Morre quinta pessoa baleada por atirador durante ataque na Catedral de Campinas

Heleno Severo Alves, de 84 anos, estava internado no Mário Gatti — Foto: Reprodução/EPTV

A Prefeitura de Campinas (SP) confirmou na tarde desta quarta-feira (12) a morte de Heleno Severo Alves, de 84 anos, um dos baleados durante o ataque na Catedral Metropolitana, na terça-feira. Ele estava internado no Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, onde passou por cirurgia após ser ferido por dois disparos nas regiões do tórax e abdômen. Outros quatro fiéis morreram na igreja.

Os outros mortos pelo atirador Euler Fernando Grandolpho são Sidnei Vitor Monteiro, de 39 anos, José Eudes Gonzaga Ferreira, de 68, Cristofer Gonçalves dos Santos, de 38, e Elpídio Alves Coutinho, de 67. A Catedral foi reaberta nesta quarta com uma missa em homenagem às vítimas.

Outras três pessoas feridas durante o ataque foram socorridas para unidades de saúde em Campinas e já tiveram alta. Entre elas estão Maria de Fátima Frazão Ferreira, de 68 anos, levada ao Hospital da Unicamp após ser baleada em uma das pernas; e um homem de 64 anos, que foi atingido por dois tiros de raspão e recebeu atendimento no Hospital Beneficência Portuguesa.

Jandira Prado Monteiro, de 65 anos, ferida nas regiões do tórax e uma das mãos, recebeu alta do Mário Gatti nesta tarde e foi ao velório do filho Sidnei Monteiro, no Cemitério Parque das Flores.

Foto: Arte / G1

Com informações do G1

REVOLTANTE: menina de 6 anos é baleada na cabeça durante tentativa de roubo de veículo em Parnamirim

Mais uma criança foi vítima da ação e bandidos no RN. Na noite dessa terça-feira (25), uma menina de SEIS anos foi baleada na região da cabeça durante uma tentativa de roubo de um veículo na cidade de Parnamirim, na Avenida Perimetral, no conjunto Vida Nova. De acordo com a Polícia Militar, a menor estava na companhia dos pais, quando houve a abordagem dos suspeitos. Na ocasião, o pai empreendeu fuga e os marginais atiraram.

Segundo a PM, através o 3º Batalhão, a menina foi socorrida para o Hospital Regional Deoclécio Marques, em Parnamirim.  Não se tem informação de seu estado de saúde. Os pais passam bem.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. CLÁUDIO DAVID disse:

    Cadê o DIREITOS DOS MANOS?

Mulher grávida é baleada por inadimplência da taxa de condomínio.

Condomínio onde grávida foi baleada na cabeça suspendeu vigilância

Moradores do Condomínio Horto do Ypê, no Campo Limpo, na zona sul, afirmam que assaltos são comuns na região e reclamam de falta de policiamento. O condomínio é onde mora a assistente administrativa Daniela Nogueira de Oliveira, de 25 anos, grávida de nove meses, que foi baleada na cabeça quando chegava em casa na noite de terça-feira (8).


 

O professor Washington Luís Pereira dos Santos, de 44 anos, já foi vítima de uma tentativa. “Bateram no meu vidro (do carro) e, quando me virei, vi a arma. Abaixei para pegar os documentos, o ladrão se assustou e fugiu”, disse. Ele pensa em organizar uma passeata por mais segurança.

O instalador Tácito José Brandão Fernandes, de 35 anos, perdeu cerca de R$ 9 mil em um assalto. “Saquei R$ 11 mil e, quando estava chegando em casa, os ladrões me pararam. Sobrou só o que estava no bolso.”

Uma van particular faz o transporte interno no local até um ponto de ônibus, na Estrada do Campo Limpo. Mas a técnica em Enfermagem Leda Luz, de 40 anos, diz que o serviço é paliativo. “Às vezes, saio de casa às 5h para trabalhar e é muito perigoso andar sozinha por aqui.”

Até 8 de novembro do ano passado, o condomínio tinha um contrato particular de vigilância. No entanto, por causa da inadimplência de alguns moradores, que não pagavam a taxa de segurança do local, o serviço está suspenso desde então. O condomínio estava avaliando se a manutenção da ronda particular era necessária.

Polícia Militar

Em nota, a Polícia Militar diz que faz policiamento ostensivo em toda região do Campo Limpo, seja por meio de patrulhas a pé, emprego das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) ou utilização de bases comunitárias.

A corporação também afirma no comunicado que todas ações são tomadas por meio de “planejamento estratégico e da análise dos índices criminais de cada região”.

Fonte: O Estado de S. Paulo.