Agora é oficial: SINPOL informa a Rosalba que greve pode ser retomada

O SINPOL/RN encaminhou, nesta segunda-feira (11), ofício à governadora Rosalba Ciarlini relatando sobre reuniões frustradas com gestores estaduais que levaram os Agentes e Escrivães da Polícia Civil e os Servidores do Instituto Técnico e Cientifico de Polícia (ITEP) a aprovarem, em assembleia no último dia 07 de novembro, um indicativo de greve para o próximo dia 28, onde irão avaliar o possível retorno ao movimento, caso não haja avanços na negociação.

A diretoria do sindicato aproveitou e solicita reunião com a própria governadora, a fim de tentar encontrar o caminho do diálogo e entendimento, e possam fazer cumprir o sentimento de Rosalba quando expressou a necessidade de iniciar “um novo momento entre os trabalhadores e o Governo do Estado”.

RELATO

O ofício ressalta que em Assembleia Geral no dia 09 de outubro as categorias decidiram suspender o movimento grevista, retornando às atividades laborais no dia seguinte (10), diante do voto de confiança ao pedido de Rosalba, que garantiu avanço na negociação com o fim da paralisação. Eles acreditavam que na reunião seguinte, acontecida no dia 14 de outubro, verdadeiramente se avançaria na questão salarial dos policiais civis e no envio do estatuto do ITEP para Assembleia Legislativa, entre outros pontos considerados primordiais, o que não ocorreu.

Segundo informam à Rosalba, na referida reunião presidida pelo presidente da COARP, o então Secretário da Administração Alber da Nóbrega, onde estiveram também presentes o Consultor Geral do Estado, Dr. José Marcelo e o Controlador Geral, Dr. Anselmo Carvalho, muito pouco se avançou nas “negociações” prometidas pela governadora. Desta maneira, foi marcada outra reunião para o dia 30 de outubro, que não aconteceu, já que tinham esquecido a referida reunião. Sendo assim, foi remarcada para o dia 07 de novembro, quando também não aconteceu, desta vez porque o presidente da comissão teria viajado.

Com informações do SINPOL/RN.

Governadora receberá Sinpol-RN nesta quarta-feira

A governadora Rosalba Ciarlini receberá, pela primeira vez, os representantes dos policiais civis e servidores do ITEP, em greve há mais de dois meses. A audiência acontecerá às 18h30 desta quarta-feira (09) na Governadoria com participação do secretário de Segurança pública, Aldair da Rocha, e provavelmente dos demais gestores envolvidos na negociação.

Com informações do Sinpol-RN

SINPOL tenta ser recebido pelo Governo

foto (1).JPG_miniA diretoria do SINPOL e representantes de base dos policiais civis e servidores do Itep estão na Governadoria desde o final da manhã desta segunda-feira (07) em busca de audiência com o Governo. Eles aguardam ser recebidos pela governadora Rosalba Ciarlini, que informou à imprensa na semana passada, através de sua assessoria, que receberia a comissão dos grevistas na sexta ou sábado, sem que, contudo, tivesse marcado o encontro de fato.

O SINPOL observa que tentou contato com os gestores estaduais durante toda a sexta e sábado, sem que fosse atendido, até mesmo para dar retorno à imprensa que cobrava informações sobre a reunião que o Governo divulgou que aconteceria. As categorias aguardam retorno em assembleia permanente no auditório do sindicato.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raquel Pereira disse:

    A Governadora tá tentando vencer pelo cansaço, esquece ela que "quem espera sempre alcança".

Greve da Polícia Civil: Justiça determina que Sinpol-RN deve manter distância de 200 m do Centro Administrativo

 O desembargador Claudio Santos, do Tribunal de Justiça potiguar, acatou pedido formulado pelo Estado do Rio Grande do Norte e determinou hoje (23) que diretores e sindicalizados do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Estado do RN (Sinpol-RN) deverão manter uma distância mínima de 200 metros do Centro Administrativo, delegacias de plantão, Degepol e Itep; além de não criarem qualquer obstáculo, dificuldades ou embaraços ao acesso de quaisquer pessoas, cidadãos ou mesmo servidores públicos a esses órgãos, sob pena de multa ao Sindicato, no valor de R$ 50 mil por cada obstáculo ou embaraço criado.

A medida é uma das várias determinadas pelo magistrado, após petição do procurador geral do Estado, que buscam coibir práticas daquele sindicato, durante movimento grevista que “tem perturbado ou obstado o normal funcionamento de algumas repartições públicas, bem como o funcionamento do serviço de remoção de cadáveres”, fazendo-se necessária “a adoção de medidas mais eficazes para compelir o Sindicato recalcitrante a obedecer a ordem jurídica posta”, conforme destaca o julgador.

Em sua petição, o Estado alega que o Sinpol-RN não cumpriu e tem manifestado que não cumprirá decisão judicial que determinou a garantia de um efetivo mínimo de 70% de agentes, escrivães e funcionários do Itep, durante o período de paralisação da categoria, iniciado em 6 de agosto. “Esse gesto irresponsável, de prepotência, além de caracterizar crime de desobediência à decisão judicial (…) representa graves sinais premonitórios de que há um solene desprezo, pelo Sindicato, ao Poder Judiciário e à democracia”, assinala o procurador geral do Estado, Miguel Josino.

Em sua decisão, o desembargador Claudio Santos observa que embora o processo esteja suspenso, uma vez que o Sinpol alegou que ele é suspeito para julgar o processo, o Código de Processo Civil, em seu artigo 266, prevê a adoção, pelo juiz, “de medidas urgentes, a fim de evitar dano irreparável, mesmo durante o prazo de suspensão do processo, e visando ao resguardo da ordem jurídica, e ante a essencialidade do serviço de segurança pública, que ora é flagrantemente desrespeitada”.

Medidas

Além da restrição sobre a distância mínima a ser observada pelo Sinpol, o magistrado determinou – sob alegação de que os policiais civis andam armados e de que os dirigentes sindicais querem o confronto – a proibição de qualquer manifestação armada, sob pena de multa de R$ 50 mil ao sindicato, e proibiu que os servidores do Itep deixem de recolher os cadáveres, sob pena de multa de igual valor. Claudio Santos aplicou ainda uma multa pessoal a todos os diretores do Sinpol-RN, no valor de R$ 5 mil por dia de descumprimento, até o limite de R$ 50 mil, enquanto perdurar a greve. Além disso, por medida de cautela, autorizou “a retenção da contribuição sindical descontada de cada servidor contribuinte, viabilizando o adimplemento da execução da decisão judicial”.

Finalmente, o membro da Corte de Justiça assinala que “embora pareça desnecessário, considerando a deliberada e consciente desobediência pública às ordens judiciais, ratifico o chamamento à sensatez a todos os funcionários e policiais em greve, para que atendam imediatamente ao Estado-juiz, ora representado na autoridade deste Desembargador, subscritor da presente Decisão, inclusive em respeito ao Estado Democrático de Direito, alertando-os das graves e inevitáveis consequências que poderão advir do comportamento assumido até presente, haja vista a supremacia do interesse público da população à segurança pública, e, mais ainda, por parte de servidores que encarnam tão honrosa função pública”.

TJRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alce Neto disse:

    Quanta coincidência todas as decisões que interessam ao governo caírem justamente nas mãos do Des. Cláudio Santos. Este mesmo desembargador que outrora fora secretário de segurança e que desde esta época tem algo pessoal com o sindicato. A luta dos policiais não são apenas para eles, mas também, para toda a sociedade, pois somos todos nós que perdemos com a falta de gestão e moral daqueles que estão no poder. Ah, pessoal do Tribunal de Justica, vamos "girar o globo" para ver o posicionamento dos demais membros da nobre corte. Esse sorteio automático tá muito estranho.

  2. Marcos Aurélio disse:

    Recomendável a todos que desejam emitir opinião a respeito desse conflito, FAZER UMA VISITA AS DELEGACIAS DO ESTADO, e verificar "in locu" a situação, desfazendo ilusões, desmascarando argumentos, MATANDO ENGANOS, e de preferência filmando e fotografando tudo para mostrar. Fica a sugestão para os Policiais em Greve: Fotografem e filmem as condições desumanas a que vcs são obrigados a se submeter diariamente para que os "engravatados críticos de plantão" possam vislumbrar de suas "salas confortáveis, com ar condicionado e poltronas acolchoadas, a REALIDADE QUE SUBSISTE QUANDO BAIXAMOS O VIDRO FUMÊ DOS CARROS IMPORTADOS desfilando na passarela das APARÊNCIAS E CONTRADIÇÕES DE UMA SOCIEDADE EM DECOMPOSIÇÃO PELA HIPOCRISIA E CORRUPÇÃO ATIVA E PASSIVA, ALÉM DA OMISSÃO (PORQUE NÃO É COMIGO, NÃO É DA MINHA CONTA…), o que no revela e desvela o ESTADO ATUAL DE COISAS no Rio Grande Sem sORTE.

  3. tpmaz disse:

    Não só a justiça de Brasília(STF) está desmoralizada,mas a do RN também e principalmente,pois vive a sombra da Governadora Rosalba,pregando independência dos Poderes,mas SUBSERVIENTE ao governo estadual,onde Leis não são cumpridas,decisões judiciais rasgadas e a Constituição do Brasil esquecida e descaracterizada,enfim os funcionários públicos ganham na Justiça,mas o Governo não paga,por não ter uma palavra chamada AUTONOMIA e por falta de vergonha de quem julga, que prefere ficar contra os funcionários.Quando é uma questão deles(justiça), aí a coisa muda de tom ,e tudo se resolve.Para colocarem pessoas no Judiciário com altos salários,como é o caso do sobrinho de Rosalba,filho de Ruth ,ganhando mais de R$ 10.000,00 rapidamente é resolvido .Esta é a justiça ,toma lá ,dá cá,unha e carne com os Governos.

  4. Ana disse:

    Mais uma vez o blog publica uma notícia tendenciosa. Por que não divulgam as notícias do Sinpol com os números e reais motivos da greve? O governo mentiu sobre os vencimentos dos policiais e agora usa o desembargador Cláudio Santos para conceder todos os pedidos ajuizados. Governo vergonhoso!

Sinpol-RN suspende acampamento e agenda reunião para esta terça

O acampamento de agentes e escrivães da Polícia Civil e Itep, que seria montado nesta segunda-feira (16), na Governadoria, não será levantado. A confirmação é do Sindicato da Polícia Civil (Sinpol/RN). A decisão foi tomada após a Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) agendarem uma reunião para esta terça-feira (17), a partir das 16h.

Na ocasião, os grevistas serão recebidos pelo chefe do Gabinete Civil, Carlos Augusto Rosado, e pelo controlador geral do Estado, Anselmo Carvalho.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco disse:

    Infelizmente, esse governo parece querer novamente humilhar os policiais civis, marcando reuniões onde só chegam ameaças e ameaças e ainda tem coragem de dizer para a imprensa que estão negociando.

Sinpol aguarda posição do Governo ainda nesta sexta; "silêncio" pode paralisar delegacias e Itep

Os servidores em greve da Polícia Civil e Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) do Rio Grande do Norte estão acampados em frente ao prédio da Secretaria Estadual da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), no Centro Administrativo, desde o início da manhã desta sexta-feira (13).

Segundo Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol/RN), os grevistas disseram que só saem do local após uma resposta do Governo sobre a pauta apresentada desde o início da semana. O sindicato ainda disse que em caso de uma ausência de comunicação do Governo, as delegacias de plantão da capital e Itep poderão parar até 0h.

Greve da Polícia Civil e Itep: Sinpol-RN se reúne com Sesed nesta quinta

DSCN5806 (Custom).JPG_miniOs representantes dos servidores do Itep e policiais civis terão audiência com o secretário de Segurança e Defesa Social, Aldair da Rocha, às 11h30 desta quinta-feira (11). O agendamento foi feito pelo próprio gestor que disse não poder dar resposta sobre a pauta flexibilizada aprovada pelas categorias e encaminhada ao Governo na segunda-feira (09), porque ainda se encontra em Brasília e só retornará à noite.

Segundo o titular da Sesed, ele só pode se pronunciar após receber retorno do chefe do Gabinete Civil, Carlos Augusto Rosado, que já teve acesso ao documento deste o final da tarde da segunda-feira (09). O sindicato ressalta que já que atendeu a solicitação do Governo, encaminhado a pauta flexibilizada e os gestores já tiveram tempo hábil para as análises, o ideal seria retomar o diálogo com toda a cúpula governamental que vinha participando da mesa de negociação.

Sinpol-RN

Corte de ponto: Desembargador encaminha processo do Sinpol para apuração do MP

O desembargador Claudio Santos, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, determinou hoje (6) o envio de cópia do processo que trata da greve dos policiais civis encampada pelo sindicato da categoria (Sinpol-RN) ao procurador geral de Justiça, Rinaldo Reis, para, ao seu critério, abertura de inquérito prévio ou oferta de denúncia pelos crimes de desobediência à ordem judicial e abandono de função, “em tese, entre outros, especialmente com relação ao sr. Djair José de Oliveira Junior e a srª. Renata Cristina Alves Pimenta, Presidente e 1º Vice-Presidente do Sindicato-Réu”.

A decisão é baseada no teor de notícias veiculadas pela mídia nos últimos dias, bem como de ofícios enviados pelo diretor do Itep e do delegado geral de Polícia Civil, que dão conta do “ do injustificado, acintoso e desafiador desatendimento à decisão judicial exarada por este Relator às fls. 41/58, datado de 28 de agosto último, e com conhecimento formal do Presidente do Sindicato-Réu no dia 02 do corrente mês”.

O desembargador determinou ao secretário estadual da Segurança Pública, ao delegado geral da Polícia Civil e ao diretor do Itep que enviem, até a data de fechamento da folha de vencimentos dos funcionários de cada desses órgãos, deste mês corrente, ao secretário estadual da Administração e dos Recursos Humanos, a relação dos que estejam em greve, para desconto dos dias parados, com data inicial no dia 3 de setembro, dia seguinte à formalização de notificação da ordem judicial.

Essas autoridades deverão ainda informar ao relator a data em que a greve for suspensa ou terminada, para os efeitos de reiniciar os pagamentos dos vencimentos.

Claudio Santos também determinou a aplicação de multa ao Sinpol no percentual de 20% sobre o valor da causa, além de aumentar a multa por dia de descumprimento de R$ 10 mil para R$ 15 mil, ficando o Procurador Geral do Estado incumbido de promover a consequente execução, remetendo ao magistrado a devida documentação comprobatória.

“Esclareço, por último, que, na defesa da efetividade e autoridade das decisões emanadas deste Tribunal de Justiça, outras medidas coativas poderão ser tomadas – o que, de ofício, não se pretende, a priori -, bem como para a preservação do Estado Democrático de Direito e do interesse público, onde repousa a essencial necessidade da segurança pública”, destaca o desembargador Claudio Santos.

TJRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. A. Neto disse:

    Não vejo essa decisão do Desembargador Cláudio Santos como acertada. De nada adianta mandar os policiais civis e servidores do ITEP voltarem ao trabalho se as condições continuarão as mesmas, se as delegacias não tem computadores e impressoras que funcionem, se não existe limpeza que tornem as instalações adequadas para os policias e a população, com um efetivo pífio que chega a atender até 10 cidades. Sem falar do ITEP, que acumula corpos e mais corpos em locais totalmente irregulares e esta semana teve o contrato dos funcionários da limpeza suspenso. Imagine só, uma área como o necrotério sem limpeza? Acho que somos nós que estamos mesmo no necrotério!!!

  2. Sergio Nogueira disse:

    Nunca soube que qualquer Sindicato tenha pago multa por descumprimento de decisão judicial. Eles simplesmente ignoram e fica por isso mesmo. Finda a greve o Governo, qualquer que seja ele, deixa pra lá com medo de ressuscitar o problema.
    Isso só vai acabar quando vermos a responsabilização do PGE ou PGM por não promover a execução da multa.

Sinpol – RN aponta "inverdades" do Governo e fala sobre novos rumo da Greve

DSCN5082 (Custom)Em coletiva à imprensa na manhã desta quinta-feira (05), o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol/RN) informou sobre novos rumos das greves dos servidores do Itep e policiais civis, após a frustrada reunião com o Governo na última terça-feira (03). Além disso, emitiu Nota de Esclarecimento e detalhou ponto a ponto a afrontosa contraproposta apresentada pelo Estado.

De acordo com o presidente da entidade, Djair Oliveira, as propostas não atendem nem metade do que as duas categorias reivindicam. Uma prova é que o governo propôs a nomeação de 35 policiais de outubro a abril de 2014, mas a categoria quer a convocação dos 306 formados, a formação de 290 suplentes e posterior nomeação, além de realização de concurso.

O Poder executivo propôs ainda a contratação de auxiliares de serviços gerais apenas para Natal e Grande Natal, deixando todo o restante do interior de fora, e aquisição de armamentos, coletes e algemas somente para os policiais que estão ingressando agora, quando os que estão na ativa há anos não têm.

Já no caso do Itep, o Governo se nega a enviar o anteprojeto que criaria a Lei Orgânica e Estatuto, além de não apresentar qualquer proposta de investimento na estrutura da polícia técnica. “Isso demonstra o grande desrespeito da gestão estadual com a segurança pública”, ressaltou.

Diante disso, as categorias programas mobilizações mais contundentes para chamar a atenção da população e pressionar o Governo a avançar nas negociações. A coletiva teve participação dos servidores, que diariamente se reúnem em assembléia na sede do sindicato para deliberar sobre próximos passos das suas lutas.

VEJA NOTA DE ESCLARECIMENTO

É com a indignação dos que são injustiçados com a divulgação maciça de inverdades, por parte do Governo, que nos pronunciamos à opinião pública do Rio Grande do Norte, para fazer esclarecimentos a respeito do processo de negociação com o Governo do Estado.

Divulgar que o SINPOL abandonou a reunião, com representantes do Governo, na última terça-feira (03), em um gesto intransigente, além de não condizer com a verdade, tem o intuito de desvirtuar a luta deste ente sindical, empenhado na defesa de instituições sérias e comprometidas com a população norte-rio-grandense, que diante do abandono do governo, encontram-se à margem da falência total.

A diretoria esgotou, sim, e mais uma vez, todas as tentativas para que os gestores apresentassem uma contraproposta passível de análise, e não a afrontosa e até mesmo desrespeitosa como a que foi dita e entregue naquele dia. A saída da sala de reunião só aconteceu após reiterado apelo da presidência do sindicato ao chefe da Casa Civil, Carlos Augusto Rosado, que afirmou que não teria mais nada a oferecer, além de um papel (não documental), sem timbre oficial e qualquer assinatura dos representantes do governo. Deu-se por encerrada a reunião, não sendo oportunizada uma negociação.

Agora, por fim, um questionamento: é intransigência das categorias que defendem não apenas seus interesses, mas de toda a população (no momento que cobram a melhoria de serviços públicos essenciais) rejeitar uma proposta que insulta a dignidade de todo potiguar?

Após a negociação do Governo com a Educação e com a Saúde, a expectativa dos Policiais Civis e Servidores do ITEP/RN era de que o Executivo tivesse a mesma dignidade de apresentar uma proposta possível de aceitação. A apresentada, na verdade, demonstrou grande desrespeito da gestão estadual com a Segurança Pública, que não reconhece o abandono e o caos enfrentados pela Polícia Civil e o ITEP/RN.

A greve continua e agora ainda mais forte, com atos contundentes. Isso por que não se trata apenas de conquistar melhorias para os policiais civis e servidores do ITEP, mas trata-se de resgatar duas instituições que estão no “fundo do poço” devido ao total abandono e descompromisso do Governo do Estado, situação essa que tem sido a mola mestre para o grande índice de criminalidade em nosso Estado.

A luta continua, até para que possamos ver o ITEP/RN com seu Estatuto e os servidores valorizados, e a Polícia Civil possa voltar a ter suas Delegacias abertas 24h para atendimento ao cidadão, com estrutura para desenvolver as investigações e os policiais possam ser valorizados.

A luta continua por uma questão de sobrevivência do ITEP da Polícia Civil, e contamos com o apoio efetivo da imprensa e da população potiguar.

A DIRETORIA

SINPOL e Estado não se entendem e greve da Polícia e Itep continua no RN

BTQLDqOIAAAUtHeTerminou sem acordo mais uma reunião entre representantes do Sindicato dos Policiais e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte(SINPOL), parlamentares estaduais como Fernando Mineiro e Marcia Maia e a cúpula do Governo, liderada pelo chefe da Casa Civil Carlos Augusto Rosado.

Entre as discussões e negociações, o Governo do Estado propôs a convocação de 35 policiais civis entre outubro e abril e criação da Divisão de Homicídios no próximo ano. A proposta, em contrapartida, é bem abaixo do pedido pelo SINPOLRN, que pede  a nomeação de 306 policiais civis já formados e formação de mais 200 já aprovados.

BTQSbOnIYAAe9Za

A pauta de reivindicações ainda inclui contratação de pessoas já aprovadas em concurso e realização de novo processo de seleção de agentes, escrivães e delegados; concessão de vale-refeição para toda a categoria e transferência dos presos que estão sob custódia em delegacias do interior. Os policiais civis também pedem redução na jornada de trabalho; pagamento de adicional noturno a todos os policiais que atuem em regime de plantão; implementação da carreira única na Polícia Civil, entre outras coisas.

Veja abaixo garantias do Governo em reunião:

BTQjCA3CMAAj5DW

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. primo das primas disse:

    Policia civil com c minúsculo. Porque nao serve a sociedade, apenas a interesses corporativistas e pessoais. Não faz diferença se está em greve ou não, ganham bem e misturam reivindicações necessárias com salariais pra justificar uma greve. Se acabasse com essa policia judiciaria fracassada e militariza-se esse procedimento nao faria diferença. Vamos terminar vivendo de milícias como aconteceu no RJ.

  2. A Neto disse:

    Sinceramente, este governo desrespeita mais uma vez a categoria e principalmente o povo do nosso estado, que é quem mais sofre com esta situação.

Sinpol pede presença maciça de servidores em greve para "pressão" em reunião desta terça na Governadoria

O Sindicato dos Policiais Civis e Servidores de Segurança Pública (Sinpol/RN) convoca policiais civis e servidores do Itep, em greve, para se concentrarem nesta terça-feira (03), na Governadoria. Na ocasião, os grevistas acompanharão reunião que acontecerá a partir das 13h entre representantes do Governo, da Assembleia e das categorias (SINPOL/RN).

Segundo o sindicato, em nota, a presença maciça é fundamental para mostrar a Governadora a força das categorias e ainda pressionar os gestores para o avanço do diálogo com objetivo de finalizar a greve.

Governo e Sinpol não chegam a acordo e agendam nova reunião; greve segue

Governo e o Sindicato dos Policiais Civis do Rio Grande do Norte (Sinpol) não chegaram a um acordo e as greves da Polícia Civil e dos servidores do Instituto Técnico e Científico de Polícia irá prosseguir no Rio Grande do Norte.  Em reunião de 3 horas nesta segunda-feira (26), o único ponto acertado foi uma nova tentativa de conversa, nesta quinta-feira (29), às 16h.

Segundo o Sinpol, o governo não apresentou proposta à categoria, e alegou não ter tido tempo de juntar dados técnicos para elaboração de uma proposta.

O governo foi representado pelo chefe da Casa Civil, Carlos Rosado. Também estiveram presentes na reunião vários deputados e o presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta.

O Sinpol exige dentre outras coisas a convocação imediata dos delegados, escrivães e agentes aprovados em concurso, envio do estatuto do Itep para AL e a reestruturação das Delegacias.

Grevistas almoçam na área externa da Governadoria; deputados, Governo e Sinpol reunidos

BSm3JmoIEAA8w3f.jpg largeCrédito: @gegelima1

Os servidores do ITEP e policiais civis do RN, em greve, aguardam o desfecho da reunião entre representantes do Sinpol, políticos e o secretário-chefe do Gabinete Civil, Carlos Augusto Rosado. Do lado de fora, os grevistas, em horário de almoço, improvisaram o espaço na área externa da Governadoria e fizeram suas refeições.

A comissão de deputados é formada por Ricardo Motta, Raimundo Fernandes, Fernando Mineiro, Getúlio Rego, Márcia Maia e Larissa Rosado.

BSm4wvzCcAIRZ8I.jpg-large

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MARIO disse:

    Caro Bruno,
    Esses politicos que ali estavam apoiando os grevistas, deveriam dar um percentual dos seus vultosos salarios para as classes trabalhistas em greve!!!

Servidores do ITEP completaram 24 dias de greve

A greve dos servidores do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) do Rio Grande do Norte completa 24 dias nesta quarta-feira (26). Segundo o Sindicato dos Policiais Civil e Servidores da Segurança Pública (Sinpol), além de manter fechado todos os canais de negociação com a categoria, apesar das várias tentativas de intermédio empreendidas pela Assembleia Legislativa e Tribunal de Justiça, o Governo também teria cortado a Gratificação de Desempenho Pericial (GDP) e penalizado os servidores com o corte de 17 dias de trabalho, já descontados no contracheque deste mês.

Em resposta, o diretor geral do Itep, Nazareno de Deus Medeiros Costa, esclareceu que não haverá corte na Gratificação de Desempenho Pericial (GDP) dos servidores do órgão. O Governo afirmou que houve um equívoco, “prontamente identificado e corrigido”, na elaboração da folha do mês de setembro, o que “provocou um onda de boato e gerou dúvida junto aos servidores no tocante ao pagamento da GDP, que está assegurada”.

Porém, na folha de pagamento do mês de setembro, Nazareno afirmou que não serão contemplados os servidores do Itep que aderiram ao movimento grevista, “pois foi determinado o corte de ponto de quem não trabalhou”.

De acordo com o Sinpol, a informação do corte do ponto foi confirmada no final da tarde desta terça-feira (25) pelo coordenador da folha de pagamento da Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos, Thiago Cortez, ocasião, inclusive, em que a diretoria do Sindicato cobrou explicações para a retirada da GDP.

Diante da situação, o Sinpol prometeu realizar grande mobilização na manhã desta quarta-feira na sede do Sindicato, antecedendo a Audiência de Conciliação marcada pelo desembargador Assis Brasil, que acontecerá às 15h na Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. A assessoria jurídica do Sindicato disse que já trabalha em um ‘Mandado de Segurança’, visto que na última audiência, ocorrida no dia 12 passado, o desembargador suspendeu todos os efeitos do processo, inclusive relacionados a cortes de ponto e pagamentos de multas.