Petrobras reajusta em 5% gasolina vendida em suas refinarias a partir desta quarta-feira

Foto: Paulo Whitaker/Reuters

A Petrobras anunciou reajuste médio de 5% para a gasolina vendida em suas refinarias a partir de quarta-feira (8), enquanto manteve a cotação do diesel, informou a companhia nessa terça-feira (7), por meio da assessoria de imprensa.

O movimento é o oitavo aumento seguido para a gasolina, em tendência vista desde o início de maio.

Com o reajuste, o preço médio da gasolina nas refinarias da Petrobras está em R$ 1,6577 por litro, maior valor desde 29 de fevereiro, conforme acompanhamento feito pela Reuters.

A empresa havia elevado a gasolina em 3% na última quinta-feira, quanto também aumentou o diesel em 6%.

Preços nos postos

Na semana passada, os preços dos combustíveis nos postos voltaram subir, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O valor médio do litro da gasolina ao consumidor subiu 1,04%, a R$ 4,064. O preço do litro do diesel avançou 2,27%, para R$ 3,147.

Já o litro do etanol teve alta de 1,03%, para R$ 2,737.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Eita…
    Durante o mês de março, abril e maio, com a diminuição da demanda, os postos de natal, mesmo sem redução da Petrobras, milagrosamente, baixaram o valor da gasolina, cheguei a abastecer a R$3,69. Tão logo diminuiu o isolamento, qdo aumentou a demanda, td voltou ao normal e hj está R$4,70, que preço vamos pagar pela gasolina depois desse anuncio?
    Detalhe, na PB hj, nesse momento está R$ 3,89.
    Embora eles nunca consigam explicar o óbvio, mesmo assim: Com a palavra os donos de postos de da provincia de Natal.

    • Anti-Político de Estimação disse:

      … o que vem corroborar a tese de que a "culpa" parece não ser só da carga tributária. Esse é um "mistério" difícil demais de ser desvendado, sô !

Preço da gasolina cai 9,5% e do diesel 6,5% nas refinarias a partir desta sexta

Foto: © Agência Brasil/Fernando Frazão

A crise econômica mundial causada pela pandemia do novo coronavírus e a disputa entre Rússia e Arábia Saudita sobre o nível de produção do petróleo fizeram baixar o preço dos combustíveis nas refinarias da Petrobras. Segundo a estatal, a gasolina teve redução de 9,5% e o diesel, de 6,5%. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (12).

Os novos preços estarão em vigor a partir desta sexta-feira (13) nas vendas às distribuidoras, mas os valores finais aos motoristas dependerão de cada posto, que acrescem impostos, taxas e custos com mão de obra. Além disso, o mercado brasileiro é baseado na livre concorrência, fazendo com que cada empresa cobre o que achar melhor, segundo explica a Petrobras.

“Os preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras têm como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços).”

De acordo com pesquisa semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 1º e 7 de março, os preços médios ao consumidor no país, para a gasolina, era de R$ 4,531. Para o diesel, o preço médio era de R$ 3,661.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Kirally disse:

    os esquerdopatas não estão reclamando do governo federal, por quê?

  2. Antonio disse:

    Aqui no RN a Petrobrás pode baixar o preço da gasolina em 50% que os donos de postos faz é aumentar. Como sempre está acontecendo. De uma hora para outra os donos de postos subiram para 4,69 sem a Petrobrás subir na refinaria.

  3. Abc disse:

    O Procon serve pra que ?

  4. Torres disse:

    Tem um posto na BR 101 norte, antes da fábrica da vicunha, 4.25.

  5. Wladimir disse:

    Estou em João Pessoa neste momento, e acabei de abastecer de 3,99. Nosso RN é uma vergonha!

  6. Alex Varela disse:

    Como é que a gasolina estava R$ 4,25 e do nada vai pra R$ 4,66, aí aparece esse desconto, que se chegar nas bombas de postos os 9,5% vai ficar entre R$ 4,25/4,20, palhaçada pura, k norte riograndense é o povo mais rico do Brasil, porque tá escancarado que tem alguma coisa errada e ninguém faz nada

  7. Ana disse:

    Não baixa 1,00 na bomba. Fico besta.

  8. João Alfredo disse:

    Em João Pessoa o litro da gasolina fica entre R$ 4,19 a R$ 4,35. Em Recife varia entre R$ 4,29 a R$ 4,50. Já aqui em Natal o precinho está em R$ 4,64 a R$ 4,69. Só para registar o quanto estão arrecadando aqui com os combustíveis, nas costas dos consumidores.

Petrobras reduz em mais de 4% preço da gasolina e do diesel nas refinarias

Foto: Sergio Moraes / Reuters

A Petrobras decidiu reduzir em 4,3% o preço da gasolina e em 4,4% o do diesel em suas refinarias a partir desta quinta-feira, dia 6 de fevereiro. Esta é a segunda vez em menos de uma semana que a estatal reajusta para baixo o preço dos combustíveis.

No último dia 31, a petrolífera reduziu em 3% os preços da gasolina e do diesel em suas refinarias.

A decisão da Petrobras vem em linha com as recentes quedas no valor do petróleo no mercado internacional. Em janeiro deste ano, o barril do óleo tipo Brent acumulou desvalorização de 15%: passando de US$ 68,44 para US$ 58,16.

O recuo no preço da commodity está associado com a redução da demanda chinesa pelo produto. O país asiático enfrenta uma epidemia de coronavírus que já vitimou centenas de pessoas e obrigou o governo prolongar férias e até fechar algumas estradas e distritos.

Nesta quarta, a agência de classificação de risco Moody’s publicou um relatório analisando que o preço do petróleo só tende a ser estabilizado à medida em que a doença for controlada.

“O atual surto de coronavírus reduziu a atividade econômica na China, o maior importador de petróleo do mundo. As estimativas da redução de curto prazo na demanda global de petróleo já se mostraram profundas o suficiente para enfraquecer os preços do petróleo nos últimos dias. Embora um choque de demanda de curto prazo na China aumente significativamente a volatilidade do preço do petróleo, é provável que os preços se recuperem assim que a propagação da infecção por coronavírus for contida ”, indicou o relatório da Moody’s.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Everton disse:

    Se Bolsonaro baixasse os tributos federais chegaria no consumidor, mas ele só trabalha p milico e rico

  2. João Dantas de lima disse:

    BG, eu não entendo, como um litro de gasolina e álcool, e mais barato em São Paulo do Potengi do que em Natal, estive lá no final de semana e verifiquei que um litro de álcool custa 3.35 é um litro de gasolina 4.55

  3. Biu disse:

    Fatoca num abra não, segura seus 30% de imposto, quem quiser que ande de bicicleta, vai ser bacana de carro na casa do c****

Petrobras reduz 3% preço da gasolina e diesel nas refinarias

 Foto: Diego Vara / Reuters

A Petrobras confirmou, há pouco, redução de 3% no preço do diesel e da gasolina para as refinarias. A medida entra em vigor nesta terça-feira (14). O último reajuste anunciado pela companhia para a gasolina foi em 1º de dezembro do ano passado e, para o diesel, no dia 21 daquele mês.A medida não surpreendeu o mercado, disse nesta segunda-feira (13) à Agência Brasil o presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis), Paulo Miranda Soares.

Soares lembrou que, quando começou a tensão entre Irã e Estados Unidos, o preço do petróleo no mercado internacional subiu de US$ 64 para US$ 70 o barril. Como o preço já voltou ao patamar anterior, Soares disse que a tendência é de queda do preço dos dois combustíveis no mercado interno brasileiro. “É absolutamente normal e esperada essa atitude da Petrobras.”

O presidente da Fecombustíveis ressaltou, porém, que, para o consumidor, a redução do preço deve demorar algum tempo, porque as distribuidoras têm que gerir o estoque, estimado entre 15 milhões e 20 milhões de litros. “Só baixa o preço quando ela [distribuidora] vender o estoque que comprou mais caro”. Para chegar à bomba, deve demorar 15 dias, “porque a concorrência é muito grande no setor de revenda”, disse Soares.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Verdade disse:

    Duvido reduzir o preço dos combustíveis nas bombas.

  2. Medeiros disse:

    Em um dia aparece: "Petrobrás aumenta 1% o custo da gasolina nas refinarias", aí você chega no posto o litro tá R$ 0,30 mais caro. Umas semanas depois aparece, "baixou 3% nas refinarias", você vai no posto por várias semanas consecutivas e o preço é O MESMO.

    Bando de ladrão esses donos de postos.

  3. Kennedy Diniz disse:

    Difícil é chegar esta redução nos postos. Quando sobe é de imediato.

  4. Nildo disse:

    Tb era pra demorar ter aumento pois os postos estão com 15 milhões e 20 milhões de litros em estoque,mas no dia seguinte ao ate no mesmo dia os donos de postos aumenta, nas na hora de baixar vem com esssa conversa que tem estoque kkkkkkkkkkkkk isso é brasil

  5. Diogenio disse:

    E isso vai chegar ao consumidor final DUVIDO, DUVIDO,

Petrobras eleva em 4% preço da gasolina nas refinarias

 Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

A Petrobras elevou o preço da gasolina nas refinarias em cerca de 4% nesta quarta-feira (27), na segunda alta em pouco mais de uma semana, em meio à valorização do dólar em relação ao real.

Com a alta, o combustível atingiu cerca de R$ 1,91 por litro, segundo informou a petroleira estatal em seu site. O diesel, em contrapartida, foi mantido estável.

O repasse de ajustes de valores nas refinarias aos consumidores finais nos postos depende de diversos fatores, como margens de revendedoras e distribuidoras, misturas de biocombustíveis e impostos.

O último reajuste tinha sido feito no dia 19, quando o preço da gasolina foi elevado em 2,8%, após mais de 50 dias sem alterações no preço.

Na véspera, o dólar fechou em alta de 0,63%, a R$ 4,2394, renovando máxima nominal. Com a disparada dos últimos dias, a moeda dos EUA acumula alta de 5,73% ante o real na parcial do mês. No ano, o avanço é de 9,43% frente ao real.

Preços nos postos

Segundo a última pesquisa divulgada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio da gasolina nos postos no país na semana terminada no dia 23 de novembro ficou em R$ 4,413, alta de 0,14% frente à semana anterior (R$ 4,407).

Já o preço do diesel ficou praticamente estável, em R$ 3,710 na média, ante R$ 3,715 na semana anterior.

No acumulado no ano, a gasolina acumula avanço de 1,59% e, o diesel, alta de 7,5%, segundo a ANP.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vixeeee disse:

    E AGORA BOLSOMINIOS?????? É MELHOR JAIR SE ACOSTUMANDO COM O PIRES NA MAO PEDINDO ESMOLA

    • joaozinho disse:

      Pergunta ao STF que soltou Lula e que este gera instabilidade com seus discursos fascistas e violentos. Quem vai investir num país em que um Lula pede aos fascistas vermelhos pra tocar fogo em quem gera emprego?

    • Cidadão disse:

      Agradeça ao ladrão corrupto e cachaceiro que fica estimulando o caos e a desordem pública como método de oposição.

Petrobras eleva gasolina em 2,5% nas refinarias

Foto: Gabriela Fittipaldi / Agência Globo

A Petrobras elevou nesta sexta-feira o preço da gasolina em suas refinarias em cerca de 2,5% , de acordo com informações no site da estatal.

O reajuste ocorreu após a companhia ter aumentado em 3,5% o preço da gasolina na quinta-feira da semana passada. Naquela oportunidade, também reajustou o valor do diesel em 4,2%.

O anúncio de aumento de preço da gasolina e diesel nas refinarias foi feito dois dias após a Petrobras afirmar que estava acompanhando a variação do preço do petróleo no mercado internacional e que não faria ajuste de forma imediata nos preços dos combustíveis. Logo após que foi anunciado o aumento do preço, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o reajuste da Petrobras não teve interferência do governo .

Os aumentos ocorreram após o ataque a instalações petrolíferas na Arábia Saudita, que fizeram o barril do petróleo encostar em US$ 70. O preços do barril, porém, cedeu nos últimos dias, depois que os sauditas afirmaram na segunda-feira passada que havia recuperado cerca de 75% da produção de petróleo perdida após os ataques e que restaurariam todo o fluxo nos próximos dias .

‘Confusão danada’

Na segunda-feira, em entrevista à rádio Jovem Pan, o ministro da Economia, Paulo Guedes , disse que reajustes nos preços de combustíveis vão sempre causar “confusão” e “barulho”. Para Guedes, é normal que o presidente Jair Bolsonaro fique preocupado com a dimensão política desse tipo de medida, mas isso não significa uma tentativa de interferir nas decisões da Petrobras.

— Ué, vai ser um problema de novo. Vai ter barulho de novo. Vai ter uma confusão danada e vamos ver o que acontece no final. Até hoje, o final tem sido feliz, mas sempre tem barulho — disse Guedes, questionado sobre o que ocorreria se a estatal reajustasse novamente o preço de combustíveis.

Nesta semana, os contratos futuros da gasolina negociados nos Estados Unidos tiveram queda de cerca de 2%.

O câmbio, outro fator utilizado pela Petrobras para acompanhar a paridade internacional dos combustíveis, está praticamente estável no acumulado da semana.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JEGUE DEGUE disse:

    A pseudoelitxe provinciana Natalense adoraaa.. Façam arminha c/ aos mãos, entreguem a chave do tanque ao frentista e digam: completa aí talkei?! Mamata, Queiroz, milícia, bolsominion, corrupção, etc. MITÔ, MITÔ, MITÔ, MITÔ. KKkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Julia disse:

    Engraçado no governo Lula em 2010 o Brent chegou a US$ 112,00 e a gasolina era R$ 3,10 agora tá US$ 61,00 e a gasosa R$ 4,70 eu só queria entender a inteligência dos mínimos, como diria o gordo, desculpem a ignorância do monkey

    • Tarcísio Eimar disse:

      Simples, em 2010 o dólar beirava os R$ 2,00, hoje já passou dos R$ 4,00, se fizeres as contas vau ver q o preço é semelhante

  3. Torres disse:

    Estamos ferrados, com esses aumentos…
    Já já chega a 5 reais o litro.

Petrobras assina acordo com o Cade para venda de refinarias

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Petrobras assinou nesta quarta-feira (12) o Termo de Compromisso de Cessação (TCC) firmado com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que prevê a venda de oito das 13 unidades de refino da empresa, o que corresponde a cerca de 50% da capacidade de refino da Petrobras. O acordo, aprovado ontem (11) pelo conselho, põe fim a uma investigação do órgão regulador sobre possível prática de abuso de posição dominante pela Petrobras no segmento de refino.

A proposta foi apresentada pela empresa no início do mês, após o Cade ter aberto inquérito para investigar se a Petrobras abusava de sua posição dominante no refino de petróleo, uma vez que a estatal detém 98% do mercado de refino do país. A investigação apuraria se empresa estaria usando de sua posição para determinar o preço dos combustíveis e evitar a entrada de novos concorrentes. A Petrobras tem até 2021 para realizar a venda das refinarias.

O plano prevê, além do desinvestimentos em ativos relacionados a transporte de combustíveis, na BR Distribuidora, a venda de oito refinarias: Abreu e Lima (RNEST), Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), Landulpho Alves (RLAM), Gabriel Passos (REGAP), Presidente Getúlio Vargas (REPAR), Alberto Pasqualini (RFAP), Isaac Sabbá (REMAN) e Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (LUBNOR).

O acordo também prevê que as refinarias RLAM, RNEST, REPAR, REFAP e REGAP não poderão ser adquiridas por um mesmo comprador ou empresas de um mesmo grupo econômico por serem considerados como potencialmente concorrentes.

“O cronograma e o cumprimento dos compromissos assumidos junto ao CADE serão acompanhados por um agente externo, a ser contratado pela Petrobras, segundo especificações a serem estabelecidas em comum acordo”, disse a Petrobras em comunicado ao mercado.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Robert disse:

    O principal troféu da Lavajato sendo preparado para ser entregue aos patrocinadores de tudo isso que estamos assustimos: golpe tirando a presidente eleita Dilma por pedaladas fiscais, a prisao e impedimento da candidatura de Lula e a eleição desse lunatico incompetente .
    Desde o começo, o principal motivo era nosso petróleo que despertou a ganância do Tio San com a descoberta do Pré sal.
    Ou é só coincidência que o mesmo estrategista e marqueteiro de Trump e também o de Bozonaro?

PROCON NATAL constata redução nos preços dos combustíveis após redução nas refinarias

Pesquisa realizada no dia 03 de junho de 2019 em 70 postos da cidade do Natal, nas quatro regiões da cidade e encontrou redução nos preços da gasolina. O percentual reduzido foi na ordem de -5,79%. O preço médio da gasolina nas bombas em maio era de R$ 4,866, enquanto na nova pesquisa o valor médio encontrado foi R$ 4,584, ou seja, uma redução no preço médio encontrado de uma pesquisa para outra de R$ -0,282 centavos. O diesel comum também teve o preço reduzido de R$ 3,761 para R$ 3,754 com uma diferença de R$ -0,007 centavos de reais.

O Núcleo de pesquisa do PROCON NATAL acompanha mensalmente os preços dos combustíveis na cidade do Natal devido à política de preços aplicada pela estatal brasileira com reajustes de maior periodicidade, ou seja, a qualquer tempo com a variação da moeda internacional. Este formato tem sido aplicado desde 3 de julho de 2017.

No mês de maio de 2019, houve diversos reajustes, mas no mês de junho os preços dos combustíveis apresentam queda após a redução aplicada nas refinarias. Sendo assim o núcleo de pesquisa observou que o preço nas bombas para o consumidor natalense se encontra em queda e orienta aos motoristas que mesmo com preços em baixa não deixem de consultar a página do PROCON, uma vez que o a pesquisa encontrou postos com preços acessíveis e os que oferecem um valor melhor estão listados no endereço eletrônico www.natal.rn.gov.br/procon.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rocha disse:

    Baixou apenas em alguns postos da av. Ayrton Senna. A gasolina comum custa R$ 4,29

  2. junin disse:

    Baixou muito né ??? pra todo mundo comentar com felicidade!!!! esse só pode ser dono de posto…!!!!!

  3. Lino disse:

    Ninguém vai comentar????????????????.

    Quando sobe, não falta quem não fale em cartel, ximgamento a os donos de postos.
    Cadê os comentários?

Petrobras reduz preço da gasolina em 1,38% nas refinarias

(Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil)

A Petrobras anunciou nesta terça-feira (8) uma redução de 1,38% no preço da gasolina vendida em suas refinarias. O litro do combustível passará a ser comercializado a R$ 1,4337 a partir desta quarta-feira (9), dois centavos a menos do que o preço praticado hoje (R$ 1,4537).

Essa é a terceira queda consecutiva do preço do combustível, que começou o ano sendo vendido a R$ 1,5087 por litro. Desde o dia 1º, a gasolina acumula queda de 4,97% no preço nas refinarias da estatal.

O preço do diesel foi mantido em R$ 1,8545, o mesmo valor desde 1º de janeiro.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. the black disse:

    petrobras anunciava aumento do preço da gasolina na refinaria a tarde, a noite os postos já aumentava acima do reajuste, hoje em dia a petrobras reduz o valor nas refinarias os postos dizem que o estoque é antigo, que o imposto aumentou, praticam cartel e fica tudo por isso mesmo.

  2. Emmanoel do Nascimento Costa disse:

    E os valentões do do Governo fazendo vista grossa

    • Brasil é verde e amarelo disse:

      Ótimo era o governo PTralha ladrao que preferi roubar

  3. Basilo disse:

    Só não é repassado para o consumidor final

Petrobras reduz pelo 2º dia seguido preço da gasolina nas refinarias

Pelo segundo dia seguido, a Petrobras reduz o preço da gasolina vendida nas refinarias. Nesta sexta-feira (4), a empresa está negociando o litro do combustível a R$ 1,4537. Ontem (3) a estatal já havia reduzido o preço de R$ 1,5087 para R$ 1,4675.

De acordo com a Petrobras, a política de preços da empresa para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras “tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo”.

Segundo a estatal, essa “paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”.

A Petrobras informa ainda que “o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços)”.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Diego disse:

    Só esperar a chegada da queda dos preços nas bombas, o que sempre demora!!!!
    Se fosse aumento era instantâneo!!!!

Subsídio chega ao fim e diesel sobe 2,5% nas refinarias nesta terça, dia 1º

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Petrobras anunciou nesta segunda-feira (31) que o preço médio nacional de comercialização de diesel em suas refinarias subirá 2,5%, passando a ser R$1,8545 por litro. O novo valor entra em vigor a partir de 0h de amanhã (1º).

O aumento decorre do fim do subsídio pactuado entre o governo federal e os caminhoneiros que lideraram a paralisação ocorrida no final de maio. Na ocasião, milhares de veículos ficaram estacionados nas estradas e não distribuíram mercadorias, provocando desabastecimento de vários itens em todo o país, como combustível e alimentos.

Para superar o impasse, um dos pontos do acordo foi uma redução de R$0,46 do preço diesel nas refinarias. Desse valor, R$ 0,16 foram obtidos por meio de redução de tributos, R$ 0,30 foram assegurados por meio do programa de subvenção que seria válido inicialmente por 60 dias. Posteriormente, o governo federal decidiu prorrogá-lo até o fim do ano.

De acordo com nota divulgada pela Petrobras, apesar do aumento, o custo praticado nas refinarias será ainda 11,75% mais baixo do que era em 31 de maio, quando foi anunciado o último valor antes do subsídio entrar em vigor. “Esta alteração é consequência da variação do câmbio e do preço internacional do diesel no período”, informou a estatal.

Já considerando o reajuste, o preço médio do diesel comercializado pela Petrobras acumula queda de 2,1% em 12 meses. O valor cobrado nas refinarias da estatal está atrelado, entre outras variáveis, a cotações internacionais do combustível e do câmbio. Já o valor pago pelo consumidor nos postos de combustível agrega outros fatores como a incidência de tributos e as margens de lucro dos distribuidores e revendedores.

Agência Brasil

 

PROCON Natal constata manutenção no preço dos combustíveis, apesar do aumento nas refinarias; veja ranking com os postos mais baratos da cidade

O PROCON NATAL (Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal) realizou pesquisa de combustíveis na segunda quinzena de novembro, constatando que houve variação mínima nos preços, tendo os valores permanecido quase inalterados. A estabilidade dos preços se deram em meio à décima terceira semana seguida de aumento determinado pela Petrobras em razão da política de preços da companhia ter adotado o sistema de paridade com o mercado internacional desde 2017.

De todos os combustíveis pesquisados, apenas o Diesel teve variação média para mais acima de 1%. O PROCON NATAL recomenda aos consumidores no entanto que que sempre pesquise antes de abastecer porque se o preço de um mês para outro não mostrou grandes alterações, foram encontradas enormes diferenças entre os postos mais baratos e os mais caros.

A pesquisa completa e um ranking com os postos mais baratos da cidade podem ser encontrados na página:www.natalrn.gov.br/procon.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dr. Veneno disse:

    Os postos não reajustaram os preços pq a Petrobrás já voltou a reduzir o preço da gasolina, ontem, sexta.
    Se os postos tivessem repassado ao consumidor todas as baixas q a Petrobrás deu no preço da gasolina, está deveria está sendo vendida na casa de R$ 3,65/L.
    A cadeia distribuidoras/postos aumentaram seus livros de R$ 0,54/L de gasolina para R$ 0,93, e a mídia não explora isso.

  2. François Cevert disse:

    E o gás natural veicular ninguém comenta nada, passou de RS 2,90, antes da greve dos caminhoneiros, pra RS 3,50, já está mais caro que um litro de álcool, qual seria a justificativa se é que ela existe ?

    • Zeca disse:

      Privatizar a Petrobrás, pelo menos o país não precisaria investir capital que poderia ser usado em infraestrutura, evitaria a corrupção sistêmica dos petralhas, sem contar que com o dinheiro da privatização daria um fôlego, além do mais geraria imposto de produção, uma dádiva!

    • Breno disse:

      Zeca, nao fala besteira. A gasolina sai da refinaria por 1,4 reais. O resto q vc paga é imposto federal e estadual (30% só de icms no RN).
      Procura saber quanto a BR dá de lucro ao país além de patrocinar nossa cultura e o social.
      Os corruptos precisam ser presos. 99,9% da empresa são honestos e trabalhadores.

Preço da gasolina nas refinarias tem neste sábado segundo reajuste no mês

O preço da gasolina nas refinarias vai passar neste sábado (8) para R$ 1,5585 por litro. O reajuste médio da Petrobras é de 1,60%. Esse é o segundo reajuste em dezembro. No dia 1º, o preço subiu para R$ 1,5339 e permaneceu neste patamar por quatro dias. Antes disso, estava por R$ 1,5007.

Nos dias 13 (R$ 2,2294) e 14 de setembro (R$ 2,2514), também houve elevação, mas depois ocorreram várias quedas consecutivas até o fim de novembro.

Já o diesel permanece a R$ 2,3606 desde 30 de setembro, quando o preço saiu de R$ 2,2964, valor que começou a ser cobrado em 31 de agosto.

A política de preços da Petrobras para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras segue o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais dos produtos, acrescentando os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, entre outros.

“A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre os riscos como volatilidade do câmbio e dos preços”, diz a Petrobras,.

Ainda de acordo com a empresa, a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras não são os mesmos produtos à disposição dos consumidores nos postos de combustíveis. Para as distribuidoras, são ofertados combustíveis tipo A, como gasolina antes da combinação com o etanol e diesel sem adição de biodiesel. Os produtos vendidos aos postos são formados pelo tipo A misturado a biocombustíveis.

Agência Brasil

Petrobras vai reduzir nesta terça preço da gasolina nas refinarias outra vez

Foto: Divulgação

Nesta terça-feira, dia 13, a Petrobras vai promover mais um corte no preço da gasolina vendida nas refinarias. O custo do litro vai baixar de R$ 1,6734 para R$ 1,6616 — uma redução de 0,70%.

Este novo recuo seguirá a tendência de diminuição de preços registrada desde 25 de setembro, quando o preço do litro nas refinarias baixou de R$ 2,2514 para R$ 2,2381 (corte de 0,59%). De lá para cá, foram sucessivas reduções, acumulando uma queda de 26,19% (até 13 de novembro).

Considerando somente o mês de novembro, a redução do custo do litro nas refinarias chega a 10,8%. No cenário externo, o preço do barril do petróleo também está em queda (US$ 70).

O preço do óleo diesel permanecerá inalterado (R$ 2,1228), segundo informações do site da Petrobras.

A gasolina e o diesel vendidos nas refinarias às distribuidoras são diferentes dos produtos à venda nos postos de combustíveis. São os combustíveis tipo A, ou seja, gasolina antes de sua combinação com o etanol, e diesel sem adição de biodiesel.

Repasse ao consumidor

O repasse ou não da queda de preço nas refinarias aos postos de combustíveis depende dos outros elos da cadeia, incluindo distribuidoras e revendedoras, bem como tributos incidentes sobre o produto e a mistura obrigatória de etanol anidro (de 27%).

Os tributos que incidem sobre os combustíveis são: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS, estadual), Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide, federal), Programa de Integração Social / Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep, federal) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (CSLL, federal).

Composição de preços segundo a ANP, média do Brasil

Preço do produtor de gasolina comum (A) – R$ 1,62 (34,6%)

Preço do etanol anidro – R$ 0,51 (10,8%)

Tributos federais (PIS/Pasep, Cofins e Cide) – R$ 0,69 (14,6%)

Tributo estadual (ICMS) – R$ 1,26 (26,8%)

Margem bruta de distribuição + custo de transporte – R$ 0,19 (4,1%)

Margem bruta de revenda – R$ 0,43 (9,1%)

Preço ao consumidor – R$ 4,70

Composição de preços segundo a ANP, média do Sudeste

Preço do produtor de gasolina comum (A) – R$ 1,70 (36,1%)

Preço do etanol anidro – R$ 0,50 (10,6%)

Tributos federais (PIS/Pasep, Cofins e Cide) – R$ 0,69 (14,6%)

Tributo estadual (ICMS) – R$ 1,26 (26,8%)

Margem bruta de distribuição + custo de transporte – R$ 0,15 (3,1%)

Margem bruta de revenda – R$ 0,41 (8,7%)

Preço ao consumidor – R$ 4,69

Fonte : Dados de setembro, da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cadê o PROCON disse:

    SUGESTÃO AO PROCON
    Que se crie um mecanismo onde a população possa saber de forma simples quanto (em real), cada imposto incide, que com base no preço da refinaria pudéssemos chegar há um preço médio do litro. INFELIZMENTE cai várias vezes nas refinarias, mas não cai na mesma velocidade nas bombas. Aqui em Parelhas, desde que se iniciou as várias baixas nas refinarias, ocorreu apenas uma nas bombas.

Petrobras anuncia 3ª redução na semana no preço da gasolina nas refinarias

A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina nas refinarias em 0,48% a partir desta quinta-feira (8). Com a alteração, o valor médio do combustível cairá de R$ 1,7165 para R$ 1,7082 por litro, o menor valor desde 14 de abril (R$ 1,7072).

Trata-se do 3º corte na semana. Na véspera, a estatal já tinha anunciado uma redução de 0,74%, e na segunda-feira tinha diminuído o preço da gasolina em 6,35%, no maior corte já feito pela estatal desde o anúncio de uma política de reajustes até diários do combustível.

Somente em novembro, o preço da gasolina nas refinarias acumula queda de 8,28%.

O repasse dos reajustes da Petrobras aos consumidores, entretanto, depende de distribuidores, revendedores, impostos, além da mistura obrigatória de etanol anidro na composição da gasolina vendida nos postos.

O preço médio do diesel, por sua vez, segue em R$ 2,1228, sustentado pelo programa de subsídios, lançado pelo governo em junho em resposta à histórica greve de caminhoneiros contra o alto preço do combustível.

A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços de combustíveis desde 3 de julho do ano passado. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior periodicidade, inclusive diariamente, refletindo principalmente os preços internacionais e o câmbio.

Preço nos postos cai pouco

O preço médio da gasolina nos postos no Brasil caiu apenas 0,3% na semana passada ante a semana anterior, para R$ 4,709 por litro, segundo dados publicados nesta segunda-feira (5) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O etanol hidratado, concorrente da gasolina nas bombas, teve média de R$ 2,975 por litro na semana passada, queda de 0,27% em relação à semana anterior.

O preço médio do diesel, por sua vez, atingiu R$ 3,719 por litro, queda de 0,05%, na comparação com o período anterior.

Segundo o IBGE, o preço médio da gasolina subiu 2,18% em outubro no país. Em 12 meses, a gasolina aparece como a principal pressão sobre a inflação oficial, acumulando alta de 22,31%.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. REALISTA disse:

    ONDE ESTÁ O MINISTÉRIO PUBLICO O PROCON QUE NAO TOMAM PROVIDENCIAS ALGUMA , A GASOLINA AQUI JÁ ESTEVE A 4.80 OS DESCONTOS QUE JÁ TIVERAM OS DONOS DOS POSTOS JÁ PASSA DE 15 POR CENTO, SÓ AI JÁ DÁ DE DESCONTO MAIS DE 60 CENTAVOS POR LITRO, E EM QUASE TODOS OS POSTOS ESTÃO COBRANDO MAIS DE 4.50 OU SEJA NAO ESTAO DESCONTANDO NEM 7.5 POR CENTO, TREMENDA COVARDIA DESSES ORGÃOS EM NAO CAIREM EM CIMA DESSE CARTEL, FORA QUE QUANDO BAIXA ELES DEMORAM UMA ETERNIDADE PRA REAJUSTAR A BAIXO MAIS QUANDO AUMENTA É INSTANTANEO O AUMENTO E MUITO MAIOR DO QUE O VALOR PASSADO A ELES, ME LEMBRO QUE A 3 MESES A GASOLINA ESTAVA A 4.50 E DO NADA ELES ELEVARAM A 4.90 SEM JUSTIFICA ALGUMA E NADA DE FISCALIZAÇÃO, IMORAL ISSO!

  2. Lorena Galvão disse:

    É uma pena que nós consumidores não teremos esta redução em nossos bolsos, aqui no RN e um grande quartel

  3. Junior 100 disse:

    Inflação Inercial.

Petrobras reduz preço da gasolina nas refinarias ao menor nível em 6 meses

A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina nas refinarias em 6,35% a partir desta terça-feira (6). É o maior corte já feito pela estatal desde o anúncio de uma política de reajustes até diários do combustível, em vigor desde julho do ano passado.

Foto: Paulo Whitaker – 23.abr.15/Reuters

Com a alteração, o valor médio do combustível cairá para R$ 1,7293 por litro, o menor valor desde o R$ 1,7199 visto em 20 de abril, conforme informações do site da petroleira compiladas pela Reuters.

O movimento ocorre após a empresa já ter realizado um amplo corte em 31 de outubro, de 6,2%, o maior que havia acontecido até então.

O corte se dá em meio a uma valorização do real ante o dólar e também a um enfraquecimento das referências internacionais do petróleo, parâmetros utilizados pela companhia para a formação de preços dos combustíveis.

O preço médio do diesel, por sua vez, segue congelado devido ao programa de subsídios lançado pelo governo em junho, em resposta à histórica paralisação de caminhoneiros contra o alto preço do combustível.

Devido ao programa, a petroleira deve praticar o preço do diesel dentro de limite máximo estabelecido pelo governo, contando com ressarcimento de até R$ 0,30 por litro. O limite máximo é ajustado a cada mês.

Mais cedo, também nesta segunda (5), a Petrobras anunciou, nesta segunda (5), um reajuste no preço do gás de cozinha comercializado em botijões de 13 quilos, usados em residências.

O novo preço de R$ 25,07 representa um aumento de 8,5% em relação ao valor vigente desde julho.
Trata-se de uma média nacional, sem tributos, nas refinarias da companhia —ou seja, o aumento poderá ou não ser repassado ao consumidor pelas distribuidoras.

Do Blog:

Donos de postos reclamam que embora a Petrobras tenha anunciado a queda nos valores, as distribuidoras ALESAT, Ipiranga e BR Distribuidora não repassaram a redução.

Com informações da Folha de SP e Reuters

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior 100 disse:

    Já ouviram falar em inflação inercial?