WhatsApp: golpe que vaza conversas afetou 8 milhões no Brasil

Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

O crime de clonagem de WhatsApp já atingiu 8,5 milhões de brasileiros, segundo pesquisa realizada pela PSafe, desenvolvedora de aplicativos de segurança. O levantamento mostra que, a cada dia, 23 pessoas são vítimas dessa modalidade de golpe em todo o país. Vazamento de conversas privadas, envio de links maliciosos para outros contatos e solicitações de dinheiro aos amigos estão entre os principais prejuízos trazidos pela clonagem do mensageiro.

Apesar de não ser inédito, o golpe ganhou destaque este ano no Brasil devido aos inúmeros relatos de usuários que foram vítimas de cibercriminosos. Somente no primeiro semestre de 2019, foram registradas mais de 134 mil tentativas de roubo de WhatsApp. Sessões ativas desconhecidas no WhatsApp Web e atividades suspeitas na conta podem ser indícios de que o mensageiro está sendo clonado.

“Para clonar uma conta de WhatsApp, o cibercriminoso cadastra indevidamente o número de telefone do usuário em outro dispositivo e, após esse processo, um SMS contendo um código de liberação de acesso é enviado ao celular da vítima. Depois, ela é induzida a fornecer esse código ao hacker e, em seguida, a sua conta de WhatsApp é bloqueada”, explica Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, laboratório da PSafe especializado em cibersegurança.

Principais prejuízos

Ao ter livre acesso ao WhatsApp de um usuário, o hacker pode usar o conteúdo das mensagens para fazer chantagens com a vítima em troca de dinheiro. Segundo a pesquisa, 26,7% dos entrevistados apontaram o vazamento de conversas privadas como o principal prejuízo da clonagem de WhatsApp.

É comum também que o invasor se passe pela vítima para aplicar golpes em seus amigos e familiares. Ainda de acordo com o levantamento, o envio de links com golpes para outros contatos responde por 26,6% dos danos, seguido de solicitações de dinheiro aos amigos (18,2%), perda da conta do WhatsApp (18,0%) e chantagem (10,5%).

Como se proteger

A PSafe alerta que o usuário jamais deve informar a terceiros o código de liberação de acesso do WhatsApp. É importante, além disso, ativar a verificação em duas etapas para reforçar a segurança da conta e evitar conectar o celular em redes Wi-Fi desconhecidas. Se possível, instale um aplicativo para proteger o mensageiro com senha.

Globo, via Techtudo

 

Microempreendedores individuais ultrapassam 8 milhões no país

Foto: Elza Fiúza/Arquivo/Agência Brasil

O número de profissionais autônomos, cadastrados como microempreendedores individuais (MEI), ultrapassa 8 milhões. De acordo com dados do Portal do Empreendedor, no final de março, número de profissionais chegou a 8.154.678.

Para se cadastrar como MEI, é preciso ter faturamento de até R$ 81 mil por ano, não ser sócio, administrador ou titular de outra empresa e ter no máximo um empregado. Como MEI, o microempreendedor tem um CNPJ e pode abrir conta bancária, fazer empréstimos e emitir notas fiscais.

Em julho, a Lei Complementar nº 128/2008, que criou o MEI, completa 10 anos de entrada em vigor.

De acordo com o Portal do Empreendedor, em março, a maioria dos microempreendedores eram cabeleireiros, manicures e pedicures (66.937), profissionais da área de vestuário (641.346), de obras de alvenaria (358.053), de promoção de vendas (210.669) e de alimentação (218.946).

A maioria dos empreendedores tem entre 31 e 40 anos (mais de 2,5 milhões), seguidos por aqueles com idade entre 41 e 50 anos (1,9 milhão), entre 21 e 30 anos (1,7 milhão). Entre 51 e 60 anos, são 1,3 milhão. Os mais velhos (61 a 70 anos) são 446,1 mil. Entre 16 e 17 anos, há 575 jovens microempreendedores. E entre, 18 e 20 anos, 69,9 mil.

Agência Brasil

Eleições de 2012 vão custar mais de R$ 8 milhões ao poder público no RN

HEVERTON DE FREITAS
DO NOVO JORNAL

A democracia tem  um preço. A frase é velha, mas o valor é atualizado todos os anos. A deste ano, por exemplo, irá custar mais de R$ 8 milhões no Rio Grande do Norte. E esse preço é apenas o gasto oficial da justiça eleitoral com a preparação e realização das eleições. Sem falar nos muitos milhões que os partidos e candidatos gastam para tentar obter seus mandatos, geralmente recursos obtidos de maneira pouco republicana.

O custo exato que o Tribunal Regional Eleitoral orçou para as eleições de 2012 é de R$ 8.116.490,00. Esse valor é dividido praticamente igual entre gastos com pessoal e com o custeio.

Com pessoal não estão computados os valores dos salários e vencimentos pagos mensalmente aos cerca de 600 funcionários da justiça eleitoral, todos funcionários públicos federais pagos com recursos do Orçamento da União.

Os R$ 3.910.560,00 orçados como gastos com pessoal para as eleições deste ano serão desembolsados no pagamento de despesas como os plantões judiciais, as gratificações pagas a juizes e promotores eleitorais e os jetons que são pagos aos sete membros da Corte eleitoral que em ano de eleição têm que realizar muitas sessões extras em função do aumento da demanda e da necessidade de julgar todos os processos em um prazo exíguo como estabelece a legislação eleitoral.