TAP terá voos diários entre Natal e Lisboa a partir do primeiro trimestre de 2020

Foto: Divulgação

Natal e Lisboa cada vez mais próximos! A partir do primeiro trimestre de 2020, como anunciou a companhia aérea TAP, o número de voos entre as cidades vai passar de quatro por semana para um voo diário.

Os voos partem de Lisboa às 17h e chegam em Natal às 21h40 (hora local). Já os de volta deixam Natal às 23h10 e chegam na capital portuguesa às 09h30 do dia seguinte (hora local).

O incremento de voos, segundo a companhia, tem motivação também na troca de modelos aeronaves. O A321neo Long-Range (LR) vai substituir widebody A330-200 nessa rota.

Agora Eu Voo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Amarildo Jorge disse:

    Natal-Lisboa é mais perto do que São Paulo-Lisboa porém a passagem é muito mais cara, gostaria bde saber a lógica.

  2. Lucio disse:

    O aviao vai ser mais pequeno .vai tirar o charme

  3. Kayo Carvalho disse:

    Agora eu vou conhecer Portugal até que enfim chegou o dia de ir.👍

  4. Dilermano disse:

    Não adianta ter um a cada hora se o valor da passagem é maior que os praticados em Recife, Fortaleza, João Pessoa, Rio e São Paulo. Antes da disponibilidade tem que trabalhar a viabilidade, senão é disponibilizar e depois tirar por falta de passageiros.

  5. Torres disse:

    Ótima notícia!!

  6. Só Comento disse:

    O ponto negativo é o horário, pegar o inseguro caminho pro aeroporto a essa hora é como brincar de roleta russa: pode não dar em nada, mas também pode resultar em morte.

Bolsonaro critica “especialistas” sobre queda de homicídios no Brasil: “se o número tivesse aumentado, certamente culpariam o governo”

Pelas redes sociais,o  presidente Jair Bolsonaro(PSL) celebrou na tarde desta segunda-feira(13) a queda de 24% dos homicídios no Brasil no primeiro trimestre deste ano comparado ao ano mesmo período ano passado.

Por fim, criticou “especialistas”, que dão poucos méritos ao atual governo. “Se o número tivesse aumentado, certamente culpariam o governo”, disse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gaius Baltar disse:

    Medidas de segurança levam meses ou até anos para terem efeito, então é óbvio que a queda da criminalidade não tem a ver com o governo atual, até porque segurança pública é atribuição dos governos estaduais.
    Se algum especialista atribuísse um eventual aumento da criminalidade à gestão do governo atual seria tão leviano quanto querer atribuir a queda ao mesmo governo.

  2. Rosa disse:

    Valeu mito, essa foi na mosca. Kkkkkkk

    • eron disse:

      Esse Jumento desse presidente tomou alguma medida para a violência diminuir? Não lembro de nenhum programa ou investimento dele até agora. Somente vi ele dizer que bandido bom é morto. Será que o filho dele e Queiroz, servem para a premissa…?

    • Rosa disse:

      Pra neutralizar bandidos e petralhas, só bater o pé e eles tremem

Primeiro trimestre de 2019 fecha 5.468 vagas de emprego no RN

Segundo os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quarta-feira (24), 2.033 vagas de empregos com carteira assinada foram fechadas em março deste ano no Rio Grande do Norte. No acumulado do primeiro trimestre de 2019, foram fechados 5.468 postos de trabalho formal no estado.

Esse saldo negativo representa a diferença entre as contratações (10.236) e as de demissões (12.269) do mês. No acumulado de janeiro a março, foram 34.742 contratações contra 40.210 demissões.

O setor da economia potiguar que mais fechou vagas foi o da Agropecuária, com redução de 1.593 postos de trabalho no mês passado. Em seguida, a Construção Civil, com queda de 401 empregos, Comércio (-65) e Serviços (-59).

Setores como o de Serviços Industriais de Utilidade Pública, a Indústria de Transformação e a Extrativa Mineral foram os que tiveram saldo positivo, com 64, 17, e 4 novos postos, respectivamente.

Os municípios potiguares que mais demitiram, no trimestre, foram Mossoró e Apodi, na região Oeste. Neles se concentra o setor de fruticultura irrigada, responsável por grande parte dos empregos ligados à agropecuária potiguar.

Foram da margem negativa, Parnamirim abriu 436 novos postos. Já a capital Natal teve um saldo positivo de apenas 3 vagas no ano, após fechar 512 empregos no mês passado.

Saldos de emprego no trimestre, por setor

Extrativa Mineral: -159
Indústria de Transformação: -1.012
Serviços Industriais de Utilidade Pública: 77
Construção Civil: -478
Serviços: 2.065
Administração Pública: -30
Agropecuária: -4.744
Total: -5468

Brasil

O estado seguiu uma tendência nacional e regional. Em todo o país, foram fechados 43.196 vagas de emprego com carteira assinada, em março. E a região que mais registrou demissões foi justamente o Nordeste, que teve saldo negativo de 23.728 vagas de trabalho.

O Governo Federal informou ainda que, das 27 unidades federativas, 19 tiveram saldo negativo em março. Os maiores saldos positivos de emprego ocorreram em Minas Gerais (+5.163), Goiás (+2.712) e Bahia (+2.569 vagas).

Já os maiores volumes de demissões foram registrados em Alagoas (-9.636), São Paulo (-8.007) e Rio de Janeiro (-6.986).

Com acréscimo de informações do G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. WASHINGTON HENRIQUE disse:

    EU NÃO VEJO RELAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDENCIA COM A CRIAÇÃO DE EMPREGO. SE ELE TRAZER SEGURANÇA PUBLICA PRO PAIZ AI SIM CRIARÁ MUITO EMPREGO NO TURISMO, SE ELE INCENTIVAR A PRODUÇÃO E AGRICULTURA AI CRIARÁ MUITO EMPREGO

  2. Wagner Lopes disse:

    Calma gente… que fatinha vai resolver tudo com sua varinha de condão!!!

  3. Sandro disse:

    🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

  4. IBMendonca disse:

    Aguardando aqui o comentário do Ceará-Mundão dizendo que isso é porque a oposição não aprovou a reforma da previdência!!!!
    O Ceará é o estado dos humoristas…..kkkkkkkkkkkkkk

    • André Fortes disse:

      Ceará-Mundão vive num mundo paralelo em que ou passa pano pro Bozo ou é esquerdopata. Rrsrsrs

    • Ceará-Mundão disse:

      O Ceará também é notório pela excelência na educação. Creio que vc não estudou por lá. Caso contrário, lembraria que, num artigo replicado no BG e comentado por vc, conta a informação de que nos três primeiros meses deste ano, foram criados no Brasil 179.543 empregos com carteira assinada. Também diz que, nos últimos 12 meses, segundo o Ministério do Trabalho, foi registrada a criação de 472.117 postos de trabalho formais. Ou seja, esse artigo acima é mais um propositalmente redigido e tendente a prejudicar a imagem do governo Bolsonaro. Mas, a leitura correta é que, no trimestre, enquanto o Brasil criou empregos, o RN destruiu. Apenas em março houve queda geral. Então, sobrou prá governadora do PT, que vc deve adorar, né? Aprenda a ler ou seja intelectualmente honesto. Ou não comente. Não minta.

    • Ceará-Mundão disse:

      Mas, quando aprovar a reforma da Previdência, melhora prá todos. E evita que o Brasil quebre. No RN, o deficit previdenciáriode salários é de 130 milhões MENSAIS e tem 4 meses de salários dos servidores em atraso. Pense nisso antes de escrever suas asneiras.

    • realmadriddepiumgenerico disse:

      Sabe aquela música: Eu vivo sempre no mundo da lua? pois é a trilha sonora do Ceará, não o estado.

    • Ceará-Mundão disse:

      Vc também não leu o artigo? Nem sabe desse deficit do RN, que já foi divulgado por todo mundo? Vcs adoram denegrir a imagem alheia, né? Mas são cegos pros fatos. Então tá.

Lucro da Caixa cai 46% no primeiro trimestre

O lucro da Caixa encolheu 46% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 838 milhões. A instituição financeira divulgou nesta segunda-feira (9) o balanço do período.

O resultado foi influenciado, por exemplo, pelo aumento da inadimplência e pela perda de fôlego das operações de crédito.

A inadimplência no crédito ao consumo das pessoas físicas subiu de 5,81% para 6,42%. Para as empresas, passou de 4,32% para 6,81%. Na habitação, avançou de 1,97% para 2,33%.

A carteira de crédito da Caixa cresceu 9,2% em 12 meses, pouco abaixo da inflação de 9,4% do período. O aumento foi de 9,8% na habitação, 5,8% nas demais operações com pessoas físicas e 0,1% com as empresas.

O patrimônio líquido aumentou 1% e o patrimônio que serve de referência para medir se o banco está capitalizado encolheu 2,9%. Com isso, o índice de Basileia da instituição caiu de 14,58% para 13,69%. O mínimo exigido pelo Banco Central é de 11%.

O banco também reduziu o número de funcionários, de 100,3 mil para 97,0 mil.

Folha Press

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. escritor disse:

    O governo Temer, igual a Dilma, vai entregar a Caixa para um partido qualquer. Pra q um partido quer dirigir um banco? Deve ser pra trabalhar para os mais fracos e necessitados. BB BNB Caixa….privatiza logo tudo.

  2. cabral disse:

    Quantos milhões distribuiu para clube de futebol ? Sem retorno e quantas casas fizeram para o pobre brasileiro, massacram o pobre trabalhador, para tirar uma casa pela caixa e um verdadeiro inferno, o trabalhador deixa na agencia a moral, o dinheiro e ainda passa vergonha e humilhação, agora os clubes de futebol principalmente o flamengo e Corinthians levam tudo. Dinheiro nosso. Jogados nas mãos de dirigentes irresponsáveis, jogadores ganhando milhões e o trabalho fd.

    • Brasil, meu Pais não e do Lula e nem da Dilma disse:

      E as Pedaladas Fiscais de Dilma ?

Desemprego atinge 11,1 milhões de brasileiros no primeiro trimestre

258399868_1-3Fila em frente ao Centro de Apoio ao Trabalho em São Paulo – Paulo Fridman / Bloomberg

A taxa de desemprego no país ficou em 10,9% no primeiro trimestre, atingindo 11,1 milhões de pessoas, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Mensal, divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE. No trimestre anterior, encerrado em dezembro, a taxa foi de 9%. Analistas consultados pela Bloomberg estimavam que o resultado ficasse em 10,7%, com possibilidade de chegar a 11,1%.

A população desocupada foi estimada em 11,1 milhões de pessoas, alta de 22,2% ou mais 2 milhões de pessoas procurando emprego em relação ao contingente observado entre outubro e dezembro. No confronto com igual trimestre do ano passado, esta estimativa subiu 39,8%, um aumento de 3,2 milhões de pessoas desocupadas na força de trabalho.

Já a população ocupada foi estimada em 90,6 milhões de pessoas e apresentou redução de 1,7%, quando comparada com o trimestre de outubro a dezembro de 2015. Em comparação com igual trimestre do ano passado, foi registrada queda de 1,5%, representando menos 1,4 milhão de pessoas.

O número de empregados com carteira assinada (34,6 milhões) recuou em ambos os períodos de comparação. Frente ao trimestre de outubro a dezembro de 2015, a diminuição foi de 2,2%. Na comparação com igual trimestre do ano passado, a redução foi de 4% ou aproximadamente menos 1,4 milhão de pessoas nessa condição.

O rendimento médio real habitualmente recebido em todos os trabalhos, em R$ 1.966, ficou estável frente ao trimestre de outubro a dezembro de 2015 (R$ 1.961) e mostrou queda de 3,2% em relação ao mesmo trimestre do ano passado (R$ 2.031). A massa de rendimento real habitualmente recebida em todos os trabalhos (R$ 173,5 bilhões) ficou estável em relação ao trimestre de outubro a dezembro de 2015 e teve queda de 4,1% frente ao mesmo trimestre do ano anterior.

Por tipo de ocupação, o número de empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada caiu 2,2% frente ao trimestre de outubro a dezembro de 2015 e 4% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. A categoria das pessoas que trabalharam por conta própria registrou aumento de 1,2% em relação aos três meses anteriores, o que significou um incremento de 274 mil pessoas neste grupo. Na comparação com o período de janeiro a março de 2015, constatou-se um aumento de 6,5%, o que representou um acréscimo de 1,4 milhão de pessoas. A participação dos empregadores apresentou uma redução de 5,8% em relação ao trimestre de outubro a dezembro de 2015 e, em relação ao trimestre de janeiro a março de 2015, a redução foi de 8,6%.

INDÚSTRIA FECHA 1,5 MILHÃO DE VAGAS

Na análise do contingente de ocupados por grupamentos de atividade, em relação ao trimestre encerrado em dezembro do ano passado, houve retração de 5,2% na indústria geral (-645 mil pessoas), de 4,8% na construção (-380 mil pessoas), de 1,9% na administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (-299 mil pessoas) e de 1,6% no comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (-280 mil pessoas). Nos demais grupamentos de atividade não houve variação estatisticamente significativa.

Frente a igual trimestre do ano passado, houve aumento em transporte, armazenagem e correio (4,3%, 184 mil pessoas); serviços domésticos (4,3%, 258 mil pessoas); alojamento e alimentação, (4%, 173 mil pessoas); e administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (2,4%, 358 mil pessoas). Nos grupamentos da indústria geral e da informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, verificou-se queda de 11,5% (menos 1,5 milhão de pessoas) e de 6,3% (menos 656 mil pessoas), respectivamente. Os demais grupamentos ficaram instáveis, informou o IBGE.

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o mercado formal de trabalho registrou, em março, um saldo negativo de 118.776 postos. Isso significa que mais vagas de trabalho com carteira assinada foram fechadas do que preenchidas no mês passado. Com o resultado, o país completou 12 meses consecutivos em que as demissões superaram as contratações.

No trimestre encerrado em fevereiro, de acordo com a Pnad, a taxa de desemprego no país acelerou mais uma vez e ficou em 10,2% — até então o pior resultado da série iniciada em 2012. Já a população desocupada totalizou a marca histórica de 10,4 milhões, crescendo mais de 40% em um ano.

A Pnad Contínua referente ao ano de 2015 mostrou que contingente de desocupados passou de 6,7 milhões de pessoas em 2014 para 8,6 milhões, quase 2 milhões de desempregados a mais. A taxa média de desemprego ficou em 8,5% no ano passado e foi a maior da série histórica do estudo.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. VDelgado disse:

    O desemprego real beira os 30%. Só os beneficiários de Bolsas, excluídos do índice pelo PT, somam cerca de 20 milhões. A maquiagem PTista vai ser mostrada em breve…

  2. Gercivan oliveira disse:

    Isso sim é GOLPE!!!!!
    TEMOS Q DIVULGAR O NOME DESSES POLITICOS Q DEFENDEM O GOVERNO.
    ESSSES SIM, SÃO OS VERDADEIROS GOLPISTA DO BRASIL….

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Pq a CUT não vai pra rua protestar contra o desemprego???

    • cabral disse:

      CUT não e culpada se não existe mão de obra especializada, todos querem trabalhar, agora na maioria não sabe fazer nada.

Lucro líquido do Itaú Unibanco sobe 29,7% e chega a R$ 5,7 bilhões no primeiro trimestre

ITAÚO Itaú Unibanco, maior banco privado brasileiro, anunciou nesta terça-feira que teve lucro líquido de R$ 5,733 bilhões no período, um aumento de 29,74% ante igual período de 2014. O ganho foi puxado por maiores margens nas operações de crédito e em menores despesas administrativas, mesmo com gastos maiores com provisões para perdas com inadimplência.

A desaceleração da economia, porém, levou o banco a reduzir sua previsão de aumento dos empréstimos em 2015, de 6% a 9% para 3% a 7%. Em contrapartida, a expectativa de alta da margem financeira gerencial passou de 10% a 14% para 14,5% a 17,5%.

Além disso, o banco elevou as despesas com provisões para perdas esperadas com calotes, que somaram R$ 5,515 bilhões no período, altas de 19,5% e de 29,7% nas bases sequencial e anual, nesta ordem.

Segundo a instituição, o movimento deu “continuidade no reforço do provisionamento para grupos econômicos do segmento de grandes empresas”.

O banco, aliás, revisou para cima a previsão de incremento das despesas de provisões para perdas com inadimplência em 2015, já descontada a recuperação de créditos, da faixa de R$ 13 bilhões a R$ 15 bilhões para R$ 15 bilhões a R$ 18 bilhões.

O estoque de financiamentos do banco fechou março em R$ 543,394 bilhões, um aumento de 13,2% em 12 meses, com destaque para as linhas consignado e imobiliário, com altas de 81% e 19,6%, respectivamente.

A inadimplência (saldo de operações vencidas há mais de 90 dias) teve a décima primeira queda consecutiva, para 3%. No fim de dezembro, esse indicador tinha sido de 3,1%, enquanto no primeiro trimestre de 2014, o índice fora de 3,5%.

Em bases recorrentes, o lucro somou R$ 5,808 bilhões, ante previsão média de analistas consultados pela Reuters, de R$ 5,59 bilhões. A margem financeira subiu 27,8%, para R$ 15,96 bilhões, refletindo tanto as margens maiores na concessão de empréstimos como ganhos maiores com tesouraria.

As depesas administrativas somaram R$ 9,88 bilhões de janeiro a março, aumento de 9,3% sobre 12 meses antes. O Itaú Unibanco mudou também a previsão de avanço desta linha em 2015, de 6,5% a 8,5% para 7% a 10%.

A rentabilidade sobre o patrimônio líquido anualizado do Itaú Unibanco foi de 24,2%, ante 22% de igual etapa de 2014 e 24% do trimestre anterior.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. jeam barbosa disse:

    babaca governo nao cria mosquito em casa de ninguem,deixa de ser idiota…os criadores crescem nos quintais de cada um de nós e cabe a n´s eliminalos

  2. Ricardo disse:

    Mais isso não era coisa do PSDB que só favorecia os bancos?
    Não era o PSDB que governava para os poderosos?
    Como nunca na história do país, os bancos tiveram tanto lucro.
    Em quanto está nossa DÍVIDA EXTERNA? Algum petista dá notícia?
    Se o PT reluta até em admitir a epidemia de dengue, imagine assumir as outras desgraças jogada ao povo brasileiro depois de 13 anos de governo petista.