Saúde

Hospital Santa Catarina abre a semana com situação delicada no atendimento e suporte de pacientes

 

Chega ao Blog a informação que esta segunda-feira(24) tem sido delicada no Hospital Santa Catarina. A queixa relata que a unidade hospitalar conta com apenas dois anestesistas, em vez de três, quando era no mês abril. Há ainda a situação de dois pacientes entubados em sala operatória aguardando vaga de UTI, que não surge. 

Opinião dos leitores

  1. Faltam pessoas que estão no poder terem coragem, punho firme e sem rabo preso em favores e aconchavos disse:

    Esse governo de Fátima e uma calamidade publica. Me pergunto onde andam.as fiscalizações e o Ministério Público, o conselhos regional de medicina etc. Cadê a CPI aventada pela assembleia legislativa p por ordem nesse pardieiro??? Imaginem a sobrecarga desses profissionais p garantir que o procedimento seja efetivo ? Sem.falar a perseguição aos médicos que são a favor do protocolo preventivo à covid, ainda os sobrecarregam sem dar apoio de uma boa equipe e sem escala . Depois culpam o governo Federal se há aumento do vírus no Estado 😤😤😤😤

  2. Desde quando foi inaugurado esse hospital vivem em situação delicada.
    Piorou agora com a gestão de Fátima Cadeado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

FOTOS: Superlotação no centro cirúrgico do Hospital Santa Catarina na Zona Norte

Fotos: Cedidas

O Hospital Santa Catarina, na Zona Norte de Natal, amanheceu com os corredores do centro cirúrgico lotados – todos os leitos do CRO (centro de recuperação operatória).

De acordo com denúncia enviada ao Blog, no meio desta super lotação., há um recém nascido em respirador mecânico dentro do CRO aguardando vaga de UTI em estado grave.

A denúncia ainda diz que o número de médicos dentro da unidade é insuficiente para atender os pacientes.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Funcionária mais antiga em atividade no Hospital Santa Catarina morre vítima de Covid

A assistente técnica em saúde, Francisca de Assis de Souza Soares, de 61 anos, faleceu na noite desse domingo (28), em decorrência de complicações causadas pelo Covid-19. Francisquinha ou Fran, como era chamada, era servidora da Secretaria Estadual de Saúde Pública do Rio Grande do Norte e atuava no Hospital Dr. José Pedro Bezerra, mais conhecido como Hospital Santa Catarina, desde julho de 1985, sendo a funcionária mais antiga em atividade com 36 anos de serviços prestados naquela unidade.

Internada desde o último dia 06 no Hospital do Coração, Francisca de Assis precisou ir para a UTI e, desde então, não obteve melhora no quadro. Nesse domingo, sem responder aos estímulos e medicações, os exames atestaram o óbito. Dona Francisquinha, que já havia vencido um câncer em 2018, deixa o esposo, seu José da Paixão Soares, seu Zezinho, três filhos e três netos.

Opinião dos leitores

  1. Ouuu meu Deus! Não sabia que Francisca estava c COVID. Grande profissional, Deus conforte os corações dos amigos e Familiares.
    Minha homenagem e Meu eterno carinho e Gratidão caríssima. 🙏🏼🙏🏼🙏🏼

  2. Por ser da linha de frente, provavelmente havia tomado as 2 doses. É importante saber qual o lote e qual o laboratório…Quais os dias das aplicações e o dia do resultado positivo…

  3. theBoy, você está um pouco enganado, a eficácia das vacinas variam para o contágio. Exemplo: a CoronaVac tem em torno de 50% de eficácia para contágio, ou seja, a cada 2 pessoas imunizadas 1 vai pegar a covid, e a eficácia de 100% para casos graves, ou seja, essa pessoa que pegou não vai agravar. Mas nesse caso, tem que ver o que aconteceu, não adianta criar pânico sem antes saber o que aconteceu, nesse caso.

  4. Dona Francisca dedicou sua vida a profissão, lutou até o fim e hoje descansa nos braços do pai.

  5. A vacina não será um imunizante total, as possibildades de se contrair ainda é real. Mas é o que temos no momento, acredito que iremos combater através de três fatores, protocolos sanitários, vacinas e os protocolos profiláticos. Acredito que teremos que continuar nesta tríade até o controle da situação.

  6. Verdade theBoy, nenhuma vacina até o momento confere garantia de não reinvenção, todas as vacinas fabricadas até aqui tem variantes de eficácia na imunização. Dizer que vacinar é garantia de imunidade é mentir, devemos continuar com todos os cuidados preconizados para o combate a contaminação. Infelizmente há muita desinformação e desleixo dos gestores e população, e muita politização.

  7. Impressionante como não conseguimos respeitar a dor do outro. Colocando sempre a frente a política. Ao invés de estarmos nos solidarizando com as perdas estamos tentando culpar ou omitir responsabilidades. A querida amiga contraiu o vírus e faleceu, mesmo diante dos risco ela trabalhava em uma unidade de risco com um amor gigantesco pelo que fazia e pelo outro. Vá em paz, que Deus conforte o coração dos que ficam.

  8. O converseiro de MERDA precisa se alimentado. Os cientista dos blogs e dos grupos de uatizap estão sem informação! É verificar os comentários.

    1. Eu acho que sim, se realmente ela tomou estamos sem saída, só Deus mesmo para nos ajudar

    2. Conhecia 1 que tinha tomado as 2 coronavac e faleceu tb.

    3. Amigos, a vacina não resolve 100% dos problemas, independente se é da China, Oxford…

      Tem que ter gente politizando tudo. Se ela não tivesse tomado aí sim poderiamos dizer alguma coisa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

FOTOS: Grande quantidade de mofo em sala de classificação de risco do Hospital Santa Catarina, em Natal

Fotos: Cedidas

Foram enviadas ao Blog nesta quinta-feira(23) fotos de como se encontra a sala de classificação de risco do Hospital Santa Catarina, na Zona Norte de Natal. Quantidade de mofo impressiona. Mais do que nunca, questão de saúde pública.

Opinião dos leitores

  1. Quem já viu político usa instituição pública quando necessita!!! Eu, não me admiro. O que me deixa indignada é que ainda tem gente para eleger estas criaturas.
    Um verdadeiro absurdo! Não aparece ninguém para chamar o órgão fiscalizador para uma visita e melhor ainda pedir a presença da gestora do nosso Estado nesta visita.

  2. BG
    DESGOVERNO total destes antigos estilingues, INCOMPETENTES E IRRESPONSÁVEIS. Deixar um hospital aberto nestas condições é querer atingir a meta de 11.000 mortos declaradas pelo secretario de saúde. Uma perguntinha ainda, tem ministério público no RN?. Isso é caso de prisão imediata destes gestores.

  3. É de responsabilidade do Estado do RN ou da PMN??
    Se for do Estado o descaso é grande porque o
    Bolsonaro enviou dinheiro franco, a fole pro Estado do RN.
    Fátima tá acabando com o RN.

  4. Enquanto isso, as cobranças, exigências e ameaças de autuação são acima do normal para a rede privada, seja em clínicas ou hospitais. Trocar a calçada ou o guarda-corpo da escada (que era 1,10m e agora é 1,20m),que atendiam as exigências até 2019. E outras 1001 exigências babacas que não atingem o setor público. Um peso e duas medidas diferentes. INDIGNADO!!!!@
    CADÊ DRA IARA???? A PROMOTORA DA SAÚDE QUE SÓ PROMOVE COBRANÇA PARA O SETOR PRIVADO???

  5. Que coisa né? Descobriram o Brasil! Pelas características das fotos, deve fazer anos que está assim!

  6. É um absurdo isso. Mas é assim que nossa saúde sempre foi tratada. Agora com a pandemia apareceu mais ainda as mazelas e o quanto são incompetentes esses gestores. Esses safados, querem é que o povo se explodam, como dizia Justu Veríssimo.

    1. Ease hospital sempre viveu em estado critico. Um dia vi um asg reclamar a falta de detergents e pano de Chao. O mesmo usava agua e um pedaco de fardamento.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Zenaide confirma liberação de emenda de R$ 1 milhão para Hospital Santa Catarina

Foto: Divulgação

Uma boa notícia para saúde do Rio Grande do Norte. A emenda apresentada pela senadora Zenaide Maia (Pros-RN) em 2019, no valor de R$ 1 milhão, foi paga no último dia 20/03 e será destinada para o Hospital Santa Catarina, na Zona Norte de Natal. O hospital atende a população da capital potiguar e de toda a região metropolitana. “Diante da crise que a saúde está enfrentando, crise agravada por essa pandemia, esse recurso será de grande utilidade para o povo da grande Natal”, comemorou a senadora.

A emenda parlamentar atende à demanda apresentada pela unidade hospitalar para a aquisição de ventiladores pulmonares, berços aquecidos, cadeiras de rodas e outros equipamentos, num total de 192 itens essenciais para um melhor atendimento à população.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Justiça impede fechamento de UTIs pediátrica e neo nos hospitais Walfredo Gurgel e Santa Catarina


Foto: Divulgação Sesap

Na manhã desta terça-feira (10), durante uma audiência nos autos da Ação Civil Pública ajuizada pelo Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte – Cremern (ação estruturante que trata sobre o aumento de leitos de UTI no RN), na Justiça Federal, a juíza da 4ª Vara Federal, Dra. Gisele Leite, determinou o impedimento do fechamento da UTI Pediátrica do Hospital Walfredo Gurgel e da UTI Neo do Hospital Santa Catarina, após decisão homologatória.

Leia a matéria completa no Justiça Potiguar

Opinião dos leitores

  1. O MP e a Assembleia Legislativa já estão demorando demais para pedir o afastamento desta governadora irresponsável. A calamidade na saúde provocada pela corrupção e dos mal gestores, tem causado muito sofrimento e a morte de muitos que precisam de atendimento. A incapacidade do Secretário da pasta da saúde é um absurdo, a solução que ele dá para melhorar a qualidade do atendimento, é o fechamento de hospitais , leitos e UTI. Fora Fatão.

  2. E eu pensava que o RN era rico, já que Fátima e o PT eram contra a reforma da previdência do congresso nacional … Ah, mas ela mudou de opinião não foi?! Está querendo fazer uma reforma pior que a federal! Enquanto não faz, pra cortar gastos, corta do lado mais fraco: o pobre desassistido q não tem plano de saúde… Haja coerência!

  3. Não é mãe. Não tem elos. Que se dane as crianças cujos pais não podem pagar um plano de saúde.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap emite nota sobre falta de insumos no Hospital Santa Catarina em Natal

A respeito de comunicado expedido pela equipe de plantão do Hospital Pedro Germano (Santa Catarina) do domingo (06.05) que relata a falta de insumos básicos para o atendimento no pronto-socorro, a Secretaria de Estado da Saúde Pública informa que o documento foi expedido à direção do hospital relatando um fato momentâneo que pode ocorrer com qualquer hospital pronto socorro de portas abertas. Devido o hospital receber casos além de sua demanda natural que é de urgência e emergência, naquele momento a equipe restringiu o atendimento a esses casos, encaminhando as demais demandas ambulatoriais para as UPAS e unidades básicas de saúde que, naturalmente, fazem esse tipo de atendimento. A direção do hospital informa que a situação já está está sendo resolvida e nos próximos dias o atendimento volta à normalidade.

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Saúde Pública

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Funcionários do Hospital Santa Catarina na Zona Norte de Natal denunciam superlotação e falta de medicamentos

Mais de 20 pacientes estão sendo atendidos nos corredores do Hospital Santa Catarina, no bairro Potengi, na zona Norte de Natal. Segundo os profissionais da unidade, além da superlotação, faltam medicamentos e insumos básicos.

As denúncias recebidas pelo Sindicato dos Servidores da Saúde (Sindsaúde RN), tratam sobre a falta de condições adequadas para o atendimento à população. A unidade está sem materiais como lençóis, ataduras, soro fisiológico e seringas.

De acordo com a direção do hospital, a carência dos insumos se dá pelo não pagamento aos fornecedores por parte da Secretaria de Saúde Pública (Sesap) e a situação tem sido agravada pela superlotação no pronto atendimento.

“É importante ressaltar que esses são problemas recorrentes no hospital e que aqui não faltam somente medicamentos e insumos, falta estrutura básica de atendimento. A insalubridade é enorme! Tratamos de doenças infecto contagiosas e as paredes do prédio estão todas mofadas”, alerta a diretora do Sindsaúde e técnica de enfermagem da unidade, Maria do Carmo.

O Sindsaúde RN cobra à Sesap condições de trabalho aos servidores da saúde e a regularização do fornecimento de medicamentos e insumos para o atendimento à população.

Materiais em falta:

Lençóis
Ataduras
Seringa 1ml
Seringa 10 ml
Soro fisiológico
Soro glicosado
Ringer simples
Albumina 20% (medicamento utilizado para tratar infecções graves)
Cefazolina
Cefalotina
Ceftriaxona
Cefepicina
Ciprofloxacina
Ocitocina
Omeprazol
Varfarina
Metildopa
Hidralazina

As informações são do Sindsaúde-RN

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Pacientes do Hospital Santa Catarina esperam por cirurgia nos corredores; sindicato denuncia várias unidades de saúde do estado sob condições precárias

O Sindsaúde-RN comunica que os pacientes do Hospital Santa Catarina estão esperando por cirurgia nos corredores. Alguns estão, por exemplo, com hemorragia digestiva e obstrução intestinal. Outros, diagnosticados com pneumonia, angina, infecção urinária. Além dos corredores superlotados, a estrutura física da unidade está comprometida. Há infiltração e mofo nas paredes. Essa situação compromete não só saúde dos pacientes, mas também dos servidores. Várias unidades de saúde do estado estão sob condições precárias.

Segundo o sindicato, no Giselda Trigueiro, por exemplo, a UTI está com dois leitos interditados porque está sem estrutura, e há enfermarias em que a urina dos banheiros de cima escorrem pelas paredes, além da falta de segurança. Maria do Carmo é trabalhadora do Santa Catarina e diretora do Sindsaúde e diz que a Saúde, assim como outros serviços públicos, não é prioridade dos governos, que trabalham em direção ao desmonte do SUS e economizam para o pagamento da Dívida Pública aos banqueiros.

Os servidores estaduais da saúde estão em greve desde o dia 5 de fevereiro, contra o atraso dos salários, mas também, reivindicam melhores condições de trabalho. “Mesmo o governo tentando criminalizar o movimento grevista”, conforme fala o sindicato, a saúde permanece em greve com o percentual de 30%, conforme decisão judicial.

A assessoria jurídica do Sindsaúde já recorreu à decisão solicitando o percentual de 50% nas unidades e 50% na greve.

 

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

MPRN recomenda que setor de atendimento materno-infantil no Hospital Santa Catarina não seja fechado em dezembro

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por meio da 48° Promotoria de Justiça de Natal, recomendou à Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) que dê continuidade ao atendimento materno-infantil do Hospital José Pedro Bezerra, conhecido como Hospital Santa Catarina.

Para emitir a recomendação, a unidade ministerial levou em consideração informações apuradas no âmbito de um inquérito civil instaurado, de que o hospital poderia fechar a unidade de cuidados intermediários devido a falta de médicos para a escala de dezembro.

O MPRN apurou que o número de médicos neonatologistas e pediatras da unidade de saúde é suficiente apenas para compor as escalas de plantão até o dia 13 de dezembro, de modo que a parte restante do mês ficaria sem assistência médica.

A Promotoria ainda alertou que não há outras unidades estaduais que tenham a capacidade de absorver a demanda diária do Hospital Santa Catarina nesse curto espaço de tempo. O mesmo se reflete na Maternidade Escola Januário Cicco, que é administrada pela Instância Federal.

Se a unidade de atendimento materno-infantil do hospital fechar, o dano para a população será incalculável. Sendo assim, o MPRN recomendou que a direção do hospital se abstenha de suspender os serviços de qualquer setor da unidade até que a Sesap tome as medidas necessárias para resolver a situação.

Além disso, o órgão de saúde estadual deve tomar providências imediatas para garantir a escala completa do mês de dezembro na unidade de cuidados intermediários do hospital, sejam estas remanejamento, renegociação com médicos cooperados, nomeação de aprovados em concurso ou qualquer outra que tenha fundamento na legalidade.

Dada a urgência do assunto, a Sesap terá o prazo de 24 horas para informar as medidas tomadas a fim de acatar a recomendação.

Opinião dos leitores

  1. O MP também deveria pagar os pediatras para trabalharem na escala da SESAP. É muito fácil punir, sem apresentar uma solução.

    1. O MP parece uma plataforma de espíritos ruins: além de espírito punitivo, o espírito de corpo. Pense num "encosto" bancado pela sociedade, que nunca viu a cor do retorno.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pronto-socorro obstétrico do Hospital Santa Catarina em Natal será fechado entre 12 de dezembro 1º de janeiro de 2019 por falta de pediatras

O pronto-socorro obstétrico do Hospital Dr. José Pedro Bezerra, (Hospital Santa Catarina), na Zona Norte de Natal, será fechado entre 12 de dezembro 1º de janeiro de 2019, por falta de pediatras na escala da Sala de Parto e Alojamento Conjunto, assim, como do Fechamento do Médio Risco do mesmo serviço, com diminuição de oito leitos.

A informação foi enviada pela direção do Hospital e encaminhada para a Secretaria Estadual de Saúde. No documento, o Santa Catarina se coloca à disposição para atendimentos que não necessitem pediatra/assistência a parto seja de risco habitual ou alto risco.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Hospital Santa Catarina sem condições de atendimento, segundo SindSaúde-RN

Nesta segunda-feira (10), o Hospital José Pedro Bezerra (Santa Catarina), na Zona Norte de Natal, está com apenas um médico pediatra, devido a paralisação dos médicos da Cooperativa Médica do Rio Grande do Norte (COOPMED), que estão há quatro meses sem pagamento. O hospital costuma contar com no mínimo três pediatras.

Além da falta de profissionais, uma das três salas de parto está desativada, devido a um princípio de incêndio no ar condicionado neste final de semana.

Com apenas um médico, é possível que vários partos deixem de ser realizados no dia de hoje.

Com informações do SindSaúde-RN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Técnicos em radiologia suspendem exames no Hospital Santa Catarina

Servidores estão há seis meses sem poder medir os níveis de radiação

Por interino

Os técnicos em Radiologia do Hospital Dr. José Pedro Bezerra (Santa Catarina) estão há seis meses trabalhando sem substituir o dosímetro, equipamento individual usado para medir a radiação a qual estão expostos e que deve ser trocado mensalmente. Sem o equipamento, os técnicos de radiologia não têm como verificar a dose a que estão expostos. A situação se repete em outros hospitais da rede estadual.

Os servidores e o Sindsaúde cobraram da direção do hospital e da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) a reposição dos equipamentos. Diante da falta de resposta, eles paralisam as atividades nesta quinta-feira (02), e permanecerão na porta do hospital, a partir das 09h. Todos os exames estarão suspensos.

Com informações do Sindsaúde-RN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Secretário toma medidas para conter infiltrações no Hospital Santa Catarina

LagrecaO secretário estadual de Saúde, Ricardo Lagreca, acompanhado da coordenadora de Hospitais da Sesap, Milena Martins, se reuniu neste domingo (17), com a direção do Hospital Santa Catarina, zona norte de Natal, a fim de se inteirar dos estragos causados pelas chuvas da última sexta-feira que causou infiltração no teto da sala de reanimação da unidade hospitalar, provocando assim a sua interdição.

Como primeira medida e mais urgente os pacientes que se encontravam na sala de reanimação foram transferidos para outros espaços do hospital e para outros hospitais da rede pública.

Outra medida a ser adotada, já nesta segunda-feira (18), por determinação do secretário, é a presença de uma equipe do setor de engenharia da Sesap no hospital Santa Catarina a fim de tomar as providências cabíveis para a resolução do problema.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

NOTA – Atendimento obstétrico no Hospital José Pedro Bezerra (Hospital Santa Catarina)

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) esclarece que não houve fechamento do serviço de obstetrícia do Hospital Dr. José Pedro Bezerra (Hospital Santa Catarina), e sim uma iniciativa da gestão no sentido de garantir o atendimento às pacientes com gestação de alto risco.

A unidade apresenta atualmente um déficit de profissionais pediatras e obstetras, provocado principalmente pelos pedidos de aposentadoria destes profissionais ao longo do ano de 2015.

O quadro de profissionais insuficiente impede que o hospital se mantenha recebendo a demanda habitual, que inclui pacientes residentes em Natal e que apresentam gestação de risco habitual (baixo risco), embora a unidade seja referência para o atendimento a gestações de alto risco e por isso deveria receber somente pacientes neste perfil.

Como forma de sanar a situação a Sesap tem em tramitação um processo para contratação de obstetras e neonatologistas por meio de cooperativa. A gestão da Sesap se reuniu com representantes de unidades de saúde da Grande Natal para solicitar apoio no sentido de apoio à demanda de parturientes com gestação de risco habitual.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Trigêmeas que nasceram no Hospital Santa Catarina precisam de doações

Profissionais do Hospital Santa Catarina estão arrecadando doações para as trigêmeas que nasceram na unidade no último sábado (10). A família mora na comunidade de Cajazeiras, em Macaíba, e estão precisando com urgência de diversos itens para o enxoval das crianças, já que a mãe tem mais dois filhos e o pai está desempregado.

As doações podem ser feitas no próprio hospital ou entrando em contato com a família pelo telefone: 9605-2948.

Fraldas descartáveis, banheira, mantas, fraldas de pano, roupas, toalhas de banho, itens de higiene (sabonete, lencinhos umedecidos, creme de assaduras, perfume), colchão para berço, lençóis para berço, cômoda, carrinho de bebê e guarda roupas são os itens que a família está precisando no momento.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *