Política

CPI DA COVID: Renan Calheiros diz que primeiros depoimentos revelam ‘existência de gabinete das sombras e ministério paralelo da Saúde’

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), avalia que os primeiros depoimentos colhidos pela Comissão mostram “a existência de um gabinete das sombras, um ministério paralelo da saúde, um poder paraestatal” que não só aconselhava o presidente da República como definia medidas no enfrentamento do coronavírus numa linha contrária à de seus ministros da Saúde.

Os primeiros depoimentos prestados na Comissão foram dos ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich. Mandetta disse que sofria a concorrência, dentro do governo, de assessores, filhos do presidente e médicos que chegaram a propor um decreto para incluir na bula da cloroquina o tratamento para Covid-19.

“Estes primeiros depoimentos deixam clara a existência de um ministério paralelo da saúde, um poder paraestatal, um gabinete das sombras, desconhecido, que não apenas aconselha, assessora, mas produz documentos, como a tentativa de burla na bula da cloroquina”, afirmou o relator da CPI da Covid.

Renan Calheiros destacou que esse “gabinete das sombras” tomou decisões sem o conhecimento dos dois ex-ministros da Saúde, como a determinação para o laboratório do Exército de produzir mais cloroquina.

“Nenhum dos dois ministros tomaram conhecimento para o aumento da produção de cloroquina, isso foi ao arrepio do Ministério da Saúde”, afirmou Renan Calheiros.

Segundo o relator, Mandetta e Teich foram ignorados nas orientações de desaconselhar o uso da cloroquina e de recomendar o isolamento social e uso de máscaras.

Blog do Valdo Cruz – G1

Opinião dos leitores

  1. O presidente dessa CPI é investigado por corrupção NA SAUDE, no seu estado, Amazonas. Sua mulher foi PRESA e ele só escapou devido ao foro privilegiado. Renan Calheiros e Jader Barbalho dispensam comentários. A maioria dos membros dessa CPI estão encrencados. É um mero palanque político e irá atrapalhar o trabalho do Congresso, prejudicando o Brasil. Mas é isso que a oposição quer. O povo já viu isso.

  2. O que esperar de uma CPI presidida por Omar Aziz um corrupto desviador de dinheiro público da Saúde e relatada por Renan Calheiros velho corrupto das antigas com 17 processos no espinhaço dos quis 5 arquivados pelo STF e 12 engavetados e ainda não julgado pelo tribunal complacente com o crime é cruel para o cidadão de bem. Essa CPI além de uma Palhaçada o seu resultado será uma grande bacia de Merda , não vejo prosperidade onde os corruptos estão com o papel de julgar . Absurdos desse só mesmo no Brasil.

  3. Os que falam mal do Renan, são os mesmos que defendem Roberto Jeferson, e aplaudiam Eduardo Cunha, vai entender!!!!!!

  4. kkkkkkk a sombra é ele mesmo que ainda está com mandato, só no Brasil mesmo onde um bandido é escolhido para presidir uma CPI.

  5. As raposas tomando conta do galinheiro kkk. Esse País não é para amadores.

    1. O gado🐮tenta a todo custo mudar o foco principal do assunto.

  6. Eu não quero que saia, eu quero que ele fique até o fim do mandato, é muito mais fácil ganhar dele, Bolsonaro vai ser derrotado no 1 turno

    1. O Bozo prova o que diz?????
      Vaquinha sebosa.
      Esperando o decreto e as tropas nas ruass que o Bozo falou que ia botar…..até agora nada..
      Além de Blefador, é um frouxo.

    1. Eita né isso! O governo do MINTOmaníaco já se aliou a tantos outros políticos condenados por corrupção… Bem que poderia ter se aliado a mais um deles como Renan Calheiros né!?

    2. Falou o paladino da moral. Quer dizer que você nunca tirou vantagem ou de um jeitinho? Hipócrita. Seu bandido de estimação passa a mão nas rachadinhas, mas isso pode né?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros lista revelações ‘graves’ de Mandetta em depoimento ‘esclarecedor’ sobre Bolsonaro

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) elencou uma lista de revelações feitas pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta que atingem o governo do presidente Jair Bolsonaro. Ele diz que os fatos descritos são “graves”.

“O depoimento mostrou que houve aconselhamento paralelo na Covid, adoção da cloroquina ao arrepio do Ministério [da Saúde], participação de Carlos Bolsonaro [vereador do Rio e filho do presidente] em reuniões (por que?) e alerta sobre 180 mil mortes [Mandetta disse na CPI que afirmou a Bolsonaro que os óbitos poderiam chegar a esse número)”, disse Renan em mensagem enviada à coluna.

Ele segue: “Bolsonaro divergiu das orientações científicas, no isolamento e na cloroquina. Foi um depoimento importante na minha opinião para clarear exatamente o que ocorreu naquele momento inicial da pandemia”.

“Também é relevante a informação de que Mandetta viu um decreto para mudar a bula e recomendar a cloroquina”, afirma Renan Calheiros.

O ex-ministro da Saúde disse aos integrantes da CPI que “várias vezes na reunião do ministério, o filho do presidente, que é vereador do Rio de Janeiro, estava atrás, tomando as notas na reunião. Eles tinham constantemente reuniões com esses grupos dentro da Presidência”.

Ele afirmou que os aconselhamentos de grupos paralelos eram constantes na gestão de Bolsonaro. Entre outros fatos, relembrou que foi informado, em uma reunião, que “era para subir para o terceiro andar porque tinha lá uma reunião de vários ministros e médicos. Vinha propor esse negócio de cloroquina que eu nunca havia conhecido, porque ele [Bolsonaro] tinha um assessoramento paralelo nesse dia”.

Foi nessa ocasião que chegaram a sugerir que a bula da cloroquina fosse modificada por decreto para poder ser receitada no tratamento da Covid-19.

Renan Calheiros diz ainda que a CPI já tem “gerado uma mudança elogiável no comportamento, na condução de vacinas, na negociação de insumos e até mesmo no abandono do negacionismo” por parte do governo.

Sobre o fato de o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello afirmar que teve contato com pessoas com Covid-19 e por isso não pretende depor presencialmente na CPI, Calheiros afirma: “Quanto ao ex-ministro Pazuello, fico até contente que mais um integrante do governo fique preocupado com isolamento, distanciamento, ao contrário de comportamentos recentes”.

Mônica Bergamo – Folha de São Paulo

 

Opinião dos leitores

  1. Esse Mandetta é um picareta!! E Renan Calheiros é um Verme!!! Ninguém acredita em NADA que for dito dessa CPI fajuta!!!

  2. UM LADRÃO DESSES TEM ALGUMA MORAL PARA CONDUZIR UMA CPI.? SE TIVESE LEI NESSE PAÍS, ESSE CIDADÃO ESTARIA NA CADEIA

  3. Renan Calheiros o relator , o homem que tem mais processos de corrupção, oivindo o depoimento de mandetta , aquele que é pré-canddato contra bolsonaro, mandetta é aquele que disse que só procurasse hospital quando tivesse falta de ar, esse país é coisa que deixa qualquer um sem entender, mas o circo está armado , era isso que ele queriam pra tentar impedir a reeleição de Bolsonaro, mas sábado eles tiveram resposta de como vai ser a eleição, pode esperniar , a reeleição vai acontecer contra essa turma do mal ,dessa turma que é contra a família, dessa turma que quanto pior melhor, Bolsonaro 2022.

  4. Renan Calheiros, o mais novo ídolo da esquerdalha. Essa gente está baixando de nível a uma velocidade assustadora. Desse jeito, em 2022 o presidente Bolsonaro já pode se considerar reeleito. Tá difícil a coisa prá oposição.

    1. E Roberto Jefferson de vcs homens concervadores, patriotas e de Deus

  5. Grave mesmo é um criminoso desses bandido, corrupto de carterinha, recebedor de propina em investigações de empreiteiras ser relator de uma CPI , talvez o cabaré mais esculhambado desse país tenha mais credibilidade do que essa corja de criminosos se passando por paladino da moral . Brasil da falta de vergonha, da desfatez e do fascismo, esse é apenas o teatro para o palanque das Eleições. Bando de Pilantra.

    1. Né isso! Só começou agora, mas o louco negacionista que não fez NADA para evitar quase MEIO milhão de mortos só consegue chegar a 2050 na presidência se der um golpe e a gente virar uma ditadura como ele tanto quer! Mas não se preocupem, Renan Calheiros está usando a CPI como moeda de troca e tudo vai dar certo, é só ele ganhar uns favores do MINTO…

    2. Calma, amiguinho. O apressado come cru. Muita água vai rolar ainda. Tenha calma. Não se desespere com esse sorriso nervoso.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros e governistas têm bate-boca na CPI

Foto: Reprodução

A apresentação de requerimentos com a digital do Palácio do Planalto por governistas gerou um bate-boca na CPI da Covid. De um lado, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) questionou se os documentos deveriam ser apreciados, alegando que eles buscam “tirar o foco da investigação”. Autor de alguns dos documentos mencionados, Ciro Nogueira (PP-PI) defendeu que a proposta é válida se tiver sido assinada oficialmente por um senador. O caso foi revelado pelo GLOBO.

— São muitos requerimentos. Inclusive, tem que ver se o senhor [Omar Aziz] vai apreciar também os que vieram diretamente do Palácio do Planalto, que a imprensa está divulgando hoje. Não podemos votar requerimento para tirar o foco da investigação que estamos fazendo. O Brasil não vai perdoar nenhum dos senhores que está fazendo isso — disse Renan.

Aliado do Planalto, o senador Marcos Rogério (DEM-RO), rebateu dizendo que “o foco da CPI não pode ser aquele que é dado pelo relator”.

— Os dois requerimentos de CPI foram subscritos pelos senadores — afirmou Rogério, em referência ao texto que amplia o escopo da apuração e trata de recursos federais enviados a estados e municípios — O relator deve respeitar o Senado Federal. Essa CPI não pode ser a CPI do ódio. Afasta o seu ódio, senador. Acalme-se, senador. Respire.

O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), rebateu Rogério, disse que o foco da CPI não deve ser aquele dado pelo relator, “mas também não pode ser o que veio do Palácio do Planalto”.

Autor de requerimentos com origem no Planalto, Ciro Nogueira entrou na discussão e disse que as propostas seguem válidas e devem ser apreciadas. Ele não negou em nenhum momento que os documentos tiveram origem no Planalto.

— Vamos aprovar se for assinado por um senador. O senhor não vai impedir de votar nenhum requerimento, não. Eu sei quais são os requerimentos que o senhor não quer — disse Nogueira diante do questionamento de Renan se também seriam votados os requerimentos que vieram do Planalto.

O debate começou porque Renan e aliados queriam que os requerimentos de informação apresentados à CPI fossem apreciados separadamente. A estratégia dá vantagem ao grupo da oposição, que está em maioria. Os governistas, por sua vez, querem aprovar todos ao mesmo tempo, “em bloco”, o que acabou acontecendo. Os requerimentos de informação ficaram de fora porque envolvem a convocação de especialistas.

Como revelado pelo GLOBO, registros eletrônicos de requerimentos apresentados na CPI da Covid indicam que o Palácio do Planalto produziu para senadores governistas o pedido de convocação de cinco especialistas associados à defesa do tratamento precoce ou a críticas ao lockdown.

O GLOBO coletou e analisou dados de todos os documentos registrados na comissão até o momento. Informações registradas nos arquivos do Senado apontam que em sete arquivos protocolados pelos parlamentares Ciro Nogueira e Jorginho Mello constam o nome de uma assessora da Secretaria Especial de Assuntos Parlamentares (SEAP), vinculada à Secretaria de Governo, área responsável pela articulação política.

Essas informações estão presentes nos chamados “metadados” dos arquivos enviados ao Senado pelos parlamentares. Eles funcionam como uma espécie de RG de cada arquivo em um computador. Ao invés de data de nascimento, número do CPF ou nome dos pais, os metadados apresentam a data e horário em que um arquivo foi criado, modificado e, também, o nome do seu autor.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. CPI com finalidade meramente política, dominada por corruptos famosos no cenário nacional, inoportuna (o Brasil tem prioridades que não serão tratadas nessa palhaçada) e prejudicial ao país (vai atrapalhar o debate do que realmente importa no momento). Mas, os opositores do presidente só pensam na luta pelo poder, em suas politicagens. O povo está vendo.

  2. Os pedidos da oposição não valem mais que aqueles dos senadores pró-governo. Se houver sido assinado por um senador da CPI, é válido. Isso é lógico.

  3. Renan, um dos maiores bandidos do Brasil, falando grosso como se fosse um senhor de respeito. Um dos maiores FDP isso sim. Bandido com mais de 40 anos de atuação.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros apresenta 11 requerimentos à CPI; veja a lista com Marcelo Queiroga, e os três últimos ministros da Saúde

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Indicado como relator da CPI da Covid-19, Renan Calheiros apresentou 11 requerimentos de convocações e documentos para as investigações.

O documento a que a CNN teve acesso elenca todos eles (veja a lista abaixo). Entre os pedidos, serão convocados o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e os três últimos ministros que o antecederam: Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello.

Também será convocado o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres.

Requerimentos

1) Inteiro teor dos processos administrativos, de contratações e das demais tratativas relacionadas às aquisições de vacinas e insumos no âmbito do Ministério da Saúde;

2) Toda a regulamentação feita pelo governo no âmbito da Lei 13.979 de 2020 que trata das medidas de enfrentamento da emergência de saúde pública, especialmente sobre temas como isolamento social, quarentena e proteção da coletividade;

3) Todos os registros de ações e documentos do governo federal relacionados a medicamento sem eficácia comprovada, tratamentos precoces, inclusive indicados em aplicativos como TrateCov, plataforma desenvolvida pelo Ministério da Saúde;

4) Todos os documentos e atos normativos referentes às estratégias e campanhas de comunicação do governo federal e do Ministério da Saúde, em particular, além dos gastos orçamentários;

5) Requisição de todos os contratos, convênios e demais ajustes da União, que resultaram em transferência de recursos para o combate à covid e sua distribuição entre os entes subnacionais, além de suplementação orçamentária;

6) Todos os contratos, convênios e demais ajustes da União que resultaram em transferências de recursos orçamentários para estados e capitais

7) No caso emblemático do caos da saúde pública no Amazonas, estamos solicitando que todas as autoridades sanitárias de Manaus encaminhem todos os pedidos de auxílio e de envio de suprimentos hospitalares, em especial oxigênio, além das respostas do governo federal;

8) Convocar o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e os três últimos ministros que o antecederam;

9) Convocar o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres;

10) Requisitar ao STF o compartilhamento da investigação das Fake News;

11) Requisitar a CPI das Fake News todo material apurado.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Quero ver como é que esse imbecíl vai punir o SARS-covid-2 ou simplesmente COVID-19, Sim por que os responsável pela morte de milhões de pessoas não só no Brasil, mas no mundo, é o tal do virus Chinês, vai punir o virus?

    1. Na cola feita pelo próprio governo está a confissão dos seus crimes.

  2. Perguntarão ao Mandetta sobre sua determinação para que os contaminados ficassem em casa, esperando a falta de ar? E sobre ele num bar, jogando sinuca e tomando uma “gela”, sem máscara, junto com o filho? E a sua despedida do ministério, também sem máscara e abraçando todo mundo? Tem muito o que esclarecer.

    1. Calma boneca…
      Se for feito um trabalho sério, não vai sobrar prega sobre prega, inclusive do seu amado presidente.

    2. Assim são os adoradores de corrupto de estimação.
      Como uma CPI composta por senadores que respondem a processos por corrupção pode ser séria? Sua visão de mundo direita esclerosada é a mesma tão boa que seus heróis tem ficha corrida por corrupção na política e sofrem de abstinência dessa prática, então agora tem uma oportunidade de tentar levar a lama que estão os que não tem tal prática. Essa CPI é pior que o tal processo das fake news. Mas isso tem um lado muito positivo, afinal, cada vez mais a podridão dá seus frutos e o povo sabe quem é quem. Antes eram 57%, foi a 65%, cresceu para 72% e logo teremos 85% dos brasileiros constatando que são os porcos que querem o pior para o Brasil. O desespero dos que produzem lama, vai aumentar cada vez mais, que os gritos aumentem…

    3. Direita honesta tá preocupado com o Mandetta? kkkkkkkkkkkkkkkkk
      Bozo tem 400 mil brasileiros mortos nas costas…Mandetta é o menor dos problemas…

    4. Antes, quando alguém ficava reclamando e repetindo o mesmo assunto, se dizia que estava de mimimi.
      Agora, estão de Mu mu muuuuuu!

    5. Mortes? No RN estão morrendo muitos na fila da UTI porque a governadora não abriu leitos com os bilhões que recebeu do governo Bolsonaro. Ela não fez NADA contra o vírus. Aliás, não fez NADA em nenhum setor. O governo dessa senhora não começou. E ainda está destruindo o que resta da economia do estado. Deixem de politicagem e pensem no RN. Sem o dinheiro do governo Bolsonaro, não tem mais “pixulecos”. Nem salários de servidores terá. Abram o olho!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI da Covid elege Omar Aziz (PSD-AM) presidente e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice; Renan Calheiros é confirmado relator

Foto: Reprodução/TV Senado

Após mais de duas horas desta primeira sessão da CPI da Covid, a maioria dos integrantes acaba de confirmar a composição da cúpula da comissão.

Como esperado, após acordo feito entre a maioria dos integrantes, o senador Omar Aziz (PSD) foi oficializado na presidência do colegiado. Randolfe Rodrigues (Rede), autor do pedido original da CPI, será o vice-presidente.

A votação foi secreta. Aziz venceu Eduardo Girão (Podemos) por 8 a 3. Randolfe foi confirmado com 7 votos — 4 senadores votaram em branco.

“Tenho certeza de que o debate será proveitoso e esta CPI levar uma esperança maior para a aquisição de vacinas, de kits. Não dá para discutir questão política em cima de quase 400 mil mortos”, disse Aziz, no primeiro discurso. Ele também afirmou que o governo parece disposto a colaborar.

“O jogo está jogado. Começamos mal esta CPI, que perde credibilidade pelo conflito flagrante de interesses: isso é fato”, disse Girão durante o processo de votação. Ele lançou candidatura avulsa à presidência da CPI, mas foi derrotado.

Após disputa na Justiça, Omar Aziz escolhe Renan Calheiros para relator da CPI. Com isso, prevaleceu o acordo feito pelas maiores siglas (MDB, PSD) e senadores de oposição e independentes. Aliados do governo tentaram impedir que Renan assumisse a relatoria.

Com O Antagonista e G1

Opinião dos leitores

  1. Le Brésil n’est pas un pays serieux…., frase atribuída ao Ex-Presidente francês Charles De Gaulle

  2. BG
    Esse Randolfe metido a “paladino” fazer essa CPI junto nada menos que Renam Calheiros e Aziz. Essa esquerdalha não vale uma prata furada.

    1. Desde de quando Renan e Aziz são de esquerda ?
      Agora o bicho vai pegar!!! A mão que bate em Chico é a mesma que bate em Francisco!!!! Segura Peão, que a boiada vai cair no chão!! Muuuuuu

  3. Parabéns!! Renan como relator, muito bem, muito bem…

    Quero vê onde isso via chegar, se não investigar todos os governadores e prefeitos não servirá de nada. Vão só gastar mais dinheiro público em vão, esses vermes recebem extra para participar das tais CPIs sabiam disso??

    O que o país precisa é de união e não mais divisão partidárias que não dará em nada, só querem desgastar o governo perante a opinião publica nada mais.

  4. A oposição ao governo vai a luta, perfeito, na linha de frente um conhecido e contumaz ladrão, essa coisa não pode dar certo.

    1. O MINTOmaníaco vai ter que comprar um estoque grande de Imosec pra não viver com a calça borrada…

  5. Previsão para Outubro de 22:
    Renan, sono do senado, reeleito.
    Bolsonaro não estará nas urnas, monitorado por tornozeleira pescando em alguma reserva ambiental.

    1. Acho melhor certos governadores tratarem de explicar onde gastaram o dinheiro que receberam. A PF e a PGR já estão investigando faz tempo e já há vários governadores encrencados. Dois já estão na “marca do pênalti: RJ e SC. Os do PA e do AM vêm logo atrás. E a fila segue. A propósito, cadê os respiradores? Rsrsrs

  6. Uma CPI dirigida por indivíduos desse quilate não promete coisa boa. Embora haja muito o que investigar, principalmente quanto ao destino que os governadores deram aos bilhões que receberam do governo federal.

    1. Dividirão os bilhões entre os compadrios e fica tudo resolvido. Renan investigando o filho….enredo de filme de terror para a família brasileira.

    2. mimimimi…chola mais…chola mais que tá bonito de ver
      🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

    3. Pra você ver. No final o R10 (Renan) vai provar que o mito é bem pior que ele.

    4. Uma pena as escolas estarem fechadas, assim que reabrir (com todos os cuidados), se matricule num intensivo de português, urgentemente!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI: Renan Calheiros se declara parcial para relatar temas sobre Alagoas

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Favorito para ser o relator da CPI da Pandemia, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) afirmou nesta sexta-feira (23) que vai se declarar parcial para analisar qualquer caso que envolva o estado de Alagoas. A sua provável indicação para a relatoria vem sendo contestada por aliados do governo por ser o pai do governador de Alagoas, Renan Filho (MDB).

“Desde já me declaro parcial para tratar qualquer tema na CPI que envolva Alagoas. Não relatarei ou votarei. Não há sequer indícios quanto ao estado, mas a minha suspeição antecipada é decisão de foro íntimo”, afirmou o parlamentar, em sua conta oficial no Twitter.

O nome de Renan para ser o relator da CPI da Pandemia é uma escolha do grupo formado por sete senadores, entre independentes e oposicionistas, que forma a maioria da comissão. Os mesmos parlamentares planejam que os senadores Omar Aziz (PSD-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) sejam presidente e vice-presidente da CPI.

Originalmente, segundo o requerimento formulado por Randolfe, a CPI estaria concentrada nas ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19. Um segundo requerimento, formulado por Eduardo Girão (Podemos-CE), ampliou o escopo para abarcar também o destino de verbas federais em estados e municípios.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Genocida vc sabe quem é seu otário essa chibata da sua governadora

    2. Ver petista sair do armário pra defender um bandido como Renan Calheiros não tem preço. Isso deixa claro a qualidade de gente com quem estamos lidando.

    1. Dá certinho um ex presidiário com outro que deveria estar na cadeia. Na verdade, os dois deveriam está, se não fosse a qualidade da justiça brasileira.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

‘Bolsonaro errou e se omitiu na pandemia’, diz Renan Calheiros, escolhido como relator da CPI

 Foto: Givaldo Barboza / Agência O Globo

Ex-presidente do Senado, Renan Calheiros (MDB-AL) era um dos nomes mais temidos pelo governo para ocupar um posto no comando da CPI da Pandemia. Indicado por seu partido para a função de relator da comissão parlamentar, Renan afirmou, em conversa por telefone, que o presidente Jair Bolsonaro “errou” e se “omitiu” na condução da pandemia. Com a ressalva de que ainda não foi formalmente escolhido como relator, o senador diz que essa avaliação que faz sobre atuação do presidente da República é pessoal, mas promete que o trabalho da CPI será técnico e apartidário. Ainda hoje o governo tentava emplacar um outro nome para a relatoria da CPI.

Qual a sua avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia?

Minha opinião é que a gestão do Bolsonaro foi terrível no enfrentamento à pandemia. Ele complicou tudo. Complicou porque errou, se omitiu e minimizou a doença. Prescreveu remédios sem comprovação científica, estimulou aglomeração, não usou máscara. Priorizou o tratamento preventivo. É um somatório. Estamos pagando esse preço em mortes. Mas isso é só uma avaliação pessoal. Defendo uma CPI técnica, que arregimente boas cabeças da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e do Tribunal de Contas da União. Defenderei uma investigação rigorosamente técnica, sem partidarismo e sem alvos pré-determinados.

Qual o papel da CPI? Que instrumentos pretende usar?

O papel da CPI é sugerir uma revisão dos procedimentos para amenizar o horror que estamos vivendo no país. A CPI tem poderes constitucionais para investigar. E, a partir daí, convocar pessoas, fazer oitivas, ter acesso a informações, quebrar sigilos telefônicos, todos os sigilos. Temos um livro publicado em 2006 no Senado, em parceria com o Supremo, que sistematiza ao longo dos anos todas as decisões de CPI tomadas pelo STF, o que pode e o que não pode. Ressalto que ainda não fui escolhido relator e nem priorizo isso. Isso só vai se definir quando a CPI for instalada. O presidente da comissão indica o relator mediante conversa com demais integrantes. Concordarei com qualquer nome do grupo. Não preciso ser relator para colaborar na investigação. Farei o meu melhor como integrante. É uma estupidez o governo querer interferir nos trabalhos da CPI para evitar que alguém seja indicado relator, até porque apoio qualquer um do grupo.

Matéria completa AQUI com O Globo.

Opinião dos leitores

  1. CPI já não é essa coisa séria como parece e comandada por esse Renan Calheiros não pode ser séria mesmo. BRASIL > País da SACANAGEM .

  2. Vai dá em pizza… Renan Calheiros como relator… esses caras sempre acham uma saida pra atrapalhar o governo.

  3. São quase 20 processos contra pilantra, sinônimo de corrupção há muitos anos. E vai ser o relator dessa CPI fajuta, já chegando com sua opinião formada e relatório pronto, mesmo antes de qualquer investigação ou procedimento. E seu filho é governador de Alagoas, um dos eventuais investigados. É uma palhaçada.

  4. Quando o número de vítimas do Mocoronga despenca tão logo os senadores anunciam que além do presidente vão investigar os governadores e prefeitos aos quais o STF tranferiu a autoridade dele, PODE AINDA HAVER DÚVIDA DE QUE ESSE NÚMERO FOI FALSIFICADO PARA TRAZER DANO A ESSE PRESIDENTE?
    Essa esquerda pode até dominar a máquina estatal mas a mente e o coração do povo não conseguem mesmo. Só resta esse tipo de vigarice que não vai dar em nada pro Presidente.

  5. Simplesmente patético um bandido desse ainda conduzir algo público.
    E o bom é elemento da cpi com familiar governando estado.
    Piada!!

    1. O Brasil é o único país do.mundo onde os bandidos julgam os inocentes.

    2. É isso aí.
      CPI dos 650 óbitos na fila de UTI já!!!
      O governador da Bahia disse que abrir UTI é enxugar gelo!!!

    1. É da laia de Roberto Jeferson que é aliado de Bolsonaro, ou seja, tudo farinha do mesmo saco.

  6. Como acreditar nas instituições brasileiras? O STF é uma vergonha; o Congresso, em vez de mostrar o mínimo de decência, admite pessoas como Renan Calheiros e alguns outros na CPI. A ética está cada vez mais indo para o esgoto.

  7. O maior bandido do nordeste, inclusive na frente de Sarney e Collor, só perdendo pra luladrao ahora vem presidir uma CPI, que porra de país é esse. Eu tô é com nojo desse nosso brasil de ladrões, corruptos e bandidos da pior espécie.

  8. Probo, digno, correto, patriota, enfim, me faltam adjetivos para classificar esse indivíduo, kkkkkkkkkkkkkkkk. Ah, ladrão!

  9. Bacana com a palavra um cidadão com 11 processo no espinhaço por práticas que só deus sabe, e todos engavetado pelo STF , olha esse país tá pior do que Bosta de Gato, agora a merda vai dar no meio da canela todos os canalhas agora estão do mesmo lado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros será relator da CPI da Covid

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Os senadores da CPI da Covid-19 fecharam nesta sexta-feira acordo para a composição dos cargos de comando da CPI da Covid-19. O senador Renan Calheiros (MDB-AL) será o relator da investigação, o que vai desagradar o presidente Jair Bolsonaro.

O colegiado será presidido por Omar Aziz (PSD-AM) e o vice-presidente será o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

O acordo foi selado na manhã desta sexta-feira entre os oposicionistas e chamados “independentes” que integram a CPI. O governo ainda tentava operar para tirar a relatoria de Renan, mas como ele se acertou com o correligionário Eduardo Braga (DB-AM), nome que era o da preferência do Planalto, sedimentou a maioria a favor do seu nome.

O emedebista de Alagoas conta ainda com a promessa de apoio dos dois senadores do MDB, Aziz e Otto Alencar (BA), e dos três oposicionistas: Randolfe, Humberto Costa (PT-PE) e Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Randolfe pleiteava a presidência, até mesmo pelo fato de ter sido um dos autores do requerimento que levou à sua instalação, mas cedeu para Aziz o posto para evitar que o senador do PSD fechasse acordo com a ala governista da CPI (que tem 4 integrantes) e isso desequilibrasse o jogo a favor de Bolsonaro no colegiado.

Mais importante que ter a presidência é a comissão andar, foi o raciocínio feito pela ala oposicionista. Para isso, eles têm de manter unido o grupo de seis senadores que agora se fechou em torno da composição dos nomes da direção dos trabalhos.

Os líderes governistas ainda vão tentar atuar para melar o acordo, tentando persuadir Braga a disputar a relatoria com seu correligionário do MDB. Mas trata-se de uma tarefa inglória: Renan e o amazonense integram o mesmo grupo dentro da bancada, e têm jogado afinados desde que o alagoano foi derrotado para a presidência da Casa, em 2019.

Os nomes do grupo governista que poderiam disputar a relatoria com Renan e tentar cabalar votos dos dois senadores do PSD são considerados muito fracos, e se Aziz romper o acordo selado nesta manhã pode perder maioria para se eleger presidente.

O próprio Aziz, com quem conversei na quinta-feira, já dizia que a chave para a escolha do relator estava no MDB: se Renan fechasse com Braga seria difícil para o governo evitar que ele ficasse com a relatoria da CPI.

Vera Magalhães – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Como dizia o saudoso espanta em suas piadas, CPI é a reunião de vários corruptos para investigar um. Renan Calheiros é brincadeira, a cara de um País corrupto.

    1. A população escolhe seus ladrões ao receber a propina pela venda do voto. O cara é descaradamente corrupto e o povo elege.

  2. Bolsonaro. Mostre que você é macho e faça como o ex presidente Getúlio Vargas. O povo lhe idolatrará.

    1. Com outras palavras o louco que está no Planalto fez o mesmo que Getúlio Vargas: “só morto sairei do Catete(Planalto)”.

    2. Antes de citar o episódio do duvidoso suicídio de Getúlio Vargas, adentre um pouco na história do mesmo, aí talvez você pode de opinião ao entender melhor as nuances que envolviam o seu governo.
      Não acaso que governos totalitários mereçam nota, mas, o seu primeiro governo e parte do segundo lhe fez o maior presidente da história do Brasil, diferentemente do nove dedos que até fez algumas coisas, porém, tem muitas contas e explicações a prestar ao povo brasileiro.

  3. País FDP é Brasil de Renan, Lula etc, esse rapaz tem um filho governador em Alagoas, que também vai pra cpi, esse dedo que falta no ladrão, com certeza tá no aro de uns petista

  4. A razão do arrependimento do meu voto no Molusco Bêbado, foram as suas relações espúrias com o que pior da política Nacional, pessoas como Jader Barbalho, Ciro Gomes, Cid Gomes, Renan Calheiros, Collor de Melo, Valdemar da Costa Neto, Dilma Rousseff, José Dirceu, Eduardo Braga, Sérgio Cabral e muitos outros, que cheiram a esgoto e são sujeira pura, me fazem desacreditar no Brasil.

  5. O maior bandido do Brasil é o relator de uma CPI, é pra rir ou chorar? Um ladrão como Renan era pra tá na cadeia aí é quem vai julgar os recursos da pandemia kkkk vai terminar em pizza e muito dinheiro no bolso dele. Veremos.

    1. Cuidado pra você não infartar Kkkķ, acho que o dedo que falta no Lula, tá na sua tarraqueta kkk

  6. Isso é uma afronta ao nosso país. Como pode Renan Calheiros, que responde a vários processos, ser relator de uma CPI ??? Nós, trabalhadores e cidadãos de bem, precisamos tomar as ruas e expulsarmos esses canalhas !!!

    1. Realmente um país que tem um STF com credibilidade zero, não se espera mais nada , viva a corrupção, viva a impunidade a indecência a falta de respeito que esse supremo nos oferece é totalmente um tapa na cara da sociedade o Brasil acabou .

  7. O Brasil definitivamente não é para honestos. Esse senador tem 11 processos engavetas no STF e vai ser o relator da CPI? Parece piada mas não é. Qual a idoneidade que um político tem? Se fosse em Gotham City instaurando um processo contra batman e o coringa sendo o relator, não acreditaria, mas é muito pior aqui no Brasil.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

CNMP pune Deltan Dallagnol com censura por postagens contra Renan Calheiros

Foto: Reprodução/TV Globo

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu nesta terça-feira (8), por nove votos a um, punir o procurador da República Deltan Dallagnol por postagens em rede social em que ele se posicionou contra a eleição do senador Renan Calheiros (MDB-AL) para a presidência do Senado, em 2019.

A penalidade de censura é a segunda mais branda aplicada pelo conselho, depois da advertência. Ela atrasa a progressão na carreira e serve de agravante em outros processos no conselho. Os procuradores também podem ser punidos com suspensão, demissão ou cassação da aposentadoria.

A ação foi apresentada por Calheiros, que alegou interferência de Dallagnol na disputa pela presidência do Senado. As postagens diziam, por exemplo, que caso Calheiros fosse eleito, “dificilmente veremos reforma contra corrupção aprovada”.

Calheiros perdeu a disputa para Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O processo contra Dallagnol foi incluído na pauta do conselho após decisão de sexta-feira (4) do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Mendes reviu uma decisão anterior do ministro do STF Celso de Mello, que havia paralisado a análise do caso. Com problemas de saúde, Mello está afastado do Supremo desde 19 de agosto.

Também por ordem do Supremo, do ministro Luiz Fux, o conselho não pôde considerar uma pena de advertência de 2019 para agravar a situação disciplinar de Deltan Dallagnol em novos processos.

Liberdade de expressão

O relator do caso, conselheiro Otávio Rodrigues, votou para aplicar a penalidade de censura a Deltan e defendeu que esse caso não deve ser reduzido a um debate sobre liberdade de expressão.

O conselheiro afirmou que Deltan “ultrapassou os limites da simples crítica, com manifestação pessoal desconfortável à vítima”, e que o procurador “atacou de modo deliberado não só um senador da República, mas ao Poder Legislativo”.

Ainda de acordo com Rodrigues, cabe ao membro do Ministério Público “a tarefa de zelar pela lisura do processo eleitoral, sob pena de prejudicar a própria credibilidade da instituição”.

“Reduzir este caso a um debate sobre liberdade de expressão é ignorar o imenso risco à democracia quando se abrem as portas para agentes não eleitos, vitalícios e inamovíveis, disputarem espaços, narrativas e, em última análise, o poder, com agentes eleitos, dependentes do sufrágio popular periódico”.

“Nada impede que os primeiros deixem o conforto de seus cargos públicos, renunciem à magistratura judiciária ou ministerial, e entrem na arena partidária, disputando votos e espaço na mídia sem a proteção reputacional que a toga e a beca quase sempre emprestam aos que as vestem”, afirmou ainda o relator.

“O membro do Ministério Público deve se abster de realizar manifestações públicas, pois ao fazê-lo, também compromete a isenção perante a sociedade”, concluiu o conselheiro.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Criticou bandido e corrupto aqui em nosso país, é cadeia na certa. Não para o bandido, claro, e sim para o denunciante.

  2. Interessante: Gilmar Mendes já esculhambou os procuradores da lava jato publicamente. Quem vai julgar beiçola?

  3. Bandido.
    Quer ser político se associe a algum partido, nao dá é ser procurador e político.
    A sua farsa tá sendo toda destruída, o pior, por aqueles que voce elegeu.

    1. Manoel, tem muitos idiotas postando por aqui mas pra te superar tá difícil.

    2. Bandido estúpido é você, Dalagnol desempenhou papel relevante na recuperação de mais de 50 bilhões de reais que foram subtraído dos cofres públicos brasileiros, e pela prisão de mega empresários e agentes públicos corruptos do mais alto escalão. Mais, essa cambada presa são responsáveis diretos pela suas limitações intelectuais e financeira, pois viviam desviando verbas que deveriam está sendo usadas pra corrigir essa sua deficiência e de muitos brasileiros.

  4. Esse procurador pensa que está cima da lei. Para o que ele fala é liberdade de expressão, para os outros é ação por dano moral. Que o diga o maior jornalista desse País, chamado Reinaldo Azevedo!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros diz que Moro ‘está sem saber o que fazer’ e chama Janot de ‘psicopata’

Foto: Sérgio Lima/Poder360

O Uol levantou a bola para Renan Calheiros, querendo saber o que o senador acha de Sergio Moro se candidatar ao Planalto.

O alagoano, claro, adorou a pergunta.

“Ele age como alguém que está à beira de um vulcão que começa a ter uma erupção. Acho que está sem saber o que fazer porque vai ter que se explicar de muitas coisas inexplicáveis. Ele teve projeto político e já pensou em ser candidato a presidente? Sim. Depois aderiu à campanha do Bolsonaro? Sim, porque o Bolsonaro representava circunstancialmente a mudança e a nova política. Como juiz, submeteu-se a influir na eleição e tirar o Lula do processo político. É evidente que ele pensa nisso. Mas agora pensa mais em como vai sair dessa situação e manter o posto de ministro depois de ter sido escancarada a tentativa de aparelhamento do Coaf e da Polícia Federal.”

Renan também disparou contra Rodrigo Janot.

“O Janot me causa asco. Esse caráter homicida que ele desvenda no seu livro é uma coisa indicativa do que representou você ter um psicopata à frente da Procuradoria-Geral da República.”

O Antagonista com UOL

Opinião dos leitores

  1. Esse senador é um pouco do muito que as limpadores de fossa despejam diariamente no Rio Potengi. Era para estar preso num país decente.

  2. Ser xingado por pessoas como essa, na verdade, é um elogio…Se esses corruptos (Renan, Lula, Gleisi, Jucá…) falarem mal de alguém, sinal que o cara é bom!!!!!! Quando bandido se une para combater o pacote anti-crime, é pq o "bagulho é cabuloso"…kkkk

  3. Um picareta como renan.dando licao de moral.somente no brasil.janot e um frouxo ou a historia da arma e mentira.janot colocou na midia a figura do fanfarrao corruoto.gilma

  4. Esse é um dos políticos MAIS SAFADO que o BRASIL TEM. Esse CABRA DE PEIA devia ser BANIDO da política brasileira . Não tem moral para criticar ninguém.

  5. Ladrão descarado que contou e conta com o apoio do PT e seus seguidores.
    Esquerda não ver erros na atuação de Renan mas persegue Bolsonar.
    Vergonha do Brasil, Renan já deveria está na papuda se não fosse a conivência de parte do STF. Os que apoiam o PT.

  6. Até quando o povo brasileiro vai continuar elegendo esses malas? O que foi que esse cidadão fez pelo Brasil? E ainda tem a petulância de criticar o ministro Sérgio Moro, mesmo tendo pouco tempo já fez milhões de vezes mais que o cidadão acima.

  7. Esse senador sem futuro tem condições de atacar ninguém, mais de dez inquéritos no supremo. Não fosse senador estaria atrás das grades há muito tempo. Lave a boca pra falar mal do Moro,

  8. Qual o legado deixado por este Senador ao País?
    Não tem moral para acusar que tem.
    Nosso Herói Nacional Ministro Sérgio Moro está muito tranquilo,
    sabedor que quem o ataca tem problemas com a justiça.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) nega afastamento de Deltan Dallagnol pedido por Renan Calheiros

Procurador Deltan Dallagnol diz que que suas publicações estão protegidas pela liberdade de expressão – Arquivo/Agência Brasil

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) negou nesta terça-feira (10), por unanimidade, um pedido de afastamento do coordenador da Lava Jato no Paraná, procurador da República Deltan Dallagnol, de suas funções.

O afastamento fora pedido pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), em uma reclamação disciplinar no CNMP. Ele acusa o procurador de ter exercido atividade político-partidária, o que é vedado a membros do MP.

Em janeiro, em uma série de posts em sua conta no Twitter, Dallagnol se posicionou contra a eleição de Calheiros para a presidência do Senado. O procurador escreveu, por exemplo, que caso o emedebista fosse eleito “dificilmente veremos reforma contra corrupção aprovada”.

Nos posts, o procurador pediu ainda a seus seguidores que fizessem campanha pelo voto aberto, de modo a constranger os senadores a não votarem em Calheiros. Ao final, após uma longa e conturbada sessão, a votação acabou sendo fechada, mas o senador alagoano perdeu a eleição para o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Nesta terça-feira (10), o corregedor do CNMP, Orlando Rochadel, votou para que a reclamação de Calheiros resulte na abertura de um processo administrativo disciplinar (PAD), mas não por atividade político-partidária, e sim por quebra de decoro, tipo de violação funcional cuja sanção, de censura, é mais branda.

“Não configura atividade político-partidária a crítica pública por parte de membro do Ministério Público, sendo vedado contudo ataques de cunho pessoal”, disse Rochadel. Para o corregedor, “evidenciou-se nítida manifestação de cunho politico a merecer reprimenda”.

Ao proceder dessa maneira, contudo, o corregedor esvaziou a possibilidade de o CNMP afastar Dallagnol, uma vez que a legislação não prevê o afastamento nos casos de processamento por violações menos graves.

Um pedido de vista (mais tempo de análise) do conselheiro Fabio Stica, porém, adiou, sem prazo definido, o fim do julgamento sobre a abertura ou não do PAD contra Dallagnol. Ainda assim, os conselheiros decidiram votar, de modo separado e unânime, contra o afastamento.

Defesa

Em sua defesa, Dallagnol alegou que suas manifestações nas redes sociais se deram em defesa da pauta apartidária do combate à corrupção, e que citou o nome de Calheiros dentro dos limites da civilidade, unicamente por ele ser investigado pelo Ministério Público Federal (MPF).

O procurador argumentou ainda que suas publicações estão protegidas pela liberdade de expressão. Ele disse ainda que não fez campanha a favor de nenhum candidato específico, e que mesmo se o tivesse feito, não seria capaz de influir no resultado da eleição para a presidência do Senado.

Nesta terça-feira (10), o advogado Francisco Rezek, ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) e que representa Dallagnol no CNMP, disse que as acusações não passam de “um delírio”. Para o defensor, houve “um ativismo politico, sem dúvida, mas isso não é atividade político-partidária”.

Procedimentos

Ao todo, Dallagnol é alvo de ao menos 10 procedimentos no CNMP, todos do tipo reclamação, um estágio preliminar, com a exceção de um caso, que já provocou a abertura de PAD, capaz de resultar em alguma sanção administrativa contra o procurador.

O PAD, que apura “manifestação pública indevida”, diz respeito a uma entrevista à rádio CBN em que Dallagnol criticou a atuação de ministros do Supremo Tribunal Federal, afirmando que eles passam à sociedade uma mensagem de leniência com a corrupção. O procedimento foi aberto a pedido do presidente do STF, ministro Dias Toffoli.

Mensagens

Dos 10 procedimentos, sete desses estão relacionados à divulgação, pelo site The Intercept Brasil, de diálogos por meio eletrônico, atribuídos a Dallagnol com outros membros da Lava Jato e com o então juiz federal Sergio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública.

Um desses casos ligados às mensagens já havia sido arquivado por Rochadel. O corregedor alegou não poder auferir a autenticidade das mensagens, que, ademais, não trariam nenhum teor de cunho irregular. No mês passado, entretanto, o plenário do CNMP decidiu desarquivar a reclamação disciplinar, aberta a pedido de quatro conselheiros.

Em diversas manifestações públicas, os citados na suposta troca de mensagens contestam a autenticidade dos diálogos. Ainda que fossem verdadeiras, as conversas não representariam nenhum desvio funcional, alegaram os envolvidos em várias oportunidades.

Agência Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Absurdo esse pedido. o cara consegue freiar os ímpetos de uma quadrilha poderosa que dilapidava o patrimônio dos brasileiros(olhe q não é milhões de reais roubados não, é trilhões de reais meu amigo, inclusive já recuperado alguns bilhões de reais) ainda tem que ficar respondendo alguma coisa. Só nesse país de tontos mesmo

  2. Renan Calheiros, o segundo homi mais honesto do mundo sendo importunado pelo MP.
    Que absurdo!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

CNMP tira de pauta processo contra Dallagnol apresentado por Renan Calheiros

Foto: (Heuler Andrey/AFP)

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), órgão responsável por fiscalizar a atuação das instâncias do MPF no país, não vai analisar na sessão plenária desta terça-feira, 13, uma ação que pode levar ao afastamento do procurador da República Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, de suas funções no Ministério Público Federal (MPF). O corregedor do CNMP, Orlando Rochadel, que é o relator de um pedido feito pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL) contra Dallagnol, retirou o tema da pauta.

Rochadel sustentou que o procurador deve ser notificado a se manifestar sobre um aditamento feito por Renan na reclamação disciplinar, movida pelo senador no CNMP em março e que levou à instauração de um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) em junho. Na semana passada, em novos requerimentos ao conselho, o emedebista pediu que Dallagnol seja afastado do cargo.

A reclamação protocolada por Renan Calheiros afirma que Deltan Dallagnol violou sua função ao fazer campanha contra o senador em meio às eleições de 2018 e à disputa pela presidência do Senado, entre janeiro e fevereiro de 2019 – Renan foi derrotado pelo senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) na eleição interna.

Na sessão desta terça-feira, o plenário do CNMP analisaria a decisão de Orlando Rochadel de instaurar o PAD contra Dallagnol, mas, após o novo pedido do senador alagoano, havia a expectativa de que o afastamento também pudesse ser apreciado pelo plenário do órgão.

O CNMP é composto por catorze conselheiros, entre os quais a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, representantes do Supremo Tribunal Federal (STF), do Superior Tribunal de Justiça (STJ), da Câmara dos Deputados, do Senado e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), além de ministérios públicos estaduais e do Distrito Federal.

Veja

Opinião dos leitores

  1. Esse Brasil é uma piada. Um senador do mais baixo nível moral, que é esse Renan Calheiros, entrando com uma ação contra o Procurador da Lava jato. É para virar piada e acho que dois motivos levou esse cara fazer isso: medo de ser preso pela falcatruas que tem a responder e a falta de caráter mesmo.

  2. Total inversão de valores. Pseudas mensagens obtidas de forma criminosa, cuja veracidade não se pode comprovar (várias foram comprovadamente adulteradas e tiradas do contexto), sendo utilizadas por investigados notórios (alguns já condenados) para tentar denegrir a imagem de autoridades públicas íntegras, que finalmente estão conseguindo punir bandidos poderosos. E ainda vemos uma porção de insanos torcendo pelos bandidos, pelo "lado negro da força". Como alguém não se envergonha de estar do mesmo lado do notório Renan Calheiros? É inacreditável a demència causada pelo fanatismo e/ou pela defesa de "boquinhas". Ah! Humanidade podre.

  3. Corrupção e falta de ética é a mesma coisa. Ambos precisam ter respeito com o povo. Não adianta combater corrupção sendo corrupto.

  4. Só reforça o meu pensamento. Veja o tamanho do peixe que dr Deltan tem que enfrentar, de maneira que esses caras tem que converssar mesmo, tem que tirar essas pestes do caminho dos brasileiros, urgente! Se precisar pisar fora da faixa dr, pise só não deixe um corrupto desses atrapalhar o Brasil, esse cangaceiro, responde uma porrada de processos, um cara desses não pode ser presidente, nem de um grêmio estudantil, o que dirá do Senado Federal.
    Arrocha dr Deltan. Bota pra torá nesses corruptos. Pode converssar, com gatos, cachorros e papagaio, não interessa, o povo brasileiro de bem, está com o senhor.

  5. É complexa a situação desse país, um político com a ficha de Renan Calheiros entrando com representação contra um Procurador da República que combate a corrupção, só no Brasil isso acontece.
    No popular: "É a personificação da inversão de valores morais que esse país vive".
    Quem mais se posiciona contra membros da justiça são aqueles beneficiados pelo foro privilegiado que tem vários processos parados no STF. Até quando veremos tais atrocidades morais ter voz e fez?????

    1. Realmente, DECEPCIONANTE isso. O Brasil não pode se calar e ficar omisso., o deltan lutou bravamente, com todas as suas forças e armas, tentando defender o país, das mãos dos maiores ladrões de dinheiro público que o mundo já viu, todos eles poderosissímos, com estruturas em todos os poderes da república, e como num jogo de xadrez, foi derrubando peças por peças, pra após várias batalhas intensas, dar um xeque mate. Entretanto ainda te um caminho muito longo pra aniquilar essa quadrilha poderosa. É que os CANALHAS bandidosvrenascem das cinzas, mas DEUS é maior e está no nosso lado. Viva Delagnol, o cavaleiro dos justos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Raquel Dodge pede ao STF para arquivar dois inquéritos sobre Renan Calheiros

Foto: GloboNews

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) o arquivamento de dois inquéritos nos quais o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) é investigado.

Segundo Raquel Dodge, nos dois casos, não foi possível encontrar provas para avançar nas investigações.

Um dos pedidos foi feito nesta terça-feira (8) e o outro, em fevereiro. Os casos são relatados pelos ministros Luiz Edson Fachin e Cármen Lúcia.

Renan Calheiros é alvo de 14 inquéritos e, se os relatores atenderem aos pedidos da PGR, o senador seguirá investigado em 12 casos. Desde o início da Lava Jato, outros cinco casos sobre Renan foram arquivados.

Relembre os casos

Movimentação financeira suspeita

O inquérito sob relatoria de Cármen Lúcia foi aberto para apurar movimentação financeira suspeita de R$ 5,7 milhões envolvendo saques de R$ 1,1 milhão.

O caso é um desdobramento da ação na qual o senador chegou a ser réu, mas foi absolvido, envolvendo supostas despesas com um filho fora do casamento pagas por uma empreiteira.

Raquel Dodge afirma que foram coletadas informações do Banco Central; a Polícia Federal ouviu depoimentos; e dados bancários e fiscais foram analisados.

Segundo ela, a justificativa do senador para a movimentação (negociação de gado) é “inverossímil”, mas não foi possível avançar na investigação. E afirmou que alguns fatos estão próximos da prescrição e manter a investigação afrontaria “os primados da eficiência e da efetividade do processo penal”.

Suposta propina

O outro caso, relacionado à Lava Jato, está sob relatoria do ministro Fachin e apura o suposto recebimento de propina por Renan, pelo senador Jader Barbalho e por Anibal Gomes, entre 2006 e 2007, em razão de um contrato de empresa argentina que pertence à Petrobras.

A apuração foi iniciada com base na delação de Fernando Baiano, que afirmou ter recebido US$ 300 mil para operacionalizar valores para os integrantes do PMDB.

No inquérito, conforme Dodge, foram realizadas diversas diligências, como coleta de depoimentos e levantamento de dados, mas o depoimento de Fernando Baiano não foi confirmado por outros delatores. Dois delatores, inclusive, descartaram pagamentos a Renan e Jader Barbalho no episódio.

Segundo Dodge, o avanço das investigações não aponta “com a segurança necessária, a participação dos políticos investigados”. Ela afirmou que se “esgotou a linha investigativa então existente, sem perspectiva concreta de novas diligências”.

G1

Opinião dos leitores

  1. Com mamãe Raquel a frente da PGR, só não escapar de arquivamento ou extinção de processos e/ou inquéritos políticos sem os ditos cujos.
    Assim, nem preciso mais de Gilmar Mendes para ajudar os seus camaradinhas políticos e empresários sem escrúpulos e usurpadores do erário público.
    Mãezinha, Raquel me ajude a sair do Serasa/SPC Nacional, peça a extinção por falta de provas que tenho contas em atraso e pendentes de pagamentos, pois só assim passo a ser tão inocente como Renan Canalha e Jader Alí Babá.
    Assim, como pede o velho "Dagó" me ajude!

  2. Melhor amigo na Praça que dinheiro no bolço, esse ditado é antigo mas tem um valor enorme. O pilantra do Renam escapulindo de mais um processo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros disfarça e afirma que não quer ser presidente do Senado

Foto: Geraldo Magela / Agência Senado

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) é visto como o mais candidato de todos à presidência do Senado, mas na contramão das aparências, ele tuitou na tarde desta segunda-feira (21) que não deseja voltar ao cargo, ao qual já presidiu por três oportunidades:

— Olha, não quero ser presidente do Senado. Os alagoanos me reelegeram para ser bom senador, não presidente. Já fui várias vezes, em momentos também difíceis – afirmou o alagoano.

Mas Renan não fechou as portas para sua candidatura ao afirmar que a decisão caberá à bancada.

Um desses nomes a que Renan se refere é o da senadora Simone Tebet (MDB-MS) que tem apoio não só de integrantes do partido. Um exemplo é o senador eleito Major Olímpio (PSL-SP) que em entrevistas já admitiu que o nome de Simone poderia ajudar num consenso e, ao mesmo, tempo garantiria o comando da casa com a maior bancada, no caso o MDB. O obstáculo, segundo Major Olímpio, seria mesmo o nome de Renan Calheiros.

Zero Hora

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros nega informação do Estadão de que aliados seus teriam mandado recado a Flávio Bolsonaro

Eis a nota do senador alagoano:

“Não é verdade a informação que o Estadão me atribui [de que poderia levar ao Conselho de Ética o caso do ex-motorista do filho do presidente eleito]. Não articulo julgar ninguém. O moço sequer tomou posse e parece vir para o Senado com muita vontade. Não é essa a prioridade da Casa e jamais foi esse o meu papel. Nunca pretendi ser juiz de ninguém, tampouco condenar ou conceder indulgência.”

O Conselho de Ética do Senado informou a O Antagonista que a comissão se destina a investigar apenas atos ocorridos durante o exercício do mandato dos parlamentares, o que não seria o caso.

O Antagonista

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros quer liderar oposição a Bolsonaro em eventual governo do capitão

Renan Calheiros espalha que tem 40 votos para se eleger presidente do Senado, diz Fernando Rodrigues.

“Renan avalia que o eventual governo de Jair Bolsonaro vai fazer água a partir do segundo semestre de 2019. O emedebista já quer se posicionar como oposição desde o início. Acha que terá todos os votos de senadores do PT e do PSDB.”

Jair Bolsonaro é um homem de sorte. Se seu principal opositor é Renan Calheiros.

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. BG
    Esse boçal das Alagoas que se cuide, Bolsonaro vai enquadrar ele direitinho e ele vai ter que responder pelos seus processos na justiça. É só pantim, a batida do bombo vai ser diferente e gangster não terão mais vez no Brasil. O lugar dele é junto com o sapo em Curitiba.

  2. Já nasce uma oposição sem a menor credibilidade, onde a corrupção e desonestidade fede nas entranhas.

  3. Este indivíduo é o chamado escremento da política nacional, escapou de não ser eleito infelizmente em razão de ter sido candidato em um estado aonde o povo de lá uma visão referente e também foi beneficiado pela campanha de seu filho.
    Sendo que agora não vai ter toda essa força para mandar e desmandar no senado.
    Ele tenha muito cuidado para ser preso juntamente com os seus pares e quadrilheiros do MDB.
    Vamos ver se ele realmente vai ser presidente do senado.
    Outra coisa, não vai apitar nada nas repartições federais com escritórios em Alagoas.

  4. Caso Bolsonaro seja eleito, esse pilantra das Alagoas vai perder todos os cargos que tem do governo federal em seu estado.
    Vai ser mais um senador e não vai mais ter a blindagem do governo federal para segurar seus processos. Se fizer besteira, vai pagar por elas, a mamata vai acabar senador golpista…

  5. Esse cangaceiro se elegeu com os votos dos alagoanos, mas os brasileiros está de olho nesse tipo de políticos, ele que não faça graça, depois o povo vá pra dentro do senado gritar fora cangaceiro e ele ache ruim. Se inventar de colocar a policia do senado tá feito a merda.

  6. Esse Elemento todo mundo conhece,ele quer todos os cargos comissionados do governo Federal em Alagoas,com o Capitão ele se Fo………

  7. Estratégia de Renan pra ver se barganha alguma coisa com Bolsonaro. Ele sempre foi assim.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *