Folha diz que chefe da Secom recebe dinheiro de emissoras e agências contratadas pelo governo federal

Foto: Reprodução/Youtube

Chefe da Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República), Fabio Wajngarten recebe, por meio de uma empresa da qual é sócio, dinheiro de emissoras de TV e de agências de publicidade contratadas pela própria secretaria, ministérios e estatais do governo Jair Bolsonaro.

A Secom é a responsável pela distribuição da verba de propaganda do Planalto e também por ditar as regras para as contas dos demais órgãos federais. No ano passado, gastou R$ 197 milhões em campanhas.

Wajngarten assumiu o comando da pasta em abril de 2019. Desde então, se mantém como principal sócio da FW Comunicação e Marketing, que oferece ao mercado um serviço conhecido como Controle da Concorrência. Tem 95% das cotas da empresa e sua mãe, Clara Wajngarten, outros 5%, segundo dados da Receita e da Junta Comercial de São Paulo.

A FW fornece estudos de mídia para TVs e agências, incluindo mapas de anunciantes do mercado. Também faz o chamado checking, ou seja, averiguar se peças publicitárias contratadas foram veiculadas.

A Folha confirmou que a FW tem contratos com ao menos cinco empresas que recebem do governo, entre elas a Band e a Record, cujas participações na verba publicitária da Secom vêm crescendo.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    Nao tem nada , a firma dele faz outros tipos de trabalhos do que propaganda estatal, ela faz checagem de Midia , o problema é que a folha quer mais propaganda e isso não vai ter mais

  2. Minion alienado disse:

    Só tem gente boa na extrema-direita 😂 Só os minions alienados defendem.

  3. Naldinho disse:

    Culpa de LULA

  4. Antonio Turci disse:

    Caso seja verdade, Bolsonaro certamente afastará o suspeito e caso comprovado o ato lesivo, sem dúvida demitirá o cidadão.

  5. Dan disse:

    Demite esse vagabundo … Não temos bandidos de estimação …

  6. Bento disse:

    Qualquer notícia da "foia" bote um pé na frente e outro atrás senão …
    Você cai do cavalo.
    Pense numa desgraça do capeta

  7. Erinaldo disse:

    A SECOM é vinculada diretamente à presidência da república, vale ressaltar!

  8. djailson disse:

    e ai bolsonaro traíra vai demitir?

  9. socorro medeiros disse:

    HUM, FOSSE no governo do PT taa todo mundo gritando inclusive a midia bolsonarista do Rn…escandalizando..gritando

Praia de Galinhos, no Rio Grande do Norte, é a nova descoberta do verão, destaca reportagem da Folha de SP

Foto: Reprodução/Youtube

Nem Pipa nem São Miguel do Gostoso. Na próxima temporada, um areal rodeado por dunas, com piscinas naturais desertas e que atende pelo nome de Galinhos é o lugar para quem quer distância de badalação e procura refúgio em praias do Rio Grande do Norte. Colado a ele está o seu distrito vizinho, Galos.

Não é tarefa das mais fáceis chegar a esse pedaço da costa pouco explorado pelo turismo de massa, localizado a cerca de 170 km da capital, Natal.

Isolado por dunas e água salgada, Galinhos fica na ponta de uma península, braço de terra que avança sobre o mar, ocupando área de 342 km².

A pequenina cidade é acessível por barco, bugueiros aventureiros ou até por automóveis tração 4×4, conduzidos por quem conhece a região e, mesmo assim, corre o risco de ficar atolado na areia fofa.

O jeito mais rápido e, digamos, cômodo de alcançar aquelas terras é sair de Natal ou São Miguel do Gostoso por estrada de asfalto, a BR-406.

A viagem, de aproximadamente duas horas, corta a vegetação da caatinga, cruza cidadezinhas perdidas no tempo e passa no meio de salinas.

O ponto final é o estacionamento do porto de Pratagil, mantido pela prefeitura, gratuito e com segurança 24h. De lá, é só tomar um dos barcos que fazem a travessia para desembarcar no destino final em um trajeto de 15 minutos.

Outra opção, recomendada para os mais aventureiros, é seguir de bugue de São Miguel de Gostoso até Galinhos, percorrendo 80 km, passando por praias desertas do litoral norte potiguar.

Qualquer que seja a escolha, o esforço justifica-se caso você procure por ambientes tranquilos, nos quais a natureza opera soberana.

Galinhos tem praias tranquilas de águas mornas e transparentes. É um lugar rústico. Suas poucas ruas são calçadas de paralelepípedos. A maioria segue de areia, onde circulam bugues ou burros-táxi, charretes puxadas pelos bichinhos —o passeio até o farol leva meia hora e custa R$ 30.

Erguida em 1931, a construção orienta navegações na região. É também um ponto para ver o pôr do sol, na praia do Farol. Esse trecho é o mais seco da costa brasileira: as raras chuvas concentram-se entre março e abril.

Cercado por uma atmosfera bucólica e acolhedora, Galinhos e seu distrito vizinho, Galos, têm menos de 3.000 moradores. Os dois destinos caíram no gosto de estrangeiros, sobretudo franceses, que fogem do agito de Natal e Pipa, à procura de praia intocada.

As duas localidades fazem parte da Costa Branca, roteiro marcado pela vegetação da caatinga, dunas multicoloridas, falésias, extensas praias desertas e uma das maiores produções de sal do Brasil.

O nome do município está associado a antigas histórias de pescaria. Antigamente, ali havia o peixe-galo, mas uma espécie um pouco menor, conhecida como “galinhos”. Na praia ao lado, a 3 km na direção leste, a pescaria era outra, mais graúda: a de peixes-galo do alto, esses, bem maiores. Assim, as praias foram batizadas por moradores, respectivamente, de Galinhos e Galos.

Quem dita a pauta da estadia é a natureza. Lagoas se transformam em piscinas naturais. Ao sabor da maré, praias isoladas surgem. Horas depois, desaparecem. Montanhas de sal embranquecem o horizonte.

Muita gente confunde, mas o traço largo de água que separa a cidade do continente é um braço de mar —e não um rio.

Nele, há um mangue preservado, que abarca berçários de caranguejos e ostras que se fixam nas raízes, além de cavalos-marinhos, peixes-morcegos e estrelas-marinhas. Devido à alta concentração de sal na água, é fácil simplesmente ficar boiando.

É nesse cenário que ocorrem tours gastronômicos preparados pelo nativo Júnior Tubarão, 29. Em seu passeio de barco, mostra espécies de plantas, peixes, aves, como a rara garça-azul. Faz uma pausa num lugar chamado Gamboa da Areia, para coletar ostras que serão saboreadas pelos visitantes, junto com vinho branco e espumante.

Ele escolhe uma praia deserta para a parada na qual provaremos ceviche de cavala-branca, molho manguezal e sashimi de pescada. O passeio de quatro horas para grupos de quatro sai por R$ 130/pessoa —bebidas à parte.

Bem diante de cata-ventos gigantes do parque eólico na Dunas do Capim, o percurso segue. Desta vez, de bugue, cruzando montes de areia com paradas estratégicas para apreciar o Atlântico.

É bom proteger a boca e os olhos porque ali venta a dedéu, com correntes que chegam a 50 km, ideais para a prática de esportes náuticos, como o winde e o kitesurfe.

Em Galinhos e Galos, o visitante precisa de disposição para caminhar, para desbravar, para encarar dunas, mas é agraciado com banhos relaxantes em praias calmas.

Para isso, precisa, sobretudo, esquecer o luxo. Já existem, porém, pousadinhas charmosas tocadas em sua maioria por estrangeiros.

Para evitar perrengue, outra dica: leve dinheiro em espécie, apesar de ser crescente o número de estabelecimentos que trabalham com cartão de crédito e débito. Em Galinhos, tampouco em Galos, não há bancos nem caixas eletrônicos.

PACOTES

2 noites em Galinhos, na Top Brasil Turismo (topbrasiltur.com.br)
Com café da manhã, na pousada Peixe Galo, em acomodação dupla .Preço por pessoa. Pacote não inclui passagens aéreas

R$ 1.915
6 noites entre Natal e Galinhos, na Maringá Lazer (maringalazer.com.br)
Com café da manhã, no D Beach Resort, com acomodação dupla. Hospedagem em Natal. Inclui city tour pela capital potiguar, passeio à praia de Galinhos e traslados. Preço por pessoa. Com passagens aéreas a partir de São Paulo. Pacote entre os dias 19 e 25 de março

R$ 1.957
7 noites em Natal, na Submarino Viagens (submarinoviagens.com.br)
Com café da manhã, no hotel Recanto da Costeira, em acomodação dupla. Preço por pessoa. Pacote inclui passagens aéreas com embarque em São Paulo

R$ 3.850
5 noites em Touros, na Abreu (abreutur.com.br)
Com regime de alimentação all-inclusive, no hotel Vila Galé Touros, em acomodação dupla. Inclui traslados entre o aeroporto de Natal e o destino. Preço por pessoa. Com passagens aéreas a partir de São Paulo. Pacote entre os dias 5 e 10 de fevereiro

Folha de SP

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Lugar bacana e bom demais, só faltava colocar mais uma dose de açúcar na água

  2. Geni disse:

    Conheço Galinhos, e em especial Galos. É um paraíso que vou pelo menos uma vez ao ano. Tranquilidade total e energias renovadas

  3. Alguém disse:

    HAHAHAHHAHA
    Deixe chegarem aqui, preço exorbitantes, atendimento péssimo, assalto na ida ou volta do aeroporto.

    Sucesso garantido.

    • Dr. Veneno disse:

      Va conhecer Galinhos e renovar suas energias.
      Deixe de negativo. O q vc relatou pode muito bem não acontecer.

    • Diogo disse:

      Né isso, qualquer coisa q fale do RN o pessoal já mete desgraça, isso que é ódio interno.

Bolsonaro critica coluna da Folha de SP que diz que ele quer fechar o Congresso e o STF, censurar a imprensa e perseguir a esquerda: “100% Fake News!”

Presidente Jair Bolsonaro destacou e criticou no fim da tarde desta segunda-feira(20) a coluna do jornalista Celso Rocha de Barro, da Folha de SP, que ele quer  “fechar o Congresso e o STF, censurar a imprensa e perseguir a esquerda”. (Íntegra aqui)

“Lembro ao jornal que não fui eu que anulei o legislativo comprando votos, não fui eu que tive em meu plano de governo o controle da mídia e da internet e FUI EU QUEM LEVOU UMA FACADA de um militante de esquerda. Mais uma vez, 100% Fake News! É a velha máxima da esquerda: acuse-o do que você faz, xingue-o do que você é!, encerrou o post o presidente.

Confira abaixo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    Seria o MILAGRE de todos os TEMPOS. Fecha mesmo . Só seve para eles .

  2. Delano disse:

    Fechar esse congresso que gasta bilhões de reais e com membros que estão envolvidos em todo tipo de corrupção, mais esse STF com decisões que onera o já combalido estado brasileiro, e com decisões que favorecem a todos os tipos de bandidos, livrando-os de punições. Ah, isso seria um sonho.