Mais de 65% das vítimas fatais no trânsito do RN tinham ingerido álcool, revela pesquisa do ITEP

A relação entre o consumo de bebida alcoólica e os acidentes de trânsito com vítimas fatias motivou uma pesquisa desenvolvida por peritas criminais do Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP-RN), que revelou um resultado surpreendente: 65,7% das vítimas de mortes no trânsito, no período de janeiro a maio de 2019 no Rio Grande do Norte, tinham presença de álcool no sangue.

O levantamento realizado pelas peritas criminais Anne Caroline Moura, Fernanda Cagni e Karine Coradini, com base na análise laboratorial de 99 laudos de perícias toxicológicas feitas no Instituto, identificou ainda que em 86,1% dos casos a concentração de dosagem alcoólica superava 0,6 g/L, medida que segundo a legislação configura ilícito penal na condução de veículos.

“A maioria das pessoas vitimadas no trânsito que tinham ingerido álcool eram de homens (89%), sendo 41% com idade entre 18 e 29 anos. Nos casos com vítimas maiores de 30 anos, em 66,7% a concentração alcoólica chegava ao teor 1,5g/L”, explicou a perita Anne Caroline.

A pesquisa, que está em andamento, ainda identificou que os dias com maiores registros de acidentes fatais foram o domingo e a segunda-feira. “Estamos correlacionando os casos para apontar um relatório anual, para acrescer quais rodovias acontecem mais acidentes e em que casos eram os condutores dos veículos com ingestão de álcool”, explicou Fernanda Cagni. O trabalho também deverá ser apresentado no Congresso Brasileiro de Toxicologia, que ocorre no mês de outubro em São Paulo.

FOTOS: Pesquisa desenvolvida no ITEP ajudará no combate ao tráfico de cocaína no RN

Fotos: Divulgação/Itep

Uma pesquisa que está sendo desenvolvida no Núcleo de Laboratório Central de Perícias Forenses, do Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP-RN), poderá ser uma grande aliada no combate ao tráfico de drogas no estado. De autoria da perita criminal Karine Coradini e do estagiário em Biomedicina da UFRN, Daniel Almeida, o estudo busca identificar adulterantes presentes na cocaína apreendida no Rio Grande do Norte, caracterizando padrões encontrados nos entorpecentes que fornecerão informações às autoridades policiais na investigação da rota do tráfico.

Segundo a perita criminal do ITEP-RN, o conteúdo das drogas comercializadas ilegalmente é muito diversificado. “A cocaína não é comercializada nem traficada na forma pura (100% cocaína). A ela são adicionadas substâncias adulterantes ou diluentes, que diminuem a concentração de cocaína, tais como cafeína, lidocaína, bicarbonato de sódio, entre outros”, explicou Karine.

Adulterantes são definidos como aditivos que promovem uma potencialização dos efeitos, aumento do volume ou aumento da toxicidade da droga. Já os diluentes são materiais inativos adicionados que reduzem o efeito desejado ou o custo financeiro de produção.

“Conexões químicas podem ser estabelecidas e materiais de diferentes apreensões alocados em grupos de características similares. Além disso, associações podem ser estabelecidas entre usuários e fornecedores, um padrão de distribuição de drogas pode ser identificado, e as diferentes rotas usadas pelo tráfico de drogas e as fontes de produção, incluindo a origem geográfica, podem se tornar claras”, enfatizou Karine.

A análise está sendo feita em amostras apreendidas no período de janeiro a julho deste ano no RN. O trabalho científico será utilizado na conclusão do Curso de Biomedicina da UFRN e inscrito em periódicos científicos para publicação.

“O tráfico de drogas possui um caráter internacional, logo, a realização de intercâmbio de dados entre as autoridades responsáveis em nível nacional, regional e internacional torna-se fundamental”, concluiu a perita do ITEP-RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Realista disse:

    O ITEP após o concurso virou realmente uma polícia científica, diferente de tão somente um órgão para abrir presunto.

ITEP confirma que corpo achado em canavial na Grande Natal é de motorista do Uber

Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

O Instituto Técnico Científico de Perícia(Itep) confirmou que o corpo encontrado no final da manhã dessa terça-feira (18) em um canavial no município de Arez, na região metropolitana de Natal, é de Giltemberg Gomes Soares, 32 anos, motorista de Uber.  O trabalhador estava desaparecido há quase duas semanas, e havia sido visto pela última vez no dia 5 deste mês, quando saiu de casa, no município de São Gonçalo do Amarante

Para a identificação do motorista de aplicativo, familiares reconheceram pinos de platina implantados na cabeça e na perna de Giltemberg em cirurgias que ele fez por causa de um acidente.

Trabalho da polícia

O carro de Giltemberg foi encontrado no bairro Conab, na cidade de Goianinha, distante 12 quilômetros de Arez. Na ocasião, foi constatado que os pneus dianteiros estavam furados, e alguns acessórios do veículo haviam sido levados, como o aparelho de som e os alto-falantes.

Segundo a polícia, testemunhas e passageiros que estiveram com Giltemberg já foram ouvidos e diligências estão em andamento. Outras informações da investigação são mantidas em sigilo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. BOLSONARO 17 disse:

    E O PT NO GOVERNO FEZ O QUE???????

    PRECISAMOS MUDAR PARA AJUSTAR A SEGURANÇA NO BRASIL.

  2. Tião disse:

    Mais um que lhe tiram a vida quando está defendendo o ganha pão, e assim tão fazendo com o empreendedor da farmácia, da quitanda, da cigarreira, do posto, do salão cabeleireiro, da lojinha… Por isso que Bolsonaro cresce , porque esses trabalhadores têm que ter alguém pra defendê-los. E ele é o único que se propõe a defender todos.

    • Fora bozo disse:

      Essas viúvas de Aécio Neves, não tem outro argumento que não seja falar do bolsoneca. kkkkkkk

    • Alyson disse:

      Esse cara, tal de Bozonaro, é político no Rio de Janeiro a 30 anos e o que ele fez por lá? Não conseguiu dar jeito no próprio estado, aí agora tem a fórmula mágica para o Brasil.

Avançado estado de decomposição de cadáver impede reconhecimento da família, e somente DNA poderá confirmar se corpo é mesmo de Yasmin Lorena

Oficialmente, ainda não é possível confirmar se o corpo encontrado enterrado dentro de uma casa na tarde dessa terça-feira (24) na Redinha, bairro da Zona Norte de Natal, é mesmo o de Yasmin Lorena de Araújo, de 12 anos. Com isso, o corpo não pode ser liberado para a família providenciar o enterro. O Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) informou que a menina não possui carteira de identidade, o que impossibilita um eventual reconhecimento por meio das impressões digitais.

O itep também informou que a família não conseguiu apresentar nenhuma ficha de dentista para que se possa fazer uma identificação por meio da arcada dentária do corpo encontrado. Dessa forma, o único modo possível de se confirmar se o corpo é mesmo o de Yasmin será por meio de exame de DNA.

O pai de Yasmin e uma tia estiveram na manhã desta quarta-feira(25) no Itep na tentativa de identificar o corpo encontrado na Redinha, mas o avançado estado de decomposição do cadáver desenterrado impediu qualquer possibilidade.

Yasmin Lorena de Araújo, de 12 anos, foi vista pela última vez com vida no dia 28 de março, quando saiu para entregar um dinheiro na casa de uma vizinha.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. otavio disse:

    Ja procuraram saber se a menina teve algum atendimento odontologico no PSF da Africa?Se sim,então existe 1 ficha da arcada dentaria.

Preso é encontrado morto na Cadeia Pública de Natal

Um preso, que ainda não teve a identidade divulgada foi encontrado morto, na madrugada desta sexta-feira, 18, no Presídio Provisório Raimundo Nonato Fernandes, localizado na Zona Norte de Natal.

De acordo com agentes penitenciários, uma equipe técnica do Itep foi acionada para identificar se dizer se o caso se trata de um homicídio ou suicídio.

Com informações do G1RN

Nota de esclarecimento – ITEP

Por interino

No pouco tempo à frente do órgão, o diretor geral, Odair Júnior, tem buscado conhecer as dificuldades do Itep para indicar soluções em um curto prazo.

A ex-diretora tem prestado as informações necessárias para a transição, e as denúncias referentes a dívidas, aluguel de prédio sem uso e equipamentos não instalados no Itep, repassadas à imprensa, esta manhã, pelo Sindicato dos Policiais Civis e Servidores do Segurança Pública do RN (Sinpol) reforçam a necessidade de dar andamento aos projetos iniciados em 2014.

Daí cabe esclarecer que as dívidas apontadas pelo Sinpol referente ao aluguel do prédio situado no cruzamento da avenida Duque de Caxias com a rua Ferreira Chaves, foi parcialmente quitada (R$ 20 mil) ainda em 2014 e a outra parcela inscrita na Dívida Ativa do Estado.

Até novembro passado o contrato era gerenciado pela Secretaria de Planejamento e das Finanças e por falta de pagamento, o proprietário do imóvel cogitou reincidir o contrato.

No mês de novembro, a Direção, à época, então, mostrando dotação orçamentária própria, firmou um Termo Aditivo ao contrato, transferindo a responsabilidade do pagamento do aluguel para o Itep – o valor referente ao mês de dezembro foi empenhado, mas liberado pela Controladoria Geral do Estado para pagamento apenas no dia 30 de dezembro, e por isso só deve ser quitado quando o Orçamento 2015 for aberto. Cumpre esclarecer, que o referido prédio vai abrigar o laboratório de DNA, permitirá a instalação dos equipamentos do projeto de cadeia de custódio e outros serviços da Coordenadoria de Medicina Legal.

Já os problemas de armazenamento de cadáveres na Subcordenadoria de Mossoró, esses são temporários. O prédio passa por reforma, custeada com recursos próprios, na ordem de 72 mil reais, e entre as benfeitorias está à instalação de 18 novas gavetas refrigeradas para armazenamento de cadáveres. Antes eram apenas 6 e ainda assim 3 estavam necessitando de manutenção.

Além disso, o prédio foi pintado, construída uma sala baritada e instalado equipamento de raio-X, construída uma sala para os médicos de plantão. A obra deve ser concluída nos próximos dias.

Em Natal, as câmaras refrigeradas ainda não foram instaladas em sua totalidade e o ambiente que abriga parte delas aguarda adequações como a relocação do arquivo da Coordenadoria da Medicina Legal e abertura de novo acesso para o alojamento dos plantonistas. As demais câmaras só devem ser montadas quando a reforma no pátio do necrotério for concluída. Elas vão ser usadas para armazenas corpos em avançado estado de decomposição.

Por fim, é importante reafirmar o compromisso da Direção do Itep em efetuar com tempestividade o diagnóstico inicial quer irá subsidiar as ações para dar continuidade ao processo de melhoria do serviço prestado à população.

Com informações da assessoria do ITEP

Perícias para flagrantes de drogas estão paradas por falta de reagentes no ITEP

Image2A situação do Instituto Técnico-Científico de Polícia chegou ao ponto que os procedimentos periciais para identificação e constatação de drogas estão paralisados. Isso acarreta na impossibilidade de realização de flagrantes e pode beneficiar criminosos que sejam presos com entorpecentes.

Desde o início deste ano, o Laboratório de Análises e Pesquisas Forenses vem comunicando à Direção do ITEP-RN, através de memorandos, que o estoque de reagentes e outros insumos estavam acabando, mas, em nenhum momento, o pedido de compra de material foi atendido, resultando no esgotamento de tal estoque.

Fabrício Fernandes, perito farmacêutico do ITEP-RN, informa que as atividades estão paradas no setor de toxicologia de entorpecente e até mesmo de causa mortis, tendo em vista que faltam reagentes para laudos de envenenamento, por exemplo.

“Quando a suposta droga chega ao ITEP, nós usamos um reagente para fazer a constatação de que é Cannabis Sativa, que é a maconha, por exemplo. Mas, para fins de processo judicial, é preciso fazer um laudo pericial definitivo dessa droga, que também não está sendo feito por falta de insumos”, comenta Fabrício Fernandes.

A Diretoria do SINPOL-RN informa que, diante desse quadro, vai comunicar a situação ao Ministério Público e ao Ministério da Justiça, através de ofício. “Do jeito que está hoje, a Polícia Civil não terá como realizar um flagrante de tráfico de drogas, pois o ITEP não tem como atestar que aquilo é mesmo droga. Além disso, estamos com a Copa chegando e o Rio Grande do Norte vai receber um grande número de turistas. Então, vamos pedir que as autoridades responsáveis e fiscalizadoras intervenham nesse caso”, destaca Renata Pimenta, vice-presidente do SINPOL-RN.

Além da falta de reagentes, os laboratórios do ITEP-RN estão sem vários produtos básicos para o funcionamento. “Para se ter uma idéia, faltam frascos para coleta de sangue. Atualmente, isso está sendo feito em frascos coletores de urina. O que é um absurdo”, completa o perito farmacêutico Fabrício Fernandes.

SINPOL-RN

FOTO: Itep acaba com “cemitério a céu aberto” no necrotério‏

IMG-20140320-WA0041O Instituto Técnico e Científico de Polícia inumou ontem (20) à tarde, no cemitério Bom Pastor II, 38 ossadas, de corpos não identificados, que estavam expostos no pátio do necrotério desde o ano de 2008. A ação é o resultado de dois meses de mutirão realizado pela equipe de antropologia forense do órgão e pôs fim a um verdadeiro “cemitério a céu aberto”.

Apesar de ter participado do grupo de trabalho que fez um relatório apontando diversas irregularidades no Itep, a diretora Raquel Taveira, ficou surpresa ao encontrar no necrotério ao invés de 20, como dito ao GT, 52 corpos, entre ossadas e cadáveres em avançado estado de decomposição, e criou o mutirão para coletar amostras de material genético e inumar (sepultar) todos eles.

A ausência de leis normatizando o procedimento e de um local específico para os enterros, fez a diretora buscar o apoio da Prefeitura do Natal e do Ministério Público. “A partir de agora, aqueles corpos sem identificação que derem entrada no Itep, vão permanecer por um período de 72h no necrotério, e caso nenhuma família venha fazer a identificação, vamos fazer a inumação. Não podemos mais permitir que estes corpos voltem a se acumular aqui no instituto”.

No período do mutirão também foram inumados outros 10 corpos não identificados, que estavam na câmara refrigerada desde outubro passado. As demais ossadas estão aguardando exames de DNA para identificação ou em fase final de análise para inumação.

Itep sepulta 38 ossadas nesta quinta e acaba com “cemitério a céu aberto”

O Instituto Técnico e Científico de Polícia vai inumar (sepultar), hoje à tarde, 38 ossadas não identificadas, que estavam expostas no pátio do necrotério desde o ano de 2008 e corrigir mais uma distorção histórica do órgão.

Apesar de ter integrado o grupo de trabalho que elaborou o relatório apontando diversas irregularidades no Itep, a diretora Raquel Taveira ficou surpresa quando descobriu a existência dos corpos, entre ossadas e cadáveres, e criou um mutirão para a coleta de material genético –  importante para catalogação dos corpos e, caso requerido judicialmente, futura realização de exames de DNA para a identificação- e inumação de todos eles.

As inumações vão acontecer a partir das 14h30 no cemitério Bom Pastor II.

Itep explica interdição de setor, por decorrência da chuva, e disponibilidade de nova sala

A assessoria do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) respondeu ao comunicado do Sinpol-RN Diretoria do SINPOL-RN apura informação de interdição no ITEP, publicado pelo Blog no fim da manhã desta segunda-feira(17). Segundo a comunicação do órgão,o fato se deu em decorrência da forte chuva na noite do sábado. Na ocasião, o forro do teto do setor cedeu. De imediato, a diretora, preocupada com o servidor e o atendimento ao público,  solicitou ao Corpo de Bombeiros que inspecionasse o teto e isolasse o local até a realização dos reparos. Enquanto isso o atendimento está sendo realizado em outra sala que n foi afetada pelas chuvas.

ITEP esclarece equipamentos parados em Mossoró e nova direção surge como esperança de reestruturação

O Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep), através de sua assessoria, entrou em contato com o Blog na manhã desta quarta-feira (12) para comentar sobre o texto publicado ITEP tem equipamentos de R$ 1 milhão parados em Mossoró porque não tem onde usar e quem saiba usar,  e deixou uma boa impressão no quesito intenção e projetos para uma nova fase no órgão. Reconhecendo, desde já, as suas deficiências e necessidade urgente de mudanças, foram enviados alguns pontos para esclarecimentos. São eles:

Os equipamentos citados pelo deputado de fato estão parados aguardando instalação e isso também foi constatado pela diretora na visita realizada a sub coordenadoria de Mossoró no início de fevereiro. Tanto que ela, de pronto, determinou que fosse construída uma sala adequada para a instalação do raio – x e redimensionada a rede elétrica do prédio para o funcionamento dos dois equipamentos;

Quanto ao pessoal especializado, segundo o órgão, existem profissionais capacitados para operar essas máquinas. E a mesma empresa vencedora da licitação da venda das máquinas também vai dar treinamento aos servidores.

Por fim, o Itep destacou que em Caicó também existia uma série de problemas, que já foram resolvidos. A nova diretoria garante empenho nas melhorias e promete novos resultados com o passar dos dias.

Itep registra seis homicídios em Mossoró e região no fim de semana

Enquanto em Natal e região metropolitana foram registrados pelo menos 15 homicídios durante o fim de semana, o órgão registrou em Mossoró e região cinco mortes por arma de fogo e uma por arma branca.

Na capital potiguar e Grande Natal, dos 15 registros, 13 foram por arma de fogo e dois por arma branca nesse último fim de semana de fevereiro.

Itep registra pelo menos 15 homicídios no fim de semana no RN; maioria em Natal e região metropolitana

O Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) no período de 21 a 24 desse mês (sexta a domingo), treze mortes por homicídios por arma de fogo, dois por arma branca (bairro de Cidade Nova, em Natal, e cidade de São José do Mipibú), mais dois a esclarecer, dois por acidentes (São Paulo do Potengi e Parnamirim), além de um envenenamento em Nova Cruz e outra fatalidade por queda, em Felipe Camarão.

Segundo o Itep, as mortes por armas de fogo na capital potiguar foram registradas no conjunto Gramoré, Jardim Progresso, Igapó, Pajuçara, conjunto Panatis III e Mãe Luiza. Já na região metropolitana e interior, os crimes foram em Ceará – Mirim (2), São José do Mipibú (2), Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e Santo Antônio.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raull disse:

    Conclusão as drogas !

Itep inicia reestruturação da subcoordenadoria de Caicó

Desde a visita da Direção do Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep) à Caicó no início deste mês, a diretora Raquel Taveira determinou diversas medidas para reestruturação da subcoordenadoria, a fim de garantir melhores condições de trabalho aos servidores e otimizar o atendimento ao público.

Os dois rabecões que estavam com problemas mecânicos, por exemplo, foram reparados e isso vai agilizar o recolhimento de cadáveres em locais de crimes. A rede elétrica do prédio da subcoordenadoria era precária e inviabilizava, inclusive, o funcionamento da câmara fria, mas foi redimensionada e o equipamento já está funcionando em fase de teste.

A diretora também solicitou o projeto para a instalação de um raio-X e um estudo para completar o quadro de pessoal da subcoordenadoria, que hoje atende toda a demanda de Caicó e de outras 25 cidades circunvizinhas.

Em dezembro do ano passado, Governo e Ministério Público Estadual firmaram um TAC para a reestruturação do instituto, num prazo de 120 dias, a contar do último dia 2 de janeiro.

Por interino

Itep realiza mutirão para sepultar corpos não identificados

O Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep) inumou mais quatro corpos, não identificados, na tarde de hoje (14), no cemitério Bom Pastor I. Com estes já são 8 corpos sepultados essa semana.

Os cadáveres deram entrada no Itep entre outubro e dezembro do ano passado e desde então nenhum familiar havia procurado o instituto para solicitar a liberação dos corpos para sepultamento.

Entretanto aquelas pessoas com familiares desaparecidos neste período, ainda podem procurar o setor de Atendimento do Necrotério, na sede do Itep, localizada na avenida Duque de Caxias, 97 – Ribeira, preferencialmente, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, para tentar fazer o reconhecimento desses corpos, através de fotos, da comparação de digitais ou arcada dentária, catalogadas antes do procedimento.

Ossadas

Desde janeiro, equipes da Coordenadoria de Medicina Legal estão coletando amostras genéticas de outras 42 ossadas e cadáveres em avançado estado de decomposição, que estavam no pátio do necrotério, para também serem inumados a partir próxima semana. A coleta genética é necessária para futura realização de exames de DNA e identificação do corpo.