Polícia Civil do RN alerta a população sobre golpe do leilão virtual que teve como vítima advogado em Natal

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte alerta a população potiguar sobre golpe do leilão virtual que está sendo aplicado por meio do site: “leilaooficialriograndedonorte.org”, que possui domínio estrangeiro, encontrado inclusive por meio de plataforma de busca. O desfalque já está ganhando visibilidade da população, pois vem ocorrendo em vários estados brasileiros e em outros países do mundo.

Em um dos casos que chegou ao conhecimento da Polícia Civil do RN, um advogado de 38 anos, residente em Natal, teria arrematado um veículo, em um falso leilão, e transferido o valor para uma conta corrente relacionada a uma agência bancária no Estado de São Paulo. O golpe foi praticado no dia 08 de setembro deste ano. Logo após o crime, o homem procurou a Polícia Civil, que verificou se tratar de um site falso.

De acordo com as investigações, durante o leilão, a vítima garantiu o termo de arrematação de um veículo modelo Hilux SW4 2019, pagando o valor de R$ 112 mil (cento e doze mil reais), inclusive, com valor abaixo de mercado. Como a conta utilizada no golpe não foi aberta no RN, a atribuição do caso foi transferida para o Estado de São Paulo. A Polícia Civil do RN será responsável somente pelo Boletim de Ocorrência (BO) e pelas oitivas, após, os dados serão encaminhados.

Segundo o delegado Marcuse Cabral, titular da Delegacia Especializada em Falsificações e Defraudações (DEFD), é importante alertar a população sobre a prática do golpe porque, mesmo com a identificação do(s) autor(es), existe uma dificuldade em reaver o dinheiro transferido, que geralmente consiste em quantias de elevado valor, gerando considerável prejuízo às vítimas. “Até o momento, chegaram ao conhecimento desta Especializada 10 casos registrados, sendo que oito deles já contam com documentação remetida ao local onde os crimes serão apurados.”

Em caso de a pessoa ser vítima do golpe ou identificar que se trata de um site fraudulento, deverá denunciar nos mecanismos de busca e é recomendável que se faça um boletim de ocorrência para conhecimento da Polícia Civil, sendo possível ser realizado o registro por meio da Delegacia Virtual, no site da instituição: www.policiacivil.rn.gov.br.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jr disse:

    Cuidado é golpe

  2. Ade disse:

    E a polícia entra no site só isso

  3. Vergonha disse:

    É o famoso OLHO GRANDE,caiu pela usura, querendo levar vantagem .

VÍDEO: Golpe do boleto falso: saiba como identificar documento para não cair em armadilhas

Foto: Globo

O golpe do boleto falso – prática que envolve falsificação de cobranças para pagamento cair na conta bancária do criminoso – vem fazendo muita gente perder dinheiro.

Durante a pandemia, os golpes financeiros aumentaram em 300% no mundo inteiro, de acordo com dados do FBI. Só no Brasil, a armadilha cresceu em 45%, segundo a FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos). O perito digital Marcelo Nagy esclarece como a fraude funciona:

“Eles [criminosos] abrem uma conta e conseguem permitir depósitos através de transferências bancárias ou através de um número de boleto registrado, que tem oito grupo de números.”

Confira as dicas e fique atento!

A primeira coisa é entender que o código de barras, que a gente chama de conta de consumo, é diferente de um código de barras de um boleto de registro. Uma conta de consumo (água ou luz, por exemplo) tem quatro grupos de número e o último grupo possui só 12 dígitos.

O boleto de registro tem oito grupos de números, com 14 dígitos. (VEJA VÍDEO AQUI EM MATÉRIA NA ÍNTEGRA).

O código do banco, composto por três dígitos, também é um dado a ser observado. Na dúvida, pesquise na internet o código bancário do credor. Cada banco tem o seu código específico.

O boleto original precisa ter três itens básicos: nome do pagador (com os dados de quem vai pagar a conta), código do banco e CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) da empresa. Cuidado com o CNPJ porque golpistas podem abrir empresas falsas. No site da Receita Federal é possível consultar gratuitamente a numeração do CNPJ e saber de a empresa existe.

Os últimos dígitos do código de barras do boleto verdadeiro são correspondentes ao valor da conta. Ou seja, o final dele é exatamente o valor da conta que deve ser paga.

Veja foto que diferencia o boleto de registro e a conta de consumo, e saiba como identificar o boleto verdadeiro

“O boleto de registro tem um grupamento de número, só que tem oito conjuntos de números. Se você olhar o último agrupamento e contar, tem 14 números. Essa é a principal diferença do boleto. Os pontos em um boleto servem para entender quando acaba um agrupamento e começa o outro”, avisa Marcelo Nagy.

Boleto verdadeiro deve ter código do banco, dados do pagador e CNPJ verdadeiro da empresa — Foto: Globo

Em caso de dúvida se um boleto é verdadeiro ou falso, nunca entre em contato com o telefone que está na conta suspeita que você recebeu. “Às vezes, eles colocam até 0800. Quem atende é a central do golpista”, alerta o perito digital. Pesquise o número na internet e busque outras formas de contato com a empresa. Tenha cuidado também com sites fraudados. Os golpistas podem publicar links falsos.

Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciana Morais Gama disse:

    Parte da culpa é do
    proprio sistema bancário quando abre as contas e não faz as devidas averiguações , já que não perdem nada. O povo paga e se lasca, pois paga duas vezes.

ÁUDIO mostra como funciona o Golpe de clonagem do WhatsApp

Foto: Ilustrativa

Manjado golpe de clonagem do WhatsApp ainda continua fazendo muitas vítimas. Em destaque, um desses que a pessoa pega em sites de anúncios.

Conforme conversa anda, golpista tenta manipular usuário do aplicativo a mandar os 6 dígitos de validação pelo telefone. No exemplo abaixo, áudio que viralizou mostra quando criminoso é desmascarado por vítima em potencial, e ainda consegue falar sobre o “negócio”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos Benício disse:

    Brincadeira!
    Esse país não existe, meu Deus!

  2. Tarcísio Eimar disse:

    O cara ainda manda um abraço. Kkkkkk

ALERTA: Quadrilha se passa por restaurantes tradicionais de Natal oferecendo prêmios ou vantagens na tentativa de clonagem de whatsapp

Alerta. Uma quadrilha tem utilizado o Whatsapp para se passar por representantes de estabelecimentos do segmento de restaurantes na capital potiguar, informando sobre a contemplação de um sorteio com prêmios e descontos.

Nomes de estabelecimentos como Camarões, Mangai e Tábua de Carne já foram usados pelos bandidos, que tentam enganar clientes ou interessados.

Na tentativa de golpe, normalmente informam um envio de um código para a vítima em potencial com objetivo da clonagem de seu aplicativo. As empresas alertam que os números abordados ignorem ou bloqueiem as mensagens ou chamadas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    A falta de informação e conhecimento dos usuários de smartphone é grande. Nem sempre a senha enviada por SMS vai liberar a instalação do whatsapp pra posterior clonagem. Basta ter uma senha como forma de segurança atendendo ao recurso "confirmação em 2 etapas" do próprio APP. Com esse recurso instalado não será possível efetuar a clonagem. Eu já uso desde que foi implementado pelo whatsapp

PF prende acusados de aplicar golpe em beneficiários do coronavoucher

Foto: Ilustrativa

Policiais federais prenderam, no Espírito Santo, dois homens acusados de clonar cartões magnéticos de beneficiários de programas sociais como o Bolsa Família e que estão recebendo o auxílio emergencial de R$ 600, conhecido como coronavoucher, criado para minimizar os efeitos econômicos e sociais da pandemia da covid-19.

Os dois homens foram detidos em flagrante, na noite desta terça-feira (19), em Vila Velha. Segundo o delegado federal Leonardo Rabello, chefe da delegacia de Combate aos Crimes Fazendários, investigadores do Serviço de Repressão aos Crimes Cibernéticos da Polícia Federal (PF) chegaram aos acusados após a Caixa fornecer a relação das agências bancárias estaduais com o maior número de contestações de saques indevidos do auxílio emergencial.

De acordo com o delegado, a dupla instalava dispositivos eletrônicos nos terminais de autoatendimento de agências bancárias e, assim, conseguia clonar os cartões de benefícios sociais e filmar o momento em que as vítimas digitavam suas senhas de segurança.

Quando foram flagrados, os dois homens carregavam parte dos aparelhos usados no golpe. De acordo com a PF, eles tinham acabado de atuar em agências da Caixa nos bairros do Ibes, em Vila Velha, e Jucutuquara, em Vitória, distante cerca de 11 quilômetros.

Quando foram flagrados, os dois homens carregavam parte dos aparelhos usados no golpe. De acordo com a PF, eles tinham acabado de atuar em agências da Caixa nos bairros Ibes, em Vila Velha, e Jucutuquara, em Vitória, distante cerca de 11 quilômetros.

Segundo o delegado federal, o fato de os cartões magnéticos distribuídos aos beneficiários de programas sociais não conterem chips de segurança facilitou a ação dos criminosos. A PF estima que a dupla já havia desviado R$ 110 mil. E investiga se o crime está ocorrendo também em outros estados.

“É o conhecido [golpe do] chupa-cabra. Que era muito usado no passado, mas que diminuiu consideravelmente em função do trabalho de segurança dos bancos, cujos cartões agora contém chips magnéticos”, disse Rabello, enfatizando que o pagamento de benefícios sociais por intermédio do uso de cartões sem chip “gera uma janela de oportunidade para grupos criminosos atuarem”.

Criminosos têm antecedentes

Os dois homens presos ontem já são conhecidos por aplicar este tipo de golpe. Um deles tem dois mandados de prisão em aberto por fraudes bancárias com o uso de chupa-cabra em outros estados. O outro já cumpriu pena de prisão pelo mesmo motivo.

“São pessoas treinadas e que têm uma técnica para instalar esses dispositivos. Pessoas que já tinham fraudado agências bancárias e que agem de forma sorrateira, dificultando a vigilância das próprias agências”, acrescentou o delegado, revelando, ainda, que a Polícia Federal continua apurando o possível envolvimento de outras pessoas no golpe.

Os investigados responderão pelo crime de furto mediante fraude, cuja pena varia de dois a oito anos de prisão.

Procurada pela Agência Brasil, a Caixa não se manifestou.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flauberto Wagner disse:

    Nunca veremos uma luz de esperança no final, pois antes que se tenha certeza que é realmente uma lâmpada, vem alguém e rouba!
    É impressionante como no Brasil tem pessoas de índole perversas e que só fazem o mau ao próximo.
    Mas, com os belos exemplos de personas nada confiáveis que temos nos três poderes, o vem depois de escalabaixo é de pior à pior !

Golpe sobre falso cadastro no auxílio de R$ 600 já fez 6,7 milhões de vítimas; saiba como se proteger

Imagem: reprodução

Um golpe que circula na internet com falso link para, supostamente, fazer o cadastramento na plataforma do auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal já fez 6,7 milhões de vítimas desde março, alertou o dfndr lab — laboratório especializado em segurança digital da PSafe.

A mensagem afirma que os pagamentos começam nesta terça-feira (dia 7), o que não é verdade, e que é possível sacar a quantia imediatamente após preencher as informações, o que também é falso.

Ao clicar no site indicado, o usuário é levado um questionário com três perguntas: “Você recebe Bolsa Família?”; “Você é autônomo?”; “Você quer receber o auxílio?”. Após respondê-las afirmativamente, aparece uma mensagem dizendo que o benefício foi aprovado, mas que, antes, é necessário enviar o link para seus contatos no WhatsApp.

“Para tornar o ataque mais verídico, alguns golpes se aproveitam de ações reais que grandes empresas e o governo estão realizando para enfrentar o coronavírus, como a doação de álcool em gel e pagamento de benefícios à população. E a tendência é que o número de ataques e de vítimas aumente nos próximos dias, principalmente em decorrência do agravamento da situação do país neste momento de crise”, explicou Emilio Simoni, diretor do dfndr lab.

A PSafe, no entanto, informou que existem diversos links por onde o ataque de criminosos virtuais vem sendo disseminado.

Alguns dos links FALSOS são:

auxilio-corona.info
auxiliocorona.com
auxiliocidadao.com
auxiliocidadao.archivezap.live/
bit.ly/AuxilioCidadao

Grande parte deles têm o objetivo de roubar dados pessoais e financeiros das vítimas ou levá-las a páginas falsas para visualizar publicidades excessivas.

Golpe do chocolate de Páscoa

Outro golpe recente identificado pelo laboratório de segurança digital da PSafe é o do ovo de Páscoa, que atingiu mais de 560 mil brasileiros em apenas três dias de circulação. Os números continuam aumentando.

Foram identificados seis links maliciosos que utilizam o indevidamente o nome das empresas de chocolate Nestlé e Cacau Show para enganar vítimas com a oferta de ovos de Páscoa grátis. A suposta promoção contemplaria cinco mil participantes com ovos entregues em casa.

As mensagens utilizam inclusive a hashtag #ficaemcasa, da campanha pelo isolamento social, como justificativa para a falsa promoção.

Saiba como evitar cair em golpes

– Evite clicar em links de mensagens que ofereçam brindes, prêmios ou benefícios;

– Desconfie de informações sensacionalistas ou ofertas muito vantajosas e busque fontes confiáveis;

– No caso de mensagens que tratam de assuntos governamentais, como benefícios sociais e questões de saúde pública, busque a informação em sites oficiais, como do Ministério da Economia e do Ministério da Saúde;

– Não compartilhe mensagens sem antes verificar se a informação é verídica e se os links são seguros;

– Utilize soluções de segurança no celular que oferecem a função de detecção automática de ‘phishing’ (roubo de dados) em aplicativos de mensagem e redes sociais;

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lucas disse:

    Será que foi o mesmo pessoal que caiu no conto da mamadeira de piroca?

Conheça o golpe que faz caixa eletrônico ‘cuspir’ dinheiro

Foto: Reprodução

Jackpotting é o nome dado ao golpe em que criminosos instalam malwares em caixas eletrônicos para fazer com que a máquina libere dinheiro. Com a fraude, que também pode ser aplicada a partir da manipulação do hardware do dispositivo, os golpistas conseguem sacar até 40 cédulas a cada 23 segundos e esvaziar as gavetas em poucos minutos.

Há registros de ataques de jackpotting em bancos do México, Europa e Estados Unidos, mas é difícil precisar a quantia roubada. Para se ter uma ideia da magnitude da fraude, entre fevereiro e novembro de 2017 foram registrados dez golpes do tipo na Alemanha, rendendo US$ 1.5 milhão de dólares aos criminosos. A seguir, confira sete fatos sobre a técnica.

Como funciona

O primeiro passo para aplicar um golpe de jackpotting é instalar o malware na máquina. Para vasculhar o equipamento sem levantar suspeitas, os criminosos costumam se vestir como técnicos de caixas eletrônicos. Quando encontram uma porta para conectar o cabo, eles sincronizam seus notebooks com o computador da máquina e transferem o software malicioso.

Feita a instalação, os golpistas podem ativar o malware a partir do teclado da máquina ou de comandos remotos via smartphone. Após a emissão das notas, é preciso que alguém se dirija ao banco para sacar o dinheiro roubado. Esse trabalho é feito pelas mulas, pessoas que realizam operações de alto risco sob o comando de criminosos.

Techtudo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. H4CK3R disse:

    Deveria ser crime, também, quem divulga como funciona o golpe!

Golpe ‘boa noite, Cinderela’ em Natal faz homem ter carro, joias, dinheiro e carne roubados

A Delegacia de Plantão da Zona Norte registrou um caso em que um homem diz ter sido vítima do golpe “boa noite, Cinderela”, na noite dessa segunda-feira (6), na região. Na ocasião, ele conheceu duas mulheres em uma festa no Mercado da Redinha e foi convencido a levá-las para a sua casa. A vítima, de identidade preservada, disse que lembra de ter chegado em casa e abrir o portão. Na sequência, relatou lembrar de uma terceira pessoa chegando ao local. Por fim, contou que acordou atordoado na madrugada desta terça (7).

Segundo a vítima, foram levados a caminhonete, que tinha 1.000 kg de carne na caçamba,  cerca de R$ 3 mil em dinheiro e jóias(aproximadamente R$ 6 mil em ouro). A Polícia Civil vai investigar o caso.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jonas disse:

    Fizeram isso com meu primo, além de lhe roubarem, acharam pouco e comeram a bunda dele, pois ele falou que acordou com o traseiro todo assado.

  2. Bento disse:

    Com tanta carne no carro
    Ainda foi atrás de mais
    Guloso…

  3. everton disse:

    E Bolsonaro num disse q a violência iria baixar?

    • Bento disse:

      É verdade… disse.
      Só que em Estados não governados pelos esquerdopatas

‘Quero continuar presidente, não dá pra dar um golpe, não?’, brinca Bolsonaro em Cúpula do Mercosul em ironia ao discurso da esquerda

Jair Bolsonaro (centro) a Mario Abdo Benítez (esq.) sobre as esquerdas: ‘Tudo quando eles perdem, eles dizem que é golpe’ – (Alan Santos/Flickr)

Sem perceber que os microfones de tradução simultânea da Cúpula do Mercosul, realizada em Bento Gonçalves (RS), seguiam ligados, Jair Bolsonaro fez uma brincadeira ao passar a presidência do bloco econômico ao líder do Paraguai, Mario Abdo Benítez.

Presidente do Mercosul até esta quinta-feira (5), Bolsonaro entregou a Abdo Benítez o martelo que simboliza a troca de comando do grupo sul-americano. Segundo a tradição, quando a presidência temporária passa de um país para outro, o novo líder martela um pedaço de madeira.

Após o paraguaio cumprir o gesto, Bolsonaro brincou: “Quero continuar presidente, não dá pra dar um golpe, não? Tudo quando eles perdem dizem que é golpe. É impressionante, né?”. Abdo Benítez riu.

Há menos de um mês, Evo Morales renunciou à Presidência da Bolívia pressionado por manifestações populares e pelas Forças Armadas. A sugestão do comando militar para que deixasse o poder foi chamada de golpe de Estado pelo líder indígena.

Evo classificou da mesma forma a autoproclamação de Jeanine Añez como presidente interina do país, uma vez que a senadora assumiu o cargo a partir de uma interpretação controversa da Constituição e do regimento do Senado boliviano.

Na abertura do encontro presidencial da Cúpula do Mercosul, Bolsonaro e o atual mandatário argentino, Mauricio Macri, mandaram recados ao centro-esquerdista Alberto Fernández, eleito presidente em outubro. A cerimônia de posse está marcada para a próxima terça-feira (10).

Bolsonaro disse que o bloco “não pode perder tempo, nem podemos aceitar retrocessos ideológicos” e enfatizou a necessidade de enxugar ainda mais a estrutura do Mercosul e de reduzir a TEC (tarifa externa comum).

Macri reforçou a mensagem. Indicou que os avanços de seu período à frente da Argentina, durante o qual foram assinados acordos com a União Europeia e com a EFTA (Associação Europeia de Livre Comércio, na sigla em inglês), deveriam continuar.

Fernández tem críticas e quer revisar ambos os pactos. “Não se deve abandonar o que avançamos no Mercosul”, afirmou Macri.​

Já Abdo Benítez, a quem Bolsonaro chamou de “meu irmão paraguaio”, agradeceu o brasileiro por seu “apoio quando houve uma ameaça à nossa democracia”, referindo-se ao processo de impeachment contra ele, em agosto. O Planalto atuou para arrefecer o processo, como acabou acontecendo.

Os líderes do Mercosul também discutiram a crise na Bolívia. A voz dissonante veio do Uruguai, por meio da vice-presidente Lucía Topolansky, que definiu a crise no país andino como “um rompimento institucional”.

“Não podemos atuar como se o Mercosul fosse um paraíso. Não é. Estamos num contexto regional preocupante, em que vários países estão vivendo conflitos institucionais, com violações dos direitos humanos e perda de vidas”, disse.

Macri, por outro lado, disse que valorizava o papel da senadora Jeanine Añez que, “como presidente interina, está buscando a paz democrática em seu país, adotando um caminho constitucional, liderado pelo Congresso”.

Em paralelo às manifestações e crises no continente, Topolansky, assim como havia feito o chanceler uruguaio, Rodolfo Nin Novoa, no dia anterior, chamou a atenção para a maturidade da democracia uruguaia.

“Ganhou quem nos fazia oposição. Mas, na próxima reunião, quem estará aqui será um uruguaio, porque em meu país, uruguaios somos todos, e o Uruguai é um só.”

Folha de São Paulo

“Don Juan” dá golpe de R$ 500 mil em promotora de Justiça

FOTO: ILUSTRATIVA

Seduzir, casar e enriquecer às custas das companheiras eram os principais objetivos de um homem preso preventivamente pela Polícia Civil do Distrito Federal. O curioso dessa ocorrência é que o acusado de estelionato era casado com duas mulheres e vivia uma rotina de mentiras para justificar as ausências: fingia viagens para alternar a permanência entre as residências.

O Don Juan, alvo de um processo que corre sob sigilo no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), passou cinco anos casado com uma promotora do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) e desviou cerca de R$ 500 mil das contas bancárias dela. O suspeito foi preso por investigadores da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), nessa sexta-feira (18/10/2019), pelos crimes de furto, estelionato, posse sexual mediante fraude e exercício ilegal da profissão.

O estelionatário, 27 anos, terá a identidade completa mantida sob sigilo para preservar as vítimas. De acordo com informações obtidas pelo Metrópoles, o golpista passou a ser investigado após sua esposa procurar a delegacia da Asa Sul, em setembro, para informar que havia sido vítima de estelionato sentimental. A promotora de Justiça relatou que estava casada com o Don Juan havia cinco anos e tinha descoberto que o marido mantinha união estável com outra mulher havia pelo menos dois anos e meio.

Para seduzir a promotora, o estelionatário construiu uma imagem que jamais existiu. Ele e a vítima se conheceram por meio de amigos em comum. O golpista se apresentava como analista financeiro com formação em contabilidade pela Universidade de Brasília (UnB), o que nunca ocorreu. Morando confortavelmente com a esposa na casa dela o criminoso passou anos mentindo que seria funcionário de uma grande corretora de seguros, com base em São Paulo.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Almeida Castro disse:

    Desvio médio de R$8.000,00/mês e ela só notou após 5 anos?

Vigilância Sanitária em Natal alerta contra golpe

Nas últimas semanas, criminosos têm se utilizado de um dos trabalhos da Vigilância Sanitária de Natal (Visa Natal), que é fiscalizar estabelecimentos comerciais para garantir que os mesmos não ofereçam riscos para a saúde da população, para tentar aplicar golpes nos comerciantes.

A abordagem é sempre a mesma. Ligam se identificando como profissionais da Visa Natal, muitas vezes como o próprio chefe da Vigilância da capital, José Antônio, porém utilizando outro nome, mas a mesma foto chefe da Visa, alegando que irá ser feita uma fiscalização e que o estabelecimento corre o risco de ser fechado, mas que para evitar que isso não ocorra, basta pagar uma determinada quantia em dinheiro. Apenas a ligação já é motivo para que a população desconfie, pois não é a prática utilizada pela Visa Natal.

A Vigilância Sanitária de Natal enfatiza que as fiscalizações são feitas sem avisar. Não ligam para ninguém informando que vão fazer uma fiscalização, pois querem analisar o local da forma como ele funciona normalmente.

Outro fator de desconfiança é a cobrança de qualquer valor, já que isso fica de responsabilidade apenas da Secretaria de Tributação. Não existe cobrança de nada por parte dos fiscais da Vigilância Sanitária. A fiscalização é feita e é deixado apenas o Termo de Inspeção Sanitária com as providências que o estabelecimento deve tomar para regularizar sua situação.

Quem desconfiar de alguma ligação ou visita de uma pessoa se identificando como da Vigilância, deve procurar a polícia, uma vez que todos os profissionais da Vigilância estão identificados com crachás e geralmente trabalham em dupla. Se desconfiar da postura, a população deve procurar a polícia para que essa pessoa seja presa em flagrante.

Justiça Federal do RN alerta para golpe informando supostos processos indenizatórios ganhos

A Justiça Federal no Rio Grande do Norte alerta para golpe que está sendo aplicado através do qual criminosos telefonam para vítimas informando de supostos processos indenizatórios ganhos, mas que precisam de depósito para fins de pagamento de imposto chamado IVA. Veja detalhes aqui em matéria na íntegra no Justiça Potiguar.

 

Golpe do FGTS usa consulta e saque como isca pelo WhatsApp; mais de 100 mil vítimas em dois dias

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A partir desta sexta-feira (13), o saque de até R$ 500 do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) poderá ser realizado em todas as agências da Caixa.

Com a proximidade da data, o número de mensagens duvidosas circulando via WhatsApp, e-mail e SMS também vem crescendo, segundo a Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor).

A entidade trabalha em cima de informações levantadas por duas empresas ligadas à segurança digital, segundo Juliana Moya, especialista em relações institucionais da Proteste.

Em apenas dois dias, mais de 130 mil pessoas foram atingidas por um dos golpes do FGTS no WhatsApp, segundo a PSafe, desenvolvedora brasileira de aplicativos de segurança digital.

Por hora são registrados, pelo menos, 2.083 novos acessos ao link da fraude, de acordo com levantamento feito pelo laboratório especializado em segurança digital da empresa.

O diretor do laboratório especializado em segurança digital da PSafe, Emilio Simoni, classifica o saque do FGTS como “uma temática que faz muito sucesso” entre os fraudadores.

“Somente neste mês, foram 19 páginas criadas com o objetivo de roubar a senha do cartão cidadão e dados do PIS/Pasep dos brasileiros. Dessas, seis estão no ar neste momento, sendo enviadas via SMS e redes sociais”, alerta Simoni.

As mensagens contêm perguntas como: “Deseja sacar todo seu FGTS?” ou “Você sacou algum valor do FGTS nos últimos 3 meses?”.

Ao clicar no link sugerido, o usuário expõe seus dados e é induzido a compartilhar a mensagem com amigos.

Em outro golpe, identificado pela Eset, empresa de segurança digital, são divulgadas informações falsas sobre um pagamento retroativo de R$ 1.760 do FGTS, de acordo com Juliana. A vítima é induzida a passar seus dados pessoais e a compartilhar o link.

O que fazer para não cair no golpe do FGTS?

Para Juliana, é importante destacar que os bancos não enviam mensagens com links pedindo nenhuma informação sobre o correntista. Em nota, a Caixa ressaltou esta informação.

“A Caixa Econômica Federal esclarece que não envia mensagens sobre saques das contas vinculada ao FGTS ou que solicite senhas, dados ou informações pessoais do trabalhador. O banco orienta que os trabalhadores busquem informações sobre FGTS disponíveis nos canais oficiais da CAIXA, na internet, na página do FGTS, no APP FGTS ou no telefone 0800-726-0207, ou em suas agências. A CAIXA alerta os trabalhadores contra golpes e informa que não envia links ou pede confirmação de dispositivo ou acesso à conta por e-mail, SMS ou WhatsApp.”

Juliana orienta o consumidor a nunca clicar no link enviado nesse tipo de mensagem. “Caso ele não siga a orientação e acesse o endereço virtual falso, seja por celular ou computador, é bem provável que os criminosos tenham obtido todos os seus dados”, diz.

De acordo com Simoni, é possível se esquivar do golpe baixando um aplicativo para identificar as páginas falsas. “Você recebe esses links da sua mãe, do seu irmão e no grupo de família”, observa ele.

Ao identificar a fraude, o usuário deve comunicar imediatamente o seu banco e a operadora de celular para mudar as senhas da sua conta, cartões, celular, entre outras, de acordo com a especialista da Proteste.

“Antes de cadastrar todas as suas senhas novamente, é importante que o usuário passe um antivírus no celular ou computador acessado”, comenta ela.

Juliana diz que, na maioria das vezes, os dados são usados para a compra de serviços.

“Fique atento com mensagens de compras enviadas para o seu SMS e consulte com frequência o seu extrato bancário. Qualquer anormalidade, comunique o seu gerente”, oriente Juliana.

Em nota, a assessoria de imprensa da Fundação Procon-SP orienta o consumidor que “caiu no golpe”, a procurar a autoridade policial para lavrar boletim de ocorrência.

“Ao final das investigações, caso a autoridade entenda pela responsabilidade técnica da operadora de telefonia, do aplicativo ou de terceiros, a responsabilidade poderá ser imputada a um destes, dependendo de uma análise apurada de cada caso”, ressalta a nota.

R7

 

WhatsApp: golpe que vaza conversas afetou 8 milhões no Brasil

Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

O crime de clonagem de WhatsApp já atingiu 8,5 milhões de brasileiros, segundo pesquisa realizada pela PSafe, desenvolvedora de aplicativos de segurança. O levantamento mostra que, a cada dia, 23 pessoas são vítimas dessa modalidade de golpe em todo o país. Vazamento de conversas privadas, envio de links maliciosos para outros contatos e solicitações de dinheiro aos amigos estão entre os principais prejuízos trazidos pela clonagem do mensageiro.

Apesar de não ser inédito, o golpe ganhou destaque este ano no Brasil devido aos inúmeros relatos de usuários que foram vítimas de cibercriminosos. Somente no primeiro semestre de 2019, foram registradas mais de 134 mil tentativas de roubo de WhatsApp. Sessões ativas desconhecidas no WhatsApp Web e atividades suspeitas na conta podem ser indícios de que o mensageiro está sendo clonado.

“Para clonar uma conta de WhatsApp, o cibercriminoso cadastra indevidamente o número de telefone do usuário em outro dispositivo e, após esse processo, um SMS contendo um código de liberação de acesso é enviado ao celular da vítima. Depois, ela é induzida a fornecer esse código ao hacker e, em seguida, a sua conta de WhatsApp é bloqueada”, explica Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, laboratório da PSafe especializado em cibersegurança.

Principais prejuízos

Ao ter livre acesso ao WhatsApp de um usuário, o hacker pode usar o conteúdo das mensagens para fazer chantagens com a vítima em troca de dinheiro. Segundo a pesquisa, 26,7% dos entrevistados apontaram o vazamento de conversas privadas como o principal prejuízo da clonagem de WhatsApp.

É comum também que o invasor se passe pela vítima para aplicar golpes em seus amigos e familiares. Ainda de acordo com o levantamento, o envio de links com golpes para outros contatos responde por 26,6% dos danos, seguido de solicitações de dinheiro aos amigos (18,2%), perda da conta do WhatsApp (18,0%) e chantagem (10,5%).

Como se proteger

A PSafe alerta que o usuário jamais deve informar a terceiros o código de liberação de acesso do WhatsApp. É importante, além disso, ativar a verificação em duas etapas para reforçar a segurança da conta e evitar conectar o celular em redes Wi-Fi desconhecidas. Se possível, instale um aplicativo para proteger o mensageiro com senha.

Globo, via Techtudo

 

INVASÃO E MANIPULAÇÃO: Entenda golpe usado por hackers para tentar roubar as mensagens de Sergio Moro

 DepositPhotos

O Valor explicou o golpe usado pelos hackers para tentar roubar as mensagens de Sergio Moro, conhecido como SIM-Swap:

“Trata-se do registro de uma conta no Telegram usando o mesmo número do telefone da vítima, que permite a clonagem do número do celular.

Passando-se pelo proprietário do aparelho, o hacker solicita a transferência do número do chip para outro que está em sua posse. Para criar uma conta em aplicativos como Telegram e WhatsApp é preciso apenas obter o código de verificação que é enviado via SMS para o número da vítima.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaquim disse:

    Quer dizer nada. O q importa são diálogos criminosos descobertos.

Golpe do tratamento dental grátis no WhatsApp atinge milhares de pessoas no Brasil

Uma mensagem falsa sobre um suposto programa social do governo que oferece tratamento odontológico grátis à população está em circulação no WhatsApp desde o mês de maio, segundo o laboratório de segurança digital dfndr. Intitulado de “Brasil Sorridente”, o golpe atingiu até o momento 162 mil brasileiros, e segundo o laboratório são registrados 2.500 novos acessos a fraude por dia.

O link que acompanha a mensagem direciona para uma página que pede pelo nome completo, telefone e e-mail do usuário. Além disso, a pessoa também precisa informar seu estado, cidade, qual tratamento deseja e compartilhar o programa com mais cinco contatos do WhatsApp. Ao fim do processo, o usuário é induzido a aceitar notificações, que podem ser usadas em futuros golpes, e é direcionado a uma página de anúncios.

O objetivo dos golpistas, neste caso, parece ser ganhar dinheiro com a exibição de propagandas. Mas considerando que o golpe também coleta dados pessoais das vítimas, outros tipos de fraude são possíveis.

Como sempre, as recomendações para não cair em golpes do tipo são verificar as URLs de links, atentar-se para possíveis erros gramaticais nas mensagens, instalar um software de segurança e duvidar de promessas muito vantajosas.

Olhar Digital 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Greg disse:

    Pra quem acredita em mamadeira de piroca, cair nesse golpe é fácil.