Economia

Bolsonaro confirma reunião com equipe econômica para tentar ‘bater o martelo’ e diminuir impostos sobre combustíveis


O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (8), em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, que pretender reduzir a alíquota de Pis/Cofins aplicadas sobre os preços dos combustíveis no Brasil. Atualmente, o tributo tem o valor de R$ 0,35 sobre o preço do diesel.

“Hoje tenho uma reunião com a equipe econômica para ver se a gente bate o martelo. Queremos diminuir os impostos federais. Mas, para diminuir, pela lei existente, eu tenho que arrumar outro lugar para tirar o dinheiro, a não ser que o Parlamento me dê liberdade para reduzir sem apontar uma outra fonte para compensar isso”, afirmou ele.

Na conversa, Bolsonaro admitiu que o preço dos combustíveis pago pelos consumidores é alto. “O preço [dos combustíveis] na refinaria é menos da metade do preço da bomba. O que encarece são impostos e mais outras coisas também. O imposto federal é alto, o imposto estadual é alto e a margem de lucro de distribuidores e dos postos é grande. Está todo mundo errado aí, no meu entendimento.”

Ele comentou que existe a previsão de novos reajustes no preço dos combustíveis para os próximos dias. “Vai ser chiadeira com razão? Vai. Eu tenho influência na Petrobras? Não”, destacou o presidente.

Mais cedo, a Petrobras já comunicou um reajuste nos preços médios de venda às distribuidoras da gasolina, diesel e gás de cozinha válido a partir desta terça-feira (9). De acordo com uma previsão da Ativa Investimentos, preço da gasolina na bomba deve sofrer um reajuste de até 12% nos próximos 15 dias. A avaliação é de que o aumento seja aplicado de forma fracionada, em duas vezes.

“O combustível é uma coisa que afeta todo mundo. Estamos trabalhando num primeiro momento em cima do óleo diesel. O PIS/Cofins custa R$ 33 centavos por litro. O ICMS também é grande, maior que esse. Ambos são altos, mas os governadores dizem que não podem perder receita e estão no limite. O governo federal também está no limite, masquem está mais com a corda no pescoço é a população consumidora”, avaliou Bolsonaro ao lembrar que a dívida do governo é superior a R$ 5 trilhões.

De acordo com Bolsonaro, o governo “está fazendo o impossível” e lamentou a falta de refinarias em território nacional. “No governo anterior, tentaram fazer três refinarias. Gastaram bilhões e não fizeram nenhuma. Hoje, importamos parte do óleo diesel e a Petrobras alegas que, se não aumentar o preço do diesel, vamos importar algo para vender mais barato e poderia haver desabastecimento”, contou aos apoiadores.

Na última sexta-feira (5), Bolsonaro fez uma reunião com ministros, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, e representantes dos caminhoneiros e manifestou o interesse de enviar ao Congresso um projeto para atribuir aos Estados a definição do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre os combustíveis.

Após receber críticas pela proposta, ele disse que não quer interferir no ICMS. “A minha proposta é para que o imposto seja cobrado em um valor fixo sobre o litro do combustível ou em um percentual em cima do preço das refinarias, porque tem bitributação. Não estou procurando encrenca, nem acusando os governadores por cobrar demais. Nós também cobramos demais, mas devemos buscar uma solução de forma pacífica”, analisou.

R7

Opinião dos leitores

  1. Mais um factóide "pras nega vê". Essa problemática só será resolvida dentro de um contexto de reforma tributária LEVADA A SÉRIO, e não com pirotecnias inúteis.

  2. Isso é um presidente mentiroso. Não é falta de refinarias não. Nos governos anteditas refinarias funcionavam com 100% de sua capacidade. Agora ele mandou reduzir pra 30% pra poder importar combustíveis.
    O gado vai pastando nas mentiras dele.
    Daí o que dá.
    Até o final do ano chega a R$ 10,00
    Mais se fizer arminha ela baixa.

  3. Ele levanta essa fumaça que vai fazer algo… Com 2, 3 dias a boiada esquece e assim ele vai levando tudo e todos em banho-maria.

  4. Interessante, cadê que ele corta logo na fonte esses aumentos abusivos ,jogar para os Estados é fácil , mais não autorizar os aumentos ele não quer

    1. O problema é a falta de estrutura nossa.
      O petróleo sai daqui bruto, um óleo espesso, qse de graça.
      E retorna refinado, gasolina pura de 1a qualidade, a preço de dólar.

  5. Tem que arrochar essa governadora, ele gastou 24.000. Milhões com propaganda mentirosa.
    O nosso dinheiro tá sobrando, tem que reverter pros verdadeiros donos.
    Cadê os respiradores???

    1. Bolsominion é um bicho que gosta de falar sem pensar! O ICMS não teve aumento de aliquota, mas vc tava a 03 anos atrás brabo querendo quebrar tudo, apoiando paralisação e raivoso nas redes sociais. Ai a aliquota do ICMS continua a mesma, o valor da gasolina aumentou de R$ 3,90 para R$ 5,40 e agora a culpa é dos governadores, no seu caso da Governadora porque ela é esquerdalha, comunista e do PT, até porque o Presidente é seu "messias", que Deus não leve a mal o que o boi fala aqui na terra.

    2. Tem que botar quente nessa desgovernadora.
      Ela tem que cobrar o ICMS em cima de 2.25 reais Preço da refinaria e não em cima de 5.19 que é o preço que está nas bombas.
      Tem que cortar isso já!!
      Chega de da dinheiro a esse desgoverno.
      A rigor, pra onde está indo essa dinheirama??
      Fora Fátima!!

  6. Tem muitas canalhices ai, quando a gasolina era 3 reais o percentual do ICMS era 29%, hoje a gasolina custa mais de 5 reais e o percentual do ICMS continua 29%, a culpa da gasolina está mais de 5 reais é dos impostos estaduais ou dos aumentos frequentes que a Petrobrás autoriza?

    1. Em 2018 a gasolina era vendida na refinaria por R$ 1,36, hoje custa 2,25 na refinaria, um aumento de quase 100%.

    2. Faça conta, a gasolina sai da refinaria por 2 reais e pouco e chega na bomba por mais de 5 reais, no meio do caminho incide o ICMS, faltou a aula de matemática?

  7. Diminuir imposto sobre combustíveis. … É estão caros, mas OS ALIMENTOS também não estão caros? Então, agora vamos comer combustíveis?
    No meu ponto de vista as taxações que deveriam ser reduzidas são as que incidem sobre alimentos – itens de primeira necessidade.
    Para os combustíveis, o melhor a fazer seria dar um auxílio temporário aos caminhoneiros.

  8. Quando os governadores irão se reunir com seus secretários de finanças, para diminuir o ICMS dos combustíveis?
    O Mito vai baixar.
    Falta os governadores fazerem sua parte.

    1. O MINTOmaníaco precisa mesmo eh agilizar a reforma tributária… Faz dois anos que só promete!

    2. Esse Calígula é uma vergonha atrás da outra……kkkkk

      É bom estudar viu!

    3. Vamos esperar Sr Neco, vamos ver o que realmente é para ser com os dois presidentes do Senado e da Câmara do lado do Governo de mentiras! Vamos ver o que realmente irá caminhar. Estou torcendo pelo Brasil, antes de tudo espero ver mudanças de fato na vida do Brasileiro! Vou nem comentar o que meu filho diz aqui, vem para casa Cacá, papai tá com a mamadeira cheia de leite pronta para você!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Covid-19 pode diminuir tamanho do pênis, diz estudo

Foto: Pixabay

Um estudo que investiga as sequelas de longo prazo da covid-19, publicado neste domingo na plataforma científica MedRxiv, concluiu que a covid-19 pode diminuir o tamanho do pênis.

O estudo começou a investigar as consequências que o vírus pode deixar no corpo das pessoas há sete meses, e foi conduzido com mais de 3 mil pacientes de 56 países. Além de 3% dos homens terem relatado uma diminuição no tamanho de seu órgão genital, 15% deles relataram algum tipo de disfunção sexual e 11% relataram dor nos testículos.

Já em relação às mulheres, 26% das que menstruam relataram irregularidade nos ciclos, e 36% relataram algum tipo de problema menstrual. Algum tipo de disfunção sexual também foi relatado por 8% delas.

No entanto, as sequelas no sistema reprodutivo estão longe de ser as mais presentes nos voluntários que participaram do estudo. A maior parte deles, mesmo após sete meses de recuperação, relatou ainda sentir fadiga (de 75% a 80%, dependendo da idade), mal-estar pós-esforço (até 75%) e algum tipo de disfunção cognitiva (de 52% a 59%).

Dentre as sequelas neurológicas mais relatadas, estão a dificuldade de concentração (75%) e dificuldade de raciocínio (65%). Além disso, 73% dos pacientes relataram também algum tipo de problema de memória. Dentre estes, a maioria (65%) relatou problemas com a memória de curto-prazo e 35% teve problemas com memórias mais antigas.

“Uma das maiores descobertas para mim foi que não houve diferença na idade para a disfunção cognitiva, perda de memória ou impacto disso na vida diária! Isso aconteceu com tanta frequência no grupo de 18 a 29 anos quanto no grupo com mais de 70 anos”, escreveu a pesquisadora Hannah Davis, uma das autoras do estudo.

O estudo foi feito por voluntários e membros de um grupo de apoio que, desde abril, se dedica a investigar os efeitos a longo prazo da covid-19, e ainda precisa ser revisto por pares.

O Dia – IG

https://odia.ig.com.br/mundo-e-ciencia/2020/12/6054018-covid-19-pode-diminuir-tamanho-do-penis-diz-estudo.html

Opinião dos leitores

  1. Já não basta viver de pescoço prá baixo, agora é a moléstia dos cachorros mesmo, vade retro caginbrinba.

  2. Há, agora possa ser que os homens fiquem em casa e q logo venha um estudo com mulheres, eu achoooooo que vai sair. Ouvi dizer que diminui o tamanho do bumbum e não vão mais dançar funk , mesmo qdo a música acaba, colocam as mãos acima do joelho e rebolam, seria o funk?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

NÃO É ADEREÇO PARA O QUEIXO: Sesap reforça o uso de máscara para diminuir propagação e reduzir a gravidade da Covid-19 e alerta para o uso correto

Foto: Leo Martins / Extra

Em estudo recente realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, publicado pela New England Journal of Medicine, constatou que o uso de máscara de proteção contra o novo Coronavírus (Covid-19) pode gerar uma resposta imunológica e reduzir a gravidade da doença nas pessoas, garantido que a maioria das infecções sejam assintomáticas. Com base no estudo, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) reforça e orienta a população para o uso essencial e correto da máscara de proteção.

Para ter uma ação eficaz e evitar a transmissão da Covid-19, a máscara deve ser usada cobrindo o nariz e a boca. “Mascara não é adereço para o queixo! O Estudo publicado recentemente mostrou que mesmo quando a pessoa é contaminada usando a máscara, ela se protege. E, caso desenvolva a doença, a pessoa terá um quadro mais leve ou assintomático”, esclarece o secretário estadual de saúde Cipriano Maia.

Conforme aponta o estudo, as máscaras não impedem a contaminação pelo vírus, porque é possível que gotículas ultrapassem a proteção, contudo em quantidade menor. O que gera uma carga viral também menor, o que está ligado a quadros leves da doença.

De acordo com o secretário Cipriano, isso está sendo constatado por meio do teste sorológico (de imunidade), que mostra que as pessoas que estão usando a máscara de forma contínua, mesmo havendo a contaminação por algum descuido, elas têm um quadro mais leve da doença.

Caso a hipótese seja confirmada, como aponta o estudo, o uso da máscara pode ser uma forma de “variolação”, separação que gera imunidade, diminuindo a disseminação do novo Coronavírus. Técnica utilizada há séculos, a variolação consiste em introduzir secreções de pessoas infectadas pela varíola em pessoas saudáveis.

Nesse sentido, a Sesap reforça e orienta quando deve ser feito o uso da máscara de proteção:
• Use a máscara sempre que sair de casa;

• Ao sair, leve uma máscara reserva para realizar a troca a cada 02 horas de uso;

• Leve uma sacola para guardar a máscara, caso seja preciso trocar;

• Evite tocar ou ajustar a máscara, enquanto estiver usando;

• Use a máscara quando estiver tossindo e espirrando, assim você evita transmitir o vírus para outras pessoas;

• Faça uso da máscara caso esteja cuidando de uma pessoa com doenças respiratórias;

• Além de usar a máscara, realize a limpeza frequente de suas mãos com água e sabão ou higienize com álcool em gel 70%;

• Após usar a máscara, descarte-a em local adequado e lave bem as mãos;

• Utilize a máscara do tipo cirúrgico ou de pano (com pelo menos duas camadas de pano, como algodão, tricoline ou TNT). A máscara N95 é de uso dos profissionais de saúde;

• E lembre-se: a máscara é de uso individual e deve cobrir totalmente o nariz e a boca, ficando bem ajustada ao rosto.

Opinião dos leitores

  1. As máscaras tem contribuído positivamente no controle da covid. Se não tivéssemos adotado esse item de proteção estaríamos numa situação mais alarmante.

  2. Os cabá e as cabritas, tudo com "bocapôdi" inventam essa história que o uso da máscara faz mal!!!!

  3. É bom usar a máscara SIM, no entanto, não devemos usar por um longo período pelo seguinte motivo:

    Através da ventilação inspiramos ar rico em oxigênio e expiramos o gás carbônico produzido em nossas células durante o processo de obtenção de energia.

    Com o uso constante da máscara, o gás carbônico que expiramos retorna para o nosso organismo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Mortes e infecções por covid-19 voltam a diminuir na Espanha

Foto: Jon Nazca/Reuters

As mortes pelo novo coronavírus na Espanha chegaram a 517 nas últimas 24 horas, 102 casos a menos do último boletim divulgado no domingo (12), enquanto novas infecções aumentaram 2% por dia, o número mais baixo desde o início da pandemia.

A quantidade total de mortes pela Covid-19 é de 17.489, enquanto o número de casos de infecção notificados é de 169.496, informou nesta segunda-feira o Ministério da Saúde local, 3.477 há mais de que ontem, um um número que não era visto desde 18 de março.

Além disso, a diminuição do número de mortes é a maior, em termos percentuais, desde o surto da epidemia na Espanha.

O número de pacientes curados também mantém sua tendência ascendente, com novas 2.336 pessoas que tiveram alta, em um total de 64.727, representando 38,2% de todos os casos.

“A tendência de queda da doença está sendo confirmada”, disse a porta-voz do Ministério da Saúde para a pandemia, Dra. Maria José Sierra, levando em conta esses números.

Madri continua sendo a região mais afetada, com 6.423 mortes, embora o número de novos casos registrados, 559, seja o mais baixo em um único dia em um mês.

A segunda região mais afetada ainda é a Catalunha, com 34.726 casos registrados e 3.538 mortes.

Com a curva da pandemia achatada, embora não em declínio, a Espanha suspendeu hoje o hiato de duas semanas para a atividade econômica em alguns setores não essenciais, com isso, centenas de milhares de trabalhadores começaram a voltar ao trabalho.

Essa medida ocorre em pleno debate entre políticos, sindicatos e cientistas, para um possível risco de recuperação da pandemia devido ao aumento da mobilidade e contatos pessoais, se as medidas de segurança necessárias não forem tomadas, pelas quais o governo planeja distribuir 10 milhões de máscaras entre hoje e quarta-feira.

R7, com EFE

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Arroba do boi gordo cai 15%, e preço da carne deve diminuir em janeiro

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O preço da carne, vilã da cesta básica nos últimos meses, deve começar a cair nas próximas semanas, segundo informou em nota o Ministério da Agricultura. O motivo é que o preço da arroba do boi gordo registrou queda média de 15% no mês de dezembro, segundo o Ministério da Agricultura.

“Esse recuo interrompe a alta de 28,5% contabilizada ao longo dos últimos seis meses nos principais mercados do país”, disse a pasta, em nota.

“Em Mato Grosso do Sul, o recuo foi de R$ 220 para R$ 190.”

A avaliação do diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento, Sílvio Farnese, é de que o cenário indica uma acomodação dos preços no atacado, com reflexos positivos no varejo no curto prazo.

Para ele, o comportamento dos preços se deve à regulação do mercado, com melhor equilíbrio entre a oferta e a procura.

“Para o consumidor, a redução dos preços deverá ser sentida nas próximas semanas, com a renovação de estoques por parte dos supermercados. Na última semana, já foi observada queda no valor de cortes de traseiro, que têm cotações mais elevadas e mais sensíveis às variações de demanda. Um exemplo é a alcatra que teve a maior desvalorização, com 4,5% de queda no preço nos últimos sete dias”, afirma a pasta na nota.

A tendência para os próximos meses, segundo Farnese, é de estabilização dos preços. “Não há margem para aumentos futuros”, disse.

R7, com Estadão

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Estresse e depressão podem diminuir o cérebro

Depressão e estresse crônico podem causar a perda de volume do cérebro, uma condição que contribui para insuficiências emocionais e cognitivas. Pesquisadores de Yale, em artigo publicado no jornal Nature Medicine, descobriram um dos motivos para isso ocorrer. Trata-se de uma espécie de interruptor genético que desencadeia a diminuição de conexões entre os neurônios.

As descobertas mostram que o interruptor reprime a expressão de genes necessários para a formação de conexões sinápticas entre células do cérebro, que por sua vez contribui para a perda de massa cerebral no córtex pré-frontal.

— Nós quisemos testar a tese de que o estresse causa a perta de sinapses cerebrais em humanos — disse o professor de neurobiologia e farmacologia Ronald Duman. — Mostramos então que circuitos normalmente envolvidos com a emoção, assim como a cognição, são interrompidos quando esta espécie de interruptor é ativado.

A equipe de pesquisadores analisou tecidos de pacientes deprimidos e não deprimidos doados de um banco de cérebros e procuraram diferentes padrões de genes. Os de deprimidos exibiram baixas taças de expressão nos genes necessários para o funcionamento e estruturas das sinapses. Autor principal do estudo, H.J. Kang descobriu que ao menos cinco destes poderiam ser regulados por um simples fator chamado GATA1. Quando ativado, os roedores que serviam de cobaias mostraram sintormas de depressão, sugerindo que tal fator tem um papel importante não apenas na perda de conexões entre neurônios, mas também nos sintomas da doença.

Duman acredita que as variações genéticas do GATA1 podem ajudar a identificar pessoas com risco alto de entrar em depressão ou muita sensibilidade para o estresse.

— Esperamos que estabelendo as conexões sinápticas consigamos desenvolver terapias mais eficientes.

Fonte: O globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *