Política

VÍDEO: Bolsonaro diz que pediu investigação sobre preço da CoronaVac

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, nessa quinta-feira (22) que enviou um pedido à CGU (Controladoria Geral da União) para investigar o oferecimento da vacina CoronaVac pelo Instituto Butantan.

“Chegou a documentação pra nós que empresa que fabrica a CoronaVac , a matriz que fornece o IFA, lá na China, oferecendo para nós agora essa vacina a US$ 5. […] O [ministro da Saúde, Marcelo] Queiroga conversou comigo encaminhamos esse oferecimento de vacina para a CGU (Controladoria Geral da União). Ontem encaminhamos ao Ministério da Justiça e hoje encaminharemos ao Tribunal de Contas pra que seja investigado o porquê da metade do preço agora, o que aconteceu com Butantan”.

De acordo com o presidente, o Instituto Butantan também foi oficiado para explicar porque a matriz está oferecendo a vacina a US$ 5 enquanto o Butantan revende a US$ 10.

“Pode ser que não haja nada de errado nisso tudo, mas o Butantan nunca nos apresentou as planilhas de preço e o custo final de cada vacina”, declarou. “Então temos agora sim uma questão pra ser investigada. Pode não ser nada? Pode. Mas pelo que tudo indica no momento, é o algo assustador o que vem acontecendo lá no no Butantan”.

“Eu acredito que em poucos dias a CGU, a Justiça e o TCU possam nos dar a resposta sobre esse contrato. Obviamente, que interessa pra nós, ao continuar usando a corovac no Brasil, comprar diretamente da China por metade do preço, do que pagar o dobro no Butantan. Deixo bem claro, não tô acusando de corrupção, de desvio, de nada, apenas uma documentação aqui que nos traz aqui uma enorme preocupação do que aconteceu”, disse.

RESPOSTA DO BUTANTAN

Em nota, o Instituto disse que o valor ofertado pelas vacinas “inclui todas as despesas ordinárias diretas e indiretas, incluindo o preço pago à SinoVac, os custos de importação (taxa de administração, frete, seguro do produto, tributos e impostos), os custos de produção (envase, recravação, rotulagem e embalagem), custos dos testes de qualidade, administrativos e regulatórios, armazenagem e transporte”.

Leia a íntegra:

“*NOTA SOBRE DECLARAÇÃO DO BOLSONARO*

É de conhecimento do Butantan que no início do mês de julho o consórcio COVAX Facility ofertou vacinas ao Ministério da Saúde. A quantidade, de apenas 500 mil doses, faz parte de um lote de 20 milhões de vacinas, a preço de custo, destinado a mais de 100 países em altíssima vulnerabilidade.

A negociação entre o Butantan e o Ministério da Saúde passou por todas as etapas legais, incluindo a apresentação da planilha de custos da vacina para as equipes técnicas do Governo Federal, em reunião no mês de outubro de 2020. O valor final das vacinas ofertadas pelo Butantan inclui todas as despesas ordinárias diretas e indiretas, incluindo o preço pago à SinoVac, os custos de importação (taxa de administração, frete, seguro do produto, tributos e impostos), os custos de produção (envase, recravação, rotulagem e embalagem), custos dos testes de qualidade, administrativos e regulatórios, armazenagem e transporte. O Butantan, portanto, se responsabiliza por todas as etapas que se referem à vacina, e entrega o produto pronto no armazém do Ministério da Saúde.

O Instituto Butantan mantém vários canais abertos com a sociedade civil, órgãos públicos e de controle, respondendo a todos os questionamentos desde o início do processo, com o intuito de colaborar com o aumento da transparência tão necessária neste momento do país.”

Poder 360

 

Opinião dos leitores

  1. Agora? Que demora? Recebeu denúncia de pedido de 1 dolar, e não encaminhou, contrato da Covaxin, assinado e recurso empenhado antes de qualquer sombra de autorização da Anvisa td em tempo recorde e por fim, compra de Coronavac com imtermediador que não era o Butantan. Depois do rei ter ficado nú, a conversinha é essa. CEY!SERTU!

  2. Bota pra torar Véio Bolsonaro do cunhão rôxo. Só não bote de uma vez, se não o calcinha apertada vai gostar kkkkk

  3. E as provas do tse? nada? Era só blefe ou curtindo as alucinações e devaneios? Fizer um exame de sanidade mental junto com pixuleco e seus codinomes, será diagnosticado um grau elevadíssimo de transtorno mental. Não consigo ver quem é menos vagabundos e ladrões.

  4. KKKK. E a culpa de comprar com sobrepreço no governo é de quem? De quem compra CLARO! Para fazer qualquer compra ou contratação pública, o gestor tem que saber a média de preços praticados no mercado ora! Mais uma cortina de fumaça desse governo inepto cheio de CORRUPTOS do MINTO das rachadinhas…

    1. Homem deixa de ser ridículo e vai ver o que tua esposa está fazendo, se é que vc tem uma, tu deve estar brocha e só se preocupa com política barata, escrevendo besteira, isso é muito feio para um homem, que danado quer saber das tuas opiniões idiotas e fora de contexto, o povo quer o melhor para o país, ninguém aguentava mais tanto roubo e miséria, e a volta daquele lixo é um sonho inatingível.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pazuello se reuniu com intermediadores que ofertaram CoronaVac pelo triplo do preço, mas negócio não foi efetuado

Foto: Reprodução

O então ministro Eduardo Pazuello (Saúde) prometeu a um grupo de intermediadores comprar 30 milhões de doses da vacina chinesa Coronavac que foram formalmente oferecidas ao governo por quase o triplo do preço negociado pelo Instituto Butantan.

A negociação, em uma reunião fora da agenda oficial dentro do ministério em 11 de março, teve o seu desfecho registrado em um vídeo em que o general da ativa do Exército aparece ao lado de quatro pessoas que representariam a World Brands, uma empresa de Santa Catarina que lida com comércio exterior.

A gravação, obtida pela Folha e já de posse da CPI Covid no Senado, foi realizada no gabinete do então secretário-executivo da pasta, o coronel da reserva Elcio Franco. Nela, Pazuello relata o que seria o resumo do encontro.

“Já saímos daqui hoje com o memorando de entendimento já assinado e com o compromisso do ministério de celebrar, no mais curto prazo, o contrato para podermos receber essas 30 milhões de doses no mais curto prazo possível para atender a nossa população”, diz o então ministro, segundo quem a compra seria feita diretamente com o governo chinês.

A proposta da World Brands, também obtida pela Folha, oferece os 30 milhões de doses da vacina do laboratório chinês Sinovac pelo preço unitário de US$ 28 a dose, com depósito de metade do valor total da compra (R$ 4,65 bilhões, considerando a cotação do dólar à época) até dois dias após a assinatura do contrato.

Naquele dia, 11 de março, o governo brasileiro já havia anunciado, dois meses antes, a aquisição de 100 milhões de doses da Coronavac do Instituto Butatan, pelo preço de US$ 10 a dose. A demissão de Pazuello seria tornada pública por Bolsonaro quatro dias depois, em 15 de março.

Além da discrepância no preço, o encontro fora da agenda contradiz o que Pazuello afirmou em depoimento à CPI da Covid, em 19 de maio. Aos senadores o general disse que não liderou as negociações com a Pfizer sob o argumento de que um ministro jamais deve receber ou negociar com uma empresa.

“Pela simples razão de que eu sou o dirigente máximo, eu sou o ‘decisor’, eu não posso negociar com a empresa. Quem negocia com a empresa é o nível administrativo, não o ministro. Se o ministro… Jamais deve receber uma empresa, o senhor deveria saber disso”, disse Pazuello à CPI.

No vídeo(AQUI), um empresário que Pazuello identifica como “John” agradece a oportunidade do ministro recebê-lo e diz que podem ser feitas outras parcerias “com tanta porta aberta que o ministro nos propôs”.

A reunião dos empresários foi marcada com o gabinete de Elcio Franco, que recebeu o grupo. Segundo ex-assessores da pasta, Pazuello foi chamado à sala, ouviu o relato da reunião e fez o vídeo.

Três pessoas que acompanharam a reunião disseram que o vídeo foi gravado mesmo antes de Pazuello conhecer o preço da vacina.

Segundo um ex-auxiliar do ministro, a ideia era propagandear nas redes sociais o avanço em uma negociação, no momento em que o governo era pressionado a ampliar o portfólio de vacinas.

Após a gravação, de acordo com os relatos colhidos pela Folha, parte da equipe do ministro pediu que os empresários não compartilhassem o vídeo, que foi feito por meio do aparelho celular do empresário identificado como “John”.

Um dos assessores de Pazuello teria alertado o general após a reunião de que a proposta era incomum, acima do preço, e a empresa poderia não ser representante oficial da fabricante da vacina.

Caso o negócio fosse adiante, as doses seriam as mais caras contratadas pelo ministério, posto hoje ocupado pela indiana Covaxin (US$ 15), que tem o contrato suspenso por suspeitas de irregularidades.

A proposta da empresa tem data do dia 10 de março, véspera da reunião com Pazuello. Segundo dois auxiliares do ex-ministro e um dos empresários que acompanharam a conversa, a oferta só chegou à pasta no dia do encontro.

Apesar de Pazuello ter dito no vídeo que havia assinado um memorando de entendimento para a compra, a negociação não prosperou.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Se Pazuelo estava negociando uma segunda frente de abastecimento de vacinas estáva mais do que certo; estava certíssimo… VEjam: com a pandemia se alastrando ferozmente, Calça apertada sonegando informações sobre coronavac e até chantageando governo; com a fiocruz atrasando importações e envasamento ( a turma lá é toda da canhota e começaram a inventar que a máquina que lacrava os frascos deu pane e demoraria consertar…) vcs acham que o governo iria ficar só assistindo?? Parabéns Pazuelo!!!

  2. Ué, mas não foi ele que disse que não negociava vacinas ?? rsrsrs
    Cada dia fica mais complicado defender esse governo!

  3. Mais um caso de pré-corrupção onde o negócio ainda não foi fechado, a compra ainda não foi paga e a propina ainda não foi recebida…Recorrem ao filme Minority Report, é o q os bandidos têm contra o governo???? kkkkkkkkkkkkkk

  4. Ué!!!!!
    Ja mudaram o laboratório??
    Kkķkkkkkkkk
    Palhaçada.
    Jaja vem a desmoralização desses babacas.
    Estão procurando pentelho em casca de ovo, não vão achar nunca.
    Vão investigar o consórcio nordeste que acham bem facinho.
    Tá bem razinho, é so querer, mais não ficam aí ciscando que nem galinha choca.
    Rsrsrs…

  5. Depois foi a cpi mentir. Disse que ministro não se reunia para compra de vacinas. Não cabia a ele. Como essa turma desse governo consegue mentir tão descaradamente. Num dia caguei, no outro tô entupido. Num dia entubado, no outro dando entrevista pra TV.

  6. Corrupção imaginâria, das vacinas que não foram compradas e pelas quais não foi pago um centavo sequer. E perde-se tempo e dinheiro com essa narrativa mentirosa, tentando criar algo que não existiu. Querem corrupção de verdade? Aguardem a CPI estadual, que investigará contratos efetivados (coisa REAL) pela governadora Fátima do PT, onde foi gasto muito dinheiro de verdade.

    1. CORONAVAC FOI COMPRADA E PAGA, A MATÉRIA RELATA REUNIÃO COM INTERMEDIÁRIOS DA CORONAVAC. Presidente LADRAO DE VACINAS !

    1. Dos escândalos com dinheiro escondido na cueca passamos aos escândalos de dinheiro escondido na farda. Que vergonha! Que desmoralização das forças armadas. Acabou a possibilidade de sermos ingênuos e acreditarmos na lisura e na honestidade dos militares. Colocados no poder se locupletam das verbas públicas tanto ou mais que os civis!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bolsonaro aprova teto de preço de R$ 140 mil para isenção de IPI de carro PCD; veja o que muda

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou a lei Nº 14.183, que, entre outras medidas, eleva de R$ 70 mil para R$ 140 mil o teto para isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para o carro PCD. Após aprovação na Câmara e no Congresso, o texto estava desde o dia 24 de junho nas mãos de Bolsonaro. Desse modo, a nova lei entra em vigor imediatamente.

Além do aumento do teto para o benefício, a nova lei diminui de quatro para três anos o prazo para a troca do veículo adquirido com isenções pelo público PCD. O presidente Bolsonaro, contudo, vetou o artigo que incluía pessoas com deficiência auditiva como beneficiários. Segundo o deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ), autor da emenda, o tema deve voltar à pauta em breve. Ou seja, tanto na Câmara quanto no Senado.

Seja como for, as mudanças que entram em vigor visam corrigir, sobretudo, o teto de preço de carros para obtenção do benefício. Em 2012, foi definido o limite de R$ 70 mil. Portanto, na época dava para comprar até sedãs médios, como o Toyota Corolla.

Limitação do preço extinguiu os carros PCD

O problema é que não existem mais modelos com câmbio automático abaixo de R$ 70 mil. Por exemplo, com a escalada da alta dos preços dos carros novos, sobretudo após o início da pandemia da covid-19, a tabela Volkswagen Gol com transmissão automática chega a R$ 83 mil.

Portanto, tal como mostramos aqui no Jornal do Carro há pouco mais de um mês, os chamados carros para PCD desapareceram. Mas, as vendas desse segmento, que teve volumes recordes em 2019 e 2020, promete voltar a crescer com a mudança do teto de isenção do IPI.

De todo modo, os benefícios fiscais para a compra de carros novos por PCDs estão em dispositivos diferentes da lei. O desconto do IPI surgiu em medida provisória de 1995 e foi regulamentado em lei federal de 2003. Por sua vez, o abatimento do ICMS foi criado por um convênio do Confaz de 2012. Já a isenção do IPVA é definida por cada Estado em lei específica.

Proposta discutia somente a isenção do IPI

Há até pouco tempo, o cliente PCD que comprava um carro novo, podia se valer das duas isenções: IPI e ICMS. O benefício do imposto estadual varia conforme a unidade federativa. Atualmente, o teto é de R$ 70 mil e foi postergado para até 30 de março de 2022.

Entretanto, esse valor não é corrigido há 12 anos. Ou seja, o Confaz estabeleceu o limite de R$ 70 mil para isenção do ICMS em 2009. Desde então, o governo não revisou esse teto. Nesse interim, o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP–M) aponta que a inflação acumula alta superior a 106,5%. Assim, se fosse aplicada apenas a correção monetária do período, o atual teto de isenção ultrapassaria os R$ 145 mil.

Em live na internet feita nesta quinta-feira (15), o presidente da Abridef, Rodrigo Rosso, disse que acredita que agora há um forte argumento para que o mesmo aumento de limite seja estendido à isenção do ICMS. Todavia, ele pondera que as negociações com o Confaz são difíceis. “Temos de trabalhar desde já para que haja mudanças até 30 de março de 2022”, diz.

Benefício do IPI termina neste ano

Tramita na Câmara uma outra proposta para postergar a validade da isenção de IPI para carros PCD. O Projeto de Lei (PL 5.149/2020) quer prorrogar para até 2026 da isenção do imposto na compra de automóveis por Pessoas com Deficiência. Em tese, o benefício acaba no dia 31 de dezembro de 2021.

De qualquer forma, Rosso acredita que a reação do mercado será imediata. Ainda que não haja mudança no teto de isenção do ICMS. “E quase uma certeza que as montadoras e concessionarias darão descontos.”

Quais os modelos que poderão ter isenção?

A partir de agora, mais de 40 modelos estão elegíveis à isenção de IPI para a compra por PCDs. Nesse sentido, estão SUVs como Hyundai Creta, Chevrolet Tracker e Volkswagen T-Cross, bem como o sedã Toyota Corolla. Os utilitários esportivos compactos, sobretudo, poderão ter um “boom” de vendas diretas, tal como ocorreu nos últimos anos.

Porém, a crise causada pela escassez de semicondutores está limitando a produção das veículos. Assim, isso vem afetando todo o mercado. Portanto, pode frear o crescimento de vendas de carros novos para PCDs.

De acordo com Rosso, embora haja uma demanda represada para a compra de carros por PCDs, tudo vai depender da disponibilidade de veículos no mercado: “Há muitas peças em falta. Alguns determinados modelos que você comprar hoje só irá receber em 2022.”

SUVs médios deverão criar versões para PCD

Para atender esse público, é possível que até SUVs médios passem a ter versões específicas, com preço de até R$ 140 mil. Ou seja, alguns modelos podem até perder equipamentos. Seja como for, até SUV médios, como Jeep Compass, Toyota Corolla Cross, têm preços iniciais em torno de R$ 140 mil.

Veja aqui a lista dos modelos que custam menos de R$ 140 mil e, portanto, ficarão elegíveis à isenção para PCD.

Jornal do Carro – Estadão

 

Opinião dos leitores

  1. A matéria divulgada está incorreta, que. é PCD sabe que para compra só com isenção de IPI não tinha limitador do valor do carro e o prazo de troca era a cada 2 anos. O governo federal esse ano baixou para 70mil e troca aumentou para 4 anos. Após a interferência dos deputados e senadores que apoiam os deficientes físicos, conseguimos o aumento do valor para 140mil e a redução do tempo de troca de 4 para 3 anos. Então não teve nada de bom do governo federal e sim uma correção do direito que ele tinha retirado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras eleva preço da gasolina, diesel e gás de cozinha

Foto: Reuters

A Petrobras vai reajustar de uma só vez os preços da gasolina, diesel e do gás de botijão (GLP) a partir de amanhã para as distribuidoras.

No caso da gasolina, o preço médio por litro sobe 6,32%, de R$ 2,53 para R$ 2,69. Assim, acumula desde janeiro um aumento de cerca de 46%.

No diesel, o avanço foi 3,69%, de R$ 2,71 para R$ 2,81 em média por litro. Desde janeiro, a alta acumulada é de 39%.

É o primeiro movimento de avanço nos preços da gasolina e do diesel desde que Joaquim Silva e Luna tomou posse como presidente da Petrobras no dia 19 de abril. Ele assumiu no lugar de Roberto Castello Branco, que foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro justamente por desentendimento após reajustar os preços em meio a rumores de greve dos caminhoneiros.

No GLP, para as distribuidoras, o valor passará a ser de R$ 3,60 por quilo, refletindo um aumento médio de R$ 0,2. É uma alta de 5,8%. No ano, segundo fontes do setor, o preço do gás de botijão acumula alta de 38%.

Segundo uma fonte do setor, os aumentos refletem o avanço do preço do petróleo no mercado internacional, estoques baixos no Golfo do México e alta no consumo na Ásia por conta do reaquecimento da economia.

Em nota, a estatal disse que “busca evitar o repasse imediato para os preços internos da volatilidade externa causada por eventos conjunturais. Os preços praticados pela Petrobras seguem buscando o equilíbrio com o mercado internacional e acompanham as variações do valor dos produtos e da taxa de câmbio, para cima e para baixo”.

Impacto na inflação

Segundo Guilherme Sousa, economista da Ativa Investimento, mesmo após essa alta na gasolina, ainda existe espaço potencial de nova elevação de até 14% por parte da Petrobras no curto prazo:

– O acréscimo feito pela Petrobras segue em linha com nossas estimativas, pois sempre informamos que as altas para mitigar a defasagem poderiam ser feito de forma fracionada.

Étore Sanchez, também da Ativa, acredita que o reajuste na refinaria afetaria as bombas apenas no terceiro decêndio de julho, com impacto proporcional no IPCA de julho e integral em agosto

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Gasolina 7,00. Óleo de cozinha 10,00. Gás de cozinha 130,00. Kg de carne 50,00! E o gado mugindo e culpando todo mundo. É a esquerda, é governadores, é a China, é a Rússia, é a França! É o PT! É Lula. 2 anos e 6 meses de governo, o mundo recuperando a passos largos e o Brasil afundando. Aí vai aparecer um acorda brasil, um antenado, um direita honesta, e o pior de todos um tal de Caligula, só para conversarem merda e ainda tem uns metidos a corretos e donos da verdade. É o Brasil de hoje e espelho de Bolsonaro! Falsos moralistas e falsos cristãos!

  2. A população brasileira assiste sentada e aceita essa situação – vamos a greve geral de abastecimento – deixar de abastecer.
    Isto é uma vergonha – saudades de LULA
    ele vai voltar c tdo gás

    1. Dia 25/07, greve dos caminhoneiros.
      Trabalhadores em geral devem parar e apoiar o movimento.

  3. Mas o minto não tinha dito do o ex-presidente da Petrobras por causa dos aumentos? Mais uma mentira desse crápula que ocupa o Palácio do Planalto. Pior presidente da história do Brasil.

  4. A culpa desse aumento todo eh de Lulaladrao, De Fátima e de Pedro Álvares Cabral… O MINTOmaníaco das rachadinhas não tem culpa nenhuma talkei… kkkk

    1. O tal do esquerdista é assim: defende o monopólio estatal em lugar do livre mercado. Aí quando a empresa monopolista faz o preço que bem entende vem culpar os outros. É pior que praga de gafanhoto, gafanhoto destrói tudo, mas não vota.

    2. Dorminhoco Brasil, a quem interessa esses aumentos equiparando aos valores internacionais, se não for ao capital e a investidores? Tudo era culpa do PT, virou dos governadores, mas na verdade só esse ano quase 50% de aumento! Venderam refinaria da Bahia a preço de banana, qual o investimento feito com lucros exorbitantes na Petrobras em refinaria? Vocês é quem adoram culpar a tudo e a todos, e não aceitam que esse Brasil está entregue na mão de Guedes que só pensa nos interesses de mercado e no capital financeiro, e nesse presidente miliciano ladrão! Única coisa que avança e muito é o ministro da infraestrutura Tarcísio de Freitas e de certa forma Teresa Cristina na agricultura, mas é preciso rever a questão ambiental! O resto é só desgraça! Inflação nas alturas e Bozo no colo do centrão para se manter no poder!

    3. Tomaz, faltou sal no seu capim? Só pode…
      Faladeiro de MEDA dobaralho

  5. Os preços vão cai a partir de agosto,só não caiu antes devido a pandemia e os ajustes na Petrobrás pelo novo presidente.
    Tbm falta contrapartida dos governos Estaduais.

    1. Deixa de falar besteira, gado bovino dominado.

    2. Kkkkkkkkkkkk. Rindo muito de quem sempre tem uma justificativa pra idolatrar o político de estimação…

    3. Os preços não sei se caem mas Bozo já está em queda livre faz tempo. Não vai nem pro segundo turno. Titia entende de cunhão roxo mas em matéria de política e economia é analfabeta de pai (vários possíveis) e mãe, ex funcionária de Maria Boa.

    4. Ainda tem muitos como vc, abestalhado, que tá achando tudo normal. Não enxerga ou não quer enxergar o que está acontecendo.

  6. Esse governo é um desastre. Gasolina a 6,29 e ainda vai aumentar, inflaçao quase 10% no acumulado de 12 meses, inflaçao real na sesta basica. Acho que desde o governo Collor, esse é o pior governo e ainda faz reformas que so piora a situação do mais pobre. Ao final desse governo o proximo estará lascado pq vai pegar uma bomba…

  7. Desde janeiro um aumento de cerca de 46%…
    Alguém aqui coloca se teve um aumento desse no salário de Janeiro pra cá…só pra gente saber mesmo…
    O omi é bom…o omi é especular…
    46% de aumento…..pahhhhh

    1. Isso só irá ter um fim, no dia que a população souber a força que tem….
      Já pensou se 80% da população simplesmente parassem os carros e fizessem greve…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Câmara retoma discussão para votação do projeto de Bolsonaro para unificar ICMS sobre combustível com objetivo de suavizar variações de preços

Foto: REUTERS/Leonardo Benassatto/File Photo

Depois de quatro meses de gaveta, a Câmara dos Deputados retoma nesta semana a votação do projeto de lei complementar do presidente Jair Bolsonaro que muda a maneira como o ICMS é aplicado sobre os combustíveis no país (PLP 16/2021).

Apresentado ainda em fevereiro, no auge das ameaças de novas greves nacionais por grupos de caminhoneiros, a proposta é mais uma tentativa do governo federal de tentar reduzir a volatilidade dos reajustes em um ano em que os aumentos foram especialmente fortes e que o preço do diesel, da gasolina e do etanol bateram recordes nas refinarias e nas bombas.

A principal mudança é que, em vez de ser cobrado em uma porcentagem do preço (que hoje varia de 25% a 34% na gasolina, por estado), o ICMS passe a ter um valor fixo, em reais. O projeto também quer que o valor cobrado seja igual em todos os estados — hoje cada estado define a sua alíquota.

Além disso, a cobrança passaria a ser feita nas refinarias, que são quem produz os combustíveis, de maneira a driblar a bitributação. Atualmente, o ICMS é aplicado nos postos, e acaba incidindo sobre os outros impostos (PIS, Cofins e a Cide), pagos nas etapas anteriores.

O valor do novo ICMS não está definido no projeto, e o governo federal nem pode arbitrar sobre ele, já que é um tributo da alçada dos governadores. A cobrança final seria definida depois de a lei ser aprovada, em conjunto com os estados. No ano passado, o ICMS custava, em média, pouco mais de R$ 1,20 por litro no caso da gasolina no posto, ou pouco menos de 30% do preço total, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Além dos combustíveis para carros e caminhões, a proposta também unifica o ICMS de outros derivados como lubrificantes, gás natural, GLP e querosene.

Imposto não vai diminuir

O ICMS é, de fato, um dos maiores pesos no preço final do combustível na bomba. Na gasolina, por exemplo, responde por 28% do valor, em média. É quase o mesmo que o preço da própria gasolina, a matéria-prima que sai da refinaria e que representa 30% do valor total. Pouco mais de 40% restantes embutem os outros impostos, custos, fretes, uma mistura obrigatória de etanol e as margens de lucro das empresas.

Especialistas concordam que um ICMS fixo é bem-vindo no sentido de ajudar a suavizar as variações muito bruscas de preços, mas reforçam que não é isso que acabará com o problema, já que são o dólar e a cotação internacional do petróleo que realmente dão o ritmo do custo final dos combustíveis.

Poucos acreditam também que a carga tributária ou preço final vão acabar menores após a mudança. A aposta mais provável é que, na média, o peso do tributo fique parecido com o atual, apenas reformulado na maneira de ser cobrado. “O que a proposta faz é simplificar e dar mais previsibilidade para a cobrança”, disse o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (Cbie), Adriano Pires.

Falta de debate

Muitos também afirmam que a medida deveria ser feita de maneira menos atabalhoada e com uma discussão mais ampla, já que ela mexe numa das principais fontes de arrecadação dos estados e lida com uma questão muito sensível.

“O preço dos combustíveis está alto e a contribuição do ICMS para o valor final nos postos é relevante”, afirmou a consultoria GO Associados em relatório. “Todavia, em vista do expressivo peso da arrecadação do ICMS para os estados e da complexa tributação dos combustíveis, uma mudança na forma de se cobrar o ICMS sobre os combustíveis merece atenção especial e ampla discussão entre os diversos atores econômicos envolvidos.”

O ICMS é a principal fonte de receita dos estados e, de acordo com a consultoria, de 15% a 30% de tudo o que eles arrecadam com o imposto vem dos combustíveis.

Preço sobe em São Paulo e desce no Rio

O ICMS, ou Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, é um imposto estadual. As alíquotas são definidas pelos estados e variam bastante de um para o outro. Atualmente, elas vão de 25% a 34% para a gasolina, de acordo com a Fecombustíveis, federação que reúne os postos de gasolina. Para o diesel, as alíquotas variam de 12% a 25% e, no etanol, vão de 13% até 32%.

Isso significa que, caso o projeto de unificação vingue, os estados que hoje têm o ICMS mais baixo sairiam com a carga tributária final mais alta do que a atual: é o caso, por exemplo, de São Paulo, Santa Catarina, Roraima, Mato Grosso, Amapá, Amazonas e Acre, que cobram hoje a menor alíquota sobre a gasolina, de 25%.

Já os que cobram mais – caso do Rio, que cobra 34% na gasolina e tem o ICMS mais caro do país – sairiam com o preço final da gasolina mais barato.

Não à toa, há mais de 15 anos, e sem sucesso, o setor discute com o Congresso e o governo da vez tentativas de unificar o ICMS dos combustíveis em um valor igual nacional, contou ao CNN Business o presidente da Fecombustíveis, Paulo Miranda, à época que Bolsonaro apresentou sua ideia.

“A ideia é boa, mas é dificílima de conseguir, porque sempre há resistência dos estados. Alguns sairiam com arrecadação menor e, outros, maior”, disse Miranda.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Todos os presidentes do Brasil sempre foram responsabilizados pelos preços dos combustíveis e energia, a política de icms se manteve inalterada nas suas taxas, agora bolsonaro tentam polemizar com mais essa cortina de fumaça. Tontos, o icms que incide sobre os combustíveis ao longo de vinte anos se manteve inalterado. O problema é má vontade da política governamental. Só

  2. Capim e alfafa para o gado engolir. O problema do preço dos combustíveis é que ganhamos em rela, mas pagamos gasolina, etano e diesel em dólar. Sem alteração na política de preços dos combustíveis, qualquer outra medida é populismo barato.

    1. Ohhh DESINFORMADO, tu já viu a carga tributária do ICMS sobre o combustível ?
      Por que sua GOVERNADORA não reduz o ICMS sobre combustível, se paga quase 30% só deste tributo.
      O Governo Federal zerou os tributos, pede para sua GOVERNADORA fazer o mesmo.

    1. Atirando com a pólvora alheia. Menos Brasília e mais Brasil é o que precisamos, e não de pirotecnia populista que não resolverá o problema.

  3. Mas o presidente inepto o MINTOmaníaco das rachadinhas não mudou o presidente da Petrobras dizendo que iria baixar o preço do diesel e gasolina? Se o governo dele quer alterar impostos pq não apoiou a reforma tributária? Pense num governo de mentirosos cercado por um monte de bovinos mugindo idolatrando um abestado desses!

    1. Antes de falar, procura se informar. O presidente baixou imposto sobre a gasolina. Tua governadora não fez o mesmo.

    2. Desce do muro, seu hipócrita! Tá com inveja porque seu candidato não pode ir pra rua?
      Segue a maju!
      Fala de qual lado você tá! Diz quem é seu candidato! Lógico que sabemos que és canhoto. Fica tirando onda de independente kkkk. Tu és um canhoto. Se tá em cima no muro vai descer pra o lado canhoto . Até porque só existem dois lados no Brasil, o resto não forma.

    3. Zé mané o que encarece o preço do combustível é o ICMs que se cobrado na refinaria irá baratear em mais de 50% do preço atual.

    4. Pense num gado cheio da cloroquina: só consegue enxergar esquerdista na frente! KKKK.

      Pablo: o MINTO das rachadinhas não baixou nada! Onde vc está pagando gasolina ou diesel mais barato? Me diga aí para eu ir abastecer!

      Aguinaldo: Eu não tenho inveja de ninguém que faz peculato como o MINTO cara! Muito menos de Lulaladrão abestado!

      Esquerda: O que encarece o combustível zé ruela não é o ICMS abestado! A alíquota do ICMS não sobe faz tempo viu! O que tem causado o reajuste é o valor do dólar e a cotação do barril de petróleo no mercado mundial… O presidente inepto só tem discurso e não baixou PN!

      REPITO: O MINTO das rachadinhas não fez nem faz nada para fazer uma reforma tributária!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras reduz em 2% preço da gasolina nas refinarias

Foto: Paulo Whitaker/Reuters

A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina nas refinarias em cerca de 2%, ou R$ 0,05 por litro, para R$ 2,53 por litro a partir de sábado, informou a assessoria de imprensa da petroleira nesta sexta-feira (11).

O preço médio do diesel, por sua vez, não sofrerá alterações.

O impacto de mudanças nos preços dos combustíveis feitas pela Petrobras nas refinarias sobre os consumidores finais, nos postos, não é imediato e depende de uma série de questões, como impostos, margens de distribuidores e revendedores, além da adição de biocombustíveis.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Depois do aumento que teve?! Os postos fazem oq querem e ngm faz nada. Dessa vez aumentou sem nenhuma justificativa.

  2. E ainda teve gente que acreditou que o MINTOmaníaco mudou o presidente da Petrobras pra baixar o diesel e gasolina… Ele tirou pq o ex presidente se negou a assinar um contrato de publicidade de 100 milhões com o SBT e a Record… Eh a nova política…

  3. O revoltante é que eles falam que o preço altera de acordo com o dolar. So que o dolar caiu 89 centavos e porra da gasolina nao baixa. Ai se o dolar subir hoje, amanha sobe a gasolina.

  4. 5,99 – 2% = 5,87. Isso se a redução chegar de fato ao consumidor. Vai fazer uma diferença danada… Quem não podia comprar gasolina agora pode! É o país das maravilhas!

    1. Gente, por favor, desvinculem esse nojento que se identifica como da nossa cidade, que é pobre, sofrida, mais o povo é ordeiro, honesto, trabalhador, religioso, respeita o próximo, é família e não se identifica em nada com o que ele escreve, desconsiderem e não acreditam em nada que ele faz. Tenham certeza, se o povo daqui descobrir quem é, pode morar fora, se colocar os pés aqui, leva uma mão de peia para nunca ser esquecer.

    2. Dona Francisca Silva…quem te deu o papel de censora?
      A ditadura acabou faz tempo (apesar das tentativas de fazê-la retornar, como a sua!)
      Todos aqui são livres para expressar suas opiniões…deixa o Japiense falar…manda bala, cabra bom…

  5. Baixou em 2% a gasolina e vai aumentar em 6% o gás de cozinha. É aquele velho ditado: “dar com uma mão e tira com a outra”.

  6. Petrobras deveria ser estatizada.A gasolina deveria ter um preço fixo,variável com a inflação.
    Nada de economia mista.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Anitta detalha e conta o preço de tatuagem no ânus

Foto: Reprodução

Conforme foi amplamente divulgado, o assunto tatuagem no ânus deu mesmo o que falar! Repercutiu velozmente a ponto de outras pessoas tomarem Anitta como exemplo para tatuarem os seus.

Desta vez, a poderosa revelou o preço que pagou pela ‘emblemática’ tatuagem no bumbum durante pegadinha feita por Mauricio Meirelles em seu programa na RedeTV!, o “Foi Mau”.

Segundo ela, foi em torno de R$300, 00. Recentemente, o maquiador e fotógrafo Rick Tavares, fã confesso da cantora, também resolveu aderir à arte e postou o registro por meio das redes sociais.

“Tem muita gente dizendo que é biscoito, que são dez minutinhos de fama, mas deixa eu dizer uma coisa: gente, eu não me importo com as críticas, até porque, se eu me importasse, não postaria foto tatuando o c*”, justificou o rapaz.

Observatório – IG

Opinião dos leitores

  1. Essa “sujeita” é um dos mais fiéis símbolos da esquerdalha brasileira, ao lado do não menos icônico Felipe Neto.

  2. Vou fazer uma com letras grandes no meu bilau com a seguinte frase: O Véio Bolsonaro é duro e quem não quiser cair que se deite, o Véio é madeira de dá em doido e tem aquilo rôxo. Kkkk

  3. Os fãs do Lula e da esquerda vão tatuar a rede de esgoto com a barba do Lula, a cara do tchê Guevara e o charuto do Fidel Castro . Kkk kkk
    A buzanfa da Anita merece uma kkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Procon Natal cita pesquisa com 36 medicamentos com menores preços entre farmácias e drogarias; confira

Foto: Núcleo de Pesquisa/Procon

A Equipe de Pesquisas do Procon Natal realizou pesquisa comparativa de preços de medicamentos entre os dias 03 e 06 de maio de 2021. A pesquisa teve como amostras farmácias e drogarias, distribuídas pelas 4 (quatro) regiões da cidade do Natal. Foram pesquisados 36 medicamentos, (26 de referência e 10 de genérico).

O Núcleo de pesquisa do Procon Natal constatou uma diferença nos preços de medicamentos que chega a mais de seiscentos por cento. No entanto, os pesquisadores observaram que cada rede de Farmácia ou Drogaria tem seu próprio desconto ao consumidor e certos medicamentos têm seu desconto direto do laboratório, além de determinados consumidores que possuem desconto conforme cadastro.

A Câmara de Regulamentação do Mercado de Medicamentos – CMED, autorizou reajuste dos preços de medicamentos no Brasil no dia 01 de abril de 2021, aprovado pelo Conselho de Ministro s da referida Câmara, que estabeleceu três níveis de reajustes: 1.º nível, (grupo principal anatômico) de 10,08%; 2.º nível, (grupo principal terapêutico) de 8,44% e 3.º nível, (subgrupo farmacológico/terapêutico) de 3,79%. Na lista de medicamentos da CMED.

Para o Núcleo de pesquisa do Procon Natal, os medicamentos na cidade do Natal estão com variação muito alta mesmo com produtos de grande variedade como é o caso do Dipirona gotas de 20ml, um analgésico encontrado em todos os estabelecimentos pesquisados e que apresentou uma variação de 520%, sendo uma diferença de R$ 10,40 com o menor preço encontrado por R$ 2,00 e o maior preço R$ 12,40. A pesquisa também observou que as mesmas redes de medicamentos diferem seus preços entre as farmácias da rede, é o caso da Pague Menos, onde o estabelecimento localizado no bairro do Potengi na zona norte foi a farmácia com maior número de preços baixos encontrado pela pesquisa num total de 22,22% dos produtos pesquisados.

Das 22 Farmácias e Drogarias pesquisadas, em sete não foram encontrados produtos com menores preços pelos pesquisadores do Procon Natal, mas destaca-se que na Farmácia Pague Menos do Potengi foram encontrados sete menores preços e a Drogaria do Carrefour, do mesmo bairro, com cinco menores preços, duas com quatro menores preços a Cooperfarma de Igapó e também na Drogaria Carrefour de Candelária, a Farmácia dos Trabalhadores no bairro de Potengi com três menores preços. Outras cinco com menores preços e sete com apenas um menor preço encontrado pela pesquisa.

O Procon Natal informa que o objetivo da pesquisa é esclarecer o público onde procurar medicamentos com menores preços e também divulga ranking com as 10 farmácias e drogarias, e orienta aos consumidores para consultarem na íntegra a pesquisa realizada e divulgada, no endereço eletrônico www.natal.rn.gov.br/procon/pesquisa. E mais o site do governo federal junto à Anvisa para consultas de medicamentos

Para o Núcleo de pesquisa é valida a pesquisa em virtude do aumento autorizado pelo governo federal, visto que já era previsto como acontece anualmente esse reajuste. Para isso o consumidor deve exercer o poder de pesquisa e adquirir produtos com preços mais baixos, uma vez que a pesquisa aponta esses preços baixos e os estabelecimentos e divulga em sua página eletrônica.

CUIDADOS E ORIENTAÇÃO COM MEDICAMENTOS:

Entre as centenas de marcas de medicamentos de venda livre indicados para dor e febre, vários podem causar reações alérgicas, intoxicações, interações medicamentosas e outros efeitos adversos. Por isso, antes de usar qualquer medicamento isento de prescrição, peça orientação ao farmacêutico, que é o profissional indicado para esclarecer as suas dúvidas na farmácia e drogaria;

O uso de ansiolíticos com outros medicamentos e álcool é extremamente perigoso, pois os efeitos prejudiciais são intensificados, podendo causar graves danos à saúde dos pacientes. Devido aos efeitos colaterais, indivíduos sob tratamento com esses medicamentos não devem exercer atividades que exijam coordenação motora e reflexos rápidos;

Nem sempre o uso de medicamentos é o melhor remédio. Converse com seu médico e procure outras medidas que possam amenizar o seu problema de ansiedade e insônia, como exercícios físicos e relaxamentos;

É fundamental o acompanhamento do idoso pela família nas consultas médicas e na administração de medicamentos;

É importante não interromper o tratamento, respeitar os horários de administração e as doses dos medicamentos;

Todo medicamento deve ser orientado pelo médico e sua compra deve ser aparentada com receita;

Se observar o aparecimento de qualquer sintoma, suspenda a medicação e procure um médico;

Medicamento de referência possui marca registrada, com qualidade, eficácia terapêutica e segurança comprovadas através de testes científicos. Registrado pela Anvisa;

Medicamentos similares são produzidos após vencer a patente dos medicamentos de referência e são identificados por um nome de marca. Possuem eficácia, segurança e qualidades comprovadas através de testes científicos e são registrados pela Anvisa;

Medicamento genérico é aquele que contém o mesmo princípio ativo, na mesma dose e forma farmacêutica, é administrado pela mesma via e com a mesma posologia e indicação.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras aumenta preço de gasolina e diesel às vésperas de mudança no comando

Foto: Custódio Coimbra/Agência O Globo

Na véspera da nomeação do general Joaquim Silva e Luna como presidente da estatal, a Petrobras anunciou alta nos preços da gasolina e do diesel hoje. Os novos valores passam a valer a partir de amanhã.

Segundo a estatal, o diesel teve alta média por litro de R$ 0,10 . Assim, passará de um preço médio de R$ 2,66 para R$ 2,76. Esse é o sexto aumento desde janeiro. No ano, o diesel acumula alta de 36,6% nas refinarias.

O litro da gasolina subiu R$ 0,05 por litro, passando de R$ 2,59 para R$ 2,64. Esse é o sétimo aumento do ano. Assim, no acumulado do ano a gasolina acumula alta de 43,4% nas refinarias.

Em nota, a Petrobras disse que o “alinhamento dos preços ao mercado internacional é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras”.

A estatal esclareceu que “os reajustes são realizados a qualquer tempo, sem periodicidade definida, de acordo com as condições de mercado e da análise do ambiente externo”. Isso possibilita, informou a empresa, “competir de maneira mais eficiente e flexível e evita o repasse imediato da volatilidade externa para os preços internos”.

No dia cinco de abril, a Petrobras elevou o preço do gás às distribuidoras em até 39%. A alta começa a valer a partir de maio. O reajuste será repassado ao consumidor final, embora não na mesma proporção, segundo a associação que reúne as distribuidoras.

O aumento nos preços dos combustíveis a partir de meados de fevereiro gerou um desgaste entre o então presidente da estatal Roberto Castello Branco e Jair Bolsonaro. Insatisfeito, Bolsonaro demitiu Castello Branco e nomeou Silva e Luna para o cargo.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. caro amigo, se informe melhor ,nenhum presidente pode interferir na Petrobras a não ser mudar a presidência, e mesmo assim quando o atual presidente mudou ,o STF ainda quis investigar se o presidente interferiu na Petrobras, e só a nível de informação eu não sou bolsonarista , mas não faço oposição por fazer , antes me informo bem sobre as notícias, fica a dica.

  1. O que me intriga é Que não tem alguém pra gritar estericamente nos postos quando no Goveno petista a Gasolina subia alguns centavos.agora pasmem.estamos no Mês 04 e já temos 07 aumentos. Onde estará a turma do “Só é tirar a Dilma que tudo melhora ”
    ?????

  2. Pronto, amanha ja sobe 40 centavos nos postos. Daqui a pouco a gasolina vai chegar aos 6 reais e o presidente vai dizer que foram os governadores que aumentaram. O pior é que tem muito apombaiado que acredita, apesar de que a grande maioria ja está percebendo quem realmente está jogando o Brasil num buraco.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

ARTIGO: Preço do diesel pode igualar com o da Gasolina

Foto: Reprodução

Ontem no 79⁰ Leilão de Biodiesel o preço chegou ao valor R$7,50 por litro (3 vezes acima do custo do Diesel na Petrobras), como estava muito alto a ANP suspendeu o Leilão. Se essa elevação do preço do biodiesel se mantiver, o preço de compra de Diesel pelos postos deverá subir aproximadamente R$0,36 por litro. Mas não para por aí, pois a isenção da cobrança do Pis/Cofins pelo Governo Federal se encerrará no final desse mês e incrementará mais R$0,31 no preço.

Somando os dois o impacto vai para R$0,67. Como os postos não possuem margem para absorver esse aumento, fatalmente os preços nas bombas deverão subir na mesma proporção, aí vem a pesquisa do PMPF dos estados, que se aplicarmos a média de 18% (ICMS) vai impactar em mais R$0,12. Resumindo a ópera, esse Leilão tem um potencial de elevar os preços do Óleo Diesel em quase R$0,80…

Para evitar isso, bastaria ao Governo Federal reduzir a mistura do Biodiesel no Diesel para de 13% para 4%, isso neutralizaria esse aumento. Não fazendo nada, existe a possibilidade da elevação dos preços do Diesel próximo ao valor da Gasolina.

Nélio Wanderley

Opinião dos leitores

  1. E engraçado o ptralha derruba o presidente , e o ladrão dele de estimacao destruiu o Brasil com roubos e falcatruas, vá para a Venezuela seu ptralha , quem apoia vagabundo e ladrão Boa pessoa não e, o presidente está tentando resolver sem roubos , e o teu PT vagabundo afundou o Brasil.

  2. E engraçado o ptralha derruba o presidente , e o ladrão dele de estimacao destruiu o Brasil com roubos e falcatruas, vá para a Venezuela seu ptralha , quem apoia vagabundo e ladrão Boa passo a não e, o presidente está tentando resolver sem roubos , e o teu PT vagabundo afundou o Brasil.

  3. Importante ressaltar que uma baixa de preços do biodiesel pode ser feita de duas maneiras uma diminuindo a demanda conforme explicado por Nelio. Diminui a quantidade exigida e aumenta a oferta no mercado assim baixa preço. Outra maneira seria liberar a forma de aquisição e deixar o mercado mais livre, tanto pra comprar aqui quanto pra importar. Com a desculpa de ajudar a agricultura familiar o programa de biodiesel hoje é um barril de pólvora guiado por grandes empresários.

  4. Bolsonaro NÃO foi expulso do exército, “cumpanhero”. Não espalhe MENTIRAS. Cuide da sua governadora, que está deixando o povo potiguar morrer, está quebrando o estado e não fez NADA de positivo até o momento. Fez a reforma da previdência estadual.

  5. Esse cara está jogando o Brasil na cova, literalmente! Na minha família o que tem de gente arrependida por ter votado no ex militar expulso do exército. Aliás, a pesquisa XP dá uma reprovação de 60%. Após o auxílio emergencial, seguramente chegará aos 80%. Vai ficar somente ele e os evangélicos, povo santo…sqn.

  6. O governo federal retirou o IPI dos combustíveis para tentar baixar os seus preços. Mas, os governadores, inclusive Fátima do PT, aumentaram o ICMS sobre eles. Safadeza.

    1. “Direita Honesta”, não existe IPI sobre combustíveis. O que o governo federal fez foi retirar os tributos federais (PIS e Confins) que respondem por 8% da composição do preço do diesel. Detalhe, essa medida vale a pena para os meses de março e abril. Ou seja, não é permanente e nem terá efeito prático nenhum além de enganar os desinformados. O que o Messias faz, como sempre, é fazer de conta que a responsabilidade sobre o assunto não é dele e diz que os governadores devem reduzir o ICMS para o diesel baixar. Muito fácil querer que os estados diminuam sua arrecadação enquanto o governo federal não faz NADA de efetivo sobre o assunto. Por que Petrobrás não reduz a adição do biodesel como pede o setor de transportes? Algo igualmente ruim aconteceu com o gás de cozinha. Em outubro de 2020 Paulo Guedes disse que com a abertura do mercado, o botijão de gás iria cair de preço por volta de 50%. O governo então vendeu a estatal Liquigás por R$ 4 bilhões. O preço do gás de cozinha caiu por acaso? Esse é um governo feito de falácias. Quem quiser que acredite nele enquanto o País afunda.

  7. Né possível! O novo general não vai deixar o diesel subir talkei! Veremos… Será que o general que o minto colocou na Petrobras já virou comunista? Ou será que já virou petista? Qual a narrativa de ocasião aí gente?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bug do Carrefour: Problema em site faz empresa vender produtos abaixo do preço

Foto: REUTERS/Régis Duvignau

Já pensou em comprar uma televisão de 43 polegadas por R$ 400? Ou uma máquina de lavar grande por R$ 398,90? Parece até mesmo uma brincadeira de 1º de abril. Mas não foi isso o que aconteceu: o site do Carrefour apresentou problemas na manhã desta quinta-feira (1) e diversos de consumidores aproveitaram disso para fazer várias compras no site do varejista.

Os descontos eram, de certa forma, inimagináveis mesmo se fossem em uma Black Friday: como uma geladeira Brastemp Duplex de R$ 2.449 por R$ 419,90. Ou um smartphone Samsung Galaxy S20 de R$ 4,443,33 por R$ 419,90.

Procurado, o Carrefour confirmou que se tratou de um problema interno e que se manifestará mais tarde. Foi criado um comitê interno para lidar com o problema.

O Procon-SP notificou a empresa para entender o que aconteceu. Entre os pedidos de esclarecimento estão os produtos que foram afetados, a quantidade de consumidores que fizeram a compra e qual foi o motivo desses preços tão baixos.

A empresa pode não entregar?

Para Guilherme Farid, chefe de gabinete do Procon-SP, a empresa é obrigada a cumprir com todas as vendas segundo o Código de Defesa do Consumidor. Mas existe um porém: o bom senso. Segundo Farid, quando um “erro grosseiro” é detectado, a empresa pode não cumprir com a entrega do produto.

“Erros acontecem. O ponto principal para analisarmos a situação é o bom senso. É a norma de direito: não está escrito em nenhum lugar, mas está presente em todos”, diz Farid.

Por isso, na visão do profissional do órgão de defesa do consumidor, cada produto será analisado caso a caso. No caso de descontos de maiores, como os citados aqui na reportagem, aparentemente, se tratam de erros grosseiros.

Porém, no caso dos produtos com descontos dentro do convencional, de cerca de 50%, que costumam ser comuns em datas promocionais, a história pode ser diferente.

Mas um cliente pode ir à Justiça se quiser receber o produto?

“A Justiça já teve a oportunidade de analisar esse tipo de problema e pode estabelecer o cumprimento forçado. Porém, o juiz equaliza a leitura do caso com a questão da razoabilidade e do bom senso”, diz Farid. “A Justiça vai ouvir as declarações da empresa para entender o caso.”

Nas redes sociais, os próprios consumidores admitiam que os preços estavam muito fora do normal. Alguns já começam a publicar que as compras foram canceladas.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Levando em consideração esses acontecimentos, até a nota divulgada pelo Procon de São Paulo, qual o caminho que podemos trilhar, para conseguir ficar com os pedidos? Justiça, ou outro tipo de reclamação, até através do Procon de SP?
    Se levarmos em consideração a nota divulgada pelo próprio Procon, qual o melhor caminho para conseguir o direito a ficar com os produtos comprados?
    Existe um sistema de recompensas criado pelo Carrefour, que não cancelou minha recompensa, mesmo eles cancelando a compra.
    O Carrefour ainda enviou vouchers de 50,00 reais para cada cliente que efetuou a compra, e teve seu pedido cancelado.
    Enfim, o que fazer para ter direito a receber o produto adquirido?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Gasolina e diesel estão mais baratos nas refinarias a partir desta quinta-feira

Foto: © Agência Petrobras/Geraldo Falcão/direitos reservados

Os preços do litro da gasolina e do óleo diesel ficam R$ 0,11 mais baratos a partir desta quinta-feira (25) nas refinarias da Petrobras. Com isso, o litro da gasolina está sendo vendido a R$ 2,59 para as distribuidoras (uma queda de 4,1%).

Já o óleo diesel está sendo comercializado nas refinarias pelo valor de R$ 2,75 por litro (uma queda de 3,8% no preço anterior).

A Petrobras ressalta que o valor do combustível para os consumidores finais ainda sofre a influência de tributos, da adição obrigatória dos biocombustíveis e da margem de lucro das distribuidoras e postos.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Só não baixa nos postos, já é a segunda redução, onde anda o Procon e os protestos?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras anuncia primeira redução, em 5%, no preço da gasolina do ano

Foto: Divulgação/Petrobras

A Petrobras reduzirá o preço do litro da gasolina, na média, em 5% nas refinarias, a partir de sábado (20/03). O preço do diesel, por sua vez, segue inalterado.

Com o ajuste, o litro gasolina ficará R$ 0,142 mais barato nas refinarias, ao custo de R$ 2,69 o litro.

Esta é a primeira queda nos preços praticados pela estatal para a gasolina no ano. Até então, a petroleira havia anunciado seis aumentos em 2021 para o derivado.

A queda da gasolina acompanha a desvalorização dos preços internacionais do petróleo nos últimos dias. Entre 9 de março, data do último reajuste, até ontem, o barril do tipo Brent acumulou uma desvalorização da ordem de 7%.

Valor

Opinião dos leitores

  1. Em 30 dias essa diminuição chegará nas bombas. Se fosse reajuste para cima, amanhã ou até mesmo hoje estaria na bomba.

  2. Quero vê baixar na bomba à exemplo quando aumenta. Os Srs. dizem que só diminui quando chegar a gasolina com novo preço. Quando é para aumentar os menino bestas marcam na calada da noite. Não deixam nem amanhecer o dia. BRASILLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL.

  3. Já vou correndo agora para o posto de combustível para pegar essa redução no preço.
    Quero ver se os donos de postos serão tão ligeiros como fazem nos dias de aumento de preços.
    Espera aí uns quinze dias!!!! Se é que vão atualizar….
    Só tem caba sabido nesse Brasil …

    1. Deco, primeiro vai vê se a sua desgovernadora baixa a pauta do ICMS que ela subiu essa semana.
      Aquele tal PMPF que vc sequer sabe o que é.
      Blz!!
      Otário.

    2. Não enrola, amigo..
      Faz tua parte e pressiona GD pra baixar ICMS

  4. E aí donos de postos do RN, ficaram sabendo ou vão fingir que não sabem?
    Onde a gasolina tá mais barata hj custa R$ 5,89, bora aguardar que preço vai ficar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras sobe preço da gasolina pela 4ª vez no ano; diesel tem 3ª alta

Foto: Economia G1

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (18) mais um aumento dos preços médios de venda às distribuidores da gasolina e do diesel, que irão vigorar a partir de sexta-feira (19), segundo comunicado da estatal.

O preço médio de venda de gasolina nas refinarias da Petrobras passará a ser de R$ 2,48 por litro, refletindo aumento médio de R$ 0,23 por litro. Já o preço médio de venda de diesel passará a ser de R$ 2,58 por litro, refletindo aumento médio de R$ 0,34 por litro.

É a quarta alta do ano nos preços da gasolina, e a terceira no valor do litro do diesel. Em dezembro, o litro da gasolina custava em média R$ 1,84. Já o do diesel saía a R$ 2,02.

Com os novos reajustes, o litro da gasolina nas refinarias acumula alta de 34,78% desde o início do ano. Já o diesel subiu 27,72% no mesmo período.

Nos postos, a gasolina está 5,8% mais cara desde a primeira semana do ano, vendida a R$ 4,833 na média, segundo pesquisa semanal da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Já o diesel era vendido a um preço médio de R$ 3,875 o litro nas bombas.

Política de preços

No início o mês, a petroleira divulgou comunicado para reafirmar que não houve alteração no alinhamento dos seus preços de combustíveis em relação ao praticado no mercado internacional.

Em nota nesta quinta, a Petrobras afirma que esse alinhamento “é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras”.

Os preços internacionais do petróleo atingiram nesta quarta-feira os maiores níveis desde janeiro do ano passado. O barril do tipo Brent fechou em alta de 1,6%, a US$ 61,14, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) avançou 1,8%, para US$ 61,14.

A estatal tentou amenizar o impacto das altas no bolso dos brasileiros, citando o preço pago pelos combustíveis internacionalmente. Em nota, destacou que, segundo pesquisa da Globalpetrolprices.com abrangendo 167 países, “o preço médio da gasolina ao consumidor final no Brasil está 17% inferior à média global e ocupa a 56ª posição do ranking sendo, portanto, inferior aos preços observados em 111 países”.

Para o diesel, em uma amostragem de 166 países, o preço final no Brasil está 28% inferior à média global, segundo a estatal, o que coloca o país na 43ª posição do ranking, com um preço inferior a 123 países.

“Em ambos os casos, os preços médios no Brasil estão abaixo dos preços registrados no Chile, Argentina, Peru, Canadá, Alemanha, França e Itália”, acrescentou.

Governo quer mudanças em tributos

Diante de reclamações do setor de transporte sobre o valor dos combustíveis, o governo vem falando em alterar a estrutura de tributação do setor. No último dia 5, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo avalia um projeto para estabelecer um valor fixo do ICMS sobre combustíveis ou a incidência do ICMS sobre o preço dos combustíveis nas refinarias.

O presidente afirmou que o governo está fazendo estudos sobre as mudanças no ICMS e que, se ficar comprovada a viabilidade jurídica, apresentará um projeto sobre o tema ao Congresso na semana que vem.

De acordo com o presidente, o valor do ICMS fixo seria decidido pelos governos estaduais, junto com as assembleias legislativas.

G1

Opinião dos leitores

  1. O negócio só piora, o gás de cozinha custando quase R$ 100,00, kg da carne quase R$ 50,00, o combustível só para quando chegar a R$ 10,00, o arroz R$ 8,00, óleo de cozinha a 10,00, e o desemprego assolando . E tem que falar que está tudo bem.

  2. O véi é bom
    O véi é arrochado
    O véi é demais
    O véi é maravilhoso
    ÔÔÔÔÔ homem bom
    Bota no caneco do GADO, presidente cagão.
    Muuuuuuuuuujjjjjjuuuuuuuuuuuuijuu

  3. A petrobras só anuncia aumento da gasolina e do diesel, porém o Etanol sempre aumenta junto com a gasolina. PORQUE?????

    1. Saudades da época que a Petrobras era saqueada, né meu filho! kkkkkkkkkkkkk

  4. Outro aumento?
    No governo da Dilma,quando chegou a 3 reais bsteram panelas.
    Deixa 2022 ,está bem proximo…

    1. Dilma era tão querida que amargou o quarto lugar para o Senado em MG! Se conforme companheiro, a eletrolula faliu e seus postes não acendem mais… kkkkkkkkkkkkkkkk

  5. Com esses reajuste a Petrobrás está pagando os roubos da era petista, esqueceram da roubalheira ? Esse é o resultado da política de represamento de preço.

    1. Será ? Vá logo arrumando outra desculpinha . Essa não cola não !

  6. Avisem ao genocida q o brasileiro não ganha em dólar para pagar gasolina nessa moeda.
    Avisem ao genocida tb pra devolver o valor do real frente ao dólar, desvalorizado pra atender o agronegócio.

    1. A surpresa que o MINTOmaníaco nos reservou pra esta semana foi esse aumento? Kkkkk. Só rindo pra não chorar de tanta emoção!!!

    2. Olha aí!!

      O futuro Ministro do interior do Brasil já achou a solução de novo.

      Esse Misnistro tinha que ser empossado no cargo logo.

      O MITO O MESSIAS já poderia criar esse ministério e entregar ao maior e melhor ministro do interior do Brasil.

  7. Como dizem por aqui: " pede pra cagar e sai" , Bolsonaro. O pior presidente da República. Fora Bolsonaro. Pelo menos ele pensou no meio ambiente. Todo mundo de bicicleta rsrs

  8. Mas calma fiquei sabendo que ele vai baixar o imposto das bicicletas…

    Pronto problema resolvido… hahahaha

    ow veio Macho!!!

  9. Parabéns Bolsonaro, bem que você falou que daqui para sexta feira haveria novidades sobre os combustíveis, a novidade era o aumento. O home bom e de palavra.

  10. Oh governo bom. Já impediu pobre e classe média de viajar de avião, agora de ter carro. É isso mesmo, arrocha em cima do povo Bolsonaro, que você ainda vai ser reeleito!

    1. Sem emprego, sem comer, o negócio só piora, o governo federal vai acabar com a pobreza matando os pobres. Até pra andar de bicicleta tá difícil, pois sem comer o pobre não tem energia pra isso

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Bolsonaro diz que vai editar decreto sobre preço de combustíveis

FOTO: REPRODUÇÃO/YOUTUBE

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quinta-feira (11), em sua live semanal nas redes sociais, a edição de um decreto que obriga postos de gasolina a exibirem aos consumidores a composição do preço do combustível, com descrição do valor de cada imposto cobrado e das margens de lucros dos agentes envolvidos, incluindo os distribuidores e os próprios postos.

“Será via decreto. A gente espera que o Parlamento aprove. Não tem nada de mais. É um direito de todos vocês saber quanto de imposto se paga em qualquer mercadoria. A gente vai exigir, via decreto, dos postos de gasolina”, disse. Bolsonaro não informou quando o decreto será publicado.

“Não vou negar informações pra vocês. Final de janeiro, tivemos 7 centavos [de aumento] no preço do diesel. Na segunda-feira última, mais 13 centavos. E parece que vai ter mais reajustes ainda porque o preço do petróleo está subindo lá fora e o dólar não cai no Brasil”, disse o presidente. Desde 2016, a Petrobras segue uma política de variação do preço dos combustíveis que acompanha a valorização do dólar e a cotação do petróleo no mercado internacional. Os reajustes são realizados de forma periódica nas refinarias.

Durante a live, Bolsonaro afirmou que deve apresentar nesta sexta-feira (12) um projeto de lei complementar para regulamentar trecho de uma emenda constitucional de 2001 e definir os combustíveis e lubrificantes sobre os quais o imposto incidirá uma única vez.

A ideia, já anunciada em uma coletiva de imprensa na semana passada, é alterar a forma de cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços), que é um tributo estadual e representa, por exemplo, cerca de 14% do preço final do diesel, combustível usado no transporte de carga por caminhoneiros.

Segundo o presidente, o projeto deve atribuir ao Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) a prerrogativa de discutir como a cobrança do ICMS deve ser fixada sobre os combustíveis. O colegiado é formado por integrantes do Ministério da Economia, incluindo o titular da pasta, Paulo Guedes, e todos os secretários estaduais de Fazenda.

“Nós queremos que o Confaz decida qual percentual vai incidir em cima do litro dos combustíveis ou um valor fixo, em real, que vai constar para cada litro de combustível, a título de ICMS”, disse Bolsonaro, que negou que o projeto seja uma interferência da União sobre a autonomia dos estados.

“Num segundo momento, os senhores governadores vão decidir, com suas respectivas assembleias legislativas, quanto é esse percentual ou qual o valor fixo em cima do litro. Não tem nenhuma interferência minha. Nenhum governador vai perder receita”, afirmou.

Ainda na transmissão ao vivo, Bolsonaro citou o valor dos impostos federais incidentes sobre a gasolina, o diesel e o GLP (gás de cozinha) e criticou a forma como o ICMS é fixado atualmente. O imposto é um percentual cobrado no preço do combustível vendido na bomba e varia de estado para estado.

“O que se faz de 15 em 15 dias? Pega-se o valor médio do combustível e daí os governadores aplicam o percentual em cima daquilo. O ICMS não só incide em cima do preço do combustível na refinaria, mas incide também em cima do PIS/Cofins, incide em caso de existência de Cide [Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico], incide em cima da margem de lucro dos postos, incide em cima do custo da distribuição e incide em cima do próprio ICMS. Isso é uma loucura”.

R7, com Agência Brasil

Opinião dos leitores

    1. Na Venezuela a gasolina é barata…
      Maduro é um excelente presidente e espera de braços abertos os esquerdistas insatisfeitos.

  1. Os governadores agem de má fé, cobrando ICMS em cima de tudo, assim fazem erroneamente sobre várias concessionárias pelo país, essa roubalheira tem que acabar.

  2. Importante também a Petrobrás, as Usinas de Etanol e Biodiesel, Cias de Gás mostrarem seus lucros. Transparência em toda a cadeia.

  3. o que esse louco diz nao se escreve… todo mundo sabe disso!!! e só os burros de carroça acreditam!!!e ainda que funcionasse, porque só agora depois de dois anos no poder???? só alienado pra acreditar nesse Forrest Gump!!!!

  4. Ecaaaa mais uma medida que gera transparência e vai levar o devido conhecimento na composição dos preços dos combustíveis. Como esse Bolsonaro faz uma coisa dessas? Só toma medida que a esquerda reprova e não aceita. Agora é saber qual partido da esquerda vai ao STF pedir a anulação desse decreto. Que nojo, esse Presidente atrasa o país, não respeita a democracia, como pode expor o lucro de quem vende combustível, NÃOOOOOOO!
    Isso deve ser barrado, afinal a esquerda não pode perder mais uma forma de acusar o governo federal em favor da transparência, democracia e do conhecimento.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Bolsonaro confirma reunião com equipe econômica para tentar ‘bater o martelo’ e diminuir impostos sobre combustíveis


O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (8), em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, que pretender reduzir a alíquota de Pis/Cofins aplicadas sobre os preços dos combustíveis no Brasil. Atualmente, o tributo tem o valor de R$ 0,35 sobre o preço do diesel.

“Hoje tenho uma reunião com a equipe econômica para ver se a gente bate o martelo. Queremos diminuir os impostos federais. Mas, para diminuir, pela lei existente, eu tenho que arrumar outro lugar para tirar o dinheiro, a não ser que o Parlamento me dê liberdade para reduzir sem apontar uma outra fonte para compensar isso”, afirmou ele.

Na conversa, Bolsonaro admitiu que o preço dos combustíveis pago pelos consumidores é alto. “O preço [dos combustíveis] na refinaria é menos da metade do preço da bomba. O que encarece são impostos e mais outras coisas também. O imposto federal é alto, o imposto estadual é alto e a margem de lucro de distribuidores e dos postos é grande. Está todo mundo errado aí, no meu entendimento.”

Ele comentou que existe a previsão de novos reajustes no preço dos combustíveis para os próximos dias. “Vai ser chiadeira com razão? Vai. Eu tenho influência na Petrobras? Não”, destacou o presidente.

Mais cedo, a Petrobras já comunicou um reajuste nos preços médios de venda às distribuidoras da gasolina, diesel e gás de cozinha válido a partir desta terça-feira (9). De acordo com uma previsão da Ativa Investimentos, preço da gasolina na bomba deve sofrer um reajuste de até 12% nos próximos 15 dias. A avaliação é de que o aumento seja aplicado de forma fracionada, em duas vezes.

“O combustível é uma coisa que afeta todo mundo. Estamos trabalhando num primeiro momento em cima do óleo diesel. O PIS/Cofins custa R$ 33 centavos por litro. O ICMS também é grande, maior que esse. Ambos são altos, mas os governadores dizem que não podem perder receita e estão no limite. O governo federal também está no limite, masquem está mais com a corda no pescoço é a população consumidora”, avaliou Bolsonaro ao lembrar que a dívida do governo é superior a R$ 5 trilhões.

De acordo com Bolsonaro, o governo “está fazendo o impossível” e lamentou a falta de refinarias em território nacional. “No governo anterior, tentaram fazer três refinarias. Gastaram bilhões e não fizeram nenhuma. Hoje, importamos parte do óleo diesel e a Petrobras alegas que, se não aumentar o preço do diesel, vamos importar algo para vender mais barato e poderia haver desabastecimento”, contou aos apoiadores.

Na última sexta-feira (5), Bolsonaro fez uma reunião com ministros, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, e representantes dos caminhoneiros e manifestou o interesse de enviar ao Congresso um projeto para atribuir aos Estados a definição do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre os combustíveis.

Após receber críticas pela proposta, ele disse que não quer interferir no ICMS. “A minha proposta é para que o imposto seja cobrado em um valor fixo sobre o litro do combustível ou em um percentual em cima do preço das refinarias, porque tem bitributação. Não estou procurando encrenca, nem acusando os governadores por cobrar demais. Nós também cobramos demais, mas devemos buscar uma solução de forma pacífica”, analisou.

R7

Opinião dos leitores

  1. Mais um factóide "pras nega vê". Essa problemática só será resolvida dentro de um contexto de reforma tributária LEVADA A SÉRIO, e não com pirotecnias inúteis.

  2. Isso é um presidente mentiroso. Não é falta de refinarias não. Nos governos anteditas refinarias funcionavam com 100% de sua capacidade. Agora ele mandou reduzir pra 30% pra poder importar combustíveis.
    O gado vai pastando nas mentiras dele.
    Daí o que dá.
    Até o final do ano chega a R$ 10,00
    Mais se fizer arminha ela baixa.

  3. Ele levanta essa fumaça que vai fazer algo… Com 2, 3 dias a boiada esquece e assim ele vai levando tudo e todos em banho-maria.

  4. Interessante, cadê que ele corta logo na fonte esses aumentos abusivos ,jogar para os Estados é fácil , mais não autorizar os aumentos ele não quer

    1. O problema é a falta de estrutura nossa.
      O petróleo sai daqui bruto, um óleo espesso, qse de graça.
      E retorna refinado, gasolina pura de 1a qualidade, a preço de dólar.

  5. Tem que arrochar essa governadora, ele gastou 24.000. Milhões com propaganda mentirosa.
    O nosso dinheiro tá sobrando, tem que reverter pros verdadeiros donos.
    Cadê os respiradores???

    1. Bolsominion é um bicho que gosta de falar sem pensar! O ICMS não teve aumento de aliquota, mas vc tava a 03 anos atrás brabo querendo quebrar tudo, apoiando paralisação e raivoso nas redes sociais. Ai a aliquota do ICMS continua a mesma, o valor da gasolina aumentou de R$ 3,90 para R$ 5,40 e agora a culpa é dos governadores, no seu caso da Governadora porque ela é esquerdalha, comunista e do PT, até porque o Presidente é seu "messias", que Deus não leve a mal o que o boi fala aqui na terra.

    2. Tem que botar quente nessa desgovernadora.
      Ela tem que cobrar o ICMS em cima de 2.25 reais Preço da refinaria e não em cima de 5.19 que é o preço que está nas bombas.
      Tem que cortar isso já!!
      Chega de da dinheiro a esse desgoverno.
      A rigor, pra onde está indo essa dinheirama??
      Fora Fátima!!

  6. Tem muitas canalhices ai, quando a gasolina era 3 reais o percentual do ICMS era 29%, hoje a gasolina custa mais de 5 reais e o percentual do ICMS continua 29%, a culpa da gasolina está mais de 5 reais é dos impostos estaduais ou dos aumentos frequentes que a Petrobrás autoriza?

    1. Em 2018 a gasolina era vendida na refinaria por R$ 1,36, hoje custa 2,25 na refinaria, um aumento de quase 100%.

    2. Faça conta, a gasolina sai da refinaria por 2 reais e pouco e chega na bomba por mais de 5 reais, no meio do caminho incide o ICMS, faltou a aula de matemática?

  7. Diminuir imposto sobre combustíveis. … É estão caros, mas OS ALIMENTOS também não estão caros? Então, agora vamos comer combustíveis?
    No meu ponto de vista as taxações que deveriam ser reduzidas são as que incidem sobre alimentos – itens de primeira necessidade.
    Para os combustíveis, o melhor a fazer seria dar um auxílio temporário aos caminhoneiros.

  8. Quando os governadores irão se reunir com seus secretários de finanças, para diminuir o ICMS dos combustíveis?
    O Mito vai baixar.
    Falta os governadores fazerem sua parte.

    1. O MINTOmaníaco precisa mesmo eh agilizar a reforma tributária… Faz dois anos que só promete!

    2. Esse Calígula é uma vergonha atrás da outra……kkkkk

      É bom estudar viu!

    3. Vamos esperar Sr Neco, vamos ver o que realmente é para ser com os dois presidentes do Senado e da Câmara do lado do Governo de mentiras! Vamos ver o que realmente irá caminhar. Estou torcendo pelo Brasil, antes de tudo espero ver mudanças de fato na vida do Brasileiro! Vou nem comentar o que meu filho diz aqui, vem para casa Cacá, papai tá com a mamadeira cheia de leite pronta para você!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *