Judiciário

Homens que cometeram triplo homicídio em bar na Zona Norte são condenados à 68 anos de prisão

Foto: Reprodução

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) obteve a condenação de uma dupla por um triplo assassinato ocorrido em um bar na zona Norte de Natal em 2019.

Os réus Higor Gabriel da Silva Coelho e Kerginaldo Galdino Aguiar Júnior foram sentenciados a 68 anos de reclusão cada e ao pagamento de 80 dias-multa pelos crimes de homicídio, de tentativa de homicídio e de roubo, todos previstos no Código Penal.

A pena deverá ser cumprida pelos acusados em estabelecimento penal adequado, inicialmente em regime fechado. Os crimes aconteceram na madrugada do dia 18 de março daquele ano no Delícia’s Bar, localizado no bairro Igapó. Três homens foram mortos a tiros: Leandro Tomaz Duarte, Jonas Kleiton Barros de Souza e Deyvid Mateus Tinoco Costa e outros três ficaram feridos: Marcos Rafael Santos da Silva, Emerson Gomes Rodrigues e Robert Iran Bezerra da Silva.

Veja como os criminosos planejaram o crime em matéria completa AQUI no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. Esquenta não que daqui a pouco os petistas pedem habeas corpus para eles por maus tratos e direitos humanos e saem tão rápido quanto o Lulinha paz e amor

  2. Em dois anos estarão livres. O Garantismo Penal garante: em nome do Estado Democrático de Direito, criminosos devem ser protegidos pelo Estado.

  3. É mais infelizmente o indivíduo que matou minha prima e o filho dela ainda anda pela rua como se não tivesse acontecido nada e isso já fez 4anos

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Homens com tornozeleiras eletrônicas são presos em Natal após assalto a motorista de aplicativo e passageira

Dois homens de 24 anos – ambos usando tornozeleiras eletrônicas – foram presos pela Polícia Militar e confessaram um assalto a um motorista de aplicativo e sua passageira, na noite dessa segunda-feira (13), em Natal. O crime aconteceu por volta das 20h30 no bairro Bom Pastor, na Zona Oeste da capital potiguar, quando o motorista estava deixando uma passageira em casa.

Segundo reportagem do portal G1-RN, os dois homens se aproximaram e anunciaram um assalto.  Na ocasião, os criminosos tomaram o carro do motorista, além de celulares dele e da passageira, fugindo em seguida.

Ainda segundo a reportagem, após pegar informações sobre características dos suspeitos com as vítimas, a polícia localizou a dupla no bairro Cidade da Esperança, também na Zona Oeste. Os assaltantes confessaram o crime e a polícia recuperou os objetos roubados, porém nenhuma arma foi encontrada com os homens. A suspeita da polícia é que eles tenham fingido estarem armados para as vítimas. A dupla foi levada à delegacia de plantão.

Opinião dos leitores

  1. Aff, da próxima vez vou votar em bosonaro, ou em algum político fardado, até pq com eles no poder vai acabar a bandidagem.

  2. Infelizmente a tornozeleira eletrônica aqui no RN virou apenas mais um adorno para os marginais. Continuam agindo e o que é pior autorizados por quem deveria mantê-lo preso.

    1. Na verdade a tornozeleira só beneficia o dono delas que fornece para o Brasil todo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Homens contraem e transmitem mais Covid-19 do que as mulheres, sugere estudo

Foto: Reuters

Homens se infectam mais e consequentemente transmitem mais o vírus da Covid-19 do que mulheres, segundo um estudo realizado por pesquisadores do Centro de Estudos do Genoma Humano e de Células-Tronco (CEGH-CEL) e divulgado pela Agência Fapesp nesta quinta-feira (26).

Os homens também estão mais suscetíveis a apresentar quadros graves e morrer pela doença, de acordo com o estudo que envolveu 1.744 casais brasileiros. Os resultados do trabalho foram divulgados na plataforma medRxiv, em artigo ainda sem revisão por pares.

“Essa constatação corrobora e está em consonância com descobertas feitas em estudos recentes que realizamos, que já indicavam que homens podem transmitir mais o novo coronavírus”, disse Mayana Zatz, professora do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP) e coordenadora do CEGH-CEL, à Agência Fapesp.

Um estudo publicado no início de agosto por pesquisadores do Centro na revista Diagnostics, com base em um exame de detecção do SARS-CoV-2 pela saliva desenvolvido no CEGH-CEL, apontou que os homens apresentam uma carga do vírus no fluido cerca de dez vezes maior do que mulheres, particularmente até os 48 anos. Essa diferença de carga viral não foi detectada em testes com amostras nasofaríngeas, apontaram os autores do estudo, coordenado pela professora Maria Rita Passos-Bueno.

“Como o vírus é transmitido principalmente por gotículas de saliva, deduzimos que isso explicaria por que os homens transmitem mais vírus do que as mulheres”, diz Zatz.

Além dessa observação, a pesquisadora começou a ouvir relatos de casais – muitos deles ambos médicos – em que a mulher foi infectada pelo novo SARS-CoV-2 e apresentou sintomas leves ou moderados, enquanto o homem permaneceu assintomático. Alguns meses depois, o cônjuge também foi infectado após o contato com pacientes do sexo masculino, o que reforçou a teoria de que homens transmitem mais o novo coronavírus.

Como forma de avaliar a hipótese, os pesquisadores do CEGH-CEL começaram a coletar, entre julho de 2020 e julho de 2021, dados de mais de 2 mil casais, com média de 45 anos de idade até então não vacinados contra a Covid-19, em que pelo menos um dos cônjuges foi infectado, diagnosticado e apresentou sintomas da doença.

Para eliminar a influência de vieses comportamentais, como o fato de os homens serem mais relutantes do que as mulheres em usar máscaras protetoras e respeitar o distanciamento social, como comprovado por meio de estudos durante a pandemia, foi analisada a transmissão do vírus em mais de mil casais que moraram juntos durante o período da infecção sem adotar medidas de proteção.

Os casais foram distribuídos em grupos concordantes – em que ambos os parceiros foram infectados – ou discordantes – em que um dos cônjuges permaneceu assintomático, apesar do contato próximo com o infectado.

A combinação dos dados coletados mostrou que os homens foram os primeiros ou únicos infectados na maioria dos casos, tanto entre os casais concordantes como nos discordantes.

“Vimos que os homens foram infectados primeiro muito mais do que as mulheres, tanto no caso dos casais concordantes como nos discordantes. No total, 946 homens foram infectados primeiro em comparação com 660 mulheres”, afirma Zatz.

Resistência à infecção

Os pesquisadores também analisaram o material genético de casais em que apenas um dos cônjuges foi infectado pelo SARS-CoV-2, embora ambos tenham sido expostos, com o objetivo de entender por que algumas pessoas são naturalmente resistentes à infecção.

Resultados preliminares do estudo, também publicado na plataforma medRxiv, indicaram que variantes genômicas mais frequentes nos parceiros suscetíveis levariam à produção de moléculas que inibem a ativação das células de defesa conhecidas como exterminadoras naturais ou NK. Os resultados completos do estudo, feito em colaboração com o professor Erick Castelli, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Botucatu, serão publicados em breve na revista Frontiers in Immunology.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. E colocam mais chifres tambem, sugere pesquisa do Carabinas Drinks. Cada pesquisa que sai, se não bastasse a de Lula com 80%. Ô povo imbecil e sem cura.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Governo do Estado sanciona lei que assegura igualdade para homens e mulheres a vagas da Polícia Militar

FOTO: ASSECOM/RN

A governadora Fátima Bezerra sancionou na terça-feira (27) a Lei Complementar Nº 683, que assegura a igualdade de acesso às vagas, entre homens e mulheres, para os quadros funcionais da Polícia Militar do Rio Grande do Norte (PMRN).

O texto foi publicado da edição desta quarta-feira (28) do Diário Oficial do RN. (http://webdisk.diariooficial.rn.gov.br/Jornal/12021-07-28.pdf)

A lei reorganiza o efetivo da PM potiguar, acabando com a diferenciação por sexo para ingresso nos quadros da instituição. A proposta foi enviada à Assembleia Legislativa pelo Governo do RN e construída em parceria com autoridades estaduais de Segurança e a deputada Isolda Dantas.

“Essa lei representa, exatamente, o que a sociedade há muito tempo deseja e está em plena sintonia com as ações desta gestão, que defende a igualdade como um dos caminhos para construirmos uma sociedade melhor, onde homens e mulheres possam ocupar cargos públicos, por exemplo, sem distinção”, disse a governadora Fátima Bezerra, ao lembrar que o Governo havia assinado um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte se comprometendo em ampliar o número de mulheres a serem convocadas para os quadros funcionais da Polícia Militar.

Segundo dados da Pesquisa Perfil das Instituições de Segurança Pública, realizada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, o Rio Grande do Norte possuía, em 2017, um total de 122 mulheres na corporação, o equivalente a 1,54% do efetivo da PMRN.

Em 2021, após o ingresso de duas turmas de novos servidores em 2020, o efetivo feminino passou a ser de 4,9%, com 427 mulheres e 8.127 homens.

Opinião dos leitores

  1. Com todo respeito, mas o policial homem está com medo dos bandidos imagine as mulheres. O resultado disso vai ser a famosa “disposição” ou lotar as salas do comando geral, pois rua atrás de bandido que é bom nada.mulher correndo atrás de bandido só nos filmes de 007 kkkkklk

  2. Porém, tem que ter a igualdade nos teste físicos e em todas as outras situações onde as mulheres são diferenciadas.

  3. Quero só ver essas mulheres enfrentado narcotraficantes.. não vai dar certo.. elas ficam melhores o fazendo as rondazinhas

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Homens morrem após assaltos, perseguição e troca de tiros com a PM na Zona Norte de Natal

Foto: Redes sociais

Dois homens morreram após realizarem assaltos, serem perseguidos e entrar em confronto com a Polícia Militar na noite dessa quinta-feira (7) na Zona Norte de Natal. Nenhum policial ficou ferido na ação.

A perseguição movimentou as ruas de diversos bairros da Zona Norte da capital e só parou quando os bandidos perderam o controle do carro, subiram em uma calçada e bateram em um poste. A notícia foi destaque no portal G1-RN. Veja todos os detalhes AQUI.

Opinião dos leitores

  1. Tô gostando da ação desses policias em Natal.
    Todos os dias mandam um cabra ruim pro inferno.

  2. Mais uma vez a PM agindo de forma efetiva p/ o alento da população de bem. Parabéns PM, continuem assim. Marginal com arma na mão tem que ser tratado de forma enérgica.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

DURÕES NA MIRA: Masculinidade tóxica afeta a saúde e o bem-estar dos homens, diz estudo

(Foto: Hunters Race / Unsplash)

As necessidades sociais dos homens são afetadas pela masculinidade tóxica – um conjunto de estereótipos nocivos em torno da masculinidade, como o de que homens devem ser fortes, independentes e durões. A conclusão é de um novo estudo divulgado na publicação científica Sex Roles.

De acordo com a pesquisa, homens que apoiam uma concepção negativa da masculinidade podem acabar se isolando conforme envelhecem, o que impacta na saúde, no bem-estar e na felicidade deles. Quando se deparam com problemas de saúde ou financeiros, por exemplo, eles podem sentir que não têm ninguém com quem se abrir.

“Ter pessoas com quem podemos falar sobre questões pessoais é uma forma de apoio social. Se as pessoas só têm um indivíduo com quem podem compartilhar informações – ou, às vezes, não têm ninguém –, elas não têm uma oportunidade de refletir e compartilhar”, explica em um comunicado stef shuster, que leciona na Universidade do Estado de Michigan, nos Estados Unidos, e conduziu o estudo.

A pesquisa envolveu a análise de dados de 5.487 homens e mulheres mais velhos nos Estados Unidos. Cientistas perceberam que, em comparação com mulheres, homens têm menor probabilidade de terem alguém como confidente e de terem esse tipo de relacionamento próximo tanto com familiares quanto com amigos. Além disso, quanto mais os homens apoiam a masculinidade hegemônica, menores eram as chances de eles terem confidentes.

Celeste Campos-Castillo, coautora do estudo e professora associada do Departamento de Sociologia da Universidade de Wisconsin-Milwaukee, nos Estados Unidos, observa: “Isolamento social é comum entre adultos que estão envelhecendo. Mudanças como aposentadoria, viuvez e mudança de casa podem atrapalhar as amizades existentes”.

De acordo com stef shuster, está na hora de estudar como a masculinidade tóxica é danosa para os próprios homens. “Frequentemente, masculinidade tóxica é um termo que usamos para descrever como a masculinidade afeta outras pessoas, especialmente as mulheres”, disse. “Mas nosso estudo mostra como a masculinidade tóxica também tem consequências prejudiciais para os homens que seguem esses ideais. A própria premissa da masculinidade hegemônica, de certa forma, é baseada na ideia de isolamento, porque se trata de ser autônomo e não demonstrar muita emoção. É difícil desenvolver amizades vivendo assim.”

A questão é que quanto mais um homem segue os ideais de masculinidade tóxica, menores são as chances dele mudar sua visão de mundo e procurar ajuda. “Você pode mudar os princípios ideológicos de alguém? Acho que isso é mais difícil de vender do que tentar fazer as pessoas acreditarem que o isolamento social é extremamente prejudicial à saúde”, considera shuster. “Trata-se de aprender a oferecer ferramentas para que as pessoas não fiquem socialmente isoladas e ajudá-las a desenvolver a capacidade de reconhecer que todas as formas do ser ‘homem de verdade’ que elas sustentam não vão funcionar para elas à medida que envelhecem”, aponta shuster.

O estudo é um dos primeiros a tratar a masculinidade como um espectro em vez de uma categoria binária. “Muitas pesquisas de gênero são baseadas em binários simplistas de mulheres ou homens, feminino ou masculino, seja você hegemonicamente masculino ou não. Por causa do conjunto de dados que estamos usando, nosso estudo realmente examina a masculinidade em um espectro”, explica shuster.

Galileu

Opinião dos leitores

  1. Tempos difíceis criam homens fortes, homens fortes criam tempos fáceis e tempos fáceis criam homens fracos… Para um bom entendedor…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Grupo de homens que têm fetiche em pagar boletos promove trocas de fotos e vídeos sensuais por dinheiro

Formulário que deve ser preenchido para ser aceito no grupo do Facebook. Foto: Reprodução/Facebook

O meme é real. Existe um grupo no Facebook onde homens pagam boletos para mulheres e eu entrei para ver como funciona. A prática, que pode ser considerada um fetiche, é conhecida como “money slave” (escravo do dinheiro, por português). “São homens que se submetem financeiramente a uma mulher”, diz a criadora do grupo Beatriz, que prefere não ter o sobrenome revelado, 20 anos, estudante de engenharia, de Belém (PA).

Logo que eu encontrei o grupo, já percebi que as coisas não funcionavam como eu imaginava. Na verdade, o nome é “Homens que pegam boletos & Garotas que dão algo em troca”. Mesmo assim, fui ver o que rolava lá. Para ser aceita, precisei preencher um formulário que, entre algumas perguntas, dizia: “Muitos homens querem algo em troca para pagar boletos, você estaria disposta?”.

No grupo, encontrei muitas mulheres oferecendo fotos e dizendo que precisavam pagar contas ou comprar livros. E vi poucos homens de fato oferecendo pagar boletos.

Beatriz explica o que acontece: “Observei que são raríssimos os money slave do meio e o propósito não tava dando certo, pois um verdadeiro money slave nunca pode exigir nada em troca por pagamentos. Ele simplesmente faz por prazer. A maioria dos homens queria pagar boletos em troca de algo. Conversas, fotos íntimas e por aí vai”. Por isso, ela incluiu o “garotas que dão algo em troca” no nome do grupo.

Como funciona

Beatriz diz que analisa o perfil de todos que preenchem o formulário antes de aceitar no grupo para tentar minimizar contas falsas e golpes. Depois de aceito, a publicação está liberada.

“Geralmente, as garotas postam fotos dizem o que precisam/ para o que precisam. É como se fosse uma espécie de propaganda. Elas também falam o que estão procurando e o que estão dispostas a vender ou trocar por dinheiro”, detalha. Os homens também entram na “propaganda” e compartilham o quanto vão pagar e o que querem em troca. “Também deixamos aberto aos verdadeiros money slaves”.

O grupo tem algumas regras, que são apresentadas com o formulário para a entrada. O texto ressalta a importância da confiança entre os participantes, respeito e, principalmente, proíbe qualquer tipo de assédio ou desrespeito contra as mulheres. Além disso, incentiva a conversa entre os membros e orienta a denúncia daqueles que desrespeitam as regras.

“Sempre oriento os membros a denunciarem para ajudar na filtragem de pessoas mal intencionadas, fakes e golpistas. Sempre falo para terem cuidado com os acordos, não enviarem suas fotos de primeira ou até que uma parte do pagamento seja feita”, explica Beatriz.

Quem participa

O grupo tem 1664 membros e, de acordo com a administradora, a maioria é de São Paulo, capital, sendo 80,9% mulheres e 19,1% homens, com idade média entre 18 e 24 anos. Beatriz explica que como a oferta é maior do que a procura, a concorrência entre as mulheres é grande.

Apesar disso, ela já consegue lucrar com o grupo. Beatriz diz que a pandemia afetou sua renda, mas a troca de imagens por dinheiro é uma ajuda no fim do mês. Para Júlia*, 26 anos, de Santa Catarina, o grupo também é uma forma de ajudar os pais a pagar o aluguel e os livros para fazer o TCC (trabalho de conclusão de curso). Ela explica que não está no grupo por fetiche, apenas por interesse financeiro.

“Entrei no grupo porque, com essa crise em meio à pandemia, eu precisava complementar meu salário de estagiária”, comenta a estudante de direito. Júlia conta que oferece fotos, vídeos e até chamada de vídeo, e o valor varia conforme a quantidade e o conteúdo.

“Gosto de conversar bastante antes para saber o que eles querem e tudo é acordado antes”, fala. Ela explica que primeiro recebe o comprovante de depósito/ transferência e depois envia as fotos ou vídeos. “Com alguns, a conversa se estende e continuam pedindo, outros já são mais diretos, pedem o que querem e paramos por ali”, conta.

Em relação ao “público” Júlia diz que é variado. “A maioria dos caras são casados ou namoram e fazem escondido. Já mandei para dois que têm esposa. Às vezes são tantos anos junto com uma pessoa que eles querem ver uma coisa diferente”.

Também conversei com Raul, que prefere não revelar o sobrenome, 33 anos, de São Paulo (capital), praticante de BDSM há cinco anos e membro do grupo. “Entrei pois queria encontrar alguém para mimar assim como fizeram nossos antepassados”, fala.

“A sociedade nos oprime em nossa sexualidade tanto no dias atuais que essa foi forma de me libertar de todo o conservadorismo e me ligar a liberdade dos nossos antepassados que viviam o BDSM de forma livre, independentemente de classe ou cor”, completa.

Diferente da ideia do “money slave”, ele não está no grupo apenas para pagar boletos. Segundo ele, isso seria “anti-ético” com as práticas BDSM. Segundo Raul é preciso uma troca, por isso, paga as mulheres e recebe fotos ou vídeos em troca.

Sobre a relação com as mulheres do grupo, ele comenta que percebe que, muitas vezes, a ideia inicial do fetiche é deixada de lado por necessidades financeiras. “Você não acreditaria se te falasse o número de mulheres comprometidas que mandaram e ofereceram fotos e vídeos, muitas vezes é em troca de um hambúrguer. Não me sinto muito bem em relação a esse tipo de coisa”, comenta.

“Tem também as meninas que vêm com histórias tristes, contando sobre os problemas que a pandemia vem fazendo dentro de casa, desemprego, falta de dinheiro pra se alimentar, algumas pedindo fraldas, outras pedindo leite pros filhos. Às vezes eu acho que isso passou de um fetiche e virou uma lupa para alguns problemas sociais” , conclui.

*Nome alterado a pedido entrevistada para preservar sua identidade

IG

Opinião dos leitores

    1. Eu preciso muito sou garota de programa vendo videos meus nuas e fotos nuas

  1. Eu quero entra no grupo eu troco e faço o que for preciso estou precisando muito para pagar minha faculdade

  2. Damos tudo de graça para quem não merece . Não se chamem de luta ou algo do tipo se tem quem pague aceite e pront9 eu não nego eu quero

  3. Eu entrei num grupo parecido , postei uma foto com minha chave pix , pouco tempo depois eu apaguei . Isso caracteriza prostituição?

  4. Vou enviar minhas fotos. Vamos ver quantos boletos dá pra pagar com fotos de um velho pelado.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Especialista cria 12 classificações de personalidade sexual para homens e mulheres; conheça a sua

Foto: shutterstock

A psicóloga clínica americana Britney Blair passou anos trabalhando com saúde sexual e criou 12 classificações de personalidade sexual para homens e mulheres. A pesquisa da médica migrou para o aplicativo Lover, onde as pessoas podem fazer um teste para descobrir o seu estilo.

Em entrevista ao jornal britânico Daily Mail , Blair explica de modo geral como é possível identificar os desejos sexuais de cada pessoa e como traçar a personalidade sexual dela.

“Assim como sua personalidade geral, sua personalidade sexual é uma mistura de natureza e criação, desenvolvendo-se em parte das características com as quais você nasceu, combinadas com as experiências que você tem e as influências culturais e religiosas”, diz ela.

De acordo com a psicóloga, é extremamente raro você encontrar um parceiro com os mesmos desejos sexuais . O que equilibra o relacionamento é saber como lidar com essas diferenças e saber lidar com elas na hora H.

“As mulheres também são mais dedicadas à novidade do que os homens, de modo que seu desejo pode diminuir em relacionamentos de longo prazo. Conhecer sua personalidade sexual pode ajudá-lo a aprender suas próprias maneiras de ‘ser despertado’, alimentar seu desejo e aumentar a conexão erótica com seu parceiro”, comenta.

O teste disponível no aplicativo americano Lover é feito com base em 12 respostas e alguns algorítimos específicos, mas apenas pelas características de cada personalidade sexual já é possível descobrir qual é a sua. Está pronto? Veja abaixo todos os 12 tipos e melhore seu desempenho na cama.

Os 12 tipos de personalidade sexual em homens e mulheres

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Não tem para onde correr: ou é XX ou XY. O resto é pura sacanagem, com todo respeito à viadagem baitoliana.

  2. Espero que esse especialista também tenha criado outras definições de cromossomos.
    Além do XX (mulher) e XY (homem) existentes e cientificamente provado, agora deve ter passado a existir no ser humano o LG, BT, LB, GT, LT, GB, GL, TB……
    Isso é um especialista ou alguém atrás do minuto de fama???
    Vamos reeditar através de especialista o início da vida humana, colocando, "de acordo com estudo de especialista" que no paraíso existia além de Adão, Eva, outros como Pedro, Valéria, João, Mirtes, Mário, Marta….. PALHAÇADA!!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

É mais saudável para os homens fazer xixi em pé ou sentados? Estudo compara casos

FOTO: GETTY IMAGES

Na maioria das culturas do Ocidente, as crianças aprendem que meninos fazem xixi em pé e as meninas, sentadas.

Essa ideia, aparentemente arbitrária, está sendo questionada pelas autoridades de vários países e também por organizações de saúde. Alguns usam motivos de saúde e de higiene; outros, por direitos iguais.

Urinar em pé é um processo muito fácil e prático para os homens.

Isso é mais perceptível em locais públicos, onde o tráfego nos banheiros masculinos é mais ágil em parte porque o processo leva menos tempo, e também porque cabem mais mictórios no mesmo espaço.

Mas há especialistas que acreditam que a posição do corpo pode influenciar o volume do fluxo de urina, o que eles chamam de parâmetros urodinâmicos.

Normalmente, a bexiga armazena urina suficiente para nos permitir realizar atividades diárias e dormir durante a noite.

Músculos relaxados

A capacidade máxima da bexiga fica entre 300 e 600 mililitros (ml). Geralmente, urinamos quando a bexiga está cheia em até dois terços desse espaço.

Para esvaziá-la completamente, você precisa ter um sistema de controle nervoso intacto, que alerta quando você precisa urinar, além de segurar a urina até você chegar a um local propício.

Quando o corpo está em uma posição confortável, o esfíncter da bexiga e os músculos do assoalho pélvico ficam relaxados. Simultaneamente, a bexiga se contrai e esvazia.

Não é considerado saudável forçar a urina.

No entanto, os homens podem sofrer dificuldades temporárias ou permanentes ao urinar.

O semanário científico Plos One publicou um estudo indicando que homens com próstata inflamada, problema que obstrui a passagem da urina, poderiam ter melhoras caso passassem a usar o vaso sanitário sentados.

O estudo comparou os parâmetros urodinâmicos de homens saudáveis ​​e outros com sintomas do trato urinário inferior, uma série de problemas que afetam o enchimento e o esvaziamento da bexiga.

Eles descobriram que em homens com esses sintomas, a posição sentada registrava um perfil urodinâmico mais favorável — o tempo que passavam urinando também era menor.

Mas, em homens saudáveis, os resultados não mostraram diferenças entre as posições em pé e sentado, assim, a questão não pôde ser concluída apenas com base em argumentos urodinâmicos.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Deve ser abolidos os mictórios. Homem têm que urinar sentados, em nome da igualdade e fim dessa opressão.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Pesquisa diz que fingir orgasmo é comum tanto para homens quanto mulheres, e lista razões

Foto: shutterstock

Para que a relação sexual seja prazerosa, é importante que o casal esteja em sintonia. No entanto, nem sempre uma das pessoas consegue atingir o orgasmo durante o sexo. Quando isso acontece, você finge que chegou ao ápice do prazer ou simplesmente conta a verdade? Um estudo feito pelo site Kinkly traz a resposta.

Segundo a pesquisa, que recebeu 1.200 respostas, 80% das pessoas já fingiram ter um orgasmo pelo menos uma vez na vida. Os resultados mostraram que 87% das mulheres fingiram em algum momento, em comparação com 69% dos homens. Além disso, o público feminino finge com mais regularidade – cerca de 37% das vezes – e, o masculino, 9%.

Além de apresentar os dados, o levantamento ainda indica por quais motivos os indivíduos fazem isso. As respostas mais comuns são:

Eu não queria que meu parceiro se sentisse mal;
Eu queria que o sexo terminasse;
Eu queria fazer meu parceiro se sentir bem;
Fiquei sexualmente satisfeito e já queria terminar o encontro.

Por que você não deve fingir orgasmo

Em entrevista prévia ao Delas , Marina Vasconcellos, psicóloga, psicodramatista e terapeuta familiar e de casais, explica que fingir o orgasmo é perder a chance de mostrar ao parceiro o que não está legal na relação. “Você acaba perdendo a chance de falar ‘vamos tentar outra posição’, ‘ tá muito violento’ ou ‘tá devagar demais’, de dizer o que gosta e o que não gosta”, pontua.

O diálogo é a melhor solução. “Sem uma conversa, ele sempre vai achar que determinada forma de fazer sexo oral está sendo o que te faz chegar ao ápice do prazer, mas não. Os dois devem buscar o melhorar da relação, mas sem ter a noção do que realmente faz ela sentir prazer, não tem como ter essa busca”, diz Débora Pádua, fisioterapeuta pélvica, sexóloga e educadora sexual.

IG

Opinião dos leitores

  1. Como o homem consegue fingir o orgasmo se ele vem junto com a ejaculação?
    A mulher também apresenta algumas características física no orgasmo, se nenhuma delas é vista, fica fácil identificar a simulação, ou não?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Pesquisa diz que homens que bebem são mais atraentes; estudo responsabiliza “traço evolutivo”

Foto ilustrativa: shutterstock

Uma pesquisa polêmica realizada por cientistas da universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, afirma que mulheres podem se apaixonar mais facilmente pelos homens que bebem, mesmo os que o fazem de maneira compulsiva. A defesa do estudo é que um traço evolutivo faz com que a bebida seja uma demonstração de força e saúde nos homens, deixando-os mais atraentes .

As previsões, derivadas da teoria da evolução, ainda afirmam que bebedeiras mais intensas são atitudes comuns em pessoas que não possuem problemas de saúde, reforçando a impressão positiva entre as possíveis parceiras .

Outro estudo, publicado anteriormente pela revista Alcohol and Alcoholism , também afirma que tanto homens quanto mulheres podem ficar mais atraentes após uma pequena quantidade de bebida alcóolica .

A justificativa está na imagem de relaxamento que o “brilho” na medida certa pode causar, com músculos da face menos tensos e maior circulação de sangue na face, criando uma ideia de bochechas coradas e saudáveis.

O preço para a atração , porém, pode ser caro. Os riscos das bebidas alcoólicas e a possibilidade de dependência, além da forma como o álcool afeta o corpo humano são informações que não devem ser ignorados.

IG

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Sugar ‘Fies’: homens bancam estudos de 155 mil namoradas de luxo no Brasil

FOTO: DCI

Os dados são inacreditáveis, mas reais para um País que peca no investimento em educação há décadas, e tem cortado bolsas do Financiamento Estudantil. Os Sugar daddies – aqueles homens ricos que ‘conquistam’ namoradas num site exclusivo – patrocinam mais de 155 mil estudantes no Brasil, 23% das cadastradas no serviço.

O site descreve os Daddies: “um homem maduro, rico e bem-sucedido, normalmente entre 35 e 60 anos de idade. Se relaciona com mulheres jovens e atraentes e patrocinam um estilo de vida de luxo para elas”. São Paulo (52.022), Rio (34.852) e Minas (19.213) são os líderes em cadastradas. O DF tem 6.717 cadastradas com ou atrás de ‘papais’.

Coluna Esplanada

Opinião dos leitores

  1. Respeita as meninas!!
    Enquanto os cabeça quadrada descem o cacete nas "babies", as jovens "normais" tem os estudos pagos pelos pais, mas se "atraem" por um combo de bebida pago na balada.
    Só me pergunto quem é mais inteligente…

  2. Eu sustento uma também, faz Medicina numa faculdade de Natal, e não me arrependo de pagar, minha quenga vale mais que isso.

  3. Mais um upgrade da profissão mais antiga do mundo. Se brincar as meninas já estão faturando bitcoins em Marte.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Homens evitam reuniões com colegas mulheres no trabalho, diz pesquisa

Imagem: Getty Images/iStockphoto

Homens estão relutantes em falar com suas colegas de trabalho mulheres, aponta um estudo divulgado pelo jornal Independent.

A Universidade de Houston, nos Estados Unidos, começou uma análise em 2018 para saber os efeitos de movimentos como o “MeToo”, a respeito de casos de assédio, na interação entre homens e mulheres no local de trabalho.

De acordo com a pesquisa, em 2019, mais de 25% dos funcionários do sexo masculino hesitariam em ter uma reunião com uma colega do sexo oposto sem haver outra pessoa no local. Um ano antes, eles eram 14%.

Um dos resultados também aponta que os homens estão 3% menos suscetíveis a contratar uma mulher que eles achem atraente.

Outro dado é que homens estão 6% menos dispostos a colocarem uma mulher em um posto que requer “relações interpessoais próximas”, como viajar em conjunto.

A pesquisa ouvir 152 homens e 303 mulheres que atuam em uma gama variada de funções.

Universa – UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Homens travam portas, ateiam fogo a bar e matam 25 pessoas no México

Pessoas do lado de fora do bar que foi incendiado em Coatzacoalcos – Angel Hernandez/AFP

Um incêndio criminoso em um bar da cidade de Coatzacoalcos, leste do México, matou ao menos 25 pessoas na noite de terça-feira (25), segundo o presidente do país, Antonio Manuel López Obrador. Há suspeitas de que o ataque tenha relação com os cartéis do tráfico de drogas.

“Os criminosos chegaram, fecharam as portas, bloquearam as saídas de emergência e atearam fogo ao local”, disse Obrador, em entrevista coletiva.

Sobreviventes afirmaram à AFP que o ataque foi executado por oito homens armados, que invadiram o bar com galões de gasolina.

“É a coisa mais inumana possível”, disse o presidente. “É lamentável que o crime organizado aja desta maneira”.

Obrador disse que as autoridades locais serão investigadas, pois os autores do ataque foram presos, mas soltos em seguida.

O bar, chamado Caballo Blanco, apresentava shows de pole dance e possuía quartos para os clientes passarem a noite. Ao menos oito mulheres morreram no incêndio.

Veracruz é uma das regiões mais violentas do país. Localizada no Golfo de México, é uma das principais áreas usadas pelos narcotraficantes para o transporte de drogas aos Estados Unidos. O lugar também é cenário frequente de extorsões e sequestros de migrantes.

“Em Coatzacoalcos o suposto ataque não ficará impune”, publicou o governador de Veracruz, Cuitláhuac García, em uma rede social. “Grupos criminosos não são mais tolerados”.

O ataque ocorre quase oito anos depois de um incêndio em um cassino em Monterrey matar 52 pessoas, em 2011, que foi atribuído a um cartel, como forma de aumentar a cobrança de taxas de proteção.

O incêndio no bar desta terça desperta temores de uma volta de atos de violência de grande porte, como os realizados entre 2006 e 2012 durante a guerra contra as drogas.

Folha de São Paulo

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

FOTOS: Polícia Civil deflagra Operação “Ponto Final” e realiza prisões; roubos de cargas e veículos e estouros de carros-fortes e caixas eletrônicos entre suspeitas

Fotos: Divulgação/Polícia Civil

A 7ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) de Patu, com apoio da 4ª DRP de Pau dos Ferros e 8ª DRP de Alexandria, deflagrou, na manhã desta quarta-feira (07), na região Oeste do Estado, a Operação “Ponto Final”. A operação, que resultou na prisão de três homens, foi realizada no Centro do município de Janduís. Para a ação, foram expedidos dez mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão.

Foram envolvidas nas diligências a Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR), a Delegacia Especializada em Assistência ao Turista (DEATUR), a Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV), a Delegacia Especializada em Falsificações e Defraudações (DEFD) de Mossoró, além das Delegacias Municipais de: Caraúbas, Alexandria, Pau dos Ferros, Jucurutu e Santana dos Matos.

O objetivo da operação foi combater organizações criminosas que atuavam na região, investigadas pela prática de roubos de cargas e veículos, envolvidas também em estouros de carros-fortes e caixas eletrônicos. Foram presos: Nerinaldo Alencar Matias, 18 anos, Thiago Agne Alves, 34 anos, e Lisvaldo Gurgel dos Santos, 19 anos. Em uma das residências na qual foram cumpridos mandados de busca e apreensão, foram apreendidos objetos proveniente de roubos de cargas: 123 botijões de gás, diversos maços de cigarros, um revólver calibre 38, quatro congeladores, balanças de precisão, materiais com vestígios de drogas e dinheiro fracionado. Um homem conhecido como “Diogo”, que estava foragido da Justiça, morreu em confronto com a polícia.

Os três homens foram conduzidos até a delegacia e encaminhados ao sistema prisional, onde ficarão à disposição da Justiça. A Polícia Civil pede ajuda à população enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Câmara Criminal do TJ mantém sentença que condenou homens por tráfico de drogas no RN e PB

Os desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do RN mantiveram sentença da 1ª Vara Criminal da comarca de Parnamirim, a qual condenou dois homens por tráfico e associação ao tráfico de drogas, bem como por porte ilegal de armas. As penas aplicadas para Jefferson Antunes do Nascimento e Francisco Sidnei Silva Dantas, chegaram a 11 e 14 anos de reclusão em regime inicial fechado, respectivamente.

Em sede de Apelação Criminal, a defesa dos réus alegou, dentre outros pontos, a suposta ilicitude das provas, em especial das interceptações telefônicas, e, consequentemente, das provas delas derivadas.

A decisão do órgão colegiado, contudo, ressaltou que a tese defensiva não encontra sustentáculo jurídico, pois as buscas e apreensões se deram após perseguição veicular a Jefferson Antunes, por meio da qual se verificou, no interior do automóvel, drogas e armamento.

A acompanhante de um deles também indicou onde haveria mais elementos probatórios e conduziu os policiais para os domicílios, nos quais foi caracterizado estado de flagrância, não existindo, porquanto, qualquer mácula, independentemente da existência ou não de mandado judicial.

Neste entendimento, a Câmara Criminal também ressaltou a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a qual destaca que o estado de flagrante do delito de tráfico gera uma das exceções à inviolabilidade de domicílio prevista no inciso XI do artigo 5º da Constituição Federal, sendo permitida a entrada em domicílio independente do horário ou da existência de mandado. A decisão também enfatizou que ficou “clara a parceria entre os apelantes”, para a venda de drogas, inclusive para fora do estado do Rio Grande do Norte.

Segundo os depoimentos, as drogas também eram comercializadas no estado da Paraíba, nas cidades de João Pessoa e Campina Grande.

O julgamento da Câmara Criminal também enfatizou que, conforme ratificada a condenação na segunda instância, fica autorizada, desde já, a execução provisória da pena, conforme decidido pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal, no julgamento liminar da medida cautelar na ADC nº 43/DF.

(Apelação Criminal n° 2019.000425-7)
TJRN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *