Clima

Área com seca grave sobe de 38% para 52% do RN e estado tem pior situação do Nordeste, alerta Monitor da ANA

Foto: ANA

O Monitor da Seca de agosto, divulgado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, alerta que em agosto deste ano, em comparação a julho, a área com seca se expandiu em uma das 21 unidades da Federação. No Rio Grande do Norte, o agravamento da estiagem com o aumento da área com seca grave, subiu de 38% para 52% do estado. Essa é a pior condição dentre os estados nordestinos.

Em 12 estados, 100% de seus territórios registraram seca em agosto: Bahia, Ceará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins. Exceto o DF, que não teve registro de seca no último mês, as demais oito unidades da Federação acompanhadas pelo Monitor apresentam entre 56,5% e 98,2% de suas áreas com o fenômeno, sendo que para percentuais acima de 99% considera-se a totalidade dos territórios com seca.

Em termos de severidade do fenômeno, 14 estados tiveram uma intensificação da severidade da seca em julho: Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. Nos casos de Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo; foi verificada a situação de seca mais severa no histórico de cada um deles no Monitor.

A região entre o noroeste paulista e o Triângulo Mineiro é a única com seca excepcional – a mais severa na escala do Monitor. Com isso, São Paulo e Minas Gerais são as duas unidades da Federação com seca excepcional respectivamente em 14,83% e 2,74% de seus territórios.

Em Alagoas, Ceará e Rio de Janeiro a severidade do fenômeno se manteve estável entre julho e agosto. Por outro lado, Bahia, Espírito Santo e Sergipe tiveram abrandamento da situação de seca, enquanto o DF segue sem o fenômeno desde fevereiro.

No Nordeste aconteceu o avanço da seca grave no Rio Grande do Norte e da seca moderada no leste do Maranhão e oeste do Piauí, devido à piora nos indicadores do fenômeno. Por outro lado, devido às chuvas acima da média nos últimos meses, houve um recuo da seca moderada em parte do litoral baiano e da seca fraca no leste pernambucano.

No Sudeste, devido à persistência de chuvas abaixo da média, as secas extrema e excepcional – as mais severas da escala do Monitor – avançaram no norte e noroeste de São Paulo e no Triângulo Mineiro. Além disso, o Monitor registrou o agravamento da seca em parte do norte mineiro, onde passou de moderada para grave.

Devido às chuvas abaixo da média e à piora nos indicadores, na região Sul a área com seca extrema aumentou entre o oeste catarinense e o noroeste do Rio Grande do Sul. Também aconteceu o avanço da seca grave no oeste do Paraná, da seca moderada no oeste gaúcho e da seca fraca no leste catarinense. Por outro lado, em razão das chuvas acima da média e da melhora nos indicadores, as áreas com secas moderada e fraca recuaram no litoral do Paraná. Além disso, em agosto os três estados do Sul completaram um ano de presença no Mapa do Monitor.

Já no Centro-Oeste, devido à piora nos indicadores, aconteceu um avanço da seca extrema no sul de Goiás e da seca grave no sul de Mato Grosso do Sul, além do aumento da área com seca moderada em Goiás e Mato Grosso. Em Tocantins, único estado do Norte monitorado, devido às chuvas abaixo da média e à piora nos indicadores, houve o avanço da seca grave no noroeste e da seca moderada no sudoeste do estado.

O Monitor realiza o acompanhamento contínuo do grau de severidade das secas no Brasil com base em indicadores do fenômeno e nos impactos causados em curto e/ou longo prazo. Os impactos de curto prazo são para déficits de precipitações recentes até seis meses. Acima desse período, os impactos são de longo prazo. Essa ferramenta vem sendo utilizada para auxiliar a execução de políticas públicas de combate à seca e pode ser acessada tanto pelo site monitordesecas.ana.gov.br quanto pelo aplicativo Monitor de Secas, disponível gratuitamente para dispositivos móveis com os sistemas Android e iOS.

Com uma presença cada vez mais nacional, o Monitor abrange as cinco regiões do Brasil, o que inclui os nove estados do Nordeste, os três do Sul, os quatro do Sudeste, os três do Centro-Oeste mais o Distrito Federal, além de Tocantins. O processo de expansão continuará até alcançar todas as 27 unidades da Federação.

O Monitor de Secas é coordenado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), com o apoio da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME), e desenvolvido conjuntamente com diversas instituições estaduais e federais ligadas às áreas de clima e recursos hídricos, que atuam na autoria e validação dos mapas. Por meio da ferramenta é possível comparar a evolução das secas nos 20 estados e no Distrito Federal a cada mês vencido.

O projeto tem como principal produto o Mapa do Monitor, construído mensalmente a partir da colaboração dos estados integrantes do projeto e de uma rede de instituições parceiras que assumem diferentes papéis na rotina de sua elaboração.

A metodologia do Monitor de Secas foi baseada no modelo de acompanhamento de secas dos Estados Unidos e do México. O cronograma de atividades inclui as fases de coleta de dados, cálculo dos indicadores de seca, traçado dos rascunhos do Mapa pela equipe de autoria, validação dos estados envolvidos e divulgação da versão final do Mapa do Monitor, que indica a ausência do fenômeno ou uma seca relativa, significando que as categorias de seca em uma determinada área são estabelecidas em relação ao próprio histórico da região.

Opinião dos leitores

  1. É muito azar para o povo do RN, depois de Rosalba Ciarlini, Robinson Farias e Fátima Bezerra….. essa falta de chuva, o estado vai fechar e pedir concordata, só Deus na causa.

    1. Bote AZAR nisso, todos esses GOVERNADORES, tem nojo de PELEGAS.
      Os procedimentos desses GOVERNANTES, é deixar os PELEGAS na linha de POBREZA. Ainda tem gente com em defesa desses HIPÓCRITAS.

  2. Culpa da Governadora e do Secretário do Meio ambiente, que não tem política pública de combate às seca e queimadas.
    Essa tá sendo a pior Gestão em Segurança pública, saúde, educação e meio ambiente.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Selic será elevada até o patamar necessário para atingir meta da inflação, diz presidente do Banco Central, que reclama que ‘Petrobras aumenta preços muito rápido’

Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

A uma semana para a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse que preços como o da gasolina, que têm pressionado a inflação, sofrem impacto da alta do dólar e lembrou que a Petrobras repassa esses custos com mais frequência que o que ocorre em muitos países.

No mesmo dia, o presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, que participou de audiência na Câmara dos Deputados, culpou os tributos estaduais pelos preços elevados dos combustíveis. Em alguns estados, a gasolina já passou de R$ 7 o litro.

Campos Neto explicou que a inflação sofreu sucessivos choques nos últimos meses, como o preço dos commodities e, mais recentemente, da crise hídrica, que afetou os preços de energia.

Segundo ele, a parte de energia inclui os preços de petróleo e etanol, que também tiveram impacto da desvalorização cambial, o que fez com que o preço de commodities em reais tivesse efeito maior no país.

— A parte de passar esse preço de commodities para o preço interno no Brasil, o mecanismo é um pouco mais rápido, lembrando que a Petrobras, por exemplo, passa preços muito mais rápido do que a grande parte dos outros países. A gente tem olhado isso também.

‘Alta frequência’

Ele participou de evento do BTG nesta terça-feira. E explicou que, diante da alta nos preços, a taxa básica de juros, a Selic, será elevada até o patamar necessário para atingir a meta de inflação.

Atualmente, a taxa está em 5,25% ao ano, e a sinalização do BC é que deve subir mais um ponto percentual na próxima reunião. Mas Campos Neto deixou claro que não vai mudar a política monetária por questões pontuais.

— Algumas coisas a gente tem comunciado, já tinha antecipado, algumas coisa de disseminação estão um pouco piores na ponta, mas a gente tem um plano de voo que a gente olha no horizonte mais longo. Isso não significa que você não vai atingir o objetivo de estabilizar, de fazer a convergência da inflação na frente, mas significa que não obrigatoriamente tem a necessidade de reagir a dados de alta frequência — disse Campos Neto.

Mercado vê inflação a 8% em 2021

Na semana passada, o IBGE divulgou que a inflação subiu 0,87% em agosto, o que resulta em um índice de 9,68% em 12 meses.

Assim como a inflação, as expectativas do mercado para o índice também vem subindo nas últimas semanas. Segundo o relatório Focus, que reúne as projeções de mercado, o IPCA deve ficar em 8% este ano e 4,03% no próximo. Se concretizado, ambos estariam acima das metas de inflação, de 3,75% e 3,5%, respectivamente.

Campos Neto também voltou a dizer que o pano de fundo fiscal é melhor do que o esperado no início da pandemia, mas ressaltou que há ruídos porque o mercado percebe um risco fiscal atrelado ao processo eleitoral.

— Tem um ruído atrelado ao fato de que vários programas que o governo tem feito, existe uma percepção por parte do mercado que esses programas estão associados a uma intenção de fazer um Bolsa Família que está ligado ao processo eleitoral. A gente entende que quando for virada a página esse tema, que deve acontecer em breve, as pessoas vão focar um pouco mais no pano de fundo — disse.

Nas últimas semanas, o governo tem discutido uma solução para abrir espaço no Orçamento para a criação do Auxílio Brasil, que deve substituir o Bolsa Família. Entre os pontos debatidos, está a questão do pagamento dos precatórios, que causou incerteza no mercado e ainda está sem solução.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Que estranho um governo que se dizia liberal criticar a política de preços de uma Empresa? O problema maior não é a Petrobras acompanhar a variação no mercado internacional do preço do barril de petróleo e sim a enorme desvalorização de nossa moeda que foi uma das maiores no último ano, fruto de uma política de juros baixos e que causou uma inflação sem controle especialmente de commodities.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

DO CAFÉ AO AÇÚCAR E A FARINHA: Cesta básica registra alta em Natal em agosto; veja produtos com aumentos mais elevados

O custo da Cesta Básica na cidade do Natal, em agosto de 2021, teve uma variação positiva de 0,68% em relação ao mês anterior. O levantamento é do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (Idema).

De acordo com o órgão, nas despesas com os produtos essenciais, o custo com a Alimentação por pessoa foi de R$ 479,49. Para uma família constituída por quatro pessoas, esse valor alcançou R$ 1.917,96. Se a essa quantia fossem adicionados os gastos com Vestuário, Despesas Pessoais, Transportes etc., o dispêndio total seria de R$ 5.914,26.

VEJA MAIS: Com alimentos e bebidas liderando alta, Índice de Preços ao Consumidor(IPC) aumenta em agosto em Natal; veja produtos que mais ‘pesaram’ no bolso

O Idema ainda destaca que dos treze produtos que compõem a Cesta Básica, oito tiveram variação positiva: café (8,32%), açúcar (7,56%), margarina (7,52%), farinha (6,32%), legumes (5,21%), leite (4,41%), tubérculos (1,38%) e feijão (1,24%). As variações negativas ocorreram em cinco produtos restantes: Óleo (-2,46%), Carne de Boi (-1,39%), Frutas (-1,19%), Pão (-0,78%) e Arroz (-0,49%).

 

Opinião dos leitores

  1. O que o pobre habitante natalense ganha mal garante o dinheiro para comprar bebida,comida e remédio cotidiano,o perfume,o vestuario e o calçado,o celular,o natalense só pode comprar através da divisão em várias parcelas,(os não funcionários públicos)a maioria dos trabalhadores locais são sub-empregados ou ganham um salário mínimo,a sorte da economia natalense é a renda do funcionálismo público municipal, estadual e federal; principalmente por militares e bancários que fazem movimentar o setor comercial e de serviços e a indústria imobiliária que fazem com que a renda domiciliar dos natalenses ultrapasse o valor numérico de renda familiar de 4.000,00 se não fosse a renda dos funcionários públicos ativos, aposentados e pensionistas essa cidade seria uma cidade de pessoas paupérrimas ao estilo social e econômico africano e a cidade do Natal que é também movida financeiramente pelo setor turístico notadamente dominado por empresários forasteiros dos estados da Paraíba,Pernambuco e do Ceará,de São Paulo e do Rio de Janeiro e de outros estados brasileiros e por empresários internacionais que pagam ao pobre trabalhador manual um salário mínimo e o gerente no máximo um,dois ou três salários mínimos,o habitante natalense sobrevive sempre “aperriado”ou apertado financeiramente e na aparência das boas condições financeiras e sociais.
    O carro novo está se tornando cada dia mais difícil e caro para compra-lo e a casa ou apartamento está se tornando impossível para mais de 80 ou 90%dos casais jovens comprarem a casa ou apartamento dentro da cidade do Natal,os casais jovens majoritariamente só conseguem comprar a casa ou apartamento próprio em cidades vizinhas como Parnamirim,São Gonçalo,Ceará Mirim,Extremoz,Macaiba.

    1. A élite de funcionarios publicos de Natal sempre moravam em bairros como cidade alta, petrópolis e tirol,no Alecrim:nas vilas militares onde moravam os oficiais e os praças, e, no bairro Vermelho;parte do antigo bairro da jaguarari e depois os funcionarios públicos passarão a morar nos novos conjuntos habitacionais contruidos para abriga-los, hoje a maior parte dos bairros da zona sul de Natal os bairros de Lagoa Nova: mirassol, potilandia. Candelaria, Pitimbu: cidade satelite e bancarios. Neopolis: pirangi, jiqui e em Ponta negra; no conjunto Ponta negra e na Zona Norte nos bairros/conjuntos panatis e Santa Catarina.
      Parte da elite de servidores públicos e dos micro e pequenos e medios empresarios passarão a morar depois nos años 90 e 2000 em condominios fechados e parte migrou para o Bairro de Nova Parnamirim em Parnamirim.

  2. Olhaí! no tempo do PT, pelo menos o pobre podia comer. Hoje até a classe B tá chupando a sola da chinela pra enganar a fome…

  3. E vamos sai na rua atrás descer crápula desse mitômaniaco matando a todos de fome rebanho de bestas agora blogueiro peço a vc poste meu comentário já que sou seu leitor por favor não misture sua paixão pelo genocídio. Não seja profissional e poste nossos comentários se somos contrários seus pensamentos em relação ao rei das rachadinhas mais primeiro observe que somos seus leitores se vá pedir pinico a seu presidente possa ser que ele lê de um cargo pra vc não morre de fome também

  4. Isso não interessa, nem a bôbolsonaro nem a ninguém, melhor xingar os ministros que estão com os processos das práticas ilícitas dos filhos e familiares do presidente, e da mídia fake também do mito. Nem devemos também falar do estelionato eleitoral, cujas promessa era banir os corruptos do Brasil, hoje estamos no reino da Impunidade e o centrão com as chaves dos cofres brasileiros, sob a orientação do temer, sem mencionar na paralisação da economia e o desemprego, com pitada da alta da inflação, mas isso não nos interessa, vamos é pra o conflito, taoquei?

    1. Saudade do seu verme ladrao condenado Lula? Se mude para o paraíso Venezuela ou Cuba

    2. Brasil, sou Bolsonaro, o foco é o conflito, o resto é apenas um detalhe. Sabe da próxima bomba? Ou quer que desenhe? Taokei!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

EFEITO PERVERSO DA PANDEMIA: Estudo mundial constata o aumento explosivo de ansiedade e depressão entre crianças e adolescentes

ISOLADA - Longe dos amigos: no confinamento forçado, a vida dos pequenos ficou imprevisível e cheia de incertezas – Foto: ozgurdonma/Getty Images

As crianças e adolescentes vivem uma contradição nesta pandemia. Se eles são mais resistentes à ação nefasta do vírus do que os adultos, suas mentes estão entre as vítimas preferenciais do cenário atual. Um dos mais completos estudos já realizados sobre os efeitos da Covid-19 na saúde psicológica identificou o aumento explosivo de sintomas de ansiedade e depressão entre jovens, considerando desde a primeira infância até pouco antes de se tornarem maiores de idade. O levantamento coordenado pela Universidade de Calgary, do Canadá, compilou informações de 29 estudos que abordaram os desígnios mentais de 80 000 pequenos participantes de diversas partes do mundo, inclusive da América do Sul. O porcentual de jovens ansiosos saltou de 11,6% antes da pandemia para 25,2% agora — trata-se de um aumento superior a 100%. Para ficar claro: um em cada quadro jovens desenvolveu algum tipo de ansiedade enquanto o novo coronavírus se multiplicava pelo mundo. Os depressivos eram 12,9% nos tempos pré-Covid e são 20,5% atualmente.

Foto: Arte depressão

A juventude é um período único da vida. Nessa fase, são comuns rompantes de felicidade entremeados com momentos de angústia, tudo junto e misturado em uma sinfonia de pensamentos típicos da tenra idade. Os psicólogos dizem que, nesse período mágico, os jovens precisam de rotina, ordem e equilíbrio — tudo aquilo que a pandemia aniquilou de forma repentina. A vida ficou imprevisível, cheia de incertezas. Com as restrições de circulação, o convívio social foi abruptamente interrompido. Amigos de escola, colegas de clube, parceiros de baladinhas para os adolescentes, todos eles saíram de cena, e a tela do smart­phone, computador ou TV passou a ser, durante um bom tempo, o único ponto de contato com o mundo lá fora. “Estar socialmente isolado, afastado dos amigos, das rotinas escolares e das interações sociais revelou ser muito duro para os jovens”, diz Sheri Madigan, uma das autoras do estudo.

Foto: Arte depressão

Os meses de isolamento foram, de fato, terríveis. Rejane Tardelli, mãe de Maria Fernanda, de 12 anos, e João Guilherme, de 14, identificou uma mudança negativa no humor dos filhos desde o começo da pandemia. Para entender o problema, ela agendou consultas com uma psicóloga para toda a família — e, sim, a crise se devia ao isolamento imposto pelo vírus. Maria Fernanda conta que, com a suspensão da escola e das aulas de futebol, tênis e skate, a vida piorou. “Fiquei mais triste mesmo”, resume a garota. Ela teve de trocar o contato com amigos e colegas por brincadeiras com o cachorro e mais tempo on-­line, em sites como o YouTube.

A volta às aulas pode ser um antídoto contra a ansiedade e a depressão. As escolas obviamente favorecem o contato próximo entre os jovens, mas elas também estão atentas aos incômodos mentais. Segundo Claudia Santos Ferreira, psicóloga do Colégio Pensi, no Rio de Janeiro, a procura dos estudantes por conversas ou atendimentos cresceu de modo significativo desde o começo da pandemia, inclusive entre crianças com menos de 10 anos. “Entre nossos alunos, aumentaram muito as queixas daquilo que os menores chamam de tristeza e os mais velhos, de depressão”, afirma Claudia. “Eles têm falado frequentemente sobre dificuldades nas relações com os colegas, da sensação de isolamento e do frequente desinteresse pelos estudos.”

O fenômeno é notado em diversos colégios. Meire Nocito, diretora educacional do Visconde de Porto Seguro, de São Paulo, reforça o papel vital do retorno às aulas presenciais. “Na escola, o jovem tem autonomia, ao contrário do ambiente doméstico, onde fica muito vinculado à família”, diz. “Em tempos de pandemia, ele precisa estar em um lugar onde aprende a lidar sozinho com conflitos.” Brae Anne McArthur, uma das pesquisadoras que conduziu o estudo da Universidade de Calgary, concorda com esse ponto de vista. “Sabemos que jovens se dão bem com rotinas claras”, diz. “Por isso, o retorno à escola e a atividades extracurriculares é muito importante, podendo acrescentar mais pontos de apoio à saúde mental de crianças e adolescentes.”

A história ensina que as grandes crises costumam ser devastadoras para as novas gerações. Durante a II Guerra, crianças da então Prússia Oriental foram separadas de suas famílias e, para escapar da morte, vagaram por florestas durante meses. Devido aos hábitos selvagens que acabaram adquirindo, receberam o apelido de crianças-lobo. Durante anos, esses ex-andarilhos, mesmo depois de reintegrados à sociedade, conviveram com os danos psicológicos provocados pela experiência traumatizante. Um famoso estudo dessa época reforçou a importância da manutenção de laços familiares. Durante os confrontos, milhares de crianças foram retiradas de Londres e outras cidades para morar em lares adotivos no interior da Inglaterra. Segundo a pesquisa, os jovens que ficaram com suas famílias, mesmo debaixo de bombardeio, eram mais “felizes” — na medida do possível, ressalte-se — do que os exilados.

O curioso é que, na pandemia do século XXI, muitos laços familiares foram revigorados graças ao confinamento forçado. Para muitas famílias, o período dentro de casa ajudou a aproximar pais e filhos. “Algumas crianças relataram que essa fase trouxe aspectos positivos e oportunidade de crescimento”, diz Guilherme Polanczyk, psiquiatra de crianças e adolescentes e professor da USP. Isso certamente ocorreu em muitos lares, mas o quadro geral mostra que a pandemia provocou estragos que deverão ser duradouros. Na psicologia, um evento traumático ocorrido hoje vai reverberar apenas amanhã, em um processo que pode levar meses ou anos. Seja como for, apenas o futuro será capaz de dimensionar o real estrago provocado por um vírus que obrigou a sociedade a se reorganizar, alterando hábitos enraizados. É certo que as crianças e adolescentes sofreram, só não se sabe exatamente quanto. Mas é certo também que vão se restabelecer.

Veja

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Distribuidoras no RN alegam ‘aumento de custos’, gás de cozinha tem novo reajuste e preço médio do botijão chega a R$ 107

O portal G1-RN noticia que o preço do gás de cozinha tem um novo aumento registrado no Rio Grande do Norte a partir desta sexta-feira (3). De acordo com o sindicato das distribuidoras, o acréscimo é de aproximadamente 7%. Com isso, o botijão de 13 kg deve custar em média R$ 107. Apesar dos seis aumentos realizados pelas Petrobras ao longo do ano, o novo reajuste anunciado foi feito pelas próprias distribuidoras.

A matéria ainda destaca que de acordo com Francisco Correia, presidente do sindicato que representa as empresas no RN, a medida foi necessária por causa do aumento dos custos operacionais.

Opinião dos leitores

  1. E não adianta os bichos de chifres querer invadir o supremo. Já tomaram providências e fizeram um mata burros que os impedirão de ter acesso. Quer protestar de verdade, procura o cagão e diz a ele que governe para o povo mais pobre, o assalariado, o desempregado e os excluídos. Mandem ele trabalhar e avisem que cercadinho não é escritório.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Projeto que prevê aumento da faixa de areia da praia de Ponta Negra deve ser licitado em 2022

 Foto: Cedida/Prefeitura de Natal

O que já foi uma extensa faixa de areia agora é uma área espremida entre o mar e um calçadão, tomada por guarda-sóis. Na maré alta, a areia some e as ondas batem nas pedras do enrocamento que protege o passeio público na praia de Ponta Negra, em Natal. A Prefeitura da capital potiguar tem um projeto de engorda — um alargamento da faixa de areia — da praia de Ponta Negra, mas a previsão atual é de que a licitação dessa obra específica só ocorra no início de 2022.

O principal argumento da prefeitura para as obras de alargamento é recuperar o potencial turístico de sua praia mais famosa, inspirada em projetos como o realizado em Balneário Camboriú. Segundo o secretário de Obras do município, o alargamento da faixa de areia é a segunda etapa do plano de recuperação da praia de Ponta Negra. Antes dele, o município precisará terminar o enrocamento, que é uma proteção feita de pedras, entre a praia e o calçadão.

Atualmente, há dois quilômetros de proteção, que foram instalados de forma emergencial em 2014. Mas faltam outros dois quilômetros, até as proximidades do hotel Sehrs, na Via Costeira.

Todos os detalhes podem ser conferidos em reportagem completa AQUI do G1-RN.

Opinião dos leitores

  1. Nunca sairá do papel, ano que vem tem eleições e será bandeira de alguns candidatos.
    Até hoje, a população espera o shopping do Alecrim, a retirada dos camelôs e a Praça.

  2. meu Deus, vão acabar mais ainda com a praia… aquelas pedras tornaram a praia um paraíso para os ratos e o terror pra quem tem problemas de mobilidade.

  3. Precisa de mais espaço para acomodar os frequentadores daquela pocilga, que hoje se resume basicamente a maloqueiros, bêbados e ladrões. Ah, tem os ratos também, que terão mais espaço para brincarem!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Junta Comercial do RN registra aumento de 40% no número de empresas abertas no semestre

FOTO: ASSECOM/RN

Segundo dados da Junta Comercial do RN, as solicitações para abertura de empresas tiveram alta de 40% entre janeiro e junho no comparativo com o mesmo período do ano passado. Foram 4.372 novos negócios em 2021 frente a 3.136 em 2020. Os números também apontam melhora no paralelo com o cenário pré-pandemia, com acréscimo de 7% em relação ao 1º semestre de 2019.

A maioria desses empreendimentos tem um perfil parecido: 90% são micro ou pequenas empresas, 50% atuam no setor de serviços e 37% praticam atividade do comércio. Outra marca registrada é que este é o semestre com mais solicitações de abertura desde 2013.

Já o número de empresas que encerraram suas atividades, após se manter estável entre 2019 e 2020, oscilou com aumento de 7%. Foram cerca de 2.400 baixas. Ainda assim, o saldo final é positivo, com 60% mais negócios iniciando suas atividades do que encerrando.

“Os dados de abertura no primeiro semestre deste ano foram positivos em relação a 2020 e também em relação a 2019. O que pode ser considerado, sim, um sinal de recuperação. É importante frisar que a Jucern se modernizou nesse período e essas simplificações também impactam o ambiente de negócios, pois elas permitem condições propícias para o aproveitamento de oportunidades. Hoje a Jucern é um órgão 100% digital, o investimento em tecnologia vem de antes da pandemia e foi fundamental para garantir a continuidade dos serviços, mesmo com a necessidade de isolamento social”, destaca o presidente da Jucern, Carlos Augusto Maia.

Os serviços estão integrados no portal Redesim RN, que reúne os dados cadastrais da Receita Federal e demais órgãos estaduais e municipais que participam do processo de abertura, alteração e baixa de empresas, em um ambiente virtual interativo e de fácil acesso. Atualmente, desde o registro de empresas e demais alterações até a emissão de certidões de inteiro teor e a autenticação de livros contábeis são feitas de forma online.

Recentemente, foi disponibilizada no Redesim RN a assinatura avançada, ferramenta que garante a autenticidade de documentos em meio digital. O dispositivo utiliza o cadastro na plataforma nacional de acesso a serviços públicos Gov.br para fazer a identificação nos procedimentos. Com isso, sua utilização é gratuita e contribui para simplificar e modernizar o ambiente de negócios.

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Jornalismo da Record TV tem aumento da audiência em 12 praças

Foto: Divulgação

Em junho, o jornalismo da Record TV foi destaque na audiência em diferentes praças, apresentando um forte crescimento com relação ao mês anterior. No Distrito Federal, cinco programas superaram os 60% de crescimento.

Um deles foi o Cidade Alerta DF, atingindo 85% de alta. Em Goiânia e Belo Horizonte, quatro jornalísticos em cada praça tiveram alta na média de até 29% na capital goiana e entre 10 e 21% na região mineira.

Outras praças cujas atrações aumentaram fortemente a audiência foram: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza, Curitiba, Campinas, Belém, Vitória e Manaus, sendo que, quase na totalidade, os programas garantiram a vice-liderança.

Confira as audiências do Distrito Federal

O Balanço Geral Manhã registrou 1,8 ponto de média e share de 14,3% – um crescimento de 61% em audiência, já que em maio alcançou 1,1 ponto de média.

O DF no Ar teve alta de 78% com relação ao mês anterior, quando havia marcado 2 pontos de média, e obteve 3,8 pontos de audiência. O share ficou em 18,8%.

Já o Balanço Geral DF registrou, em junho, 9,2 pontos de média e share de 21%, aumentando sua audiência em 61% com relação a maio, quando ficou com 5,7 pontos de média.

O Cidade Alerta DF marcou 10,8 pontos de média e share de 20,4%, o que representa um crescimento de 85%, já que no mês anterior o programa havia registrado 5,8 pontos de média.

E o DF Record alcançou 10,2 pontos de média e share de 17%. Assim, o programa aumentou a audiência em 60% com relação a maio, quando obteve 6,3 pontos de média.

Metrópoles

 

 

Opinião dos leitores

  1. é a cada dia que passsa a globo estar diminuindo, perdendo espaço para outras . estão encolhendo demitindo funcionarios , perdendo eventos , Perderam copa America, jogos da Libertadores , perderam formula 1 ,sem contar que a audiência despenca dia apos dia

  2. A mamata da globolixo acabou talkei! Agora o SBT e a Record que estão na mamata de nosso dinheiro… O preço do combustível baixou? Não, só aumentou! A troca do presidente da Petrobras nada teve a ver com o preço dos combustíveis e sim dele não ter assinado um contrato de publicidade de 100 milhões com o SBT e a Record… Haja capim cloroquinado pra acreditar nesse governo do MINTOmaníaco das rachadinhas cheio de corruptos!

  3. Jornalismo tem de ser fonte de divulgação de fatos e não de ideologias, versões parciais da verdade ou ativismo político.
    Jornal Nacional, por exemplo, está sendo enterrado a cada dia por causa disso. Hoje só quem assiste esse lixo é quem não tem opção ou está desinformado.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

RN voltou a apresentar aumento número de mortes violentas e cidade na Grande Natal fica entre as 10 mais violentas do país, aponta Anuário da Segurança Pública

O portal G1-RN destaca em reportagem nesta quinta-feira(15) que o município de São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana de Natal, foi uma das 10 cidades mais violentas do país ao longo do ano de 2020, de acordo com dados do Anuário da Segurança Pública, lançado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O levantamento sobre as cidades com mais de 100 mil habitantes que tiveram taxa de mortes superior a média nacional deixou São Gonçalo do Amarante na 9ª colocação entre as 10 mais violentas do país, com taxa de 71,4.

O Anuário também apontou que o Rio Grande do Norte voltou a apresentar aumento no número de mortes violentas, após dois anos de baixas. Os crimes letais intencionais tiveram crescimento de 5,5%. No caso dos homicídios, o crescimento foi de 13%.

Opinião dos leitores

  1. O RN depois da Eleição de Fátima Bezerra PT é campeã da violência Mossoró 10° e São Gonçalo do Amarante 9°. É gopi

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Entenda a faloplastia, cirurgia de aumento do pênis, que ganhou repercussão com procedimento de cantor sertanejo

Foto: Reprodução/Instagram

Tiago, dupla sertaneja de Hugo, se submeteu a uma faloplastia, cirurgia de aumento peniano, na semana passada. Em conversa com o G1, 48 horas após acordar da anestesia geral, o cantor garantiu:

“Foi muito de boa, muito tranquilo. É como se eu não tivesse feito nada. A gente só entende que fez, porque realmente ela traz um resultado visível. É um negócio bem louco.”

“Está muito recente ainda para falar: ‘está tudo certo’. Mas você fala: ‘caramba, é possível mesmo’. Na cabeça dos homens, eu te confesso, acho que ninguém tem essa noção, só quem faz mesmo.” Leia o depoimento completo do cantor mais abaixo.

Mas o que é a faloplastia?

Faloplastia é uma cirurgia que “basicamente consiste no aumento do comprimento do pênis e no aumento de seu diâmetro”, explica o cirurgião plástico Cláudio Eduardo Pereira de Souza, responsável pelo procedimento em Tiago. Como toda cirurgia, o procedimento tem riscos, deve ser feito em ambiente seguro, por um médico com registro profissional ativo e após a realização de exames.

Ao G1, Cláudio explicou que a operação conta com três etapas. Todas acontecem ao longo da mesma cirurgia, que dura cerca de duas horas. São elas:

lipoaspiração na região pubiana com intuito de coleta de gordura;

liberação do ligamento suspensor do pênis para obtenção do ganho do comprimento;

utilização da gordura previamente lipoaspirada para enxertar ao redor do pênis para se ganhar o diâmetro.

Como resultado, o paciente pode obter entre 2 e 5 centímetros no comprimento e em torno de 30% em relação ao diâmetro.

“Cada paciente é um paciente. As medidas de ganho variam. Tudo depende do quanto de pênis o paciente teria embutido, podemos dizer assim”, explica Cláudio.

O cirurgião afirma que o procedimento é indicado para quem tem micropênis e também para quem tem pênis normal, mas o considera pequeno.

“Existem alguns casos de pacientes com pênis grande e que desejam fazer esse tipo de cirurgia. Geralmente são os atores pornôs, que vivem ali daquela imagem do pênis grande. Mas para o público geral, para melhor entendimento, é indicada para aquele paciente acima de 18 anos, com vida sexualmente ativa, e que deseja ter um pênis maior.”

Sobre os riscos, Cláudio afirma que são os de qualquer cirurgia, por isso o paciente passa por uma bateria de exames antes. Segundo o médico, a faloplastia é uma cirurgia de médio porte, por isso “os riscos são bem controlados e são pequenos”. Na sua avaliação, “dificilmente ocorre alguma questão de intercorrência”.

Seguindo determinação do Conselho Federal de Medicina, que proíbe a divulgação de valores, o cirurgião não cita o custo da cirurgia.

Por que fazer a cirurgia?

Dois dias após a cirurgia, Tiago afirmou que só sentia uma leve dor abdominal. O cantor explicou que já retomou algumas atividades – como dirigir e fazer alguns trabalhos musicais.

Mas ele afirmou que, seguindo o protocolo pós-cirúrgico, só deve retomar atividades de esforço físico em trinta dias. E isso inclui relações sexuais. Ao falar sobre o tema, o cantor sertanejo garantiu que isso não influenciou em sua decisão pela faloplastia.

“Eu não fiz pensando nisso, e não fiz por namorada alguma, por alguém. Eu fiz isso por mim, pela minha curiosidade, pelo desejo que eu tive a partir do momento que vi que era possível uma coisa dessas”, explicou.

“Pra mim, Tiago, inicialmente foi de curiosidade, porque eu nunca tive problemas nas minhas intimidades. Mas eu, me conhecendo, falei: ‘Caramba, velho, se tiver essa possibilidade de dar um tapinha aí, acho que ia ser legal. Um golinho a mais, não ia ser ruim, não’.”

Após contar publicamente seus planos para a cirurgia, ele recebeu diversas mensagens de homens que manifestaram o desejo em realizar o procedimento e se abriram sobre seus dramas pessoais. O cantor relembrou até relatos que recebeu sobre problemas conjugais e tentativas de suicídio.

“Quando comecei a conversar sobre isso, percebi que é um problema na vida de muita gente. Tem gente que tira a própria vida por conta disso. Tem homens com depressão. Tem casais que vivem consequências grandiosas, ruins.”

“É um assunto muito sério. Aí fui entender a grandiosidade que é isso.”

Medos da cirurgia

Tiago conta que, apesar de alguns relatos de que poderia perder a sensibilidade na região, não teve medo de que isso acontecesse.

“Essa cirurgia que eu fiz é uma cirurgia que não interfere em nada na sensibilidade, na questão funcional. Você não chega a entrar nesse campo, nesse risco. É uma coisa estética”, explicou.

O único medo de Tiago foi em relação a anestesia geral. “Obviamente eu me concentrei uns 5 minutinhos antes e conversei com Deus para que ajudasse que tudo desse certo e tal, porque anestesia geral a gente sabe que você pode não voltar.”

Com G1

 

Opinião dos leitores

  1. Vixe e tem isso? O meu já é gg Kkkķ
    Aqui tem uns que gosta de embutir pênis dos outros kkkkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Senado aprova destaque de Zenaide que evita aumento da CSLL para agências de fomento: “Sou a favor de taxar o sistema financeiro, mas não de prejudicar micro e pequenas empresas”

Com destaque da senadora Zenaide Maia (Pros-RN), o Senado aprovou o PLV 12/2021, que trata do aumento da alíquota da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), de 20% para 25%, para as instituições financeiras. A senadora apresentou emenda ao texto do projeto para que as agências de fomento e bancos de desenvolvimento ficassem de fora do reajuste, evitando, assim, prejuízo aos micros e pequenos empresários que procuram crédito nessas instituições.

“Sou a favor de taxar os lucros do sistema financeiro, mas, no caso das agências de fomento e dos bancos de desenvolvimento regional, quem pagaria a conta do aumento da CSLL seriam as micro e pequenas empresas. Por isso, apresentei emenda e, como ela não foi aceita, defendi destaque para a votação em separado. Felizmente, a maioria dos senadores concordou que isso não era justo com quem é responsável por 70% dos empregos em nosso país!”, comemorou a parlamentar.

O destaque defendido por Zenaide foi aprovado por 39 votos a favor e 29 contra, na sessão do Senado desta terça-feira, 22. O texto do PLV 12, originado da Medida Provisória 1.034/2021, volta para votação final na Câmara dos Deputados.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Projeto do Executivo em Natal em votação na Câmara aumenta tributo de profissionais autônomos e de sociedades

Projeto do executivo que será votado na ordem do dia nesta quarta-feira(02) da Câmara de Natal, aumenta tributo de profissionais autônomos e de sociedades.

Veja alguns detalhes abaixo em documentos:

(Fotos: Reprodução)

Projeto de lei complementar:


Fotos: Reprodução

Opinião dos leitores

  1. Prefeito que trabalha, que atua imparcialmente em prol de uma Natal melhor, oferecendo uma boa qualidade de vida aos Natalenses. Nosso futuro governador do RN, para salvar esse estado da má gestão da Sra Fátima Cadeado, que acabou com a economia, com nossas estradas e esperança de dias melhores, para o povo Norte Rio Grandense.

    1. Aí é babão viu! Vc tá mamando em algum cargo do governo do MINTO ou do prefeito ?

    2. Com certeza vc nao leu o que esta escrito, vi hj que vc so critica independente do que seja, falou a imunizadora

    3. Eu critico TODO e QUALQUER governante pois quem paga o salário e outros privilégios deles SOMOS TODOS NÓS! Quem tem político de estimação ou os idolatra no Brasil ou mama em algum cargo público ou é muito alienado! Vocês se enquadram em qual categoria?

    4. Olha para o rabo mané porta louca. Vc é um reles desocupado, não honra as calças que veste, vive escrevendo baboseiras, é um ridículo, vai procurar o que fazer mequetrefe, teu ladrão vai morrer por inanição de votos, vc viu as enormes e descabidas aglomerações em torno das sua ideias, de passagem, aglomeram é um erro.

    5. Antônio Veras se sentiu atingido? Caiu a carapuça? Ficou afetada? KKKK. E aí, vc está em qual categoria: mama em algum cargo público ou é muito alienado mesmo? Meu voto e meu apoio não depende de ficar lambendo BOLAS, digo, BOTAS de nenhum político…

  2. Aumenta imposto e a cidade continua suja, escura, esburacada, sem praças e parques habitáveis, transito caótico, serviços ruins e tudo mais.

  3. Haja ivermectina , cloroquina e “Cepa América” para os que defendem esse Prefeito e agora vão pagar mais impostos sem qualquer contrapartida ou corte de gastos realizado pelo executivo municipal! Ter político de estimação, logo no Brasil, é muita alienação!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap alerta: Aumento de quadro respiratório em crianças no RN pede cuidados

As doenças respiratórias são uma das causas mais comuns nas hospitalizações de crianças, principalmente entre os meses de março e junho, levando a uma maior taxa de ocupação de leitos da unidade hospitalar do Hospital Maria Alice Fernandes.

Com o surgimento do Covid-19, houve um aumento significativo no número de atendimento de casos com quadros respiratórios notificados como suspeita de infecção pelo SARS-COV2, quando comparados aos anos anteriores em que já havia a vigilância para outros vírus, como a influenza e o vírus sincicial respiratório. Entretanto, é notória a evolução da sensibilidade e adesão da equipe ao protocolo de triagem de todos os pacientes que apresentam sintomas respiratórios, não permitindo possibilidade de comparação real entre os anos anteriores à pandemia.

De acordo com os dados do núcleo hospitalar de epidemiologia, em 2020 o número de casos confirmados de influenza foi menor do que nos anos de 2018 e 2019, assim como de VSR e adenovírus. Os casos suspeitos de Covid-19 em 2020 foram de 766 e 124 confirmados. Até maio de 2021, foram 71 casos confirmados e 451 casos suspeitos de Covid-19. Em 2020 tivemos dois óbitos confirmados e até maio de 2021, já foram três óbitos. Em 2020 tivemos dois óbitos confirmados e até maio de 2021, já foram três óbitos. Houve um aumento do total de casos notificados como suspeitos e de casos confirmados para Covid-19, nos cinco primeiros meses de 2021 já sendo notificado o equivalente a 60% do total de 2020.

“Em 2020 e 2021 a pesquisa de outros vírus respiratórios não foi realizada de forma contínua pelo LACEN devido a elevada demanda da pandemia, levando a uma fragilidade no conhecimento dos vírus que estão envolvidos nas doenças respiratórias desses casos notificados. Mas no pequeno número de exames realizados para os demais vírus, foi possível detectar a circulação do adenovírus, vírus da influenza e do vírus sincicial respiratório.” Informou a enfermeira do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia do Hospital Maria Alice Fernandes, Raquel Monteiro.

Cuidados e prevenções com as crianças

Apesar da Covid-19 ser de forma geral mais leve em crianças, ela ainda assim pode causar adoecimento, podendo haver a necessidade de internamento. É importante que os familiares reconheçam a importância da prevenção, não somente para a Covid-19, mas para todas as infecções respiratórias. Entre os cuidados principais, estão:

1. Manter as vacinas das crianças sempre atualizadas, o SUS disponibiliza várias vacinas importantes na prevenção de infecções respiratórias!

2. Evitar contato das crianças com pessoas que estejam com sintomas respiratórios. As pessoas que apresentem sintomas precisam ser conscientes e se manter isoladas das demais para evitar transmissão da infecção. Quando não for possível manter distância da criança, o doente deve sempre utilizar máscara e reforçar os cuidados com a higiene das mãos, e desinfecção do ambiente.

3. Não expor as crianças a aglomerações de pessoas, nem levar a lugares fechados com elevado potencial de contaminação como supermercados, shoppings etc.

4. Manter o ambiente de casa sempre limpo e bem ventilado.

5. Manter os brinquedos sempre higienizados, bem como os objetos que a criança possa ter contato (chaves, controles, celular, telas etc.).

6. Utilização de máscaras nas crianças maiores de três anos.

7. Orientar a criança sobre a importância da higienização das mãos.

Opinião dos leitores

  1. O objetivo agora é aterrorizar as crianças e seus pais? Higienizar brinquedos? Que palhaçada estamos vivendo.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bolsa Família deve aumentar valor e número de beneficiados, diz ministra-chefe da Secretaria de Governo, Flávia Arruda

Foto: © Marcello Casal JrAgência Brasil

A ministra-chefe da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, disse nessa segunda-feira (24) que propostas de mudanças no Bolsa Família devem ser apresentadas nos próximos meses, com aumento de valor e de número de beneficiários. Flávia Arruda foi entrevistada no programa Sem Censura, da TV Brasil, e tratou também de temas como covid-19, vacinação e das reformas administrativas e tributárias.

“Não é uma questão do texto da Câmara ou o texto do governo. Não existe uma disputa de protagonismo e sim uma coisa prática, necessária e urgente, que eu acho que é a ampliação não só do valor, mas também dos beneficiários. Com essa pandemia e com o auxílio emergencial, milhões de brasileiros que eram invisíveis passaram a ser vistos pelo governo e a gente sabe da necessidade que tem dessa ampliação da distribuição de renda”, disse a ministra-chefe, que acrescentou que a discussão sobre o Bolsa Família está em seu radar.

Flávia Arruda disse que já conversou sobre o assunto com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e reconhece que o país vive um momento de escassez de recursos para assuntos que não estejam ligados à pandemia. “Milhares de famílias perderam o emprego, milhares de famílias passaram de pobreza para extrema pobreza, existe a possibilidade [de mudança no programa]. O cobertor é curto, mas dá para ajustar porque o presidente [Jair Bolsonaro] e o governo sabem da importância que é nesse momento da ampliação não só do valor quanto dos beneficiários”, disse.

Única mulher dentre os ministros que atuam no Palácio do Planalto na seara da articulação política, Flávia Arruda disse que foi muito bem recebida após assumir o cargo. “Às vezes um detalhe a mulher vê de uma forma diferente. Não que os homens não vejam, os homens são muito focados, mas as mulheres conseguem ver de uma forma mais ampla as coisas que estão acontecendo ao redor e pode ajudar um pouco mais.”

Deputada federal antes de assumir o cargo de ministra, Flávia Arruda diz que é uma grande defensora de pautas que ampliam o espaço para as mulheres na política. Ela considera a equidade de gênero fundamental. “Nós crescemos 50% do que era na legislatura passada, mas ainda é muito pouco mediante não só outros países, como aqui no Brasil. De 513 [deputados] somos 77 mulheres na Câmara. É necessário essa ampliação, a gente precisa dessa equidade. As mulheres têm que participar mais, mas as mulheres têm que ter voz ativa também neste processo. Por isso ainda é importante essa necessidade de cotas, ou de mais participação dentro da lei, até que isso se torne mais igual entre homens e mulheres. Depois disso, pode deixar que as mulheres tomam conta do resto”, disse.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Essa ministra é casada com um político afastado do cargo pelo “mensalão do DEM” e chegou a ser condenado … Mas ainda bem que no governo do MINTO não tem corrupção (ainda) e segue a nova política né?!

    1. O presidente da CPI é envolvido com desvios de dinheiro da saúde e você nunca falou sobre ele. Desce do muro, mané! Cai logo pra seu lado preferido. Ou seja, a canhota.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Reservas hídricas no RN aumentam volume com últimas chuvas; veja aporte das principais barragens, açudes e lagoas

Foto: ASCOM/IGARN

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora os 47 reservatórios, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado nesta quarta-feira (05), indica que as reservas hídricas superficiais totais do RN, continuam aumentando com as chuvas pelo interior do Estado. Atualmente, somam 2.035.687.106 m³, correspondentes a 46,51% da sua capacidade total. Na última sexta-feira, 30 de abril, o volume das reservas hídricas era de 1.979.033.003 m³, equivalentes a 45,22% da sua capacidade total, que é de 4.376.444.842 m³.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, acumula 1.336.237.997 m³, equivalentes a 56,31% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.510 m³. Na última sexta-feira (30), o manancial estava com 1.313.212.384, correspondentes a 55,34% do seu volume total.

A segunda maior barragem do RN, Santa Cruz do Apodi, recebeu bom aporte hídrico e acumula 207.609.700 m³, percentualmente, 34,62% da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³. No último relatório divulgado, o reservatório acumulava 178.921.150 m³, equivalentes a 29,83% do seu volume total.

Já a barragem Umari, terceiro maior manancial do RN, acumula 199.897.985 m³, correspondentes a 68,27% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. No dia 30 de abril, o reservatório estava com 198.840.187 m³, equivalentes a 67,91% do seu volume total.

O açude que recebeu maior ganho percentual de volume foi o Santana, também conhecido como Gangorra, localizado em Rafael Fernandes, que acumula 6.603.333 m³, correspondentes a 94,33% da sua capacidade total, que é de 7 milhões de metros cúbicos. Na última sexta-feira, o manancial estava com 5.810.000 m³, equivalentes a 83% da sua capacidade.

Outro reservatório que recebeu bom aporte hídrico foi o Malhada Vermelha, localizado em Severiano Melo, que acumula 2.082.880 m³, correspondentes a 27,63% da sua capacidade total, que é de 7.537.478 m³. No último relatório, o açude estava com 1.404.482 m³, equivalentes a 18,63% do seu volume total.

O açude Rodeador, localizado em Umarizal, acumula 13.635.597 m³, percentualmente, 63,71% da sua capacidade total, que é de 21.403.850 m³. No dia 30 de abril, o reservatório acumulava 12.855.304 m³, equivalentes a 60,06% do seu volume total.

O açude Morcego, localizado em Campo Grande, acumula 3.766.837 m³, correspondentes a 56,15% da sua capacidade total, que é de 6.708.331 m³. No final da semana passada, o reservatório estava com 3.511.898 m³, percentualmente, 52,35% da sua capacidade.

A barragem de Lucrécia acumula 7.308.848 m³, correspondentes a 29,53% da sua capacidade total, que é de 24.754.574 m³. Na última sexta-feira, o manancial estava com 6.557.561 m³, percentualmente, 26,49% da sua capacidade.

O reservatório Beldroega, localizado em Paraú, acumula 4.398.387 m³, equivalentes a 54,59% da sua capacidade total, que é de 8.057.520 m³. No relatório anterior ele acumulava 4.129.470 m³, correspondentes a 51,25% do seu volume total.

O açude Flechas, localizado em José da Penha, acumula 5.655.475 m³, equivalentes a 63,19% da sua capacidade total, que é de 8.949.675 m³. Na última sexta-feira, o manancial acumulava 5.499.775 m³, percentualmente, 61,45% do seu volume total.

O açude Alecrim, localizado em Santana do Matos, acumula 2.270.000 m³, correspondentes a 32,43% da sua capacidade total, que é de 7 milhões de metros cúbicos. No dia 30 de abril, o manancial estava com 2.160.000 m³, equivalentes a 30,86% do seu volume total.

Os reservatórios monitorados pelo Igarn que já sangraram durante essa quadra chuvosa foram: o açude de Encanto, Riacho da Cruz II e Passagem, localizado em Rodolfo Fernandes. Os três continuam vertendo suas águas.

Outros reservatórios que tiveram pequenos ganhos de volume, foram: Tourão, localizado em Patu, que passou de 20,35% para 21,62%; Apanha Peixe, localizado em Caraúbas, que passou de 72,83% para 73,67%; Brejo, localizado em Olho-d’Água do Borges, que passou de 19,66% para 20,49%; Jesus Maria José, localizado em Tenente Ananias, que passou de 20,60% para 21,54%; o açude de Marcelino Vieira, que passou de 73,60% para 74,55%; Pataxó, localizado em Ipanguaçu, que passou de 47,49% para 48,46%; o açude de Pilões, que passou de 40,83% para 41,19% e Bonito II, localizado em São Miguel, que passou de 16,66% para 17,03%.

Entre os reservatórios monitorados pelo Igarn, que estão com volume inferior a 10% da sua capacidade, o Itans, localizado em Caicó, recebeu pouco aporte de água, passando de 4,08% para 4,13%; já o açude Esguicho, localizado em Ouro Branco, manteve o mesmo volume da semana passada, apenas 0,97% e o Zangarelhas, localizado em Jardim do Seridó, perdeu um pouco de água, estava com 6,44% e agora está com 6,37% da sua capacidade total.

O açude Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, manteve o mesmo volume apresentado no relatório da última sexta-feira, 30 de abril, acumula 8.712.325 m³, correspondentes a 19,61% da sua capacidade total, que é de 44.421.480 m³.

Já a Barragem de Pau dos Ferros acumula 11.926.538 m³, equivalentes a 21,75% da sua capacidade total, que é de 54.846.000 m³. No relatório anterior acumulava 11.971.370 m³, correspondentes a 21,83% do seu volume total.

Situação das Lagoas

A lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte da capital, acumula 11.019.525 m³, que correspondem a 100% da sua capacidade. Na semana anterior, o manancial estava com 10.983.122 m³, equivalentes a 99,67% do seu volume total.

Já a lagoa do Bonfim, responsável pelo abastecimento da adutora Monsenhor Expedito, acumula 42.163.471 m³, percentualmente, 50,03% do seu volume total, que é de 84.268.200 m³. No dia 30 de abril, o manancial estava com 42.063.950 m³, equivalentes a 49,92% da sua capacidade.

A lagoa do Boqueirão, que atende a usos diversos, acumula 10.050.651 m³, correspondentes a 90,75% da sua capacidade total, que é de 11.074.800 m³. Na última semana, o manancial acumulava 10.007.070 m³, percentualmente, 90,36% do seu volume total.

Opinião dos leitores

  1. Os que escaparem do covid e da morte devido ao desespero ou a fome, um alento, alguns terão água para beber.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Caso Henry: pai do menino pede com abaixo-assinado aumento da pena para casos como o dele

Foto: Arquivo pessoal/VEJA

Em meio ao luto pela morte de seu único filho, o menino Henry, de 4 anos, o engenheiro Leniel Borel de Almeida, de 37, decidiu não ficar de braços cruzados. Com o intuito de ajudar outras crianças vítimas de violência doméstica e lutar pelo aumento da pena para o assassinato de menores praticados por padrastos e madrastas, ele está frente de um abaixo-assinado que será encaminhado ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. Henry morreu no dia 8 de março quando estava em um apartamento na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, na companhia da mãe, a professora Monique Medeiros, e do padrasto, o vereador e médico Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho. Os dois foram presos no último dia 8, suspeitos de homicídio duplamente qualificado e tortura.

Na mensagem, que está sendo disparada por aplicativos de celular, Leniel destaca as “as desproporções do agravamento de pena entre assassinos de crianças vítimas de homicídio dos assassinos de crianças (meninas) vítimas de feminicídio. Atualmente temos aumento de pena de 1/3 até a metade no caso de crianças (até 14 anos) vítimas de feminicídio.” A proposta é que as punições para casos como o do menino Henry, cujo laudo do Instituto Médico Legal descreve 23 lesões no corpo – entre elas laceração hepática e hemorragia em três partes da cabeça – e a mãe e o padrasto insistiam em acidente doméstico, sejam aumentadas. O abaixo-assinado solicita que o presidente da Câmara dos Deputados “receba e dê celeridade ao trâmite do Projeto de Lei 1386/2021 (Lei Henry Borel), protocolado pelo deputado federal Hélio Lopes”. Nos parágrafos seguintes, explica que o novo documento, também assinado pela população, dá prosseguimento à petição digital que solicitava a criação da Lei Henry Borel, tendo registrado mais de 287 000 assinaturas digitais.

Em outro trecho, o pai do menino ressalta: “A votação deste projeto de lei que leva o nome do meu filho, Lei Henry Borel, não o trará de volta, nem amenizará a dor da sua ausência, mas será um avanço na luta contra o assassinato de crianças pelos seus pais e ou companheiros. E mostrará ao Brasil, que a vida do meu filho, não foi só para tirar esses monstros de circulação (Dr. Jairinho e Monique), mas, sim, para de alguma forma, com penas mais duras, ajudar a prevenir e punir, este tipo de violência inimaginável, que é mais comum no Brasil do que se pensa.”

Ao longo do abaixo-assinado também é lembrado outro crime bárbaro que chocou o país, o caso de Isabella Nardoni, de 5 anos, jogada do sexto andar do Edifício London, em São Paulo, em 2008. Levados a júri popular, o pai da menina, Alexandre Nardoni, e a madrasta, Anna Carolina Jatobá, foram condenados por homicídio doloso qualificado. Na ocasião, o pai recebeu a pena de 31 anos, e a madrasta de 26. O texto do pai de Henry destaca justamente essa parte: “Infelizmente, atualmente não existe uma qualificadora e um aumento de pena para aqueles que assassinam os filhos de seus cônjuges. Um exemplo disso foi o caso Isabella Nardoni que parou o país, tamanho crueldade dos fatos acerca deste crime. Felizmente os criminosos foram presos e cumprem pena até hoje. No entanto, por uma incoerência da Lei, a madrasta de Isabela que, segundo as investigações, foi quem estrangulou a menina, teve pena quase 5 anos menor do que o pai da menina. Visto que existe um agravante no código penal para crimes cometidos por ascendentes das vítimas, ou seja, pais e mães.”

O inquérito que apura a morte do menino Henry, que segundo a versão fantasiosa de Monique e de seu namorado, o vereador Dr. Jairinho, teria caído da cama e sido encontrado gelado e com os olhos revirando, deve ser concluído nos próximos dias pela 16ª DP (Barra da Tijuca). Na última semana foram ouvidas pela segunda vez a babá da criança, Thayna Oliveira Ferreira, que confirmou em depoimento que a mãe de Henry já sabia das agressões praticadas pelo namorado, e a empregada doméstica Leila Rosângela de Souza, que afirmou ter visto o menino com “cara de apavorado” após a sessão de violência praticada por Dr. Jairinho e que a criança pediu para não ter os cabelos penteados porque a “cabeça doía”. No último dia 16, ainda prestou novo depoimento a ex-namorada e amante do parlamentar, Débora Mello Saraiva, que, diferentemente das primeiras declarações feitas à polícia, confirmou que tanto ela quanto o filho menor, na época com 3 anos, foram agredidos mais de uma vez por ele e que tinha medo de morrer nas mãos do vereador. “Peço e imploro a ajuda de todos na assinatura deste abaixo-assinado, a fim de que o Congresso Nacional nos dê uma rápida resposta com a criação desta lei”, conclui o pai de Henry no documento.

Veja

Opinião dos leitores

  1. ESSE VAGABUNDO ERA PRA SER FUZILADO EM PRAÇA PÚBLICA PRA TODOS VEREM MAIS INFELISMENTE NO NOSSO PAÍS QUE FAZ LEIS FAZEM SOMENTE PARA PROTEGEREM ELES POLÍTICOS…

    1. Infelizmente, se aprovada uma mudança na lei, esse bandiso não seria aferido na nova pena, pois lei só retroage para beneficiar . Eu Boa lugar do pai preferia o Jairinho livre pra matar fatiado vivo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *