Pesquisa do Procon Natal constata redução no preço da gasolina; confira os dez postos mais baratos na cidade

O PROCON NATAL – Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal – realizou, no dia 07 de janeiro, pesquisa de preço de combustíveis em 70 estabelecimentos da cidade e encontrou, pelo quarto mês seguido, variação negativa nos preços. A exceção foi o gás veicular que registrou aumento. No comparativo entre o maior e o menor preço pesquisado, o Diesel comum e o S-10 tiveram a maior variação dentre os combustíveis pesquisados de 35,23% e 39,59% respectivamente, seguidos pela Gasolina e a Aditivada (19,78%) e o Etanol (18,95%). Já o Gás Natural e a Gasolina Comum foram os que tiveram a menor variação entre o menor e o maior preço encontrado pela pesquisa (5,99% e 7,56%, respectivamente).

A pesquisa também fez a comparação dos combustíveis em relação ao mês anterior. O Gás Natural foi mais uma vez o combustível de maior percentual encontrado, com uma variação de 2,02%, os demais tiveram redução consecutiva. A Gasolina comum e a Gasolina aditivada tiveram as maiores reduções encontradas pela pesquisa com -3,05% e -2,70%, respectivamente. O Etanol seguiu a mesma tendência de redução consecutiva com uma variação de -2,08%, seguidos pelo Diesel comum com uma redução de -1,18% e o Diesel S-10 com -1,49%.

De acordo com o PROCON NATAL, com os reajustes diários desde julho de 2017, quando a estatal brasileira adotou a política de equiparação do preço do barril de petróleo com o dólar, os valores do combustível na bomba tiveram sucessivos aumentos devido ao repasse desses reajustes nas refinarias aos donos de postos. No entanto, no fim de 2018 a Petrobras adotou um mecanismo financeiro de proteção complementar à política de preços dos combustíveis, que permite à companhia manter a cotação do preço das refinarias por um período variável de até sete dias em momentos de elevada alteração no mercado internacional.

GASOLINA COMUM

A diferença entre o maior (R$4,399) e o menor preço (R$4,090) encontrada na pesquisa equivale a uma variação de 7,56%; já a variação mensal do mês atual e do anterior é de -3,05%, com o preço médio atual de R$4,172 e R$4,303 na pesquisa anterior, e isso equivale a menos de R$ 0,131 de diferença. Entre as regiões administrativas da cidade, a sul foi a que apresentou o menor preço médio dentre as quatro pesquisadas. Para a Gasolina Comum a pesquisa encontrou de R$ 4,130 ao menor preço de R$ 4,090, na zona sul, no bairro de Montebelo, Neópolis e Ponta Negra. Já o maior preço da Gasolina Comum foi constatado também na região sul, no preço de R$ 4,399 no bairro de Lagoa Nova, como também o maior preço médio da gasolina, também encontrado na região sul com R$ 4,184.

GÁS VEICULAR

Mas uma vez o Gás Veicular, vem se destacando nas pesquisas em relação aos demais combustíveis com uma variação positiva, e esse mês a variação foi de 2,02%. No mês anterior o preço encontrado pela pesquisa foi de R$ 3,502, em média, e no mês de janeiro o preço médio encontrado foi de R$3,576, essa variação em Reais equivale a R$ 0,074. A variação entre o maior preço encontrado pela pesquisa foi de R$3,699 e o menor preço de R$3,490, isso equivale a uma variação de 5,99%, sendo a maior variação dentre os combustíveis pesquisados, como identificou a análise do núcleo de pesquisa do PROCON NATAL. O menor preço constatado pela pesquisa foi de R$3,490 na zona oeste da cidade, no bairro de Felipe Camarão e no bairro Nordeste. E o maior preço encontrado foi de R$3,699, na zona sul, no bairro de Capim Macio.

ETANOL

O Etanol, apresentou variação de 18,95% no comparativo entre o maior e o menor preço e uma variação negativa entre os meses de dezembro e janeiro de -2,08% e isso equivale a uma redução de R$0,068. A região com a maior média encontrada pela pesquisa foi a região sul (R$ 3,245), mas o maior preço encontrado de R$3,497 foi na região norte no bairro da Redinha, como também o menor preço de R$2,940 no bairro de Igapó. Hoje o preço do etanol em média corresponde a 76,51% do preço da gasolina. Em relação ao observado em dezembro essa porcentagem era de 75,76%, esse percentual vem aumentando mensalmente uma vez que em novembro o núcleo de pesquisa encontrou um percentual de 74,44%, então não é viável para o consumidor que possui veículo flex, abastecê-lo com etanol, como orienta o PROCON NATAL. O preço do etanol deve ser, no máximo, 70% do preço da gasolina, ou seja, o etanol deveria custar em torno de R$2,920 em média, e o preço encontrado na pesquisa em média foi de R$ 3,192, e o menor preço encontrado pela pesquisa foi de R$ 2,940.

DIESEL COMUM

O Diesel comum acompanhou os demais combustíveis com variação negativa nos últimos meses, com uma variação entre os meses de dezembro e janeiro de -1,18% com a média de preço atual de R$ 3,560 e a média do mês anterior de R$ 3,603 e isso representa uma redução de R$ 0,043, o maior preço encontrado de R$ 4,449 no bairro de Candelária e o menor preço de R$ 3,290 no bairro de Cidade da Esperança e Cidade Nova e isso equivale a uma variação entre o maior e o menor de 35,23%, a região com o maior preço médio do Diesel comum encontrado pela pesquisa foi a sul com R$ 3,623, e a região com menor preço médio foi a oeste com R$ 3,440.

O PROCON NATAL orienta aos consumidores que é preciso pesquisar os valores dos combustíveis, pois mesmo com preços em baixa, foram encontrados postos com valores abusivos para o consumidor com variações muito altas entre o maior e menor preço. A pesquisa completa, com endereço e região dos dez postos mais baratos na cidade e planilha com as variações de maior e menor preço, está disponível em www.natal.rn.gov.br/procon.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Carlos disse:

    em Natal o GNV custa em média 3,50, em recife o GNV custa 2,69, sendo que gás sai daqui pra lá. Não consigo entender como um combustível que é barato é tão caro aqui nas bombas de Natal. gasolina baixou o preço consideravelmente, já o GNV não acompanhou a redução. o investimento no kit gás é muito alto, vamos ver isso ai procom, tem alguem lugrando muito ai.

  2. Breno disse:

    O meu carro rende mais com gasolina v-power. custa um pouco a mais, mas em um tanque, não chega a 10 reais a mais. aconselho.

  3. LULADRINHO disse:

    Caro demais por uma mistura de solventes e água podre. Se os donos de postos ao menos tivessem a honestidade de não misturar solvente na gasolina e água no álcool, o consumidor se sentiria um pouquinho menos babaca.

    • tonio disse:

      Verdade amigo.
      Dependendo do posto que abasteço, o computador de bordo do meu carro varia em média 3km/L, caindo da média de 9,5 para 6,9/7,2 KM/L, e esses que cobram mais baratos via de regra são que apresentam maiores consumos de combustíveis.

PROCON NATAL constata aumento de 8,64% no material escolar

O PROCON NATAL – Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor realizou na última semana do ano pesquisa de material escolar em 20 estabelecimentos como papelarias e comércios especializados em material escolar na cidade do Natal, selecionadas entre as maiores e mais tradicionais do mercado, nos bairros do Alecrim, Centro, Tirol, Capim Macio, Cidade da Esperança e Lagoa Nova.

A pesquisa foi realizada entre os dias 21 e 28 de dezembro de 2018, com a equipe de pesquisadores do órgão e foram coletados os preços de 36 itens de papelaria, tais como: apontador, borracha, caneta esferográfica, cola plástica, canetas hidrográficas, lápis cera, gizão de cera, lápis de cor pequeno, lápis de cor grande, lápis preto número 2, massas para modelar, pasta de cartolina, pincel atômico, pincel de pintura número 12, tinta guache, esquadro plástico, régua plástica, cadernos de desenho, caligrafia, universitário de dez matérias, papel almaço e papel tamanho ofício e A4 (resma e cento) entre outros. A planilha com todos itens e com as variações de preço entre o maior e menor e a média, assim como a variação anual se encontram no site www.natal.rn.gov.br/procon.

Os preços subiram 8,64% em relação à pesquisa anterior. Em média o preço dos itens pesquisados foi de R$ 194,21, enquanto anteriormente o valor foi de R$ 177,43. O Núcleo de pesquisa também constatou diferenças significativas nos preços pesquisados. Por isso, o PROCON NATAL recomenda aos pais que pesquisem antes de comprar, pois a economia pode ser significativa. Além disso, devem procurar as melhores condições de pagamento, os descontos, observando a qualidade dos produtos, e procurando comprar produtos com selo de garantia e selo INMETRO. Cabe ao consumidor avaliar a qualidade dos produtos, tendo o cuidado de conferir, pois alguns, embora baratos, deixam a desejar no quesito qualidade e segurança (produtos tóxicos, por exemplo). Além disso, nunca deixar de pedir a nota fiscal.

ALERTA AOS ESTUDANTES E PAIS OU RESPONSÁVEIS

Todo início de ano letivo, muitas dúvidas e questionamentos são feitos com relação às relações de materiais que as escolas pedem aos alunos/pais. Sobre o assunto, o PROCON NATAL lembra a Lei Municipal no. 6.044, de janeiro de 2010, que disciplina a questão e, portanto alerta:

• Analisem criteriosamente as listas de material escolar solicitado pelos colégios, tendo em mente que os materiais solicitados constituem instrumentos de trabalho para o aprendizado do aluno (devem ter finalidade didática). Qualquer material para uso da escola deve ser de responsabilidade do próprio estabelecimento.

• A escola não pode exigir que a agenda do aluno seja comprada no próprio estabelecimento, exceção feita é educação infantil. Ela, a escola, pode oferecer isso como opção; mas se o aluno quiser adquirir outra agenda em outro local, ele tem toda a liberdade para fazê-lo.

• A escola não pode exigir a aquisição de produtos de uma determinada marca ou determinar o local para a compra (alguma livraria ou na própria escola). Isso contraria a lei citada e o Código de Defesa do Consumidor, e deve ser denunciado aos órgãos de defesa do consumidor.

• A escola não pode exigir que os pais comprem o material escolar na própria escola; esse pode ser um serviço opcional, nunca obrigatório. A escola deve disponibilizar lista de material para os pais, para que estes comprem onde quiserem.

• Informe-se com a escola sobre a possibilidade de adquirir, de imediato, somente a quantidade de material a ser utilizada no primeiro semestre. Tal procedimento é amparado pela lei 6.044/2010. Isso, além de reduzir a despesa, possibilita planejar com mais tranquilidade a aquisição do material referente ao segundo semestre.

• Em caso de dúvidas, procure o PROCON NATAL.

As tabelas completas com preços por produto e estabelecimento podem ser consultadas na página do PROCON NATAL na internet: www.natal.rn.gov.br/procon

 

PROCON NATAL encontra variação de até 239% no mesmo produto natalino

O PROCON NATAL, no intuito de orientar os consumidores nas compras de Natal, realizou pesquisa direta de produtos natalinos, a pesquisa incluiu produtos da ceia do natalense como salame, queijo provolone, queijos do reino, panetones, frango, ave chester, ave fiesta, peru, pernil de porco, lombo de porco bacalhau; bebidas, champagne, vinho branco, vinho tinto e uísque; frutas secas e cristalizadas; biscoito champagne, chocolates e azeite, azeitona.

O levantamento foi realizado nas duas primeiras semanas do mês de dezembro, em 10 supermercados e hipermercados de Natal. A cesta de produtos natalinos é composta por 72 itens divididos por categorias: queijos e salames, panetones, carnes e peixe, bebidas, chocolates e biscoitos, azeites e azeitonas.

VARIAÇÃO PERCENTUAL DE PRODUTOS NATALINOS (2017/2018)

Foram encontradas variações em muitos produtos pesquisados com relação ao ano anterior. As variações foram negativas em 4 produtos. Em destaque o azeite de oliva extravirgem de 500 ml com variação negativa de (-35,04%) e o salame, também com variação negativa de (-18,91%) o kg e a garrafa de whisky Red Label de (-0,11%). Todos os demais produtos tiveram aumento.

DIFERENÇAS DE PREÇOS

O PROCON NATAL destaca a grande diferença de preços entre os estabelecimentos, que chegam até a 239,38%. É o caso do espumante Salton Brut uma vez que foi encontrado em determinado estabelecimento com preço de R$ 25,90, mas também estava sendo vendido em outro local por R$87,90. O Queijo provolone Quatá é outro exemplo de grande variação encontrada entre os estabelecimentos. Foi encontrado na segunda semana por R$ 69,99, mas também por R$ 30,99, diferença de 125,85%.

Estas bruscas diferenças sugerem ao consumidor pesquisar antes de comprar. Você pode consultar a tabela completa dos preços, assim como o preço médio da semana e a variação encontrada por produto no endereço eletrônico www.natal.rn.gov.br/procon.

Fiscalização do PROCON NATAL realiza operação natalina em supermercados e hipermercados

O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor-PROCON/Natal realizou operação- padrão de fiscalização em Supermercados e Hipermercados da capital potiguar, com foco em produtos natalinos.

O procedimento fiscalizatório percorreu 15 destes estabelecimentos comerciais, entre os dias 03 e 12/12/2018, com o intuito de verificar as condições de precificação dos produtos, bem como suas validades, além de conferir a correta armazenagem dos itens, a correspondência entre os preços marcados na gôndola e os que aparecem nos caixas no momento da compra, dentre diversas outras situações passíveis de fiscalização pelo órgão de proteção ao consumidor.

Nos hipermercados que possuem setores de eletro e bazar, por exemplo, a equipe do órgão orientou os estabelecimentos quanto à obrigatoriedade de exposição de informações claras quanto às condições de pagamentos, taxas de juros etc.

Um hipermercado localizado na Zona Sul da capital estava atuando em flagrante desrespeito a essas normas, na medida em que somente expunha em seus cartazes a possibilidade e condições de parcelamento em cartão de crédito da própria rede. Constatado que a loja também realiza parcelamentos em outros cartões, embora estivesse omitindo tal informação aos consumidores, e considerando a conduta reiterada, uma vez que já havia incorrido em ilícito parecido na fiscalização do ano de 2017, a equipe de fiscalização do PROCON/Natal confeccionou um Auto de Constatação, que, após o direito à ampla defesa por parte da empresa autuada, poderá resultar em uma multa.

A intenção do PROCON/Natal é resguardar o direito do consumidor, mas, também, conscientizar os estabelecimentos comerciais quanto a necessidade de ter o bem-estar de seus clientes como meta central. Aqueles que não observam o que está disposto no Código de Defesa do Consumidor demonstram desinteresse pela fidelização do consumidor e se sujeitam aos rigores legais impostos pela atuação do PROCON/Natal.

Caso se sinta lesado em alguma relação de consumo, acione o PROCON/Natal, por meio dos telefones 84 3232-9050/9052 (para informações) ou pelo WhatsApp 84 98870-3865 (para reclamações). Você também poderá se dirigir a sede do órgão, localizado na Rua Ulisses Caldas, 181, Cidade Alta (vizinho a Prefeitura Municipal).

 

PROCON Natal constata manutenção no preço dos combustíveis, apesar do aumento nas refinarias; veja ranking com os postos mais baratos da cidade

O PROCON NATAL (Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal) realizou pesquisa de combustíveis na segunda quinzena de novembro, constatando que houve variação mínima nos preços, tendo os valores permanecido quase inalterados. A estabilidade dos preços se deram em meio à décima terceira semana seguida de aumento determinado pela Petrobras em razão da política de preços da companhia ter adotado o sistema de paridade com o mercado internacional desde 2017.

De todos os combustíveis pesquisados, apenas o Diesel teve variação média para mais acima de 1%. O PROCON NATAL recomenda aos consumidores no entanto que que sempre pesquise antes de abastecer porque se o preço de um mês para outro não mostrou grandes alterações, foram encontradas enormes diferenças entre os postos mais baratos e os mais caros.

A pesquisa completa e um ranking com os postos mais baratos da cidade podem ser encontrados na página:www.natalrn.gov.br/procon.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dr. Veneno disse:

    Os postos não reajustaram os preços pq a Petrobrás já voltou a reduzir o preço da gasolina, ontem, sexta.
    Se os postos tivessem repassado ao consumidor todas as baixas q a Petrobrás deu no preço da gasolina, está deveria está sendo vendida na casa de R$ 3,65/L.
    A cadeia distribuidoras/postos aumentaram seus livros de R$ 0,54/L de gasolina para R$ 0,93, e a mídia não explora isso.

  2. François Cevert disse:

    E o gás natural veicular ninguém comenta nada, passou de RS 2,90, antes da greve dos caminhoneiros, pra RS 3,50, já está mais caro que um litro de álcool, qual seria a justificativa se é que ela existe ?

    • Zeca disse:

      Privatizar a Petrobrás, pelo menos o país não precisaria investir capital que poderia ser usado em infraestrutura, evitaria a corrupção sistêmica dos petralhas, sem contar que com o dinheiro da privatização daria um fôlego, além do mais geraria imposto de produção, uma dádiva!

    • Breno disse:

      Zeca, nao fala besteira. A gasolina sai da refinaria por 1,4 reais. O resto q vc paga é imposto federal e estadual (30% só de icms no RN).
      Procura saber quanto a BR dá de lucro ao país além de patrocinar nossa cultura e o social.
      Os corruptos precisam ser presos. 99,9% da empresa são honestos e trabalhadores.

PROCON NATAL constata reajuste médio de 7,82% nas mensalidades escolares

O PROCON NATAL, realizou pesquisa de preços de mensalidades escolares para 2019 em 24 escolas particulares de Natal, abrangendo os níveis IV e V da Educação Infantil, o Ensino Fundamental e o Ensino Médio. Os estabelecimentos pesquisados foram selecionados dentre os maiores e mais tradicionais da Capital, excluindo as escolas que oferecem apenas Educação Infantil como maternal. A pesquisa inclui colégios da Zona Norte, Zona Leste, Zona Sul e Zona Oeste. E as principais faculdades da cidade que ofereciam os cursos de Administração, Ciências contábeis, Direito, Pedagogia e informática.

A pesquisa foi realizada entre os dias 01 a 20 de novembro de 2018, e tem como objetivos: informar e orientar pais e responsáveis nesta época de matrículas para o ano letivo de 2019. Em uma média geral o percentual de aumento foi de 7,82%. O reajuste do ensino médio ficou em 7,32%, nos níveis fundamentais I e II foi de 6,54% e a educação infantil com os níveis IV e V teve aumento médio de 8,48%.

O PROCON NATAL orienta que pais e responsáveis fiquem atentos na hora da matrícula ou na renovação da mesma ao que diz a Lei 9.870/99. Não se pode cobrar Matrícula se ela não compuser o valor da anuidade escolar. O novo preço da mensalidade 2019 deve ser comprovado por análise financeira, e poderá ser solicitado pelos pais. As mensalidades 2019 devem ser anunciadas até 45 dias do fim da matrícula. As escolas não podem alterar seus preços de mensalidade durante o ano, o que torna muito importante a planilha de custos. E procurar como consumidor, já que se tratar de uma prestação de serviço, os órgãos de defesa do consumidor (PROCON NATAL, Promotoria de Defesa do Consumidor e outros) para registrar a reclamação.

Muitos colégios estão propondo reajustes diversos, em todos os níveis e séries, identificado pela pesquisa, no entanto a preferência do ensino é de responsabilidades dos pais e de seus responsáveis, sendo importante ressaltar que boa parte dos colégios oferecem descontos para aqueles que efetuarem o pagamento até a data do vencimento, ou para famílias que tenham mais de um filho naquela escola. Vale salientar, ainda, que algumas escolas estabelecem preços diferenciados para os períodos matutino e vespertino. A pesquisa ora divulgada considera os preços normais, sem eventuais descontos, para o período matutino e na graduação o período noturno.

No próximo mês já incluso na programação do Núcleo de pesquisa o PROCON NATAL realizará a pesquisa de material escolar para orientação aos consumidores. Entretanto, desde já alerta aos senhores pais pesquisar antes de comprar.

Procon Natal alerta o consumidor com 10 dicas para a Black Friday

O Procon Natal já vinha monitorando os preços de diversos produtos um mês antes do dia promocional, para constatar se eles realmente estarão em promoção. O consumidor que conseguir provar a publicidade enganosa poderá reaver o dinheiro pago a mais, ou em dobro.

Para contribuir com a melhor experiência de compras durante o dia de hoje, confira as 10 dicas abaixo:

1 – A Black Friday é uma campanha de vendas que traz descontos relevantes em produtos de todas as categorias e acontece sempre na última sexta-feira de novembro.

2 – O consumidor deve se informar de como estavam os preços dos produtos antes da Black Friday para verificar se realmente houve desconto.

3 – É preciso prestar atenção na política de trocas do estabelecimento comercial e guardar a nota fiscal.

4 – No caso das compras pela Internet, recomendamos que não se compre em qualquer site. Pode-se obter informações no CONSUMIDOR.GOV ou no SINDEC nacional.

5 – Quando acessar um site de compras, verifique se o mesmo contém um cadeado de segurança e mantenha sempre o seu antivírus atualizado.

6 – Para pagamentos online, a melhor opção é utilizar cartão de crédito e serviços como Paypal ou PagSeguro.

7 – Salve os e-mails trocados com um fornecedor, pois são comprovantes para o caso de trocas ou não recebimento do produto.

8 – O consumidor tem um prazo de 7 dias para se arrepender de uma compra feita pela Internet. O prazo começa a contar a partir do recebimento do produto.

9 – Acesse as pesquisas de preço do PROCON NATAL sobre os produtos da Black Friday e não seja enganado.

10 – Foi enganado? Procure os órgãos de proteção e defesa do consumidor: (84) 3232-9050/9052 e pelo WhatsApp (Dénúncia) (84) 98870-3865.

 

PROCON NATAL realiza pesquisa de gás de cozinha; variação entre o maior e o menor preço de 19,05%

O PROCON NATAL – Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal realizou nesse mês de novembro, pesquisa de gás de cozinha em diversos bairros da cidade do Natal, em 20 (vinte) pontos de venda, levando em consideração o porte do estabelecimento e o registro de licenciamento de comercialização desse produto fixado e identificado junto com a placa de preço. A pesquisa foi realizada pelo núcleo de pesquisa no dia 12 de novembro de 2018 nas quatro regiões da cidade e passou pelos bairros de Potengi, Pajuçara, Rocas, Neópolis, Ponta Negra, Pitimbu e Quintas, contemplando todas as regiões da cidade.

A pesquisa realizada pela PROCON NATAL, encontrou média esse mês de R$ 68,05 no preço do botijão de 13 kg do gás de cozinha em Natal. O maior preço foi encontrado foi de R$ 75,00 e o menor preço de R$ 63,00 a variação entre o maior e o menor preço é de 19,05%.

A pesquisa identificou que 55% dos estabelecimentos pesquisados vendem produtos abaixo da média encontrada pelo núcleo de pesquisa do PROCON NATAL, ou seja, mesmo com o aumento anunciado pela Petrobras no dia 06 de novembro de (8,5%) nas refinarias, este ainda não foi repassado para os consumidores natalenses, uma vez que a variação observada entre a pesquisa anterior e a atual foi de 1,89% (de R$ 66,69 para R$ 68,05), bem abaixo do anunciado pela estatal.

O PROCON NATAL disponibiliza a pesquisa na íntegra aos consumidores em sua página: www.natal.rn.gov.br/procon e orienta os consumidores a utilizar-se dela para economizar na hora da compra. No site, também se pode encontrar planilha com endereço e preço do produto pesquisado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Opa disse:

    R$ 58,00 nas Rocas

PROCON NATAL constata variação na cesta básica no mês de outubro

O PROCON NATAL – Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal concluiu os relatórios referentes aos valores da Cesta Básica no mês de outubro. Todas as semanas, o instituto faz pesquisas de preços nos principais estabelecimentos comerciais da cidade, publicando o balanço destas aferições ao final de cada mês. A análise é feita em 40 itens divididos por categorias como: mercearia, açougue, hortifrúti, higiene e limpeza.

Em outubro, constatou-se uma variação nos preços da cesta básica nas grandes redes de hipermercados na ordem de 6,24% (variou de R$ 241,38 para R$ 257,45). Já nos mercadinhos de bairro, os preços variaram muito pouco, apenas 0,38% (oscilou de R$ 232,53 para R$ 233,41). Em novembro, o PROCON NATAL segue cumprindo seu papel, fiscalizando e pesquisando a variação de preços na cidade.

Para conferir as tabelas, estatísticas e demais detalhes da pesquisa sobre a cesta básica em Natal, inclusive com detalhamento em categorias, as planilhas completas estão disponíveis no seguinte link: www.natal.rn.gov.br/procon.

PROCON Natal constata redução no preço de gasolina no mês de outubro; lista mostra os 10 postos mais baratos da cidade

Foto ILUSTRATIVA. Estadão

PROCON NATAL (Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal) realizou pesquisa de combustíveis no dia 09 de outubro de 2018 em 69 postos de combustíveis da cidade do Natal nas quatro regiões. A pesquisa constatou variação negativa nos preços dos combustíveis em relação ao mês anterior. Segundo a apuração, houve redução do preço de Etanol em 60,87% dos postos pesquisados e 81,16% reduziram os preços da gasolina comum. A pesquisa também identificou um aumento no diesel tanto no comum como no S-10 de 0,82% e 2,25% respectivamente. No último dia 30, a Petrobras elevou o preço do diesel em 2,8% devido aos novos valores dos preços de referência para o terceiro período da terceira fase de subvenção ao diesel, que vai até 29 de outubro. O PROCON NATAL informa aos consumidores que pesquise sempre antes de abastecer seu veículo. A pesquisa completa está disponível em nossa página na internet www.natalrn.gov.br/procon contendo um ranking com endereço e região dos (10) dez postos mais baratos na cidade.

OPINIÃO DOS LEITORES:

PROCON Natal constata aumento nos preços dos combustíveis e gasolina custa em média R$ 4,81

No último dia 05 de setembro, o PROCON NATAL realizou uma pesquisa após a Petrobras anunciar aumento nas refinarias nos preços da gasolina tipo A para averiguar se o acréscimo havia sido repassado ao consumidor. O órgão constatou um aumento de 6,10% em relação à pesquisa do mês de agosto. O levantamento apurou os valores praticados em 69 postos de combustíveis da cidade do Natal nas suas quatro regiões. A constatação é a de que o aumento dos preços das refinarias foi sim repassado ao consumidor final.

GASOLINA COMUM

Com relação ao combustível mais utilizado pelo natalense, a gasolina comum, a diferença entre o maior preço praticado (R$4,899) e o menor (R$4,550) equivale a uma variação de (10,19%). Já o preço médio atual do combustível é de (R$4,814).

Entre as regiões, a Zona Oeste foi a que apresentou o menor preço médio para a Gasolina Comum, (R$4,727). O menor valor foi encontrado no bairro de Cidade da Esperança (R$4,550). Já o maior preço da gasolina comum em média foi encontrado na zona sul com (R$4,843) sendo o maior valor encontrado no bairro de Ponta Negra (R$4,899).

O PROCON NATAL orienta aos consumidores que consultem na íntegra a pesquisa mensalmente realizada e divulgada no endereço eletrônico www.natal.rn.gov.br/procon. Através dela, é possível ter acesso às informações dos preços praticados em toda a cidade.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ítalo disse:

    Em Caicó sexta-feira(14),está 4,76.

  2. Anderson disse:

    Constatou. E? NADA! Efetivamente, o PROCON só "descobriu" o que a população já está cansada de saber: houve, há e haverá abusos nos reajustes dos combustíveis. Mais digno seria, salvo melhor juízo, propôr uma demanda estatal contra os abusos, ou contra os abusadores. O que, possivelmente, o PROCON fez, neste caso, foi simplesmente uma "cotação de preços", deixando, porém, a defesa do consumidor prejudicada.

  3. Antônio paiva disse:

    Abasteci em Recife hoje 4,29

PROCON NATAL notifica 23 postos de combustível que não se adequaram a novas normas

O PROCON NATAL – Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal continua realizando fiscalizações nos postos de combustíveis da capital. Em visita aos postos foram constatados que uma pequena parcela dos estabelecimentos ainda não se adequaram a Portaria de nº 735 e 760, do Ministério da Justiça, sendo assim o Procon Natal continuou a orientar e notificar os mesmos para que divulguem os preços da redução do óleo diesel, conforme determinação do Art.10 da Portaria MJ Nº 760 DE 05/06/2018.

“Os Procons deverão exigir que os postos revendedores de combustíveis informem, de forma clara e ostensiva, por meio de cartaz, placa, faixa ou similar, o valor da redução do preço do litro do diesel para os consumidores finais, demonstrando nesse informativo o valor de revenda para o consumidor final no dia 21 de maio de 2018 e o valor do óleo diesel a partir do dia 1º de junho de 2018, sob pena de multa administrativa”, publicada na última quarta-feira (06) no DOU.

Foram visitados mais de 60 postos de combustíveis, sendo 23 deles notificados no prazo de 24 horas para se adequarem as normas estabelecidas pelo Governo Federal, O Procon Natal pede ao consumidor que em caso de constatarem qualquer irregularidade entre em contato com o órgão fiscalizador no endereço abaixo:

Endereço: Rua Ulisses Caldas, 181, Cidade Alta, Natal – RN CEP. 59025-090

Telefones: (84) 3232-9050 / (84) 3232-9051 / 0800 281 1000

E-mail: [email protected]

Whatsapp – (84) 9 8870-3865 (denúncias)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rosineide lopes disse:

    Fantástico o trabalho do Procon ai nós se nao fossem eles e é sempre que puderem dê umas incertas. Grata pela minha parte

PROCON Natal fiscaliza postos de combustível na cidade; veja como denunciar abuso nos preços

Por interino

O PROCON NATAL – Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal realizou, nesta segunda-feira (28), uma fiscalização nos postos de combustíveis da capital. Durante a visita, foi constatado que na maioria dos estabelecimentos constavam os preços à mostra, mas o produto estava indisponível ao consumidor. Sendo assim, o Procon Natal orientou e notificou os mesmos para que retirassem os preços fixados nas placas até a regularização dos combustíveis, uma vez que essa prática faz com que o consumidor entre no posto sem saber que nele há falta do produto. O Procon Natal constatou, ainda, a venda de gás de cozinha no valor de R$ 90,00 reais em um posto de combustíveis na Avenida da Integração. Após notificação e orientação para baixar o preço, o proprietário do posto retificou o valor para R$ 70,00 reais.

O Procon Natal alerta e pede que em caso do consumidor constatar qualquer irregularidade entre em contato com o órgão fiscalizador no endereço abaixo:

Endereço: Rua Ulisses Caldas, 181, Cidade Alta, Natal – RN CEP. 59025-090

• Telefones: (84) 3232-9050 / (84) 3232-9051 0800 281 1000

• E-mail: [email protected]

• WhatsApp – (84) 9 8870-3865 (denúncias)

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Emanuel disse:

    Absurdo. Petrobras com todos seus defeitos tem reduzido o valor da gasolina pelo quinta dia consecutivos e hoje, 29/05/2018, tem posto aumentando valor na bomba. Importante PROCON acompanhar e fazer o direito do consumidor. Depois os donos de postos vem com hipocrisia colocar panos pretos em luto…

  2. Heriberto disse:

    O PROCON também está fiscalizando o aumento abusivo nos preços de frutas e verduras nos supermercados?

Procon Natal vai fiscalizar nova lei da meia-entrada

A partir da próxima segunda-feira (07/12), o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Natal) fiscalizará a venda de ingressos dos principais cinemas, teatros, shows e eventos esportivos da capital potiguar.

A ação será realizada em decorrência da nova lei da meia-entrada, que entrou em vigor na última terça-feira (1º de dezembro). A lei permite o acesso de estudantes, jovens de baixa renda e pessoas portadoras de deficiência a eventos artísticos e culturais, pagando metade do valor do ingresso.

A nova lei determina que haverá uma limitação de meia entrada para 40% do número total de ingressos, ultrapassando esse percentual, mesmo sendo estudante, terá que pagar inteira.

Os estudantes só terão o direito à meia-entrada mediante apresentação da Carteira de Identidade Estudantil, que seguirá um modelo nacional e poderá ser emitida por entidades como a União Nacional dos Estudantes (UNE), Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), além de diretórios centrais de estudantes e centros acadêmicos.

“Nesse momento, a nossa maior preocupação é o fato de muitos estudantes não possuírem a carteira nacional e já terem carteiras locais com validade até março de 2016”, explica o diretor do Procon Natal, Kleber Fernandes.

Segundo ele, o Procon Natal deve provocar o Ministério Público do Consumidor para definir entendimento conjunto sobre o tema e se for o caso assinar termo de ajustamento de conduta com as empresas.

Em caso de dúvidas ou reclamações, o consumidor pode entrar em contato com o Procon Natal pelo telefone 84 3232 9050.

Confira as principais mudanças:

1 – carteira terá um padrão nacional e será emitida por entidades nacionais (UNE, UBES, ANPG, ou entidades locais por elas autorizadas como DCE´s e Centros Acadêmicos)

2 – jovens de baixa renda não pagarão a carteira

3 – para ter acesso à meia entrada terão que apresentar a carteira no ato da compra e na portaria ou entrada do evento

4 – jovens de baixa renda também terão acesso à meia entrada mesmo que não sejam estudantes (jovens de 15 a 29 anos que estejam inscritos em programas sociais do governo federal e cuja família tenha renda mensal de até 2 salários mínimos)

5 – Portadores de deficiência também terão acesso à meia entrada

6 – A meia entrada passará a valer também camarotes, áreas vip, cadeiras especiais, exceto os espaços que ofereçam serviços adicionais como bebidas e buffet.

7 – haverá uma limitação de meia entrada para 40% do número total de ingressos. Ultrapassado esse percentual, mesmo sendo estudante, terá que pagar inteira.

8 – os estabelecimentos passam a ser obrigados a informar a quantidade de ingressos disponíveis para o público em geral e para meia entrada, manter relatório detalhado de vendas por 30 dias, telefone do Procon e alertar o consumidor acerca do esgotamento dos ingressos destinados à meia entrada.

Procon Natal: Pesquisa aponta aumento de 28,75% no preço dos ovos de páscoa

O Procon Natal realizou pesquisas voltadas para a Semana Santa, incluindo pescados e ovos de Páscoa. O objetivo da pesquisa é subsidiar o consumidor com informações acerca dos estabelecimentos mais baratos, proporcionando-lhe uma maior economia na compra desses produtos. Ao todo, foram pesquisados 26 estabelecimentos da capital entre supermercados e lojas do ramo.

Quanto aos ovos de Páscoa, foram pesquisados 16 estabelecimentos, no período de 9 a 13 de março, totalizando 53 itens, em que foram constatadas diferenças de até 50,24%, no caso do ovo de 150 gramas, com uma variação de R$ 23,29 a R$ 34,99, uma diferença de R$ 11,70 na unidade.

O Procon Natal orienta ainda que os ovos que apresentem qualquer tipo de avaria como embalagens violadas, amassadas ou chocolates derretidos e quebrados devem ser expostos em gôndolas separadas, com a devida informação de forma clara e ostensiva, além de desconto proporcional.

Com relação aos pescados, foram pesquisados 10 estabelecimentos e 20 itens entre peixes (incluindo o bacalhau) e camarão, no período de 16 a 20 de março. Foram constatadas diferenças de até 93%, como, por exemplo, no quilo do peixe-castanha, que pode custar de R$ 6,98 até R$ 13,48.

Portanto, é notória a significativa diferença nos produtos pesquisados, podendo o consumidor se utilizar dos dados do Procon Natal a fim de garantir uma maior economia. O consumidor deve também ficar atento às datas de validade e condições de armazenamento, tanto dos pescados e dos ovos de chocolate. Em caso de má prestação de serviços, a recomendação do diretor-geral do Procon Natal, Kleber Fernandes, é denunciar ao instituto de defesa do consumidor. A pesquisa está disponível no site da Prefeitura do Natal, no endereço www.natal.rn.gov.br/procon.

Fiscalização

O diretor-geral Kleber Fernandes afirma que, além da pesquisa, o Procon Natal vai fazer nos próximos dias uma ação denominada “Páscoa Mais Segura”, que consistirá na visita a estabelecimentos que comercializam ovos de Páscoa e pescado para averiguar questões de acondicionamento, precificação, forma de exposição dos produtos, validade e aspectos de higiene.

Procon Natal alerta consumidores para o Dia dos Namorados

Com a proximidade do Dia dos Namorados, as vendas no comércio aumentam e é necessário que o consumidor fique atento. Nesse sentido, o Procon Natal recomenda que o consumidor planeje a compra de forma consciente. Seja qual for o produto a ser adquirido, é indispensável verificar as promoções, bem como qualidade e garantia. Depois, a dica é pesquisar preços a fim de não comprometer o orçamento.

Para o diretor geral do órgão, Daniel Bandeira, no caso de aparelhos celulares, é preciso verificar as diferenças entre pré e pós-pago e os planos das operadoras. “Observar quais os recursos que o aparelho oferece e se atendem às necessidades do presenteado é primordial”. É indispensável também guardar todo o material publicitário, principalmente no caso dos aparelhos eletroeletrônicos, para facilitar a resolução do problema.

Para aqueles que pretendem celebrar em restaurantes, casas noturnas e bares, a recomendação é que façam as reservas com antecedência; lembrando que a taxa de serviço é opcional ao cliente e a informação deve constar no cardápio e na nota fiscal de forma clara e precisa.

Para quem prefere fazer as compras via internet, o Procon sugere que adquira os produtos em sites confiáveis. “A compra deve ser efetuada com 30 dias de antecedência para não atrasar a entrega”, destaca Daniel.

Em toda compra é imprescindível que o consumidor exija a nota fiscal, que é o comprovante válido da aquisição, da garantia e necessário para eventuais reclamações. Em caso de dúvidas ou problemas, consulte o Procon Natal que fica localizado na Rua Seridó, 355, Petrópolis, ou pelo telefone 3232-9050.

Dicas
1) Pesquise: a pesquisa de preços é a melhor maneira de economizar no presente;

2) O fornecedor não é obrigado a trocar o presente se o produto não apresentar defeito, no entanto, caso se comprometa, solicite no ato da compra uma declaração escrita da possibilidade de troca, podendo a mesma ser feita na própria nota fiscal;

3) Não compre com pressa, nem por impulso. Uma compra não planejada pode ser um transtorno no pós-compra;

4) No caso de flores, pesquise os preços (que podem ter uma variação enorme de um estabelecimento pra outro), analise o conteúdo do arranjo, taxa e comprovante de entrega;

5) As cestas temáticas também precisam de atenção especial. Antes de comprar verifique se o presenteado tem alguma restrição nutricional (diabetes, hipertensão, vegetariano, etc.) ou alérgica;

6) Não acredite em produtos de beleza milagrosos, as propagandas usam de artifícios para atrair os consumidores. Se possível teste o produto antes de comprar, verificando sempre a composição, se o presenteado for alérgico;

7) Com os eletroeletrônicos é necessário observar a voltagem do produto (110 ou 220 V), dando preferência aos mais econômicos. Além disso, verificar se há uma assistência técnica próxima é essencial em caso de falha no produto;

8) Prefira pagamento à vista, muitos estabelecimentos dão desconto nessa forma de pagamento. Se comprar a prazo veja o seu orçamento para os próximos meses e se a compra não interfere no planejamento;

9) Exija nota fiscal;

10) Se comprar em promoções fique atento à qualidade do produto, que pode conter defeitos. Verifique também as possibilidades de troca;

11) Nos restaurantes, o fornecedor deve informar a cobrança de couvert de maneira explícita, assim como a forma de pagamento;