Aumento nos preços de material de construção pode levar à redução das obras no país, alerta Câmara Brasileira da Indústria da Construção

Foto: Reprodução

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) entregou ao governo federal um documento sobre aumentos abusivos no preço de materiais de construção durante a pandemia de Covid-19. O material foi encaminhado à Secretaria de Advocacia da Concorrência e Competitividade do Ministério da Economia, e ressalta a elevação de custos do setor e o desabastecimento. A entidade afirma que o cenário ameaça o setor de construção civil e poderá levar à redução no ritmo de obras e comprometer programas de habitação popular.

Para o presidente da CBIC, José Carlos Martins, o aumento nos preços é resultado da falta de oferta de produtos em quantidade suficiente para atender o mercado. Segundo ele, empresas criaram um desequilíbrio artifical no mercado.

No documento, são apresentados documentos, cotações e declarações para acionistas de indústrias do setor. Segundo a CBIC, houve interferência no mercado por parte de uma siderúrgica, além do posicionamento de uma entidade da indústria do cimento declarando que o setor possui 45% de capacidade ociosa e que está aproveitando para recuperar preços.

O levantamento ainda traz correspondências enviadas por diferentes fabricantes de insumos comunicando aumentos idênticos nos preços dos mesmos produtos, simultaneamente, para a mesma região, o que poderia caracterizar manipulação de mercado.

De acordo com a entidade, o cenário de aumento dos preços e desabastecimento terá uma série de consequências, como desemprego, aumento do custo das obras públicas e dificuldades para viabilização do programa Pró-Brasil, criado para impulsionar obras em infraestrutura.

— A consequência imediata será a redução do ritmo das obras e o desemprego de funcionários — avalia o vice-presidente da área de Infraestrutura da CBIC, Carlos Eduardo Lima Jorge.

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) entregou ao governo federal um documento sobre aumentos abusivos no preço de materiais de construção durante a pandemia de Covid-19. O material foi encaminhado à Secretaria de Advocacia da Concorrência e Competitividade do Ministério da Economia, e ressalta a elevação de custos do setor e o desabastecimento. A entidade afirma que o cenário ameaça o setor de construção civil e poderá levar à redução no ritmo de obras e comprometer programas de habitação popular.

Para o presidente da CBIC, José Carlos Martins, o aumento nos preços é resultado da falta de oferta de produtos em quantidade suficiente para atender o mercado. Segundo ele, empresas criaram um desequilíbrio artifical no mercado.

No documento, são apresentados documentos, cotações e declarações para acionistas de indústrias do setor. Segundo a CBIC, houve interferência no mercado por parte de uma siderúrgica, além do posicionamento de uma entidade da indústria do cimento declarando que o setor possui 45% de capacidade ociosa e que está aproveitando para recuperar preços.

O levantamento ainda traz correspondências enviadas por diferentes fabricantes de insumos comunicando aumentos idênticos nos preços dos mesmos produtos, simultaneamente, para a mesma região, o que poderia caracterizar manipulação de mercado.

De acordo com a entidade, o cenário de aumento dos preços e desabastecimento terá uma série de consequências, como desemprego, aumento do custo das obras públicas e dificuldades para viabilização do programa Pró-Brasil, criado para impulsionar obras em infraestrutura.

— A consequência imediata será a redução do ritmo das obras e o desemprego de funcionários — avalia o vice-presidente da área de Infraestrutura da CBIC, Carlos Eduardo Lima Jorge.

Yahoo Notícias, com Extra

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Atenção donos de lojas de material de construção, eu não vou reduzir os impostos pq preciso emplacar o Renda Brasil pra me reeleger, mas peço aos senhores que sejam patriotas e reduzam os preços de material de construção. Afinal, vcs precisam me ajudar a completar minha carreira de político.
    Tálkey!?

    • GCF disse:

      Bom dia Sr. Santos e comentaristas.
      Parece que Vc e sua turma de esquerda estão com INVEJA do Bolsonaro. Vc não sabe o que é democracia e economia de mercado. Esqueceu que na crise de 2009 (a MAROLINHA), o Lula reduziu drasticamente os impostos sobre automóveis, caminhões e utilitários, eletrodomésticos linha,
      branca, material de construção, entre outros. Como Lula foi bonzinho…entulhou as grandes cidades de carros, causando grandes engarrafamentos e aumento da poluição, quebrou os revendedores de carros usados, ajudou as grandes construtoras a construir prédios mais baratos sem que precisassem repassar as economias para quem comprou na planta, prejudicou os prestadores de serviço que consertavam eletrodomésticos, tornando muitos reparos inviaveis e COINCIDENTEMENTE , emplacou a anta Dilma guerrilheira na sua sucessão…quer mais???

    • Santos disse:

      Sr. GCF, a crítica é a quem disse na campanha que "não dava pra continuar pagando tanto imposto" e conseguiu se eleger.
      Mas todos sabemos que uma coisa é ser a pedra e outra é ser a vidraça, só que nesse caso , especificamente, ele nem precisa explicar, pq já tem quem ataque outra situação por ele tentando mudar o foco da situação atual.

Bombeiros registram aumento de 38% em atendimentos de ocorrências com enxames de insetos na Grande Natal no 1º semestre; abelhas e marimbondos lideram

Foto: Divulgação

O portal G1-RN noticia nesta sexta-feira(31) que o número de atendimentos do Corpo de Bombeiros em ocorrências com enxames de insetos na Grande Natal aumentou 38% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo a reportagem, a maior parte dos atendimentos é relacionada a enxames de abelhas e marimbondos.

A reportagem ainda destaca que nos seis primeiros meses deste ano foram registrado 921 atendimentos envolvendo enxame de insetos em toda a Região Metropolitana de Natal. No mesmo período de 2019 foram 663 atendimentos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Barbosa Santos disse:

    Aguardemos a taxa de marimbondos, então.

Pesquisa XP/Ipespe: Bolsonaro volta aos 30% de aprovação, enquanto 24% consideram regular e 45% desaprovam; avaliação no Nordeste apresenta melhora relevante

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) experimentou, nos últimos dias, uma melhora em seus níveis de aprovação junto ao eleitorado, a despeito do quadro ainda grave da pandemia do novo coronavírus e de seus impactos econômicos observados. É o que mostra a mais recente edição da pesquisa XP/Ipespe, feita entre os dias 13 e 15 de julho.

Segundo o levantamento, após atingir a mínima de 25% de avaliações positivas em maio, o mandatário viu o indicador crescer gradativamente até atuais 30%. É a melhor marca desde 24 de abril, quando 31% dos eleitores classificavam o governo como ótimo ou bom, e o mesmo patamar visto em março deste ano ou setembro de 2019. A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais.

As avaliações negativas, por sua vez, atingiram 45%, em uma queda de 5 pontos percentuais em relação à máxima de meados de maio. Apesar da melhora, o saldo das avaliações positivas e negativas do presidente – hoje de -15 p.p. – ainda é significativamente pior do que o registrado antes da covid-19 ser declarada pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 11 de março.

Em fevereiro, o grupo de eleitores que classificavam o governo como ruim ou péssimo superava em 2 p.p. o grupo dos que avaliavam a gestão como ótima ou boa. No segundo mês de gestão, Bolsonaro contava com vantagem de 23 p.p. das avaliações positivas sobre as negativas. O saldo foi diminuindo a cada nova pesquisa até se tornar negativo em maio de 2019.

Os dados abertos mostram que cresceu a participação da população com renda de até dois salários mínimos sobre o grupo que avalia positivamente a atual gestão. Antes da pandemia, o eleitorado mais pobre respondia por cerca de 46% de toda a base que avalia o governo como ótimo ou bom. Esse número passou para em média 48% e agora atingiu praticamente 50%.

A melhora no desempenho do presidente junto aos mais pobres coincide com a concessão do auxílio emergencial de R$ 600, pago a trabalhadores informais, desempregados e beneficiários de programas sociais como o Bolsa Família durante a crise da covid-19. Inicialmente, foram aprovadas três parcelas, mas o governo prorrogou o benefício por mais dois meses.

A ideia agora é criar um programa permanente de renda mínima a partir da unificação de programas sociais já existentes. Com isso, o governo pretende ampliar a base de contemplados pelo Bolsa Família e os valores repassados, sem que isso implique em impacto fiscal adicional. Analistas observam potenciais dividendos políticos com o movimento.

Segundo a pesquisa XP/Ipespe, também houve melhora relevante na avaliação do presidente junto ao eleitorado do Nordeste, que responde por 27% da amostra da pesquisa. Deste grupo, 27% classificam a gestão como ótimo ou boa – melhor marca desde fevereiro, antes da crise sanitária. O presidente também melhorou seu desempenho, mesmo que dentro da margem de erro, em todas as demais regiões.

No recorte por gênero, a recuperação de Bolsonaro se deu entre os homens, ampliando o abismo observado desde a corrida presidencial. Hoje, o governo é avaliado positivamente por 36% dos homens e 24% das mulheres. Em maio, essa diferença chegou a ser de 15 pontos percentuais.

Recuperação

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pepe disse:

    Muita água vai rolar!!
    30% não ganha eleição.
    Moro presidente,quem viver verá!

  2. Carlos disse:

    Tá eleito novamente para honra e glória do Senhor.

  3. Luan disse:

    Coincidência 45% acham ruim ou péssimo, foi exatamente o percentual dos que votaram em Hadad…

  4. Luciano disse:

    Cadê os 70% ? Viraram 45 e caindo…

  5. aof disse:

    Considerando que voce nao ver essa reportagem na Tribuna do Norte, é um avanço considerável.

  6. Hedylamar disse:

    Essa pesquisa deve ter sido feita na CUT, sindicatos, universidades e institutos federais.

  7. Sergio disse:

    Vão ter que arrumar outra facada, pra ele fugir dos debates novamente!

  8. Gibira disse:

    MITO 2022. Esses que acham péssimo devem tá com saudades das boquinhas das Estatais, do pão com mortadela, de invadir terras, casas e da vida fácil que levavam.

  9. André disse:

    e eu acho massa os comentários dos esquerdistas, kkkkkkk, eles piram com essa notícia, 30% de votos pra um candidato com certeza ele é eleito , teria que os outros 70% votar em outro candidato único, o que não é o caso , e ainfa faltam 2 anos , chora esquerda , mito 2022.

  10. O Anjo disse:

    Bom dia,
    Nas minhas contas; 30 % + 24% = 54 % positivo
    Ou estou errado?

    • Professor Raimndo disse:

      Você até que é bom em matemática, mas é péssimo em análise. Nota zero!

  11. Lula do Nordeste disse:

    Quando acabar o auxílio emergencial, quero saber se vai manter essa ligeira alta… presidente fake

    • Marcelo Dantas disse:

      Era uma vez um pais que tinha tudo para ser rico, mas os vagabundos roubaram durante 33 anos da saúde, educação, segurança, saneamento básico e habitação. Ai o povo se revoltou e elegeu uma cara honesto. Então agora querem tirar ele de lá, dizendo que ele nao gosta de marciano, saturniano, mercuriano, uraniano kkkkkkk! Vão arrumar um quintal para limpar no sol do meio dia, cambada de ladroes da nação!

    • Manoel disse:

      Mas Marcelo, o cara "honesto" era deputado há uns 35 anos e nunca produziu nada, aliás produziu: rachadinhas e enricou a família uma 1000 x.
      Estranho né?

  12. Patriota disse:

    Eu faço parte dos 70% que está fora dessa bolha de loucura e fanatismo.

Petrobras anuncia aumento de 4% na gasolina e de 6% no diesel

 Foto: Marcelo Brandt/G1

A Petrobras anunciou, nesta quinta-feira (16), mais um reajuste no preço dos combustíveis na refinaria. A gasolina terá aumento de 4% e o diesel, elevação de 6%. Os novos valores passam a vigorar nesta sexta-feira (17/7).

Com o novo reajuste, 22º no ano, sendo a 10ª elevação, o litro da gasolina passará a custar R$ 1,725 nas refinarias. Em julho, é o terceiro aumento seguido e, desde 7 de maio, o combustível tem subido religiosamente uma vez por semana.]

O último aumento do diesel foi anunciado no primeiro dia de julho, de 6%, quando passou a custar, em 2 de julho, para as distribuidoras, R$ 1,72 por litro. Com o novo reajuste, de mais 6%, o valor passa a ser de R$ 1,82 por litro de diesel.

Segundo a estatal, este ano, foram 22 reajustes no litro da gasolina e 16, no do diesel, sendo 10 aumentos e 12 reduções para o primeiro e cinco aumentos e 11 reduções no litro do segundo. O Correio pediu à Petrobras a variação acumulada do ano para os dois combustíveis e ainda espera pela resposta da empresa.

Correio Braziliense

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fora bolsotralhas disse:

    Toma BOLSOTRALHAS…QUEM GOSTA DE BOSTA É PINICO…

  2. Marcel Oliveira disse:

    Abuso demais, enquanto esse cabaré chamado BR distribuidora não tiver concorrência justa essa porcaria de combustível de 3° mundo só irá aumentar… Cadê os caminhoneiros desse país p colocar ordem??? infelizmente precisou de uma pandemia p BR distribuidora baixar os lucros e dar prejuízo uma vez na vida para os acionistas que lucram horrores com nosso dinheiro pago por litro…o povo precisa boicotar essa nova gasolina,eles precisam sentir no bolso TB…

  3. Cícero Barreto disse:

    Massa , meu sonho, a gasolina chegar a um preço mais elevado, vamos torcer pra chegue mais e mais, pelo menos a uns vinte reais o litro.
    E nós, povo brasileiro, chegamos de madrugada pra dar nosso lindo voto a esses super heróis políticos.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
    Vão, vão vendo o que o voto faz!
    Somos um monte de babacas, que somos obrigado a sair de casa com um título na mão, ou sai, ou fica!

  4. Wilson disse:

    Sou caminhoneiro e vejo a Petrobrás como cenário políticos para oportunistas especialistas , sejam coerente comente com a verdade

  5. Roberto Jefferson disse:

    Ide à mim!!!!
    🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮

  6. Pepe disse:

    Dólar 5,40 , como pode ?

  7. Manoel disse:

    Politica neoliberal de Guedes e Bozo. Se está subindo assim com Barril a 50 dólares, imaginen quanto seria o preço hoje com essa turma caso o barril estivesse a 150 dólares, como Dilma pegou.

  8. NOVÍSSIMA POLÍTICA disse:

    Se subir foi Fátima
    Se baixar foi Bolsonaro
    Essa conversa só pega otário

    • M.D.R. disse:

      É a REFORMA DA PREVIDÊNCIA, FATÃO disse que os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras ñ seria destruído , realmente ñ mas atropelada.

Aumento de mortes por causas naturais é 3 vezes maior entre pretos e pardos do que entre brancos

Foto: Agência Brasil

As pessoas que se declaram pretas e pardas são as que mais morreram durante a pandemia do novo coronavírus por causas naturais. O crescimento total de mortes entre pretos e pardos representa quase o triplo do aumento de óbitos entre brancos.

Embora as mortes gerais no país tenham subido 13% desde o início da crise sanitária, há quatro meses, dados do Portal da Transparência do Registro Civil indicam que o aumento dos óbitos na população ocorreu de maneira desigual, quando comparado com os números do ano passado.

Enquanto entre os pretos o crescimento no total de mortes foi de 31,1% e entre os pardos de 31,4%, para os brancos esse índice foi de 9,3%. Para a população indígena, o aumento foi de 13,2% e para os amarelos, 15,3%.O detalhamento das mortes é possível por conta das certidões de óbito repassadas aos cartórios.

As doenças respiratórias também fizeram mais vítimas pretas e pardas. O aumento de óbitos por insuficiência respiratória, pneumonia, septicemia e Síndrome Respiratória Grave (SRAG) e também por Covid-19, foi de 72,8% para os pardos e 70,2% para os pretos. Como O GLOBO mostrou já suspeita de que um número significativo de óbitos registrados por SRAG seja, na verdade, resultante de coronavírus.

O avanço de óbitos por doenças respiratórias também é alarmante entre a população indígena, que registrou um incremento de 45,5%. O total de amarelos que morreram por essas doenças subiu 40,4%. Contudo, entre os a população que se declara branca, o crescimento foi de 24,5%.

Os pretos e pardos também estão morrendo mais por doenças cardíacas, como derrames, infartos e paradas cardiorrespiratórias. Entre março e junho, foram registradas 13,7% mortes a mais de pretos por essas doenças e 8,4% a mais, no caso dos pardos. Mas os brancos tiveram uma melhora nesse índice, que caiu 0,5% no período.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. aof disse:

    Como sempre, jogando uns contra outros.

Indústria do Brasil volta a crescer em junho com aumento de demanda e produção

Foto: Reuters

A indústria brasileira voltou a crescer em junho pela primeira vez desde fevereiro, com aumento na produção, nas novas encomendas e na confiança, em sinais de retomada após impactos da pandemia do novo coronavírus no país, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O levantamento publicado pelo IHS Markit nesta quarta-feira mostrou que o PMI de indústria saltou a 51,6 em junho, de 38,3 em maio, com as empresas se recuperando de efeitos das medidas de isolamento.

Entretanto, os ganhos foram moderados por evidências de excesso de capacidade no setor, com empresas ainda buscando reduzir gastos, o que as levou a cortar as compras e diminuir o número de funcionários.

O IHS Markit informou que os entrevistados citaram a reabertura das empresas e o aumento da demanda como motivos para o retorno à expansão tanto da produção quanto das novas encomendas.

Contudo, os ganhos foram puxados pelo mercado doméstico, uma vez que as vendas de exportação continuaram a cair e os volumes totais de novos negócios permaneceram extremamente baixos em relação aos níveis pré-pandemia, segundo os consultados.

De fato, as empresas continuaram a operar em níveis bem abaixo da capacidade em junho e também seguiram cortando empregos e reduzindo a atividade de compras. A ideia era diminuir os custos nas plantas, buscando elevar a produtividade ou utilizar estoques quando possível.

“Temos que colocar esses números no contexto do colapso da produção em abril e maio. O crescimento modesto compensa apenas uma pequena parte das perdas recentes, e as empresas —diante de grande excesso de capacidade— continuam a cortar vagas e compras a um ritmo rápido”, destacou o diretor de economia do IHS Markit, Paul Smith.

As pressões de custos se intensificaram em junho diante de uma taxa de câmbio desfavorável, o que aumentou os preços de insumos denominados em dólar no ritmo mais acelerado em 21 meses. Em resposta, os preços cobrados foram elevados à mais alta taxa já registrada pela pesquisa desde setembro de 2018.

Ainda que o cenário permaneça desafiador, os entrevistados se mostraram animados com o retorno ao crescimento tanto na produção quanto nas encomendas, e a confiança sobre o futuro atingiu o nível mais alto desde fevereiro, com projeções positivas para demanda e vendas nos próximos 12 meses.

O Globo

Vereadores se dão aumento generoso e dobram salários de prefeito e vice em Patu, no interior do RN

O portal Mossoró Hoje destacou nesse fim de semana que os vereadores do município de Patu, no Oeste potiguar, aprovaram por 5 x 1, na última quarta-feira(24), um aumento para eles próprios e dobraram o valor do salário do prefeito e seu vice nos próximos quatro anos.

Segundo a reportagem, esse tipo está previsto na Constituição Federal e não ocorre em Patu desde 2012. Entretanto, considerando a queda brusca na arrecadação, a necessidade extrema de recursos para o enfrentamento a pandemia do novo coronavírus, o aumento não acontece em bons olhos no município.

Veja matéria completa aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Todo castigo pro povo é pouco.

  2. Marcos Benício disse:

    Se eles reajustaram seus próprios vencimentos e dobraram o do prefeito é porque a população deu carta branca prá isso. Esse ano tem eleições municipais e com certeza muitos desses vereadores irão se reeleger.

  3. Wilson disse:

    Tudo culpa da Constituição de 1988, que criou uma casta de marajás inúteis, que vivem às custas dos pagadores de impostos. Antes dessa constituição ridícula, os vereadores eram remunerados apenas em cidades acima de 200 mil habitantes.

  4. Beemoth,Leviatã,Ziz disse:

    Analisando agora o PIB na Wikipédia desse município de Patu o seu PIB segundo fontes do IBGE de 2011 o PIB agropecuario patuense seria de apenas 3 milhões de reais e do PIB industrial de somente 5 milhões de reais,com absoluta certeza esse seria o PIB dessa cidade de Patu totalizando 8 milhões de reais,esse seria do seu PIB total Real daquele ano de 2011 só daria mesmo para pagar os 12 salários anuais desse prefeito,vice prefeito e desses vereadores e sobraria pouca receita orçamentária para pagar os comissários e efetivos sem entrar nessa conta com o chamado (FPM)fundo de fundo de participação dos municípios e de convênios para obras e também das aposentadorias e pensões do fundo rural do INSS isso sim faz com que dinamize todo o setor terciário;comércio e serviços só com dinheiro do setor público de transferência e repasse da União federal movimentem cerca de 58 milhões que fazem girar e movimentar todo esse setor terciário;comercial e de serviços.somando todos os três setores:primário,secundário e terciário do PIB total 66 milhões.
    Sem duvida sem a transferência e repasse do Federal que totaliza 58 milhões de reais, o PIB Real total do município de Patu seria de somente ou apenas de 8 milhões de reais juntando toda a produção agropecuária e da indústria local,esse seria número real sem os repasses,transferências e convênios do poder da União federal sem essa contribuição de Brasília,mal daria pagar pagar os 12 salários anuais desse prefeito,vice prefeito e o restante de servidores efetivos e comissionados desses vereadores do município de Patu.

    • Beemoth,Leviatã,Ziz disse:

      Mesmo se esse município tivesse uma alta carga fiscal de 50%do PIB Esse município de Patu passaria por grandes dificuldades e problemas permanente para Manutenção da máquina pública para pagar salário do prefeito,vice prefeito,secretários,funcionários públicos municipais efetivos e outros comissionados da prefeitura e Câmara desse município,com orçamento de 4 milhões com essa carga fiscais de impostos e tributação e que equivale por exemplo a 50% com O PIB bruto de 8 milhões do município,o setor terciário de comércio e prestação de serviços praticamente passaria por uma terrível depressão econômica e todo esse município e sua estrutura social e econômica seria um grande desastre um pesadelo,se transformaria de fato num absoluto caos social e econômico sem o FPM,os convênios federais para obras e das aposentadorias e pensões do fundo rural do INSS,estaria formado por exemplo nesse município de Patu um terrível e monstruoso caos social e econômico sem a manutenção desse município pelo governo Federal,esses gestores públicos municipais que ainda reclamam de barriga cheia da falta de recursos oriundos do poder central se não fosse o poder da União Federal(Brasília),esse município de Patu e a maioria dos municípios do estado do RN inevitavelmente haveria a existência de um absoluto caos social e econômico em mais de 140 municípios desse estado de um total de 167 municipios/cidades com autonomia política e administrativa.

  5. Roncalli Guimarães disse:

    aumento de salário é uma previsão legitima para o servidor, o que não é legitimo é o chefe do executivo , o guardião do bem estar da comunidade aumentar pra si seu salário em 100% em detrimento de todos os outros funcionários públicos e em detrimento da dor que o mundo vive . No momento que age assim toma decisão narcisista, desmoraliza o trabalho de outros agentes mais importante que ele já que seu cargo é público e ainda desmoraliza a justiça por usa la pra embasar sua decisão em benefício próprio. O mundo passa por transformações profundas e decisões desse tipo expõe a podridão de quem só existe pra si mesmo e a sociedade é simplesmente um meio para manter a imagem que ele enxerga no espelho. Triste .

  6. Cristina Rodrigues disse:

    Um absurdo, perante tudo que estamos passando, com essa doença covid 19, e que a economia local despenca, Patu está amargando os piores momentos com tanta falta de empatia dos seus governantes, o momento é de ajudar os patuenses, elevar nossa economia local, ajudando os comerciantes sobreviver, o aumento era digno para quem está na linha de frente dessa pandemia os servidores da saúde, garis, motoristas de ambulâncias etc. Um absurdo ter que presenciar tamanha falta de amor pela população.

  7. José disse:

    Cabe agora o povo julgar, nas eleições 2020!

  8. Lucia Helena Silva disse:

    Acho interessante que o servidor publico é o culpado pelas mazelas do Brasil. O ministério da economia nos trata como seres desprezíveis. Esquecem que estudamos digo firam 5 anos de faculdade 2 de especialização e dois de mestrado Estudamos muito para o concurso

  9. Zanoni disse:

    No interior do Estado a bagunça é ainda maior! Coitado do povo.

RN tem aumento de 37,6% no número de assassinatos em abril, destaca Monitor da Violência

 Foto: Reprodução/G1

O Rio Grande do Norte teve um aumento de 37,6% no número de assassinatos em abril deste ano em comparação ao mesmo mês de 2019. Os dados são do índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

O aumento acontece mesmo diante das medidas de isolamento social adotadas em todo o Brasil, para tentar conter a pandemia do novo coronavírus.

Leia mais detalhes aqui em reportagem na íntegra.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    A culpa é do JB que demitiu o Moro. Kkkkkkkkkkkk

  2. Pedro disse:

    O único discurso dessa malfadada governadora, se baseava na melhoria dos índices da criminalidade, com seu apoio declarado as policias, mais parece que a coisa está dando para trás, até nesse campo ela está se perdendo, eita sorte essa nossa, são rosa, cabelinho e entra de sola essa atrapalhada e incompetente.

  3. Cidadão pagador de impostos disse:

    Foi só Sérgio Moro sair q a violência voltou a aumentar no Brasil

  4. Azevedo disse:

    Essa é a atual pandemia do RN, o Corona bala, esse mata mais do que o Coronavirus. Enquanto a governadora Fatima Bezerra se preocupa em fechar empresas e empregos orientada pelos seus cientistas e o Dr. Cadeado.

  5. aof disse:

    Isolem-se. Mente ruim ociosa e reclusa dá nisso aí.

  6. Arruda disse:

    Os juízes que siltaram um monte de meninos bom, já marcaram a data pra galera voltar???
    É somente uma pergunta.

  7. ricardo disse:

    fim da segunda instância e o solta geral do judiciário, queriam oq

Covid-19 no RN: número de internados reflete comportamento social dos últimos 15 dias, alerta secretário adjunto da Sesap

Foto: Elisa Elsie/ASSECOM-RN

A Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) registra nesta quarta-feira, 17, a quantidade de 764 pessoas internadas, todas confirmadas ou suspeitas de Covid-19, em leitos críticos (356) e clínicos nos hospitais das redes pública, privada e filantrópica. São 13 pessoas a mais que ontem. Esta informação foi dada nesta manhã pelo secretário adjunto da saúde pública, Petrônio Spinelli, na entrevista coletiva diária de apresentação dos dados epidemiológicos da pandemia do novo coronavírus.

“Os dados de hoje refletem o comportamento social nos últimos 15 dias. Quanto mais pessoas circulando, maior a probabilidade de novos casos de Covid. Por isso insistimos que é preciso aumentar o isolamento e ficar em casa. Só sair para atender necessidades essenciais. Respeitar o Pacto pela Vida é fundamental”, afirmou Petrônio.

A taxa de ocupação de leitos permanece alta e muito distante dos 70% necessários para iniciar o plano de flexibilização das medidas de proteção para o retorno às atividades normais. Nesta quarta-feira, 100% dos leitos Covid na região Oeste e em Pau dos Ferros estão ocupados. Em Natal e região metropolitana, a ocupação é de 95,8%. No Seridó, o índice chega a 77,7%. Na região do Mato Grande, os 3 leitos de Guamaré estão com ocupação de 100%.

Os casos suspeitos são 24.136, sendo 15.690 confirmados, 24.973 descartados, 626 óbitos (41 a mais que nesta terça-feira, sendo 8 confirmados apenas nas últimas 24 horas e os demais ocorridos em dias anteriores) e há 129 óbitos em investigação.

LEITOS

Os hospitais de João Câmara e Santo Antônio (regiões Mato Grande e Agreste, respectivamente) e São Paulo do Potengi (região Central) vão receber leitos em breve, conforme entendimentos que estão sendo mantidos junto às prefeituras dos municípios. Há expectativa de abertura de leitos em Pau dos Ferros, Caicó e Mossoró, assim como na cidade de Caraúbas, onde há 3 leitos de estabilização com respiradores, e em Macau, onde o Governo busca parceria com a prefeitura.

A fila de regulação de leitos hospitalares tem 10 pacientes com prioridade 1, outros 57 com prioridade 2, mais 79 com prioridade 3 e outros 3 com prioridade 4. As 67 pessoas com prioridades 1 e 2 estão em serviço de pronto atendimento com profissionais, medicamentos e respiradores; no entanto, o ideal é estarem em uma UTI.

Petrônio Spinelli explicou que há dificuldade para aquisição de medicamentos como relaxantes musculares, necessários ao procedimento de intubação, não somente no RN, mas em todo o Brasil, mas que o Governo do RN está unindo esforços para contornar a situação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. marcia disse:

    Relete na verdade a incompetência da governadora que se esvondeu em casa e não toma atitudes para equipar os hospitais

  2. fafanco disse:

    Um verdadeiro circo, onde os palhaços são os cidadãos do RN

  3. Sérgio Nogueira disse:

    Vamos liberar o comércio que o povo vai ficar em casa. Essa é a lógica do (des)Governo estadual.
    Mas não é para reclamar não. Todo mundo sabia da incapacidade de Fátima, da incompetência. Votaram, agora aguenta.
    Petista só tem solução, rápida e fácil para os problemas que não são deles. Sempre foi assim e sempre será.

  4. Juliano bugueiro disse:

    Era para ter feito o Lockdown.

  5. Apir Pertinente disse:

    Otávio, disse tudo. O que falta no brasileiro é disciplina para cumprir as regras ditadas para a prevenção. Fazem assim por ignorância ou mau comportamento.

  6. Emmanoel do Nascimento Costa disse:

    Rio de Janeiro Fortaleza João Pessoa bloquearam até as praias aqui corre frouxo a fatura vem a galope.

    • Manoel C disse:

      Aqui no pior dia não se compara com o rio em seu melhor. A galera aqui desrespeita, mas graças a Deus nunca próximo no nível do carioca.

  7. Otávio disse:

    Muitos vão pra rua bater perna, se contaminam, adoecem os familiares do grupo de risco e depois vão reclamar da falta de vaga, essa é a pura verdade.

  8. Antenado disse:

    Pronto. A culpa agora é do cidadão.

    • Francisco Alves disse:

      Pois é! O governo durante todo esse tempo 'não deu um prego numa barra de sabão'. Diante da gravíssimo situação da saúde em nosso Estado, ao invés de assumir a responsabilidade pela saúde pública, resolveu enfiar a cabeça no buraco e entregou as rédeas para o Consórcio do Nordeste, ou seja, para o governo da Bahia. A única atitude do governo do RN tomada durante a pandemia, foi mandar o cidadão ficar em casa.
      O resultado está aí. Caos!
      Fátima, Sesap, perguntem ao governador da Bahia o que fazer. Aliás, aproveita e solicita ajuda econômica também.
      Os caras entregaram 12 milhões do nosso dinheiro como propina, só no caso dos respiradores, imagina o que vem por aí…

Índice de Preços ao Consumidor – IPC e Cesta Básica apresentam aumento em Natal no mês de abril

FOTO: FREEPIK

O Índice de Preços ao Consumidor – IPC, da cidade do Natal, calculado pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte – Idema, através da Coordenadoria de Estudos Socioeconômicos – CES, registrou no mês de abril, uma variação positiva de 0,03% em relação ao mês anterior. Com este resultado, a variação no ano ficou em 1,56%. Nos últimos doze meses (maio/19 a abril/2020) a variação atingiu 3,68% e 492,14% desde o início do Plano Real.

O grupo Alimentação e Bebidas, que responde por 32,43% do índice geral em termos de participação no orçamento familiar, apresentou uma variação positiva de 1,72% em relação ao mês anterior. Os itens que mais contribuíram para esse aumento de preços foram: Tubérculos, Raízes e Legumes (17,42%), Hortaliças e Verduras (3,27%),Cereais, Leguminosas e Oleaginosas (2,87%), Sal e Condimentos (0,89%) e Açúcares e Derivados (0,07%).

Vestuário foi um grupo que apresentou neste período uma variação positiva de 0,15% em função do aumento de preços nos seguintes itens: Roupa Masculina (4,07%), Roupa Infantil (3,46%) e Roupa Feminina (1,96%). O grupo Saúde e Cuidados Pessoais apresentou uma variação positiva de 0,07%. Os itens que mais contribuíram para esse aumento de preço foram: Plano de Saúde e Higiene Pessoal (0,56%) e Higiene Pessoal (0,40%)

Cesta Básica:

O custo da Cesta Básica teve uma variação positiva de 2,94% em relação ao mês anterior. Dos treze produtos que compõem a Cesta Básica, dez tiveram variação positiva: Legumes (17,87%), Tubérculos (12,52%), Feijão (3,95%), Arroz (2,15%), Carne de Boi (1,42%), Farinha (1,36%), Leite (1,35%), Frutas (0,81%), Margarina (0,59%) e Café(0,35%). As variações negativas ocorreram nos três produtos restantes: Óleo (-14,19%), Açúcar (-3,60%) e Pão (-1,59%).

O custo com alimentação por pessoa foi de R$392,33. Para uma família constituída por quatro pessoas, esse valor alcançou R$ 1.569,32. Se a essa quantia fossem adicionados os gastos com Vestuário, Despesas Pessoais, Transportes, dentre outros, o dispêndio total seria de R$ 4.839,19.

INFLAÇÃO NATAL

Abril de 2020

Variação no mês: 0,03%

Variação no ano: 1,56%

IPC MENSAL – 2020

Jan 0,72%

Fev 0,29%

Mar 0,51%

Abr 0,03%

Juiz Henrique Baltazar alerta para o aumento de 40% de crimes violentos letais no RN em abril em comparação com o mesmo período ano passado

Foto: Reprodução/Twitter

O juiz Henrique Baltazar, especialista em direito penal, chamou a atenção nesta sexta-feira(08) o aumento de Crimes Violentos Letais e Intencionais( CVLIs) no Rio Grande do Norte no mês de abril. Na comparação com o mesmo período no ano passado, houve uma subida de 40%: (111 CVLIs) de 2019 contra (157) para abril de 2020.

“Parece indicar que as facções criminosas (após o fim da guerra de 2014 a 2019) começam a movimentar-se para consolidação de espaços (“quebradas”), sem que existam políticas públicas de enfrentamento”, alertou.

O juiz emendou uma frase mais realista impossível para o momento: “O isolamento social parece que não tem funcionado bem para os autores de crimes graves”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Suely disse:

    Polícia dando mole pra bandido, só o que eles querem.

  2. Bruno disse:

    Henrique Balthazar o sistema penitenciário tem deficiência grande de 600 homens, semana passada tive fugas em Mossoró, o Estado está sendo omisso, tem 400 candidatos do último concurso de policial penal que poderiam ser usados para evitar que alcaçuz e outras explodam em meio a pandemia, precisamos da sua ajuda e do MP para forçar o Estado fazer algo.

  3. Antonio Turci disse:

    Moro foi embora e, com ele, as perspectivas de moralização do Brasil. A petralhada deve estar em êxtase e alguns direitistas se segunda categoria, também.

  4. Chicão disse:

    MORO caiu, e o PT potencializou a criminalidade, tudo conforme promessa de campanha.

Pandemia e isolamento social causam aumento nas buscas por amantes virtuais, indica pesquisa de portal de relacionamentos extraconjugais

Foto: shutterstock

Com o isolamento social como medida para conter o novo coronavírus (Sars-Cov-2), muitos casais acabam juntos 24 horas por dia, mas isso nem sempre é algo bom. Quem vive relacionamentos desgastados e sem sexo está procurando cada vez mais amantes virtuais.

É o que indica pesquisa recentemente feita pelo site Ashley Madison e divulgada pelo New York Post . O portal, voltado para quem busca um caso extraconjugal , afirma que notou aumento notável em seus usuários nesses tempos de quarentena.

Em 2019, o número de novos usuários por dia estava na casa dos 15,5 mil. Agora, com o isolamento, já bateu os 17 mil.

A razão? Paul Keable, diretor de estratégia da Ashley Madison, afirma que ao conversar com membros, o principal motivo é que “estão usando o site como uma válvula de escape para a tensão que se acumula em casa durante a pandemia”.

Segundo a pesquisa, muitos procuram conversar com alguém que não seja um cônjuge, enquanto outros buscam validação emocional ou a fantasia de seguir uma vida sexual secreta.

“Agora, com o auto-isolamento, casos virtuais estão sendo utilizados para preencher a lacuna amorosa”, diz Keable. Até o slogan do site mudou: A vida é curta, tenha um caso.

E em outro estudo recente, o site descobriu que 30% das usuárias estão praticando sexo cibernético com parceiros de negócios e 14% dos usuários homens estão fazendo sexo virtual com parceiros de negócios.

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Teló disse:

    Pandemia CHIFRONIANA, essa vai dar o que falar. O nome do vírus CHIFRE, o vírus é bem definido na sua anatomia e forma, geralmente é uma dupla protuberância que nasce na parte occiptal, na testa mesmo, em caso mais grave se transforma numa "gaiada" não tem cura ou cachaça que de jeito, é bem antigo, o "cabôco" adquire e as vezes ainda vem com o(s) kit(s), tem uns colegas meus que vivem normalmente, só choram muito e bebem feito a gota serena, sim o caba adquire também uma certa "imunidade" depois que pega o "mardito(a)" o elemento se acostuma!

Covid-19: Número de casos confirmados aumentam e óbitos atingem 21 municípios potiguares

Foto: Sandro Menezes / Governo-RN

O quadro da pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Norte nesta terça-feira (28), mostra que continua crescendo o número de contaminação e mortes. O RN agora tem 857 casos confirmados, 48 óbitos em 21 municípios, 8 óbitos em investigação e 4.626 notificações em 157 cidades do Estado.

Nos últimos dias cresceu também os casos de internamento. Hoje há 147 pacientes em estado crítico – 56 em UTIs e 32 em semi-utis. A taxa de ocupação de leitos para casos críticos – UTI e assistência ventilatória – também é preocupante. Segundo o secretário de estado da Saúde Pública, Cipriano Maia, a maior parte destes leitos está ocupada. Principalmente em Natal, Pau dos Ferros, Mossoró e Região Oeste.

Esta terça-feira (28) marca um mês do primeiro óbito em consequência da Covid-19 no RN, ocorrido em Mossoró, onde os leitos estão praticamente todos ocupados, inclusive na rede privada. Naquela cidade, de acordo com Cipriano Maia, o Governo do RN finaliza a contratação do Hospital São Luiz para ofertar leitos de UTI e a instalação das novas UTIs do Hospital Regional Tarcísio Maia.

O Governo também dá continuidade para instalação de novos leitos de UTI para atender casos da Região Metropolitana de Natal, com estruturas hospitalares em São Gonçalo do Amarante e Parnamirim, além do Hospital da Polícia Militar em Natal e do contrato com a Liga Norte-Riograndense contra o Câncer.

Cipriano Maia chama atenção para que a população mantenha as medidas de isolamento, distanciamento social e o uso de máscaras sempre que sair de casa. “As pessoas que procuram os serviços bancários devem ter atenção redobrada, usar máscara e higienizar a mãos com muito cuidado, porque há grande risco de contaminação devido às filas e aglomerações. Além do risco individual, o cidadão pode levar o vírus para casa, contaminar parentes e outras pessoas e provocar óbitos”, alertou.

O secretário alerta que ainda não é momento para flexibilizar o isolamento. ” Os municípios que afrouxaram as medidas tiveram que voltar atrás por causa aumento da contaminação. Por isso, fazemos apelo veemente para adesão das pessoas às medidas protetivas”, afirmou.

AJUDA FEDERAL

Cipriano Maia também se referiu às dificuldades imposta pelo falto do Ministério da Saúde não ter cumprido com a entrega de respiradores, testes e equipamentos prometidos. “Sem o apoio do Ministério a capacidade do Estado prestar melhor assistência e ajudar os municípios fica limitada. Pedimos o apoio bancada de federal de deputados e senadores e apelamos ao Ministro da Saúde. Mas ainda não tivemos resposta. Esta semana teremos nova videoconferência com o ministro, quando esperamos ter resposta efetiva que permita a ampliação de leitos através fornecimento de insumos e equipamentos”.

PROJETO TODOS PELA SAÚDE

O Governo do RN aderiu ao Projeto Todos pela Saúde, que é uma parceria público-privada do Banco Itaú Unibanco e Hospital Sírio-Libanês para ajudar aos estados brasileiros no enfrentamento ao novo coronavírus. O Todos pela Saúde trabalha no âmbito de gestão e também pode fornecer insumos e equipamentos ao sistema público de saúde visando ampliar a assistência.

Dois especialistas do Sírio e Albert Einstein estão no RN para conhecer a realidade e identificar quais contribuições podem ser efetivadas. “É mais uma frente de atuação em busca de melhorar a assistência. Temos trabalhando em tempo integral para ter o melhor resultado. Somando esforços, atitudes éticas e solidárias para atender a todos na defesa da vida, no cuidado e na prestação dos serviços de saúde a todos que necessitam”, destacou.

Antes de finalizar a coletiva, o secretário de saúde fez referência ao trabalho conjunto empregado no enfrentamento da pandemia. “Agradecemos a todos que atuam para conter a propagação do vírus, àqueles que cumprem as medidas de protetivas, aos poderes Legislativo e Executivo, ao Ministério Público, ao TCE, aos municípios que vêm somando na tarefa de prestar os serviços da atenção básica. E ainda, aos trabalhadores da saúde, todos eles, do agente comunitário ao médico de UTI, que enfrentam desafios e riscos dando tudo de si”, encerrou Cipriano.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aluizio disse:

    Cobrar do governo federal e justo, mas q moral o governo do RN tem pra cobrar, se a deputada do partido da governadora foi a única do RN q não quer q os dois bilhões da campanha municipal deste ano seja destinado pra saúde, aí fica dificil

  2. NILDO disse:

    48 mortes em 30 dias, na realidade essa equipa da saúde do RN ta brincando de fazer saúde, já são mais de 30 dias desse vírus no RN, já era pra ter leitos disponíveis tipo uns 500 e outra se o RN for depender da bancada do RN vamos morrer porque eles não tão nem ai. DEPUTADOS E SENADORES DO RN não tem peito, nem sangue na veia pra ir em brasília pra solicitar verbas, to sentindo falta do CAPITÃO DO RN esse até agora não abriu a boca deve ta com virus.

Internautas relatam aumento dos sonhos eróticos na quarentena; especialistas explicam

Foto: Shutterstock

Por causa da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), o mundo entrou em isolamento social e muitos estão longe dos namorados ou “crushes” e de possíveis relações sexuais.

Por conta disso, nas redes sociais muitas pessoas começaram a relatar que depois de entrar em quarentena, estão tendo mais sonhos eróticos que o normal – muito lúcidos – até lembrando do que ocorreu durante o sono.

 

O psicólogo especialista em sexualidade e relacionamento, Oswaldo Rodrigues Júnior, afirma que a libido é uma decorrência de fatores de interação da pessoa com o ambiente.

“Em uma situação de isolamento social, há uma série de efeitos negativos, dependendo da vida anterior da pessoa. Se a pessoa ou um casal sair para jantar, se divertir antes de uma relação sexual, isso fará falta na vida em quarentena”, diz Oswaldo.

Já para os solteiros, o psicólogo afirma que com a falta de contato físico e o aumento de outras atividades sexuais, como a masturbação, os sonhos são mais frequentes. “Os sonhos tendem a aparecer mais frequentemente, inclusive pela percepção de necessidade de contato físico, algo que é pressuposto pela atividade sexual”, diz o especialista.

“Os solteiros querem ter alguém por perto em meio a tantas coisas ruins e isso pode influenciar na libido”, afirma a fisioterapeuta pélvica e sexóloga Débora Pádua.

Ela afirma que ao estar acordado, em sã consciência, não permitimos que os desejos se aflorem. Por isso, no sono, isso se liberta e se revela em sonhos eróticos. “Se a pessoa não faz nada para que aconteça o desejo, como a masturbação ou o uso de um vibrador, é mais comum que os sonhos eróticos ocorram, já que eles não se completam durante o dia”, diz Débora.

As notícias ruins, tensão e o medo por causa da pandemia também influenciam. Se não há a liberação daquele desejo sexual conscientemente, os sonhos dão esta sensação. “Mesmo casais afastados virtualmente, mesmo tendo a masturbação ou algum ato virtual, aquilo não foi libertado efetivamente, por isso vem os sonhos”, afirma a sexóloga.

Como a falta de contato físico afeta o psicológico, Oswaldo indica que ao ter a atenção voltada às relações sexuais, “os pensamentos, percepções e sentimentos do dia ficam mais frequentes nos sonhos”.

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    O coronavírus é maníaco, não respeita nem as vaginas solitárias.

VÍDEOS: Em Jucurutu, Rio Piranhas aumenta volume com fortes chuvas entre terça e esta quarta

Em Jucurutu, o Rio Piranhas – manancial responsável pelo abastecimento de várias cidades da região Seridó do Rio Grande do Norte – aumentou seu volume consideravelmente após as chuvas registradas na região entre essa terça-feira(21) e quarta-feira(22). No primeiro registro, imagem sobre a ponte no município. Na sequência, o grande volume das águas e a sua força. Vídeos: cedidos.

Como alternativa a projeto da Câmara, governo propõe aumento de R$ 77 bilhões na ajuda a estados

A área econômica do governo federal anunciou nesta terça-feira (14) uma proposta para aumentar em R$ 77 bilhões a ajuda da União para estados e municípios, como alternativa a um projeto aprovado pela Câmara nesta segunda-feira (13).

O dinheiro ajudaria governos estaduais e municipais no enfrentamento da crise causada pelo coronavírus.

Com isso, o valor total proposto pelo governo chegaria a R$ 127,3 bilhões R$ 49,9 bilhões já haviam sido anunciados em março.

O governo tem críticas ao texto da Câmara e entende que a matéria precisa ser modificada.

O projeto aprovado pelos deputados recompõe durante seis meses (entre maio e outubro), ao custo de R$ 89,6 bilhões, as perdas de arrecadação dos estados e municípios relacionadas com a pandemia do coronavírus. O texto ainda precisa ser aprovado pelo Senado Federal.

De acordo com o chefe de assessoria especial do Ministério da Economia, Esteves Colnago, o projeto da Câmara contém um “incentivo perverso”, porque, na opinião dele, desobriga estados e municípios a adotarem medidas contra perdas maiores de arrecadação.

“Há um incentivo perverso podendo gerar não-zelo na arrecadação, uma vez que toda perda será compensada pela União. Essa compensação será feita pela sociedade brasileira”, disse Colnago.

Questionado se o governo trabalha com a possibilidade de alterar no Senado o texto aprovado na Câmara, Colnago, afirmou que essa seria uma “opção natural”.

As novas propostas anunciadas nesta terça-feira (77 bilhões) são as seguintes:

R$ 40 bilhões em transferências diretas, sendo R$ 19 bilhões para os estados e R$ 21 bilhões para os municípios

Suspensão de dívidas com a União de R$ 20,6 bilhões dos estados e de R$ 2 bilhões dos municípios

Suspensão de dívidas com a Caixa Econômica Federal e com o BNDES neste ano de R$ 10,6 bilhões dos estados e de R$ 4,2 bilhões dos municípios

A equipe econômica informou que parte das propostas podem ser aplicadas por meio de medida provisória (que têm vigência imediata). Somente a suspensão no pagamento de dívida por parte dos estados e municípios teria de ser feita por projeto de lei.

“É possível que seja editada uma MP para contemplar os elementos passíveis de serem postos em uma medida provisória. Há uma limitação por suspensão de dívidas ser encaixado em um MP. Mas a transferência direta de R$ 40 bilhões, sim [pode ser feita via MP]. Os demais elementos imprescindíveis, em sendo enviada uma MP, caminharão por projeto de lei”, disse Waldery Rodrigues, secretário de Fazenda do Ministério da Economia.

As medidas anunciadas anteriormente (R$ 49, 9 bilhões) foram:

Transferências de R$ 4 bilhões para os estados e de R$ 4 bilhões para os municípios para a área de saúde

Suplementação aos municípios de R$ 2 bilhões ao Serviço Único de Assistência Social

Recomposição de FPE, aos estados, de R$ 7,7 bilhões, e de FPM, aos municípios, de R$ 8,3 bilhões.

Atraso no pagamento do PIS/Pasep e FGTS de R$ 1,6 bilhão para os estados e de R$ 2,3 bilhões para os municípios

Renegociação de dívidas com garantia da União de R$ 15 bilhões para os estados e de R$ 5 bilhões para os municípios

Projeto aprovado pela Câmara

No projeto aprovado nessa segunda-feira (13) pela Câmara dos Deputados, está explicitado que os valores repassados pela União deverão ser aplicados pelos estados e municípios exclusivamente em ações para o combate à pandemia de coronavírus.

Para receber, estados e municípios terão que comprovar a queda da arrecadação do Ministério da Economia, referentes aos meses de abril a setembro de 2020, em até 15 dias após o encerramento de cada mês.

Se não comprovarem a tempo, nos meses de abril, maio e junho, receberão uma antecipação do auxílio de 10% da arrecadação dos impostos referentes aos meses de 2019.

Em relação ao ICMS, recolhido pelos estados, 75% serão destinados aos estados e 25% serão repassados aos municípios, sendo que a divisão será feita com base na participação de cada município na receita do ICMS do estado nos mesmos meses de 2019.

Se esse percentual for maior do que o ente federativo deve receber, isso será deduzido no mês seguinte ou, após o fim do seguro, compensado nas distribuições do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

O texto também prevê a suspensão das dívidas de estados e municípios com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Caixa Econômica Federal entre março e dezembro de 2020.

Serão anulados os atos que concedam ou ampliem incentivos ou benefícios tributários, bem como isenção, suspensão, alteração no prazo de recolhimento que reduza a arrecadação de ICMS e de ISS.

As dívidas de estados e municípios com bancos públicos estão suspensas entre março e dezembro de 2020. O BNDES e a Caixa podem criar termos aditivos para refinanciar as operações de crédito até o fim deste ano.

G1