Diversos

BENÇÃO NO INTERIOR DO RN – (VÍDEOS): Açudes Passagem, em Rodolfo Fernandes, e do Cajá, em Taboleiro Grande, registram sangria nesta quinta-feira

Açudes do Cajá, em Taboleiro Grande, e Clidenor Régis de Melo, conhecido como Açude da Passagem, entre os municípios de Itaú e Rodolfo Fernandes-RN, registram sangria nesta quinta-feira(29). Bênção no interior potiguar.

Sobre o açude Passagem, o relatório anterior do Igarn, divulgado na última segunda-feira, 26 de abril, o manancial estava com 6.091.316 m³, equivalentes a 73,62% do seu volume total.

Vídeos cedidos abaixo: 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Reservatórios da região Oeste recebem recarga das últimas chuvas; veja situações das barragens, açudes e lagoas no RN

Foto: ASCOM/IGARN

O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais dos 47 reservatórios monitorados pelo Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn, divulgado nesta segunda-feira (29), indica que os reservatórios da Região Oeste do Estado receberam bons aportes de água das últimas chuvas.

As reservas hídricas superficiais totais do RN atualmente acumulam 1.836.963.746 m³, percentualmente, 41,97% do volume total dos 47 reservatórios monitorados pelo Igarn juntos. Já no relatório divulgado no último dia 25 de março, as reservas hídricas somavam 1.833.228.915 m³, equivalentes a 41,88% da sua capacidade total.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, com capacidade para 2.373.066.510 m³, acumula, 1.209.607.811 m³, que correspondem a 50,97% do seu volume máximo. Já no último relatório divulgado, o manancial represava 1.208.479.237 m³, percentualmente, 50,92% da sua capacidade.

Já a segunda maior barragem do RN, Santa Cruz do Apodi, acumula 159.384.154 m³, correspondentes a 26,58% da sua capacidade, que é de 599.712.000 m³. No relatório anterior, o reservatório estava com 158.972.425 m³, percentualmente, 26,51% do seu volume total.

A barragem Umari, localizada em Upanema, acumula 199.263.306 m³, equivalentes a 68,05% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. No último relatório, o manancial estava com 199.474.866 m³, correspondentes a 68,12% do seu volume total.

O reservatório que teve maior aumento percentual de volume foi Flechas, localizado em José da Penha, que acumula 945.300 m³, equivalentes a 10,56% da sua capacidade, que é de 8.949.675 m³. No dia 25 de março, o açude estava com 347.775 m³, percentualmente, 3,89% da sua capacidade.

Outro reservatório que recebeu boa recarga foi Encanto, localizado no município de Encanto, que acumula 3.760.048 m³, percentualmente, 72,41% da sua capacidade total, que é de 5.192.538 m³. No último relatório ele estava com 3.462.103 m³, equivalentes a 66,67% do seu volume total.

O açude Passagem, localizado em Rodolfo Fernandes, acumula 5.566.017 m³, correspondentes a 67,27% da sua capacidade total, que é de 8.273.877 m³. Já no relatório do dia 25 de março, ele estava com 5.278.713 m³, percentualmente, 63,80% do seu volume total.

O reservatório de Marcelino Vieira também recebeu recarga. Acumula atualmente 5.356.844 m³, correspondentes a 47,83% da sua capacidade total, que é de 11.200.125 m³. Já no último dia 25 de março, o manancial estava com 5.057.125 m³, percentualmente, 45,15% do seu volume total.

O açude Jesus Maria José, localizado em Tenente Ananias, acumula 1.975.877 m³, correspondentes a 20,5% da sua capacidade total, que é de 9.639.152 m³. Já no último relatório, ele estava com 1.798.351 m³, percentualmente, 18,66% da sua capacidade.

O reservatório de Pilões acumula 2.395.400 m³, equivalentes a 40,59% da sua capacidade total, que é de 5.901.875 m³. No último relatório divulgado, o manancial estava com 2.316.612 m³, correspondentes a 39,25% da sua capacidade.

Outros reservatórios receberam recargas, percentualmente, inferiores a 1% da sua capacidade, casos de: Bonito II, localizado em Bonito; Carnaúba e Sabugi, ambos localizados em São João do Sabugi; Esguicho, localizado em Ouro Branco; Lucrécia, localizado em Lucrécia; Morcego, localizado em Campo Grande; Riacho da Cruz II, localizado em Riacho da Cruz; Rodeador, localizado em Umarizal; Santana, localizado em Rafael Fernandes; Tabatinga, localizado em Macaíba e Tourão, localizado em Patu.

Os reservatórios monitorados pelo Igarn, que permanecem com volumes inferiores a 10% da sua capacidade, e, portanto são considerados em Nível de Alerta, são: Esguicho, localizado em Ouro Branco, com 1,06%; Zangarelhas, com 5,81% e Itans, localizado em Caicó, com 4,08%. Passagem das Traíras, continua em reforma.

Já os reservatórios monitorados pelo Igarn, que permanecem secos, são: Inharé, localizado em Santa Cruz e Trairi, localizado em Tangará.

Situação das Lagoas

A lagoa de Extremoz recebeu recarga das últimas chuvas e acumula 10.728.299 m³, correspondentes a 97,36% da sua capacidade total, que é de 11.019.525 m³. No último relatório o manancial estava com 10.218.654 m³, percentualmente, 92,73% da sua capacidade.

A lagoa do Boqueirão também recebeu aporte de água e acumula 9.397.301 m³, equivalentes a 84,85% da sua capacidade total, que é de 11.074.800 m³. Já no relatório anterior, ela estava com 9.070.646 m³, correspondentes a 81,90% do seu volume total.

A lagoa do Bonfim também recebeu águas e acumula 42.014.190 m³, percentualmente, 49,86% da sua capacidade total, que é de 84.268.200 m³. No dia 25 de março ela acumulava 41.516.589 m³, correspondentes a 49,27% do seu volume total.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Corpo de Bombeiros alerta para riscos de aglomerações nos açudes e barragens no RN

FOTO: ASSECOM/CBMRN

Para evitar aglomerações e seguir as recomendações de precaução ao novo coronavírus (COVID-19), o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN), alerta sobre a prática de lazer nos diversos mananciais do interior do Estado.

“Está provado que a principal medida para combater o avanço do novo coronavírus (COVID-19) é a população permanecer em casa e evitar aglomerações. Os açudes, rios e lagoas estão atrativos devido às fortes chuvas dos últimos dias na região, porém, esses lugares são arriscados em virtude da contaminação do vírus”, disse o subcomandante do 3° subgrupamento do 2° grupamento do Corpo de Bombeiros do RN, capitão Lima Verde.

Após a publicação do decreto governamental no último sábado (21) sobre as restrições temporárias direcionadas ao enfrentamento do novo coronavírus, o Corpo de Bombeiros vem intensificando ações de conscientização para o povo potiguar. Ainda de acordo com o capitão Lima Verde, além dos mananciais do interior do Rio Grande do Norte, os militares estão promovendo orientações em diversos pontos dos municípios a fim de evitar a concentração de pessoas.

“Assim como os outros órgãos do governo, o Corpo de Bombeiros também está na linha de frente no combate ao coronavírus. O trabalho de prevenção e alerta está sendo realizado em todo o Estado, seja nas praias do litoral, na capital e região, nos açudes ou até mesmo nas ruas”, finalizou.

Em vários países que apresentaram a pandemia, o início do problema foi ligado a situações de aglomeração. Por isso, a maior orientação é cancelar reuniões e eventos que não sejam imprescindíveis. Logo, é necessário evitar ambientes fechados e lotados, como teatros, cinemas e até mesmo os locais de trabalho. Além do isolamento social, lavar as mãos constantemente, espirrar ou tossir tampando o rosto com a parte interna do cotovelo são orientações essenciais na tentativa de conter o avanço do vírus.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bombeiros alertam a população para os riscos de afogamento em rios e açudes no interior do RN

Foto: Ilustrativa/Cedida

Durante o período de cheia dos mananciais do interior do Rio Grande do Norte os riscos de afogamentos e outros tipos de acidentes aquáticos aumentam consideravelmente. A subida do nível das águas devido às fortes chuvas exige cuidados para moradores e banhistas que buscam entretenimento nos rios e açudes dos municípios. Diante desse cenário, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) alerta sobre cuidados para evitar acidentes e óbitos nesses ambientes.

Para o major João Eduardo, Comandante do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) do Corpo de Bombeiros do RN, as crianças e os adolescentes são mais vulneráveis aos riscos de afogamentos. “Em primeiro lugar os cuidados com as crianças e adolescentes são essenciais para evitar ocorrências de afogamentos. Assim como nas praias, elas não têm noção do perigo. Por isso é importante que os pais ou responsáveis redobrem a atenção”, disse.

Os jovens e adultos também precisam ter cautela quando forem entrar em rios, lagoas e açudes. Além disso, a ingestão de bebidas alcoólicas é o principal fator que contribui para o afogamento. “A água turva e escurecida de lagoas e açudes pode esconder muitos perigos como pedras e galhos. O rio, por exemplo, tem muitas armadilhas – redemoinhos, correntezas e buracos. Um descuido pode ser fatal. Em época de cheia o risco aumenta consideravelmente. Geralmente após o consumo da bebida alcoólica o banhista entra na água e consequentemente perde a noção do perigo. Por isso não beber de maneira descontrolada é importante”, alertou o Comandante do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS), major João Eduardo.

Na época de chuvas vários fenômenos ocorrem nos mananciais. Nos rios e cachoeiras, as cabeças d’água são perigosíssimas para quem quer curtir um bom banho. “Quando chove na nascente de um rio obrigatoriamente o fluxo aumenta. O nível da água sobe e atingi vários metros em poucos minutos, formando uma espécie de tsunami dos rios. Então a recomendação é sempre evitar de se banhar íngremes e ter atenção com as cabeceiras dos rios”, finalizou o major João Eduardo.

Caso alguém presencie um afogamento ou acidente aquático, é só entrar em contato imediatamente com o Corpo de Bombeiros, através do 193. Não tentar socorrer de forma alguma a pessoa, pois somente os bombeiros têm a capacitação para o resgate.

Confira algumas medidas de prevenção:

– Evite álcool e alimentos pesados, antes de entrar em rios e açudes;

– Em rios: observe a correnteza, os buracos e os galhos submersos;

– Em caso de cabeça d’água, a recomendação é que o banhista procure uma região alta para se proteger da chuva caso perceba a iminência do temporal;

– Em açudes e barragens: verifique a profundidade, os galhos e lodo no fundo;

– Em períodos de enchente ou em zonas de correnteza o cuidado tem que ser redobrado;

– Evite brincadeiras como simulações de afogamento ou forçar a cabeça de um amigo para dentro da água;

– Antes de banhar-se, informe-se sobre a correnteza e a profundidade;

– Cuidado com o limo nas pedras, pois ele pode fazer você escorregar e cair na água;

– Cuidado com buracos e fundos de lodo, pois você pode afundar rapidamente;

– Se o rio tiver correnteza nunca entre na água acima do joelho;

– Não tente entrar na água para realizar o socorro, ao invés disto chame por ajuda e jogue qualquer material de flutuação para ajudar.

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: IGARN inicia vistorias de segurança e regularizações de açudes do Oeste

FOTOS: ASCOM/IGARN

O Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte, iniciou nessa terça-feira (23), no município de Campo Grande, o trabalho de vistorias para classificação e regularização dos reservatórios.

Durante os dias 23, 24 e 25 de julho, uma equipe formada pelos engenheiros, Luiz Eduardo e Vera Cirilo, realizarão uma inspeção técnica em alguns dos principais reservatórios dos municípios de Campo Grande, Triunfo Potiguar e Caraúbas. Dentro desse trabalho serão emitidas outorgas de regularização para os empreendedores de barragens.

Para engenheira Vera Cirilo, este trabalho é importante para o Estado, visto que regulariza e classifica as barragens, trazendo uma maior segurança com relação aos reservatórios dos municípios.

O IGARN continuará este trabalho nos demais municípios do Oeste e por outros territórios potiguares. A meta é dobrar a quantidade de reservatórios vistoriados.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Inspeção aérea da Defesa Civil permite nova avaliação dos açudes no RN

FOTO: ASSECOM/RN Sandro Menezes

A Defesa Civil Estadual realizou nessa terça-feira (30 de abril) uma inspeção aérea para ter uma nova perspectiva de avaliação que possibilite tomada de providências mais amplas para o monitoramento e contingenciamento dos reservatórios de água da região Central do estado. O açude São Miguel 1, na localidade, rompeu-se no último dia 21 de abril, após receber um volume de água de chuvas acima do esperado. O trabalho de hoje foi realizado com o auxílio da aeronave Fênix 03, cedida pelo Governo do Ceará.

Técnicos do Instituto de Águas do RN – IGARN, em parceria com as coordenadorias municipais de defesa civil das cidades de Ipanguaçu, Angicos e Fernando Pedroza observaram os pontos críticos, principalmente no que diz respeito à segurança dos municípios. Foi sobrevoada a região da Bacia do Rio Piranhas/Açu, cujos reservatórios – Sobradinho, Vavá 2 e São Miguel 2 – desaguam no açude Pataxó, o maior da localidade.

Além de capturar imagens aéreas para posterior análise da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Semarh, os técnicos envolvidos trabalharam na abertura de um canal no açude Vavá 2 no sentido do açude vizinho, Sobradinho, onde há uma válvula-dique que dá vazão à água e onde há capacidade suficiente para recebimento do volume transferido. A ação do sobrevoo confirma a integração entre os poderes estaduais – CE e RN – e municipais.

GOVERNO CRIOU COMITÊ

O Governo do Estado instituiu um comitê permanente de acompanhamento e monitoramento de barragens envolvendo o Gabinete Civil, Semarh, IGARN, Departamento de Estradas de Rodagem – DER e Defesa Civil Estadual.

O comitê permanente vai executar as ações emergenciais necessárias para a segurança das barragens em risco e fiscalizar as demais que somam seis mil reservatórios de pequeno e médio porte. A atuação vai ser pautada com base na Lei Federal 12.334/2010, que disciplina a segurança das barragens em todo o país.

Como prevê a legislação, o estado vai ampliar o trabalho de fiscalização e classificação de risco das barragens e notificar os proprietários para realizarem os serviços necessários em prazo determinado.

A legislação também permite que a administração pública promova a cassação de outorga concedida aos proprietários de barragens que não realizam a manutenção. Neste sentido a Procuradoria Geral do Estado irá integrar o comitê permanente.

AÇÃO RESTABELECEU PONTE EM CINCO DIAS

A cabeceira de uma ponte que havia sido destruída pelas chuvas na RN-041, rodovia que interliga a BR-304 ao município de Santana do Matos, foi restaurada pelo Governo do RN em apenas cinco dias. A governadora Fátima Bezerra destacou, em visita ao local, a atuação integrada dos órgãos e secretarias, sob a coordenação da Defesa Civil Estadual, em sintonia com o governo federal e prefeituras da região.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Situação dramática dos açudes do RN é destaque nacional

A situação dos reservatórios do Rio Grande do Norte e do Nordeste, num geral, foram destaque da edição desta terça-feira (23) da Folha de S.Paulo.

A situação mais dramática é do açude do Castanhão, o maior do Nordeste, com capacidade de 6,7 bilhões de metros cúbicos de água. O reservatório, que chegou a ter 97,64% de sua capacidade, hoje tem menos de 2%.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior do Rio Grande do Norte e que comporta até 2,4 bilhões de metros cúbicos de água, chegou a 11,32% de sua capacidade e entrou no volume morto.

No Rio Grande do Norte, dos 47 açudes monitorados pelo governo, 35 estão no volume morto ou completamente vazios. De cada três cidades do Estado, duas estão em situação de racionamento ou colapso total no abastecimento.

A matéria da Folha pode ser conferida na íntegra AQUI.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *