Filmes de terror ganham destaque e vivem melhor momento no Brasil

Cenas do filme ‘Morto Não Fala’, dirigido por Dennison Ramalho. Foto: Divulgação

Nunca se produziu tantos filme de terror no Brasil. O gênero vive seu auge, apenas em 2019, foram lançados O Clube dos Canibais, Histórias Estranhas, Morto Não Fala, A Noite Amarela, Intruso, O Juízo e o próprio Bacurau, que possui elementos do horror, e saiu vitorioso com o prêmio do Júri em Cannes. Essas produções estão pavimentando um caminho para se fazer ainda mais cinema de terror no país.

A primeira exibição cinematográfica no Brasil aconteceu ainda no século 19. Desde então o país passou por diversas escolas e movimentos, amadurecendo a cara do nosso cinema. O terror brasileiro propriamente dito, nasceu nos anos 60, com produções de José Mojica Marins, conhecido como Zé do Caixão. Mas, antes disso, elementos do gênero estavam espalhados pela cinematografia nacional.

De acordo com a pesquisadora Laura Cánepa, em sua tese intitulada Medo do quê? Uma história do horror nos filmes brasileiros, até mesmo a geração do cinema mudo revela flerte com o horror, possível de identificar pelos títulos dos filmes, como, por exemplo, O Duelo de Cozinheiros (1909), Nas Entranhas do Morro Castelo (1917) e por fim Os Mistérios do Rio de Janeiro (1917).

Em 1964, com o longa-metragem À Meia-Noite Levarei Sua Alma, Mojica inaugura o cinema de horror no país, este é considerado o primeiro filme de terror autoral brasileiro, filme responsável por inspirar uma geração de cineastas que hoje despontam e se destacam dentro e fora do país.

Zé do Caixão, protagonista do filme ‘À Meia-Noite Levarei Sua Alma’. Foto: Reprodução

Um desses nomes é o diretor Dennison Ramalho, que já trabalhou com Mojica. Ele está em cartaz com o filme Morto Não Fala e comentou a influência que carrega do “pai do terror nacional” . “O cinema do Zé do Caixão foi importantíssimo na minha carreira, mudou o jogo pra mim. Foi o primeiro cinema de terror autoral do Brasil. Mojica é um cara que eu vejo como um mestre pra mim, e é uma grande inspiração pra todas gerações de realizadores brasileiros de terror”, disse Ramalho.

Morto não Fala foi destaque no cenário internacional, reconhecido como um filme potente e original, já foi exibido em cerca de 40 festivais pelo mundo. Ramalho carrega a bandeira do cinema de terror brasileiro nos últimos anos, ao lado de cineastas como Marco Dutra, Samuel Galli, Gabriela Amaral Almeida, Juliana Rojas, Paulo Fontenelle, Guto Parente, Rodrigo Aragão, Petter Baiestorf, Ramon Porto, entre outros realizadores que estão movimentando a cena atual.

“A característica que eu enxergo na produção atual de terror do Brasil é de um horror extremamente autoral”, explicou o jornalista e pesquisador Carlos Primati. “O terror americano tende a ser mais comercial, voltado ao modelo clássico, que tem uma comunicação muito direta com o público. Essa expectativa e o resultado é muito baseado em ‘eu gostei’ ou ‘eu não gostei’, mas nunca tem uma novidade de fato”, finalizou Primati.

O tema do mal estar social é claro nos últimos filmes do gênero no Brasil, Trabalhar Cansa, de Marco Dutra, Animal Cordial, da diretora Gabriela Amaral, e o próprio Morto Não Fala, do Dennison Ramalho, contém uma crítica à sociedade e os males atuais que o país vem enfrentando, um certo desgaste emocional. “Quanto mais o medo se aproxima de um medo palpável, contemporâneo, mais ele consegue se comunicar”, explicou o diretor Marco Dutra.

Por outro lado, essa geração de cineastas é tão próspera que também contempla o cinema de horror mais tradicional, que condiciona elementos tipicamente americanos de exorcismo, rituais e etc. Samuel Galli, diretor do longa-metragem Mal Nosso, comentou sobre o tipo de cinema que gosta de fazer. “Como espectador, eu adoro filmes de terror com temática e críticas sociais. Mas como escritor e ‘filmmaker’, hoje, minha cabeça funciona mais para o escapismo. Eu escrevo para fugir da realidade e para me entreter. Meu estilo é mais voltado em usar o terror para fantasiar os dramas mais pessoais”, explicou Galli.

Até mesmo diretores versáteis em suas carreiras, como Andrucha Waddington, conhecido por comédias como Eu,Tu, Eles (2000) e Os Penetras (2012), além do drama Casa de Areia (2005), optou por lançar um filme dentro do gênero de horror: O Juízo (2019). “Acho que é um gênero pouco produzido por aqui, então o público não tem o hábito de consumir e assistir. Mas acho que com filmes de qualidade vindo para o mercado, naturalmente esse público vai começar a se interessar e se identificar com essas produções”, defendeu Waddington.

A cena atual é tão produtiva, que Primati afirmou que estamos vivendo o melhor momento do país dentro do terror. “Eu acredito que essa geração é a melhor que já existiu. Com a quantidade, veio não só a diversidade, mas a qualidade também. Eu costumo gostar de praticamente dois terços do que é feito. Eu gosto muito da novidade, e a partir daí a gente vê coisas muito inesperadas, novas. Mesmo quando não é um acerto total, são muitos mais interessantes do que fazer um filme certinho”, exclamou Primati.

O diretor Marco Dutra acredita que, em breve, a possibilidade de alcançar a marca de um milhão de espectadores no terror está cada vez mais plausível. “O espaço tem se ampliado, a gente precisa fincar o pé e continuar lutando por esse espaço. Fico muito feliz vendo um filme brasileiro fazendo sucesso, ainda mais do gênero fantástico. E, claro, que dá para chegar nesse milhão”, encerrou Dutra. Como se diz no futebol, “a base vem forte”.

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. BC3331986GAC disse:

    É Exatamente o que estamos vivendo aqui no RN, O Terror dos Bandidos soltos massacrando os Potiguares, Enquanto isso A " Bonitinha" Na França, Porque a Desgraçada Não foi para a Venezuela , Cuba , Russia ou para o Raio que O parta.

Rodrigo Maia elogia Bolsonaro: “na relação de diálogo, posso reclamar zero do presidente”

Foto: Antonio Cruz/ Agencia Brasil 

Em entrevista à Folha, Rodrigo Maia disse que a relação com Jair Bolsonaro está em uma boa fase e que hoje não tem nada a reclamar do presidente quanto ao diálogo com o Parlamento.

“[A relação] Está positiva. Pelo menos a minha está positiva. Às vezes, eu critico algumas posições que ele tem, ele critica algumas posições que o Parlamento tem. Isso é da democracia, mas na relação de diálogo posso reclamar zero do presidente”, afirmou o presidente da Câmara.

Maia disse também:

“Essa forma de diálogo do Bolsonaro tem fortalecido o Parlamento. Não tenho dúvida. Ele fortalece o Parlamento quando ele garante uma maior independência com diálogo. O que não pode no sistema democrático é uma independência sem diálogo. Quando se dá independência, também se transfere responsabilidade.”

Perguntado se essa nova relação fortalece Bolsonaro, Maia respondeu:

“Não tem por que não se fortalecer. Até porque estamos dando os instrumentos para fazer uma boa gestão. As reformas, muitos projetos importantes, nós estamos aprovando para o governo. Não tem outra alternativa. Nossa alternativa é: com a independência, fortalece o papel do Parlamento, mas, com as votações das matérias, fortalece, é claro, o papel do presidente.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silvino disse:

    São uns cabeças de picas, pra frente e pra trás.

VÍDEO mostra momento do desabamento de prédio em Fortaleza

Um vídeo mostra o momento em que o Edifício Andréa desaba em Fortaleza, na manhã desta terça-feira (15). O desabamento foi registrado por câmeras de segurança na rua Tomás Acioli, no Bairro Dionísio Torres, área nobre da capital cearense. ASSISTA AQUI.

Conforme o Corpo de Bombeiros, uma pessoa morreu e sete foram resgatadas com vida. Testemunhas relatam que viram moradores dentro do edifício Andréa no momento do desabamento. Logo após a construção ruir, pessoas foram vistas correndo para longe do condomínio.

Ao menos 11 ambulâncias do Samu e quatro dos bombeiros foram para o local. Policiais militares, agentes de trânsito e equipes da Defesa Civil também acompanharam o resgate. Um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) foi disponibilizado para auxiliar no transporte de pessoas feridas.

Por meio de nota, a Prefeitura de Fortaleza informou que montou um plano de contingência para atender as vítimas. Profissionais do Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza, maior hospital de urgência e emergência do Ceará, foram deixados de prontidão para os atendimentos, junto com equipes de outras três unidades de saúde (UPA, Frotinhas e Gonzaguinhas).

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, foi ao local do desabamento para acompanhar o resgate. O governador do Ceará, Camilo Santana, cumpria agenda em Brasília nesta terça em Brasília e cancelou os compromissos para retornar para a capital cearense.

A Defesa Civil de Fortaleza informou ter mandado duas equipes para o local. O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE) informou que vai se posicionar após fazer levantamentos na área.

VÍDEO mostra momento que brinquedo em parque de diversões no RS falha e fere duas jovens

A falha no funcionamento de uma atração em um parque de diversões feriu duas jovens, na cidade de Nova Roma do Sul, a 160 km de distância de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Um vídeo mostra o momento em que elas caem com o brinquedo, de uma grande altura. As informações são da Record TV.

No carrinho suspenso do brinquedo, chamado de “O Pêndulo”, as duas caem de costas em direção ao chão, até que um cabo de segurança sustenta o peso e as impede de atingir o solo. Porém, o impacto causado pela queda livre seguida da brusca contenção do cabo de segurança ao veículo causou ferimento às jovens.

Uma delas já foi liberada de um hospital na capital e passa bem. A outra, que teve as duas pernas fraturadas, está em estado grave em um hospital da região.

O brinquedo está interditado até a realização da perícia. A Polícia Civil irá checar o alvará de funcionamento do parque de diversões.

R7

Pensou em reformar a casa para o fim de ano? O momento para gastar menos é agora!

Período é propício para promoções que podem fazer a diferença no orçamento da obra

Fotos: Ambientes reformados/Divulgação

Faltam quatro meses para as festas de fim de ano e muita gente já começou a pensar na reforma da casa e do apartamento. Mas para que as mudanças no ambiente residencial saiam das ideias e se concretizem, é necessário planejar o orçamento. E esse é o melhor momento para aproveitar as promoções que podem deixar o preço dos materiais bem mais em conta.

A pesquisa de preço é um elemento muito importante para que a reforma saia do papel e não se transforme em uma dor de cabeça. “Nesse período são comuns promoções e condições especiais, facilitando o orçamento e possibilitando, muitas vezes, até a ampliação da reforma. Fica mais fácil também para seguir um cronograma, escolher os revestimentos certos, sempre aproveitando as oportunidades. Uma loja especializada, como O Borrachão, oferece essa assistência diferenciada ao cliente, além de permitir que ele economize mais na hora das compras”, destacou a diretora de relacionamento do O Borrachão, Renalle Diniz Costa Gurgel.

Escolher bons fornecedores também é um ponto primordial para a execução de um bom serviço. “O cliente deve avaliar bem a empresa que está ofertando os produtos, se ela tem bons parceiros e fornecedores, como nós temos aqui no O Borrachão. Isso significa que ele vai fazer um investimento seguro, sem se arrepender depois”, aconselhou a diretora.

‘É uma barbaridade’, disse Temer no momento da prisão

FOTO: EFE/Fernando Bizerra Jr

O ex-presidente Michel Temer foi preso pela Força-tarefa da Lava-jato. Kennedy Alencar disse que telefonou para Temer, que atendeu, e disse que estava na companhia de policiais federais. Temer disse ao jornalista que era um mandado de prisão preventiva assinado pelo juiz Marcelo Bretas, do Rio de Janeiro, e que estava indo para o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Kennedy Alencar ressalta que o impacto da prisão é forte. São dois ex-presidentes da República presos. Os agentes ainda tentam cumprir um mandado contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia.

CBN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    E é Bárbara, o nome dela? Mas não era Marcela?
    Este velho só pode estar variando.

VÍDEO: Bandidos tomam carro de assalto no momento em que é estacionado no bairro Petrópolis, em Natal

Registro na manhã desta terça-feira(26) na rua Trairi, no bairro de Petrópolis, na Zona Leste de Natal, mostra dupla armada surpreendendo motorista e tomando veículo de assalto. Vídeo cedido.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Barbosa Santos disse:

    Só uma observação para além desse ato de violência.
    Note que o motorista deixa seu carro tomando BEM mais espaço do que era necessário, ao estacionar.
    Essa modinha egoísta que reina em Natal, demonstra o nível de cidadania desses motoristas. Usam o espaço público como se fossem os únicos interessados ou necessitados dele.
    Custa ou dói seguir a regra prática que diz ser 0,50m como distância ideal entre carros?

    • Jk disse:

      Amigão! Essa observação é sem relevância diante do fato.

    • ASV disse:

      Realmente, o motorista é muito egoísta e "você" é um excelente exemplo, a mulher acabou de sofrer um assalto e "você" vem se importar com aquilo que "você" acha ruim.

    • augusto disse:

      Não há regra que diz 0,50m entre os carros. A regra é 0,50m entre carro e meio fio.

      Art. 181 – II – afastado da guia da calçada (meio-fio) de cinqüenta centímetros a um metro:
      Infração – leve;
      Penalidade – multa;
      Medida administrativa – remoção do veículo.

      Outra coisa… como é, no caso, que caberia outro carro, mesmo se ela estacionasse encostada em outro carro? Só se for um smart for two.

Momento para reajuste salarial do STF é inoportuno, diz Marco Aurélio

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil/Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello comentou hoje (8) o reajuste de 16,38% no salário dos ministros da Corte, aprovado na tarde de ontem (7) pelo Senado, e reconheceu não se tratar de melhor momento para a medida, embora se trate de uma “revisão” de inflação e não aumento, conforme frisou.

O projeto aprovado nesta quarta-feira tramitava no Congresso desde 2016, quando foi aprovado na Câmara. Ao assumir a presidência do Supremo, em setembro daquele ano, a ministra Cármen Lúcia decidiu que não era momento oportuno para o aumento, o que adiou a votação no Senado.

“Se já não era oportuno em 2016, hoje, com a situação econômica, financeira da União e dos Estados, muito menos”, afirmou Marco Aurélio, antes da sessão plenária do Supremo. Ele, no entanto, defendeu que se trata de uma reposição de perdas inflacionárias referentes ao período entre 2009 e 2014.

Questionado sobre se aprovar o aumento em período de alto desemprego não seria inadequado, Marco Aurélio respondeu: “Não vamos parar o Brasil porque ele está numa situação difícil econômica e financeira. Mas as instituições precisam continuar funcionando”.

Ontem, o mesmo argumento de reposição inflacionária foi utilizado pelo presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, e repetido nesta quarta pelo ministro Ricardo Lewandowski: “Nós temos uma defasagem e ela [a reposição] cobre uma parte dessa defasagem dos vencimentos dos juízes em relação à inflação”, disse Lewandowski.

Abordados, os demais ministros evitaram fazer comentários. Para a ministra Rosa Weber, quem deve responder sobre o assunto é Toffoli. Somente Celso de Mello, em breve declaração, lembrou ter sido voto vencido na sessão administrativa ocorrida em agosto, que aprovou a inclusão do reajuste no orçamento do Judiciário.

Naquela ocasião, a inclusão do reajuste no orçamento foi aprovada por 7 votos a 4. Além de Celso de Mello, votaram contra o aumento os ministros Edson Fachin, Rosa Weber e Cármen Lúcia.

Auxílio-moradia

Marco Aurélio argumentou que não há previsão em lei para o pagamento de auxílio-moradia a magistrados, hoje no valor de R$ 4,3 mil, indicando que o benefício deve ser retirado.

Nesta quarta, Toffoli declarou que uma vez aprovado o aumento nos salários dos magistrados, o tema do auxílio-moradia deve ser “enfrentado” pelo Supremo. O relator das ações que tratam do assunto, ministro Luiz Fux, não quis responder sobre o tema. Um assessor dele manteve a imprensa à distância.

Por força de uma liminar [decisão liminar] concedida por Fux em 2014, todos os magistrados brasileiros recebem hoje o auxílio-moradia, mesmo que possuam residência própria na localidade em que trabalham.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge disse:

    Pergunta para os Minions como votaram os políticos "comunistas" e o capitalistas. Coloca o placar aí blogueiro!

  2. Jorge disse:

    Depois de aprovado é fácil opinar dessa forma.
    Por que não foi contra quando o projeto de Lei foi enviado?