Política

CPI vai pedir indiciamento de Bolsonaro por 11 crimes, diz Renan Calheiros

Foto: Divulgação / Agência Senado / Edilson Rodrigues

O relator de CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou nesta sexta-feira que pretender indicar ao menos 11 tipos penais para o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O parlamentar fez a listagem dos possíveis crimes cometidos pelo mandatário ao longo da pandemia em uma entrevista à rádio CBN.

Segundo Renan, os 11 tipos penais são: epidemia com resultado morte; infração de medidas sanitárias; emprego irregular de verba pública; incitação ao crime; falsificação de documento particular; charlatanismo; prevaricação; genocídio de indígenas; crimes contra a humanidade; crimes de responsabilidade; e homicídio por omissão.

“[Homicídio por omissão] Significa, em outras palavras, que o presidente da República descumpriu seu dever legal de evitar a morte de milhares de brasileiros durante a pandemia”, afirmou o relator.

Renan afirmou que o relatório final da comissão terá a descrição de cada crime a partir dos fatos caracterizados pelas condutas do presidente. Além de Bolsonaro, ao menos 40 outros personagens envolvidos no enfrentamento da pandemia também serão indiciados. Entre eles está o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e braço direito do general na pasta, Elcio Franco, que também é militar.

Segundo Renan, o relatório vai pedir o indiciamento de Pazuello pelos crimes de epidemia com resultado em morte; incitação ao crime; emprego irregular de verbas públicas; prevaricação, comunicação falsa de crimes; genocídio indígenas e crimes contra humanidade. Elcio Franco, por sua vez, pode ser indiciado por crime de epidemia, improbidade, prevaricação, entre outros.

Questionado se o pedido de indiciamento de Pazuello, general da ativa do Exército, não poderia gerar atritos com a corporação, Renan negou:

“O general Pazuello não foi investigado em nenhuma circunstância como militar, como general, como representante do Exército Brasileiro, que é uma instituição respeitada. Ele foi investigado como ministro da Saúde”, disse o relator, completando: “Em todos os momentos nós fizemos a separação das coisas. Uma coisa é o Ministério da Saúde, outra coisa é o Exército Brasileiro”.

Renan também respondeu se há a possibilidade do indiciamento de algum dos filhos de Bolsonaro. Segundo o senador, a comissão estuda o pedido para indiciar os filhos por fake news envolvendo a pandemia, entre outros crimes.

“A possibilidade de indiciamento deles é concreta. Há uma tendência muito forte de que isso tudo venha acontecer”, afirmou.

Segundo o senador, os pedidos de indiciamento serão enviados para a Procuradoria-Geral da República quando o autor do crime tiver a prerrogativa de foro especial. Nos demais casos, serão encaminhados para instâncias inferiores do Ministério Público Federal. Renan afirmou que haverá um prazo de 30 dias para que as investigações sejam levadas ao Judiciário, afim de aprofundá-las.

Portal iG

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan recua e decide poupar Daniel Silveira no relatório final da CPI

Foto: Hugo Barreto / Metrópoles

Relator da CPI da Covid-19, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) recuou e decidiu não pedir o indiciamento do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) no relatório final da comissão, que será apresentado em 19 de outubro.

O parlamentar bolsonarista, que está preso desde fevereiro de 2021, chegou a ser incluído, em algumas minutas do parecer final, como um dos nomes que seriam indiciados por divulgação de fake news na pandemia.

Segundo apurou a coluna, Renan acabou recuando da ideia por não ter conseguido provas suficientes para pedir o indiciamento de Silveira por fake news durante a pandemia.

Na avaliação de técnicos da CPI, as provas obtidas pela comissão estavam mais relacionadas ao envolvimento do deputado com os chamados atos antidemocráticos, pelo qual já é réu no Supremo Tribunal Federal (STF).

Embora Daniel tenha sido poupado, Renan deve manter os pedidos para indiciar outros deputados bolsonaristas, como Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, Carla Zambelli (PSL-SP) e Bia Kicis (PSL-DF).

Igor Gadelha – Metrópoles 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI: Renan inclui Allan dos Santos e 3 empresários na lista de investigados

Foto: Roque de Sá / Agência Senado

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL) declarou que mais quatro nomes foram adicionados ao rol de investigados do colegiado. De acordo com ele, os empresários Marcos Tolentino da Silva, Danilo Trento, Otávio Fakhoury, e o blogueiro Allan Lopes dos Santos integram a lista, que, segundo o senador, já conta com 36 nomes.

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, Fakhoury é suspeito de financiar o disparo de fake news durante a pandemia. Já o blogueiro Allan do Santos é investigado em dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) que apuram disseminação de notícias falsas.

Tolentino, outro empresário que já prestou depoimento à CPI, é suspeito de ser sócio oculto do Fib Bank, empresa que concedeu uma garantia financeira de R$ 80,7 milhões à Precisa Medicamentos no contrato da vacina indiana Covaxin. Trento é o empresário apontado como sócio oculto da Precisa, outra empresa investigada pela CPI

O relator declarou que ser incluído na lista de investigados não significa necessariamente que a pessoa será indicada, mas é “forte indício” para o processo. “Estar na relação como investigado é um bom indício para que essas pessoas sejam responsabilizadas”, disse Renan em entrevista coletiva antes do início dos trabalhos desta quarta-feira da comissão.

A CPI da Covid segue para sua reta final. O relatório final, segundo Renan, deve estar pronto no próximo dia 15, quando o documento será apresentado a outros senadores. A leitura e votação do relatório está prevista para acontecer entre os dias 19 e 20 de outubro.

IstoÉ

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Relator diz que CPI ‘com certeza’ vai pedir indiciamento de Bolsonaro

Foto: Pedro França / Agência Senado

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou, na manhã desta terça-feira (5), que, “com certeza”, haverá pedido de indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no relatório a ser lido no dia 19 de outubro.

“Não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório. Ele, com certeza, será, sim (incluindo no relatório), pelo que praticou”, disse o senador ao chegar para a reunião da CPI nesta manhã.

Renan também confirmou que o relatório deve ter mais de 30 pedidos de indiciamento, mas ainda não há uma quantificação. Ele detalhou que o documento será desmembrado e enviado a diversas instâncias, como a Procuradoria-Geral da República (PGR), o Tribunal de Contas da União (TCU) e ministério público de vários estados e do Distrito Federal.

“Vamos mandar para a PGR apenas o que couber à PGR e vamos destrinchar para enviar aos MPs e ao TCU os outros aspectos do próprio relatório. A Procuradoria vai avaliar, em 30 dias, prazo que estabelece a legislação das CPIs, as pessoas que têm foro especial e que devem ser examinadas pela PGR”, afirmou Calheiros.

O vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), reafirmou que o relatório terá consequências.

“Aprovado o relatório, nós vamos seguir adiante com uma agenda para que o relatório tenha consequências. Não adianta esse trabalho todo se o relatório não tiver consequências. Não adiantará e nós não iremos rugir como leão nos depoimentos e miar como um gatinho no relatório e nas consequências do relatório”, declarou Randolfe ao chegar para o depoimento desta terça.

A CPI ouve nesta terça o sócio da empresa de logística VTCLog, Raimundo Nonato Brasil, com o objetivo de obter mais informações em relação a contratos firmados pela empresa com o Ministério da Saúde, em especial um aditivo que envolve valores milionários. O depoente conseguiu junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para permanecer em silêncio sobre fatos que possam incriminá-lo.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO – (FECHOU O TEMPO): Renan Calheiros e Jorginho Melo se desentendem na CPI da Pandemia; de ‘ladrão’ a ‘vagabundo’

O relator Renan Calheiros (MDB-AL) se desentendeu com o senador Jorginho Mello (PL-SC) e a sessão na CPI precisou ser momentaneamente pausada.

Calheiros fez um comentário sobre a percepção de que o governo Bolsonaro seria “corrupto” devido às negativas de Danilo Trento em fornecer detalhes sobre os questionamentos feitos sobre a Precisa Medicamentos. Mello rebateu, e Calheiros pediu para que ele não o interrompesse.

Depois de Mello mandar Calheiros “aos quintos” e o senador rebater dizendo para Jorginho ir “[para os quintos] com o presidente e Luciano Hang”, ambos começaram a discutir.

Calheiros chamou Jorginho Mello de “vagabundo”, enquanto Mello rebateu acusando-o de ser “ladrão”. Senadores tiveram que intervir.

Na volta da sessão, Omar Aziz tentou fazer com que os dois se desculpassem, mas isso não ocorreu. Antes de repassar a palavra para Calheiros, o presidente da comissão pediu para que a briga fosse retirada dos registros oficiais.

“Eu peço que seja retirado dos registros tudo que Jorginho e Renan Falaram. A CPI não é de ninguém. É dos brasileiros. Não é a opinião de A ou B”, disse Aziz, e o depoimento foi retomado.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Renan é um dos maiores e piores CANALHAS e Vagabundo, LADRÃO DO BARSIL. SÓ PERDE PARA O LADRÃO MOR DE 9 DEDOS. ERA PARA ESTAR PRESO.

  2. Esse coronel das Alagoas renunciou na epoca para nao ser cassado.Pagava a amante e a filha com a amante com dinheiro publico.

  3. Vergonha mundial.
    Bando de vagabundos gastando dinheiro público com essa palhaçada de CPI.
    #CPIDaCanalhice

  4. Que desfavor esse Renan “Ladrao, Vagabundo e Picareta” Calheiros faz a nossa nação, que país triste esse em que vivemos, onde essa corja se da bem, e quem realmente trabalha de forma honesta só se prejudica, olhe a qualidade de parlamentares que nos representam, vergonha!!!

  5. Quem vai pagar essa conta dessa CPI que nao quer investigar nada, somente perseguir quem trabalha sério? Quem vai pagar as despesas milionárias para perseguir alguns? Quem?

  6. A cachorrada nessa CPI é grande, esses senadores se acusam uns aos outros, pois a grande maioria possuem processos no STJ ou STF por roubo e desvio de dinheiro público e propinas pagas por construtoras. Pense num cabaré grande. Esse Renan Calheiros é o campeão de processos e ainda pousa de honesto, verdadeiro crapula da política partidária.

  7. Renan, Aziz, Randolfe o bode de PE todos estão de olho no futuro. Sobra parcialidade nesta CPI. Nosso país é um anto de péssimos políticos.

  8. O grande Senador Jorginho me representa, já tinha passado da hora de Renanzinho levar umas kkkkkk melhor dia da CPI!!!!

  9. Abstinência do dinheiro público tá fazendo mau a Renan. Incrível como a população não percebe qual a principal direção dessa CPI. O povo merece, ainda tem gente querendo o maior ladrão de volta. Incrível…

  10. Esse é o retrato dessa digníssima CPI! Renan Calheiros cantando de galo. O povo não merece isso!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Renan Calheiros critica discurso de Bolsonaro na ONU, diz que ‘não foram mais do que 30 mil pessoas’ nas manifestações de 7 de setembro, e chama presidente de ‘golpista do cercadinho’

Foto: ADRIANO MACHADO / AM

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), disse que o presidente Jair Bolsonaro mentiu em seu discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Na sessão da CPI, Renan chamou Bolsonaro “golpista do cercadinho” e de “figura rudimentar, anacrônica e transitória”, e afirmou que o discurso mostrou a “República do cercadinho”. É uma referência ao grupo de apoiadores de Bolsonaro que costumam se juntar num cercadinho na entrada do Palácio da Alvorada, com quem presidente costuma conversar. Nesses encontros, Bolsonaro não se expõe a críticas e encontra uma plateia simpática a suas ideias.

O relator da CPI fez referência a outros episódios ocorridos em Nova York, onde fica a sede da ONU, como a impossibilidade de Bolsonaro frequentar restaurantes por não estar vacinado, e protestos contra o presidente.

Verificamos na prática que vergonha definitiva desconhece limites. Os vexames na ONU do presidente da República vão desde vaias, puxadinhos, proibição de acesso por falta de vacinação, advertências públicas do prefeito de Nova York, e a negação universal das vacinas diante do primeiro ministro do Reino Unido. O discurso lamentavelmente pífio na Assembleia mostra ao mundo a República do cercadinho, uma vergonha para todos os brasileiros, a exumação da insignificância — disse Renan.

O relator da CPI continuou:

— Único líder do G20 não vacinado, Bolsonaro repetiu seu papel de figura rudimentar, anacrônica e transitória, e propagador de mentiras. Seu discurso foi uma mentira só do começo ao fim. O Brasil perdeu a credibilidade internacional.

Depois, Renan citou alguns pontos específicos do discurso. Bolsonaro negou por exemplo casos de corrupção no governo.

— E a corrupção negada por ele na ONU foi comprovada em diversas oportunidades na CPI, como propinas [na negociação de vacinas] — disse Renan, acrescentando: — Diante de mais de 20 irregularidades reveladas pela CPI, o governo foi ao final coagido a rescindir o contrato.

Bolsonaro voltou defendeu o tratamento precoce, mesmo que os remédios usados não tenham eficácia comprada.

— Na contramão do mundo, da ciência, pregou para todo o mundo tratamento precoce, responsável por muitas mortes o Brasil — afirmou o relator da CPI.

Boslonaro disse ainda que milhões de brasileiros foram às manifestações de Sete de Setembro, de apoio ao governo.

— Bolsonaro também mentiu sobre a participação de milhões na manifestação de Sete de Setembro. Não foram mais do que 30 mil pessoas, e hoje sabemos a que custo. O golpista do cercadinho repetiu seu negacionismo e sua limitação cognitiva para todo mundo. A frieza nas reações após dez minutos de fake news sobre o Brasil foi eloquente sobre a sua irrelevância — concluiu Renan.

Extra – O Globo

Opinião dos leitores

  1. OLHA!!!
    VENDO ESSE CARA DA UM RINCHO DESSES, TENHO A SENSAÇÃO DE QUE ESTÁ DESESPERADO.
    Não tem outra explicação.
    Investigar um homem honesto, da nisso.
    DESESPERO TOTAL!!!
    fui!!

  2. Tudo dentro da normalidade.
    Esperar o que de um palhaço VA GA BUN DO desses ???
    Esse sujeito, não enxerga nada na frente da venta dele.
    Só enxerga DINHEIRO, PROPINAS.
    Tem 18 processos no STF.
    se não é a ajuda de outros desonestos, estava enjaulado.
    Fiquem atentos moçada na hora de votar, vanos derrotar esse conluio.
    A vante Brasil!!

  3. Renan é o maior cabo eleitoral de Bolsonaro!! Se ele te mandar voltar, pode ir em frente sem medo…kkkkkkkkkkkk

  4. Só existe uma palavra para caracterizar esse sujeito “SEBOSO”, só um legislativo corrupto e covarde como o nosso para manter um cafajeste desses num picadeiro de circo de meia lona.

  5. Uma CPI no senado federal que tem um bandido como relator, não tem a menor condições ter credibilidade, isso é um traidor da pátria sem vergonha, sem escrúpulo algum pra tecer opinião a quem quer que seja, a hora desse corrupto vai chegar em 2022.

    1. Falou o arauto das virtudes da imprensa, esquerda e coronalover’s. É como colocar a raposa para tomar conta do galinheiro.

    1. Enquanto o Brasileiro colocar no poder esses tipos de corruptos como Renan Canalha, o Brasil nunca sairá do buraco. O político é reflexo de uma sociedade de pouco estudo e conhecimento.

  6. Quero avisar a todos que partir de hoje eu mudei, acredito que Renan Calheiros é o cara mais honesto que o país já produziu,nunca pagou pensão com propina.

  7. O superstar dos petralho-chavistas. Esse tá doido pra botar as patas numa diretoria da PDVSA, digo, da Petrobras. Lula ganhando….

    1. Valério, se vc for quem penso, ta me matando de vergonha. Defendendo renam, e o fim da picada.

  8. Quem é Renan, quem é ele pra criticar, o capitão e Presidente da República, um excremento da pior espécie, um ser que responde a vários processos na justiça, esse Sr não tem moral nem para criticar Fernandinho beira-mar ou Macola.

  9. E nestes anos, pudemos aprender o que acontece com um país que elege um deputado de quinta categoria para presidente da República:

    Vergonha mundial e quebradeira geral.

    Obrigado mito!!

  10. Os canalhas, corruptos e ate acusados de pedofilia ganharam uma CPI para doutrinar os bichos da esquerda. Agora Renan e Azis são idolos, referência e moral dos coitados …..

  11. Discurso de Bolsonaro na ONU me lembra discursos de Saddam Hussein e Muamar Kaddafi e outros ditadores, que não eram levados a sério na cena internacional e usavam a tribuna da ONU com o propósito mesquinho de fazer propaganda da própria ditadura para o seu próprio gado

    1. “Uma mulher não pode ser submissa ao homem por causa de um prato de comida. Tem que ser submissa porque gosta dele” – Lula.

    2. O Hitler, mesmo errado, tinha aquilo que eu admiro num homem, o fogo de se propor a fazer alguma coisa e tentar fazer”.Lula.
      Pense em um elogio.

    3. A senhora não se recorda das escapadas do ex gigolo e presidente? Óbvio que não, não se lembra do GD?óbvio que não, da mesma forma que aquela voz dizendo eu minto, invento, faço o inferno, desse vc gostava, enfim, tem gosto para tudo, suvaco cabeludo, não tomar banho, mentira, roubo, pedradas em mulheres, etc. Vc pode até ter memória curta, o povo brasileiro não.

    4. Não esqueça que o UOL na época da eleição do seu guru ladrão de nove dedos, disse que Cadaff fez uma doação de 15. Milhões de dólares a campanha.
      A senhorita lembra disso???
      Arrume o que fazer mulher, o seu mau é abstinência a pixuleco.
      Brasil acima de tudo tá??
      Porque ainda não foi pra Venezuela??
      Pegue o bêco.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros adia entrega do relatório da CPI da Covid para outubro

Foto: ADRIANO MACHADO / REUTERS

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), adiou a entrega do relatório, que estava prevista para a próxima sexta-feira. A estimativa de sua equipe é que o parecer fique pronto na primeira semana de outubro, ainda sem data definida. A entrega será feita após uma cerimônia de encerramento da comissão.

O motivo do adiamento é aguardar o resultado da busca e apreensão na Precisa Medicamentos, realizada em São Paulo na última sexta-feira. Senadores querem saber se haverá fatos novos a partir do material apreendido, como a existência de um contrato entre a Precisa e o laboratório indiano Bharat Biotech, por exemplo.

Nesta semana, serão ouvidos na terça-feira, o ministro Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da União (CGU), na quarta feira, o diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Batista Junior, e na quinta, o diretor de relações institucionais da Precisa Medicamentos, Danilo Trento. A previsão é de que Renan entregue seu parecer na sexta-feira, 24.

Depois disso, há a previsão de ouvir pela terceira vez o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Sua convocação deve ser aprovada nesta semana também. A cúpula da CPI ainda não definiu se irá continuar realizando depoimentos após a entrega do relatório — o prazo final para o fim dos trabalhos da comissão é 5 de novembro.

Renan Calheiros adiantou ao GLOBO que indiciará o presidente Jair Bolsonaro por prevaricação, ao não levar aos órgãos de investigação a denúncia sobre irregularidades na negociação para a compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde. Com a incumbência de sistematizar a conclusão dos trabalhos, o senador já determinou outros pontos que constarão no documento, como práticas enquadradas em crime de responsabilidade.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Adia porque quer.
    Todo Brasil já sabe o resultado desse Circo.
    O objetivo aí não tem outro a não ser lascar o presidente.
    Mas ele já disse que está cagando pra essa CPI.

  2. Eita Brasil velho e bom para esses pilantras, um sujeito desses, que renunciou a presidencia do senado, para não ser arrancado de lá, pilantra contumaz, que recebia dinheiro de uma empresa para pagar a pensão de uma filha, boquirroto, safado, ladrão de colarinho branco, teu em várias ações no supremo, que por óbvio, tendem a prescrever, se mete a honesto e quer emparedar quem quer que seja, uma otoridade, uma vergonha, como disse repetidas vezes Boris Casoy.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bacalhau na brasa, picanha, tambaqui: banquetes no gabinete de Renan Calheiros custam até R$ 911

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) no plenário do Senado Federal.| Foto: Jonas Pereira/Agência Senado

Nos intervalos da CPI da Covid-19, o relator Renan Calheiros (MDB-AL) oferece almoços generosos no seu gabinete a assessores e jornalistas convidados, com a conta chegando a R$ 900. Bacalhau na brasa é o prato mais frequente. O valor médio fica em R$ 500 – duas vezes o “auxílio emergencial”, que alimenta uma família por um mês. Essa é apenas uma das extravagantes despesas dos senadores em tempos de pandemia. Tem jantar que custa mais de um salário mínimo, combustível para aviões e aluguel de carrões 4X4.

Um dia após a criação da CPI da Covid, em 14 de abril, Renan serviu duas porções de bacalhau na brasa no valor total de R$ 540, mais duas unidades de picanha dois pontos por R$ 332. Foi reembolsado pelo Senado em R$ 911. No dia 2 de julho, o cardápio tinha picanha e tambaqui com farofa, tudo por R$ 611.

Despesa com banquete no gabinete de Renan Calheiros chegou a R$ 911 no dia 14 de abril.

Mas já havia oferecido três almoços em fevereiro, um deles no valor de R$ 508, em reuniões para discutir a presidência, a relatoria e integrantes da comissão, segundo informação da assessoria do senador. Todas as refeições foram servidas pelo restaurante Francisco da Asbac. Bem antes, em outubro de 2020, ele havia gasto R$ 495 para comer bacalhau na brasa, para duas pessoas, e tambaqui com farofa.

Banquete para prefeitos

No dia 25 de agosto, a senadora Mailza Gomes (PP-AC) convidou cerca de 15 prefeitos do Acre que estavam em Brasília, mais o governador Gladson Cameli (PP), para um almoço no restaurante Bier Fass, no Lago Sul. As duas notas fiscais mostram pratos bem variados, como pizza calabresa, bolinho de bacalhau, pastéis, salsichão acebolado, frango à passarinho, peixe ao molho tártaro, peixe com risoto de frutos do mar, carne de sol e muitos Principal Week – o prato da casa. A festança custou R$ 1,28 mil ao contribuinte. O gabinete da senadora disse que a despesa “é legal, não há o que ser questionado”.

Banquete para prefeitos foi dividido em duas notas fiscais, a maior delas no valor de R$ 987

O suplente Giordano (MDB-SP) assumiu definitivamente o cargo de senador no final de março, com a morte do titular, Major Olímpio (PSL-SP), em consequência da Covid-19. Em quatro meses, gastou R$ 10,3 mil com refeições – média de R$ 206. As cinco maiores despesas tiveram valor médio de R$ 510. No dia 20 de julho, pagou R$ 974 por um banquete na Churrascaria Fogo de Chão, na Vila Guilherme, em São Paulo. Os cinco Espetos Adultos custaram R$ 850. Uma semana após, gastou mais R$ 347 na mesma churrascaria. Em 7 de maio, já havia torrado R$ 475 no mesmo local.

Giordano disse ao blog que os pedidos são feitos em respeito às normas legais, “estando restritos a compromissos de natureza política, funcional ou de representação parlamentar, nos moldes do regramento estabelecido pelo Senado, razão pela qual os ressarcimentos são deferidos pela casa”.

A senadora Kátia Abreu (PP-TO) pagou R$ 476 por uma refeição no Universal Diner, em Brasília, no dia 29 de abril. Foram servidos dois pratos de Salmão Quitinete a R$ 216 e dois Pratos da Boa Lembrança a R$ 198. O senador Elmano Ferrer (PP-PI) gastou R$ 395 no restaurante Nau Frutos do Mar em 7 de julho. A nota fiscal mostra o consumo de uma moqueca de camarão e peixe e dois pratos de camarão empanado. A sua assessoria disse que ele esteve em Brasília a serviço naquela data, quando foi instalada a Comissão Mista de Orçamento. Almoçou acompanhado de três assessores parlamentares.

Mas os gastos extravagantes não se resumem a restaurantes. A suplente Eliane Nogueira (PP-PI) assumiu a vaga do filho, Ciro Nogueira (PP-PI), que agora é ministro-chefe da Casa Civil. Nos 16 meses de pandemia, Ciro havia torrado R$ 464 mil com abastecimento de aeronaves. Desde 2011, essa despesa chegou a R$ 1,5 milhão. O fretamento de aeronaves custou mais R$ 1 milhão ao contribuinte. Pois Eliane seguiu os passos de filho, ainda que mais timidamente. Em 23 de agosto, gastou R$ 9,7 mil com combustível de aviação.

O senador Jayme Campos (DEM-MT) gastou mais com combustível para aviões. Foram R$ 34 mil em quatro abastecimentos, três em Várzea Grande e uma em Goiânia. Mas o campeão do combustível para aeronaves agora é Acir Gurgacz (PDT-RO). Ele costuma ir para o trabalho no seu jatinho, com o tanque abastecido pelo contribuinte. Neste ano, a despesa já bateu em R$ 91 mil. Abasteceu seus aviões em aeroportos de Porto Velho, Várzea Grande (MT), Cáceres (MT), Brasília e Ji-Paraná (RO), onde mora.

A verba para a “locomoção” dos senadores permite o aluguel de veículos – e mais uma vez a conta fica pesada para os pagadores de impostos. Telmário Mota (PROS-RR) alugou uma Triton L200 por R$ 18 mil mensais até junho desde ano, quando o contrato foi desfeito. A locadora não era uma empresa, mas a pessoa física Daura de Oliveira Paiva.

Telmário afirmou que, para reduzir custos, optou pelo aluguel de apenas um carro, modelo utilitário, que atende às demandas de locomoção para todas as regiões mais remotas do estado, como comunidades de difícil acesso. Sobre o preço, disse que foram feitas cotações com empresas privadas e pessoas físicas. Porém, as empresas não possuíam disponibilidade do modelo pelo período necessário. Acrescentou que todas as suas contratações e despesas estão “dentro da legalidade”.

Lucas Barreto (PSD-AP) também aluga uma Triton, mas o custo fica em R$ 8 mil por mês. Os mesmos R$ 8 mil são pagos pelo senador Luis Carlos Heinze (PP-RS) no aluguel de uma Toyota Hilux. Renan Calheiros também alugou uma Hilux, mas por apenas um mês, em julho, ao custo de R$ 10 mil. Marcos Rogério (DEM-RO), integrante mais ativo da “tropa de choque” do governo da CPI, alugou uma Hilux por três meses pelo valor de R$ 7,8 mil ao mês. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), paga R$ 7 mil pelo aluguel de uma Hilux.

Mecias de Jesus (Republicanos-RR) utilizou toda a sua verba para “locomoção” – R$ 88 mil – na contratação de uma Hilux, com contrato de 21 dias por mês, no valor mensal de R$ 12,6 mil, bem acima da média paga pelos demais senadores. Marcelo Castro (MDB-PI) preferiu alugar uma Amarok por R$ 7 mil. Jarbas Vasconcelos (MDB-PE) aluga uma Jeep Compass por R$ 7,2 mil.

Deputados bons de garfo

Os deputados gastam menos do que os senadores em cada refeição porque não podem pagar a conta de convidados ou mesmo assessores. Mas também pagam, com o dinheiro do contribuinte, contas próximas ao valor médio do “auxílio emergencial”. Bibo Nunes (PSL-RS) fez a maior gastança neste ano – R$ 11,2 mil. No dia 15 de agosto, a conta no Picanha no Disco chegou a R$ 202. A picanha bovina inteira saiu por R$ 147.

Marcos Soares (DEM-RJ) torrou R$ 236 no Angus Rio’s Restaurante em 20 de julho. Só o rodízio adulto custou R$ 188. Suas despesas com alimentação em 2021 já somam R$ 10,8 mil. Cláudio Cajado (PP-BA) comeu bacalhau na brasa no Dom Francisco por R$ 147, numa conta de R$ 243, em 8 de fevereiro. No dia 22 daquele mês, comeu um bife de chorizo família no Ganache por R$ 197 – bem mais do que o valor mínimo do “auxílio emergencial”. A conta fechou em R$ 228. Seus gastos neste ano chegam a R$ 8,2 mil.

O bife de chorizo família degustado por Cajado custou quase R$ 200

João Carlos Bacelar comeu um bacalhau no forno à portuguesa no HB Comércio de Alimentos por R$ 159, em 20 de janeiro. A conta fechou em R$ 209. Luiz Antônio Corrêa (PL-RJ) pagou R$ 218 por uma refeição na Chicago Prime Parrilla, em Brasília, em 6 de julho. A picanha black angus saiu por R$ 169.

O blog solicitou esclarecimentos aos senadores e deputados citados na reportagem. Nem todos responderam.

Blog do Lúcio Vaz – Gazeta do Povo

 

Opinião dos leitores

  1. Para uma compreensão aprofundada do quanto estamos atrasados em relação ao mundo com respeito ao gasto público, sugiro a leitura do livro “SUÉCIA: UM PAÍS SEM EXCELÊNCIAS E MORDOMIAS”, da jornalista Claudia Wallin.

  2. Continuem assim, quanto mais gastos, mais o povo vota. E os que reclamam, se tivesses lá fariam igual ou pior. Os brasileiros merecem.

  3. Leite condensado, lagosta, vinhos, aumento de salário pra 80 mil reais, fora a Rachadinha do papi não tem?

  4. Vagabundos políticos fazendo farra com o dinheiro do contribuinte, enquanto muitos não tem nem um ovo com farinha para comer. Esses crápulas tem que serem banidos da política.

  5. Para quem tem Roberto Jefferson, Queiroz, Cel Ulstra, Silas Malafaia, Edir Macedo, Fernando Collor…
    Não é fácil ter que se aconselhar e pedir pinico a Michel Temer.
    O Guru do clã, Olavo de cavalo, está nervoso com a onda de bolsonaristas que abandonam o barco após Bolsonaro recuar no golpe de estado e ainda contar com Michel Temer para redigir uma carta de desculpas ao STF

  6. Tem um político acolá, conhecido por todos, por aqui que vendeu um apto pra pagar uma fatura do cartão de crédito… digaí!

  7. A transparência deveria ser para TODOS. Há políticos que o tratamento dentário é equivalente a um carro popular novo, a campanha política antecipada do atual presidente p se reeleger com cada motociata está em torno de 500 mil (cada evento), o gasto de gasolina pelos parlamentares é absurdo, qdo grande parte das sessões é remota, sem falar nas outras despesas, pagas pelo trabalhador brasileiro. A divulgação das despesas deveria ser todo mês e abrangente e não seletiva.

  8. Renan, o mais novo arauto da honestidade da esquerdalha. O artigo, no entanto, contém várias bobagens. Por exemplo, um almoço custando R$ 202,00 à base de picanha vacina, num bom restaurante, pode ser considerado barato. E não vamos ser hipócritas a ponto de imaginar que deputados e senadores comem mal. Mas o caso do vagabundo Renan é um evidente excesso. Partindo dele, espera-se sempre o pior.

  9. É um absurdo o que esses parlamentares gastam com verbas de gabinete e de combustível. A informação do BLOG é muito importante e poderia , por oportuno, mostrar como são os gastos dos parlamentares da base de apoio do governo, em especial, o gasto de combustível agora em setembro… Afinal, não temos só parlamentares ladrões e esbanjadores de dinheiro público à esquerda e ao centro, temos na direita também né!?

    1. Tenho verdadeira antipatia e ojeriza a Fernando Collor, mais é quem vai dar na jugular desse marginal Renan Calheiros, esse indivíduo é uma das mais nefastas da política nacional.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Coluna no Estadão destaca “Ataque à liberdade de imprensa” de Renan Calheiros “sob a indiferença quase completa dos órgãos de comunicação”

FOTO: JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO

Processa-se praticamente em segredo, e sob a indiferença quase completa dos órgãos de comunicação, a pior agressão à liberdade de imprensa feita no Brasil por uma entidade oficial desde o fim da censura no governo militar. O autor do ataque é o senador Renan Calheiros, político com nove processos penais nas costas e hoje o herói da mídia nacional, desde que armou a “CPI da Covid” com o duplo propósito de fazer guerra ao governo Bolsonaro e, juntando o agradável ao útil, ocultar os verdadeiros crimes de corrupção cometidos durante o combate à epidemia.

O senador, como se noticiou, fez um requerimento para quebrar o sigilo bancário da Rádio Jovem Pan, desde o ano de 2018, sob a alegação de que a emissora publica “fake news” e, supostamente, se beneficia financeiramente disso – daí, pelo que deu para entender, o pedido de quebra do sigilo. Na verdade, trata-se de um ataque direto, grosseiro e mal-intencionado a um veículo de imprensa que não fez absolutamente nada contra a lei; seu único crime é recusar-se a aceitar a situação de submissão que a CPI de Renan e de seus associados exige hoje da imprensa e dos jornalistas brasileiros.

De que forma a Jovem Pan poderia ter publicado notícias falsas sobre a covid em 2018, quando não havia covid nenhuma em 2018? Mais ainda: quais são exatamente, uma por uma, essas notícias? E que raios as contas bancárias da rádio teriam a ver com “fake news”? A verdade é que nada disso tem qualquer contato, mesmo remoto, com a realidade dos fatos. É vingança pura e simples de um político descontente com o noticiário publicado pela rádio sobre a CPI – uma voz quase isolada no oceano de obediência a Renan que a mídia brasileira adotou como regra de conduta desde a subida do senador ao papel de líder da esquerda e da oposição brasileiras. Renan e seu grupo são hoje os principais editores do noticiário político deste país.

Imagine-se, por um minuto, o escândalo desesperado que estaria havendo no Brasil e no mundo se o presidente Bolsonaro pedisse, por exemplo, a quebra do sigilo bancário da Rede Globo, ou qualquer outro dos seus inimigos na mídia. Desde que está no Palácio do Planalto, e até agora, o presidente não quis quebrar o sigilo bancário de ninguém, e muito menos de um órgão de imprensa. Mas Bolsonaro é acusado por uma entidade de monitoramento de liberdades, em denúncia publicada recentemente com o completo aval da mídia brasileira, de ter cometido “464” atos de agressão à imprensa e aos jornalistas desde que tomou posse. Quais? Nenhum que se compare ao ataque do senador contra a Radio Jovem Pan, com certeza? Não há o menor risco de que essa pergunta seja respondida um dia.

Coluna J.R. Guzzo (Estadão)

https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,ataque-a-liberdade-de-imprensa,70003800235

Opinião dos leitores

  1. Como de costume kkkkk sempre pisando na bola, com uma oposição repleta de incompetentes, marginais e vesgos fica cada dia mais difícil marcar gol, só apelando para os árbitros, nem a união de toda bandalha podre no congresso para fazer o time entrar pelo menos em campo. A esquerda pira e morre afogada no vomito que ela mesmo produz.

  2. Esses canalhas, não gostam do Brasil.
    Deveriam irem pra cuba ou Venezuela.
    A bandeira desses troços, nem verde amarela é.
    Vagabundos!
    Safados!

  3. Vixe! pegou, afinal um alguém lúcido e com voz forte contra essa palhaçada do bunda mole, do fala fina e do marginal, deviam por o rabo entre as pernas, se juntar aos doentes da esquerda e pedir transferência para Cuba ou Venezuela, uma carraspana dessas qualquer menino chora. É inclusive bom para se ver o nível dos nossos senadores, inclusive Renan, que já foi presidente do senado de onde saiu retirado por seus pares, o bunda mole e o fala fina, querendo voltar ao cenário local, afinal unir PSOL e MDB é um cruzamento meio estranho, dá ao povo responsável, a sensação da sujeira do submundo político, onde o PT foi se enfiar.

    1. Deixa de choro gado véi. Bozo vive atacando a imprensa livre, financiando sites e blogs mentirosos, agredindo jornalistas (só as mulheres), e vocês não dão nem um mugido.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: “Eu posso produzir a prova”, diz Renan Calheiros em CPI

O senador Renan Calheiros soltou uma frase durante mais uma discussão acalorada na CPI da pandemia nesta quarta-feira(14), que vem repercutindo nas redes sociais.

“Eu sou o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito(CPI). Eu posso produzir a prova”, disse o relator.

Alvos de acusações e ataques da CPI, personagens como o senador Flávio Bolsonaro e o jornalista Allan dos Santos repercutiram a fala controversa.

Confira abaixo:

Opinião dos leitores

  1. Com certeza existem políticos sérios e bem intencionados no congresso Nacional, porém, o nível de confiança e seriedade dos mesmos é lamentavel, encontrar um é como procurar agulha no palheiro, e existem algumas situações que beiram ao ridiculo. Quando Dilma foi cassada, o vetor, o culpado, o partido marginal era o PMDB, o usurpador, os crápulas da politica, uma eleição depois e lá estão eles macomunados, unha e carne, isso tem nome, sujeira pura e o PT está lá abraçado com o mais radical PSOL, querendo destituir um presidente por ele ser boquirroto, aí tem treta e fede.

  2. Renan vagabundo. Todos sabem que eles tentam a todo momento produzir provas para prejudicar o presidente. CPI lixo.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel) repudia requerimento de Renan Calheiros sobre quebra de sigilo da Jovem Pan na CPI da Covid

Foto: Reprodução

A Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), que representa os veículos de comunicação com sede no Brasil, repudiou o pedido de quebra de sigilo bancário da Rádio Jovem Pan feito pelo senador Renan Calheiros na CPI da Covid-19. Em nota, a associação afirmou que analisou o documento e não encontrou informações que respaldassem a medida e afirmou que a imprensa não é foco dos trabalhos da CPI.

“A Abratel, ao analisar o referido documento, não identificou nenhuma informação que respaldasse ou legitimasse tal medida. A imprensa, que é um serviço essencial para o país, não é o foco dos trabalhos desenvolvidos pela CPI”, diz o comunicado emitido pela Abratel. Além disso, a Associação disse acreditar que o requerimento será rejeitado ou retirado e que, caso isso não ocorra, será aberto um precedente “gravíssimo”. “Acreditamos que o requerimento será retirado ou rejeitado, caso isso não ocorra, estaremos diante de um precedente gravíssimo, desnecessário e equivocado, ferindo as liberdades de impressa e expressão”, diz a nota.

Jovem Pan

Opinião dos leitores

  1. Esses palhaços estão tudo doidos, atiram pra tudo que é lado, e não acham nada.
    Kkkkkkkk.
    Lascou se Renan.
    Kkkkkķkkk
    Voto limpo já!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros reage as falas de Bolsonaro e diz que comissão da CPI não teme ‘quarteladas’

Foto: Pedro França / Pedro França/Agência Senado

O relator da CPI, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou nesta sexta-feira que a comissão vai continuar o trabalho de investigação, sem medo de “quarteladas”. Na quarta-feira, o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM) comentou o envolvimento de militares em irregularidades nos fatos investigados. O Ministério da Defesa reagiu dizendo que “as Forças Armadas não aceitarão qualquer ataque leviano às instituições que defendem a democracia e a liberdade do povo brasileiro”. Na noite de quarta, Omar se manifestou novamente dizendo que não seria intimidado.

— Vamos em frente, sem medo e investigando quem precisar ser investigado. Nós não podemos ter medo de arreganhos, de ameaças, de intimidações, de quarteladas. Vamos investigar haja o que houver. Estamos aqui apenas cumprindo um mandamento do povo brasileiro que quer saber o que aconteceu e poderia ser feito para evitar uma quantidade muito grande, mais de 300 mil vidas poderiam ter sido salvas se o governo tivesse feito sua parte — afirmou Renan, acrescentando:

— Não vamos investigar instituições militares. Longe de nós. Temos responsabilidade institucional. Agora nós vamos sim investigar o que ocorreu nos porões do Ministério da Saúde. E na medida em que esses fatos forem sendo conhecidos, que as provas forem apresentadas, vamos cobrar punição dos seus responsáveis, sejam eles civis ou militares. Não importa. O que importa é que o povo brasileiro terá uma resposta.

Renan também citou a resposta a carta enviada por ele, por Omar e pelo vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), ao presidente Jair Bolsonaro para ele dizer se o deputado Luís Miranda (DEM-DF) é mentiroso. Durante a live desta quinta-feira, Bolsonaro respondeu ao oficio dizendo “caguei para CPI”:

— Ontem nós mandamos uma carta para o presidente da República, e o país ficou estupefato com a maneira como ele respondeu esta comissão parlamentar de inquérito. A escatologia proverbial do presidente da República recende ao que ocorreu no seu governo na pandemia. Todos sentimos esses odores irrespiráveis que empestearam o Brasil e mataram tantos inocentes — afirmou o relator da CPI.

Miranda relatou à CPI que, em encontro com Bolsonaro, denunciou pressão sobre seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luís Ricardo, para liberar a vacina Covaxin. Na ocasião, ele disse que o presidente mencionou o nome do líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), que foi ministro da Saúde quando a pasta fechou contrato com a empresa Global, que recebeu pagamento antecipado mas nunca entregou os medicamentos comprados. A Global é sócia da empresa Precisa, representante no Brasil do laboratório indiano Bharat Biotech, desenvolvedor da Covaxin.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Uma CPI comandada por notórios corruptos não pode ser levada a sério por pessoas sérias. Só narrativas mentirosos, desrespeito aos depoentes e “tiros nos pés” dos vagabundos.

    1. Bozo não desmentiu os irmãos Miranda…ou seja, a única narrativa mentirosa aqui é a sua.

    2. Se liga vovó… teu miliciano é passado!
      Ninguém dá mais ouvidos a esse rachadeiro, só gado como você.

    3. CPI contra meu presidente eleito por urnas fraudulentas e com aspirações ditatoriais (tal qual Maduro, Chavez e PT) não vale.
      Bolsonaro cada vez se aproximando mais do que o PT iria fazer.

    4. A militância digital remunerada está mais ouriçada hoje. Receberam dinheiro?

    5. Chora mais, desocupado. Blindagem só é ruim quando é vermelha né?

    6. Renan, 18 processos no STF.
      Dormindo em berço esplêndido.
      Porque não desengavetam??
      Cala te a boca palhaço.
      Aquem vcs querem enganar??
      Vagabundos!!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Convocação de ex-cunhada de Bolsonaro sugerida por Renan Calheiros não é consenso entre senadores da CPI da Covid por falta de conexão

Foto: Ueslei Marcelino

A ideia do senador Renan Calheiros (MDB-AL) de convocar a ex-cunhada de Bolsonaro para depor na CPI da Covid está longe de ser consenso entre seus pares. Parlamentares que integram o G7, grupo majoritário da comissão, relataram à coluna que não veem conexão entre a investigação feita pela CPI e o áudio da ex-cunhada de Bolsonaro indicando seu envolvimento no esquema da “rachadinha”.

O site “UOL” revelou uma gravação em que fisiculturista Andrea Siqueira Valle disse que o presidente demitiu seu irmão, André Siqueira Valle, porque ele se recusou a entregar a maior parte de seu salário a Bolsonaro, que na época era deputado federal. Andrea e André são irmãos de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher de Bolsonaro e mãe de seu filho caçula, Jair Renan.

Renan Calheiros disse ao “G1” que vai apresentar, nesta segunda-feira, um requerimento para aprovar a convocação da ex-cunhada do presidente. Segundo ele, o objetivo é saber se “houve espelhamento do caso das rachadinhas na gestão da pandemia por parte do governo federal”.

A avaliação de três senadores ouvidos pela coluna é de que esse pedido enfraqueceria a CPI da Covid, já que o depoimento da fisiculturista não ajudaria a elucidar casos de corrupção envolvendo a vacina, principal foco das investigações. Para eles, a gravação deve ser foco de apuração de outra Comissão Parlamentar de Inquérito.

Bela Megale – O Globo

Opinião dos leitores

  1. A denúncia de uma ex-cunhada (é piada?) não é prova de nada, é claro. Mesmo que fosse verdade, trata-se de algo ocorrido muito antes do mandato presidencial e, portanto, não pode embasar pedido de impeachment. Essa tal “rachadinha”, uma prática corriqueira em gabinetes legislativos, não é tipificada como crime no Código Penal e chega a ser OFICIALIZADA pelo PT, que prevê, no seu Estatuto, a cobrança de “dízimo” mensal de seus membros ocupantes de cargos públicos. Estamos diante de mais uma narrativa dessa oposição incansável, irresponsável e nojenta, que fala muito em democracia, mas nunca aceitou a vontade do povo brasileiro, expressa nas urnas em 2018. Deixem o presidente governar, parem de inventar mentiras e tentem ganhar no voto.

    1. Vc nasceu BURRO ou fez um curso na UNIGADO?
      Bozo cometeu PECULATO(roubo de dinheiro público) a vida inteira e ensinou isso aos filhos…

  2. Esse é um caso para a Polícia Federal…
    A cunhada do mentiroso da casa de vidro toca piano bem ligueirinho…
    Será que o Bozo corrupto iria interferir no depoimento? kkkkkkkkk

  3. Esse Renan é um calhorda, o problema dele não é apurar fatos referentes a Covid 19 e sim a família Bolsonaro, verdadeiro palhaço no picadeiro.

  4. Crie vergonha bolsonaro, envolvido com rachadinhas de mil e dois mil reais, olha o exemplo de luladrao, só entrava em uma falcatrua se fosse pra render alguns bilhões, do contrário, mandava seus capangas lá resolver. Vai ter que roubar muito ainda pra chegar perto do maior ladrão do mundo, LULADRAO, segundo o Google.

  5. Ouvindo os programas de rádio e a desculpa de bolsonarista:
    “Mas isso todo mundo faz. É só pra desgastar o presidente.” E a honestidade? Perderam a vergonha de vez, se é que algum dia tiveram. Não sei quem é pior, se o bolsonaro ou os bolsonaristas. Todos sairam do esgoto da falsa moral e da estupidez, mas pra lá voltarão. Sangue de Jesus tem poder!

  6. CPI do Lula, que já não tinha credibilidade em função da maioria dos seus membros, está perdida em suas narrativas mentirosas e na sua explícita motivação política. Os depoimentos colhidos até agora foram vergonhosos tanto pela forma como foram conduzidos, como pelo resultado. Já mudaram de foco várias vezes e sempre “atirando no próprio pé”. Só os já “convertidos”, os “sem jeito”, que ainda insistem nessa palhaçada.

    1. Então, concordamos que o PT é uma ORCRIM e que o corrupto de 9 dedos NUNCA deveria ter saído da cadeia. Crime precisa de PROVAS, “cumpanhero”, e narrativas mentirosos não provam nada. Mas sentenças judiciais são fatos.

    2. Já vi muita gentevestupidace sem vergonha mas igual ao Direitonesta é difícil de encontrar.

  7. É muita apelação!! O circo agora passou dos limites. Se já estava claro o objetivo, agora, piorou ainda mais.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“O Brasil está vendo que os machões da internet ficam caladinhos na CPI”, diz Renan Calheiros

Foto: Reprodução

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), provocou na sessão desta quarta-feira (30) o depoente Carlos Wizard, empresário. Diante da opção de Wizard de não responder perguntas de senadores na comissão, Renan disse que “machões da internet” ficam calados na CPI.

“O Brasil está vendo que os machões da internet ficam caladinhos na CPI”, afirmou o relator.

Wizard foi chamado a depor na CPI para esclarecer as suspeitas de que faz parte de um gabinete paralelo. Segundo a cúpula da comissão, esse grupo, que funcionava paralelamente ao Ministério da Saúde, aconselhou o presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia com ideias ineficazes e contrárias à ciência.

O empresário deveria ter comparecido à CPI inicialmente no dia 17 de junho. No, entanto, ele não foi à comissão, alegando que estava nos Estados Unidos, acompanhando o tratamento de saúde de uma familiar.

Wizard negou ter conhecimento de ‘gabinete paralelo’

No começo da sessão desta quarta, ele fez uma fala de 15 minutos, na qual disse que nunca participou e não tem conhecimento do gabinete paralelo.

Em seguida, ele disse que ficaria em silêncio e não responderia a nenhuma pergunta dos senadores, se valendo de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Mesmo assim, Renan fez questionamentos a Wizard. O empresário retrucava, seguidas vezes, apenas que se reservava ao direito de ficar em silêncio.

Ele fez o mesmo diante de perguntas de senadores que o questionaram depois de Renan.

‘Não vai vender livro aqui’

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), em determinado momento, quis saber de Wizard qual é a religião dele. O empresário chegou ao Senado carregando uma placa com um versículo da Bíblia. Ele também citou mensagens religiosas em sua fala inicial.

Mas, diante da pergunta da senadora sobre a religião, Wizard disse que permaneceria em silêncio. Ela insistiu. O empresário então levantou um livro sobre seu trabalho com imigrantes venezuelanos em Roraima:

“Eu gostaria de sugerir a todos que têm interesse em conhecer um pouco mais da obra humanitária que realizei em Roraima…”, afirmou Wizard, segurando o livro.

Ele foi interrompido pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM):

“Não vai vender livro aqui, não”, disse Omar.

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) também se manifestou contrariamente à atitude do empresário.

“Se o depoente não se dispõe a falar, ele não tem direito a fazer proselitismo, auto-propaganda, auto-promoção, porque isso é um escarnio e um desrespeito a esta comissão”, disse Carvalho.

G1

Opinião dos leitores

  1. Que vergonha essa CPI, estão se aproveitando da investida de poder prender, acessar contas bancárias e telefônicas de pessoas de bem, isso seria compreensível se a CPI fosse dirigida e relatada por senadores honrados e respeitados.

  2. Realmente, em tempos de pandemia, os circos fechados, ou com poucas pessoas, essa cpi diverte um pouco, a diferença, e que no circo, os palhaços não roubam, e ali são a cpi e os sete ladrões

  3. E o Brasil todo sabendo que os ladrões de colarinho Branco igual a vc Rena calhorda, roubam, faz corrupção, pratica extorsão, se protegendo da imunidade parlamentar. Seu corruPTo safado.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Em CPI, Renan Calheiros diz que Onyx intimidou irmãos Miranda e pode pedir sua prisão

Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL) afirmou que o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, intimidou o deputado federal Luis Miranda e seu irmão durante pronunciamento feito nesta quarta-feira (23) e que pode pedir a sua prisão. A informação foi antecipada pela analista de política da CNN Basília Rodrigues.

Um pedido de convocação de Onyx foi apresentado no início da sessão desta quinta-feira (24). Segundo o relator, o pronunciamento foi marcado por intimidação aos irmãos Miranda, que denunciaram as possíveis irregularidades na compra da Covaxin ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O requerimento pela convocação de Onyx foi apresentado pelo senador Humberto Costa (PT-PE) no início da sessão, que foi apoiado por Renan. Ele chamou de “bravata” o pronunciamento de Onyx sobre as acusações de irregularidades na compra da vacina Covaxin.

“Ele [Onyx] comete um crime porque é um caso clássico de coação de testemunha e de dificuldade de avanço da investigação (…) Se esse senhor continuar a reincidir, não temos outra coisa senão requisitar a prisão dele”, disse Renan.

Antes de abrir os trabalhos, o grupo opositor ao governo se reuniu na sala do presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM).

Em entrevista exclusiva à CNN nesta quarta-feira (23), Luis Miranda afirmou que Bolsonaro sabia que havia indícios de crime na compra dos imunizantes Covaxin. A CNN teve acesso a uma troca de mensagens entre o deputado e o secretário-adjunto do Palácio do Planalto – na conversa, Luis Miranda pede que o presidente seja avisado sobre o ocorrido.

No pronunciamento após as revelações de Luis Miranda, Onyx afirmou que o governo vai instaurar um procedimento administrativo disciplinar contra o irmão do deputado Luis Miranda, e propor à Procuradoria-Geral da República (PGR) que o parlamentar e o familiar sejam investigados por supostamente adulterar documentos.

Nesta quinta-feira (24), a CPI da Pandemia ouve os o epidemiologista e pesquisador da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Pedro Hallal, e Jurema Werneck, diretora-executiva da Anistia Internacional Brasil e representante do Movimento Alerta.

Antes do início das falas, Renan pediu que a CPI garanta a segurança do empresário Francisco Maximiano, da Precisa Medicamentos, para não incorrer em prevaricação.

“A Precisa será alvo a partir de agora. É uma testemunha muito importante e precisamos garantir a segurança de vida dele. A empresa teria levado dinheiro público, mas precisamos garantir a segurança de vida dele”, disse.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Deixa eu entender, como pode um bandido pedir a prisão de Alguém isso está tornando-se Mais nojento e ridículo do que se pode suportar, quem era para estar preso a tempos era esse facista desse Renan Calheiros, chega de absurdos e de intolerância. CPI da Palhaçada e da falta de vergonha 🤮🤮🤮🤮🤮🤮.

  2. Esse corrupto de marca maior, que deveria estar preso e banido da polícia se o Brasil tivesse uma justiça séria, quer ser o paladino da moral?
    Isso é uma vergonha!!!

  3. Por essa e muito mais dessa cpi junto com o stf, é que estou vendo a hora esse governo jogar pesado e dá um golpe. Aí a peia ia comer com vontade nessa ruma de cabras safados. Se cuidem.

  4. A turminha de Bolsonaro gosta de intimidar mesmo. É só ver os que querem censurar meus comentários. Será que se eu começasse a falar bem de Bolsonaro eu viraria amiguinho ? O que vc acha, BG ?

  5. Aproveita e pede a sua própria prisão. V é um dos maiores Ladrões do Brasil.
    CABRA DE PEIA . Tu não tem moral para pedir a prisão de ninguém. Vai te deitar .

  6. Eita Brasil, o cara acusa o governo de corrupção e o governo não pode se defender que vira intimidação. RENAN VAGABUNDO!!!

  7. Um país aonde um oligarca da envergadura de Renan Calheiros pede a prisão de alguém,mostra bem o nível do país aonde vivemos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros diz que número de investigados em CPI pode chegar a dez

FOTO: FREDERICO BRASIL/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou nesta segunda-feira (14) que pode chegar a dez o número de pessoas que deixarão de ser consideradas testemunhas para se tornar investigadas pela comissão.

Renan deu a declaração após ter se reunido com o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), e o vice-presidente, Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Outros senadores também participaram do encontro.

Durante a entrevista após a reunião, Renan confirmou quatro nomes:

Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde;

Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores;

Fabio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação do governo;

Mayra Pinheiro, secretária do Ministério da Saúde.

Nesta segunda, Renan já havia dito que estavam entre os “nomes fortes” para serem investigados os de Pazuello, Ernesto Araújo e Fabio Wajngarten.

Conforme o relator, tornar uma pessoa investigada pela CPI permite aprofundar a apuração, uma vez que facilita, por exemplo, a requisição de documentos e a realização de buscas e apreensões.

Em um primeiro momento da entrevista na noite desta segunda, o relator foi indagado sobre os nomes das pessoas a serem investigadas, mas não disse. Afirmou que, “preferencialmente”, serão pessoas já ouvidas pela comissão. Depois, novamente questionado, confirmou os quatro nomes.

De acordo com o relator, a mudança de condição de testemunha para investigado não precisa de votação pelos integrantes da CPI.

“Eu vou comunicar ao presidente da CPI que estamos fazendo essa classificação, a partir desse comunicado. E qualquer procedimento, a posteriori, a pessoa será tratada nessa condição”, disse.

‘Avançar alguns passos’

Para o relator, transformar uma testemunha em pessoa investigada “permite avançar alguns passos” nos trabalhos da CPI.

“Tratá-los como investigados significa dar o rumo verdadeiro e avançar alguns passos para que a gente possa concretizar o objetivo, que é responsabilizar as pessoas que são responsáveis pelo agravamento do número de mortos [pela Covid]”, afirmou.

Questionado se Élcio Franco, número dois do Ministério da Saúde na gestão de Pazuello, pode ser um dos investigados, Renan disse que a CPI ainda analisa essa possibilidade.

Mais quebras de sigilo

Também após o encontro desta segunda, o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que na próxima quarta-feira (16) a CPI deve votar as quebras dos sigilos telefônico, telemático (dados de mensagens), bancário e fiscal de quatro empresas que produzem medicamentos do chamado “kit Covid”, comprovadamente ineficaz contra a doença.

“Uma dessas empresas, antes da pandemia, tinha déficit de R$ 200 milhões e hoje se encontra com superávit de R$ 1 bilhão. Claramente, lucraram com o tratamento precoce enquanto brasileiros estavam morrendo”, afirmou Randolfe.

Ele também confirmou que a CPI não acolherá pedido da defesa do empresário Carlos Wizard, suposto integrante do “gabinete paralelo” de assessoramento do presidente Jair Bolsonaro, para que o depoimento fosse feito de forma virtual. E que Wizard deve ser alvo de um pedido de quebra de sigilos fiscal e bancário.

G1

Opinião dos leitores

  1. Kkkkkkkkkk
    Pense numa presepada.
    O nome de Renan está na lista??????
    É por essa e muitas outras palhaçada que o Mito Bolsonaro está reeleito em primeiro turno.
    A mídia e esses corruptos deixam jair Bolsonaro em condições tranquila.
    Não tem adversário até o presente momento e pelo andar da carruagem, não deve surgir outro Mito.
    Tem um ladrão aí atrás de voltar, mas acredito que a maioria do povo brasileiro o repudia veementemente.
    Quem danado vai votar em um ex presidiário??
    Os militontos e nada mais.
    Vcs vão vê.
    Penso que nem candidato esse ladrão será.
    Não pode andar nas ruas vai ser muito, mais muito mesmo hostilizado.

  2. É o poste mijando no cachorro, que moral esse vagabundo ladrão tem para investigar ninguém!

  3. A CPI do crido, da farsa, do autoritarismo, do desrespeito a mulher, já tem o relatório pronto a muito tempo. Nenhuma dessas pessoas convocadas que falaram a verdade, vai mudar a decisão da vergonhosa CPI cuja mesa diretora só tem corruptos.
    O relatório produzido nessa CPI não passa de mais uma manipulação dos fatos, construção de mais narrativa imoral da esquerda desesperada com a falta dos recursos públicos e crescimento da popularidade do Presidente.
    Falando nisso, aguardando a publicação de pesquisa dando o ex presidente com 80% da intenção dos votos. Só avisando que o resultado que as pesquisas manipuladas mostram, é contrário a realidade. A esquerda, toda junta e misturada, talvez, se muito, tem 20% das intenções dos votos. De resto só desespero da esquerda idólatra de corrupto.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *