Economia

Enquanto vendas em março registraram aumento de 26% no RN, setor de bares, restaurantes e similares sofreu retração

O volume de vendas realizadas pelas empresas do Rio Grande do Norte no mês passado atingiu, em média, o patamar de R$ 304 milhões por dia. O valor é 26% maior que o registrado no terceiro mês do ano passado, quando as empresas potiguares conseguiram vender uma média de R$ 240 milhões por dia. O crescimento foi maior entre as organizações que atuam no segmento do comércio atacadista, cujo faturamento médio diário subiu de R$ 40,3 milhões por dia para R$ 59,9 milhões. Um acréscimo nominal de R$ 19,6 milhões negociados nos últimos 12 meses.

O segundo setor que mais teve o maior volume de vendas foi o comércio varejista. O ticket médio de vendas diárias do varejo passou de R$ 66,4 milhões para R$ 80 milhões entre março de 2020 e março deste ano. Apesar de o número de transações ter reduzido levemente, o valor das vendas subiu.

As empresas desse segmento foram as que tiveram oscilações menos drásticas no volume médio negociado ao longo dos últimos 12 meses, logo após o decreto do estado de calamidade pública em função da Covid-19. O volume médio diário de vendas do varejo potiguar fechou março deste ano com um total de faturamento bruto diário da ordem de R$ 80,3 milhões. No mesmo mês de 2020, o valor médio foi de R$ 66,4 milhões.

Os dados sobre a movimentação dos setores produtivos são da Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN), que divulgou nesta segunda-feira (12) a 17ª edição do Boletim de Atividades Econômicas. O informativo mensal reúne os principais indicadores da economia do Rio Grande do Norte a partir da emissão de notas fiscais e do volume negociado pelas empresas potiguares. A publicação completa está no site www.set.rn.gov.br/.

A publicação mostra, no entanto, que o setor de bares, restaurantes e similares registrou uma retração nas vendas da ordem de 30% mensais a partir de março do ano passado. O volume de movimentado começou a subir após agosto do ano passado, quando houve o início da retomada da abertura das atividades não essenciais, chegando a dezembro com um pico de faturamento bruto médio de R$ 4,8 milhões, negociados por dia. No entanto, gradativamente, esses estabelecimentos começaram a ter baixas novamente e, no mês passado, registraram uma média diária de vendas de R$ 2,7 milhões.

De acordo com a publicação da SET-RN, o volume de operações comerciais, verificadas nos principais setores da economia do Rio Grande do Norte, atingiu uma média de vendas de R$ 304,15 milhões por dia, o que é 2,4% menor que o resultado visto em fevereiro. Foram mais de 909 mil operações de vendas por dia no terceiro mês do ano, marcado pelo início das medidas restritivas neste ano para conter a segunda onda da pandemia no estado. Os segmentos que mais influenciaram positivamente o resultado foram o atacado, a indústria e o varejo.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Enquanto custo da cesta básica caiu em 12 capitais em março, Natal registrou uma das mais altas, aponta Dieese

Foto: EBC

Em março, o custo da cesta básica caiu em 12 das 17 capitais brasileiras que são analisadas na Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

As maiores reduções foram observadas em Salvador (-3,74%), Belo Horizonte (-3,11%), Rio de Janeiro (-2,74%) e São Paulo (-2,11%). Já a maior alta foi observada em Aracaju (5,13%), seguida por Natal (2,83%), Curitiba (0,77%), Belém (0,55%) e Campo Grande (0,26%).

No mês passado, a capital que teve a cesta básica mais cara do país foi Florianópolis. Nessa capital, o custo médio dos produtos que compõem a cesta básica foi estimado em R$ 632,75. A capital com a cesta mais barata em março foi Salvador, com custo médio estimado em R$ 461,28.

Com base no preço da cesta básica de Florianópolis, a mais cara observada pela pesquisa, o Dieese estimou que o salário mínimo necessário para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, seria de R$ 5.315,74, o que corresponde a 4,83 vezes o valor vigente, de R$ 1.100,00.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

RN registra 7ª maior taxa de isolamento social do país

Foto: Reprodução/Mapa Brasileiro da Covid

Em meio a divisão de quem aprova ou reprova o decreto conjunto do Governo do Estado e da Prefeitura do Natal, seguido por boa parte dos municípios do Rio Grande do Norte, a taxa de isolamento social potiguar vem registrando aumento.

Dados monitoramento do Mapa Brasileiro da Covid, destacam em ranking que o Rio Grande do Norte saltou da 12ª para a 7ª colocação entre os estados do país.

Mapa em tempo real pode ser visto aqui.

Opinião dos leitores

  1. Basta os prefeitos e o governo terem um pouco MAIS de CORAGEM, DETERMINAÇÃO, INTERESSE e VONTADE POLÍTICA, então Alcançaremos um percentual bastante Satisfatório. CORAGEM, DETERMINAÇÃO e VONTADE POLÍTICA vamos conseguir Baixar esses Índices macabros. Que DEUS tenha MISERICÓRDIA de NÓS.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governo do Estado aumenta valor de referência dos combustíveis e população potiguar passou a pagar mais caro desde essa terça-feira(16)

O Governo do Estado aumentou desde essa segunda-feira(15) o valor de referência dos combustíveis. Como consequência, conforme tabela em destaque, a população potiguar passou a pagar mais caro com o valor arrecadado do ICMS estadual.

QUEM MEXEU NO MEU PREÇO?

Nessa segunda-feira(15) teve AUMENTO de Pauta Fiscal, que é a pesquisa quinzenal que os Estados fazem e informam ao CONFAZ para servir de base para cálculo de ICMS sobre os combustíveis. Isso gerou um impacto nos preços de compra dos postos junto as Cias. Distribuidoras em vários estados. Segue exemplo do Rio Grande do Norte onde a Gasolina teve impacto médio de compra na ordem de +R$0,14, o Etanol de +R$0,12 e o Diesel de +R$0,06. No Ano de 2021 teve os seguintes impactos: Na Gasolina de +R$0,83, Etanol de +R$1,03, Diesel S-10 +R$0,53 e Diesel S-500 de +R$0,49.

Com a atualização, veja quanto você paga de ICMS em cada combustível:

Foto: Reprodução

 

Opinião dos leitores

  1. Fátima ta acabando com o RN.
    Lascando meio a meio os consumidores.
    O entrevistado do BG na rádio disse que tem muitos governadores pelo Brasil que nesse momento não repassa esses aumentos de pauta, aja visto em outras palavras os consumidores já estarem fudidos.
    Mas é assim que querem os secretários de Fátima, e ela só balança a cabeça feito lagartixas.

  2. Interessante que a Petrobrás aumentou o preço do combustível umas 6x, só esse ano, mas ninguém não falou nada, silêncio absoluto. Aí Fatão aumenta a carga tributária, começa o mínimo.

  3. No começo da pandemia no ano passado, o preço dos combustiveis teve uma queda, o petroleo no mundo estava em queda, entao a Petrobras diminui o preço da gasolina nas refinarias. Além da pandemia, houve uma crise entre a Russia e Arabia Saudita, em relação ao preço do barril de Petroleo. Sabe o que aconteceu? O RN tambem diminuiu o valor de pauta. Veja como de março a maio de 2020, o preço de pauta do RN foi diminuindo. Usaremos o GAC – gasolina automotiva comum.
    Ato Cotepe /PMPF 9 , de 24 de março de 2020 – GAC 4,6130
    Ato Cotepe/PMPF 10, de 9 de abril de 2020 – GAC 4,3430
    Ato Cotepe/PMPF 12, de 24 de abril de 2020 – GAC 4,2350
    Ato Cotepe/PMPF 14, de 11 de maio de 2020 – GAC 3,9520
    Ato Cotepe/PMPF 15, de 25 de maio de 2020 – GAC 3,7460
    É muito simples. Mas resolveram colocar a culpa do aumento dos combustiveis nos governadores.

  4. A Petrobras aumentou os combustíveis 7 vezes só nos primeiros 75 dias do ano. Ñ vi reclamação. Kkkkkkk

    Vão pra biaxa da égua bando de carniça, kkkkkk

  5. Isso é a esquerda. Quero ver como vão justificar o dinheiro que receberam pra tratar da pandemia.
    Em 2022, se quiserem continuar na miséria, bancando cuba, Venezuela vote na canhota!

  6. O valor de referência é simplesmente a média do valor que estava sendo cobrado nas bombas nos últimos 15 dias, de acordo com pesquisa da Agência Nacional de Petróleo – ANP. Ou seja, só houve o ajuste no valor de referência devido o preço do combustível ter aumentado na bomba, não o contrário. Caso o valor da bomba tivesse se mantido nos últimos 15 dias, o valor de referência seria o mesmo. Caso o valor da bomba tivesse baixado nos últimos 15 dias, o valor de referência também teria diminuído. Tudo depende do preço que está sendo praticado na bomba.
    O ICMS incide sobre o preço do produto.

    1. Queria saber da governadora pq so aumenta o PMPF, e nunca diminui o valor de referencia se o Estado tem gerencia sobre o valor…Essa é uma desculpa sem sentido. Ela quer matar o povo de fome. Genocida. O frete quando sobe aumenta o valor dos alimentos. Nao adianta culpar os empresarios quando a culpa é do Estado do RN. Estados vizinhos tem tabelas menores.

    2. Mano, a sistemática sempre foi essa. Isso vale para qualquer mercadoria.
      Se você compra um kg de arroz a 3,00 o ICMS é sobre os 3,00, se aumenta para 6,00 o ICMS é sobre os 6,00, se depois baixar para 2,00, o ICMS é sobre os 2,00. A mesma coisa é para o combustível ou qualquer outro produto que incida ICMS.

    3. Vivi para ver alguem defender e pontuar o governo em um aumento de carga tributária. É uma zé mane.

    4. É que não houve qualquer aumento de carga tributária, Rafael. A alíquota do ICMS é a mesma nos últimos 5 anos. O último aumento de carga tributária do ICMS aconteceu em jan/2016.
      O que tem acontecido de forma sucessiva é o aumento do preço dos combustíveis pela Petrobras, esse é o problema. Quantos aumentos de combustíveis a Petrobras já anunciou este ano?

  7. Fátima cadeado, o que é bom esta guardado para 2022. Depois venha para tv pedir voto com essa cara de peixe morto . Os petralhas vai ter uma derrota acachapante em 2022. Quem viver verá !

  8. Obrigado Fátima, em plena pandemia você fecha os comércios, bares e restaurantes e ainda aumenta os combustíveis, essa mata e enterra pra não sobrar vestígio.

  9. Mas o pb não era o Bolsonaro??
    O melhor governador do RN ainda e o Bolsonaro.?
    Mito 2022, 2026….

  10. Tá de brincadeira neh? Aumentar imposto uma hora dessa?
    Só pode ser politicagem para prejudicar o governo federal.

  11. Viva o Governo dos Petralhas !!! quanto mas pior melhor kkk
    Isso é Goooooopiiiii FORA FÁTIMA !!! Pior Governo que esse estado já Viu

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Taxa de letalidade da covid triplica no RN entre o fim de 2020 e o início deste ano com festas, veraneio e carnaval

Reportagem da Tribuna do Norte destaca nesta quinta-feira(11), que o Rio Grande do Norte ligou o sinal vermelho nessa quarta-feira(10) sobre a taxa de letalidade da Covid-19 no Estado, que mais do que triplicou entre o final de 2020 e o início deste ano. De acordo com o Boletim Epidemiológico Nº 311 da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN), dados ainda não consolidados do mês de março disponibilizados pelo Laboratório de Inovação e Tecnologia em Saúde vinculado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN) registram uma letalidade de 3,19 no Estado. Esse número ainda deve mudar até o fim do mês com a adição de novos casos confirmados, mas, segundo especialistas, poderá se equiparar à realidade observada no mês de agosto, quando o Estado ainda vivia os piores momentos da doença até então.

O período em destaque vem impulsionado por eventos como as festas de fim de ano, carnaval e veraneio, a taxa de letalidade da Covid-19 no Rio Grande do Norte mais do que triplicou entre o final de 2020 e o início deste ano. Vale lembrar que em novembro, o Estado havia atingido a taxa mais baixa desde o começo da pandemia (0,65), mas o número voltou a crescer a partir de dezembro, como reflexo das aglomerações do período eleitoral, quando saltou para 1,41 – e continua a aumentar desde então.

A reportagem ainda esclarece que a letalidade é calculada pelo número de pessoas que morreram dividido pelo total de casos confirmados naquele mês. Segundo o pesquisador e diretor executivo do LAIS, Ricardo Valentim, o dado deve ser analisado em conjunto com outros indicadores, como taxa de ocupação de leitos e número de internações.

Sozinha, a capital potiguar acumula 38,6% de todos os óbitos registrados no Rio Grande do Norte. Somando os óbitos dos outros 14 municípios que constituem a Região Metropolitana, o número salta para 56,7% do total de mortes já registradas no Estado. Foram 2.142 de um total de 3.777 óbitos acumulados até a terça-feira (9). “Na semana depois do carnaval, foram 92 óbitos só na Região Metropolitana. Esse é um dado gravíssimo e que chama muita atenção. Estamos observando que há aumento da letalidade, sim”, destaca Ricardo Valentim.

Com acréscimo de informações da Tribuna do Norte

 

Opinião dos leitores

  1. É isso aí,chegou a fatura pra esses que fizeram pouco caso do vírus ,,esqueceram o problema é foram pra gandaia,beberam e comeram até se fartar,agora choram e se lamentam,é tarde demais,alguns retardados ainda fazem festas as escondidas,Canadá de jegues.

  2. O problema é que somos cobaia humana da China e do Bolsonaro tem um complô contra o Brasil Lula e Bolsonaro estão agindo desde 2003 o pior tá por vir

  3. O problema é o prefeito de Natal que abri tudo irresponsávelmente, só pensa em política e esquece o ser humano.

  4. Oque me estranha é que esse comitê manda fechar tudo r ainda assim só traz noticias ruim então de que está servindo essas medidas.

    1. Eu entendo assim que existe um delay entre a contaminação, surgimento dos sintomas e depois a hospitalização, se caso for necessário. Segundo está em todos os noticiários, blogs, entrevistas e etc… o periodo de incubação do vírus é de até 14 dias, então pessoas infectadas podem transmitir a doença até o 14°, se forem assintomáticas, depois de diagnosticada ela pode ser hospitalizada até 15 dias depois, então só aí lá se vão em média 29 dias.
      Por isso que os efeitos da redução da restrição de circulação demora um pouco quando existe um número muito alto de contaminação.
      Quanto mais respeito a essa medida menos chance dela se estender ainda por mais tempo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Com eleições, festas de fim de ano e carnaval, número de pacientes com menos de 60 anos supera o de idosos em UTIs para Covid-19 no RN

Foto: Lais/UFRN

O número de pessoas com menos de 60 anos de idade internadas por Covid-19 em leitos de UTI superou a quantidade de idosos no sistema pela primeira vez, no Rio Grande do Norte, desde maio de 2020. Nesse domingo (7), a rede pública contava 291 pessoas internadas com coronavírus no estado. Desse total, 149 (51,20%) tinham menos de 60 anos de idade e outros 142 (48,8%) eram idosos. A notícia é destaque no portal G1-RN.

O levantamento mostra que o número representa uma mudança no perfil das pessoas que estão precisando de UTI no estado. A última vez em que o número de mais jovens internados foi maior ocorreu ainda no início da pandemia, em maio de 2020, de acordo com dados do Regula RN. Na ocasião, o estado tinha pouco mais de 100 pessoas internadas Desde então, a maior parte das UTIs eram ocupadas por idosos. Para se ter uma ideia, em 29 de julho, 75% das pessoas internadas tinham mais de 60 anos. Apesar de haver diferenças menores entre os dois públicos, ao longo do tempo, os idosos seguiam sendo maioria entre os internados até agora.

Para o diretor do Hospital Giselda Trigueiro e membro do comitê científico do estado, André Prudente, a principal explicação para a mudança é que os jovens foi o grupo que mais se expôs nas aglomerações dos últimos meses, passando por eleições, festas de fim de ano e, principalmente, carnaval.

Com acréscimo do G1-RN

Opinião dos leitores

  1. Chegou a fatura,cada um tem que por sua idiotice,esses irresponsáveis merecem morrer,desafiou o covid,agora aguente e não culpe os governos,culpe a si mesmo pela estupidez.

  2. Isso eh a prova cabal que o isolamento vertical não funciona! O que funciona eh distanciamento social, medidas sanitárias e rastrear e isolar quem se contamina e quem teve contato com o doente. O governo federal comprou a rodo testes de covid mas estão estragando pq não tiveram a competência mínima pra elaborar um plano nacional de testar e rastrear! Nosso presidente MINTOmaníaco eh um inepto !

    1. Meu patrão como cobrar de uma sociedade como a brasileira me diga, agora colocar a culpa só no presidente é demais, todos tem que fazer sua parcela de culpa agora tem gente que de casa no ZAP tem toda solução.

    2. Não sei onde você vive Manoel, acho que no mesmo mundo irreal de pixuleco e zédogado, como tantas vezes já foi dito aqui, o STF determinou que as ações de combate a pandemia do covid eram de responsabilidade direta dos governadores e prefeitos, esqueceu?
      Não vou defender ninguém, ma não podem culpar quem não tem culpa
      Quanto o RN recebeu de repasse federal durante a pandemia?
      Quanto o RN recebeu de auxílio emergencial na pandemia?
      Quer mesmo entrar na questão de hospitais abertos ou reformados, de leitos disponibilizados?
      Faça melhor, compare os números de leitos disponíveis em 2019, 2020 e 2021 no RN e vá cobrar a quem o STF levou a responsabilidade de combater a pandemia.

    3. Caro Venâncio, você sabe ler algo além de WhatsApp? Dá um Google, pesquisa o texto com a decisão do STF e acha lá onde foi que gov Federal foi impedido de atuar. Isso é mais uma narrativa inventada pra tolo. Infelizmente, muita gente cai, e você foi um dos.

    4. Venâncio, vc sua premissa inicial está equivocada: O STF reconhece competência concorrente de estados, DF, municípios e União no combate à Covid-19 (procure essa matéria e leia a decisão no próprio site do STF). Logo, a responsabilidade eh de todos os Entes federativos! Não tem dinheiro que dê conta de abrir vagas em UTIs infinitamente, pois além de faltar insumos, profissionais e equipamentos (que são caros e escassos) , a velocidade de contaminação de algumas cepas eh enorme. A única coisa que poderia ter evitado o caos atual teria sido o nosso presidente inepto ter comprado vacinas ainda ano passado, tais como da Pfizer e da Coronavac, que teriam sido entregues ainda em 2020! Como não foi feito pq temos um MINTOmaníaco negacionista na presidência, só temos cerca de 2 a 3% da população brasileira vacinada, o que não acarreta diminuição significativa no contágio de covid. O presidente inepto "criou essa narrativa" de que o STF o podou de tomar medidas na pandemia pq para ele é mais interessante ficar falando merda e criticando quem toma alguma medida de diminuição de contágio e ficar só liberando o NOSSO dinheiro !

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Fátima confirma toque de recolher no RN a partir deste sábado, de 20h às 6h

Em entrevista coletiva no fim da manhã desta sexta-feira(05), a governadora Fátima Bezerra confirmou que vai acatar as recomendações do comitê científico da Sesap, diante da alta de casos de covid-19 no Rio Grande do Norte. Entre as mudanças mais significativas, o aumento do toque de recolher, que passará a ter validade já neste sábado(06), das 20 às 6h.

A governadora ainda disse que o toque de recolher valerá de segunda a sábado e, integralmente, aos domingos.

Opinião dos leitores

  1. Ditadura se instalando no RN. Onde estão as Guardiães da Constituição? Ou não existem mais?

  2. BOLSONARO GANHOU AS ELEIÇÕES, A PETEZADA SÓ FALAVA EM DITADURA.
    KKKKKKKKKK
    OLHEM AÍ QUEM SÃO OS DITADORES.
    PERCEBEM???
    É muito engraçado esse povo da esquerda.
    Palhaçada.
    Agora vamos vê o que pensa os prefeitos.
    Eles é que dão a última palavra.
    Foi assim que julgou os meninos do STF.
    Um cabaré tem mais moral do que certas coisas no Brasil.
    O resultado é essa cachorrada e o povo pagando com as vidas.
    É imoral!!

  3. Isso governadorA!!!!!
    Bote pra torar!!
    Bolsonaro precisa de uma lição.
    Tem todo meu apoio pra destruir a economia e matar o povo de fome.
    Parabéns.

  4. Vamos deixar de mimimi e choradeira, a governadora e os prefeitos estão corretos nessas medidas a culpa é de parte da população que ainda acha que é uma cripizinha. Vacina Já.

    1. Veja a entrevista da Dra Roberta Lacerda!!
      Tratamento precosse e bora trabalhar. Lockdown e fica em casa só leva a um resultado : falências e fome

  5. Ela só não explica os 5 milhões do Consórcio Nordeste, muito menos os respiradores quebrados, mas comprados a preço de ouro. E a imprensa calada como se nada tivesse acontecendo!
    1 ano dessa merda e não houve preparação alguma pra enfrentar a crise.
    Vão quebrar o país, quebrar mesmo, no intuito de não deixar o Presidente, que é outro louco, se reeleger.
    Tamo na merda!!

  6. Quero saber como o trabalhador q pega cedo no trabalho
    Só vai poder sair depois das 6

  7. Faz coletiva e toda uma papagaiada, mas nada de publicar o decreto.

    Faltam menos de 11 horas pra entrar em vigor e ninguém sabe ainda da redação.

  8. Essa Desgovernadora louca vai quebrar tudo vão morrer todo mundo de fome, ela quer piorar tudo, isso é viés político e ninguém enxerga ? Estamos ferrados o RN só afunda com os governantes .

  9. 5 milhões + 1,5 milhões + contrato de ambulância ? = fique em casa. Que Deus cuide do povo dessa terra.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

OMS registra aumento de contágios por covid-19 na Europa após semanas de queda

FOTO: AFP / TARSO SARRAF

O número de novos casos de covid-19 aumentou novamente na Europa após seis semanas de redução, anunciou nesta quinta-feira direção regional da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Na semana passada, os novos casos de covid-19 na Europa aumentaram 9%, superando por pouco um milhão. Isto acaba com uma redução promissora de seis semanas”, afirmou o diretor para a Europa da OMS, Hans Kluge.

“Registramos um ressurgimento na Europa central e leste. Os novos casos também aumentam em vários países do oeste da Europa, onde os índices já eram elevados”, completou.

A divisão Europa da OMS reúne mais de 50 países que vão até o centro da Ásia.

“Mais da metade de nossa região registra um número crescente de casos”, disse Kluge.

Para o diretor da OMS no continente, os europeus devem recuperar os “instrumentos essenciais” de prevenção para lutar contra o vírus e suas variantes e acelerar a vacinação.

Dos 53 países que integram a região Europa da OMS, 45 já iniciaram a vacinação.

De acordo com dados compilados pela AFP, na União Europeia (UE, 27 países) 2,6% da população recebeu duas doses da vacina contra a covid-19 e 5,4% ao menos uma dose.

Correio Braziliense

Opinião dos leitores

  1. Culpa do Bolsonaro.
    Se tivesse feito lock não estava acontecendo.
    Bolsonaro não esta sabendo governar a Itália.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Depois do aumento de preços da Petrobras, Cade vai monitorar postos de combustíveis

Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vai monitorar o preço dos combustíveis em postos de todo o país a partir desta sexta-feira. O movimento acontece após a Petrobras anunciar um reajuste nos valores da gasolina e do diesel nas refinarias.

O monitoramento deve avaliar como o quarto reajuste do ano vai chegar nas bombas dos postos. Nesse sentido, vai investigar se os revendedores vão ter práticas anticompetitivas, como fechar acordos entre si para implementar o aumento de preços na mesma intensidade, a chamada “colusão”.

A decisão de monitorar o mercado no país todo parte de uma investigação aberta pelo Cade para investigar condutas anticompetitivas no Distrito Federal.

O inquérito foi iniciado a partir de entrevistas concedidas pelo presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Distrito Federal (Sindicombustíveis/DF), Paulo Tavares, ao portal “Metrópoles” e ao jornal “Correio Braziliense”, em que alertava sobre uma possível alta no preço dos combustíveis de até R$ 0,10 por conta do reajuste da Petrobras.

De acordo com uma nota técnica do órgão, essas entrevistas poderiam revelar uma “tentativa clara de influenciar o mercado revendedor a ser comportar uniformemente, repassando coletivamente o aumento de custo verificado”

“A conduta praticada pelo Sindicombustíveis busca definir uma política comercial comum a toda a classe de revendedores, segundo a qual os aumentos de custos devem ser repassados imediata e integralmente para o preço de bomba”, diz a nota.

E acrescenta:

“Nesse sentido, o presidente do Sindicombustíveis apresenta como comportamento normal a ser adotado por todos os revendedores o repasse imediato do aumento do ICMS ocorrido a partir do dia 16.02.2021, mesmo quando há relativa dispersão de preços de revenda e, portanto, possivelmente revendedores com capacidade de absorção desse aumento de imposto em sua margem de lucro”.

A suspeita do Cade é que essas falas podem facilitar a “colusão” do mercado de revendedores de combustíveis. De acordo com a nota técnica, a conduta do Sindicombustíveis pode ter “contornos de cartel” por auxiliar os diferentes donos de postos a praticar uma possível ação coordenada em um “acordo tácito” de aumento de preços.

“Cumpre ainda verificar se os comportamentos de preços analisados distinguem-se de meros paralelismos de preços, havendo, ao contrário, razoáveis indícios econômicos de colusão. Para isso faz-se necessário o acompanhamento do mercado de revenda de combustíveis, bem como o rastreamento de suposto comportamento colusivo dos revendedores em cada estado da Federação, tendo em vista eventuais subidas de preço.” — conclui a nota.

A discussão sobre o aumento do preço nas refinarias fez com que as ações da Petrobras caíssem 7% nesta sexta-feira, após declaração de Bolsonaro de que “alguma coisa vai acontecer” na empresa em transmissão ao vivo na noite de quinta-feira.

Na mesma live, o presidente afirmou que o governo vai zerar o imposto sobre diesel e gás de cozinha, sem anunciar como iria compensar a perda na arrecadação. Economistas calculam um impacto de R$ 3 bilhões nos dois meses de isenção de PIS e Cofins sobre o diesel.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. A Gasolina hj já estava a 5,69 em todos os postos que passei. O que acho interessante é que o quando o preço é reduzido, passa mais de uma semana para diminuir nos postos (Os donos de postos alegam que precisam zerar o estoque) mas quando tem um aumento é praticamente instantâneo.

  2. Foi só o Bozo abrir a boca que, além de não resolver o problema, fez cair o valor das ações da Petrobras.

  3. Cadê os defensores da regulação do mercado? Estão achando ruim o preço do combustível? Comprem carro elétrico, bem baratinho.

  4. PQP!!!! R$ 5,71 num litro de gasolina!!
    PETROBRAS! Vai roubar a p….. que te p……!
    Já encostei meus carros!!
    Vou me reprogramar pra participar da campanha Gasolina Apodreceu No Posto.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras sobe preço da gasolina pela 4ª vez no ano; diesel tem 3ª alta

Foto: Economia G1

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (18) mais um aumento dos preços médios de venda às distribuidores da gasolina e do diesel, que irão vigorar a partir de sexta-feira (19), segundo comunicado da estatal.

O preço médio de venda de gasolina nas refinarias da Petrobras passará a ser de R$ 2,48 por litro, refletindo aumento médio de R$ 0,23 por litro. Já o preço médio de venda de diesel passará a ser de R$ 2,58 por litro, refletindo aumento médio de R$ 0,34 por litro.

É a quarta alta do ano nos preços da gasolina, e a terceira no valor do litro do diesel. Em dezembro, o litro da gasolina custava em média R$ 1,84. Já o do diesel saía a R$ 2,02.

Com os novos reajustes, o litro da gasolina nas refinarias acumula alta de 34,78% desde o início do ano. Já o diesel subiu 27,72% no mesmo período.

Nos postos, a gasolina está 5,8% mais cara desde a primeira semana do ano, vendida a R$ 4,833 na média, segundo pesquisa semanal da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Já o diesel era vendido a um preço médio de R$ 3,875 o litro nas bombas.

Política de preços

No início o mês, a petroleira divulgou comunicado para reafirmar que não houve alteração no alinhamento dos seus preços de combustíveis em relação ao praticado no mercado internacional.

Em nota nesta quinta, a Petrobras afirma que esse alinhamento “é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras”.

Os preços internacionais do petróleo atingiram nesta quarta-feira os maiores níveis desde janeiro do ano passado. O barril do tipo Brent fechou em alta de 1,6%, a US$ 61,14, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) avançou 1,8%, para US$ 61,14.

A estatal tentou amenizar o impacto das altas no bolso dos brasileiros, citando o preço pago pelos combustíveis internacionalmente. Em nota, destacou que, segundo pesquisa da Globalpetrolprices.com abrangendo 167 países, “o preço médio da gasolina ao consumidor final no Brasil está 17% inferior à média global e ocupa a 56ª posição do ranking sendo, portanto, inferior aos preços observados em 111 países”.

Para o diesel, em uma amostragem de 166 países, o preço final no Brasil está 28% inferior à média global, segundo a estatal, o que coloca o país na 43ª posição do ranking, com um preço inferior a 123 países.

“Em ambos os casos, os preços médios no Brasil estão abaixo dos preços registrados no Chile, Argentina, Peru, Canadá, Alemanha, França e Itália”, acrescentou.

Governo quer mudanças em tributos

Diante de reclamações do setor de transporte sobre o valor dos combustíveis, o governo vem falando em alterar a estrutura de tributação do setor. No último dia 5, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo avalia um projeto para estabelecer um valor fixo do ICMS sobre combustíveis ou a incidência do ICMS sobre o preço dos combustíveis nas refinarias.

O presidente afirmou que o governo está fazendo estudos sobre as mudanças no ICMS e que, se ficar comprovada a viabilidade jurídica, apresentará um projeto sobre o tema ao Congresso na semana que vem.

De acordo com o presidente, o valor do ICMS fixo seria decidido pelos governos estaduais, junto com as assembleias legislativas.

G1

Opinião dos leitores

  1. O negócio só piora, o gás de cozinha custando quase R$ 100,00, kg da carne quase R$ 50,00, o combustível só para quando chegar a R$ 10,00, o arroz R$ 8,00, óleo de cozinha a 10,00, e o desemprego assolando . E tem que falar que está tudo bem.

  2. O véi é bom
    O véi é arrochado
    O véi é demais
    O véi é maravilhoso
    ÔÔÔÔÔ homem bom
    Bota no caneco do GADO, presidente cagão.
    Muuuuuuuuuujjjjjjuuuuuuuuuuuuijuu

  3. A petrobras só anuncia aumento da gasolina e do diesel, porém o Etanol sempre aumenta junto com a gasolina. PORQUE?????

    1. Saudades da época que a Petrobras era saqueada, né meu filho! kkkkkkkkkkkkk

  4. Outro aumento?
    No governo da Dilma,quando chegou a 3 reais bsteram panelas.
    Deixa 2022 ,está bem proximo…

    1. Dilma era tão querida que amargou o quarto lugar para o Senado em MG! Se conforme companheiro, a eletrolula faliu e seus postes não acendem mais… kkkkkkkkkkkkkkkk

  5. Com esses reajuste a Petrobrás está pagando os roubos da era petista, esqueceram da roubalheira ? Esse é o resultado da política de represamento de preço.

    1. Será ? Vá logo arrumando outra desculpinha . Essa não cola não !

  6. Avisem ao genocida q o brasileiro não ganha em dólar para pagar gasolina nessa moeda.
    Avisem ao genocida tb pra devolver o valor do real frente ao dólar, desvalorizado pra atender o agronegócio.

    1. A surpresa que o MINTOmaníaco nos reservou pra esta semana foi esse aumento? Kkkkk. Só rindo pra não chorar de tanta emoção!!!

    2. Olha aí!!

      O futuro Ministro do interior do Brasil já achou a solução de novo.

      Esse Misnistro tinha que ser empossado no cargo logo.

      O MITO O MESSIAS já poderia criar esse ministério e entregar ao maior e melhor ministro do interior do Brasil.

  7. Como dizem por aqui: " pede pra cagar e sai" , Bolsonaro. O pior presidente da República. Fora Bolsonaro. Pelo menos ele pensou no meio ambiente. Todo mundo de bicicleta rsrs

  8. Mas calma fiquei sabendo que ele vai baixar o imposto das bicicletas…

    Pronto problema resolvido… hahahaha

    ow veio Macho!!!

  9. Parabéns Bolsonaro, bem que você falou que daqui para sexta feira haveria novidades sobre os combustíveis, a novidade era o aumento. O home bom e de palavra.

  10. Oh governo bom. Já impediu pobre e classe média de viajar de avião, agora de ter carro. É isso mesmo, arrocha em cima do povo Bolsonaro, que você ainda vai ser reeleito!

    1. Sem emprego, sem comer, o negócio só piora, o governo federal vai acabar com a pobreza matando os pobres. Até pra andar de bicicleta tá difícil, pois sem comer o pobre não tem energia pra isso

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Efeitos indiretos da covid-19 contribuíram para aumento de 33% dos óbitos de indivíduos abaixo dos 60 anos no RN

Foto: Ilustrativa/Divulgação

O Rio Grande do Norte apresentou um excesso de 3.108 mortes por causas naturais além do que era esperado para o ano de 2020. Apesar da mortalidade por Covid-19 ser maior entre a população idosa, em termos proporcionais, o excesso de mortalidade foi maior entre a população com menos de 60 anos, de acordo com análise realizada pelos pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Demografia (PPGDem) Ricardo Ojima e Victor Hugo Dias Diógenes junto aos dados fornecidos pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) e Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), lançou o Painel de Análise do Excesso de Mortalidade por causas naturais no Brasil em 2020.

A pesquisa aponta que a diferença entre as mortes estatisticamente esperadas e o observado em 2020 para as pessoas com menos de 60 anos no RN foi de 33%. Ou seja, é bem provável que, se não fosse a pandemia, cerca de mil pessoas com menos de 60 anos teriam deixado de morrer no RN no ano passado. “Devido ao crescimento vegetativo e o processo de envelhecimento da população, seria esperado que ano após ano haja um aumento no número absoluto de mortes. Porém, devido aos efeitos diretos e indiretos da pandemia, o número de óbitos observados foi muito maior do que as tendências de anos anteriores apontavam”, explicam os pesquisadores no estudo.

Análise publicada no ONAS já havia apontado o Excesso de Mortalidade

Para chegar a esta conclusão dois indicadores são mais utilizados: os números de infectados e de óbitos atribuídos diretamente à doença. Porém, existem os chamados efeitos indiretos da pandemia na mortalidade da população para os quais a análise chama a atenção: as mortes que provavelmente não ocorreriam em situações normais, de não pandemia, como aquelas causadas pela sobrecarga dos hospitais e da infraestrutura médica assistencial; resistência pela busca de assistência médica; paralisação no tratamento de doenças, como câncer; etc.

Nos dados trazidos pelo Painel de Análise do Excesso de Mortalidade por causas naturais no Brasil 2020, existe uma projeção dos óbitos que o Brasil esperava ter em 2020 (óbitos esperados) com base na tendência observada nos últimos 5 anos (2015-2019). Essa projeção é comparada com o número de mortes efetivamente observadas no ano e a diferença entre a projeção e o observado é que convencionou-se chamar de “excesso de mortalidade”. Na avaliação do excesso de mortalidade foram excluídos os óbitos por causas externas, como homicídios, acidentes de trânsito, etc. e apenas os números relativos a óbitos por causas naturais foram utilizados.

O estudo também aponta a evolução do excedente de mortalidade ao longo dos meses do ano de 2020 e por semana epidemiológica no Rio Grande do Norte. “Percebe-se destacadamente que o excedente de mortalidade se concentrou entre as semanas epidemiológicas 20 e 36 (corresponde aproximadamente os meses de maio a agosto). Após esse período, com a retração do contágio, houve uma proximidade maior entre os óbitos observados e esperados, mas voltando a distanciarem nas últimas semanas do ano, quando coincide com o recrudescimento da doença não só no estado potiguar, mas também em todo o Brasil”, afirmam Ojima e Diógenes.

Com UFRN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Mesmo com pandemia e inúmeras restrições, RN registrou 1.499 assassinatos em 2020, sendo 44 a mais que o ano anterior

Mesmo com um ano de pandemia e restrições para a população, o Rio Grande do Norte registrou um crescimento de 3% em relação ao número de assassinatos em 2020, quando comparado com o ano anterior.

Foram registrados 1.499 assassinatos, 44 mortes a mais que 2019, quando 1.455 Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIs) foram contabilizadas pelo Estado.

As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (13) pela Secretaria de Segurança Pública e da Defesa do Social (Sesed). No comunicado distribuído à imprensa, também noticiado pelo Blog pela manhã, a pasta optou pela comparação entre os dois primeiros anos da gestão atual e a gestão anterior.

Opinião dos leitores

  1. “Mesmo com restrições”. Se nem a população de bem tá ligando mais pra essas restrições, avalie os assassinos!! Kkkkk

  2. Mais a Governadora disse que os índices de criminalidade tinham baixados.
    Hô Governadora Mentirosa.

    1. Mais, não. Você quis dizer "Mas…", titia? Faz a matricula num cursinho de alfabetização antes de postar essas excrescências.

  3. Fatão é uma incompetente mesmo, mesmo com o fique em casa, aumentou a violência no RN, imagina se tudo estivesse normal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

IPTU 2021 em Natal: Semut registra aumento de 41,67% em pagamento antecipado

Foto: Canindé Soares

O programa “Bom Pagador”, da Prefeitura de Natal, que premiou o contribuinte em dia com o Fisco Municipal com o segundo maior desconto no Imposto Territorial Urbano (IPTU 2021) dentre as capitais do Nordeste, teve uma adesão 41,67% maior, na comparação com 2020. Além disso, a arrecadação cresceu 30% em relação ao mesmo período.

O desconto concedido pela capital potiguar (16%) para os contribuintes adimplentes que pagassem o IPTU 2021 até essa segunda-feira (11) ficou atrás apenas de Maceió, que ofereceu 20%. João Pessoa e São Luís ofereceram abatimentos de 15%, Salvador e Recife, de 10%, Fortaleza 8%, Aracaju 7,5% e Teresina, 7%.

A avaliação da Secretaria Municipal de Tributação (Semut) é de que a adesão expressiva à campanha de antecipação do IPTU com desconto reflete também o reconhecimento nas melhorias que a cidade vem recebendo. Em 2020, dos 118 mil imóveis, 49.870 optaram pela antecipação. Este ano, o programa Bom Pagador foi utilizado por 70.653 proprietários de imóveis em Natal. “Isso também representa, para nós da Semut, que o natalense valorizou o prêmio ao bom pagador, entendendo a importância de se manter em dia as obrigações tributárias”, explica o secretário Ludenílson Lopes.

Segundo dados da Secretaria Municipal de Tributação, nessa primeira fase do pagamento do IPTU foram arrecadados cerca de R$ 118 milhões, contra algo em torno de R$ 91 milhões no mesmo período de 2020. O desconto foi concedido para pagamento em parcela única a ser realizado pelos contribuintes que estavam em dia com o Fisco municipal.

A Semut agora aguarda o início da segunda fase do IPTU. Em função da pandemia, a Prefeitura optou por imprimir os carnês. “Queremos dizer aos contribuintes que não precisam se afligir. Todos irão receber o carnê com tempo hábil para o pagamento. Quem quiser, também já pode ter acesso a ele no site da da Prefeitura do Natal (www.natal.rn.gov.br)”, destaca o secretário.

Na segunda fase, o contribuinte pode pagar à vista no vencimento, sem acréscimo e sem desconto. Neste caso, são duas datas. A data de 20 de fevereiro para as zonas Sul e Leste e de 20 de março para as zonas Norte e Oeste (como esses dias caem num sábado, os pagamentos podem ser feitos nos dias 22 de fevereiro e março, respectivamente, que são segundas-feiras).

Essas datas também balizam o início do pagamento parcelado do carnê, em 10 pagamentos, cujos boletos também fazem parte do documento emitido pela Prefeitura (carnê).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19: Argentina decreta toque de recolher após aumento de casos

FOTO: FLICKR

Depois de atingir pelo terceiro dia seguido a marca de mais de 13 mil novas pessoas infectadas pelo coronavírus, o chefe da Casa Civil argentina, Santiago Cafiero, anunciou nesta sexta-feira (8) algumas diretrizes gerais que terão como objetivo conter a disseminação do coronavírus no país.

A medida mais drástica é o toque de recolher, que começará a valer a partir da publicação no Diário Oficial, o que deve ocorrer ainda na tarde desta sexta-feira (8). A proposta é de que, entre as 23h e as 6h, a circulação de pessoas seja restrita somente a trabalhadores e a quem dependa de serviços essenciais.

O decreto publicado estabelecerá uma série de recomendações sobre o toque de recolher, mas cada cidade definirá como as medidas serão aplicadas aos seus cidadãos. A expectativa das autoridades da Argentina é de que as medidas se estendam ao longo de 14 dias.

A ideia do governo é reduzir a circulação de pessoas nas ruas no horário noturno, principalmente de jovens e restringir as reuniões a um número máximo de 10 pessoas.

Também faz parte da estratégia para conter o número de casos a diminuição de voos nacionais e internacionais. As autoridades também pretendem que um exame PCR seja realizado em cada passageiro que desembarcar no país.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Por causa de pandemia, levantamento para checar índice de infestação de Aedes Aegypti é prejudicado em residências, e casos de dengue, chikungunya e zika no país podem aumentar

Foto: Estadão Conteúdo

“Neste ano atípico, agentes de saúde de milhares de cidades espalhadas pelo país não conseguiram realizar as vistorias periódicas em residências para checar o índice de infestação de Aedes, dado fundamental para subsidiar a definição de estratégias de políticas públicas para o enfrentamento das arboviroses”, explica Denise Valle, pesquisadora do Laboratório de Biologia Molecular de Flavivírus do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz).

Entre 29 de dezembro de 2019 e 12 de dezembro do ano passado (2020), foram notificados 979.764 casos prováveis de dengue no país. Nesse período, a região Centro-Oeste apresentou a maior incidência com 1.200 casos/100 mil habitantes, seguida das regiões Sul (934,1 casos/100 mil habitantes) e Sudeste (376,4 casos/100 mil habitantes). No período de janeiro a junho (SE 1 a SE 26), ocorreram 90,6% dos casos de dengue (887.767) no país.

A Fiocruz reforça, ainda, que às altas temperaturas do verão, aliadas à rapidez no desenvolvimento do mosquito, podem aumentar a propagação das doenças. Do ovo à fase adulta, o ciclo completo leva de 7 a 10 dias.

“Cada fêmea pode colocar até 1.500 ovos. É importante olhar a casa com ‘olhos de mosquito’, procurando todo e qualquer local que acumule água e possa ser usado para reprodução do vetor”, conclui a especialista, que destaca, também, a importância dos 10 minutos por semana, recomendados pelo Ministério da Saúde no combate ao vetor do Aedes, como recipientes e qualquer local que acumule água.

Também é necessário ficar atento a criadouros menos convencionais como calhas de chuva, ralos externos, vasilhas de animais, bandeiras de ar-condicionado e de geladeiras, vasos sanitários desativados ou pouco utilizados, entre outros.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Pesquisa mostra queda de confiança dos brasileiros na imprensa

Foto: Reprodução

Pesquisa do PoderData indica que mais brasileiros não confiam na imprensa. Os que consideram as informações publicadas pelos veículos jornalísticos “pouco confiáveis” representam 23%. Os que avaliam as notícias como “nem um pouco confiáveis” são 7%.

A desconfiança do público (soma das duas respostas) em relação à mídia cresceu 10 pontos percentuais na comparação com o último levantamento realizado pela divisão de pesquisas do Poder360. Em outubro, eram 20% os que não confiavam na imprensa (17% diziam ser “pouco confiável” e 3% achavam ser “nem um pouco confiável”).

Para 68%, as notícias merecem confiança. Metade dos entrevistados (50%) afirma que a imprensa é “mais ou menos confiável”. Os 18% restantes a consideram “muito confiável”. Há pouco mais de 2 meses, eram 77% os confiantes. A queda mais acentuada foi entre a opinião neutra –de 11 pontos percentuais.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 21 a 23.dez.2020, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 470 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

ESTRATIFICAÇÃO

A desconfiança em relação à imprensa é mais notada na região Norte do Brasil. Lá, são 43% que a consideram pouco ou nada confiável, segundo o PoderData. É o único recorte da pesquisa que mostra uma confiança menor que a metade (47%).

Os mais jovens também são mais céticos. Para 36% dos entrevistados de 16 a 24 anos a imprensa não é nem um pouco confiável. Há pouca variação na divisão por sexo e escolaridade.

Os brasileiros de classe média –que ganham de 5 a 10 salários mínimos– representam o grupo mais fiel ao trabalho dos jornalistas. Somam 31% de respostas positivas e 51% de neutras. Os ricos –que ganham mais de 10 salários mínimos– têm o mesmo percentual (82%).

Foto: Reprodução

Eis a estratificação completa:

AVALIAÇÃO DE BOLSONARO

A confiança na imprensa é maior entre quem desaprova o presidente Jair Bolsonaro. A proporção de brasileiros que confiam no setor é de 29% entre quem avalia o presidente como “ruim” ou “péssimo”. São 11 pontos a mais que o resultado geral.

Já entre quem avalia o presidente como “bom” ou “ótimo” as informações são confiáveis para 10%, numericamente o mesmo entre as avaliações regulares.

A desconfiança segue a mesma linha: 11% para bolsonaristas e 3% para críticos de Bolsonaro.

Foto: Reprodução

Apesar da desconfiança na imprensa ter crescido, mais de 3/4 da população segue utilizando os meios tradicionais de comunicação para se informar. A pesquisa do PoderData indica que 78% dos brasileiros se inteiram das notícias por meio de sites noticiosos, TV, jornais, revistas e rádio. A preferência por rede sociais atinge 19%.

Poder 360

 

Opinião dos leitores

  1. Não dá para assistir CNN, Band, Globo, Cultura, e ler Folha Estadão e Veja, sem desconfiar. São parciais e ou distorcem tudo que diz respeito ao Governo Federaln no maior descaramento. Daí o crescimento da desconfiança.

  2. "A confiança na imprensa é maior entre quem desaprova o presidente Jair Bolsonaro."
    Precisa dizer mais nada…?
    Os que usam argola na venta ficam putos quando a imprensa desmente as fake news dos Minions…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *