Empresário Paulo Marinho não tem gravações das conversas com Flávio Bolsonaro

Paulo Marinho | Foto: Fabio Rossi / Agência O Globo

O empresário Paulo Marinho, que ontem revelou que Flavio Bolsonaro foi avisado com antecedência por um delegado da PF sobre da operação Furna da Onça, que investigava as rachadinhas, tem com ele um material que fornecerá à PF para provar o que disse. Tal material servirá para ajudar as investigações sobre o caso.

São elementos como passagens aéreas para São Paulo, onde ocorreu um encontro entre ele, Gustavo Bebianno e o advogado Victor Alves, que trabalha com Flavio Bolsonaro. E a reserva de uma sala de reuniões do hotel Emiliano, onde ocorreu a tal conversa, entre outras coisas.

Marinho não tem gravações das conversas com Flavio Bolsonaro. A quem lhe pergunta o motivo de não ter gravado o 01, Marinho responde:

— Não gravei porque não sou bandido.

Lauro Jardim – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Gravações? Nem precisa. A ação nefasta da "familícia numerada" tornou-se tão evidente que a simples delação de um antigo comparsa já se reveste de juízo da própria consciência.

  2. Emerson Fonseca disse:

    Será que neste caso vale o não tenho provas mas tenho convicção?

  3. Olimpio neto disse:

    Independente de partido é a maior facção criminosa do Brasil os políticos

  4. Victorino disse:

    Seiiii!!! Não é bandido!? É menino besta,! Loco para assumir no senado e ter plano de saúde vitalício para ele e a prole. Vergonha

  5. Raimundo disse:

    Que [email protected]&&@ esse cara fez?

Bolsonaro não tem infecção por coronavírus

Foto: Alan Santos/PR

Os exames para coronavírus para toda a comitiva do presidente Jair Bolsonaro deram negativo. A informação foi confirmada por fontes do Planalto nesta sexta-feira (13).

Além de Bolsonaro, também foram testados a primeira-dama Michelle e toda a equipe do governo que foi para os Estados Unidos e está em Brasília. A solicitação do teste aconteceu depois da confirmação da doença no secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, que está em quarentena domiciliar, e só retornará ao trabalho quando não houver risco de transmissão da doença.

O presidente Jair Bolsonaro e integrantes da comitiva que o acompanhou a Miami estão sendo monitorados desde a quarta-feira (11). Também participaram da comitiva aos Estados Unidos os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Bento Albuquerque (Minas e Energia).

Também viajaram os senadores Nelsinho Trad (PTB-MS) e Jorginho Mello (PL-SC); os deputados Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Daniel Freitas (PSL-SC), o assessor especial Filipe Martins, o presidente da Embratur, Gilson Machado, o secretário especial de Pesca, Jorge Seif Jr, entre outros.

Em nota, a assessoria da presidência afirmou que “o governo brasileiro também já comunicou às autoridades do governo norte-americano a ocorrência do evento para que elas também adotem as medidas cautelares necessárias”.

Donald Trump

O presidente norte-americano Donald Trump teve contato com a comitiva brasileira nos Estados Unidos, mas não foi testado para o coronavírus. A porta-voz da Casa Branca Stephanie Grisham disse, em comunicado, que “tanto o presidente quanto o vice-presidente quase não tiveram interações com o indivíduo que deu positivo e não precisam ser testados no momento”.

R7

https://noticias.r7.com/prisma/r7-planalto/bolsonaro-nao-tem-infeccao-por-coronavirus-13032020

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rivanaldo disse:

    URGENTE

    Depois de saber que Bolsonaro poderia estar infectado, Trump foi visto passando álcool gel nas partes baixas.

    #BolsonaroInfectado

    • Ceará-Mundão disse:

      Bem à altura do nível dos esquerdopatas. Parabéns, vc acaba de ganhar mais uma Medalha de Honra ao Demérito Esquerdopata. Vc merece. Rsrsrsrs.

    • Paulo disse:

      BG.
      Ceará um cara com um nome desse você poderia esperar o que delle?. Ptralha sem cargo comissionado

    • Ricardo disse:

      Com um nome desse queremos o que desse sujeito

TST decide que trabalhadora temporária não tem direito à estabilidade se engravidar

Foto: Reprodução

O Pleno do TST firmou na segunda-feira, 18, a tese de que é inaplicável ao regime de trabalho temporário disciplinado pela lei 6.019/74 a garantia de estabilidade provisória à empregada gestante prevista no artigo 10, inciso II, alínea “b”, do ADCT.

O trabalho temporário em questão é aquele prestado por pessoa física contratada por uma empresa de trabalho temporário que a coloca à disposição de uma empresa tomadora de serviços, para atender à necessidade de substituição transitória de pessoal permanente ou à demanda complementar de serviços.

A decisão foi por maioria em julgamento de IAC suscitado pela SDI-1 na análise de recurso de uma auxiliar de indústria contra acórdão da 1ª turma. A tese tem efeito vinculante, e pode ser aplicada em processos que ainda não transitaram em julgado.

Entenda o caso aqui em matéria completa no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Trump disse:

    O TST já era para yer acabado a tempos, nenhum país moderno e com desemprego lá em baixo tem justiça do Trabalho isso é arcaico demais.

  2. Verdade disse:

    Parece que não tem homem nessa história. Eita que essa mulher teve esse filho sozinha. Sei não viu

  3. de saco cheio com o Brasil disse:

    CERTÍSSIMO…….ESTÁ MAIS DO QUE NA HORA DESSA MULHERADA APRENDER QUE TEM MENINO QUEM PODE, NÃO É QUEM QUER……..PARA COLOCAR UMA CRIANÇA NO MUNDO DEVE TER PLANEJAMENTO E CONDIÇÕES FINANCEIRAS, ACHAM QUE É COMO BRINCAR DE BONECA, QUE QUANDO CANSA GUARDA NO ARMÁRIO, POR ISSO TEM TANTO DELINQUENTE.

Gigante de viagens Thomas Cook quebra, e 600 mil turistas não têm como voltar para casa

Balcões de check-in da Thomas Cook no aeroporto de Gatwick, em Londres, estavam vazios nesta segunda-feira Foto: Bloomberg

A histórica operadora de turismo britânica Thomas Cook declarou falência na manhã desta segunda-feira, deixando 600 mil turistas ao redor do mundo sem ter como voltar para casa. A quebra da empresa levou as autoridades do Reino Unido a iniciar imediatamente uma operação de repatriação que vem sendo considerada a maior do país desde a Segunda Guerra Mundial: 150 mil britânicos precisarão de ajuda do governo para retornar a seus lares.

Os turistas estão em diversos países, de Bulgária e Turquia a Cuba e Estados Unidos. A operação de resgate que está sendo montada será duas vezes maior à organizada há dois anos, com a falência da companhia aérea Monarch.

O plano de emergência do governo britânico recebeu o nome “Operação Matterhorn”, referência a uma campanha de bombardeios dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial.

A empresa, pioneira das viagens turísticas, com 178 anos, negociou intensamente durante todo o fim de semana em busca de uma injeção de capital de 200 milhões de libras (quase US$ 250 milhões) de investidores privados para evitar o colapso. Mas as conversações fracassaram e a operadora encerrou as atividades.

“Apesar dos enormes esforços, as discussões não chegaram a um acordo entre os acionistas e aqueles que ofereciam um novo aporte de dinheiro”, anunciou a empresa em um comunicado divulgado no domingo à noite. “Por isso, o conselho concluiu que não havia outra opção senão dar os primeiros passos para iniciar o processo de liquidação com efeito imediato”, acrescentou a nota.

Simultaneamente, a British Aviation Authority (CAA) divulgou uma nota oficial confirmando que a “operadora de turismo e companhia de aviação, interrompeu suas atividades com efeito imediato”.

Nos últimos anos, o grupo registrou uma forte queda em seus negócios em consequência da concorrência acirrada dos sites de viagens e das dúvidas dos turistas a viajar diante as incertezas sobre o Brexit, adiado duas vezes este ano.

A operadora havia apresentado um plano reestruturação no qual o conglomerado chinês Fosun assumiria o controle de suas atividades, ao mesmo tempo que os credores – que incluem, entre outros, os bancos RBS, Barclays e Lloyds – assumiriam as atividades de sua companhia aérea. Mas as 900 milhões de libras (US$ 1,12 bilhão) prometidas pelas partes não eram suficientes. A empresa necessitava de mais 200 milhões de libras (US$ 250 millones) para continuar com suas atividades.

Operadora de turismo e companhia aérea, a Thomas Cook movimentava anualmente cerca de 10 bilhões de libras (US$ 12,470 bilhões). Mas, durante vários anos, vinha enfrentando a concorrência de outras empresas e um ambiente econômico incerto, principalmente na Grã-Bretanha, devido às incógnitas sobre o Brexit e à queda da libra. Os principais destinos da gigante das viagens estavam no sul da Europa e no Mediterrâneo, mas também ofereciam pacotes para Ásia, norte da África e Caribe. A Thomas Cook tem 22 mil funcionários em todo o mundo, sendo nove mil deles no Reino Unido.

Repatriação sem precedentes

As preocupações agora estão focadas na repatriação dos clientes da empresa. Em nota, o governo britânico disse que antes “do colapso de Thomas Cook e do cancelamento de todos os seus voos”, as autoridades haviam “contratado dezenas de aviões fretados” para permitir o retorno desses passageiros “sem nenhum custo adicional”.

“Todos os passageiros atualmente em viagem no exterior com a Thomas Cook e que tiveram reservas para retornar ao Reino Unido nas próximas duas semanas serão levados para casa o mais próximo possível da data de suas reservas”, acrescentou a nota do governo britânico.

Por sua vez, o diretor executivo da Thomas Cook, Peter Fankhauser, disse que “foi um dia profundamente triste para uma empresa pioneira em pacotes de férias e que tornou possível a viagem para milhões de pessoas em todo o mundo”.

Enquanto isso, em Xangai, o grupo Fosun, principal acionista da Thomas Cook, expressou sua “decepção” pela falta de um acordo que impedisse o colapso da empresa.

“A Fosun está desapontada pelo fato de o Thomas Cook Group não ter conseguido encontrar uma solução viável para sua recapitalização com outras afiliadas, bancos e outras partes”, disse o conglomerado em nota oficial.

A empresa enfatizou que sua posição “permaneceu inalterada durante todo o processo, mas infelizmente outros fatores mudaram”.

O sindicato TSSA, que representa os funcionários da empresa, pediu à ministra das Empresas e Indústria, Andrea Leadsom, uma “reunião urgente” no sábado e que ela estivesse “preparada para ajudar a Thomas Cook com um verdadeiro apoio financeiro. ”

“Você precisa salvar a empresa de qualquer maneira. Nenhum governo britânico sério permitiria a perda de tantos empregos”, disse o secretário geral da TSSA, Manuel Cortes.

Como tudo começou

O fabricante de armários Thomas Cook criou a empresa de viagens em 1841, transportando passageiros de trem entre cidades britânicas. Logo começou a organizar viagens ao exterior, sendo o primeiro operador a levar turistas britânicos em visitas guiadas à Europa, em 1855, seguidos logo depois por destinos mais distantes.

A falência da empresa ocorre apenas dois anos após o colapso da Monarch Airlines, que levou o governo britânico a tomar medidas de emergência e repatriar 110 mil passageiros, custando aos contribuintes cerca de 60 milhões de libras com a contratação de aviões.

“Não foi apenas a Thomas Cook que foi vítima de excesso de capacidade no setor, com o colapso de uma série de companhias aéreas nos últimos anos, com o maior número de vítimas sendo anteriormente a da Monarch”, disse Michael Hewson, analista de mercado da CMC Markets UK, nesta segunda-feira.

O Globo

 

Bolsonaro não tem dor ou febre e faz fisioterapia, diz boletim médico

O presidente Jair Bolsonaro está sem dor ou febre após ter sido submetido à quarta cirurgia desde que levou uma facada no abdômen em setembro do ano passado. Segundo o boletim médico divulgado na manhã desta segunda-feira(9) pelo Hospital Vila Nova Star, Bolsonaro vai começar a fisioterapia motora, podendo sentar na poltrona e caminhar pelo quarto. De acordo com o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, a movimentação é importante para que o presidente recupere as atividades intestinais.

A alimentação até o momento está sendo feita pela dieta líquida. Segundo Antônio Antonietto, diretor-médico do Nova Star, hospital da capital paulista onde Bolsonaro está desde a noite de sábado (7) para ser submetido ao procedimento, o presidente comeu ao menos três potes de gelatina, tomou chá e caldo ralo. A cirurgia corrigiu um problema de hérnia surgido em decorrência do ferimento do atentado do ano passado. A técnica utilizada foi a herniorrafia incisional com implantação de tela.

Atividades

Segundo o boletim, a orientação é que as visitas ao presidente sejam restritas. Rêgo Barros informou que ontem (8) Bolsonaro recebeu o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e hoje deve ter um encontro com o vice-presidente Hamilton Mourão, presidente em exercício.

“O presidente, é da natureza dele estar ativo o mais rápido possível. A evolução clínica tem sido muito positiva. Em razão dessa evolução, o presidente se mostra já disposto a reiniciar trabalhos de condução do Poder Executivo, ainda que, neste momento, nos tenhamos o vice-presidente da República chefiando o nosso governo”, ressaltou o porta-voz.

Rêgo Barros explicou que as decisões cabem legalmente a Mourão, que está oficialmente exercendo o cargo de presidente. No entanto, segundo o porta-voz, Bolsonaro seguirá participando da condução dos assuntos do governo. “É claro que o presidente participa das decisões por meio das suas interlocuções com os vários ministros, inclusive com o próprio general Mourão”, enfatizou.

De acordo com o porta-voz, foi disponibilizada uma ala do hospital para a equipe da Presidência e para a família de Bolsonaro. O presidente se licenciou do cargo por cinco dias. A previsão é que ele retome o cargo ainda no hospital, mas somente após um período inicial de recuperação. Ao todo, Bolsonaro deve permanecer internado por até dez dias.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Matteus disse:

    Excelente trabalho. Parabéns aos veterinários envolvidos.

    • LOL disse:

      tá chateado pq estão livrando o país da aftosa??

    • Aí dentro!! disse:

      Esse Mateus, entende de bicho.
      É mais um derrotado e adorador do Sapo Barbudo.
      Assim dizia o finado Leonel Brizola.
      Kkkkkkk

Motorista de Uber não tem vínculo empregatício com aplicativo, diz STJ

Foto: Divulgação

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que os motoristas de Uber não têm vínculo empregatício e, por isso, não podem reivindicar direitos na Justiça trabalhista. A decisão, publicada nesta quarta-feira (4), foi tomada na semana passada, por unanimidade, pelos dez ministros que compõem a Segunda Seção da Corte.

O entendimento foi alcançado no julgamento de um conflito de competência, em que coube ao STJ definir qual ramo da Justiça deveria julgar um pedido de indenização feito por um motorista após o Uber bloqueá-lo por má-conduta.

Veja matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

 

Moro nega candidatura em 2022, diz que não tem perfil, e que não entrou no governo para sair: “estou focado no meu trabalho como ministro”

 (FOTO: PEDRO DE OLIVEIRA/ALEP)

Na entrevista a Andréia Sadi, exibida ontem à noite pela GloboNews, Sergio Moro também falou sobre a possibilidade de se lançar candidato ao Planalto em 2022.

O ministro da Justiça negou, mais uma vez, tal hipótese.

“Eu não tenho nem o perfil. Vim para uma missão técnica e estou focado no meu trabalho como ministro. O candidato para 2022 será o presidente Jair Bolsonaro. É impróprio pensar algo diferente.”

“Não entrei no governo para sair”

Na entrevista à GloboNews que foi ao ar ontem à noite, Sergio Moro foi perguntado se permaneceria no governo de Jair Bolsonaro até o fim do mandato.

“Não tem destino traçado. Possível, não, provável: eu não entrei no governo para sair. Entrei para ficar.”

Com informações de O Antagonista e Globo News

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Hulkenberg disse:

    Até lá resolveremos isso.
    Mas que o MINISTRO vai ser candidato depois do MITO, VAI, quem manda é o povo, DR!!

  2. Thor Silva disse:

    A esquerda se caga de medo de Moro. Dentre tantos homens corretos desse governo, esse é o mais digno.

  3. Alexandre disse:

    Baba mais sai ….

    • Rômulo© disse:

      Acho que o cachorrinho do BolsoNero ainda vai conseguir se soltar da guia e se descolar dele! Vai seguir a manada que era aliada, mas descobriu agora que o país está sendo presidido por um lunático! É questão de tempo!

    • Dilma disse:

      Manada no Brasil, só a que segue o comandante do maior roubo do universo. Quem não pertence a manada, consegue raciocinar e escolher o menos ruim, se não acertar, procura-se outro e vota tentando acertar, nunca irá ter ladrões ou incompetentes de estimação

    • Alexandre disse:

      CONCORDO .

  4. Lourdes Siqueira disse:

    Se vocês tivessem que escolher deixar na sua casa uma pessoa que fala besteira ou uma quadrilha de ladrões. (Não é Junina).
    Qual vocês escolheriam?
    Eu escolhi o falastrão.

  5. Antonio Turci disse:

    Sérgio Moro é um homem digno. Não creio que tenha medo de ninguém, até porque não tem rabo preso. Qualquer pessoa minimamente digna e com noção do que seja a correlação de atitudes entre superior e subordinado entenderá por que o Ministro Moro é comedido, pois sabe perfeitamente o que é hierarquia.

  6. Allan Pontes disse:

    Esse morre de medo do chefe, se disser que é candidato ai sim Carluxinho cola nele e só sossega qd botá-lo no olho da rua, melhor não brincar com Tonho da Lua, quem avisa amigo é.

    • Rico disse:

      Esse juiz venceu ministros do STF, presidente da república que se considerava imbatível e mais honesto que DEUS, homem mais rico do país, executivos das maiores empresas do país, políticos de todos os partidos e os mais poderosos do país; todos eles corruptos ou com ligações estreitíssimas com os bandidos que saquearam essa nação ao longo dos tempos, todos esse canalhas foram obrigados a baixarem a cabeça pra o juizeco, alguns estão presos, inclusive foram obrigados a devolverem parte do roubado da pátria amada. Portanto, não seria uns doidin dos pães desses, que farão ele desistir de seus objetivos com os brasileiros, que é, defender o país da sanha dos bandidos corruptos, ladrões e de traficantes. Viva MORO!

Defesa de Flávio diz que Queiroz não tem nada a acrescentar, e mira arquivamento do procedimento investigativo

Frederick Wassef, advogado Flávio Bolsonaro, disse à GloboNews que “não há nenhuma novidade” que Fabrício Queiroz poderá trazer ao caso envolvendo o filho do presidente.

Para ele, Queiroz “já falou” quando negou ter repassado recursos a Flávio.

Wassef afirmou, ainda, que após a decisão do plenário do STF sobre investigações envolvendo o Coaf, marcada para novembro, pedirá o arquivamento do procedimento investigativo no Rio de Janeiro.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Não foi, os corruptos estão na cadeia. Não entendeu ou quer que eu desenhe.

  2. José disse:

    Eu pensava que no governo Fakenaro os casos de corrupção não iriam ser jogados para baixo do tapete.