Polícia

Helicóptero da Record é atingido por tiro e faz pouso emergencial no Rio; aeronave cobria intenso tiroteio na comunidade da Mangueira

Foto: Reprodução/Internet

Um helicóptero da Tv Record teve que fazer um pouso de emergência no campo anexo do Estádio Nilto Santos (Engenhão), após ser atingido por um tiro na manhã desta sexta-feira (28). As informações são da Band News.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para prestar socorro ao piloto da aeronave , que foi atingido na perna. O quadro de saúde do piloto é estavel.

A imprensa acompa a operação realizada na comunidade da Mangueira , após agentes da UPP serem atacados por criminosos. Ainda não há detalhes de onde partiu o disparo.

A Record ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Último Segundo – IG

Opinião dos leitores

  1. Eu pensava que o nosso presidente iria mudar isso. Mas não vejo nenhuma ação dele no sentido de mobilizar as forças contra o crime no RJ. Nem comentar ele comenta…..por que será???

    1. Está mudando. Só no Jacarezinho tombaram 27 CRIMINOSOS, mas os esquerdopatas iguais a você, logo levantaram a bandeira gritando que foi um massacre. Bandido bom é bandido debaixo de 7 palmos do chão.

    2. As intervenções da policia civil do estado do Rio de Janeiro têm feito a diferença. Quando Temer esteve no poder determinou intervenções do exército nas áreas dominadas pelas narcomilícias.

  2. Era pra ter sido o globocop, só assim a rede globo faria uma matéria expondo o verdadeiro lado perigoso dos traficantes.

  3. Mais o pessoal da imprensa não gosta tanto de bandido, critica tanto a policia e agora vão procurar quem? vai atrás de quem atirou e conversar para socializar eles são vitimas da sociedade.

    1. O porteiro do morro vai dizer que ouviu a voz do Bolsonaro antes do helicóptero ser atingido, conforme notícia do Jornal Desce_o_pau.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Reinaldo Gottino pede demissão da CNN Brasil e volta para a Record

FOTO: REPRODUÇÃO/CNN BRASIL

O jornalista Reinaldo Gottino pediu demissão da CNN Brasil e definiu seu retorno à Record.

Novamente na TV aberta, Gottino reassumirá o comando do “Balanço Geral”, vespertino que derrotava a Globo em São Paulo no período pré-pandemia.

Geraldo Luís, apresentador que ocupava o lugar de Reinaldo Gottino no “Balanço Geral”, será deslocado para um projeto no horário nobre.

O Antagonista

Opinião dos leitores

    1. É preciso respeitar para ser respeitado Sr. ou Sra. Oliveira. Só do ser um adepto de corruPTos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

TSE rejeita ação que questionava favorecimento da Record a Bolsonaro

Foto: Roberto Jayme/TSE 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgou, nesta quinta-feira (24), improcedente denúncia de suposto favorecimento do Grupo Record aos então candidatos Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão nas eleições de 2018, por meio de um tratamento diferenciado à chapa na cobertura realizada por veículos do grupo, como a TV Record e o Portal R7.

A ação, ajuizada pela candidatura de Fernando Haddad, da coligação PT, PC do B e PROS, alegava uso indevido de meios de comunicação argumentando que a empresa teria atuado de forma desequilibrada, favorecendo a chapa vencedora tanto na programação da emissora de TV de mesmo nome quanto do Portal R7, ambos veículos controlados pelo grupo.

Os ministros seguiram a avaliação contrária do relator, Jorge Mussi, chegando a uma decisão unânime. Segundo Mussi, a cobertura realizada pelos veículos da empresa teve caráter apenas jornalístico, sem apelo ao eleitorado. Entre os argumentos contrários ao questionamento, os ministros apontaram falta de provas.

O julgamento foi iniciado em setembro. O relator Jorge Mussi apresentou sua posição contrária. A análise foi suspensa para a solicitação de mais elementos. Foi retomada com o voto do ministro Edson Fachin, que considerou as provas apresentadas pela coligação de Haddad insuficientes.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Sofá, piscina e edredom: casal polêmico transa em todos os cantos do reality show A Fazenda, da Record

Foto: Reprodução

O polêmico casal formado por Tati Dias e Guilherme Leão em A Fazenda 11 está aproveitando o confinamento para tirar o atraso. Depois de trocarem beijos na festa havaiana, os peões resolveram apagar o fogo sem se importar onde nem se estariam acompanhados ou não. O sofá, a piscina e até a cama de Thayse Teixeira já foram testemunhas da troca de carícias entre eles.

As cenas quentes no sofá não foram transmitidas pelo PlayPlus, que faz a exibição 24 horas por dia do reality. Mas os rumores começaram após uma declaração de Tati sobre o tamanho do órgão sexual de Guilherme; Lucas Viana riu e e comentou que até saiu do sofá com o barulho. A chef se desesperou: “Não fizemos barulho nenhum!”, reclamou, dando a entender que a transa realmente havia acontecido.

Já na piscina, a intimidade foi exposta até demais. Na companhia de Hariany Almeida e Lucas, que ainda não tinham virado um casal, o segurança encostou na parede e a ex-MTV praticamente sentou-se em seu colo. Em determinado momento, Guilherme se descuidou, deixando “suas partes” à mostra.

Em vários momentos, a chef deixou claro que o sexo de fato ocorreu. E não foi apenas uma vez. Com Sabrina Paiva, ela reclamou: “[Ele] me ignora durante o dia e quer me comer à noite”, uma referência ao dia após a briga entre os dois.

Para Hari e Lucas, ela deu dicas de posições que não ficam evidentes debaixo das cobertas, revelando que a mais praticada por ela é a de ladinho. Quando estava na baia com Hari e Thayse, a peoa ainda declarou que não usa camisinha.

A vida sexual de Gui e Tati está incomodando alguns peões. Na manhã dessa segunda-feira (14), ao limpar o quarto, Andréa Nóbrega foi arrumar a cama de Thayse e disse que estava tão suja de sexo que ficou enojada e quase vomitou. Enquanto Jorge Sousa riu, Jhenyfer Dulz, a Bifão, que não fala mais com o segurança gato do metrô, concordou: “Estão sujando tudo de p***”.

Em questões de higiene, a atual temporada está sendo uma das mais nojentas do reality rural. A reportagem do Notícias da TV contatou a assessoria da Record para saber como funciona a limpeza, principalmente da piscina, que é de uso comum dos confinados. A emissora preferiu não comentar o assunto, alegando que pelas imagens, não dá para ter certeza do que realmente aconteceu no local.

Notícias da TV – UOL

 

Opinião dos leitores

  1. É a TV do Bispo Edir Macedo, “homem de Deus”, aliado do Bozo ?, que “defende a família e os bons costumes “
    Hipócritas!!!

    1. O bispo apoiou Lula e Dilma estocadora de vento lembra??
      Kkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Participante eliminado de reality show por erro da Record será indenizado em R$ 150 mil

Foto: Reprodução

Cabe indenização por perda de uma chance na hipótese em que participante de reality show é eliminado da competição por erro dos organizadores.

O entendimento é da 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça ao manter decisão que condenou os organizadores do programa Amazônia – reality show, exibido pela TV Record em 2012, a pagar R$ 125 mil de indenização pela perda de uma chance a um participante. Além disso, ele receberá também R$ 25 mil de danos morais pelas repercussões negativas do episódio em sua vida pessoal.

Na ação, o participante afirmou que foi excluído por um erro de contagem de pontos na semifinal da competição. Ao condenar os organizadores, o Tribunal de Justiça de São Paulo considerou ser inadmissível a eliminação do participante sem nenhuma justificativa plausível, ao arrepio das próprias regras determinadas para a competição.

Leia matéria completa no Justiça Potiguar clicando aqui.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Texto no portal da Record diz que “esquerda domina as universidades”, prejudica quem só quer estudar e “destrói futuros”

Foto aérea da USP, uma das principais universidades públicas do país. Jorge Maruta/ Jornal da USP

Por Caio Fonsesa, portal R7

Em 2004 aportou nos cinemas brasileiros Adeus, Lenin. A história do filme: em 1989, a senhora Kerner, devota do comunismo entra em coma em Berlim Oriental, cidade administrada segundo as normas e disciplinas socialistas. Durante seu coma, tudo muda radicalmente: as Alemanhas (Oriental e Ocidental, capitalista) se reunificam, o muro de Berlim cai, vence o óbvio, o capitalismo. Quando ela recupera a consciência há um outdoor da Coca-Cola, então símbolo do consumo, na janela de seu apartamento. Com medo que a mãe volte a enfartar, o filho recria o passado que foi exterminado com a queda do muro de Berlin e a mantém em seu conforto comunista. Altera embalagens de produtos agora industrializados e até produz programas fictícios de tevê da época do comunismo. Trinta anos depois que a primeira picareta atingiu o muro de Berlim e o mundo mudou, a lembrança do filme faz sentido. As universidades brasileiras, principalmente as públicas, parecem viver como a senhora Kerner. Podem sair do coma, mas só conseguem se manter vivos dentro de uma bolha de esquerda que não admite quem pense diferente ou seja isento politicamente.

Enquanto esse mofo da esquerda não for removido das nossas universidades, nosso ensino estará condenado ao atraso e a intolerância. A presença da esquerda em universidades remonta a resistência ditadura quando reproduzíamos ações comuns em outros países. Um traço cultural dos anos 60 e 70 que persiste em segregar quem não compactua dos mesmos ideais. Quem entra na universidade apenas interessado em estudar, aprender para disputar em condições mínimas uma quase inatingível e afunilado mercado de trabalho é vítima de bullying, humilhações e ataques virulentos. A esquerda das universidades não poupa os contrários, e dá aula de intolerância. Quem não aceitar goela a baixo pataquadas como anarco comunismo e socialismo revolucionário vai ser confinado ao isolamento dos párias. Muitos sentem-se tão constrangidos que abandonam a faculdade. O crime, lutar pelo próprio futuro e não pela causa socialista. O ideário socialista domina os centro acadêmicos, que só aceita o ingresso de seus pares vermelhos e o movimento estudantil só se move pela orientação socialista. Quem não se ajoelha diante da cartilha de Noam Chomsky ou do velho Trotsky, sem falar em tantos pensadores marxistas que dão o tom no currículo universitário, acaba segregado e marginalizado. Ou seja, a esquerda supostamente humanista é um poço de truculência. Sem esquecer que professores ditos de direita também são vítimas. Suas aulas são interrompidas com charangas improvisadas, gritos e o desrespeito é tolerado, sem que as escolas se preocupe em protegê-los.

O mais curioso é que a maioria dos estudantes que ingressa nas universidades públicas – mais concorridas – frequentaram os melhores cursinhos e não precisaram trabalhar e estudar ao mesmo tempo. São os que moram nos melhores pontos da cidade, tem menos problemas de mobilidade e mais tempo para o ativismo de redes sociais. É fácil ser militante de barriga cheia, as contas pagas e a viagem para algum paraíso tropical agendada para o fim do ano.

Como a democracia é da boca para fora e só vale quem pensa igual, é bem possível, e há uma lógica cruel para que isso aconteça, os ditos de esquerda são mais privilegiados com promoções, melhores oportunidades, salários e bolsas. Quem fica lá, dando vivas ao esquerdismo de boutique está garantindo sua boa vida acadêmica. Quem só quer estudar sonhando justamente com um bom emprego resta a humilhação, ofensas e ser uma vítima cotidiana da intolerância. E aí os melhores cérebros quem apenas não compactuam com esse carnaval ideológico são drasticamente marginalizados e enterrados num desperdício para o país. Aí fica a pergunta, quando as universidades brasileiras vão ter coragem de gritar: Adeus, Lenin?.

Caio Fonsesa, portal R7

Opinião dos leitores

  1. Interessante que falam de esquerda, doutrinação, truculência, etc… Só esqueceram de dizer que essa extrema direita que aí está age da mesma forma, só que em cenário diferente. Ambos tem muita relação, uns nas Universidades e os outros no governo.

  2. Os vagabundos riscaram meu carro só porque, durante a campanha de 2018, fui pra UFRN com uma bandeira do Brasil.

  3. Não adianta querer tapar o sol com uma peneira: há, sim, "fazimento' de cabeça na UFRN, em grande parte dos cursos. Quer na graduação, quer na pós-graduação. E, se for nas áreas das ciências humanas, letras , artes, e em boa parte das ciências aplicadas, no centro de educação etc. é enorme a carga ideológica tendenciosa, marxista, leninista, petralhista, comunista e por aí vai. Ano passado, alguns alunos não alienados, ou seja, democratas, tentaram passar um vídeo do Olavo de Carvalho (não sou fã deste cidadão). Os alunos petralhas não deixaram o evento acontecerá. Houve um arranca rabo, chamaram a Polícia, mas a Sra. Reitora sentir-se ofendida e alardeou protesto alegando que a nossa Polícia não pode interferir em briga dentro dos limites do Campus. Tem gente que acha que aquilo lá é um Estado independente, uma espécie de Vaticano. Quem nega a existência de doutrinação nas Universidades Públicas e nos IF's deve sofrer de distração crônica…….

  4. Experimente usar uma camisa com a foto de Bolsonaro e caminhar pelos corredores do Setor V…Sofrerá todo tipo de ofensas dos defensores do "livre pensamento"…kkkkkkkkkk A doutrinação maior ocorre nesses cursos xibatas de Humanas (história, jornalismo, sociologia, pedagogia…) onde não é necessário estudar pra ganhar um canudo…

  5. Interessante que aqueles que comentaram o texto, e disseram que não há doutrinação em universidades públicas, sempre falam que ESTUDARAM nas instituições de ensino superior públicas, ou seja, no PASSADO! Existe sim doutrinação ideológica, e amigos meus sofrem HOJE EM DIA por não pensarem como a esquerda quer, e manda! Quem achar bobagem o que digo, é só ir na UFRN ou no IFRN com a camisa do Bolsonaro. Pode até sofrer agressões físicas, como um amigo meu. Ou então ser expulso da sala, pelos colegas e professores, como um outro amigo.

  6. Fiz minha graduação e minha pós-graduação a nível de Mestrado na UFRN e NUNCA fui doutrinada ou algum professor/servidor me disse o que eu deveria pensar ou fazer, do ponto de vista político. Isso significa que manifestações políticas não acontecem no local? Ocorrem, sim, na medida em que a Universidade é um ambiente plural e aberto à discussão de ideias – sejam elas de direita ou de esquerda.

  7. Santa ignorância! Fica claro que o autor do texto não deve ter cursado faculdade ou, se cursou, deu o azar de cair num curso de viés social (não nego que os há). Provavelmente, está só reproduzindo o discurso que recebe do seu patrão Edir Macedo, que, depois de receber passaporte diplomático do Lula e convidar a Dilma pra inauguração de templo, agora virou Bolsonarista (de ocasião, claro!). Eu cursei a graduação, a especialização e o mestrado em universidades públicas (estadual e federal), bem como meus irmãos (um deles chegou ao doutorado), e jamais vimos esse tipo de doutrinação de que se fala. É verdade que ainda existem alas mais radicais no meio acadêmico, mas a principal o tolerância se dá com as ideias antidemocráticas, machistas, homofóbicas e racistas amplamente defendidas por esse (des)governo. Esse discurso não pode ser aceito, e pronto! Mas aí vem a turba conservadora e reacionária dizer que estão sofrendo pressão, doutrinação, censura… Estão sendo pressionados, na verdade, para se tornarem mais humanos!

    1. Com esse linguajar de esquerda vc ainda tem a cara de paubde dizer que não foi doutrinado? Kkkk tenha Santa paciência, vc usa os mesmos termos e adjetivos do dialeto esquerdista, quando se refere ao seu inimigo número 1 e ao governo dele. Chamando-o de homofóbico racista, fascista e chamando o governo dele de desgoverno. Vc ainda diz que não foi doutrinado? Vc tanto foi doutrinado como também sofreu lavagem cerebral, que acredita que Lula é inocente e que a Venezuela e Cuba são uma democracia. Conta outra estória que esta não colou.

  8. O pensamento da universal é que o povo viva igual a gado para eles manipularem e tomarem o máximo de dinheiro deles, para dar vida boa a Edir Macedo que se aliou a Bolsonaro para conseguir mais facilidades. Estudei na UFRN e ETFERN e nunca fumei maconha e nem fui para movimentos políticos

  9. O desejo dos imbecis e idiotas é tornar a sociedade burea igual a eles, o pensamento e a educação são inimigas, é um fascismo velado quer colar, aos burros e fascistas um recado, vc são uma chuva de verão, aproveite bem o momento, pq já está passando .

  10. BG
    Certissima a reportagem, além do que aqui na UFRN parte dos cursos de Engenharia ( Basico ) junta-se mais de 200 alunos numa sala e o índice de reprovação é altíssimo. Tem alguma coisa errada, tem que acabar com essa historia de doutrinação nas universidades, cada aluno deve pensar o que quer não ser forçado ao marxismo, essa cultura ultrapassada da esquerda.

    1. Amigo, o índice alto de reprovação vinha antes da criação do C&T. E outro fato é que, com a criação de um ciclo básico, aumentou o número de vagas e propiciou uma formação "pré" engenharia. Sim, concordo que juntar muitos alunos numa sala não é a melhor didática, mas esses ciclos iniciais são utilizados em outras UF, e pasmem! Em universidades da Ivy League.

    2. E porque engenharia civil , elétrica e química não faziam parte deste sistema? . Não pode ter bom aproveitamento se conduzir uma turma com matérias complexas desta forma com 200 alunos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Record quer Najila Trindade no reality show ‘A Fazenda’

Foto: Reprodução

Atualmente em processo de escalação da próxima temporada de “A Fazenda”, a Record quer investir em nomes polêmicos para atrair audiência. A discussão da vez na emissora gira em torno do nome de Najila Trindade, modelo que acusou Neymar de estupro.

Produtores do programa chegaram a sondar a moça para saber de seu interesse no reality show e não obtiveram resposta até então. Na emissora, a certeza é de que o cachê deve ser polpudo, caso ela aceite. O que não se sabe, no entanto, é se ela poderia entrar na atração, uma vez que deve ter compromissos com a Justiça pelos próximos meses.

A estreia de “A Fazenda” está prevista para setembro. Marcos Mion seguirá no comando.

Blog Fefito – Jovem Pan

 

Opinião dos leitores

  1. Ode à vadiagem e ao mau caratismo são praxes na mídia podre e na sociedade com valores em estado de putrefação!

  2. Esse programa A FAZENDA não traz nenhum tipo de cultura ao povo brasileiro, é um programa horroroso. E acho que as pessoas deveriam boicotar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Record, SBT e RedeTV! planejam lançar canal conjunto na TV paga

Silvio Santos e Edir Macedo, donos do SBT e Record, respectivamente, se unem em interesses comuns

Vem aí mais uma dor de cabeça para as operadoras de TV por assinatura, que há anos travam uma guerra corporativa contra a Simba –joint venture criada por SBT, Record e RedeTV!

A Simba foi criada para representar os interesses dessas três emissoras em várias esferas. Agora elas pretendem solicitar espaço no line-up das operadoras para lançar ao menos um canal pago em parceria, em 2018.

Nenhuma dessas TVs até hoje têm canal na TV paga, que já está no país há mais de 25 anos. Porém, só a Globo, por meio de seu braço Globosat, tem cerca de 50 canais, entre os lineares, os PPV e os on-demand.

A Simba ainda estuda que tipo de canal poderia ser lançado. Uma tendência é que fosse uma espécie de “Viva”, mas baseado em conteúdo histórico do SBT (e da TVS) e da Record.

Por ser uma emissora mais jovem, a RedeTV! teria obviamente menos conteúdo a oferecer, mas ainda assim faria parte do projeto.

Mas não será um trabalho fácil para a Simba.

O problema que a joint venture enfrentará para o lançamento de um canal desse tipo é o mesmo que a Globo enfrenta atualmente com o seu Viva: é preciso atualizar contratos e obter autorização de artistas (ou seus descendentes) que fizeram parte dos programas a serem reprisados.

Isso porque os contratos assinados em décadas passadas não preveem a disponibilização desses produtos (novelas, festivais, humorísticos etc) em outras plataformas, como a TV paga ou a internet, que nem existiam naquele tempo.

GUERRA NOS BASTIDORES

A Simba vem travando uma batalha acirrada com as operadoras. Em sua primeira demanda, ela pediu à Sky, Net e demais empresas que passassem a remunerá-las pela cessão de seus sinais em HD, que são incluídos nos pacotes de TV paga sem qualquer contrapartida.

No entanto, a Globo é remunerada por seu sinal HD (valor não revelado). Isso sem falar que, como detém praticamente o monopólio dos canais pagos nacionais, a Globosat também é remunerada por eles, o que soma (estimativa) quase R$ 3 bilhões anuais.

Somente com canais adultos (pornôs) o faturamento total da Globosat por ano chega a R$ 180 milhões.

Isso faz da bem sucedida Globosat a segunda maior empresa do Grupo Globo, só atrás da emissora aberta, e num setor em que não há concorrência (até o momento).

Enquanto não lançam um canal pago, Record, SBT e RedeTV! exigem isonomia de tratamento (e remuneração) ao menos por seus sinais HD.

As operadoras alegam que uma eventual remuneração causaria aumento no valor dos pacotes dos assinantes.

Diante da negativa das operadoras, as três “irmãs” iniciaram conversações para cessão de conteúdo ao serviço de streaming Netflix, conforme esta coluna informou com exclusividade em 26 de janeiro.

UOL

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Record, SBT e RedeTV! preparam corte de sinal e armam guerra contra a TV paga

A briga entre a Sky e a Fox foi só um aperitivo do que executivos de três das maiores redes do país preveem para os próximos meses. Unidas na Simba, uma empresa criada no ano passado após aprovação do Cade, Record, SBT e RedeTV! planejam começar a cortar seus sinais das operadoras de TV por assinatura em abril, após o apagão analógico em São Paulo, maior mercado do país. Advogados de ambas as partes já se preparam para uma guerra que deve terminar nos tribunais.

Nesta semana, a Simba começou a enviar às operadoras uma proposta comercial. No documento, informa que, com o fim da TV analógica, a legislação permitirá às redes abertas cobrarem pelos seus sinais digitais e que, por isso, já quer abrir negociações em nome de Record, SBT e RedeTV!.

Juntas, as três redes detêm 19,7% da audiência de todos os canais, entre abertos e pagos, no cabo e no satélite, de acordo com dados de dezembro. Mais relevantes do que elas, só a Globo (30,7%). Os canais da Fox, que geraram centenas de ameaças de cancelamento de assinatura à Sky na semana passada, tiveram 3,43% da audiência da TV por assinatura em dezembro.

As emissoras de TV já sabem que as operadoras irão recusar qualquer negociação para pagar pelos sinais abertos, que são gratuitos. As operadoras estão dispostas a pagar para ver o que acontecerá, uma vez que estar na casa do assinante de TV por assinatura, quase 30% da população do país (e justamente a mais rica e educada), também é importante para as redes abertas, que vivem de publicidade.

Todas as operadoras, das gigantes Net e Sky às nanicas, foram contra a aprovação da Simba, joint venture das três redes, durante processo no Cade (Conselho Administrativo de Direito Econômico), no ano passado. Seus argumentos vão do caráter gratuito da TV aberta, que são concessões públicas, ao desequilíbrio econômico e ameaça à concorrência.

As emissoras abertas também estão dispostas a pagar para ver se as operadoras resistem à perda de clientes, que exigirão seus sinais. Elas se sentiram fortalecidas com a posição da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) de que, para compensar a saída da Fox, a Sky deveria oferecer novos canais similares ou reduzir o preço da mensalidade paga pelo assinante.

Executivos da Record, SBT e RedeTV! dão como certo que não haverá acordo com as operadoras e que, em abril, suas frequências serão cortadas em São Paulo, onde opera a Net, a maior do país. A Net, uma das maiores opositoras da aprovação da Simba no Cade, já sinalizou que não aceita pagar pelos sinais abertos.

O corte na TV paga ocorrerá assim que o sinal de TV analógico, cuja distribuição é obrigatória e gratuita no cabo, for desligado na Grande São Paulo, o que está previsto para 29 de março. Depois virão Goiânia (31 de maio) e as regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Fortaleza e Belo Horizonte (26 de julho). Em um primeiro momento, o corte de sinal será apenas na Grande São Paulo.

Os dirigentes das TVs abertas têm um “padrinho” muito forte: o bispo Edir Macedo. O dono da Record, segundo altas fontes, está convencido de que é justo as operadoras pagarem por seus sinais de alta definição, uma vez que já remuneram a Globo, e de que essa receita é relevante _as redes estimam que podem faturar de R$ 360 milhões a R$ 1 bilhão por ano.

UOL

Opinião dos leitores

  1. esta pagina nao e livre espressao,pirque cirta comentarios,protesrando esses ladoroes.depois kerem BRASIL MELHOR. cortem todos e um favor.cortem tidod os canais tv abertos,a tv pwga d graca

  2. pod cortar,e so mudar d canal { e de graca} so nao entra na grade tb cabo, so k faltava,,terra d aproveitadores.
    Quem sabe sa8ndo os abertis k embratel obriga a ter. sobra espAco p.outros nelhores. SBT,RED3 TV.RE ORD.E DE GEACA TODA TV VAI PEGAT JULHO 3M DIANTE EM HD. { VAI ROBAR D OUTRO. } Devia e ter vergonga de 3xigir isso,,{ duvido k a SKY. vai abrir p.eles. bem a FOX.conaegui.

  3. eu nao aceitaria,d eixa cortar,toda tv vai ter sinal digital.e so mudar d canal. e terra dos aproveitadores corruptos. DEPOIS COBRAM JUSTICA,e por isso k BRADIL ta sujo la fora.acabem c.isso vamos trabalhar onestamente vez de querer { GARAPA }

  4. e brincadeira,o Edi nacedo { o mais forte } comprou a Record.nao paga imposto,( igreja.) gracas isso e dono refe,ainda quer receber s8nal aberto. efim mundo.nso paga imposto e quer receder

  5. Já vi que a maioria dos leitores aqui são como os brasileiros em geral. São alienados pela rede bobo. Ai reclamam dos politicos que temos. KKKKKKKKKKKKKK

  6. Só vou sentir falta do CHAVES. O resto nem faz diferença. Podem cortar do meu pacote. Quem sabe a operadora coloca canais melhores no lugar dos 3 canais.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Sem dinheiro de igrejas, Record, Band e RedeTV! não fechariam orçamento

Bispo Márcio Carotti, da Igreja Universal, no “Fala que Eu te Escuto”, programa da Record. Imagem: Reprodução/TV Record

Logo no início do ano, meu colega Flávio Ricco escreveu neste UOL um texto criticando a venda de horários de TV para igrejas.

De fato, Ricco aponta para um problema recorrente e até hoje sem solução: graças a uma legislação sobre mídia atrasada, confusa e em muitos casos omissa, a venda de horários por emissoras de TV no Brasil, seja para empresas sérias, produtoras caça-níqueis ou igrejas está ao deus-dará (sem trocadilho).

O problema é que do ponto de vista pragmático muitas TVs abertas e suas afiliadas não fecham mais as contas e em alguns casos correriam até risco de insolvência sem a venda desses horários. É um dinheiro sagrado (com trocadilho).

Os orçamentos de Record, Band e RedeTV! (e Gazeta, em SP) hoje dependem das igrejas quase que como estas dependem de seus fiéis. A coluna obteve estimativas junto a pessoas a par do mercado. Vamos aos números:

Cerca de 30% do faturamento total (R$ 1,8 bilhão) da Record vem da Igreja Universal, conforme esta coluna informou recentemente.

Dos cerca de R$ 500 milhões que o Grupo Band fatura por ano, provavelmente um terço também venha de igrejas, inclusive o arrendamento do canal 21 para a Igreja Universal.

No caso da RedeTV!, a estimativa é que a venda de grade represente até 35% dos cerca de R$ 400 milhões em receitas previstas para este ano.

A despeito das críticas contra esse comércio, se esse dinheiro sumisse começariam cortes, demissões em massa e ameaça até de continuidade da operação dessas emissoras e de muitas de suas afiliadas.

QUASE EXCEÇÃO

O SBT é uma exceção, pois se recusa a vender horários para igrejas até hoje.

No entanto, algumas afiliadas da emissora sobrevivem também vendendo grade para pastores e outros evangelizadores, conhecidos e desconhecidos.

Nesses tempos bicudos, até mesmo afiliadas da Globo já têm aceitado de mãos abertas anúncios da Igreja Universal de Edir Macedo.

TEM COMO NÃO VENDER?

Marcelo de Carvalho, vice-presidente da RedeTV! e único executivo que fala sobre o assunto afirma que o mercado publicitário nacional tem “discrepâncias” que simplesmente obrigam as TVs a vender horários.

“Além disso vamos deixar claro que só existe programação religiosa porque há público para assistir.”

Ele questiona como emissoras como a dele vão sobreviver sem as igrejas se a maioria absoluta do bolo publicitário brasileiro fica só para a Globo. Ninguém quer falar sobre isso, lamenta Carvalho.

TVEFAMOSOS, UOL

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Guerra declarada: Record, SBT e Rede TV! querem cobrar de assinante de TV paga

A TV paga e a TV aberta brasileiras estão prestes a declarar uma guerra inédita. De um lado, Record, SBT e Rede TV! estão se unindo para cobrar das operadoras de TV por assinatura uma taxa de cada assinante delas, o que deve gerar uma receita de R$ 7 milhões para cada uma delas e aumentar o preço das mensalidades ao consumidor.

Do outro lado, as programadoras de TV paga decidiram partir para cima do dinheiro bilionário da TV aberta. Em agosto, pela primeira vez, a feira e congresso da ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura), o maior evento do setor na América Latina, terá como principal tema a publicidade.

Executivos da Record, SBT e Rede TV! tiveram várias reuniões nos últimos meses para discutir uma estratégia de negociação conjunta com as operadoras de TV paga. Elas estudam duas soluções: 1) contratar uma empresa que as represente comercial e juridicamente perante as operadoras; 2) contratar um executivo e criar uma empresa com partes iguais entre as três.

A Band também foi convidada a participar do “movimento”. A Globo ficou de fora porque tem negócios sólidos de TV por assinatura (a maior programadora nacional, a Globosat). Participam das negociações executivos de primeira linha: Amílcare Dallevo (presidente da Rede TV), Marcus Vinicius Vieira (vice-presidente executivo da Record) e José Roberto Maciel (SBT).

As três redes abertas argumentam que a nova lei que rege a TV por assinatura, de 2011, permite que elas cobrem pelo sinal digital, de alta definição (HD). A legislação as obriga a cederem gratuitamente apenas o sinal analógico para o cabo e o DTH (TV paga via satélite).

Os canais abertos, em outras palavras, querem virar canais pagos no ambiente da TV por assinatura, um mercado que já presente em 18,5 milhões de lares brasileiros. Estão de olho nas receitas desse segmento: nas conversas, já se cogitou pedir de empresas como Net, Sky, Claro e Oi algo em torno de R$ 0,70 de casa assinante. Considerando que metade dos assinantes de TV paga já têm sinal HD, isso equivaleria a uma receita de R$ 7 milhões mensais, a mesma que a Band tem alugando 50 minutos diários do horário nobre para a igreja de R.R. Soares.

Além disso, avaliam as redes que a causa é justa porque, junto com a Globo, as emissoras abertas têm 70% da audiência entre os assinantes de cabo e DTH.

As operadoras de TV paga, obviamente, rechaçam o movimento das TVs abertas pela cobrança do sinal. Afirmam que o maior prejudicado será o assinante, que terá de pagar mensalidade maior. Dizem que não conseguem absorver os novos custos porque já operam no limite. Alertam que o resultado poderá ser desastroso, com a redução do número de assinantes de TV paga.

UOL

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VEM MAIS UMA BRIGA COM A GLOBO: Record quer Wagner Moura como Edir Macedo em superprodução

625_315_1398159559Wagner_Moura_A_BuscaApós inaugurar o Templo de Salomão, em junho deste ano, a Record e a Igreja Universal do Reino de Deus vão juntar esforços para levar a vida do bispo Edir Macedo para os cinemas. A Record Entretenimento, braço de licenciamento da emissora, já trabalha no projeto de um filme contando a história de Macedo, ex-bancário que fundou a igreja e se tornou dono da rede de TV e de uma fortuna estimada em US$ 1,1 bilhão.

Previsto para chegar aos cinemas em 2016, o filme será baseado principalmente nas três recentes biografias de Edir Macedo: O Bispo e Nada a Perder 1 e 2, todas escritas por Douglas Tavolaro, vice-presidente de jornalismo da Record.

O filme será uma megaprodução. Para interpretar Edir Macedo, a Record quer o ator Wagner Moura. Para dirigir o filme, já convidou José Padilha, mas o diretor de Tropa de Elite e do novo Robocop recusou, alegando falta de tempo devido a outros compromissos já assumidos.

A Record espera fazer pelo menos 5,1 milhões com o filme do bispo Macedo, o que colocaria o longa-metragem entre os dez mais vistos de toda a história do cinema nacional.

UOL

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

RN bate record e ultrapassa 1GW de produção eólica

COM UM ATRASO DE QUASE DOIS ANOS, as linhas de transmissão dos parques eólicos do Mato Grande deverão finalmente ser energizadas ao longo do mês de fevereiro. Com isso, segundo o Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), o RN deverá atingir a liderança em energia eólica gerada no Brasil, com 1.163,39 MW de potência instalada, a partir de parques conquistados nos leilões federais de 2009, 2010 e 2011.

SERÁ O PRIMEIRO ESTADO A ULTRAPASSAR 1 GIGAWATT de produção de energia eólica entre todos do Brasil.

Para o presidente do CERNE e do Sindicato das Empresas de Energia do RN (SEERN), Jean-Paul Prates, este é o resultado de um planejamento energético e de metas estabelecidas há 6 anos atrás e demonstra, apesar dos recentes percalços, que o imenso potencial do RN precisa de gestão local para se desenvolver: “Em 2008, dissemos que o RN tinha um pré-sal de potencial eólico não aproveitado. O Estado fez o dever de casa e conquistou o primeiro lugar em parques contratados nos leilões federais por 3 anos consecutivos. Agora, estes parques estão prontos e, apesar do atraso recente, a linha também. Com isso, conforme planejado lá atrás, assumimos a liderança em geração eólica efetiva e nos tornamos exportadores de energia de fonte renovável”, explica o especialista.

Desde o início de 2014, o RN contabilizava 14 parques eólicos (273 geradores) em operação, com 423,15 MW de produção. O aumento nos números é resultado da conexão, ao sistema elétrico nacional, de 27 novos parques, que começa a acontecer no início de fevereiro. Juntos, os novos parques totalizam 740,24 MW de energia gerada por 427 turbinas. Somando tudo, chegamos a 41 usinas eólicas e 1.163,39 MW provenientes de 700 turbinas eólicas. Valor que supera a produção de energia eólica de vários países.

E as boas notícias continuam: de acordo com o diretor de energia eólica do CERNE, Milton Pinto, o crescimento prossegue para o Rio Grande do Norte no segundo semestre de 2014, com 12 novos parques eólicos (quase 200 turbinas no total) sendo ativados e gerando energia de até 356,2 MW, alcançando assim uma produção de até 1.528,59 MW – mais de 1,5 GW de energia vinda somente de fontes eólicas.

“Com estes resultados, o RN supera com folga o atual líder no ranking eólico nacional, o Ceará, que atualmente possui 29 parques eólicos em operação (691,04 MW sendo produzidos) e 14 parques em construção (359,10 MW), podendo alcançar no primeiro semestre de 2014 cerca de 841 MW de geração eólica”, informa o analista. A Bahia segue na terceira posição, com 8 parques eólicos em operação, produzindo 233,19 MW e 16 em construção (353,8 MW).

A previsão é de que o estado baiano chegue no primeiro semestre de 2014, a cerca de 633 MW de produção eólica. O Rio Grande do Sul aparece em seguida, com 17 parques em operação, produzindo 489 MW e ainda 17 em construção (412,6 MW).

Jean-Paul Prates lembra que o RN alcançou a autosuficiência energética em 2010 incluindo as usinas térmicas. “Segundo nosso plano elaborado em 2008, o RN atingiria a capacidade de gerar seu próprio consumo em 2010, o que aconteceu. Em seguida, ocorreria outro degrau da sua auto-suficiência energética, agora apenas a partir de fontes renováveis, programado para 2013.

Com o atraso na linha de transmissão, isso acontecerá finalmente agora, em 2014. De qualquer forma, foi como dizíamos à época, durante a gestão na Secretaria de Energia do Estado, antes da Copa”, comemora Prates.
Usinas_no_RN1dfb4e Mapa_Milton_Operac_a_o Te_rmicas_no_RN

Opinião dos leitores

  1. demorou mas demos um salto muito alto devido as linhas de transmisao estarem atrasadas muito bom para o estado em relaçao na geraçao de emprego estou na area e nao pretendo sair.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Sabrina Sato se despede do “Pânico” com nota no Facebook: "Dói muito"; confira na íntegra

sabrinasatoDepois do encerramento da edição deste domingo (15) do “Pânico”, na qual só apareceu em ações de merchandising previamente gravadas, Sabrina Sato recorreu ao seu perfil oficial, no Facebook, para se despedir do programa.

“Hoje, 10 anos depois, sinto que é hora da filha sair de casa, andar sozinha. Tenho inquietações artísticas que preciso perseguir e desejos em minha vida pessoal que começam a despertar. Não está sendo fácil, dói demais, enquanto escrevo essa carta, ficar assistindo esse filme que passa na minha cabeça sem parar, é um filme que passa a minha historia, que se confunde com a história do Pânico e é muito difícil diferenciar onde começa um e onde termina o outro.”

Em sua mensagem, publicada já na madrugada de segunda-feira, Sabrina diz também: “Me dói muito entender que a partir de agora não estarei mais sentada naquele sofá domingo à noite com minha família, que não estarei mais cercada dessas pessoas que tanto amo, dói muito, muito mesmo, mas sinto que é uma dor necessária.”

Sabrina não diz nada sobre o seu próximo destino (a Record), mas observa: “Não sei se esse é o caminho certo ou errado. Pra falar a verdade não estou nem pensando nisso. Só sei que algo grita alto dentro de mim dizendo que esse é meu caminho, torto ou reto, o meu caminho, o que eu acredito. Estou disposta a aprender, sei que não vai ser fácil, mas vou com as armas que tenho: coragem, paixão pelo que faço, vontade de aprender, gratidão e humildade.” VEJA NOTA aqui

UOL

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

José Luiz Datena quita dívida de R$ 20 milhões com Record

José Luiz Datena quitou a dívida de R$ 20 milhões relativa às multas contratuais exigidas pela Record na Justiça.

O âncora, que deixou a rede antes do fim do contrato em duas ocasiões, 2003 e 2011, fechou no final de 2012 um acordo com a emissora para o pagamento da multa.

A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Keila Jimenez e publicada na Folha desta segunda-feira (28).

Folha

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Sabrina Sato é chamada para apresentar o Domingo da Gente, na Record

20131023142231264566iA Rede Record quer Sabrina Sato como apresentadora do Domingo da Gente, programa que estreia em 3 de novembro. Atualmente, a artista tem contrato fixo com a Band e faz parte do elenco do programa Pânico, exibido aos domingos. Enquanto não é feito nenhum acordo, a nova atração da Record contará com um apresentador diferente em cada edição.

Adriane Galisteu apresenta o programa de estreia e Ticiane Pinheiro também vai comandar o programa durante um fim de semana. A informação é da coluna Outro Canal, da Folha de São Paulo.

Diário de Pernambuco

Opinião dos leitores

  1. o que danado a record quer com sabrina? essa apresentadora só da pro panico mesmo. só fala: oh emilio e nada mais. muito fraquinha. a record está em decadencia mesmo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *