Procurado pela Interpol, suspeito de mortes de delegado, PM e mais 3, que teria sido contratado para executar autoridade do MPRN ou TJ, é morto no interior após reação contra policiais civis

Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR) localizaram, nesta segunda-feira (14), José Moreira Freires, conhecido como “Zezinho”, na Zona Rural de Lagoa de Pedra/RN. Ele era procurado pela Interpol e pela Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul e, em seu desfavor, havia dois mandados de prisão em aberto.

Durante a ação, José Moreira reagiu à abordagem e foi alvejado, não resistindo aos ferimentos. Na ocasião, ele estava de posse de uma pistola pertencente à Polícia Civil do Rio Grande do Norte, com registro de roubo. Os policiais da DEICOR constataram também que ele havia criado um laboratório de produção de “crack”, que foi estourado nesta segunda-feira (14).

De acordo com as investigações, José Moreira havia chegado há cerca de dois meses na cidade de Lagoa de Pedra. “Zezinho” figurava como 12º na lista com 26 criminosos mais procurados pela polícia, divulgada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Ele é suspeito da prática de cinco crimes de homicídio, além de envolvimento com tráfico de drogas, jogo do bicho, lavagem de dinheiro e corrupção.

Segundo investigações, ele seria o autor de um homicídio praticado contra um delegado, na frente da filha da vítima. Além disso, ele teria assassinado um estudante, filho de um policial militar, tentado matar um capitão da Polícia Militar e assassinado um policial militar, que atuava na Assembleia Legislativa do Estado do Mato Grosso do Sul. “Zezinho” também é apontado como autor do homicídio praticado contra o gerente de Jorge Raffat, que foi morto na fronteira do Brasil com o Paraguai.

Foi constatado ainda que José Moreira havia ameaçado dois delegados da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul, integrantes da Delegacia Especializada de Repressão de Roubo a Banco, Assalto e Sequestro (GARRAS), e um promotor do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do mesmo Estado. As investigações indicam que os chefes de “Zezinho” seriam Jamil Name e Jamil Name Filho, ambos presos no Presídio Federal de Mossoró, juntamente com dois policiais civis do Mato Grosso do Sul.

Há informações apontando que “Zezinho” teria sido contratado, recentemente, para executar uma autoridade do Ministério Público ou do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. As investigações prosseguem para identificar outros possíveis envolvidos. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações, de forma anônima, através do Disque Denúncia 181 ou Disque DEICOR, por meio dos números: (84) 3232-2862 e (84) 98135-6796 (WhatsApp).

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Juca Jr disse:

    Um bandido extremamente perigoso, um psicopata assassino. Parabéns à Polícia Civil do RN.

  2. Paulo disse:

    Melhor unidade Policial do RN! Parabéns pra esse pessoal da Deicor.

  3. Alex disse:

    Boa Limpeza!

  4. Calígula disse:

    5 milhões de reais faz falta.
    Daria para renovar a frota da PC.

Operação Luz da Infância localiza estúdio onde crianças eram abusadas; até o momento 49 pessoas foram presas em flagrante pelo país

Foto: Ministério da Justiça

Investigadores que estão atuando na Operação Luz da Infância 7, deflagrada nesta sexta-feira (6) com a participação de polícias civis de 10 estados, e com frente de ações em outros quatro países, disseram que, entre os presos, há um que tinha, em uma cidade de São Paulo, um estúdio onde eram produzidos conteúdos de abuso e exploração de crianças e adolescentes.

Até o momento 49 pessoas foram presas em flagrante. Só em São Paulo foram 29 prisões. Em Santa Catarina foram oito; no Paraná, quatro; e no Pará, três. Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Rio Grande dos Sul tiveram, cada um, uma prisão em flagrante.

Segundo o coordenador de operações cibernéticas da Secretaria de Operações Integradas (Seopi) de São Paulo, Alesandro Barreto, o número de presos deve aumentar até o final do dia, com as diligências que estão sendo realizadas na busca da materialidade desses crimes.

Entre as apreensões há R$ 160 mil em espécie, apreendidos na cidade mineira de Unaí; armas de fogo; veículos e motos de luxo, inclusive uma Land Rover. Também foi sequestrado um imóvel que, segundo Barreto, está avaliado em R$ 300 mil.

Buscas e apreensões estão sendo feitas também na Argentina (províncias de Santa Fé, Entre Rios, La Pampa, Formosa, Mendoza e Missiones), Paraguai (Cidad del Este e Assunción) e nos Estados Unidos ( Knoxville, Nashville, Dallas, Raleigh e Pittsburgh).“Esse tipo de investigação precisa conectar pontos para ser eficaz. Em tempos de interconectividade, as informações trafegam muito rápido. Por isso os policiais precisam se conectar entre si. Muitos criminosos utilizam serviços [de internet] hospedados no exterior. Sem integração, tanto dentro como fora do país, essa luta não vai ser efetiva”, disse Barreto durante coletiva de imprensa.

Pandemia e uso de internet

De acordo com a representante do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil Annie Barreto, o isolamento social decorrente da pandemia tem feito as pessoas ficarem mais em casa, ampliando o tempo de uso da internet.

“Em tempos de pandemia, as crianças ficam mais tempos conectadas, motivo pelo qual os pais têm de ficar mais vigilantes”, disse ela ao sugerir o uso de controles parentais. “A criança raramente conta para os pais sobre os abusos porque, para ela, é até difícil entender o que é abuso. O abusador faz a criança achar que ela está errada. Por vezes até a ameaça. Isso é notado principalmente nos casos em que ele [o abusador] é próximo da família”, disse Annie durante balanço da operação.

Segundo Barreto, desde 2107, 700 pessoas já foram identificadas e presas, durante operações policiais, por esse tipo de abuso.

Luz da Infância

A Operação Luz da Infância 7 foi deflagrada com o objetivo de identificar autores de crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet no Brasil e em quatro outros países.

No Brasil, a legislação prevê pena que varia de um a quatro anos para quem armazena esse tipo de conteúdo. O compartilhamento de materiais desse tipo pode resultar em penas de três a seis anos; e, no caso de produção de conteúdo relacionado a crimes de exploração sexual, a pena varia de quatro a oito anos de prisão.

A operação cumpre 137 mandados de busca e apreensão em dez estados: Alagoas, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alguém disse:

    Que prendam todos estes infelizes, para que nossas crianças tenha um pouco mais de segurança.

  2. Carlos Brasileiro disse:

    Esses pedófilos vão tomar no c na cadeia.

  3. Antenado disse:

    Segundo a Globo, pedofilia é apenas uma doença. Escrotos

    • Alguém disse:

      Doença até acontecer algum crime com o filho de alguém que diz que é doença.

PM localiza acampamento de traficantes e apreende drogas na Grande Natal

FOTO: PM/ASSECOM

Na tarde dessa quarta-feira (30), a Polícia Militar, através da Força Tática do 4º BPM, encontrou um acampamento utilizado para comércio de entorpecentes e apreendeu certa quantidade de drogas em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal.

Por volta das 17h, os policiais, realizavam patrulhamento na Rua da Floresta, comunidade da Serrada, quando abordaram um homem de 60 anos em atitude suspeita, dentro de uma área de mata. Com ele nada foi localizado, porém, próximo ao local da abordagem, os policiais encontraram um acampamento, com uma pequena infraestrutura de apoio, para a comercialização de drogas.

]No local foram apreendidos os seguintes materiais: Meio tablete de Maconha, 13 porções pequenas e uma pedra média de Crack, um saco contendo Cocaína e balanças de precisão.

O acampamento foi desmontado e as drogas apreendidas e foram apresentadas na Delegacia de Polícia Civil.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ilana disse:

    A PM poderia mandar uns policiais à paisana lá pelas bandas da Lagoa do Bonfim. Nas redondezas tem ocorrido muito assalto programado por meliantes que já levam até os "enforca-gatos" para imobilizar as vítimas… lá tem "acampamento" de marginais também… a sociedade pacífica agradece…

Polícia Federal localiza suspeito de fraudar o auxílio emergencial e ameaçar presidente da Caixa

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, teve dados pessoais roubados Foto: Jorge William

A Polícia Federal (PF) realizou, nesta quarta-feira (dia 2), uma operação para apurar fraudes no auxílio emergencial. O alvo da ação seria responsável por difundir formas de fraudar os benefícios, além de ameaçar e divulgar dados do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. De acordo com a PF, foi cumprido um mandado de busca e apreensão na casa do investigado, em Três Pontas (MG). Ele foi conduzido à Delegacia da Polícia Federal, em Varginha (MG), onde foi ouvido e liberado.

Em julho, a PF abriu o inquérito para apurar invasões ao celular de Pedro Guimarães, que foi alvo de ataques e teve informações pessoais vazadas.

Ainda segundo a Polícia Federal, as ameaças a Guimarães ocorreram depois que ele alertou a população sobre a existência de golpes e declarou que iria intensificar a ação dos fraudadores. Estão sendo apurados os crimes de estelionato, ameaça e divulgação de dados sigilosos.

Na época, o presidente da Caixa disse que “centenas de milhares” de contas poupança digital do banco, movimentadas pelo Caixa Tem e usadas para o crédito do auxílio emergencial, foram suspensas por suspeita de fraude.

A investigação apurou que o alvo da operação usava dados de outras pessoas para conseguir acesso a valores do auxílio emergencial do governo federal, no valor de R$ 600. Segundo a PF, Guimarães e seus familiares foram ameaçados depois que o presidente do banco alertou a população sobre a existência de golpes e declarou que iria intensificar as medidas para impedir a ação dos fraudadores.

A operação batizada de Falso Samaritano apura crimes de estelionato, ameaça e divulgação de dados sigilosos. No imóvel em um bairro de Três Pontas, foram apreendidos chips, celulares e pen drive.

Tudo foi levado à Delegacia da Polícia Federal em Varginha e será encaminhado para análise da perícia da PF em Brasília (DF). Ainda conforme o delegado, o investigado não foi preso porque a polícia pretende concluir a perícia do material.

Fraudes no auxílio

A Polícia Federal segue as investigações para identificar mais fraudes no benefício. Segundo os investigadores, há “um número grande de fraudes ao auxílio emergencial”, e os casos estão sendo investigados.

A Caixa informou que colabora com os órgãos de segurança que atuam no combate a fraudes no auxílio emergencial e demais benefícios sociais. Com relação à Operação Falso Samaritano, o banco diz que “colabora em ações que visam a coibir atos fraudulentos”.

Extra – O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luiz Antônio disse:

    Foram mais de setenta mil militares que vergonhosamente receberam esse auxílio.

  2. Luladrão Mor da Silva disse:

    Processo, cadeia e pronto.
    Mito 2022.

FOTO: Guarda Municipal localiza desmanche de veículos dentro de Zona de Proteção Ambiental, em área de difícil localização do Parque da Cidade do Natal

Foto: Divulgação

Agentes do Grupamento de Ação Ambiental da Guarda Municipal do Natal (Gaam/GMN) localizaram, na tarde dessa terça-feira (14), um desmanche de veículos roubados dentro da área de dunas da Zona de Proteção Ambiental 01 (ZPA), onde se encontra inserido o Parque da Cidade do Natal. O desmonte dos veículos estava ocorrendo num ponto de vegetação de arbusto de difícil localização no interior da ZPA.

No local, os guardas municipais encontraram peças de veículos de modelos e marcas diferentes, como para-choques, rádios e portas de carros, painéis, retrovisores e outras peças. Uma carcaça de automóvel também foi encontrada completamente “depenada” e resquícios de objetos queimados estavam espalhados pelo solo.

Segundo o coordenador do Gaam/GMN, Isaac Cruz, a localização do desmanche foi possível após a implementação de uma política ativa de patrulhamento nas zonas de proteção ambiental da capital. O plano empregado é de utilizar as rondas para inibir cada vez mais crimes ambientais e delitos comuns dentro dessas áreas, onde algumas vezes são utilizadas como esconderijos por delinquentes. “Estamos potencializando o patrulhamento nas ZPAs justamente para combater práticas dessa natureza”, comentou.

A guarnição do Gaam/GMN fez ainda uma varredura nas imediações do ponto de desmanche no intuito de encontrar algum suspeito nas proximidades, porém ninguém foi detectado circulando pela área. O ponto de desmanche foi informado à Polícia Civil que é responsável pelo processo de investigação.

A ZPA 01 possui 52% de sua área composta de vegetação nativa, compreendendo um conjunto de aproximadamente duzentas espécies numa área de preservação de 136 hectares.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lourdes Siqueira disse:

    Desmanche sob proteção…..seguros estavam , até que……🙊

FOTO: Polícia Civil localiza casa que armazenava motores de carros roubados em Natal

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Uma investigação realizada pelos policiais civis da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (Deprov) resultou na localização de 12 motores de veículos, que estavam escondidos dentro de uma casa no bairro Igapó, Zona Norte de Natal, na tarde desta terça-feira (06). Dos 12 motores que foram apreendidos, quatro deles estavam com registro de roubo. Os outros oito motores já estavam com numeração raspada.

No momento em que os policiais civis localizaram a casa, presenciaram a chegada de quatro homens ao local. “Durante a ação, três suspeitos foram conduzidos para a Deprov. Dois deles prestaram depoimentos nos quais afirmaram à Polícia Civil que foram até o local buscar um motor a pedido de um terceiro, que prestará esclarecimentos na delegacia”, detalhou o delegado titular da Deprov, Normando Feitosa.

O delegado Normando Feitosa destacou que as investigações prosseguirão com o intuito de identificar todas as pessoas envolvidas com o crime.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS