Texto em resposta a vídeo de Zélia Duncan não foi escrito por Regina Duarte

Foto: Montagem

Circula pelas redes sociais um texto atribuído à atriz Regina Duarte respondendo a um vídeo divulgado pela cantora Zélia Duncan em seu perfil no Instagram, em 21 de janeiro. Na gravação, a artista fala do papel de protagonista de Duarte na série Malu Mulher, dos anos 1980, famosa por ser pioneira na discussão de temas feministas na TV, e critica o apoio dado por ela ao presidente Jair Bolsonaro. Na quarta-feira (29), a atriz aceitou o convite para comandar a Secretaria Especial da Cultura do governo federal. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“REGINA DUARTE RESPONDE À ZÉLIA DUNCAN

Sigo discordando por mais que eu tente olhar tudo com outros olhos e Zélia, me desculpe, mas vou discordar também de você e das amigas que compartilharam com adoração as suas palavras.

Me parece que agora um grupo de mulheres quer impor que todas pensemos da mesma forma. E se não pensamos, não somos dignas. Se não concordamos com todo o feminismo como um pacote de leis, não merecemos respeito! Se apoiamos o governo que vocês não apoiam, somos idiotas! Se não enxergamos tudo, tudinho como vocês, somos machistas. (…)”

Texto atribuído a Regina Duarte em post no Facebook que, até as 14h30 de 30 de janeiro de 2020, tinha 652 compartilhamentos

FALSO

É falso que Regina Duarte escreveu o texto analisado pela Lupa. A mensagem foi publicada originalmente por Marta Sertã de Paula, em uma publicação fechada no seu perfil pessoal no Facebook. Ela confirmou, por mensagem, ter sido responsável pelo conteúdo. “Ainda meio zonza com a repercussão, pois meu Face era absolutamente fechado para amigos e parentes…Nunca imaginei que ao falar com uma ‘Zélia imaginária’ – distante do meu mundinho pequeno, pudesse chegar à Zélia real… E muito menos que pudessem envolver a Regina Duarte que já tem problemas suficientes para lidar com o novo cargo”, disse.

Pouco depois, Paula escreveu um post público em seu perfil no Facebook explicando que ficou assustada com o tamanho da repercussão. “A rede social tem um lado incrível de conectar pessoas e uni-las, mas é mais confusa que telefone sem fio. E infelizmente é fato que ‘quem conta um conto, aumenta um ponto’…”, afirmou. “Agradeço aos que estão deixando claro que o texto não é da Regina. Não precisa dizer que é meu. Se viralizou é porque o texto agora é de muitos!” Também tornou público o post original, publicado no dia 25 de janeiro.

A versão original da mensagem citava Regina Duarte em dois trechos. Ela chegou a ser compartilhada como comentário em um post do blog Tribuna da Internet, em 29 de janeiro, por um usuário que se dizia amigo da autora e citava o seu nome. O texto, no entanto, foi modificado posteriormente e a parte inicial que citava “Regina Duarte” foi alterada e reescrita em primeira pessoa, para parecer ter sido redigida pela própria atriz. O segundo trecho foi mantido.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Lupa – Revista Piauí – Folha de SP

É fake que Mourão escreveu texto que compara políticos e artistas a insetos

O texto na verdade foi escrito por Felipe Fiamenghi, colunista do Jornal da Cidade OnLine Foto: Reprodução

Circula pelas redes sociais uma mensagem que atribui ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão, a autoria do texto “Agradecimento aos insetos do Brasil”, feito em defesa do governo Bolsonaro, com críticas e ironias a artistas, estudantes, imprensa e políticos. O texto não foi escrito por Mourão. A mensagem, portanto, é #FAKE.

O texto foi escrito por Felipe Fiamenghi, colunista do Jornal da Cidade OnLine. Ele diz que é o autor do post original. A versão publicada por ele em 27 de dezembro de 2018 no Facebook, aliás, menciona: “Eu não podia deixar que 2018 acabasse”. A versão atual, porém, altera o ano para 2019 e tem sido divulgada ao lado de fotos do vice-presidente.

“Infelizmente, temos desonestos em todos os lugares, inclusive na direita. Não foram os primeiros nem serão os últimos a fazer isso. Já fui plagiado por blogueiros, youtubers, anônimos… É a desonestidade intelectual daqueles que juram combater a corrupção, cometendo corrupções cotidianas.”

A assessoria de Mourão também diz que a mensagem é “fake”.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silvio disse:

    São os bolsonaristas querendo queimar Mourão

Sucesso do BG acompanha a ideia de um comunicador que “vingou” e “viralizou”, diz ex-presidente da OAB-RN

Foto: Reprodução

Texto do advogado Paulo Coutinho, ex-presidente da OAB-RN, enviado espontaneamente nesta terça-feira(03) orgulha este blogueiro em meio ao post de celebração de mais um mês de sucesso do BLOG.

Veja íntegra:

Recebi agora um “Zap” de comemoração de um Blog que recebeu 1 milhão e 345 mil visualizações no mês de novembro de 2019.

Sem falar, ainda, o nome do Blog, vou dar um testemunho de quem viu de perto nascer a ideia de lidar com esse mundo das redes sociais e da democratização da notícia, antes mesmo de pensar em um canal próprio.

O “cara” investiu o que tinha e o que não tinha para começar em um ramo que era desconhecido para muitos (quase todos), enfrentou a desconfiança e o preconceito, ambos decorrentes do “medo do novo”, mas fez isso com absoluta competência.

Buscou as melhores tecnologias, falava em programas (softwares) que a gente nunca tinha ouvido falar aqui no RN, estudou e se qualificou para alcançar o sucesso em um mercado sensível, exigente e que não perdoa os erros.

Aliado a isso, mostrou a cara para a sociedade e percebeu rapidamente a importância de bem informar, de levar a todos a notícia, doa a quem doer, incomode a quem incomodar, desde que ela seja verdadeira, que alerte a população, que desperte o interesse de quem está em casa ou no trabalho.

Nos últimos anos descobriu outra faceta e “soltou a voz”, criando, através do rádio, um canal de comunicação direta com o cidadão, que cuida de levar informação e entretenimento a todos os cantos do nosso estado.

O “cara” é um comunicador muitas vezes polêmico, mas que não se furta de divulgar a opinião e a voz dos que não concordam com ele. Diz o que pensa, opina, se corrige quando necessário, e essas características o fazem ser amado por muitos e criticado por outros (faz parte do sucesso!)

O certo, Brunão, é que você venceu! A sua ideia “vingou” e viralizou (pra usar uma expressão da moda!).

Parabéns ao Blog do BG, mas sobretudo parabéns a você, amigo!

Continue trabalhando duro, papai(!), que o seu sucesso cuidará de “fazer o barulho”!

Beijo no coração.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LAMPIÃO disse:

    É ISSO MESMO!!! PARABÉNS, BG!!! SÓ TENS UM DEFEITO COMO HOMEM DE NOTÍCIA: ÉS ABCDEÍSTA. NINGUÉM É PERFEITO, NÉ?!

Texto no portal da Record diz que “esquerda domina as universidades”, prejudica quem só quer estudar e “destrói futuros”

Foto aérea da USP, uma das principais universidades públicas do país. Jorge Maruta/ Jornal da USP

Por Caio Fonsesa, portal R7

Em 2004 aportou nos cinemas brasileiros Adeus, Lenin. A história do filme: em 1989, a senhora Kerner, devota do comunismo entra em coma em Berlim Oriental, cidade administrada segundo as normas e disciplinas socialistas. Durante seu coma, tudo muda radicalmente: as Alemanhas (Oriental e Ocidental, capitalista) se reunificam, o muro de Berlim cai, vence o óbvio, o capitalismo. Quando ela recupera a consciência há um outdoor da Coca-Cola, então símbolo do consumo, na janela de seu apartamento. Com medo que a mãe volte a enfartar, o filho recria o passado que foi exterminado com a queda do muro de Berlin e a mantém em seu conforto comunista. Altera embalagens de produtos agora industrializados e até produz programas fictícios de tevê da época do comunismo. Trinta anos depois que a primeira picareta atingiu o muro de Berlim e o mundo mudou, a lembrança do filme faz sentido. As universidades brasileiras, principalmente as públicas, parecem viver como a senhora Kerner. Podem sair do coma, mas só conseguem se manter vivos dentro de uma bolha de esquerda que não admite quem pense diferente ou seja isento politicamente.

Enquanto esse mofo da esquerda não for removido das nossas universidades, nosso ensino estará condenado ao atraso e a intolerância. A presença da esquerda em universidades remonta a resistência ditadura quando reproduzíamos ações comuns em outros países. Um traço cultural dos anos 60 e 70 que persiste em segregar quem não compactua dos mesmos ideais. Quem entra na universidade apenas interessado em estudar, aprender para disputar em condições mínimas uma quase inatingível e afunilado mercado de trabalho é vítima de bullying, humilhações e ataques virulentos. A esquerda das universidades não poupa os contrários, e dá aula de intolerância. Quem não aceitar goela a baixo pataquadas como anarco comunismo e socialismo revolucionário vai ser confinado ao isolamento dos párias. Muitos sentem-se tão constrangidos que abandonam a faculdade. O crime, lutar pelo próprio futuro e não pela causa socialista. O ideário socialista domina os centro acadêmicos, que só aceita o ingresso de seus pares vermelhos e o movimento estudantil só se move pela orientação socialista. Quem não se ajoelha diante da cartilha de Noam Chomsky ou do velho Trotsky, sem falar em tantos pensadores marxistas que dão o tom no currículo universitário, acaba segregado e marginalizado. Ou seja, a esquerda supostamente humanista é um poço de truculência. Sem esquecer que professores ditos de direita também são vítimas. Suas aulas são interrompidas com charangas improvisadas, gritos e o desrespeito é tolerado, sem que as escolas se preocupe em protegê-los.

O mais curioso é que a maioria dos estudantes que ingressa nas universidades públicas – mais concorridas – frequentaram os melhores cursinhos e não precisaram trabalhar e estudar ao mesmo tempo. São os que moram nos melhores pontos da cidade, tem menos problemas de mobilidade e mais tempo para o ativismo de redes sociais. É fácil ser militante de barriga cheia, as contas pagas e a viagem para algum paraíso tropical agendada para o fim do ano.

Como a democracia é da boca para fora e só vale quem pensa igual, é bem possível, e há uma lógica cruel para que isso aconteça, os ditos de esquerda são mais privilegiados com promoções, melhores oportunidades, salários e bolsas. Quem fica lá, dando vivas ao esquerdismo de boutique está garantindo sua boa vida acadêmica. Quem só quer estudar sonhando justamente com um bom emprego resta a humilhação, ofensas e ser uma vítima cotidiana da intolerância. E aí os melhores cérebros quem apenas não compactuam com esse carnaval ideológico são drasticamente marginalizados e enterrados num desperdício para o país. Aí fica a pergunta, quando as universidades brasileiras vão ter coragem de gritar: Adeus, Lenin?.

Caio Fonsesa, portal R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rosi Sampaio disse:

    Interessante que falam de esquerda, doutrinação, truculência, etc… Só esqueceram de dizer que essa extrema direita que aí está age da mesma forma, só que em cenário diferente. Ambos tem muita relação, uns nas Universidades e os outros no governo.

  2. Cláudio disse:

    Os vagabundos riscaram meu carro só porque, durante a campanha de 2018, fui pra UFRN com uma bandeira do Brasil.

  3. Antonio Turci disse:

    Não adianta querer tapar o sol com uma peneira: há, sim, "fazimento' de cabeça na UFRN, em grande parte dos cursos. Quer na graduação, quer na pós-graduação. E, se for nas áreas das ciências humanas, letras , artes, e em boa parte das ciências aplicadas, no centro de educação etc. é enorme a carga ideológica tendenciosa, marxista, leninista, petralhista, comunista e por aí vai. Ano passado, alguns alunos não alienados, ou seja, democratas, tentaram passar um vídeo do Olavo de Carvalho (não sou fã deste cidadão). Os alunos petralhas não deixaram o evento acontecerá. Houve um arranca rabo, chamaram a Polícia, mas a Sra. Reitora sentir-se ofendida e alardeou protesto alegando que a nossa Polícia não pode interferir em briga dentro dos limites do Campus. Tem gente que acha que aquilo lá é um Estado independente, uma espécie de Vaticano. Quem nega a existência de doutrinação nas Universidades Públicas e nos IF's deve sofrer de distração crônica…….

  4. Ivan disse:

    Experimente usar uma camisa com a foto de Bolsonaro e caminhar pelos corredores do Setor V…Sofrerá todo tipo de ofensas dos defensores do "livre pensamento"…kkkkkkkkkk A doutrinação maior ocorre nesses cursos xibatas de Humanas (história, jornalismo, sociologia, pedagogia…) onde não é necessário estudar pra ganhar um canudo…

  5. Anderson disse:

    Interessante que aqueles que comentaram o texto, e disseram que não há doutrinação em universidades públicas, sempre falam que ESTUDARAM nas instituições de ensino superior públicas, ou seja, no PASSADO! Existe sim doutrinação ideológica, e amigos meus sofrem HOJE EM DIA por não pensarem como a esquerda quer, e manda! Quem achar bobagem o que digo, é só ir na UFRN ou no IFRN com a camisa do Bolsonaro. Pode até sofrer agressões físicas, como um amigo meu. Ou então ser expulso da sala, pelos colegas e professores, como um outro amigo.

  6. Kamila disse:

    Fiz minha graduação e minha pós-graduação a nível de Mestrado na UFRN e NUNCA fui doutrinada ou algum professor/servidor me disse o que eu deveria pensar ou fazer, do ponto de vista político. Isso significa que manifestações políticas não acontecem no local? Ocorrem, sim, na medida em que a Universidade é um ambiente plural e aberto à discussão de ideias – sejam elas de direita ou de esquerda.

  7. Greg Oliveira disse:

    Santa ignorância! Fica claro que o autor do texto não deve ter cursado faculdade ou, se cursou, deu o azar de cair num curso de viés social (não nego que os há). Provavelmente, está só reproduzindo o discurso que recebe do seu patrão Edir Macedo, que, depois de receber passaporte diplomático do Lula e convidar a Dilma pra inauguração de templo, agora virou Bolsonarista (de ocasião, claro!). Eu cursei a graduação, a especialização e o mestrado em universidades públicas (estadual e federal), bem como meus irmãos (um deles chegou ao doutorado), e jamais vimos esse tipo de doutrinação de que se fala. É verdade que ainda existem alas mais radicais no meio acadêmico, mas a principal o tolerância se dá com as ideias antidemocráticas, machistas, homofóbicas e racistas amplamente defendidas por esse (des)governo. Esse discurso não pode ser aceito, e pronto! Mas aí vem a turba conservadora e reacionária dizer que estão sofrendo pressão, doutrinação, censura… Estão sendo pressionados, na verdade, para se tornarem mais humanos!

    • Calixto Silva disse:

      Com esse linguajar de esquerda vc ainda tem a cara de paubde dizer que não foi doutrinado? Kkkk tenha Santa paciência, vc usa os mesmos termos e adjetivos do dialeto esquerdista, quando se refere ao seu inimigo número 1 e ao governo dele. Chamando-o de homofóbico racista, fascista e chamando o governo dele de desgoverno. Vc ainda diz que não foi doutrinado? Vc tanto foi doutrinado como também sofreu lavagem cerebral, que acredita que Lula é inocente e que a Venezuela e Cuba são uma democracia. Conta outra estória que esta não colou.

  8. JBBatista. disse:

    O pensamento da universal é que o povo viva igual a gado para eles manipularem e tomarem o máximo de dinheiro deles, para dar vida boa a Edir Macedo que se aliou a Bolsonaro para conseguir mais facilidades. Estudei na UFRN e ETFERN e nunca fumei maconha e nem fui para movimentos políticos

  9. Leo disse:

    O desejo dos imbecis e idiotas é tornar a sociedade burea igual a eles, o pensamento e a educação são inimigas, é um fascismo velado quer colar, aos burros e fascistas um recado, vc são uma chuva de verão, aproveite bem o momento, pq já está passando .

  10. paulo disse:

    BG
    Certissima a reportagem, além do que aqui na UFRN parte dos cursos de Engenharia ( Basico ) junta-se mais de 200 alunos numa sala e o índice de reprovação é altíssimo. Tem alguma coisa errada, tem que acabar com essa historia de doutrinação nas universidades, cada aluno deve pensar o que quer não ser forçado ao marxismo, essa cultura ultrapassada da esquerda.

    • Carlão disse:

      Amigo, o índice alto de reprovação vinha antes da criação do C&T. E outro fato é que, com a criação de um ciclo básico, aumentou o número de vagas e propiciou uma formação "pré" engenharia. Sim, concordo que juntar muitos alunos numa sala não é a melhor didática, mas esses ciclos iniciais são utilizados em outras UF, e pasmem! Em universidades da Ivy League.

    • paulo disse:

      E porque engenharia civil , elétrica e química não faziam parte deste sistema? . Não pode ter bom aproveitamento se conduzir uma turma com matérias complexas desta forma com 200 alunos.

Nos jornais o que penso sobre que está em outro mundo. “O azul e o rosa” – por Alexandre Garcia

Reprodução: Twitter

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    Respeito é qualidade que, infelizmente, nem todos cultivam. Alexandre Garcia tem todo o direito de dar seus pitacos; afinal é um jornalista renomado e, como tal, é um formador de opinião. O fato de haver sido assessor de comunicação de um presidente militar não o diminui, nem como cidadão nem como profissional. Desconfortável mesmo é alguém que foi assessor de comunicação de quem hoje está preso por corrupção em Curitiba, este sim, o verdadeiro bandido mor do Brasil.

  2. José disse:

    Esse é o famoso babão de ditadura. Lambeu o saco da ditadura militar e agora defende um bandido na presidência

    • Brasil é verde e amarelo disse:

      Jornalista trabalhador …respeitado ,ex funcionário do Banco do Brasil,vai defender o filho do ladrao condenado Lula que de limpador de BOSTA no zoológico virou milionário

  3. Sampaio Correia disse:

    Viagra masculino é de que cor? Foi a ministra que determinou ou está apoiada na prática milenar sobre as cores? Quando uma criança nasce e os pais sabem o sexo, eles vestem os meninos com a cor? e as meninas com a cor?
    Parece que a FALTA DOS MEIOS PARA CORRUPÇÃO E FAVORECIMENTOS tem destruído a ocupação de muita gente e agora que não tem o que fazer, estão transformando nada em tudo, já que ante transformavam toda "corrupção e devaneios psicóticos dos denunciantes".
    Como previsto os gritos serão longos, altos e as demonstrações de desespero produzirá muito idiotice como essa desnecessária polêmica. Mas isso é fruto de parte da mídia que ainda dá voz a banda podre da esquerda no meio do povo ordeiro brasileiro.

Na véspera da votação, texto do Escola Sem Partido é ampliado; conheça

Foto: Shutterstock

O texto que será votado nesta quarta-feira, às 14h30, na comissão especial da Câmara criada para debater o projeto conhecido como Escola Sem Partido sofreu modificações na véspera. A versão atual mantém a proibição do uso dos termos “gênero” e “orientação sexual” nas escolas, bem como veda a promoção do que o projeto de lei chama de “ideologia de gênero” e “preferências políticas e partidárias”. Mas, se antes o projeto dizia que essas noções não poderiam estar presentes em livros didáticos e paradidáticos, agora a proibição é mais abrangente: os temas não podem fazer parte de “materiais didáticos e paradidáticos”, “conteúdos curriculares”, “políticas e planos educacionais” e “projetos pedagógicos das escolas”.

O novo texto incluiu, também, um dispositivo estabelecendo que “o Poder Público não se imiscuirá no processo de amadurecimento sexual dos alunos nem permitirá qualquer forma de dogmatismo ou proselitismo na abordagem das questões de gênero”.

Na versão anterior do projeto, constava que as regras se aplicariam aos livros didáticos e paradidáticos — no lugar do termo atual “materiais”, que é mais amplo —, às avaliações para ingresso no ensino superior, às provas de concurso para professor e até às instituições de ensino superior.

No caso das universidades, o texto traz a ressalva de que será mantida a autonomia didática e científica que as instituições de ensino superior têm, segundo a Constituição Federal.

Se aprovada, a lei entrará em vigor daqui a dois anos, diz o projeto.

Escolas particulares com regras à parte

O projeto que será analisado coloca, ainda, regras para as “escolas particulares de orientação confessional e ideologia específicas”. Diz que elas “poderão veicular e promover os conteúdos de cunho religioso, moral e ideológico autorizados contratualmente pelos pais ou responsáveis pelos estudantes”. Segundo o projeto, elas também terão que disponilizar aos pais “material informativo que possibilite o pleno conhecimento dos temas ministrados e dos enfoques adotados”.

Um cartaz com os “deveres do professor” deverá ser afixado nas escolas, em tamanho padrão A4, com seis tópicos. Um deles diz, por exemplo, que “ao tratar de questões políticas, socioculturais e econômicas, o professor apresentará aos alunos, de forma justa — isto é, com a mesma profundidade e seriedade —, as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito da matéria”.

O Ministério da Educação (MEC) é contrário ao projeto de lei. A pasta se alinha a especialistas que sustentam que, além de difícil fiscalização e resultados inócuos, a proposta funciona apenas como instrumento de intimidação dos professores. Estudiosos do tema alegam, aind,a que a doutrinação, em qualquer aspecto, já é proibida com os instrumentos normativos existentes.

Cartaz com ‘Deveres do professor’

O projeto manda que escolas afixem na parede um cartaz com a seguinte mensagem:

1 – O Professor não se aproveitará da audiência cativa dos alunos para promover os seus próprios interesses, opiniões, concepções ou preferências ideológicas, religiosas, morais, políticas e partidárias.

2 – O Professor não favorecerá nem prejudicará ou constrangerá os alunos em razão de suas convicções políticas, ideológicas, morais ou religiosas, ou da falta delas.

3 – O Professor não fará propaganda político-partidária em sala de aula nem incitará seus alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas.

4 – Ao tratar de questões políticas, socioculturais e econômicas, o professor apresentará aos alunos, de forma justa — isto é, com a mesma profundidade e seriedade —, as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito da matéria.

5 – O Professor respeitará o direito dos pais dos alunos a que seus filhos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com suas próprias convicções.

6 – O Professor não permitirá que os direitos assegurados nos itens anteriores sejam violados pela ação de estudantes ou terceiros, dentro da sala de aula.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. disse:

    PRECISA DE UNIVERSIDADES SEM PARTIDO TAMBÉM. AS UFs SÃO REDUTOS DE ESQUERDOPATAS

FOTO: Potiguar ex-BBB, Cacau posa nua no Instagram em texto de reflexão sobre o corpo, e post bomba nas redes sociais

Reprodução: Instagram

A simpática e bela potiguar Maria Cláudia, vice-campeã do Big Brother Brasil em sua 16ª edição, bombou nas redes sociais esta semana, em foto nua na rede social Instagram. Em seu post publicado na terça-feira(24), a influenciadora digital exaltou as curvas de seu corpo, sem retoques, e fez questão de “libertar” seus corpo dos padrões da sociedade.

Corpo é divino, é arte, é complexo, não é só sexo. Corpo é casa onde a alma faz morada, é parte de quem somos, é livro que conta as nossas batalhas. Corpo é choro e riso, exagero e equilibrio. Corpo é identidade, envelhece com o tempo, expõe nossas fragilidades. Corpo é imensidão, é união de microorganismos, cada um exerce sua função. Corpo é liquido, sólido, energia e imaginação. Corpo, tem cor e cores, formatos, tamanhos, aromas, sabores. Corpo é único, não faz sentido ser comparado, corpo sente e deve ser amado. Corpo, não tem melhor ou pior, quando tira a cor da vida só resta o pó”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. HSA disse:

    Vai estudar e trabalhar criatura.

    • Roberto Fernandes disse:

      Desespero e desrespeito não é da parte de quem busca a fama, é da parte dos frustados de plantão que se envenenam de inveja e usam jargões bobocas como " vá estudar v…" tendo eles formação muitas vezes inferior ao alvo da inveja.

  2. Elton Jonh disse:

    Fotoshop da mulesta, assim a bichinha tá gostosa.

  3. Acorda Brasil disse:

    Tudo que vejo é alguém desesperado por mais alguns minutos de fama. Só.

    • Lutemberg disse:

      Perfeita sua análise. O ostracismo está chegando, e na falta de opção, o que resta é apelar!

Entenda o que prevê o texto da MP dos Portos

Desde que começou a tramitar no Congresso Nacional, a Medida Provisória (MP) dos Portos já sofreu mais de 150 modificações. Apresentada pelo Executivo com o objetivo de definir um novo marco regulatório para os portos brasileiros, a MP 595 vai definir as formas de exploração dos portos e instalações portuárias do país.

A MP estabelece que a exploração indireta de portos e instalações portuárias será mediante concessão para os portos organizados e, nos casos de instalações portuárias, por arrendamento de bem público. Durante a tramitação na Comissão Mista do Congresso Nacional, o relator da MP, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), acatou sugestões apresentadas pelos parlamentares e, tendo elas por base, propôs alterações em relação ao texto original. Veja quais são as alterações:

Reversão dos bens – Em relação aos terminais de Uso Privado (TUPs), foi suprimido o artigo que previa a reversão de bens à União, nos casos em que o autorizado viesse a cessar a exploração do terminal, o que na prática significava uma desapropriação sem indenização.

Chamada pública – O novo texto detalhou o procedimento para a chamada pública de interessados na instalação e exploração de TUPs, com o propósito de conferir maior segurança jurídica e transparência ao processo.

Terminal indústria – Foi criada a figura do terminal indústria, que movimenta apenas carga própria. Será dispensada a chamada pública e o processo seletivo, desde que isso não interfira indevidamente no funcionamento do porto organizado.

Medidas para coibir concentração – Com o objetivo de prevenir a verticalização do setor logístico brasileiro e favorecer a livre concorrência, o novo texto inseriu dispositivos que vedam às empresas com mais de 5% de participação societária de empresas de navegação (armadores) a participar em licitação para arrendar ou a obter autorização para operar terminais de Uso Privado.

Intervenção da Antaq – O novo texto apresenta modificações para a utilização do TUP por terceiros, com o propósito de tornar mais clara a possibilidade de a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) obrigar o arrendatário a movimentar cargas de terceiros em caráter excepcional.

Equalização – Quanto aos portos organizados, a proposta acolheu diversas emendas que estimulavam mais competitividade e igualdade de condições entre os TUPs.

Definição da poligonal – Foram fixados parâmetros para a definição da poligonal que delimita a área de porto organizado. Com o objetivo de aumentar a eficiência e estimular investimentos, foi aberta a possibilidade de autorizar o arrendatário a expandir a área do arrendamento, sempre que a medida for tecnicamente viável e trouxer, de forma comprovada, maior eficiência.

Critérios de licitação – Os critérios de licitação foram reformulados, de forma a privilegiar a maior eficiência com a menor tarifa. Foi retirado do texto a menção de maior movimentação de cargas por se tratar de aspecto fora do domínio do arrendatário.

Porto 24 horas – A fim de dar mais eficiência às operações portuárias, foi estabelecido turno de 24 horas para funcionamento dos portos, que só poderá ser reduzido por ato do Poder Executivo quando não houver prejuízo à segurança nacional e à operação portuária.

Renovação dos contratos – Os contratos celebrados antes de 1993 poderão ser renovados pelo prazo de até cinco anos. Outros, em vigor, poderão ter sua prorrogação antecipada desde que o arrendatário assuma a obrigação de realizar investimentos.

Descentralização – A MP centralizou a realização das licitações e a formulação de diretrizes para os portos na Antaq e na Secretaria Especial de Portos (SEP). Porém, a fim de evitar excessiva centralização administrativa, foi inserido um dispositivo prevendo que a União poderá delegar aos estados ou municípios a elaboração do edital e a realização de licitação para arrendamentos.

Portuário avulso – A relatoria preservou a prioridade de trabalho conferida ao portuário avulso, com o objetivo de protegê-lo de eventuais efeitos negativos que possam surgir com a modernização dos portos.

Regime de contratação – Foi mantida a opção de contratar trabalhadores por prazo indeterminado sem a intermediação do Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo), respeitado o disposto em acordo ou convenção coletiva de trabalho.

Condições de trabalho – As modificações propostas visam, segundo a relatoria, a melhorar as condições do trabalho portuário e garantir os direitos previstos na Convenção nº 137 da OIT e nas conquistas reconhecidas aos trabalhadores portuários.

Guarda Portuária – Caberá à administração dos portos organizar a Guarda Portuária.

Categorias profissionais diferenciadas – O novo texto reconhece que os trabalhadores que exercem as atividades de capatazia, estiva, bloco, conferência e conserto de carga e vigilância de embarcações constituem categorias profissionais diferenciadas, pleito de diversas representações sindicais.

Da Agência Brasil

CNJ suspende votação da Ficha Limpa

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) suspendeu nesta segunda-feira a votação da proposta de prolongamento da Lei da Ficha Limpa ao Poder Judiciário, com aplicação contemplada a funcionários comissionados, em cargos de confiança e terceirizados. O adiamento foi pelo pedido de vista da resolução feito pelo conselheiro Fernando da Costa Tourinho Neto durante a sessão. Caso seja aprovada, a regra será aplicada à Justiça Federal, Eleitoral, Justiça estadual, Militar e tribunais de contas.

De iniciativa do conselheiro Bruno Dantas, a resolução tem o apoio da maioria dos membros do CNJ, inclusive do ministro Ayres Brito. Ele defende a Ficha Limpa como um avanço no País, não apenas para os candidatos, mas para toda a administração pública. A resolução determina que o nomeado ou designado, antes da posse, terá de declarar por escrito, sob penas da lei, não incidir em qualquer das hipóteses que contrarie a lei. A veracidade da declaração será comprovada mediante certidões negativas fornecidas pela Justiça Federal, Justiça Eleitoral, tribunais de contas, Justiça estadual, Justiça militar e pelos órgãos públicos em que trabalhou nos últimos 10 anos.

Até a interrupção do julgamento, o relator Bruno Dantas, o conselheiro Jorge Hélio e Marcelo Nobre haviam votado a favor da aplicação da lei nos tribunais de todo o País. Faltam ainda os pareceres de mais 12 conselheiros.

A proposta já possui ressaltas de quem votou. O vice-presidente do CNJ, ministro Ayres Britto, manifestou apoio à proposta, mas afirmou que precisaria refletir melhor sobre a fundamentação legal das novas regras. Segundo ele, a liberdade de nomear para cargos de confiança e comissionados é “restrita”.

“O administrador é livre para nomear sem o concurso. Mas não é livre autoridade para nomear qualquer um que tenha um biografia contraindicada para o serviço publico porque permeada de um passivo penal avultado”, disse Britto. Ele ressaltou que o CNJ foi o primeiro órgão a proibir o nepotismo, norma mantida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O servidor que hoje ocupa cargo de confiança e tiver contra si uma condenação em segunda instância será exonerado no prazo de 90 dias, prevê a resolução do CNJ. O texto atinge ainda os servidores terceirizados, ao vedar a “manutenção, aditamento ou prorrogação de contratos de prestação de serviços” com empresas que tenham entre os empregados colocados à disposição dos tribunais pessoas condenadas em segunda instância. Se aprovada, a resolução valerá para todos os órgãos do Judiciário.

Apenas o STF não seria diretamente alcançado, uma vez que a Corte não se submete às decisões do CNJ.

Congresso

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) apresenta, nesta semana, uma proposta obrigando a designação de servidores ocupantes de cargos de confiança e os terceirizados da Câmara e do Senado a se enquadrar na Lei da Ficha Limpa. Com isso, os parlamentares e administradores da Casa não poderão mais contratar comissionados e terceirizados condenados em segunda instância.

Fonte: Agência Estado

Ricardo Motta garante agilizar votação de lei das taxas judiciais

O presidente da Assembleia Legislativa Ricardo Motta garantiu hoje que vai agilizar a votação do projeto de lei que reduz valores das taxas judiciais. O projeto foi entregue  pela presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Judite Nunes que veio ao gabinete da presidência acompanhado pelos desembargadores Oswaldo Cruz e João Rebouças.

A matéria já foi incluída no expediente da sessão plenária de hoje para que seja votada em regime de urgência. O projeto altera a Lei 9.278/09, que entrou em vigor no ano passado fixando os valores processuais.

Em sua justificativa, a presidente do TJ diz que os valores estabelecidos têm se demonstrado, na prática, passíveis de correção para melhor atender ao usuário dos serviços do Poder Judiciário.

“Tal fato, por si só, dificulta o acesso ao Poder Judiciário, encarecendo-o ou desestimulando o registro público de direitos, bem como torna os serviços prestados pelos cartórios mais distantes da população, onerando a prática  dos atos e repercutindo negativamente nas finanças do contribuinte, notadamente os mais carentes, que necessitam utilizar-se do aparelho jurisdicional ou dos serviços cartorários de forma a mais acessível”, justifica.

O Tiro no pé do guerrilheiro de araque

O Blogueiro Augusto Nunes, escreveu esse texto que o BG reproduz sobre o Companheiro José Dirceu. Augusto como é de praxe, deu sem pena!!! Segue…..

Transformar um quarto de hotel em aparelho clandestino é sinal de pouca inteligência. Transformar um endereço no centro de Brasília em esconderijo para tramoias políticas e/ou comerciais envolvendo figurões do governo e do Congresso é prova de indigência mental. Fazer essas coisas simultaneamente só pode ser coisa do companheiro José Dirceu. Como comprova a reportagem de capa da edição de VEJA, ele nunca perde a chance de engrossar a colossal coleção de ideias de jerico inaugurada já nos tempos de líder estudantil.

Em 1968, Dirceu conseguiu namorar a única espiã da ditadura militar. Se quisesse prendê-lo, a polícia poderia dispensar-se arrombar a porta: Heloísa Helena, a “Maçã Dourada”, faria a gentileza de abri-la. Ainda convalescia do fiasco amoroso quando resolveu que o congresso clandestino da UNE, com mais de mil participantes, seria realizado em Ibiúna, com menos de 10.000 moradores. Até os cegos do lugarejo enxergaram a procissão de forasteiros.

No primeiro dia, mandou encomendar 1.200 pães por manhã ao padeiro que nunca passara dos 300 por dia. O comerciante procurou o delegado, o doutor ligou para a Polícia Militar e a turma toda acabou na cadeia. Ninguém reclamou: enquanto o congresso durou, todos haviam tentado dormir sob a chuva por falta de tetos suficientes. Incluído no grupo dos resgatados pelos sequestradores do embaixador americano, Dirceu avisou que lutaria de armas na mão contra a ditadura e foi descansar na França.

O lutador exilado empunhou taças de vinho num bistrô em Paris até trocar a Rive Gauche pelo cursinho de guerrilheiro em Cuba. Com o codinome Daniel, aprendeu a fazer barulho com fuzis de segunda mão e balas de festim, submeteu-se a uma cirurgia para deixar o nariz adunco, declarou-se pronto para derrubar a bala o regime militar e, na primeira metade dos anos 70, voltou ao Brasil. Percebeu que a coisa andava feia assim que cruzou a fronteira e, em vez de trocar chumbo no campo, foi trocar alianças na cidade.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eduardo disse:

    Um país que não extradita um terrorista julgado e condenado em seu país de origem, o que podemos esperar? José Dirceu como intermediador de negociatas, Dilma (ex-terrorista) como presidente, Palocci como gênio das finanças, Delubio como tesoureiro do partido do presidente e po ai vai. Com esses tipos de políticos que estão aí, só aumentamos o custo Brasil, visto que temos que sustentar esses sanguessugas, aproveitadores em nível municipal, estadual e federal.

Nosso IFRN "mentiu" sobre texto usado nas provas do concurso de língua portuguesa

Post retirado do BLog de Reinaldo Azevedo, sérias acusaçãos contra o IFRN:

Caras e caros,

o texto ficará bastante longo, como verão. Mas a questão é importante porque estamos diante de mais uma evidência das distorções a que a esquerdopatia submete a educação no Brasil. Como resolveram usar um texto meu para fazer lambança, então eu me sinto obrigado a denunciar os vigaristas intelectuais. Eu gosto de uma boa briga. A turma lá deve saber disso, espero.
*
Já escrevi uma vez: eles não se cansam, mas eu também não me canso. Eles têm a sua rede de vigarice e maledicência, eu tenho os fatos.  O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte fez um concurso para contratar professores de língua portuguesa para o ensino médio e nível superior. A turma lá decidiu usar um texto meu, publicado na ediçao nº 2025 da VEJA, de 12 de setembro de 2007. Ele serviu de referência para seis questões. Cinco delas têm de ser anuladas. Candidatos que se sintam lesados e queiram recorrer à Justiça podem usar este meu post como suporte. Eu sou o autor. Eu sei o que escrevi. E o Instituto mentiu sobre o meu texto.

O artigo que escrevi foi submetido a um crivo ideológico e teve seu sentido deturpado. Atribuíram-lhe um conteúdo comprovadamente falso. Pior: o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte induz os candidatos a um erro no que diz respeito à gramática, além de atribuir a Camões o que ele nunca escreveu. Escárnio: o concurso seleciona professores de língua portuguesa!

Abaixo, leitor, reproduzo em azul o meu artigo, que critica a recente reforma ortográfica, à qual ainda não aderi em sinal de protesto. Quando for obrigatório, não terei saída. Ainda estou no prazo. Mesmo escrito em 2007, ele poderia servir também como contestação às bobagens presentes no livro de Heloísa Ramos, aquela que faz a apologia do erro. Na seqüência, publico em vermelho (claro!) as questões do tal instituto e o gabarito. E  chuto traseiros com gosto.
*
Restaurar é preciso; reformar não é preciso

A reforma ortográfica que se pretende é um pequeno passo (atrás) para os países lusófonos e um grande salto para quem vai lucrar com ela. O assunto me enche, a um só tempo, de indignação e preguiça. O Brasil está na vanguarda dessa militância estúpida. Por que estamos sempre fazendo tudo pelo avesso? Não precisamos de reforma nenhuma. Precisamos é de restauração. Explico-me.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ana disse:

    Não adiantou de nada os comentários do Autor, a prova não vai ser anulada mesmo.