Bolsonaro diz que cumpre propósito de Deus

Foto: RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Jair Bolsonaro, ontem à noite, durante um culto evangélico, disse que está cumprindo “um propósito” de Deus:

“Deus tem propósito para cada um de nós. Eu jamais pensei chegar onde cheguei. Tudo sendo feito contra minha pessoa. Sem dinheiro, sem fundo partidário. Aliás, tinham duas coisas a favor de mim: Deus e o povo a nosso lado.”

Ele disse também, segundo o Estadão:

“A lei tem que ser feita para atender as maiorias, e não as minorias. O povo, a maioria, é que deve conduzir o futuro da nação.”

Em seu discurso, Bolsonaro repetiu que vai indicar para o STF um ministro terrivelmente evangélico:

“Eu tenho duas vagas. Uma será de um evangélico.”

O Antagonista, com Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. NOJO DE BOSTA disse:

    QUEIMA, QUEIMA…. ISSO É UM DEMÔNIO

  2. Ronaldo disse:

    Esse infeliz tem propósito de vender(entregar o nosso país). Cadê o miliciano Queiroz?

  3. junin disse:

    ESSE HOMEM É TERRIVELMENTE RUIM…!!!!

  4. AF disse:

    MITO de que homi?

  5. nana disse:

    Não tenho partido, tenho sede de justiça este louco. um verdeiro louco e o que mais me sdmera e ver as pessoas dizendo que vai melhorar país .

  6. François Cevert disse:

    Um lobo 🐺 em pele de cordeiro… 😂 😂 😂

  7. J Dantas disse:

    Sem duvida! É a reencarnação de Jesus Cristo…..

  8. José aldomar disse:

    Depende do que ele acha que eh propósito de Deus se eh do que ele tem na cabeça estamos ferrados

PF cumpre mandado de reintegração de área de aproximadamente de 1.727 hectares invadida pelo MST na Bahia

Foto: Divulgação Polícia Federal

Uma área de aproximadamente de 1.727 hectares, localizada nos municípios de Juazeiro e Casa Nova, no estado da Bahia, pertencente à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), invadida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em 2012, é alvo nesta segunda-feira (25) de uma ação da Polícia Federal (PF) para cumprimento de mandados de reintegração de posse.

Conhecidas como acampamentos Irani I, Irani II e Abril Vermelho, as terras da Codevasf foram invadidas pelo MST, segundo a PF, quando a companhia já havia definida a área para os projetos de irrigação Salitre e Nilo Coelho.

No mesmo ano de 2012, a Codefasf entrou com uma ação judicial solicitando a reintegração de posse. “O cumprimento se dá agora, pois o processo judicial chegou à fase de sentença em 2019”, diz a PF.

A decisão foi expedida pela Justiça Federal de Juazeiro, que também determinou ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) que providenciasse o assentamento das pessoas que ocupavam irregularmente a área da Codevasf.

A desocupação, que conta também com o apoio de outros órgãos de segurança pública e do Poder Judiciário Federal, ocorre de maneira pacífica. A Codevasf, inclusive disponibilizou ônibus para conduzir as famílias até a nova área e caminhões para transportar os pertences e bens pessoais à localidade de assentamento.

Nota da Codevasf

Por meio de nota, a Codeveasf informou que as iniciativas para desocupação das áreas “ocorrem especialmente para proteção e preservação da área de reserva legal do Projeto Senador Nilo Coelho, um requisito fundamental para renovação do licenciamento ambiental do projeto e a continuidade de seu funcionamento, com a manutenção de mais de 60 mil empregos diretos e indiretos e o incremento anual de R$ 1,42 bilhão na economia da região”.

Sobre o a reintegração de posse no Projeto Salitre, a companhoa diz que ela “evitará a paralisação do projeto, que representaria um imensurável impacto social e econômico para a região com a perda da eficiência dos investimentos realizados pelo governo federal (R$ 820 milhões) e da perspectiva de geração de mais de 9 mil empregos diretos e indiretos”.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. VAGABUNDO disse:

    Baixa o PAU nessa quadrilha…melhor mande esse povo para a Venezuela que eles tanto defendem

  2. BAIXA O CACETE disse:

    Pelas fotografias esses vagabundos não produzem 1 kg de macaxeira, estão nas terras desde que o VAGABUNDO LADRAO CONDENADO LULA deu para essa quadrilha em 2012 e nada produziram

4ª fase da Operação Carne Fraca cumpre 68 mandados de busca e apreensão em nove estados

Foto: Divulgação/Polícia Federal

Sessenta e oito mandados de busca e apreensão são cumpridos, na manhã desta terça-feira (1º), na deflagração da 4ª fase da Operação Carne Fraca em nove estados do país.

De acordo com a Polícia Federal (PF), esta nova etapa da Carne Fraca apura crimes de corrupção passiva praticados por auditores fiscais agropecuários federais em diversos estados. O G1 apurou que as irregularidades eram realizadas para beneficiar a BRF.

A BRF colaborou com as investigações. O grupo empresarial, segundo a PF, passou a atuar de maneira espontânea com as autoridades públicas e apontou 60 auditores fiscais agropecuários como favorecidos com as vantagens indevidas.

Há buscas na União Avícola, no Mato Grosso, que era usada pela BRF para repassar propina para fiscais agropecuários federais, segundo uma fonte da PF.

A União Avícola pertence ao ex-senador Cidinho Santos e, conforme apurou o G1, os mandados são cumpridos no endereço da empresa, em Nova Marilândia, e no escritório, que fica em Cuiabá.

O G1 tenta localizar a defesa dos citados.

R$ 19 milhões para pagamentos indevidos

Aproximadamente R$ 19 milhões foram destinados a pagamentos indevidos, conforme a PF. Os valores eram pagos em espécie, por meio do custeio de planos de saúde e por contratos fictícios firmados com pessoas jurídicas que representavam o interesse dos fiscais.

De acordo com a PF, as práticas ilegais ocorreram até 2017. Elas pararam depois de uma reestruturação internada realizada no grupo, como informou a PF.

As ordens judiciais são cumpridas nos seguintes estados:

Paraná
São Paulo
Santa Catarina
Goiás
Mato Grosso
Pará
Rio Grande do Sul
Minas Gerais
Rio de Janeiro

‘Romanos’

Cerca de 280 policiais estão nas ruas para cumprir os mandados expedidos pela 1ª Vara Federal de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná.

A 4ª fase da operação foi batizada de “Romanos”, em referência a passagens bíblicas do livro de Romanos que abordam temas como confissão e justiça.

G1

 

PF cumpre medidas judiciais em Mossoró para combater roubo a empregados dos Correios

A Polícia Federal cumpre nesta quinta-feira (23), na cidade de Mossoró/RN, medidas cautelares deferidas pela 8ª Vara Federal e 10ª Vara Federal, no âmbito da Operação Encartados, com o objetivo de desarticular células locais voltadas à prática de roubo a empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos no desempenho da distribuição domiciliar de correspondências.

Estão sendo cumpridos 03 mandados de busca e apreensão, 02 medidas cautelares de implantação de tornozeleira eletrônica e 01 mandado de prisão temporária.

Os crimes investigados ocorreram no final do mês de novembro de 2018 e foram praticados com a utilização de arma de fogo.

A pena máxima do delito pode superar 16 anos com a majorante introduzida pela Lei n. 13.654 de 2018.