Feira do Milho em Natal: chuvas no RN alavancam produção e vendas ultrapassam 500 mil milheiros na Central da Agricultura

Foto: Ellsa Elsie/ASSECOM-RN

A Feira do Milho, montada na área externa da Central de Comercialização da Agricultura Familiar, já ultrapassou 500 mil milheiros vendidos. No local, foram armadas 12 tendas para a venda de milho e comidas típicas. As vendas acontecem desde o dia 27 de maio, reunindo comerciantes de Macaíba, Ceará Mirim, Pedro Velho, Assu, Ipanguaçu, Touros, Carnaubais, São José de Mipibu e Nísia Floresta.

A previsão é de que este ano as vendas aumentem 80% em relação ao ano passado, devido ao crescimento na produção com as chuvas em 2019. A feira está montada na entrada do estacionamento da Cecafes, de 6h às 20h, podendo o horário ser estendido até às 22h, dependendo do comerciante. O preço da mão de milho (50 espigas) varia de R$ 23 a R$ 25. Como diferencial, algumas barracas este ano estão aceitando pagamento em cartão de crédito.

Todos os comerciantes ficarão disponíveis na “Feira do Milho” até o dia 01 de julho, mas dependendo do movimento alguns deverão estender suas vendas até o dia 15 de julho.

A Cecafes está localizada na esquina das avenidas Jaguarari e Capitão Mor Gouveia, vizinho à Ceasa, no bairro Lagoa Nova. A estrutura comercial é vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Arnaldo Franco disse:

    Eita, que crise!

  2. Ricardo disse:

    Bruno, tem um erro : 500000 milheiros significa 500.000.000 milhões de espigas( 500000 X 1000). É muita espiga de milho.

Microempreendedores individuais ultrapassam 8 milhões no país

Foto: Elza Fiúza/Arquivo/Agência Brasil

O número de profissionais autônomos, cadastrados como microempreendedores individuais (MEI), ultrapassa 8 milhões. De acordo com dados do Portal do Empreendedor, no final de março, número de profissionais chegou a 8.154.678.

Para se cadastrar como MEI, é preciso ter faturamento de até R$ 81 mil por ano, não ser sócio, administrador ou titular de outra empresa e ter no máximo um empregado. Como MEI, o microempreendedor tem um CNPJ e pode abrir conta bancária, fazer empréstimos e emitir notas fiscais.

Em julho, a Lei Complementar nº 128/2008, que criou o MEI, completa 10 anos de entrada em vigor.

De acordo com o Portal do Empreendedor, em março, a maioria dos microempreendedores eram cabeleireiros, manicures e pedicures (66.937), profissionais da área de vestuário (641.346), de obras de alvenaria (358.053), de promoção de vendas (210.669) e de alimentação (218.946).

A maioria dos empreendedores tem entre 31 e 40 anos (mais de 2,5 milhões), seguidos por aqueles com idade entre 41 e 50 anos (1,9 milhão), entre 21 e 30 anos (1,7 milhão). Entre 51 e 60 anos, são 1,3 milhão. Os mais velhos (61 a 70 anos) são 446,1 mil. Entre 16 e 17 anos, há 575 jovens microempreendedores. E entre, 18 e 20 anos, 69,9 mil.

Agência Brasil