesmo é pelo aeroporto de João Pessoa.

  6. Luiz Moreira disse:

    Com uma torcida dessas azedando fica ainda mais difícil fazer qualquer coisa nesse RN. O que tem esse projeto a ver com aqueles que não vingaram no passado? Nada! Esse grupo é dono da propriedade há muitos anos, não fizeram nada de forma precipitada, o proprietário é um conhecido investidor na Polônia. O que custa dar um voto de confiança? Será mesmo que nunca sairemos da mesmice? Se depender dessa torcida negativa….ficaremos sempre no atraso.

    • Ed disse:

      Verdade, Luiz. Pense num povo pessimista. Acompanho o licenciamento do projeto há 6 anos. É um grupo sério, que está investindo há muitos anos e estão dispostos a diminuir ao máximo os impactos negativos do empreendimento

  7. LKS disse:

    JÁ ESQUECERAM DE UM TAL ARMSTRONG QUE QUEBROU O ALECRIM FUTEBOL CLUBE…..

  8. Tiriirica disse:

    Esse cara é um Eike Batista, conversador de merda, e ainda tem gente qie acredita. Vai pegar o dinheiro e sumir do mapa.

  9. Rui disse:

    PENSEM NUM ESTADO PRA INVESTIREM………KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!

  10. AF disse:

    Vou comprar 7. Reservem.

  11. Almir Dionisio disse:

    Só balela e depois mais nada.
    o RN tá cada dia mais queimado no turismo pela deficiência nos serviços prestados, acessos às praias em péssimas condições de manutenção, falta de segurança, praias urbanas totalmente abandonadas e sem estrutura, preços exorbitantes, aeroporto longe e os acessos sem segurança alguma.
    Estamos vivendo um momento delicado, por que os outros estados do Nordeste se prepararam para bem vender os seus atrativos e oferecer um bom serviço.
    Passagens aéreas para o RN continuam com preços altos, onde os turistas preferem PB, PE e CE.
    Acorda RN, muda essa conversa.

  12. Claudio Carvalho disse:

    Alguém, por favor, empreste um pente a este senhor!!!

  13. Gustavo disse:

    Vou comprar 3!

  14. Pedro disse:

    Eu gostaria de ver coisas reais, promessa não enche o bucho de ninguém, são chineses, poloneses, jogadores famosos, ilustres ricos, etc. O que vemos é um estado cada dia mais pobre, desarticulado, careta, imbecil, caloteiro, sem perspective de futuro. Essa governadora talvez fique 04 anos, certamente não mais que isso, vai faltar bokus.

    • Zé Garcez disse:

      Já vi esse filme.
      Trouxeram até David Beckham para Touros e até hoje nada

Sugar ‘Fies’: homens bancam estudos de 155 mil namoradas de luxo no Brasil

FOTO: DCI

Os dados são inacreditáveis, mas reais para um País que peca no investimento em educação há décadas, e tem cortado bolsas do Financiamento Estudantil. Os Sugar daddies – aqueles homens ricos que ‘conquistam’ namoradas num site exclusivo – patrocinam mais de 155 mil estudantes no Brasil, 23% das cadastradas no serviço.

O site descreve os Daddies: “um homem maduro, rico e bem-sucedido, normalmente entre 35 e 60 anos de idade. Se relaciona com mulheres jovens e atraentes e patrocinam um estilo de vida de luxo para elas”. São Paulo (52.022), Rio (34.852) e Minas (19.213) são os líderes em cadastradas. O DF tem 6.717 cadastradas com ou atrás de ‘papais’.

Coluna Esplanada

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gaius Baltar disse:

    Muitas dessas são sustentadas por políticos, inclusive aqui no nosso RN…

  2. Henrique disse:

    Respeita as meninas!!
    Enquanto os cabeça quadrada descem o cacete nas "babies", as jovens "normais" tem os estudos pagos pelos pais, mas se "atraem" por um combo de bebida pago na balada.
    Só me pergunto quem é mais inteligente…

  3. Sandro disse:

    Eu sustento uma também, faz Medicina numa faculdade de Natal, e não me arrependo de pagar, minha quenga vale mais que isso.

  4. Cigano Lulu disse:

    Mais um upgrade da profissão mais antiga do mundo. Se brincar as meninas já estão faturando bitcoins em Marte.

  5. Ems disse:

    As feministas piram !!! Kkkkkkkkkk

  6. Alguém disse:

    Veja o lado bom, ao menos teremos raparigas de nível superior (ao pé da letra).

Condomínios de luxo investem em qualidade de vida e segurança

Com o crescimento do mercado imobiliário e a busca por uma moradia segura, as vendas em condomínios fechados e bem localizados têm disparado em Natal. A oferta é grande, por isso, as construtoras investem cada dia mais em diferenciais para atrair o público alvo desses empreendimentos.

Visando a conciliação da vida na cidade, na praia a no campo, o Condomínio Vitória Régia oferece uma estrutura diferenciada, aliando lazer, segurança e conforto para oferecer melhor qualidade de vida. Um condomínio horizontal com 70 mil metros quadrados de área plana, localizado estrategicamente em Cotovelo, a 15 minutos de Natal, 5 minutos da praia, 15 minutos de Ponta Negra, 15 minutos de Parnamrim e 30 minutos do aeroporto.

O empreendimento possui lotes em tamanhos maiores que os convencionais, possibilitando a construção de casas em formatos diferentes, fachadas maiores e com maior aproveitamento do espaço. Por oferecer tantos benefícios o Vitória Régia já é um sucesso, com 90% dos lotes vendidos. “O primeiro quesito de quem quer morar em um condomínio fechado é a segurança, por isso, as casas são divididas por lotes em áreas fechadas que precisam aliar espaço, comodidade e tranquilidade”, explica Paulo Mattos, diretor da RE/MAX Brasil.

As famílias buscam a tranquilidade de ver os filhos livres para explorar o terreno, andar de bicicleta e fazer amigos com liberdade e segurança sem abrir mão do luxo de uma casa ampla, confortável e em contato com a natureza. A área de lazer tem a maior estrutura da região e soma seis mil metros quadrados de espaço de lazer, com clube, área relax, piscina semi-olímpica e quatro quadras na área esportiva. Tudo isso sem estar longe da cidade.

Mercado de Luxo está aquecido em Natal

O POTI de hoje faz uma reportagem sobre o consumo de alto luxo na nossa cidade, não só no mundo e no Brasil cresce o consumo “VIP” de produtos caros, de ótima qualidade e elevado preço pela grife que você está comprando, hoje Natal já tem grandes lojas em diversos segmentos para essa turma que tem condições de adquirir esses produtos, a estabilização da moeda, o aumento do poder aquisitivo fez a antiga classe media que foi alçada ao patamar de classe A baixa também se arriscar no mercado de luxo. Só para os eleitores tem uma ideia do consumo aqui em Natal, a concessionaria BMW que irá abrir na Prudente, mesmo antes de está instalada, já vendeu 20 carros e 10 motos. Só para se ter uma idéia, Natal hoje é a terceira capital do Nordeste a ter mais carros Land Rover desfilando. Segue reportagem do POTI:

O Crise econômica? Que crise? O crescimento da economia brasileira nos últimos tempos e da renda da população rendeu algo mais que o aumento da classe média e a diminuição da miséria do país: uma procura cada vez maior por artigos de luxo, seja no ramo do vestuário, dos imóveis ou dos automóveis. Para o público que está disposto a pagar caro por algo mais que exclusivo, as notícias desfavoráveis ao capitalismo vindas da Europa não assustam. O resultado é aumento de um mercado para este tipo de público, fácil de perceber ao se observar o perfil das lojas, dos lançamentos imobiliários e dos carros que circulam nos principais bairros de Natal. “Não é preciso ser riquíssimo para ter uma peça única. Com as facilidades de compra, como os cartões de crédito, o acesso a esse mercado vem se tornando mais presente e não faltam compradores”, afirma o empresário americano Charles Tebbe, proprietário de uma loja de artigos de grife, na avenida Afonso Pena.

Assim como outros empresários estrangeiros, Charles acredita que o Brasil é um mercado onde um grande crescimento é esperado e que, nesse contexto, Natal têm um enorme potencial de clientes que querem exclusividade. De acordo com estudos realizados em 2008 pela consultoria Bain & Company, o país terá uma elevação de 35% no setor de luxo nos cinco anos seguintes. Em 2013, cerca de 50 marcas de luxo terão aproveitado as vantagens e oportunidades e entrarão no mercado brasileiro.

Armani, Dolce & Gabbana, Prada, Valentino, Calvin Klein, Guess, BCBG. Essas são algumas das grifes mundialmente famosas que conquistaram seu espaço nos últimos dois anos em lojas de endereços como os shoppings Midway Mall e Natal Shopping, e ao longo da avenida Afonso Pena, conhecida pelos estabelecimentos para quem tem maior poder aquisitivo. O empresário americano, proprietário da New York New York, conta que o que tem sido levado em conta por quem investe no segmento é a possibilidade de oferecer produtos reconhecidos para os clientes exigentes não precisarem se deslocar para os grandes centros em busca das últimas novidades do mercado internacional de luxo.

Segundo a publicação Europa: Branded Consumer Goods, “devido à estabilidade econômica, provocada pelos oito anos de governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva existe um novo consumidor ávido de classe média”, denominado pela pesquisa como a “nova burguesia brasileira”. Para Charles Tebbe, Natal tem um destino promissor no segmento, até mesmo por conta do advento da Copa do Mundo de 2014. “Meu companheiro é potiguar e quando recebemos a visita dos seus familiares e amigos aqui nos EUA, me chamava muito a atenção o entusiasmo com que eles adquiriam as peças de grife a preços convidativos”, conta o americano, explicando que é nítida na cidade o interesse por grifes de alta qualidade.

Cenário promissor

O relatório elaborado pela Goldman Sachs para a publicação Branded em junho de do ano passado revela que fatores políticos e econômicos podem impulsionar as vendas dos bens de luxo no Brasil nesta década. Ainda segundo o documento, as vendas de luxo para brasileiros podem chegar a 6% do mercado global em 2025, ou seja, 63,5 bilhões de dólares, indo muito além de São Paulo, que hoje ainda agrega 70% desse mercado.

O desenvolvimento anual deste segmento no Brasil – 22% em 2009 – tem superado mercados mais estabelecidos: as vendas são agora quase o dobro de 2006. O mercado de varejo normal também obteve um crescimento considerável, chegando aos 11% no ano passado.

A realidade para o Rio Grande do Norte é também animadora. De acordo com a CPP Management Consultants, empresa que presta consultoria a companhias de luxo, o segmento do mercado de luxo brasileiro possui um público-alvo em torno de um milhão de pessoas. O investimento estrangeiro realizado no RN nos últimos anos é responsável pelo aumento da fatia desse mercado consumidor no estado.

Diesel deixa o Brasil

Nem tudo são flores no mercado de alto luxo no Brasil:

Folha On Line:

A Diesel, grife italiana conhecida por seus jeans de luxo, vai fechar suas três lojas próprias no Brasil.

Inaugurada em 2008 com a presença do dono da marca, o italiano Renzo Rosso, a loja da rua Haddock Lobo, nos Jardins (zona oeste de São Paulo) teve neste sábado seu último dia de expediente.

O investimento no ponto dos Jardins — que era o maior do grupo no mundo, com espaço de 1.700 metros quadrados, divididos em quatro andares — foi de de US$ 7 milhões.

As outras duas lojas da marca, a do Shopping Iguatemi, em São Paulo, e a do Fashion Mall, no Rio, encerrarão suas operações no próximo sábado, dia 4.

Segundo a Folha apurou, cerca de 50 funcionários serão demitidos.

De acordo com a assessoria de imprensa da Diesel, o fechamento das lojas faz parte de uma “reestruturação” da marca no país. “As lojas serão reabertas dentro de poucos meses e os funcionários, recontratados”, disse a assessoria.

O empresário paulista Esber Hajli é o representante da marca no Brasil desde 2001.

SALDÃO

(mais…)