Política

Bolsonaro rebate STF e cita decisão de abril de 2020: “O Supremo decidiu que as medidas restritivas impostas por governadores e prefeitos não poderiam ser modificadas por mim”

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Em meio à queda de popularidade, o presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar o Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira. Ele rebateu uma nota publicada pelo tribunal em suas redes sociais que desmentia a tese defendida por Bolsonaro de que a Corte teria tirado poderes do presidente sobre as medidas de restrição de mobilidade durante a epidemia de Covid-19. Segundo ele, o STF divulgou uma “fake news”.

— Vou rebater logo mais a nota do Supremo Tribunal Federal de ontem dizendo que não tirou poderes meus. Isso é fake news. Uma decisão que acho que é de março ou de abril, o Supremo decidiu que as medidas restritivas impostas por governadores e prefeitos não poderiam ser modificadas por mim — disse Bolsonaro, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

Desde o ano passado, Bolsonaro repete que o STF tirou os poderes dele para combater a pandemia, quando o tribunal decidiu, em abril do ano passado, foi que estados e prefeituras também teriam autonomia para tomar decisões relacionadas à Covid-19. Na mesma decisão, contudo, o STF deixou claro que o governo federal também pode tomar medidas para conter a pandemia, mas em casos de abrangência nacional.

Bolsonaro se opôs a medidas que restringem a circulação de pessoas, recomendadas por especialistas para diminuir a proliferação do novo coronavírus. Ao longo da epidemia, ele também defendeu a utilização de medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19.

Na quarta-feira, em uma publicação em redes sociais, o STF afirmou mais uma vez que jamais proibiu o governo federal de agir no combate à pandemia. O vídeo explica que, conforme decisão do plenário, União, estados e municípios têm “competência concorrente” para agir na pandemia”.

Com acréscimo de informações de O Globo

Opinião dos leitores

  1. Carissomo BG, boa tarde, não concordo com vc quando diz que o Presidente Bolsonaro enfrenta queda em sua popularidade. Baseado em qual pesquisa, e se essa pesquisa merece crédito. Quanto ao que ele falou, foi uma verdade, o STF tirou o Governo Federal de agir, eu acompanho a novela desde seu inicio!

  2. Faz o seguinte MINTO das rachadinhas, publica logo aquele decreto que ia dar poderes absolutos a vc igual fizeram na Venezuela cara! Se vc não consegue entender o que é uma República FEDERATIVA, melhor logo vc dar esse golpe que vc tanto promete e mandar logo na porra toda !

    1. Será que você está falando sobre os remédios vencidos comprados pelo Governo do PT no RN?

    2. Tu não sabe o que escreve, da missa tu não sabe um terço, deixa de postar o que não sabe

    3. Gabriela: tenho certeza que houve, há e haverá corrupção nos governos estaduais assim como tenho certeza que há, e muita, corrupção no governo do MINTO das rachadinhas… Eu não tenho político de estimação e vc? Pode dizer o mesmo?

      Dokinha: Se vc sabe mais que eu, me ensine gado véi… Ou vc só fale ler e comentar dentro da bolha da gadolândia comendo pipoca cloroquinada?

    1. Aqui no Estado o PT foi o único responsável pelas mortes, nem o prefeito podia decidir nada, várias decisões judiciais foram no sentido de Fatão tinha a prerrogativa de Tudo, horário de fecha, o que fechar, enquanto o povo se contaminava em casa e o desemprego e a economia com os piores índices. Só não impediram do governo federal pagar os 600 reais de auxílio. A governadora sumia com dinheiro e ainda se achava a dona da razão. Ainda querem negar?

    2. Acho que o amigo está equivocado, assim como o governo federal não pode se intrometer nos estados, da mesma forma o estado não pode com os Mmunicípios, cada município fez seu decreto

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministro da Saúde diz que se número de distribuição de vacinas está errado no RN é por única culpa do Governo do Estado

Foto: Reprodução

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, rebateu o post de esclarecimento do Governo do Estado, que diz que é fake o quadro da pasta em que mostra a distribuição de vacinas enviadas pelo Governo Federal aos estados. Nesse ranking, o Rio Grande do Norte aparece em último lugar.

Segundo o ministro, o Estado está sim em 27º. Ele assim resume: “A informação é baseada nos registros efetuados no sistema do Ministério da Saúde. A responsabilidade pela inserção dos dados logo após a distribuição dos lotes aos municípios é do Governo do RN. Portanto, se está errado é porque o RN não atualizou os dados em nossa base”.

Opinião dos leitores

  1. Da a impressão que está funcionando assim, os municípios atrasam o cadastramento das doses aplicadas e o estado cobra a atualização das informações, mas em contra partida o estado que era para atualizar os números das entregas no sistema do governo federal (SUS) também não atualiza com presteza e rapidez.

  2. Tomei minha vacina e só foi incluída no sistema quase um mês depois, eu não consigo entender como não se usa esses cadastros para controle de quem se vacinou e de que ainda falta vacinar, identificar quem não tomou segunda dose entre outras. Fiz o cadastro no primeiro dia em que foi permitido no sistema, mas no dia em que fui me vacinar isso não serviu, deveria ter alguém alimentando o sistema

  3. Isso é incompetência, do governo do RN, ao invés de se preocupar com o esquema vacinal, fique fazendo política sebosa usando as vacinas. Eu particularmente acredito do Ministro da Saúde e não nesse governo PeTista enrolado.

    1. Falou o aluno da excelentíssima prufeçôra Fátima GD, kkkkkkkkkkkkkkk

  4. O excelentíssimo Ministro da Saúde Queiroga tá coberto de razão. A maior culpada pela má distribuição das vacinas no RN, chama-se Fátima Bezerra, também chamada de Fátima Cadeado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Em CPI, médica Mayra Pinheiro rebate senador petista: ‘Me respeite, não sou mentirosa’

Foto: Reprodução

A secretária de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, reagiu ao senador Rogério Carvalho (PT-SE).

Durante sua manifestação na CPI da Covid, feita de maneira remota, o parlamentar disse que a “Capitã Cloroquina” estava adotando postura semelhante a do ex-ministro Eduardo Pazuello, que mentiu ao longo de seu depoimento para o colegiado.

Ela rebateu. “Me respeite senador, não sou mentirosa.”

O Antagonista

 

Opinião dos leitores

  1. Capitã: vivi em Manaus, a maior experiência da minha vida nesses 30 anos.
    Senador: mas…
    Capitã: como médica, quero dizer.
    Senador: é?! Quantos pacientes a senhora atendeu em Manaus?
    Capitã: nenhum.
    Pega na mentira, de Quatro, no ato.

  2. A Dra. Deu uma surra de saias nesses incompetentes, foi promovida automaticamente a General. De forma tranquila, não se escondeu atrás do Habeas Corpus, desfiou evidências científicas, disse o motivo de ser medica, desmontou a farsa da CPI, respondeu com tranquilidade e altivez, sempre de forma educada, concisa e incisiva, não se intimidou com os ladrões safados. Demonstrou ser uma CEARENSE legitima que hlonga a roupa que veste, com seu profissionalismo e competencia. Agora os ineptos, medrosos e safados, ficam sabendo como se porta uma profissional estudiosa. Se eu fosse médico, como alguns que lá estavam querendo lhe amedrontar, ao final, pegaria o jegue para casa e ao chegar estropiado e zonzo, rasgaria meu diploma.

  3. Senador petista não sabe de nada, e ainda chama uma médica da linha de frente de mentirosa, esses senadores não se dão e nem entregam respeito! Pensei q o senado seria diferente da Câmara, mas vejo q sao iguais em querer aparecer para seu eleitora e dar seu showzinho, a despeito de trabalhar pelo bem do Brasil

  4. Ela disse que não foi a nenhum hospital em Manaus mas em uma entrevista que o senador do PT exibiu um subordinado dela diz que visitou com ela.

    Ela disse que é contra a imunidade de rebanho e aparece em áudio defendendo a imunidade de rebanho.

    Não mentiu, não? Qual é o nome disso?

    1. Vá escutar de novo viu, ou tá surdo ou pensa que todos somos besta igual a vocês .

  5. Ôooo raça ruim esses petistas viu, se acham os donos da verdade e da moral, só acham pq passam longe.

    1. A classe médica devia nunca atender um petista, eles não acreditam nos médicos, descordam e ainda os criticam

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Elon Musk rebate Nasa sobre simulação de impacto de asteroide na Terra: ‘Precisamos de foguetes maiores’

Foto: Peter Carril/ESA

O empresário mais famoso e polêmico do ramo da tecnologia, Elon Musk, respondeu através de sua conta no Twitter os resultados de uma simulação recente da Nasa e da Agência Espacial Europeia (ESA), que concluiu ser impossível evitar o impacto de um grande asteroide com a Terra usando a tecnologia disponível atualmente.

Na simulação, foi criado um asteroide fictício de tamanho entre 35 e 500 metros, inicialmente a mais de 56 milhões quilômetros da Terra, mas que estaria se aproximando da órbita terrestre. Segundo as previsões do estudo, ele atingiria o planeta em cerca de seis meses após a sua descoberta, e seu impacto seria semelhante ao de uma bomba atômica. A conclusão da pesquisa afirma que seria impossível atravessar o espaço e chegar ao asteroide em tempo hábil para parar seu avanço.

Em sua publicação, o CEO da SpaceX e da Tesla, sugere que o problema poderia ser solucionado através de foguetes maiores com tecnologias mais avançadas. Entretanto, essa solução já havia sido aventada pela Nasa e pela ESA, que afirmaram ser possível tentar explodir o asteroide enviando um foguete munido de bombas nucleares – a conclusão sobre ela foi de que, devido às proporções do aerólito, ele poderia se fragmentar e pedaços cairíam sobre a Terra, atingindo diferentes locais e causando muitos problemas.

Musk não deu maiores detalhes sobre as tecnologias necessárias para a missão sugerida.

Simulação e resultados

A Nasa e a Agência Espacial Europeia fazem simulações esporádicas sobre possibilidades de impactos espaciais na Terra, como forma de se preparar para uma emergência real. Desta vez, escolheram estudar como seria a colisão entre a Terra e um Asteroide de grandes proporções.

Foto: Nasa/ESA

Analisando a trajetória que seria feita pelo aerólito e suas dimensões, o impacto seria capaz de dizimar regiões da Europa. Devido aos resultados obtidos, as agências chegaram à conclusão de que a solução mais segura para mitigar o desastre seria evacuar as regiões previstas para destruição assim que identificada a possibilidade.

“Esses exercícios ajudam membros da comunidade internacional de defesa da Terra a se comunicarem entre si e com seus governos para assegurar que estaríamos todos coordenados, no caso de uma ameaça de impacto seja identificada no futuro.” (Lindley Johnson, do escritório de defesa da Nasa).

No cenário fictício, a região atingida seria entre a Europa e o norte da África. Com a aproximação do asteroide, seria possível precisar melhor a região afetada, que seria entre a Alemanha, a República Checa e a Áustria.

Foto: Nasa

CNN Brasil

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Anvisa rebate fabricante da Sputnik V e reafirma riscos em vacina contra Covid

Foto: Akhtar Soomro/Reuters

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) respondeu nesta quinta-feira (29) às críticas que vem recebendo por parte dos representantes da vacina Sputnik V, desenvolvida na Rússia pelo Instituto Gamaleya. Na segunda-feira (26), a diretoria colegiada da Anvisa rejeitou, por unanimidade, um pedido de importação do imunizante.

Em exposição à imprensa, a Anvisa reafirmou os riscos de segurança que basearam a decisão e exibiu documentos e trechos de reuniões gravadas em que técnicos do Gamaleya admitem a possibilidade de presença de adenovírus replicantes na Sputnik V.

De acordo com os técnicos da agência, os adenovírus replicantes podem provocar doenças e atingir tecidos e órgãos do corpo humano. A Anvisa argumenta que a presença desse componente é 300 vezes maior do que o orientado pelo FDA, seu equivalente nos Estados Unidos.

A agência ainda afirmou que remeteu os resultados de sua avaliação técnica a outras autoridades regulatórias estrangeiras e também à Organização Mundial de Saúde (OMS).

“A Anvisa foi acusada de mentir, de atuar de maneira antiética e de produzir fake news sobre a identificação do adenovírus replicante em documentos que tratam da vacina Sputnik V, objeto da decisão que não autorizou a importação excepcional da vacina para o uso na nossa população”, afirmou o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres.

Além dos dados , os diretores exibiram trechos da reunião entre os técnicos da Anvisa e representantes da Sputnik V.

No trecho exibido, os técnicos da Anvisa questionaram os desenvolvedores sobre o porquê do processo não ter sido refeito de forma que os adenovírus fossem impedidos de se replicarem.

Os desenvolvedores responderam à questão em russo, e a tradutora explicou que o Gamaleya usou uma “linha de células caracterizada, o que pode ser seus defeitos”. A tradutora disse ainda que os técnicos brasileiros “têm razão” ao afirmar que o processo poderia ter sido refeito com o uso de uma nova substância capaz de impedir a replicação dos adenovírus, mas que esse processo poderia “ter ocupado muito tempo, assim, nós optamos pela mesma substância que usamos no início”.

Negativa da Anvisa

Na segunda-feira (26), a Anvisa negou o pedido de importação da Sputnik V. A decisão da Anvisa foi rejeitada por todos os cinco diretores integrantes do colegiado.

De acordo com o gerente-geral de medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes, a vacina pode oferecer risco à segurança em razão dos chamados “adenovírus replicantes” encontrados em todos os lotes da vacina vistoriados pela agência sanitária brasileira.

“Isso significa que o vírus que deve ser utilizado apenas para carrear material genético do coronavírus para as células humanas e assim promover a resposta imune, ele mesmo se replica. Esse procedimento está em desacordo com o desenvolvimento de qualquer vacina de vetor viral”, explicou Mendes.

Pouco antes da decisão da Anvisa, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) havia aprovado a liberação comercial do imunizante. A medida foi tomada pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), ligada à pasta.

Resposta à Anvisa

Diante da decisão da Anvisa, o presidente do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, na sigla em inglês), Kirill Dmitriev, demonstrou surpresa afirmou em coletiva de imprensa que a agência brasileira agiu sob uma suposta pressão política dos Estados Unidos.

Em resposta ao RDIF, Gustavo Mendes disse que “o corpo técnico da Anvisa não está embasado em questões políticas, internacionais ou outras que não sejam a ciência”.

Segundo Mendes, o principal motivo da Anvisa em não aprovar a vacina foi a falta de documentação consistente e confiável sobre o medicamento. “A pandemia exige critérios que sejam diferenciados, que considerem o risco-beneficio e a urgência da questão”, completou Mendes.

Nesta quinta-feira (29), representantes da Sputnik V ameaçaram mover um processo judicial contra Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por difamação”

“Após a admissão do regulador brasileiro Anvisa de que não testou a vacina Sputnik V, a Sputnik V está iniciando um processo judicial de difamação no Brasil contra a Anvisa por espalhar informações falsas e imprecisas intencionalmente”, anunciou a conta oficial da vacina no Twitter.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Se a vacina com nome de foguete é tão boa, porquê a Rússia, que produz a vacina, está atrasado na vacinação?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Meio Dia RN

VÍDEO: BG rebate acusação de FAKENEWS e fala da ação de militantes que tirou o perfil do BlogdoBG no Instagram do ar

No Meio-Dia RN desta segunda-feira(15), o BG criticou o “ataque virtual” que o perfil do Blog do BG sofreu no fim de semana após postar uma notícia nacional sobre aumento do ICMS dos combustíveis. Na notícia, o Rio Grande do Norte é citado como um dos que também aumentaram. Assista o vídeo e entenda como tudo aconteceu.

Opinião dos leitores

  1. Tem o meu apoio Bg, só nas mídias sociais que podemos ver pessoas como você informando as arbitrariedades dos políticos covardes do quanto pior melhor.

  2. Caro BG, sua credibilidade e do seu blog está muito maior do que os “cachorros doidos “ a serviço dos que querem destruir a verdadeira DEMOCRACIA. Continue a ser referência jornalística no RN e no BRASIL.

  3. Muito metido a isentao diz que há "polarização" no Brasil.
    Não há.
    O que há são radicais de esquerda, que passaram por lavagem cerebral.
    Quando a turma do Maduro estava no poder, deixavam os zumbis trancados.
    Quando perderam o poder, depois se tantos desmandos, a cúpula da seita mandou inflamar os zumbis, que viram feras, de forma agressiva e violenta, agindo conforme as ordens da cúpula da seita.
    Esquerda é violência e agressividade.
    Não aceitam democracia.
    Em países comunistas, quem fala mal do governo é preso.
    Basta ver vários governadores agindo de forma autoritária (não sou contra restrições, me refiro à forma autoritária…) contra cidadãos já que não têm moral alguma para convencer a população.
    Um líder com moral, pede a população segue…

  4. Continue seu trabalho BG, é de muita importância para o RN … Este defoverno vai ter fim, falta apenas um ano e alguns meses para o RN se ver livre dessa patifaria … Quanto aos puxa sacos da desgovernadora, vão todos se ferrar …

  5. Ameaças é caso de polícia.
    Ponto final!
    Não deve existir tolerância a ameaças a segurança pessoal de ninguém.

  6. Pois já que vc esta certo e o Instagram errado, poste novamente defendendo uso profilatico do remedio de verme na sua nova conta e vamos aguardar o insta se pronunciar. Agora num corra não, poste lá de novo, num é tão arroxado… poste aí

  7. Só queria que alguém me explicasse se um governador, sozinho, pode alterar a alíquota de ICMS ou se ele precosa de um projeto de lei. A matéria fala de 19 estados.

  8. BG, não se rebaixe para os babões e os baba grelo, o RN precisa de um blog do seu quilate.
    FORA pelegadas, aqui vcs não tem vez.

  9. BG, mesmo sendo torcedor do ABC, receba o apoio e o carinho da torcida do América.
    Estamos com você.

  10. BG!!
    Fatima e a patota dela, quer lhe prejudicar.
    Sica em frente BG, nos os leitores desse blog, estamos do seu lado.
    Bola pra frente!!!
    Esse povo tá tudo doido apavorados perdidos, ataca até quem não merece.
    São uns irresponsáveis.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Marcelo Bretas rebate Gilmar Mendes, diz que tem consciência tranquila sobre lisura do seu trabalho e nega “veementemente qualquer suposta irregularidade”

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O juiz Marcelo Bretas foi ao Twitter rebater Gilmar Mendes, que há pouco, durante julgamento da suspeição de Sergio Moro, disse que há um escândalo para vir à tona na 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

“A tal 7ª vara do Rio de Janeiro, não sei por que o escândalo ainda não veio à tona, mas o que se fala em torno dessa vara também é de corar frade de pedra”, disse Gilmar.

Bretas, por sua vez, disse ter a consciência tranquila sobre sua atuação.

“Como Juiz Federal há mais de 23 anos, 6 dos quais como titular da 7ª Vara Federal no Rio de Janeiro, e com a consciência tranquila da lisura do trabalho ali desempenhado, nego veementemente qualquer suposta irregularidade, como foi referido.”

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. O ministro Marco Aurélio está a mais de trinta anos no Supremo e disse que essas conversas são comuns entre as partes, logo ele como mais antigo na casa deve saber do que ta falando.

    1. Segundo o ministro Marco Aurélio, isso é a coisa mais comum no judiciário, as partes manter contatos, sem obrigatoriamente ser crime. São considerados trocas de informações.

  2. Quem te conhece que te compre! Honesto igual a familícia. Daqui a alguns anos, todos processados e condenados. Aguardem!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Dr. Albert Dickson diz que ivermectina “atinge apenas 5 % de depuração a nível hepático”, e cita “fake news” sobre medicamento fazer mal ao fígado

Foto: Reprodução/Instagram

O médico e deputado estadual, Dr. Albert Dickson, voltou a defender a ivermectina, após notícias recentes de que o medicamento poderia provocar problema no fígado. De acordo com o parlamentar, trata-se de “pura fake news”.

“Primeiro que a ivermectina atinge apenas 5 % de depuração a nível hepático. 91 % fica metabolizando no intestino. Segundo que saíram várias pesquisas recentes relatando que não afetam o fígado. Uma dessas publicações anexo aqui para vocês entenderem de vez que a ivermectina não irá nunca fazer mal ao fígado nas dosagens habituais e não é cumulativa. inclusive na própria pesquisa relata que ela baixou os níveis de esteatose hepática”, diz.

O Dr. Albert Dickson ainda completa: “ao contrário das fake News. Ela faz bem ao fígado. E agora irão inventar o que ? Vamos esperar. Continuamos na luta por uma saúde digna contra o covid”, finalizou.

Íntegra do post abaixo:

Opinião dos leitores

  1. A maior parte da indústria farmacêutica luta para desacreditar a Ivermectina porquê é barata e funciona. Cada vez mais o povo vai estar vendo os benefícios deste remédio.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro rebate críticas ao governo por compra de leite condensado e cita destino ao Ministério da Defesa e a Funai; Mourão fala em ‘pura fumaça’ e diz que gastos são previstos

Foto: Bruno Batista /VPR

Alvo de críticas devido ao gasto de R$ 15 milhões do governo federal com leite condensado, o presidente Jair Bolsonaro se defendeu nesta quarta-feira compartilhando um texto que circula entre seus apoiadores. A mensagem afirma que o leite condensado é utilizado pelo Ministério da Defesa e pela Funai em missões em locais distantes. O vice-presidente Hamilton Mourão também minimizou os gastos.

A informação sobre os gastos do governo federal foi divulgada pelo site Metrópoles. Utilizando dados extraídos do Painel de Compras do Ministério da Economia, o site mostrou que o governo gastou R$ 1,8 bilhão com alimentação em 2020. Os gastos são referentes a todos os órgãos do Poder Executivo. As compras do Palácio do Alvorada, onde Bolsonaro vive, não estão computadas no levantamento.

Bolsonaro compartilhou em seu canal no aplicativo Telegram trecho de um texto que justifica os gastos com leite condensado “Os maiores compradores da iguaria são o Ministério da Defesa e a Funai, por um motivo comum: em locais distantes e pouco acessíveis, não é viável o transporte e o armazenamento de leite fresco, que estraga rapidamente”, diz a mensagem.

Também nesta quarta-feira, Mourão disse que o tema é “pura fumaça” e faz parte de uma “pressão” que estaria sendo feita contra o governo federal.

— Pura fumaça. Todos esses gastos são gastos orçamentários, previstos alguns como despesa obrigatória, outros como despesa discricionária, que foram efetuados dentro do que estava previsto no desembolso do Orçamento do ano passado. E se pegar o que foi gasto em anos anteriores eu tenho certeza que estará mais ou menos no mesmo patamar. Isso faz parte dessa pressão que está sendo feita em cima do nosso governo.

O vice-presidente disse que não acredita que a divulgação dos gastos possa trazer consequências negativas para o governo. Na terça-feira, parlamentares pediram para o Tribunal de Contas da União (TCU) investigar as compras.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. A questão não é o valor total das compras. A questão 01 – Há necessidade? A questão 02 – O preço pago foi o preço de mercado? A questão 03 – As empresas fornecedoras, são idôneas ou existem para estes fins? Ninguém em sã consciência imaginaria que está quantidade de itens iria só para o Palácio onde a Besta Fera está temporariamente.

  2. Nem sabia que o Ministério da Defesa usava como estratégia a produção de PUDIM… É uma doçura esse governo!!!!

  3. Ah ladrão, gastou 1 bilhão e 800 milhões, com alimentação, canalha veio duro, enquanto isso para o povo ozônio no rabo e a maior inflação dos últimos 11 anos, pior investimentos internacionais no país, vai gado o capim tá ficando escasso. Gasolina e diesel mais caro de tds os tempos.

  4. BG cadê os comentários do leite condensado, foi a notícia mais comentada desde ontem, vou parar de comentar, tô sentindo que estás a livrar o Minto, igual a seu amigo do interior

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

OUÇA: Advogados de Melhem notificam Calabresa com áudio que rebate acusações de assédio sexual

A coluna teve acesso à Notificação Extrajudicial na qual Marcius Melhem pede que Dani Calabresa se manifeste sobre as acusações de assédio sexual dentro de cinco dias. O documento solicita que a atriz confirme ou negue os fatos descritos na matéria da revista piauí e afirma que, caso ela não fale nada, fica entendido que ela concorda com as informações contidas na revista. Calabresa foi procurada seguidamente, mas não respondeu aos contatos da coluna. O espaço segue aberto.

A Notificação Extrajudicial cita passagens da reportagem, que classifica como falsas, como, por exemplo, uma ocasião em que Melhem teria constrangido Calabresa ao bater na porta de seu camarim no estúdio pedindo para conferir seu figurino — um maiô vermelho. “A mencionada gravação ocorreu em ambiente externo e sem a presença de Melhem”, afirma o documento.

Em outro trecho, a notificação menciona a festa em comemoração ao centésimo episódio do Zorra, quando Melhem teria tentado beijar Calabresa à força e colocado o pênis para fora da calça sem o consentimento dela. O humorista descreve na interpelação um áudio da atriz, que teria sido enviado a ele após a festa, que comprovaria “apreço pessoal” dela por ele.

“Chefe, estou mandando esse áudio para agradecer a mensagem linda que você mandou no grupo. Todas as mensagens que você manda sempre são de apoio e de carinho. Nossa, você não tem ideia de como fico feliz de saber que você me acha talentosa. Eu sou sua fã pra caralho. Nossa eu não sei como… talvez eu chore… como te agradecer por me dar um trabalho tão legal e de brinde ainda amigos queridos, fodas. Era meu sonho trabalhar com o Luís Miranda. Era meu sonho ser amiga do Luís Miranda. Eu entrei no Zorra com essa missão de fazer ele me amar. Eu tinha que convencer ele a me amar, porque eu já amava ele e precisava ser melhor amiga dele. E aí ganhei o Matchyas, a gazeta de Curicica. Corre uma fofoca ali, mas ao mesmo tempo é um puta de um amigo amoroso e leal ao mesmo tempo. É sério, eu tô muito, muito feliz. E eu precisava muito, muito estar feliz no Rio, com estas pessoas. E era para estar neste lugar mesmo, neste momento, com esta carga de pessoas amorosas. É isso. Obrigada. Eu estou muito feliz de verdade. Te amo muito. Um beijo para as suas filhinhas lindas. E vamos para a Disney juntos. Mas não com o Caruso, que ele é insuportável. Ele vai fazer um cronograma chato. Ele vai tentar escolher até o horário que a gente tem que soltar pum”, diz o áudio.

Relação de respeito profissional mútuo

A defesa de Melhem alega que a relação dele com Calabresa se manteve “saudável, permeada por afeto e respeito profissional mútuo” nos anos após a festa, que aconteceu em 2017. Mensagens de WhatsApp que os artistas trocaram foram anexadas à Notificação para argumentar que não houve nenhuma desavença entre eles até maio de 2019.

Nesse mês, aconteceu um desentendimento profissional durante a formatação do humorístico Fora de Hora, também narrado na matéria da revista piauí. Os advogados de Melhem dizem na notificação ter testemunhas de que não houve a promessa de que Calabresa faria o programa, inspirado no Furo MTV, em parceria com Bento Ribeiro.

“Dani, foi muito complicado na sexta. Não sei se você lembra, mas se sente não contemplada e tal. Mas você disse coisas horríveis pros autores e pros atores. Em momento algum você entendeu que isso é um processo que estamos construindo juntos. Tem a nata dos autores ali e você desqualificou todos. Você está totalmente presa no Furo. Estou pensando muito se vale a pena você seguir sem o menor tesão. O que eu falei no Zorra vale para tudo que eu faço. Só precisa ficar quem tá afim de ficar. Você chorar, reclamar que não tem seus autores, que tinha ator demais, etc, humilhou muita gente ali, que chorou depois também”, escreveu Melhem por WhatsApp para Calabresa após reunião do programa, segundo prints do documento.

Após todos os itens expostos, a Notificação Extrajudicial pede que Calabresa se manifeste no prazo de cinco dias para confirmar ou negar os fatos narrados na reportagem da revista piauí. O documento ainda afirma que, caso a atriz não responda ao pedido, será entendido que ela confirma que as informações da revista piauí são verdadeiras.

Leo Dias – Metrópoles

Opinião dos leitores

  1. O retrato do mundo que a esquerda construiu no Brasil. Hipocrisia, mentira, politicamente correto e desonestidade. Sepulcros caiados, como disse nosso mestre Jesus. É melhor ser um imperfeito honesto que um desses lacradores de twitter.

  2. Aí tem boi ? na pista… por isso que não é saudável emitir qualquer juízo de valor antes…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

TSE rebate notícias falsas sobre urna de 2018 que voltaram a circular

Foto: Antonio Augusto/Ascom/TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou na noite de ontem (18) uma nota de esclarecimento para rebater duas notícias falsas sobre a urna eletrônica que já haviam sido desmentidas em 2018 e voltaram a circular nos últimos dias em aplicativos de mensagem e redes sociais, a menos de um mês do primeiro turno das eleições municipais deste ano, marcado para 15 de novembro.

Uma das mensagens, que circula em vídeo, diz que o TSE recusou consultoria do Instituto de Tecnologia da Aeronáutica (ITA) e do Instituto Militar de Engenharia (IME) para o desenvolvimento de uma urna eletrônica capaz de imprimir o voto. As três instituições negam, desde 2018, a existência de qualquer proposta de assessoria nesse sentido. Os posicionamentos oficiais podem ser encontrados aqui.

Outra notícia falsa, que desta vez circula no Facebook, diz respeito a um edital publicado em 2017 para a compra de impressoras para as urnas eletrônicas. Com base no depoimento de um professor de Ciência da Computação da Universidade de Brasília (UNB), a fake news afirma que uma empresa fundada por dois venezuelanos teria tido acesso ao código das urnas após vencer o certame, abrindo a porta para fraudes futuras.

O edital para a compra de impressoras não foi adiante, pois a impressão do voto acabou suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o TSE, uma empresa fundada pelos venezuelanos de fato havia vencido a licitação, mas acabou desclassificada posteriormente por apresentar equipamento incompatível com as exigências técnicas. “Além disso, em nenhum momento, a referida empresa teve acesso a quaisquer códigos da urna”, alega o tribunal.

A identificação das notícias falsas que votaram a circular foi feita por uma coalização firmada entre a Justiça Eleitoral e nove agências de checagem compostas por jornalistas profissionais.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

NA BRONCA: Associação dos oficiais militares do RN rebate “desmilitarização” e lembra que ela só é possível mudando a Constituição Federal

Após repercussão sobre projeto de desmilitarização da Polícia Militar no Rio Grande do Norte feita pela Conferência de Segurança, a  Associação dos Oficiais Militares do RN emitiu uma nota, na tarde desta terça-feira (22), e disse em trecho que discussão caracteriza devaneios de operadores de segurança frustrados e ausência total de credibilidade por parte do Governo. Confira a nota na íntegra:

A desmilitarização das polícias só é possível mudando a Constituição Federal, nenhuma unidade federativa tem competência para tanto.

Suscitar esse tema em debates estaduais sobre segurança pública, como foi a Conferência Estadual de Segurança Pública e Defesa Social do Rio Grande do Norte, caracteriza devaneios de operadores de segurança frustrados e ausência total de credibilidade por parte do Governo, vez que tem a plena consciência que esse tema foge totalmente a sua competência.

A definição do tal evento que tratou a “desmilitarização da PM como proposta para melhorar a segurança pública do Rio Grande do Norte” é recebida com descrédito e grande preocupação. Afinal, o Governo do Estado não cumpre suas obrigações com o cidadão e ainda se propõe a invadir a competência do Governo Federal, numa afronta a Constituição do nosso país.

Natal, 22 de setembro de 2020

Associação dos Oficiais Militares do RN

Opinião dos leitores

  1. Joca, Lopes e "Encardido"!
    Se o sugeito ingressar com 18 anos, trabalhar 40 anos, terá 58 anos quando for para a reserva ou se aposentar. Imagine um policial militar em seus últimos anos de carreira, com 55 anos, correndo atrás de bandidos com 18 ou 20 anos. Por mais que tenha uma alimentação adequada e se mantenha treinado fisicamente, não conseguirá cumprir seu papel. Logo, teria que, no mínimo, a partir de 45 anos, passar para o setor administrativo.
    Quanto a salários, quem arrisca a vida todos os dias para que outros, como vocês, possam fazer suas críticas, num escritório com ar-condicionado ou numa praia paradisíaca, com seu celular de última geração e internet "top", deve ganhar um bom salário, ter um plano de saúde (descontando nos salários como é hoje) e muito mais. Não tem horas extra, adicional noturno, direito a greve. Somente tem o direito de cumprir seu dever. Eles são heróis desconhecidos do cotidiano.
    Vocês são um revoltados e invejosos que não conseguiram passar nos concursos e descontam suas angústias nos valorosos policiais militares. Todos os policiais tem seu valor. Os civis, principalmente nas investigações, os federais, atuando contra os crimes que ultrapassam as fronteiras estaduais, os policiais rodoviários, mantendo a ordem nas estradas e adjacências e interceptando movimentações ilegais, entre outras tarefas.
    Outra coisa, na proposta que o Joca sugeriu, lembro que a polícia ostensiva que ele citou vai precisar uniforme, caso contrário, não será ostensiva. Criar 15 níveis é quase igual a criar 15 postos ou graduações. Logo, vai trocar 6 por meia dúzia. Informo ainda que na PRF tem hierarquia sim.
    Entenderam?

  2. Emitir opinião em um fórum como esse, onde pessoas se escondem por trás de um apelido, é bem complicado. O nível é muito baixo e as discussões muito rasas. O cerne da matéria é mostrar que o governo está usando de um expediente inconstitucional para tratar de um tema que não é de sua esfera de competência, mas muitos preferem emitir comentários de cortina de fumaça com palavras chulas e depreciativas. Talvez porque sejam os mesmos que ajudaram a produzir esse trabalho nessa tal conferência de segurança: frustrados, covardes e hipócritas.

  3. É o sonho do PT. Desmilitarização das Policias. Já houve até um deles que sugeriu Policia desarmada. Eles tem ódio de militar. O militar tem disciplina e hierarquia. Lembram o Exército. O glorioso Exército de Caxias, que não permitiu e jamais permitirá que o Brasil seja comunista. Eles não perdoam o fato de as FA terem jogado na lata de lixo o sonho deles tomarem o poder em 64. Todo o apoio à gloriosa POLICIA MILITAR DO RN!

    1. Deixa de besta que quando eu servi o Exército a vida dos oficiais e sargentos era malhar com a polícia. Para eles, militar é só das forças armadas, que são treinados para guerra. Polícia querendo posar de guerreiro era só o que faltava.

    2. Maluco, em todo lugar tem polícia, seja comunista ou capitalista. Tu queres polícia mais arrochada do que a da Coreia do Norte.

  4. PEC da desmilitarização das Polícias; Art. 1 – Fica criada Polícia Ostensiva Estadual no Brasil
    Art. 2 – Fica extinta as Polícias Militares
    Art. 3 – As Polícias Ostensivas tem a carreira policial organizadas do Nível 01 ao Nível 15.
    Art. 4 – Ficam extintas todas os postos e graduações. Parágrafo I – todos os policiais que na data da publicação desta PEC tiverem soldo/subsídio superior ao Nível 15, receberá a diferença sob a rubrica VPNI. Só um esboço p ajudar Deputado a começar a fazer.

    1. Policia, assim como o servidores civis, se aposentam com 40 anos de serviço e com proventos limitados ao teto pago pela previdência. Coloca mais este artigo aí.

    2. Coloca o art que passam a ser regidos pelo regime de previdencia do INSS apos a desmilitarizacao. 40 anos de servicos prestados igual a saude. Assim se aposentam com o teto que tanto almejam. Alem do controle de ponto essencial a qualquer profissional civil.

  5. Os oficiais estão de boa.
    A tropa exige uma polícia nos moldes da PRF.

    A polícia verdadeira, os praças, 100% deles querem isso.

    Deixem só os oficiais na PM para vocês verem o caos.

  6. Alguém tem que apresentar uma PEC desmilitarizando as PMs para que fiquem nos moldes da PRF, porém antes temos que esmagar o poderoso lobby das PMs dentro do Congresso Nacional. Eu não não pago PM p ficar fazendo “ordem unida” e ficar com essa conversa de “sim senhor, não senhor”, eu pago para prender bandido e fazer policiamento ostensivo

    1. Ótima ideia. E o salário da PM, vai ficar igual ao da PRF?
      E os adicionais noturnos e periculosidade? Quem vai pagar?

  7. Verdade, a associação que representa os que mandam tem razão, tem que mudar a constituição, mas voltando ao tema, sobre a desmilitarização, o que a representação dos que obedecem acham?

    1. Não se trata de opiniões de associações, mas de qual opção atende melhor a finalidade.
      As Polícias Militares prestam papel de OSTENSIVIDADE por usarem farda militar.
      Não é para ser uma votação para escolher o que atende melhor o funcionário militar.
      Quem está na PM fez concurso por livre e espontânea vontade. Os insatisfeitos podem pedir baixa e ir para outras outras profissões, inclusive a Polícia Civil, caso abram concurso.

    2. Repito, quem se manifestou foi a entidade que representa quem manda, talvez, a que sinta mais, numa mudança tão significativa.
      Fica a pergunta, qual é a posição das entidades que representam quem obedece ou essas entidades não podem se manifestar?
      Se não puder, aí td bem, o que se pode fazer!

    3. Santos!
      Você ainda não entendeu que : A FINALIDADE É ATENDER O POVO QUE CLAMA POR SEGURANÇA E NÀO OS FUNCIONÁRIOS, sejam eles oficiais, graduados ou praças. Não é algo para os militates votarem em plebiscito. Quando a Associação dos Oficiais se manifedtou foi para INFORMAR que o assunto é de responsabilidade FEDERAL e que não vê melhora alguma em desmilitarização. Outras associações podem se manifestar, mas seria melhor pedir aos deputados federais ou senadores que estudassem o assunto, pesquisando entre os congressistas se existe viabilidade e apoio de votos para a mudança.
      No entanto, eu como cidadão, não vejo vantagem alguma em apenas retirar a farda, perdendo o poder ostensivo, desorganizando a hierarquia e enfraquecendo a atuação. Já estão filmando/gravando as ações da PM em São Paulo, com cameras acopladas ao fardamento. Isso sim é melhora na segurança do cidadão, trazendo a verdade (real) do que acontece nas ações policiais. Muitas vezes a mídia sensacionalista se apressa em noticiar algo, sem confrontar os fatos, acusando policiais de abuso de autoridade ou morte por balas perdidas, instantes após os acontecimentos. Posteriormente, quando tudo é elucidado, é verificado que os policiais agiram de acordo com a lei, mas não há pedido de desculpas pelos "erros" das reportagens. Mas a mancha injusta na instituição e em seus agentes não é apagada.

  8. O pessoal desvia muito o foco da questão, gostaria da posição da associação dos praças. Até pouco tempo policial era punido por coisas corriqueiras, como não chamar de Sr um superior, coisas como corte de cabelo, barba. Lembra do atual senador, que não pode dar voz de prisão num superior?
    O contexto militar serve para seu próprio ambiente, a polícia se relaciona com a população civil, ninguém quer destruir a polícia, mas atualiza-la.
    Gente que nunca pisou num quartel ou academia de polícia, querendo vir arrotar baboseiras.

  9. A Polícia tem é que ganhar bem e ser melhor preparada. Militarismo é coisa de forças armadas. Desmilitarização já.

    1. Polícia já ganha muito bem, tem que melhorar o salário dos vigilantes armados, pois ganham 1/3 que um PM raso. E se tiver algum PM achando ruim é só pedir p sair e vir para nossa empresa ensinar como se faz greve para aumentar nosso mirrado salário.

  10. Precisamos é DESPETIZAR o Estado e nao destruir a polícia militar. Queremos segurança publica de verdade, e que no atual governo estadual por nao ter projeto nenhum, poe a culpa na farda. No mundo inteiro, onde existe estabilidade e democracia, as policias ostensivas sao militarizadas na sua essencia; basta olhar no google, simples de provar. Precisamos evitar que se formem sindicatos novos que ponham em risco a estabilidade da ordem, e gerem o caos na seguranca. Policia desmilitarizada vive em greve… a exemplo de certas categorias no estado administrada por sindicatos que ha meses nao trabalham sob ameaça constante de greves. É isso que o governo quer?

    1. Falou em desmilitarizar os oficiais se cagam , pq vivem uma vida regada a ordens , explorando os mais modernos , brincando de Deuses … tem que desmilitarizar mesmo.

    2. Oficialato só sabe mandar! Fazem nada! Deixa de ser mané mané!

  11. É o que dá acreditar em quem se diz professora sem ter tido aluno. Que haja mais deputados oriundos das forças de segurança com credibilidade para lutar como CORONEL AZEVEDO.

  12. Quando fala em desmilitarizar a PM os oficiais se arrepiam, pq será? Mas de fato, só mudando a CF88.

  13. Caramba a que Ponto nós chegamos em vez de Melhorias este Governo só complica. Coisas do PT.

  14. O PT não pode acabar com uma instituição de quase 100 anos. A nossa gloriosa POLÍCIA MILITAR foi fundada em 1834. É mais fácil a gente destruir os PTralhas.

    1. Ninguém quer acabar com a puluça, o que se quer acabar é a organização tipo militar dentro da puluça.

  15. A Polícia Militar do RN é um patrimônio do povo, não pode ser destruída. FORA FÁTIMA!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo do Estado diz que “supostas acusações” contra servidora “não refletem a realidade”

Em nota de resposta ao Blog, o Governo do Estado diz que não procedem as denúncias enviadas por funcionários e noticiadas por este Blog(AQUI), contra a servidora pública Laíse Silvane Tomaz do Nascimento, chefe de gabinete da Secretaria de Estado da Administração (SEAD), e que já conta com mais de 15 anos de experiência no serviço público, não reflete a realidade.

A nota ainda diz:

“A servidora acredita que as supostas acusações possuem motivações por parte de pessoas insatisfeitas com o modelo de trabalho participativo e transparente da gestão pública adotado pela SEAD. Modelo esse que pôs um fim em privilégios e vícios de trabalho.

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte reitera seu compromisso com a transparência e o zelo com o ente público, bem como não compactua com condutas de abuso de poder ou de assédio moral”, encerra nota.

Opinião dos leitores

  1. Teve um caso anterior noticiado por Gustavo Negreiros que ela perseguia uma bolsista. Se é mentira que essa Laíse não faz ASSEDIO MORAL então pq a bolsista foi transferida para outro setor??? Não é por insatisfação que isso denunciam isso. É pq vivem constantemente sendo denunciados. E infelizmente a chefe de Gabinete não tem a humildade de fazer um exame de consciência de suas atitudes e de tentar melhor. Não é a primeira vez das denúncias .
    As denúncias tem que chegar ao MP T. Os servidores atuais e os que saíram precisam denunciar!!!

  2. Isso é normal nesse desgovernou BG investigue o DER que a mesma coisa acontece lá, lá o diretor geral humilha e persegue as pessoas, manda tomar naquela lugar, ameaça de ir pro cabo da enxada, ameaça de demitir inclusive tem servidor com depressão.

  3. O mas engraçado é que essa moça teve direito a nota de esclarecimento em ato de defesa, mas e todos aqueles que ela humilhou/ humilha e perseguiu?! Independente de partido todo ser humano é digno de respeito, e o asa moça só respeita pessoas de auto escalão. Fica aquilo há indignação em ver uma sociedade lutando por melhorias nós seu trabalho por dignidade e ainda ter que se calar diante desse tipo de defesa partidária. Procurem saber também dia muitos que foram exonerados ou removidos da sead, o tempo de serviço prestado e a conduta dessas outras pessoas também! Posso lhes garantir, ela não é essa vítima que estão descrevendo aí na nota de esclarecimento não!! Vergonha de falar que votei nessa Governadora achando que ela iria olhar para os trabalhadores.

  4. Que privilégios? Pq não citam? Os dela ela Tirou? Kkkkkk Mulher hipocrita! Gestão inovadora? Inovação pra ela é não assinar processo, humilhar servidores, dar sermão, fazer carinha de boa samaritana e chamar os servidores de burros e fracos! Eu não acredito que q governadora não irá fazer nada com essa mulher! Isso é revoltante!

  5. Pois diga, fico besta com a governadora defender essa mulher, a mulher trata todo mundo no grito é isso que é gestão participativa?

    1. Gostaria de esclarecer que qdo me apresento p falar alguma coisa em alguma situação, deixo meu nome completo como fiz em outro Blog, portanto, não foi eu q fiz esse comentário. É bom q deixe bem esclarecido BG, divulgue-o p favor !

  6. Se o governo do RN tivesse cuidado com a “transparência” não teria sumido R$ 5 milhões de reais… Cadê o dinheiro do contribuinte??

    1. Vamos começar por menos… por quê Michelle Bolsonaro recebeu 89mil de Queiroz???

    2. Cabo Silva é pq Michelle diferentemente de Dona Marisa nunca vendeu AVON. Se tivesse feito isso era uma mulher bilionária igual a finada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Witzel diz: ‘Não sou ladrão. Não deixarei que corruptos e ladrões estejam no meu governo. Vamos vencer a guerra’

Foto: Reprodução/Twitter

O governador do Rio, Wilson Witzel, voltou a se defender nesta quarta-feira, dia 15, das investigações sobre o seu envolvimento no esquema de irregularidades na Secretaria do Estado de Saúde (SES) durante a pandemia do coronavírus. Em vídeo e postagens em seu perfil oficial no Twitter, Witzel disse que “não era ladrão” e que trava uma “guerra contra a corrupção no estado”. Desde que o ex-secretário de saúde Edmar Santos acertou uma delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR), conforme a colunista Bela Megale, para apresentar provas contra o governador, ele tem se negado o envolvimento.

“Eu quero dizer ao povo do Estado do Rio de Janeiro. Fui juiz federal por 17 anos. Na minha carreira, tive uma vida ilibada. Fui considerado linha dura. Me elegi governador do Estado do Rio de Janeiro. Todas essas acusações levianas que estão sendo feitas contra mim é por parte de gente que não quer um juiz governando o estado do Rio de Janeiro. Não sou ladrão. Não deixarei que corruptos e ladrões estejam no meu governo. Eu peço ao povo do que acredite, porque nós vamos vencer essa guerra contra a corrupção”, disse no vídeo.

Na mesma postagem, Witzel afirma que “é preparado para guerra” e que “não compactua com qualquer desvio de conduta”.

“Sou preparado para guerra, seja no campo de batalha ou nos tribunais. Eu governo o RJ com ética e transparência para fazer o melhor pela população fluminense e não compactuo com qualquer desvio de conduta”, escreveu.

O governador disse, ainda, que “está incomodando muito gente” e que estas mesmas pessoas “não querem um ex-juiz no governando o estado”. Em nenhum momento, Witzel cita o nomes.

“Continuaremos combatendo a corrupção. Fui um juiz linha dura e isso, infelizmente, está incomodando muita gente ligada ao crime organizado e às máfias que atuam no estado. Por que será que alguns não querem um ex-juiz governando o Estado?”, indagou na rede social.

Quebra de sigilo em documentos

Nesta manhã, o governo divulgou uma nota onde afirma que, desde que surgiram as primeiras denúncias de possíveis irregularidades nas compras emergenciais e contratos firmados pela SES, Witzel “determinou a imediata quebra de sigilo desses documentos e abriu sindicância para apurar o autor do pedido de sigilo”. Na mesma nota, o governo ainda afirma que “o papel da imprensa é mesmo o de fiscalizar” o que acontece com recursos públicos.

“Witzel reitera também que, nesse sentido, sua administração foi pioneira ao adotar, no Rio de Janeiro, o SEI (Sistema Eletrônico de Informações), onde são lançados todos os contratos e pagamentos do governo do Estado do Rio de Janeiro. Witzel tem ainda a convicção de que o papel da imprensa é mesmo o de fiscalizar e acompanhar tudo o que está sendo feito com recursos públicos”, diz a nota.

Em entrevista ao GLOBO, Witzel disse estar “tranquilo” em relação à delação de Edmar Santos, que está preso deste o dia 10 de julho na Unidade Prisional da PM em Niterói. O PM reformado é acusado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de ser chefe de uma organização criminosa que atuava na secretaria de Saúde. Segundo as investigações, Santos e outros funcionários da pasta superfaturaram contratos de compra de respiradores para pacientes com Covid-19.

— Se ele falou no meu nome, está mentindo. Não há a menor possibilidade de ele ter prova contra mim de ato ilícito. Estamos no início do processo criminal, e o que a Justiça tem feito tem que ser respeitado. Tem muita coisa mal explicada, como de onde veio o dinheiro (R$ 8 milhões em espécie encontrados durante a operação do Ministério Público estadual na qual o ex-secretário foi preso, na sexta-feira da semana passada) — disse Witzel, por telefone

Edmar Santos foi secretário de Saúde do início do governo Witzel, em janeiro de 2019, até 17 de maio desse ano, quando foi exonerado após surgirem as primeiras denúncias de corrupção na pasta. Mas, um dia depois, ele virou secretário extraordinário para Acompanhamento da Covid-19, cargo que até então não existia. Em 28 de maio, ele se exonerou após a Justiça suspender sua nomeação.

Witzel também é investigado pela compra dos respiradores, mas no STJ. A PGR já pediu que o STJ fique responsável por todos os processos relativos às fraudes na saúde no governo do Rio.

O Globo

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

“Brasil não é ameaça, é porto seguro para milhares de venezuelanos”, rebate Governo em nota sobre acusação de Maduro

Foto: Reprodução/Instagram

Em nota nesta quarta-feira(17), o Brasil rebateu o governo Maduro de ser “ameaça para a região” em razão dos casos de coronavírus, e destacou que já acolheu “milhares de irmãos fugidos do socialismo venezuelano”.

“Além de todos os cuidados imediatos, os esforços incluem ações de interiorização, com encaminhamento para emprego, residência e reencontro com parentes e amigos”, finalizou a nota via Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Opinião dos leitores

  1. Brasil "porto seguro"?
    Perguntem ao Queiroz.
    Aqui não há segurança nem no escritório do advogado da familícia.

  2. Não sou favorável às ações realizadas pelo governo atual, todavia, esse governo da Venezuela é a maior desgraça das últimas décadas na América do Sul. Ditador da pior espécie esse Maduro. Tudo que o governo brasileiro puder fazer para tirar esse tirano do poder, deve ser feito!

    1. Você não entendeu! Ameaça ao cuminismo.
      Foi isso que quis falar.

    2. O meu medo é que caminhemos para uma ditadura também, só que à direita, aqui no nosso Brasil. Uma parcela de cidadãos (cada vez menor, ainda bem) parece até querer essa aberração, sem ter consciência do que isso pode significar.
      Liguem os pontos.

    3. Para evitar a ditadura do governo atual também temos que afastar a hipótese de retorno do PT. Muitos ainda votariam no presidente atual se vissem que ele evitaria o PT de volta.
      Temos que, urgentemente, viabilizar um outro nome de um outro candidato que impeça a permanência do atual e o retorno no anterior. Eis o desafio!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Arena das Dunas rebate Control: “É inadmissível que o resultado de uma auditoria se traduza em um manifesto sobre o desejo de repactuação completa do contrato firmado”; veja nota

Arena das Dunas, em nota, diz que concessionária sempre respeitou a premissa de fiscalização do Poder Concedente e seguirá nessa postura. Destaca que “é inadmissível que o resultado de uma auditoria se traduza em um manifesto sobre o desejo de repactuação completa do contrato firmado”. Veja abaixo:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Arena das Dunas sempre esteve à disposição do Estado do RN ao longo da Auditoria da CONTROL, tendo facultado amplo acesso aos documentos solicitados e, inclusive, disponibilizado sala própria na sua sede para o regular desenvolvimento dos trabalhos.

Ainda assim, não recebeu, até o momento, o resultado completo dos trabalhos efetuados (relatório final e seus anexos), impossibilitando a adequada compreensão dos números e valores amplamente divulgados.

De todo modo, considerando a disponibilização do Relatório incompleto para a imprensa e no site da CONTROL, entende necessário esclarecer conclusões equivocadas contidas no material apresentado.

A primeira: o prazo final das obrigações do poder público. O relatório considera a obrigação do poder público se estendendo até janeiro de 2034, quando o termo final do contrato é em outubro de 2031.

Portanto, as conclusões equivocadas estão agravadas por 3 anos de cômputo indevido de valores.

Infelizmente, este equívoco não está sozinho.

Além dele, os seguintes pontos nos surpreenderam e demonstram, com todo o respeito: (i) atropelo do contraditório; (ii) incompreensão de conceitos relacionados ao Contrato de PPP; e, (iii) ausência de entendimento do próprio modelo jurídico e econômico do contrato celebrado e em vigor há 9 anos.

Sobre (i): violação ao contraditório e devido processo legal

1) A Arena das Dunas foi chamada pela CONTROL a apresentar “contestação” ao contido na Nota de Auditoria nº 003/2020, de 19/02/2020, encaminhada pelo Ofício nº 36/2020/CONTROL – CG-CONTROL, recebido em 21 de fevereiro de 2020 e respondido
em 03 de abril de 2020.

2) Neste Ofício, mencionava-se, exclusivamente, o entendimento da Auditoria relacionado à repartição das receitas acessórias. Não havia qualquer menção à contraprestação fixa ou outro aspecto do contrato;

3) O Relatório final, como amplamente divulgado, tratou de suposto “prejuízo ao Estado” decorrente do pagamento da contraprestação fixa mensal, em montante superior a R$ 100 milhões.

4) Esta matéria não estava em exame pela auditoria e, portanto, não pôde ser objeto de resposta da Arena, tendo aparecido no Relatório Final como “surpresa”.

Sobre (ii): ausência de compreensão da contraprestação fixa e sua função contratual

1) Há 10 anos, o Estado do RN fez a opção de contratar uma PPP, lançando concorrência pública para transferir para o Parceiro Privado o ônus e o risco de aportar capitais e de os buscar de financiadores externos para executar as obrigações do contrato e, posteriormente, ser remunerado pela Contraprestação Pública, adimplindo suas obrigações com seus respectivos financiadores, bem como remunerando seu próprio investimento direto e a operação do equipamento ao longo dos anos;

2) Este conceito básico de uma contratação por meio de PPP é absolutamente desconsiderado pelo relatório final, que parte da premissa – equivocada, do ponto de vista econômico e jurídico – de que caberia ao Estado apenas repor o valor pago pela Concessionária aos seus financiadores;

3) A “conta” da CONTROL, para dizer o mínimo, desconsidera os encargos diversos que a empresa assume no processo de transformar faturamento em caixa.

4) Dito de maneira direta: a contraprestação paga deve ser suficiente para, além de adimplir financiamento tomado à terceiro, remunerar o capital investido do acionista, o risco inerente ao projeto, o custo da operação do equipamento e gerar LUCRO para o empreendedor.

5) Esta equação está consagrada no contrato celebrado há quase 9 anos e o respeito a ela é condição primeira para a existência do contrato;

6) A Diferença apontada pelo relatório não se trata de pagamento a maior. É a diferença entre o que está contratado e o que o auditor gostaria que tivesse sido contratado em 2011. Não houve qualquer pagamento acima do compromisso firmado.

7) Some-se a este um outro grave equívoco no exame dos dados relativos à estrutura de capital da PPP. Esta estrutura foi composta conforme a figura abaixo:

8) O capital próprio aportado pelo acionista da concessionária foi totalmente desconsiderado pelo Relatório;

9) É de se recordar que essa discussão já foi submetida ao judiciário e ao Tribunal de Contas do Estado, o que vem penalizando a concessão, de forma cautelar, desde o ano de 2016;

10) Em resumo: o que se chamou de “prejuízo ao Estado” é uma ficção não amparada pela legislação de regência, pelo Contrato e seus conceitos mais básicos.

Sobre (iii): incompreensão da divisão das receitas acessórias

1) As receitas acessórias são uma possibilidade de remuneração adicional ao parceiro privado, como estímulo à exploração empresarial contínua do equipamento, provocando efeito em cadeia na economia local, a partir da geração de conteúdos permanentes;

2) Por disposição contratual, estas receitas devem ser compartilhadas entre os parceiros, gerando retorno imediato ao Estado decorrente das atividades desenvolvidas pela concessionária;

3) A interpretação pretendida pela Auditoria é no sentido de que 50% dos valores arrecadados pela concessionária devem ser, abatidos apenas os impostos, transferidos para o Estado;

4) Todos os encargos para a realização dos eventos: custos operacionais, de pessoal, indiretos, seguros, risco e tudo o mais seriam assumidos integralmente pela concessionária, em caráter ilimitado, cabendo ao Estado receber os 50% em qualquer hipótese;

5) Esta interpretação, que contraria posição do Estado estabelecida desde 2013, agride a razão de ser da cláusula;

6) Por que? Porque desestimula o que a cláusula fomenta. A prevalecer a interpretação somente agora pretendida pelo Estado, não faz sentido que a Arena das Dunas continue a ser uma das Arenas mais utilizadas do Brasil;

7) Na prática, e supondo que fosse sustentável a interpretação dada pelo Estado somente agora, a realização de eventos capazes de simplesmente pagar seus custos de realização deveriam compreender margens bem superiores a 150%, tornando inviável mercadologicamente a disponibilização de serviço nestes moldes;

8) Frise-se: por contrato, a Arena não está obrigada a promover eventos geradores de receitas acessórias. Se a cláusula passa a ser interpretada do modo pretendido, a racionalidade econômica impedirá que a concessionária busque qualquer outra receita que não as contraprestações pagas diretamente pelo Estado, com todos os prejuízos para a sociedade potiguar da obsolescência do equipamento público.

Conclusão

Esta concessionária sempre respeitou a premissa de fiscalização do Poder Concedente e seguirá nessa postura. Contudo, é inadmissível que o resultado de uma auditoria se traduza em um manifesto sobre o desejo de repactuação completa do contrato firmado.

É de se dizer, todos os Demonstrativos Financeiros, incluindo o referente ao compartilhamento das receitas, são analisados e validados por Auditorias Independentes, publicados e acompanhados por todos os envolvidos interessados.

Vale dizer, a contratação desta Parceria Público Privada foi previamente avaliada e contou com a contribuição de todos os órgãos de controle pertinentes, o que culminou com o lançamento da concorrência pública internacional, a qual a concessionária se vinculou posteriormente aceitando os termos determinados pelo próprio Estado do Rio Grande do Norte.

Assim, a Arena das Dunas tomará todas as medidas cabíveis para esclarecer os temas propostos em todas as instâncias que for instada a fazê-lo, preservar seus direitos e garantir a execução de suas obrigações conforme previsto no Contrato de Concessão Administrativa 001/2011.

ARENA DAS DUNAS CONCESSÃO E EVENTOS S.A.

Opinião dos leitores

  1. Melhor deixar como está, porquê se for para as mãos do estado vai ser um total abandono. Trabalhei no Distrito sanitária sul/ SMS/NATAL, e era ali no antigo João Cláudio de Vasconcelos Machado, vizinho associação dos deficientes físicos e era um total abandono, fiação expostas e soltas, banheiros imundos, por isso que torço para continuar com está se deve alguma coisa, pague, mais não se pode transformar em um jogo politico.
    Grande abraço B.G.

  2. Esse elefante além decretar destruindo o caixa do governo, destruiu a paisagem e o comércio no seu entorno. Nada que se planta naquela área dá frutos, se transformou em um local deserto e sem vida. Parabéns Lula, empreiteiros e o restante dos políticos sem futuro que apoiaram a construção daquele troço.

  3. Melhor seria a empresa entregar o estádio, bem como ingressar na justiça, para ser indenizado no que foi gasto na sua construção, devolvendo ao Estado a responsabilidade pela sua manutenção.

  4. Isso é briga de cachorro grande, só resolve com Receita Federal, PF e MP, eles podem dizem onde foram gastos esse mais de UM BILHÃO de reais nesse elefante branco, superfaturado todo mundo já sabe que foi, agora é saber o percentual e os envolvidos.

  5. Tem que investigar bem direitinho isso aí…… . Sabe-se que há muita gente graúda envolvida e que estão bem caladinhos, se fazendo de doidos e de mortos, enquanto o Rio Grande do Norte agoniza financeiramente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *